• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Historia da teologia_biblica-slides
 

Historia da teologia_biblica-slides

on

  • 4,667 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,667
Views on SlideShare
4,667
Embed Views
0

Actions

Likes
8
Downloads
316
Comments
3

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

13 of 3 previous next Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Historia da teologia_biblica-slides Historia da teologia_biblica-slides Presentation Transcript

    • História da Teologia Bíblica
    • O Surgimento da Teologia Bíblica: Caminho percorrido pela Teologia Protestante;A Atual Situação de Crise e de Renovação;
    • Três impulsos da Teologia Protestante que colocaram a Teologia Bíblica em estado de tensão
    • Teologia BíblicaReforma Pietismo Iluminismo
    • HISTÓRICO DA TEOLOGIA BÍBLICAA Idade Média A Bíblia subordinada ao Dogma EclesiásticoA Reforma Reação contra a sujeição das Escrituras ao Dogma da Igreja. A Teologia deve ser Fundamentada na Escrituras ( sola scriptura). Reação contra a Tradição da Igreja. Resultado: desenvolvimento subseqüente da teologia bíblica através de sua conclamação à livre interpretação das Escrituras (sui ipsius interpres ).
    • HISTÓRICO DA TEOLOGIA BÍBLICAContribuições da Reforma para Teologia Bíblica O estudo das línguas originais (Fruto do Renascença) Interpretação Literal e não Alegórica. A Hermenêutica de Lutero  O princípio do “was Christum treibet”(O Que Impulsiona a Cristo)  Dualismo “letra-espírito” o impediram de desenvolver uma teologia bíblica. O. Glait e Andréas Ficher,  Representantes da Reforma Radical, desenvolveram, nos primórdios de 1530, um método que prefigurava o da futura teologia bíblica.
    • HISTÓRICO DA TEOLOGIA BÍBLICA Escolasticismo Ortodoxo Utilização das Escrituras numa perspectiva crítica e histórica; Utilização das Escrituras para apoiar à doutrina ortodoxa. Reação do Pietismo e sua contribuição para a T.B.
    • HISTÓRICO DA TEOLOGIA BÍBLICA A Era do Iluminismo. Uma concepção completamente nova do estudo da Bíblia desenvolveu-se sob diversas influências na era do Iluminismo. A Reação Racionalista  Reação contra qualquer forma de sobrenaturalismo.  A razão humana tornou-se o padrão definitivo e a fonte principal de conhecimento  A autoridade da Bíblia como registro infalível de revelação divina fora rejeitada. Uma Nova Hermenêutica:  O Método Histórico Crítico  Atualmente no liberalismo e em movimentos subseqüentes. O Surgimento da Crítica Literária  A Bíblia foi submetida a crítica literária radical. Resultado  A Bíblia é vista como um livro de História da Religião  Distinção estabelecida por Johann Phillip Gabler
    • HISTÓRICO DA TEOLOGIA BÍBLICA O Surgimento da Filosofia da Religião Filosofia Dialética de G. F. Hegel (1770 – 1831) Sua Influência em F. C. Bauer (1792- 1860) Surgimento da Escola de Tübingen
    • HISTÓRICO DA TEOLOGIA BÍBLICA A Reação Conservadora A Resistência nos Círculos Ortodoxos:  Contra os que negavam a validade histórica;  Contraos que combinavam o Método Histórico com uma fé firmemente apoiada na revelação. A perspectiva de J. C. Hofmann  Defesa da Autoridade e Inspiração da Bíblia por meios históricos;  A Heilsgeschichte (História da Salvação)
    • A Perspectiva Histórica Liberal Na Teologia do Novo Testamento Para Bultmann a verdade absoluta não pode está presente na relatividade da história. A personalidade é um poder que forma a história. O Cristianismo é uma religião puramente ético- espiritual. O Reino de Deus é o bem supremo. O ideal ético. O Centro ou coração da religião é a comunhão pessoal com Deus como pai.
    • A Vitória da Religião Sobre a Teologia Juntamente com o liberalismo desenvolveu-se a escola do estudo desenvolvimento da religião. O liberalismo encontrou nos ensinos éticos simples de Jesus o elemento distintivo na teologia bíblica.
    •  Este novo método de estudo teve centros de interesse distintos: H. Weinel - Bibilsche Theologie das NT. Não demonstrou interesse no valor ou verdade do Cristianismo, mas somente em sua natureza estudada comparativamente com outras religiões. Ele estabeleceu tipos de religiões contra as quais o Cristianismo deveria ser compreendido como uma religião ética de caráter redentor.
    •  J. Weiss - The Preaching of Jesus About the Kingdom of God. Interpretou a mensagem de Jesus sobre o Reino em termos do milieu do apocalipticiscmo judaico. Esta perspectiva tornou-se famosa pela obra de Albert Schweitzer, The Quest of the Historical Jesus (1906), que oferece um quadro minucioso das posições sobre a interpretação da pessoa de Jesus e, depois, interpreta a Jesus em termos de uma Escatologia Consistente como um apocalípto judaico que pertence ao Judaísmo do primeiro século e tendo pouca relevância para o homem moderno. Paulo foi interpretado em termos do Judaísmo helenístico ou do culto e religiões de Mistério característicos do helenismo.
    •  Brückiner - Argumentou que Paulo encontrou uma doutrina pré-fabricada de um homem celestial no Judaísmo, a qual ele aplicou à pessoa de Jesus. Günkel - Afirmou que havia se desenvolvido uma religião sincretista no Oriente, de caráter gnóstico, cuja doutrina central era a fé na ressurreição. Este Gnosticismo pré-cristão havia penetrado no Judaísmo, e, através deste, influenciou o Cristianismo, mesmo numa época anterior ao apóstolo Paulo.
    •  W. Bousset - O Gnosticismo, um fenômeno pré-cristão, mais Oriental que Grego, e de caráter mais místico e religioso do que filosófico. Em sua obra Kyrios Christos, Bousset deliniou a história da fé em Jesus na igreja primitiva, e fez uma forte e nítida diferenciação entre a consciência religiosa de Jesus, a fé professada pelo cristianismo primitivo, que afirmava ser Jesus o Filho do Homem transcendental do apocalipticismo judaico, e a concepção da igreja helenística e de Paulo, que afirmavam a divindade de Jesus, tal como nas formas encontradas nos cultos da religião grega. A teologia mais importante que incorporou esta perspectiva é a de Rudolf Butmann.
    • O Retorno Contemporâneo à Teologia Bíblica Durante a década de 1920 um novo ponto de vista começou a fazer-se sentir. Três fatores contribuíram para que isso acontecesse: 1) Perda de confiança no naturalismo evolucionista; 2) uma reação contra o método puramente histórico que reivindicara uma objetividade completa e acreditara que os simples fatos eram adequados para revelar a verdade contida na história; 3) a redescoberta da idéia da revelação.
    •  W. Wrede - The Messianic Secret in the Gospels (1901) - Procurou explicar historicamente de que modo o Jesus histórico não-messiânico veio a tornar-se o Cristo messiânico dos Evangelhos. A Crítica da Forma - Voltou-se para o estudo do estágio oral da tradição dos evangelhos (formgeschichte) numa tentativa de descobrir as leis controladoras da tradição que poderiam explicar a transformação do Jesus histórico no Cristo Kerygmático. H. Hoskyns e Noel Davey - Na obra The Riddle of the NT (1931), mostram que toda a evidência do Novo Testamento converge para um único ponto: que, na pessoa de Jesus, Deus revelou-se a si mesmo, objetivando a salvação do homem. C. H.Dodd: Principais Obras: A Pregação Apostólica, As Parábolas do Reino e Interpretação do Quarto Evangelho . Sua teologia fundamenta-se na Escatologia Realizada
    •  F. V. Filson - One Lord, One Faith (1943) defende a unidade da mensagem neotestamentária, e no livro Jesus Christ the Risen Lord (1956) argumenta que a teologia do NT deve compreender a história do NT sob um ponto de vista teológico, ou seja, do Deus vivo que age na história, cujo evento mais notável encontra-se na ressurreição de Cristo. Interpreta a teologia do Novo Testamento como um todo à luz do evento da Ressurreição. A. M. Hunter - Expõe a unidade do NT em termos de Um Senhor, Uma Igreja, Uma Salvação (The Unity of the NT, 1944, publicado na América sob o título The Message of the NT) . Oscar Cullmann - Segue a interpretação da Heilsgeschichte - História da salvação - Suas principais obras: Crist and time - argumentou que o NT encontra a sua unidade em uma concepção comum do tempo e da história, e não tanto em idéias de essência, natureza, verdade eterna ou existencial. A teologia é o significado do elemento histórico no tempo.
    •  Alan Richardson - em seu livro Introdução à Teologia do NT (Aste 1967) assume a concepção Kerygmática por aceitar a hipótese de que a brilhante interpretação do esquema de salvação do Velho Testamento encontrada nas páginas do NT é derivada do próprio Jesus, e não foi produto da comunidade da fé. G. Kümmel - Sua obra The Theology of the New Testament According to Its Major Witnesses bem pode ser caracterizada dentro da perspectiva da escola da Heilsgeschichte. A Escola Bultmanniana Rejeição da continuidade do Cristo do Kerygma com o Jesus Histórico.
    • O Cenário Americano A erudição americana não tem se destacado por uma contribuição crítica ao campo da teologia do NT. O texto de George Barker Stevens, The Theology of the NT (1906).
    • Cenário Americano Atual Teologia Bíblica, História e Revelação Teologia Bíblica, Revelação e História A Teologia Bíblica e a Natureza da História História e Revelação A Teologia Bíblica e o Cânon
    • A Natureza e o Método da T.B O que é Teologia Bíblica? 1. George Ladd apresenta a seguinte definição:“A teologia bíblica é a disciplina que estrutura a mensagem dos livros da bíblia em seu ambiente formativo histórico. A teologia bíblica é primariamente uma disciplina descritiva. Ela não está inicialmente preocupada com o significado último  dos ensinos da Bíblia ou com a sua relevância para os dias atuais. Esta é a tarefa da teologia sistemática. A tarefa da teologia bíblica é de expor a teologia encontrada na Bíblia em seu próprio contexto histórico, com seus principais termos, categorias e formas de pensamentos. O propósito da Bíblia é contar uma estória sobre Deus e seus atos na história.”
    • A Natureza e o Método da T.B2. Grant Osborne define a Teologia Bíblica como “o braço da pesquisa teológica que se preocupa em encontrar temas através das diversas seções da Bíblia e então procurar os temas unificadores da Bíblia.”
    • A Natureza e Met. da TB3. Alberto Fernando Roldán “A TB se propõe a expor o conteúdo da revelação de Deus em seu desenvolvimento histórico. Ela confere importância decisiva ao trabalho exegético, já que forma uma espécie de elo entre a exegese e a teologia sistemática”. O esquema seria o seguinte:
    • A Natureza e o Método da T.B Teologia Sistemática Teologia Bíblica Exegese do Texto
    • A Natureza e a Met. da TB4. Geerhadus Vos“A teologia Bíblica é o braço da teologia exegética que estuda o processo da auto- revelação de Deus depositada na Bíblia”.
    • A Natureza e a Metodologia da T.B5. Walter A. Eewell “Ramo das disciplinas que segue determinados temas através de todos os autores do NT, e que depois funde esses quadros individuais num só conjunto abrangente. Estuda, portanto, a revelação progressiva de Deus em termos da situação vivencial na ocasião da escrita, e depois delineia o fio subjacente que une todos os dados. Essa disciplina enfoca o significado mais do que a aplicação, i.e., a mensagem do mensagem do texto para seus próprios dias mais do que para as necessidades modernas...”
    • A Natureza e a Met. da T.B6. “ Investiga a verdade de Deus e o Seu universo no seu desenvolvimento divinamente ordenado e no seu ambiente histórico conforme apresentados nos diversos livros da Bíblia. A teologia bíblica é a exposição do conteúdo doutrinário e ético da Bíblia, conforme originalmente revelada. A teologia bíblica extrai o seu material exclusivamente da Bíblia.”
    • A Natureza e a Met. da T.B Wilson C. Ferreira“Teologia Bíblica é o ramo da Teologia Exegética que busca descobrir, conhecer e explicar a revelação de Deus ao homem, conforme se entende das Escrituras Sagradas do Velho e Novo Testamento – A Bíblia Sagrada.”
    • A Natureza e a Met. da TB D. A. Carson7. “TB, ramo da teologia cuja preocupação é estudar cada segmento das Escrituras individualmente, especialmente quanto ao seu lugar na história da revelação progressiva de Deus. A Ênfase de tal estudo recai sobre a história e o segmento específico ”.
    • A Relação da TB e outras disciplinas a. A hermenêutica nos fornece as regras pelas quais devemos abordar o texto bíblico.b. A exegese nos fornece os instrumentos de precisão, incluindo as línguas originais, para obter o sentido exato de um texto.c. A TB trás a exegese ao contexto do todo e fornece o material base para a sistematização, que por sua vez é usada para a boa pregação da Palavra de Deus.
    • A Relação da T.B com outras Disciplinas. Teologia Bíblica e Exegese Teologia Bíblica e Teologia Sistemática Teologia Bíblica e Teologia Histórica Teologia Bíblica e Teologia Homilética
    • Implicações PráticasA disciplina que colhe diretamente e organiza os primeiros frutos da exegese propriamente dita.  Dá o primeiro passo na direção da contextualização maior dos textos individuais, assim como de livros e seções da Bíblia.
    • Implicações Práticas Como fonte primária para o trabalho da teologia sistemática evita que o dogma se torne imutável diante da própria Escritura (o que acontece na Igreja Católica Romana). Facilita a leitura das Escrituras mostrando a unidade e progresso da revelação de Deus a seu povo.
    • Método da Teologia BíblicaO Método Sintético – Segue os temas teológicos básicos por todas as partes das Escrituras a fim de notar seu desenvolvimento através do período bíblico. Sua fortaleza é a ênfase que dá à unidade das Escrituras. Sua fraqueza é tendência para a subjetividade.
    • Métodos da Teologia BíblicaO Método Analítico – Estuda a teologia distintiva de seções individuais e nota a mensagem específica de cada uma delas. Sua virtude é a ênfase no significado do autor individual. Sua fraqueza é a diversidade radical, que resulta numa colagem de quadros, sem coesão.
    • Métodos da Teologia BíblicaO Método Histórico – Estuda o desenvolvimento de idéias religiosas na vida do povo de Deus. Sua ênfase está tentativa de entender a comunidade dos crentes por trás da Bíblia. Seu problema é a subjetividade da maioria das reconstruções, nas quais os textos bíblico está à mercê do pesquisador.
    • Métodos da Teologia BíblicaO Método Cristológico – Faz de Cristo a chave hermenêutica dos dois testamentos. Sua virtude é a ênfase que se dá a pessoa de Cristo. Sua fraqueza é a sua tendência de espiritualizar passagens e forçar interpretações que lhes são estranhas, especialmente em termos da experiência veterotestamentária de Israel. Não se deve considerar que tudo no AT ou no NT seja um tipo de Cristo.
    • Métodos da Teologia BíblicaO Método do Corte Transversal – Segue um só tema unificador (Aliança, promessa, etc) e o estuda historicamente por meio de cortes transversais ou amostragens do registro canônico. Sua virtude é a compreensão dos temas principais que ele oferece. Seu perigo é a seleção arbitrária de um tema. Se alguém selecionar o tema central errado, outros temas podem ser forçados a se harmonizarem com ele.
    • Métodos da Teologia Bíblica O Método Multíplice – Começa com a análise gramatical e histórica do texto, e procura desvendar o significado de vários textos dentro dos seus contextos vivenciais. Também faz-se uma análise social, posto que estuda aqueles contextos vivenciais em termos da matriz social das comunidades da fé. À medida que os dados são coletados por meio da tarefa exegética, são organizados pelos padrões básicos de cada livro individual e depois, pelos de cada autor. Já nessa etapa, o intérprete delineou as ênfases ou as forças que entrelaçam as partes.
    • Métodos da Teologia Bíblica O Método Dogmático-Didático. É o método tradicional de organizar a teologia do Antigo Testamento com cantegorias sistemáticas: teologia, antropologia e soteorologia. Old Testament Theology de Ludwig Köhler é um bom exemplo do uso desse método.
    • Métodos da Teologia BíblicaO Método Confessional – Considera a Bíblia como uma série de declarações de fé que estão além do alcance da história. Seu valor é seu reconhecimento dos credos e da adoração do NT. Seu perigo é sua separação radical entre a fé e a história.
    • Métodos da Teologia Bíblica O Método Genético-Progressivo. Apresenta o desenholar da revelação de Deus conforme a Bíblia o apresenta. As obras de Geerhardus Vos e Chester K. Lehman empregam esse método.
    • Métodos da Teologia Bíblica O método Transversal. É uma tentativa de combinar as abordagens temática e diacrônica. Walther Eichrodt foi o principal exemplo dessa abordagem. Ele tomou a idéia da aliança e tratou suas ocorrências em todo o Antigo Testamento enquanto falava acerca do Deus da aliança, do povo da aliança e das instituições da aliança.
    • Métodos da Teologia Bíblica O Método Tópico. Emprega tópicos extraídos do Antigo Testamento para organizar uma discussão de sua teologia. Old Testament Theology de John mckenzie é o melhor exemplo desse método.
    • Métodos da Teologia Bíblica O Método Diacrônico. Depende do método histórico-tradicional de interpretação desenvolvido na década de 1930 por Von Rad e seus companheiros. Trata-se de uma narração do qurigma, “os atos salvíficos de Deus”, conforme dispostos nas confissões de israel. Ele penetra nas sucessivas camadas de tradições recitadas e reconstitui o crescimento da fé israelita de período em período. Von Rad foi o único autor de uma teologia diacrônica do Antigo Testamento totalmente desenvolvida.
    • Métodos da Teologia Bíblica O Método Temático-Dialético. É representado por três proeminentes estudiosos do Antigo Testamentos: Samuel Terrien, Claus Westermann e Paul Hanson. Esses três estudiosos têm apresentado uma dialética predominante da “éticaestética” (Terrien), “livramentobênção” (Westermann) e “teológicacósmica” (Hanson). Esse método tem sido útil ao permitir que o leitor veja como ênfases opostas podem relacionar-se para expandir o entendimento de um problema maior.
    • Métodos da Teologia Bíblica Método Críticos Recentes de Teologia do Antigo Testamento . Essa é mais nova categoria de Hasel. Esse método é de estudiosos como James Barr e John J. Collins, que não escreveram uma telogia do Antigo Testamento e têm sérias dúvidas quanto ao futuro da disciplina.
    • Métodos da Teologia BíblicaO Método da Nova Teologia Bíblica. Esse método lida com o problema da relação entre o Antigo e o Novo Testamento. Brevard Childs crê que é possível fazer uma teologia do Antigo Testamento e uma teologia do Novo Testamento separadamente, juntando-as depois. Ele fez uma teologia do Antigo Testamento e uma teologia bíblica separada. Childs insiste que só a forma final do texto bíblico no cãnon que temos agora é Escritura autorizada.
    • Métodos da Teologia Bíblica Teologia Canônica Múltipla do Antigo Testamento. É um resumo da concepção de teologia do Antigo Testamento adotada por Hasel. Primeiro, ele entende que a teologia do Antigo Testamento deve estar ligada á forma canônica final do Antigo Testamento. Isso exclui as abordagens da história da religião e da história das tradições. Segundo, uma teologia do Antigo Testamento deve ser temática, em vez de lidar com um conceito central ou chave. Terceiro, a estrutura deve ser múltipla, o que evita as armadilhas dos métodos transversal, genético e tópico. Quarto, o objetivo final de uma teologia do Antigo Testamento é penetrar nas várias teologias de cada livro e grupos de escritos chegando a unidade dinâmica que liga todas as teologias e temas.
    • Temas unificadores Cinco critérios são necessários para a procura de um tema central que envolvia as ênfases individuais e as diversas doutrinas do NT: 1) O tema básico deve expressar a natureza e o caráter de Deus; 2) deve-se descrever o povo de Deus no seu relacionamento com ele;
    • Temas Unificadores: Critérios 3) deve expressar o mundo dos homens como objeto da atividade redentora de Deus; 4) deve explicar o relacionamento dialético entre os testamentos; 5) deve levar em conta os outros possíveis temas unificadores e deve realmente unir as ênfases teológicos do NT. Muitos temas propostos encaixam-se a uma ou outra das partes do AT e do NT. Abaixo colocamos alguns dos temas que têm sido propostos pelos estudiosos contemporâneos:
    • Temas UnificadoresA Aliança – (Eichrodt, Ridderbos) – Tem sido usada para expressar o relacionamento obrigatório entre Deus e seu povo. Inclui tanto o contrato jurídico como a esperança escatológica que daí resulta, tanto a dimensão universal do Deus cósmico que cria e sustem, como a comunhão específica que dela provém.
    • Temas Unificadores Deus e Cristo – (Hasel) Têm sido muito ressaltados em tempos recentes, notando-se o caráter teocêntrico do AT e o caráter cristocêntrico do NT. A Realidade ou Comunhão Existencial – Os proponentes desse tema argumentam que ele liga os demais temas e expressa a obra dinâmica de Deus entre o seu povo. A Esperança Escatológica (Kaiser) – É ressaltada freqüentemente, tanto no sentido da promessa como da esperança.
    • Temas UnificadoresA História da Salvação – (Von Rad, Cullmann, Ladd) enfatiza a atividade redentora de Deus/Cristo na história em favor de seu povo.
    • Abordagem conhecida como História da Salvação Definição: Heinrich Fries: Para a inteligência teológica a história da salvação consiste no conjunto dos fatos históricos, tendo uma relação positiva ou negativa com a salvação definitiva do homem.A expressão história da salvação designa tudo o que contribui para a salvação (ou para perdição), em toda a história da humanidade; designa a história de todas as experiências da humanidade concernentes à salvação.
    • História da salvação História da Salvação (em alemão Heilgeschichte) é um termo que se refere a uma série de acontecimentos históricos que a fé cristã interpreta como os atos específicos de Deus com o fim de salvar o seu povo.
    • História da Salvação Hoekema assim define a história da Salvação:A história é um desenvolvimento dos propósitos de Deus. Deus revela seus propósitos na história. Isto é verdadeiramente no que é geralmente denominado “história sacra” ou “história santa”. Com história sacra, queremos dizer história da redenção, redenção que Deus faz de seu povo através de Jesus Cristo. Esta redenção tem suas raízes nas promessas, tipos e cerimônias do Velho Testamento; chega a seu cumprimento na vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo; e alcançará sua consumação nos novos céus e nova terra, que ainda são futuros.
    • História da Salvação Heilsgeschichte - Um termo alemão que significa a “história da salvação”, encarando a Bíblia essencialmente como uma história assim. embora a Bíblia diga muitas coisas a respeito de outras questões, elas são meramente incidentais em seu único propósito de desdobrar a história da redenção. Na história e na doutrina é traçado o desenvolvimento do propósito divino na salvação dos homens. Considera uma abordagem um pouco diferente do método dos “textos prova”, que utiliza a Bíblia como matéria prima para formar uma teologia sistemática, a heilsgeschichte, ressalta uma abordagem mais orgânica.
    • História da Salvação  Dois Grandes Representantes Oscar Cullmann. Georg E. Ladd
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da SalvaçãoDiferentes Perspectivas da História:A visão dos Gregos.A visão do Existencialismo ateísta
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da SalvaçãoA Visão Cristã da História e Suas Principais Características :A História é um desenvolvimento dos propósitos de Deus .
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da Salvação Deus é o Senhor da História. Veja o Salmo 103.19; 2 Cron 20.6; Prov. 21.1-2; Ef. 1.11; Atos 17.26.Gn 50.20; Atos 4.27-28. A queda de Samaria sob os Assírios, no oitavo século a.C. (Is. 10.5, 12, 24-27). Siro, o soberano da Pérsia é chamado pelo Senhor de seu pastor e seu ungido (Is. 44.28; 45.1). Romanos 2.5. Romanos 8.28.
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da Salvação Cristoé o Centro da História. A analogia de Cullmann do “dia D” e do “dia V”, sendo o a primeira vinda de Cristo o “dia D”, no qual aconteceu a batalha decisiva da guerra, garantindo a derrota final do inimigo. A segunda vinda será o “Dia V”, no qual o inimigo finalmente depõe suas armas e se rende. O crente neotestamentário vive, por assim dizer, entre o “dia D” e o “dia V”.
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da SalvaçãoA Nova Era já foi inaugurada. Tudo na História se move em direção a um alvo: os novos céus e a nova terra(veja Gn 3.17-18; Rom 8.19-23) .
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da Salvaçãoa redenção do pecado deve igualmente envolver a totalidade da criação de Deus. Os textos abaixo falam da dimensão cósmica da redenção: Efésios 1.9-10. “desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo, 10 de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu como as da terra; “
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da Salvação Colossenses 1.19-20 “porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude 20 e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus.”
    • Uma Abordagem Bíblica Acerca da História da Salvação Conclusão: Essas são as principais características da interpretação cristã da história. Deus revelou-se na história e por atos históricos salvifícos, e tem a história como instrumento para levar adiante seus propósitos previamente estabelecidos .
    • O Reino de Deus nos Ensinos de JesusA erudição moderna tem afirmado que o Reino de Deus é o tema central da pregação e dos ensinos de Jesus nos evangelhos (Cf. Mr 1.15; Lc 4.21; Mt 12.28; Lc 11.20; Mt 11.11, etc). Tendo em vista que tal assunto recebeu alta importância nos ensinos de Jesus, faremos uma breve abordagem sobre o mesmo destacando sua definição e seus aspectos temporais.
    • O Reino de Deus nos Ensinos deJesus I. ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS DIVERGENTES QUANTO AO ASPECTO TEMPORAL DO REINO DE DEUS NOS ENSINOS DE JESUS.
    • O Reino de Deus nos Ensinos de Jesus A ANTIGA PERSPECTIVA LIBERAL QUANTO AO REINO DE DEUS NOS ENSINOS DE JESUS O REINO DE DEUS: O REINO É DE CARÁTER ÉTICO E PRESENTE Albert Ritschl - O Reino: Uma Tarefa Humana Adolf Harnack - O Reino de Deus: Um Governo Presente nos Corações dos Homens
    • O Reino de Deus nos Ensinos de JesusII. O SURGIMENTO DO ESQUEMA TEOLÓGICO CONHECIDO COMO ESCATOLOGIA CONSISTENTE OURADICAL: O REINO DE DEUS É FUTURO Johannes Weiss – O Reino é Futuro Albert Schweitzer - O Reino é Futuro
    • O Reino de Deus nos Ensinos de Jesus Escatologia Realizada de C. H. Dodd JoachimJeremias - O Reino está em Processo de Realização
    • O Reino de Deus nos Ensinos de JesusEVIDÊNCIAS DO DUPLO ASPECTO DO REINO DE DEUS NOS ENSINOS DE JESUS Jesus e a Proclamação do Reino de Deus
    • O Reino de Deus nos Ensinos de Jesus O ASPECTO PRESENTE DO REINO DE DEUS NOS ENSINOS DE JESUSOS SINAIS DA PRESENÇA DO REINO : A Expulsão de Demônios A Queda de Satanás
    • O ASPECTO PRESENTE DO REINO DE DEUS NOS ENSINOS DE JESUSA Realização de Milagres A Pregação do Evangelho A Dádiva do Perdão
    • O ASPECTO PRESENTE DO REINO DE DEUS NOS ENSINOS DE JESUS ALGUMAS PARÁBOLAS QUE INDICAM QUE O REINO DE DEUS ESTÁ PRESENTEA Parábola do Semeador e o Mistério do Reino: Mt 13.1-23 Os Quatro Tipos de Solo
    • ALGUMAS PARÁBOLAS QUE INDICAMQUE O REINO DE DEUS ESTÁPRESENTEA Parábola do Joio: Mateus 13.24- 30 e 36-43 A parábola do Grão de Mostarda: Mateus 13.31-32 A Parábola do Fermento: Mateus 13.33 A parábola do Tesouro Escondido: Mateus 13.44.
    • ALGUMAS PARÁBOLAS QUE INDICAMQUE O REINO DE DEUS ESTÁPRESENTEA Parábola da Pérola: Mateus 13.45-46 A Parábola da Rede: Mateus 13.47- 50 A Parábola da Semente: Marcos 4.26-30 Implicações Teológicas
    • O ASPECTO FUTURO DO REINO DEDEUS NOS ENSINOS DE JESUS TERMOS USADOS POR JESUS PARA EXPRESSAR O ASPECTO FUTURO DO REINO DE DEUS “ Aquele dia” A vinda próxima
    • O TEMPO DA VINDA DO REINO Iminência Demora Incerteza do tempo
    • ALGUMAS PARÁBOLAS QUE IMPLICAMQUE O REINO DE DEUS É AINDAFUTUROA parábola da Grande Ceia: Lucas 14.15-14A parábola do Joio e sua explicação: Mateus 13.24-30 e 36- 43 A Parábola da Rede: Mateus 13.47- 50 A Parábola das Dez Virgens Mateus 25.1-13
    • ALGUMAS PARÁBOLAS QUE IMPLICAMQUE O REINO DE DEUS É AINDAFUTURO A parábola dos Talentos Mateus 25.14-30 Sumário Conclusão