Tabela D1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Tabela D1

on

  • 305 views

 

Statistics

Views

Total Views
305
Views on SlideShare
304
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 1

http://susana-bib-lordelo.blogspot.de 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Tabela D1 Tabela D1 Presentation Transcript

  • Novembro 2009 O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE II) Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins
  • Metodologias de Operacionalização (Parte II) D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE Indicadores Factores críticos de Sucesso Instrumentos de recolha de Evidências extraídas dos Evidências Sugeridos instrumentos a integrar no Relatório de Auto - Avaliação  A escola inclui a BE na  Excertos das determinações  No PEA é reconhecida a formulação e desenvolvimento da contidas na documentação importância da BE; sua missão, princípios e institucional que define os objectivos estratégicos e de objectivos e regula o  O RI prevê os objectivos e a aprendizagem; funcionamento da missão da BE, a organização escola/agrupamento, referentes à funcional do espaço, e o O professor bibliotecário tem BE; funcionamento e composição da assento no conselho pedagógico; equipa;  Aspectos contidos nos D.1.1. Integração da BE na  São desencadeadas acções documentos que regem o  O PCE e os PCT referem a BE Escola/ Agrupamento com funcionamento da BE e que se como um recurso para o seu vista à partilha, discussão e relacionam com este item; desenvolvimento e as suas aprovação da missão e objectivos actividades; da BE nos órgãos de  Registos de reuniões/contactos. administração e gestão (conselho  O PAA da BE integra-se no geral, director, conselho PAA do Agrupamento, em pedagógico) departamentos articulação com o PEA; curriculares e demais estruturas de  O Plano de acção da BE coordenação educativa e de acompanha o PEA; supervisão pedagógica;  A professora bibliotecária não Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Novembro de 2009
  • Metodologias de Operacionalização (Parte II)  O regulamento interno da tem assento no Conselho escola Pedagógico; contempla os seguintes aspectos: - Missão e objectivos da BE;  As actividades do Plano de - Organização funcional do Acção da BE revelam adequação espaço; aos Projectos curriculares de - Organização e gestão dos turma; recursos de informação;  A BE conhece os projectos a - Gestão dos recursos humanos desenvolver pelos docentes; afectos à BE; - Serviços prestados à  Os resultados da estatística de comunidade utilização comprovam a utilização escolar no âmbito do projecto da BE por um maior ou menor educativo; número de alunos e professores; - Regimento do funcionamento das BE;  Dados percentuais resultantes dos questionários atestam (ou  A BE adequa os seus não) a intervenção adequada da objectivos, BE; recursos e actividades ao currículo  A BE trabalha em articulação nacional, ao projecto curricular de com todas as escolas do escola e aos projectos agrupamento. curriculares das turmas;  O plano de desenvolvimento da BE acompanha, em termos de acção estratégica, o projecto educativo da escola e outros projectos;  O plano anual de actividades da Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Novembro de 2009
  • Metodologias de Operacionalização (Parte II) BE relaciona-se, em termos de objectivos operacionais, com o apoio ao currículo, com o plano anual de actividades da escola e com outros projectos em desenvolvimento.  Os órgãos de administração e  Documentos de gestão da  A professora bibliotecária reúne gestão (conselho geral, director, escola; com a Direcção Executiva para a conselho pedagógico) apoiam as procura de soluções promotoras BE e envolvem-se na procura de do seu funcionamento; soluções promotoras do seu  Documentos de gestão da BE; funcionamento;  A Direcção Executiva tem D.1.2. Valorização da BE pelos  Entrevista/questionário ao apoiado a equipa da BE no órgãos de direcção,  Os órgãos de administração e director (CK1); desenvolvimento das actividades administração e gestão da gestão põem em prática uma por esta propostas; escola/agrupamento. política de afectação de recursos  Excertos de actas de humanos adequada às apresentação de  A BE envolve-se em projectos e necessidades de projectos/relatórios ao conselho actividades educativas e desenvolvimento da BE; pedagógico; determinações/ curriculares do Agrupamento; recomendações do conselho  Os órgãos de administração e pedagógico;  A BE sugere projectos e gestão (director, conselho actividades; pedagógico) e os departamentos  Registos de curriculares estabelecem projectos/actividades  A BE divulga recursos; estratégias visando a articulação envolvendo trabalho na/com a entre a BE e as demais BE;  Existe uma boa articulação estruturas de coordenação entre a BE e outras estruturas da educativa e de supervisão  Estatísticas de utilização da BE. escola; pedagógica;  A Direcção Executiva colabora  Os órgãos de administração e com a BE na sua necessidade de gestão atribuem uma verba anual aquisição e alargamento do fundo Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Novembro de 2009
  • Metodologias de Operacionalização (Parte II) para a renovação de documental; equipamentos, para a actualização da colecção e para  A Câmara atribui anualmente o funcionamento da BE; uma verba para o desenvolvimento do PNL;  A escola encara a BE como recurso fulcral no  A BE obteve verbas do PNL desenvolvimento para o desenvolvimento do do gosto pela leitura, na mesmo; aquisição das literacias fundamentais, na  A BE é cada vez mais progressão nas aprendizagens e procurada pelos docentes para no sucesso escolar; apoio às suas práticas lectivas e para apoio ao currículo.  Os docentes valorizam o papel da BE e integram-na nas suas práticas de ensino/aprendizagem.  A BE funciona num horário  Horário da BE;  A BE está aberta das 8.30h às contínuo e alargado que 17.30h e, desta forma ,cobre a possibilita o acesso dos  Estatísticas de utilização da quase totalidade do horário da D.1.3. Resposta da BE às utilizadores no horário lectivo e BE; escola; necessidades da acompanha as necessidades de escola/agrupamento. ocupação em horário extra  Registos de reuniões/contactos; A BE serve as seis EB1 e cinco lectivo; JI do agrupamento sem prejuízo  Registos de para qualquer escola;  As BE no agrupamento são projectos/actividades; geridas de forma integrada,  A BE é usada como recurso, rentabilizando recursos,  Questionários aos docentes como local de lazer e de trabalho possibilidades de acesso a (QD3); pelos utilizadores; programas e projectos;  Livro/ caixa de sugestões/  A análise da estatística de Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Novembro de 2009
  • Metodologias de Operacionalização (Parte II)  Os recursos e serviços da BE reclamações. ocupação da BE revela que os respondem às metas e alunos utilizam o espaço com estratégias frequência; definidas no projecto educativo, projecto curricular e outros  A BE apoia os utilizadores no projectos; acesso e na procura e produção da informação, incentivando uma  A BE cria condições e é usada cultura de acesso e uso da BE e como recurso e como local de dos recursos; lazer e de trabalho;  A BE organiza sessões de  A BE apoia os utilizadores no formação para apoiar os acesso à colecção, aos utilizadores no acesso aos equipamentos, à leitura, à equipamentos; pesquisa e ao uso da informação;  A BE trabalha de forma  A BE planifica com docentes, articulada com os professores de departamentos curriculares e todas as escolas do demais estruturas de agrupamento; coordenação educativa e de supervisão pedagógica;  A BE dinamizou actividades em articulação com os docentes no  A BE desenvolve projectos com âmbito da leitura – PNL e no a âmbito da pesquisa de escola/agrupamento; informação;  A BE assume-se como pólo de  A professora bibliotecária fomento e de difusão cultural. reúne com os coordenadores de estabelecimento do Agrupamento para a elaboração dos planos de actividades. Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Novembro de 2009
  • Metodologias de Operacionalização (Parte II)  A BE implementa um sistema  Informação recolhida com  A BE possui e utiliza de recurso ao sistema automatizado instrumentos de recolha de auto-avaliação contínuo; de gestão bibliográfica; informação qualitativa e quantitativa;  Os órgãos de direcção, administração e gestão são  Registos de observação,  A professora bibliotecária fez a envolvidos no processo de questionários, entrevistas ou recolha de dados da sua D.1.4. Avaliação da BE na autoavaliação da BE; outros utilização e das requisições; escola/agrupamento. realizados no âmbito da  Os instrumentos de recolha de avaliação  A professora bibliotecária fez a informação são aplicados, de da BE; recolha dos dados dos inquéritos forma sistemática, e no decurso para avaliar o grau de satisfação do  Excertos de documentação dos utilizadores; processo de gestão; recolhida.  A professora bibliotecária  A informação recolhida é apresentou a estatística dos analisada e os resultados da dados recolhidos; análise/avaliação originam, quando  A professora bibliotecária necessário, a redefinição de apresentou o relatório anual de estratégias, sendo integrados no actividades desenvolvidas pela processo de planeamento; BE;  Os resultados da auto-avaliação  Depois de observados os são divulgados junto dos órgãos resultados foram identificados os de pontos fortes e os pontos fracos e direcção, administração e gestão elaborado um plano de acção (conselho geral, director, para os próximos quatro anos; conselho pedagógico), estruturas de  Os relatórios de avaliação são coordenação educativa e de apresentados ao Órgão de supervisão pedagógica, e da Gestão; restante comunidade, com o Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Novembro de 2009
  • Metodologias de Operacionalização (Parte II) objectivo de promover e valorizar  O Plano de Acção e de as mais-valias da BE e de alertar Actividades contempla acções de para os pontos fracos do seu melhoria em função da análise funcionamento; efectuada.  São realizadas actividades de Benchmarking;  A auto-avaliação da escola integra os resultados da auto- avaliação da BE. Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Novembro de 2009