Plano De AvaliaçãO Da Be
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Plano De AvaliaçãO Da Be

on

  • 556 views

 

Statistics

Views

Total Views
556
Views on SlideShare
554
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
5
Comments
0

2 Embeds 2

http://www.slideshare.net 1
http://susana-bib-lordelo.blogspot.de 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Plano De AvaliaçãO Da Be Plano De AvaliaçãO Da Be Presentation Transcript

    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operacionalização (parte I) Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 1
    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia Plano de avaliação da BE Domínio e indicadores escolhidos para a avaliação da BE: B - Leitura e literacia B.2 Trabalho articulado da BE com departamentos e docentes e com o exterior, no âmbito da leitura. B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias. Considerações Uma das preocupações centrais da escola, referidas no seu Projecto Educativo, é o desenvolvimento de competências de leitura nos alunos, pelo que a BE tem procurado reforçar o seu trabalho com os professores de Língua Portuguesa, Estudo Acompanhado e Áre a de Projecto, bem como com outras disciplinas. Tendo em consideração os “Factores críticos do sucesso” apresentados no “Modelo de Auto-Avaliação da BE”, ocorre-me dizer que o trabalho de promoção da leitura torna-se tanto mais difícil de executar quanto mais elevada a faixa etária dos alunos, sendo por isso mais Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 2
    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia difícil alcançar sucesso nas acções empreendidas e condicionando a recolha de evidências para efeito de avaliação. De igual modo, regista-se uma maior resistência à participação em actividades que não tenham um carácter curricular bem definido nos alunos de níve is etários mais elevados. Quanto ao envolvimento da família, é tanto mais difícil quanto mais baixa a sua habilitação literária, que é a situação mais comum na nossa escola. Seguindo a sugestão de Carter McNamara, começaremos por escolher uma turma piloto para testar esta avaliação, dada a complexidade dos instrumentos que é necessário utilizar. Deveremos considerar, ainda, os seguintes propósitos:  Os motivos que levam ao implemento dessa avaliação;  A quem interessam os resultados dessa avaliação;  O que devo avaliar em termos de processo;  Fontes de informação;  Métodos de recolha de evidências; “Evaluations can verify if the program is really running  Calendarização para a recolha da informação; as originally planned.”  A análise crítica e o tratamento dos dados; in “Basic Guide to Program Evaluation”  A divulgação dos mesmos;  Acções para a melhoria. Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 3
    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia Plano de Avaliação Planificação da recolha e tratamento dos dados Subdomínio /Tipo Métodos/Instrumentos Intervenientes Calendarização Recursos Constrangimentos Avaliação B.2 Análise documental:  Equipa de  Dezembro 2009  Equipa de avaliação  Ocupa bastante Trabalho articulado da avaliação (início) tempo. BE com departamentos e  Planificação de actividades  Professores docentes e com o no âmbito de projectos,  Professores  Pode fornecer exterior, no âmbito da disciplinas e áreas  Registos escritos informação incompleta. leitura. disciplinares  Fichas  É essencialmente um  PAA da BE instrumento qualitativo, sendo muito difícil a Avaliação de processo  Actas dos conselhos de obtenção de dados turma (grupo piloto) quantitativos mais objectivos.  Projecto Curricular de Turma (grupo piloto)  Materiais de apoio (fichas/ guiões de leitura e produção de texto, etc) Informal feedback  Equipa de  Dezembro 2009  Professores avaliação (início) Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 4
    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia  Professores Questionários aos alunos  Alunos  Fevereiro 2010  Equipa de avaliação Questionário aos  Professores  Maio 2010  Equipa de avaliação Professores (QP2) Questionário aos  Encarregados de  Final do 2º. período  Equipa de avaliação  A ausência de uma Encarregados de Educação cultura de envolvimento Educação dos EE nas actividades promovidas pela escola, à excepção da Semana Cultural, pode dificultar a obtenção dos dados. B.3 Análise documental: Impacto do trabalho da BE nas atitudes e  Trabalhos realizados pelos  Alunos  No final do 1º. e do  Equipa de avaliação  A especificidade e competências dos alunos (grelha de análise por 2º. Período complexidade deste alunos, no âmbito da categorias)  Professores  Professores instrumento de leitura e das literacias. avaliação implica um envolvimento do(s) professor(es) de Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 5
    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia Português. O objectivo destes dois momentos é poder comparar os resultados e avaliar a evolução. Avaliação de impacto  Análise diacrónica das  Alunos  No início do 3º.  Equipa de avaliação  A comparação dos avaliações dos alunos período resultados obtidos na  Professores  Professores disciplina de Português no 1º. e 2º. períodos pode não ser esclarecedora da evolução verificada na aprendizagem da leitura. - Informal feedback  Participantes nas  Dezembro de 2009  Equipa de avaliação  Sujeito a limitações actividades de de tempo e outras leitura (escritores e  Janeiro 2010 decorrentes da relação outros) estabelecida com os  Março e Abril 2010 dinamizadores das sessões (convidados). Estatísticas de requisição  Alunos  No final de cada  Equipa de avaliação domiciliária período Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 6
    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia Estatísticas de utilização  Alunos  No final do 1º. e do  Equipa de avaliação da BE para actividades de 2º. Período leitura  Professores  Escritores e outros elementos convidados a participar nas actividades Observação da utilização  Alunos  Dezembro de 2009,  Observadores  Necessidade de da BE (grelhas de análise). Janeiro, Março e adaptar as grelhas aos  Professores Abril de 2010  Equipa de avaliação diferentes contextos. Envolve várias  Observadores pessoas, nem sempre disponíveis, e requer uma atenção especial às competências a observar. Questionário aos  Professores  Maio 2010  Equipa de avaliação professores (QP2) Questionário aos alunos  Alunos  Maio 2010  Equipa de avaliação (QA2) Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 7
    • Plano de Avaliação Domínio B.:Leitura e Literacia Divulgação dos dados: Depois de analisados os dados, no final do ano, será elaborado um relatório, sendo apresentadas as conclusões no último Co nselho Pedagógico do ano. Os dados serão também divulgadas através do placard de informações da BE, da plataforma moodle e do blog da BE. Acções para a melhoria: As acções a introduzir constarão do Plano Anual de Actividades do ano lectivo seguinte. Bibliografia • Carter McNamara, Basic Guide to Program Evaluation http://www.managementhelp.org/evaluatn/fnl_eval.htm#anchor1585345 Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares • Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: instrumentos de recolha de dados • Texto da sessão Susana Ramalhete dos Santos Ladeira Martins Página 8