Consciência Cósmica

3,832 views

Published on

Um conjunto de informações pertinentes para a ascensão

Published in: Spiritual
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,832
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,637
Actions
Shares
0
Downloads
56
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Consciência Cósmica

  1. 1. PREFÁCIO Esta é uma análise sobre como o assunto das religiões e os estudos de ufologiaestão interligados. Desde o começo da civilização o homem tem vasculhado sua origem,questionando-se acerca de como teria sido criado. Isto se deve ao fato de que o serhumano possui memórias muito antigas, gravadas no livro de seu DNA, e isto gerouesta busca, pois seria um mecanismo fundamental para o seu desenvolvimento psico-social. Além disto, considerando a lógica irrefutável da reencarnação, ao longo daseras tem sido suprido de informações sobre a vida em outros mundos, por contatosfeitos com os seres que gerenciam a humanidade, conhecidos como Jardineiros doUniverso. São muitas as hierarquias cósmicas, de seres cuja existência se perde nalonga noite dos tempos, reunidos em conselhos intergaláticos e interdimensionais,tais como os Anciãos dos Dias, a conduzir a ação dos muitos obreiros do CriadorPrimordial, para a manutenção do processo evolutivo na totalidade dos mundoshabitados. Este livro se propõe a investigar esta realidade e os processos utilizados pelosJardineiros do Universo, para a consumação do desabrochar das criaturas para aLuz, que é a vontade original do Criador, mantida em perfeita expansão ao longo doséons infinitos.PAZ E ORDEM.Targon.
  2. 2. CAPÍTULO I NO PRINCÍPIO ERA O UM A força inteligente auto-transformadora sempre esteve presente no que É. Istoé um princípio matemático simples, que explica o fato de algo existir. Pois para quealgo exista, é necessário haver existência. O nada é incapaz de gerar o tudo, poisinevitavelmente um anula o outro. Portanto, se algo existe, é devido ao fato de quealgo existia. O existir é fundamentado na existência, e a variedade de suas manifestações,é fundamentada na transformação do elemento primordial. Para este elemento ahumanidade terrena conferiu o nome de Deus, o incriado criador. Algumas culturas extraterrenas, enxergam o criador como um princípiomatemático, pois não possuíram atavismos antropomórficos, que conferiram aoelemento primordial uma condição separada e caprichosa quanto seria a mente deum humano em fase inicial da compreensão da realidade cósmica. A evolução seprocessa de diferentes maneiras no universo, e cada civilização tem uma históriadiferente a contar sobre a compreensão científica dos fatos. Mundos como a Terra sãoplanos de reajustamento dos seres que fugiram à evolução ordenada, para ondeforam exilados os elementos dissonantes, que careciam de ajustes mais intensos pararetornar à linha expansionista da consciência, visando o reencontro com a totalidade. Tomando como base então a pura ciência cósmica, desenvolvida seminterferências de egos desajustados, como foram concebidos os mundos originais dasantigas raças, a compreensão de Deus e do universo torna-se um fato numerológico,e não uma fantasia gerada por lembranças confusas, acerca de um paraíso perdido,de um sentimento de frustração e tristeza, por não terem podido acompanhar aevolução dos seus mundos de origem. Em Orionis, mundo de onde fui exilado, a noção matemática de Deus é algosemelhante ao que se encontra nos antigos escritos védicos da majestosa Índia,biblioteca do segredo de nossas vidas separadas do Todo. A base da conformaçãofísico-dinâmica do contexto sideral foi originalmente concebida a partir de umatrilogia, onde cada avanço da estrutura era seguido por outro com funções definidasna hierarquia da mutação. Daí a avaliação do contexto cósmico fundamentada emBrahma, Vishnu e Shiva, o Criador, o Mantenedor e o Transmutador. No princípio era o UM, e este ressoava em seu sagrado silêncio ao longo daeternidade. Este UM, que por existir como um ente único vivia repleto de si mesmo, econcebeu um plano maravilhoso, por ter tido a eternidade para elaborar umaaventura perfeita, onde sua existência tornar-se-ia mais rica, mais dinâmica epovoada de eventos. Como disse o mestre Saint-Germain, Deus, o Um, dividiu-separa ter a que amar. Ao dividir-se, surgiu o Dois, e este Segundo, nutrido de toda a paixão do Um,assumiu a postura de parceiro, esta segunda manifestação da energia do Todo,funciona como a Mãe, o elemento organizador da Vontade Primordial. Da fusão do intento do Um, com a parceria do Dois, veio à realidade o Três,com seu poder de comunicação entre os dois aspectos anteriores, capaz de decidir edeterminar os próximos rumos da Manifestação, providenciou todas as metamorfosesseguintes, deixando ao Um o Sopro, Ao dois a manutenção do Sopro e a si mesmo acontínua recriação, geradora do infinito. Só quando a trindade ficou estabelecida, na estruturação do projeto devariedade, a criação partiu para a construção da Casa, o número quatro. Então,elaborou os tijolos a partir de si mesma, constituindo-se na base de pequenaspartículas que estariam em todos os quadrantes do universo. Assim, foram
  3. 3. compondo-se os átomos, que originalmente eram formados de prótons – O Um,nêutrons – O Dois, e elétrons – O Três. Os elétrons girando em torno do núcleo, oupai/mãe, o mesmo que yang-yin, mantêm a coesão magnética entre as partes. Nodesenvolvimento do projeto, outras partículas foram adicionadas. O número cinco é a experiência de criação que permitiu o desenvolvimento dafamília, pela experimentação da possibilidade de inserir o fluxo vital nas criaturas,que se desenvolveriam em corpos atômicos até a condição de seres auto-conscientes. Longos éons se passaram neste processo, mas o Um nunca teve pressa, pois aeternidade é um berço onde a maturação exige prolongada e variada experimentaçãode possibilidades. A reprodução sexuada ficou evidente como a melhor alternativapara a manutenção do padrão cósmico onipresente, e o modelo humanóide, aferramenta ideal para o desabrochar da consciência do “Eu Sou”. Quando os múltiplos mundos originais da experiência tornaram-se povoadosde seres auto-conscientes, uma nova etapa do processo foi gerada, o campo do livre-arbítrio, ou o número 6, onde estes seres assumiriam a responsabilidade sobre seusatos. (Estes comentários são uma simplificação para a compreensão acerca da vidanas eras recuadas do Princípio. Tentamos aqui reunificar os pensamentos de vocêsleitores na avaliação da compreensão numérica da realidade). Naturalmente, umaconjuntura de aspectos reguladores aí já estavam definidos, segundo o plano docriador original, previamente elaborado. Sabemos, por exemplo, que a experiência dolivre-arbítrio seria inadequada, caso não fosse conquistada através da lei de causa eefeito, ou ação e reação. Os seres auto-conscientes perceberam, numa vastaseqüência de renascimentos, o que convém, o que não convém, aprenderam araciocinar, a buscar respostas dentro de si mesmos. Este é o período em que a criação alcançou o número 7, a etapa daintrospecção, e da leitura da voz silenciosa da trindade no íntimo do coração. Em todo este longo processo do aprendizado acerca do controle, o número 8 foisurgindo na qualidade das criaturas capazes de se reger pela compreensão das leisnaturais, para delas tirarem o máximo proveito. Tornaram-se sacerdotes da mestriacósmica, e alcançaram magníficos estágios de inteligência, construindo civilizaçõesprodigiosas, onde a técnica e o amor caminharam de mãos dadas. Isto gerou odesfrute de padrões de vida de alta qualidade, livres de sofrimento e com tecnologia àdisposição para viajar pelo universo e conhecer as maravilhas da criação. Baseados em seus códigos de ética impecáveis, foram graduados pelo contextosideral à condição de seres reunificados com a Grande Lei Cósmica, o número 9, e jáeram capazes de supervisionar os novos membros da família, que estavam emdesenvolvimento. Estes seres, que hoje formam o Conselho dos Anciãos dos Dias, fazendo aleitura da divina vontade no íntimo da alma, agiram em conformidade com o SagradoDesígnio e, sempre repassando a responsabilidade para os que se graduavam namestria, ascensionaram ao plano búdico, onde ocorre a reintegração com o criador,de forma consciente, completando assim o primeiro ciclo da experiência de criação,alcançaram o número 10, que é o retorno ao Um. Sabemos que a multiplicidade numérica deste ciclo é atualmente incalculável,e que as variações do Experimento continuam se desenvolvendo em cada um de nós,pela vastidão dos mundos incontáveis.
  4. 4. CAPÍTULO II O CAMPO DO LIVRE ARBÍTRIO E OS RENEGADOS Desde que o indivíduo surgiu para fazer parte do Todo, as possibilidadesexistenciais ramificaram-se em tantas direções, que os membros da comunidadecósmica a serviço da luz têm sido solicitados a agir muitas vezes com severidade,para corrigir os desvios de civilizações que contraíram a doença do niilismo e doagnosticismo, passando a se comportar de modo cruel, para atender à sede do poderimediato. Sei bem o que digo, pois o faço na condição de um antigo rebelde arrependido,um arrogante de Órion, cujas qualidades de arguto caçador degeneraram num serintolerante e sequioso de poder e domínio sobre povos de outros mundos. O desenvolvimento tecnológico em Orionis se efetuou de forma rápida, sob ainfluência do cérebro privilegiado dessa raça, e do convívio com civilizaçõesadiantadas, que aportaram em nosso mundo. Porém, a raiz do orgulho de raça emmuitos de nosso povo era tão profunda, que muitos se rebelaram contra seusinstrutores extraplanetários, roubando naves, e iniciando a pirataria junto aosmundos vizinhos, fazendo escravos e dominando mundos inteiros. São muitos os relatos de batalhas onde os seres de condição mais elevadapelejaram para desarticular a rebelião dos Caçadores de Órion. Enfim, tendo recebidoreforços de outros orbes confederados, debelaram a rebelião, confinando os rebeldesem naves-prisão, onde estes foram doutrinados com persistência, até quemanifestassem os primeiros sinais de arrependimento, e o desejo de saldar suasdívidas para com a Lei Universal. O plano Terra surgia naquela época como o lar preparado para receber grandecontingente de povos renegados de vários mundos, muitos deles em conflito hámuitas gerações, onde se pretendia que pudessem vencer seus conflitos inter-raciaise aprendessem a conviver em paz no mesmo mundo. Infelizmente, passados mais de300.000 anos, muitos deles ainda apresentam resquícios de antigas animosidades,como é o caso dos povos árabes e os judeus, ou de serem pertinazes na arrogância,como é o caso de muitos norte-americanos, em eterno conflito contra algumas naçõesda Terra. Desde minha chegada a este mundo fui submetido a duras experiências, pararecondicionar meu espírito, tendo sofrido com a queda da Atlântida, também lembrode haver nascido como um servo no Egito, onde fui sepultado vivo na tumba do faraó,e de ter nascido como escravo em terras brasileiras, onde sofri severos castigos,ocasião em que tornei-me foragido, passando a viver nas matas, em completa solidão,até o dia do meu desencarne. Este longo recondicionamento deveu-se a um único motivo: a arrogância emrecapitular, aceitando as sugestões da consciência para encurtar o caminho de voltaà vontade da essência divina, o Uno em Tudo. Hoje sei que minha condição de vidaseria muito feliz, caso não tivesse sido tão obstinado em afastar-me da evoluçãopacífica em meu mundo de origem, como muitos o fizeram. Hoje meus antigosconsangüíneos voltam para inspirar-me a perseverar no esforço redentor como umguerreiro da luz, e o momento atual da Terra pode ser o vetor da mudança, a grandeoportunidade concedida a muitos renegados. Faço este relato apenas no sentido de ilustrar a condição sine qua non detantos quantos intentam renegar sua natureza divina, que é o amor incondicional,único sobrevivente em todas as eras, destinado a perpetuar-se ad infinitum. Observando-se a realidade desta condição dos povos rebeldes, sabe-se que elescontinuam insurgindo-se, causando calamidades e opressão pelos mundos afora. O
  5. 5. plano Terra é um destes mundos subjugados, pois o carma de seus habitantes os fazmerecedores da opressiva carga vibratória que suportam, sob o domínio de algozesquadridimensionais, que os mantêm alienados da harmonia universal. Estes atuaisopressores também estão sendo vencidos pelos comandos da luz crística, para embreve expurgarem suas culpas no pesado mundo higienizador que se aproxima daTerra. Cabe a cada um de nós a decisão. Se vamos optar pela libertação, ou se nosmanteremos capazes de revoltas que nos arrastariam a penas ainda maiores que asenfrentadas até hoje. O livre arbítrio é uma chave consciencial. Podemos optar pelo experimento dador, ou superar esta etapa, transcendendo a polaridade, pela aceitação incondicionalda verdade eterna: o serviço ao contexto sideral. Não há alternativa. Ser livre deverdade é estar a serviço da Vontade Maior, unificadora de todas as partes. Só assimobteremos a paz, e uma recompensa abundante, que nos manterá permanentementeem estado de graça. CAPÍTULO III AS RELIGIÕES E O PLANO DO UM Sabendo-se que o Um repartiu-se em infinidades conscienciais pelo universoem expansão. Compreendemos o significado da palavra religare. Percebemos que nãopode haver outra meta na vida que não seja esta aceitação da onipresença. Ora, como o mundo terráqueo é o local para onde aportou um enormecontingente de rebeldes, não é de se estranhar que o sentimento de religação seja tãodifícil de ser assimilado pela maior parte dos humanos deste planeta. E quando opossuem, é de forma muitas vezes fantasiosa, recusando a aceitação do DeusInterno, e buscando uma deidade externa, que os salvaria das calamidades. A situação é realmente difícil, quando sabemos que pactuamos com energiasdesqualificadas, que nos implantaram com um DNA conducente à dúvida ou àhisteria. Precisamos, portanto, manter uma prolongada perseverança, para noscurarmos de nossas próprias criações. Como dizem os Vedas, sempre que uma humanidade se encontra desviada docaminho da luz, um dos religados sai do plano búdico e encarna neste mundo paraexemplificar o caminho do amor. Nosso mundo contou com a reencarnação de muitos iluminados, ainda assimnão aprendeu a seguir seus ensinamentos, tendo suas verdades muitas vezes sidodistorcidas de modo infantil e supersticioso. É preciso que estejamos conscientes. Não há outra finalidade na vida que nãoseja expressar a alegria da consciência de Deus, ou Consciência Cósmica. Estaconsciência é leve e destemida. Ela não julga, apenas irradia a luz do amor. Ela nãose apega ao transitório, pois sabe que todo bem é eterno. Ela não se rebela, pois senteno íntimo a felicidade por participar da Comunidade. Seu prazer é ser útil, suatranqüilidade é fruto da autoconfiança. Como podemos desprezar a bênção de fazer parte do banquete da vida? Comopodemos nos recusar a beber desta fonte pura de contentamento? Não devemosinsistir em criar o grotesco, quando contemplar o belo é comunhão com a graciosacriação divina. Amigos, nós sabemos que manter a consciência em estado de elevaçãoconstante é neste mundo uma tarefa quase impossível. Mas abdicar completamente
  6. 6. disto é um portal de obscurantismo, que nos prende à inércia da auto-aniquilação, danegação de sua verdadeira natureza. Um conjunto de pequenos esforços conscienciais mantido com perseverança émelhor que o abandono do interesse pela espiritualidade, devido a um cansaçogerado pelo esforço cego, desesperado. Como disse o Buda Gautama, a corda doinstrumento não deve estar frouxa, nem demasiado esticada, mas sua tensão deveser mantida em equilíbrio, para soar de modo harmonioso. Vamos manter os ouvidosatentos, para obter uma boa afinação. Preservar uma graciosa vigilância sobre nossos estados de espírito, evitando aaceitação cega dos interesses de uma sociedade doente, ou a perturbação gerada pelaamargura, pelo sentimento de impotência. Vocês não são impotentes. São poderososseres de luz, capazes de co-criar alegrias sublimes, que aguardam o desabrochar dointento, na intimidade da alma. Não se lastimem pela aparente limitação. Não hálimites para o que são capazes de realizar, no fértil terreno do espírito. Não esqueçamque ainda bebem o remédio amargo que os cura de seus antigos desatinos. Sejampacientes dóceis, e colaborem com os médicos espirituais que aqui estão para curá-los. Evitem ofuscar sua própria luz, evitem mergulhar no esquecimento de simesmos, que é o esquecimento da condição de seres divinos, a caminho da paz eelevação que nunca lhes será subtraída. Vocês são o poder do Ilimitado. Estejamsempre conscientes disto. CAPÍTULO IV O PLANO BÚDICO E A HIERARQUIA DO RELIGARE Provenientes da mais alta freqüência da luz, que irradia das dimensõessuperiores, chegam a nós os raios do amor divino, que é a expressão da Mãe em cadacoração reunificado ao poder soberano. Os seres búdicos não foram ao plano dareunificação para viver em contemplação egoísta. Até lá chegaram por muito amar, eeste amor serve para reger o equilíbrio de todos os seres e o desenvolvimento de todosos mundos. Desde estas altas esferas, o surgimento e recriação da experiência doamor divino, é constantemente deliberado, e suas ordens alcançam todos osguardiões da ordem, em qualquer parte do universo. As hierarquias são conhecidas por nós aqui na Terra como as falanges dosArcanjos e dos Anjos. São seres consumados. Há muito deixaram a esfera do livrearbítrio, para estar a serviço unicamente da consciência crística. A energia do Cristo é justamente esta irradiação do amor que vem do planobúdico, e permeia todas as dimensões. As hierarquias podem ser de vários níveis, e servem ao Comando Maior, emsuas carruagens de luz, que os conduz através de distâncias extraordinárias. Atualmente vários comandos de luz vieram convocados por estas hierarquias,para atuar nos momentos ciclos finais de nossa era. CAPÍTULO V OS SETE RAIOS O universo é um organismo extremamente complexo, com energiasdiversificadas e comportamentos que a ciência da Terra mal começa a investigar. Háneste plano uma ciência oficial e uma ciência iniciática. A oficial é movida pelo
  7. 7. interesse econômico, a iniciática é desvendada pela intuição, pela canalizaçãotelepática, e pelas tradições esotéricas. As pessoas mais adiantadas em evoluçãointelectual, moral e extra-sensorial (muitas vezes irmãos cósmicos em missão naTerra), canalizam informações preciosas para o aprimoramento da condição vibratóriadeste mundo. Assim foi que a compreensão acerca das propriedades das cores e suarelação com a aura humana e planetária, chegaram até nós. Hoje em dia, acromoterapia, medicina muito usada em outros mundos, começa a dar os primeirospassos na Terra. A cor possui uma ligação muito forte com tudo que há neste universo. Elaressoa (digo ressoar porque o som possui relação com a cor) num nível molecular etambém espiritual. Os poderes das cores no plano pentadimensional podem sermelhor observados, mas elas estão atuando também na 3d. Nossos sentidos é queainda não são desenvolvidos o suficiente para percebê-los. É sempre bom lembrar que somos parte do Um, que O somos em escalareduzida, enquanto Ele é o conjunto de tudo que há e algo além disto. E foi por suavontade que ele manifestou tudo à nossa volta. Esta mesma vontade nós possuímos,só não aprendemos a utilizá-la de modo eficiente ou concentrado o bastante paraprovocar a co-criação desejada. Mas há os que já aceitam esta verdade e começam apô-la em prática. No entanto, de modo inconsciente estamos a todo momentomergulhados no universo das cores. Quer por nossos estados de espírito, pelaaproximação com a aura de outros seres ou pela intenção, e também pelasirradiações de raios cósmicos naturais ou induzidos pelos seres de luz. A cor de nossa aura muda conforme o que sentimos, ou conforme o quementalizamos. Quando alguém se enfurece, fica cercado por uma energia escura epegajosa. Quando alguém está sentindo amor, fica cercado pela cor rosa. E outrasvariações que irei descrever a seguir. O importante é considerar que nossa relação com as cores vai além do quepodemos perceber. O universo 3d abrange um espectro limitado de cores, ou melhor,nossos sentidos é que são incapazes de perceber além, pois algo anterior aoinfravermelho e superior ao ultravioleta não podemos captar. Pode-se dizer que defato os sete raios do espectro são o suficiente para nosso estágio evolutivo. Quandonos graduarmos para a quinta dimensão, iremos contar com uma gama maior decores e tonalidades em nossa percepção. Mas, por hora vamos nos ater aos sete raios.Eles são a chave do nosso processo de ascensão. A GRANDE FRATERNIDADE BRANCA Entre os seres consumados que são em maior número que o de estrelas nouniverso, formam-se grupos de trabalho, para atender às necessidades evolucionistasdos seres conscientes em cada sistema estelar. Há muitos grupos em atividade, parao benefício do nosso planeta, guiados por almas puras e vindos de planetas diversos,são os comandos celestiais, dos quais falaremos depois. Porém há um grupo de luzintensificada, ao qual todos os comandos prestam reverência e obedecem. É a GrandeFraternidade Branca. O branco, sabe-se nos estudos da física, é a cor que reúnetodos os raios do espectro, daí este nome, pois representa a grande união que reinaentre todos os membros desta fraternidade. Seu único intento é o bem de todos oshabitantes da Terra. Ela é formada pela reunião de todas as almas nobres que jánasceram neste mundo. A Fraternidade existe há muito mais tempo do que seimagina, e seus membros reencarnaram várias vezes na Terra, para com seu exemplode vida ajudar a erguer a moral e a consciência dos habitantes do planeta.
  8. 8. A G.F.B é formada por seres de vários graus evolutivos, e cada raio é regidopor: Um Senhor (Chohan) que é um mestre ascensionado, ou seja, um ser que nãoprecisa mais reencarnar compulsoriamente na esfera 3d; Um Arcanjo, e seu complemento divino, uma Arquéia. Os arcanjos sãoentidades que habitam dimensões muito elevadas, e estão vivendo na intimidade docoração de Deus. Os sete raios e suas características são os seguintes: Primeiro Raio – Azul Chohan – El Morya Arcanjo e Arquéia – Miguel e Fé Qualidades – Fé, vontade, poder, proteção, perfeição, julgamento e obediência. Os membros deste raio são os soldados e os juízes do Uno. Segundo Raio – Amarelo Chohan – Lanto Arcanjo e Arquéia – Jofiel e Cristina Qualidades – Sabedoria, compreensão, iluminação. Seus membros trabalham pela instrução e inspiração aos seres da Terra. Terceiro Raio – Rosa Chohan – Paulo o Veneziano Arcanjo e Arquéia – Chamuel e Caridade Qualidades – Amor, compaixão, bondade, caridade, criatividade, beleza. Os membros deste raio trabalham no despertar do altruísmo, e do ConceitoImaculado (amor incondicional) para os humanos. Quarto Raio – Branco Chohan – Serapis Bey Arcanjo e Arquéia – Gabriel e Esperança Qualidades: Pureza, disciplina, alegria e esperança. Seus membros atuam pela ativação de um desejo pela elevação, ascensão àsesferas superiores. Quinto Raio – Verde Chohan: Hilarion Arcanjo e Arquéia – Rafael e Mãe Maria Qualidades – Verdade, ciência, cura, abundância, visão, música. Seus membros são dedicados à cura dos quatro corpos inferiores do serhumano: corpo físico, corpo etérico, corpo emocional e corpo mental. Sexto Raio – Rubi-Dourado Chohan – Mestra Nada Arcanjo e Arquéia – Uriel e Aurora Qualidades – Serviço, ministério, paz e fraternidade.
  9. 9. Seus membros atuam pelo despertar da consciência crística em cadaindivíduo. Sétimo Raio – Violeta Chohan – Saint-Germain Arcanjo e Arquéia – Zadkiel e Santa Ametista. Qualidades – Misericórdia, justiça, liberdade, transmutação, alquimia, perdão. Seus membros trabalham dissipando ou reconfigurando as energiasdesqualificadas, transmutando o karma dos humanos, conforme o desejo e omerecimento da humanidade. * Sempre que quisermos desenvolver uma qualidade, é útil fazer decretos para acor que queremos desenvolver, e até invocar o chohan, o arcanjo ou a arquéia do raio. Atualmente o raio que se faz mais necessário e cujos senhores pedem que sejamuito invocado, é a chama violeta, para purificar os resíduos mentais que estãopegajosamente aderidos à crosta planetária, e também para atenuar a discórdiahumana. Chama Trina: Assim como o plano divino foi instaurado a partir da trindade do Pai/Mãe e doFilho, três são os raios que regem o equilíbrio dos indivíduos: o raio azul do poder, oraio rosa do amor, e o raio amarelo da sabedoria. A união destes três poderes é aalavanca que erguerá o ser no retorno à sua unidade primordial. A chama trina,como é conhecida, está alojada na cavidade do coração, e deve ser uma fogueiramantida em alta, pela constante busca de aperfeiçoamento. Devem ser feitosexercícios visualizando a chama trina expandindo-se e abrangendo o mundo inteiro,pois isto será útil, não só a si mesmo, mas também ao contexto evolutivo de todos osindivíduos da Terra. Capítulo VI OS SERES DO ESPAÇO E OS COMANDOS CELESTIAIS A vida é um sagrado mistério. O sopro de Brahma vai sendo insuflado pordistâncias infinitas, determinando o movimento das criaturas, na experimentação daspossibilidades existenciais. A estrutura do universo, possuindo planetas, as “moradas da Casa do Pai”,girando em torno da luz das estrelas, é de uma inteligência surpreendente. Sempre aluz, a fecundar vida em toda parte. Alguns seres de terceira dimensão, muitos nas dimensões seguintes, mas emtoda a parte há vida, pulsando, desenvolvendo-se, especializando-se, conforme osimperativos do meio ambiente, para despertar a inteligência, a consciência dos filhosdo Poder Maior.
  10. 10. A princípio a vida se faz em choques que animam a luta das criaturas pelasobrevivência, mas passo a passo vai se aprimorando, alcançando estágios cada vezmais avançados de inteligência, em civilizações mais desenvolvidas. Isto tudo ocorrendo numa escala que o ser humano da Terra, em seu processode quarentena e esquecimento, não tem como fazer idéia da intensidade em queocorre. Pois todos os orbes do universo possuem alguma forma de vida. Quase atotalidade das estrelas possui mundos girando em torno de si. Mas com seusrecursos óticos a humanidade não tem como enxergar isto. Pois, mesmo com seumais potente telescópio, querer enxergar mundos girando em torno de estrelas, seriao mesmo que, a 100 metros de distância, querer enxergar uma mosca voando junto auma fogueira, usando apenas um binóculo. A ciência da Terra mal identificou unspoucos planetas além do sistema solar, analisando os movimentos gravitacionais dasestrelas. Porém os mundos estão em toda parte, semeados no espaço como poeira dasestrelas, e cumprindo seu papel de suportar a vida em várias dimensões. Então, na variação das probabilidades para o desenvolvimento de espéciesinteligentes, há os mundos que possuem humanidades primitivas, os que possuemcivilizações como a nossa, mas há também os mundos com humanidades quealcançaram incríveis avanços tecnológicos, e que trafegam pelo espaço, como grandesconhecedores das leis da física, das grandezas do contínuo espaço-tempo e mesmo daestrutura do universo. Podendo deslocar-se em naves que de tão adaptadas para asustentação da vida, assemelham-se a pequenos planetas, possuindo atécompartimentos onde é possível recriar o habitat natural. E estes seres siderais tão avançados em tecnologia tiveram a oportunidade deviajar até onde as civilizações se estabeleceram a milhares de anos-luz, em variadossetores. Fazendo contato com outros seres, estabelecendo intercâmbios tecnológicos,comerciais e culturais, possuindo relações amistosas, e a presença de embaixadoresentre eles. Daí a formação de blocos de planetas com civilizações relacionadas entresi, como algo inevitável, pois, qual o ser inteligente que não quer estar associado aoutros? No entanto é preciso ter cuidado, pois há uma margem de possibilidade paraque haja povos com desenvolvimento intelectual, mas com o aspecto moral poucodesenvolvido. Algo que com o tempo é naturalmente corrigido pela Grande LeiCósmica, mas que naquele momento pode causar transtornos a quem entrar emcontato com eles. Os povos alinhados com a luz dos princípios éticos, seres com almas nobres ealtruístas, por haverem alcançado padrões de grande riqueza em seus mundos,atuam de certo modo como as nações mais desenvolvidas da Terra, queeventualmente se voltam para ajudar os povos mais necessitados. Só que numaescala muito maior, em termos de valores humanos, os seres mais evoluídos possuemo interesse em servir aos filhos do Criador, onde seja possível, mas semprerespeitando as diretrizes das hierarquias superiores. Estes então se unem em blocos de planetas alinhados com a luz, formandofederações e confederações, colocando suas frotas de naves e todo seu empenho nesteserviço devocional a esta luz, tão estimulante no sentido de aguçar o sentimento, aque se chama vida, onde quer que ela se encontre. São os cavaleiros dos céus, com funções infinitamente variadas, que vão desdea capacidade para semear e gerenciar o desenvolvimento de novas raças nos mundosem formação, passando pelo policiamento de sistemas, evitando a açãoindiscriminada dos rebeldes, até providências no sentido de salvar mundos ehumanidades de catástrofes naturais. Já foram vistos e registrados várias vezes na Terra, mas não fizeram apariçõescom a finalidade de manter contato em larga escala com os terrestres, pois seguem as
  11. 11. diretrizes da Federação dos Planetas, de não interferir diretamente no despertarconsciencial dos planetas dos renegados. Porém, devido ao ciclo planetárioatualmente em andamento, cumprem aqui uma tarefa muito diversificada, que vaidesde a sustentação das condições de vida dos terráqueos, como a assistênciaintelectual e moral indireta, por telepatia, ou reencarnando em corpos de humanospara contribuir no desenvolvimento da humanidade com seu exemplo de vida e suascapacidades. CAPÍTULO VII A VIDA INTERDIMENSIONAL Dançam os elétrons em torno do núcleo. Dançando, Shiva organiza o plano divino, em torno do Pai/Mãe. Saltando de casa em casa, impulsionados pela força organizadora, os elétronsmantêm a estrutura atômica de cada dimensão. É a rapidez do giro de cada elétron, que determina a densidade de cada plano. Movendo-se a incríveis velocidades, dentro de uma banda de freqüência,preservam o padrão molecular e sustentam o berço das vidas que a esta faixa seafinam, dentro da mesma freqüência vibratória. Shiva é um dançarino incansável, e experimenta saltar mais uma casa nolimite onde há sustentação para a vida na 3d. Cria-se então novo contexto, de átomosque vibram com mais intensidade. Para trás ficaram os átomos 3d, e surge a vida naquarta densidade. Muito atrelada à anterior, é o plano para onde vão os seres da 3dcujos corpos tornam-se inoperantes. É o reino para onde vão de imediato, aquelesque perdem o corpo somático. Digamos que a 4d é uma dimensão de transição, ela foicriada para suportar a vida que não podia permanecer na 3d por força da lei de causae efeito. Os seres cuja vibração, está carmicamente atrelada à vida na 3d, estagiamna 4d, antes de à 3d retornarem, pelo imperativo da reencarnação. A 4d não é umaconquista, é uma conseqüência da 3d. A 3d é um estágio primário, de seresincipientes na chama trina. Possuem pouco poder de vontade, pouca sabedoria epouco amor, precisam portanto dos duros golpes da 3d para efetuar o despertar. O cosmos é uma caixa de Pandora, mudando um pouco as velocidades doselétrons, cria-se um novo lugar, que interpenetra o campo anterior, sem ser por eleafetado. Estagiando na terceira e quarta dimensões, abre-se pouco a pouco acompreensão dos seres que nelas coexistem. Amplia-se o poder, desenvolve-sesabedoria, irradia-se mais amor. De vida em vida, em maior ou menor número,conforme o bom uso que se faz do livre arbítrio, vai o ser alcançando vibração maiselevada. Seu corpo sutil, que é o único a mudar em cada salto, passa a vibrar maisrápido. Sua vida então, não suporta mais um corpo extremamente denso, e surgeuma nova oportunidade. É a graduação da criatura para uma esfera superior. PoisShiva, interessado em ver suas criaturas felizes, dança com mais entusiasmo, e saltamais uma casa. E estabelece um novo reinado, para os seres dóceis, distanciados dadiscórdia, que vibram com mais alegria e compaixão. Surge então a quinta dimensão.Um lugar mais ameno, que não está sujeito aos horrores da putrefação, menosafetado pela força gravitacional, que exige corpos menos densos para sustentar avida. Nossa tarefa nestas idas e vindas entre a 3d e 4d, é aprender a elevar nossasvibrações, se quisermos ser merecedores de um descanso onde a dor não nos sufoca,
  12. 12. com seus imperativos correcionais. Na 5d, não há doenças graves. Podem ocorrerpequenos desequilíbrios energéticos, para os recém chegados, mas nada que amedicina evoluída não possa dispersar sem grande esforço. O nosso vizinho irmãomais velho, o planeta Marte, possui vida na 5d (na 3d é apenas um deserto). Acivilização marciana está um passo à frente da Terrena, e já faz parte do contextosideral dos seres despertos. Possuem alta tecnologia, já efetuam viagensinterplanetárias, e seu sistema social é extremamente justo e fraterno. Prepara-se então, para o nosso cansado planeta, a oportunidade para dar omesmo salto, onde os que não tiverem condições de suportar as elevadas vibraçõesque se aproximam, serão transferidos para mundos de 3d onde possam continuar oaprendizado de livre arbítrio. Cada dimensão que sucede a outra vibra com uma rapidez cada vez maior. Demodo que nas dimensões mais elevadas, a matéria é de grande sutileza, quaseinexistente. São regiões onde o Espírito é o senhor de si mesmo. O imperadorabsoluto. Nestas altas regiões vibratórias há uma festa permanente de cor e luz, euma música constante, suave, de beleza indescritível. Não se sabe até onde vai esta sucessão de esferas vibratórias. É um mistérioque por enquanto escapa à nossa compreensão. Mas certamente vai muito além da12d, que já é um plano de suprema realização. A nós importa apenas, por enquanto,aprender e colocar em prática, de modo impecável, os procedimentos capazes deelevar nossa vibração, fazendo-nos graduados para merecer o ingresso aos planossuperiores, de modo a não ter que retornar compulsoriamente ao reino damortalidade. Comecemos por observar a qualidade do que pensamos, do que falamos, doque preservamos na intimidade do sentimento, do que queremos, e do que aceitamosindiscriminadamente. É, sem dúvida, uma tarefa árdua fazer esta filtragemvibratória, ou bio-psico-energética, mas com empenho e dedicação chegaremos aotopo. Lembremos que o Pai é misericordioso, conhece a intimidade do nosso coração,e também as incríveis combinações de adversidades a que estamos submetidos. Omais importante e o mais objetivo no momento é preservar a pureza de coração.Depois buscaremos mais recursos de ascensão, conforme veremos a seguir. Consideremos, além de tudo, que quanto mais a nossa mente está aceleradapara o mundo material, mais desacelerada estará para os planos superiores deexistência. E quanto mais conseguirmos manter serenidade, atenção e equilíbrio,mais elevaremos as nossas vibrações, desenvolvendo nossa percepção extra-sensorial, e os poderes ocultos, que serão valiosas ferramentas para a inclinação emângulo de noventa graus, que nos abrirá o portal de uma nova realidade. A istochamamos verticalização do processo de mudança. Capítulo VIII ATIVAÇÃO DA CONSCIÊNCIA CÓSMICA Nossa condição de vida atual é um imenso holograma. Um paradigma dailusão. Isto porque mesmo sendo uma partição do Senhor dos Universos, estamosacorrentados a um número exorbitante de falsos conceitos, errôneas interpretações,pré-disposições perniciosas, sentimento de incapacidade e inadequação, gatilhos debusca do que é transitório, insatisfação, medo e rebeldia frente aos desígniossuperiores. Isto porque nos desviamos para um diretório equivocado, que nos afastada luz da Consciência Cósmica.
  13. 13. Estamos sendo constantemente manipulados por nossas próprias criações.Geramos formas pensamento de caráter duvidoso e conferimos poder a elas pelo mauuso da vontade, e pela falta de discernimento. Além disto, sofremos com os ataquesde irmãos infelizes da 4d, com os quais nos comprometemos em vidas sucessivasonde não soubemos usar bem o livre arbítrio, e não iremos além para não pintar umquadro demasiado assustador, mas todos sabem a situação caótica do planotridimensional aqui na Terra. O importante é refletir sobre como enxergar a verdade. Como tomar a pílulavermelha do filme Matrix, para retirar o plug que controla nossas mentes, e assimpassar a combater com firmeza, para mudar nossa realidade... O processo vital ao qual estamos heroicamente submetidos é fundamentadona dualidade. Não esquecendo que somos o Deus Uno, percebemos que nossointento, ao mergulhar na densidade era fazer a afinação, o refinamento do vigor, parareagir frente à simulação de dualidade, reafirmando nossa unidade e ampliando opoder. Toda a energia gerada para a sustentação da vida advém desta gloriosaretomada de força, da espada enérgica da vontade que destrói a ilusão da separação. Então, surgimos para a existência no plano físico, dotados de razão e emoção,para encontrar o caminho do meio, o perfeito equilíbrio entre ambas. Viemos comdois hemisférios cerebrais, cada um com características particulares. Viemos comenergia masculina e feminina, com predomínio de uma sobre a outra, conforme anecessidade reencarnatória ou o mérito de escolher aquela com a qual mais nosidentificamos. Socialmente falando também somos forçados a encontrar a convivênciaharmoniosa frente às diferenças de gênero. E finalmente, em termos globais,precisamos obter o ponto de equilíbrio na condução das energias do oriente e doocidente. Tudo nos faz crer então, que evitando os extremos, podemos encontrar o pontochave, que nos dará mestria sobre toda ambigüidade. Nossos irmãos cósmicos trabalham incansavelmente na estruturação efortalecimento de uma ponte vibratória entre o oriente e o ocidente, promovendo ointercâmbio das qualidades de um hemisfério para o outro. Esta ponte é chamadaANTAKARANA. No entanto, há uma ênfase em conceder ao mundo como um todomaior energia Yin, ou feminina, para equilibrar o distúrbio que levou a Terra aosexcessos de força masculina, geradores de conflitos bélicos e tirania. Esta energiafeminina já se acerca do orbe terrestre com a aproximação do sistema solar de umafaixa na galáxia conhecida como Cinturão de fótons, o portal 11:11. Esta será aalavanca utilizada pela Divina Providência para promover o salto quântico queerguerá a Terra à quinta dimensão. O trabalho para a harmonização entre o Yin e o Yang é prejudicado pelasconstantes sabotagens geradas no inconsciente coletivo pelas forças da discórdia.Mas a construção de Antakarana é um trabalho para ser feito não somente em escalaglobal, mas também no plano individual, pois cada um que consegue o domínio sobreas polaridades, confere ao conjunto uma ampliação de força que está além dacompreensão do consenso da coletividade humana. Quando um número específicode humanos alcançar este equilíbrio, forçará mudanças no conjunto, atenuandoações mais drásticas neste sentido. Então, por que foi preciso abordar este assunto? Porque estamos comentandoacerca da ativação da consciência cósmica, como algo vital para desarticular osdesequilíbrios de polaridade que geram a ilusão e os males da atualidade. E enquantoo racionalismo desqualificado pelo excesso de Yang imperar, não será possível ao serhumano comum, permitir-se abrir as portas da percepção, descerradas pelo uso da
  14. 14. intuição, que é uma característica do uso do hemisfério direito do cérebro, porta deacesso da energia Ying ou feminina. O que acontece quando a intuição é ativada? Ativar a intuição é retirar o plugda Matrix, permitindo ao indivíduo explorar seu potencial para a mudança. Como nãoestamos sós no universo, precisamos nos alinhar com os seres que vibram na energiado amor, em vez de com aqueles que querem nos manipular. Este é o tempo do Armagedon, a luta entre a luz e o obscurantismo. Comoantigos renegados que somos, enquanto não nos abrimos total e incondicionalmentepara a luz, permaneceremos no raio de atuação dos obstinados rebeldes nãoconfederados de nossos mundos de origem ou de outros em condição semelhante aonosso passado, que colaboram inconscientemente com a pergunta cósmica que noslivrará do cativeiro: qual a sua opção? Está verdadeiramente interessado em abjurardas armadilhas auto-geradas do controle e da manipulação? Quer ser um membroreadmitido da família da luz dos mundos confederados? Então, precisamosperseverar, pois estaremos sendo testados neste sentido até o fim dos nossos dias naTerra. Veremos então um conjunto de métodos para abertura do canal intuitivo, afim de facilitar a busca de auto-controle, e o domínio na recepção fluente dasenergias superiores, que promovem o aumento consciencial e vibratório, livrando-nosda estagnação e das armadilhas do esquecimento. Mentalizando a Merkaba para promover a ativação de Antakarana Sentados em posição confortável, procurando manter uma postura ereta, comos olhos fechados, as mãos em mudra sobre o colo, vamos tomar uma respiraçãoprofunda. Em seguida repetimos o mantra OM três vezes ao expirar. Vamosmentalizar uma pirâmide de cristal com a ponta situada um pouco acima de nossacabeça e a base tocando nosso plexo solar (diafragma). Agora vamos mentalizar umapirâmide invertida com a ponta situada um pouco abaixo de nossos pés e a basetocando nosso chacra laríngeo (base do pescoço). As duas interpenetram-semantendo ao centro nosso chacra cardíaco. Vamos mentalizar, vinda do solo uma luz prateada que sobe pelo centro dapirâmide e alcança nosso coração. Agora, vindo do alto, diretamente do centro da viaLáctea, está vindo uma luz dourada, que atravessa a pirâmide superior, entra pelotopo da cabeça e desce até o coração. As duas energias se encontram agora. Uma éprateada e vem do centro da Mãe Terra. A outra é dourada e vem do coração do SolCentral da Via Láctea. As duas se unem formando o símbolo do Yin-Yang nas coresprata e ouro.Imaginemos agora, mantida a consciência da merkaba de cristal girando em sentidosopostos, e dos raios dourado e prateado encontrando-se no centro da Merkaba eformando o símbolo do Yin-Yang, que estamos no centro da Terra, e o símbolocomeça a girar em sentido horário, irradiando raios prata e ouro que atravessam acrosta terrestre, expandindo-se por todo o planeta até além da lua. Procuremosmanter esta visualização por alguns segundos. Mantendo a respiração profunda,vamos proferir a sílaba OM três vezes. Calmamente, podemos começar a abrir osolhos e retornar à consciência habitual.
  15. 15. Capítulo IX O USO DAS ENERGIAS TRANSCENDENTAIS Por mais que lute em contrário, pessoa alguma poderá recusar para sempre oencontro com o que é de natureza transcendental. Nosso mundo desesperado, nossacivilização materialista, mergulhou em processos de vida que recusam a maior parteda experiência mística, desde que os conflitos religiosos destruíram a confiança nasenda espiritualista. A palavra “místico”, que é interpretada como algo fantasioso, de acordo com atradução de sua origem grega, “mystikos”, quer dizer “o que é segredo”. O seja, oconhecimento de forças superiores, que nada têm de sobrenatural. Apenas nãoinventaram aparelhos para medi-las, pois o único aparelho que pode senti-las eexperimentá-las verdadeiramente é o ser humano. Eu afirmo que pessoa alguma poderecusar o transcendental, pois é inevitável a perda do corpo físico e a necessidade detomar outro corpo, passando-se a viver provisoriamente na 4d. Portanto, nesteperíodo, mesmo aquele que durante a vida na 3d foi o mais cético dos homens, teráde se defrontar com a realidade das energias e sua repercussão em nossa estruturafísica, emocional e mental. Vamos comentar sobre como podemos nos beneficiar pelo uso das energiastranscendentais, para melhorar a nossa vibração, melhorando assim a qualidade doque sentimos, pensamos, de nossa saúde, nosso padrão de existência, enfim, paraque esta vida seja melhor que a anterior, pelo despertar de nossa consciênciacósmica. Mas de que modo a manipulação das energias transcendentais influencia odespertar da consciência? Em primeiro lugar precisamos perceber que tudo na vidaestá relacionado com alguma forma de energia. Tudo que fazemos, pensamos ousentimos, movimenta energia. A própria matéria é energia em estado pré-configurado,de átomos reunidos por leis de atração, para criar a densidade. Infelizmente, nomomento a humanidade é muito desatenta para com isto. E movimenta ou absorveenergia no modo da ignorância. Por força do atavismo, das idéias repassadas pelomodo de sermos educados, pelas informações lançadas aleatoriamente pelos meios decomunicação, pois não há interesse no sistema econômico pela melhoria do padrãoconsciencial, apenas pelo consumo de qualquer produto que possa ser vendido, nãoimportando se vai trazer um ganho de energia ou uma perturbação do campoenergético de quem consome. E nós, por comodismo, por deixar de lado nosso EuSuperior, continuamos aceitando um monte de lixo energético, navegando num marde energias poluentes, na forma do que comemos, pensamos, falamos, em forma deentretenimentos, e é uma ousadia falar assim pois o consenso se revolta contraaqueles que apontam para aquilo que ficou estabelecido e é de aceitação geral. Falarassim é coisa de extraterrestres, mas mesmo estes, ao encarnar na Terra, sãoenvolvidos pelos tentáculos deste polvo de energia desqualificada e acabam aceitandoo que não convém, pois a confusão mental é inevitável para seres emdesenvolvimento, numa sociedade como esta. O que queremos dizer é que para que haja aceleração é preciso haver ritmo. Imaginemos um piloto de corridas que por uma perda momentânea de lucidez,começasse a pisar no freio no meio de uma reta, passar as marchas na hora errada,apertar botões a esmo. Obviamente seria deixado para trás e muito tempo passariaaté cruzar a linha de chegada em último lugar, se insistisse em acabar a corrida. Ouseu carro se danificaria antes disto. E certamente seu pessoal de apoio ficariaimaginando o que deu nele, e toda a equipe ficaria perplexa, sem ter meios deresolver o problema, pois o piloto está só ao volante e é o único responsável pelacondução do veículo.
  16. 16. Da mesma forma, nós que conduzimos nossas vidas na Terra, deixamos nossaequipe de apoio, no plano invisível, com poucos recursos para nos ajudar, pois noscomportamos como pilotos malucos, agindo de forma irrefletida e automatizada, numconjunto de ações que desperdiça energia, em vez de armazená-la, ao ponto disto nosajudar a fazer o salto quântico. Por vezes falamos demais, sobre qualquer assuntoindiscriminadamente, quando falar pode ser a porta por onde escoa um turbilhão deenergia. Por vezes comemos demais, alimentos nocivos à saúde, quando nosprocessos digestivos gastamos muita energia, que pode não ser reposta pelaqualidade do que comemos, sem falar nos venenos aí contidos. A lista de desperdícioenergético e de envolvimento com má energia é grande, e se refere ao generalizadodesgoverno psicossocial em que vivemos, principalmente pela ótica dos que estão defora, e vocês podem dizer: falar é fácil. Mas sabemos que não é, e a intenção aqui éajudar onde for possível. Uma vez que o contexto descalibra nossas potencialidades mais elevadas, épreciso ter uma dose extra de energia qualificada, para se sobrepor às contínuasperdas energéticas que ocorrem só de se viver num mundo cheio de tumultos comoeste, ou à assimilação de pesadas cargas de energia inferior. Como dissemos, para que haja aceleração é preciso haver ritmo. Se este ritmoé irregular os pulsos que fazem a freqüência são irregulares, portanto não háaceleração vibratória. Não havendo aceleração vibratória não há o aumento daconsciência, e vice-versa. A informação de natureza superior amplia a consciência, eestas informações têm por finalidade conduzir a um interesse renovado pelo que podetrazer uma melhora na freqüência vibratória. Apesar de estarmos mergulhados num caldo de energias perturbadoras, oudissonantes, o universo é composto de energias elevadas, ou harmônicas. O que sefaz dissonante serve para que se possa fazer o exercício do domínio sobre o que não éde natureza superior. Quando entramos em contato com a energia da luz, somos modificados poresta força sublime. Somos curados, renovados, transmutados, e obtemos um influxode todas as qualidades presentes nos sete raios, que vimos anteriormente. Nossocetro de domínio nos será entregue quando aprendermos a estar permanentementena condição de receptores e doadores da luz cósmica, sem ser pelo que não é denatureza superior afetados. Em primeiro lugar, para receber luz é preciso estar receptivo, pois a luz não sedoa a quem não sente interesse por ela. Se o ser é o Santo Graal, este cálice sagrado nunca estará transbordando senão estiver voltado para o alto. O desenvolvimento de um constante interesse é, portanto, o que ergue o cálice.É a mão que o estende para ser preenchido. Falando nisto, há um simples exercíciode recepção da luz cósmica que mencionaremos a seguir: Antes de fazer este trabalho, afirmar: “Estou coberto pelo manto branco de luzdivina, que me mantém invisível e invulnerável a tudo que não é da luz”. Parado em pé, num local silencioso e reservado, erga os dois braços para oalto, mantendo as mãos voltadas para cima (o corpo assume o desenho de um cálice). Inspire e expire profundamente e afirme: “Eu Sou o cálice sagrado, Eu Sou apresença que recebe a luz cósmica agora”. E mentalize um banho de luz dourada,prateada, branca, verde, violeta, rubi-dourada, rosa, azul, amarela, uma de cada vez,ou apenas aquela que representa a qualidade que quer desenvolver.
  17. 17. Esta ação é muito útil, e pode ser feita várias vezes ao dia, pode durar umminuto ou mais, conforme queiram (para os que são muito inquietos). Mas é precisodeixar de lado toda pressa e ansiedade, para sentir-se realmente um cálice vivo. Meus queridos entes sublimes, vocês não suspeitam o poder que resguardamem seu íntimo. Vocês não devem achar jamais que não merecem as dádivas douniverso. Vocês estão no comando. É só afirmar a Vontade e as energias atuarão emseu benefício. Quanto mais às voltas com estas forças cósmicas estiverem, mantendointeresse, como os enamorados que antecipam a chegada da pessoa amada, mais vãoexpandindo-se os canais da recepção do poder cósmico. Ao penetrar pelo chacra dacoroa, este rio de luz vem iluminando, purificando, curando as emoções,pensamentos e percepções, curando todos os corpos. Quando esta luz se estabelece em nós, começamos a mudar. Pouco a poucovamos percebendo um sentimento altruísta nos invadindo, uma facilidade para serútil, mesmo uma necessidade. Uma nova disposição nos anima, a alegria toma contade modo muito natural. Mas isto ocorre é pelo constante interesse, pela disciplina no contato com osmétodos, diariamente, alguns minutos ao dia, e o ritmo vai ficando mais acelerado, avibração vai aumentando progressivamente. Em geral as pessoas integradas ao mundo contemporâneo não sentem o apeloda transcendência, de estar às voltas com a recepção e o envio de luz (algunsprecisam receber para se harmonizar, mas quem está enviando está recebendo. Noentanto, receber energia é comunhão com o Amor Universal, e um alimentonecessário ao complexo humano). É muito fácil para quem está na matéria, gozando de boa saúde e emcondições de se manter confortavelmente, estar indiferente à verdade espiritual. Mashaverá para qualquer um o tempo, em que surgirá uma necessidade imperiosa deapelar para um Poder Superior, solicitando energia, ou a solução para as aflições,pois um dia todos são visitados por momentos difíceis. Mesmo os mais resistentes,podendo vir a desencarnar no mais completo ceticismo, verão o triste estado de vidana quarta dimensão, para os que se mantêm como psicosferas fechadas no ódio, nodesespero ou na ilusão. E sentirão necessidade urgente, ao atingir um tédio absoluto,e um extremo cansaço, de receber a assistência do poder harmonizador do AmorUniversal. Aqueles que estão preparados percebem o poder que têm e usam, paramover as forças a seu favor, e em favor dos que lhes são queridos. Mas quem não seprepara, vive à mercê de um clamor desesperado, que nem sempre pode ser atendidode imediato, pois só a Misericórdia conhece o quanto alguém precisa do sofrimento. Abordaremos agora alguns métodos para entrar em ressonância com a EnergiaTranscendental. Utilizando Cristais para Harmonizar as Vibrações O criador nada inútil criou. Não há aspecto da criação que seja destituído deseu poder. Tudo tem utilidade, tudo tem propriedades diferenciadas, que servem àcausa maior. Os cristais são pedras preciosas, pelo seu poder de vibrar sempre na mesmafreqüência, sendo capazes de doar esta vibração, na forma de energia para quem
  18. 18. entra em contato com eles. Não por acaso foram gerados no ventre da Terra. Eles têma função de regular as energias do planeta. Quer estejam no solo ou nas mãos deseus apreciadores, a soma de todos os cristais presentes na Terra serve paraharmonizar a freqüência do mundo em que vivemos. Ora, se eles o fazem para com oser vivo chamado Gaia, o mesmo podem fazer para harmonizar a freqüência dos seresde superfície. Cada tipo de cristal possui uma freqüência própria, um conteúdo energéticoespecífico, que atua em determinadas propriedades da matéria ou do espírito. Comonão é a finalidade desta obra, não entraremos em considerações sobre aspropriedades de cada pedra. Afirmamos, porém, que estar em contato com elas serásempre proveitoso, pois não possuem contra-indicação. Um cristal nunca fará mal. As pulsações dos cristais atuam em nosso campo vibratório, harmonizando ospulsos inconstantes das freqüências desordenadas que estiverem atuando em nossoscorpos, quer seja no físico, no etérico, no emocional, ou no mental. Os cristais possuem alta conexão com as dimensões superiores, e ancoram aluz destas dimensões na fisicalidade. Viver num ambiente cercado de cristais gera melhor disposição bio-psíquica epredispõe o ambiente à harmonia em todos os sentidos. Os cristais dissipam asenergias densas, e energizam o ambiente com suas vibrações elevadas. É muito favorável colocar cristais sobre o corpo, para meditar, mentalizar, ouorar. Eles funcionam como potentes amplificadores da luz cósmica, quando queremosdoar ou receber energia. A água magnetizada pelo uso dos cristais recebe suas propriedades e é umpoderoso agente na elevação vibratória. Mas é preciso ter cuidado para não colocarna água pedras de origem vulcânica, pois podem desprender elementos tóxicos.Porém, para os cristais de quartzo não há perigo. Ao colocar o cristal em um copo com água ao sol por alguns minutos e beberesta água, as propriedades do cristal ficarão na pessoa, tornando o indivíduo um sercristalino. Mas isto precisa ser feito com regularidade. Mantras Pelo que estamos analisando, há uma forte ligação entre tudo que vibra e aconsciência. O que vibra de forma desarmônica é prejudicial ao despertar daconsciência, e o que vibra de modo harmônico favorece a elevação da consciência. A fala é a expressão do ser divino individualizado. Se nossa fala é coerente esuave, nossa vibração melhora. Se for incoerente e em tom elevado, prejudica demaisa vibração. O Verbo Divino, do qual fala o livro do Gênesis, é o som, a vibração ou apulsação rítmica, que expressa as combinações numéricas que desencadearam tudoque há. Por trás do som há o intento de quem o emite, e esta intenção, quando éconstrutiva e harmonizadora, repercute no éter cósmico, determinando os fluxosharmônicos da banda de freqüência, e atingindo o cerne da realidade transcendentalque se recria a cada instante. Os mantras são repetições de fala que mantém a mesma freqüência, ajudam agerar harmonia, e aderem à faixa vibratória de todos os seres que pronunciaram estachave consciencial ao longo das eras. Os mantras são conjurações mágicas que são ouvidas por partículas sub-atômicas, determinando reações em cadeia muito favoráveis na lei de causa e efeito. Mantras são sons purificadores, transmutadores, e conectam a vontade dopraticante com a vontade do Grande Espírito que em tudo É.
  19. 19. Orações As orações são manifestações do poder da vontade do indivíduo emconsonância com a Vontade Primordial. Cada ser é um divino gerador da potência cósmica auto-gerada e auto-sustendada. O amor universal, manifestação da Mãe Divina, ou do Deus Vishnu, daTrindade hindu, é o aspecto cósmico posto em ação pelo ato da oração. Quandoalguém está orando, verdadeiramente contrito, movido pela fé e pela esperança, abre-se o canal de ligação com as potências que regem o universo, e imediatamente umbanho de luz é vertido sobre quem apela ao guardião dos destinos. Naturalmente épreciso saber orar dentro do que pode ser realizado pela justiça divina, para que opedido obtenha a resposta necessária. Como não vivemos separados de um contextomaior, há sempre um anjo guardião dedicado, que nos acompanha e acolhe nossasorações para as providências urgentes, conforme nosso merecimento. Outras orações,de louvação e agradecimento, vão direto ao coração de Deus. São muitos os relatos psicografados, dos entes tetra e pentadimensionais,sobre as reações percebidas pelos sentidos visual e olfativo, ao se estar presente emassembléias de seres reunidos em oração. São festas de cores, flocos de luz recaindosobre os presentes, e aromas delicados e embriagadores tomando conta do local,como uma comprovação de que o Amor Divino é uma realidade sublime, e não uminvento de mentes fantasiosas. Aqui na Terra podemos muitas vezes sentir o bem-estar imediato comoresultado aos nossos apelos, e isto não é menos significativo. A própria ciênciaterrestre já consegue provar, pela estatística, que a saúde das pessoas que praticam aoração é melhor do que a dos que não o fazem. Se no mundo um contingente maior de pessoas tivesse o hábito de orar pelobem-estar geral, as vibrações daí resultantes evitariam muitas calamidades naturaise sociais. Afirmações e Decretos Ainda pelo uso do Verbo, encontramos estas formas de mover a realidade. Emnossa condição de divinos geradores, afirmamos, decretamos, comandamos a luzcósmica, para que se estabeleça, para que nos fortaleça, nos dê a cura, amparo e guienossos passos. Para que dissipe o mal, e assim será, pois esta é a vontade douniverso. Quanto maior o número de mentes reunidas no ato de decretar, comfórmulas precisas do Verbo Sagrado, maior a dispensação cósmica, maior aintensidade do raio de luz que ganha as alturas indo até o plano causal, onde nascemas mudanças no contínuo espaço-tempo, e oceanos de energia intensificada recaemsobre a Terra, purificando-a das abominações, do que deve ser consumido atédesaparecer no esquecimento. Naturalmente, de modo individual, as forças atuam especificamente ao que éafirmado, pois o ser é autoridade para determinar sua realidade, desde o agora até àeternidade. Por isto devemos aprender a ser afirmativos na luz, e nunca proferir o quenega nosso destino glorioso. Afirmando, ou decretando sempre com otimismo “Eu Sou luz”, “Eu Sou um serde chama violeta”, fórmulas como estas infalivelmente promoverão todos os benefíciosesperados.
  20. 20. Mentalizações Assim como o verbo, o pensamento é construtor de formas e estas formas,sendo de luz, cor, energia, naturalmente estarão carregadas com o poder do espírito. A humanidade atual ainda não conhece a fundo estas verdades, e cria formasteratológicas, imagens de pesadelo em suas mentes sem educação. Mas, como afirmao mestre Ramatis, em breve a Terra será convertida numa escola de mentalismo. Mentalizar em grupo, através de sugestões guiadas por um dirigente, ouindividualmente, é um modo de elevação da consciência de grande valor e poder. O teor do que pensamos não deve ser desperdiçado. Há seres de grandeutilidade para o coeficiente de energia da luz no planeta, apenas porque, de modoconstante estão a mentalizar imagens construtivas e depuradoras. Em vez de deixar a mente solta como um cavalo selvagem, vamos mentalizar aTerra sendo banhada por um mar de chama violeta, as pessoas sorrindo felizes, bemalimentadas, mentalizar a cura das doenças... Deixar a imaginação correr solta nestesentido elevado. Isto gera uma energia que os irmãos que canalizam em inglêsbatizaram de Should, o nosso Devir, ou o contínuo vir a ser. Este querer luz que se pensa sem esmorecimento, contribui com a luz global,ilumina a aura do planeta, e movimenta forças poderosas capazes de manter alguéma salvo de toda adversidade. E mesmo nos dias difíceis, nunca capitular sobre odesastre, não alimentar o mal com a mente, livrando-se dos ardis dos seres infelizesde dimensões paralelas que se alimentam das imagens nefastas, depressivas edesvirtuadas, que são geradas pelas mentes em desalinho. Pensemos na luz e a luz se cria, pensemos na nossa chama trina expandindo-se envolvendo-nos por inteiro e expandindo-se para toda a Terra. E assim será. Mudanças de Atitude Por mais que o ser queira viver em paz, se não fizer por merecer, não obterá oque procura. Não bastará estar às voltas com cristais, recitar mantras, etc, pois, apesar deestes recursos alavancarem a vibração, favorecendo as transformações, há umaspecto de resistência nos corações humanos que precisa ser vencido: a ilusão de serseparado, de ser uma personalidade original, alguém diferenciado, que mereceaprovação e aplauso, e com autoridade para criticar os erros alheios. Isto é ilusão,pois cada indivíduo é uma parte do todo, e só ao Todo serve, e não a si mesmo. Quem se acredita ser alguém que merece homenagens, não se enxergou aindacomo uma célula do grande organismo, e uma atitude assim, gera correçõesinevitáveis por parte da Inteligência Onipresente que a tudo observa, para guiar cadaum, no retorno à unidade da consciência. Se suas atitudes são exclusivistas, procure compreender que este ser exteriorao qual tanto se apega, é apenas a carapaça que esconde o seu verdadeiro ser, o “EuSuperior” ou “Eu Divino”, que é a voz da consciência, que nos fala com ternuraquando surge um silêncio na tagarelice da mente. Esta mente abjeta, malacostumada, caprichosa e teimosa, não deve ser alimentada, não deve serreverenciada, pois está a todo momento querendo mentir, querendo fazer acreditarque não se é Um com o Todo. Quando domesticada e submissa, esta mente vacilante e causadora de tantoinfortúnio, começará a perecer, dando lugar a quem se é de fato: um serautoconsciente e consciente da totalidade, consciente do cosmos infinito, que é sua
  21. 21. verdadeira morada. Consciente do que é permanente e do que transitório, um serauto-realizado. Só quando não sofrer pelas limitações, por ter consciência de ser herdeiro douniverso, será possível encontrar a paz. Assim, você será alegre como uma eternacriança, e cheio de amor por tudo quem vida. Meditação Passo a passo, com o desejo ardente, a aspiração por estar diante de suadivina verdade, vai o ser subindo a escada vibratória que o leva aos planossuperiores. Experimenta métodos de melhoria da freqüência, recebe seus benefícios ecompara a vida do buscador da luz com a vida escravizada aos prazeres, por puroapego às sensações, e vai percebendo que é melhor viver em harmonia, com poucosapetites, na alegria do amoroso convívio, e com respeito pela ferramenta que é o corpomaterial. Sem entrar em situações de perturbação, por haver desenvolvidodiscernimento, vai preferindo o recolhimento, a vida tranqüila, os prazeres simples davida. Passa a ter mais satisfação nas boas leituras, conversas edificantes, bonshábitos, e se sente um peixe fora d’água longe disto. Depois, de haver aprendido a viver em conexão com o “Eu Superior”, sua forçade atração passo a passo aumenta, desde que esta atração não seja quebrada porperturbações do corpo emocional, e para se garantir no fortalecimento da atraçãopelo amoroso divino convívio, surge a necessidade de calar a mente, para ouvirapenas a voz silenciosa e cheia de calor espiritual do Ser Supremo. É quando este ser convencido da inutilidade das coisas externas, senta-se emsilêncio para mergulhar no profundo mistério. A princípio vozes confusas soarãodentro de si, querendo dissuadi-lo de ser perseverante, mas uma vez firmado nopaciente esforço, a barreira da mente cederá e as percepções serão ampliadas. Aalegria do estado Alfa será uma recompensa e um estímulo para seguir em frente. Todos os que passam pela vida na matéria, um dia haverão de experimentar odesafio e as delícias da meditação. Surge um estado de pura conexão cósmica, e acompreensão aflora, de um modo que não pode ser traduzido em palavras. Com otempo, permanecendo na prática, desabrocharão os poderes psíquicos, e um sersenciente será o mais novo candidato à vida na quinta dimensão. Capítulo X O DESPERTAR DO GUERREIRO DA LUZ Muito tempo há passado, em idas e vindas, afastados do roteiro original.Renegados que somos, arrastando-nos em busca de algo exterior, teimosamente àprocura de mais um capricho, que possa preencher nosso vazio. Muito tempo hápassado. E a prodigiosa inteligência de que somos dotados, ainda não foicoerentemente utilizada, para nos livrar do buraco onde mergulhamos, negandonossa essência espiritual e a unidade primordial. Se atentarmos, no silêncio, ouviremos novamente a voz do Eu Superior que é amensagem divina em Tudo e em Todos. Mas poucos tomam a decisão de parar paraouvir esta voz. Há sempre um chamado de Maya, a ilusão, e mais uma vez,imediatamente preferimos o que é superficial, o que é transitório, o que intoxica,
  22. 22. entorpece, o que nos faz esquecer, o que irrita, o que entedia, o que manipula, o queengana. E quase todos entram no consenso de que passar a agir obedecendo aocomando do Eu Superior é para fanáticos, para malucos, para santos, e ninguémquer ser santo. Não se quer ao menos viver em paz, uma vida simples, repleta deconfiança e sem grandes expectativas. Pois é preciso, de acordo com o consenso, viverde modo muito complexo, estar muito preocupado, e não ter tempo de se voltar paraas profundidades do ser, buscando sua cósmica verdade. Não se tem tempo de parar para ficar “sem fazer nada”, no silêncio dameditação, ou a cantar mantras, ou a fazer decretos, pois, ao longo de mais de300.000 anos, nos condicionamos a pensar que tudo precisa ser feito, menos dedicartempo ao crescimento interior. No entanto, enquanto cada ser humano não parar umpouco, dedicando algum tempo a isto, nunca será livre do tempo, não se libertará dorelógio, da correria que não o leva a lugar algum. Não estará livre da busca dedistrações que o amarram a um tumulto mental, fazendo-o destruir a si mesmo pelosexcessos, predispondo-o a nova reencarnação para corrigir desvios gerados na vidaanterior. Esta é a gaiola do Samsara, o exaustivo ciclo dos nascimentos e das mortes.Sempre às voltas com alguma dor, ou com alguma ilusão. Então, que tal agora transmutar tudo isto? Mudar, ascender? O processo jáestá iniciado. Começamos a busca. Estamos nos munindo de informação, e deestímulos, faltando um pouco mais de esforço para começarmos a atingir o ponto demutação. Estamos passo a passo nos acelerando, mudando em pequenos aspectos,que um dia, reunidos começarão a fazer toda a diferença. Mas por uma simplesdecisão é possível iniciar uma significativa mudança. Pode-se efetuar um salto dequalidade, num ato de rendição, que afastará o interesse pelas sugestões do serexterior, passando-se a viver o desafio de ser comandado pela luz e dela o seucomandante. É o despertar do guerreiro, que cansado de ser manipulado pelas armadilhasdas sombras, decide fazer de sua vida um canto de louvor à Pessoa Suprema. Torna-se um arauto da verdade, da luz cósmica. E aceita a tarefa a si mesmo confiada,antes mesmo de nascer para mais uma vida na Terra. A de levar a luz a todos queseguem consigo. A de mover-se guiado pela voz do comando celestial em seu íntimo. Isto pode ser conquistado. Exige constante interesse para que se abra o portalda Vontade Divina em cada um de nós. É até mesmo extremamente simples que istoaconteça. No entanto é difícil. Porque muitas vezes podemos alcançar a abertura doportal, porém difícil será manter-se nele. Será necessário manter alto o nível de estímulos na luz, nas leituras, noencontro com o silêncio, na força da fé. Só assim seremos capazes de permanecer emação, erguida a espada enérgica da vontade, que quebranta o espírito dos demônios. Somos os senhores de nós mesmos e devemos perseverar como fiéis guardiõesde nossas mudanças para a luz. REDESCOBRINDO A MISSÃO TRANSPESSOAL Se o Uno repartiu-se para ter a que amar, é uma lei natural que ninguém podeviver separado, e sem amor. Quando, despertando para a luz, somos tocados pela magnitude do amoruniversal, enxergamos plenamente a beleza da vida. Compreendemos que não épossível viver sem servir, pois é no serviço ao cosmos, a todos os seres vivos, que estáo néctar da existência.
  23. 23. Se hoje somos enfermos da alma, vamos servir a nós mesmos, sendogenerosos com nossas urgentes necessidades, pois, só quando tivermos a alma sadia,compreenderemos o que representa o serviço ao contexto do universo. O Senhor que Tudo É, expandiu-se em centelhas de vida pela vastidão infinita.E a cada centelha deu uma instrução de grande significado para a manutenção daordem em tudo que há. O comando para que cada parte sirva ao todo. Assim o amorserá ampliado na eternidade, crescerá além do infinito e será a mais gloriosa força acomandar o destino de cada Um, para sempre. Saudações Estelares. Targon, junto à equipe da Missão Sintonizar. Povo de Órion.

×