Motivação e Cooperação no Trabalho Bibliotecário Maria Imaculada Cardoso Sampaio [email_address] “ Mais do que máquinas, n...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   A SOCIEDADE EM CONTINUA MUDANÇA...   CARACTERÍSTICAS DESAFIADORA   DIN...
A qualidade das pessoas faz a qualidade dos servicios   Andrea Nierenberg   IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANE...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   Rio de Janeiro, maio de 2006
MENTALIDADE O “CLIENTE PRIMERO”  Colocar antes de tudo as necessidades do usuário.  Assegurar que todas estas necessidades...
PROFISSIONALISMO     Busque estar o mais preparado possível em questões relacionadas ao seu trabalho, para servir aos usuá...
<ul><li>DISPONIBILIDADE </li></ul><ul><li>Resolva os problemas  </li></ul><ul><li>Sugira alternativas  </li></ul><ul><li>Q...
<ul><li>O máximo de saber  </li></ul><ul><li>O máximo de experiencia estabelecida  </li></ul><ul><li>Aquisição de novos co...
<ul><li>O máximo de querer </li></ul><ul><li>Alto nível de satisfação das necessidades pessoais  </li></ul><ul><li>Valores...
<ul><li>O máximo de poder </li></ul><ul><li>Filosofia e políticas congruentes com a nova cultura </li></ul><ul><li>Sistema...
<ul><li>O mundo está menor por causa de uma intensa rede de telecomunicações, ao mesmo tempo que parece não ter mais front...
Nas organizações atuais os investimentos são na tecnologia de ponta, nos grupos de especialistas, na  produção modular e n...
Profissional da informação = invasão em seu ambiente de operação por tecnologias  Bases de dados online, revistas eletrôni...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li...
Pirâmide que representa as necessidades de  Maslow   Auto-realização Estima Amor Segurança Fisiológicas Quando uma necessi...
Motivação Doron e Parot (2001) afirmam que é graças à motivação que as necessidades se transformam em objetivos, planos e ...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Teoria dos Dois Fatores de Herzberg Fatores motivadores: reconhecimento,...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO   Rio de Janeiro, maio de 2006 <ul><li>Cranford (1999) - guia com dez po...
Cooperação  Ajuda mútua  Divisão do trabalho Atração interpessoal (empatia)  Compromisso com o grupo Motivação interna   I...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Cooperação </li></ul><ul><li>Piaget = comportamento de cooperaçã...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Cooperação Cooperação ► incompletude do ser  humano Pessoas  ► grupos so...
Maria Imaculada Cardoso Sampaio Motivação no Trabalho Cooperativo: O caso da Rede Brasileira de Bibliotecas da Área de Psi...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Método </li></ul><ul><li>Universo = ReBAP </li></ul><ul><li>Popu...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Método </li></ul><ul><li>Gravação em fita cassete </li></ul><ul>...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>Fatores motivacionais </li></ul><ul...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>Fatores de Higiene </li></ul><ul><l...
A TECNOLOGIA  DA  INFORMAÇÃO A SERVIÇO DAS  REDES HUMANAS... <ul><li>É uma das maiores forças para tornar possível as rela...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>E os Profissionais da Informação... </li></ul><ul><li>RESPONSABI...
<ul><li>NECESSIDADE BÁSICA </li></ul><ul><li>Acesso a dados, informação  </li></ul><ul><li>e conhecimento em formato  </li...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>NECESSIDADE SOCIAL OU </li></ul><ul><li>DE PERTENCER A UM GRUPO ...
IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>NECESSIDADE DE AUTO-REALIZAÇÃO </li></ul>Estabelecimento de maio...
Qualidade  das pessoas = Motivação  Cooperação  ► Motivação  ► Qualidade IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO...
Rio de janeiro, maio de 2006 Referências ARGYLE, M.  Cooperation : the basis of sociability.  London: Routledge, 1991. BER...
Rio de Janeiro, maio de 2006 IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO &quot;Cem vezes ao dia me lembro que a minh...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Motivacao

4,062

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,062
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
239
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Motivacao

  1. 1. Motivação e Cooperação no Trabalho Bibliotecário Maria Imaculada Cardoso Sampaio [email_address] “ Mais do que máquinas, necessitamos humanidade; mais que de inteligencia, necessitamos afeto e ternura!” Charles Chaplin IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  2. 2. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO A SOCIEDADE EM CONTINUA MUDANÇA... CARACTERÍSTICAS DESAFIADORA DINÂMICA E ÁGIL INSTÁVEL EVOLUTIVA AÍ ESTÁ O NOSSO TEMPO Rio de Janeiro, maio de 2006
  3. 3. A qualidade das pessoas faz a qualidade dos servicios Andrea Nierenberg IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  4. 4. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  5. 5. MENTALIDADE O “CLIENTE PRIMERO” Colocar antes de tudo as necessidades do usuário. Assegurar que todas estas necessidades serão atendidas. Desprende-se de si mesmo, até o ponto de sacrificar-se, para garantir a satisfação do cliente – Altruísmo. Colocar-se no lugar do usuário – Empatia. ATITUDE POSITIVA Tratar o usuário com entusiasmo. Praticar a atitude de “Sim, é possível”, nunca ser negativo. Saber manejar os problemas de maneira correta. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  6. 6. PROFISSIONALISMO   Busque estar o mais preparado possível em questões relacionadas ao seu trabalho, para servir aos usuários.   Se faltar algum conhecimento, saiba a quem recorrer e vá solicitar ajuda.      ORIENTAÇÃO ÀS PESSOAS Tome a iniciativa para estabelecer “comunicação”. Demonstre seu interesse pessoal no cliente através do contato visual, sorrindo, chamando-lhe pelo seu nome.   Faça com que o cliente se sinta cômodo. CONFIABILIDADE Tome o tempo necessário para fazer seu trabalho corretamente. Mostre sua confiabilidade. Faça sempre o melhor e não o que mais fácil. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  7. 7. <ul><li>DISPONIBILIDADE </li></ul><ul><li>Resolva os problemas </li></ul><ul><li>Sugira alternativas </li></ul><ul><li>Quando for apropriado, seja flexível com as regras para resolver ou evitar problemas </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>RESPOSTAS PERSONALISADAS </li></ul><ul><li>Busque entender as preferencias e expectativas dos clientes </li></ul><ul><li>Leve em conta o ponto de vista do cliente quando lhe proporcionar informação. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>RESPEITO BÁSICO </li></ul><ul><li>Mostre-se cortez com todas as pessoas, sem importar-se com sua aparencia ou outras características pessoais </li></ul><ul><li>Evite lamentar-se para os clientes </li></ul><ul><li>Respeite o tempo do cliente e seu espaço vital </li></ul>IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  8. 8. <ul><li>O máximo de saber </li></ul><ul><li>O máximo de experiencia estabelecida </li></ul><ul><li>Aquisição de novos conhecimentos e habilidades </li></ul><ul><li>para alcançar as novas exigências </li></ul><ul><li>Desenvolvimento permanente </li></ul><ul><li>Comunicação clara </li></ul><ul><li>Retroinformação constante </li></ul><ul><li>Inovação em tecnologia </li></ul>IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  9. 9. <ul><li>O máximo de querer </li></ul><ul><li>Alto nível de satisfação das necessidades pessoais </li></ul><ul><li>Valores claros </li></ul><ul><li>Identificação dos beneficios </li></ul><ul><li>Comunicação fluída </li></ul><ul><li>Insatisfação com a cultura e resultados atuais </li></ul><ul><li>Vocação ao serviço </li></ul>IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  10. 10. <ul><li>O máximo de poder </li></ul><ul><li>Filosofia e políticas congruentes com a nova cultura </li></ul><ul><li>Sistemas que ajudem a fazer realidade a nova </li></ul><ul><li>realidade </li></ul><ul><li>Produtos que reúnan os novos requisitos dos </li></ul><ul><li>serviços atuais </li></ul><ul><li>Chefias com foco em facilitar o trabajo e disposto a </li></ul><ul><li>delegar </li></ul>IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  11. 11. <ul><li>O mundo está menor por causa de uma intensa rede de telecomunicações, ao mesmo tempo que parece não ter mais fronteiras </li></ul><ul><li>A sociedade de massa da lugar à sociedade de pessoas; </li></ul><ul><li>Existe um aumento significativo de acesso à informação, desviando-se a ênfase do processamento para a comunicação </li></ul><ul><li>O caminho para o futuro passa pela conexão e relações entre as pessoas </li></ul>IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  12. 12. Nas organizações atuais os investimentos são na tecnologia de ponta, nos grupos de especialistas, na produção modular e na transmissão da informação A informação é vital para a diminuição de incertezas e na tomade de decisão em uma sociedade de mudanças rápidas A informação envolve fatores de qualidade: integridade, atualidade, precisão e tempo de resposta A informação não depende só do processamento e sofisticação de hardware e software. Requer “inteligencia” ou habilidade que lhe agregue valor IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  13. 13. Profissional da informação = invasão em seu ambiente de operação por tecnologias Bases de dados online, revistas eletrônicas, open archives , open acess Organizador e disseminador da informação ► mundo virtual ► provedor da informação Haja motivação!!! IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  14. 14. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li>Administração Científica de Taylor, a Clássica de Fayol e a Burocrática de Weber </li></ul><ul><li>Estilo autocrático = as pessoas devem fazer aquilo que a organização pretende que elas façam </li></ul><ul><li>O homem é indolente e preguiçoso por natureza. </li></ul><ul><li>Não gosta de assumir responsabilidade e prefere ser dirigido. </li></ul><ul><li>O homem é fundamentalmente egocêntrico e seus objetivos pessoais opõem-se, em geral, aos objetivos da organização. </li></ul><ul><li>Resiste ao máximo às mudanças. </li></ul><ul><li>A sua dependência o torna incapaz de autocontrole e disciplina </li></ul>Administrar motivando...
  15. 15. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li>Administração segundo a Teoria X </li></ul><ul><li>Responsabilidade pelos recursos da empresa (organização). </li></ul><ul><li>Processo de dirigir os esforços das pessoas (controle das ações para modificar o seu comportamento) </li></ul><ul><li>Políticas de persuasão, recompensas e punição (suas atividades são dirigidas em função dos objetivos e necessidades da empresa). </li></ul><ul><li>Remuneração como um meio de recompensa </li></ul>
  16. 16. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li>Concepção moderna da Administração </li></ul><ul><li>O homem não tem desprazer em trabalhar e aplicar esforço físico ou mental em seu trabalho é tão natural quanto jogar e descansar. </li></ul><ul><li>As pessoas não são resistentes as necessidades da empresa. </li></ul><ul><li>As pessoas têm motivação básica e padrões de comportamento adequados e capacidades para assumir responsabilidades. </li></ul><ul><li>Ele não só aceita responsabilidades, também as procura. </li></ul><ul><li>As capacidades de imaginação e de criatividade na solução de problemas é distribuída entre as pessoas </li></ul>
  17. 17. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li>Teoria Y </li></ul><ul><li>Administrar é proporcionar condições para que as pessoas reconheçam e desenvolvam característica como motivação, potencial de desenvolvimento, responsabilidade. </li></ul><ul><li>É criar condições organizacionais e métodos de operações por meio dos quais possam atingir seus objetivos pessoais e dirigir seus esforços em direção aos objetivos da empresa </li></ul>
  18. 18. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006 TEORIA X e Y ( Douglas McGregor ) <ul><li>Teoria Y </li></ul><ul><li>Descentralização das decisões e responsabilidade. </li></ul><ul><li>Ampliação do valor do cargo para maior significação do trabalho. </li></ul><ul><li>Participação nas decisões mais altas e administração participativa. </li></ul><ul><li>Auto-avaliação do desempenho </li></ul>
  19. 19. Pirâmide que representa as necessidades de Maslow Auto-realização Estima Amor Segurança Fisiológicas Quando uma necessidade é satisfeita, o ser humano elege, imediatamente, outra mais elevada para perseguir IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006 Administração focada na motivação
  20. 20. Motivação Doron e Parot (2001) afirmam que é graças à motivação que as necessidades se transformam em objetivos, planos e projetos. Broxado (2001, p. 16) “sem a Psicanálise de Freud não se estará considerando o ser humano em seu aspecto autêntico.” Freud entendeu que o comportamento humano é determinado pela motivação do inconsciente e pelos impulsos instintivos . Rio de janeiro, maio de 2006 IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO
  21. 21. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Teoria dos Dois Fatores de Herzberg Fatores motivadores: reconhecimento, realização, possibilidade de crescimento, responsabilidade e o trabalho em si Fatores de higiene: condições de trabajo, salário, segurança, relação interpessoal, política de supervisão e administração, política e administração da empresa, vida pessoal e status Rio de Janeiro, maio de 2006
  22. 22. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006 <ul><li>Cranford (1999) - guia com dez pontos para motivar a equipe de bibliotecários do serviço de referência </li></ul><ul><li>reiterar a importância da linha de frente </li></ul><ul><li>deixar a equipe manifestar seus sentimentos </li></ul><ul><li>dar oportunidades para a equipe se desenvolver </li></ul><ul><li>comunicar com clareza as mensagens à equipe </li></ul><ul><li>empregar o reforço positivo </li></ul><ul><li>incentivar o senso de comunidade </li></ul><ul><li>transmitir as conseqüências por erros e trabalhos sem qualidade </li></ul><ul><li>reconhecer que ninguém é perfeito (mas enfatizar que a perfeição pode ser uma meta a ser perseguida) </li></ul><ul><li>deixar a equipe saber quais são as metas </li></ul><ul><li>praticar o que é pregado </li></ul>
  23. 23. Cooperação Ajuda mútua Divisão do trabalho Atração interpessoal (empatia) Compromisso com o grupo Motivação interna IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro, maio de 2006
  24. 24. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Cooperação </li></ul><ul><li>Piaget = comportamento de cooperação tem início na criança por volta dos sete ou oito anos </li></ul><ul><li>Ponto de vista sincrônico ► cooperação ► ponto de equilíbrio nos agrupamentos, relação de implicação </li></ul><ul><li>Ponto de vista diacrônico ► cooperação ligada ao desenvolvimento, relação de causalidade . </li></ul><ul><li>Rio de Janeiro, maio de 2006 </li></ul>
  25. 25. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Cooperação Cooperação ► incompletude do ser humano Pessoas ► grupos sociais, agrupamentos coletivos (igreja, sociedades de bairro, científicas etc) Morton Deutsch (1949) ► estudo clássico sobre cooperação Quando A faz = bom para ele e para B; B faz = bom para ele e para A Malvezzi (1997) compartilhamento X cooperação Rio de Janeiro, maio de 2006
  26. 26. Maria Imaculada Cardoso Sampaio Motivação no Trabalho Cooperativo: O caso da Rede Brasileira de Bibliotecas da Área de Psicologia – ReBAP Orientadora: Profª. Drª. Daisy Pires Noronha Co-orientação: Prof. Dr. Lino de Macedo Rio de janeiro, maio de 2006
  27. 27. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Método </li></ul><ul><li>Universo = ReBAP </li></ul><ul><li>População = Bibliotecários da região Sudeste que participam da indexação cooperativa – Index Psi Periódicos e LILACS </li></ul><ul><li>Técnica do Grupo Focal </li></ul><ul><li>Perfil dos bibliotecários cooperadores + sorteio (privadas) </li></ul><ul><li> Indexação cooperativa entre um e dois anos </li></ul><ul><li>Faixa etária entre 30 e 50 anos </li></ul><ul><li>Curso de graduação e/ou especialização </li></ul><ul><li>Função de chefia e/ou supervisão </li></ul>Rio de Janeiro, maio de 2006
  28. 28. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Método </li></ul><ul><li>Gravação em fita cassete </li></ul><ul><li>T ranscrição e a análise do discurso do Grupo Focal </li></ul><ul><li>Teoria dos Dois Fatores de Herzberg </li></ul><ul><li>Higiene: Condições de trabalho, Relacionamento interpessoal e </li></ul><ul><li>Salário </li></ul><ul><li>Motivacionais: Reconhecimento, Realização, Possibilidade de </li></ul><ul><li>crescimento, Responsabilidade e Trabalho em si </li></ul><ul><li>Rio de Janeiro, maio de 2006 </li></ul>
  29. 29. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>Fatores motivacionais </li></ul><ul><li>- Reconhecimento – satisfação dos usuários </li></ul><ul><li>Realização – ganho de qualidade no desenvolvimento das atividades </li></ul><ul><li>Possibilidade de crescimento – aquisição de novos conhecimentos, vencer desafios, melhoria da auto-estima </li></ul><ul><li>Responsabilidade – o resultado do trabalho fica disponível para o mundo </li></ul><ul><li>Trabalho em si – operar com o novo, trabalho inovador, reorganização do trabalho </li></ul><ul><li>Rio de Janeiro, maio de 2006 </li></ul>
  30. 30. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>Fatores de Higiene </li></ul><ul><li>Condições de trabalho – Internet; flexibilidade de horário e local de acesso </li></ul><ul><li>Relacionamento interpessoal – satisfação com a integração; estreitamento das relações (públicas e privadas); relacionamento cordial e amigável com a coordenação; atenção e rapidez nas respostas e nas soluções de problemas </li></ul><ul><li>Salário – não foi considerado fator motivacional: nenhum bibliotecário ganha mais por cooperar na rede </li></ul><ul><li>Rio de Janeiro, maio de 2006 </li></ul>
  31. 31. A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A SERVIÇO DAS REDES HUMANAS... <ul><li>É uma das maiores forças para tornar possível as relações </li></ul><ul><li>entre as pessoas em um mundo globalizado, sem paredes e </li></ul><ul><li>em tempo real. </li></ul><ul><li>Permite a criação de um ambiente de informação em rede, abrindo as portas para a criação de novas oportunidades de melhoria e acelera o desenvolvimento social. </li></ul><ul><li>Requer novas habilidades e novos conhecimentos, mas uma dose extra de boa vontade e generosidade em compartilhar. </li></ul><ul><li>Rio de Janeiro, maio de 2006 </li></ul>IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO
  32. 32. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>E os Profissionais da Informação... </li></ul><ul><li>RESPONSABILIDADES DEFINIDAS </li></ul><ul><li>NORMAS E PROCEDIMENTOS PADRONIZADOS </li></ul><ul><li>PRODUTOS E SERVIÇOS PERSONALIZADOS E QUE ATENDAM ÀS </li></ul><ul><li>NECESSIDADES DOS CLIENTES </li></ul><ul><li>FACILIDADES DE ACESSO, GERAÇÃO E USO DA INFORMAÇÃO E </li></ul><ul><li>DO CONHECIMENTO </li></ul><ul><li>VONTADE DE APRENDER </li></ul><ul><li>FOCO NO USUÁRIO </li></ul><ul><li>ESPÍRITO DE COOPERAÇÃO </li></ul>Rio de Janeiro, maio de 2006
  33. 33. <ul><li>NECESSIDADE BÁSICA </li></ul><ul><li>Acesso a dados, informação </li></ul><ul><li>e conhecimento em formato </li></ul><ul><li>convencional e eletrônico. </li></ul><ul><li>NECESSIDADE DE SEGURANÇA E </li></ul><ul><li>ESTABILIDADE </li></ul><ul><li>Área física e acústica adequadas. </li></ul><ul><li>Iluminação ventilação. </li></ul><ul><li>Equipamentos e mobiliário ergonômicos. </li></ul>IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO MOTIVAÇÃO PARA ATENDER ÀS NECESSIDADES DOS CLIENTES Rio de janeiro, maio de 2006
  34. 34. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>NECESSIDADE SOCIAL OU </li></ul><ul><li>DE PERTENCER A UM GRUPO </li></ul>Áreas sociais e interativas. Sistemas de comunicação produtiva. Compartilhamento de idéias e relacionamentos em Rede. <ul><li>NECESSIDADE DE RECONHECIMENTO OU DE ESTIMA </li></ul>Trabalho virtualizado. Acesso a vários espaços. Envolvimento nos processos de decisão. MOTIVAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO Rio de janeiro, maio de 2006
  35. 35. IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO <ul><li>NECESSIDADE DE AUTO-REALIZAÇÃO </li></ul>Estabelecimento de maior nível de confiança. Melhoria na divulgação e compartilhamento de informações. Maior autonomia e liberdade de expressão e construção do conhecimento. MOTIVAÇÃO E COOPERAÇÃO Rio de janeiro, maio de 2006
  36. 36. Qualidade das pessoas = Motivação Cooperação ► Motivação ► Qualidade IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO Rio de janeiro, maio de 2006
  37. 37. Rio de janeiro, maio de 2006 Referências ARGYLE, M. Cooperation : the basis of sociability. London: Routledge, 1991. BERGAMINI, C. W. Motivação . 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991. BROXADO, S. A verdadeira motivação na empresa : entendendo a psicologia organizacional e dicas para a motivação no dia-a-dia das empresas. Rio de janeiro: Qualitymark, 2001. DORON, R.; PAROT, F. Dicionário de Psicologia . Tradução Odilon Soares Leme. São Paulo: Ática, 2001. HERZBERG, F.; MAUSNER, B.; SNYDERMAN, B. B . The motivation to work . 2. ed. New York: John Wiley, 19 59. MASLOW, A. A. Introdução à psicologia do ser . Tradução Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Eldorado, 1968.
  38. 38. Rio de Janeiro, maio de 2006 IV CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA DO RIO DE JANEIRO &quot;Cem vezes ao dia me lembro que a minha vida, interior e exterior, depende do trabalho que outras pessoas estão fazendo neste momento. Por isso devo me esforçar para retribuir, pelo menos em parte, esta generosidade.&quot; Albert Einstein Muito obrigada!!!
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×