REGRAS PRÁTICAS PARA A CRIAÇÃO DE TRANSPARÊNCIAS COM MÍDIAS ELETRONICAS ADRIANO NOBRE OLIVEIRA
INTRODUÇÃO <ul><li>A decisão de utilizarem transparências ou algum tipo de mídia eletrônica como suporte a um apresentação...
IMPORTÂNCIA DE UMA MÍDIA DE SUPORTE VISUAL <ul><li>O ser humano assimila informação deixa clara a importância de um materi...
ASPECTOS GERAIS DA APRESENTAÇÃO <ul><li>DEFINIÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS DO PÚBLICO </li></ul><ul><li>Antes de se iniciar um ...
<ul><li>OBJETIVO DA APRESENTAÇÃO </li></ul><ul><li>Estes devem ser bem elaborados e definidos com clareza pois, os objetiv...
CONHECENDO OS ASPECTOS GERAIS DO FORMATO DE UMA APRESENTAÇÃO <ul><li>RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA CONFECÇÃO DE SLIDES OU TELA...
Usam-se letras maiúsculas e minúsculas, títulos e cabeçalhos maiúsculas; A cor deve se harmonizar com o tema da exposição;...
<ul><li>VARREDURA DA TELA PELO OLHO HUMANO </li></ul><ul><li>  É importante ter consciência do modo como a maioria das pes...
<ul><li>PERFEITA COMBINAÇÃO ENTRE A NARRAÇÃO E O VISUAL </li></ul><ul><li>O equilíbrio entre o que se vê e o que se ouve é...
<ul><li>UTILIZAÇÃO DE LISTAS E MARCADORES </li></ul><ul><li>As palavras-chave devem ficar evidenciadas, ajudando a platéia...
<ul><li>UTILIZAÇÃO DE FONTES </li></ul><ul><li>Nas apresentações, o formato escolhido para as fontes constitui um detalhe ...
<ul><li>UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAFIAS E DE IMAGENS GRÁFICAS </li></ul><ul><li>Estes recursos devem ser sempre que possível usa...
CONSTRUINDO O ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO <ul><li>RESUMO DA APRESENTAÇÃO </li></ul><ul><li>É importante que neste ponto seja r...
<ul><li>STORYBOARD </li></ul><ul><li>Partindo do resumo, pode-se construir a representação gráfica da apresentação, ou sej...
TESTANDO E DEPURANDO A APRESENTAÇÃO <ul><li>Antes da apresentação definitiva deve-se realizar testes. É importante que est...
ERROS COMUNS <ul><li>Os erros possuem graus variados de gravidades e devem ser evitados. São eles: </li></ul><ul><li>Empre...
CONCLUSÃO <ul><li>O poder de suportes visuais como elemento de geração de interesse e de retenção da mensagem pela platéia...
REFERÊNCIA <ul><li>LEFFA,Vilson J. Como produzir materiais para o ensino. In:______. (Org.).  Produção de materiais de ens...
FACULDADE DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO  CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE MACEIÓ – CESMAC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LÍNGUA ESTRANG...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Regras_práticas_presentacao_transparencias

2,897

Published on

Presentación en Power Point realizada por los alumnos del curso de especialización del CESMAC en la disciplina de Nuevas Tecnologías para la enseñanza de E/LE. Maceió, Brasil, 2007.

Published in: Business, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,897
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Regras_práticas_presentacao_transparencias

  1. 1. REGRAS PRÁTICAS PARA A CRIAÇÃO DE TRANSPARÊNCIAS COM MÍDIAS ELETRONICAS ADRIANO NOBRE OLIVEIRA
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><li>A decisão de utilizarem transparências ou algum tipo de mídia eletrônica como suporte a um apresentação pode aumentar substancialmente a qualidade do trabalho, fazendo crescer o interesse do público e o nível de retenção do assunto discutido. A necessidade de se obedecerem a certas regras básicas na construção de transparências e apresentações eletrônicas faz-se, dessa forma, evidente. </li></ul>
  3. 3. IMPORTÂNCIA DE UMA MÍDIA DE SUPORTE VISUAL <ul><li>O ser humano assimila informação deixa clara a importância de um material de suporte bem elaborado, considerando-se que as pessoas retêm: </li></ul><ul><li>10% das palavras que ouvem; </li></ul><ul><li>40% da forma como as palavras são ditas; </li></ul><ul><li>50% daquilo que vêem. </li></ul>
  4. 4. ASPECTOS GERAIS DA APRESENTAÇÃO <ul><li>DEFINIÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS DO PÚBLICO </li></ul><ul><li>Antes de se iniciar um processo de criação de uma apresentação, é essencial que se conheça bem o público. </li></ul><ul><li>Informações sobre seu perfil e seu nível de domínio do assunto a ser exposto devem ser previamente anotados ficando acessíveis durante todas as fases de planejamento da apresentação. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>OBJETIVO DA APRESENTAÇÃO </li></ul><ul><li>Estes devem ser bem elaborados e definidos com clareza pois, os objetivos da apresentação deve estar sempre presente, guiando-o durante todo o processo de construção da exposição. </li></ul>
  6. 6. CONHECENDO OS ASPECTOS GERAIS DO FORMATO DE UMA APRESENTAÇÃO <ul><li>RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA CONFECÇÃO DE SLIDES OU TELAS: </li></ul><ul><li>Cada slide deve abordar um conceito ou idéia; </li></ul><ul><li>Seguir uma progressão lógica; </li></ul><ul><li>Nos textos o ideal é empregar-se um máximo de seis linhas; </li></ul>
  7. 7. Usam-se letras maiúsculas e minúsculas, títulos e cabeçalhos maiúsculas; A cor deve se harmonizar com o tema da exposição; Quando possível, devem ser empregadas ilustrações; É necessário muito cuidado com os efeitos especial em apresentações eletrônicas.
  8. 8. <ul><li>VARREDURA DA TELA PELO OLHO HUMANO </li></ul><ul><li> É importante ter consciência do modo como a maioria das pessoas vê uma página, tela ou fotografia. A varredura de uma superfície pelo olho humano, segue aproximadamente a forma de “Z”. </li></ul><ul><li>Outros recursos e técnicas podem ser utilizados para se chamar a atenção do espectador para um ponto determinado da tela, mesmo que ele não esteja sob o “Z”. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>PERFEITA COMBINAÇÃO ENTRE A NARRAÇÃO E O VISUAL </li></ul><ul><li>O equilíbrio entre o que se vê e o que se ouve é essencial para uma boa assimilação do assunto pela platéia. </li></ul><ul><li>Quando acompanha a narração ou o material falado, o material visual deve ser particularmente breve. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>UTILIZAÇÃO DE LISTAS E MARCADORES </li></ul><ul><li>As palavras-chave devem ficar evidenciadas, ajudando a platéia a focalizar o ponto principal da exposição e facilitando a lembrança da mensagem.. Em marcadores, convém usarem-se símbolos que atraiam a atenção do público e que tornem a apresentação mais visual. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>UTILIZAÇÃO DE FONTES </li></ul><ul><li>Nas apresentações, o formato escolhido para as fontes constitui um detalhe essencial, pois eles devem assegurar a legibilidade do texto, considerando-se, ainda, que elas desempenham um relevante papel na forma através da qual a mensagem será percebida. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>UTILIZAÇÃO DE FOTOGRAFIAS E DE IMAGENS GRÁFICAS </li></ul><ul><li>Estes recursos devem ser sempre que possível usados pois ajudam aos espectadores a associar ao mundo real as informações que estejam sendo apresentadas. </li></ul>
  13. 13. CONSTRUINDO O ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO <ul><li>RESUMO DA APRESENTAÇÃO </li></ul><ul><li>É importante que neste ponto seja reservado tempo necessário para refletir sobre as seguintes interrogações: </li></ul><ul><li>Quem? </li></ul><ul><li>O que? </li></ul><ul><li>Quando? </li></ul><ul><li>Onde? </li></ul><ul><li>Por quê? </li></ul><ul><li>Como? </li></ul>
  14. 14. <ul><li>STORYBOARD </li></ul><ul><li>Partindo do resumo, pode-se construir a representação gráfica da apresentação, ou seja, o storyboard, que é o esboço dos slides que serão exibidos. </li></ul><ul><li>SCRIPT </li></ul><ul><li>O script é um roteiro para a apresentação, no qual consta um texto indicando como cada slide será exibido. Esse texto deve ser escrito de forma clara e concisa. </li></ul>
  15. 15. TESTANDO E DEPURANDO A APRESENTAÇÃO <ul><li>Antes da apresentação definitiva deve-se realizar testes. É importante que estes sejam realizados com uma platéia e que a mesma sinta-se à vontade para fazer críticas ao trabalho apresentado, sendo assim, a avaliação ajudará no aperfeiçoamento da tarefa. </li></ul>
  16. 16. ERROS COMUNS <ul><li>Os erros possuem graus variados de gravidades e devem ser evitados. São eles: </li></ul><ul><li>Emprego de cores fortes, causando desconforto visual; </li></ul><ul><li>Confecção de slides ilegíveis; </li></ul><ul><li>Utilização de animações, sons ou outros recursos não relacionados ao tema; </li></ul><ul><li>Disposição de textos longos por slides; </li></ul><ul><li>Projeções de uma lista de itens na qual, para exibição de cada item, seja necessário um clique de mouse; </li></ul><ul><li>Falta de sincronia entre o orador e a pessoa que estiver controlando a mudança de slides. </li></ul>
  17. 17. CONCLUSÃO <ul><li>O poder de suportes visuais como elemento de geração de interesse e de retenção da mensagem pela platéia é incontestável. Os efeitos de um bom material de suporte fazem-se sentir imediatamente durante e após uma apresentação. </li></ul><ul><li>Cabe destacar que a construção de material de suporte a apresentações, seja ele composto por slides ou filmes multimídia, não é uma ciência exata, ainda que se baseie em princípios do desing. </li></ul><ul><li>A prática e a observação das reações do público continuam sendo os maiores aliados do apresentador no refinamento e aperfeiçoamento de suas exposições. </li></ul>
  18. 18. REFERÊNCIA <ul><li>LEFFA,Vilson J. Como produzir materiais para o ensino. In:______. (Org.). Produção de materiais de ensino: Teoria e prática. Pelotas: Educat, 2003. p.105-123. </li></ul>
  19. 19. FACULDADE DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE MACEIÓ – CESMAC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA – ESPANHOL DISCIPLINA AS NOVAS TECNOLOGIAS E O ENSINO DE LÍNGUA ESPANHOLA PROFESSOR GONZALO VIRSIDA ALUNAS DULCINÉA LIMA e RENATA MEYER Marzo - 2007

×