Your SlideShare is downloading. ×
..Biologia..Frente 1                                                            Módulo 7: Codominância e Letalidade       ...
• Plasma: solução aquosa de 90% água e 10% de substâncias (proteínas, sais minerais, monossacarídeos,aminoácidos, ácidos g...
→ Coagulação do sangue:• é complexo; sofre ação de várias substâncias (do plasma, plaquetas e tecidos).                   ...
espaços intercelulares para o interior do capilar, sai mais fluido do que entra na terminação arterial; e na terminaçãoven...
processo de metamorfose, torna-se um verdadeiro anfíbio e passa muito tempo fora d’água. Durante ametamorfose, o animal co...
• Solo: age pelo seu teor de água; mais o solo é úmido, mais a planta transpira.• Estado higrométrico e ventilação: Quanto...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

3ano 2bi biologia_pe1

67,549

Published on

http://resumos.webnode.com.br/

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
67,549
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "3ano 2bi biologia_pe1"

  1. 1. ..Biologia..Frente 1 Módulo 7: Codominância e Letalidade → Codominância ou Herança intermediária: • Alelos intermediários ou codominantes não apresentam relações de dominância ou recessividade. • O genótipo heterozigoto origina um fenótipo distinto dos homozigotos e geralmente intermediário em relação aos fenótipos produzidos pelos homozigotos. • Exemplo: Cor das ervilhas – BB é branca; VV é vermelha... o heterozigoto VB é rosa. → Genes Letais: • Genes que provocam a morte do indivíduo na fase pré-natal ou pós- natal anterior ao período de maturidade. • Exemplo: Página1 – 3º aNo – 2º BiMeSTRe PBIOLOGIA PE.1 Módulo 8: A lei da segregação independente→ Segregação independente:• Segunda Lei de Mendel (distribuição independente ou lei da segregação).• Usada na transmissão de dois ou mais caracteres.• “Os genes que determinam caracteres diferentes distribuem-se independentemente nos gametas, onde serecombinam ao acaso.”• Exemplo:Genes da drosófila: P – corpo cinza / p – corpo preto / V – asa normal / v – asa vestigial→ Di-hibrismo:• É o tipo de cruzamento que ocorre a lei da segregação.Frente 2 Módulos 13 e 14: As Hemácias e as Plaquetas; os Leucócitos→ Sangue:• Formado pelo plasma (líquida) e elementos figurados (glóbulos e plaquetas).
  2. 2. • Plasma: solução aquosa de 90% água e 10% de substâncias (proteínas, sais minerais, monossacarídeos,aminoácidos, ácidos graxos, glicerídeos, gorduras, colesterol e ureia). Também são encontrados os gasesrespiratórios (oxigênio e gás carbônico), hormônios e enzimas.• O líquido intercelular dos tecidos e o plasma estão em equilíbrio, ou seja, as paredes dos capilares não sofremmuita pressão. Porém há uma maior concentração de proteínas no plasma).• No plasma, as proteínas são: Alguminas, fibriogênios e globuninas (alfa, beta e gama). As albuminas mantém apressão osmótica no sangue; o fibriogênio está relacionado com a coagulação sanguínea; e as gamaglobulinas(imunoglobulinas) possuem os anticorpos.• Os elementos figurados do sangue são as hemácias, plaquetas e leucócitos.→ Hemácias:• As Hemácias (eritrócitos) são produzidas pelo tecido conjuntivo hematopoético mieloide, localizada nos ossos,formando a medula vermelha.• As hemácias dos mamíferos perdem núcleos, mitocôndrias, lisossomos e o complexo golgiense.• Elas não se dividem, tem metabolismo baixo e vive no máximo 4 meses. Apenas nos mamíferos são anucleadas;nos demais vertebrados são nucleadas.• É circular, bicôncava, cerca de 7 micrômetros de diâmetro. Um homem apresenta cerca de 5,5 milhões dehemácias por milímetro cúbico de sangue; enquanto na mulher, 5 milhões.• As hemácias têm a função de transportar gases respiratórios (oxigênio e gás carbônico); e são destruídas no baço.→ Plaquetas: Página1 – 3º aNo – 2º BiMeSTRe PBIOLOGIA PE.1• são anucleados, produzidos na medula óssea; com a concentração entre 150 a 500 mil por milímetro quadrado.• Têm a função na obstrução de vasos sanguíneos: quando há uma ruptura, as plaquetas aglutinam e formam umtampão para a obstrução do vaso.• Também tem a função de formar a tromboplastina; indispensável para a coagulação do sangue. Também contém aserotonina; substância de ação vasoconstritora.→ Leucócitos:• Os Leucócitos (ou glóbulos brancos) são produzidas pelo tecido hematopoético mieloide e linfoide. São esféricas, equando mergulhadas no plasma apresentam movimentos amebóides.• podem ser classificados em granulócitos (neutrófilos, basófilos e acidófilos – apresentam granulaçãocitoplasmática) e agranulócitos (monócitos e linfóticos – não apresentam granulação citoplasmática). Osgranulócitos são produzidos na medula óssea, e os agranulócitos nos gânglios linfáticos (Baço).• A função dos leucócitos é na defesa do organismo contra ações bacterianas (corpos estranhos nos tecidos); essadefesa ocorre em duas propriedades dos glóbulos brancos: diapedese (movimento de amebóide, atravessa a parededo capilar e se desloca através do tecido conjuntivo) e fagocitose (engloba no seu citoplasma o elemento estranho).→ Mais sobre os elementos figurados:• Os linfócitos, ao contrario dos leucócitos, são pouco ativos na fagocitoses e são mais importantes na produção deanticorpos. No tecido conjuntivo os linfótico transforma-se em plasmócitos (células produtoras de anticorpos) e dãoorigem às células rejeitadoras de enxerto, que invadem órgãos transplantados entre indivíduos.• Os acidófilos (eosinófilos) são células fagocitárias, que aumentam no sangue quando há manifestações de doençasalérgicas.• Os basófilos são pouco conhecidos, como os mastócitos, possuem heparina e histamina. O basófilo também possuiserotonina. A histamina tem papel de vaso dilatadora; a serotonina de vaso constritora e a heparina deanticoagulante.• Os neutrófilos são a primeira linha de defesa contra a alçai de microorganismos; ativos na fagocitose. Os monócitostambém são ativos na fagocitose, mas transformam-se em macrófagos (células fagocitárias do tecido conjuntivo).
  3. 3. → Coagulação do sangue:• é complexo; sofre ação de várias substâncias (do plasma, plaquetas e tecidos). • Etapas: Formação da tromboplastina pela ação do plasma, plaquetas ou tecidos. A tromboplastina + íon Ca++ + outros fatores plasmáticos transforma a protrombina do plasma na enzima trombina. A trombina transforma o fibrinogênio em Fibrina. A fibrina (proteína insolúvel) precipita e forma uma rede de filamentos. Essa rede retêm os glóbulos sanguíneos, formando um tampão que obstrui o vaso lesado. • A protrombina é formado no fígado, sintetizando a vitamina K, formando coágulos; a vitamina K, sintetizadas por bactérias do intestino, tem a sua absorção prejudicada. O dicumarol (anti- coagulante) age no fígado, competindo com a vitamina K na formação de protrombina, impedindo a formação de protrombina e ocasionando hemorragias.• Como os íons cálcio são necessários para a ação da tromboplastina, a coagulação pode ser impedida pela remoçãodesses íons, adicionando oxalato de sódio ou citrato de sódio (amônio ou potássio). Módulo 15: O sistema linfático→ Características: Página1 – 3º aNo – 2º BiMeSTRe PBIOLOGIA PE.1• Funciona como um receptor do excesso de líquido intesticial.• É representado por um sistema de vasos revestidos por endotélio; recolhe o líquido intercelular e o devolve aosangue. Esse líquido é a linfa, que circula da periferia para o coração.• De acordo com o calibre, os canais são divididos em: capilares (menor calibre), vasos e dutos linfáticos (maiorcalibre).• O duto ou canal torácico desemboca na veia subclávia esquerda; e o duto ou veia linfática desemboca na veiasubclávia direita. A parede dos dutos linfáticos possui estruturas semelhantes à das veias.• No trajeto dos vasos linfáticos, encontram-se dilatações gânglios linfáticos (linfonodos); constituído de tecidoconjuntivo hematopoético linfóide. Na parte interna do tecido, encontra-se uma trama reticular, onde se agregamcélulas reticuloendoteliais e ocorre a sinusoide (passagens revestidas por células fagocitárias).• Os linfonodos são filtros para a linfa, fagocitando elementos estranhos; neles formam-se glóbulos brancos do tipomonócito e linfócito. Por serem ricos em plasmócitos, são locais de formação de anticorpos.• O líquido intersticial (líquido intercelular) é semelhante ao plasma sanguíneo; tendo bem menos proteínas. Apressão sanguínea faz com que o plasma atravesse as paredes capilares e passe para os espaços intercelulares; esseplasma filtrado (apenas com macromoléculas) é o líquido intersticial, onde há fornecimento de substâncias àscélulas.• Existe um equilíbrio entre o fluido do sangue e dos tecidos; ou seja, não chega a formar excessos de líquido nostecidos, pois esse liquido vai para os vasos linfáticos, sendo denominado de linfa.→ Hipótese de Starling: • As proteínas plasmáticas transfere líquido através da parede capilar; esse líquido pode sair da corrente sanguinea para o líquido intercelular e também do líquido intercelular para a corrente sanguinea. O sentido dessa passagem é determinado pela pressão sanguínea dos capilares e pela pressão osmótica das proteínas do plasma. • O sangue é bombardeado pelo sistema arterial sob alta pressão; essa pressão diminui à medida que se distancia do coração. Ao passar das arteríolas para os capilares atinge 35mmHg e na saída dos capilares apenas 15mmHg. Ou seja, a pressão sanguínea média é de 25mmHg, suficiente para extravasar o plasma sanguíneo e chegar aos espaços intercelulares. • O plasma sanguíneo é mais concentrado (por ter proteínas), em relação ao líquido intercelular; por isso existe uma pressão osmótica grande no vaso, o que causa o movimento do líquido dos espaços intercelulares para o interior. A pressão osmótica das proteínas é de ordem 25mmHg; ocorrendo um equilíbrio entre o sangue e o líquido intercelular dos tecidos. • A pressão sanguínea força o fluido para fora do capilar, da terminação arterial para a terminação venosa. A pressão osmótica força o fluido dos
  4. 4. espaços intercelulares para o interior do capilar, sai mais fluido do que entra na terminação arterial; e na terminaçãovenosa entra mais do que sai. Módulo 16: O sistema excretor→ A excreção:• é o processo de eliminação de substâncias que são produzidas em excesso no organismo. São resultados daatividade do metabolismo celular.• Como as células estão sempre em atividade; estão sempre sintetizando e decompondo substâncias.• As principais excretas são: Dióxido de carbono (CO2), água, Sais, Bile, amônia (NH3), uréia (CO(NH2)2, ácido úricoC5H4N4O3 e creatinina. A amônia e a uréia são resultados do metabolismo dos aminoácidos.• Homeostase é a capacidade que tem o organismo de manter seu meio interno em estado de equilíbrio dinâmico;essencial para a vida; mantém o meio equilibrado, depende dos sistemas excretor, digestório e circulatório. Nosanimais, as substâncias devem ser removidas transportadas pelo sangue.→ Excreção nos invertebrados:• Nos protozoários e nos pluricelulares simples (poríferos e celenterados); a excreção ocorre por difusão simples.• Protozoários apresentam vacúolos contráteis ou pulsáteis, que removem o excesso de água que entra por osmose.• Os vermes achatados (platielmintos), é o excesso de água que deve ser eliminado (difusão).• Na planária, o gás carbônico e a maior parte da amônia são secretados por difusão. Para remover o excesso de Página1 – 3º aNo – 2º BiMeSTRe PBIOLOGIA PE.1água, a planária possui um conjunto de tubos ramificados, terminando nas célula-flama; que abre uma cavidadeonde projeta flagelos que leva a água para canais excretores. A célula-flama é denominada solenócito, e ocorre noscefalocordados (anfioxo).• Os asquelmintos apresento o sistema excretor simples e duplo. O simples aparece nos asquelmintos de vida livre eé constituído por uma grande célula ventral e anterior, que abre na linha mediana. O duplo (tubos em H), são doiscanais que correm ao longo das linhas laterais; os tubos se unem na parte anterior formando um único tubo, queabre na linha mediana ventral. Cada tubo possui uma única célula canaliculada; as paredes dos tubos absorvem porosmose os catabólitos, que são enviados para o poro excretor.• Os crustáceos apresentam um par de glânduas verdes na cabeça, anterior ao esôfago. Cada glândula verde possuio saco terminal, o labirinto, o tubo branco, a bexiga e o poro excretor. “O saco terminal é uma cavidade de naturezacelomática, em contato com o labirinto, uma estrutura de cor verde, também chamada córtex, formada pornumerosos canículos anastomosados, tornando o conjunto uma consistência esponjosa. Do labirinto sai o tubobranco, de contorno sinuoso, dilatando-se na extremidade e formando a bexiga com um curto ducto terminado emporo excretor, situado na base da antena. As glândulas verdes absorvem catabólitos do sangue e dos líquidosintersticiais.”• Os anelídeos (minhoca) utilizam o sistema circulatório para remover o gás carbônico, além dos nefrídios (tubosexcretores). Fluidos com excretas (água e amônia) entram em cada tubo e são levados em um poro na parede docorpo, por onde são eliminadas. Moluscos também apresentam nefrídios.• Nos insetos, o dióxido de carbono é eliminado pelas traqueias, e as excretas nitrogenadas através dos túbulos deMalpighi. A principal excreta nitrogenada é o ácido úrico, é insolúvel em água, esses precipitados (cristais) passam dosangue para o tubo digestório e são eliminados pelo ânus (junto com as fezes). Os miriápodos e aracnídeos tambémpossuem os túbulos de Malpighi.• Nos aracnídeos, além desses túbulos, apresentam um ou dois pares de glândulas coxais excretoras, encontradas noassoalho do cefalotórax. Essas glândulas são homólogas às grlândulas verdes dos crustáceos.→ Classificação dos animais quanto à principal excreta nitrogenada:• “A amônia é muito tóxica para as células, a uréia é menos tóxica que a amônia, e o ácido úrico praticamente não étóxico.”• A amônia é excretada pelos animais de pequeno porte que dispõem de muita água; assim como a ureia, quetambém necessita de água para sua eliminação. O homem excreta uréia dissolvida em água. • Os peixes ósseos eliminam amônia; os peixes cartilaginosos eliminam uréia. • Répteis, aves e insetos excretam o ácido úrico, a excreção se dá com uma perda de água muito pequena. • Os animais são classificados em três grupos: amonotélicos, ureotélicos e uricotélicos. • Importante 1: “O girino, que é aquático, excreta principalmente amônia. Entretanto, ao sofrer o
  5. 5. processo de metamorfose, torna-se um verdadeiro anfíbio e passa muito tempo fora d’água. Durante ametamorfose, o animal começa a produzir uréia em lugar de amônia e, quando a metamorfose se completa, a uréiapassa a ser produto de excreção predominante.”• Importante 2: “Os peixes dipnóicos constituem um outro exemplo interessante. Enquanto na água excretamprincipalmente amônia, quando rio ou lago secam, permanecem na lama, e começam a estivar e acumular uréiacomo produto final nitrogenado. Quando as chuvas voltam, esses peixes excretam uma grande quantidade de uréiae iniciam novamente a excreção de amônia.”Frente 3 Módulo 7: Transpiração→ Tipos de transpiração: • Transpiração é a eliminação de água em forma de vapor. • Pode ser transpiração estomática e transpiração cuticular. Transpiração total = transpiração estomática + cuticular. • Transpiração estomática é um processo regulado pela planta; a cuticular é um fenômeno físico de evaporação, não controlado pela planta. Página1 – 3º aNo – 2º BiMeSTRe PBIOLOGIA PE.1 • Estômatos são duas células-guardas quedelimitam o ostíolo (poro). Este poro põe em comunicação o meio externo com o meio interno, permitindo a trocagasosa entre a planta e o meio ambiente.→ Demonstração experimental da transpiração:• Condensação do vapor de água em uma campânula: Ao fechar a parte alta de um vegetal com uma campânula,depois de certo tempo, as paredes da campânula ficarão embaçadas, e depois esse embaçamento se transformaráem gotas da água.• Método do papel de cobalto: O papel de cobalto é azul, quando hidratado torna-se róseo. Colocando pedacinhosdesse papel nas duas faces de uma folha, logo as manchas azuis virarão róseas. • Método gravimétrico de pesagens rápidas: cortar a folhar e pesar imediatamente numa balança sensível. As pesagens são feitas de minuto a minuto, o peso da folha vai diminuindo devido à perda de água por transpiração estomática. Porém, o corte interrompe a condução da água, por isso os estômatos fecham, passando a ocorrer a transpiração circular.• Potômetro:→ Fatores externos e internos da transpiração:• Temperatura: a transpiração acelera-se com oaumento da temperatura, até a planta morrer, porém,mesmo morta, a transpiração cuticular continua.
  6. 6. • Solo: age pelo seu teor de água; mais o solo é úmido, mais a planta transpira.• Estado higrométrico e ventilação: Quanto mais umidade no ar, menor a taxa de transpiração. A ventilaçãomoderada acelera a transpiração, pois retira a camada de vapor na superfície da folha.• Luz: age aumentando a temperatura, provocando a abertura ou fechamento dos estomas.• Área de evaporação: Quanto maior a área de evaporação, mais a intensidade da transpiração; é por isso que asplantas do deserto reduzem a área de evaporação, para perder menos água.• Espessura da cutícula: Quanto maior a espessura da cutícula, menor a intensidade da transpiração.• Pelos: quando vivos aceleram a transpiração, quando mortos retardam a transpiração.• Grau de abertura e fechamento dos estômatos: Quanto mais aberto os estômatos, mais intensa a transpiração.• Concentração dos vacúolos: Quanto mais concentrado os vacúolos, menor a taxa de transpiração. Módulo 8: Transporte no xilema e floema→ Introdução:• Os tecidos de condução são formados por células vivas e mortas; especializadas na condução de seiva.• A seiva bruta ou mineral é conduzida pelo lenho ou xilema. A seiva elaborada (orgânica) pelo líber ou floema.→ Lenho ou xilema:• tem função relacionada com a condução, suporte mecânico e armazenamento de substâncias de reserva.• tem origem primária (pleroma) ou secundária (câmbio).• possui: Elementos dos vasos e traqueídes (sistema traqueário, representa os principais elementos de condução daseiva bruta); Parênquima lenhoso (células em fileiras verticais ou horizontais, com raios medulares); Elementos Página1 – 3º aNo – 2º BiMeSTRe PBIOLOGIA PE.1mecânicos (fibras esclerenquimáticas e esclerídos).• Sistema traqueário: constituído pelos elementos dos vasos e pelos traqueídes. • Elementos dos vasos: células alongadas dispondo em fileiras, forma vasos lenhosos (tubos longos e contínuos), percorre o vegetal desde a raiz até as folhas. Quando essas células se tornam elas morrem (D:), deixando o lúmen celular vazio, por onde circula água e sais (seiva bruta). Os elementos dos vasos possuem paredes lignificadas; paredes onde essas células são perfuradas ou completamente reabsorvidas. • Traqueídes: células com as paredes terminais não perfuradas; as paredes também são lignificadas; as células são mortas, apresentam lúmen celular vazio, e ao longo de suas paredes aparecem pontuações. • O parênquima lenhoso está associado com a reserva ou obstrução dos vasos, estas células enviam para dentro dos vasos, tilas (projeções) que os obstruem, impedindo a circulação da seiva. As tilas penetram pelas regiões das pontuações, aparecendo nos elementos condutores velhos ou que sofrem ferimentos.→ Líber ou Floema:• tem função relacionada com a condução, suporte mecânico e armazenamento de substâncias de reserva. • tem origem primária (pleroma) ou secundária (câmbio). • Possui: Vasos liberianos ou crivados (condução); células anexas (células parenquimáticas especiais); Parênquima liberiano (células dispostas na vertical ou na radial; acumula substâncias de reserva); Elementos mecânicos (sustentação; constituído por esclereídos e fibras esclerenquimáticas). • Os vasos liberianos ou crivados possui células dispostas em fileiras, são células vivas mas anucleadas. O que a caracteriza é a parede transversal da célula, chamada Placa Crivada (poros). Através dela passam filamentos citoplasmáticos. Quando os vasos liberianos entram na ativa, o depósito de calose aumenta e a placa crivada fica obstruída, impedindo a passagem da seiva. Para voltar ao normal a calose (hidrato de carbono que se forma no poro) deve ser destruída.

×