C         APÍTULO 1Desenvolvimento Humano e PeríodosEvolutivosA partir da perspectiva do saber fazer, neste capítulo você ...
Desenvolvimento Psicomotor10
Desenvolvimento Humano e                             Capítulo 1    Períodos EvolutivosContextualização da Disciplina    Es...
Desenvolvimento Psicomotor     O ser humano        diferentes transformações e períodos evolutivos: pré-natal (embrionário...
Desenvolvimento Humano e                             Capítulo 1     Períodos EvolutivosEtapas Evolutivas - Períodos da Inf...
Desenvolvimento Psicomotor                       Etapas Evolutivas do Desenvolvimento                       Humano        ...
Desenvolvimento Humano e                              Capítulo 1     Períodos Evolutivosd) Adolescência•	 Puberdade: maior...
Desenvolvimento Psicomotor                            Especialmente, durante o período compreendido entre os 6 e os 12 ano...
Desenvolvimento Humano e                               Capítulo 1     Períodos Evolutivos•	 percepção de objetos antes da ...
Desenvolvimento Psicomotor                       •	 formação do próprio estilo;                       •	 reconhecimento da...
Desenvolvimento Humano e                             Capítulo 1     Períodos Evolutivos•	 não se aceita bem as rejeições;•...
Desenvolvimento Psicomotor                          interdependências emocionais, sociais e econômicas, juntamente com o  ...
Desenvolvimento Humano e                             Capítulo 1     Períodos EvolutivosPadrões de Desenvolvimento: MarcosR...
Desenvolvimento Psicomotor                                      Tabela 1 – Padrões normais: desenvolvimento motor         ...
Desenvolvimento Humano e                             Capítulo 1      Períodos Evolutivos•	 Paralisia: perda ou diminuição ...
Desenvolvimento Psicomotor                       •	 Sincinesia: perturbação da execução de um gesto voluntário acompanhada...
Desenvolvimento Humano e                            Capítulo 1      Períodos Evolutivos•	 Disartria: distúrbio na coordena...
Desenvolvimento Psicomotor                       •	 Deficiência mental: limitação na capacidade de intelectual para soluci...
Desenvolvimento Humano e                          Capítulo 1       Períodos Evolutivos                  Tabela 6 – Padrões...
Desenvolvimento Psicomotor                       Atividade de estudo                       1) O que significa “marco refer...
Desenvolvimento Humano e                               Capítulo 1     Períodos Evolutivos   indicam a diferenciação progre...
Desenvolvimento Psicomotor                          INDICADORES NEGATIVOS DE SAÚDE                          •	 Morbidade: ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Desenv. psic. cap 1

2,942

Published on

1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
  • de que livro é este capitulo? qual o autor?
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
2,942
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
75
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Desenv. psic. cap 1

  1. 1. C APÍTULO 1Desenvolvimento Humano e PeríodosEvolutivosA partir da perspectiva do saber fazer, neste capítulo você terá os seguintesobjetivos de aprendizagem:33Definir desenvolvimento humano e motor e identificar as principais etapas evolutivas e suas características (infância, adolescência, idade dulta e a terceira idade).33Analisar a importância do desenvolvimento motor no senvolvimento da criança e avaliar se ela está se desenvolvendo dentro dos padrões esperados.
  2. 2. Desenvolvimento Psicomotor10
  3. 3. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos EvolutivosContextualização da Disciplina Este capítulo trata do desenvolvimento humano e as transformações queocorrem no decorrer da vida, especialmente na infância. Como capítulo inicialnos permitrá uma visão geral do desenvolvimento humano, bem como, dasconquistas exibidas pelas crianças, principalmente na mobilidade. Para tanto, inicialmente, vamos estudar as considerações gerais,definindo alguns termos que consideramos importantes; depois, as principaisetapas evolutivas e suas características e, finalmente, os marcos referenciaismotores e padrões do desenvolvimento da motricidade fina, cognição, emoçãoe desenvolvimento da sexualidade. O conhecimento dos comportamentosnotáveis dessas habilidades em determinadas idades contribui para acompreensão dos próximos capítulos, para perceber os avanços ou atrasosdas crianças durante o desenvolvimento, como também para o planejamentode estratégias de intervenções motoras.Considerações Gerais – Conceitos O desenvolvimento humano é complexo e encontra-se influenciado poruma série de fatores, incluindo os aspectos físico, neurológico, psicossociale motor. Segundo Papalia e Olds (2000), as mudanças no corpo, no cérebro,na capacidade sensorial e nas habilidades motoras são todas parte dodesenvolvimento físico e podem influenciar outros aspectos (exemplos: umacriança que tem perda auditiva corre o risco de ter um atraso na linguagem; emalguns idosos, mudanças físicas no cérebro provocam deterioração intelectuale na personalidade; a capacidade de falar depende do desenvolvimento dasestruturas físicas da boca e do cérebro; a ansiedade em relação à uma provapode prejudicar o desempenho; o apoio social pode ajudar as pessoas aenfrentarem os efeitos potencialmente negativos do estresse em saúde físicae mental). Para facilitar seu entendimento, apresentaremos a seguir, a definição dedesenvolvimento humano, bem como, a definição das áreas envolvidas nesseprocesso.a) Desenvolvimento Humano O organismo humano tem uma lógica biológica, uma organização, umcalendário maturacional e evolutivo, uma porta aberta para a interação eestimulação. Desde o momento da concepção, o ser humano passa por 11
  4. 4. Desenvolvimento Psicomotor O ser humano diferentes transformações e períodos evolutivos: pré-natal (embrionário); peri- passa por diferentes natal (27º semana de gestação - 1ª semana de vida); e pós-natal (neonato, transformações lactente, pré-escolar, período escolar, puberdade adolescência, adulto e 3ª e períodos idade). Durante este processo, as possibilidades do indivíduo evolucionam evolutivos: pré-natal amplamente e chegam a ser cada vez mais variadas, completas e complexas (embrionário); peri- à medida que avança uma etapa. O processo de desenvolvimento humanonatal (27º semana de corresponde a um/em um crescimento diferencial, complexo e progressivo,gestação - 1ª semana produzindo uma identidade influenciada pelos dons individuais e pelas de vida); e pós-natal contingências ambientais. Assim como uma espiral, pressiona em sentido (neonato, lactente, pré-escolar, período ascendente durante mais de duas décadas; depois, mantém o nível atingido, escolar, puberdade durante mais de duas décadas; a seguir, alcança um longo período de declínioadolescência, adulto e lento; e, por fim, decai mais rapidamente até um ponto em que os principais 3ª idade). órgãos ou sistemas falham e ocorre a morte. Outros aspectos englobam o desenvolvimento humano: • Desenvolvimento Físico: mudanças que ocorrem nas estruturas corporais desde o momento da concepção até a morte, num sentido mais amplo. Estas mudanças, em diferentes etapas evolutivas, podem ser analisadas por meio de diversos parâmetros (peso, altura, perímetros, dobras cutâneas, entre outros.), oferecendo informações preciosas sobre o estado de crescimento global do organismo e sua adaptação com o meio ambiente. • Desenvolvimento Neurológico: incremento organizado das funções neuropsicomotoras cada vez mais complexa. Depende da integridade do sistema nervoso central, da maturação neurológica (mielinização), dos aspectos nutricionais e psicossociais. • Desenvolvimento Psicossocial: condições que o meio exerce sobre os aspectos: social (família, escola e sociedade); cognitivo (memória, inteligência e criatividade); e, as emoções (conduta) do ser humano na estruturação de um comportamento com características próprias (personalidade). • Desenvolvimento Motor: representa a aquisição de funções motoras cada vez mais complexas (correr, pular, equilibrar-se). A integração sucessiva da motricidade implica na constante e permanente maturação orgânica. O movimento e seu fim representam uma unidade que vai se aprimorando cada vez mais, como resultado de uma diferenciação progressiva das estruturas integrativas do ser humano. 12
  5. 5. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos EvolutivosEtapas Evolutivas - Períodos da Infância Para auxiliar na compreensão do processo evolutivo da construção dosujeito, dividimos o conteúdo sobre desenvolvimento em etapas. Em cada umadelas, a criança apresenta diferentes capacidades. Esses períodos sucedem-se uns aos outros formando um todo integrado, indicando que ao final de cadaestágio há a possibilidade de integrar-se ao seguinte. Observe a seguir, osperíodos evolutivos. Lembre-se que esses períodos não devem ser vistoscomo períodos fechados, pois é a relação entre eles que dá forma ao equilíbrioevolutivo da criança.• Etapa Pré-natal: período embrionário.• Etapa Peri-natal: 27º semana de gestação até o final da primeira semana de vida.• Etapa Pós-natal: caracterizada por diferentes períodos evolutivos que listamos na sequência: - Neonatal: tempo necessário para a readaptação do ser ao ambiente extra-uterino. Tempo de duração de aproximadamente 28 dias. - Lactente: 29 dias a 24 meses de vida. Aquisição de funções superiores neurológicas, como por exemplo, a marcha. - Pré-escolar: aprendizagem escolar, 2 a 7 anos. - Escolar: amplo período que costuma prolongar-se dos 6 aos 11 anos de idade. - Puberdade-Adolescência: culminação do crescimento que vem determinado pela aquisição da capacidade reprodutiva e do crescimento físico. - Adulto: indivíduo atingiu o completo desenvolvimento e chegou à idade vigorosa, atingiu a maioridade. - Terceira Idade: período caracterizado pelo envelhecimento biológico e deterioro social. 13
  6. 6. Desenvolvimento Psicomotor Etapas Evolutivas do Desenvolvimento Humano a) Pré-Natal • Fecundação: unificação do óvulo e do esperma. • Zigoto: divisão celular e implantação do óvulo fecundado. • Embrionário: surgimento das principais estruturas e órgãos do corpo. • Fetal: (dois meses para o nascimento) refinamento das estruturas fisiológicas e suposição de funções biológicas, inclusive mobilidade reflexiva; ganhos em viabilidade. b) Primeira Infância • Nascimento: transição do ambiente extra-uterino efetuado pelo parto. • Neonatal: adaptação às exigências da vida extra-uterina; ganhos em equilíbrio corporal. • Intermediária: ampliação do mundo experiencial por meio da percepção e mobilidade. • Posterior: Aquisição da comunicação verbal e consciência dos outros e de si próprio. c) Segunda Infância • Inicial: formação, modificação e refinamento dos traços e atitudes; ganhos em perícias de comunicação e autonomia; formação de autoconceito. • Intermediária: interação com as pessoas de fora do lar; frequência à escola; desempenho de papel. • Posterior: desenvolvimento de identidade do sexo e relacionamentos firmes com os pares, mentalidade grupal.14
  7. 7. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos Evolutivosd) Adolescência• Puberdade: maior autoconsciência; maturação corporal e sexual; reorganização da personalidade.• Intermediária: desenvolvimento de intensas relações com os pares; experiência de muitas ambiguidades e conflitos.• Posterior: preparação para o papel da vida adulta; assunção de maiores responsabilidades (sociais, econômicas, entre outras).e) Vida Adulta• Inicial: formação de padrão de vida adulta; aceitação na sociedade adulta; casamento e responsabilidades de família; consecução da capacidade global máxima.• Intermediária: participação plena na sociedade adulta; desenvolvimento da família; interesses pela família e progresso vocacional.• Posterior: declínio gradual nas capacidades físicas; cessão de algumas responsabilidades; modificação da estrutura familiar (os filhos atingem a maturidade e deixam o lar); esforços para a manutenção de capacidade como adulto.f) Senectude• Idade avançada: aumento no declínio de poderes físicos e cognitivos; restrição de interação social; dependência cada vez maior em relação aos outros; declínio terminal.• Morte: perda das funções vitais. O desenvolvimento da criança é bastanteEtapas Evolutivas e Suas Características complexo e encontra- se influenciado por O desenvolvimento da criança é bastante complexo e encontra-se uma série de fatores,influenciado por uma série de fatores, incluindo os aspectos físicos, cognitivos, incluindo os aspectossociais e afetivos que estão entrelaçados no decorrer da vida do indivíduo. físicos, cognitivos,Conceituar o que venha a ser desenvolvimento é importante para entender sociais e afetivos queesse processo. Você deve ter compreendido, portanto, que esse é o processo estão entrelaçados node mudanças complexas interligadas das quais participam todos os aspectos decorrer da vida dode crescimento e maturação dos aparelhos e sistemas dos organismos. indivíduo. 15
  8. 8. Desenvolvimento Psicomotor Especialmente, durante o período compreendido entre os 6 e os 12 anos, ocorrem mudanças significativas na vida da criança. Embora as mudanças físicas ocorridas na idade escolar sejam mais graduais as que ocorrem na fase pré-escolar, constatam-se avanços em todas as habilidades. Acompanhando o desenvolvimento de uma criança notaremos grandes mudanças em seu comportamento, principalmente, na cognição ao aproximar-se da alfabetização. O início da escolarização constitui uma mudança notável. Nessa fase, o convívio escolar possibilita a criança constante troca de informações no aspecto biopsicossocial. Por conseguinte, a experiência da criança na escola e o próprio contato social, influenciam e são influenciados por todos os aspectos do seu desenvolvimento – físicos, cognitivos, emocionais e sociais. Com o decorrer das idades, continuamos a perceber grandes evoluções e modificações. Agora, vamos apresentar para você algumas características referentes às etapas evolutivas. a) Características da Primeira Infância (0 – 2 ou 3 anos) • Cuidado dos pais em suprir as necessidades das crianças; • reconhecimento do próprio corpo e do mundo exterior; • capacidade de percepção aumenta - ex.: engatinhar; • novos estímulos e permissão de seu próprio potencial para novas descobertas, sem que as pessoas criem novas expectativas; • percepção das cores, odores, gosto, barulho; • crescimento emocional rápido; • choro para atrair atenção; • aborrecimentos no banho, na troca de fralda ou roupa desperta aflição; • necessidade de afetividade constante; • desenvolvimento emocional rápido; • prazer em agarrar as coisas que vê; • sente-se dependência da mãe – afetividade;16
  9. 9. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos Evolutivos• percepção de objetos antes da sua posse;• dependência dos pais nos cuidados da higiene;• imitação de palavras – papel importante no desenvolvimento da fala;• sequências comportamentais simples (tônus muscular), imitações;• primeiras formas de comunicação – ex.: choro, movimento dos olhos e da face, chora para atrair a atenção;• interesse por figuras e histórias;• comunicação por meio de pequenas frases e sentenças;• controle esfincteriano;• curiosidade pelos objetos – “o que é isto?”;• a criança classifica e separa objetos de diferentes tamanhos.b) Características da Segunda Infância ( 2 – 7 anos)• Progresso no controle esfincteriano (Urinário e Intestinal);• resolução de muitos problemas em brincadeiras do tipo “faz de conta”;• a segurança emocional é outra necessidade nesta fase;• a ira, as explosões de temperamento e as experiências de medo, ciúme e inveja são frequentes durante os primeiros anos da meninice;• tem-se um progresso na pronúncia, formação de frases e habilidades para conversar.• a curiosidade é limitada, desde que haja alguém disposto a propiciar tal estimulação;• imitação das condutas dos pais;• habilidades e perícias sensório-motoras;• uso da linguagem para identificar objetos e atividades; 17
  10. 10. Desenvolvimento Psicomotor • formação do próprio estilo; • reconhecimento das capacidades e limitações pela variação dos outros; • aos seis ou sete anos a criança é capaz de entender por analogia a maioria dos conceitos fundamentais, como a ideia de Deus; • na idade pré-escolar as atividades grupais se tornam cada vez mais atrativas; • a autopercepção surge e caracteriza-se pela resistência persistente aos pais. c) Características da Pré-Adolescência ( 7 – 12 anos) • Formação de conceitos por meio do comportamento das pessoas; • capacidade de assumir papéis; • autodefinição mais complexa (conflitos internos); • identificação com o progenitor do mesmo sexo; • variação de autoestima (sentimentos estáveis entre 10 a 12 anos); • importância aos amigos e amizades; • raciocínio moral e comportamental; • tipificação e identidade sexual, estes valores estão bem marcados; • desenvolvimento da empatia; • comportamento altruístico; • lazer em tempo mais limitado; • ocorrem diferenças individuais, autoconceito e autoestima; • descentralização da família e mais apego aos amigos; • agressividade (maior nos meninos);18
  11. 11. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos Evolutivos• não se aceita bem as rejeições;• insegurança; vergonha, ridicularização, baixa autoimagem, (preocupação com a mudança física do corpo).d) Características da Adolescência (12 anos em diante)• Estado psicológico perturbador, período de mudança física, sexual, psicológica e cognitiva;• início da puberdade;• mudanças físicas marcantes;• maturação sexual;• desenvolvimento do pensamento operacional formal (raciocínio frente a problemas abstratos e hipóteses; capacidade de julgar muitas variáveis ao mesmo tempo; raciocínio hipotético-dedutivo: “o que poderia ser”);• desenvolvimento moral e de valores;• independência;• delinquência;• valores vocacionais e mudança social.e) Características da Vida Adulta• Consecução do status do adulto: critérios da maturidade adulta. Disposição contínua para aprender e agir;• superação da imaturidade: explosões emocionais;• definição da pessoa madura: canalizam suas tensões, impulsos e emoções para comportamento construtivo;• aquisição de uma vocação: universidade ou escola profissionalizante;• seleção de um parceiro: as parcerias e romances que conduzem ao amor e ao casamento aumentam e atingem seu pico no início da vida adulta;• tarefas do desenvolvimento da vida adulta: as tarefas incluem 19
  12. 12. Desenvolvimento Psicomotor interdependências emocionais, sociais e econômicas, juntamente com o casamento, paternidade e estabelecimento do lar; • estágio intermediário da vida adulta: o aumento da expectativa de vida e a diminuição das horas de trabalho dá oportunidade crescente às atividades escolhidas e crescimento da personalidade; • saúde e atividade: aparecimento de tendências metabólicas indesejáveis; • reavaliação do autoconceito: aumenta a reflexão; • consolidação sócio-econômica: evidência externa do sucesso. f) Características da Terceira Idade • Expectativa de vida maior nas mulheres (mais mulheres do que homens); • queda na capacidade de adaptação social e psíquica, incapacidade de administrar situações negativas; • queda de adaptação social, dificuldades de mudar de ambiente; • a família muitas vezes não assume mais a responsabilidade de cuidar de seus idosos; • sensação de inutilidade e desvalorização pessoal com a aposentadoria arbitrária; • tendência depressiva com a conscientização das perdas funcionais e sociais; • a autoestima e a autoimagem passam a ter uma característica negativa; • declínio biológico (visão, audição, coordenação motora e alterações metabólicas), trazendo mudanças na personalidade; • na atividade profissional (perda de eficiência, cansaço); efeitos negativos do tempo ocioso; • o sucesso na preservação da integridade da personalidade mostra diferenças individuais relacionadas ao desenvolvimento anterior da personalidade; progressos médicos, melhorias econômicas e sociais podem trazer expectativas benéfica para essa etapa da vida (qualitativa e quantitativa).20
  13. 13. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos EvolutivosPadrões de Desenvolvimento: MarcosReferenciais Motores Marco referencial motor é uma Um marco referencial motor é uma habilidade motora fundamental cujo habilidade motoraalcance está associado à aquisição de movimentos voluntários posteriores. fundamental cujoA ordem na qual um bebê atinge esses marcos referenciais é relativamente alcance estáconsistente, ainda que o tempo difira entre os indivíduos (HAYWOOD; associado à aquisiçãoGETCHELL, 2004). de movimentos voluntários posteriores. Cada habilidade está associada a um marco referencial precedente. Essepadrão progressivo de aquisição de habilidades pode estar relacionado aalterações imprevisíveis que ocorrem nas restrições individuais de bebês comdesenvolvimento típico. Dentre essas alterações, Haydwood e Getchell (2004)citam a maturação do sistema nervoso central; o desenvolvimento da força eda resistência musculares; a postura e o equilíbrio e a melhoria do processosensorial. A criança, por exemplo, que apresenta um desenvolvimento ósseomais lento, também caminhará mais tarde e terá uma puberdade mais tardia,porém, há exceções a essa generalização (BEE, 2003). Lembre-se de que para um bebê demonstrar certa habilidade, deveráestar maduro em outras habilidades anteriores fundamentais para a próximaaquisição (ex.: um bebê deve ter força suficiente em seu pescoço e em seusombros para elevar sua cabeça enquanto está deitado em decúbito ventral). O ritmo desse desenvolvimento, portanto, difere entre as crianças. Você As habilidadesverá nas próximas tabelas que descrevemos os padrões de desenvolvimento motoras amplas sedas habilidades motoras amplas (engatinhar, pular, correr...) e das desenvolvem maishabilidades de manipulação, chamadas habilidades motoras finas (agarrar cedo, e as finas, maisobjetos). Essas estão presentes, de alguma forma, em todas as idades, tarde.mas, como regra geral, as habilidades motoras amplas se desenvolvemmais cedo, e as finas, mais tarde. Assim, uma criança de seis anos é capazde correr bem, pular, saltar; porém, as crianças dessa idade ainda não sãohábeis quando usam um lápis ou cortam papel com uma tesoura. Nos anosdo ensino fundamental, as habilidades motoras finas melhoram com rapidez,possibilitando que a maioria das crianças, não só escreva com mais clareza efacilidade, mas também, faça desenhos e desenvolva capacidades esportivasque requerem coordenação motora fina (BEE, 2003). O controle motor do corpo inicia-se Você também poderá observar nas tabelas que seguem que o na cabeça e nodesenvolvimento motor segue as leis céfalo-caudal (da cabeça aos pés) e pescoço e procedepróximo-distal (do centro às extremidades). Isso significa que o controle motor gradativamente parado corpo inicia-se na cabeça e no pescoço e procede gradativamente para o o tronco e para astronco e para as pernas! Observe isso nessa primeira tabela! pernas! 21
  14. 14. Desenvolvimento Psicomotor Tabela 1 – Padrões normais: desenvolvimento motor IDADE CONDUTAS OBSERVÁVEIS PROVÁVEL Em decúbito ventral levanta a cabeça do 2-3 meses plano da mesa. Gira a cabeça em direção ao objeto. 3-4 meses Sustentação cefálica completa. 6-7 meses Mantém-se sentado com apoio. 9-10 meses Engatinha. 10-11 meses Fica de pé com apoio. Fica de pé sem apoio. Dá primeiros passos 11-13 meses com ou sem apoio. Sobe escada engatinhando. Anda com 18 meses segurança; chuta uma bola. 24 meses Corre. Sobe e desce escada com apoio. Sobe e desce escada sem apoio. Pula sobre 3 anos uma corda com os dois pés. Dá vários saltos no mesmo lugar. Desce e 4 anos sobe escada com mais segurança. Salta obstáculos. Joga Amarelinha. Equilíbrio 5 anos na ponta dos pés. Transtornos na coordenação; hiperatividade; dificuldades na Desvios - aprendizagem; paresias; paralisias ou plegias; hipotonias; Área Motora hipertonias. Fonte: Rosa Neto (1996). • Hiperatividade: estado crônico de impulsividade psicomotora; comportamento impulsivo, falta de atenção. • Hipertonia: aumento do tônus muscular. • Hipotonia: diminuição ou perda do tônus muscular que produz menor resistência a mobilização passiva.22
  15. 15. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos Evolutivos• Paralisia: perda ou diminuição da função motora voluntária ou involuntária de um músculo ou de um grupo de músculo (ROSA NETO, 2002). Tabela 2 – Padrões normais: motricidade fina (grafismo) ETAPAS CONDUTAS OBSERVÁVEIS Rabisco (garatuja sem intencionalidade). 1a Etapa Utiliza o lápis de cera com pressão (12 a 24 meses). Garatuja com intencionalidade aparecendo o traço circular. Preensão Digital. Rabisca e 2a Etapa define os rabiscos. Faz o traço vertical por imitação (24 a 36 meses). Girino. Desenha com formas precárias e figuras soltas. Faz a cruz por imitação, o 3a Etapa circulo aberto. Figura humana como Girino (3 a 4 anos). Desenho. Desenha conjunto lógico. Faz o cículo fechado. Figura humana com cabeça, 4a Etapa corpo e membros. Pinta com qualquer cor (4 a 5 anos). Desenhos mais estruturados. Desenha formas geométricas com ângulo (retângulo, 5a Etapa etc). Pinta com mais realidade. Figura humana com mais detalhes. Faz cópia do nome e de desenhos (5 a 6 anos). Acima de 6 anos estrutura ainda mais o desenho e os detalhes da figura humana. 6a Etapa Memoriza o formato e representação de letras e sílabas. Desvios- Disgrafia, Sincinesias. Grafismo Fonte: Rosa Neto (1996).• Disgrafia: distúrbio na escrita em que se observam substituições, omissões ou inversões de letras ou de sílabas, assim como funções de palavras (ROSA NETO, 2002). 23
  16. 16. Desenvolvimento Psicomotor • Sincinesia: perturbação da execução de um gesto voluntário acompanhada da execução de outro gesto não controlado pelo sujeito (ROSA NETO, 2002). Tabela 3 – Padrões normais: linguagem IDADE CONDUTAS OBSERVÁVEIS PROVÁVEL Chora em diferentes situações: prazer, fome, 0 a 2 meses desconforto, irritabilidade, etc. Resposta vocal/social com gorjeios. Choro articulado. Gargalhada quando estimulado. 2 a 6 meses Balbucio (inclui sons de consoante e vogal = dadadadadadaa). Entonações, ritmos e sons diferentes- 6 a 9 meses Ecolalia. 9 a 12 Diz primeiras palavras com significado. meses Atende pelo nome. Primeiras Palavras. 12 a 18 Jargão. Nomeia desenhos. Sons Au-Au, tata, meses Onomatopéicos. Frases Agramaticais. Burrumm Frases de 2 ou 3 palavras. Compreende ordens simples. Melhora a dicção. 24 meses Tenho fome Vocabulário de 200 palavras. Frases Gramaticais. Orações. Responde a perguntas simples. Usa plural. Frases de 3 ou 4 palavras. Paulo joga 3 anos Gagueira Fisiológica. Dislalias de troca e bola supressão. Maria foi Usa conjugações e compreende preposições comprar 4 – 5 anos (atrás, embaixo, em cima, etc.). Frase de 4 pastéis para ou 5 palavras. Perturbações fonológicas. mamãe Desvios – Disartria; dislalias; gagueira. Linguagem Fonte: Rosa Neto (1996).24
  17. 17. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos Evolutivos• Disartria: distúrbio na coordenação motora da fala por lesão do sistema nervoso central (ROSA NETO, 2002).• Dislalia: distúrbio da pronúncia das palavras, podendo ser de troca ou supressão.• Gagueira: transtorno da linguagem falada, caracterizada por uma dificuldade na fluência de sons ou de palavras (ROSA NETO, 2002). Tabela 4 - Padrões normais: desenvolvimento cognitivo IDADE CONDUTAS OBSERVÁVEIS PROVÁVEL 2 meses Segue objeto dentro do campo visual. Olha e brinca com as mãos. Agita-se com 3 meses familiares. Agarra objetos na linha de visão. Retira 4 meses pano do rosto. Repete espetáculos. 6 meses Imita certos gestos. Procura objeto fora da linha de visão. Procura e descobre objetos parcialmente 8 meses escolhidos. Brinca de esconde-esconde. Atira objetos para ver a trajetória. Bate 10 meses objetos contra outros. Compreende ordem simples (Dá, dá...). Coloca objeto dentro de outro. Retira objetos de um recipiente. Atende pelo nome. 12 meses Noção de causa x efeito. Resolve problemas simples. 2 anos Imita linha circular. Faz rabiscos. 3 anos Imita cruz. Faz traço vertical. Desenha figura humana. Nomeia membros da família. Fecha 4 anos círculo. 5 anos Conta até dez (10). Desenha figuras com ângulo. Desvios - Área Deficiência mental; dificuldade de aprendizagem. Cognitiva Fonte: Rosa Neto (1996). 25
  18. 18. Desenvolvimento Psicomotor • Deficiência mental: limitação na capacidade de intelectual para solucionar problemas, em caráter permanente, mas não irreversível, devido a dano anatômico ou funcional de origem neurológica ou psicossocial, ocorrido na etapa de desenvolvimento critico do SNC (ROSA NETO, 2002). Tabela 5 – Padrões normais: desenvolvimento emocional IDADE CONDUTAS OBSERVÁVEIS PROVÁVEL 2 - 4 meses Sorriso social com resposta vocal social. 6 -10 meses Estranha as pessoas não familiares. Compreensão de limites/NÃO. Identifica-se 10 -18 meses (atende pelo NOME). 18 m – 2 anos Hiperatividade e impulsividade 3 – 4 anos Cooperação nas tarefas e brinquedos Etapa da Gentileza e Franqueza. Condutas Bipolares (Ódio 5 - 6 anos x Amor). Etapa dos Por quês? É capaz de fazer uma Autocrítica. Desvios – Área Transtornos de Conduta; Neuroses; Psicoses. Emocional Fonte: Rosa Neto (1996). • Neurose: transtorno psíquico ou mental que não é acompanhado de nenhuma mudança estrutural ou orgânica, mas que provoca uma desorganização da personalidade ou da função mental (ROSA NETO, 2002). • Psicose: estado anormal de funcionamento psíquico. • Transtorno de conduta: padrão repetitivo e persistente de conduta anti- social agressiva ou desafiadora.26
  19. 19. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos Evolutivos Tabela 6 – Padrões normais: sexualidadeETAPAS CONDUTAS OBSERVÁVEIS Período gestacional – descoberta do sexo1a Etapa do bebê, reforço da identidade do filho ou da filha (escolha da roupa, etc.). 1º ano – o bebê chupa o dedo, se acaricia2a Etapa e descobre seus genitais (banho, troca da fralda, etc.). 2 e 3 anos – demonstra interesse pela3a Etapa sexualidade, diferenças de sexo, identidade sexual. 6 e 7 anos – compreende temas como reprodução, ejaculação e ciclo menstrual,4a Etapa de acordo com as informações do meio ambiente. Até os 9 anos – Modelos familiares e escolares aparecem. Preconceitos,5a Etapa advertências, repreensão, etc., sobre a sexualidade. 9 e 11 anos – Atração peso sexo oposto, alterações hormonais. Inibição sexual6ª Etapa (vergonha do próprio corpo e aceitação de suas modificações). 13 a 15 anos – Interesse pela relação sexual7ª Etapa (ato sexual, gravidez precoce, etc.). Fonte: Rosa Neto (1996). 27
  20. 20. Desenvolvimento Psicomotor Atividade de estudo 1) O que significa “marco referencial motor”? Dê exemplos: ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ 2) Cite alguns fatores que podem estar associados às variações no ritmo de desenvolvimento motor das crianças. Explique por que isso pode ocorrer: ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ TERMINOLOGIA BÁSICA • Aprendizagem: processo de integração neuro-sensorial das experiências vivenciadas pelo ser humano durante seu desenvolvimento. • Conduta: qualquer ação sucedida e observável do organismo (expressão verbal, postural, etc.) • Consciência: estado que permite ao indivíduo o desenvolvimento de uma conduta de interação com o mundo externo e o reconhecimento do próprio “EU”. • Criatividade: função inventiva de imaginação criadora, dissociada da inteligência. • Desenvolvimento: expressa função. Responsável pelos fenômenos que28
  21. 21. Desenvolvimento Humano e Capítulo 1 Períodos Evolutivos indicam a diferenciação progressiva dos órgãos e suas especializações.• Estímulo: agente interno ou externo que provoca uma ação determinada como resposta.• Maturação: refere-se ao nível de aquisição física e psiconeurosensorial, que num determinado momento alcança um órgão ou sistema em desenvolvimento.• Memória: capacidade de evocar respostas aprendidas previamente.• Plasticidade: mudanças produzidas no sistema nervoso como resultado da experiência (aprendizagem), lesões ou processos degenerativos.• Prontidão: expressa função. Período adequado para realizar um estímulo. Marcha (10-15 meses).• Saúde: estado de bem estar físico, psíquico e social, (Organização Mundial da Saúde – OMS).FATORES QUE REGULAM A SAÚDE• Genética: efeito irredutível.• Meio ambiente: familiar, social, cultural, físico, outros.• Conduta do indivíduo: fatores emocionais, comportamentais, etc.• Assistência médica: seguro saúde, outros.• Qualidade de vida: Alimentação, hábitos de vida diária, exercício físico, etc.INDICADORES POSITIVOS DE SAÚDE• Meio ambiente: prevalência de lactescência materna; calendário de vacinas; frequência de consultas.• Observação e avaliação: crescimento fetal; crescimento pós-natal e nutricional; desenvolvimento psicossocial, neurológico, físico e motor. 29
  22. 22. Desenvolvimento Psicomotor INDICADORES NEGATIVOS DE SAÚDE • Morbidade: indicadores como atraso no desenvolvimento neuropsicomotor; alterações congênitas; permanência de doenças existentes ao nascer; infecções respiratórias; acidentes domiciliares; câncer. • Mortalidade: mortalidade peri-natal; neonatal; mortalidade infantil (nº de falecidos no primeiro ano de vida por cada mil nascidos vivos.) Algumas Considerações A essência desse capítulo foi observar como os movimentos e osOs marcos referenciais motores do bebê comportamentos se modificam ao longo da vida e determinar por que eles se podem oferecer dicas modificam. Em relação ao aspecto motor, os movimentos amplos se tornamaos profissionais sobre aos poucos mais sofisticados no decurso da primeira e da segunda infância. a saúde neurológica, É essencial entender o desenvolvimento típico na área motora, emocional e facilitando o acesso cognitiva, de maneira que um possível desvio de um padrão “esperado” seja a uma intervenção evidente. Os marcos referenciais motores do bebê podem oferecer dicas neuropsicomotora aos profissionais sobre a saúde neurológica, facilitando o acesso a umaprecoce, se necessária intervenção neuropsicomotora precoce, se necessária for. for. Referências Bibliográficas BEE, H. A criança em desenvolvimento. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2003. HAYWOOD, K.M.; GETCHELL, N. Desenvolvimento motor ao longo da vida. Porto Alegre: Artmed, 2004. PAPALIA, D.E.; OLDS, S.W. Desenvolvimento Humano. Tradução: Daniel Bueno. 7.ed. Porto Alegre: Artmed, 2000. ROSA NETO, F. Valoración del desarrollo motor y su correlación con los trastornos del aprendizaje. Zaragoza, 1996. 346p. Tesis Doctorado (Universidad de Zaragoza) Espana, 1996. ROSA NETO, F. Manual de Avaliação Motora. Porto Alegre: Artmed, 2002. 30

×