Oralidade

3,151 views
3,093 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,151
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
106
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Oralidade

  1. 1. • O profissional moderno necessita comunicar-se cada vez mais com outros profissionais, com seus subordinados, com a diretoria da sua empresa, com técnicos de diversas áreas, com os seus clientes, fornecedores, colegas, amigos e familiares.• Seja qual for o público, a apresentação de projetos, aulas ou palestras, venda de produtos e serviços, defesa de idéias, crenças ou opiniões e até mesmo a resolução de problemas sociais e familiares; Exigem uma comunicação clara, direta, efetiva e natural.
  2. 2. O DISCURSO REFINADO Com palavras difíceis, e cheio de rodeios,pronunciados com a vozretumbante e gesticulação exagerada já não convence a ninguém. Quanta mais direta, clara e concisa for a mensagem e maior naturalidade apresentar o orador, mais eficiente será a sua comunicação.
  3. 3. A COMUNICAÇÃO• Necessidade – A comunica’’cão é uma necessidade básica do ser humano. Mesmo para alimentar-se e sobreviver e até para reconhecer-se como pertencente ao gênero humano, o indivíduo necessita comunicar-se com as demais pessoas.
  4. 4. • Mensagem – Quando o agente emissor emite uma mensagem ao agente receptor, numa linguagem comum a ambos (escrita, falada, não verbal ou utilizando-se de códigos e símbolos diversos).• A comunicação é iniciada e torna-se dinâmica, pois o receptor, ao responder, passa a atuar como emissor da nova mensagem e vice-versa. Assim a comunicação, uma iniciada, estabelece quaisquer tipos de relacionamentos entre duas ou mais pessoas:
  5. 5. • Segundo o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, oratória é conceituada como “a arte de falar em público...” ou seja, comunicar- se bem, com um número maior de pessoas, é conseqüência da preparação e do conhecimento do assunto e, principalmente, da utilização de linguagem compatível com o público ao qual se destina a mensagem. Como qualquer outra arte, a oratória só pode ser aprimorada pela prática constante das suas técnicas.
  6. 6. DIFICULDADES DA COMUNICAÇÃO• A INTERNET- Não temos uma linguagem universal, e que acompanhe a evolução tecnológica. Enquanto o ser humano não desenvolver uma comunicação mais eficiente, os canhões continuarão a falar mais alto e mais violentos.
  7. 7. DIFICULDADES DA COMUNICAÇÃO• As Organizações Humanas – nesse contexto, as empresas e associações continuam promovendo infindáveis e improdutivas reuniões nas quais, ao invés de se discutir o que foi feito e o que se deve fazer, as pessoas ocupam-se em discorrer sobre tudo o que não fizeram e porquês de não terem feito.
  8. 8. DIFICULDADES DA COMUNICAÇÃO• A FAMÍLIA – Começa-se a gerar seres mudos, surdos e estáticos diante das telas brilhantes de televisores e computadores, enquanto seus filhos reúnem-se nas chamadas tribos.• A julgar pela comunicação monossilábica e primitiva das expressões que esses grupos utilizam, o nome parece ser bastante apropriado.
  9. 9. DIFICULDADES DA COMUNICAÇÃO• A falta de uma comunicação clara, no ambiente do lar, gera conflitos físicos e psicológicos imensuráveis, diante dos quais a tendência natural é o isolamento cada vez maior, extinguindo as raras oportunidades de se estabelecer um diálogo saudável e construtivo.
  10. 10. COMUNICAÇÃO É PODER• Poder – É possível definí-lo como a capacidade que um ser humano tem de influenciar e convencer outras pessoas a fazerem aquilo que ele quer que elas façam.
  11. 11. COMUNICAÇÃO É PODER• Mahatma Gandhi; Hitler; Jesus Cristo e outros profetas. O que esses homens têm em comum é que foram mestres comunicadores. Eram capazes de pegar as suas idéias e visões e comunicá-las aos outros com tanta coerência que influenciaram as maneiras de agir e de pensar das massas. Através do seu poder de comunicação.
  12. 12. COMUNICAÇÃO INTERNA E EXTERNA• Comunicação Interna: O pensamento é a primeira fonte de comunicação. Tudo aquilo que a pessoa imagina e pensa.• Comunicação Externa: A comunicação interna (pensamento) processa-se de forma ininterrupta e manifesta-se exteriormente através de gestos, expressões faciais, postura corporal, atitudes e pela tonalidade da Voz.
  13. 13. Neurolinguística• Segundo pesquisas recentes da Neurolinguística, a palavra representa apenas 7% da capacidade de influenciar pessoas, o tom de voz, 38% e a postural corporal, 55% desse poder.
  14. 14. Preparação e apresentação da “PALESTRA”1. Busque um lugar tranqüilo para escrever;2. Recorra à bibliografia para buscar exemplos de discursos, apresentações, etc;3. Veja os exemplos e use sua criatividade. Não copie; aperfeiçoe. Acrescente sua versão pessoal;4. Use a imaginação. Anote tudo. Deixe as idéias fluírem. Não se censure;
  15. 15. Preparação e apresentação da “PALESTRA”05. Faça um esboço da palestra;06. Selecione as melhores idéias, dividindo-as em quatro blocos: INTRODUÇÃO; PREPARAÇÃO PARA ASSUNTO CENTRAL (desenvolvimento) CONCLUSÃO
  16. 16. Preparação e apresentação da “PALESTRA”07. Estruture os quatro blocos de modo lógico. Estabeleça relações entre os blocos. Confira unidade de raciocínio e coerência de idéias;08. Construa parágrafos com um assunto de cada vez. Não misture idéias num mesmo parágrafo, para não confundir o ouvinte;
  17. 17. Preparação e apresentação da “PALESTRA”09. Nunca esqueça as perguntas: - O que os ouvintes lucrarão com meu discurso? - O que pretendo que aprendam? - As informações são realmente úteis?• Faça uma apresentação “voltada para a platéia”.• Faça um discurso interessante.• Vale mais a preferência da platéia do que as nossas;
  18. 18. Preparação e apresentação da “PALESTRA”10. Se necessário, busque mais conteúdo para aprofundar o discurso. Cuidado com o tempo da apresentação; não o ultrapasse;11. Cronometre a apresentação. Ensaie todas as etapas;12. Corte o que for necessário. Fale pouco e fale tudo.
  19. 19. Preparação e apresentação da “PALESTRA”13. Melhor falar bem sobre três assuntos do que falar superficial e corrido sobre oito.14. Atenção para o tempo de preparação da palestra; Pergunte-se: - Quantos dias tenho? - Quantas horas: - Não diga ao iniciar seu discurso: “não tive tempo”. Quando administramos as coisas, temos tempo.
  20. 20. Preparação e apresentação da “PALESTRA”15. Não faça apresentações de última hora, sem preparação. Cuidado com sua imagem.16. Não acredite na sorte, no improviso;17. Treine bastante antes de se apresentar;18. Se em casa não se sair, na frente da platéia se sairá pior;
  21. 21. COMUNICAÇÃO EFICAZ • VANTAGENS• EVIDENCIAR CONHECIMENTOS;• INSPIRAR CREDIBILIDADE;• FACILITAR A COMPREENSÃO; * PENSAMENTOS * SENTIMENTOS * IDÉIAS
  22. 22. COMUNICAÇÃO EFICAZ• GERAR COOPERAÇÃO• DIMINUR CONFLITOS INTERPESSOAIS• PERSUADIR MELHOR POSITIVA• GANHAR TEMPO VENCEDORA• PROJETAR UMA RESPONSABILIDADE• SER ADMIRADO
  23. 23. • CONSOLIDAR O PRESTÍGIO PESSOAL MARKETING PESSOAL• DESENVOLVER A AUTO-ESTIMA
  24. 24. CAUSAS DO MEDO DE FALAR EM PÚBLICO • O medo se divide em dois blocos, um emocional e o outro técnico. FATOR EMOCIONALMatriz da “infelicidade”: ocorre na infância, por experiências frustrantes, rejeições, censura e menosprezo.1. Auto-imagem e auto-estima negativas: “não sou bom o suficiente”, “sou mesmo incapaz”.2. Fatos indesejáveis: duranto o seu desenvolvimento passou por situações frustrantes que deixou a idéia que não é capaz.3. Dúvias/medos: surgem em razão de nosso reflexos, tendo pr base os fracassos. ‘Será que posso fazer?”4. Crenças limitadoras: pensamentos e sentimentos negativos que estão no inconsciente.
  25. 25. CAUSAS DO MEDO DE FALAR EM PÚBLICO6. Cobranças sociais: a sociedade exige um bom desempenho para a pessoasobreviver.7. Auto profecias negativas.: “Vai dar errado”de tanto pesar assim, as coisasacabam dando errado.8. Complexo de inferioridade: sentimentos inconscientes, profundos, dominantes,de insegurança e incapacidade.9. Conseqüências nagativas: potencial, criatividade, iniciativa, habilidades,prazeres são reduzidos devido à pressão do complexo de inferioridade.
  26. 26. FATOR TÉCNICO1. Recursos corporais: aparência, vestuário, gestos e postura2. Voz: variação vocal, emoção, boa dicção.3. Conteúdo: claro, objetivo, coerente.4. Recursos audiovisuais: saber lidar com equipamentos.5. Etiqueta: comportamentos adequados, cerimonial.6. Organização/ eficiência: tempo, horário, planejamento, preparação.7. Cultura geral: leituras freqüentes, livros, revistas.8. Marketing pessoal: projetar boa imagem pessoal.9. Psicologia: saber lidar com situações difíceis.10. Ética: moral, bons princípios.11. Didática: saber ensinar e ser criativo.
  27. 27. “METADE DA VITÓRIA NO MUNDOCONSISTE EM SABER COMUNICAR-SEADEQUADAMENTE, DE ACORDO COM QUE SE PENSA, SENTE, É, FAZ E DESEJA.” PEDRO BLOCH
  28. 28. Fases de uma fala em Público• FASE 1 - ANTES DE PISAR NO PALCO• Estude bem o assunto da apresentação, assim você se sente mais seguro e é claro, evita falar bobagem.• Resuma seu objetivo em uma frase. Isso vai ajudá-lo a manter o foco.• Informe-se sobre o público: número de pessoas, sexo, faixa etária, nível cultural e conhecimento do assunto. Nada como conhecer bem o “inimigo”.• Ensaie que você vai falar. De preferência em frente a um espelho em que consiga se ver por inteiro e possa avaliar sua expressão.• Nada de ultrapassar o tempo programado. Se a apresentação estiver longa, reduza o conteúdo para não ter de encarar bocejos constrangedores.
  29. 29. •Divida a apresentação em etapas. Para não se perder,leve um roteiro.•Faça um check-list dos equipamentos que vai utilizar. Afalta de um fio pode comprometer todo o trabalho.•Para relaxar, apele para a respiração abdominal. Inspiredurante 5 segundos, sentindo o ar inflar a barriga;segure a respiração por outros 5 segundos e expire,vagarosamente, pelo mesmo tempo. Na apresentação(sem a contagem de 5 segundos), essa técnica ajudavocê a conseguir reserva de ar para falar semproblemas.•Você também pode relaxar esfregando as mãos.
  30. 30. FASE 2 – ENQUANTO VOCÊ ESTIVER FALANDO• Depois de ocupar seu espaço no palco, cumprimente as pessoas. Apresente-se, conte qual será o teor da palestra, quanto tempo você vai falar e quantos minutos dedicará às perguntas.• Não peça desculpas, principalmente se for causa de seu nervosismo. Você vai piorar a situação.• Caso erre alguma palavra, corrija-se imediatamente e continue. Não há necessidade de se desculpar pelo engano.• Evite improvisos. Inicie a apresentação da forma como foi planejada. A não ser que você tenha muita experiência para essa ousadia.
  31. 31. • Apresente-se com toda calma e determinação, mesmo que você esteja tremendo por dentro.• Envolva as pessoas. Sorria, olhe-as nos olhos (sem encarar ninguém), faça perguntas.• Desvie o olhar se notar que alguém não está receptivo ao que você diz.• Fique de olho no relógio. Divida o tempo total em quatro e confira o tempo gasto em cada fase. Assim, fica mais fácil controlar o ritmo e guardar alguns minutos para uma boa conclusão.• Levante a cabeça de maneira a deixar o queixo na linha do horizonte.• Faça gestos para acompanhar a fala. Evite deixar as mãos paradas, suspensas no ar ou cruzadas na frente do corpo. Alguns estudos comprovam que 55% da atenção do público é captada pela expressão corporal. A voz corresponde a 38% e conteúdo apenas 7%.
  32. 32. • Deixe fluir a emoção em sua voz. Mas fale com clareza e evite acelerar ou reduzir demais a velocidade da voz.• Se estiver de paletó use-o fechado, deixando apenas o botão de debaixo aberto.• Colocar uma das mãos no bolso é até tolerável.• Nem pense em cruzar os braços.• Seja coerente. A platéia pode aceitar uma idéia adversa, mas não vai tolerar um discurso sem lógica.• Evite gírias.• Prefira microfone de paleta. Com as mãos livres, a expressão corporal fica bem melhor.• Seja claro e simpático, respeite sua platéia.• Guarde as perguntas para o final. Se alguém o interromper com uma dúvida, comente que a questão é interessante no final da apresentação.
  33. 33. • Confie no seu taco e limite-se a levar um simples roteiro com os tópicos da apresentação.• Não peça para distribuir material enquanto estiver falando. Tira completamente a concentração das pessoas e a sua também.• Fique com as mãos livres. Não segure nada, nem pincel atômico, giz, folha de papel ou caneta.
  34. 34. FASE 3 – DEPOIS QUE VOCÊ TERMINOU A APRESENTAÇÃO• Finalize com expressões com “por fim”, “finalizando” ou “concluindo”. Em cerca de um minuto faça um resumo do que falou e, de preferência, inclua a platéia na história. Desafie o público. “Convido vocês a pensar sobre esse assunto e, mais ainda, a fazer sua parte para que o problema seja resolvido.• Ao terminar, fique na sala e atenda quem lhe procurar.• Aproveite para fazer o seu networking. Troque cartões e faça breves anotações.• Convide o próximo palestrante para o palco, quando terminar sua apresentação. Espere-o subir, cumprimente-o com um aperto de mão e volte para seu lugar.
  35. 35. • Agradeça a atenção, seja simpático e mostre-se disponível. É essa a impressão que as pessoas vão levar de você.• Aprenda a dizer não. É comum alguém solicitar o material apresentado durante a palestra. Se não for possível atender o pedido, responda “não”educadamente e explica a razão.• Procure aprender com seus erros e acertos. Use os comentários e críticas para melhorar sua performance.
  36. 36. Fale em 60 Segundos

×