Your SlideShare is downloading. ×
Tabloide FAN 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tabloide FAN 2012

1,204

Published on

Programação completa

Programação completa

Published in: Entertainment & Humor
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,204
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PROGRAMAÇÃO GRATUITA DE 27 DE ABRILA 3 DE JUNHO DE 2012 www.fanbh.com.br
  • 2. O Fan e a política pública de cultura do municípioA Prefeitura de Belo Horizonte, ao inaugurar, em 1995, o primeiro festival de artenegra na cidade, talvez não tivesse noção precisa do que se iniciava. Passadasquase duas décadas, o Festival de Arte Negra encontra-se consolidado nocalendário artístico-cultural e foi abraçado pela população, que nele reconhecesua composição diversa e multiétnica.Hoje, em sua sexta edição, o FAN se orgulha de ser reconhecido como omaior festival de arte negra fora do continente africano. Por outro lado, BeloHorizonte também se orgulha de realizar esse evento, que é a face mais visívelde uma política pública comprometida com a construção de uma sociedadeigualitária, diversa e plural. Essa intencionalidade pressupõe políticas quecontribuam para a promoção da igualdade racial e para a valorização dossujeitos e grupos responsáveis pela diversidade cultural brasileira.Ao devolver à sociedade a pergunta “Que FAN queremos?”, a FundaçãoMunicipal de Cultura renova o compromisso com a realização do Festival deArte Negra a cada dois anos, mas, também, explicita a preocupação com a suaimprescindível renovação. Esse olhar para o futuro é fundamental, sobretudono caso desse festival, conquista de uma expressiva parcela da sociedade quesimboliza, como nenhuma outra, sua potência como política pública. Thaïs Velloso Cougo Pimentel Presidente da FMC
  • 3. O corpo, a casa, a rua: o FAN e seus territórios móveisO Festival de Arte Negra de Belo Horizonte, em sua sexta edição, requalifica-seenquanto espaço irradiador de questões estético-culturais ligadas à presençacrítico-criativa dos africanos e seus descendentes no mundo contemporâneo.Concebido a partir do tema “Territórios Móveis”, o 6 º FAN adota como conceitofundante a reconstituição do percurso simbólico que liga o corpo, espaçoprimeiro do ser humano, a casa, lugar das associações afetivas, estéticas eculturais, e a rua, ícone da cidade – aqui entendida em sua dimensão de pólis,mais que de urbs.É dessa perspectiva ampliada que o FAN, mais uma vez, encarna o desejo dapopulação de Belo Horizonte de fazer de nossa cidade um polo privilegiadode coexistência das linguagens artísticas, de convívio entre a tradição viva eas pesquisas de cunho experimental, de relativização da oposição dicotômicaque pretende separar ética e estética e de reafirmação da arte como dadoinseparável da vida.Longe de restringir-se à programação de alto nível que ora finaliza um processode intenso debate público norteado pela pergunta “Que FAN queremos?”, a 6ªedição do Festival de Arte Negra representa, também, o primeiro passo para olevantamento de possibilidades de desenho de seu futuro.Cumprida a promessa da Fundação Municipal de Cultura de manter o intervalode dois anos entre as edições do FAN, cultivamos a expectativa de que o maiorfestival de arte negra fora da África transforme-se, finalmente, na ponta delança de uma política pública capaz de contribuir para a promoção da igualdaderacial e para a valorização dos sujeitos e grupos que produzem a tão propaladadiversidade estético-cultural brasileira. Celina Albano Gil Amâncio Ibrahima Gaye Leda Martins Ricardo Aleixo Comissão Coordenadora e Curadora do 6º FAN
  • 4. som palavra corpo tempo espaçopensamento imagem gesto memória invençãomovimento
  • 5. O sexto FAN já começouSem perder a essência, o Festival de Arte Negra em vil para discutir ideias, sugestões e diretrizes a seremBelo Horizonte se recria em sua sexta edição. trabalhadas na formação das ações futuras do FAN. De- pois do período de “coleta” e “escuta”, foram definidasA cada nova edição, um espelho se ergue diante as atividades artísticas que já estão em curso desde abril.do Festival de Arte Negra (FAN). São imagensfiéis ao momento vivido, reflexo da arte negra O musical Galanga, Chico Rei retomou a programação dacontemporânea. Dezesseis anos após sua criação, o 6ª edição do Festival de Arte Negra (FAN) nos dias 27, 28festival se encontra em um processo de recriação, e 29 de abril. O sucesso foi tão grande que no domingoabrindo espaço para a sociedade negra dizer que tipo teve gente que nem conseguiu entrar no Espaço Tamborde evento ela quer ter. Mineiro, no Prado. Centenas de pessoas prestigiaram os três dias de apresentação, que uniram diversão e culturaO Cine Santa Tereza foi palco para a cerimônia de negra.lançamento da 6ª edição do FAN, que tem comotema “Territórios Móveis”. Mais de duas mil pessoas Dando prosseguimento à programação, a Festa Nossaparticiparam da abertura, entre militantes do Senhora do Rosário começou no dia primeiro de maiomovimento negro e artistas. “O FAN é de grande e foi até o dia 13, com a reza do terço em honra aosimportância para todos os artistas, em todas as suas Santos Padroeiros na Casa 13 de Maio, onde aconteceexpressões. Ele possibilita que o nosso país tenha a a saída do bumba-meu-boi (Boi da Manta) pelas ruas donoção do quanto é forte essa essência artística que bairro Concórdia. No dia 11 de maio, foi realizado umexiste dentro do povo negro. E, mais importante que cortejo da casa do Mordomo da Bandeira até a sede dao movimento artístico, é o político que se firma”, entidade, para o hasteamento das bandeiras de N. Sra.declarou a atriz e roteirista Lea Garcia. A cerimônia do Rosário e N. Sra. das Graças. Quem esteve no localteve a duração de três dias – 9, 10 e 11 de dezembro –, pôde prestigiar a chegada das Guardas. Os dois últimoscom várias atrações, entre elas, homenagens ao dias foram marcados pelas reuniões das Guardas epoeta Cruz e Souza, com a exibição do videopoema celebradas as missas pelas almas dos cativos. TambémAcrobata da Dor e ao ativista Abdias Nascimento, com Dor, foram feitas homenagens à memória de Maria Cassimiraa performance teatral Rito de Recordação. das Dôres e Ephigênio Casemiro, párocos da igreja N. Sra. das Graças.O cantor Chico César deu início às atividades coma aula-espetáculo Da Mama África à Mama Múndi, Múndi Simultaneamente à Festa Nossa Senhora do Rosário,seguido das cantoras líricas Inacyra Falcão, Elizeth começando no dia 8, o Palco Hip-Hop invadiu a cidadeGomes e o griot senegalês Zal Idrissa Sissokho, que com oficinas, palestras, debates, saraus literários eentoaram cânticos de louvação aos orixás no concerto muita música. Na sexta-feira, o tradicional Duelo deLoas da travessia da Calunga Grande. Outro destaque MCs abriu para o tema da cultura negra integrando-sefoi o sambista e escritor Nei Lopes, que ministrou à programação do FAN. O show de encerramento, assima aula-espetáculo Sambeabá: o Samba que não se como a Festa Nossa Senhora do Rosário, foi no dia 13Aprende na Escola No encerramento dessa primeira Escola. de maio. Centenas de pessoas passaram pelo local eetapa do FAN, ainda teve shows com Carla Gomes, puderam curtir o melhor do hip-hop local e nacionalZaika, Mariella Santiago, Sérgio Pererê e Lokua Kanza. com shows Are.z.o.n.a, Brother Soul, CDR Trincamentes, Arte Favela, DJ Roger Dee, DJ Joseph, DJ Nedu Lopes,Foram realizados encontros entre a comissão organi- Duelo de MCs: Final (Vinição X Destro), Monge Mc ezadora do festival e representantes da sociedade ci- Emicida (SP).
  • 6. 25 maio • sexta 28 maio • segunda8 às 10h30 – Letras que se inscrevem no 14 às 18h – Oficina Olonadé – a cenacorpo – 1º Encontro A escola na roda de negra brasileira. Local: Espaço Culturalcapoeira. Local: Praça da Estação Tambor Mineiro14 às 18h – Letras que se inscrevem 18h15 – CINE FAN – Daquele instante emno corpo – Seminário A escola na roda diante (Direção: Rogério Velloso. Brasil.de capoeira. Mesa com Mestre Nenel, 2011. doc. 110 min). Local: CCBHMestre Janja e Mestre/Professor CésarBarbiere. Local: Museu Mineiro29 maio • terça10 às 12h30 – Seminário Cultura negrae economia criativa. Mesa 1 – Panoramada economia negra. Susana Baca (Peru),Tatiana Silva (Ipea/Brasília) e Youssoun’dou (Ministro da Cultura e Turismo doSenegal). Mediadora: Thaïs Pimentel.Local: Sala Juvenal Dias12h15 – CINE FAN – Curtas de Moçambique(organização de Kaio Almeida, LeilaLourença e alunos do workshop de cinemadocumentário. Moçambique. 2010)Shilambwashi Shetu: esta terra é nossa IO Sal I Cine Caniço I Em busca da felicidade.Local: CCBH 14 às 18h – Oficina Olonadé – a cena negra14h – CINE FAN – Arroz com feijão (Coleção brasileira. Local: Espaço Cultural Tambor5x favela – Agora por nós mesmos) I Oxossi Mineiroe o pássaro das feiticeiras (Direção: TatuGuerra. Brasil. 2009). Local: CCBH 18h15 – CINE FAN – Céu sem eternidade (Direção: Cátia de Oliveira, Flaudinéia14 às 16h30 – Seminário Cultura negra e Brito, Guilherme Farkas, Eliane Café,economia criativa. Mesa 2 – Perspectivas Antônio Domingues, André Garros e Nayrapara a economia da arte e da cultura negra. Albuquerque. Brasil. 2011. doc).Athayde Motta (Fundo Baobá para a Local: CCBHEquidade Racial/PE), Regina Faria (Sebrae/MG) e Ana Flávia Machado (Cedeplar/ 19h – Namíbia, não! (Direção:Lázaro Ramos).UFMG). Local: Sala Juvenal Dias Local: Teatro Francisco Nunes15 às 18h – Oficina Modelos, passarela e 21h – Susana Baca e banda. Local: Grandefotos. Local: CCBH Teatro – Palácio das Artes
  • 7. 30 maio • quarta10 às 12h30 – Seminário Cultura negra eeconomia criativa. Mesa 3 – Cultura negra,apenas um bom negócio? Maurício Pestana(Revista Raça/SP), Maurício Tizumba(Tambor Mineiro/BH), Adriana Barbosa(Feira Preta/SP) e Victor Magalhães(Coletivo Bambata/BH). Moderador:Helder Queiroga (Contato/BH). Local: SalaJuvenal Dias12h15 – CINE FAN – Dalva (Direção:Caroline Leoni. Brasil. 2004. ficção) I Clarita(Thereza Jessouroun. Brasil. 2007. doc).Local: CCBH14h – CINE FAN – Deixa voar (Coleção 5xfavela – Agora por nós mesmos). (Direção: “O Seminário cultura negraCadu Barcelos. Brasil. 2010. ficção.17 min). e economia criativa temLocal: CCBH como objetivo reunir artistas, empresários, produtores,14 às 16h30 – Seminário Cultura negra intelectuais e representantes doe economia criativa. Mesa 4 – Diversidade setor público para refletir sobre oda cultura negra, diálogo com a economiacriativa. Denise Nicolini e Marina Simião desenvolvimento sustentável das(Ícone, Gestão Treinamento e Consultoria). artes e culturas negras. “Local: Sala Juvenal Dias14 às 18h – Oficina Olonadé – a cena negra 15 às 18h – Oficina Modelos, passarelabrasileira. Local: Espaço Cultural Tambor e fotos. Local: CCBHMineiro 18h15 – CINE FAN – Jardim das folhas sagradas. (Direção: Póla Ribeiro. Brasil. 2011. drama. 90 min). Local: CCBH 19h – Leitura-concerto Palavras de um outro mesmo lugar. Abreu Paxe (Angola), Nina Rizzi (FOR), Ronald Augusto (POA) e Salgado Maranhão (RJ). Direção artística: Ricardo Aleixo. Local: Teatro Francisco Nunes 19h30 – Circo negro conta Benjamin de Oliveira. Local: Tenda Praça do Sol – Parque Municipal 21h – Sambêro: cantando Mestre Jonas. Direção artística: Ibrahima Gaye e Sérgio Pererê. Local: Grande Teatro – Palácio das Artes
  • 8. 31 maio • quinta 18h – Movimentos Urbanos – Conexão Tribal Mamour Ba. Local: Palco 2 – Ojá – Parque Municipal9h – Oficina Brincando com coisa séria.Local: FAN das crianças – Tenda Praça do Sol – 18h15 – CINE FAN – Coisa nossa (Direção:Parque Municipal Carlos Canela. Brasil. 2012. doc). Local: CCBH12h15 – CINE FAN – Os pés no palco (Direção:Eric Legay. França. 2005. doc). Local: CCBH 18h30 – In Sã – o universo do Rosário em nós.14h – CINE FAN – Os sons que vem da rua Performance: Evandro Nunes e Anderson(Direção: Eduardo Zunza e Daniel Veloso. Feliciano. Local: Teatro Francisco NunesBrasil. doc). Local: CCBH 19h – Silence... on rêve – Apresentação de14 às 18h – Oficina Olonadé – a cena negra dança do dançarino franco-camaronês Fredbrasileira. Local: Espaço Cultural Tambor Bendongué. Local: Teatro Francisco NunesMineiro. 21h – Les frères guissé – Grupo de música15 às 18h – Oficina Modelos, passarela e fotos. senegalês. Local: Palco 1 – ParqueLocal: CCBH Municipal
  • 9. 1 junho • sexta9 às 10h30 – Roda da vida. Meninas de 18h – Movimentos Urbanos – Dóris cantaSinhá. Local: FAN das crianças – Tenda território do samba. Local: Palco 2 – Ojá –Praça do Sol – Parque Municipal Parque Municipal12h – Movimentos Urbanos – Leal Sound 19h – Movimentos Urbanos – Mulheres deSystem. Local: Palco 2 – Ojá – Parque Baobá. Local: Teatro Francisco NunesMunicipal 18h15 – CINE FAN – Nas minhas mãos eu quero12h15 – CINE FAN – Os Panteras Negras pregos (Direção: Cristiane Ventura e Vilmar(Direção: Agnès Varda, França, 1968. doc). Duarte. Brasil. 2012. doc). Local: CCBHLocal: CCBH 20h – Bantus, o musical.14h – CINE FAN – Em busca da felicidade Local: Palco 2 – Ojá – Parque Municipal(Organização: Kaio Almeida, LeilaLourença e alunos do workshop de 21h – Dona Jandira e Velha Guarda do Samba.cinema documentário. Moçambique. Local: Palco 1 – Parque Municipal2010). I O primeiro João (Direção: AndréCastelão. Brasil. 2009. curta de animação).Local: CCBH14 às 18h – Cabelos, desenhosgeométricos. Betina Borges e Eder Barão.Local: Tenda Praça do Sol – ParqueMunicipal14 às 18h – Automaquiagem para pelenegra. Gisele Borges. Local: Tenda Praçado Sol – Parque Municipal14 às 18h – Ginga das tranças. NykyaJamel, Francislene Leandro (Neném),Márcia Tanelle, Esperança Guimarães,Nisia Gorgozinho, Leandro Duarte. Local:Tenda Praça do Sol – Parque Municipal14 às 18h – Oficina Olonadé – a cenanegra brasileira. Local: Espaço TamborMineiro15 às 18h – Oficina Modelos, passarela efotos. Local: CCBH17 às 18h30 – Seminário Ubuzima:moda, estética e cultura negra. Mesa 1 –Trançando políticas e diversidade culturalda moda. Goya Lopes (BA), Elizabeth Lima(RN). Mediadora: Cleide Hilda (MG). Local:Tenda Praça do Sol – Parque Municipal
  • 10. 2 junho • sábado cabeças e formando identidades. Nilma Lino (BH), Patrícia Santana (BH). Mediadora: Betina Borges (BH). Local: Tenda Praça do Sol – Parque Municipal10 às 13h – Oficina Mcing – história e técnica.Oficina Carreira e produção artística para o hip- 15 às 18h – Oficina Modelos, passarela ehop. Local: CCBH fotos. Local: CCBH11h – Orquestra de berimbaus. Local: FAN 17h – Sarau de Capoeira. Local: Quadra dedas crianças – Tenda Praça do Sol – Parque Patinação – Parque MunicipalMunicipal 18h – Movimentos Urbanos – Couro e12h – Movimentos Urbanos – Alternativos. Cabaça. Local: Palco 2 – Ojá – ParqueLocal: Palco 2 – Ojá – Parque Municipal Municipal13 às 16h – Oficina – Gelede Instituto Yorubá. 19h – Movimentos Urbanos – Matéria PrimaLocal: FAN das crianças – Quadra de com Cia. Fusion. Local: Teatro FranciscoPatinação – Parque Municipal Nunes14h – Território Reggae. Local: Palco 1 – 19h30 – DJ Braz Mitchell – discotecagem.Parque Municipal Local: Palco 1 – Parque Municipal14 às 15h – Turbantes – Makota Kizandembu. 20h – Território Hip Hop. JulgamentoLocal: Tenda Praça do Sol – Parque Dokthor Bhu, O som que vem das ruas,Municipal Verdade seja dita, Matéria Prima e o vencedor do Duelo de MC. Local: Palco 1 –14 às 18h – Automaquiagem para pele Parque Municipalnegra. Gisele Borges | Cabelos, desenhosgeométricos. Betina Borges e Eder Barão.|Ginga das tranças. Nykya Jamel, FrancisleneLeandro (Neném), Márcia Tanelle, EsperançaGuimarães, Nisia Gorgozinho, LeandroDuarte. Local: Tenda Praça do Sol – ParqueMunicipal15 às 16h30 – Seminário Ubuzima: moda,estética e cultura negra. Mesa 2 – Mudando
  • 11. 3 junho • domingo11h – Coral Agbara (Instituto Yorubá),Big Band e Quinteto Barros. Local: Palco 1 –Parque Municipal14 às 18h – Cabelos, desenhos geométricos.Betina Borges e Eder Barão | Automaquiagempara pele negra. Gisele Borges | Ginga das tranças.Nykya Jamel, Francislene Leandro (Neném),Márcia Tanelle, Esperança Guimarães, NisiaGorgozinho, Leandro Duarte. Local: Tenda Praçado Sol – Parque Municipal15h – Movimentos Urbanos – Funk-se Rock-se.Local: Palco 2 – Ojá – Parque Municipal15 às 16h30 – Seminário Ubuzima: Moda, estéticae cultura negra. Mesa 3 – Economia da cultura:criação, produção e sustentabilidade. CarlosEduardo Trindade (DF), Maria Mazzarelo (BH),Edson Luiz (SP). Mediadora: Makota Kizandembu(BH). Local: Tenda Praça do Sol – ParqueMunicipal18h – Desfile Mix cultural da moda. Coordenação:Haroldo Alves, Betina Borges, MakotaKizandembu, Cleide Hilda. Local: Palco 1 – ParqueMunicipal19h – Banda Mineira de Percussão. Regência:Djalma Correa. Local: Teatro Francisco Nunes20h – Movimentos Urbanos – Identity. Rafael Dias.Local: Palco 1 – Parque Municipal21h – Berimbrown/Dinho Nascimento/ChicoAmaral. Local: Palco 1 – Parque Municipal
  • 12. ARTES VISUAIS E EXPOSIÇÕESEBÓ – mostra de artes visuais – fan.bh 2011-2012Curadoria: Francilins CastilhoEXPOSIÇÃO NAS ESTAÇÕES DO METRÔ DE BELO HORIZONTE – 26 de maio a 10 de junhoCentral, Lagoinha, Vilarinho, São Gabriel e Santa TeresaArtistasWillyams MartinsRodrigo BragaPaulo NazarethGraffiti Relacional – Warley Bombi, Marcelo Lin e Marília Gabriela DiasDagson SilvaBernardo GouveiaManoel Francisco Lopes FariaFotos Vida de Quilombos (vários)FOYER DO TEATRO FRANCISCO NUNES – 30 de maio a 3 de junhoJayme FyguraINTERVENÇÕES URBANAS NA CIDADE DE BELO HORIZONTEPaulo Nazareth – Comunidade DandaraJayme Fygura – ruas da cidade e eventos do FANCENTRO DE CULTURA BELO HORIZONTE – Rua da Bahia, 1.149Zaika dos Santos, Zi Reis, Camila Varogh, Dalila Varogh, André Varogh e Chacal Silva (coletivo)EXPOSIÇÕES NO PARQUE MUNICIPALFAN – Praça do Sol, Parque Municipal – 30 de maio a 3 de junhoBonecas AbayomiCristiani FerrazFAN – Quadra de Patinação, Parque MunicipalDia 2 de junho, das 10 às 16hMáscaras GeledeInstituto Yorubá www.fanbh.com.br Correalização RealizaçãoApoio cultural Correalização Realização

×