Abud - História do rádio

2,063 views

Published on

Matéria do Abud (Período: 07/02 > 05/03)

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,063
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
82
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Abud - História do rádio

  1. 1. Gêneros e Formatos Radiofônicos Prof. Marcelo Abud (adaptado do material do Prof. Robson Rodrigues)
  2. 2. Termos específicos Gênero radiofônico Formato radiofônico Programa de rádio ou Produto radiofônico Programação radiofônica
  3. 3. Gênero Do latim: genus/generis (família/espécie) Serve para que o “espectador/leitor/crítico oriente suas reações para o que está lá, de acordo com as expectativas geradas pelo fato de distinguir o gênero no começo” (Dicionário conceitos-chave em estudos de comunicação)
  4. 4. Formato radiofônico conjunto de ações integradas e reproduzíveis, enquadrado em um ou mais gêneros radiofônicos manifestado por meio de uma intencionalidade Deve ser configurado concordando com as características conjuntas do programa de rádio ou produto radiofônico.
  5. 5. Programa radiofônico É o módulo básico de informação radiofônica; é a reprodução concreta das propostas do “formato radiofônico”, obedecendo a uma planificação e a regras de utilização dos elementos sonoros
  6. 6. Programação radiofônica É o conjunto de programas ou produtos radiofônicos apresentado de forma sequencial e cronológica.
  7. 7. Comunicação e Informação Comunicação: fenômeno bidirecional, essencialmente dialógico. Informação: unilateral, indireto e público.
  8. 8. Gêneros das RádiosEsportesRádios que transmitem jogos de futebol e fórmula 1.JovemEstão organizadas aqui as rádios nos segmentos: Rock; Pop/Rock; Pop; DancePopularRádios que tocam axé, pop, hits, samba, pagode,sertanejo e outros.
  9. 9. Gêneros das RádiosAdulto Rádios que tocam: flashbacks, Jazz, clássicos, MPB e outros. FM qualificada  Programação soft, baseada em hits atuais e flashbacks da  década de 70 e 80 (90, em alguns casos). Jornalismo Rádios que dão ênfase à informação constante.
  10. 10. Gêneros das RádiosReligiosas As rádios religiosas estão divididas em 3: Católicas; Espíritas e esotéricas; Evangélicas e Gospel.WebradiosRádios transmitidas apenas via internet.
  11. 11. HistóriaAntecedentes:Brasil1892 – 1894: Padre Landell de Moura (também cientista) transmitemensagens a distância (TELEGRAFIA SEM FIO)Itália1896 – Guglielmo Marconi adquire patente da TSFMais tarde é tido como o inventor do rádio1919 – Westinghouse comercializa radiocomunicadoresutilizados por soldados norte-americanos durante a 1ª Guerra
  12. 12. 1º GêneroGênero: PropagandísticoEm 7 de setembro de 1922Formato: discurso de Epitácio Pessoa Apresentação da peça O Guarani, de Carlos Gomes, direto do Teatro Municipal do Rio de Janeiro
  13. 13. Sociedade Rádio do Rio deJaneiro, 1923Gênero: Sociedade / ClubeFormatação: Cotações da bolsa do açúcar e do café previsão do tempo Números musicais e declamação, diretamente da Estação do Sumaré, Correios e Telégrafos do Largo do Machado. Prefixo: SPE -> PRA-2
  14. 14. Nasce o Rádio no Brasil Em 7 de setembro de 1922 acontece a primeira transmissão oficial na cidade do Rio de Janeiro; 80 receptores foram importados dos EUA, captaram o discurso do então Presidente Epitácio Pessoa e os acordes da peça “O Guarani”;
  15. 15.  Roquete Pinto = Pai do rádio no Brasil; 20 de abril de 1923 é inaugurada a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro Década de 20: rádios sociedade ou clube 1936 – Rádio Sociedade é passada para o MEC; Roquete Pinto fala sobre 7 de setembro de 22
  16. 16. O rádio na década de 1920 Programação: cultura e educação Propaganda era proibida Sociedade / clube: emissoras vivem das contribuições de sócios;
  17. 17. O rádio comercial (década de 30) A partir da década de 30 o rádio sofre uma transformação radical: Ademar Casé É permitida a publicidade por meio do Decreto nº21.111, de 1º de março de 1932; Os comerciais garantiriam a sobrevivência do rádio como meio de difusão da educação, de acordo com o governo; O Primeiro Jingle Jingle Ademar Casé
  18. 18. Buscando audiência. + verbas = artistas como Carmem e Ari Primeiros programas de auditório Humor Empresas jornalísticas: JB, Tupi,Nacional (A Noite adquire a Rádio Philips em 12 de setembro de 1936)1937 – GV decreta o Estado Novo em cadeia nacional = início da Hora do Brasil
  19. 19. A Guerra dos Mundos Orson Welles 1938 – A Guerra dos Mundos Radioteatro exibido no Dia das Bruxas Público pegou a atração começada e acreditou no que estava sendo irradiado
  20. 20. A fase do Radiojornalismo A voz do Brasil, nacional – 1937; Repórter Esso, Rádio Nacional, no RJ e Rádio Record, em SP – 1941; O Grande Jornal Falado Tupi, Rádio Tupi, SP – 1942; Imprensa x Rádio (quem ouve uma notícia no rádio procura depois mais detalhes no jornal).
  21. 21. A fase de ouro do rádio Aconteceu durante as décadas de 40 e 50; Getúlio Vargas adquire a Rádio Nacional; Radionovelas melodramáticas, explorando fantasias dos ouvintes, substituem o radioteatro (“Em busca da felicidade”, escrita pelo cubano Leandro Blanco, transmitida em 1941 pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro); Em Busca da Felicidade - 1940
  22. 22.  O grande sucesso fez com que uma mesma emissora apresentasse 20 radionovelas simultaneamente, cada uma com trinta minutos diários; Seriados para o público masculino. Programas de Humor proliferam Balança mas não cai / R. Nacional – 1950... Primo Rico, Primo Pobre
  23. 23. Rainhas do Rádio entre as décadas de 40 e 60, as marchinhas carnavalescas eram lançadas pelas eternas cantoras do rádio. entre as principais majestades que marcaram época, em rádios como mayrink veiga e nacional, estão emilinha, marlene, ângela maria e dalva de oliveira.
  24. 24. Rainhas do Rádio concurso foi criado por Victor Costa – Associação Brasileira de Rádio apoio da Revista do Rádio - cupons que davam direito de voto ao público. 1937: Linda Batista foi a primeira majestade. 1948: Dircinha Batista recebeu a coroa de rainha do rádio.
  25. 25. Rainhas do Rádio 1949: patrocínios premiavam as vencedoras com jóias, viagens, automóveis e até casas e apartamentos. Entre as candidatas despontaram Marlene e Emilinha. com o apoio da companhia antarctica paulista, Marlene levou a melhor e ficou com a coroa até 1951. Marlene
  26. 26. Rainhas do Rádio Emilinha Borba garantiu a faixa de campeã entre 1953 e 1954. Emilinha Borba
  27. 27. Ângela Maria Reina Apesar de marlene e emilinha serem os nomes mais associados ao concurso, já que protagonizaram a maior rivalidade de todos os tempos entre as rainhas, a verdadeira campeã de popularidade foi eleita entre 1954 e 1955 com quase 1 milhão e meio de votos, marca jamais igualada por nenhuma outra concorrente. Senhoras e senhores, Ângela Maria canta... Ângela Maria Acordes que Choram, de Othon Russo e Nazareno de Brito
  28. 28. Ângela Maria 1952: contrada da Nacional, Ângela Maria, todo sábado, ao vivo, era acompanhada pela orquestra da rádio em Sua Majestade Canta. Canta
  29. 29. Chegou a Televisão. 1950 marca a entrada da televisão no Brasil; Sonho, lazer e humor migram para a TV; Sem anúncios e profissionais de peso o rádio, a partir de 1955, começa a perder espaço. Vive 5 anos em crise. O Peru Silvio Santos - 1959
  30. 30. Revanche do rádio – anos 1960Dois fatos marcaram esta nova fase: Tecnológico industrial – descoberta do transistor e uso da pilha; e Retomada: esporte e prestação de serviços.
  31. 31. MUDANÇAS NO DIAL
  32. 32. ANOS 1970Surgem os DJ’sExcelsior – A máquina do SomDifusoraEmissoras AM voltadas ao público jovem = VITROLÃOFinal dos anos 1970 – surgem as FMs Darcio Arruda relembra a Jet Music: Difusora
  33. 33. Anos 1980 Início da segmentação Rádio divide público por características: FM = Música e promoções Geográfica; De público AM = Notícia, futebol consumidor Programas para as Mulheres Gênero de programa Locutor x Comunicador Rádio Cidade
  34. 34. Anos 90 – Rede + Segmentação Transamérica começa transmissão em rede via Satélite 1995: CBN (também em FM) Segmentação ainda maior Rádios FM começam a veicular conteúdos comuns às AMs
  35. 35. O futuro – Rádio Digital• Rádio FM com qualidade de CD;• Tecnologia que permite à emissora de rádio, acrescentar mais informações e serviços, simultâneamente à programação;• Economia expressiva de energia elétrica,• No AM o sinal torna-se imune às interferências e outros problemas de recepção. O RÁDIO DIGITAL É UM SERVIÇO LIVRE E GRATUITO A TODO POVO BRASILEIRO
  36. 36. Outro benefício do Rádio Digital é a possibilidade da emissoratransmitir informações e dados junto com a transmissãoanalógica. Isto quer dizer, texto em movimento no "display" doRádio Digital. Podendo ser: título da música, intérprete eautores, informações de trânsito e clima, manchetes do dia,enfim mais serviços e de graça.
  37. 37. O Rádio no Brasil 98% Domiciliar 45.500.000 de Domicílios 133.770.000 aparelhos 83% Veicular 19.339.000 de aparelhos
  38. 38. Classificação dos gêneros radiofônicos Aplicação do esquema funcional deLasswell e Wright (Harold Dwight Lasswell e Charles Wright Mills), fundamentado na obra de Marques Melo
  39. 39. Características do Rádio Instantaneidade Imediatismo Mobilidade Atenção Prestação de Serviços X Linguagem oral Audiência Sensorialidade Prestação de Serviço – Berra Bairro / Band AM
  40. 40. Marcas Radiofônicas As Marcas Radiofônicas Além da locução, contam os elementos da sonoplastia que conferem plasticidade às emissões sonoras. Os efeitos sonoros, as músicas/trilhas sonoras, o silêncio, são instrumentos- vozes que dinamizam a produção e estão presentes nas marcas radiofônicas
  41. 41. Abertura momento de exposição do programa e sua proposta. Consiste na apresentação do locutor, as atrações do dia, sempre num tom dinâmico, coloquial e convidativo. Abertura Sonycast
  42. 42. Encerramento pode-se anunciar o programa seguinte e/ou reafirmar o horário do próximo programa, identifica a rádio e o patrocinador. Encerramento Sonycast
  43. 43. Vinhetas Vinhetas: da rádio, do programa, do locutor, de passagem: têm como objetivo básico a identificação, mas devem ir além desta função, criando uma identidade e procurando conciliar o estilo da rádio e do seu público.
  44. 44. Ritmo O ritmo vem da junção dos seguintes elementos: Abertura Vinhetas BG (música de fundo) Encerramento Vale a Pena
  45. 45. Case Sebrae“O rádio não é o meio de quemnão vê, mas sim de quemimagina.”                                                             (Mineiro - MCR)
  46. 46. Exemplo:
  47. 47. JustificativaO programa desenvolve conteúdos educativos, a partir de uma perspectiva de auto-sustentação e harmonia com o meio ambiente e com a comunidade, incorporando o saber popular, a cultura e a linguagem regional na construção dos textos e nos depoimentos e relatos de casos reais de empreendedorismo. 
  48. 48. Problematização:- Aproximar o Sebrae da população de baixa renda;- Aproveitar o foco em microcréditos
  49. 49. Título:A Gente Sabe, A Gente FazSlogan:O programa de rádio do SebraeTema: Empreendedorismo
  50. 50. Gênero:Radioteatro / sérieEmissoras:PopularesHorário: manhã
  51. 51. Periodicidade:No mínimo duas vezes por semana, com eventuais reprises, durante o período de três meses a partir de 01 de julho de 2003.
  52. 52. Público-Alvo- População de baixa renda e escolaridade. - Pessoas que se ocupam de pequenos empreendimentos familiares e comunitários existentes ou em fase de implantação.
  53. 53.  Público-alvo(cont.): População que se ocupa de prestação de pequenos serviços: free-lance, donas de casa, estudantes, assalariados de baixa renda e desempregados. Autônomos
  54. 54. Ouça um trecho do programa
  55. 55. Lembre-se - O rádio nos obriga a pensar,a criar junto com o criador. Quando se consegue acumplicidade, a atenção égarantida. - O rádio tem sons, além depalavras e músicas. Na Geral
  56. 56. Principais Gêneros Jornalístico  Publicitário Educativo-Cultural  Propagandístico Entretenimento  Serviço  Especial
  57. 57. Jornalístico Nota  Crônica Notícia  Radiojornal Boletim  Documentário Reportagem jornalístico Entrevista  Mesas-redondas ou Comentário debates  Programa Policial Editorial  Esportivo Divulgação tecnocientífica
  58. 58. Tipologia da notíciaDe acordo com Emilio Prado temos três tipos de notícias: Estrita Com entrevista Com citação “com voz” (SONORAS)
  59. 59. Educativo-Cultural Programa instrucional Audiobiografia Documentário educativo-cultural Programa temático
  60. 60. Entretenimento Programa Musical Programação Musical Programa Ficcional Programete Artístico Evento Artístico Programa Interativo de Entretenimento
  61. 61. Publicitário Spot Jingle Testemunhal Texto foguete
  62. 62. Propagandístico Peça radiofônica de ação pública Programas eleitorais Programa religioso
  63. 63. Serviço Notas de utilidade pública Programete de serviço Programa de serviço
  64. 64. Especial Programa infantil Programa de variedades
  65. 65. Bibliografia - sites www.canal.podcast1.com.br/pecas_raras (ou www.pecasraras.blogspot.com) www.tudoradio.com.br www.gpradio.com.br www.radioagencia.com.br www.ibope.com.br

×