• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Artigos
 

Artigos

on

  • 434 views

 

Statistics

Views

Total Views
434
Views on SlideShare
434
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Artigos Artigos Document Transcript

    • OSHO Oi gentis!!!! Ano novo, vida nova mas o barbudinho continua maleta. hehehe Como seria legal se todos nós fossemos saniássins de nós mesmos né?! Sem babar ovo de nínguem, e sem acreditar em nada... Quebrando paradigmas e nos tornando sem parâmetros... Mas como é difícil isto e como precisamos de "chão". Precisamos sempre mistificar, colocar no pedestal, adorar e cultuar... Não seria isso um carência tamanho família?? Como seria nossa vida sem ter em que acreditar? Imaginem: Achar Buda um puta cara legal, um irmão mais velho (anos luz hehehehe)e super amoroso, mas acreditar em nosso potencial também e ver o que o cara tem de legal e crescer com isso, para poder atrapalhar menos e ajudar mais...ksksksks! Melhor que ficar babando Ovo e na inércia por achar que somos todos iguais, mas... nem tanto... Outra coisa, imaginem o dia em que o ser humano compreender que a energia pode se mover em polos diferentes. Da raiva para compaixão, do ódio para o amor, do julgamento para a compreensão... Que maravilha seria ter controle sobre estes polos! Aceitar a natureza das coisas e aproveitar o seu movimento natural para edificar algo legal. Isto é o que levará o homem a ultrapassar seus mais terríveis demônios. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Sânias É muito difícil definir um saniássin, e mais ainda se você for definir os meus saniássins. O sânias é basicamente uma rebelião no que diz respeito a todas as estruturas, daí a dificuldade de defini-lo. (...) A primeira qualidade de um saniássin é uma abertura para a experiência. Ele não decidirá antes de ter experienciado.Ele nunca decide antes de ter experienciado. Ele não terá nenhum sistema de crenças. Ele não dirá: "Isso é assim, porque Buda disse." Ele não dirá: "Isso é assim, porque está escrito nos Vedas." Ele dirá: "Eu estou pronto para mergulhar nisso e ver se é assim ou não." (...) Quando você se torna um saniássin, eu o inicio na liberdade e em nada mais. Ser livre é uma grande responsabilidade, porque, então, você não tem nada em que se escorar, exceto em seu próprio ser interior, em sua própria consciência.
    • The Heart Sutra, # 10 Com um mestre, você nunca pode se estabelecer para sempre, em nada. O mestre tem que continuar transformando você. No momento em que você sentir que suas raízes estão se aprofundando no solo, você será desenraizado. No momento em que sentir: "Agora aprendi este trabalho e estou executando-o com eficiência.", seu trabalho será mudado porque não é esse o propósito quando você vive num campo búdico. O propósito é mantê-lo constantemente inseguro; assim, um dia, você aprende a beleza da incerteza; assim, um dia, você deixa de pensar em se estabilizar e a própria jornada torna-se seu objetivo. Quando a jornada em si é o objetivo, então sua vida é a vida de um saniássin. The Wisdom of the Sands, Vol.2, # 1 Transformação A raiva é bela; o sexo é belo. Mas coisas belas podem ficar feias. Isso depende de você. Se você condená-las, elas se tornam feias; se você transformá-las, elas se tornam divinas. A raiva transformada torna-se compaixão – porque a energia é a mesma. Um buda é compassivo. Da onde essa compaixão vem? Ela é a mesma energia que estava se movendo na raiva; agora ela não está se movendo na raiva. A mesma energia está transformada em compaixão. Da onde vem o amor? Um Buda é amoroso, um Jesus é amor. A mesma energia que se move no sexo torna-se amor. Assim lembre-se: se você condena um fenômeno natural, ele se torna venenoso, ele o destrói, ele se torna destrutivo e suicida. Se você o transforma, ele se torna divino. And The Flowers Showered, # 3 ============================================================================ ========================= Oi gentis!!! Bem, a gente sempre reflete nos mais próximos tudo aquilo que somos. Mas não deve haver culpa em nós mesmos para não culpar o outro por nossos turbilhões emocionais. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Irritação Você já observou que você só se irrita com pessoas que são muito íntimas de você? Quanto maior a intimidade, maior a irritação. Por que?
    • Quanto maior a distância entre você e a pessoa, menos irritação haverá. Você não se irrita com um estranho. Você se irrita com sua esposa, com o seu marido, com o seu filho, com sua filha, com sua mãe. Por que? Por que você se irrita com pessoas que são mais íntimas de você? A razão é esta: você está irritado consigo mesmo. Quanto mais íntima uma pessoa é de você, mais ela se torna identificada com você. Você está irritado consigo mesmo, então quando alguém está perto, você pode jogar sua raiva nesse alguém. Ele se tornou parte de você. Com a meditação você será cada vez mais feliz consigo mesmo. lembre-se, consigo mesmo. OSHO, The Ultimate Alchemy, V.2, # 18 Sucesso Mesmo que você se torne bem-sucedido, o que você conseguirá através disso? Aonde você vai chegar através disso? Olhe para as pessoas bem-sucedidas, faça um diagnóstico sobre elas: aonde elas chegaram? Elas continuam em busca da paz mental mais do que você. Elas também têm medo da morte, e tremem, exatamente como você. Se você olhar para as pessoas bem-sucedidas, minuciosamente, descobrirá que esses "deuses" também têm pés de barro. A morte os levará e, com a morte, todo o sucesso desaparece, toda a fama desaparece. A coisa toda parece um pesadelo: tanto esforço, tanto sofrimento, tanta privação... – e não se ganha nada. No final, a morte chega e tudo desaparece como bolha de sabão. E, por causa dessa bolha, o que é eterno fica perdido. Osho em A Semente de Mostarda, # 3 =============================================================== ============== TORNANDO-SE CENTRADO Oi gentis! A gente tenta a toda hora mudar as situações que passamos em nossas vidas mas esquecemos principalmente que o que realmente importa é nossa atitude perante elas. São nossas atitudes que demonstram nosso verdadeiro estado de consciência, nosso verdadeiro equilíbrio e principalmente se estamos deixando de teorizar e praticando mais aquilo que estudamos. Logicamente temos liberdade para escolher o que queremos ou não para nossas vidas, mas são nas escolhas que o equilíbrio e uma mente serena são fundamentais para saber realmente se estamos sendo conscientes ou apenas satisfazendo os caprichos do nosso ego. Saber exatamente quando ousar e quando ficar quieto, quando andar e quando ficar parado, quando investir ou quando abandonar algo faz parte da
    • maturidade espiritual que todos nós buscamos... e tanto sonhamos. Keep Rockin'! Om Sattva Pablo Tornando-se Centrado Fique centrado. Não se deixe manipular pelas opiniões dos outros ou pelas suas tentativas de empurrar você para cá e para lá. Não se rebaixe ao nível dos outros. Uma vez, nos tempos de Buda, aconteceu que uma das lindas e famosas prostitutas se apaixonou por um monge budista, um mendigo... Ela pediu que ele viesse à sua casa e que lá permanecesse por quatro meses, durante a estação das chuvas, em que os monges budistas interrompem suas viagens. O monge disse: "Terei que perguntar ao Mestre. Se ele permitir, eu irei". Os outros monges ficaram com muita inveja. Quando o jovem veio até Buda e fez o pedido, muitos ouviram. Todos se levantaram e disseram: "Isto está errado. Até mesmo ter permitido àquela mulher tocar seus pés foi errado, pois Buda disse: "Não toque nas mulheres e não deixe que elas o toquem". Você quebrou a regra... e agora está pedindo para ficar com uma mulher por quatro meses!". Mas Buda comentou: "Eu lhes falei para não tocarem nas mulheres e não serem tocados por elas porque vocês ainda não estão centrados. Para este homem, esta regra não mais se aplica. Eu o estive observando - ele já não faz parte da multidão". E ao monge ele disse: "Sim, você tem permissão". Ora, isso era demais! Nunca aconteceu algo assim antes. Todos os discípulos ficaram zangados, e durante meses milhares de fofocas circularam, exagerando o que estava ocorrendo na casa de Amrapalli - que o monge não era mais monge, que havia caído. Depois de quatro meses, quando o monge voltou, seguido por Amrapalli, Buda olhou para eles e perguntou: "Mulher, você tem algo a me dizer?". Ela disse: "Vim para ser iniciada. Tentei distrair seu discípulo, mas falhei. Esta é minha primeira derrota. Sempre tive sucesso com homens, porém não pude distraí-lo, nem ao menos um centímetro. Um grande desejo nasceu em mim também; como posso alcançar este centramento?" "Ele viveu comigo, eu dancei e cantei diante dele, tentei seduzi-lo de todas as maneiras, mas ele sempre permaneceu ele mesmo. Nem por um único momento vi qualquer nuvem em sua mente ou qualquer desejo em seus olhos. Tentei convertê-lo, mas ele me converteu, e sem dizer uma única palavra. Ele não me trouxe até aqui; vim por conta própria. Conheci pela primeira vez o que é dignidade. Gostaria de aprender a arte". Ela se tornou discípula de Buda. Ele sempre caminha por si mesmo... Não há maneira de empurrá-lo para cá e para lá. Ele permanece absoluta-mente ele mesmo, de tão centrado que é, de tão enraizado que está em seu ser. Quando se encontra Turiya, o quarto estado, então não existe distração, então pode-se viver em qualquer lugar. Não tente mudar as circunstâncias de sua vida; tente mudar suas atitudes.
    • Utilize a situação exterior para transformar seu estado interior. Mudar a situação não é uma grande mudança - você está enganando a si mesmo e o mundo. A verdadeira religião consiste em mudar o estado de consciência. Busque o mais elevado. Quando você conhece as esferas superiores de sua energia, o inferior começa a definhar espontaneamente. Essa é a verdadeira religião. Osho =============================================================== ================ Olá crianças!! Ele adaptou muita coisa legal de várias linhas orientais para a utilização do homem ocidental, e o mais legal é que são técnicas adaptadas para o nosso estilo de vida estressante, corrido e sem tempo. Todas são fabulosas e tem um efeito prático muito bom, mas algumas podem parecer "infantis" demais ou sem qualquer fundamento. E este é o propósito!! hehehehe! Deixar a mente tagarelar a vontade por estar "aparentemente" fazendo coisas "bobinhas", mas no fundo ela é que estará sendo domada. Depois poderíamos trocar experências sobre o que ocorreu energéticamente com algumas práticas, pois a maioria das pessoas que utilizam tais técnicas não tem a sorte de ter o conhecimento que temos contato por aqui. Um ótimo fim de semana de muito sol e amor a todos! Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo P.S. Apenas um toque, a técnica do "sim" faz parte da aceitação e da percepção do fluir natural da vida. Isto quer dizer que eu, e acredito que o barbudinho maleta, saibamos que devemos aprender a dizer não. Muitas vezes temos que aprender a dizer não, pois o "sim" em demasia e em determinadas situações é pura falta de personalidade e firmeza e para isso sugiro um belo "SO HAM" pulsante no Chacra Umbilical para a própria firmeza e defesa de seu espaço individual. O não neste caso significa "SIM" também pois vc está dizendo um belo "SIM" para vc mesmo e sua autopreservação e um sonoro "NÃO" para os excessos que não nescessita em sua vida. Fazendo do Sim um Mantra Quando: Todas as noites, antes de dormir, por pelo menos 10 minutos; então, novamente, a primeira coisa da manhã, por pelo menos 3 minutos. Também durante o dia, quando quer que você se sinta negativo, sente-se e faça isso.
    • Comece a colocar sua energia no sim, faça do sim um mantra. Sente-se na sua cama, comece a repetir - Sim...sim...sim... Entre em sintonia com ele. Primeiro você estará apenas repetindo e, então, comece a senti-lo. Comece a se balançar com ele, permita que ele se espalhe por todo o seu ser, da cabeça aos dedos dos pés. Deixe que ele o penetre profundamente. Se você não puder dizê-lo alto, pelo menos silenciosamente diga: Sim...sim...sim...! (OSHO, The sun Behind the Sun, Behind the Sun, apud Ma Prem Maneesha, The Law of Magic) Sobre a energia do sim "A vida não pode ser vivida através do não e aqueles que tentam viver a vida através do não, simplesmente vão perdendo a vida. A pessoa não pode fazer uma morada do não, porque o não é simplesmente vazio. O não é como a escuridão. A escuridão não tem existência real; ela é simplesmente a ausência de luz. É por isso que você não pode fazer nada com a escuridão diretamente. Você não pode empurrá-la para fora do quarto, você não pode atirá-la para dentro da casa do vizinho; você não pode trazer mais escuridão para dentro da sua casa. Nada pode ser feito diretamente com a escuridão, porque ela não tem existência real. Se você quiser fazer algo com a escuridão, apague a luz; se você não quiser a escuridão, acenda a luz. Mas tudo que você tiver que fazer terá de ser feito com a luz. Exatamente do mesmo modo, o sim é luz, o não é escuridão. Se você quiser fazer alguma coisa em sua vida, você tem de aprender os caminhos do sim. E o sim é tremendamente belo. Simplesmente dizê-lo é tão relaxante! Deixe-o tornar-se seu estilo de vida. Diga sim às árvores e aos pássaros e às pessoas, e você ficará surpreso: a vida se torna uma benção se você souber dizer sim. A vida se torna uma aventura." (OSHO, Zoba the Buddha, # 5) =============================================================== ================= Oi gentis!!! Seguindo a série de práticas sugeridas pelo barbudinho maleta aí vai mais uma. Esta é uma das melhores e mais simples técnicas de meditação que existem. Muito boa! E vamos meditar... hehehe! Keep Rockin'!! Om Sattva! Pablo " ... Não há nenhuma necessidade de se ensinar todos os tipos de meditação; eu posso
    • escolher apenas um método que pode ser o mais simples, o mais fácil e aplicável a todos. E simplesmente esse único método pode se espalhar por todo o mundo. Esse método é o que eu chamo de 'testemunhar a respiração'. É um método muito simples." QUANDO: Nos seus momentos de silêncio, quando você estiver sentado, deitado, ou viajando num trem, num ônibus, num avião. DURAÇÃO: De um a dois minutos ou até quanto queira. MEDITAÇÃO: Feche os olhos e observe sua respiração. Ela entra, você vai junto com ela; ela sai, você vai junto com ela. "Você pode fazê-la quantas vezes no dia for possível - algumas vezes por dois minutos, algumas vezes por períodos mais longos. Às vezes você está se sentindo sem sono e está simplesmente deitado na cama; não se importe com o sono, simplesmente faça o método. Ele fará os dois trabalhos - ele lhe dará um profundo silêncio meditativo, e simplesmente por fazê-lo... você só saberá de manhã, quando você acordar que, em algum lugar, o sono entrou. "Mas a coisa estranha é que, se você meditar e cair no sono, você acordará meditando. Isso significa que, de um modo sutil, no seu inconsciente profundo, o método continuou; toda a sua noite se tornou uma meditação. Ora, esse é o período mais longo que você pode ter. E o seu sono será de uma qualidade diferente: mais silencioso, mais relaxado, mais rejuvenescedor. E por seis, oito horas, subliminarmente, o testemunhar continua. De manhã, quando você tornar-se consciente de que está acordado, você ficará surpreso: você está testemunhando sua respiração." OSHO. The Last Testament, p. 402, apud The Law of Magic =============================================================== ================== Oi gentis !!! Mas uma técnica sugerida pelo barbudinho... Eu sempre me pergunto como é difícil estarmos focados no aqui e no agora! Sempre damos um jeitinho de escapar ou lembrando do que já foi ou ansiando por algo que está por vir. "Como eu era feliz!" Nós pensamos, ou "Como serei feliz quando alcançar tal coisa". Mas e agora, porque não somos felizes agora? Qual o problema de ser feliz aqui e agora? Ou minha ignorância em achar que o tempo é o responsável pela minha felicidade? Ou ainda uma simples mudança de planos vai acabar com a minha incapacidade de lidar com minhas emoções? Esta técnica é legal pois nos mostra que independente de qualquer coisa o universo sempre está em movimento com ou sem nós aqui encarnados. Isto tira o peso de nossas costas e nos mostra que realmente podemos ser felizes, esta é nossa única responsabilidade. Como diz sempre um viadinho gordo que conheço "Se estamos felizes ou não o sol vai sempre estar brilhando lá fora." Por que
    • tornar a vida mais difícil se ela pode ser mais fácil? Por que carregar mais peso do que o nescessário? Por que preencher meu coração com emoções densas e tristezas que nada acrescentam e só nos denigrem? Sendo assim que tal ser feliz hoje? .. Aqui e agora! Keep Rockin'! Om Sattva. Pablo SIMPLESMENTE DESAPARECENDO Sentado sob uma árvore, sem pensar no passado nem no futuro, simplesmente estando ali, onde você está? Onde está o 'eu'? Você não pose senti-lo, ele não está presente. O ego nunca existiu no presente. O passado não existe mais, o futuro ainda não é. Ambos não existem. O passado desapareceu e o futuro ainda não apareceu - só o presente existe. E, no presente, nunca foi encontrado nada parecido com o ego. (1) Há uma meditação, uma das mais antigas, ainda usada em alguns mosteiros do Tibet. A meditação é baseada na verdade sobre a qual estou lhe falando. Eles ensinam que algumas vezes você pode simplesmente desaparecer. Sentado no jardim, você pode começar a sentir que está desaparecendo. Simplesmente observe como o mundo se parece quando você se foi do mundo, quando você não está mais aqui, quando você se tornou absolutamente transparente. Tente, por um único segundo, não estar aqui. Na sua casa, fique como se você não existisse. Simplesmente pense - um dia você não existirá. Um dia você terá partido; o rádio continuará, a esposa ainda preparará o café, as crianças estarão se aprontando para a escola. Pense: hoje você se foi, você simplesmente não está mais aqui. Torne-se como um fantasma. Sentado em sua cadeira, você simplesmente desaparece, você simplesmente pensa: "Eu não tenho mais realidade. Eu não existo." E simplesmente veja como a casa continua. Haverá tremenda paz e silêncio. Tudo continuará como é. Nada estará faltando. Então, qual é o sentido de permanecer sempre ocupado, fazendo alguma coisa, fazendo alguma coisa, obcecado pela ação? Qual é o sentido? Você terá partido e o que quer que você tenha feito desaparecerá - como se você tivesse assinado seu nome na areia, e o vento vem e a assinatura desaparece... e está tudo acabado. Fique como se você nunca tivesse existido. É realmente uma bela meditação. Você pode experimentá-la muitas vezes nas vinte e quatro horas. Apenas meio segundo será suficiente. Por meio segundo, simplesmente pare - você não existe e o mundo continua. Quando você ficar mais alerta para o fato de que sem você o mundo continua perfeitamente bem, então você será capaz de conhecer uma outra parte do seu ser, que tem sido negligenciada por muito tempo, por vidas - o modo receptivo. Você simplesmente permite, você se torna uma porta. As coisas continuam acontecendo sem você.(2)
    • (1) OSHO, Meu Caminho, O Caminho das Nuvens Brancas, # 4. (2) OSHO, The discipline of Transcendence , Vol.4 , # 4 =============================================================== ================== Osho, In "A Divina Melodia", Cap 5, "Seu Lago Reflete a Lua de Deus" "Aquele que é humilde e contente, e que tem uma visão justa, cuja mente está pena de aceitação e tranqüilidade; <...> Seu trabalho e seu descanso estão PLENOS DE MÚSICA: ele irradia o esplendor do AMOR. <...> Vá em companhia do bem, onde O Amado tem a Sua moradia; <...> Diga-me como pôde fazer uma festa de casamento, se o próprio noivo(a) não estava lá? Não vaciles mais, pense apenas no Amado; Não coloque seu coração no culto de outros deuses <...> Kabir delibera e diz: "Assim nunca encontrarás O Amado!" O homem nasce acordado e depois adormece... O homem nasce um indivíduo, depois adormece e sonha que é uma multidão. Aí está todo o problema, toda a missão...: Estamos buscando aquilo que éramos originalmente. Talvez, por ser tão óbvio, tenhamos esquecido. Jesus diz: "A menos que vocês se tornem como CRIANÇAS novamente, não entrarão no meu reino de Deus". Sua indicação é clara: A menos que você recupere a originalidade e vá novamente para a fonte original...<...> O segundo centro é o swadsthana. Quando a criança é saudável e feliz, ela começa a dominar. <...> ela se torna política, começa a sorrir para as pessoas, pois percebe que quando sorri, as pessoas se deixam dominar. Começa a chorar e a gritar <...> Esse é novamente um esforço para se conseguir uma UNIDADE: A unidade entre o dominador e o dominado. Sempre que você domina alguém, de alguma forma, torna-se UNO com ele. Sempre que alguém se rende a alguém, os dois tornam-se UM. Por isso, em todo mundo as pessoas tentam dominar-se mutuamente <...> esposas, maridos, pais, filhos <...> Se você compreender BEM, verá que isso também é uma busca pela unidade. Sempre que você derrota uma pessoa, e se torna o possuidor, você a absorve dentro de seu ser. Esta abertura é um pouco maior que a primeira (a busca do muladhara pela comida, omitida aqui). <...> Os políticos vivem neste segundo centro ... vem, então, o terceiro centro, manipura. Macho e fêmea querem se encontrar, tornar-se UM <...> Se você realmente ama, quer liberdade para você e para a pessoa amada. O amor liberta, dá independência, pois a beleza do amor só existe quando há liberdade. Não é uma
    • dominação; é um compartilhar, uma resposta, os dois estão felizes em compartilhar suas energias. Quando um homem e uma mulher se encontram e tem um orgasmo, eles têm um PRIMEIRO vislumbre, ainda distante, do DIVINO. Daí toda a atração pelo sexo, todo o profundo desejo pelo orgasmo sexual, porque o UNO está refletido ali, talvez por um momento, ou nem mesmo por um momento, mas por uma fração de segundo... apenas um vislumbre rápido... MAS DEUS É ENTREVISTO. O viciado em comida (sobre o manipura chakra) está muito distante, não percebe nada. O viciado em poder (sobre o swadsthana chakra) é muito feio, muito agressivo, muito turbulento; não pode vislumbrar nada. Mas num caso amoroso profundamente sexual, Deus já pode penetrar pela primeira vez em você. O primeiro raio do SAMADHI entra com o orgasmo sexual. Na verdade, o homem chega a pensar em samadhi só por causa do orgasmo sexual. Trata-se de um momento em que ele se torna consciente da benção que é duas pessoas se encontrarem tão PROFUNDAMENTE que se DISSOLVEM uma na outra. <...> como por um milagre, elas começam a pulsar como um só centro (chakra), não são mais dois corações, tornam-se UM. Surge um ritmo, as duas pessoas entram em sintonia. <...> No segundo centro (poder, domínios do segundo chakra) você tenta fazer com que alguém se renda a você, e o outro tenta fazer com que você se renda a ele. No terceiro centro, ambos se rendem a alguma coisa que está além dos dois. AMBOS se rendem ao Deus do AMOR. <...> Muladhara é material, o primeiro centro. Swadsthana, o segundo centro, é vital. O terceiro, manipura, é psicossomático; é a unidade mais alta do mundo mais baixo; é momentânea, mas de grande significado. O quarto centro (para o qual precisaria ir, saindo do SOL, matéria, poder e sexo dos três primeiros) é o anahata; vai ALÉM da sexualidade (sem negá-la), torna-se AMOR PURO. quando você vê uma flor e seu coração pulsa com ela, não há sexualidade... não há antagonismo. <...> O amor vai ALÉM DA POLARIDADE, o sexo permanece abaixo. O sexo necessita do oposto, o amor não. <...> COM OS OPOSTOS A HARMONIA NÃO PODE SER TOTAL. Os "amantes" (deste nível, opostos) estão sempre lutando. São inimigos íntimos <...> Com o amor, a polaridade desaparece. O amor é mais como uma amizade. O amor está além dos opostos, por isso a unidade é mais profunda. Este é o quarto chakra,o anahata, o chakra do coração. NESTE QUARTO CENTRO, VOCÊ SE TORNA REALMENTE HUMANO. Até o terceiro, você era um animal no meio dos outros, nada mais. No quarto, você se torna especial, único: NASCE A HUMANIDADE, você se torna um ser humano. <...> No sexo há um tomar e dar; no AMOR, você SIMPLESMENTE SE DERRAMA. Você não pede, não há o que pedir. E você recebe mil vezes mais, sem pedir nada. Tudo vem por si mesmo: a existência inteira lhe devolve, como um eco. No quarto dentro existe novamente uma unidade: o mais baixo e o mais alto se encontram. Lembre-se destas unidades, porque pouco a pouco estamos caminhando para NOS TORNARMOS
    • UM. <...> No centro do coração, Deus encontra o mundo ... a mente encontra a não-mente. A menos que seu coração comece a funcionar, você não saberá qual o propósito da vida. Com o coração, inicia-se o mais alto. Vastos espaços se abrem. Você começa a sair do túnel. Anahata é uma grande janela; torna você acessível ao céu, e o céu acessível a você ... Em anahata, no amor, O SEXO E A PRECE SE ENCONTRAM ... O amor é um grande mistério. Tem algo do sexo, e algo da prece. Por isso, não existe mistério que possa ser comparado ao AMOR. No amor, a prece e o sexo se encontram ... Quando você olha pela primeira vez uma bela mulher, pode haver reverência e respeito, como se você estivesse olhando a face de Deus. Quando você olha nos olhos de uma mulher, de repente, uma porta se abre para o misterioso. Nesse momento, você não está pensando em termos de sexo ou de corpo físico; não está preocupado com isso. Alguma coisa mais alta o desafia. Então você se apaixona, e aos poucos se esquece do mais alto e entra no mais baixo. <...> As pessoas caem, muito raramente sobem, quando estão amando. Lembre-se: Se você está ALERTA, pode ajudar-se a não cair, e sim a subir. Então o AMOR pode tornar-se UMA PRECE. (sobre o vishudda, o centro seguinte:) Às vezes você ora a Deus, às vezes Deus ora para você ... Da mesmo forma que uma mãe canta uma canção de ninar para o filho, Deus também canta uma canção de ninar. Mas você tem que MERECER isso. Quando sua prece foi ouvida, quanto realmente você colocou TODO O SEU CORAÇÃO e se esqueceu de você completamente, então, de repente, a prece não é mais uma expressão sua. Você começa a ouvir... DEUS COMEÇA A ORAR. O de dentro e o de fora se encontram. Então, chega-se ao sexto chakra, o da meditação. É o chakra do terceiro olho, ajña chakra. O esquerdo e o direito se encontram. A razão e a intuição (sol e lua), o masculino e o feminino, o YIN e YANG se encontram... No terceiro centro, o homem e a mulher se encontram no plano físico, de fora. No sexto, o masculino e o feminino novamente se encontram, mas no lado de dentro. Esse terceiro olho é muito sombólico: significa que seu olho esquerdo e direito (masculino e feminino, yin e yang) se dissolvem em um só olho. Agora você tem dois olhos, DOIS SERES. Depois terá um só olho (um só ser). Jesus falou algo de tremenda importância: "Se tiveres um único olho, todo o seu corpo estará cheio de luz". A imaginação vem do direito, a razão vem do esquerdo ... Feminino e masculino, ligados apenas por um ponto mínimo (kutashta). No sexto centro, ajña (frontal), os dois se encontram e se TORNAM UM. Então SUA RAZÃO NÃO SERÁ MAIS CONTRA A INTUIÇÃO, nem sua imaginação contra a lógica. Ambas andam juntas. <...> Os maiores místicos do mundo sempre foram os mais lógicos também. Shankara, Nagarjuna foram grandes lógicos, mas ao mesmo tempo, ilógicos. Eles vão até onde é possível ir com a lógica (com o yang, com o sol) e então, de repente, dão um salto quantitativo e dizem: "Até este ponto a lógica ajuda, daqui em diante, ela não serve mais".
    • ( Tire o sol daqui, tire o sol de lá, deixe o espelho das águas, e o clarão da lua !!!) Essa é a maior unidade. E quando, no sexto centro, seu feminino e masculino, seu yin e yang, (sol e lua) se encontram, você se torna um. <...> o sétimo, sahashara, é o chakra do samadhi, o supremo êxtase, o orgasmo total. Agora, a parte e o todo se encontram, a alma e Deus, você e tudo se encontram... Você desaparece num orgasmo total. <...> Todos os sete chakras são caminhos para o orgasmo. (comida, poder, sexo, sentimentos, prece, união, fusão) Nestes sete planos acontecem sete tipos de orgasmo. Por orgasmo quero dizer a experiência da UNIDADE. O supremo acontece no sétimo chakra, o sahashara, quando o ego individual se dissolve completamente no todo cósmico. Esse é o orgasmo total, a meta, a fonte. Seu trabalho e descanso estão plenos de música; ele irradia o esplendor do amor. Antes disso, o amor era apenas um reflexo. Se você ama a comida, este é o primeiro reflexo. Se você ama o poder, é o segundo. Se ama um homem ou uma mulher, é o terceiro. Se simplesmente ama, é o quarto, e assim por diante. No sétimo, você não ama - você torna-se AMOR. Agora, o amor não é mais um relacionamento com alguma coisa, seja a comida ou Deus. Agora, o AMOR É SEU ESTADO DE SER. VOCÊ É AMOR. Jesus disse: "Deus é amor". Então, não há possibilidade de ser outra coisa; O AMOR É SEU ESTADO DE SER. (Trechos editados de Osho, in "A Divina Melodia", Capítulo 5, SEU LAGO REFLETE A LUA DE DEUS) Om Prema!!! Lázaro Freire =============================================================== =================== Oi gentis! Mais uma técnica sugerida pelo barbudinho, e está também já foi sugerida e passada pelo Wagner no IPPB... ... E aí, já meditou hoje? :0) Keep Rockin'! Om sattva! Pablo
    • MEDITAÇÃO DO HARA Método: Sempre que você não tiver nada a fazer, simplesmente sente-se silenciosamente e vá para dentro do espaço do hara, duas polegadas abaixo do umbigo, e permaneça lá. "Tornar-se consciente desse centro vai ajudá-lo tremendamente. Assim, quanto mais você permanecer lá, melhor - isso criará um grande centramento nas suas energias de vida. Você simplesmente tem de começar a olhar para dentro dele e ele começará a funcionar. Você começará a sentir que a vida como um todo move-se em torno daquele centro. É no hara que a vida começa e é no hara que a vida termina. Todos os nossos outros centros do corpo estão muito longe; o hara está exatamente no centro - é lá que estamos estabilizados e enraizados. Dessa forma, quando nos tornamos conscientes do hara, muitas coisas começam a acontecer. "Por exemplo, haverá menos pensamentos, porque a energia não se moverá para a cabeça, ela irá para o hara. "Quanto mais você pensar no hara, quanto mais você se concentrar lá, mais você perceberá uma disciplina surgindo em você. Isso vem natutalmente; não tem de ser forçado. "Quanto mais consciente do hara você estiver, menos medo da vida e da morte você terá porque o hara é o centro da vida e da morte. Quando você se torna sintonizado no hara, você pode viver corajosamente. A coragem surge de lá: menos pensamentos, mais silêncio, menos momentos descontrolados, uma disciplina natural, coragem e enraizamento, uma conexão com a terra." OSHO, This is it, # 8 =============================================================== =================== Oi gentis!!! Aí vão mais duas técnicas sugeridas pelo barbudinho maleta. Expertinho ele com essa história de sorrir a partir da barriga... hehehe Meio alí no Manipura... malandro... Esta eu uso para momentos em que vc quer literalmente enforcar alguém do trabalho... ksksksks! Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo SORRISO INTERIOR
    • QUANDO: Sempre que você estiver sentado e não tiver nada para fazer. ESTÁGIO I: Relaxe o maxilar inferior e deixe sua boca levemente aberta. Comece a respirar pela boca, mas não profundamente. Simplesmente deixe o corpo respirar, de modo que a respiração se torne cada vez mais superficial. E quando você sentir que a respiraração se tornou bem superficial, com sua boca aberta, o maxilar relaxado, todo o seu corpo se sentirá muito relaxado. ESTÁGIO II: Neste momento, comece a sentir um sorriso - não no seu rosto, mas em todo o seu ser - e você será capaz de senti-lo. Não é um sorriso que vem dos lábios. É um sorriso existencial que se espalha pelo seu interior. Tente e você saberá o que é, porque ele não pode ser explicado. Não há nenhuma necessidade de sorrir com os seus lábios. É como se você estivesse sorrindo a partir da barriga. E é um sorriso, não um riso; assim, é algo muito, muito leve, delicado, frágil - como se um pequeno botão de rosa estivesse se abrindo na barriga e a fragrância se espalhando por todo o corpo. Uma vez que você tenha conhecido o que é esse sorriso, você pode permanecer feliz por vinte e quatro horas. E sempre que você sentir que está perdendo a felicidade, apenas feche os olhos e se apodere daquele sorriso novamente, e ele estará aí. E, durante o dia, quantas vezes você quiser, você poderá se apoderar dele. Ele estará sempre aí. Osho,O Livro Orange. RESPIRANDO PELA BARRIGA Comece relaxando o estômago e respirando pela barriga. Faça disso uma prática. Deitado na cama, antes de dormir, por três ou quatro minutos, respire pela barriga. De manhã, quando acordar, respire pela barriga. Faça isso sempre que se lembrar. Sinta mais a sua barriga. OSHO, Be Realistc, Plan For a Miracle, # 3 =============================================================== ================== Generosidade - Osho A generosidade é a verdadeira riqueza. E para ser generoso, para partilhar, você não precisa de muita coisa. Para ser generoso, você só precisa partilhar qualquer coisa que tenha. Você pode não ter muito - essa não é a questão. Quem tem muito? Quem pode alguma vez ter o bastante? Nunca é muito, nunca é o bastante. Você pode não ser absolutamente nada, pode ser apenas um mendigo da rua, mas ainda assim pode ser generoso.
    • Você não pode sorrir quando um estranho passa? Você pode sorrir, pode dividir seu ser com o estranho, e então você é generoso. Você não pode cantar quando alguém está triste? Você pode ser generoso - os sorrisos nada custam. Mas você ficou tão miserável que, mesmo antes de sorrir, pensa três vezes: sorrir ou não sorrir? Cantar ou não cantar? Dançar ou não dançar - aliás, ser ou não ser? Partilhe seu ser, se você não tiver nada; essa é a maior riqueza - todos nascem com ela. Partilhe seu ser! Estenda sua mão, dirija-se ao outro com amor no coração. Não considere ninguém como um estranho. Ninguém o é; ou todos são. Se você partilha, ninguém é; se não partilha, todos são. Você pode ser alguém muito rico, mas um miserável, se não partilha. E então seus próprios filhos são estranhos, então sua própria esposa é uma estranha - porque como pode alguém se encontrar com um homem miserável? Ele está fechado, já está morto no seu túmulo. Como pode você caminhar em direção a um homem miserável? Se o fizer, ele foge. Está sempre com medo, porque sempre que alguém se aproxima, o compartilhar começa. Até um aperto de mão a pessoa miserável sente que é perigoso, porque, quem sabe? - uma amizade pode nascer daí, e então existe perigo. Uma pessoa miserável está sempre alerta, em defesa, para não permitir que alguém chegue muito perto. Ela mantém todos à distância. Um sorriso é perigoso porque quebra as distâncias. Se você sorri a um mendigo na rua, a distância é quebrada, ele já não é um mendigo, tornou-se um amigo. E, então, se ele estiver com fome, você terá que fazer alguma coisa. É melhor ficar sem sorrir, é mais seguro, mais econômico, menos perigoso - nenhum risco nisso. Não é uma questão de partilhar alguma coisa, mas de simplesmente partilhar - qualquer coisa que você tenha! Se você não tem outra coisa, tem ainda um corpo quente - você pode se sentar perto de alguém e dar-lhe seu calor. Você pode sorrir, dançar, cantar, rir e ajudar o outro a rir. E quando duas pessoas riem juntas, seus seres se tornam um nesse momento; quando duas pessoas sorriem juntas, subitamente toda a distância se dissolve vocês estão conectados. Portanto, não pense que para ser generoso você precisa ser rico. É exatamente o contrário: se você quer ser rico, seja generoso. E tantas riquezas estão disponíveis sempre, tantas dádivas você traz com sua vida e leva outra vez quando morre. Você podia ter partilhado e, com isto, poderia ter consciência do quanto a existência o faz rico e como você vive pobre. E quanto mais você partilha, mais seu ser começa a fluir. Quanto mais ele flui, mais e mais novas fontes alimentam o rio, e você permanece renovado. Somente um ser humano generoso é renovado. Um ser humano não-generoso, fechado, miserável, torna-se sujo - está propenso a ficar assim. Exatamente como um poço. Ninguém o usa, o poço não tem possibilidade de dar sua água a ninguém; então, o que
    • acontecerá com ele? Novas fontes não o estarão suprindo, porque não há necessidade. A água velha ficará cada vez mais e mais suja; o poço inteiro estará morto. Águas frescas não estarão chegando até ele. É assim que tem acontecido a muitos de vocês. Convide as pessoas a compartilhar de você. Convide as pessoas a beber de você. Esse é o significado do que Jesus diz: "Bebam de mim! Comam de mim"! Quanto mais você se alimenta dele, mais Jesus cresce. Quanto mais você bebe dele, mais as águas frescas fluem. As riquezas que a vida lhe doou não são limitadas, mas só um ser humano generoso pode saber disso. Elas são ilimitadas. Você não é uma companhia de recursos limitados, mas de recursos ilimitados. Atrás de você, o Divino está escondido. Ninguém pode exauri-lo. Cante quantas canções puder, e você não será exaurido; até pelo contrário, melhores e melhores canções virão. Osho Extraído do livro: "Antes que você morra" da Editora Madras =============================================================== =================== Oi gentis! Observar como alguns conceitos básicos, como PENSENE, são passados de maneira bem simples neste discurso para os nossos amigos norte americanos. Keep Rockin'! Om Sattva Pablo Comunicação Telepática Quando você pensa sobre alguma coisa, um tipo particular de vibração o rodeia. Esta é a razão porque, às vezes, quando se está perto de uma determinada pessoa, sente-se triste por nenhuma razão aparente. Por outro lado, na companhia de outra pessoa, você pode se sentir alegre de repente. Os poderes da mente se desenvolvem mais e mais à medida que vamos para dentro, e se dissipam quando vamos para fora... Até agora, os pensamentos não foram considerados como tendo uma existência física, mas é um fato que, quando você pensa um tipo particular de pensamento, as vibrações ao seu redor mudam de acordo. É interessante notar que não apenas pensamentos mas até mesmo palavras têm as suas vibrações. Se você espalhar partículas de areia sobre um vidro plano e entoar AUM alto, o padrão
    • causado pela vibração do som será diferente do padrão causado por entoar RAM. Você se surpreenderá em saber que quanto mais alto um insulto for proferido, mais feio é o padrão formado, e quanto mais bela a palavra, mais belo será o padrão da sua vibração. Assim, por milhares de anos foram feitas pesquisas para encontrar palavras que produzem belas vibrações e se considerou se o seu impacto era suficiente para bater no coração. As palavras são pensamentos manifestados. Entretanto, palavras não manifestadas também carregam uma ressonância e nós as chamamos de "pensamentos". Quando você pensa sobre alguma coisa, um tipo particular de vibração o rodeia. Esta é a razão porque, às vezes, quando se está perto de uma determinada pessoa, sente-se triste por nenhuma razão aparente. Pode ser que esta pessoa não tenha emitido uma única palavra negativa, e talvez até ela esteja rindo e feliz de tê-lo encontrado. Ainda assim, uma tristeza toma conta de você por dentro. Por outro lado, na companhia de outra pessoa, você pode se sentir alegre de repente. Você entra numa sala e pode sentir uma mudança repentina dentro de si. Alguma coisa sagrada ou profana toma conta de você. Em alguns momentos, você está rodeado de paz e tranqüilidade e, em outros, de inquietude. Você não consegue entender e se pergunta, "Eu estava me sentindo muito em paz. Por que essa inquietude de repente surgiu na minha mente?" Existem ondas de pensamento em todo o seu redor e elas se continuam entrando em você durante as 24 horas. Você pode tentar um simples experimento em casa. Crianças pequenas pegas as ondas de pensamento muito rapidamente porque a receptividade delas é muito aguda. Coloque uma criança sentada num quarto escuro num canto e diga a ela para se concentrar em você por cinco minutos. Diga a ela que você vai lhe contar alguma coisa em silêncio e ela deve tentar ouvir. Se ela ouvir, deve repetir o que ouve. Então você escolhe uma palavra, por exemplo, "Ram." Agora concentre-se na criança e repita essa palavra dentro de si mesmo até que ela ressoe em você. Não fale alto. Em dois ou três dias, você verá que a criança pegou a palavra. O reverso também pode acontecer. Uma vez que o experimento seja bem sucedido, será fácil realizar outros testes. Agora você pode dizer para a criança se concentrar em você. Ela deve pensar numa palavra e jogá-la na sua direção da mesma maneira. Com a primeira parte do experimento, a sua dúvida se desfez quando a criança pegou a sua palavra. Agora você estará receptivo e pegará a palavra da criança. Quando o experimento for bem sucedido, você não terá duvidas e a sua receptividade crescerá de acordo com isso. Osho =============================================================== ================== Oi gentis!
    • Não se pode definir o amor, faltam palavras, mas dá para sentir o amor... Será?! ... Em momentos de meditação, quietude, em trabalhos de energia específicos temos uma idéia do que possa ser o amor, falamos sobre as impressões que temos do que é este amor. E sobre este nosso "sentimento", que para mim é mais emoção, ao qual chamamos de amor, faltam muitas referências ou será que pecamos pelo excesso delas?? :o) A coisa piora um pouco quando resolvemos direcionar este amor para os nossos relacionamentos pessoais. Posso dizer com certeza que todo mundo se confunde... e nós espiritualistas mais ainda, pois temos a "nítida" certeza de que somos privilegiados pois temos uma "visão" melhor do que é o amor... Confundimos tudo!! Entendemos que carência + dependência + falta de amor próprio fazem a formula perfeita para o amor... Duvidam?! Traduzindo: Consideramos que se sentimos "patologicamente" a falta de alguém + não conseguimos estar bem se o ser "amado" não está presente + ficamos completamente arrasados se somos "abandonados" por alguém (até pensamos em mudar de plano dimensional...) = amor... E o pior consideramos como "romântico" tudo isso ... Socorro!!!! kekekekekee!!! Outro exemplo: É engraçado como tentamos destruir tudo o que "amamos". Tentamos muito mudar o que não nos agrada no outro, ou seria o que vemos refletido através do outro? Vamos pegar o ciúme por exemplo... eu sinceramente não compreendo como ciúmes pode ser relacionado ao amor... Quando se sente ciúmes de algo ou de alguém, na verdade estamos com medo de perder o objeto de nosso suposto "amor" para outra pessoa. Agora, "medo" e "amor" não são sinônimos, então como medo pode ser confundido com amor? Detalhe importante, quem sente medo de perder algo? A Essência ou o ego? Quem não aceita a possíbilidade de ser "trocado"? A divindade em nós ou o ego? E quem nunca sentiu ciúmes que atire a primeira pedra... kekekeke.
    • Temos medo que nossos parceiros se relacionem sexualmente com outras pessoas e por isso criamos muralhas e presídios para aprisionar o ser amado. Como pode? Ao invés de amarmos nos tornamos detetives... As vezes, obssessores encarnados vasculhando cada mísero detalhe para que a nossa mente se delicie e encontre a tão procurada "prova" de algo... Afinal: "Eu sabia!!" kekekeke... Cercamos e criamos campos minados para aprisionar, mas até parece que se realmente o nosso parceiro quiser ele/ela não vai "pular a cerca", nada poderá impedí-lo. O que há de se fazer?? O jeito é partir para outra... com o peito aberto e a auto estima bem colocada. Queremos nos garantir e criar garantias a toda a prova contra possíveis frustrações. A única "garantia" que temos é o amor, na verdade a busca por este sentimento que tanto confundimos e que se faz tão simples. Se cada dia nos ocupássemos mais em descobrir o que o amor não é, ao invés de nos preocupar com emoções grossas, que só nos afundam, com certeza estaríamos nos vacinando contra esta insanidade coletiva,... O ciúme, esta doença que muitos confundem e insistem em chamar de amor... Muitos podem achar que amor não se aprende, se sente, sendo assim como se sente algo que tentamos intelectualizar a toda hora? Já que a cada minuto formatamos nossas impressões e criamos conceitos sobre o amor. Amar se aprende sim ou melhor se desaprende a cada dia, a cada hora, a cada troca... Devemos esquecer nossas referências para permitir uma total entrega, devemos desaprender a "amar" para encontrar o amor de verdade... O amor é uma busca, só as carências vem de graça... E quando a esmola é de mais... e se o santo não desconfiar...aí temos problemas hehehehe... Se me permitem escrever, posso dizer muito sobre o que o amor não é, pois se tentar dizer ou escrever sobre ele, com certeza não estarei falando sobre o amor... Mas se colocarmos um pouquinho de sentimento naquilo que escrevemos/dizemos aí a coisa muda de figura...O amor é por si só, sem pretensão nenhuma... Ele nem ao menos quer existir ele é... Ele não precisa gritar aos quatro cantos do mundo, pois ele já está lá... Quem precisa gritar... são as carências... só para ver se alguém ouve...e o pior, tem sempre alguém para ouvir... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo (Chato, cheio de defeitos, mas que está a cada dia tentando aprender a amar melhor e de verdade). Julgamento e Amor "O julgamento é feio - ele fere as pessoas. Por um lado, você vai machucando, ferindo-as;
    • e por outro lado, você quer o amor delas, seu respeito. Isso é impossível. Ame-as, aceite-as e, talvez, seu amor e respeito possa ajudá-las a mudar muitas de suas fraquezas, muitas de suas falhas - porque o amor lhes dará uma nova energia, um novo significado, uma nova força. O amor lhes dará novas raízes para se erguerem contra os ventos fortes, um sol quente, as chuvas fortes. Se apenas uma única pessoa o ama, isso o faz tão forte, que você nem pode imaginar. Mas, se ninguém o ama neste vasto mundo, você fica simplesmente isolado; então, você pensa que é livre, mas você está vivendo numa cela isolada em uma cadeia. É que a cela isolada é invisível; você a carrega consigo. O coração abrirá por si mesmo. Não se preocupe com o coração. Simplesmente faça o trabalho preliminar." Milhões de pessoas estão sofrendo: eles querem ser amados, mas eles não sabem amar. E o amor não pode existir como um monólogo; ele é um diálogo, um diálogo muito harmonioso. OSHO - The Transmission of the Lamp, # 1 =============================================================== ==================== Om Sattva! Pablo Total Relaxamento é Meditação Total relaxamento é o definitivo. Este é o momento quando uma pessoa se torna um buda. Este é o momento da realização, da iluminação, da consciência de Cristo. Você não pode ser totalmente relaxado exatamente agora. No núcleo mais profundo, uma tensão irá persistir. Mas comece a relaxar. Comece da circunferência - aí é que nós estamos, e somente podemos começar de onde estamos. Relaxe a circunferência do seu ser - relaxe seu corpo, relaxe seu comportamento, relaxe seus atos. Caminhe de uma maneira relaxada, coma de uma maneira relaxada, fale, escute de uma maneira relaxada. Diminua a velocidade de todos os processos. Não fique com pressa e não se precipite. Mova-se como se toda a eternidade estivesse disponível para você - de fato, está disponível para você. Nós estamos aqui desde o princípio e estaremos aqui até o próprio fim, se houver um princípio e houver um fim. De fato, não há princípio e não há fim. Nós sempre estivemos aqui e sempre estaremos aqui. As formas continuam mudando, mas não a alma. A tensão significa pressa, medo, dúvida. A tensão significa um constante esforço para proteger, para estar seguro, para estar a salvo. A tensão significa se preparar para o
    • amanhã agora, ou para o depois da vida -- com medo de que amanhã, você não seja capaz de encarar a realidade, então, esteja preparado. A tensão significa o passado que você ainda não viveu realmente, mas somente passou ao largo, de alguma forma; ele perdura, é uma ressaca, ele o rodeia. [...] Você terá que relaxar a partir da circunferência. O primeiro passo no relaxar é o corpo. Lembre-se tantas vezes quantas for possível para observar o corpo, se você está carregando uma tensão no corpo, em algum lugar no pescoço, na cabeça, nas pernas. Relaxe-o conscientemente. Apenas dirija-se àquela parte do corpo e convença aquela parte, diga-lhe amorosamente, "Relaxe!" E se surpreenderá de que se você se aproxima de qualquer parte do seu corpo, ele escuta, ele o segue -- é o seu corpo! Com olhos fechados, vá para dentro do corpo do dedão do pé à cabeça procurando por qualquer lugar onde exista uma tensão. E, então, fale com aquela parte como a um amigo; deixe existir um diálogo entre você e seu corpo. Diga-lhe para relaxar, e diga a ele, "Não há nada com que se preocupar. Não tenha medo. Eu estou aqui para tomar cuidado -- você pode relaxar." Pouco a pouco, você aprenderá o clique disto. Então, o corpo se torna relaxado. Então, dê outro passo, um pouco maior; diga à mente para relaxar. E se o corpo escuta, a mente também escuta, mas você não pode começar com a mente -- tem que começar do princípio. Não pode começar do meio. Muitas pessoas começam com a mente e falham; elas falham porque começaram de um lugar errado. Tudo deve ser feito na ordem certa. Se você se torna capaz de relaxar o corpo voluntariamente, então será capaz de ajudar sua mente a relaxar voluntariamente. A mente é um fenômeno mais complexo. Uma vez que tenha se tornado confiante de que o corpo lhe ouve, terá uma nova confiança em si mesmo. Agora, até mesmo a mente pode lhe ouvir. Levará um pouco mais de tempo com a mente, mas acontece. Quando a mente estiver relaxada, então comece a relaxar o seu coração, o mundo dos sentimentos, emoções -- que é até mais complexo, mais sutil. Mas agora você estará se movendo com confiança, com grande confiança em si mesmo. Agora, você saberá que é possível. Se é possível com o corpo e é possível com a mente, é possível com o coração também. E somente então, quando tiver dado estes três passos, você pode dar o quarto. Agora, pode ir ao núcleo mais profundo do seu ser, que está além do corpo, mente, coração; o próprio centro da sua existência. E você será capaz de relaxar lá também. E este relaxamento certamente traz a maior alegria possível, o derradeiro em êxtase, aceitação. Você estará cheio de bênçãos e regozijando. A sua vida terá a qualidade da dança nela. [...] Mas comece com o corpo e então vá, pouco a pouco, mais fundo. E não comece com nenhuma outra coisa mais, a menos que tenha, primeiro, resolvido o mais básico. Se o seu corpo estiver tenso, não comece com a mente. Espere. Trabalhe com o corpo. E
    • simplesmente coisas pequenas são de imensa ajuda. Você caminha com um certo passo; isto se tornou habitual, automático. Agora tente caminhar vagarosamente. Buda costumava dizer a seus discípulos, "Caminhem muito vagarosamente, e dêem cada passo muito conscientemente." Se você der cada passo muito conscientemente, está fadado a caminhar lentamente. Se você estiver correndo, com pressa, esquecerá de se lembrar. Por esta razão, Buda caminha muito vagarosamente. Apenas tente caminhar muito vagarosamente, e se surpreenderá - uma nova qualidade de percepção começa a acontecer no corpo. Coma vagarosamente, e se surpreenderá - há um grande relaxamento. Faça tudo vagarosamente... apenas para mudar o antigo padrão, apenas para sair de hábitos antigos. Primeiro, o corpo tem que se tornar completamente relaxado, como uma criança pequena; somente então comece com a mente. Mova-se cientificamente: primeiro o mais simples, então o complexo, então o mais complexo. E somente então você pode relaxar no centro definitivo... Osho em The Dhammapada, volume 10, #8 =============================================================== =================== Om Sattva! Pablo Astrologia: Uma Porta para Religiosidade É preciso que alguns assuntos sejam entendidos. Primeiro é necessário saber que, do ponto de vista científico, todo o sistema solar nasceu do sol. A Lua, Marte, Júpiter e todos os outros planetas, incluindo esta Terra, são todos partes orgânicas do sol. Lentamente, a vida brotou na Terra - das plantas ao homem. O homem é uma parte orgânica da Terra, a Terra é uma parte orgânica do sol. É como uma mãe que tem uma filha, que por sua vez também tem uma filha e em todos os três flui o mesmo sangue. Seus corpos são feitos de células similares. Os cientistas usam a palavra "empatia" significando sensibilidade compartilhada. Estas coisas que nasceram da mesma fonte possuem um tipo de experiência interior compartilhada. A Terra brotou do sol e nossos corpos brotaram da Terra, e lá bem distante, o sol é o nosso grande avô. Tudo que acontece no sol cria uma vibração em cada célula de nossos corpos. Tem que ser dessa forma porque nossas células nasceram do sol. O sol parece estar a uma grande distância, mas ele não está tão longe. Em todo elemento de nosso sangue e em cada partícula de nossos ossos vivem os átomos do sol. Somos partes do sol, assim não é de admirar que nossas vidas sejam influenciadas por ele. Existe uma espécie
    • de empatia entre nós e o sol. Se entendermos corretamente essa empatia, podemos penetrar numa dimensão da astrologia. Ontem falei para vocês sobre gêmeos. Alguns experimentos sobre empatia podem ser conduzidos quando gêmeos nascidos do mesmo ovo são colocados em quartos separados. Durante os últimos cinqüenta anos muitos desses tipos de experimentos foram realizados. Gêmeos foram colocados em quartos separados, uma campainha tocava e era dito para as crianças escreverem ou desenharem qualquer que fosse seu primeiro pensamento quando a campainha tocasse. Isso foi repetido vinte vezes e foi observado com grande admiração que noventa por cento das pinturas desenhadas pelos gêmeos eram semelhantes. O fluxo de pensamentos produzido em uma criança ao toque da campainha, e a palavra ou desenho trazido por esse pensamento era semelhante a do outro gêmeo. Essa similaridade da experiência é descrita pelos cientistas como empatia Há tanta similaridade entre gêmeos que eles vibram igualmente. Dentro dos corpos dessas duas crianças há uma comunicação ou um diálogo íntimo que flui através de canais desconhecidos. Entre o sol e a Terra também há pontes de comunicação como essa e a todo o momento mensagens estão passando através dessas pontes. E semelhantemente, pontes de comunicação existem entre a Terra e o homem. Portanto há uma comunicação contínua entre o homem, a Terra e o sol. Mas essa comunicação é muito misteriosa; ela é sutil e interior. Vamos também tentar entender alguma coisa disso. Há um centro de pesquisa na América conhecido como Centro de Pesquisas Três Anéis. Se você cortar uma árvore, você irá encontrar um número de anéis ou círculos visíveis sobre a superfície cortada. Os belos desenhos decorativos na superfície dos móveis de madeira são devidos a esses círculos. Esse centro de pesquisa dedicou os últimos cinqüenta anos trabalhando no estudo da formação desses círculos. Professor Douglas, o diretor do centro, que passou a maior parte de sua vida estudandoos, descobriu uma série de fatos. Normalmente, todos sabemos que a idade de uma árvore pode ser calculada pelo número desses círculos. Todo ano surge um novo anel; uma nova camada é feita dentro da árvore a cada ano. Se a árvore tiver cinqüenta anos de idade, se ela viu cinqüenta outonos, então cinqüenta anéis se formaram dentro da árvore. Mas é surpreendente saber que estes anéis também indicam o tipo de estações que ocorreu num certo ano. Se as estações foram mais quentes ou mais úmidas que o normal, a formação do anel é mais larga. Se as estações foram mais frias e secas, o anel não será tão largo. É possível saber quando caíram fortes chuvas, quando houve seca e quando às estações foram muito frias. Se Buda tivesse dito que boas chuvas caíram num certo ano, a árvore bodhi, sob a qual ele costumava sentar-se, confirmaria a verdade disso. Buda pode ter cometido um
    • engano, mas não a árvore. O anel da árvore será mais largo ou mais estreito, indicando o tipo de estação daquele ano em particular. Enquanto conduzia sua pesquisa, o Professor Douglas chegou à outra conclusão que estava muito além de qualquer coisa que ele pudesse ter previsto. Ele observou que os anéis são mais largos a cada onze anos -e a cada décimo primeiro ano há um máximo de atividade nuclear no sol; o sol se torna mais ativo. É como se o sol tivesse um ritmo periódico e então sua radiatividade chega ao máximo. Durante tal ano a árvore faz um anel mais largo - não numa floresta ou num lugar ou país, mas por toda a Terra todas as árvores comportam-se similarmente a fim de se protegerem da radiatividade intensificada. Para se proteger do poder excessivo que é liberado pelo sol, a árvore produz uma casca mais grossa a cada onze anos. Devido a esse fenômeno, os cientistas cunharam uma nova frase: "clima global". As estações são diferentes em lugares diferentes: estará chovendo num lugar, fazendo frio noutro e calor em algum outro lugar; e a idéia de haver um clima global nunca existiu antes. Portanto, se referindo aos efeitos desse décimo primeiro ano, o Professor Douglas cunhou o termo "clima global". E embora não o percebamos, as árvores o percebem. Há um decréscimo gradual na largura dos anéis das árvores que são formados após o décimo primeiro ano e após cinco anos há novamente um crescimento gradual na largura até o décimo primeiro ano. Se as árvores são tão sensíveis a ponto de gravar cuidadosamente um evento acontecendo no sol, então não seria possível que na mente do homem também houvesse alguma camada... Que o corpo do homem tivesse uma sensibilidade sutil a atividade do sol que produza ondulações em sua psique? Até agora os cientistas não foram capazes de claramente encontrar quaisquer efeitos no corpo do homem - ainda assim parece impossível que o corpo não pudesse gravar tal atividade. A astrologia é uma investigação da possibilidade de que tudo que acontece em algum lugar do universo também afeta o homem. Mas não é tão fácil investigar o corpo do homem porque este não pode ser aberto como uma árvore. Para abrir um ser humano é algo muito delicado e perigoso. E devido a que o homem tem uma mente, não é o corpo que registra eventos dessa maneira, mas a mente. A árvore não possui tal mente e assim seu corpo tem que registrar os eventos. Mais um ponto vale a pena notar. Assim como há tempestades radiativas no sol a cada onze anos, há similarmente outro ritmo periódico de noventa anos no sol. Isso só veio à luz recentemente, mas é um fato científico, e é tão surpreendente quanto o ritmo periódico que ocorre a cada onze anos. Os astrólogos não mencionam nada a esse respeito, mas estou lhes dizendo para facilitar a vocês entenderem a astrologia de uma maneira científica. Há um ciclo de noventa anos que tem sido pesquisado, e sua história é muito surpreendente.
    • Quatro mil anos atrás, um faraó Egípcio falou para seus cientistas para manter um registro com relação à freqüência das águas do Rio Nilo que crescem e decrescem, e em que quantidade. O Rio Nilo é o único rio no mundo com uma "biografia" de quatro mil anos. Um registro foi mantido de quando o nível das águas do rio cresce ou decresce por pelo menos uma polegada. Esse registro vem dos tempos dos faraós, quatro mil anos atrás, até os dias de hoje. "Faraó" é o nome dado a um imperador Egípcio e na linguagem Egípcia significa o sol. Havia uma crença no Egito que existe um diálogo contínuo entre o sol e o Rio Nilo. Os faraós, que eram devotos do sol, proclamaram que um registro completo do Nilo devia ser mantido. Eles disseram: "Nada sabemos sobre o sol no presente, mas um dia saberemos, e esse registro será útil". Assim, por quarto mil anos, tudo sobre o Rio Nilo foi registrado: o aumento do nível das águas, quando ocorreram inundações e quando não ocorreu nenhuma... E um estudante Egípcio, Tasman, compilou sua história. Algumas coisas que não eram conhecidas nos tempos dos faraós são agora conhecidas, e tudo que aconteceu no Nilo foi comparado com eventos no sol. Um ritmo de noventa anos foi claramente indicado relacionado a acontecimentos no sol. Estes eventos são muito similares ao que chamamos de nascimento e morte. Entenda dessa maneira: o sol é vigoroso por quarenta e cinco anos e então começa a declinar, a envelhecer, por quarenta e cinco anos. Por quarenta e cinco anos a energia que flui dentro do sol aumenta em direção a um pico de vigor. Após quarenta e cinco anos há um recuo no fluxo de energia, como dentro de um ser humano. Após noventa anos o sol se torna muito velho. Durante os últimos quarenta e cinco anos, a Terra é sacudida com terremotos. Os terremotos estão relacionados a esse ciclo de noventa anos. Ao fim do nonagésimo ano, novamente o sol começa a se fortalecer. Essa é uma ocorrência cíclica muito importante. Há mudanças tão grandes acontecendo no sol que também é natural para a Terra ser agitada. Quando um corpo tão imenso como a Terra começa a sacudir por terremotos devido às mudanças no sol, como pode o pequeno corpo do homem permanecer não afetado? Essa é a questão que os astrólogos vêm perguntando. Eles dizem que é impossível para o corpo do homem permanecer não afetado. As crianças que nasceram durante os quarenta e cinco anos quando o sol está crescendo, em sua fase vigorosa, são maravilhosamente saudáveis. Mas as crianças que nasceram durante os quarenta e cinco anos em que o sol está declinando não podem estar com boa saúde. As condições das crianças nascidas durante o período quando o sol está na fase declinante é como aquela do navio que precisa viajar para o oriente quando os ventos estão soprando para o ocidente - um grande esforço físico é necessário para mover os remos. As velas não funcionam, então o timoneiro tem que trabalhar mais duramente. É como nadar contra a corrente. O sol é a fonte de energia vital para todo o sistema solar. Portanto, quando o sol está declinando, tudo que é vigoroso tem que nadar contra a corrente. Ele
    • tem que suportar uma grande força. E quando o sol está crescendo, todo o sistema solar é preenchido com energia e se move em direção ao pico. Quem nasce nesse período está em um navio que está velejando a favor do vento. Nenhum esforço é necessário; nem os remos nem o leme precisam ser movidos. As velas precisam apenas ser abertas e o navio é movido pelos ventos. Durante esse período o menor número de doenças prevalecem na terra. E quando o sol está declinando, temos o número máximo de doenças. Portanto, por quarenta e cinco anos há um aumento de doenças na Terra, e para os próximos quarenta e cinco anos há uma diminuição, e assim por diante. O registro histórico do Rio Nilo de quarto mil anos mostra que há um aumento na quantidade de água fluindo nele durante os quarenta e cinco anos quando o sol está em seu vigor. Quando o sol entra em declínio, o nível das águas no Nilo cai e sua corrente também se torna menos forte e mais indolente. O homem não é uma ilha, ele é parte de toda essa unidade. Nem mesmo os melhores relógios feitos pelo homem mostram o tempo tão precisamente como faz a Terra. Leva vinte e três horas e cinqüenta e seis minutos para a terra dar uma volta em torno de seu eixo. Com base nesse período de tempo projetamos um dia de vinte e quatro horas. E até agora não se tem conhecimento que a Terra tenha atrasado ou adiantado um segundo sequer para completar sua revolução. Mas a razão é que não temos tido recursos totalmente precisos com os quais estudar esse fenômeno, desse modo, temos feito apenas estimativas grosseiras. Mas quando o ciclo de noventa anos do sol se completa e se reajusta para um novo ciclo, o relógio da terra é agitado. Na hora em que o sol experimenta um aumento da radiatividade, durante seu ciclo de onze anos, o relógio da Terra também é perturbado. Quando a Terra fica sob a influência de tais forças externas seu ritmo interno é perturbado. Qualquer nova influência cósmica como uma estrela, um meteoro ou um cometa passando perto da Terra também o perturba. Em uma escala cósmica, coisas muito distantes no céu estão realmente muito perto porque tudo está interconectado de uma forma invisível. Contudo, a habilidade de nossa linguagem de expressar esse fenômeno é muito débil porque quando dizemos que uma estrela chega um pouco mais perto do nosso sol, pensamos nisso no sentido ordinário de uma pessoa chegando mais perto de outra pessoa. Ainda assim, essas distâncias são muito grandes, mesmo uma ligeira mudança nas distancias entre objetos cósmicos e o eixo da terra é perturbado - embora possamos não estar absolutamente cônscios disso. Para perturbar a Terra, uma grande força é necessária. Para um desvio de uma polegada na Terra, poderosos corpos cósmicos precisam passar perto de sua órbita. Quando esses grandes corpos cósmicos passam perto da Terra, eles também passam perto de nós. Quando a Terra é sacudida, não é possível que as árvores que estão crescendo
    • nela não se agitem. Não é possível que o ser humano que vive e caminha nela não seja afetado. Não, tudo é afetado, mas a agitação é muito rápida, e o homem não possui instrumentos para mensurá-la. Contudo, agora temos instrumentos eletrônicos tão sensíveis, que uma vibração de um milésimo de segundo de duração também pode ser medida. Mas a vibração no ser humano ainda não pode ser medida. Até agora não temos feito quaisquer instrumentos com os quais mensurá-la. O homem é uma criatura muito sutil e é necessário que ele seja assim; senão seria difícil para ele viver na Terra. Se ele fosse capaz de experienciar e de estar cônscio de toda a influência das forças que o cercam e agem sobre ele vinte e quatro horas do dia, ele não sobreviveria. Somos capazes de viver apenas porque não estamos cônscios de tudo que está acontecendo ao nosso redor. Há também outra lei. Essa lei é de que não podemos estar cônscios das influências acima ou abaixo de um certo limite. A extensão de nossa experiência é limitada. Por exemplo, suponha que medimos a temperatura do corpo como estando entre noventa e oito graus no ponto mais baixo e cento e dez graus no ponto mais alto, isso mostra que estamos vivendo dentro destes doze graus. Se a temperatura cair muito abaixo de noventa e oito graus morreremos, e se ela disparar acima de cento e dez graus também iremos morrer. Mas você acha que a amplitude da temperatura do universo está limitada a somente doze graus? O homem vive dentro da amplitude limitada de doze graus - fora dessa amplitude ele morrerá. O homem vive numa espécie de balança. Ele tem que flutuar entre noventa e oito e cento e dez graus. Similarmente, existe um equilíbrio para tudo. Estou falando para vocês e vocês podem me ouvir. Se eu falar num tom muito baixo, chegará ao ponto onde vocês não poderão mais me ouvir. Isto vocês podem entender, mas vocês não serão capazes de imaginar que há um ponto mais alto de audibilidade além do qual vocês não podem ouvir. É difícil imaginar que um ruído mais alto possa ser também inaudível. Os cientistas dizem que temos um certo limite de ouvir e que não podemos ouvir coisa alguma abaixo ou acima desse limite. Grandes estrondos de trovões estão ocorrendo por toda parte ao nosso redor, mas não podemos ouvi-los. Se uma estrela se desintegra ou nasce um novo planeta, tremendos estrondos de trovões são criados ao redor da Terra. Se fôssemos capazes de escutá-los, então naquele mesmo momento ficaríamos surdos. Mas estamos protegidos porque nossos ouvidos não podem ouvi-los. Não podemos ouvir abaixo de certos decibéis e não podemos ouvir acima de certos decibéis; podemos ouvir apenas dentro de uma certa amplitude. Existem limites até para o cheirar. Os sentidos de todos os seres humanos operam dentro de um certo limite. Por exemplo, um cachorro é capaz de cheirar muito mais que vocês. Seu limite de cheirar é maior; um cachorro pode sentir o cheiro que nós não somos
    • capazes de perceber. O que não somos capazes de ouvir, um cavalo pode. O sentido de audição ou de cheirar do cavalo é muito mais agudo. Um cavalo pode sentir o cheiro da aproximação de um leão a uma milha e meia de distância. Ele irá parar subitamente e não iremos entender o motivo. Seu senso de cheiro é muito poderoso. Mas se vocês tivessem um sentido tão forte de cheiro que vocês pudessem experienciar todos os cheiros que permeiam ao seu redor, vocês ficariam loucos. Um ser humano é fechado dentro de uma espécie de cápsula - ele tem fronteiras. Quando você liga seu radio você pode ouvir muitas estações. Mas você acha que a música começa apenas quando o radio está ligado? As ondas de radio da música e da fala estão continuamente fluindo no ar, quer seu radio esteja ligado ou não. Mas você só pode ouvi-las quando o radio está ligado. Aqui mesmo nessa sala, as ondas de radio de todas as estações retransmissoras do mundo estão fluindo continuamente, mas você só pode ouvi-las quando você liga o seu radio. Essas ondas de radio estão lá, mesmo quando seu radio não está ligado, mas você não pode ouvi-las. Neste mundo muitos sons estão passando ao redor de todos nós. Há um grande tumulto. Não somos capazes de ouvi-los, mas não podemos escapar de ser afetados por eles. Somos influenciados por todos esses ruídos - em cada nervo, em cada batida do coração, em cada músculo. Estes ruídos estão operando em nós despercebidamente. Os cheiros que não somos capazes de reconhecer também nos afetam. Se esses cheiros carregarem com eles alguma doença, vocês irão pegar a doença. Sua consciência ou percepção de algo não é um imperativo para que isso exista. A astrologia diz que há campos de energia ao redor de nós que prosseguem nos influenciando continuamente. Logo que nasce uma criança, ela está sujeita a todas as influências do mundo. Na linguagem da ciência, podemos descrever o nascimento como um processo de exposição. É exatamente como se expuséssemos um filme numa câmara. Você pressiona o botão de exposição da câmara e instantaneamente às janelas das lentes abrem e fecham e tudo que estava em frente da câmara fica instantaneamente registrado no filme. O filme é exposto sem afetar a exposição anterior. O filme capturou a imagem da cena para sempre. Similarmente, quando uma criança é concebida no útero da mãe, essa é a primeira exposição da criança. No dia que a criança nasce acontece a segunda exposição. Essas duas exposições são registradas na mente sensitiva da criança, como no filme. O mundo como ele é naquele momento é impresso na criança e assim há uma empatia na criança pelo mundo como ele é naquele momento. Você ficará surpreso de saber que noventa por cento das crianças nascem à noite. Geralmente, de acordo com probabilidades matemáticas, a percentagem de nascimentos à noite seria a mesma para o dia. Poderia ter uma flutuação de quatro a cinco por cento aqui e ali, mas porque noventa por
    • cento nasceria durante a noite? Somente dez por cento dos nascimentos, no máximo, ocorrem durante o dia. Deve haver uma razão para isso - existem muitas razões para isso. Deixe-me explicar... Se fôssemos perguntar a Buda ou a Mahavira sobre o motivo disto, eles diriam que a maioria das almas nascem à noite porque elas estão dormindo quando nascem. Essas almas não podem escolher o momento do seu nascimento. Existem centenas de outros motivos, mas esse é importante; que a maioria das pessoas estão adormecidas. Elas estão na escuridão e na inatividade. Aquele que nascer após o amanhecer, nascerá com energia. Após o pôr do sol, na escuridão da noite, somente os seres adormecidos podem nascer. O nascimento que acontece na hora do sol nascente será um nascimento sob a influência da energia; o nascimento que ocorre após o pôr do sol, sob a capa da escuridão, será um nascimento sob a influência do sono. A exposição será diferente para um filme exposto à noite daquele exposto durante o dia. É necessário entender esse ponto sobre a exposição mais claramente porque a astrologia está profundamente relacionada a isso. Os cientistas que estão conduzindo pesquisas sobre este assunto da exposição do nascimento dizem que é um acontecimento da maior importância. Essa exposição lhe acompanhará por toda sua vida. Quando um pinto nasce da galinha, ele imediatamente começa a correr atrás dela. Dizemos que ele está correndo atrás da mãe, mas os cientistas dizem que isso não tem nada a ver com a mãe, dizem que isso é uma questão de exposição e impressão. Os cientistas agora conduziram centenas de experimentos... Um experimento foi com os pintos que estavam para nascer. Os bicos dos pintos estavam emergindo dos ovos e então a galinha foi removida de cena e em seu lugar foi colocado um balão na frente dos pintos. Quando os pintos abriram os olhos eles viram o balão. Vocês ficarão surpresos de saber que os pintos amaram o balão como se fosse sua mãe. Para onde quer que o balão se movesse no ar, eles correriam atrás dele. Eles não deram importância a mãe, onde quer que ela estivesse, mas eles se tornaram surpreendentemente sensíveis ao balão. Quando os pintos ficavam cansados, eles iam e sentavam ao lado do balão. Eles tentariam amar o balão, eles tentariam bicar no balão não na mãe. Konrad Lorenz, o cientista que realizou um grande trabalho nesse sentido, diz que o primeiro momento de exposição é o mais importante. O pinto fica intimamente relacionado com a mãe devido a primeira exposição; ele corre atrás da mãe apenas porque ela estava primordialmente disponível para ele. Agora, mais alguns experimentos estão sendo conduzidos... Crianças masculinas que não são criadas na presença da mãe não são capazes de amar nenhuma mulher. Não houve uma exposição adequada; a imagem de uma mulher não foi adequadamente impressa na
    • mente dessas crianças. Se a homossexualidade está aumentando no Ocidente, uma razão fundamental é uma exposição insuficiente a um dos pais. O amor heterossexual, amor entre sexos opostos, está diminuindo cada vez mais no Ocidente e o amor entre membros do mesmo sexo está aumentando. Embora isso seja um acontecimento não natural, isso está fadado a acontecer. A atração sexual entre um homem e uma mulher também é condicionada de outra maneira. A quem uma criança será exposta primeiro é um assunto que deve ser levado em consideração. Uma mulher não será feliz por toda sua vida se, quando bebê, ela tiver sido exposta primeiro a mãe. A exposição dela deve ser a um homem. O primeiro impacto sobre a mente de uma menina deve ser do pai dela, só então ela será capaz de amar totalmente um homem. Se os homens sempre superam as mulheres, é porque meninos e meninas são ambos primeiramente expostos e criados pela mãe. A exposição do menino está correta, mas não a da menina. Assim, quando a primeira exposição de uma menina não for ao pai dela, não será possível para ela se tornar igual a um homem. Nem na política, nem no emprego, nem através da independência econômica ela pode tornar-se igual ao homem, porque de uma perspectiva psicológica, permanece a debilidade na personalidade de uma menina. Até agora nenhuma civilização foi capaz de superar essa fraqueza. Se um pequeno balão pode exercer tanta influência sobre uma galinha, se isso pode penetrar indelevelmente em sua mente, a astrologia sugere que tudo que nos rodeia - todo o universo - também penetra em nossa consciência no momento da exposição do nascimento quando o filme mental é exposto ao mundo. Isso determina suas simpatias e antipatias por toda sua vida. Todas as constelações que também circundam a Terra naquele momento, de maneira muito profunda, imprimem sua influência sobre a consciência recém nascida. As constelações estão numa certa posição: a significância básica dessas constelações repousa na influência de sua radiatividade caindo sobre a Terra no momento do nascimento. Agora cientistas acreditam que todo corpo celestial possui sua própria radiatividade. O planeta Vênus lança raios que são tranqüilos, enquanto que a lua possui um tipo muito diferente de ondas de radio. As ondas de radio que nos alcançam de Júpiter são diferentes daquelas que procedem do sol. A razão para a diferença é que cada astro tem uma combinação diferente de camadas gasosas circundando-os, e de cada planeta uma combinação diferente de raios vêm em direção a terra. E quando uma criança nasce, qualquer que seja a constelação, estrelas, planetas, ou supersois longínquos que estejam circundando o horizonte, todos penetram fundo na mente da criança na hora da exposição. A situação cósmica naquele momento, com todas suas debilidades, forças e capacidades, influenciam a criança por toda sua vida. É como saber o efeito exato do que acontece quando uma bomba atômica explode sobre
    • uma área habitada como Hiroshima. Antes da bomba atômica ser jogada sobre Hiroshima, se sabia apenas que centenas de milhares de pessoas morreriam. Mas não se sabia que isso também poderia afetar gerações futuras e tudo mais. Para aqueles que morreram em Hiroshima e Nagazaki foi apenas à questão de um momento. Mas as árvores que permaneceram, os animais, os pássaros, os peixes e os seres humanos que sobreviveram, foram todos permanentemente afetados de uma forma desconhecida. O efeito total disso somente será conhecido quando cerca de dez gerações tiverem passado, porque profundas forças radiativas ainda estão operando. As mulheres que sobreviveram tiveram seus ovários afetados pela radiatividade. Agora esses ovários são incapazes de reproduzir crianças normais, tal como faziam antes de serem afetados pela radiatividade. Uma criança nascida desses ovários pode ser aleijada ou cega, ela pode ter quatro ou até mesmo oito olhos; pode ser qualquer coisa - não podemos afirmar. Seu cérebro pode estar doente, ou pode ser um tal gênio que nunca tenha nascido antes. Não estamos certos de como isso será; sabemos com certeza somente de uma coisa: que ela não será um ser humano ordinário, normal. Se o poder de uma bomba atômica, que não é comparativamente um poder muito grande, pode causar tanto dano a vida na Terra, então você pode começar a imaginar o poder do sol. É como se milhões de bombas atômicas estivessem explodindo nele simultaneamente. Em Hiroshima e Nagazaki uma bomba atômica matou cento e vinte mil seres humanos. Em comparação, você pode imaginar quanta radiatividade existe no sol? O sol vem aquecendo a Terra por quatro bilhões de anos, e os cientistas dizem que não há nenhuma possibilidade dele esfriar ainda por milhões de anos. A cada dia ele arremessa um tremendo calor para a Terra e isso também de uma distância de quase cem milhões de milhas. O que quer que tenha acontecido em Hiroshima afetou somente um raio de até dez milhas, enquanto que o sol nos tem dado calor de uma distância de cem milhões de milhas, e por tanto tempo; ele ainda não está exausto. Mas comparado a outros sois no universo, nosso sol é apenas uma minúscula estrela. As estrelas que vemos no céu são muito maiores do que nosso sol, e cada uma delas possui sua própria radiação que está fluindo em nossa direção. Um grande cientista, Michael Gacquilin, vem pesquisando sobre as forças no universo. Ele nos diz que não somos capazes de entender nem mesmo um por cento das coisas que são causadas pelas forças que chegam dentro de nossa experiência. Desde que começamos a enviar satélites espaciais para além da Terra, tanta informação nos tem sido transmitida para as quais nós não temos palavras para descrever, nem a ciência ainda é capaz de decifrar a informação transmitida. Nunca imaginamos que tanta energia e tantas forças pudessem estar operando tudo ao nosso redor. Nesse contexto, vamos entender mais uma coisa. A astrologia não é uma ciência nova que ainda está se desenvolvendo. A posição é bem inversa. Se você tivesse visto o Taj Mahal,
    • você poderia ter percebido algumas paredes incompletas além da margem oposta do Rio Yamuna. A história atual é que Shah Jehan não fez apenas o Taj Mahal para sua esposa Mumtaz, mas que ele também estava construindo uma tumba para si mesmo, da mesma pedra de mármore do Taj Mahal, na margem oposta do Rio Yamuna. Contudo, de acordo com a história, essa tumba não pode ser concluída. Mas agora isso tem sido pesquisado por historiadores que nos dizem que as paredes que parecem incompletas não são as paredes da tumba que estava sendo construída, mas as ruínas de um grande palácio que existiu tempos atrás. Nos últimos trezentos anos nos tem sido dito que essas paredes eram as paredes incompletas de uma tumba que Shah Jehan começou a construir. Mas as paredes de uma tumba recentemente construída e as ruínas de algum antigo palácio pareceriam similares, assim fica muito difícil decidir o que exatamente essas paredes são. A pesquisa histórica agora indica que não somente essas paredes já foram um palácio completo, mas que o próprio Taj Mahal não foi construído por Shah Jehan. Era um antigo palácio construído pelos Hindus, o qual Shah Jehan transformou numa tumba. Mas isso freqüentemente acontece que não podemos acreditar em qualquer coisa que contradiga o que sempre temos ouvido. Nenhuma tumba como o Taj Mahal foi construída em nenhum outro lugar do mundo. Uma tumba nunca é construída assim. Ao redor do Taj Mahal existem lugares para alojar soldados e para guardar rifles e armas de fogo. Tumbas não necessitam ser protegidas por rifles e armas de fogo. Era um antigo palácio que foi reformado. Na margem oposta do Yamuna havia também um antigo palácio que desabou e suas ruínas permaneceram como uma testemunha. A astrologia também é como as ruínas de um grande edifício que uma vez existiu. Foi uma ciência completa que se perdeu. Não é nem nova nem está em processo de construção. Pelas paredes que restaram não é possível julgar o tamanho desse edifício. Muitas vezes as verdades são conhecidas apenas para se perderem novamente. Cerca de duzentos anos antes de Cristo, Aristarco, um cientista Grego, descobriu que o sol é o centro de nosso universo e não a terra. Este princípio de Aristarco tornou-se conhecido como o princípio heliocêntrico - que o sol está no centro. Mais tarde, no ano 100 AD, Ptolomeu mudou novamente essa descoberta e afirmou que a terra era o centro. Após isso, se passaram cerca de mil anos até Kepler e Copérnico restabelecerem que o sol é o centro de nosso universo. A verdade descoberta por Aristarco permaneceu oculta por muito tempo, até que Copérnico abriu o velho livro de Aristarco e o declarou novamente... E as pessoas ficaram chocadas. No Ocidente foi dito que a América foi descoberta por Colombo. Quando Oscar Wilde foi para a América ele fez uma piada sobre isso que se tornou muito conhecida. Ele disse que a América tinha sido descoberta muito antes por outra pessoa. Isso é verdade; a América foi descoberta muitas vezes, e perdeu-se repetidas vezes quando as relações com ela eram interrompidas. Alguém perguntou a Oscar Wilde: "Se Colombo não descobriu primeiro a
    • América, se ela já havia sido descoberta, porque cada vez ela se perdia?" Oscar Wilde jocosamente respondeu: "Ele descobriu a América. Ela foi descoberta muitas vezes, mas toda vez isso era abafado. Cada vez era necessário manter isso em segredo, porque uma coisa tão complicada é melhor esquecer e deixar de lado". Na epopéia Mahabharata há referências a América - uma das esposas de Arjuna era do México. Existem antigos templos Hindus no México com ídolos de Ganesh incrustados neles. Isso acontece muitas vezes que a verdade chega ao nosso alcance e então se perde novamente. A astrologia já foi uma grande verdade: ela já foi conhecida, mas depois se perdeu. Existem dificuldades no caminho para conhecê-la novamente; eis porque estou falando para vocês de muitos pontos de vista diferentes. Minha intenção de falar sobre astrologia pode ser mal-entendida. Não é como se eu pretendesse falar sobre os mesmos assuntos que são discutidos por um astrólogo comum. Para tal astrólogo você pode pagar uma moeda e ouvir sua sorte. Talvez você pense que vou falar sobre ele ou apóia-lo. Em nome da astrologia, noventa e nove por cento dos astrólogos são blefes. Somente um por cento não irá afirmar dogmaticamente que um evento definitivamente acontecerá. Eles sabem que a astrologia é um assunto vasto - tão vasto que alguém só pode penetrá-la hesitantemente. Quando estou falando sobre astrologia, quero que vocês tenham um retrato de toda a ciência de muitos ângulos, para que vocês possam penetrá-la sem qualquer medo ou hesitação. Quando falo sobre astrologia, não me refiro ao astrólogo comum - coisa tão pequena. Mas a curiosidade média dos homens com respeito à astrologia é apenas para saber se sua filha irá se casar ou não. A astrologia pode ser dividida em três partes. A primeira parte é o núcleo, a essência; ele é essencial e não pode ser alterado. È a parte mais difícil de entender. A segunda parte é a camada média, na qual se pode fazer qualquer mudança que se queira. É a porção semiessencial, na qual você pode fazer mudanças se você souber como, mas sem saber como, nenhuma mudança é possível. A terceira parte é a camada mais externa que é nãoessencial, mas sobre a qual somos todos muito curiosos. A primeira é a essência, na qual nenhuma mudança pode ser feita. Quando é conhecida, o único jeito é cooperar com ela. As religiões têm planejado a astrologia a fim de conhecer e decifrar esse destino essencial. À parte semi-essencial da astrologia é tal que se a assimilarmos, poderemos mudar nossa vida - de outra maneira não. Se não a conhecemos, então o que quer que tenha de acontecer, acontecerá. Se houver conhecimento, haverá alternativas para escolher. Há uma possibilidade de transformação
    • se a escolha correta for feita. A terceira, a parte não-essencial é apenas a periferia, a superfície externa. Não há nada de essencial nela, tudo é circunstancial. Mas consultamos os astrólogos apenas para as coisas não-essenciais. Alguém vai e pergunta a um astrólogo quando conseguirá um emprego - o seu emprego não tem nada a ver com a lua e as estrelas. Alguém pergunta se irá se casar ou não - uma sociedade sem casamento é possível. Alguém pergunta se irá permanecer pobre ou se ficará rico - uma sociedade socialista ou comunista onde não haverá ninguém pobre ou rico é possível. Portanto, estas são as questões não essenciais... Um homem de oitenta anos de idade estava caminhando quando seu pé escorregou numa casca de banana que havia sido jogada na rua. Agora, é possível inquirir um astrólogo, para saber da lua e das estrelas em qual rua e em qual casca de banana o pé irá escorregar? Tais questões são tolices. Mas vocês são curiosos para saber com antecedência se seu pé irá pisar ou escorregar numa casca de banana se você sair hoje para a rua. Isso é não essencial. Isso não tem nada a ver com seu ser ou com sua alma. Esses eventos acontecem na periferia, e a astrologia não tem nada a ver com eles. Mas devido a que os astrólogos estão ocupados falando apenas a respeito desse tipo de coisas, a grande instituição da astrologia desabou. Essa foi à única razão. Nenhuma pessoa inteligente vai estar preparada para acreditar que quando ela nasceu, estava escrito em seu destino, que um certo dia, na marina, seu pé pisaria em alguma casca de banana e ela cairia. Nem a queda nem a casca da banana tem qualquer relação com as estrelas. A astrologia perdeu a respeitabilidade porque ficou conectada a esse tipo de coisas. De vez em quando todos nós temos desejado saber tais coisas dos astrólogos, ainda que sejam coisas não-essenciais. Mas existem certos assuntos semi-essenciais tais como o nascimento e a morte de uma pessoa: se você puder conhecer tudo sobre estes assuntos, você pode tomar suas precauções. Se você não nada conhece, você nada pode fazer. Se nosso conhecimento a respeito de diagnósticos de doenças fosse aperfeiçoado seríamos capazes de prolongar o tempo de vida dos seres humanos - já estamos fazendo isso. Se nossa pesquisa para fazer bombas atômicas mortais tiver êxito seremos capazes de aniquilar milhares de pessoas de uma vez - nós já fizemos isso. Este mundo semi-essencial apresenta a possibilidade de que possamos ser capazes de fazer certas coisas se soubermos com antecedência o que vai acontecer. Se não soubermos, nada pode ser feito. Pelo nosso conhecimento prévio, alternativas podem ser classificadas e selecionadas. Além disso, existe o mundo do essencial - e sobre este você nada pode fazer. Contudo nossa curiosidade é para conhecer somente sobre coisas não-essenciais. Raramente alguém chega a conhecer o semi-essencial. E nossa curiosidade ou desejo nunca se estende para conhecer aquilo que é essencial ou inevitável, aquilo que não pode ser mudado mesmo se conhecido.
    • Mahavira passava por um vilarejo com seu discípulo, Goshalak - que mais tarde se tornou seu oponente - quando eles depararam uma pequena planta, e Goshalak disse a Mahavira: "Escute, aqui está uma planta. O que você acha? Ela irá crescer e produzir uma flor ou ela morrerá antes de florescer?" Mahavira imediatamente fechou seus olhos e sentou-se defronte a planta. Goshalak espertamente disse: "Não fuja do assunto. O que acontecerá por fechar seus olhos?" Ele não sabia porque Mahavira ficou silencioso e fechou seus olhos - que ele estava procurando o essencial. Era necessário ir bem fundo no ser, na alma da planta. Sem fazer isso, não seria possível dizer o que iria acontecer. Após um momento Mahavira abriu seus olhos e disse: "Essa planta sobreviverá para florescer". Goshalak imediatamente arrancou a planta pelas suas raízes, a jogou fora e riu zombeteiramente. Não havia melhor maneira de refutar a declaração de Mahavira. Mahavira não tinha nada mais para dizer agora porque Goshalak tinha desenraizado a planta e a jogado fora como um desafio. Ele estava rindo, Mahavira estava sorrindo e eles continuaram sua jornada. Então começou a chover fortemente. Era uma tempestade, e por sete dias continuamente, caíram chuvas torrenciais, assim eles não puderam sair por sete dias completos. Quando as chuvas amainaram e eles estavam retornando, no caminho eles chegaram ao mesmo ponto onde sete dias antes Mahavira tinha fechado seus olhos para conhecer o ser interior da planta. Eles virão que a planta estava novamente de pé com suas raízes no solo. Devido as fortes chuvas e ventos, a terra tinha ficado úmida e solta, e as raízes da planta haviam cavado nela. Mahavira novamente fechou seus olhos e ficou de pé ao lado da planta. Goshalak ficou muito embaraçado - ele tinha desenraizado e jogado fora à planta. Quando Mahavira abriu seus olhos, Goshalak disse: "Estou surpreso e confuso. Eu desenraizei essa planta e a joguei fora, e ela está crescendo novamente". Mahavira respondeu: "Ela irá sobreviver para florescer. Fechei meus olhos para ver a potencialidade interior e a condição da semente: se ela era capaz de enraizar-se novamente tendo sido uma vez desenraizada, se ela era suicida ou não, se ela tinha um instinto forte ou um desejo de morrer. Se seu instinto fosse suicida ela teria usado sua ajuda para morrer. Eu queria ver se ela estava ansiando por viver; se ela estivesse determinada a viver, ela viveria. Eu sabia que você iria desenraizá-la e jogá-la fora. Goshalak perguntou: "O que você está dizendo?" Mahavira disse: "Quando eu estava olhando dentro do ser interior da planta com meus olhos fechados, também vi você de pé, determinado a arrancá-la. Eu sabia que você iria arrancar a planta. Eis porque era necessário conhecer a capacidade interior da planta de viver, quanta autoconfiança e força de vontade ela tinha. Se ela estivesse esperando morrer e procurando uma desculpa, você teria sido uma desculpa suficiente para ela morrer; senão, a planta desenraizada
    • novamente se enraizaria". Faltou coragem a Goshalak desenraizar a planta novamente. Ele estava assustado. Anteriormente Goshalak tinha ido rindo para a vila; desta vez, Mahavira seguiu adiante sorrindo. Goshalak então perguntou: "Porque você está rindo?" Mahavira disse: "Eu estava observando e apenas pensando sobre sua capacidade - se você poderia arrancar a planta pela segunda vez ou não". Goshalak disse: "Você pode ver se eu faria isso ou não?" Mahavira respondeu: "Isso era não-essencial. Você podia tê-la arrancado, ou não. Mas o que era essencial e inevitável é que a planta ainda desejava viver. Todo seu ser, toda sua vitalidade queria viver. Isso era essencial. O que era não-essencial era você jogá-la fora ou não, e isso dependia de você. Mas você provou ser mais fraco e menos determinado do que a planta. Você foi derrotado." Uma das razões porque Goshalak estava aborrecido com Mahavira foi esse incidente com a planta. A astrologia de que estou falando se interessa pelo essencial, pelo fundamental. Na melhor das hipóteses sua curiosidade irá até o semi-essencial. Você quer saber quanto tempo você viverá, ou se você irá morrer de repente ou não, mas você não está curioso para saber o que fazer enquanto você vive. Você quer saber como você irá morrer quando chegar a hora, ou o que você estará fazendo naquela hora. Sua curiosidade se estende a eventos, não a alma. O que estou vivendo é somente um evento, mas o que estou fazendo enquanto estou vivendo, ou o que sou, é minha alma. Quando eu morrer isso será um evento, mas no momento da morte, como serei, o que farei, é minha alma. Todos nós morreremos; o evento da morte é comum a todos, mas a maneira de morrer, o momento da morte, será diferente para cada um. Alguém pode até mesmo morrer sorrindo. Na hora de sua morte, alguém perguntou a Mulla Nasruddin: O que você acha, Mulla? Quando as pessoas nascem, de onde eles vêm?" Mulla respondeu: "Tenho visto muita criança chorando na hora do nascimento, e na hora da morte todos também parecem estar chorando. Assim eu suponho que as pessoas não estão nem indo nem vindo de um bom lugar. Quando elas chegam estão chorando e quando elas vão também estão chorando!" Mas pessoas como Nasruddin morrem rindo. A morte é um evento, mas aquilo que está rindo na hora da morte é a alma. Portanto, quando você for a um astrólogo, pergunte a ele como você irá morrer, chorando ou rindo? Vale a pena perguntar isso - mas isso está conectado com a astrologia essencial. Ninguém nessa Terra nunca perguntou a um astrólogo se irá morrer chorando ou sorrindo. Vocês querem saber quando irão morrer como se morrer tivesse algum valor em si mesmo. Vocês perguntam quanto tempo irão viver - como se apenas viver fosse suficiente.
    • Porque viverei? Para que devo viver? O que devo fazer enquanto estou vivendo? O que devo me tornar se viver? Tais questões ninguém pergunta. Eis porque a estrutura da astrologia desabou. Qualquer coisa que é construída sobre fundações não-essenciais certamente irá desabar. A astrologia, da qual estou falando, e o que vocês entendem por astrologia, são diferentes. A astrologia sobre a qual estou falando é qualitativamente diferente e muito mais profunda. Suas dimensões são diferentes. O que estou dizendo é que algo que é essencial entre sua vida e a do universo está conectado, está numa harmonia rítmica. O mundo todo está participando nisso - vocês não estão sozinhos. Quando Buda tornou-se iluminado, ele juntou suas mãos em saudação, e curvou sua cabeça até tocar no chão. A história prossegue dizendo que os deuses desceram do céu para prestar homenagem a Buda porque ele havia encontrado a verdade suprema, mas vendo-o com a cabeça curvada tocando o chão, eles ficaram surpresos. Eles perguntaram a Buda para quem ele estava se curvando. Eles disseram que tinham vindo do céu para saudá-lo porque ele estava iluminado, e que eles não sabiam que podia existir algo para o qual até mesmo Buda tinha que oferecer saudações, porque a iluminação é a suprema realização. Buda então abriu os olhos e disse: "Não estou sozinho no que quer que tenha acontecido comigo; o mundo também participou. Portanto, me curvei para a terra em agradecimento ao mundo inteiro". Este é um assunto conectado com a astrologia essencial. Eis porque Buda disse a seus discípulos que quando eles alcançassem a glória interior, eles deveriam imediatamente agradecer ao mundo inteiro porque eles não estariam sozinhos naquela experiência. Se o sol não tivesse surgido ou a lua não tivesse aparecido ou se a cadeia de eventos tivesse diferido ligeiramente, a experiência que eles tiveram estaria perdida. É verdade que, foram eles que tiveram a experiência, mas tudo era instrumental nisso - toda a existência contribuiu para isso. O nome desse relacionamento cósmico interconectado é astrologia. Buda nunca diria: "Me tornei iluminado". Ele diria apenas: "O mundo experienciou isso através de mim - este evento da iluminação, essa luz suprema revelou-se ao mundo através de mim. Sou somente uma desculpa, um pretexto. Sou apenas uma encruzilhada onde todas as estradas do mundo se encontram". Vocês já pensaram alguma vez que embora uma encruzilhada pareça significante, não é nada em si mesma? Se as quatro estradas que se encontram fossem removidas, o significado da encruzilhada também iria desaparecer. Somos cada um uma encruzilhada onde as forças do mundo se tocam e se encontram num ponto. Nesse ponto, um indivíduo é formado, nasce uma pessoa. O significado e a essência da astrologia é de que não estamos separados, somos um com
    • o universo. Não apenas somos um com o universo, somos também participantes em cada situação e evento. Portanto, Buda disse que ele estava oferecendo saudações para todos os Budas que vieram antes dele, e para aqueles que viriam após ele. Então alguém falou para ele que era compreensível que ele oferecesse saudações para aqueles que nasceram antes dele, porque consciente ou inconscientemente, Buda poderia estar em dívida com eles - o conhecimento deles pode tê-lo ajudado - mas porque ele saudaria aqueles que ainda não nasceram? O que ele podia ter recebido deles? Buda respondeu que ele tinha recebido ajuda não somente daqueles Budas que nasceram antes dele, mas também daqueles que nasceriam após ele - porque onde ele estava naquele momento, o passado e o futuro se encontravam e se tornavam um. Aqueles que passaram encontravam aqueles que estavam vindo, exatamente no ponto onde ele estava. O sol nascente e o sol poente se encontravam naquele ponto. Assim também Buda estava oferecendo saudações para aqueles que ainda estavam para nascer; ele também estava em dívida com eles porque se eles não estivesse sendo protegidos no futuro, Buda também poderia não ter acontecido. Isso é um pouco difícil de entender. Está conectado com a astrologia essencial. Eu não existiria se alguma coisa do meu passado fosse suprimida ou perdida; sou um elo de uma longa corrente. É compreensível que se meu pai não tivesse nascido eu também não teria nascido, porque meu pai é um elo essencial na cadeia que me alcançou. Até mesmo se meu avô não estivesse lá, eu poderia não ter nascido, porque o elo é essencial. Mas é difícil de entender que se não houvesse nenhum elo ligado a mim em direção ao futuro, também assim eu poderia não ter nascido. O que tenho que fazer com esse elo futuro? - eu já nasci. Mas Buda diz que se o que quer que aconteça no futuro já não estivesse lá, assim também eu poderia não ter nascido porque sou um elo entre o passado e o futuro. Se houvesse até mesmo uma ligeira mudança no passado ou no futuro, eu poderia não ser o mesmo como sou agora. O ontem me fez e o amanhã também me fez: isso é astrologia. Não somente o ontem, mas também o amanhã, não somente o que já chegou, mas também o que está vindo; não somente o sol que surgiu hoje, mas também o sol que surgirá amanhã - todos são participantes. Os momentos futuros também determinam o momento presente. Este momento presente poderia não existir se não houvesse momentos futuros. O momento presente só pode ocorrer com o suporte dos momentos futuros. Nossas mãos repousam sobre os ombros do futuro; nossos pés estão fincados sobre os ombros do passado. È muito óbvio que se o que está debaixo de mim - sobre o qual estou de pé e que posso ver -
    • desaparecesse, eu também cairia. Uma vez que alguém se descubra conectado com essa unidade interior do passado e do futuro ele estará capacitado para entender a astrologia. Desse modo, a astrologia se torna religião, assim a astrologia se torna espiritualidade. De outra maneira, se relacionando com o não-essencial, a astrologia se torna meramente um assunto para falsos reveladores da sorte nas ruas, e assim ela não tem nenhum valor. Até mesmo a mais alta ciência é apenas pó nas mãos daqueles que são ignorantes. Seu valor é determinado pelo uso para o qual estamos capacitados de colocar o conhecimento. Dessa forma, estou tentando empurrá-los através de muitas portas para um objetivo, para que vocês possam entender que tudo está ligado, interconectado. Este universo é como uma família, como um corpo orgânico. Quando estou respirando todo meu corpo é afetado; do mesmo jeito, quando o sol respira a Terra é afetada. A Terra é afetada até mesmo pelo o que os sois mais longínquos fazem. Até mesmo a menor das células vibra em unidade com aqueles sois gigantes. Se vocês puderem entender isso, vocês estarão capacitados a penetrar na astrologia essencial, e assim seremos poupados da futilidade do não-essencial. Temos associado os assuntos mais triviais com a astrologia. Essas coisas não possuem nenhum valor e dificuldades surgiram porque os conectamos com a astrologia. Por exemplo, conectamos a astrologia com questões sobre uma pessoa que nasce numa família rica ou pobre. Até que vocês possam compreender que tais coisas são nãoessenciais, vocês continuarão a conectá-las com a astrologia. A astrologia só pode se tornar uma ferramenta em suas mãos se vocês distinguirem o essencial do não-essencial. Vou lhes contar uma história muito interessante para que vocês possam entender. Maomé tinha um discípulo chamado Ali. Esse Ali uma vez pediu a opinião de Maomé sobre se um homem é independente e livre para fazer o que quiser ou se ele está atrelado ao seu destino em tudo que faz. Ali perguntou: "Uma pessoa pode fazer o que quer ou não?" O homem tem feito essa pergunta por muito tempo... "Se um homem não é capaz de fazer o que ele deseja", Ali disse, "Então é inútil e tolo pregar para ele não roubar, para não falar mentiras, para não ser desonesto. Ou está destinado que deverá sempre existir alguém para pregar para os outros não roubar ou para não fazer isso ou aquilo? - mesmo sabendo muito bem que também é destino que um homem desonesto permaneça desonesto, que um ladrão permaneça um ladrão, que um assassino permaneça um assassino. Tudo isso parece ser absurdo. Se tudo está predestinado, toda educação é inútil, então todos os profetas, todos os santos, todos os professores são inúteis.
    • As pessoas perguntaram tais questões tanto a Mahavira quanto a Buda. Se o que vai acontecer está predestinado, porque deveria Mahavira ou Buda ter tanto trabalho para explicar o que está certo e o que está errado? Assim Ali perguntou a Maomé o que ele pensava sobre este assunto polêmico. Se tal questão fosse perguntada a Mahavira ou a Buda, eles teriam dado uma resposta muito profunda e complicada, mas Maomé deu uma resposta que Ali pôde entender. Muitas das respostas de Maomé eram diretas e francas. Geralmente, respostas dadas por pessoas incultas ou pouco educadas, por pessoas que são simples aldeões, são diretas e francas. Pessoas como Kabir, Nanak, Maomé e Jesus eram pessoas simples nesse sentido. Respostas de pessoas como Buda, Mahavira e Krishna eram complexas - Buda e Mahavira eram a nata de uma civilização rica e altamente desenvolvida. As palavras de Jesus eram diretas, como um golpe na cabeça. Kabir realmente cantou: "Kabir está de pé no mercado com um martelo nas mãos para golpeálo. Se alguém chegava perto dele ele podia, por assim dizer, quebrar sua cabeça para remover todo o entulho que estivesse lá dentro. Maomé não deu nenhuma resposta metafísica. Ele pediu a Ali para levantar uma perna e ficar de pé sobre a outra. Ali apenas perguntou uma questão sobre se um homem é livre para fazer o que ele quiser - porque ele deveria ficar de pé sobre uma perna? Maomé disse: "primeiro levante uma perna". O pobre Ali levantou uma perna e ficou em pé sobre a outra. Maomé então perguntou a ele: "Agora levante a outra perna também". Ali ficou perplexo e perguntou como isso era possível. Então Maomé disse: "Se você quisesse você poderia ter erguido primeiro a perna direita, mas agora você não pode. Um homem é sempre livre para erguer a primeira perna - pode ser qualquer uma que ele queira - mas logo que a primeira tenha sido erguida, a outra fica presa a Terra". Com relação à parte não-essencial da vida, somos sempre livres para erguer a primeira perna. Mas uma vez feito, isso se torna uma escravidão para a parte essencial. Damos passos que são não-essenciais, ficamos emaranhados e assim não somos capazes de fazer o essencial. Portanto, Maomé disse para Ali que ele tinha toda a liberdade para erguer primeiro à perna direita ou esquerda. Mas uma vez que ele tivesse exercido essa liberdade e erguido sua perna esquerda, ele ficava incapacitado de erguer a outra perna. Assim a liberdade está dentro de certos limites, além desses limites não há liberdade. Este é um conflito antigo para a mente humana. Se o homem é um escravo de seu destino - como os astrólogos geralmente parecem concordar - se tudo é predestinado e inevitável, então todas as religiões são inúteis. Se um homem é livre para fazer tudo, como os assim chamados racionalistas dizem, e se nada é
    • predestinado ou inevitável, então a vida se torna um caos e uma anarquia, então é também possível que um homem possa roubar e ainda alcançar a liberação, que ele possa assassinar pessoas e ainda realizar o divino. Quando nada está relacionado, quando um passo não está relacionado com o outro, então não existem leis e nada está atrelado a lugar nenhum. Lembro de uma história sobre Mulla Nasruddin: Mulla estava passando por uma mesquita quando subitamente, alguém caiu do minarete da mesquita aonde tinha subido para fazer suas orações. O homem caiu bem nos ombros de Mulla quebrando sua espinha. Então Mulla foi levado para um hospital para tratamento. Alguns de seus discípulos vieram vê-lo, e devido a que Mulla costumava interpretar todos os eventos, eles lhe perguntaram: "Como você interpreta esse evento? O que isso significa?" Mulla respondeu: "Está muito claro que não há nenhum relacionamento entre uma ação e seu fruto. Uma pessoa cai e a espinha de outra é quebrada. E assim doravante nunca participe de qualquer controvérsia sobre a doutrina do Karma. Ficou provado que uma pessoa pode cair e a espinha de outra pode quebrar. A pessoa que caiu era saudável e corajosa: ele caiu sobre mim e fiquei numa confusão. Eu não tinha subido no minarete para fazer minhas orações; estava apenas voltando para casa. Não estava preocupado de jeito nenhum com os adoradores, mas ainda assim fui envolvido. Portanto, doravante... Nenhuma conversa mais sobre a doutrina do karma! Qualquer coisa pode acontecer. Não existe lei - é tudo uma anarquia". Mulla estava muito infeliz, naturalmente, porque sua espinha tinha sido desnecessariamente quebrada. Existem duas hipóteses. Por um lado há o astrólogo que está sentado na beira da estrada sendo perguntado pelo não-essencial... Se ele é o astrólogo de um homem pobre ou de um Morarji Desai, o ministro das finanças, não faz a menor diferença - todos os astrólogos que lidam com o não-essencial, com questões como quem vai ganhar ou perder as eleições, são ordinários. Como as eleições estão conectadas com a lua e as estrelas? O astrólogo ordinário que responde: "Tudo está predeterminado e nenhuma mudança, nem mesmo de uma polegada pode ser feita" - está dando uma declaração falsa. Por outro lado há o racionalista: Ele afirma que nada está inevitavelmente conectado: O que quer que aconteça é coincidência, circunstancial e por acaso. Não há lei, tudo é anárquico. Ele também está dando uma declaração falsa. Não há nenhuma lei: Um racionalista nunca é encontrado tão pleno de alegria e felicidade como um Buda. O racionalista nega Deus, a alma e a religião com a ajuda da lógica, mas ele nunca pode alcançar a alegria de Mahavira. Certamente Mahavira deve ter feito algo para merecer sua alegria, Buda deve ter feito algo que o libertou e Krishna também deve ter feito alguma
    • coisa que tornou possível para ele tocar tais notas mágicas e distintamente únicas através de sua flauta. A coisa real é a terceira, a qual é a quintessência de tudo, a qual pertence ao âmago interior e que é absolutamente predeterminado. Quanto mais a gente se move para o nosso centro, mais perto chegamos do essencial, da parte predeterminada. Quando nos movemos para a periferia nos movemos em direção à coincidência. Quanto mais falarmos sobre acontecimentos externos, mais coincidências acontecerão. Quando falamos sobre fenômeno interior, as coisas começam a parecer científicas, como se baseadas em uma lei definida, elas se tornam cada vez mais decisivas. Entre estas duas condições - o essencial e o periférico - há um amplo espaço para efetuar mudanças exercendo nossa liberdade de escolha. Aqui, alguém com consciência fará a escolha correta; enquanto que a pessoa que está nas trevas da ignorância será arrastada para seu destino, suportando o que quer que aconteça em seu caminho. Portanto, existem três áreas na vida. Na área onde está o núcleo essencial, tudo está predeterminado. Conhecer isso é conhecer a essência da astrologia. Na área que é periférica tudo é incerto. Conhecer isso é conhecer o mundo imprevisível do dia a dia. Existe outra área que está no meio. Conhecendo-a, uma pessoa pode salvar a si mesma de tentar fazer o impossível e ela pode fazer o que é possível. Se uma pessoa vive nas áreas periférica e mediana de tal maneira que ela começa a se mover em direção ao centro, ela se tornará religiosa. Mas se ela vive de tal maneira que ela nunca é capaz de mover-se em direção ao centro, sua vida permanecerá irreligiosa. Por exemplo: uma pessoa está se preparando para roubar. Roubar não está predeterminado; não se pode afirmar que roubar é inevitável - há completa liberdade de roubar ou não. Mas uma vez consumado o roubo, é como se um pé tivesse sido erguido e o outro pé permanecesse na terra: após cometer o roubo, você não pode desfazer a ação. E o efeito total da ação de roubar se espalhará sobre a personalidade da pessoa que o cometeu. Mas enquanto o roubo não acontece, a outra alternativa está presente e disponível. A mente balança entre o sim e o não. Se ele diz sim para roubar ela será lançada na direção da periferia; se ela diz não para o roubar ela se moverá em direção ao centro. Assim, no meio, há uma escolha. Se ela fizer a escolha errada ela é lançada na direção da periferia; se ela faz a escolha correta ela se move em direção ao centro, em direção àquela parte da astrologia que é essencial na vida. Tenho dito a vocês certas coisas sobre a astrologia essencial. Tenho dito a vocês que somos as mãos estendidas do sol, que a Terra nasceu do sol e que nascemos da Terra, que não estamos separados, mas todos unidos. Somos ramificações e folhas que se espalharam do sol. O que quer que aconteça no núcleo do sol vibrará e se espalhará dentro e através de nosso ser, através de cada célula e nervo. Se pudermos entender essa propriedade, saberemos que somos uma família nesse planeta. Então não há nenhuma
    • necessidade de viver encerrado dentro do ego e do orgulho. O golpe mais pesado da astrologia é sobre o ego. Se a astrologia está certa, o ego está errado. Vamos entender isso dessa maneira: se a astrologia está errada, então nada resta para estar certo senão o ego. Se a astrologia está certa então o mundo está certo e somente eu, como uma ilha, estou errado. Sou apenas uma parte infinitesimal e insignificante do mundo - sou tão minúsculo que não posso nem mesmo ser incluído na contagem. Se a astrologia está certa, então não estou lá. Há uma imensa corrente de forças na qual sou apenas uma pequena ondulação. Às vezes quando pegamos uma grande onda, caímos sob a ilusão que também somos algo especial e esquecemos da grande onda. Essa grande onda também está passeando sobre o oceano do qual estamos completamente desapercebidos. Se o oceano desaparecesse sob ela, a onda também desapareceria e o mesmo aconteceria conosco. Sem nenhuma razão ficamos infelizes sobre a possibilidade de nosso desaparecimento, apenas porque planejamos ser felizes através de nossa crença na nossa própria existência separada. Se tivéssemos entendido que há somente uma grande onda e o vasto oceano e nós que não somos - que é desejo do oceano que brotemos nele, que é desejo do oceano que morramos... Se surgir uma atitude pela qual compreendemos que somos apenas uma fração do grande desígnio da existência, dessa forma não haverá nenhuma infelicidade. E com essa atitude, a assim chamada felicidade que queremos desfrutar também não estará presente. O sentimento de felicidade de pensamentos tais como: "Eu ganhei ou eu alcancei" não estará mais presente. Nem haverá um sentimento de infelicidade de pensamentos tais como: "Estou morrendo, estou acabado, afundei, fui destruído ou derrotado". E quando não resta nem felicidade nem infelicidade, entramos no mundo da realidade - o essencial - onde há alegria. Astrologia então se torna a porta para a bem-aventurança. Se olharmos para a astrologia como uma fusão de nosso orgulho ou como uma desintegração do ego, a astrologia então se torna uma religião. Mas vamos para o astrólogo ordinário, e a fim de proteger nossos egos perguntamos: "Sofrerei alguma perda? Ganharei na loteria? Serei bem sucedido no novo negócio que estou realizando?" Essas questões são perguntadas para salvar nossos egos, mas o fato é que a astrologia está inteiramente em oposição ao ego. O significado da astrologia é este: você não é, mas o universo é; você não é, mas o cosmos é. Forças muito poderosas estão operando, e você é absolutamente insignificante. Vocês só podem ver a astrologia nessa luz, se vocês pensarem e sentirem que vocês são
    • uma parte integral desse grande mundo. Eis porque eu lhes disse como toda a família solar está conectada com o sol. Se vocês puderem compreender isso, vocês também entenderão que nosso sol está conectado com muitos outros sóis bem maiores no universo. Cientistas dizem que existem quarto bilhões de sóis, e que todos nasceram de algum sol maior. Não temos nenhum conhecimento do que possa ser esse sol supremo. Não sabemos como essa Terra está girando em torno de seu eixo e também revolvendo ao redor do sol, nem sabemos ao redor de que centro nosso sol e sua família estão girando. Um grande carrossel universal está dançando. Nos templos Hindus há uma vereda chamada Parikrama englobando a imagem de uma deidade. Essa vereda é símbolo do fato de que tudo está girando por si próprio e também dando voltas ao redor de algo mais. Desse modo esses dois juntos giram em torno de uma terceira coisa e os três, por sua vez, circulam em torno de uma quarta coisa, e assim por diante, infinitamente. O centro supremo do infinito é chamado pelos sábios de Brahma, a realidade absoluta. Esse centro supremo não está nem girando nem se revolvendo ao redor de coisa alguma. O que quer que esteja girando em torno de si mesmo estará definitivamente dando voltas ao redor de algo mais, mas aquilo que nem está girando nem se revolvendo é o supremo. Isso também é conhecido como o supremo silêncio ou vazio. Esse é o eixo, o pivô ao redor do qual todo o universo se expande e se contrai. Hindus pensam que assim como um botão se torna uma flor e a flor depois murcha, semelhantemente o universo também se expande e então se desintegra; assim como tem o dia e a noite, o universo também tem seu dia e sua noite. Como disse a vocês antes, existem ciclos de onze anos e ciclos de noventa anos. Similarmente, os Hindus pensam que existem ciclos de bilhões e trilhões de anos. Durante tal ciclo um universo nasce, torna-se jovem e envelhece; nascem terras, luas e estrelas que se espalham pelo universo, populações crescem e surgem milhões de seres vivos. Isso não está acontecendo somente na Terra; cientistas agora dizem que deve haver um mínimo de cinqüenta mil planetas sobre as quais existe vida. Pode haver mais, mas isso é o mínimo. Em tal universo infinito é impossível que somente nesta terra haja vida. Existem cinqüenta mil planetas ou terras sobre os quais existe vida - isso é uma expansão infinita. E então, tudo se contrai novamente. Esta terra não estava aqui desde o princípio, nem estará aqui eternamente. Assim como eu nasci e deixarei de existir, esta terra e o sol também deixarão de existir, tempo virá quando essas luas, estrelas e planetas também desaparecerão. O ciclo de ser e de não ser continua. Somos apenas infinitesimais, girando e nos revolvendo em algum
    • lugar sobre esta roda cósmica. E se ainda pensamos que estamos separados, então somos como Mulla Nasruddin que estava viajando em um avião pela primeira vez... Mulla Nasruddin entrou no avião e quando este decolou, ele começou a andar pelo corredor do avião. Ele queria alcançar seu destino bem rápido e estava com muita pressa: naturalmente, se você deseja chegar em algum lugar rapidamente, você chegará mais rápido se você andar mais depressa! Seu co-passageiro o parou e perguntou a ele o que ele estava fazendo. Mulla Nasruddin respondeu que ele estava com pressa. Ele estava viajando de avião pela primeira vez e ele estava usando a mesma lógica de quando ele caminha no solo. Lá, ele sempre chegava mais rápido toda vez que andava mais depressa. Ele não entendeu que caminhar no avião era inútil - o próprio avião estava voando e ele apenas se cansaria de andar. Ele não chegaria mais cedo de jeito nenhum, e é possível que, quando ele chegasse estaria tão cansado que não seria capaz de ficar de pé. Ele descansaria, ele fecharia os olhos e descansaria. Mas nem Mulla nem qualquer outro intelectual concordariam com tal conselho. Chamo alguém de religioso quem está à vontade dentro desse movimento circular cósmico do universo. Alguém que sabe que as forças do universo estão trabalhando, e que não há nenhuma pressa, que ter pressa é inútil, é religioso. Se podemos simplesmente ser um com a harmonia universal, isso é suficiente - e isso é bem-aventurança. Tenho dito a vocês coisas sobre astrologia, se vocês entenderem essas coisas, então a astrologia pode se tornar uma porta para a obtenção espiritual. Osho, Hidden Mysteries, #6 =============================================================== ==================== Om Sattva! Pablo Astrologia: A Ciência da Unidade Cósmica A astrologia talvez seja o assunto mais antigo e também de certo modo, o mais ignorado. É o mais antigo porque a astrologia tem existido desde de que fomos capazes de investigar a história da humanidade. Inscrições astrológicas foram encontradas em fragmentos de ossos da civilização Sumeriana que existiu vinte e cinco mil anos antes de Jesus. Fragmentos de ossos foram descobertos com inscrições astrológicas e com um esboço da órbita da lua no céu.
    • Mas na Índia esta ciência é ainda mais antiga. No Rigveda uma referência é feita a uma certa constelação de estrelas, a qual só pode ter ocorrido noventa mil anos atrás. Por causa disso, Lokmanya Tilak concluiu que os Vedas certamente devem ser ainda mais antigos: a constelação de estrelas, como os Vedas às descrevem, só pode ter ocorrido em um certo momento noventa mil anos atrás; desse modo, essa particular referência védica deve ter pelo menos noventa mil anos de idade. Essa referência particular védica não poderia ter sido adicionada posteriormente. Também, gerações mais jovens não estariam capacitadas de descobrir uma constelação que existiu muitos anos antes. Mas agora temos métodos científicos que podemos utilizar para descobrir onde as estrelas estavam num momento particular no passado distante. As leis fundamentais da astrologia foram descobertas primeiro na Índia. De fato, foi somente por causa da astrologia que surgiram os matemáticos. Para fazer cálculos astrológicos, os primeiros matemáticos eram necessários. Os dígitos usados na aritmética foram inventados na Índia - os números de um a dez, os quais existem em todas as línguas do mundo, são basicamente de origem indiana. E através do mundo o sistema decimal foi aceito: o sistema decimal nasceu na Índia e lentamente se espalhou pelo mundo inteiro. Quando você diz nove em inglês, isso é simplesmente uma modificação da palavra sânscrita nav. Quando você fala oito em inglês, isso é simplesmente uma modificação da palavra sânscrita aht. Os numerais de um a nove, que prevalecem em todas as línguas do mundo, vieram a existir só por causa da influência da astrologia indiana. O primeiro conhecimento sobre a existência da astrologia alcançou a civilização Sumeriana a partir da Índia. Seis mil anos antes de Jesus, Os Sumerianos foram os primeiros a abrir as portas da astrologia para o mundo ocidental. Os Sumerianos deixaram a fundação para o estudo científico da constelação. Eles construíram uma torre gigantesca, de setecentos pés de altura, e desta torre os sacerdotes Sumerianos costumavam observar o céu as vinte e quatro horas do dia. Os metafísicos Sumerianos logo aprenderam que tudo que acontece com a humanidade está, de algum modo, conectado com as estrelas; elas são a fonte. Seis mil anos antes de Jesus, era conhecido na Suméria que aonde quer que ocorresse uma doença, aonde quer que surgisse uma epidemia, as estrelas estavam de alguma maneira a isso conectadas. Atualmente há uma base científica para essa visão. E aqueles que entendem a ciência da astrologia dizem hoje que foram os Sumérios que começaram a história da humanidade. Em 1920, um cientista Russo, Chijevsky, investigava profundamente essa matéria e descobriu que a cada onze anos enormes explosões aconteciam no sol. Cada onze anos
    • uma explosão nuclear ocorre no sol. Chijevsky descobriu que quando tais explosões ocorriam no sol, guerras e revoluções começavam na Terra. De acordo com ele, durante os últimos setecentos anos, quando tal fenômeno ocorria no sol, aconteciam desastres na Terra. A análise de Chijevsky era inegável e, devido a que isso era contra o ponto de vista maxista, em 1920 Stalin mandou prendê-lo. Somente depois da morte de Stalin, Chijevsky pôde ser libertado. Para Stalin, as conclusões de Chijevsky pareciam muito estranhas. De acordo com o pensamento maxista e comunista, toda revolução que acontecia na Terra era fundamentalmente causada pela diferença econômica entre os homens. Mas Chijevsky declarou que as causas das revoluções eram as explosões que aconteciam no sol. Como podem as explosões no sol estar possivelmente relacionadas com a existência da pobreza ou riqueza na vida dos homens? Se a tese de Chijevsky está correta, então o sistema inteiro de Marx vira poeira. Assim vocês não podem mais explicar as revoluções com referência as lutas de classes e econômicas; só a astrologia pode explicar a revolução. Não puderam provar que Chijevsky estava errado. Seus cálculos cobrindo setecentos anos eram tão científicos, a conexão que ele estabeleceu entre as explosões no sol e fenômenos na Terra eram tão próximos, que para provar que ele estava errado era difícil. Mas mandá-lo para a Sibéria era uma coisa simples. Após a morte de Stalin, Khrushchev libertou Chijevsky da Sibéria. Quase valiosos quinze anos da vida desse homem foram perdidos na Sibéria. Após sua liberação ele viveu apenas de quatro a seis meses, mas nesses poucos meses ele reuniu ainda mais evidências para sua tese. Ele também ligou a disseminação de epidemias na Terra à influência solar. O sol não é uma bola de fogo estática como geralmente pensamos, diferentemente, é um organismo incandescente, infinitamente vivo e dinâmico. O sol muda seu humor a todo instante. E quando o sol muda seu humor, mesmo um pouco, a vida na Terra é afetada. Nada acontece na Terra sem que algo aconteça no sol. Quando há um eclipse solar, os pássaros na floresta param de cantar vinte e quatro horas antes. Durante todo o tempo do eclipse, a Terra se torna silenciosa. Os pássaros cessam seu canto e todos os animais na floresta ficam oprimidos e assustados, cheios de apreensão. Os macacos abandonam suas árvores e descem para o solo. Eles se ajuntam em grupos, aparentemente como um meio de proteção. E é uma coisa surpreendente que esses macacos, que estão sempre fofocando e fazendo barulho, se tornem tão quietos na hora do eclipse que nem mesmo os meditadores podem ser comparados com eles. Chijevsky explicou toda essa matéria, mas tal pensamento originou-se primeiro na Suméria. Posteriormente, um físico Suíço chamado Paracelsus descobriu mais informações. Ele fez uma descoberta sem paralelo - e essa descoberta irá transformar toda
    • a ciência médica, se não hoje, então amanhã. Até agora essa descoberta não pôde ser considerada válida porque a astrologia é um assunto muito ignorado - o mais antigo, o mais ignorado, e o mais respeitado ao mesmo tempo. Ano passado na França, foi calculado que quarenta e sete por cento da população acredita que astrologia é uma ciência. Na América, os cinco mil principais astrólogos estão atualmente trabalhando dia e noite. Eles têm tantos clientes que nunca podem concluir seu trabalho adequadamente - os americanos gastam milhões de dólares anualmente com os astrólogos. Estima-se que pelo mundo, setenta e oito por cento das pessoas acreditam na astrologia. Os setenta e oito por cento que acreditam na astrologia pertencem ao público em geral. Pensadores e intelectuais ficam em alerta total quando a astrologia é mencionada. C.G. Jung disse que as portas da universidade se fecharam para a astrologia por trezentos anos, mas que nos próximos trinta anos estas portas se abrirão novamente e a astrologia entrará na universidade. Isso irá acontecer devido às reivindicações que a astrologia tem feito, as quais até agora têm sido deixadas sem provas, podem agora ser comprovadas. Paracelsus deu nascimento a uma descoberta - que o homem fica doente somente quando o relacionamento harmonioso entre ele e a constelação de estrelas do seu nascimento de alguma forma falha. Para isso, uma pequena explanação é necessária. Muitos anos antes de Paracelsus, cerca de seiscentos anos antes de Cristo, Pitágoras deu nascimento ao princípio muito valioso da harmonia planetária. Quando Pitágoras declarou este princípio na Grécia ele tinha acabado de retornar de uma viagem ao Egito e a Índia. Quando ele chegou, a Índia estava intensamente absorvida pelas idéias de Buda e Mahavira. Após seu retorno a Grécia, ele incluiu em seu relatório uma referência específica ao Budismo e aos monges Jainistas. Ele deu aos monges Jainistas o nome Jainosofistas e também reportou que eles andavam despidos. Pitágoras acreditava que toda estrela, todo planeta e todo satélite liberam uma vibração única através de seu movimento viajando pelo espaço. Todo movimento das estrelas libera uma vibração e cada estrela tem seu próprio movimento individual. Todas as vibrações das estrelas somadas criam uma harmonia musical, que ele chamou de harmonia do universo. Quando você nasce, a melodia que é criada pela sintonia das estrelas naquela hora é inscrita na sua mente em sua pureza, de um modo natural, e na hora mais sensível do nascimento. Por toda sua vida isso irá causar boa ou má saúde. Quando você vive em sintonia com a harmonia musical original que existia na hora de seu nascimento, então você é saudável. E quando a sintonia com essa harmonia musical fundamental falha, você adoece.
    • Nessa conexão, Paracelsus fez um trabalho muito significativo. Ele não receitaria remédios a nenhum paciente até que ele tivesse visto sua Kundalini, sua carta de nascimento astrológica. E isso é uma coisa surpreendente que após examinar o mapa astral de um paciente, Paracelsus podia curar pacientes que haviam confundido outros médicos - pacientes que não puderam ser curados por nenhum outro médico. Ele costumava dizer: até que eu saiba a posição das estrelas na hora do nascimento desse homem, não é possível conhecer as notas de sua harmonia interna. E a menos que eu conheça o arranjo de sua harmonia interna, como posso tornar esse homem saudável? Mas o que significa saúde? Isso nós temos que tentar entender. Geralmente, se perguntarmos a um médico qual a definição de saúde, ele irá apenas dizer que saúde é a ausência de doença. Mas essa é uma definição negativa. È lamentável definir saúde em termos de doença. Saúde é uma coisa positiva, um estado positivo; doença é negativa. Saúde é a nossa natureza; doença é um ataque a natureza. Portanto, soa muito estranho definir saúde em termos de doença. Definir o anfitrião em termos do hóspede é muito estranho. A saúde coexiste conosco; a doença chega ocasionalmente. A saúde nos acompanha desde o nascimento; a doença é um fenômeno superficial. Mas se pedirmos a um médico para definir saúde, ele só pode dizer que a saúde está presente quando a doença está ausente. Paracelsus costumava dizer que essa interpretação está errada - o conceito de saúde necessita ser positivamente definido. Mas como podemos alcançar uma definição positiva, uma interpretação do conceito de saúde que seja criativo? Paracelsus costumava dizer: até que o estado de sua harmonia interna seja conhecido, você pode até ser liberado de sua doença, mas devido a que a harmonia interior é a fonte de sua saúde. Quando você é liberado de uma doença você irá imediatamente contrair outra, porque nada foi feito sobre sua harmonia interior. Sua harmonia interior tem que ser cuidada. Quinhentos anos se passaram desde que Paracelsus e suas descobertas desapareceram no esquecimento. Mas agora, nos últimos vinte anos, a astrologia ressurgiu. Durante esse tempo uma nova ciência nasceu. Irei descrever um pouco dessa nova ciência e então vocês estarão capacitados a entender mais facilmente a antiga ciência da astrologia. Em 1950, nasceu uma nova ciência chamada Química Cósmica. O criador dessa ciência é Georgi Giardi, um dos homens mais importantes do século. Após intermináveis experimentos no laboratório, este homem provou cientificamente que todo o universo é uma unidade orgânica - que todo o universo é um corpo. Se meu dedo for machucado, então todo meu corpo é afetado. O corpo significa que nenhum membro está separado, todos estão juntos. Se meu olho está doendo, então meu dedão do pé também sente a dor. Se meu pé
    • está dolorido, a mensagem chega ao coração. Se minha mente estiver doente, todo meu corpo será perturbado. Se todo meu corpo for destruído, então será difícil para minha mente encontrar algum lugar para ser. O corpo é uma unidade orgânica: toque numa simples parte e todo o corpo irá vibrar; todas as partes são afetadas. A química cósmica diz que o cosmos inteiro é um corpo. Nada nele fica apartado, todas as coisas estão juntas. Dessa forma, não importa quão distante uma estrela possa estar de nós, quando ela muda, as batidas do nosso coração também se alteram. E não importa quão distante possa estar o sol, quando ele fica muito agitado nossa circulação sanguínea também é perturbada. A cada onze anos uma tempestade de átomos ocorre no sol. Na última vez que uma grande tempestade de átomos e terríveis explosões estavam acontecendo no sol, um doutor Japonês chamado Tamatto fez uma descoberta surpreendente. Este doutor tinha estado pesquisando com o sangue das mulheres por vinte anos. O sangue feminino possui uma propriedade única que não está presente no sangue masculino. Na hora da menstruação o sangue das mulheres fica mais fino, mas o sangue do homem permanece sempre o mesmo. O sangue das mulheres quando menstruadas fica mais fino, também na gravidez o sangue delas afina. De acordo com Tamatto, essa é uma diferença básica entre os sangues dos homens e das mulheres. Mas quando a tempestade de energia atômica estava ocorrendo no sol com grande intensidade, o sangue dos homens também afinou. Isso era um fenômeno muito inusitado. Antes disso nunca havia sido registrado que o sangue do homem fosse afetado devido a perturbações no sol. E se o sangue pode ser tão afetado, então qualquer coisa pode ser afetada. Há um pensador americano, Frank Brown, que tem estado trabalhando nos aspectos das facilidades e da segurança dos astronautas. Por metade de sua vida, ele tomou para si a tarefa de assegurar que os homens que viajam pelo espaço não enfrentariam nenhuma dificuldade. O problema mais sério é como eles serão afetados quando deixam a Terra. Ninguém sabe quanta radiação atômica eles podem encontrar ou como isso irá afetá-los. No ocidente, até por dois mil anos após Aristóteles, se pensava que o espaço era vazio, que não havia nada lá: a duzentas milhas da Terra a atmosfera cessa e há espaço vazio. Mas as investigações dos viajantes espaciais provaram que essa noção estava errada. O espaço não é vazio, é muito pleno. Não é nem vazio nem morto - é extremamente vivo. A verdade é que as duzentas milhas de largura da camada da atmosfera terrestre impedem muitas influências danosas de nos atingir. Mas no espaço, todos os tipos de correntes estranhas estão fluindo, cujos efeitos o homem pode não estar preparado para suportar. Vocês ficarão surpresos de saber isso, e vocês irão dar risadas, mas antes de deixar um homem ser enviado para o espaço, Frank Brown enviou uma batata. A alegação de Brown era de que há muito pouca diferença essencial entre um homem e uma batata. Se a batata apodrecesse, então o homem não poderia sobreviver; se a batata sobrevivesse, então o
    • homem poderia também sobreviver. A batata é um organismo muito resistente e o homem é muito sensível. Se nem mesmo uma batata pode sobreviver no espaço, então não há nenhuma esperança de sobrevivência para o homem. Se uma batata retornar viva e se ela brotar após ser plantada na terra, então o homem pode ser enviado para o espaço. Contudo, ainda haveria preocupações sobre a capacidade do homem sobreviver. Com seu experimento Brown provou mais uma coisa - que uma semente de batata depositada na terra, ou qualquer semente depositada na terra, só cresce relacionada com o sol. O sol a desperta e a encoraja a brotar. O sol convoca o embrião da planta e o induz a crescer. Brown também pesquisou em outra área. Essa outra matéria não teve até agora um nome adequado, mas atualmente ela é chamada de hereditariedade planetária. Há outra palavra em inglês, horóscopo, que vem do Grego horoscopos. O significado da palavra horoscopos é: eu observo os planetas emergentes. Na hora do nascimento de uma criança, muitas estrelas estão surgindo por todo o horizonte da terra. Assim como o sol se levanta pela manhã e se põe à tarde, também as estrelas surgem e se põem no espaço nas vinte e quatro horas do dia. Se uma criança nasce às seis horas da manhã, naquela hora o sol também está surgindo. Naquela hora algumas estrelas também estão surgindo e outras estrelas estão se pondo. Algumas constelações estão ascendendo, outras constelações estão declinando. Essa criança está nascendo dentro de um certo arranjo de estrelas no espaço. Até agora temos duvidado - e mesmo agora muitas pessoas que não muito familiarizadas com o assunto ainda duvidam - que a lua e as estrelas possam ter alguma coisa a ver com o homem. Onde quer que as estrelas estejam, que diferença isso irá fazer para alguma criança que está nascendo numa aldeia? E também, na mesma hora, sob a mesma constelação, não somente uma criança, mas milhares de crianças estão nascendo... Entre elas, alguma pode se tornar presidente de algum país, mas o restante não. Entre elas, uma pode morrer após cem anos e outra após dois dias. Entre elas, uma será um gênio e outra será um idiota. Dessa forma, de um ponto de vista superficial, alguém pode perguntar como uma criança pode estar relacionada com o horóscopo apenas por nascer sob uma certa constelação e padrão planetário. A lógica de tal questão parece clara e direta. Porque as estrelas se importariam com o nascimento de uma simples criança? E também, não nasce somente uma criança; sob as mesmas estrelas nascem muitas crianças que não se assemelham. De tal lógica, parece que o nascimento de um ser humano não possui nenhuma conexão com as estrelas. Mas a partir das investigações de Brown, Picardi, Tamatto e outros, podemos chegar a uma grande conclusão. Todos esses cientistas dizem que embora ainda não possamos declarar que uma criança como indivíduo seja influenciada pelas estrelas, podemos agora dizer com certeza que a vida como um todo é afetada. Se uma criança, como indivíduo, é
    • influenciada, não podemos dizer ou saber agora, mas a vida como um todo é afetada. E se a vida como um todo é afetada, então quando investigarmos mais profundamente os fatos da matéria, iremos descobrir que o indivíduo também é afetado pelas estrelas. Mais uma coisa deve ser considerada. Tem sido pensado que a astrologia é uma ciência que, devido a que ela se originou num tempo antigo, não poderia desenvolver-se. Mas na minha visão a situação é exatamente o oposto. A astrologia era uma ciência infinitamente desenvolvida em alguma civilização extremamente avançada, mas essa civilização se perdeu e restaram somente fragmentos incompletos de sua astrologia em nossas mãos. A astrologia não é uma ciência nova que precisa ser desenvolvida, mas uma ciência que já foi em alguma época muito avançada. Portanto, a civilização que a desenvolveu se perdeu. Civilizações vêm e vão a cada dia; os fundamentos, as revelações e os princípios básicos destas coisas que foram desenvolvidas por eles, se perderam. Atualmente, a ciência está abordando o ponto onde será aceita a tese de que a vida como um todo é afetada pelos movimentos das estrelas. Na hora do nascimento, a condição da mente de uma criança é exatamente como uma chapa fotográfica muito sensível. Duas ou três coisas precisam ser levadas em conta se quisermos entender como a vida é afetada. E somente se a vida for afetada pode haver a possibilidade da astrologia - não de outra maneira. Devíamos tentar entender o fenômeno dos gêmeos. Existem dois tipos de gêmeos: um são os gêmeos idênticos - aqueles que nascem de um mesmo ovo; o outro tipo é daqueles que, embora sejam gêmeos, nasceram de ovos separados - no útero da mãe dois óvulos foram fertilizados e duas crianças nasceram. O primeiro tipo é mais raro - duas crianças de um mesmo ovo. Elas são assuntos muito importantes para estudo porque nasceram no mesmo momento. Por necessidade chamamos as crianças nascidas de ovos separados de gêmeos, mas o momento do nascimento delas não é exatamente o mesmo. Deve ser entendido que o nascimento é um fenômeno ambíguo. O primeiro aspecto do nascimento é a concepção - o verdadeiro nascimento acontece no dia em que o feto é concebido no útero da mãe. Esse é o verdadeiro nascimento. O que vocês chamam de nascimento é realmente o nascimento número dois - quando a criança sai do útero da mãe. Se fôssemos realizar uma completa investigação astrológica - como somente os Hindus fizeram e a fizeram meticulosamente - então nossa preocupação real não começaria quando a criança nascesse. Nossa real preocupação começa quando a criança inicia sua jornada no útero da mãe, quando a concepção acontece - porque esse é o verdadeiro nascimento. Assim os Hindus também sentiram que se um tipo particular de criança está para nascer, ela nascerá se o intercurso e a gravidez ocorrerem sob um arranjo de planetas e constelação mais adequado para esse tipo. Agora explicarei a vocês um pouco do fundamento disso, porque muito trabalho tem sido feito nessa área e muitas coisas ficaram claras.
    • Geralmente, para uma criança que nasceu às seis horas da manhã, achamos que a constelação que existia naquela hora influencia a criança. Mas aqueles que conhecem a astrologia profundamente dizem que as estrelas não lançam sua influência sobre a criança apenas porque ela nasceu às seis horas da manhã. Não, ao invés disso, a criança escolhe nascer sob aquelas estrelas que a influenciarão como ela gostaria de ser influenciada. Isso é uma coisa radicalmente diferente. Quando uma criança está nascendo, os planetas e as estrelas são escolhidos, e o momento no qual o nascimento ocorrerá. E se formos ainda mais fundo, então a criança também escolherá a hora da concepção. Toda alma escolhe sua hora de nascer - quando ela irá aceitar um útero, em qual momento. O momento da concepção não é significante. É significante na questão de como o universo inteiro existe naquele momento, e a que tipo de possibilidades o universo abre as portas naquele momento. Quando duas crianças são concebidas juntas a partir de um ovo, então o momento da concepção delas é o mesmo e o momento do nascimento também é o mesmo. É interessante que as vidas de duas crianças que nasceram de um mesmo ovo sejam tão semelhantes, que é difícil dizer que o momento do nascimento não tenha nenhuma influência. Os QIs dos gêmeos nascidos de um ovo são exatamente iguais. E aqueles que sabem, dizem que a diferença fracionária que surge é devido aos nossos deficientes instrumentos de medição. Ainda hoje, não temos sido capazes de desenvolver um critério adequado pelo qual possamos mensurar quantitativamente a inteligência. Se gêmeos nascidos do mesmo ovo foram criados separados um do outro, seus QIs não irão diferir. Mesmo que uma criança seja criada na Índia e a outra na China e nenhuma esteja ciente da existência da outra, isso ainda será verdade. Casos ocorreram onde tais gêmeos foram criados distantes um do outro até que eles tenham alcançado a maturidade, mas seus QIs não diferiram. É surpreendente que o QI possa ser associado com o potencial da criança no nascimento. Quando o gêmeo que vive na China pega um resfriado, naquela hora seu gêmeo que vive na Índia também fica resfriado. Geralmente, gêmeos nascidos do mesmo ovo morrem no mesmo ano. No máximo, três anos de diferença entre suas mortes, e no mínimo três dias mas nunca mais que três anos. Se um gêmeo morrer, então podemos considerar que após três dias ou dentro de três anos o outro irá morrer. Suas atitudes, seus comportamentos, seus sentimentos são paralelos e parece que os dois vivem quase exatamente do mesmo jeito. A similaridade deles também é vista em muitas outras coisas - cada um age como uma cópia do outro. A pele de cada pessoa é individual. Se minha mão for machucada e uma nova pele necessita ser enxertada, dessa forma sua pele não pode ser enxertada na minha mão; será
    • necessário usar um pedaço da minha própria pele. Por toda a Terra, não haverá ninguém cuja pele possa ser enxertada na minha mão. Meu corpo dará sinais de rejeição; não aceitará outra pele. Contudo, a pele dos gêmeos nascidos do mesmo ovo pode ser transplantada. Essa é a única exceção. Se a pele de alguém for enxertada na pele de outro, o corpo do outro irá rejeitá-la. Porque isso? Qual é a causa? Não podemos dizer que é por eles terem os mesmos pais, porque mesmo que dois irmãos tenham os mesmos pais, suas peles não são intercambiáveis. A única exceção é encontrada naquelas crianças que foram concebidas no mesmo momento. Mesmo entre elas não existe nenhum outro fator comum. Seus irmãos também vieram da mesma mãe e do mesmo pai, mas suas peles não podem ser intercambiadas nem a pele de um irmão pode ser enxertada no corpo do outro irmão. Somente os momentos de seus nascimentos diferem; a mãe e o pai são os mesmos, tudo mais é o mesmo. Eles diferem muito somente numa coisa, e esse é o momento da concepção deles. É a hora do nascimento tão influente que o tempo de vida tenha quase a mesma duração, que seus QIs sejam quase iguais, que o comportamento corporal deles seja semelhante, que quando os dois adoecem é da mesma doença, e que quando os dois se recuperam novamente, é do mesmo remédio? Será que o momento do nascimento pode ser tão influente? A astrologia tem dito que o momento do nascimento é ainda mais importante do que isso. Até agora a ciência não concordou com a astrologia, mas agora está começando a fazê-lo. Chegando a essa concordância progressiva, alguns novos experimentos têm ajudado. Por exemplo, quando lançamos satélites feitos pelo homem no espaço, descobrimos que uma ampla extensão de raios radiativos do espaço e das constelações estão continuamente bombardeando a Terra. Nada sobre a Terra fica imune a esse fenômeno. Sabemos que o oceano é influenciado pela lua, mas ainda não levamos em consideração o fato de que a mesma proporção de água e sal que ocorre no oceano também ocorre no corpo humano na mesma proporção. Setenta por cento do corpo humano consiste de água e a proporção de sal contido na água é a mesma da contida no mar da Arábia. Se a água no oceano é afetada pela lua, desse modo como pode a água dentro do corpo humano permanecer não afetada? Agora nessa conexão, dois ou três fatos surgindo de investigações recentes devem ser registrados. Por exemplo, quando o dia da lua cheia se aproxima, a insanidade no mundo aumenta, considerando que no último dia dos quatorze dias mais escuros, o maior número de pessoas dão entrada nos hospícios e no último dia do período da lua minguante, um maior número de pessoas recebem alta nos hospícios. As estatísticas estão disponíveis... Em inglês existe a palavra lunático; Em Hindi temos a palavrachaandmara. Chaand se refere à lua, assim como lunar em
    • inglês. Chaandmara é um termo muito antigo e a palavra lunático também tem três mil anos de idade. Cerca de três mil anos atrás, as pessoas descobriram que a lua afeta o insano. Mas se ela afeta o insano, então como se pode evitar que ela afete o saudável? Em última análise, a construção do cérebro e a composição interna do corpo são as mesmas para todos. Sim, pode ser que a lua afete mais intensamente o insano e menos intensamente o são, mas essa é uma simples diferença quantitativa. É impossível que o saudável permaneça completamente imune às influências da lua. Se isso fosse verdade, então ninguém ficaria louco porque todos aqueles que enlouquecem já foram uma vez são. A lua deve afetar primeiro aqueles que são saudáveis. O professor Brown fez um interessante estudo. Ele era um homem sem nenhuma fé na astrologia. Ele era cético e em seus primeiros escritos ele ridicularizou bastante a astrologia. Mas apesar de seu ceticismo ele começou alguma investigação. Ele reuniu as cartas de nascimento de muitos famosos generais, doutores e outros profissionais. Mas então ele ficou em grande dificuldade devido a que ele descobriu que membros de certas profissões nasceram sob um planeta especifico, sob a mesma constelação. Por exemplo, entre todos os famosos generais, a influência de Marte sobre a vida deles era muito forte, enquanto que nas vidas dos acadêmicos a influência de Marte era completamente ausente. O estudo que Brown realizou em cerca de cinqüenta mil homens que eram oficiais das forças armadas revela que a influência de Marte é muito forte nas vidas desses homens. Geralmente, quando tais personalidades nascem, o planeta Marte é ascendente. O momento do nascimento deles é o momento em que Marte começa a ascender. Exatamente em oposição a isso, não importa o número de pacifistas que foram estudados, eles nunca nasceram na hora em que o planeta Marte estava ascendendo. Se isso acontecesse apenas ocasionalmente, vocês poderiam interpretar como uma coincidência, mas não pode haver milhares de casos de coincidências. Os matemáticos nascem sob uma constelação específica; os poetas nunca nascem sob esta mesma constelação. Em um caso ocasional pode haver uma coincidência, mas quando isso acontece tão freqüentemente não pode ser uma coincidência. De fato, há uma grande diferença de comportamento entre pessoas de diferentes profissões e ocupações - por exemplo, entre poetas, matemáticos, fomentadores de guerras, generais e pacifistas. De um lado, pode haver um homem como Bertrand Russel que diz que deveria haver paz no mundo, e por outro lado, um homem como Nietzsche que diz que no dia em que as guerras cessarem o mundo deixará de ter significado. È apenas uma disputa intelectual entre eles, ou é também uma disputa entre as estrelas? É somente uma disputa intelectual entre eles, ou o momento de seus nascimentos também os separam? Quanto mais se pesquisa, mais é compreendido que os talentos especiais de uma pessoa são revelados pelo momento de seu nascimento.
    • Aqueles que conhecem a astrologia mesmo superficialmente diriam que isso acontece porque ele nasceu sob uma constelação especifica. Mas quero dizer a vocês que o homem escolhe a constelação sob a qual ele nascerá. Ele irá nascer sob a constelação adequada de acordo com o que ele quer ser, quaisquer que sejam suas possibilidades inatas, qualquer que seja a forma de sua última vida tomada em sua inteireza, qualquer que seja a motivação de sua consciência. Toda criança, cada nova vida, insiste em um momento específico para o nascimento. Ela quer nascer em um momento específico; ela quer ser concebida em um momento específico - mas ambos são independentes. Como disse a vocês, a água do oceano está sujeita a certas influências. Mas toda a vida procede da água; sem água, nenhuma vida é possível. Na Grécia antiga, os filósofos costumavam dizer que a vida brota somente da água, que água é vida. As antigas mitologias Indianas, Chinesas, dentre outras, também afirmam isso. Atualmente, cientistas que acreditam na evolução também dizem que a vida nasceu na água, que talvez a primeira vida no planeta surgiu na água como uma alga. Essa era a primeira forma de vida, e assim, a partir disso, o homem eventualmente evoluiu. A água é o elemento mais misterioso de todos. Qualquer que sejam as influências que atingem o homem, a partir das estrelas, do universo, do espaço exterior, o atingem por intermédio da água. Só depois de afetar a água no corpo do homem, pode alguma radiação ter acesso a ele. Muito trabalho está sendo feito com a água e muitos mistérios com relação à água estão chamando a atenção do homem. O maior mistério sobre a água, que chamou a atenção dos cientistas nos últimos dez anos, é que a água possui muita sensibilidade. Quaisquer que sejam as influências ativas, de qualquer parte da vida, elas primeiro se movem através da água. A água em nós é a primeira coisa a ser afetada. Uma vez que a água que está em nosso corpo é influenciada, então fica muito difícil evitar sermos influenciados. Vocês ficarão surpresos de saber que quando a criança flutua no útero materno, ela flutua exatamente como se estivesse no oceano. A água na qual a criança flutua no útero da mãe possui a mesma proporção de sal da água do oceano. As influências do corpo da mãe não atingem a criança diretamente; não existe uma conexão direta entre a mãe e a criança que está crescendo em seu útero. A água é o médium; quaisquer que sejam as influências que atinjam a criança através da mãe, o fazem por intermédio da água - não há um relacionamento direto. Assim, por todas as nossas vidas a água em nossos corpos se comporta exatamente como a água do oceano. Os peixes do oceano têm sido muito estudados. Existem peixes que chegam até a praia e depositam seus ovos na maré baixa quando o oceano está recuando. Impulsionados pelas ondas, os peixes chegam até a areia, depositam seus ovos e retornam nas ondas do oceano. No tempo fixado a maré retorna e através dela os ovos são chocados e as ovas brotarão. Dessa forma, à próxima maré levará os filhotes de volta para o mar. Os cientistas que estudaram esses peixes ficaram muito surpresos, devido a que os peixes sempre vêm depositar seus ovos na maré baixa.
    • Se eles depositassem seus ovos na maré alta, os ovos seriam carregados pelas ondas. Eles depositam seus ovos quando a maré está baixando e se retirando por algum tempo no recesso das ondas. E a maré não inunda o lugar onde eles depositam seus ovos uma segunda vez, senão a maré arrastaria os ovos. Os cientistas estão perplexos de como esses peixes sabem quando a maré estará baixa. Se ocorresse o menor erro no tempo, as ovas seriam carregadas. Mas em centenas de milhares de anos eles nunca cometeram um engano. Se eles se enganassem, eles desapareceriam como uma espécie. Mas eles nunca se enganaram. Que equipamento esses peixes possuem pelo qual possam saber sobre as marés? Que órgão sensitivo eles possuem que lhes diz quando a maré irá refluir? Cem mil peixes se juntarão ao mesmo tempo por toda a praia... Esses peixes devem possuir algum tipo de sistema de sinalização, algum tipo de transmissor. Cem mil peixes virão de uma distancia de milhares de milhas para depositarem seus ovos nas praias - e todos ao mesmo tempo. Aqueles que estudaram o fenômeno dizem que não há nenhuma outra fonte de informação a não ser a lua. A lua é a fonte da intuição dos peixes, nada mais - os peixes sabem intuitivamente quando a maré está baixando e quando está subindo. O impacto da lua é a único modo que eles têm de conhecer as marés. Há uma outra possibilidade. Tem sido presumido que esses peixes podem de alguma maneira ser influenciados pelas ondas do oceano. Então os cientistas os colocaram num lugar onde não havia nenhuma onda: na água, num quarto escuro. Mas os resultados mostraram ser realmente surpreendentes. Os peixes estavam encobertos pela escuridão, a lua não estava a vista e não havia nenhuma luz visível, mas quando a lua chegou no ponto exato no qual os peixes no oceano vão e depositam seus ovos na praia, exatamente no mesmo momento os peixes no laboratório depositaram seus ovos. O que esse fato mostra? Que isso não é uma questão das ondas do oceano. Alguém pode sugerir que a corrida só começa quando os peixes recebem sinais um do outro, mas essa hipótese não se sustenta. Os cientistas testemunharam os peixes quando eles foram isolados um do outro. Eles tentaram perturbar os cérebros desses peixes de todas as maneiras. Eles colocaram os peixes na escuridão por vinte e quatro horas, para que os peixes não soubessem quando era manhã ou quando era noite. Eles observaram esses peixes após colocá-los sob uma luz brilhante por vinte e quatro horas para que os peixes não pudessem saber quando era dia. Eles os observaram depois de representar uma lua artificial se pondo, e diariamente aumentado ou diminuindo o brilho da luz - mas os peixes não puderam ser enganados. Quando a verdadeira lua chegava no ponto certo, somente naquele momento os peixes depositavam seus ovos; onde quer que eles estivessem, eles depositavam seus ovos naquele momento. Todo ano centenas de milhares de aves voam milhares e milhares de milhas.
    • Estamos no inverno e logo a neve irá cair, então os pássaros começam a migrar das áreas onde a neve cairá. Eles voarão para um lugar distante milhares de milhas para alcançar o lar de inverno. Assim essas aves migram exatamente um mês antes da chegada da neve. Na hora em que elas estão migrando a neve ainda não começou a cair, mas exatamente após um mês ela começará a cair. Como essas aves calculam a data na qual a neve cairá? Nossos meteorologistas, que possuem os mais elaborados laboratórios, não conseguem explicar tal informação exata. Disseram-me que alguns meteorologistas primeiro perguntam aos astrólogos pelas ruas: vocês acham que irá chover hoje ou não? Os arranjos que o homem tem feito parecem infantis. As aves sabem um mês e meio, até mesmo dois meses antes que a primeira neve caia. Após milhares de experimentos foi observado que o dia, no qual os pássaros migram, é fixo para todo tipo de ave. E todo ano as datas mudam, porque não existe uma data fixa para a neve cair. Mas é certo que toda ave migrará um mês antes da neve cair. Se a neve for cair dez dias mais tarde em comparação com o ano anterior, elas migrarão dez dias mais tarde em comparação com o ano anterior. Se a neve cair dez dias mais cedo, elas terão migrado dez dias mais cedo. Se a data da primeira queda de neve for incerta, então como é que essas aves são informadas? No Japão há uma ave que irá evacuar uma cidade vinte e quatro horas antes que ocorra um terremoto. É apenas um lugar comum de aves - existem muitos deles em toda cidade mas vinte e quatro horas antes de um terremoto essas aves irão evacuar o lugar. No presente, os cientistas são incapazes de predizer com precisão se um terremoto está para acontecer mesmo por duas horas de antecedência; duas horas antes eles ainda não têm certeza, ainda estão inseguros. Há apenas uma probabilidade, uma possibilidade, de que um terremoto venha ocorrer. Mas no Japão as pessoas sabem com vinte e quatro horas de antecedência que um terremoto está para acontecer. Quando esses pássaros voam, as pessoas do lugar sabem que agora eles têm somente vinte e quatro horas de tempo. O pássaro se foi - nenhum dessa espécie permanece na cidade. Como esse pássaro toma conhecimento? Nos últimos dez anos, os cientistas têm dito algo novo: que todo organismo vivo possui um sensor interno, o qual percebe as influências cósmicas. Talvez o homem também o possua, mas perdeu a consciência disso por depender de seu intelecto. O homem é o único ser vivo no mundo que tem, através da sua assim chamada inteligência, perdido muitas coisas que antes possuía. Através da mesma inteligência ele também tem obtido muitas coisas que nunca teve antes - mas o resultado é que ele acabou em perigo de autodestruição. O que ele tinha, perdeu e o que não tinha, ele inventou. Mas até mesmo os menores organismos vivos possuem uma fonte de intuição interior, e agora, dados científicos que provam que tal fonte interior existe, estão se tornando disponíveis. A descoberta de uma fonte interior nos torna cônscios de que não há nada vivo sobre a Terra que esteja isolado ou separado - tudo está
    • ligado ao cosmos. O que quer que aconteça em qualquer lugar, os efeitos disso são sentidos aqui. Eu estava falando sobre Paracelso& Atualmente os médicos estão também chegando a conclusão que quando as manchas solares surgem e crescem, as doenças na Terra aumentam e que quando as manchas diminuem no sol, as doenças também diminuem. Enquanto as manchas solares continuarem a acontecer nunca eliminaremos as doenças na Terra. A cada onze anos há um grande tumulto no sol e enormes explosões acontecem. Quando explosões e tempestades ocorrem no sol, guerras e perturbações ocorrem na Terra. As guerras que acontecem na Terra seguem um ciclo de dez anos. As epidemias também seguem um ciclo de dez ou de onze anos. As revoluções também seguem um ciclo de aproximadamente dez ou onze anos. Uma vez que vocês se tornam cônscios de que não estamos separados ou isolados, mas juntos de uma maneira orgânica, então será fácil compreender a astrologia. Eis porque estou explicando tudo isso para vocês. No passado algumas pessoas pensavam, e ainda pensam, que a astrologia é superstição e fé cega. Em grande parte isso parece ser verdade. Aquelas coisas para as quais é difícil encontrar uma explicação científica nos parecem baseadas somente na fé cega. Mas a astrologia é muito científica. O significado da ciência é a investigação da relação entre causa e efeito. A astrologia diz que tudo que acontece nessa terra não é sem causa; contudo, podemos não estar cônscios das causas. A astrologia diz que a forma que o futuro irá tomar não pode ser isolada do passado, mas deve estar conectada a este; o que você se torna amanhã estará conectado ao que você é hoje; o que você foi até agora está conectado ao que você será amanhã. Astrologia é uma maneira muito científica de pensar. A astrologia sustenta que o futuro emergirá somente do passado: seu hoje emergiu de seu ontem e seu amanhã irá emergir de seu hoje. Astrologia também sustenta que tudo que aconteça amanhã está de uma maneira sutil presente hoje mesmo. Agora tente entender um pouco disso. Três dias antes de seu assassinato, Abraham Lincoln teve um sonho no qual ele tinha sido assassinado e que seu cadáver estava deitado num quarto especial na Casa Branca. Ele até percebeu o número do quarto. Nesse ponto seu sono foi quebrado, e quando ele acordou, ele sorriu. Ele disse para sua esposa; eu sonhei que fui assassinado e que meu corpo estava deitado no quarto número tal e, em tal área da Casa Branca - ele estava dormindo nessa parte da Casa Branca. Você estava de pé junto a minha cabeça, e essas pessoas estavam todas ao redor. Isso era uma piada, uma coisa engraçada para ele. Lincoln e sua esposa voltaram a dormir. Três dias depois, o assassinato de Lincoln aconteceu. Três dias depois seu corpo estava deitado no quarto com aquele número, naquele mesmo lugar, e as pessoas estavam de pé ao redor de seu corpo naquela seqüência.
    • Se o que estava para acontecer três dias mais tarde não tivesse de alguma maneira já ocorrido, então como poderia tal sonho ter acontecido? Como poderia o sonho assemelhar-se com o que realmente ocorreu, com tais detalhes? Tal vislumbre só é dado em um sonho, se de algum modo isso já é existente no momento presente. Só assim podemos obter um vislumbre do que irá ocorrer no futuro. Se abrirmos a janela do presente seremos capazes de ver que o futuro está apenas do lado de fora dessa janela. É a hipótese da astrologia de que o futuro é simplesmente nossa ignorância - assim o chamamos de: o futuro. Se fôssemos capazes de vê-lo, então o futuro não aconteceria para nós - saberíamos que ele já está presente aqui e agora. Há um incidente na vida de Mahavira sobre o qual tem havido muita discussão. Por causa dessa disputa um grupo de seus discípulos rompeu com ele em sua própria presença. Devido a esse conflito, quinhentos dos monges de Mahavira fundaram uma ordem separada. Mahavira costumava dizer que tudo que está acontecendo tem em certo sentido já acontecido: se você está caminhando, então, em certo sentido, você já chegou ao seu destino; se você está envelhecendo, então, de certo modo, você já envelheceu. Mahavira costumava dizer que tudo que está acontecendo, tudo que está em processo, já ocorreu. Um antigo discípulo de Mahavira morava muito longe dele durante a estação chuvosa. Ele estava doente, assim ele pediu a um discípulo mais novo que estava presente para que estendesse um tapete para ele. Então o discípulo novato começou a estender o tapete e ele já estava desenrolando o tapete quando o veterano discípulo relembrou um dito de Mahavira. Ele disse: Pare! Mahavira diz que o que está acontecendo já aconteceu. O tapete estava sendo desenrolado, mas ainda não estava completamente aberto. Tinha ocorrido subitamente para ele que Mahavira havia dito uma coisa muito errada. O tapete estava meio aberto, mas em que sentido ele já estava completamente aberto? Ele deixou o tapete lá. Após a estação chuvosa, ele foi até Mahavira e disse: Você está enganado quando você diz que o que está acontecendo já aconteceu, porque agora mesmo o tapete continua meio aberto. Ele estava sendo aberto, mas não foi completamente aberto.Assim eu vim para provar que o seu dito está errado. Mahavira disse que ele não havia entendido o que ele tinha dito. Esse discípulo deve ter tido uma mente muito infantil, senão ele não teria falado desse jeito. Mahavira disse; "Você interrompeu o processo. Ele estava acontecendo, mas você o interrompeu. O tapete que você impediu que fosse desenrolado já estava realizando a si mesmo no próprio processo de desenrolar. Ele já tinha, de fato, sido realizado. Você viu apenas o tapete no processo de desenrolar, mas um outro processo estava ocorrendo, e esse é o que já ocorreu. Agora por quanto tempo seu tapete permanecerá enrolado? Ele está se abrindo, e se abrirá. Volte".
    • Quando o discípulo voltou ele viu que um homem tinha aberto o tapete e estava deitado sobre ele, descansando. Esse homem estragou tudo; ele destruiu toda a teoria do discípulo. Quando Mahavira estava dizendo que tudo que está acontecendo já aconteceu, ele estava dizendo que tudo que está acontecendo é o presente, tudo que possa ser é o futuro. O botão que está florescendo em algum lugar já floresceu, portanto ele irá florescer, ele irá se tornar uma flor. Agora mesmo o botão está em processo de florescimento, agora mesmo ele é apenas um botão, mas se ele está no processo de florescimento, então ele florescerá. Tendo ele florescido tem também, de certo modo, já ocorrido em algum lugar. Agora vamos olhar para isso de outro ângulo. Será um pouco mais difícil. Sempre olhamos do ponto de vista do passado. O botão está florescendo& mas nosso pensar é geralmente orientado pelo passado, preso ao passado. Dizemos que o botão está florescendo, que ele está se tornando uma flor, que o botão se tornará uma flor. Mas o inverso pode ser o caso. Por exemplo, se eu lhe empurro por detrás, estou fazendo você ir para frente. Mas também pode ser que alguém esteja lhe puxando pela frente, e que ninguém esteja lhe empurrando por detrás. Também dessa maneira você se moverá para frente. Mas pode ser também que alguém esteja lhe puxando pela frente. O movimento pode ser em ambas as direções. Estou lhe empurrando por detrás e você está indo para adiante. Pode ser que alguém esteja lhe puxando pela frente e que ninguém esteja lhe empurrando por detrás. Nesse caso também você se moverá para frente. A astrologia reconhece a incompletude da perspectiva de que o passado dá o impulso e que o futuro acontece como um resultado. Se enxergarmos um fenômeno em sua totalidade, vemos que o passado está provendo o impulso, mas que o futuro está também exercendo um puxão, uma atração. O botão se transformando numa flor não é tudo que está acontecendo. A flor está clamando para o botão sair e tornar-se uma flor - ela não está exercendo um puxão. O passado ficou para trás, o futuro está adiante. Agora, no momento presente, há um botão; todo o passado o está empurrando para ele se tornar uma flor, e todo o futuro está chamando para ele se tornar uma flor. Sob pressão de ambas as direções, do passado e do futuro, o botão se tornará uma flor. Se não houvesse nenhum futuro, o passado por si mesmo não seria capaz de criar a flor porque o futuro precisa prover o espaço para o botão se tornar uma flor. No futuro um lugar, algum espaço, é necessário. Somente se o futuro providenciar espaço o botão será capaz de florescer. Se não houver futuro, então não importa quanto o passado tentou, não importa quanto ele lhe empurrou, isso seria em vão. Não importa o quanto lhe empurro por trás, se houver uma parede em frente a você, não posso fazer você mover-se à frente.
    • Espaço é necessário para ir adiante. Se lhe empurro e o espaço adiante lhe aceita com o convite: "Venha, seja meu hóspede", só assim meu empurrão pode ser significativo. Para meu empurrão um espaço no futuro é necessário. O passado realiza o trabalho; o futuro provê o espaço. É a visão da astrologia que olhar do ponto de vista somente do passado é insuficiente e apenas parcialmente científico. O futuro está sempre nos chamando, nos puxando o tempo todo. Não sabemos, não estamos cônscios. Essa é a fraqueza de nossos olhos, essa é a nossa miopia - não podemos ver muito longe. Sobre amanhã, nada nos é revelado. Se vocês olhassem para o mapa de nascimento de Krishnamurti, vocês ficariam surpresos. Se Annie Besant ou Leadbeater tivesse o cuidado de olhar para o mapa de nascimento de Krishnamurti, eles teriam visto que era errado trabalhar com Krishnamurti, porque sua carta de nascimento mostrava claramente que qualquer organização que Krishnamurti viesse a pertencer, ele seria seu destruidor. Isso mostra que qualquer que fosse a organização que ele viesse a fazer parte, ele traria sua desintegração; qualquer que fosse a organização a qual ele se juntasse, esta morreria. Mas Annie besant não estava preparada para aceitar isso. Ninguém poderia pensar tal coisa, mas foi assim que isso aconteceu. O movimento teosófico tentou preparar Krishnamurti como seu líder. A teosofia fez um tal esforço em favor de Krishnamurti que o movimento morreu para sempre. Annie Besant criou uma vasta organização chamada Estrela do Oriente, apenas para Krishnamurti. Então um dia, após ter inspirado a organização, Krishnamurti se separou dela. Annie Besant tinha dedicado sua vida inteira para pôr a organização de pé, e destruiu a si mesma por ela. Mas Krishnamurti não pode ser culpado por isso. A estrela sob cuja influência ele nasceu anunciou claramente que ele seria uma força destrutiva e demolidora dentro de qualquer organização. O futuro não é completamente incerto. Nosso conhecimento é incerto; nossa ignorância é pesada. Nada do futuro parece estar revelado a nós. Estamos cegos - absolutamente nada do futuro nos está revelado. E porque nada nos parece estar revelado, dizemos que é incerto. Mas algo do futuro nos está revelado - astrologia não é meramente o estudo do que as estrelas e os planetas dizem, ou de calcular sua significância. Essa é somente uma dimensão da astrologia. Então existem outras dimensões de conhecer o futuro também. As pessoas possuem linhas nas palmas de suas mãos, pessoas possuem linhas nas suas testas, linhas nas solas de seus pés, mas isso também é superficial. No corpo humano existem chakras escondidos. Cada chakra tem sua própria sensação única; cada chakra vibra a sua própria maneira
    • única, na sua própria freqüência, o tempo todo. Existem maneiras de checar quais são elas. Os seres humanos ocultaram dentro deles as impressões mentais ou as sementes do passado. Ron Hubbard trouxe uma nova palavra, uma nova ciência, para o Ocidente. Para o Oriente ela é antiga. O nome dessa ciência é trilha do tempo. Hubbard acha que qualquer que seja a forma que um homem tenha vivido - se como homem ou como besta, se como planta ou como pedra - em qualquer forma que ele tenha vivido através de seu tempo infinito de vidas, toda essa corrente de memórias ainda está contida dentro dele. Essa corrente pode ser exposta e uma pessoa pode até mesmo ser preparada para reexperienciar essas memórias. Em toda a pesquisa de Hubbard, essa é a descoberta mais valiosa. Hubbard disse na trilha do tempo que dentro do homem existem "engrams". Por um lado, possuímos uma memória pela qual relembramos o que aconteceu ontem e o que aconteceu antes. Esse é o trabalho da nossa memória, essa é nossa memória de cada dia. Assim como todo comerciante ou empregado de escritório mantém um registro diário, esse é o trabalho da nossa memória. Isso se torna inútil a cada dia, e então não mais existe - não é de maneira nenhuma permanente. Essa é nossa memória trabalhadora através da qual fazemos nosso trabalho diário e então todo dia o lançamos fora. Bem mais fundo que isso está uma memória que não é meramente para conseguir fazer o trabalho: uma memória que é nossa vida, que soma toda a nossa experiência, a essência acumulada da nossa experiência através de incontáveis vidas no caminho. Hubbard chamou isso de um "engram" - isso ficou entranhado dentro de nós. Repousa lá em sua inteireza, trancado lá no fundo, assim como se uma fita gravada estivesse guardada em seu bolso. Ela pode ser aberta e quando é aberta ela se torna o que Mahavira costumava chamar de lembrança da vida passada. Hubbard a chama de trilha do tempo - isso torna possível para você voltar no tempo. Quando ela é aberta, a experiência não é que você está relembrando; não é como se você estivesse relembrando, você revive a experiência. Quando está aberta, quando a trilha do tempo está aberta, você não percebe que está relembrando. Não, você revive-o. Tente entender. Se sua trilha do tempo está aberta, esse reviver não será difícil. De fato, sem isso a astrologia fica incompleta. A realização mais profunda da astrologia é que seu passado deve estar aberto, porque se você se torna cônscio de todo seu passado, então você ficará cônscio de todo o seu futuro; seu futuro irá emergir de seu passado. Sem conhecer seu passado você não pode conhecer seu futuro, porque seu futuro será a criança de seu passado, seu futuro nascerá de seu passado. Portanto, primeiro é necessário que toda sua trilha da memória seja exposta. Se sua trilha da memória estiver aberta - e para isso existem técnicas e métodos - você está enganado se você pensa que você irá se lembrar como seu pai lhe esbofeteou quando você era uma criança de seis anos de idade. Você não se lembrará de como você era quando você tinha
    • seis anos de idade - você irá revivê-lo. Você irá reviver o evento. Também, na hora que você estiver revivendo-o, se eu perguntar: qual é o seu nome? Você irá responder; Junior - não William Smith Junior. Uma criança de seis anos de idade estará respondendo. Você estará revivendo o evento nessa hora; você não estará relembrando-o. William Smith Junior não está relembrando quando ele tinha seis anos de idade. Não, William Smith Junior tornou-se uma criança de seis anos de idade. Agora ele irá responder: Junior. Qualquer resposta que ele der será a resposta de uma criança de seis anos de idade. Se você foi levado de volta para uma vida passada e você relembrou que você era um leão, então se você fosse perturbado nesse ponto você começaria a rosnar exatamente como um leão. Você não falaria como um homem. É possível que você até mesmo ataque alguém com suas unhas e dedos. Se você se lembrou que você era uma rocha e alguém lhe faz uma pergunta, então você permaneceria completamente em silêncio. Você não seria capaz de falar, você ficaria como uma pedra. Hubbard ajudou milhares de pessoas. Por exemplo, se um homem não podia falar, Hubbard diria que essa pessoa foi bloqueada por alguma memória da infância e não pode mover-se. Então ele o traria de volta através da sua trilha do tempo e forçaria seu "engram" regredir no tempo para quando ele tinha seis anos de idade, ou para o ponto no qual seu crescimento ficou bloqueado e ele não pode prosseguir. Quando ele regride a esse ponto, a influência da memória da infância se dispersará. Então esse homem novamente voltará a ter trinta anos de idade e os vinte e quatro anos de diferença serão postos de lado. O mais surpreendente é que milhares de remédios não ajudariam esse homem a falar, mas regredindo ao longo da sua trilha do tempo e então retornando, ele se torna capaz de falar. Muitos males chegam a vocês somente devido a essa trilha do tempo. Muitos males se encaixam nessa categoria: por exemplo, a febre do feno ou asma. Para o paciente que sofre da febre do feno, existe uma data fixa: a cada ano na mesma data, no mesmo tempo, sua febre do feno retorna. Portanto não há nenhum remédio para essa febre do feno. Porque?... Devido a que a febre do feno não é realmente uma doença corporal, é uma doença da trilha do tempo. Em algum lugar a memória foi fixada, a memória foi bloqueada em algum lugar. Por exemplo, um homem tem uma memória relacionada com o décimo segundo dia do mês durante a estação chuvosa. Quando o décimo segundo dia chega, quando a estação chuvosa chega, o homem está se preparando; ele já está assustado com o que irá acontecer. Vocês ficarão surpresos de que a febre do feno que agora irá atacá-lo é somente algo que ele está revivendo - não é absolutamente a febre do feno. Ele está apenas revivendo o que ocorreu no décimo segundo dia do ano anterior. Se vocês lhe derem algum tratamento agora, vocês apenas o estarão colocando em mais apuros. Tratamento médico é inútil porque ele não é o mesmo homem que estava doente um ano antes e que naquele tempo poderia ter sido tratado. Vocês estão desnecessariamente
    • jogando remédio fora, porque isso está indo para o homem que existe agora, não para o homem que estava doente um ano antes. Não há nenhuma conexão entre os dois. Nenhum relacionamento. Todo remédio irá falhar, todo remédio irá somente aumentar sua febre do feno e assim ele irá dizer que nada está funcionando. Ele está novamente se preparando para repetir o que aconteceu no ano anterior. Setenta por cento de nossos males acontecem através da trilha do tempo. Eles foram pegos e agarrados tão firmemente que os revivemos repetidamente. A astrologia não é meramente o estudo das estrelas, embora ela inclua isso também. Iremos falar a respeito disso. Além do estudo das estrelas, existem, em separado, outras dimensões através das quais a astrologia tenta pesquisar o futuro do homem, pelas quais a astrologia pode alcançar o futuro. Para se tornar cônscio do futuro, é necessário tornar-se cônscio do passado. Para se tornar cônscio do passado, é necessário ler as inscrições traçadas no seu corpo e na sua mente. Existem inscrições sobre seu corpo e existem inscrições na sua mente. Desde o tempo em que a astrologia tornou-se obcecada com estas inscrições corporais, ela não pode mais se aprofundar porque estas inscrições corporais são muito superficiais. Se sua mente passar por uma mudança, então as linhas na palma da sua mão imediatamente mudarão. Se, sob hipnose, lhe for assegurado que após quinze dias você irá morrer e se a cada dia por quinze dias você for deixado inconsciente e for assegurado em seu estado de inconsciência de que você irá morrer após quinze dias... Se você realmente morre ou não, sua linha da vida será quebrada no comprimento proporcional de quinze dias. Um intervalo terá aparecido na sua linha da vida; o corpo aceitará a noção de que a morte está a caminho. As linhas traçadas sobre o corpo são um fenômeno muito superficial. Bem lá dentro está a mente. Contudo, a mente com a qual você está familiarizado não existe bem lá no fundo; ela é superficial. Bem lá no fundo existe uma mente a qual você absolutamente não conhece. Os centros que existem bem lá no fundo desse corpo, os quais a yoga chama de chakras, são as formas acumuladas de muitas vidas. Os que conhecem podem, colocando sua mão sobre um chakra particular, descobrir quão ativo ele é. Tocando os seus sete chakras, pode-se saber se você já os experienciou ou não. Tenho experimentado os charkas de centenas de pessoas e tenho sido surpreendido de descobrir que no máximo um ou dois, e muito raramente três, chakras começaram a ser ativados; geralmente, eles permanecem adormecidos. Você nunca os utilizou, mas eles são o seu passado. Se um homem que já os tenha experienciado vier até mim e eu posso ver que todos os seus sete chakras estão ativos, então pode ser dito que esse é seu último nascimento. Portanto não haverá outro nascimento, porque se todos os sete chakras estão ativos, não há possibilidade de outra vida. Essa vida será nirvana, essa vida será libertação.
    • Se alguém vinha até Mahavira, ele fazia questão de descobrir quantos chakras estavam ativos na pessoa e quanto trabalho precisa ser feito com ela, quais eram as suas possibilidades, quando e se seu esforço daria algum fruto ou não, e de quantos nascimentos mais a pessoa precisaria. A astrologia é uma tentativa de pesquisar o futuro por muitos caminhos. Entre esses - e o caminho mais comumente usado - é o estudo de como os planetas e as estrelas influenciam o homem. Para isso, mais evidências científicas estão se tornando disponíveis a cada dia. Isso já foi bem decidido: a vida é afetada e não pode evitar ser afetada por essas influências. Apenas a segunda parte permanece difícil determinar: se cada pessoa é também afetada como um indivíduo. Isso preocupa um pouco os cientistas se cada pessoa é afetada individualmente, se os três ou quatro bilhões de pessoas nesse planeta são afetados como indivíduos. Mas eles devem compreender que isso é assim. Mas porque eles estão tão perturbados? A natureza provê para cada pessoa um polegar o qual é unicamente seu, o qual é individual e não pode ser repetido. A natureza mantém uma consideração tal que ela provê para cada pessoa um polegar que é unicamente seu e uma impressão do polegar que não pode jamais pertencer a alguém mais, nem agora nem no futuro. Muitos bilhões de pessoas já viveram sobre a Terra, muitos bilhões poderão ainda viver sobre a Terra no futuro, mas a impressão do meu polegar jamais será repetida. Você ficará surpreso de saber que mesmo no caso de gêmeos nascidos de um mesmo ovo suas impressões no polegar serão diferentes um do outro. Se a natureza pode outorgar tanta individualidade a cada pessoa com relação a uma coisa sem valor como um polegar - uma coisa que não tem nenhum valor especial e que parece não realizar nenhum propósito especial - se a natureza pode até mesmo dar a um polegar uma unicidade, então não poderia dar a cada homem uma vida única e uma alma única? Parece não haver nenhuma razão porque não deveria. Mas a ciência se move lentamente e isso é bom! Para a ciência, mover-se lentamente é bom. Até que um fato esteja completamente testado, não é bom ir adiante nem mesmo uma polegada. Mas os profetas podem dar um salto. Eles podem declarar o que acontecerá em milhares ou mesmo em centenas de milhares de anos agora mesmo. A ciência avança polegada a polegada. Ela enxerga somente fatos, fatos que podem ser experimentados. Sonhos não têm nenhuma utilidade para a ciência, mas os profetas podem descobrir verdades mesmo nos sonhos. Pra eles, mesmo o futuro é simplesmente o presente expandido. A astrologia é basicamente uma investigação do futuro. E ciência é basicamente a investigação do passado. A ciência é a investigação da causa de tudo que existe hoje. Astrologia é a investigação do efeito de tudo que existe hoje. Entre os dois existe um imenso abismo. Mas a cada dia a ciência experimenta novas coisas e as teorias que pareciam impossíveis começam a parecer possíveis.
    • Como havia dito, a ciência apenas recentemente aceitou que cada pessoa nasce com uma individualidade embutida. Por um longo tempo a ciência relutou em aceitar a validade dessa idéia. Mas a astrologia sempre esteve dizendo isso. Apenas tente entender... Por exemplo, pegue uma semente, uma semente de manga& quando plantamos a semente de manga, deve estar contido nela uma espécie de programa embutido, deve haver uma planta. Se não fosse assim, a semente estaria desamparada. Ela não toma conselho de um especialista nem estuda numa universidade... Como pode então uma mangueira desenvolver-se a partir dessa semente? Ainda assim, ela produz a folha da mangueira, ela nutre o fruto da mangueira. Escondido na semente deve haver um programa completo. Sem tal programa o que a semente poderia fazer? Tudo precisa estar presente dentro dela. O que quer que a árvore venha a ser, precisa de algum modo estar embutido dentro da semente. Isso não é visível para nós. Podemos esmagá-la e dissecá-la, ainda assim isso não será visível. Mas deve estar lá de alguma maneira, senão uma árvore neem poderia possivelmente surgir de uma semente de manga. Parece que nunca acontece um engano. Surge somente uma mangueira, tudo se repete corretamente. Armazenado nessa minúscula semente está toda a informação com relação ao que a semente precisa fazer como ela precisa brotar, que tipo de folha e quantas ramificações produzir, que tamanho a árvore terá, por quanto tempo ela crescerá, que altura ela terá - tudo isso deve estar oculto dentro da semente. Quantas mangas, que doçura terão, se irão amadurecer ou não - tudo isso deve estar escondido dentro da semente. Se tudo isso está embutido dentro de uma simples semente de manga, então quando você chega no útero materno não haverá nada latente em sua semente? Agora os cientistas concordam que mesmo nesse estágio a cor de seus olhos deve estar lá escondida, que a cor de seus cabelos deve estar lá escondida, que a altura de seu corpo deve estar lá oculta, que as possibilidades de saúde e de má saúde devem estar lá embutidas e que até mesmo seu QI deve estar lá escondido - porque sem tudo isso como você se desenvolveria? E por quais meios? Você precisa ter um programa o qual é embutido com antecedência. Como certos ossos se juntarão como na mão e no pé? Uma parte começará a ver, outra parte começará a ouvir. Como tudo isso pode acontecer? Os cientistas costumavam dizer que isso é apenas uma coincidência. Mas a palavra coincidência parece muito anticientífica. Coincidência significa acaso. Por acaso um pé pode começar a ver e uma mão começar a ouvir. Mas não parece haver muita coincidência; tudo parece estar em ordem, pré-arranjado. A astrologia diz uma coisa mais científica. Ela diz que tudo es á disponível dentro da semente. Astrologia diz que se estudarmos a semente, se pudermos descobrir a linguagem da semente e se for possível decodificar essa linguagem - se pudermos perguntar a semente, "Qual é sua intenção?" - então também seremos capazes de extrair a planta completa de um ser humano. Os cientistas já começaram a extrair tais plantas relacionadas com as árvores. Até agora temos considerado a astrologia como uma
    • superstição, uma matéria de fé cega. Mas se a ciência extrair tais plantas, ela se tornará de fato astrologia - e certamente a ciência já começou a extraí-las. A astrologia declara que se pela graça divina chegarmos a conhecer o todo, então o futuro como tal não existirá. Mas devido a que não conhecemos o todo - conhecemos apenas um pequeno fragmento dele - aquilo que não conhecemos torna-se o futuro. Somos obrigados a dizer, "Talvez isso seja assim". Porque muito é desconhecido para nós. Se o todo fosse conhecido então poderíamos dizer, "isso será assim". E seria exatamente assim. Se tudo está latente dentro da semente humana, então é somente uma questão de estudar a semente. O que estou falando hoje deve de alguma forma ter existido em minha semente como uma potencialidade, senão, como eu poderia falar sobre tudo isso? Se algum dia for possível observar uma semente humana, então após observar minha semente, um esquema poderia ser extraído indicando o que vou dizer nessa vida, o que me tornarei, o que não me tornarei, o que farei de mim mesmo, o que não farei de mim mesmo e o que irá acontecer. Tudo isso pode ser previsto. Não será surpresa quando, se não hoje talvez amanhã, tivermos a capacidade de espiar na semente humana. Os primeiros passos já foram dados nessa direção. Cartas de nascimento e horóscopos são somente uma sondagem em todas esses assuntos. Por milhares de anos quando uma criança nasce, temos tentado descobrir o que ela se tornará. Se pudéssemos obter alguma idéia, então talvez pudéssemos fazer alguns arranjos, e talvez pudéssemos aperfeiçoar as oportunidades da criança. Então tudo que viesse a acontecer, nós o aceitaríamos. Até o fim de sua vida, Mulla Nasruddin declarou que ele tinha sido sempre miserável. Subitamente um dia ele havia se tornado feliz. A população inteira da vila ficou impressionada com a maravilha de que um homem que sempre tinha sido depressivo, que sempre olhava o lado escuro das coisas, pudesse subitamente tornar-se alegre. Ele era um homem que tinha sempre sido pessimista, que sempre procurava os espinhos. Uma vez aconteceu uma excelente safra no jardim de Nasruddin. Havia tantas maçãs que as árvores estavam sobrecarregadas. Um homem da vizinhança perguntou se Nasruddin agora teria alguma queixa. Ele disse, "Agora a safra é tal que irá chover ouro. O que você acha, Nasruddin?" Com grande pesar Nasruddin disse, "Tudo está ok, mas onde irei conseguir maçãs podres para alimentar os animais?" Tal homem permanecerá sempre miserável: "Onde irei conseguir maçãs podres para alimentar os animais?" Todas as maçãs eram boas, nenhuma estava podre - essa era a dificuldade. De repente um dia, esse homem tornou-se feliz e assim as pessoas da vila ficaram curiosas. Eles perguntaram: Você está feliz, Nasruddin? Qual é o segredo?"
    • Nasruddin disse, "Eu aprendi a cooperar com o inevitável. Após muitos anos de luta, compreendi alguma coisa. Agora decidi que o que tem que ser, será. Agora coopero com o inevitável, agora não há mais razão para ser miserável. Agora sou feliz. A astrologia investiga muitas coisas. Ela estende uma mão cooperativa ao que quer que seja inevitável. Ela não luta desnecessariamente contra o que quer que seja. Ela não exige nem alcança o que quer que não seja. Astrologia era um meio para tornar o homem religioso - para trazê-lo para uma suprema aceitação. Isso tem muitas dimensões, isso tem muitos aspectos. Iremos gradualmente discutir cada dimensão. Por hoje, apenas isso: que o universo é um corpo vivo, uma unidade orgânica. Nele nada está isolado, tudo está conectado. Tudo que está bem distante está conectado com o que está perto, nada está separado. Portanto ninguém deve permanecer na falácia de que é uma ilha isolada, separada, a parte. Cada um está conectado com o todo e cada um está o tempo todo afetando o outro e sendo afetado pelo outro. Até mesmo quando você passa por uma pedra pela rua, ela está lançando suas vibrações em sua direção. As flores também estão lançando suas vibrações. E você não está somente passando, você também está lançando suas vibrações. Eu disse que somos afetados pela lua e pelas estrelas. Outra idéia que a astrologia tem é que a lua e as estrelas também são afetadas por nós, devido a que a influência chega de ambas as direções. Quando um homem como Buda nasce na Terra, a lua pode não compreender que é por causa dele que tempestades não estão acontecendo em sua superfície - que por causa de Buda as tempestades aquietaram-se. A lua é afetada e o sol também é mexido. Quando manchas ocorrem no sol e surgem tempestades, doenças se espalham pela Terra. Quando uma pessoa como Buda nasce na Terra, uma corrente de paz flui, o pilar da conscientização cresce firme e a profunda beleza da meditação desloca-se sobre a Terra; o que também torna difícil para uma tempestade surgir no sol porque tudo está ligado junto. Uma minúscula folha de grama tem um impacto no sol e o sol tem seu impacto sobre a lâmina da grama. A lâmina da grama não é tão minúscula que o sol possa dizer, "Eu não me importo com você", nem o sol é tão grande que possa dizer, "O que essa lâmina de grama pode fazer por mim?" A vida está interconectada. Aqui nada é grande ou pequeno; tudo é uma unidade orgânica. A vida é um todo. Vocês só entenderão a astrologia se vocês puderem perceber essa inteireza, do contrário vocês não a entenderão. Esse é o aspecto sobre o qual falei hoje. Amanhã, começaremos a discutir lentamente dimensões mais avançadas.
    • Osho, Hidden Mysteries, #5 =============================================================== =================== Om Sattva! Pablo "Nunca confunda intelecto com inteligência, eles são opostos polares. Intelecto é da cabeça; é ensinado por outros, é imposto a você. Você tem que cultivá-lo. É emprestado, é algo estranho, não é inato. Mas a inteligência é inata. É o seu próprio ser, sua própria natureza." =============================================================== ================== Oi gentis! O auto-conhecimento é o caminho para iluminar com a luz do amor as trevas da ignorância. Se todos investirmos o nosso melhor em nosso auto-conhecimento estaremos colaborando para a criação de uma nova estrutura, um novo mundo, uma nova sociedade, uma nova ordem... Tornando cada vez mais transparente o véu de Maya que é tecido com os fios sedutores da pura seda da ignorância. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo "Ninguém é superior, ninguém é inferior, mas ninguém também é igual. As pessoas são simplesmente únicas, incomparáveis. Você é você, eu sou eu. Tenho que contribuir com o meu potencial para vida; você tem que contribuir com o seu potencial para a vida. Tenho que descubrir o meu próprio ser; você precisa descobrir o seu próprio ser." Rajneesh =============================================================== ==================== Oi gentis!! Grande sacada esta do barbudinho... Já pararam para pensar quanto tempo a gente perde brigando com sombras? As vezes criamos estórias baseados em percepções puramente emocionais e daí acabamos brigando com a nossa própria imagem reletida no espelho. Somos mestres em pegar um palavrinha, uma frase e daí fantasiarmos "Bom isso deve ter
    • sido dito porque tal pessoa queria dizer tal coisa, ou pensa outras tantas de mim...". Isto reflete uma insegurança e quando falamos em insegurança, precisamos clarear as coisas para enxergar as coisas como elas são. As vezes são fantasmas do nosso ego, as vezes são apenas sombras... O ego também não é verdadeiro, ego não somos nós, o ego não é o vazio, o ego é cheio e precisamos nos esvaziar. Mas como sempre o Wagner fala sobre o "ego servidor", que tal pararmos de brigar um pouco com ele e tentarmos amá-lo e educá-lo com carinho para a realização de um bem maior. Quando digo "amar o ego" não me compreendam mal, me refiro a aceitá-lo como parte de nós mesmos e com isso colaborar para a criação de uma auto imagem positiva, obviamente tomando cuidado e usando o discernimento para não valorizar o que é falso. Por exemplo: Um palestrante não consegue falar sem ego, ele precisa se firmar e se colocar a frente para expor suas idéias, idem para um artista, músico, quando vamos faser um apresentação no trabalho etc... O que acredito é que o ego deve ser "educado" ou mesmo torná-lo portátil... Ego deveria ser como sapato, apenas deve-se utilizar para certas ocasiões, e para o trabalho, pois quando resolvemos "descansar" no Todo devemos tirá-lo e estar totalmente "descalsos"... Não sei quanto a vcs, mas eu não relaxo de sapatos... kekekeke... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo "Deixe este fundamento ser sempre lembrado: se você lutar com alguma coisa falsa, você será derrotado. O falso não pode ser derrotado, porque é falso. Como você pode derrotar algo que é não-existencial? Não há nenhuma maneira. O único modo é, ilumine e veja." Rajneesh =============================================================== ==================== Om Sattva! Pablo "A mente tem seus usos limitados. Use-a. Quando você estiver trabalhando em seu escritório, não estou lhe dizendo para ser um sem-mente. Quando você estiver trabalhando em sua loja ou na fábrica, Não estou lhe dizendo para ser um sem-mente. Estou dizendo que você seja perfeitamente uma mente. Use a mente, mas não a leve por vinte e quatro horas, continuamente com você. Não se arraste nisso. Use-a como você usa uma cadeira. " Rajneesh ===============================================================
    • ==================== Oi gentis! Bom, com tanta "sexualidade" ao que temos contato no carnaval, que tal reavaliarmos nossa postura diante ao sexo? Pois, se tudo está tão sexualizado, temos nossa parcela de responsabilidade. Programas e músicas com bundas rebolantes só vendem por que alguém compra e só dá IBOPE por que alguém assiste. Infelizmente o sexo, que pode ser um grande portal dimensional, é considerado apenas como mera fonte de relaxamento e prazer por fricção. Eu adoro sexo, e a elevação e sua "desanimalização" é um grande trampolim para a elevação da consciência humana e para desfazer gelecas emocionais (não seria o ciúme medo de que o parceiro se relacione sexualmente com outra pessoa?). Sexo é prazer como troca, prazer espiritual não como mercadoria. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo "Se for permitido à pessoa viver alegremente sua vida sexual, quando ela tiver quarenta e dois anos; lembre-se, estou dizendo quarenta e dois anos, não oitenta e quatro anos; quando ela se aproxima dos quarenta e dois anos, o sexo começará a perder o controle sobre ela. Do mesmo jeito que o sexo surge e fica poderoso pela idade dos quatorze anos, exatamente do mesmo modo, quando a pessoa tiver quarenta e dois anos o sexo começa a desaparecer. Esse é um curso natural." Rajneesh =============================================================== ==================== Oi gentis!!!! Vamos a barbudisse do dia... kekeke... Muitas vezes nosso desejo de intimidade é muito grande, mas o medo dela é maior ainda, por isso criamos muitos obstáculos, e estórias, e um sem fim de problemas. Mas é importante entender que intimidade não é apenas uma questão de deixar que as pessoas se tornem intimas de nós, mas sim, que a gente possa permitir que as pessoas sejam tocadas por nossa profundidade, nosso melhor. Sem forçar nada e sem trocar os pés pelas mãos e começar a despejar nossas carências em cima dos outros até nos tornarmos aquele famoso "chato" que só choraminga e crava as garras da dependência no coração aleio. Intimidade é beleza, assim como as estrelas são íntimas umas das outras no céu... Ao olharmos para o céu a noite, vemos pura harmonia, pura intimidade, vemos consciências iluminando umas as outras e trocando sentimento, vemos a intimidade de
    • Deus... O segundo pensamento é muito legal também, pois devemos admitir que ter dinheiro é bom, e nos dá um pouco mais de liberdade. Não é porque somos espiritualistas que devemos assumir o esteriótipo de sofredor. Mas também não significa que devemos ancorar nossa felicidade a ele, ou ainda devemos buscá-lo acima de tudo. Não é por aí... Mas qual o problema em lutar e crescer econômicamente? Suar a camisa e depois desfrutar do fruto de seu trabalho? Sem ostentação O dinheiro não é problema... mas o desejo por ele o é... que tal desfrutar a vida e queimarmos o desejo pelo dinheiro com o fogo do discernimento? Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo "Todo mundo tem medo da intimidade. O problema se torna mais complicado porque todo mundo quer intimidade. Todo mundo quer intimidade porque de outra forma você fica sozinho neste universo -sem alguém que você possa confiar, sem alguém para quem você possa abrir todas as suas feridas. E as feridas não podem ser curadas a menos que elas estejam abertas. Quanto mais você as esconde, mais perigosas elas se tornam. Podem se tornar cancerosas." "Jamais lhe direi: renuncie ao dinheiro. Isso tem sido dito a você em todas as eras. Isso não o mudou. Vou lhe dizer outra coisa: celebre a sua vida , e a obsessão pelo dinheiro desaparece automaticamente. E quando essa obsessão se for naturalmente, ela não deixa nenhum arranhão, não deixa nenhuma ferida para trás, não deixa nenhum rastro para trás." =============================================================== ==================== Om Sattva! Pablo UM NOVO HOMEM Ensino um novo homem, uma nova humanidade, um novo conceito de estar no mundo. Proclamo o homo novus. O velho homem está a morrer, e não há mais necessidade de o ajudar a sobreviver. O velho homem está no leito mortal: não chores por ele &#8211; ajuda-o a morrer. Isto porque somente com a morte do velho homem, o novo, pode nascer. A cessação do velho é o início do novo.
    • A minha mensagem para a humanidade é um novo homem. Menos do que isso, não. Não algo modificado, não algo contínuo com o passado, mas totalmente descontínuo. O homem não tem vivido verdadeiramente até agora, não autenticamente; o homem tem vivido uma pseudo vida. O homem tem vivido patologicamente, o homem tem vivido doente. E não há necessidade de viver com essa patologia &#8211; podemos sair dessa prisão, porque essa prisão foi construída pelas nossas próprias mãos. Vivemos numa prisão porque assim o decidimos &#8211; porque acreditámos que a prisão não é uma prisão, mas a nossa casa. A minha mensagem para a humanidade é: Chega. Acordem! Vejam o que é que o homem fez ao próprio homem. Em 3000 anos o homem andou a lutar durante 500 anos. Não podemos designar esta humanidade como sendo saudável. E só de vez em quando, um Buda floresceu. Se num jardim, só de vez em quando uma planta dá uma flor, chamas a isso um jardim? Algo de muito básico correu mal. Cada pessoa nasceu para ser um Buda: menos do que isso não te preencherá. Eu declaro a tua Budidade. Mas o que é que correu mal? Porque é que o homem viveu durante milhares de ano num tipo de inferno? Durante milhares de anos vivemos com o conceito de homem como um campo de batalha entre o baixo e o alto, o material e o espiritual, o prolixo e o lacónico, o bom e o mau, entre Deus e Diabo. As consequências disto limitaram severamente o potencial humano. Para destruir o homem, para destruir o seu poder, uma grande estratégia tem sido usada &#8211; que consiste em dividir o homem em dois. O homem tem vivido na dualidade de ser materialista ou ser espiritualista. Foi-nos dito que não podemos ser ambos. Ser o corpo ou ser a alma &#8211; Foi-nos ensinado que não podemos ser ambos. Esta foi a raiz da miséria do homem. Um homem dividido contra si próprio vai-se sentir num inferno. O céu nasce quando o homem deixa de se dividir contra si próprio. A separação do homem significa miséria, a integração do homem significa benção. Até agora, a humanidade tem sido esquizofrénica &#8211; porque foi-lhe dito para reprimir, para rejeitar, para negar, muitas partes do seu ser natural. Mas ao rejeitá-las, ao negá-las, elas não são destruídas &#8211; simplesmente ficam tapadas. Ficam a funcionar a partir do inconsciente; assim ficam realmente mais perigosas. O homem é um todo orgânico. E tudo o que Deus deu ao homem deve ser usado; nada deve ser negado. O homem pode ser uma orquestra; tudo o que é necessário, é a arte de criar harmonia dentro de si mesmo.
    • Mas aquilo a que chamamos religiões têm-nos ensinado caminhos para a desarmonia, para a discórdia, para o conflito. E quando estamos a lutar connosco próprios dissipamos a nossa energia. Tornamo-nos sombrios, ininteligentes, estúpidos &#8211; porque com pouca energia, ninguém consegue ser inteligente. Quando a energia transborda há inteligência. O transbordar da energia é o que causa o crescimento da inteligência. E o homem tem vivido numa pobreza interior. A minha mensagem para a humanidade é: criem um novo homem &#8211; não dividido, integro, total. O Buda não era total, nem o grego Zorba. Ambos são metade. Eu amo Zorba, eu amo Buda. Mas quando olho profundamente para Zorba falta algo: não tem alma. Quando olho para Buda, algo falta também: não tem corpo. Eu ensino um grande encontro: o encontro de Zorba com Buda. Eu ensino Zorba o Buda &#8211; uma nova síntese. O encontro do céu e da terra, o encontro do visível com o invisível, o encontro de todas as polaridades &#8211; do homem e da mulher, do dia e da noite, do Verão e do Inverno, do sexo e da beatitude. Só nesse encontro um novo homem erguer-se-á na Terra. A minha gente, são os primeiros raios desse novo homem, desse homo novus. A divisão interna tem guiado a humanidade para um estado de suicídio. Só tem criado escravos &#8211; e os escravos não podem viver realmente, não têm nada para viver para. Vivem para os outros. São reduzidos a máquinas &#8211; cheios de habilidades, eficientes, mas uma máquina é uma máquina. E uma máquina não conhece o prazer de viver. Não consegue celebrar, só consegue sofrer. As velhas religiões acreditavam na renúncia. A renúncia tem sido uma maldição. Eu trago uma benção para ti: eu ensino regozijo, não renúncia. O mundo não deve ser renunciado, porque Deus não o renunciou &#8211; porque é que tu o fazes? Deus é... porque é que tu não hás-de ser? Vive-o na sua totalidade &#8211; e viver a vida totalmente trás transcendência. Então o encontro da terra e do céu é tremendamente belo; não há nada de errado. Então as polaridades desaparecem em si mesmas e os pólos opostos tornam-se complementares. Mas o homem velho, não é verdadeiramente humano. É um humanóide, um homo mechanicus &#8211; um homem que não é total. E um homem que não é total, nunca pode ser sagrado. O novo homem está a chegar, a cada dia. É uma minoria, é natural &#8211; mas os novos mutantes já chegaram, as novas sementes já chegaram. E o início deste século, assistirá à morte de toda a humanidade ou ao nascimento de um novo ser humano.
    • E tudo depende de ti. Se continuas a trepar para o velho, então o velho homem prepara-se para cometer um grande suicídio, um suicídio universal. O velho homem está pronto para morrer; o velho homem perdeu o entusiasmo de viver. É por isso que todos os países se preparam para a guerra. A terceira guerra mundial será uma guerra total. Ninguém será vencedor, porque ninguém lhe sobreviverá. Não só o homem será destruído, mas toda a vida na terra. Fica atento! Fica atento aos políticos &#8211; são todos suicidas. Fica atento aos velhos condicionalismos que nos dividem como Indianos, Alemães, Japoneses ou Americanos. O novo homem tem de ser universal. Ele transcenderá todas as barreiras da raça, religião, sexo, cor da pele. O novo homem não será nem oriental nem ocidental; o novo homem reclamará toda a terra como a sua casa. Só então poderá a humanidade sobreviver &#8211; e não só sobreviver &#8211; com a chegada do novo conceito de homem... o velho é o conceito de &#8220;qualquer/ou&#8221;: o novo será &#8220;ambos/e&#8221;. O homem te= m de viver uma vida rica interna e externamente; não há necessidade de escolher. A vida interna não é contra a vida externa; elas são parte de um ritmo. Tu não precisas de ser pobre por fora para ser rico por dentro. E não precisas de ser rico por fora e deixar de ser rico por dentro. É assim que tem sido até agora &#8211; o Ocidente escolheu um caminho: Ser rico por fora! O Oriente escolheu outro caminho: Ser rico por dentro! Ambos estão desequilibrados. Ambos têm sofrido, ambos sofrem. Eu ensino a riqueza total. Ser rico por fora através da ciência, e ser rico no mais profundo do coração através da religião. E é assim que te tornarás um, indivíduo, orgânico. O novo homem não é um campo de batalha, com a personalidade separada, mas uma homem unificado, único, completamente sinérgico com a vida na sua totalidade. O novo homem incorpora uma imagem mutante mais viável de homem, uma nova forma de estar no cosmos, uma forma qualitativamente diferente de perceber e experienciar a realidade. Por isso, por favor, não chorem a morte do velho homem. Regozijemo-nos pelo facto do velho estar a morrer, da noite estar a morrer, e do amanhecer surgir no horizonte. Estou satisfeito, totalmente satisfeito, que o homem tradicional esteja a desaparecer &#8211; que as velhas igrejas estejam a ficar em ruínas, que os velhos templos estão desertos. Estou imensamente satisfeito por a velha moralidade estar a cair direita no chão. Esta é uma grande crise. Se aceitarmos o desafio, esta é uma oportunidade para criar o novo. Nunca estivemos tão maduros no passado. Vivemos numa das mais belas épocas &#8211; porque o velho está a desaparecer, ou já desapareceu, e um caos criou-se. E só do caos aparecem as grandes estrelas.
    • Temos a oportunidade de criarmos um cosmos novamente. Esta é uma oportunidade que raramente surge &#8211; muito rara. Somos uns felizardos por estarmos vivos nesta altura crítica. Usemos a oportunidade para criar o novo homem. E para criar o novo homem, tens de começar por ti. O novo homem será um místico, um poeta, um cientista, tudo junto. Ele não olhará para a vida através de divisões podres. Ele será um místico, porque ele sentirá a presença de Deus. Ele será um poeta, porque ele celebrará a presença de Deus. Ele será um cientista, porque ele pesquisará a presença de Deus, cientificamente. Quando o homem for estas três vertentes juntas, o homem será total. Este é o meu conceito de homem sagrado. O velho homem era reprimido, agressivo. O velho homem era obrigado a ser agressivo porque a repressão sempre trás agressão. O novo homem será espontâneo, criativo. O velho homem viveu através de ideologias. O novo homem não viverá através de ideologias, nem através de moralidades, mas através da consciência. O novo homem viverá através da consciência. O novo homem será responsável; responsável por si próprio e pela existência. O novo homem não será moral, no velho sentido; ele será imoral. O novo homem trás um novo mundo consigo. Agora mesmo, o novo homem está obrigado a ser uma minoria mutante &#8211; mas ele é o transportador de uma nova cultura, a semente. Ajuda-o. Anuncia a sua chegada: esta é a minha mensagem para ti. O novo homem é aberto e honesto. Ele é transparentemente real, autêntico e autorevelado. Ele não será hipócrita. Ele não viverá através de objectivos: ele viverá o aqui e agora. Ele só conhecerá um tempo: agora, e só um espaço: aqui. E através dessa presença ele saberá o que é Deus. Celebremos! O novo homem está a chegar, o velho está a ir. O velho está na cruz, e o novo está no horizonte. (Osho, Philosophia Perennis, Volume 2, Capítulo 2). =============================================================== ==================== Om Sattva! Pablo Dar amor é a experiência real, no próprio sentido da palavra, porque você se comporta como um imperador. Implorar amor é uma experiência de mendigo. Não aja como um mendigo, mas como um imperador.
    • Osho =============================================================== ==================== Celebre a Miséria! Mesmo com a miséria você pode ter uma atitude de celebração. Por exemplo: você está triste - não fique identificado com a tristeza. Torne-se uma testemunha e desfrute do momento de tristeza, porque a tristeza tem sua beleza própria. Você nunca observou. Você fica tão identificado que você nunca penetra na beleza de um momento de tristeza. Se você observar, você ficará surpreso com os tesouros que você esteve perdendo. Veja - quando você está feliz você nunca é tão profundo como quando você está triste. A tristeza tem uma profundidade nela, a felicidade tem uma superficialidade nela. Vá e observe as pessoas felizes. As assim chamadas pessoas felizes, os boêmios (playboys e playgirls) - nos clubes, nos hotéis, você os encontrará, nos teatros - estão sempre sorrindo e borbulhando de felicidade. Você sempre os achará superficiais, frívolos. Eles não têm nenhuma profundidade. Felicidade é como as ondas, apenas na superfície; você vive uma vida frívola. Mas a tristeza tem uma profundidade nela. Quando você está triste não é como ondas na superfície, isso é como o muito profundo oceano pacífico: milhas e milhas de profundidade. Mova -se para a profundidade, observe-a. Felicidade é barulhenta, tristeza tem um silêncio nela. A felicidade pode ser como o dia, a tristeza é como a noite. A felicidade pode ser como a luz, a tristeza é como a escuridão. A luz vai e vem, a escuridão permanece - ela é eterna. A luz acontece de vez em quando, a escuridão está sempre lá. Se você se mover para a tristeza você sentirá todas essas coisas. Subitamente você se tornará cônscio que a tristeza está presente como um objeto, você está observando e testemunhando, e de repente você começa a se sentir feliz. Uma tristeza tão bonita! - Uma flor da escuridão, uma flor de uma profundidade eterna. Como um abismo sem fundo, tão silenciosa, tão musical, não há nenhum ruído de maneira alguma, nenhuma perturbação. A gente pode continuar caindo e caindo em seu infinito, e a gente pode sair dela absolutamente rejuvenescido. È um descanso. Isso depende da atitude. Quando você fica triste você acha que alguma coisa ruim aconteceu a você. É uma interpretação que alguma coisa ruim aconteceu a você, e então você começa a tentar escapar disso. Você nunca medita sobre isso. Assim você quer ir encontrar alguém, para uma festa, para o clube, ou liga a TV ou o rádio, ou começa a ler os jornais - algo para que você possa esquecer. Essa é uma interpretação errada que foi dada a você - que a tristeza está errada. Nada está errado com ela. É outra polaridade na vida. Felicidade é um pólo, tristeza é outro pólo. Alegria é um pólo, miséria é outro. A vida
    • consiste de ambos, e a vida é um ritual devido a ambos. Uma vida só de alegria terá extensão, mas não terá profundidade. Uma vida apenas de tristeza terá profundidade, mas não terá extensão. Uma vida com ambas tristeza e felicidade é multidimensional, se move em todas as direções juntas. Observe a estátua de Buda ou então olhe em meus olhos e você irá encontrar ambas juntas - uma alegria, uma paz, e também uma tristeza. Você irá encontrar uma alegria que contém nela a tristeza também porque essa tristeza dá sua profundidade. Observe a estátua de Buda - alegre, mas ainda assim triste. A própria palavra triste lhe dá conotações erradas - que alguma coisa está errada. Isso é sua interpretação. Para mim, a vida em sua totalidade é boa. E quando você compreende a vida em sua totalidade, só então você pode celebrar, do contrário não. Celebração significa: o que quer que aconteça é irrelevante - Irei celebrar. A celebração não está condicionada a certas coisas. “Quando eu estiver feliz então irei celebrar” ou, “Quando estiver infeliz não irei celebrar”. Celebração é incondicional; Celebro a vida. Isso traz infelicidade - ótimo, eu celebro isso. Isso traz felicidade - ótimo, celebro isso. Celebração é a minha atitude, incondicional para o que acontece na vida. Porém surge um problema porque sempre quando uso palavras, essas palavras têm conotações em sua mente. Quando digo ‘Celebre’, você pensa que a gente tem que ser feliz. Como a gente pode celebrar quando se está triste? Não estou dizendo que a gente precisa estar feliz para celebrar. Celebração é agradecimento ao que quer que a vida lhe dê. Ao que quer que Deus lhe dê, celebração é uma gratidão, é um agradecimento. Osho, Extraído de: Yoga: The Alpha and the Omega, Vol. 4, #10 =============================================================== =================== "Uma educação autêntica não vai ensinar apenas a sua mente - porque a mente pode lhe dar um bom sustento, mas não uma boa vida. O coração pode não lhe dar um bom sustento, mas pode lhe dar uma boa vida. E não há nenhuma razão para escolher entre os dois: use a mente para aquilo que ela é feita, e use o coração para aquilo que ele é feito." Rajneesh =============================================================== =================== Quanto falamos em nos amar, será que temos consciência do que isto significa realmente? Será que amamos nossa condição atual? Será que somos compreensivos quando erramos? Como lidamos com a auto-culpa? Temos compaixão por nós mesmos? A vida é uma grande brincadeira e não deve ser levada a sério, a propria natureza de Deus é assim. Ou será que ainda acreditamos em um Deus punitivo? Será que estamos realmente
    • resolvendo esta questão ou simplesmente trocando alguns arquétipos? Que possamos viver e brincar mais e notar que não há culpa no amor, e que a compaixão brota sempre de um sorriso. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo AME A SI MESMO E OBSERVE Você pode falar alguma coisa sobre essas belas palavras de Buda: "Ame a si mesmo e observe - hoje, amanhã, sempre"? "Ame a si mesmo"... O amor é o alimento da alma. Assim como a comida é para o corpo, o amor é para a alma. Sem comida o corpo enfraquece, sem amor a alma enfraquece. E nenhum estado, nenhuma igreja e nenhum interesse investido jamais quiseram que as pessoas tivessem almas fortes porque uma pessoa com energia espiritual está fadada a ser rebelde. O amor lhe faz rebelde, revolucionário. O amor lhe dá asas para voar alto. O amor lhe dá insight nas coisas, assim ninguém pode lhe enganar, lhe explorar, lhe oprimir. E os padres e os políticos só sobrevivem com o seu sangue - eles só sobrevivem na exploração. Eles são parasitas, todos os sacerdotes e todos os políticos. Para lhe tornar espiritualmente fraco eles descobriram um método seguro, cem por cento garantido, e esse é ensinar a você a não amar a si mesmo - porque se um homem não pode amar a si mesmo ele também não pode amar mais ninguém. O ensinamento é muito ardiloso. Eles dizem: Ame os outros - porque eles sabem que se você não puder amar a si mesmo você não pode amar de maneira nenhuma. Mas eles continuam dizendo: Ame os outros, ame a humanidade, ame a Deus, ame a natureza, ame sua esposa, seu marido, seus filhos e seus pais, mas não ame a si mesmo, porque, segundo eles, amar a si mesmo é egoísta. Eles condenam o amor-próprio mais do que qualquer outra coisa - e eles fizeram seu ensinamento parecer muito lógico. Eles dizem: Se você amar a si mesmo você se tornará um egoísta, se você amar a si mesmo você se tornará um narcisista. Isso não é verdade. Um homem que ama a si mesmo descobre que não existe nenhum ego nele. É amando os outros sem amar a si próprio, é tentando amar os outros que o ego surge. O amor nada sabe de dever. Dever é um fardo, uma formalidade. Amor é uma alegria, um
    • compartilhar; o amor é informal. O amante nunca sente que ele fez o bastante; o amante sempre acha que mais é possível. O amante nunca sente, "Eu favoreci o outro". Pelo contrário, ele sente, "Devido a que meu amor foi recebido, estou agradecido. O outro me favoreceu por receber meu presente, não o rejeitando". O homem do dever pensa, "Sou mais elevado, espiritual, extraordinário. Vejam como eu sirvo as pessoas"! Um homem que ama a si mesmo respeita a si mesmo e um homem que ama e respeita a si próprio respeita os outros também, porque ele sabe, "Assim como eu sou, os outros também são. Assim como gosto do amor, respeito, dignidade, os outros também gostam". Ele se torna cônscio de que não somos diferentes, no que diz respeito ao essencial, nós somos um. Estamos debaixo da mesma lei: Es dhammo sanantano. O homem que ama a si mesmo desfruta tanto do amor, se torna tão contente, que o amor começa a transbordar, começa a alcançar os outros. Tem que alcançar! Se você vive o amor, você começa a compartilhá-lo. Você não pode continuar a amar a si mesmo para sempre porque uma coisa ficará absolutamente clara para você: que se amando uma pessoa, você mesmo, é um êxtase tão tremendo e tão belo, tanto mais êxtase está esperando por você se você começar a compartilhar seu amor com muitas pessoas! Lentamente as ondulações começam a se expandir cada vez mais longe. Você ama outras pessoas; então você começa a amar os animais, os pássaros, as árvores, as pedras. Você pode preencher todo o universo com o seu amor. Um simples indivíduo é suficiente para encher todo o universo com amor, assim como um simples seixo pode encher todo o lago de ondulações - um pequeno seixo. O homem precisa se tornar um deus. A menos que o homem se torne um deus não poderá haver nenhum preenchimento, nenhum contentamento. Mas como é que você pode se tornar um deus? Seus sacerdotes dizem que você é um pecador. Seus sacerdotes dizem que você está condenado, que você está destinado a ir para o inferno. E eles lhe tornam muito temeroso de amar a si mesmo. Eis porque as pessoas são tão eficientes em descobrir defeitos. Elas encontram defeitos em si mesmas - como é que elas podem evitar encontrar os mesmos defeitos nos outros? Na verdade, elas irão encontrá-los e irão engrandecê-los, irão torná-los tão grandes quanto possível. Esse parece ser o único meio de defesa; de alguma maneira, para salvar as aparências. Você precisa fazer isso. Eis porque existe tanta crítica e tanta falta de amor. Digo que esse é um dos mais profundos sutras de Buda, e só uma pessoa desperta pode lhe dar um tal insight. A pessoa que ama a si própria pode facilmente se tornar meditativa, porque meditação significa estar consigo mesmo. Se você odeia a si mesmo - como você faz, como foi dito a você para fazer, e você tem
    • seguido isso religiosamente - se você odeia a si próprio, como é que você pode ficar consigo mesmo? A meditação não é outra coisa senão desfrutar de sua bela solitude e celebrar a si próprio. Eis o que é toda a meditação. A meditação não é um relacionamento. O outro não é absolutamente necessário; somos suficientes para nós mesmos. Somos banhados em nossa própria glória, banhados em nossa própria luz. Estamos simplesmente alegres porque estamos vivos, porque somos. O maior milagre do mundo é que você é e que eu sou. Ser é o maior milagre e a meditação abre as portas desse grande milagre. Mas só o homem que ama a si próprio pode meditar; do contrário você está sempre fugindo de si mesmo, evitando a si mesmo. Quem quer olhar para um rosto feio e quem quer penetrar num ser feio? Quem quer se aprofundar na própria lama, na própria escuridão? Quem vai querer entrar no inferno que pensam que estão? Você quer manter essa coisa toda coberta com lindas flores e você vai querer sempre fugir de si mesmo. Desse modo as pessoas estão continuamente procurando companhia. Elas não podem ficar consigo mesmas; elas querem estar com os outros. As pessoas estão buscando qualquer tipo de companhia; se eles puderem evitar a companhia de si próprios qualquer coisa servirá. Eles se sentarão numa sala de cinema por três horas vendo alguma coisa totalmente estúpida. Eles irão ler uma novela de detetives por horas, desperdiçando seu tempo. Eles irão ler o mesmo jornal repetidamente apenas para ficarem ocupados. Eles irão jogar baralho e xadrez só para matar o tempo... Como se eles tivessem tempo de sobra! O amor começa com você mesmo, assim ele pode se espalhar. Ele vai se espalhando a sua própria maneira; você não precisa fazer nada para espalhá-lo. Ame a si mesmo... "Diz Buda. E então imediatamente ele "acrescenta:..."e observe". Isso é Meditação, esse é o nome de Buda para a meditação. Mas a primeira condição é amar a si mesmo, e então observe. Se você não amar a si mesmo e começar a observar, você pode se sentir como que cometendo suicídio. Muitos Budistas se sentem como que cometendo suicídio porque eles não dão atenção a primeira parte do sutra, eles imediatamente saltam para a segunda parte: observe a si mesmo. Na verdade, nunca encontrei um simples comentário sobre o o Dhammapada, esses sutras do Buda, que desse alguma atenção a primeira parte: Ame a si mesmo. Sócrates diz: Conhece a ti mesmo, Buda diz: Ame a si mesmo. E Buda é muito mais verdadeiro porque a menos que você ame a si próprio você nunca conhecerá a si mesmo -
    • conhecer só vem mais tarde, o amor prepara o terreno. Amar é a possibilidade de conhecer a si mesmo. O amor é a maneira certa de conhecer a si mesmo. "Ame a si mesmo e observe… hoje amanhã, sempre". Crie energia ao redor de si mesmo. Ame seu corpo e ame sua mente. Ame todo seu mecanismo, todo seu organismo. Por amar significa: aceitar isso como isso é, não tente reprimir. Nós reprimimos somente quando odiamos alguma coisa, reprimimos somente quando somos contra alguma coisa. Não reprima porque se você reprimir como é que você vai observar? Não podemos fitar o inimigo olho no olho; podemos somente olhar nos olhos de nosso amado. Se você não for um amante de si mesmo você não será capaz de olhar nos seus próprios olhos, na sua própria face, na sua própria realidade. Observar é meditação, o nome de Buda para a meditação. Observe diz Buda. Ele diz: Esteja cônscio, alerta, não fique inconsciente. Não se comporte como que dormindo. Não continue funcionando como uma máquina, como um robô. É assim que as pessoas estão vivendo. Observe - apenas observe. Buda não diz o que deve ser observado - tudo! Caminhando, observe o seu caminhar. Comendo, observe o seu comer. Tomando banho, observe a água, a água fria caindo sobre você, o toque da água, a frieza, o arrepio que dá na sua espinha - observe tudo, “hoje, amanhã, sempre”. Finalmente chega o momento quando você pode observar até mesmo seu sono. Esse é o máximo no observar. O corpo vai dormir e ainda fica um observador desperto, olhando silenciosamente o corpo profundamente adormecido. Isso é o máximo da observação. Agora mesmo exatamente o oposto é o caso: seu corpo está desperto, porém você está dormindo. Então você estará desperto e seu corpo estará dormindo. O corpo precisa de descanso, todavia sua consciência não necessita de nenhum sono. Sua consciência é consciência: isso é atenção, essa é sua própria natureza. Quando você se torna mais alerta você começa a criar asas - então todo o céu lhe pertence. O homem é um encontro da terra com o céu, do corpo e da alma. Osho, Extraído de: The Way of the Buddha: The Dhammapada =============================================================== ==================== Tenho uma tia que passou a vida inteira se preocupando com os filhos e agora eles cresceram e estão vivendo a própria vida, com isso ela está depressiva pois não pode mais representar o seu "papel" de mãe. Bom tenho dito a ela para direcionar a energia para outras áreas e se descobrir e brincar representando outros papéis. Sem apego a nenhum deles. Apenas vivendo um dia de cada vez... Mas realmente dentre nós espiritualistas, quanto tempo a gente não perde se pre-
    • ocupando com os outros? "Por que fulano de tal fuma ou bebe em demasia!" dizemos. Já é difícil cuidar de nós mesmos né? Seria melhor nos ocuparmos com nós mesmos, o que já é mais do que o suficiente para uma encarnação. Tudo é passageiro, mas nos ocupamos com o passageiro e nos esquecemos de nós mesmos. Isso não é ser egoísta é apenas permitir o fluir da vida sem se opor, cada um tem as carências necessárias para atrair as experiências que vão causar uma identificação necessário ao próprio crescimento da consciência. Aliás não é isso que estamos fazendo aqui? Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo "Não se preocupe com os outros. Noventa e nove por cento das coisas que você pensa refere-se aos outros. Abandone-os imediatamente. Sua vida é curta, e ela está escorregando dos seus dedos. A cada momento você é menos, a cada dia você está menos vivo e mais morto! Mais um ano escapou de sua mãos. Seja mais inteligente!" Rajneesh =============================================================== ==================== "O problema com o homem moderno é que esquecemos a linguagem do silêncio, esquecemos o caminho do coração. Esquecemos completamente que há uma vida que pode ser vivida através do coração. Somos muitos presos à cabeça, e porque estamos demais na cabeça, não fazemos qualquer sentido na expressão do amor torna-se cada vez mais problemático." =============================================================== ==================== Medo... Que palavrinha feia... É difícil ter consciência dos próprios medos, aliás na sociedade em que vivemos somos estimulados a sentir medo a toda hora. Fazemos seguros dos mais diversos tipos, temos medo da violência, temos medo da vida, temos medo de perder o emprego, temos medo de ter dívidas, temos medo do amor, medo de ficar doente, medo de ficar sozinho... e por aí vai... Viver com medo não é viver, e amor e medo não são sinônimos e não caminham juntos. Então porque não compreendemos nossos medos e tentamos ver da onde eles se originam? Vamos irradiar a luz do amor nas trevas dos nossos medos para que a nossa vida se torne cada vez mais iluminada e cada vez mais uma celebração de amor. Om Sattva! Pablo Alegria é Luz
    • Estou tão cheio de alegria - e ainda assim cheio de medo. Dê toda sua energia a alegria, e o medo irá desaparecer. Ignore o medo, não dê qualquer atenção a ele, porque quanto mais atenção você der ao medo, mais tempo ele irá prolongar-se. Jogue-se na direção de onde a alegria está surgindo, e o medo irá desaparecer assim como a escuridão desaparece quando você acende a luz. Alegria é luz. E alegria é o começo de uma grande peregrinação que termina encontrando Deus. Então prossiga - sem medo nenhum porque a existência sempre protege aqueles que confiam nela. Relaxe, entregue-se a existência e permita a alegria lhe dominar. Deixe-a tornar-se suas asas, para que você possa alcançar as estrelas. Um coração jubiloso está muito próximo das estrelas. É somente o triste e o sofredor e o miserável que estão indo para o inferno.Eles estão criando o inferno deles. O jubiloso e o cantante e o dançante e o celebrante estão criando o paraíso deles através de cada uma de suas canções, através de cada uma de suas danças. Está em suas mãos criar um paraíso ou mergulhar na escuridão, no fogo do inferno. Esses não estão do lado de fora de vocês, ambos estão dentro de vocês. Isso tudo depende do que você escolhe ser. Escolha ser divino, escolha ser mais e mais um celebrante, escolha ser festivo, assim cada vez mais flores podem florescer em seu ser, e mais e mais fragrância pode tornar-se disponível para você. E dessa maneira não irá apenas lhe ajudar, irá ajudar todo aquele com quem você tenha contato. Alegria é uma infecção como qualquer doença. Quando você vê algumas pessoas dançando, subitamente você sente que seus pés estão prontos. Você pode tentar controlálos, porque o controle foi ensinado a você, seu corpo, porém, quer se juntar à dança. Sempre quando você tiver uma oportunidade de rir, ria; sempre quando você tiver uma oportunidade de dançar, dance; sempre quando você tiver uma oportunidade de cantar, cante - e um dia você descobrirá que você criou seu paraíso. Não é que a pessoa vá para o paraíso; o paraíso não está em algum lugar no céu - é algo que a pessoa cria ao redor dela mesma. Isso é um bom começo. Com todas as minhas bênçãos, vá mais fundo, apesar do medo. Não dê ouvidos as coisas negativas porque se você escutá-las elas podem envenená-lo, podem destruir a sua alegria - conserve-a pura, impoluta. E aqui estão pessoas que irão dançar com você, que irão celebrar porque você deu o primeiro passo em direção a Deus. E deixe-me lembrá-lo que o primeiro passo é quase metade da jornada. Osho, Extraído de: The Razor’s Edge, #7 =============================================================== ====================
    • A gente realmente sofre por que quer... Quanta energia a gente acaba gastando tentando nos comparar aos outros... E acabamos por esquecer nossa verdadeira identidade divina. Quando nos sentimos assim deveríamos olhar para dentro e tentar entender porque o "EU" refletido no outro machuca tanto... O mundo é um grande espelho, para onde olharmos veremos um reflexo de nós mesmos. A qualidade do que vemos refletido é de nossa responsabilidade. Li em algum lugar que o som do vento soprando a noite, para muitos são sons terríveis, para outros é música que ajuda a adormecer, mas o vento está apenas soprando... Tudo o que ouvimos e vemos no mundo pode ser transformado em instrumento de tortura ou nos tocar profundamente... depende do que vemos refletido... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo O que é o ciúme e porque isso magoa tanto? Ciúme é comparação. E fomos ensinados a comparar, fomos condicionados a comparar, comparar sempre. Alguém possui uma casa melhor, alguém tem um corpo mais bonito, alguém tem mais dinheiro, alguém possui uma personalidade mais carismática. Compare, continue comparando a si mesmo com todo mundo que você encontrar, e o resultado será um grande ciúme; esse é o sub produto do condicionamento da comparação. De outra maneira, se você deixa de comparar, o ciúme desaparece. Assim você simplesmente sabe que você é você e ninguém mais, e que não há nenhuma necessidade de ser outro alguém. É bom que você não se compare com as árvores, senão você começaria a se sentir muito ciumento: porque você não é verde? E porque Deus tem sido tão duro com você - e nenhuma flor? É melhor você não se comparar com os pássaros, com os rios, com as montanhas; do contrário você irá sofrer. Você só se compara com os seres humanos, porque você foi condicionado a só se comparar com os seres humanos; você não se compara com os pavões e com os papagaios. Senão seu ciúme seria bem maior; você estaria tão sobrecarregado de ciúmes que você não seria capaz de viver de maneira nenhuma. A comparação é uma atitude muito tola, porque cada pessoa é única e incomparável. Uma vez que esse entendimento se estabelece em você, o ciúme desaparece. Cada um é único e incomparável. Você é apenas você mesmo: ninguém nunca foi como você e ninguém nunca será como você. E você também não precisa ser nenhum outro. . Deus cria somente originais; ele não acredita em cópias carbono. Um grupo de galinhas estava no quintal quando uma bola de futebol passou por sobre a
    • cerca e caiu no meio delas. Um galo chegou gingando, estudou-a, e então disse, "Não estou reclamando garotas, mas vejam o trabalho que eles estão fazendo no vizinho ao lado". Na porta do vizinho grandes coisas estão acontecendo: a grama é mais verde, as rosas são mais rosadas. Todo mundo parece estar tão feliz - exceto você. Você está continuamente comparando. E a mesma coisa está acontecendo com os outros, eles também estão comparando. Talvez eles também achem que seu gramado é mais verde - sempre parece mais verde à distância - que você tem uma esposa mais bonita... Você está cansado, você não pode acreditar como você permitiu se envolver com essa mulher, você não sabe como se livrar dela - e o vizinho pode estar com ciúmes de você, que você tem uma mulher tão bonita! E você pode estar com ciúmes dele... Todo mundo tem ciúmes de todo mundo. E com ciúmes criamos um tal inferno, e com ciúmes nos tornamos muito medíocres. Um velho fazendeiro estava mal-humoradamente avaliando os estragos da inundação. "Hiram!" Gritou o vizinho, "seus porcos foram todos levados pela correnteza". “E quanto aos porcos do Thompsom?" Perguntou o fazendeiro. “Eles também foram levados". “E os de Larsen?" “Também". “Hum!" Exclamou o fazendeiro, comemorando. “Não foi tão ruim como eu pensava". Se todos estão na miséria, isso parece bom; se todos estão perdendo, isso parece bom. Se todos estão felizes e bem sucedidos, isso tem um sabor muito amargo. Mas por que antes de tudo a idéia do outro entra na sua cabeça? Deixe-me lembrá-lo novamente: porque você não permitiu sua própria seiva fluir; você não permitiu sua própria felicidade brotar, você não permitiu seu próprio ser florescer. Daí você se sentir vazio no íntimo, então você olha para o exterior de cada um e de todo mundo porque isso é só o que você pode ver. Você conhece seu íntimo e você conhece o exterior dos outros: isso gera ciúmes. Eles conhecem seu exterior e eles conhecem o interior deles: isso gera ciúmes. Ninguém mais conhece seu íntimo. Lá você sabe que você não é nada, não vale nada. E os outros parecem tão sorridentes exteriormente. O sorriso deles pode ser falso, mas como você pode saber que são falsos? Talvez seus corações sejam também sorridentes. Você sabe que seu sorriso é falso porque seu coração não está sorrindo de maneira alguma, ele pode estar lamentando e chorando. Você conhece sua interioridade, e só você a conhece, ninguém mais. E você conhece o exterior de todos, e as pessoas fizeram o exterior delas parecer bonito. Exteriores são vitrines e são muito enganadoras.
    • Há uma antiga história Sufi: Um homem estava muito oprimido pelo seu sofrimento. Ele costumava orar diariamente a Deus, "Porque eu? Todos parecem ser tão felizes, porque só eu estou sofrendo tanto?" Um dia, em grande desespero, ele orou a Deus, "Você pode me dar o sofrimento de qualquer um outro e estou pronto para aceitar isso. Mas leve o meu, não posso mais suportá-lo". Aquela noite ele teve um belo sonho, belo e muito revelador. Ele sonhou naquela noite que Deus aparecia no céu e dizia para todos, "Tragam todos os seus sofrimentos para o templo". Todos estavam cansados de sofrer - na verdade todos tinham orado alguma vez ou outra, "Estou pronto para aceitar o sofrimento de qualquer um outro, porém leve o meu sofrimento, é demais, é insuportável". Assim todo mundo colocou seu próprio sofrimento em sacolas e levaram para o templo e todos pareciam muito felizes; o dia havia chegado, suas preces foram ouvidas. E esse homem também correu para o templo. E então Deus falou, "Coloquem suas sacolas na parede". Todos as sacolas foram colocadas na parede e então Deus declarou: “Agora vocês podem escolher. Podem pegar qualquer sacola”. E a coisa mais surpreendente foi: que esse homem que tinha estado sempre orando, correu em direção a sua sacola antes que alguém mais pudesse escolhê-la! Ele contudo, ficou surpreso porque todo mundo correu para sua própria sacola e todos estavam contentes com a escolha. O que aconteceu? Pela primeira vez, todos viram a miséria dos outros, o sofrimento dos outros - as sacolas deles eram tão grandes, ou até mesmo maiores! E o segundo problema era, as pessoas tinham se acostumado com os seus próprios sofrimentos. E agora escolher o sofrimento de outra pessoa - quem sabe que tipo de sofrimento estará dentro da sacola? Pra que se incomodar? Pelo menos você está familiarizado com o seu próprio sofrimento e você já está acostumado com ele, e ele é suportável. Por tantos anos você o tolerou - porque escolher o desconhecido? E todos foram para casa felizes. Nada havia mudado, eles estavam trazendo o mesmo sofrimento de volta, mas todos estavam felizes e sorridentes e alegres porque conseguiram suas próprias sacolas de volta. Pela manhã ele orou para Deus e disse, "Grato pelo sonho; nunca mais pedirei novamente. Tudo que você me tem dado é bom para mim, tem que ser bom para mim; eis porque você me deu isso". Devido ao ciúme você está em constante sofrimento; você torna-se medíocre para os outros. E por causa do ciúme você começa a ficar falso, porque você começa a fingir. Você começa a fingir coisas que você não possui, você começa a fingir coisas as quais você não pode ter, que não são naturais a você. Você se torna cada vez mais artificial. Imitando os outros, competindo com os outros, que mais você pode fazer? Se alguém tem
    • alguma coisa e você não tem, e você não tem a possibilidade natural de ter isso, o único jeito é arranjar algum substituto barato para isso. Eu soube que Jim e Nancy Smith divertiram-se muito na Europa nesse verão. É tão legal quando um casal finalmente tem a oportunidade de realmente viver bem. Eles estiveram por toda parte e fizeram de tudo. Paris, Roma... Você diz o nome, eles estiveram lá e viram tudo. Porém foi tão embaraçante voltar para casa e passar pela alfândega. Vocês sabem como a os oficiais da alfândega espionam todos os seus pertences. Eles abriram uma sacola e tiraram três perucas, cuecas de seda, perfume, tintura para os cabelos... Realmente embaraçante. E era apenas a sacola de Jim! Basta olhar para dentro de sua mala e você irá encontrar tantas coisas artificiais, falsas, coisas fictícias - pra que? Porque você não pode ser natural e espontâneo? - devido aos ciúmes. O homem ciumento vive no inferno. Pare de comparar e os ciúmes desaparecem, a mediocridade desaparece, a falsidade desaparece. Mas você só pode deixá-los se seus tesouros íntimos começarem a crescer; não existe outra maneira. Cresça, torne-se um individuo mais e mais autêntico. Ame e respeite a si mesmo do jeito que Deus lhe fez e então, imediatamente, as portas do paraíso se abrem para você. Elas sempre estiveram abertas, você simplesmente nunca deu atenção a elas. Osho, Extraído de: The Book of Wisdom, Chapter 27 =============================================================== ==================== Este texto é porreta! A transformação do ser humano através de sua própria aceitação destrói qualquer traço de autoculpa que tanto flagela nossas almas no mundo de hoje. Hoje não temos permissão para exercer nosso direito de "SER", e principalmente interpretamos vários personagens no "circo da vida" e esquecemos de nós mesmos. Mas também não adianta seguir a nossa natureza impulsionado por emoções densas, ou seja, ser emocionalmente reativo. Isso não deve ser usado como desculpa, que aliás a gente sempre dá um jeitinho de achar. Mas se somos capazes de sentir tais emoções, e observá-las, então podemos nos tornar magos e alquimistas. A tão sonhada transformação brilha como um farol no meio de um mar revolto pela tempestade das emoções quando é possível observar com consciência tais manifestações. Estar consciente destes "grandes potenciais de energia" que são emoções fortes e densas e que deixamos escapar por dentre os dedos simplesmente por não conseguirmos lidar com elas, é um grande desperdício.
    • Já sabemos do poder destrutivo da raiva, agora, imaginem a energia da raiva empregada na arte? Como poderia ser transformada e trabalhada para mostrar algo belo, autentico, verdadeiro e humano. Não é feio ser o que somos o que não é legal é usarmos isto como desculpa para a inércia. Outra coisa, a atenção no aqui e no agora! Estamos conscientes? Eu que escrevo neste momento e vc que lê neste momento, estamos realmente conscientes deste instante? Estamos realmente aqui e agora? Estamos olhando para nós mesmos e observando algo? Ou estamos "desligados" e apenas lendo "mais um texto"? E logo em seguida estaremos pensando em tantas outras coisas mais, aliás, se já não o estamos fazendo neste exato momento. Palavras belas existem, mas se não estamos atentos e vivendo o "presente", tudo acaba sendo apenas um "adereço" para o personagem "espiritualista" que vivemos. Aliás digo isso a mim mesmo o tempo todo. "Estou acordado?", "Estou vivendo ou estou viajando na maionese psíquica?" Estar presente é difícil mas não deve ser nenhum esforço. Para a transformação não é necessário nenhum esforço, apenas aceitação, observação e amor. Só a luz do amor por tudo e por todos inclusive por nós mesmos, pode rasgar dia após dia os véus da ignorância. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Abandonando Ideais Podem as emoções negativas tais como a covardia e a hipocrisia também serem belas? Se você tem a ideia de ser um homem valente então parece feio ser um covarde. Mas a covardia é um fato e um ideal é só um ideal, uma fantasia da mente. Sacrifique as fantasias pela realidade, abandone todos os ideais e assim a vida começa a ficar integrada. Todos os fragmentos rejeitados começam a retornar para casa, o reprimido começa a vir à tona. Pela primeira vez você começa a sentir um tipo de unidade, você não está mais dividido. Por exemplo, se eu sustento ser uma pessoa “bondosa”, não serei capaz de reconhecer e de aceitar sentimentos de raiva quando estes surgem na consciência porque pessoas bondosas não ficam raivosas.
    • Portanto, para realizar uma unidade pessoal na consciência, primeiro tenho de me posicionar como sendo algo não fixo ou permanente, mas ater-me somente a realidade experimental do momento a momento que surge na consciência. Desse modo, em certos momentos estou zangado, depois em outros momentos fico triste, depois em certos momentos estou ciumento, então em certos momentos fico alegre. De momento a momento, o que quer que aconteça é aceito. Assim você se torna um. E essa unidade é a coisa mais fundamental a ser compreendida. O mestre precisa ajudar o discípulo a enfrentar e a integrar-se com esses aspectos experimentais rejeitados do eu que ele realmente é a qualquer momento dado ao invés de tentar ajudá-lo realizar seu oposto compensatório ou o que o discípulo sente que ele deve ser, ou aquilo que ele está tentando proteger, valorizar ou afirmar sobre si mesmo. Meu propósito, minha função, é de retirar todos os ideais de vocês. Vocês chegaram com ideais; vocês gostariam que eu valorizasse seus ideais, vocês gostariam que eu os apoiasse e os ajudasse a tornarem-se àquilo que vocês desejam ser. Essa deve ser a motivação de vocês virem aqui, mas esse não é o meu trabalho. Meu trabalho é exatamente o oposto: ajudá-los aceitar o que já é o caso e esquecer todas as fantasias. Quero que vocês sejam mais realistas e pragmáticos. Quero lhes dar raízes na terra, e vocês estão ansiando pelo céu e vocês esqueceram completamente da terra. Sim, o céu também está disponível, mas só para aqueles cujas raízes se aprofundaram na terra. Se uma árvore quiser se elevar no céu e cochichar com as nuvens e brincar com os ventos e ter alguma comunhão com as estrelas, então as raízes dela terão que penetrar cada vez mais fundo na terra. A primeira coisa é penetrar com as raízes na terra, a segunda coisa acontece por si mesmo. Quanto mais fundo as raízes penetrarem, mais alto a árvore se eleva, não há necessidade de fazer mais nada. Meu esforço aqui é enviar suas raízes fundo no solo da verdade. E a verdade é o que você é. De repente, as coisas começarão a acontecer, você começa a crescer. Os ideais que você sempre tentou realizar e nunca foi capaz disso começarão a acontecer por si mesmos. Se uma pessoa puder aceitar sua realidade como ela é, nessa própria aceitação todas as tensões desaparecem. Angústia, ansiedade, desespero - simplesmente evaporam. E quando não houver mais nenhuma ansiedade, nenhuma tensão, nenhuma fragmentação, nenhuma divisão, nenhuma esquizofrenia, dessa forma, existe alegria, existe amor, existe compaixão.Estes não são ideais, são fenômenos bem naturais. Tudo que é necessário é remover os ideais porque esses ideais estão atuando como bloqueios. Quanto mais idealística uma pessoa for, mais bloqueada ela será. Embora possa soar peculiar e contraditório, a paz é para ser encontrada em meio do
    • sofrimento e nunca na luta contra ou na fuga do que seja considerado negativo ou doloroso. Sim, a covardia lhe causa sofrimento, medo lhe causa sofrimento, raiva lhe causa sofrimento - essas são emoções negativas. Mas a paz só pode ser alcançada pela aceitação e absorção do sofrimento, não pela rejeição dele. Rejeitando-o você se tornará cada vez menor, e você terá cada vez menos força. E você estará numa constante guerra interior, uma guerra civil, na qual uma mão irá lutar com a outra, na qual você irá simplesmente dissipar sua energia. Uma coisa muito fundamental a ser lembrada: só a comunhão com o sofrimento psicológico abre a porta para sua liberação e transcendência - só a comunhão com a dor psicológica. Tudo que é doloroso precisa ser aceito; um dialogo precisa ser criado com isso. É você. Não há outra maneira de transcender isso, o único jeito é absorvê-lo. E isso tem um tremendo potencial. Raiva é energia, medo é energia, assim como a covardia. Tudo que acontece a você tem um grande momentum, uma grande quantidade de energia oculta nisso. Uma vez que você aceita isso, essa energia se torna sua. Você fica mais forte, mais largo, você começa a ficar mais espaçoso. Você então tem um mundo interior maior. Osho, Extraído de: Unio Mystica, Vol. I, #8 =============================================================== ==================== Este texto é bem legal para sacarmos o equilíbrio entre o interno e o externo e quanto ao equilíbrio e de como não fugir destes dois polos, as vezes tão difíceis de equacionar graças ao massacre consciencial que sofremos das ditas religiões e das seqüelas que carregamos até hoje. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo O Homem Integral "Um homem deve ser somente homem, um homem deve ser somente humano - total, íntegro. E dessa integridade surgirá um novo tipo de saúde". O Oriente é introvertido, o Ocidente é extrovertido. O homem está dividido, a mente é esquizofrênica. Eis porque todos os grandes mestres vieram do Oriente e todos os grandes
    • cientistas vieram do Ocidente. O Ocidente desenvolveu a ciência e esqueceu completamente da alma interior; está interessado na matéria, contudo olvidou a subjetividade interior. Todo o foco está sobre o objeto. Dessa forma todos os grandes cientistas nasceram no Ocidente. O Oriente tornou-se por demais preocupado com a alma interior e esqueceu da objetividade, da matéria, do mundo. Os grandes mestres religiosos surgiram disso, mas essa não é uma situação boa, isso não deve ser assim. O homem deve tornar-se um. Não deve ser permitido ao homem ser desigual de jeito nenhum. O homem deve ser uma fluidez, nem extrovertido, nem introvertido. O homem deve ser capaz de ser ambos. O interior e o exterior, quando equilibrado, dá uma experiência arrebatadora. A pessoa que não está demasiadamente inclinada nem para o interior, nem também para o exterior é uma pessoa equilibrada. Ele será um cientista e um místico juntos. Isso é algo que irá acontecer, que vai acontecer. Estamos preparando o terreno para isso. Eu gostaria de ver um homem que não fosse nem Ocidental nem Oriental, porque ser Oriental como sendo contra o Ocidental é feio. Ser Ocidental como sendo contra o Oriental também é feio. Toda a terra nos pertence e nós pertencemos à terra inteira. Um homem deve ser somente homem, um homem deve ser somente humano - total, íntegro. E dessa integridade surgirá um novo tipo de saúde. O Oriente tem sofrido, o Ocidente tem sofrido. O Oriente tem sofrido: você pode ver isso por toda parte - a pobreza, a fome. O Ocidente tem sofrido, você pode ver dentro da mente Ocidental - tensão, ansiedade, angústia. O Ocidente é interiormente muito pobre, o Oriente é muito pobre exteriormente. A pobreza é ruim. Seja ela interna ou externa, não faz nenhuma diferença, a pobreza não deveria existir. O homem deve ser rico, interior, exteriormente, de ambas as maneiras. O homem deve possuir todas as dimensões da riqueza. Basta pensar num homem que seja ambos um Albert Einstein e um Gautama Buda. Apenas medite sobre essa possibilidade - e isso É possível. De fato, se Albert Einstein tivesse vivido um pouco mais, ele teria se tornado um místico. Ele teria começado a pensar sobre o interior, ele estava se interessando no mistério interior. Quanto tempo você pode permanecer interessado no mistério exterior? Se você está realmente interessado no mistério, então mais cedo ou mais tarde você irá tropeçar no interior também. Meu conceito é de um mundo que não seja nem Oriental nem Ocidental, nem interior nem exterior, nem extrovertido nem introvertido - que seja equilibrado, que seja total. Contudo isso não foi assim no passado. Eis porque sua questão é relevante. Você pergunta: "Porque todos os grandes mestres vieram do Oriente?" Porque o Oriente tem estado obcecado com o interior como sendo contra o exterior. Naturalmente, quando através dos séculos, você fica obcecado com o interior, você irá gerar um Buda, um Nagarjuna, um Shankara, um Kabir. Isso é natural.
    • Se você estiver obcecado com o exterior como sendo contra o interior, você irá gerar um Albert Einstein, um Eddington, um Edison, isso é natural. Mas isso não é bom para a totalidade dos seres humanos. Alguma coisa está faltando. O homem que tem crescimento interior, mas não cresceu exteriormente permanece juvenil no exterior, permanece estúpido exteriormente. E o mesmo é o caso com o homem que cresceu muito, que amadureceu, muito maduro, no que se refere à matemática, a física e a química, mas que por dentro nem sequer nasceu ainda, que ainda permanece no útero. Essa é minha mensagem para vocês: abandonem esses hemisférios - Oriente e Ocidente e abandonem esses hemisférios do interior e exterior. Tornem-se fluidos. Permitam o movimento, fluam, sejam suas próprias vidas. Fiquem disponíveis para ambos o exterior e o interior. Eis porque ensino amor e meditação. Amor é a passagem para o exterior, meditação é a passagem para o interior. E um homem que está apaixonado e meditativo está além da esquizofrenia, está além de todos os tipos de divisões. Ele se tornou um, ele é íntegro. De fato, ele tem alma. Osho, Extraído de: The Diamond Sutra, #8 =============================================================== ==================== Que bom seria se parássemos de guerrear em busca de poços de desejos, poços de culpas, poços de poder, poços de carências e poços de petróleo... Como seria bom cavar e buscar em nós mesmos poços de bem aventurança, poços de silêncio, poços de amor, poços de compaixão e poços de paz. Para cavar é simples, é só usar as ferramentas moldadas no discernimento e na meditação, impulsionadas pela força do amor. Mas quantos de nós estamos dispostos a parar de guerrear? Já paramos de matar o nosso amor ou ainda insistimos em jogar bombas de auto culpa no nosso coração? A paz é fruto da árvore do amor, permitir que esta árvore cresça no solo do nosso coração, requer apenas regas de silêncio e de aceitação. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo O homem pacífico e a guerra "Um homem pacífico não é um pacifista, ele é simplesmente um poço de silêncio. Ele pulsa um novo tipo de energia no mundo, ele canta uma nova canção. Ele vive em uma maneira totalmente nova. Sua vida é cheia de graça, oração e compaixão. No que quer que ele toque, é criada uma energia amorosa.
    • O homem pacífico é criativo. Ele não é contra a guerra, porque ser contra algo é estar em guerra. Ele não é contra a guerra, ele simplesmente entende porque a guerra existe. E com esse entendimento, ele se torna absolutamente pacífico. Somente quando existirem muitas pessoas que forem poços de paz, silêncio e entendimento pleno a guerra desaparecerá." Osho, The Path of Paradox, V.2., # =============================================================== ==================== Ser natural é tão difícil né?! Fomos ensinados geração após geração que o ego é o nosso verdadeiro eu e que a repressão é necessária para criar "ordem". Agora eu pergunto, adianta ter ordem externa enquanto internamente estamos um verdadeiro caos? Alias, que ordem é essa que faz o homem esquecer de sua natureza divina? Vale a pena construir bombas relógio internas para manter as aparências de um exterior "equilibrado"? Bom, temos visto até aqui o que estas atitudes nos causaram. O homem natural é a própria representação de Deus e infelizmente somente os bebês são naturais, pois quando crescemos aprendemos a construir o ego e com a repressão nos causando uma "pressão" interna, acabamos nos apegando ao ego, pois ele "aparenta" ser nossa única forma de sermos naturais. Nossa expressão máxima!!! Nos tiraram tudo, estamos sem identidade e o ego parece ser a única identidade aparente. E daí passamos a defendê-lo com unhas e dentes, pois é a única coisa que nos restou e somos capazes de defender quem possibilitou a crescimento do nosso ego, pois eles nos deram a única coisa "natural e real" que conhecemos... Surge então o fundamentalismo que em minha opinião é totalmente infundado. Isso é pura insanidade! Da insanidade nascem os filhos da loucura! Somos filhos desta loucura, mas devemos buscar nossa identidade divina ou por quanto tempo viveremos em guerra?... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Loucura Terapêutica Um homem natural é orgástico em todas suas emoções. Alguém perguntou uma questão: ”Se as pessoas se tornarem autênticas e naturais, e se elas não riem porque um sorriso é falso, e se elas começarem gritando e berrando nas ruas, o que irá acontecer ao mundo?”
    • Muitas coisas acontecerão ao mundo. Primeiro, as guerras se tornarão impossíveis de acontecer. Não haverá mais Vietnams e nem Israeis, porque as pessoas nunca mais irão acumular tanta raiva nelas que elas tenham que matar, e matar milhões. Muitas coisas irão acontecer ao mundo se as pessoas forem naturais. Assim elas não gritarão tanto como você acha que elas gritarão. Agora mesmo é permitido a elas gritarem e elas irão gritar mas por quanto tempo? Se lhes for dado completa liberdade, os gritos, abusos, condenações e lutas começarão a desaparecer do mundo. É um ciclo vicioso. É como se você estivesse fazendo uma pessoa passar fome e você não permite que ele chegue perto da geladeira. E você diz “Se a gente deixar ele irá comer demais”. E você o tem mantido faminto - e agora você receia que se você der liberdade ele irá comer demais, ele adoecerá. Assim você não permite que ele se aproxime da geladeira. Ele tem que viver pela quota dele - o que quer que você lhe dê, ele terá que viver disso. Agora ele fantasia, ele sonha. O que fazer? Como alcançar a geladeira? Como comer mais? Toda a imaginação dele fica concentrada na comida, ele sonha com comida. Se você está faminto, se você for mantido com fome, então surge o medo de que se você for deixado solto nas ruas você pode entrar num restaurante, matar o proprietário, ou fazer alguma coisa. Porém se você estiver bem alimentado, então ninguém faz uma coisa dessas. Isso foi o que aconteceu - por milhares de anos você tem sido reprimido, você tem sido feito mais e mais falso. Agora surge o medo. O questionador está certo - o medo aparece, se as pessoas se tornarem autênticas e começarem a gritar e a berrar e a fazer coisas da maneira que elas sempre desejaram fazer e nunca eram permitidas fazer, o mundo enlouquecerá. Sim, em alguns anos o mundo irá enlouquecer. Mas essa loucura será terapêutica, irá ajudar imensamente. Depois disso ninguém nunca mais irá enlouquecer. As neuroses irão desaparecer, psicoses irão desaparecer, guerras irão desaparecer, políticos se tornarão insignificantes. As nações, os militares e as forças armadas se tornarão irrelevantes - não serão necessários. É por isso que os políticos e os padres são tão a favor de reprimir as pessoas, porque eles dependem dessas repressões. As guerras não acontecerão mais. Os generais não vão gostar disso, os exércitos não irão gostar disso, se não houver mais nenhum Vietnam então todo o propósito deles está perdido. Se não houver mais nações então qual é o sentido de ter primeiro ministros e presidentes? Eles são irrelevantes. Os governos se tornam irrelevantes se as pessoas forem naturais. Cada vez menos governos serão necessários. Assim, tantas pessoas têm investimentos. E o medo delas parece correto, lógico, porque por tantos séculos o homem tem sido reprimido que eles receiam que as coisas possam explodir. Sim, por alguns anos, por uma geração pelo menos, haverá grande explosão. Depois as coisas irão desaparecer.
    • Bertrand Russel escreveu que quando ele era criança, até mesmo as pernas das cadeiras eram cobertas com tecidos. Pernas, porque elas pareciam sexuais. E ele diz ‘eu não vi nenhuma perna de mulher’. As vestimentas tinham que ser tão longas que você não poderia ver. E Bertrand Russel diz que naqueles dias as pessoas costumavam fantasiar a respeito das pernas, sonhar com as pernas. Mesmo um sonho com as pernas era suficiente para uma excitação, um êxtase. Agora ninguém se importa com as pernas. Uma vez que você viu homens e mulheres despidos você pára de se preocupar com isso, de sonhar com a nudez deles. Os sonhos mudam. O mundo precisa ser mais natural. Assim haverá menos ansiedade, menos medo, menos preocupação. Mas por uma geração haverá grande explosão - depois disso, as coisas se estabelecerão. Temos que correr esse risco,só esse risco pode salvar a humanidade. Senão todo mundo irá enlouquecer. Osho, Extraído de: This Very Body The Buddha, #8 =============================================================== ==================== Taí um erro básico que vejo muita gente cometer, eu inclusive... E é legal o jeito que o barbudinho dá uma "chamada" no bom sentido na pessoa que fez a pergunta... As vezes a gente se isola tentando crescer no isolamento, mas a única coisa que cresce alí é o nosso ego pelo fato de não ter ninguém para refleti-lo de volta... Não há quem ajude na lapidação do ego, nínguem para nos "irratar", nos "magoar", nos "depreciar"... Não há espelho para refletir nada...Isolados a gente pode fingir que é alguma coisa... nós podemos nos entregar aos nossos caprichos... Fazer exclusivamente o que queremos do jeito que quisermos. A gente tenta se isolar tentando proteger o ego... Qual a diferença de ficar isolado em casa tentando "buscar a si mesmo" e isolado em uma montanha do Himalaia? Fora a paisagem de tirar o fôlego, nenhuma... kekeke Não confundir com os nossos merecidos momentos de descanso onde precisamos silenciar um pouco para meditar, fazer um trabalho de energia legal... Mas cuidado com os exageros e a auto-corrupção!!!! Não é se isolando que a gente aprende, muitos de nós já estiveram isolados em outras vidas e a prova de que não "ajuda muito" é que estamos aqui novamente, e muitos no meio de uma grande
    • metróle. Errar é humano, mas repetir um erro e chamar de "crescimento espiritual" é burrice mesmo. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Sua vida é sua própria criação... entendeu? Através da meditação, às vezes sinto me isolando das pessoas e indo embora para ficar só para que eu possa mergulhar fundo em mim mesmo e ser independente. Porém isso aborrece minha namorada. O que devo fazer? Você está interpretando mal. Você está interpretando interdependência como dependência. Essa é uma noção errada, e devido a essa noção errada, surge um desejo errado: como ser independente. A partir de um erro nasce outro erro. Você não pode ser; e se alguém lhe ensinar independência - existem pessoas que ensinam isso - eles estarão ensinando pura estupidez. Você é parte, você é um com o todo, você é uma onda no oceano. Portanto, a primeira coisa a ser entendida: eu não ensino isolamento porque não ensino o ego. Eu não ensino isolamento porque quero que você abandone o ego, e não o mundo. O mundo não é o problema. O mundo é tremendamente belo: é pura alegria; não há nada de errado nele. Algo está errado com você, não com o mundo. Abandone o erro em você; não renuncie ao mundo. Eu lhe ensino a celebrar o mundo, não a renunciá-lo. Eu afirmo a vida, e a afirmo incondicionalmente. Assim, se você quer deixar alguma coisa, deixe a si mesmo. Se você quer renunciar algo, renuncie a si mesmo. E a única maneira, o único caminho de renunciar a si mesmo é celebrar. Porque sempre quando você está feliz, você não é; sempre quando você está triste, você é: sempre quando você está deprimido, você é; sempre quando você está em deleite, você não é. Osho, Extraído de: Come Follow To You =============================================================== ==================== Seguindo um caminho espiritual não há garantias que teremos uma vida mais suave... muito menos uma passagem mais amêna. Não há garantias de nada... O amor não precisa de garantias e quando estamos dissolvidos nele não há tensão, não há dor, apenas vida plena.
    • Que a passagem de alguns grandes caras nos inspirem a encontrar momentos numinosos mesmo quando, para os que nos observam, estamos situados em dores terríveis, sejam elas físicas ou não. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo A Verdadeira Saúde É a Saúde Interior Agora, existem mestres que dizem, "O que quer que você queira, você poderá obtê-lo através da meditação. Irá chover dinheiro. Basta pedir em profunda meditação e isso irá acontecer". Isso é falar a língua do seu desejo. A verdade é exatamente o oposto. Se você me perguntar, se você realmente medita você será um fracasso na vida, um fracasso total. Se você for bem sucedido, até mesmo o sucesso irá desaparecer porque a meditação lhe tornará tão relaxado, tão não-violento, tão amável, tão não-competitivo, não-egoísta, que quem se importa com o sucesso? A meditação lhe tornará tão feliz que quem vai querer se preocupar com o amanhã? Quem vai querer arriscar o hoje pelo amanhã? A meditação lhe tornará certamente, interiormente rico. Intimamente você irá ficar extasiado, mas externamente, não pode ser garantido de que você ficará rico, de que você será bem sucedido, de que você se tornará muito saudável, de que nenhuma doença jamais acontecerá a você. Isso tudo é pura conversa fiada. Maharshi Raman morreu de câncer, Ramakrishna Paramahansa morreu de câncer. Você pode encontrar maiores meditadores? J. Krishnamurti sofre de muitas doenças; ele tem sofrido de severas dores de cabeça por quase vinte anos. A dor de cabeça é tão severa que às vezes, ele deseja bater a cabeça contra a parede. Pode você achar meditador maior? Pode você achar um maior Buda vivo? Se J. Krishnamurti sofre de dor de cabeça, se Raman Maharshi morre de câncer, se Ramakrishna morre de câncer, você acha que a meditação lhe dará saúde? Sim, de certa maneira ela lhe fará mais saudável e mais íntegro, mas somente num sentido bem interior. Intimamente você será íntegro, intimamente haverá uma saúde espiritual. Raman está morrendo de câncer, mas seus olhos estão cheios de alegria. Ele morre sorrindo. Essa é a verdadeira saúde. O corpo dele está em profunda agonia, mas ele é apenas uma testemunha. Isso é meditação.
    • Osho, Extraído de: The Dhammapada: The Way of the Buddha. Vol. 9, #5 =============================================================== ==================== A gente tenta, inventa, as vezes caímos no mesmo buraco, tentamos de novo... Assim caminhamos, posso dizer por mim, que caio no mesmo buraco cada vez que perco o meu dedinho de lucidez, cada vez que ativo o piloto automático, cada vez que levo a vida a sério demais, mas se estivéssemos cônscios realmente seria fácil desviar de uma poça emocional... Mas como ficar atento no meio do turbilhão emocional? Será que as emoções são tão grandiosas ou nosso ego as torna grandes? Consciência aqui e agora... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Raiva é uma Coisa Pequena Como posso ficar cônscio durante emoções fortes? Minha raiva parece como milhares de cavalos selvagens correndo comigo! A raiva é uma coisa muito pequena. Se você puder apenas esperar e observar, você não irá encontrar "Milhares de cavalos selvagens". Se você puder encontrar até mesmo um pequeno jumento, isso será o bastante! Apenas observe-a e ela irá passar lentamente.Ela irá entrar desse lado e sair do outro lado. Você precisa ter apenas um pouco de paciência para não montar nela. Raiva, ciúmes, inveja, competição... todos os nossos problemas são muito pequenos, contudo nosso ego os engrandece, torna-os tão grandes quanto possível. O ego não pode fazer de outra maneira; a raiva dele também precisa ser grande. Pela sua grande raiva, e grande miséria, e grande avidez, e grande ambição ele se torna grande. Mas você não é o ego, você é somente um observador. Basta ficar de lado e deixar todos os milhares de cavalos passarem - eles são selvagens - eles passarão, Mas não perdemos nem mesmo um pequeno jumento, imediatamente montamos nele! Você não precisa de milhares de cavalos selvagens. Basta uma coisa pequena, e você fica cheio de raiva e em chamas. Você irá rir disso mais tarde, de como você foi estúpido. Se você puder observar, sem se envolver, como se fosse algo na tela de um cinema ou de uma TV… Algo está passando; observe isso. Você não deve fazer nada para impedir, para reprimir, para destruir, de puxar uma espada e matar isso, porque onde você irá conseguir
    • uma espada? - da mesma fonte de onde a raiva está vindo. Isso é tudo imaginação. Apenas observe, e não faça nada - contra ou a favor. E você ficará surpreso; o que parecia tão grande, se torna bem pequeno. Mas nosso hábito é de exagerar. Um menino chega em casa correndo, e diz a mãe dele - ele não tem mais do que três anos de idade "Mãe, um grande leão, rosnando ferozmente, correu atrás de mim por milhas! Mas de alguma maneira consegui escapar. Muitas vezes ele chegou muito perto. Ele estava a ponto de me atacar quando comecei a correr mais rapidamente". A mãe olhou para o menino e disse, "Tommy, já lhe disse um milhão de vezes para não exagerar! Como é que você pode encontrar um leão na cidade... e você esteve correndo por milhas? E onde está o leão?" O menino olhou para fora da porta, e disse, ele está ali fora. Mas para falar a verdade, é apenas um pequeno cão - bem pequeno! Mas quando ele estava correndo atrás de mim, parecia... Você me diz para não exagerar, e agora mesmo você exagerou que você me disse isso milhões de vezes". Nossas mentes são muito exageradas. Você tem pequenos problemas, e se você puder parar de exagerar e apenas ver, então um pobre pequeno cão está lá na porta. E não há nenhuma necessidade de correr por milhas, sua vida não corre perigo. Quando a raiva acontece a você, ela não vai lhe matar. Ela já aconteceu a você muitas vezes antes, e você sobreviveu perfeitamente bem. É a mesma raiva que já passou por você antes. Basta fazer uma coisa nova - que você nunca fez antes; toda vez você se envolve com ela, lutando. Dessa vez apenas observe, como se ela não lhe pertencesse, como se fosse a raiva de alguém mais. E você terá uma grande surpresa: ela desaparecerá dentro de segundos. E quando a raiva desaparece sem nenhuma luta, ela deixa para trás um estado tremendamente belo, de amor, de silêncio. A mesma energia que podia ter se tornado uma luta com a raiva é deixada dentro de você. Energia pura é deleite - Estou citando William Blake: "Energia é deleite" - apenas energia, sem qualquer nome, sem qualquer adjetivo... Porém você nunca permite a energia ser pura. Seja ela raiva, ou ódio, ou amor, ou avidez, ou desejo. Ela está sempre envolvida com algo mais; você nunca permite sua pureza. Toda vez que alguma coisa surgir em você, é uma grande oportunidade de experienciar pura energia. Basta observar, e o jumento passará. Ele pode levantar um pouco de poeira, mas essa poeira também assenta por si mesma; você não tem que assentá-la. Você só aguarda. Não desista de esperar e de observar, e logo você se descobrirá cercado de pura energia que não foi usada na luta, na repressão, ou em ficar com raiva. E energia é certamente deleite. Uma vez que você conheça o segredo do deleite, você irá
    • desfrutar de cada emoção; e cada emoção que surge em você é uma grande oportunidade. Apenas observe, e traga uma chuva de deleite sobre seu ser. Lentamente, todas essas emoções irão desaparecer; elas não mais voltarão - elas não chegam sem convite. Observação, ou atenção, ou alerta, ou consciência, são todos nomes diferentes do mesmo fenômeno: testemunhar. Essa é a palavra chave. Osho, Extraído de: The Invitation, #4 =============================================================== ==================== Bom, com relação a este texto do barbudinho maleta sinceramente eu não concordo muito com "o meio pelos quais" as coisas são explicadas e acontecem, mas vou deixar aqui para reflexão e registro. Acredito que através de hipnose é possivel aferir algumas variáveis que podem culminar em doenças. Assim como a foto Kirlian reflete o estado do campo bioelétrico no momento que a foto é tirada podendo identificar possíveis tendencias emocionais que podem causar danos fisicos através de obstruções energéticas. O que sei com certeza é que quanto mais cientes de Deus em nós, quanto maior o equilíbrio emocional, quanto melhor nossa capacidade de amor, quanto maior nosso equilibrio entre o espírito e a matéria... menor serão nossas chances de adoecer e melhores as condições de qualidade de vida que nos proporcionamos. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo A Mente e Doença: Hipnose e Saúde Setenta por cento das doenças estão relacionadas com a mente. Através da hipnose essas doenças podem ser prevenidas antes que ocorram. Através da hipnose pode ser descoberto que tipo de doença vai acontecer num futuro próximo. Não existem sintomas no corpo, o exame físico de rotina da pessoa não irá mostrar qualquer indicação de que ele irá adoecer ou passar mal, ele está perfeitamente saudável. Mas através da hipnose podemos descobrir que dentro de três semanas ele irá adoecer, porque antes que qualquer coisa chegue ao corpo, procede do profundo inconsciente cósmico. Viaja de lá para o inconsciente coletivo, para o inconsciente, e só então, quando chega na mente consciente, isso pode ser verificado e encontrado no corpo. As doenças podem ser evitadas mesmo antes que a pessoa tenha qualquer indício de que irá adoecer. Na Rússia, um fotógrafo genial, Kirlian, tem fotografado as pessoas... Por toda sua vida
    • ele tem trabalhado com fotografia, com chapas muito sensíveis, lentes sensíveis, para encontrar alguma coisa que não está disponível para os olhos e instrumentos comuns. E ele ficou perplexo quando descobriu que podia ver em suas fotografias pelo menos seis meses à frente. Se ele tirar um retrato de um botão de rosa com suas placas sensíveis especiais, o retrato não será de um botão de rosa, o retrato será de uma rosa. Amanhã o botão irá ser uma rosa. Nenhuma outra câmera pode fazer esse milagre. Primeiro, ele mesmo ficou perplexo de como a chapa sensível pôde tirar um retrato de algo que ainda não aconteceu - e quando amanhã o botão se abrir, será exatamente igual ao da fotografia, não há absolutamente nenhuma diferença. Dessa maneira, ele descobriu mais e mais de que há uma certa aura circundando o botão apenas uma aura de energia, e a aura de energia possui todo o programa de como o botão irá abrir. As chapas sensíveis captam o retrato da aura de energia que não podemos ver a olho nu. Então ele começou a trabalhar com doenças, e ele revolucionou a medicina soviética. Você não precisa primeiro adoecer para depois ser curado. Você pode ser curado mesmo antes que você tenha diagnosticado alguma doença, porque a fotografia de Kirlian mostrará em qual parte a doença vai aparecer, porque a aura de energia ficará doente, já está doente. Daí a seis meses. Isso está conectado com seu inconsciente cósmico. Através da hipnose e de experimentos mais profundos, você pode encontrar doenças que irão acontecer e elas podem ser tratadas. A criança pode ser mais feliz. Isso tem sido matéria de preocupação dos psicanalistas porque por todo o mundo, exceto em alguns lugares, setenta anos tornou-se a idéia aceitável para a duração da vida, porque existem algumas tribos na Caxemira, onde as pessoas sempre viveram por cento e trinta anos, cento e quarenta anos, cento e cinqüenta anos e até mesmo na idade de cento e cinqüenta anos, eram tão energéticos quanto um homem jovem. Eles nunca ficaram velhos, eles permaneceram jovens até a morte. Na Rússia Soviética, nos Cáucasos, de onde Joseph Stalin e George Gurdjieff vieram... Os Cáucasos realmente produziram homens fortes. Existe uma pequena área onde as pessoas vivem até cerca de cento e oitenta anos. Existem milhares de pessoas que ultrapassaram os cento e cinqüenta anos. Um de meus amigos estava trabalhando lá e ele perguntou ao fazendeiro que estava cultivando a terra, "Quantos anos você tem"? Ele contou nos dedos, porque era analfabeto. Ele disse, "Devo ter cerca de cento e oitenta". Meu amigo não pôde acreditar - cento e oitenta! E ele ainda está jovem. Ele inquiriu na cidade e lhe disseram, "Ele está certo. O pai dele viveu por duzentos anos e esperamos que ele também viva duzentos anos, porque nenhum sinal da morte pode ser visto".
    • Psicólogos têm estado preocupados em descobrir o motivo porque em alguns lugares as pessoas vivem por tanto tempo, enquanto que na maior parte do mundo as pessoas vivem somente setenta anos. George Bernard Shaw, quando ele chegou aos setenta anos de idade, mudou-se de Londres. Seus amigos disseram, "O que você está fazendo? Na velhice é melhor ficar aqui com os amigos, em sociedade - e você é um homem da sociedade, um homem de cultura". Ele disse, "Não posso viver aqui. Tenho agora setenta anos. Essa sociedade acredita que as pessoas morrem aos setenta anos e essa crença é perigosa. Vou encontrar algum lugar onde as pessoas não acreditem em tal coisa". E ele encontrou uma pequena vila ali perto, e o jeito que ele fez para descobrir foi de ir para o cemitério e verificar nas lápides dos túmulos por quanto tempo as pessoas tinham vivido; e em uma lápide ele encontrou um túmulo que dizia que o homem tinha vivido por cento e vinte anos. E a lápide do túmulo dizia, "Ele morreu uma morte suprema na idade de cento e vinte anos". Ele disse, "Esse é o lugar para se viver, onde as pessoas pensam que alguém que morre aos cento e vinte anos é supremo". E ele viveu lá, e viveu por muito tempo. Ele conseguiu viver por um século. E naquele cemitério esse era o caso; em todas as lápides ninguém havia morrido aos setenta anos. Parece ser que isso é apenas uma programação psicológica. Por séculos temos sido programados... Sete décadas e você está acabado. Isso foi tão fundo que você morre, não que seu corpo não seja capaz de viver, mas devido a que sua psicologia insiste, "Siga a rotina. Siga a multidão". E em tudo mais você está seguindo a multidão, assim, naturalmente, você segue a multidão nisso também. Os cientistas dizem que o corpo do homem é capaz de viver por pelo menos trezentos anos. Assim como ele vai rejuvenescendo a si mesmo por setenta anos, de fato, ele pode prosseguir por trezentos anos, mas o programa precisa ser mudado. Cientistas pensam de maneiras diferentes de como mudar o programa, e isso levará muito tempo para eles. Eles acham que o programa está nas células do corpo. Dessa forma, a menos que dividamos a célula humana, assim como fomos capazes de dividir o átomo, e reprogramá-lo, isso parece que ainda está longe de acontecer, porque esse trabalho nem ao menos começou... Mas meu entendimento é que não há necessidade de ir através da fisiologia, vocês podem ir através da psicologia. Se sua hipnose for suficientemente profunda... Quanto mais você aprofundá-la, se ela se tornar uma coisa diária, lento, lentamente você irá tocar no inconsciente cósmico e lá se encontra o programa real, você pode alterá-lo.
    • Nossos filhos podem viver por mais tempo, nossos filhos podem viver com mais saúde, nossos filhos podem viver sem a velhice. Tudo isso é possível, e temos que realizá-lo, para mostrar ao mundo, mas isso é perigoso no sentido de que se os políticos se apoderarem dos métodos hipnóticos eles irão utilizá-los para seus próprios propósitos. The Transmission of the Lamp, #22 Osho, Extraído de: The Transmission of the Lamp, #22 =============================================================== ==================== Tenho que tirar o chapéu pro barbudinho maleta, pois este é um dos discursos mais inspirados que eu já li. Simplesmente o sofrimento vem da não aceitação do que somos, momento a momento. Estamos condicionados a usar máscaras e a fugir de situações... Se nós estamos com raiva, somos "obrigados" a nos acalmar, se estamos tristes, nós somos "obrigados" a ficar alegres, mas nunca damos espaço para sermos nós mesmos em nossa plenitude. Nós aprendemos a qualificar como bonito ou feio determinadas manifestações emocionais. Se nós vemos alguém esbanjando "alegria" por estar deturpado emocionalmente ou usando a suposta alegria para fuga da realidade achamos "LINDO" e temos uma identificação emocional total. Agora, se vemos alguém triste, vivendo seu momento, ou se estamos presenciando alguma manifestação de raiva, torcemos o nariz! Deixe-me esclarecer, entenda-se que tristeza e raiva podem ser manifestadas e trabalhadas de forma criativa, nas artes, ou como tratamento em sessões de catarses emocionais. Não estou dizendo que ver uma cena de guerra é bonito, isto é insanidade! Isto é o que a repressão emocional vem causando as pessoas. Assim como espiritualistas viajam na maionese psíquica achando que ser "viajandão" é o caminho temos também o outro pólo que é ser "materialista" e usar a força bruta para defender interesses é o caminho, ambos são frutos de uma insanidade coletiva, apenas manifestadas de maneiras diferentes. Realmente bonito seria ver um ser humano, ser-humano, ser real, ser pleno e ser livre e acima de tudo, consciente, uno. O sofrimento vem da negação da dor, a beleza vem da aceitação... Ramakrishna fez de sua passagem um grande exemplo de beleza. Seu corpo sofria dores dilacerantes provocados pela doença, mas não havia sofrimento, sua alma estava alegre, um grande triunfo, apenas deleite... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo
    • Uma Chave Mágica Primeiro seja um consigo mesmo. Esse é o primeiro passo daUnio Mystica: seja um consigo mesmo. E então o segundo, e último passo, é ser um com a existência. O segundo é fácil. O primeiro se tornou difícil devido a tantos condicionamentos, tanta educação, e tantos esforços para civilizar. O primeiro passo tornou-se difícil. Se você deu o primeiro passo de apenas aceitar e amar a si mesmo como você é, de momento a momento... Por exemplo, você está triste. Nesse momento você está triste. Todo o seu condicionamento lhe diz "Você não deve ficar triste. Isso é ruim. Você não deve ser triste. Você tem que ser feliz". Agora surge a divisão, agora surge o problema. Você está triste: essa é a verdade desse momento. E seus condicionamentos, sua mente diz, "Você não deve ser assim, você tem que ser feliz. Sorria! O que as pessoas irão pensar de você?" Sua mulher pode lhe deixar se você ficar tão triste, seus amigos podem fugir de você se você for tão triste, e seu negócio será destruído se você permanecer triste. Você tem que rir, você precisa sorrir, e você tem que pelo menos fingir de que você é feliz. Se você for um doutor seus pacientes não se sentirão bem se você for tão triste. Eles querem um doutor que seja feliz, alegre, saudável, e você parece tão triste. Sorria - mesmo que você não possa mostrar um sorriso verdadeiro, mostre um sorriso falso, mas sorria. Pelo menos finja, represente. Esse é o problema: você finge, você representa. Você pode conseguir rir, mas assim você se dividiu em dois. Você reprimiu a verdade, você se tornou falso. E o falso é apreciado pela sociedade. O falso se torna o santo, o falso se torna o grande líder, e o falso se torna o mahatma. E todo mundo começa a seguir o falso. O falso é o seu ideal. Eis porque você é incapaz de conhecer a si mesmo. Como você pode conhecer a si mesmo se você não se aceita? Você está sempre reprimindo seu ser. O que pode ser feito então? Quando estiver triste, aceite a tristeza: ela é você. Não diga, "Estou triste". Não diga que a tristeza é alguma coisa separada de você. Simplesmente diga, "Sou a tristeza. Nesse momento, sou a tristeza". Viva sua tristeza com total autenticidade. E você ficará surpreso de que uma porta miraculosa se abre em seu ser. Se você puder viver sua tristeza sem nenhuma imagem de ser feliz, você fica feliz imediatamente, porque a divisão desaparece. Não há mais nenhuma divisão. "Sou a tristeza". E não há nenhuma questão de algum ideal de ser algo mais. Assim não há nenhum esforço, nenhum conflito. "Sou simplesmente assim" e há um relaxamento. E esse relaxamento é graça, e esse relaxamento é alegria.
    • Todo sofrimento psicológico só existe porque você está dividido. Dor significa divisão e alegria significa nenhuma divisão. Isso pode parecer paradoxal a você: se a pessoa está triste, como é que ela pode ficar alegre aceitando sua tristeza? Irá parecer paradoxal, mas é assim. Experimente! Não estou dizendo para tentar ser feliz; não estou dizendo isso, "Aceite sua tristeza para que você possa ser feliz". Não estou dizendo isso. Se essa for sua motivação então nada irá acontecer; você ainda estará lutando. Você estará olhando do canto de seu olho: "Tanto tempo já passou e eu aceitei até mesmo a tristeza, e estou dizendo 'Sou a tristeza", e ainda assim a alegria não está vindo". Ela não virá desse jeito. Alegria não é uma meta, é um subproduto. Isso é uma conseqüência natural da integridade, da unidade. Apenas seja unido com essa tristeza, por nenhum motivo, por nenhum propósito particular. Não há nenhuma questão de qualquer propósito. É assim que você é nesse momento, essa é sua verdade nesse momento. E no próximo momento você pode ficar zangado: aceite isso também. E no próximo momento você pode ser algo mais: aceite isso também. Viva de momento a momento, com tremenda aceitação, sem criar qualquer divisão, e você está a caminho do autoconhecimento. Autoconhecimento não é uma questão de ler os Upanishads e sentar em silêncio e recitar, "Aham Brahmasmi, sou Deus". Esses são esforços inúteis. Ou você sabe que você é Deus, ou você não sabe. Você pode continuar repetindo por toda sua vida, "Aham Brahmasmi, sou Deus". Você pode desperdiçar toda sua vida repetindo isso, mas você não irá conhecer isso. Se você conhece-o, não há nenhum sentido em repeti-lo. Porque você está repetindo-o? Se você sabe, você sabe. Se você não sabe, como você pode vir a saber pela repetição? Apenas veja toda a estupidez disso. Mas isso é o que está sendo feito nesse país e em outros países também, nos monastérios e ashrams. O que as pessoas estão fazendo? Repetindo como papagaios. Estou lhes dando uma abordagem totalmente diferente. Não é pela repetição da Bíblia ou dos Vedas que você irá se tornar um conhecedor, não. Você ficará apenas culto. Então como é que a pessoa conhece a si mesma? Abandone a divisão: a divisão é todo o problema. Você está contra si mesmo. Abandone todos os ideais, os quais criam antagonismo em você. Você é do jeito que você é: aceite isso com alegria, com gratidão. Subitamente uma harmonia será sentida. Os dois eus em você, o eu ideal e o eu
    • verdadeiro, não estarão mais lá para lutar de maneira nenhuma. Eles irão se encontrar e se fundir numa unidade. Não é realmente a tristeza que lhe causa sofrimento. É a interpretação de que a tristeza é errada que lhe causa sofrimento, e isso se torna um problema psicológico. Não é a raiva que é dolorosa; é a idéia de que a raiva é errada que cria ansiedade psicológica. É a interpretação, não o fato. O fato é sempre libertador. Jesus diz, "A verdade liberta". E isso é de tremenda importância. Sim, a verdade liberta, mas não conhecer sobre a verdade. Seja a verdade, e ela liberta. Seja a verdade, e há libertação. Você não precisa trazê-la, você não precisa esperar por ela: ela acontece instantaneamente. Como ser a verdade? Você já é a verdade. Você apenas está carregando falsos ideais; eles estão criando o problema. Abandone os ideais: por alguns dias seja um ser natural. Exatamente como as árvores, os animais e os pássaros, aceite seu ser como você é. E surge um grande silêncio. Como pode ser de outra maneira? Não há nenhuma interpretação: assim a tristeza é bela, ela tem profundidade. Assim a raiva também é bela, ela possui vida e vitalidade. Então o sexo também é bonito, porque tem criatividade. Quando não há nenhuma interpretação, tudo é belo. Quando tudo for belo, você fica relaxado. Nesse relaxamento você caiu na sua própria fonte, e isso traz autoconhecimento. Cair na nossa própria fonte é o que "Conhece a ti mesmo" quer dizer. Não é uma questão de adquirir conhecimento, é uma questão de transformação interior. E de que transformação estou falando? Não estou lhe dando nenhum ideal que você tenha que seguir, não estou dizendo que você precisa se transformar do que você é e tornar-se outra coisa. Você precisa simplesmente relaxar no que você é, e apenas ver. Vocês ouviram o que estou dizendo? Apenas vejam o ponto: é libertação. E uma grande harmonia, uma bela música é ouvida. Essa música é de autoconhecimento. E sua vida começa a mudar. Assim você tem a chave mágica, a qual abre todas as fechaduras. Se você aceitar a tristeza, ela irá desaparecer. Quanto tempo você pode ficar triste se você aceitar a tristeza? Se você for capaz de aceitar a tristeza você será capaz de absorvê-la em seu ser; tornar-se-á sua profundidade. Osho, Extraído de: Unio Mystica, Vol. I, #3
    • =============================================================== ==================== Quando estamos dispostos a mudar e nos arriscamos tudo o que pode acontecer é... mudarmos :oP... Realmente somos avarentos em uma série de aspectos de nossas vidas, seja com o dinheiro, com nossa energia, com nossa presença, com o nosso compartilhar... Só não somos avarentos na emissão de julgamentos..., mas que também fazem parte de nossa condição atual... só temos que assumir isto e sem culpa é apenas a natureza das coisas. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Sinto que estou sendo mesquinho com minha energia Então esteja atento… fique consciente. Não condene; condenação não irá ajudar. Tornará você mais culpado e uma pessoa culpada torna-se mais miserável. Apenas tente entender isso. Se você for mesquinho com a sua energia, então tente entender; "Sou um miserável em minha energia. Eu não compartilho"; Deixe que esse fato fique lá. Agora se mova novamente nos relacionamentos, com as pessoas, e lembre-se desse fato. Deixe que esse fato esteja sempre presente lhe relembrando. E faça alguma coisa que não seja mesquinha; porque isso são hábitos. Apenas faça algo que não seja mesquinho. Uma vez feita alguma coisa que não seja mesquinho, você dirá: "Que bobagem eu estava fazendo!" Hoje mesmo eu estava lendo sobre a vida de um milionário Americano. Ele nunca deu um só centavo como doação. Mendigos não vinham a casa dele e as pessoas que queriam doações nunca pediam a ele porque sabiam que ele diria não. Seu não era absoluto. Quando um amigo que pedia doações para um colégio veio até o milionário e disse, "Eu não quero alguma doação sua porque sei que você não irá me dar. Apenas me dê um cheque falso e lhe darei de volta em dois dias. Mas esse cheque irá me ajudar. Me dê um cheque de dez mil dólares - um cheque falso - e serei capaz de mostrar a toda cidade que você me deu dez mil dólares e assim outros darão. Quando eu tiver recolhido outras doações, sua doação será devolvida". O milionário pensou que não havia nada de errado nisso e que podia confiar no homem, ele era um amigo. Ele deu o dinheiro e toda a cidade passou a comentar sobre isso. Por dois dias continuamente as pessoas telefonaram. Pessoas vieram até ele e disseram "Pensávamos que você era avarento. Estávamos errados". Após dois dias o amigo voltou... ele havia recolhido milhares de dólares. Ele disse, "Aqui está seu cheque. Pegue-o de volta. Estamos muito agradecidos; por causa disso agora temos muito".
    • O avarento começou a chorar. Ele disse, "Conserve-o com você. E estou lhe dando mais dez mil porque eu não sabia que dar faz a gente tão feliz. Tantas pessoas telefonaram e tantas pessoas chegaram aqui. Pela primeira vez vi uma dimensão totalmente diferente. Eu tenho estado acumulando e acumulando, mas nunca me senti tão bem como tenho me sentido nesses dois dias. Agora eu vou dar. Diga a toda a cidade que quem precisar, deve vir. Mesmo no meio da noite, estarei pronto para dar. Senti o sabor disso..." Portanto, a única coisa que você pode fazer é realizar alguma coisa que não seja mesquinha e sentir o sabor da dimensão do partilhar. Se ficar bem, então não haverá problemas; você irá fazê-la novamente. Se não der certo, não há nenhum problema. Você retorna para seu antigo padrão. Ninguém está obstruindo o caminho. Mas não se arrependa e não condene. Simplesmente fique mais alerta sobre suas maneiras e hábitos e de como o mecanismo da mente funciona, humm? Osho, Extraído de: Be Realistic: Plan for a Miracle =============================================================== ==================== Apenas algo leve para começar bem o feriado!!! Bom feriado a todos!!! E não se esqueçam que chacras não tem férias e nem curtem feriado, então... Todo mundo malhando!! kekekeke..... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo A Totalidade é Saudável Amor. O desejo pela totalidade é inerente a tudo, mas somente o homem tornou-se cônscio disso. Dessa forma o homem vive sob tensão, e apenas quando esse anseio é realizado seu estado negativo de tensão é eliminado. A tensão é simbólica ao potencial infinito como também das infinitas possibilidades. O homem não é o que ele pode ser, e a menos que ele seja aquilo que ele pode ser ele não pode ficar a vontade. Esse mal-estar é o homem, E a saúde está na totalidade. O fato de que a linguagem possui uma raiz para as palavras Todo (Whole), Sagrado (Holy), e para cura oculta uma profunda verdade: Aquele que é total é também curado, e ser curado é ser total. Essa integridade só pode ser alcançada tornando-se totalmente cônscio de si mesmo: A escuridão do inconsciente é para ser penetrada e transformada em luz.
    • E a meditação é o método. Osho, Extraído de: A Cup of Tea - 176 =============================================================== ==================== Om Sattva! Pablo Chegar Limpo... Lembre-se de não me entender mal. Eu disse, "Expresse suas emoções negativas", eu não disse, "Publicamente". É assim que as coisas são distorcidas. Agora, se você está se sentindo zangado com alguém e você começa a expressar sua raiva, a outra pessoa não vai ser um Gautama Buda e sentar em silêncio. Ele não é uma estátua de mármore; ele irá também fazer alguma coisa. Você expressará raiva, ele expressará raiva. Isso irá criar mais raiva em você - e raiva ou violência geram, por outro lado, o mesmo, e como uma vingança. E assim você se sentirá mais envolvido nisso, porque lhe foi dito para expressar. Sim, eu lhe disse para expressar - mas não publicamente. Se você estiver se sentindo zangado, vá para o seu quarto, feche-o, bata no travesseiro, fique diante do espelho, grite para sua imagem, diga coisas que você nunca disse a ninguém e sempre quis dizer. Mas isso tem que ser um fenômeno privado, senão nunca termina. As coisas continuam se movendo num círculo, e queremos finalizá-las. Então, no momento em que você sentir alguma emoção negativa sobre alguém, essa outra pessoa não é o problema. O problema é que você tem uma certa energia da raiva. Agora, essa energia precisa ser difundida pelo universo. Você não deve reprimi-la dentro de você. Quando digo, "Expresse", sempre é privadamente, na sua solidão. Isso é uma meditação, não é uma luta. Se você estiver se sentindo triste, sente-se no seu quarto e sinta tanta tristeza quanto possa - isso não lhe prejudicará. Fique realmente triste e veja quanto tempo isso dura. Nada permanece para sempre, logo estará passando. Se você sente vontade de chorar, chore - mas na sua privacidade. Essas coisas não têm nada a ver com os outros. Tudo é seu problema, porque tornar-lo público? E desse jeito, isso não irá ajudar, pelo contrário, só irá piorar. Assim, todos os
    • dias, antes de dormir, por uma hora, sente-se na cama e faça todo tipo de coisas malucas que você sempre quis fazer, tudo que as pessoas fazem quando estão zangadas, violentas, destrutivas. E isso não significa que você tem que ser destrutivo para com as coisas muito valiosas, basta rasgar papeis em pedacinhos e jogá-los por aí - e você sabe a história. E isso será o bastante. Destrua qualquer coisa, coisas sem valor - mas tudo tem que ser feito na sua privacidade, então quando você sair disso, você sai renovado. Se você quiser fazer algo em público, faça o que eu estava lhe dizendo sobre aqueles primitivos. Você pode ir até a pessoa de quem você estava com raiva e dizer-lhe, "Eu estive, privadamente, com raiva de você, eu gritei com você, abusei de você, disse coisas feias a você, por favor, me perdoe. Mas tudo foi feito na minha privacidade, porque isso era problema meu, não tinha nada a ver com você. Contudo, de uma certa maneira isso foi direcionado para você, e você não está ciente disso, desse modo uma desculpa é necessário". Isso deve que ser feito em público. Isso irá auxiliar as pessoas a se ajudarem umas as outras. E essa pessoa não ficará zangada, ela dirá, "Não há necessidade de desculpas. Você não fez nada comigo. E se você está se sentindo aliviado, isso foi um bom exercício". Mas em público não traga seus negativismos, suas feiúras; senão, você estará criando maiores problemas tentando resolver problemas menores. Tenha muito cuidado. Tudo que for negativo tem que ser privado, na sua solidão. E se você quiser fazer alguma declaração pública sobre isso porque alguém ter estado na sua mente a quem você odiava, a quem você matou enquanto rasgava os papéis - vá até ele e humildemente peça-lhe perdão. E aqui você pode ver minhas diferenças das assim chamadas terapias Ocidentais. Elas não têm... O alívio delas é temporário. Mas de uma vez por todas compreenda que todo problema é seu, então tem que ser resolvido privadamente. Não lave suas roupas sujas em público. Não há nenhuma necessidade disso. Pra que envolver outras pessoas desnecessariamente? Pra que criar desnecessariamente uma imagem sua tão feia? Lembro-me de uma história muito estranha. Havia uma grande conferência - uma conferencia mundial de psicólogos, psicanalistas, terapeutas e de todas as outras escolas de psicoterapias do homem. Um grande psicanalista estava lendo um jornal, mas ele não pode lê-lo porque sua atenção estava continuamente distraída por
    • uma jovem mulher psicanalista que estava sentada na primeira fila e um velho feio companheiro que estava continuamente brincando com os seios dela. E ela não se incomodava com isso. Ele não pode ler seu jornal. Ele tentou ocultar essa mulher e esse velho homem atrás do jornal, mas ele esquecia qual linha estava lendo e ficou tão embaraçado que finalmente disse, "É impossível". A conferência não podia entender o que é impossível e porque ele está se comportando dessa maneira. Ele nunca foi... Ele é um pensador bem sistemático e hoje está falando besteiras. Ele lê parte de uma sentença e então outra que não possui nenhuma conexão entre si, e depois outra página aparece, e agora ele está dizendo, "Está tudo confuso e não posso..." E ele não podia olhar para a mulher que estava sentada bem defronte. Alguém se levantou e disse, "Qual é o problema? Porque você está se comportando como um tolo?" Ele disse, "Não estou me fazendo de tolo. Essa jovem senhora não está fazendo nada, e aquele velho e feio companheiro está brincando com os seios dela". A jovem senhora disse, "Mas isso não é problema seu. Você devia ler seu jornal. Nem eu mesma estou tomando isso como meu problema. Isso é problema dele, então porque devo me preocupar? "Ele tem uma sexualidade reprimida, talvez ele não tenha conseguido mamar nos seios da mãe dele por tempo suficiente. E ele ainda está, nessa idade... ele deve ter oitenta anos. E ele não está me causando qualquer dano. E isso não é problema meu, então porque deveria detê-lo? E isso também não é da sua conta; porque você se perturbou? É somente problema dele. Ele precisa ser analisado psiquicamente - e ele mesmo é um grande psicanalista. De fato, ele é meu professor". Mas o que a mulher disse, "O que ele está fazendo - não é problema meu". Necessita de uma personalidade bem integrada, uma visão clara que mesmo ele fazendo alguma coisa com ela, o problema é dele. Ela continuou "Porque devo me perturbar? O pobre companheiro está sofrendo parece que desde sua infância, e ele nunca teve qualquer oportunidade... e agora ele está quase metade no túmulo. Se eu puder lhe dar alguma satisfação, não há nenhum problema. Não me causa nenhum dano - mas estou perplexa porque você não pode ler seu jornal. Você parece estar por trás desse velho companheiro. Você também sofre do mesmo problema". E isso era verdade. Esse homem também sofria do mesmo mal; do contrário, não havia nada com o que se preocupar. Ele devia ler seu jornal e deixar o velho homem fazer o que ele estava fazendo, e se a jovem senhora não o estava impedindo, não estava nem lhe dando atenção, isso não era problema dele. Se as pessoas pudessem permanecer com seus próprios problemas e não sair espalhandoos por aí.... Porque assim eles são engrandecidos
    • Agora o que esse idoso precisa é simplesmente de uma garrafa de leite infantil, assim na sua solidão da noite ele pode sugar o leite morno da garrafa e desfrutar disso. E na escuridão, seja um mamilo ou uma só uma teta de borracha, não faz nenhuma diferença. Tudo que ele precisa é de uma pequena garrafa de leite infantil cada noite para que ele possa morrer pacificamente sem nenhum problema. Mas ele está descarregando isso sobre uma pobre mulher que não tem nada a ver com isso. E não somente isso: alguém mais que está totalmente fora da coisa toda está perturbado, devido a que ele sofre do mesmo problema. Apenas conserve seus problemas pessoais para você mesmo. Nenhum grupo de terapia é de muita ajuda, porque tudo que você fizer no grupo você não pode fazer na sociedade. E o grupo não pode se tornar toda sua vida; fora do grupo você estará novamente no mesmo problema. O que estou dando a vocês é um método simples que vocês mesmos podem fazer facilmente. Limpem seus inconscientes e cheguem para o mundo exterior junto a outras pessoas - com uma face mais suave, olhos mais claros, atitudes mais humanas. Osho, Extraído de: Transmission of the Lamp, #10 =============================================================== ==================== Muitas vezes a gente tenta tapar o sol com a peneira... Quando cai a ficha que fizemos algo que não é legal tentamos verificar o que foi e tentamos reprimir o que sentimos. Seja o que for, mas se dentro de nossa visão moralista for qualificado como "impróprio" já estaremos suprimindo e muitas vezes reprimindo. Aproveitando o que o Wagner postou sobre Lucidez extrafísica, gostaria de dizer que realmente a raiz de nossos problemas e também da nossa falta de Lucidez fora do corpo é a inconsciência que teimamos em manifestar estando "DENTRO" do corpo. Posso resolver meu problema com a raiva, posso reprimi-lo, posso deixar de sentir certas sensações, posso me enganar dizendo para meu ego que tal nuance negativa de minha personalidade foi resolvida e ele pode voltar a reinar, pois agora estou "melhorando" e voltando a ser uma pessoa boa... Mas daí vem à sensação de posse, e quando isso for resolvido virá outra coisa... e outra, e outra... e daí ficamos cansados e nos questionamos "Será isso Evolução?" A raiz de todo sofrimento é estar sem consciência, é estar dormindo, é estar bêbado do sono da ignorância que nos tem afundado por vidas e vidas. E até quando? Quem nós prende a Samsara é nossa própria ignorância, não estamos aqui "presos", simplesmente fomos atraídos por sintonia, para experimentar e nos libertar daquilo que é gerado por nós mesmos. Por isso, quem sentir que não está no planeta certo é só verificar como se comporta no dia-a-dia, eu pelo menos NÃO TENHO DÚVIDA que estou exatamente no
    • lugar certo e infelizmente ainda fazendo as coisas erradas! Sim um dia de cada vez, tudo a seu tempo, mas a consciência não está no passado nem no futuro, está no agora. Não está nas desculpas esfarrapadas que eu forneço ao meu ego para seu reinado não seja abalado. A consciência está em cada mínimo ato que realizamos todo o dia desde o momento que colocamos os pés para fora da cama. Com nós mesmos e com os outros. E acreditem, dá para se enganar "achando" que se está lúcido e ainda sim, mais inconsciente do que nunca. E então : "Vamos acordar?" Além do texto do Rajneesh, segue um texto bem legal que fala sobre a nossa cegueira consciencial. AUTOBIOGRAFIA EM CINCO CAPÍTULOS 1) Ando pela rua Há um buraco fundo na calçada Eu caio Estou perdido... sem esperança. Não é culpa minha. Leva uma eternidade para encontrar a saída. 2)Ando pela mesma rua. Há um buraco fundo na calçada Mas finjo não vê-lo. Caio nele de novo. Não posso acreditar que estou no mesmo lugar. Mas não é culpa minha. Ainda assim leva um tempão para sair. 3) Ando pela mesma rua. Há um buraco fundo na calçada Vejo que ele ali está Ainda assim caio... é um hábito. Meus olhos se abrem Sei onde estou É minha culpa. Saio imediatamente. 4) Ando pela mesma rua. Há um buraco fundo na calçada Dou a volta. 5) Ando por outra rua. (Extraído do livro: "O Livro Tibetano do Viver e do Morrer" - Sogyal Rinpoche - Editora
    • Talento / Palas Athena) O Crítico Interior Sinto-me muito auto-crítico. Após as reuniões sociais fico sempre pensando sobre o que disse e sobre o que poderia ter dito. Isso é um hábito ruim. Autoconsciência é boa, porém a autocrítica não é boa porque nunca é o principal. Quando o momento passa, então você critica a si mesmo. A consciência está no presente e a crítica é sobre o passado. Você não pode desfazê-la, você não pode refazê-la. Ela se foi, e se foi para sempre; nada pode ser feito quanto a isso. É simplesmente tolice desperdiçar até mesmo um único momento pensando sobre isso porque novamente pensando sobre isso, você está desperdiçando o presente, de novo fazendo o mesmo. Esteja cônscio em tudo: relacionamento, trabalho, meditação... o que quer que seja. Quando algo está lá, quando alguma coisa estiver acontecendo, fique atento; não seja crítico. Porque nesse momento de conscientização, algo pode ser transformado. Se você estiver alerta, você pode não fazer muitas coisas; você irá fazer outras coisas. Se você estiver atento, você não será capaz de cometer os erros que você vai criticando. Consciência nunca foi algo na qual haja qualquer possibilidade de arrependimento. Um homem que está cônscio, nunca se arrepende. Tudo que ele não podia fazer, ele não o fez. Não tem sentindo em sentir pena de si mesmo, de ficar se lamentando; tudo isso são doenças. Nesse caso abandone isso. E isso é uma viagem do ego. Você faz alguma coisa e então você começa a aumentar isso na mente. Isso simplesmente mostra que você fez alguma coisa que cai abaixo da imagem de seu ego. Você ficou raivoso e você sempre acha que você é uma pessoa muito boa, e você nunca fica raivoso - e agora você ficou raivoso. Então depois, você vê que sua autoimagem decaiu. Fazer o que? Agora você se sente condenado a seus próprios olhos. Como você irá mostrar sua face para os outros? E você tem espalhado tanto que você é uma boa pessoa e que você nunca fica raivoso, e isso e aquilo. Agora sobre aquele anúncio que você esteve fazendo? Você não pode dizer que você esteve raivoso ou ávido ou mesquinho ou o que quer que seja. Só tem um jeito: elevar-se pelos seus próprios cordões dos sapatos, você aperta a si mesmo, se arrepende. Você diz, "Isso foi errado. Eu não devia ter feito isso. Eu devia ter feito outra coisa". Agora você está pintando sua imagem. Você está dizendo, "Talvez eu estivesse raivoso, mas isso foi só um erro momentâneo. Eu me arrependo disso. Vejam: há lágrimas nos meus olhos. Não sou um homem tão mau assim". Você pode mesmo ir até a pessoa de quem você estava com raiva e pedir perdão a ela, mas isso também é uma viagem do ego. Você ira começar a se sentir bem novamente, um homem muito bom! Você conservou sua respeitabilidade novamente. Sua auto-imagem está de novo no trono.
    • Se você realmente sente que ficar com raiva está errado, então esqueça do passado. Agora sempre que a raiva aparecer, permaneça alerta. Esse é o arrependimento verdadeiro. Permaneça alerta. Não estou dizendo para não pedir perdão as pessoas. Peça, mas não em arrependimento. Não devido à raiva, mas pela sua inconsciência. Você pode ver a diferença? Se você esteve com raiva, vá até a pessoa e diga, "Eu estive desatento. Me comportei como um tolo, um bêbado. Eu estava inconsciente, drogado. Eu fiz alguma coisa porém, eu não estava presente". Peça perdão pela sua desatenção, não pela sua raiva. E lembre-se que o problema real não é a raiva. O real problema é a inconsciência. Assim da próxima vez fique mais atento. Seja com relação a raiva, ódio, ciúmes, sentimento de posse, mil e uma coisas estão lá... mas a verdadeira doença é uma: inconsciência. São todas facetas da mesma coisa. Então se você tentar mudar isso - esses problemas - você nunca será capaz de vencer porque eles são milhões. Osho, Extraído de: Be Realistic: Plan for a Miracle =============================================================== ==================== Como nós procuramos ser infelizes na busca da felicidade. Em primeiro lugar se há busca não há felicidade, pois a busca cria expectativa e expectativa gera tensão e felicidade é relaxamento na existência e não tensão. E só olhar pela janela, a natureza é feliz? Sim. Ela é tensa? Não. Mas o ser humano é MESTRE em ser infeliz e criar infelicidade, ele precisa disso, precisa do martírio. Apenas para ilustrar, tem um tio meu que é diabético e hipertenso, bom, os médicos CANSARAM de avisar o cara para que ele se cuidasse, praticasse exercícios físicos regulares, se alimentasse corretamente... E ele cumpriu algo? Claro que não. Continuou abusando e abusando e abusando... até um belo dia onde ele sofreu uma fratura no pé, onde foi gerada uma infecção que não se curou pelo fato de ser diabético e que culminou com a amputação do pé machucado em questão com risco de trombose. Bom, tudo isso poderia ser evitado... Mas o ser humano é bicho engenhoso demais que adora articular maneiras para justificar a miséria. Não me interpretem mal, o cara é muito gente boa, mas como todo bom ser humano tem lá suas carências que às vezes ultrapassam o limite da autopreservação e já caem para autodestruição. Bom, como o Wagner diz, isso aqui realmente é um sanatório... Keep Rockin'!
    • Om Sattva! Pablo A Maneira Como Você Está Vivendo Cria Sua Doença Felicidade é a natureza do homem. Você não precisa se preocupar absolutamente sobre a felicidade, ela já está presente. Ela está em seu coração - você só precisa parar de ser infeliz, você precisa parar o funcionamento do mecanismo que cria a infelicidade. Contudo, ninguém parece estar preparado para isso. As pessoas dizem, "Quero a felicidade". Isso é como se você dissesse, 'Eu quero saúde' - e você continua se apegando a sua doença e você não permite a doença ir embora. Se o doutor prescreve o remédio, você o joga fora; você nunca segue nenhuma receita. Você nunca vai para um passeio matinal, você nunca vai nadar, você nunca vai correr na praia, você nunca pratica qualquer exercício. Você continua comendo obsessivamente, você continua destruindo sua saúde - e continuamente você segue perguntando onde encontrar saúde. Mas você não muda o mecanismo que cria a enfermidade. Saúde não alguma coisa a ser alcançada em algum lugar, ela não é um objeto. Saúde é um jeito de viver totalmente diferente. A maneira que você está vivendo cria enfermidade, a maneira que você está vivendo cria miséria. Por exemplo, as pessoas chegam para mim e dizem que gostariam de ser felizes, mas eles não podem abandonar seus ciúmes. Se você não pode abandonar seu ciúme, o amor nunca irá crescer - as ervas daninhas do ciúme destruirá a rosa do amor. E quando o amor não cresce, você não pode ser feliz. Porque quem pode ser feliz sem o amor crescer? A menos que essa rosa floresça em você, a menos que essa fragrância seja liberada, você não pode ser feliz. Agora as pessoas querem felicidade - mas apenas por querer, você não pode obtê-la. Querer não é o bastante. Você terá que penetrar no fenômeno da sua miséria, como você a cria - como em primeiro lugar você se tornou miserável, como você continua se tornando miserável a cada dia - qual é a sua técnica? Porque felicidade é um fenômeno natural - se alguém está feliz não há nenhuma habilidade nisso, se alguém está feliz, não necessita de nenhum talento para ser feliz. Os animais são felizes, as árvores são felizes, os pássaros são felizes. Toda a existência é feliz, exceto o homem. Somente o homem é tão engenhoso para criar infelicidade - ninguém mais parece ser tão talentoso. Portanto, quando você está feliz, isso é simples, é inocente, não é nada para se
    • gabar. Mas quando você está infeliz, você está fazendo grandes coisas a si mesmo; você está fazendo algo realmente difícil. Osho, Extraído de: The Path of Paradox, Vol. 2, #6 =============================================================== ==================== Om Sattva! Pablo Mais Santo do Que Você? Se você reprimir o sexo você ficará raivoso; toda a energia que se transformava em sexo se tornará raiva. E é melhor ser sexual do que ser raivoso. No sexo pelo menos existe algo do amor; na raiva só existe pura violência e nada mais. Se o sexo for reprimido, a pessoa se torna violenta - ela será violenta ou com os outros, ou consigo mesma. Essas são as duas possibilidades: ou ela se torna sádica e irá torturar os outros, ou ela se torna uma masoquista e irá torturar a si mesma. Mas irá torturar. Você sabe que, através dos tempos, os soldados não eram permitidos de ter relacionamentos sexuais? Porque? Devido a que se soldados fossem permitidos de ter relacionamentos sexuais eles não juntariam raiva suficiente neles, violência suficiente neles. O sexo deles ficaria liberado, eles se tornam delicados, e uma pessoa delicada não pode lutar. Prive o soldado de ter sexo e ele irá lutar melhor. De fato, a violência dele será um substituto de sua sexualidade... Eu reprimi meus desejos sexuais, e agora descubro que estou muito mais raivoso. (Kabir) Ele é um grande observador, um observador muito minucioso. Isso é consciência. Ele está observando; ele reprime seu desejo sexual e observa - "Agora o que está acontecendo dentro?" Logo ele descobre que está ficando mais raivoso - sem nenhum motivo, apenas raivoso, irritado, pronto para lutar com qualquer um, qualquer desculpa servirá. E lembre-se, sexo pode ser transformado porque é uma energia natural; a raiva não é tão natural, um passo removido da natureza. Agora será difícil mudar a raiva. Primeiro a raiva terá que ser transformada em sexo, só então algo pode ser feito - esse é meu trabalho aqui. E é por isso que estou sendo condenado por todo o mundo. Estou tentando mudar a raiva de vocês em sexo - isso tem que ser feito primeiro. Esse é o caminho para a mudança interior. Primeiro todas as suas perversões têm que desaparecer, e você precisa se tornar um ser humano natural. Você precisa se tornar um animal natural, para ser exato. E só assim você se torna divino. O animal pode ser transformado no divino, porém seu animal também é pervertido, seu animal não é são - seu animal tornouse insano. Primeiro a insanidade precisa ser transformada, mudada. Mude a raiva!
    • Desisti da raiva, e agora vejo que sou ambicioso o dia todo Então ele reprimiu a raiva - isso é o que a pessoa irá logicamente fazer. Você reprime sexo, a raiva borbulha; você reprime a raiva. Ele porém, é um observador atento, um observador muito minucioso. Ele diz: No momento em que reprimi minha raiva me tornei ambicioso. Isto também está provado: se você observar a história humana você encontrará mil e uma provas disso. Por exemplo, na Índia Mahavira ensinou a não-violência, e o resultado foi que todos os seguidores de Mahavira se tornaram as pessoas mais ambiciosas do mundo Eles são os Judeus da Índia. Os Jainistas são os Judeus da Índia. Porque eles ficaram tão ambiciosos? Mahavira os ensinou a ser não-violentos. Obviamente, eles começaram a reprimir a raiva; essa é a única maneira que parece possível para a mente estúpida. Reprima a raiva! Não seja violento. E eles realmente tentaram arduamente; de todas as maneiras possíveis eles tentaram não ser violentos. Eles até mesmo pararam a agricultura porque é um tipo de violência: você terá que arrancar as plantas e cortar os grãos, e isso é violência porque as plantas possuem vida. Assim os Jainistas pararam completamente a agricultura. Agora, eles não podem servir ao exército, eles não podem ser guerreiros (kshatriyas) - por causa da ideologia da nãoviolência deles, e eles não podem nem mesmo ser agricultores, jardineiros; isso é impossível. Eles não gostariam de se tornarem sudras - os intocáveis - que limpam as ruas, os varredores e os operários, porque isso é muito humilhante. E osbrâmanes não os permitem atuar como brâmanes - estes são muito ciumentos com isso. Eles estão no poder há séculos e não aceitam qualquer um: Ninguém pode se tornar um brâmane, a pessoa precisa ser um brâmane de nascimento. Você pode se tornar um homem muito culto - isso não importa - contudo você não pode ser um brâmane. Não existe outra maneira de se tornar um brâmane, você tem que nascer um. Você precisa ter muito cuidado quando escolher seus pais; essa é a única oportunidade de se tornar um brâmane. Assim os Jainistas não podiam serbrâmanes, eles não gostariam de ser sudras nem eram capaz de se tornarem guerreiros - então o que restava para eles? Somente negócio - eles se tornaram negociantes. E toda a raiva reprimida deles se transformou em avidez Eles se tornaram maníacos por dinheiro. O número deles é bem pequeno; na Índia o número deles é tão pequeno, não mais do que três milhões. Num país com seiscentos milhões, três milhões não é nada. Contudo eles possuem mais dinheiro do que qualquer outro. Você não irá encontrar um mendigo Jainista em lugar algum; eles são todos ricos. Mahavira queria que eles fossem não-violentos, e o que realmente aconteceu foi totalmente diferente: eles se
    • tornaram ambiciosos. Reprima sua raiva e você será ambicioso... Trabalhei duro para dissolver a ambição, e agora estou orgulhoso de mim mesmo. Então ele reprimiu sua ambição e o resultado final foi: ele se tornou um grande egoísta; ele se sente muito orgulhoso. "Veja! Eu reprimi o sexo, reprimi a raiva, reprimi a ambição - fiz isso, fiz aquilo. Fiz coisas impossíveis!" Agora um grande 'Eu consegui', o ego se torna fortalecido. Eis porque você irá encontrar os egos mais cristalizados nos monges e nas freiras.Você não irá encontrar tais egos cristalizados em nenhum outro lugar. Quanto mais a pessoa renuncia, mais ela reprime, mais egoísta ela se torna. Os Indianos são muito egoístas e a razão? - todos eles tentaram de uma maneira ou de outra serem religiosos. E o único caminho parece ser a repressão - e repressão traz ego. Uma pessoa não reprimida se torna não egoísta; ela não pode carregar o ego. Não há suporte para agüentá-lo. Ele se torna humilde, simples, ordinário, ele não tem nenhuma pretensão - ele sabe que não é nada. Todo esse processo que Kabir está descrevendo é belo. Repressão não é o caminho: Transformação é o caminho. Não reprima nada. Se a sexualidade estiver presente, não a reprima senão você estará criando uma nova complexidade - a qual será mais difícil de lidar. E se você reprimir a raiva, a ambição é ainda mais difícil, e se você reprimir a ambição, surge o ego, orgulho, o qual é a coisa mais difícil de abandonar. Mova-se para trás: do orgulho para a avidez, da avidez para a raiva, da raiva para o sexo. E se você puder chegar ao natural, a sexualidade espontânea, as coisas serão bem simples. As coisas serão tão simples que você não pode imaginar. Assim sua energia é natural, e energia natural não gera nenhum obstáculo na transformação. Daí eu dizer: Do sexo para a superconsciência. Não da raiva, não da ambição, não do ego, mas do sexo para a superconsciência. A transformação só pode acontecer se primeiro você aceitar seu ser natural. Tudo que é natural é bom. Sim, mais é possível, porém o mais só será possível se você aceitar sua natureza com totalidade - se você recebê-la com boas vindas, se você não sente nenhuma culpa sobre isso. Ser culpado, sentir-se culpado, é ser irreligioso. No passado lhe foi dito exatamente o oposto. Sinta-se culpado e você é religioso. Eu lhe digo: Sinta-se culpado e você nunca será religioso. Abandone toda a culpa! Você é como Deus lhe fez . Você é como a existência lhe fez. Sexo não é sua criação: é um presente de Deus. Algo de tremendo valor está oculto nele - é somente a concha de
    • seu samadhi. Se a semente for quebrada, a concha é quebrada, a flor irá vicejar - mas não pela repressão. Você terá que aprender a jardinagem interior, você terá que se tornar um jardineiro, você terá que aprender como utilizar fertilizantes sujos, esterco, e transformar esterco em rosas. Religião é a arte mais delicada. Osho, Extraído de: The Fish in the Sea Is Not Thirsty, #13 =============================================================== ==================== Pois é... qualquer forma de repressão é horrível... e realmente a melhor maneira de controlar e dominar as pessoas é dizer-lhes que aquilo que elas sentem é "pecado", que neguem e reprimam seus desejos, "isto é feio" e não deve aparecer e nem acontecer a não ser com regras impostas pela própria sociedade... Ficamos limitados e frustrados... quer melhor maneira para se dominar alguém?? Medo, repressão, frustração... é as vezes, ainda não continuamos a causar isto em nós mesmos? Que julgamentos ainda impomos a nós mesmos? Estamos realmentes livres deste rancor do passada? Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Zen - Sexo - Saúde Zen não possui nenhum sistema de crenças sobre coisa alguma, e isso também inclui o sexo - Zen não diz nada sobre isso. E isso deve ser definitivo. O Tantra tem uma atitude sobre o sexo. A razão? - o Tantra tenta reparar o que a sociedade fez. Tantra é medicinal. A sociedade reprimiu o sexo, Tantra chega como um remédio para ajudá-lo a recuperar o equilíbrio. Vocês se inclinaram demasiadamente para a esquerda; Tantra vem e os auxilia a inclinar para a direita. E para recuperar o equilíbrio, às vezes vocês têm que tender demais para a direita, só assim o equilíbrio é restaurado. Vocês nunca viram um equilibrista na corda? Aquele que anda sobre a corda esticada? Ele carrega uma vara nas mãos para manter o equilíbrio. Se ele sente que está inclinando demais para a esquerda, ele imediatamente começa a se inclinar para a direita. Então novamente ele sente que agora inclinou-se demais para a direita, ele começa a se inclinar para a esquerda. É assim que ele se mantém no meio. Tantra é um remédio. A sociedade criou uma mente repressiva, uma mente negativa da vida, uma mente antialegria. A sociedade é muito contra o sexo. Porque a sociedade é tão contra o sexo? - porque se você permite prazer sexual as pessoas, você não pode transformá-las em escravos. Isso é impossível
    • - uma pessoa feliz não pode ser escravizada. Esse é o truque. Só as pessoas tristes podem ser escravizadas. Uma pessoa feliz é uma pessoa livre; ela possui uma espécie de independência nela. Você não pode recrutar pessoas felizes para a guerra. Impossível. Porque eles iriam para a guerra? Mas se uma pessoa reprimiu sua sexualidade ele está pronto para ir para a guerra, ele está ansioso para ir para a guerra, porque ele não tem sido capaz de desfrutar da vida. Ele tornou-se incapaz de desfrutar, daí ficou sem nenhuma criatividade. Agora ele só pode fazer uma coisa - ele pode destruir. Toda sua energia tornou-se destrutiva e venenosa. Ele está pronto para ir para a guerra - não somente preparado, ele está ansiando por isso. Ele quer matar, ele quer destruir. De fato, destruindo seres humanos ele terá uma satisfação substituta de penetrar. Essa penetração poderia ter sido no amor e teria sido bela. Quando você penetra no corpo de uma mulher no amor, isso é uma coisa. Isso é espiritual. Porém, quando as coisas dão errado e você penetra no corpo de alguém com uma espada, com uma lança, isso é feio, é violento, é destrutivo. Mas você está procurando por um substituto para a penetração. Se for permitido a sociedade total liberdade quanto à alegria, ninguém será destrutivo. As pessoas que podem amar lindamente nunca são destrutivas. E as pessoas que podem amar lindamente e possuem a alegria de viver também não serão competitivas. Estes são os problemas. Eis porque os povos primitivos não são tão competitivos. Eles estão desfrutando de suas vidas. Quem se importa em ter uma casa maior? Quem se importa em ter um saldo bancário maior? Para que? Você está feliz com sua mulher e com seu homem e você está tendo uma dança na vida. Quem quer ficar sentado no mercado de trabalho por horas a fio, todos os dias, todos os anos, esperando que no final você terá um grande saldo no banco e então você irá se aposentar e desfrutar? Esse dia nunca chega. Não pode chegar, porque por toda a vida você permanece um asceta. Lembrem-se, os homens de negócios são pessoas ascéticas. Eles devotaram tudo ao dinheiro. Agora um homem que sabe amar e que conheceu a emoção do amor e do êxtase, não será competitivo. Ele será feliz se ele puder conseguir seu pão de cada dia. Esse é o significado da oração de Jesus: "Daí nosso pão de cada dia". Isso é mais que suficiente. Agora Jesus parece bobo. Ele devia ter pedido, "Dai-nos um maior saldo bancário". Ele só pede pelo pão de cada dia? Um homem feliz nunca pede mais que isso. A alegria é tão realizadora. Somente os seres insatisfeitos são competitivos, porque eles pensam que a vida não está aqui, ela está lá. "Eu tenho que alcançar Delhi e me tornar presidente", ou ir para a Casa Branca e me tornar isso ou aquilo. "Eu tenho que ir lá, a alegria está lá" - porque eles sabem que aqui não há nenhuma alegria. Assim eles estão sempre indo, indo, indo.
    • Eles estão sempre no ir, e eles nunca alcançam. E o homem que conhece a alegria, está aqui. Porque ele deveria ir para Delhi? Para que? Ele está completamente feliz aqui-agora. Suas necessidades são tão pequenas. Ele não possui desejos. Ele tem suas necessidades, certamente, mas nenhum desejo. Necessidades podem ser realizadas, desejos nunca. Necessidades são naturais, desejos são pervertidos. Agora toda essa sociedade depende de uma coisa e essa é a repressão sexual. Do contrário a economia será destruída, sabotada. A guerra irá desaparecer e com ela todo o material bélico, e a política ficará sem sentido e o político não será mais importante. O dinheiro não terá valor, se for permitido a pessoa amar. Devido a que eles não são permitidos amar, dinheiro se torna o substituto, dinheiro se torna seu amor. Assim existe uma estratégia sutil. Sexo precisa ser reprimido, senão toda essa estrutura da sociedade cairá imediatamente. Só o amor liberado no mundo trará revolução. Comunismo fracassou, fascismo fracassou, capitalismo fracassou. Todos os 'ismos' fracassaram porque bem lá no fundo eles são repressão sexual. Nesse ponto não há nenhuma diferença. Todos eles concordam sobre uma coisa - que o sexo precisa ser controlado, que não deve ser permitido as pessoas terem uma alegria inocente no sexo. Para recuperar o equilíbrio chega o Tantra; Tantra é o remédio. Por isso o Tantra enfatiza tanto o sexo. As assim chamadas religiões dizem que sexo é pecado e o Tantra diz que sexo é o único fenômeno sagrado. Tantra é o remédio. Zen não é um remédio. Zen é o estado quando a doença desaparece; e, é claro, com a doença, também o remédio. Uma vez que você fica curado de sua doença você não precisa continuar carregando a receita médica, o frasco e o remédio com você. Você joga tudo fora. Vai tudo para a lixeira. A sociedade ordinária é contra o sexo; Tantra chega para ajudar a humanidade, para dar o sexo de volta a humanidade. E quando o sexo for devolvido, então surge o Zen. O Zen não tem nenhuma atitude. Zen é saúde pura. Osho, Extraído de: The Diamond Sutra, #2 =============================================================== ====================Este texto toca em dois pontos que eu acho de suma importância, a lucidez no meio de tempestades emocionais e a nossa fragmentação de atenção. Quando estamos navegando por águas agitadas emocionalmente é preciso um "farol" consciente para nós guiar de volta a terra firme. Só que as vezes devido a intensidade das tempestade não conseguimos "ver" esta luz para nós guiar fora dalí! Como somos mestres em desenvolver hábitos, poderíamos utilizar isto a nosso favor. Toda a vez que estivermos sendo reativos emocionalmente, ou estivermos completamente cegos, com nossa lucidez apagada, deveríamos criar o hábito de observar.
    • Perceber o que está ocorrendo, sem interferir ou segurar nada, apenas observar... Isto poderia ser como um gatilho que seria acionado ao menor sinal de perturbação emocional. Um gatilho que dispararia rajadas de atenção, de silêncio, de observação passiva, e de amor ao que se é. Isto cria milagres, isto gera transformação... Quanto a fragmentação da nossa atenção, eu pelo menos sou mestre nisso hehehe, para perder o foco não basta muito... Devemos entender e observar nossas divisões, onde nos dividimos e porque isso acontece. A necessidade de ação constante só é financiada por uma mente astuta e gananciosa de poder. Eu tenho sentido os benefícios da unificação através da meditação, a clareza, o centro e as decisões sendo tomadas com a batida do martelo do discernimento. Isso não tem preço. É a não-ação, tornando ações, mais conscientes. Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Rumando Para uma Confusão As coisas estão muito melhor entre eu e minha esposa. Nossa comunicação é realmente boa. Tudo é uma piada... mesmo nossas brigas! Se você compreender, os conflitos desaparecem naturalmente, começam a desaparecer. Ás vezes você se achará novamente nos padrões antigos, e então você irá rir. Se você puder rir no meio de um conflito, este não está mais lá... já está morto. A luta precisa de uma mente muito inconsciente. Se você for um pouco consciente, você não pode brigar, porque a coisa toda parece ser absurda, destrutiva, não ajuda ninguém de maneira nenhuma. E por ela você não está só destruindo o outro, você também está se destruindo e você prossegue destruindo todas as possibilidades de um relacionamento feliz, harmonioso. É muito fácil ficar com raiva e brigar, mas é muito difícil eliminar esse veneno do sistema, porque isso cria veneno. Esse veneno persiste. Cada briga tem um remanescente e o remanescente irá novamente gerar a mesma situação na qual você começa a brigar novamente. Desse modo, luta gera luta; um conflito gera outro conflito. Eles são muito reprodutivos. Eles não acreditam em nenhum controle da natalidade. Consciência, atenção, não tem filhos. Ela é bastante em si mesma. Mas a inconsciência gera muitos filhos. Assim basta lembrar mais e mais... apenas apanhe a si mesmo em flagrante. E então não se sinta embaraçado, não se sinta envergonhado. Imediatamente abandone isso aí mesmo. Mesmo que você esteja no meio de uma sentença, pare aí mesmo e dê uma boa risada.
    • A risada é muito medicinal. Não existe nada como a risada... ela é muito terapêutica. Se as pessoas puderem rir mais, o mundo certamente será melhor. E se as pessoas puderem rir nas situações onde a risada não acontece facilmente, o mundo pode ser tremendamente diferente...realmente um mundo muito feliz. Então tente. Isso vai muito bem, mas permaneça alerta. (Sua companheira diz): Estou apaixonada por outro homem, no Canadá, e estou num conflito porque também me sinto muito apaixonada pelo meu marido. Isso simplesmente quer dizer que você ainda quer que algum tipo de conflito e discórdia continue. Isso pode não ser amor por outro homem; isso pode ser apenas amor pelo conflito. Amamos os conflitos porque, com eles, nos sentimos poderosos. Quando tudo está indo bem, a gente sente como se nada estivesse acontecendo. A gente sente como se a vida fosse vazia. Se a vida está realmente harmoniosa, nos sentimos vazios...nenhuma excitação, nenhum pontapé, nenhuma emoção. Assim as pessoas dizem que elas gostariam de uma vida bem pacífica, mas ninguém realmente deseja isso, do contrário, ninguém está criando qualquer barreira. Assim eles prosseguem falando sobre isso e continuam buscando por uma vida pacífica - e continuam criando perturbações. Então fique atenta, cuidado. Se você ama seu marido, não há nenhuma necessidade de outro homem. De fato, essa divisão mostra algo dividido em você. Quando alguém ama duas pessoas, isso simplesmente mostra que em algum lugar existe uma divisão interior, você não é uma. Daí a insistência que se você puder amar um isso irá ajudar, porque isso lhe tornará uma. Se você não puder amar seu marido totalmente, deixe-o Eu irei tirá-lo da sua vida - mas então fique totalmente com o outro homem. Não há nada de errado nisso, mas fique com um para que você possa ser uma, mm? Apenas pense - uma mulher amando muitas pessoas torna-se fragmentária. Essa é a miséria da prostituta. Encontrei muitas prostitutas, e a meu ver é que não é verdade que a sociedade as forçou existem alguns casos onde a sociedade as forçou - mas basicamente é a própria psique delas. Elas têm tantas pessoas dentro delas. Não uma mulher, porém muitas mulheres, uma multidão. E essa multidão não pode ser satisfeita por um homem. E se você não pode ser satisfeita com um homem ou uma mulher, você não pode ficar satisfeita com mil. Porque se é difícil estar em harmonia com um, dois irá ser mais difícil, e três irá ser ainda mais difícil. Quanto mais, maior será a dificuldade de criar harmonia. Portanto se você estiver realmente interessada em paz, harmonia, amor, então opte por um...mesmo que seja difícil no início. É difícil por causa do hábito. Isso sempre dá um bom sentimento de ter dois amantes porque assim você pode criar um conflito entre eles; um triângulo é criado. A mulher fica tremendamente feliz. Ela pode estar vivendo na miséria porque essas duas pessoas estão em constante conflito, mas ela se sente bem em
    • ser desejada por dois homens. Isso não irá ajudar. Isso lhe dará uma excitação febril, mas essa febre vai ser destrutiva para seu ser. Não vou sugerir isso. Então escolha. A decisão é boa porque lhe torna decidida. Não se demore porque isso também é uma decisão... uma decisão de permanecer indecisa. Escolha. Se você acha que você deseja mais o outro homem, pense, pondere sobre isso. Mas se você quiser ficar com seu marido, então deixe o outro homem. É como se você estivesse fazendo amor com seu marido e o outro homem está sempre entre vocês. Isso irá acontecer; vocês não sentirão qualquer privacidade. Ele estará segurando sua mão e haverá uma terceira mão entre vocês e a intimidade não irá florescer. A gente precisa decidir. A vida é uma decisão continua de momento a momento. Você não pode ir por todos os caminhos. Se você quer vir à Índia, você tem que deixar o Canadá. Se você quer viver no Canadá, você precisa deixar a Índia. Você não pode viver em todos os lugares. Não podemos nos espalhar por toda a terra. Iremos perder nosso ser totalmente. Temos que permanecer centrados. Portanto, não somente com o amor, sobre tudo, seja decisiva. Eu sei, eu compreendo que isso é duro. Ás vezes é somente meio a meio. Parece difícil decidir, mas assim também, a gente precisa decidir. Jogue uma moeda ou consulte o I Ching, mas decida. Permanecer numa indecisão por muito tempo é muito perigoso. Isso lhe dá uma qualidade de ser indecisa. E se a pessoa aprende esse truque, então a pessoa desperdiça toda sua vida. Então nas pequenas coisas a pessoa começa a ficar indecisa também. A pessoa retarda, retarda... hesita. E também se houver muito retardamento e hesitação, será muito difícil dar o salto final para Deus, para o divino. O amor é um aprendizado… a primeira lição da religião. Ela lhe ajuda a decidir. E se você puder decidir, na própria decisão algo dentro de você se cristaliza. Você verá isso. Senão você irá ficar bifurcado, você se tornará um esquizofrênico: uma parte indo nessa direção e outra parte indo naquela direção. Uma casa dividida está sempre em perigo. Pode cair a qualquer momento. Então você decide. Não digo para você decidir pelo seu marido - não estou dizendo isso -mas decida. Se você realmente quer ser feliz, seja decisiva. É preciso coragem para decidir, quase a coragem de um jogador, mas a vida é assim, mm? Nada é barato na vida, pelo menos não o amor. Ele exige. E essa é a beleza dele - que ele exige. Essa própria exigência lhe dá uma sintonia, um espírito... integridade, individualidade. E as coisas estão indo tão bem entre vocês dois. Basta ajudá-las... elas podem ficar ainda melhor. Não há um limite para isso. Osho, Extraído de: Be Realistic: Plan for a Miracle
    • =============================================================== ==================== Não Julgueis Do Livro: Sufis O Povo do Caminho, de Osho. Hasan de Basra relata: "Eu havia me convencido de que eu era um homem de humildade e mais do que humilde em meus pensamentos e na minha conduta com os outros. Então, um dia, parado à margem de um rio, vi um homem sentado. A seu lado havia uma mulher e, na frente deles, um cantil de vinho. Pensei: 'Se pelo menos eu pudesse transformar esse homem e fazê-lo como eu sou, em lugar da criatura degenerada que ele é!' Nesse momento, vi um barco no rio, começando a afundar. O homem imediatamente atirou-se na água, onde sete pessoas se debatiam, e trouxe seis delas, salvas, para a margem. Depois, o homem veio a mim e disse: 'Hasan, se você é um homem melhor do que eu, em nome de Deus, salve aquele homem, o último que resta'. Descobri, então, que não podia nem salvar um homem, e ele se afogou. E o homem me disse: 'Esta mulher aqui é minha mãe. Este cantil de vinho contém apenas água. É assim que você julga, é assim que você é.' Joguei-me aos seus pés e implorei: 'Assim como você salvou seis desses sete homens em perigo, salve-me de me afogar no orgulho disfarçado de mérito!' O estranho me disse: 'Rezo para que Deus realize seu objetivo'." "Quem é realmente humilde nem cogita em sê-lo, não julga o outro, mas trabalha verdadeiramente para seu aprimoramento." Iassan Pery "Não é ocioso o que nada faz, mas é ocioso quem poderia empregar melhor o seu tempo." (Sócrates) ===============================================================
    • ==================== A partir de tudo o que as pessoas dizem sobre você, você reúne uma certa imagem. Você jamais olha para dentro de si mesmo, para quem você é. Esta imagem vai ser falsa, porque nenhuma outra pessoa pode saber quem você é, e nenhuma outra pessoa pode dizer quem você é. Sua realidade interior não está disponível para ninguém além de você. Sua realidade interior é impenetrável para qualquer outra pessoa além de você. Somente você pode estar lá. No dia em que você percebe que sua identidade é falsa, ajuntada, que você colecionou opiniões das pessoas... Algum dia simplesmente pense; sente-se silenciosamente, e pense em quem você é. Muitas idéias, surgirão. Apenas vá observando de onde elas vêm, e você será capaz de encontrar a fonte. Algumas coisas vem de sua mãe - muito, cerca de oitenta a noventa por cento. Alguma coisa vem do seu pai, alguma coisa vem dos seus professores, alguma coisa vem dos seus amigos, alguma coisa vem da soci! edade. Apenas observe: você será capaz de divisar de onde ela vem. Nada vem de você, nem mesmo um por cento vem de você. Que tipo de identidade é essa, para qual você não contribuiu de jeito nenhum? E você é o único que poderia ter contribuido, de fato, com todo o cem por cento. No dia em que você compreende isso, a religião se torna importante. No dia em que você percebe isto, você começa a buscar por alguma técnica, por algum método para que você possa entrar dentro do seu ser, para saber exatamente , realmente, existencialmente, quem você é. Não mais colecionar imagens a partir do lado de fora, não mais pedir aos outros para espelharem sua realidade, mas encará-la diretamente, imediatamente; entrar na sua natureza, senti-la presente. Qual a necessidade de perguntar a alguém? E a quem você está perguntando? Eles são tão ignorantes a cerca de si mesmo quanto você é acerca de si. Eles não conhecem a eles mesmos, como podem conhecê-lo? Apenas veja como as coisas estão funcionando, como as coisas continuam funcionando, como as coisas continuam acontecendo: uma falsidade conduz a outra falsidade. Você é quase sempre logrado, enganado. Você foi trapaceado, e aqueles que o lograram podem ter feito isso sem saber. Eles devem ter sido logrados por outros. Seu pai, sua mãe, seus professores, foram enganados pelos outros - os pais deles, as mães deles, os professores deles. E eles foram sucessivamente logrados. Você vai fazer o mesmo. Num mundo melhor, onde as pessoas sejam mais inteligentes, mais conscientes, elas ensinarão à criança que a idéias da identidade é falsa: " É necessária, nós a estamos lhe dando, mas é só por enquanto, antes de você descobrir quem você é." Não vai ser a sua realidade. E, quanto mais cedo você descobrir quem você é, melhor. Quanto mais cedo você puder abandonar esta idéia, melhor , porque a partir desse exato momento, você terá realmente nascido, e será realmente verdadeiro, autêntico. Você se se tornará um indivíduo. As idéias que reunimos a partir do outro, nos dá uma personalidade, e o conhecimento que adquirimos a partir de dentro de nós, nos dá a individualidade. A personalidade é
    • falsa, a individualidade é verdadeira. A personalidade é emprestada; a realidade, a individualidade, sua autenticidade, jamais pode ser emprestada. Ninguém pode dizer quem você é. Pelo menos uma coisa jamais pode ser feita por qualquer outra pessoa além de você - e isso é: dar a você a resposta de quem você é. Não, você tem de ir, tem de cavar fundo dentro do seu próprio ser. Camadas e camadas de identidade, de falsa identidade, têm de ser quebradas. Há medo quando se entra em si mesmo, porque, então, o caos entra. De algum modo você já se acostumou com sua falsa identidade. Você se acertou com ela. Você sabe que seu nome é esse ou aquele; você tem certas credenciais, certificados, graduações, universidades, colegas, prestígio, dinheiro, herança. Você tem certos meios para definir a si mesmo. Tem uma certa definição - seja lá como isso funcione, funciona. Ir para dentro significa abandonar esta definição funcional... Haverá o caos. Antes de você poder chegar ao seu centro, você terá de passar por um estado caótico. Eis por que há medo. Ninguém quer ir para dentro. As pessoas continuam ensinando: "Conhece-te a ti mesmo"; nós ouvimos, mas jamais ouvimos. Nunca nos incomodamos com isto. Há uma idéia muito certa na mente que o caos será liberado e você ficará perdido nele, será engolfado nele. Por causa do medo do caos, nós vamos nos agarrando a qualquer coisa do lado de fora. Mas isto é desperdiçar a sua vida. Osho ============================================================================ ========================= O medo é o principal empecilho no amor, o medo na verdade nos afasta da realidade do amor. E como nós estamos condicionados nesta sociedade moderna temerosa aí temos problemas... Há mais medo nas pessoas que amor, temos medo que roubem nosso carro, nossa casa, nosso dinheiro... Temos medo de ficar doente, de perder o emprego, de ficar sozinho... Temos medo de não conseguir criar nossos filhos, e pensamos: "Eles terão chance em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo?" Temos medo da violência, medo de sermos traídos, medo de não conseguirmos pagar nossas contas, medo do retorno da inflação... Somos tão temerosos que nossa vida acaba sendo ditada pelo medo e nós nem percebemos e quando nos deparamos com alguém amoroso nos perguntamos: "Isso é real? Isso não pode existir!" Ter amor deveria ser normal, realizar cada pequeno ato com amor... Desde escovar os dentes até fechar os olhos à noite antes da projeção... e fazer o melhor que podemos com amor, sem as preocupações e tensões geradas pela vida moderna... O medo nos impede de sermos nós mesmos.
    • Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo Medo - Amor - Orgasmo - Saúde "Um profundo orgasmo sexual deixa o corpo à vontade. Uma saúde muito, muito profunda acontece no corpo porque este se sente total". Medo é escuridão. É ausência de amor. Você não pode fazer nada com ele, e quanto mais você fizer, mais você ficará temeroso porque assim, mais você o achará impossível. O problema se tornará cada vez mais complicado. Se você lutar com as trevas você será derrotado. Você pode trazer uma espada e tentar matar a escuridão: você irá somente ficar exausto. E, finalmente, a mente pensará: A escuridão é tão poderosa, eis porque fui derrotado. Aqui é onde a lógica erra. É absolutamente lógico que se você esteve lutando com as trevas e você não pôde derrotá-la, não pôde destruí-la; então, é absolutamente lógico chegar a conclusão que as trevas são muito poderosas. Sou impotente diante dela. Contudo, a realidade é exatamente o oposto. Você não é impotente, as trevas é que são impotentes. Na verdade, as trevas não estão lá - eis porque você não pode derrotá-la. Como você pode derrotar algo que não é? Não lute com o medo senão você ficará cada vez mais medroso: e um novo medo penetrará em seu ser, isto é: o medo do medo, o qual é muito perigoso. Em primeiro lugar, medo é ausência e em segundo lugar, o medo do medo é o medo da ausência da ausência. Dessa maneira você mergulha na loucura. Você deu um passo errado. Medo não é nada senão ausência de amor. Faça alguma coisa com o amor, esqueça do medo. Se você amar, o medo desaparece. Se você amar profundamente, o medo não é mais encontrado. Quando você estava apaixonado por alguém, mesmo por um único momento, havia algum medo? Ele nunca foi encontrado em qualquer relacionamento - se mesmo por um momento duas pessoas estão num profundo amor e um encontro acontece, eles estão sintonizados um com o outro, nesse momento, o medo nunca foi encontrado. Exatamente como se a luz estivesse acesa e a escuridão não fosse encontrada. Há uma chave secreta: Ame mais. Se você sentir que existe medo em seu ser - ame mais.
    • Seja corajoso no amor, tome coragem. Seja aventureiro no amor, ame mais, e ame incondicionalmente, porque quanto mais você amar, menor será o medo. E quando digo ame quero dizer todas as quatro camadas do amor: do sexo ao samadhi. Ame profundamente. Se você amar profundamente num relacionamento sexual muito medo irá desaparecer do corpo. Se seu corpo treme de medo, é o medo do sexo; você não esteve numa relação sexual profunda. Seu corpo treme, seu corpo não está à vontade, em casa. Ame profundamente - um orgasmo sexual dispersará todo o medo que está no corpo. Quando digo que dispersará todo medo não quero dizer com isso que você se tornará valente porque pessoas valentes não são nada senão covardes de cabeça para baixo. Quando digo que todo medo irá desaparecer quero dizer que não haverá nenhuma covardia e nenhuma valentia. Estes são dois aspectos do medo. Olhe para o seu bravo povo: você irá descobrir que bem no íntimo eles estão assustados, eles criaram uma armadura em volta deles. Bravura não é destemor, é medo bem protegido, bem defendido, blindado. Quando o medo desaparece você fica destemido. E uma pessoa destemida é aquela que nunca cria medo em ninguém, e que nunca permite que ninguém crie medo nela. Um orgasmo sexual profundo deixa o corpo à vontade. Uma saúde muito, muito profunda acontece ao corpo porque o corpo sente totalidade. Portanto, o segundo passo é amor. Ame as pessoas - incondicionalmente. Se você tiver algumas condições na mente então você nunca será capaz de amar - essas condições se tornarão barreiras. Devido a que o amor é benéfico a você pra que se incomodar com condições? È tão benéfico, um bem-estar tão profundo que - ame incondicionalmente; não peça coisa alguma em troca. Se você chegar a entender isso, apenas por amar as pessoas você cresce no destemor, você amará! Pela pura alegria de amar! Osho, Extraído de: Tao, The Three Treasures, Vol. 4, #2 =============================================================== ==================== Nós como espiritualistas estamos tentando minimizar os efeitos de séculos de repressão sobre nós mesmos. Mas mesmo quando achamos que não estamos reprimindo nada, que somos livres me vem a seguinte pergunta "Será?". Se estivermos realizando algo, seja no trabalho ou qualquer área de nossa e vida e este "algo" dispara nossa raiva, para onde ela vai? Se estivermos no transito e levarmos uma fechada, não podemos parar o carro e sair fazendo catarse no meio da rua... kekeke. Então seguramos a onda e ... para onde foi a raiva? Ela se transformou? Ou continua "encubada"? Nestas horas o intelecto age sobre as emoções e as "jogam" para debaixo do
    • tapete. Mas a raiva está lá... aguardando o próximo movimento. Então quando alguém com quem temos intimidade nos fornece um gatilho que dispara nossa raiva, ela corre como uma manada descontrolada ruma a vítima. Nós manifestamos a raiva a todo vapor! Aliás, conhecemos bem o território. O que eu proponho é que NADA deva ser esquecido ou camuflado pelo intelecto. Se está ali, ali está!! Se pudermos resgatar estes momentos de maneira apropriada conseqüentemente nossa raiva vai se exaurir... Vai ser transformada, vai ser vivida com consciência até que ela não faça mais sentido! Isso é justo, isso também é amor, por nós e por aqueles que nos são próximos. Aliás, os que estão próximos agradecem... Keep Rockin'! Om Sattva! Pablo A Sociedade Nunca Lhe Ensina Ser Observador Como o homem reprime tanto e se torna doente? Devido a que a sociedade lhe ensina a controlar, não a transformar, e o caminho da transformação é totalmente diferente. Por uma coisa, não é uma maneira de controlar de jeito nenhum, é exatamente o oposto. Primeira coisa: controlando você reprime, na transformação você expressa. Mas não há necessidade de expressar sobre outra pessoa porque a 'outra pessoa' é irrelevante. Na próxima vez que você se sentir raivoso vá e corra ao redor da casa por sete vezes, e depois disso sente-se sob uma árvore e veja para onde foi a raiva. Você não a reprimiu, você não a controlou, você não a descarregou sobre outra pessoa - porque se você descarregar em outra pessoa uma corrente é criada, porque o outro é tão tolo quanto você, tão inconsciente quanto você. Se você lançar a raiva sobre outro, e se o outro for uma pessoa iluminada, não haverá problemas; ele lhe ajudará a descarregar e a liberá-la e a passar por uma catarse. Porém o outro é tão ignorante quanto você - se você lançar a raiva sobre ele, ele irá reagir. Ele irá lançar mais raiva sobre você, ele é tão reprimido quanto você. Assim uma corrente é criada: você lança sobre ele, ele lança sobre você e ambos se tornam inimigos. Não descarregue a raiva sobre ninguém. É o mesmo que quando você está com vontade de vomitar: você não vai vomitar sobre outra pessoa. A raiva necessita um vômito. Você vai ao banheiro e vomita! Isso limpa o corpo inteiro - se você reprimir o vômito será perigoso, e quando você tiver vomitado irá se sentir refrescado, descarregado, aliviado, bem, saudável. Alguma coisa errada com a comida que você ingeriu e o corpo a rejeitou. Não a segure dentro. Raiva é somente um vômito mental. Alguma coisa que você comeu deu errado e todo seu
    • ser psíquico deseja botar isso pra fora, mas não há necessidade de jogar isso sobre alguém mais. Devido a que as pessoas descarregam a raiva sobre os outros, a sociedade lhes diz para controlá-la. Não há necessidade de jogar a raiva sobre ninguém. Você pode ir até seu banheiro, você pode ir para um longo passeio - isso significa que alguma coisa que está dentro precisa de uma atividade rápida para ser liberada. Basta fazer um pouco de exercício e você irá se sentir liberado, ou pegue um travesseiro e bata nele, lute com ele, e o morda até que suas mãos e dentes fiquem relaxados. Durante cinco minutos de catarse você se sentirá descarregado, e uma vez conhecido isso você nunca mais irá jogar a raiva sobre outra pessoa, porque isso é absoluta tolice. A primeira coisa na transformação é expressar a raiva, mas não sobre alguém, porque se você expressá-la sobre alguém você não pode expressá-la totalmente. Você gostaria de matar, mas isso não é possível; você gostaria de morder, mas isso não é possível. Mas isso pode feito com um travesseiro. Um travesseiro significa 'já iluminado'; o travesseiro é iluminado, um Buda. O travesseiro não irá reagir, e não irá para nenhuma corte, e o travesseiro não irá trazer qualquer inimizade contra você, e ele não fará nada O travesseiro estará feliz e irá sorrir para você. A segunda coisa a lembrar: fique atento. Controlando, nenhuma consciência é necessária; você simplesmente faz isso mecanicamente, como um robô. A raiva chega e há um mecanismo - subitamente todo o seu ser se torna apertado e fechado. Se você for observador, controle pode não ser tão fácil. A sociedade nunca lhe ensina a ser observador, porque quando alguém é observador, ele é muito aberto. Isso é parte da consciência - A pessoa fica aberta, e se você deseja reprimir algo e você é aberto, isso é contraditório, isso pode acontecer. A sociedade lhe ensina como se fechar por dentro, como se enterrar dentro - não permite nem uma pequena janela para que algo possa sair. Mas lembre-se: quando nada sai, nada entra também. Quando a raiva não pode sair, você está fechado. Se você toca numa linda pedra, você não sente nada, você olha para uma flor, nada acontece: seus olhos estão mortos e fechados. Você beija uma pessoa - você não sente nada, porque você está fechado. Você vive uma vida insensível. Sensibilidade cresce com consciência. Através do controle você se torna apático e morto - isso é parte do mecanismo de controle: se você for apático e morto então nada irá lhe afetar, como se o corpo tivesse se tornado uma fortaleza, uma defesa. Nada irá lhe afetar, nem o insulto nem o amor.
    • Mas esse controle tem um custo alto, um custo desnecessário; isso se torna todo o esforço na vida: como controlar a si mesmo - e depois morrer! Todo o esforço de controlar toma toda sua energia, e assim você simplesmente morre. E a vida se torna uma coisa sem graça e morta; você a carrega de alguma maneira. A sociedade lhe ensina controle e condenação, porque uma criança só irá controlar quando ela sente que alguma coisa está condenada. Raiva é ruim, sexo é ruim, tudo que precisa ser controlado tem que ser mostrado a criança como um pecado, tem que parecer um mal. O filho de Mulla Nasruddin estava crescendo. Ele tinha dez anos de idade e então Mulla pensou: Agora, chegou a hora. Ele tem idade bastante e os segredos da vida precisam ser revelados a ele. Assim ele o chamou em seu estúdio e lhe deu os segredos do sexo dos pássaros e das abelhas. E então no final lhe disse, "Quando você perceber que seu irmão mais moço tiver bastante idade, você conta tudo a ele também". Após alguns minutos, quando ele estava passando pelo quarto das crianças, ele ouviu o mais velho, o de dez anos de idade, já trabalhando. Ele estava dizendo ao mais jovem: "Veja, você sabe o que as pessoas fazem quando eles querem ter um filho, um bebê? Bem, Papai diz que os pássaros e as abelhas fazem a mesma maldita coisa". Uma profunda condenação penetra em tudo que está vivo. E sexo é a coisa mais viva - tem que ser! É a fonte. Raiva também é uma coisa muito viva, porque é uma força protetora. Se uma criança não puder ficar raivosa, ela não será capaz de sobreviver. Você precisa ficar raivoso em certos momentos. A criança precisa mostrar seu próprio ser, a criança precisa ficar de pé em certos momentos sobre seus próprios fundamentos; do contrário ela não terá firmeza. Raiva é bela, sexo é belo. Contudo, coisas belas podem ficar feias. Isso depende de você. Se você as condena, elas se tornam feias; se você as transforma, elas se tornam divinas. Raiva transformada se torna compaixão - porque a energia é a mesma. Um Buda é compassivo: de onde procede a compaixão dele? Essa é a mesma energia que estava se movendo na raiva; agora não está mais se movendo na raiva, a mesma energia é transformada em compaixão. De onde procede o amor? Um Buda é amoroso; um Jesus é amor. A mesma energia que se move no sexo se torna amor. Então se lembre, se você condena um fenômeno natural ele se torna venenoso, lhe destrói, se torna destrutivo e suicida. Se você transformá-lo, ele se torna divino, se torna uma força de Deus, se torna um elixir; através disso você alcança a imortalidade, um ser imortal. Mas a transformação é necessária. Osho, Extraído de: And the Flowers Showered, #3 =============================================================== ====================
    • Uma vida equilibrada só pode ser experimentada se nós permitirmos experimentá-la com equilíbrio. :o) Conheço muitas pessoas que não conseguem "desligar" e se tornar receptivas após atividades que envolvem muito o raciocínio lógico. Eu mesmo penei um pouquinho para aprender isto... A atividade deve ser usada a nosso favor e não contra nós, não adianta estarmos ativos quando precisamos estar receptivos e estarmos receptivos quando precisamos ser ativos. Devemos ser flexíveis e oscilar de um ponto a outro sem tensão, geralmente confundimos tensão com atividade e não precisa ser assim. Quantas vezes estamos realizando determinadas atividades e notamos nosso corpo tenso? A energia não flui adequadamente em um corpo tenso, pelo contrário, são formados "nódulos" de energia acumulada por tensões, que são responsáveis pelos mais diversos males. E se isto se torna um vício prejudicamos a qualidade de nossos trabalhos de energia. A propósito, garanto que vez ou outra acabamos por fazer um trabalho de energia sem o devido relaxamento, é só prestar atenção para notar a nítida diferença de qualidade entre uma postura relaxada e tensa durante o trabalho. Uma postura mental/corporal adequada, aliada a um equilíbrio entre raciocínio e emoções pode fazer milagres em nossas vidas. E eles estão em nossas mãos é só ficar atento. Om Sattva! Pablo Uma vida equilibrada deve ser Voar Necessita de Duas Asas Profissionais como eu fazem demasiado uso da nossa inteligência, tanto que tendemos ver a vida somente através do intelecto, e ainda negando todos os outros meios de fazer isso. Isso torna a vida aborrecida e sem graça, e tira todo o seu brilho. O problema real não é o uso demasiado da inteligência, mas a não utilização da emoção. A emoção está completamente menosprezada em nossa civilização; assim o equilíbrio é
    • perdido e uma personalidade deformada se desenvolve. Se as emoções também fossem usadas, então não haveria desequilíbrio. Um equilíbrio da emoção e do intelecto precisa ser mantido na proporção adequada; senão toda a personalidade fica doente. Isso é como utilizar somente uma perna. Você pode continuar usando-a, mas você não chega a lugar algum; você simplesmente se cansa. A outra perna precisa ser utilizada. Emoção e intelecto são como duas asas: quando usamos somente uma asa o resultado será frustrante. Desse modo a alegria de usar ambas as asas simultaneamente, em equilíbrio e harmonia, nunca é alcançada. Não tenha receio de usar demasiadamente o intelecto. Somente quando a inteligência é usada você atinge as profundezas; somente lá seu potencial e estimulado. Trabalho intelectual não significa que sua inteligência está sendo usada. Trabalho intelectual é meramente superficial; nenhuma profundidade é alcançada, nada é desafiado. Isso faz surgir o tédio; isso cria trabalho que é sem satisfação. A satisfação sempre vem quando sua individualidade é desafiada e você tem que provar a si mesmo e responder ao desafio. Quando desafiadas, a inteligência ou a emoção ambas criam sua própria alegria. Uma pessoa é esquizofrênica quando somente uma parte da sua personalidade está trabalhando e a outra está morta. Assim até mesmo à parte que está trabalhando não irá funcionar bem porque estará sobrecarregada. Personalidade é uma totalidade; não possui nenhuma divisão. Realmente, toda a personalidade é uma energia harmoniosa. Quando a energia é usada de uma maneira lógica ela se torna inteligência e quando não é usada logicamente, porém emocionalmente, se torna o coração. Essas são duas coisas separadas; é a mesma energia fluindo através de dois canais diferentes. Quando não há coração, mas só intelecto, você não pode relaxar nunca. Relaxamento significa que agora a mesma energia dentro de você está trabalhando num canal diferente. Relaxamento nunca significa nenhum trabalho, significa trabalho em outra dimensão. Então a dimensão que está sobrecarregada relaxa. Uma pessoa que persegue continuamente uma atividade intelectual, nunca relaxa. Ela não desvia a energia dela para outra dimensão, assim sua mente prossegue desnecessariamente trabalhando somente numa direção. Isso gera tédio. Pensamentos e mais pensamentos vem e vão; a energia é difundida, desperdiçada. Você não pode desfrutá-la; pelo contrário, você será desapontado e aborrecido com esse fardo desnecessário. Mas a mente, ou o intelecto, não tem culpa. Porque uma dimensão alternativa não foi providenciada, devido a que não existe outra porta aberta para isso, a energia se mantém circulando dentro de você. Energia nunca pode ser estagnada. Energia significa aquilo que não é estagnada, que está sempre fluindo. Relaxamento não significa energia que está estagnada ou adormecida; cientificamente, relaxamento significa que agora a energia está fluindo através de outro
    • canal. De outra dimensão - ela entrou em outro quarto. Mas mesmo assim o quarto pode ser diferente, se não for exatamente o oposto do quarto que você estava antes, a mente não irá relaxar. Por exemplo, se você trabalha sobre um problema cientifico, então você pode relaxar lendo uma novela. O trabalho é diferente: lídar com um problema cientifico é estar ativo - um modo bem masculino - onde ler uma novela é ser passivo, que é um modo absolutamente feminino. Embora você esteja usando a mesma mente você estará relaxado, porque é o pólo oposto da mente que está sendo utilizado. Você não está solucionando coisa alguma, você não está ativo; você é só um receptor, recebendo algo. A dimensão é a mesma a menos que a emoção, o pólo oposto, esteja sendo usada. Do mesmo modo, quando amamos, o intelecto não participa da brincadeira de maneira alguma. Exatamente o oposto acontece: a parte irracional da sua personalidade entra em ação. Inteligência tem que ser equilibrada pelo amor e o amor tem que ser equilibrado pela inteligência. Geralmente, esse equilíbrio não é encontrado em lugar nenhum. Se alguém está apaixonado e começa a negligenciar todas as atividades intelectuais, isso também irá gerar tédio. Até mesmo o amor se torna uma tensão se ele for ativo por vinte e quatro horas. Uma vez perdido o desafio, o prazer também estará perdido. A brincadeira estará perdida e se tornará apenas trabalho. A mesma coisa acontece com um intelectual que negligencia o lado emocional de seu ser. Essas duas partes, esses dois pólos, precisam estar em equilíbrio, só então nasce um ser humano individualizado e integrado". Osho, Extraído de: The Great Challenge =============================================================== ==================== Pois é... a gente vive criando desculpas para justificar a nossa irresponsabilidade perante a vida. Se não é o Carma é Deus que quis assim, as pessoas são ruins, o mundo é ruim e por fim nós sempre nos esquivamos da responsabilidade.Quanto tempo ainda ficaremos buscando responsáveis pelas sementes que plantamos? Quando pisam no nosso calo, o problema foi de quem pisou ou eu deveria ter cuidado de uma ferida que ainda está aberta e que eu insisto em não ver? Por quanto tempo ainda vamos choramingar perguntando "Por que?" Já passou da hora de tomarmos as rédeas de nossas vidas e sermos responsáveis por ela, e sermos responsáveis por nossa felicidade. Temos acesso a muita informação legal, temos a rica oportunidade de viver um caminho espiritual aqui e agora, mas
    • perdemos muito tempo ainda perguntando "por que?" Não é o outro que nos magoa e nos fere, é a nossa cegueira consciencial que nos faz cair e nos machucar, pois não nos deixa ver que o outro é apenas um espelho refletindo nós mesmos. Não é o Carma que é nosso algoz é a nossa irresponsabilidade que nos condena. Não é Deus que nos abandona, somos nós que nos abandonamos quando perdemos o discernimento sobre nossas vidas. Não é a vida que nos limita, é a tirania de uma mente agitada que nos governa. Om Sattva! Pablo Você É Responsável A mente ordinária sempre lança a responsabilidade em outro alguém. É sempre o outro que está lhe fazendo sofrer. Sua esposa está lhe causando sofrimento, seu marido está lhe fazendo sofrer, seus pais estão lhe fazendo sofrer, seus filhos estão lhe fazendo sofrer, ou o sistema financeiro da sociedade, capitalismo, comunismo, fascismo, a ideologia política prevalente, a estrutura social, ou o destino, carma, Deus... você nomeia! As pessoas têm milhões de maneiras de se esquivar da responsabilidade. Mas no momento que você diz que outra pessoa - X,Y,Z - está lhe causando sofrimento, assim você não pode fazer nada para mudar isso. O que você pode fazer? Quando a sociedade muda e o comunismo chega e há um mundo sem classes, então todos serão felizes. Antes disso, não é possível. Como é que você pode ser feliz numa sociedade pobre? E como você pode ser feliz numa sociedade que é dominada pelos capitalistas? Como você pode ser feliz com uma sociedade que é burocrática? Como você pode ser feliz com uma sociedade que não lhe permite liberdade? Desculpas e mais desculpas - desculpas apenas evitam um insight que "Sou responsável por mim mesmo. Ninguém mais é responsável por mim; é absolutamente e totalmente minha responsabilidade. O que quer que eu seja, sou minha própria criação". Esse é o significado do sutra. Conduza toda a culpa para um. E esse um é você. Uma vez que esse insight se estabelece: Sou responsável por minha vida - por todo meu sofrimento, pela minha dor, por tudo que
    • aconteceu comigo e está acontecendo a mim - Eu escolhi esse caminho; essas são as sementes que eu semeei e agora estou colhendo a safra; sou responsável - uma vez que esse insight se torna um entendimento natural em você, então tudo mais é simples. Assim a vida começa a dar uma nova reviravolta. Começa a se mover numa nova dimensão. Essa dimensão é conversão, revolução, mutação - porque uma vez que sei que sou responsável, também sei que posso abandonar isso a qualquer momento que decida fazê-lo. Ninguém pode me impedir de abandonar isso. Pode alguém lhe impedir abandonar sua miséria, de transformar sua miséria em felicidade? Ninguém. Mesmo que você esteja na prisão, acorrentado, preso, ninguém pode prender VOCÊ; sua alma ainda permanece livre. É claro, você fica numa situação muito limitada, mas mesmo nessa situação limitada você pode cantar uma canção. Você pode ou derramar lágrimas de desamparo ou pode cantar uma canção. Mesmo com correntes em seus pés você pode dançar; então até mesmo o som das correntes terá uma melodia nela. Próximo sutra: Seja grato a todos. Atisha é realmente muito científico. Primeiro ele diz: Tome toda a responsabilidade sobre si mesmo. Segundamente ele diz: Seja grato a todos. Agora que ninguém mais é responsável pela sua miséria exceto você - se a miséria é toda seu próprio fazer, então o que resta? Seja agradecido com todos. Porque todo mundo está criando um espaço para você ser transformado - mesmo aqueles que acham que estão lhe obstruindo, mesmo aqueles que você pensa que são seus inimigos. Seus amigos, seus inimigos, boas e más pessoas, circunstancias favoráveis, circunstancias desfavoráveis - tudo isso junto está criando o contexto no qual você pode ser transformado e tornar-se um Buddha. Seja agradecido a todos - àqueles que lhe ajudaram, àqueles que lhe obstruíram, àqueles que foram indiferentes. Seja grato a todos, porque todos juntos estão criando o contexto no qual Buddhas nascem, no qual você pode se tornar um Buddha. Osho, Extraído de: Book of Wisdom, Chapter 5 =============================================================== ==================== Somente Médicos Saudáveis Podem Curar Médico, cura a ti mesmo: assim você curará também seu paciente. Deixe que a melhor cura-ajuda dele seja para que ele veja com seus próprios olhos aquele que torna a si mesmo saudável. (Zarathustra)
    • Esse é um grande conselho para aqueles que querem que a consciência humana alcance seu mais alto pico possível. A primeira coisa é: "Médico, cura a ti mesmo". Você deve ficar completamente livre de todas as superstições, de todos os passados mortos sem sentido, você deve ser renovado a cada instante. Isso será sua saúde. E isso ajudará as pessoas: vendo vocês, vendo sua conscientização, vendo seu amor, vendo sua compaixão, vendo sua alegria será a prova de que os outros estão errados e eles precisam mudar. Não é uma questão de discutir; é uma questão de apresentar sua vida na nova luz, para que aqueles que estão na escuridão possam ver que estão na escuridão e que essa é a causa da miséria e da doença deles. Existem milhares de caminhos que ainda nunca foram trilhados, mil formas de saúde e ilhas de vida escondidas. Aqui é onde qualquer um que tenha inteligência irá se apaixonar por Zaratustra. Ele é tão diferente dos outros professores de religião. Mahavira diz, "Tenho dito a última palavra; agora não há mais nada a ser descoberto. Tudo que podia ser descoberto sobre a consciência humana, eu descobri. Não haverá um décimo quinto Tirthankara". Gautama Buda diz a mesma coisa. Maomé diz, "Existiram profetas antes de mim, mas não haverá nenhum profeta depois de mim, porque eu trouxe todo o conhecimento; agora nada mais está oculto". Zaratustra tem uma abordagem bem diferente, bem humilde. Existem milhares de caminhos que ainda não foram trilhados, milhares de formas de saúde e de ilhas ocultas da vida. O homem e a terra do homem ainda não foram esgotados e explorados. Ele não quer ser a última palavra. Pelo contrário, ele quer ser o princípio e deixa tudo aberto. "Continue mudando à medida que você chega a novos espaços. Você não tem que estar em concordância comigo, porque há milhares de caminhos que nunca foram trilhados e há milhares de ilhas na terra e no íntimo do homem que ainda não foram descobertas. Então não fiquem apegados a mim - movam-se!" Ele está dizendo, "Eu lhe ensino movimento. Não lhe dou uma doutrina fixa; Apenas dou-lhe um ímpeto, um incentivo, um desafio". Um verdadeiro mestre é sempre um desafio: desafio por novas descobertas, desafio por novos espaços desconhecidos, desafio pelas estrelas longínquas. Ele simplesmente lhe dá coragem. Ele lhe ajuda a ficar nas asas e deixa todo o céu aberto para você. Observem e escutem, seus solitários! Do futuro chegam ventos com uma furtiva batida de asas; e boas novas vão para os ouvidos delicados. Vocês solitários de hoje, vocês que se separaram da sociedade... Tenham cuidado com essas palavras: Vocês solitários de hoje, vocês que abandonaram a sociedade, vocês um dia serão um povo: de vocês, que escolheram a si próprios, surgirá o povo escolhido - e desse povo escolhido, o superhomem. É uma pena que isso ainda não tenha acontecido. Ainda… Vocês estão solitários hoje; meu nome para solitários é sannyasins. Vocês ainda são poucos. Vinte e cinco séculos se passaram, mas as palavras de Zaratustra soam como se tivessem sido faladas hoje.
    • Vocês solitários de hoje, vocês que se separaram da sociedade, um dia vocês serão um povo. Vinte e cinco séculos atrás ele tinha esperança - e isso ainda é uma esperança. Ainda estou esperando que vocês não permanecerão poucos. Eu até mesmo comecei a chamar-lhes "meu povo". De vocês, que escolheram a si próprios, surgirá um povo escolhido - e desse povo escolhido, o super-homem. Verdadeiramente, a terra ainda se tornará à casa da cura! E um novo aroma já paira sobre ela, um aroma que traz saúde - e uma nova esperança! Posso simplesmente repetir as palavras dele, porque elas são tão verdadeiras hoje como foram vinte e cinco séculos atrás. Isso é muito entristecedor; é uma pena, mas talvez ele tenha vindo cedo demais, à frente de seu tempo. Todo gênio chega cedo, mas Zaratustra parece ter vindo cedo demais. Talvez agora seja o tempo para que possamos fazer desta terra o templo da cura - não somente do corpo, mas também da alma, um lugar sagrado onde todos sejam íntegros, não divididos, não esquizofrênicos. Isso é ainda muito pouco, mas está presente nos corações de muitas pessoas inteligentes e corajosas. Um anseio por uma vida maior, por uma vida mais elevada, por uma vida melhor já surgiu. Talvez a primavera esteja muito próxima. Talvez tenhamos chegado na hora certa. Um aroma que traz saúde - e uma nova esperança! Queremos que essa esperança se torne uma realidade; ela permaneceu uma esperança por tempo demais. É hora do sonho ser realizado e se não pudermos realizar esse sonho, então não existe futuro para a humanidade. Isso me dá grande esperança, porque a multidão enlouquecida chegou a beira de um suicídio global. E agora haverá somente duas alternativas: transformar você num novo homem, o super-homem, ou preparar para desaparecer dessa terra. E não acho que o homem deseje morrer. Não acho que as árvores queiram morrer ou os pássaros ou os animais. Não acho que a vida queira cometer suicídio. Dessa forma, muito provavelmente, ela escolherá transformar a si mesma e dar nascimento ao super-homem, e abandonar toda essa arranjo que os políticos ao redor do mundo estão preparando para vocês, para cometer suicídio. Agora as forças da vida e as forças da morte estão se confrontando uma à outra. As forças da vida são frágeis, como um aroma no ar. E as forças da morte são muito fortes. Entretanto, a morte não pode vencer a vida. O ódio não pode vencer o amor. O feio não pode vencer o bonito. Osho, Extraído de: Zarathustra: A God That Can Dance, #18 =============================================================== ==================== OSHO FALA SOBRE PORQUE, ÀS VEZES, NADA PARECE ACONTECER COM A
    • MEDITAÇÃO. Muitas pessoas parecem estar interessadas em meditação mas esse interesse não pode ser muito profundo porque tão poucas são transformadas através dela. Se o interesse for realmente profundo, ela se torna um fogo por si mesmo. Ela o transforma. Apenas através do intenso interesse, você começa a se tornar diferente. Um novo centro de ser aflora. Tantas pessoas parecem estar interessadas mas nada de novo surge nelas, não nasce nenhum centro, nenhuma cristalização é obtida. Elas permanecem as mesmas. Isso significa que elas estão se enganando. O engano é muito sutil mas obrigatoriamente está aí. Se você continua tomando remédio, fazendo tratamento e a doença permanece a mesma - e bem ao contrário, continua aumentando - então, o seu remédio, o seu tratamento tem de ser falso. Talvez lá no fundo você não queira ser transformado. Esse medo é muito real - o medo da transformação. Então, na superfície, você continua achando que está profundamente interessado mas, no fundo, continua se enganando. O medo da transformação é exatamente como o medo da morte. É uma morte porque o velho terá que ir embora e o novo terá de vir. Você não estará mais aí, alguma coisa totalmente desconhecida de você nascerá a partir de você. A menos que esteja pronto para morrer, o seu interesse na meditação é falso porque somente aqueles que estão prontos para morrer irão renascer. O novo não pode ser uma continuidade com o velho. O velho tem de ser descontinuado. O velho tem de ir embora. Somente então o novo pode vir a ser. O novo não é um crescimento a partir do velho, o novo não é contínuo com ele - o novo é totalmente novo. E ele vem apenas quando o velho morre. Existe uma brecha entre o velho e o novo - esta brecha lhe dá medo. Você está com medo. Você quer ser transformado mas, ao mesmo tempo, quer permanecer o velho. Esse é o engano. Você quer crescer mas você quer permanecer sendo você. Assim o crescimento é impossível; assim você pode apenas se enganar; assim você pode continuar pensando e sonhando que alguma coisa está acontecendo mas nada vai acontecer porque o ponto básico se perdeu. Então existem muitas pessoas em todo o mundo que estão muito interessadas em meditação, moksha, nirvana, e nada está acontecendo. Existe tanto barulho sobre isso mas nada real está acontecendo. Qual é o problema? Às vezes a mente é tão esperta que, porque você não quer ser transformado, a mente cria um interesse superficial para que você possa dizer para si mesmo, "Você está interessado, você está fazendo tudo que pode ser feito." E você permanece o mesmo. E se nada acontece, você acha que a técnica que está usando é errada, o guru que está seguindo está errado, a escritura, o princípio, o método, está errado. Você nunca acha que, mesmo com o método errado, a transformação é possível se existir interesse real; mesmo com um método errado, você será transformado. Se estiver realmente interessado em transformação, você se tornará diferente mesmo se estiver seguindo um guru errado. Se a sua alma e o seu coração estiverem no seu esforço, ninguém pode desorientá-lo exceto você mesmo. E nada é uma barreira para o seu
    • progresso exceto os seus próprios enganos. Quando digo que mesmo um mestre errado, um método errado, um princípio errado, podem levá-lo ao real, quero dizer que a transformação de verdade acontece quando você está intensamente envolvido nela, não através de qualquer método. O método é apenas um artifício, o método é apenas uma ajuda, o método é secundário - o seu ser envolvido nele é a coisa fundamental. Mas você continua a fazer alguma coisa - nem mesmo fazendo, continua a falar sobre fazer. E as palavras criam uma ilusão: porque você pensa tanto a respeito disso, lê tanto sobre isso, escuta tanto sobre isso que começa a sentir que está fazendo algo. As assim chamadas pessoas religiosas desenvolveram tantos artifícios enganosos. Ouvi falar que um motorista, dirigindo por uma estrada, viu o prédio de uma escola em chamas. O professor desta pequena escola naquela cidadezinha era Mulla Nasrudin. Ele estava sentado embaixo de uma árvore. O motorista o chamou, "O que você está fazendo aí? A escola está pegando fogo!" Mulla Nasrudin disse, "Eu sei disso." O motorista ficou muito agitado. Ele disse, "Então por que você não está fazendo nada?" Mulla Nasrudin disse, "Desde que começou tenho rezado para chover. Estou fazendo algo." A oração é um truque para evitar a meditação e a assim chamada mente religiosa desenvolveu muitos tipos de oração. A oração também pode se tornar meditação - quando não é apenas uma oração, quando é um profundo esforço, um profundo envolvimento. A oração também pode se tornar meditação, mas a oração comum é apenas uma fuga. Para evitar a meditação, as pessoas continuam orando. Elas oram para evitar fazer qualquer coisa. Oração significa que Deus deve fazer alguma coisa. Alguém mais tem de fazer. Oração significa que somos passivos - algo deve ser feito para nós. Meditação não é oração nesse sentido: meditação é algo que você faz para si mesmo. E quando você é transformado, todo o universo se comporta de maneira diferente para você porque o universo não é nada mais do que uma resposta para você, seja lá o que você for. Se você estiver silencioso, todo o universo responde ao seu silêncio de milhares e milhares de maneiras. Ele o reflete. O seu silêncio é multiplicado infinitamente. Se você estiver esfuziante, todo o universo reflete a sua felicidade. Se estiver em miséria, o mesmo acontece. A matemática é a mesma, a lei permanece a mesma: o universo continua multiplicando a sua miséria. A oração não vai funcionar. Somente a meditação pode ajudar porque a meditação é algo a ser feito autenticamente por você, é um fazer da sua parte. Então a primeira coisa que eu gostaria de lhe dizer é para você estar constantemente alerta de que não esteja se iludindo. Você pode estar fazendo algo e ainda assim se iludindo. Ouvi dizer que, certa vez, Mulla Nasrudin veio correndo a uma agência de correio, pegou o carteiro pela lapela, chacoalhou-o e disse: "Estou doido. Minha esposa desapareceu!" O carteiro sentiu muito e disse, "Realmente? Ela desapareceu? Infelizmente isso é um departamento dos correios - você tem de ir à polícia
    • para informar o desaparecimento dela." Mulla Nasrudin sacudiu a cabeça negativamente e disse, "Não vão me pegar novamente. Antes, a minha esposa também desapareceu e quando informei à polícia, eles a encontraram. Não vão me pegar de novo. Se você puder fazer o relatório, faça-o, do contrário, estou indo embora." Ele quer informar para se sentir bem, para sentir que fez o que poderia ter sido feito. Mas ele não quer informar a polícia porque tem medo. Você continua a fazer coisas apenas para se sentir bem, apenas para sentir que está fazendo algo. Mas na verdade, você não está pronto para ser transformado. Assim, tudo o que você faz apenas se passa como atividade inútil - não apenas inútil, danosa também, porque é uma perda de tempo, energia e oportunidade. Estas técnicas de meditação são apenas para aqueles que estão prontos para fazer. Você pode ponderar a respeito delas filosoficamente - isso não quer dizer nada. Mas se você estiver realmente pronto para fazer, então alguma coisa começará a acontecer a você. Elas são métodos vivos, não doutrinas mortas. O seu intelecto não é necessário; a totalidade do seu ser é necessária. Se você estiver pronto para dar uma chance, qualquer método funcionará. Você se tornará um novo homem. Os métodos são artifícios. Repetirei de novo. Se você estiver pronto, então qualquer método pode funcionar. Eles são apenas truques para ajudá-lo a dar o salto, eles são apenas trampolins. Você pode pular no oceano a partir de qualquer trampolim. Os trampolins são insignificantes: que cores eles têm, de que madeira são feitos, isso é insignificante. Eles são apenas trampolins e você pode pular a partir deles. Todos estes métodos são trampolins. Seja qual for o método de sua preferência, não fique pensando sobre ele, faça-o! As dificuldades surgirão quando começar a fazer alguma coisa - se você não fizer nada, não haverá dificuldade. Pensar é muito fácil de fazer porque você não está viajando de verdade, mas quando começa a fazer algo, as dificuldades surgem. Assim, se você vir que as dificuldades estão surgindo, pode sentir que está na trilha certa - algo está acontecendo a você. Então, antigas barreiras irão se quebrar, hábitos antigos se vão, haverá mudança, haverá perturbação e caos. Toda a criatividade vem a partir do caos. Você será criado novamente somente se tudo o que você for se tornar caótico. Então, estes métodos o destruirão primeiro, somente então um novo ser será criado. Se existirem dificuldades, sinta-se afortunado - isso mostra crescimento. Nenhum crescimento é macio... e o crescimento espiritual não pode ser macio, essa não é a sua natureza. Porque crescimento espiritual quer dizer crescer para cima, crescimento espiritual quer dizer alcançar o desconhecido, alcançar o não mapeado. Dificuldades existirão. Mas lembre-se de que com cada dificuldade passada, você é cristalizado. Você se torna mais sólido. Você se torna mais real. Pela primeira vez, sentirá alguma coisa centrando em você, alguma coisa se tornando sólida. Como você é agora, você é apenas um fenômeno líquido, mudando a cada momento,
    • nada estável. Realmente você não pode proclamar nenhum "eu" - você não tem um. Você é muitos "eus" apenas num fluxo, um fluxo como o de um rio. Você é uma multidão, não um indivíduo ainda. Mas a meditação pode torná-lo um indivíduo. Essa palavra, "indivíduo," é bela: ela significa indivisível. Agora como você é, você é dividido. Você é apenas muitos fragmentos reunidos de alguma forma, sem nenhum centro presente aí, sem qualquer mestre na casa, somente os serventes. E, por um momento, qualquer servente pode se tornar o mestre. Você é diferente a cada momento porque você não é - e, a menos que você seja, o divino não pode acontecer a você. A quem ele vai acontecer? Você não está aí. As pessoas vêm a mim e dizem: "Gostaríamos de ver Deus." Eu pergunto a elas, "Quem vai ver? Você não está aí. Deus está sempre aí mas você não está aí para ver. É apenas um pensamento fugidio de que você quer ver Deus." No momento seguinte, elas não estão interessadas; no momento seguinte, elas se esqueceram de tudo sobre isso. Um esforço intenso e persistente e um anseio são necessários. Então qualquer método vai funcionar =============================================================== ================== Um texto bem interessante, o diálogo proposto entre Jesus e Buda é cômico, acredito que ele se referencia ao arquétipo que foi construído de Jesus, pois acredito que Jesus era um pouquinho diferente. Só um ponto a considerar, sobre os "meus sannyasins", eu discordo pois vai de encontro ao que o próprio Rajneesh era contra e eu também sou, que é a relação mestre discípulo de esquemas iniciáticos que, em muitos casos, só engrandecem o ego do mestre que se vê cercado de discípulos e do discípulo que se acha especial pois foi aceito pelo mestre. Os esquemas iniciáticos, e tudo mais já tiveram sua utilidade na história humana e foram nescessários em sua época isto sem dúvida, eu devo ter sido um discípulo bem mala... kekeke Agora os tempos são outros e quem pode ser mestre maior que a própria existência? Ou ainda não resolvemos uma carência patriarcal de ter um objeto ou alguém para seguir? Todos os grandes mestres sabem que eles não são importantes, e o que realmente importa é a percepção individual da luz interior dentro de nós que é a mesma em tudo e todos que nos cercam..., bom me desviei e isso não vem ao caso agora, mas já foi... kekekeke. Voltando...como seria legal se o amor fosse meditação e a meditação fosse amor, fundidos e unidos plenamente para a elevação da percepção da consciência humana. Om Sattva! Pablo
    • MEDITAÇÃO E AMOR "Toda a vida é feita de polaridades: positivo e negativo, nascimento e morte, homem e mulher, dia e noite, verão e inverno. Toda a vida consiste em opostos polares. Mas esses opostos não são apenas polares, são também complementares. Eles se ajudam um ao outro, dão apoio um ao outro. Eles são como tijolos que formam uma arcada. Os tijolos de uma arcada têm que ser colocados uns contra os outros. Parecem estar um contra o outro, mas é por meio da oposição deles que a arcada é construída, que ela permanece firme. A resistência da arcada depende da polaridade dos tijolos colocados em oposição uns aos outros. Esta é a polaridade máxima: meditação significa a arte de estar sozinho e amor significa a arte de estar junto. A pessoa completa é aquela que conhece ambas as artes e é capaz de se mover de uma para a outra com a maior facilidade possível. E exatamente como a inspiração e a expiração - não há dificuldade. Elas são opostas - quando vocês inspiram o ar, é um processo; quando expiram o processo é exatamente o oposto. No entanto, inspiração e expiração formam uma respiração completa. Na meditação, vocês inspiram; no amor, expiram. Com o amor e a meditação juntos, sua respiração estará completa, inteira, total. Durante séculos, as religiões tentaram atingir um pólo com a exclusão do outro. Existem religiões de meditação como, por exemplo, o jainismo e o budismo - são religiões meditativas, estão enraizadas na meditação. E existem religiões bhakti, religiões de devoção: o sufismo, o hassidismo - que estão enraizadas no amor. A religião baseada no amor precisa de Deus como o 'outro' a quem amar, a quem rezar. Sem um Deus, a religião de amor não consegue existir, é inconcebível - vocês precisam de um objeto de amor. Porém, uma religião de meditação consegue existir sem o conceito de Deus; essa hipótese pode ser descartada. Por isso o Budismo e o Jainismo não acreditam em Deus algum. Não há necessidade de um outro. A pessoa tem apenas que saber como ficar só, como permanecer silenciosa, como ficar quieta, como estar absolutamente calma e quieta dentro de si mesma. O outro tem que ser completamente abandonado, esquecido. Por isso, essas são religiões atéias. Quando pela primeira vez os teólogos ocidentais entraram em contato com as literaturas budistas e jainistas, eles ficaram bastante confusos: como chamar de religião a essas filosofias atéias? Poderiam ser chamadas de filosofias, mas como chamá-las de religião? Isso era inconcebível para os teólogos, pois as tradições judaico e cristã consideram que, para alguém ser religioso, Deus é a hipótese mais fundamental. A pessoa religiosa é aquela temente a Deus, mas os budistas e jainistas dizem que não existe Deus; Assim a questão de temer a Deus não existe. No Ocidente, durante milhares de anos, pensava-se que a pessoa que não acreditava em
    • Deus era um ateu, não era uma pessoa religiosa. Mas Buda era ateu e religioso. Essa idéia soava muito estranha para os ocidentais porque eles nem sequer imaginavam que existiam religiões que tinha como base a meditação. E o mesmo é verdadeiro para os seguidores de Buda e Mahavira. Eles riem da tolice das outras religiões que acreditam em Deus, porque essa idéia como um todo é absurda. É apenas fantasia, imaginação, nada mais; é uma projeção. Mas para mim, ambas são, ao mesmo tempo, verdadeiras. Minha compreensão não está baseada em um único polo; minha compreensão é fluida. Eu saboreei a verdade de ambos os lados: eu amei totalmente e meditei totalmente. Esta é a minha experiência: a de que uma pessoa está completa só quando conhece os dois polos. Senão, ela é apenas uma metade; algo fica faltando nela. Buda é uma metade - Jesus também. Jesus conhecia o que é o amor, Buda conhecia o que é a meditação; mas, se eles se encontrassem, seriam impossível se comunicarem entre si. Um não compreenderia a linguagem do outro. Jesus falaria sobre o reino de Deus e Buda começaria a rir: 'Que absurdo é esse que você está dizendo? O reino de Deus?' Buda diria apenas: 'Cessação do eu, desaparecimento do eu'. E Jesus: 'Desaparecimento do eu? Cessação do eu? Isso é cometer suicídio, o suicídio máximo. Que espécie de religião é essa? Fale do Eu Supremo!' Um não entenderia as palavras do outro. Se alguma vez eles tivessem se encontrado, precisariam de um homem como eu como intérprete; caso contrário não haveria comunicação entre eles. Eu teria de interpretar de tal maneira que acabaria sendo infiel a ambos! Jesus falaria em 'reino de Deus', que eu traduziria por 'nirvana' - então Buda poderia entender. Buda diria 'nirvana' e, para Jesus, eu diria 'reino de Deus' - então ele poderia compreender. Agora a humanidade precisa de uma visão total. Nós já vivemos com visões parciais por muito tempo. Essa foi uma necessidade do passado, mas agora o homem amadureceu. Os meus sannyasins têm de provar que podem meditar e rezar ao mesmo tempo; que podem meditar e amar ao mesmo tempo; que podem estar tão silenciosos quanto possível e que podem celebrar e dançar tanto quanto possível. Seu silêncio tem de se tornar a sua celebração, e sua celebração tem que se tornar o seu silêncio. Eu lhes dei a tarefa mais difícil que já foi dada a um discípulo, porque esse é o encontro dos opostos. E nesse encontro, todos os outros opostos vão se fundir e tornar-se um: Oriente e Ocidente, homem e mulher, matéria e consciência, este mundo e o outro mundo, vida e morte. Todos os opostos vão se encontrar e fundir-se por meio desse encontro, pois essa é a polaridade máxima; ela contém todas as polaridades. Esse encontro criará um novo ser humano - Zorba, o Buda. Esse é o nome que eu dou ao novo homem. E cada um dos meus sannyasins precisa fazer todos os esforços possíveis para se transformar nessa liquidez, nesse fluxo, de modo que os dois polos façam parte deles.
    • Assim, vocês terão sentido o gosto da totalidade. E conhecer a totalidade é o único meio para se conhecer o que é o sagrado. Não há outro meio" OSHO, Autobiografia de um Místico Espiritualmente Incorreto =============================================================== ==================== Eu achei este 1. discurso do Rajneesh de 1964, que é justamente de sua época áurea, e é simplesmente demais!!! Nós nunca somos receptivos e aceitamos as palavras que chegam até nós. Sempre acabamos por qualificar, julgar ou interpretar, sem deixar que as palavras sejam simplesmente. Sentir as palavras é difícil, pois se tentamos sentir, até onde estamos corretos e até onde estamos sendo induzidos por nossas gelecas emocionais? Até onde "alguém quis dizer algo" e até onde "aquilo é realmente aquilo"? Se formos receptivos e abertos a resposta aparece... Este convite a meditação e a uma nova postura humana é muito legal, pois retira o peso de nossas costas, torna nossa vida mais leve, mais receptiva e sem julgamentos desnecessários. Neste texto, também há duas dicas de meditações simples e fáceis, então é só por a mão na massa. Prestem atenção também ao convite a projeção que é feito no final do texto, um belo convite ao "sono sem sonho". Om Sattva! Pablo O Caminho da Auto-Realização Este discurso é um marco na obra do Osho, pois foi quando ele pela primeira vez teve suas palavras gravadas e depois publicadas. Este discurso tornou-se o primeiro capítulo do primeiro livro publicado do Osho. Trata-se da palestra introdutória ao Campo de Meditação de Ranakpur que ele conduziu em junho de 1964. O livro, originalmente publicado em hindi com o título Path to Self-Realization, foi recentemente traduzido para o inglês como título The Perfect Way (O Caminho Perfeito). "Almas conscientes, Antes de tudo, por favor, aceitem o meu amor. Essa é a única coisa com a qual eu posso dar-lhes as boas vindas
    • ao isolamento e reclusão destas montanhas. Na verdade, eu nada mais tenho a dar a vocês. Eu quero compartilhar com vocês o infinito amor que a proximidade com o divino criou em mim. Eu quero distribuí-lo. E a maravilha disso é que quanto mais eu compartilho esse amor, mais ele cresce! Talvez a verdadeira riqueza seja aquela que aumenta com a distribuição. A riqueza que diminui quando é compartilhada, não é verdadeira riqueza, de modo algum.Vocês então aceitam o meu amor? Eu vejo aceitação em seus olhos e eu vejo também que seus olhos se tornaram repletos de amor em reciprocidade. Amor invoca amor e ódio invoca ódio. Tudo aquilo que nós damos retorna para nós. Essa é uma lei eterna. Assim, tudo aquilo que você deseja receber, é aquilo que você deve dar ao mundo. Você não pode receber flores em retribuição a espinhos. Eu vejo flores de amor e paz desabrochando em seus olhos. Eu estou em profunda gratidão por isso, agora, nós não somos muitos aqui: o amor nos junta e faz com que muitos se tornem um. Corpos físicos estão separados e continuarão separados, mas existe alguma coisa por trás dos corpos que se encontra no amor, que se torna um através do amor. Só depois dessa unidade, de nos tornarmos um, é que alguma coisa pode ser dita e compreendida. A comunicação só é possível no amor. Nós nos reunimos nesse lugar isolado para que eu possa dizer algo a vocês e vocês possam me ouvir. Esse dizer e esse ouvir não são possíveis sem uma corrente de amor. As portas do coração somente se abrem para o amor. E lembre-se de que somente quando alguém ouve com o coração, e não com a cabeça, é que o ouvir acontece. Você pode me perguntar, 'o coração também ouve?' e eu lhe direi que sempre que o ouvir acontece, é sempre através do coração. A cabeça nunca ouviu qualquer coisa. A cabeça é uma pedra surda. E isso também é verdadeiro quanto ao falar. Somente quando as palavras vêm do coração, elas são cheias de significado. Somente quando as palavras vêm do coração, elas têm a fragrância das flores frescas; se não for assim, elas serão apenas envelhecidas e murchas, elas serão artificiais - flores plásticas. Eu vou derramar o meu coração em vocês, e se os corações de vocês permitirem-me entrar, haverá um encontro e uma comunicação. E então, naquele momento de encontro, aquilo que as palavras são incapazes de expressar, será comunicado. Muitas coisas não ditas serão ouvidas dessa maneira - aquilo que não pode ser colocado em palavras, aquilo que fica entrelinhas, também será comunicado. Palavras são indicações muito impotentes, mas se ouvidas em paz total da mente e em silêncio, elas se tornam potentes. Isso é o que eu chamo de ouvir com o coração. Mas, geralmente, mesmo quando ouvimos alguém, nós permanecemos cheios de nossos próprios pensamentos. Esse é o 'falso ouvir'. Então você não é um shravak, um ouvinte. Você está apenas sob a ilusão de que você está ouvindo, mas de fato você não está. Para 'ouvir corretamente', é necessário que a mente esteja em estado de observação, completamente silenciosa. Quando você está apenas ouvindo e nada mais está fazendo,
    • somente então você será capaz de ouvir e compreender, e essa compreensão se tornará luz e transformação dentro de você. Se assim não acontecer, então você não está ouvindo a quem quer que seja, mas apenas a si mesmo, você permanece cercado por um tumulto enfurecido dentro de você. E quando você está envolvido dessa maneira nada pode ser comunicado a você. Então você parece estar vendo, mas não está; você parece estar ouvindo, mas não está. Cristo disse: 'aqueles que têm olhos para ver, que vejam. Aqueles que têm ouvidos para ouvir, que ouçam.' Estava ele dizendo que as pessoas não tinham olhos nem ouvidos? É claro que elas tinham olhos e ouvidos, mas a mera presença de olhos e ouvidos, não é suficiente para ver e ouvir. Algo mais é necessário e sem isso a existência ou não existência de olhos e ouvidos dá no mesmo. Aquele algo mais é o silêncio interior e a consciência observadora. Somente quando essas qualidades estão presentes é que as portas da mente se abrem e algo pode ser dito e ouvido. Eu espero que vocês me ouçam dessa maneira durante o período deste campo de meditação. Uma vez que vocês tenham aprendido isso, isso se tornará sua companheira por toda a vida. Isso será o suficiente para livrá-lo de preocupações triviais.Você poderá se despertar para o grande universo misterioso externo e você poderá experienciar a eterna e infinita luz de consciência escondida por trás do tumulto de sua mente. Ver corretamente e ouvir corretamente não são meras necessidades para este campo de meditação, são, na verdade, os pilares para todo um viver corretamente. Da mesma maneira que tudo é claramente refletido através de um lago totalmente calmo, sem ondas, também é verdade que o divino será refletido em você quando você se tornar calmo e quieto como o lago. Eu estou vendo um grande silêncio crescendo em vocês. Os seus olhos - a sede pela vida que eu vejo em vocês - estão me convidando a dizer aquilo que eu quero dizer. Eles estão me apressando a revelar as verdades que eu tenho visto e que mexeram com minha alma, porque os seus corações estão ansiosos e impacientes por compreendê-las.Vendo o quanto vocês estão desejosos e prontos, meu coração está também pronto para se derramar em vocês. Nessa paz que nos circunda, com o estado cheio de paz de suas mentes, eu certamente serei capaz de dizer o que quero dizer para todos vocês. Se eu tivesse encontrado ouvidos surdos diante de mim, eu iria me segurar. A luz não permanece do lado de fora quando ela encontra as portas de sua casa fechadas? Da mesma forma eu fico parado do lado de fora de muitas casas. Mas é um bom sinal as suas portas estarem abertas. É um bom começo. Amanhã de manhã começaremos a nossa jornada de experimento de meditação por cinco dias. Como suporte para isso, eu gostaria de dizer algumas poucas coisas para vocês. Para a meditação, para a percepção da verdade, o solo de suas mentes tem que estar preparado da mesma maneira que uma pessoa precisa preparar o solo para cultivar flores. Assim eu gostaria que vocês compreendessem alguns sutras, alguns pontos chaves.
    • O primeiro sutra é: viva no presente. Durante os dias do Campo não se deixem levar pelo fluxo mecânico de seus pensamentos a respeito do passado e do futuro. É por causa disso que o momento vivo, o momento que realmente existe, é desperdiçado e se perde desnecessariamente. Nem o passado nem o futuro existem. Um é apenas a memória, o outro é apenas imaginação. Somente o presente é o momento vivo e verdadeiro. E se é para se conhecer a verdade, ela só pode ser conhecida se estivermos no presente. Durante esses dias de meditação, mantenham-se conscientemente livres do passado e do futuro. Aceite que eles não existem. Somente o momento em suas mãos, o momento em que você está, existe. Você tem que viver nele, e vivê-lo totalmente. Esta noite durma tão profundo como se todo o seu passado tivesse sido deixado de lado. Morra para o passado. E de manhã, acorde como um novo homem numa nova manhã. Não deixe que acorde aquele mesmo que foi para a cama. Deixe que aquele tenha um bom sono. Deixe que no lugar dele acorde o que está sempre novo e sempre revigorado. Mantenha continuamente em sua lembrança por todo o tempo esse viver no presente, e fique alerta para que aquele pensamento mecânico a respeito do passado e do futuro nem volte de novo. Para isso, é suficiente permanecer atento. Se você permanecer atento, ele não vai se desencadear. A consciência destrói o hábito. O segundo sutra é: viva naturalmente. Todo o comportamento do homem é artificial e formal. Nós sempre nos mantemos encobertos por um falso manto e por causa dessa coberta nós gradualmente esquecemos nossa própria realidade. Você tem que deixar cair essa pele falsa e jogá-la fora. Nós nos reunimos aqui, não para encenar um drama, mas para nos conhecermos, para compreendermos a nós mesmos. Da mesma forma que os atores de uma peça removem seus trajes e maquiagem e colocam-nos de lado após a apresentação, nestes cinco dias, você tem que remover suas falsas máscaras e jogá-las fora. Deixe que aquilo que é original e natural em você venha à tona e viva nisso. A meditação somente cresce numa vida simples e natural. Durante esses dias de meditação, saiba que você não tem que manter nenhuma posição, você não é especial, você não tem qualquer status. Jogue fora todas essas máscaras. Você é simplesmente você, um ser humano comum, sem nome, sem status, sem classe, sem família, sem casta simplesmente uma pessoa sem nome, um indivíduo muito comum. Você tem que viver desse jeito. E lembre-se que essa é também a nossa verdadeira realidade. O terceiro sutra é: viva só. A vida de meditação nasce em completa solidão, quando a pessoa está totalmente só. Mas geralmente o homem nunca está só. Ele está sempre
    • cercado pelos outros. E quando ele não está no meio da multidão externa, ele está em uma multidão interna. Essa multidão tem que ser dispersada. Não permita que a multidão se reúna dentro de você. E quanto ao lado de fora, viva por si próprio como se você estivesse sozinho neste Campo. Você não tem que manter relacionamentos com ninguém mais. No meio desses incontáveis relacionamentos vocês se esqueceram de vocês mesmos. Todos esses relacionamentos - nos quais vocês são amigos ou inimigos de alguém, pai ou filho, esposa ou marido - absorveram vocês de tal maneira que vocês são incapazes de conhecer a si mesmos em suas próprias individualidades. Alguma vez vocês já tentaram imaginar o que vocês são, fora de todos esses seus relacionamentos? Alguma vez vocês já se livraram das vestimentas desses relacionamentos e viram a si mesmos sem elas? Distancie vocês mesmos de todos esses relacionamentos e vejam que vocês não são filhos de seus pais e mães, não são os maridos de suas esposas, nem o pai de suas crianças, nem o amigo de seus amigos, nem o inimigo de seus inimigos - e o que sobra é o seu verdadeiro ser. Aquela entidade remanescente é o que você é em si mesmo. Durante esses dias você tem que viver sozinho nesse ser. Seguindo esses sutras, a sua mente chegará a um estado, o qual é uma necessidade absoluta para a compreensão da paz e da verdade. Ao lado desses três sutras, eu quero explicar a vocês os dois tipos de meditação que nós começaremos a fazer a partir de amanhã de manhã. A primeira meditação é para a manhã. Durante essa meditação você deverá manter sua coluna espinhal ereta, fechar os seus olhos e manter o seu pescoço reto. Seus lábios devem estar fechados e sua língua deve tocar o céu da boca. Respire devagar, mas profundamente. Mantenha a sua atenção próxima do umbigo. Mantenha-se alerta quanto ao tremor que você sentir no umbigo devido à respiração. Isso é tudo o que vocês têm que fazer. Esse experimento acalma a mente e esvazia os pensamentos completamente. A partir desse vazio a pessoa finalmente entra dentro de si mesma. A segunda meditação é para a noite. Estenda seu corpo no chão confortavelmente e deixe todos os seus membros se relaxarem completamente. Feche seus olhos e por cerca de dois minutos sugira a você mesmo que o corpo está relaxando. Gradualmente o corpo se tornará relaxado. Então, por dois minutos sugira que sua respiração está se tornando quieta e sua respiração se tornará quieta. Finalmente por outros dois minutos, sugira que seus pensamentos estão parando. Essa sugestão firme o levará a um completo relaxamento, tranqüilidade e vazio. Quando a mente se tornar completamente calma, esteja completamente acordado em seu ser interior e seja uma testemunha dessa paz. Esse testemunhar levará você ao seu ser. Vocês devem fazer essas duas meditações. Na verdade elas são estratagemas artificiais e vocês não devem se agarrar a elas. Com ajuda delas, a inquietação das mentes se
    • dissolve. E da mesma forma que não mais precisamos da escada ao completarmos a subida, um dia nós também iremos deixar esses estratagemas. A meditação atinge a perfeição no dia em que ela se torna desnecessária. Esse estado é o verdadeiro samadhi, iluminação. Agora a noite já está avançada e o céu está coberto de estrelas. As árvores e os vales já foram dormir. Nós também vamos dormir agora. Como tudo isso é quieto e silencioso! Nós também vamos nos fundir nesse silêncio. Num sono profundo, num sono sem sonhos, nós vamos para o lugar onde o divino habita. Esse é o samadhi espontâneo, nãoconsciente que a natureza deu para nós. Através da meditação, nós também alcançamos esse mesmo espaço, mas com a meditação nós permanecemos conscientes e alertas. Essa é a única diferença. E essa é realmente uma grande diferença. Numa situação nós vamos dormir e na outra nós nos tornaremos acordados. Vamos agora dormir com a esperança de que o despertar também se tornará possível. Quando a esperança é acompanhada por determinação e empenho, ela certamente se realiza. É possível que a existência nos guie ao longo do caminho. Essa é a minha única prece." OSHO - The Perfect Way =============================================================== ==================== O perdão está intimamente ligado a compaixão. Mas é muito difícil não julgar e deixar apenas o amor e a compaixão tocar o outro. Se não podemos perdoar certas atitudes é porque nosso perdão não é grande o suficiente. Se o nosso perdão ainda não é suficiente nosso amor também é ainda inconsciente pois ainda não compreendemos a simples ignorância do outro. Tudo é uma questão simples, uma matemática simples, mais amor e menos ignorância. Nossos julgamentos estão cheios de emoções e moralismos infundados. Eu sei que dizer isso para quem perdeu a família vítima da violência é difícil, mas não seria mais fácil mostrar que é melhor carregar um coração leve e cheio de amor do que uma vida inteira pesada e carregada pelo peso do ódio? Em menor e maior escala não somos todos ignorantes? Não estamos dia a dia aprendendo que a ignorância é o único inferno possível para todos nós? Não subtemos quem amamos a verdadeiras inquisições para satisfazer certos caprichos emocionais? Não torturamos emocionalmente os que estão próximos quando a nossa ignorância parece ser a única "sabedoria" conhecida? É difícil, mas é simples, nós ainda somos barbáros, mais estamos crescendo a cada dia e cada dia, é uma nova oportunidade de amar melhor e de perdoar melhor. Om Sattva!
    • Pablo Perdão Você poderia dizer algo sobre o perdão? É uma das coisas mais fundamentais para entender. As pessoas geralmente pensam que o perdão é para aqueles que são dignos disso, que o merecem. Mas se alguém o merece, é digno de perdão, isso não é muito um perdão. Você não está fazendo nada de sua parte, ele o merece. Você não está sendo amoroso e compassivo. Seu perdão só será autêntico quando até mesmo aqueles que não merecem, o recebem. Não se trata de se a pessoa merece ou não. A questão é se seu coração está preparado ou não. Recordo-me de uma mística das mais significantes, Rabiya al-Adabiya, uma mulher Sufi que era conhecida pelo seu comportamento muito excêntrico. Porém, em todo seu comportamento excêntrico havia um grande insight. Uma vez, outro místico Sufi Hasan esteve com Rabiya. Devido a que ele ia ficar com Rabiya, ele não trouxe seu sagrado Corão, que ele costumava ler toda manhã como parte da disciplina dele. Ele pensou que podia emprestar o sagrado Corão de Rabiya, assim ele não havia trazido sua própria cópia com ele. Pela manhã ele pediu a Rabiya e ela lhe deu a cópia dela. Ele não podia acreditar no que via. Quando ele abriu o Corão ele viu algo que nenhum Maometano podia acreditar: em muitas partes Rabiya o tinha corrigido. Isso é o maior pecado para os Maometanos, o Corão é a palavra de Deus segundo eles. Como você pode alterá-lo?Como é que você pode até mesmo pensar que pode melhorá-lo? Ela não apenas o mudou, ela simplesmente eliminou algumas palavras, algumas linhas - as removeu. Hasan disse a ela, "Rabiya, alguém destruiu seu Corão!" Rabiya disse, "Não seja estúpido, ninguém toca em meu Corão. O que você está olhando fui eu que fiz". Hasan disse, "Mas como é que você pode fazer uma coisa dessas?" Ela disse, "Eu tinha que fazê-lo, não havia outro jeito. Por exemplo, veja aqui: o Corão diz, "Quando você encontrar o diabo, odeie-o". Desde que me tornei desperta não posso encontrar nenhum ódio dentro de mim. Mesmo se o diabo ficar diante de mim só posso banhá-lo com meu amor, porque não tenho mais nada para dar. Não importa se é Deus ou o diabo que está diante de mim; ambos irão receber o mesmo amor. Tudo que tenho é amor; ódio desapareceu. No momento em que o ódio desapareceu de mim eu tinha que efetuar mudanças no meu livro do sagrado Corão. Se você não o mudou isso simplesmente significa que você ainda não chegou no espaço onde só o amor permanece. Eu vou lhe dizer, as pessoas que não merecem, as pessoas que não são dignas, não faz nenhuma diferença para o homem que chegou no espaço do perdão. Ele irá perdoar, sem considerar quem o merece. Ele não pode ser tão mesquinho que só os dignos devem
    • recebê-lo. E onde ele irá encontrar a implacabilidade? Essa é uma perspectiva totalmente diferente. Não está relacionado com o outro. Quem é você para julgar se o outro é digno ou indigno? O próprio julgamento é feio e medíocre. Sei que Rudolph Hess certamente é um dos maiores criminosos. E o crime dele se torna um milhão de vezes maior, porque no julgamento de Nuremburg com os outros companheiros de Adolf Hitler - que matou quase oito milhões de pessoas na segunda guerra mundial - ele disse diante da corte, "Não me arrependo de nada!" Não apenas isso, ele também disse, "E se eu pudesse começar do princípio, eu faria o mesmo novamente". É muito natural achar que esse homem não merece perdão; esse será o entendimento comum. Todos irão concordar com você. Mas não posso concordar com você. Não importa o que Rudolph Hess tenha feito, o que ele está dizendo. O que importa é que você é capaz de perdoar até mesmo ele. Isso irá elevar sua consciência as alturas. Se você não puder perdoar Rudolph Hess você irá permanecer apenas um ser humano comum, com todo tipo de julgamento de merecimento, de não merecimento. Mas basicamente você não pode perdoá-lo porque seu perdão não é suficientemente grande. Posso perdoar o mundo inteiro pelo simples motivo de que meu perdão é absoluto; não depende de julgamento. Vou lhe contar uma pequena história Tibetana que irá tornar o ponto absolutamente claro para você. Um antigo grande mestre, adorado por milhões de pessoas, recusou-se a iniciar qualquer um como discípulo. Toda sua vida, consistentemente, reis lhe pediram, pessoas ricas lhe pediram, grandes ascetas lhe pediram, santos, para serem iniciados como seus discípulos, e ele continuou recusando. Ele sempre dizia, "A menos que encontre um homem que o mereça, a menos que encontre um homem digno disso... Não vou iniciar nenhum Tom, Dick, Harry". Ele tinha um jovem que costumava cozinhar para ele, lavar suas roupas, comprar vegetais no mercado. O próprio garoto lentamente envelheceu, e por toda sua vida ele escutou o velho homem, que tinha vivido quase cem anos, e sempre com a negação, sem exceção: ninguém é digno! "Eu vou morrer", ele disse, "sem iniciar ninguém, mas não irei iniciar ninguém que seja indigno". As pessoas ficaram cansadas, frustradas. Elas amavam o homem, ele tinha qualidades imensas, mas não podiam entender sua atitude muito teimosa - sem nenhuma ternura, nenhuma compaixão. Mas uma manhã, o velho acordou seu companheiro, que já tinha envelhecido, e lhe disse, "Corra imediatamente morro abaixo até o mercado e diga a todos que quem quiser ser iniciado deve vir logo, porque nesse entardecer, quando o sol se pôr eu vou morrer". Seu companheiro disse, "Mas e quanto ao merecimento? Não sei quem é digno e quem é indigno. A quem devo trazer?"
    • O velho homem disse, "Não se preocupe com isso. Era apenas uma tática, porque eu mesmo não era digno de iniciar ninguém, mas era contra minha dignidade dizer isso. Então escolhi outro modo. Estava dizendo, 'A menos que encontre alguém bastante digno, bastante merecedor, eu não irei iniciar'. A verdade é, eu não era digno de ser um mestre. Agora sou, mas o tempo é muito curto. Somente nessa manhã quando o sol estava surgindo, minha própria consciência também chegou ao pico supremo. Agora estou pronto. Agora não importa quem é digno e quem é indigno. O importante agora é que eu sou digno. Vá e traga qualquer um! Vá e avise a toda a vila que esse é o último dia da minha vida e qualquer um que queira ser iniciado deve vir imediatamente. Traga tantos quanto possível". O companheiro do velho homem ficou perplexo, mas não havia tempo para argüir. Ele desceu o morro correndo, chegou ao mercado e gritou por toda a vila, "Qualquer um que queira ser um discípulo, o velho homem agora está pronto!" As pessoas não podiam acreditar nisso. Mas por curiosidade alguns pensaram, "Não há nenhum problema pelo menos para ver o que está acontecendo". O homem havia recusado por toda sua vida e no último dia da sua vida, uma mudança tão grande de repente. A esposa de alguém tinha falecido e ele estava se sentindo muito só, então ele pensou, "Isso é bom. Se ele vai iniciar todo mundo, sem nenhuma questão de merecimento...". Alguém havia sido libertado da prisão na noite anterior; ele pensou, "Ninguém vai me dar emprego; isso é uma boa oportunidade de virar um santo". Todo tipo de pessoas estranhas foram para a caverna do velho homem, e seu companheiro ficou tão embaraçado pelo tipo de pessoas que ele tinha trazido: Um é criminoso, a esposa de outro havia falecido, é por isso que ele pensa, "Assim é melhor...agora, fazer o que mais? Alguém tinha ido a falência e estava pensando em cometer suicídio; agora pensa que isso é melhor que o suicídio. Alguns tinham vindo por curiosidade. Eles não tinham nenhum outro trabalho; eles estavam tocando jazz e pensaram, "Podemos tocar jazz amanhã, mas hoje não há nenhum problema, vamos ver o que é essa iniciação. De qualquer maneira, esse homem vai morrer ao entardecer assim estaremos livres para permanecermos discípulos ou não. Podemos tocar jazz amanhã - não há nenhum problema". O companheiro do velho homem estava se sentindo muito embaraçado, "Como irei apresentar essa gente estranha quando esse velho homem recusou reis, santos, sábios, que tinham vindo com profunda seriedade para ser iniciados? E agora ele vai iniciar esse bando!" Ele estava até mesmo envergonhado, mas ele entrou e perguntou, "Devo chamar as pessoas? -onze deles estão aí". O velho homem disse, "Chame-os rápido, porque já entardeceu. Você demorou muito tempo e só pode trazer onze pessoas? "Seu companheiro disse, "O que posso fazer? É um dia de trabalho; não é um feriado. Só consegui esses. Todos são absolutamente inúteis; mesmo eu não poderia iniciá-los. Não apenas que eles não sejam dignos - eles são
    • absolutamente indignos. Porém você insistiu em trazer alguém; ninguém mais estava disponível". O velho homem disse, "Não há nenhum problema. Traga-os para dentro". E ele os iniciou a todos. Mesmo eles estavam chocados. E disseram para o velho homem, "Esse é um comportamento estranho. Toda sua vida você insistiu que a gente precisa merecer ser um discípulo. O que aconteceu com o seu principio?" O velho homem sorriu. Ele disse, "Isso não era um principio, era apenas para esconder minha própria indignidade. Eu ainda não estava preparado para ser um mestre. E não posso trapacear ninguém, não posso enganar ninguém; daí eu ter me ocultado atrás de uma atitude julgadora, que a menos que vocês mereçam, não conseguirão a iniciação". Obviamente ninguém é digno. Todo mundo tem seus próprios defeitos, fraquezas; todos fizeram coisas que nunca quiseram fazer. Todo mundo se desviou. Ninguém pode dizer que é absolutamente puro; todos estão poluídos. Assim quando o velho homem insistiu, "A menos que você seja digno não volte para mim", ninguém discutiu com ele; ele estava certo. Primeiro eles tinham que ser merecedores! No último dia, ele disse para aqueles onze discípulos, "Eu os abençoou e inicio vocês. Não importa se vocês são merecedores ou não, mas pela primeira vez sou digno. E se sou realmente digno, basta minha presença para purificar vocês. Meu mérito de ser um mestre irá tornar vocês discípulos dignos. Agora não preciso depender do merecimento de vocês. Meu mérito é suficiente. "Sou como uma nuvem carregada de chuva; irei banhar todo o lugar - sobre as montanhas, nas ruas, nas casas, nas fazendas, nos jardins. Irei banhar todo lugar, porque estou sobrecarregado demais com minha água de chuva. Não importa se o jardim merece... Não faço qualquer distinção entre o jardim e as pedras. Irei simplesmente chover a partir da minha abundância". Se sua Meditação lhe traz para um estado de nuvem de chuva, você irá perdoar sem nenhum julgamento a partir da sua abundância, do seu amor, da sua compaixão. De fato, gostaria de declarar que o homem que é indigno merece mais do que aquele que é digno. O homem que não merece, merece mais, porque ele é tão pobre; não seja duro com ele. A vida tem sido difícil para com ele. Ele se perdeu; ele tem sofrido por causa de seus atos errados. Agora não seja duro com ele. Ele precisa de mais amor do que aqueles que são merecedores; ele precisa de mais perdão do que aqueles que são dignos. Essa deve ser a única abordagem de um coração religioso. Essa questão foi trazida perante Gautama Buda, porque ele ia iniciar um assassino no sannyas - e o assassino não era um assassino comum. Rudolph Hess não é nada comparado a ele. Seu nome era Angulimal. Angulimal significa um homem que usa um
    • colar de dedos humanos. Ele fez a promessa de que mataria mil pessoas; de cada pessoa ele retiraria um dedo para que ele pudesse lembrar quantos ele havia matado e ele fará um colar de todos esses dedos. No seu colar de dedos ele já tinha novecentos e noventa e nove dedos - só um estava faltando. E esse um estava faltando devido a que sua estrada estava fechada; ninguém passava por esse caminho. Gautama Buda, porém, entrou naquela estrada fechada. O rei tinha colocado guardas na estrada para impedir as pessoas, particularmente estrangeiros que não sabiam que um homem perigoso vivia por trás dos montes. Os guardas contaram a Gautama Buda, "Essa não é uma estrada para ser usada. Você terá que tomar um caminho mais longo, mas é melhor ir um pouco mais longe do que penetrar na boca da própria morte. Esse é o lugar onde Angulimal vive. Até mesmo o rei não tinha coragem de andar por essa estrada. Esse homem é simplesmente louco. "A mãe dele costumava chegar até ele. Ela era a única pessoa que podia ir, de vez em quando, vê-lo, mas até mesmo ela deixou de ir. A última vez que ela foi lá ele disse a ela, 'Agora só está faltando um dedo e apenas porque você é minha mãe... quero lhe avisar que se você vier outra vez você não voltará mais. Preciso desesperadamente de um dedo. Até agora não lhe matei porque outras pessoas estavam disponíveis, mas agora ninguém mais passa por essa estrada exceto você. Então quero que você saiba que da próxima vez, se você vir, será sua responsabilidade, não minha'. Desde àquela hora a mãe dele não veio mais". Os guardas disseram a Buda, "Não corra desnecessariamente o risco". E vocês sabem o que Buda disse a eles? "Se eu não for então quem irá? Só duas coisas são possíveis: Ou eu conseguirei mudá-lo, e não posso perder esse desafio; ou irei provê-lo com mais um dedo para que o desejo dele seja realizado. De qualquer maneira irei morrer algum dia. Dar minha cabeça para Angulimal será pelo menos de alguma utilidade; do contrário um dia irei morrer e vocês me colocarão na pira funerária. Acho que assim é melhor para realizar o desejo de alguém e lhe dar paz mental. Ou ele irá me matar ou irei matá-lo, mas esse encontro irá acontecer; vocês apenas mostrem o caminho". As pessoas que seguiam Gautama Buda, seus companheiros íntimos que estavam sempre competindo para estar mais próximo dele, começaram a se afastar. Logo havia milhas de distância entre Gautama Buda e seus discípulos. Todos eles queriam ver o que acontecia, mas não queriam estar muito perto. Angulimal estava sentado sobre sua rocha observando. Ele não podia acreditar em seus olhos. Um homem muito bonito de um carisma tão imenso estava vindo em sua direção. Quem seria este homem? Ele nunca tinha ouvido falar de Gautama Buda, Mas mesmo esse coração duro de Angulimal começou a sentir uma certa ternura para com esse homem. Ele parecia tão belo, vindo na direção dele. Era manhã cedo... Uma brisa fresca, e o sol estava surgindo... E os pássaros estavam cantando e as flores se abriam; e Buda estava chegando cada vez mais perto.
    • Finalmente Angulimal, com sua espada desembainhada em suas mãos, gritou, "Pare!" Gautama Buda estava a alguns metros de distância, e Angulimal disse, "Não dê outro passo porque então a responsabilidade não será minha. Talvez você não saiba quem sou!". Buda disse,"Você sabe quem você é?". Angulimal disse, "Isso não tem importância. Esse não é o lugar nem a hora para discutir tais coisas. Sua vida está em perigo!". Buda disse, "Penso de outra maneira - sua vida é que está em perigo". Esse homem disse, "Eu costumava pensar que era louco - você é simplesmente louco. E você continua chegando mais perto. Assim não diga que matei um homem inocente. Você parece tão inocente e tão bonito que quero que você volte. Encontrarei outra pessoa. Posso esperar; não há nenhuma pressa. Se já consegui novecentos e noventa e nove... é somente mais um, mas não me force a matá-lo". Buda disse, "Você está absolutamente cego. Você não pode ver uma simples coisa: Eu não estou me movendo na sua direção, você está se movendo na minha direção". Angulimal disse, "Isso é pura maluquice! Qualquer um pode ver que você está vindo e eu estou parado sobre minha rocha. Não me movi nem uma polegada". Buda disse, "Bobagem! A verdade é, desde o dia que me tornei iluminado não me movi mais nem uma simples polegada. Estou centrado, totalmente centrado, nenhum movimento. E sua mente está continuamente se movendo em círculos... e você tem a coragem de me mandar parar. Pare você! Eu já parei muito tempo atrás". Angulimal disse, "Parece que você é impossível, você é incurável. Você está fadado a ser morto. Irei sentir muito, mas que posso fazer? Nunca tinha visto um homem tão doido". Buda chegou muito perto, e as mãos de Angulimal estavam tremendo. O homem era tão belo, tão inocente, tão infantil. Ele já estava apaixonado. Ele matou tanta gente... Ele nunca tinha sentido essa fraqueza; ele nunca tinha conhecido o que é amor. Pela primeira vez ele estava cheio de amor. Assim havia uma contradição: a mão estava segurando uma espada para matar a pessoa, e seu coração estava dizendo, "Ponha a espada de volta na bainha". Buda disse, "Estou pronto, mas porque suas mãos estão tremendo? - você é um grande guerreiro, até mesmo os reis temem você, e sou apenas um pobre mendigo. Exceto a tigela de esmolas, não tenho mais nada. Você pode me matar, e me sentirei imensamente satisfeito de que pelo menos minha morte realiza o desejo de alguém; minha vida tem sido útil, minha morte também tem sido útil. Mas antes que você corte minha cabeça tenho um pequeno desejo, e acho que
    • você me concederá um pequeno desejo antes de me matar". Diante da morte até mesmo o maior inimigo tem boa vontade de realizar qualquer desejo. Angulimal disse, "O que você deseja?" Buda disse, "Quero que você apenas corte da árvore um galho que esteja cheio de flores. Nunca mais verei essas flores novamente; quero ver essas flores bem de perto, sentir a fragrância delas e sua beleza nessa manhã ensolarada, a glória delas". Então Angulimal cortou com sua espada todo um galho cheio de flores. E antes que ele pudesse dá-lo a Buda, Buda disse, "Isso era somente metade do desejo; a outra metade é, por favor, ponha o galho de volta na árvore". Angulimal disse, "Eu achava desde o começo que você era maluco. Agora este é o desejo mais louco. Como é que posso colocar esse galho de volta?" Buda disse, "Se você não pode criar, você não tem o direito de destruir. Se você não pode dar vida você não tem o direito de dar morte para nenhuma coisa viva". Um momento de silêncio e um momento de transformação... A espada caiu de suas mãos. Angulimal jogou-se aos pés de Gautama Buda e disse, "Não sei quem você é, mas quem quer que seja, leve-me para o mesmo espaço onde você se encontra, me inicie". Nesse momento os seguidores de Gautama Buda chegaram cada vez mais perto. Vendo que agora Buda estava de pé na frente de Angulimal, não havia nenhum problema, nenhum receio, embora ele precisasse só de um dedo. Eles ficaram ao redor e quando ele caiu aos pés de Buda eles imediatamente se aproximaram. Alguém levantou a questão, "Não inicie esse homem, ele é um assassino. E ele não é um assassino qualquer; ele assassinou novecentos e noventa e nove pessoas, todos inocentes, todos estrangeiros. Eles não fizeram nada de errado a ele. Ele nunca os tinha visto antes!" Buda disse novamente, "Se eu não iniciá-lo, quem irá fazê-lo? E amo esse homem, amo sua coragem. E posso ver tremendas possibilidades nele: um simples homem lutando contra o mundo inteiro. Quero esse tipo de pessoa, que pode enfrentar o mundo inteiro com uma espada; agora ele irá enfrentar o mundo com uma consciência que é muito mais afiada do que qualquer espada. Eu lhes disse que um assassinato estava para acontecer, mas não tinha certeza de quem iria ser assassinado - Ou eu iria ser assassinado, ou Angulimal. Agora vocês podem ver que Angulimal foi morto. E quem sou eu para julgar?" Ele iniciou Angulimal. A questão não é se alguém merece ou não. A questão é se você possui a consciência, a abundância de amor - assim o perdão irá surgir dele espontaneamente. Isso não é um
    • cálculo, isso não é aritmética. Vida é amor, e viver uma vida de amor é a única vida religiosa, a única vida de oração, paz, a única vida de gratidão, grandeza, esplendor. Osho, Extraído de: The Great Pilgrimage: From Here to Here, chapter 24 =============================================================== ====================