Your SlideShare is downloading. ×
RELATÓRIO RIO+20: O MODELO BRASILEIRO
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

RELATÓRIO RIO+20: O MODELO BRASILEIRO

2,155
views

Published on

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE ORGANIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (RIO+20). O relatório apresenta as estratégias e ações adotadas pelo Comitê Nacional de …

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DE ORGANIZAÇÃO DA CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (RIO+20). O relatório apresenta as estratégias e ações adotadas pelo Comitê Nacional de Organziação da Conferência Rio+20 para integrar melhores práticas da sustentabilidade à organização logística. No pilar econômico da sustentabilidade, a coordenação de captação e desenvolvimento de parcerias buscou formatar acordos com empresas e entidades públicas e privadas que demonstrassem compromisso com o Desenvolvimento Sustentável para apoiar e contribuir para a organização da Conferência.


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,155
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CRESCER, INCLUIR, PROTEGER relatório Rio+20 o Modelo Brasileiro relatório Rio+20 o Modelo Brasileiro Relatório de Sustentabilidade da Organização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentávelwww.rio20.gov.br
  • 2. “O Brasil se orgulha muito dereceber a Rio+20, de ter conseguidorealizar essa Conferência de formaorganizada e assegurar a mais amplaparticipação de todas as conferên-cias que já ocorreram tanto no quese refere à questão dos diferentespaíses como no que se refere a todosos foros em que as pessoas tiveraminteresse de participar.Mostramos que um país emergenteé capaz de fazer uma reunião compadrão internacional e que este Paístem responsabilidade política deconstruir um documento em con-junto com as nações mais diversasdeste planeta.”Dilma RousseffPresidenta da República
  • 3. relatório Rio+20 o Modelo BrasileiroRelatório de Sustentabilidade da Organização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável
  • 4. Dilma RousseffPresidenta da RepúblicaAntonio de Aguiar PatriotaMinistro de Estado das RelaçõesExterioresIzabella TeixeiraMinistra de Estado do MeioAmbientefundaçãoalexandre de gusmãoEmbaixador José Vicentede Sá PimentelPresidenteCOMITÊ NACIONAL DEORGANIZAÇÃO DA RIO+20Laudemar AguiarSecretário NacionalJosé SollaSecretário Nacional Adjunto
  • 5. relatório Rio+20 o Modelo BrasileiroRelatório de Sustentabilidade da Organização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Brasília, 2012
  • 6. Sumário 25 logística e sustentabilidade
  • 7. 66Inclusão social, 103 PARCERIAS PARA Oacessibilidade e cultura DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVELSumário executivo 8 Saiba mais Siglas e abreviações 139MensagemAgenda para o futuro 10 Saiba mais referências 140Uma palavra da ONUInovação, criatividade Saiba maise inclusão: sinônimos Sobre o Relatório 142de sustentabilidade 12 Saiba maisApresentação Papel de plásticoMemória e legado da reciclado: um papelorganização da Rio+20 13 de grande futuro 143Introdução COMITÊ NACIONAL DESob a égide do ORGANIZAÇÃO DA RIO+20 144DesenvolvimentoSustentável 16 Expediente do Relatório RIO+20 145
  • 8. SumárioexecutivoEste relatório apresentaos principais desafiosenfrentados para assegurara sustentabilidade da O Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro relata as estratégiasorganização da Rio+20, nos e as ações adotadas pelo Comitê Nacional de Organização daâmbitos ambiental, social e Conferência das Nações Unidaseconômico, e os resultados sobre Desenvolvimento Sustentável – CNO Rio+20. Para integrar as me-das iniciativas implementadas lhores práticas da sustentabilidade à organização logística da Conferência,para superá-los foi fundamental a coordenação feita pela Casa Civil da Presidência da República para a participação de diversos órgãos brasileiros, além do apoio sempre presente da Prefeitura do Rio e da disposi- ção do Governo do Estado do Rio de Janeiro de somar forças com o Governo Federal. Igualmente impor- tante para o êxito dos trabalhos foi a parceria inestimável firmada com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD Brasil.8 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 9. Foto oficial da Conferência Rio+20, com os Chefes de Estado e de Governo recepcionados pela Presidenta Dilma Rousseff.O capítulo sobre o pilar ambiental Como dimensão integradora desse Já o capítulo final, sobre o pilar eco-narra a trajetória transversal, mul- esforço de organização logística nômico, apresenta as parceriastidisciplinar e em nove dimensões em nove dimensões, a comunicação firmadas pela organização dado CNO Rio+20. Dentre elas, para a sustentabilidade procurou Rio+20 com entidades públicassobressaem as ações de mensu- sensibilizar e orientar os participan- e privadas, que reafirmaram seusração, mitigação e compensação tes sobre as ações da organização e respectivos compromissos com osdas emissões de gases de efeito seus significados para a sociedade. princípios e objetivos do desenvolvi-estufa, além da iniciativa inédita de mento sustentável mediante o enga-oferecer aos delegados ferramenta No segundo capítulo, sobre jamento na Conferência. O trabalhodigital para mensuração e com- o pilar social, registra-se o legado de captação e desenvolvimento depensação voluntária das emissões positivo deixado pela organização parcerias angariou meios para via-relativas a viagens aéreas indivi- da Rio+20, que procurou aproximar bilizar uma visão mais ambiciosa noduais para participar da Rio+20. o megaevento da população local que se refere à organização logística.As ações de gestão de resíduos e incluir jovens de comunidadessólidos, recursos hídricos, energia, pacificadas do Rio de Janeiro e secompras públicas sustentáveis, tornou referência em termos deconstrução sustentável, alimentação promoção da acessibilidade. Nessesustentável, turismo sustentável e contexto, o CNO Rio+20 aproveitoutransporte completam a narrativa a experiência dos catadores dedesse primeiro capítulo do relatório. materiais recicláveis como educa- dores ambientais na Conferência e explorou o potencial da cultura para o fortalecimento e a divulgação das melhores práticas do desen- volvimento sustentável. Relatam-se igualmente duas iniciativas de grande impacto na participação da socieda- de civil na Rio+20: os Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável e as atividades da Arena Socioambiental.SUMário executivo 9
  • 10. MensagemAgendapara o futuro Quarta de uma série de grandes con- ferências das Nações Unidas iniciadasPor meio da busca de consensos, a em 1972, a Rio+20 renovou o compro- misso político com o desenvolvimen-Rio+20 estabeleceu uma nova agenda to sustentável, a partir da avaliaçãode desenvolvimento sustentável, dos avanços e das lacunas existentes e do tratamento de temas novos ecaracterizando-se como um emergentes. O momento não poderia ter sido mais oportuno: neste inícioimportante ponto de partida para a de século, o mundo atravessa múlti- plas crises no âmbito dos três pilaresconstrução do futuro que queremos do desenvolvimento sustentável. No pilar ambiental, intensifica-se a ocor- rência de fenômenos climáticos, agra- vados pela perda da biodiversidade e pelo avanço de processos de deser- tificação; no social, aumentam o de- A Conferência das Nações Unidas semprego e as desigualdades sociais; sobre Desenvolvimento Sustentável e, no econômico, a crise econômico- – Rio+20, realizada de 13 a 22 de -financeira tem colocado em cheque junho, na cidade do Rio de Janeiro, o atual modelo produtivo – intensivo marcou os 20 anos de outro en- no uso de recursos naturais e frágil na contro histórico: a Conferência das eliminação da pobreza. Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento – Rio 92. Em Desde a Rio 92, as discussões sobre 2012, dois temas principais orienta- desenvolvimento sustentável têm ram os debates: a economia verde, se sobressaído na política externa no contexto do desenvolvimento brasileira. Aprovada na 64ª sessão sustentável e da erradicação da da Assembleia Geral das Nações pobreza; e a estrutura institucional Unidas, em 2009, a proposta para para o desenvolvimento sustentável. o Brasil sediar a Rio+20 alinhou-se a essa prioridade, criando a oportu- nidade para que o mundo voltasse a se reunir no Rio de Janeiro para discutir os rumos do desenvolvimen- to sustentável nos próximos 20 anos.10 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 11. Na qualidade de presidente da A Rio+20 foi fundamentalmente Conferência, o Brasil coordenou diferente da Rio 92, que, há 20 anos, Ministra Izabella Teixeira e Ministro as discussões e tornou possíveis representou um ponto de chegada Antonio de Aguiar Patriota: assim como em 1992, a organização logística a formação de consensos e a mediante a finalização de longos pro- da Rio+20 superou os desafios de adoção de decisões concretas sobre cessos de negociação e a assinatura preparação da maior conferência da os objetivos do desenvolvimento de documentos e convenções funda- história das Nações Unidas. sustentável. Como um dos principais mentais. Com seu olhar para o futuro, legados do Rio de Janeiro, o docu- a Rio+20 foi um ponto de partida, mento final da Rio+20 – O Futuro pois construiu uma nova agenda que Queremos – aponta o combate para o desenvolvimento sustentável. à pobreza como o maior desafio Contudo, tanto em 1992 como em atual e destaca sua erradicação 2012, ressaltamos que a organização como prioridade indissociável do logística superou plenamente os desenvolvimento. O texto também grandes desafios na preparação ressalta a necessidade de fortalecer daquela que, cada uma em sua época o Programa da ONU para o Meio no Rio de Janeiro, foi a maior confe- Ambiente e da criação de um órgão rência da história das Nações Unidas, político que apoie e coordene contribuindo para o fortalecimento ações internacionais para alcançar- do multilateralismo ao assegurar aos mos o desenvolvimento sustentável. Estados-membros, negociadores e participantes a tranquilidade e as Nesse contexto, os Estados- condições necessárias para delibera- membros das Nações Unidas rem sobre o futuro que queremos. comprometeram-se a investir em projetos, parcerias, programas e Antonio de Aguiar Patriota ações, nos próximos dez anos, nas Ministro de Estado das áreas de transporte, energia, econo- Relações Exteriores mia verde, redução de desastres e proteção ambiental, desertificação Izabella Teixeira e mudança do clima, entre outras, Ministra de Estado do relacionados à sustentabilidade. Meio Ambientemensagem 11
  • 12. UMA PALAVRA DA ONUInovação, criatividadee inclusão:sinônimos desustentabilidadeA Conferência das Nações Unidas voluntário de Reduções Certificadas instrumento capaz de agregar valor sobre Desenvolvimento Sustentável de Emissão – RCEs do Mecanismo às medidas de sustentabilidade– Rio+20 entra para a história das de Desenvolvimento Limpo, do adotadas para grandes eventos. conferências da ONU como uma Protocolo de Quioto, de projetos referência de sustentabilidade realizados no Brasil. Dessa forma, Finalmente, sabemos que a susten- operacional. Certamente, os resulta- as emissões relativas à organização tabilidade também passa pela in- dos alcançados pela organização do foram completamente compensadas. clusão e pela participação de todos. encontro servirão de modelo para Sob esse aspecto, cabe aqui ressaltar futuras conferências e eventos Aos participantes que chegaram a relevância e os cuidados ado- de grande porte em todo o mundo. de avião ao Rio de Janeiro, a tados pelo CNO Rio+20 quanto àO Programa das Nações Unidas organização da Conferência, em questão da acessibilidade. A Rio+20 para o Desenvolvimento – PNUD, parceria com o PNUD Brasil e a foi a mais acessível conferência já no papel de parceiro do Comitê Caixa Econômica Federal, ofereceu realizada na história da ONU, produ- Nacional de Organização da Rio+20 um mecanismo de compensação zindo, assim, outro marco da mais– CNO Rio+20, orgulha-se de ter voluntária por meio de doações elevada importância. contribuído para que essas ideias e individuais e cancelamento de RCEs, iniciativas se tornassem realidade. ampliando a conscientização dos Com isso, esperamos que os frutos participantes sobre o impacto gerado deste que podemos chamar deA adoção de mecanismos individualmente. Somou-se a isso “modelo brasileiro” possam ser colhi- de compensação de emissões uma estratégia de gestão eficiente dos e replicados em nossas futuras de gases de efeito estufa mostrou- de resíduos sólidos para minimizar conferências e grandes eventos ao-se um instrumento inovador e os impactos ambientais e sociais redor do mundo. oportuno. A partir do inventário causados por geração, transporte, dessas emissões, foram adotadas destinação e disposição final dos Jorge Chediek ações de mitigação, tais como resíduos sólidos produzidos Representante Residente uso de biodiesel em geradores, pela Conferência. do PNUD no Brasil etanol no transporte público Coordenador Residente e outras energias e materiais renová- Além das economias geradas pelos do Sistema ONU no Brasil veis. Para as emissões não passíveis processos licitatórios conduzidos de redução, o CNO Rio+20 fez uso no âmbito da parceria com o de ferramentas inovadoras de com- PNUD, a introdução de critérios de pensação por meio do cancelamento green procurement, ou licitação verde, adotados para as contrata- ções de bens e serviços ligados à Rio+20 passou a ser referência em nossos próprios contratos de lici- tação e consolidou-se como outro12 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 13. APRESENTAÇÃOMemória elegado daorganizaçãoda Rio+20A Conferência Em junho de 2012, o Rio de Janeiro Atletas, 135 mil ao Pier Mauá, 18 mil foi palco da maior conferência à Arena da Barra, 20 mil ao Galpãomobilizou da história das Nações Unidas, da Cidadania, 40 mil ao Museu dediretamente a exemplo do que já ocorrera, em 1992, com a Conferência das Nações Arte Moderna – MAM e 300 mil à Arena Socioambiental e à Cúpula5 mil pessoas, Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Rio 92. Ciente dos dos Povos, no Parque do Flamengo.entre servidores desafios de um evento dessa mag- Para receber altas autoridades, nitude, o Governo brasileiro instituiu, delegações e participantes brasilei-do Itamaraty, por meio do Decreto nº 7.495, de ros e estrangeiros, foram montadasconsultores e 7 de junho de 2011, o Comitê Nacional de Organização da Conferência das equipes do CNO Rio+20 com mais de 500 profissionais e voluntárioscolaboradores, Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – CNO Rio+20, órgão de recepção nos hotéis da confe- rência e nos aeroportos do Galeão,além de 1,6 mil executivo, vinculado ao Ministério Santos Dumont e Guarulhos e das Relações Exteriores, que tive a nas bases aéreas do Galeão e decontratados, honra de presidir. Santa Cruz. Entre os dias 18 e 24 dequase 25 mil Enviaram delegações oficiais 191 junho, foram mais de 3 mil pousos e decolagens. Esse serviço receptivoagentes civis Estados-membros da ONU, dois países observadores e 85 organis- estendeu-se ainda aos jornalistas estrangeiros, auxiliando-os em seuse militares de mos internacionais e agências espe- trâmites de entrada. cializadas da ONU. Registrou-se asegurança e ampla presença de 80 chefes de Estado ou O sistema de transporte oficialparticipação da de Governo, sete vice-presidentes, nove vice-primeiros-ministros e foi montado para assegurar a fluidez necessária aos traslados das dele-sociedade civil quatro membros de Casas Reais, além de 487 ministros de Estado. gações oficiais e dos participantes credenciados da Rio+20. No total, No plano nacional, a Rio+20 665 veículos executivos, dos quais recebeu centenas de autoridades 89 blindados, e 213 veículos de dos poderes Executivo, Legislativo segurança compuseram os comboios e Judiciário, nas esferas federal, es- oficiais. Além das vans dedicadas tadual e municipal. No total, a ONU a pessoas com deficiência, 359 credenciou 45.763 participantes no ônibus serviram a delegados, Riocentro. Foram também registra- representantes da imprensa e dos 171 mil acessos ao Parque dos demais credenciados.apresentação 13
  • 14. Nas diversas atividades coordena- Conferência e em iniciativas parale- das pelo CNO Rio+20, trabalharam las por meio de ministérios, órgãos, A coordenação da Casa Civil da diariamente cerca de 5 mil pessoas, autarquias e empresas estatais. Presidência da República, conduzida pela Ministra Gleisi Hoffmann, entre diplomatas e demais servido- A cooperação irrestrita da Prefeitura foi fundamental para os trabalhos res do Itamaraty, consultores, for- do Rio e do Governo do Estado de organização logística da necedores, motoristas, intérpretes do Rio de Janeiro não apenas Conferência Rio+20. e demais funcionários contratados. facilitou a missão do CNO Rio+20, Para os diversos serviços requeridos mas também tornou realidade no Acordo de Sede assinado pelo a visão de a capital fluminense Governo brasileiro com as Nações abraçar a Conferência e receber Unidas, foram contratados 1.600 de forma alegre, espontânea e funcionários. Para garantir a segu- calorosa os visitantes brasileiros rança e a tranquilidade de todos os e estrangeiros que debateram o participantes, as forças de segu- futuro que queremos. rança contaram com a participação de quase 25 mil agentes militares Uma das marcas da Rio+20 foi, cer- e civis. Nesse contexto, realço o tamente, a ampla participação da so- trabalho dos 718 profissionais do ciedade civil nas atividades oficiais e próprio CNO Rio+20. em cerca de 6 mil eventos paralelos em toda a cidade do Rio de Janeiro. Esse magnífico esforço conjugado Somente o Riocentro abrigou 488 não poderia ter sido realizado com eventos paralelos e mais de 280 êxito sem a coordenação da Casa reuniões bilaterais entre autoridades Civil da Presidência da República, brasileiras e/ou estrangeiras. Foram que auxiliou o CNO Rio+20 em seu credenciadas 9.116 pessoas apenas trabalho de logística e organizou a para trabalhar no Riocentro, cuja participação do Governo Federal na área total, de 571 mil m2, recebeu14 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 15. ampla participação 191 488 571 Estados-membros da eventos paralelos no mil m2 de área à disposição ONU enviaram delegações Riocentro enriqueceram dos delegados da Rio+20 à Conferência a agenda oficial apenas no Riocentromais 100 mil m2 de construções Unidas. As soluções de transmissão ademais, nos legados, sobretu-efêmeras para a Rio+20. A título de de dados, voz e imagem fizeram do imateriais, a serem deixadoscomparação, somente no Riocentro a interconexão entre o Riocentro, não apenas no contexto das Naçõesa área utilizada pela Rio+20 cor- os demais espaços oficiais geridos Unidas, mas também para futurasrespondeu ao dobro da área da pelo CNO Rio+20, os aeroportos iniciativas no Brasil, visto queRio 92, há 20 anos, quando existiam Santos Dumont e Galeão e 61 hotéis, a sequên­ ia de megaeventos desta cali apenas três dos atuais cinco totalizando 169 pontos de conexão. década em território nacional conti-pavilhões permanentes. Com 300 pontos de acesso e 10 Gbps nua com as Jornadas da Juventude de banda, a rede de acesso à internet Católica, em 2013, a Copa do Mundo,Esse engajamento começou a se sem fio do Riocentro foi a maior já em 2014, e os XXXI Jogos Olímpicosformar graças à decisão de alocar instalada no Brasil para a realização e os XV Jogos Paralímpicos, em 2016.diversas áreas para eventos para- de eventos, podendo atender atélelos ao segmento oficial realizado 30 mil usuários simultâneos. Neste relatório, portanto, procu-no Riocentro: o Parque dos Atletas, ramos deixar um registro dessescom 45 mil m², o Pier Mauá, com 18 De fato, a Rio+20 surpreendeu esforços, a fim de divulgar os apren-mil m², o Galpão da Cidadania, com centenas de milhares de dizados de uma experiência única6 mil m², o MAM e seu auditório participantes não apenas por sua – em todos os sentidos –, que foi oanexo, com toda sua área interna magnitude, mas também pelas desafio de organizar uma confe-e externa ocupadas, e a Arena da inovações apresentadas na orga- rência como a Rio+20, com êxito am-Barra, com mais de 5 mil m² apenas nização do evento. A maior delas, plamente reconhecido pelas Naçõesde área interna. Houve ainda sublinho, foi a ousadia do esforço Unidas e por delegados, imprensa,eventos em espaços alternativos, empreendido de traduzir os con- parceiros e demais participantes.como a iniciativa Humanidade ceitos dos pilares ambiental, social2012, no Forte de Copacabana, e a e econômico do desenvolvimento Laudemar AguiarKari-Oca, na Colônia Juliano Moreira, sustentável nas atividades comuns e Secretário Nacionalalém daqueles organizados pela quotidianas da organização e da lo- Comitê Nacional de OrganizaçãoUniversidade Federal do Rio de gística da própria Conferência desde da Rio+20Janeiro, pela Pontifícia Universidade a fase de planejamento. Desde oCatólica e pelo Instituto Federal de início, pareceu-nos clara a necessi-Educação, Ciência e Tecnologia do dade de termos áreas dedicadas aRio de Janeiro, entre outros. esses pilares, o que foi a gênese das coordenações de Sustentabilidade,Para garantir acesso e conectivi- Acessibilidade e Inclusão e Social edade na Conferência, foi montada de Desenvolvimento de Parcerias.uma estrutura de tecnologia dainformação e comunicação sem Como parte intrínseca do acervoprecedentes na história das Nações de relatórios da Rio+20, pensamos,apresentação 15
  • 16. INTRODUÇÃOSob a égide doDesenvolvimentoSustentável Duas décadas após a histórica Estocolmo, uma família de conferên- Conferência Rio 92, a tarefa de cias das Nações Unidas que congrega, organizar um evento das Nações em intervalos de tempo significativos, Unidas de complexidade logísti- todos os países do mundo para ca ainda maior trouxe ao Brasil debater em profundidade e no longo enormes desafios, mas também prazo temas do desenvolvimento excelentes oportunidades. sustentável, que pressupõe equilíbrio entre os aspectos econômico, social e Estava claro que todos os esforços ambiental do desenvolvimento. seriam feitos para preparar devi- damente a Conferência, tendo sido Em resposta à proposta apresentada esse o encargo dado ao Comitê pelo ex-Presidente Luiz Inácio Lula Nacional de Organização da Rio+20. da Silva, em 2007, as Nações Unidas No lugar de restringi-los a trabalhos aprovaram, em 2009, a realização de organização triviais, decidiu-se da Rio+20 durante dez dias, congre- aproveitar a oportunidade oferecida gando no Rio de Janeiro formadores pelo megaevento mais sui generis de opinião especializados de todo dentre aqueles programados para o mundo: Chefes de Estado e de ocorrer no Brasil na atual década. Governo, altas autoridades governa- mentais, membros de Casas Reais, Um número nada desprezível de negociadores internacionais, juristas, turistas nacionais e estrangeiros parlamentares, altos executivos deverá acompanhar a etapa final das corporativos, sindicalistas, jornalistas, duas maiores jornadas esportivas do representantes de empresas, da mundo moderno, a Copa do Mundo sociedade civil e da comunidade e a Olimpíada. Na Jornada Mundial científica e tecnológica, entre da Juventude, religião e fé marcarão outros. Intensos debates sobre os o encontro entre o Papa Bento XVI rumos do planeta como integrantes e devotos católicos brasileiros e es- das delegações oficiais, de países trangeiros. Certamente, a Conferência observadores e dos nove Grupos Rio+20 diferencia-se desses outros Principais reconhecidos pelas megaeventos por sua própria natu- Nações Unidas: Iniciativa Privada, reza. Inaugurou-se, há 40 anos, em Trabalhadores & Sindicatos, Mulheres,16 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 17. A Presidenta Dilma Rousseff e o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, durante a sessão de encerramento da Rio+20. Crianças & Juventude, Agricultores, desenvolvimento sustentável quePor meio das Povos Indígenas, Autoridades Locais, pautariam os debates no Rio de ONGs e Comunidade Científica Janeiro. Atendendo a essa visão, ocoordenações de & Tecnológica. CNO Rio+20 estabeleceu as coor-Sustentabilidade, Experiências brasileiras de imple- denações de Sustentabilidade, de Acessibilidade e Inclusão Social ede Acessibilidade mentação do conceito de desen- volvimento sustentável puderam de Captação e Desenvolvimento de Parcerias, a fim de ampliar ose Inclusão Social ser amplamente divulgadas nesse impactos positivos de suas inicia- contexto em meio ao público interno tivas sobre a comunidade locale de Captação e e à comunidade internacional, e analisar e propor ações paraDesenvolvimento ressaltando avanços alcançados na erradicação da pobreza e na inclu- reduzir e/ou compensar impactos socioambientais decorrentes dasde Parcerias, são social, apresentando inovações tecnológicas nacionais e ratificando atividades da Conferência.o CNO Rio+20 nosso firme compromisso com o O pilar ambiental da organização da fortalecimento do equilíbrio entre Conferência certamente seria objetopôde gerir com os pilares ambiental, social e eco- de escrutínio interno e externo, emmais eficiência a nômico. Muitos países, organismos e agências da ONU, entidades particular as medidas tomadas em relação à mudança do clima e aoorganização da e empresas estrangeiras, sediadas ou não no Brasil, também puderam di- tratamento da questão de resíduos durante o evento. Foi sobre asConferência vulgar aqui suas iniciativas, ati- emissões de gases de efeito estufa vidades e políticas voltadas para a primeira pergunta da imprensa na o desenvolvimento sustentável. primeira coletiva sobre os trabalhos de organização do Comitê Nacional. Validar uma visão mais ambiciosa Resíduos era um tema que tampouco sobre a realização da Conferência poderia receber tratamento ordinário, Rio+20, para além das negocia- pois acabara de entrar com força na ções, dos espaços expositores e agenda nacional, com a promulgação dos eventos paralelos, significava da Lei nº 12.305/10, imediatamente trazer para a própria organiza- seguida dos trabalhos de regulamen- ção logística os conceitos do tação capitaneados pelo Ministériointrodução 17
  • 18. A composição de equipesqualificadas possibilitou a inserçãodos temas da sustentabilidade naorganização logística da Conferênciado Meio Ambiente. A análise das a saber, gestão das emissões de orientações de integrar, o máximoações de sustentabilidade de gases de efeito estufa, gestão de possível, produtos e serviçosgrandes eventos no Brasil e no resíduos sólidos, gestão de recur- mais sustentáveis à logística daexterior anteriores à Rio+20, como sos hídricos, energia, transporte, Conferência. Dentro do espíritoo Rock in Rio IV, o Réveillon de construções sustentáveis, compras da transversalidade, especialis-2011, o carnaval de 2012, as mais públicas sustentáveis, turismo tas das nove diferentes áreas darecentes Conferências das Partes sustentável e alimentos sustentáveis. Coordenação de Sustentabilidadeda Convenção-Quadro das Nações Simultaneamente, realizou-se um auxiliaram colaboradores, for-Unidas sobre Mudança do Clima trabalho de comunicação para divul- necedores, parceiros, gestores ee a IV Conferência das Nações gar essas ações de forma educativa, fiscais de contratos, trabalhadoresUnidas sobre os Países de Menor tornando-as mais explícitas para e voluntários.Desenvolvimento Relativo, em 2011, delegados, participantes, fornecedo-confirmou o acerto de se dispen- res e público geral. Informações mais detalhadas sobresar atenção antecipada à questão o trabalho da Coordenação depelo CNO Rio+20. No plano interno, a Coordenação de Sustentabilidade são dadas no pri- Sustentabilidade desenvolveu um meiro capítulo deste relatório, O PilarUma das primeiras orientações à trabalho transversal, amplo e multi- Ambiental: Estratégia Multidisciplinar.Coordenação de Sustentabilidade disciplinar de implantação da estra- Temos certeza de que a principalfoi fixar objetivos e metas, traçar es- tégia, aproximando-se das demais lição aprendida nessa área foi sobretratégia para alcançar os resultados coordenações do CNO Rio+20. Outra a importância fundamental de contardesejados, definir perfil e número de preocupação essencial foi vincular com uma equipe de sustentabilida-especialistas necessários e, somente as ações propostas às característi- de montada, ativa e integrada aosentão, contratar profissionais para cas nacionais e ao posicionamento trabalhos desde as fases iniciaiscompor a equipe. De fato, ao per- brasileiro nos debates multilaterais de planejamento.correr essa trajetória, o CNO Rio+20 sobre desenvolvimento sustentável.pôde contar com profissionais qua- Seguindo essas premissas, sempre A experiência de despender esforçoslificados que, cientes dos objetivos foi mantido estreito contato com os na área social no contexto de ume metas, souberam contribuir para ministérios das Relações Exteriores grande evento não é nova no Brasil.a execução da estratégia adotada, e do Meio Ambiente, que presidiram Implementados nos XV Jogos Pan-implementando e sugerindo as conjuntamente a Comissão Nacional Americanos, em 2007, os projetosmelhores práticas para a realidade para a Rio+20. sociais voltados para jovens em co-local e as dos espaços oficiais da munidades cariocas de alto risco deConferência sob nossa gestão. Editais de licitação foram modifica- vulnerabilidade foram um dos êxitos dos em seus termos de referência comemorados pelos organizadoresElegeram-se nove dimensões para prever – e, depois, cobrar ao fim daquele evento.para concentrar os esforços da das futuras empresas licitadas –Coordenação de Sustentabilidade, que as contratações seguissem as18 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 19. Equipes com monitoria e voluntários auxiliaram os delegados e demais participantes da Rio+20. Centro de controle de imagens da plenária oficial da Rio+20. Mais de 4 mil jornalistas, brasileiros e estrangeiros, dispuseram de amplos espaços e serviços no Riocentro, Parque dos Atletas, Arena da Barra e Píer Mauá para a cobertura de imprensa da Rio+20.introdução 19
  • 20. a conferência e o cno rio+20 2007 2009 2011 ano em que o ex-presidente ano em que a Assembleia ano da criação formal Luiz Inácio Lula da Silva Geral da ONU convocou do CNO Rio+20 propôs, na ONU, a a realização da Rio+20 e do início oficial de realização da Rio+20 no Brasil seus trabalhosSeguir o caminho trilhado em 2007 do reequipamento e da adaptação prioritariamente a participação nofoi uma possibilidade levantada da cidade do Rio de Janeiro como evento de jovens de baixa renda dedesde os primeiros dias do Grupo legado principal dos preparativos comunidades pacificadas do Rio dede Trabalho de Logística – GTL do para os Jogos Paralímpicos, em 2016. Janeiro. Sem dúvida, ao promoverMinistério das Relações Exteriores, com ímpeto os direitos das pessoasem 2010, ainda na fase embrionária Impedido de avançar mais pela com deficiência, o CNO Rio+20do CNO Rio+20. Decidiu-se fazer falta de pessoal, o CNO Rio+20 teve ampliou a percepção de todos sobreuma abordagem similar com sistema de aguardar, contudo, sua criação esse aspecto do pilar social do de-de voluntariado, elaborada em con- formal para, a partir de julho de senvolvimento sustentável, provendojunto com o Programa das Nações 2011, inserir esses temas sociais na soluções logísticas de acessibilidadeUnidas para o Desenvolvimento agenda da logística da Rio+20. O que não encontram precedentes nano Brasil – PNUD Brasil, após conceito de sustentabilidade pôde história da organização de conferên-esgotarmos os entendimentos com ser levado à sociedade por meio cias das Nações Unidas.o Ministério da Justiça para repro- do trabalho da Coordenação deduzir nos mesmos moldes aquela Acessibilidade e Inclusão Social, Um relato mais aprofundado sobreexperiência. E deu muito certo. que organizou seus trabalhos em esse magnífico esforço de forta- quatro dimensões: Comunidades lecer, pela prática e pelo exemplo,A acessibilidade dos espaços físicos Sustentáveis, Cultura+20, Programa o pilar social do desenvolvimentoe dos serviços ligados à Conferência de Voluntariado e Acessibilidade. sustentável encontra-se no segundofoi outro tema social levantado capítulo, O Pilar Social: Legadono GTL, no final de 2010, pois a Valendo-se das ações recentes e Positivo. Adicionalmente, nele sãoRio+20 poderia acender o debate paulatinas do poder público brasilei- registrados iniciativas de caráter no-na sociedade brasileira sobre ro de reintegrar à cidade territórios tadamente social da Coordenaçãoas graves lacunas ainda presentes que estavam sob o jugo de quadri- de Sustentabilidade e os eventosquotidianamente no País nessa lhas armadas, verificou-se, no caso culturais que receberam apoioárea. Um detalhe chamou-nos a das duas primeiras dimensões, o direto e decisivo do CNO Rio+20.atenção à época: fica em município interesse e a oportunidade de se Lenta e gradualmente, firma-se avizinho ao Rio de Janeiro a maior promover a inclusão social mediante importância do papel da culturasede de uma entidade do gênero na o desenvolvimento comunitário e a na consolidação do conceito deAmérica Latina e uma das maiores conscientização individual e coletiva desenvolvimento sustentável e dasdo mundo, a Associação Niteroiense sobre os temas da Conferência em melhores práticas sustentáveis.dos Deficientes Físicos – Andef. áreas em que Unidades de PolíciaDadas as necessidades dessa parcela Pacificadora – UPP já haviam Garantir a capacidade de ação dosignificativa e pouco atendida da sido instaladas. Iniciativa de igual CNO Rio+20 tornara-se essencialpopulação carioca, entendemos impacto social teve o Programa de diante desse ambicioso e caroainda que a Rio+20 poderia contri- Voluntariado da Rio+20, concebido conjunto de iniciativas voltadas parabuir ao antecipar questões a respeito pelo CNO Rio+20 para incentivar dar sustentabilidade à organização20 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 21. da Conferência. Estimávamos organização, inclusive produtos e igualmente dar-lhe mais agilidade serviços sustentáveis. Seria, assim, O Secretário-Geral para a Rio+20, diante das conhecidas dificuldades estendida a instituições e empresas Sha Zukang, e líderes dos setores e da lentidão burocrática, a serem públicas e privadas sediadas no público e privado após a coletiva de imprensa que anunciou os mais enfrentadas no processo de licita- Brasil a oportunidade de cooperar de 700 compromissos voluntários ções e de contratações. com a organização da Rio+20 alcançados durante a Conferência. por meio de um acordo de coope- Recursos orçamentários haveria em ração técnica internacional com o quantidade suficiente para organizar PNUD Brasil. o evento em si. Adaptações no planejamento original e cortes em Responsabilidade social corporativa,A seleção atividades e iniciativas não essen- ciclo de vida de produtos e serviços ciais seriam feitos, caso esse volume e gestão das relações comerciaisde parceiros de recursos fosse menor que o com fornecedores foram critériosoficiais para o necessário. De fato, após um longo processo de análise, foi concedido na verificação prévia das credenciais de compromisso com o desen-evento levou em ao CNO Rio+20, na forma de crédito especial, em dezembro de 2011, o volvimento sustentável de poten- ciais parceiros. Houve também oconsideração orçamento solicitado, de R$ 200 cuidado do CNO Rio+20 de explicitar milhões. O Tesouro Nacional ainda o objetivo de firmar parcerias, e nãocritérios como teve restituídos, porém, recursos de buscar “patrocinadores”, ao serresponsabilidade orçamentários e financeiros ao fim dos trabalhos do CNO Rio+20. criada a Coordenação de Captação e Desenvolvimento de Parcerias, emcorporativa, Receávamos, contudo, um resulta- junho de 2011.relacionamento do em que esses recursos seriam Trabalhando de forma intensa, dado insuficientes para prover estruturas que os prazos normais de captaçãocom fornecedores e serviços condizentes com a classe venciam no mês seguinte ouoficiais e análise hierárquica dessa Conferência da ONU ou uma situação de restrição no máximo em agosto, foi possível estabelecer diversos processos dedo ciclo de vida orçamentária em que iniciativas de sustentabilidade pudessem vir a negociação desde a fase inicial das atividades. Regras, prazos e procedi-dos produtos ser interpretadas como elementos mentos rigidamente aplicados a cada acessórios. Elaborou-se, portanto, ano foram alterados por não poucas um plano de captação de parce- empresas parceiras e fornecedoras, a rias baseado em contrapartidas fim de se adaptarem às necessidades escalonadas em troca de apoio à e ao calendário dos organizadores daintrodução 21
  • 22. Rio+20 – ainda que muitas delas já Reafirmar o compromisso das en-tivessem predefinidas suas atividades tidades e empresas parceiras A mudançapara 2012 ao serem contatadas pelo com os princípios do desenvolvi-CNO Rio+20. mento sustentável previamente dos padrõesA sustentabilidade já foi reconhecida identificados por meio do engaja- mento na Conferência foi a etapa de produçãopela vanguarda do segmento empre-sarial como oportunidade essencial seguinte. Terminado o processo de pré-seleção, sempre estimulamos e consumo serápara a promoção da competitividade. a reflexão interna e a participa- determinanteNo caso das empresas estatais, a ção ativa nos debates e nas ativida-adoção de práticas sustentáveis é des da Rio+20. para se alcançaresperada, desejada e, cada vez mais,cobrada pela sociedade brasileira, Em resposta, os parceiros foram os objetivos deo que permitiu avanços muitoimportantes nos últimos 20 anos, participantes, expositores, palestran- tes, debatedores, observadores e desenvolvimentotanto na vertente social, quanto na colaboradores na Rio+20, divulgando sustentável nasambiental. Setores muito sensíveis suas tecnologias, experiências e boasem razão do impacto socioambien- práticas, trocando conhecimento e próximas décadastal de suas atividades econômicas informações com terceiros, prestandotêm tido de demonstrar compro- serviços e conduzindo programa-misso mais forte e determinado ções próprias ou em conjunto comcom o desenvolvimento sustentável, outras entidades, no Riocentro, emdada a própria natureza dessas outros espaços oficiais geridos peloatividades econômicas. CNO Rio+20 e em eventos paralelos à margem da Conferência. NesseParticular satisfação foi constatar contexto, a maioria dos parceiros pro-que as entidades e empresas con- moveu atividades e reflexões sobre ostatadas atenderam com solicitude e temas do desenvolvimento sustentávelempenho aos convites à negociação e da Rio+20 em meio a seus quadrose, posteriormente, ao chamamento de empregados – e até mesmo suaspúblico do CNO Rio+20, confir- famílias –, colaboradores, fornecedoresmando análises e expectativas do e comunidades em que atuam.processo de pré-seleção. O opostoseria motivo de grave preocupa- A superação dos desafios do desen-ção, como constatar a ausência de volvimento sustentável nos próximosinteresse ou encontrar uma recepção 20 anos passa pela necessáriafria, que nunca houve. mudança de padrões de produção22 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 23. A organização logística da Rio+20 assegurou aos Estados-membros, delegados e participantes as condições necessárias para deliberar e negociar. O monumento símbolo do Rio de Janeiro recebeu iluminação especial em homenagem à Rio+20.e consumo, transição a padrões mais órgão especializado vinculado ao O terceiro capítulo, O Pilarsustentáveis que avança com maior Itamaraty. Instrumento essencial de Econômico: Compromisso eou menor velocidade de acordo com todo o processo, o projeto viabilizou Engajamento, apresenta os parceiroso engajamento do setor produtivo. o trabalho de captação de parce- da Rio+20, exibindo as credenciaisDentro desse espírito, o CNO Rio+20 rias, que, por sua vez, sustentou de compromisso com a sustentabi-somou forças com os setores público todo o apoio dado pelo PNUD lidade de seus negócios e o enga-e privado, promovendo a renovação Brasil ao CNO Rio+20 para a organi- jamento e a participação deles nosdo compromisso político com o de- zação da Conferência. debates sobre os temas da Rio+20.senvolvimento sustentável ao mesmotempo em que se desincumbia dos Facilitadores do processo de prepa- Já a divulgação deste relatóriotrabalhos de organização da Rio+20. ração da Rio+20, os advogados da cumpre os objetivos de deixarA meta principal do desenvolvimento União proveram os elementos neces- registro dos trabalhos internos dodas parcerias captadas foi, portanto, sários para dar segurança jurídica aos CNO Rio+20 e informar a experiênciaalcançada, superando-se a utilidade atos administrativos praticados em adquirida para garantir a integridadeda contribuição material dada à orga- prol da organização da Conferência. e a sustentabilidade da organizaçãonização do evento por cada parceiro Esmeraram-se em prestar a melhor logística da Rio+20, primeiro dosconforme seu nível. assessoria e em emitir os parece- megaeventos a serem realizados no res dos contratos firmados com Brasil nesta década. Sempre procu-Foi possível montar a arquitetura quase 40 empresas captadas, cada ramos evidenciar a importância dadesse programa de parcerias graças qual com seus muitos pormenores adoção de uma estratégia multidis-ao inestimável apoio do PNUD Brasil, e especificidades legais. ciplinar estabelecida desde a con-parceiro institucional do Sistema cepção dos projetos originais paradas Nações Unidas e braço direito Importa ainda reconhecer e enfati- viabilizar ferramentas e medidasda organização brasileira, assim zar o papel proativo e crucial que bem-sucedidas de redução e decomo da Advocacia-Geral da União, tiveram a Casa Civil e a Secretaria de compensação de impactos socioam-que constituiu uma equipe dedi- Comunicação Social da Presidência bientais, contribuindo para avançar-cada de profissionais competentes da República no que se refere às par- mos rumo ao futuro que queremos.para atuar como consultoria jurídica cerias com as empresas públicas edo CNO Rio+20. as sociedades de economia mista da José Solla União. Todo o trabalho de captação Secretário Nacional AdjuntoO Projeto de Cooperação Técnica e desenvolvimento de parcerias que Comitê Nacional de OrganizaçãoInternacional “Parcerias para reali- vinha sendo feito pelo CNO Rio+20 da Rio+20zação da Conferência das Nações beneficiou-se após o envolvimentoUnidas sobre Desenvolvimento desses dois órgãos de assessora-Sustentável – Rio +20” foi avaliado e mento direto e imediato da Senhoraavalizado com grande presteza pela Presidenta da República comoAgência Brasileira de Cooperação, catalisadores desse processo.introdução 23
  • 24. logística esustentabilidadeCom enfoque sistemático e abrangente,a organização da Rio+20 atuou emnove dimensões, buscando integrar odiscurso à prática ao mitigar impactosambientais da Conferência desdeo planejamento até a desmontagem.
  • 25. O Pilar AmbientalEstratégiamultidisciplinarUma das principais liçõesaprendidas na organização daRio+20 é a necessidade de integraraos trabalhos o conceito dedesenvolvimento sustentável desde sólidos e de recursos hídricos, aléma primeira etapa do projeto do uso de energia, do sistema oficial de transporte terrestre, da sustenta- bilidade das construções efêmeras, das compras públicas mediante licitações, do turismo receptivo e Desde o início dos trabalhos, o da oferta de alimentação aos parti- Comitê Nacional de Organização cipantes. Em seguida, desenhou-se Rio+20 – CNO Rio+20 buscou uma estratégia e montou-se uma colocar em prática uma abordagem equipe de especialistas, com perfil multidisciplinar, a fim de fortalecer as e número adequados aos desafios atividades da organização logística da realidade carioca e de cada da Conferência Rio+20 com foco no espaço da Conferência, sob adminis- desenvolvimento sustentável. tração do CNO Rio+20. As diferentes abordagens evidenciam os principais Dado o desafio de reduzir ou com- esforços dessa equipe de especia- pensar impactos socioambientais, listas, visando ao aperfeiçoamento o CNO Rio+20 criou a Coordenação da mão de obra, à substituição de Sustentabilidade para propor de insumos, à redução de resíduos novas iniciativas e processos para o e de emissões de gases de efeito usual trabalho de organização, esti- estufa – GEE e à racionalização do mulando colaboradores, parceiros e consumo de recursos naturais. fornecedores a fazer uso de pro- dutos e serviços mais sustentáveis. Para tanto, foram definidos objetivos gerais, tendo como área de concen- tração a gestão das emissões de gases de efeito estufa, dos resíduos26 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 26. Neste capítulo, relatam-se as ações Embora haja neste capítulo certaconduzidas nessas nove dimensões ênfase em aspectos ambientaistrabalhadas pela Coordenação de do desenvolvimento sustentável, Na visita ao Parque dos Atletas, a Presidenta Dilma Rousseff conheceuSustentabilidade do CNO Rio+20, essas ações do CNO Rio+20 devem os voluntários da Rio+20 e espaçosaliadas aos esforços de comunicação ser entendidas dentro de um concebidos conforme os princípiospara promover a sustentabilidade enfoque sistemático e abrangen- da construção sustentável, como o Pavilhão Rio de Janeiro, ao fundo.entre participantes, fornecedores, te, considerando todas as etapastrabalhadores e voluntários. do processo de gestão logística do evento. Nesse contexto, foramA organização da Rio+20 deixou incluídas as etapas de planejamento,como uma de suas principais lições montagem, realização e desmon-o caráter crucial a ser sempre atribu- tagem dos espaços oficiais geridosído à incorporação do conceito de pelo CNO Rio+20. Como o própriodesenvolvimento sustentável desde a nome da coordenação sugere, oprimeira etapa do projeto. Para obter impacto de suas ações ultrapassoua adequada integração do discurso a esfera ambiental para fortaleceràs atividades práticas de logística, o responsabilidades no campo socialconceito deve ser disseminado entre e sugerir mudanças de práticas deos membros das diferentes equipes negócios, em particular em meio àsde trabalho. Sem esse esforço empresas licitadas para o forneci-interno, arrisca-se a perder a coe- mento de produtos e serviços para arência e a por em risco o resultado organização logística da Conferência.final da organização no que tange aodesejado equilíbrio entre os pilaresambiental, social e econômico.logística e sustentabilidade 27
  • 27. O Governo brasileiro fundamentou a estratégia de gestão das emissões de gases de efeito estufa, seguindo padrões científicos e metodologias internacionalmente reconhecidas e respeitando as características nacionais.Gestão das emissões de de projetos brasileiros registra- avaliação, realizada após o términogases de efeito estufa dos pelo Conselho Executivo do da Conferência (ex post).As ações do CNO Rio+20 para Mecanismo de Desenvolvimentomitigar e compensar emissões de Limpo – MDL do Protocolo Nos dois casos, as estimativas foramGEE decorrentes da organização de Quioto, após aprovação da desenvolvidas em conjunto com osda Conferência estiveram alinhadas Comissão Interministerial de especialistas da Coordenação deà posição brasileira nos debates Mudança Global do Clima, estabe- Sustentabilidade do CNO Rio+20 esobre a mudança do clima e lecida em 1999 para atuar como seguindo as orientações do Ministériocontaram com o apoio da Divisão a Autoridade Nacional Designada das Relações Exteriores, que ajuda-de Clima, Ozônio e Segurança brasileira. O processo de cancela- ram a definir as seguintes fontes deQuímica do Ministério das Relações mento das RCEs é acompanhado emissões de GEE:Exteriores. O modelo utilizado diretamente pelo PNUD Brasil paraassegurou transparência e inte- garantir a transparência e a inte- • uso de combustíveis nos espaçosgridade ambiental aos processos gridade ambiental dos processos oficiais da Conferência geridosde mitigação e de compensação, de compensação. pelo CNO Rio+20;respeitando o princípio de “res-ponsabilidades comuns, porém Mensuração e mitigação • uso de combustíveis nos veículosdiferenciadas”, expresso na As estimativas de emissões terrestres da frota oficial;Declaração do Rio sobre Meio de GEE relacionadas às atividadesAmbiente e Desenvolvimento, de organização da Rio+20 foram • uso de energia elétrica nosde junho de 1992. feitas com base em padrões cientí- espaços oficiais da Conferência ficos e metodologias reconhecidas geridos pelo CNO Rio+20;Ao compensar emissões decorren- internacionalmente, respeitando-setes da organização do evento, o as características nacionais2. Uma • disposição de resíduos gerados nosCNO Rio+20 decidiu fazê-lo por primeira estimativa foi realizada antes espaços oficias da Conferência.meio do cancelamento de Reduções do início do evento (ex ante),Certificadas de Emissão – RCE, sendo complementada por novacréditos de carbono1 provenientes1 Uma tonelada de dióxido de carbono 2 Metodologias fundamentadas no Segundo(CO2) corresponde a uma Redução Certificada Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicasde Emissão. por Fontes e Remoções por Sumidouros de Gases de Efeito Estufa não Controlados pelo Protocolo de Montreal. Disponível em: <http://www.mct.gov.br/index.php/content/ view/328762.html>.28 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 28. A realização das estimativas de emis- Parte dessa redução pode sersões pelo CNO Rio+20 envolveu creditada ao fato de ter havidogrande esforço, em decorrência da diminuição de 57% das estimativasnecessidade de superar um con- do consumo de combustíveis emjunto de incertezas associadas, por geradores nos espaços oficiais daexemplo, a consumo de combustí- Conferência sob administraçãoveis, uso de geradores e demanda do CNO Rio+20 e de 61% do volumede energia elétrica. de combustíveis consumidos pelos veículos terrestres da frota oficial.As emissões locais identificadas Adicionalmente, cabe assinalarno inventário ex post foram cerca o cuidado do CNO Rio+20 em nãode 60% menores do que as iden- subestimar emissões ao realizartificadas no levantamento ex ante. seu inventário ex ante. Estimativa ex ante e inventário ex post das emissões de GEE nos espaços oficiais geridos pelo CNO Rio+20 e nos hotéis da Rio+20 (em tCO2 e)* Local Ex ante Ex post Variação Razões para a variação Riocentro 2.983 942 -68% Parque dos Atletas 265 159 -40% Uso de B20/ Redução no consumo Pier Mauá 133 73 -45% de energia MAM 59 8 -86% Arena da Barra 26 33 27% Galpão da Cidadania 21 22 5% Aumento no consumo de energia Auditório anexo 9 22 142% ao MAM Ocupação dos hotéis Hotéis 736 699 -5% em 95% Total 4.232 1.957 -54% bs.: Inclui consumo de combustíveis de fontes estacionárias, resíduosOsólidos e energia elétrica. Os gases de efeito estufa são o metano (CH4), o óxido nitroso (N2O), o*hidrofluorcarboneto (HFCs), o perfluorcarboneto (PFCs) e o hexafluoretode enxofre (SF6), cujas emissões podem ser medidas individualmente, con-vertidas e expressas mediante o conceito de carbono equivalente (CO2e). Estimativa ex ante e inventário ex post das emissões de GEE dos veículos terrestres da frota oficial da Rio+20 (em tCO2 e) Veículos Ex ante Ex post Variação Explicação Gasolina 63 45 -28% Redução média de 61% Diesel 361 106 -71% do volume consumido Etanol 1 0,47 -60% de combustíveis em relação ao previsto. Total 425 151 -64%logística e sustentabilidade 29
  • 29. mitigação de EMISSÕES DE gee DA ORGANIZAÇÃO DA RIO+20 54% 57% 64% de redução das de redução do consumo de redução das emissões de GEE em de combustíveis emissões de GEE da frota relação ao estimado para pelos geradores dos oficial de veículos os espaços oficiais espaços oficiais e hotéisAdemais, os processos de mitigação geradores fixos como fonte de supri-das emissões de GEE da Rio+20 mento ininterrupta. A alternativa deforam beneficiados pelas carac- uso do diesel B20 (20% de biodie-terísticas da economia brasileira: sel), no caso dos espaços oficiaisampla oferta de álcool hidratado geridos pelo CNO Rio+20, contribuiu(etanol), historicamente utilizado no para reduzir essas emissões noabastecimento da frota nacional de inventário ex post. Quanto à utiliza-veículos, e uma matriz elétrica limpa, ção de biocombustíveis, o transportecom mais de 80% de suprimento terrestre oficial durante a Rio+20por fontes renováveis. pode ser considerado um caso de sucesso de mitigação de GEE.Outra ação bem-sucedida de mi- A quantidade de etanol consumidatigação, em especial do metano, correspondeu a aproximadamentefoi a destinação dos resíduos 50% de todo o volume de com-orgânicos para compostagem e bustível utilizado pela frota oficial,dos resíduos sólidos não recicláveis além do fato de a gasolina brasileirapara aterro sanitário que captura ser comercializada com adiçãoo gás metano para reaproveitamento. entre 20% e 25% de etanol e o dieselEvitaram-se, assim, todas as pos- veicular de uso corrente possuirsíveis emissões de metano desses 5% de biodiesel.tipos de resíduos.Por motivo de segurança, aenergia consumida nos espaços ofi-ciais geridos pelo CNO Rio+20, emespecial o Riocentro, manteve a redeelétrica brasileira como backup e30 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 30. Os preparativos finais da organização da Conferência Rio+20 foram discutidos em reunião de coordenação dos Governos Federal, Estadual e Municipal, em abril, no Palácio da Cidade, em Botafogo, Rio de Janeiro. Reencontro na Rio+20: O Senador Fernando Collor de Mello e o canadense Maurice Strong, que, em 1992, eram respectivamente o Presidente da República e o Secretário Geral da Conferência Rio 92.logística e sustentabilidade 31
  • 31. DOAÇÕES E CANCELAMENTO VOLUNTÁRIO DE RCEsFornecedor SETOR DA ATIVIDADE DE PROJETO NO MDL Gás ATESTADO DO MDLoficial mitigado DE CANCELAMENTO VOLUNTÁRIO DE RCEs Gestão e tratamento de resíduos e geração deNovo Gramacho energia Recuperação e queima dos gases de decomposição e CO2 e CH4 CDM20521, 27/10/2012– Gás Verde aproveitamento para produção de energia elétrica, em São Paulo. Número de Referência da Atividade de Projeto no MDL: 0373. Geração de energia Cogeração de energia elétrica e térmica,Tractebel Energia evitando emissões de metano de resíduos de biomassa de CO2 e CH4 CDM20522, 27/10/2012– GDF Suez madeireiras, em Santa Catarina. Número de Referência da Atividade de Projeto no MDL: 0268. Gestão e tratamento de resíduos Recuperação e queima dos gasesEstre de decomposição de resíduos sólidos, em São Paulo. Número de CH4 EU40421, 14/11/2012 Referência da Atividade de Projeto no MDL: 1134. Reflorestamento e florestamento Reflorestamento como fonte renovável de suprimento de madeira para produção em larga escalaPlantar CO2 CDM20518, 27/10/2012 de carvão vegetal, em Minas Gerais. Número de Referência da Atividade de Projeto no MDL: 2569. Metalurgia e produção de magnésio Conversão de SF6 para o gásRima de cobertura alternativo SO2 na produção de magnésio, em Minas SF6 CDM20519, 27/10/2012 Gerais. Número de Referência da Atividade de Projeto no MDL: 2486. Geração de energia Reaproveitamento de gás de alto-forno paraVallourec produzir energia por meio de usina termelétrica para a produçãoMannesmann CO2 CDM20520, 27/10/2012 de tubos de aço sem costura, em Minas Gerais. Número dedo Brasil Referência da Atividade de Projeto no MDL: 0143. Gestão e tratamento de resíduos e geração de energia Recuperação e queima dos gases de decomposiçãoGoverno do Estado e consequente aproveitamento para a produção de energia elétrica,do Rio de Janeiro, no Rio de Janeiro. A Haztec doou RCEs referentes a esse projeto CO2 e CH4 NL28963, 07/09/2012Prefeitura do Rio ao Governo do Estado do Rio de Janeiro e à Prefeitura do Rio dede Janeiro e Haztec Janeiro, que posteriormente as cederam ao CNO Rio+20. Número de Referência da Atividade de Projeto no MDL: 0008. Iniciativa inédita emitidas pelo Conselho ExecutivoA destinação Inédita em megaeventos no Brasil, do MDL originadas por projetos a estratégia de compensação das realizados no Brasil, em quantitativocorreta dos resíduos emissões de GEE da Rio+20 ocorreu suficiente para trabalhar com confortocompostáveis e dos em duas etapas, sempre no âmbito do MDL por meio do cancelamento e segurança em relação ao resulta- do final. Para tanto, o CNO Rio+20resíduos sólidos de RCEs emitidas pelo Protocolo de Quioto para projetos brasileiros: selecionou como referência eventos de grande porte das Nações Unidas,não recicláveis para como edições recentes da Conferência • (A) compensação das emissões das Partes da Convenção-Quadroaterro sanitário locais de GEE associadas à organi- das Nações Unidas sobre Mudancacom captura do gás zação da Rio+20, feita diretamente pelo CNO Rio+20 por iniciativa do Clima e da Reunião das Partes do Protocolo de Quioto. Essa decisãometano resultou na voluntária do Governo brasileiro. visava garantir, antes da realização da Rio+20, que todo o universo possívelmitigação total das • (B) ferramenta de compensação de fontes de GEE locais associadas voluntária de emissões de GEE à organização do evento seria com-emissões associadas decorrentes do transporte aéreo pensado de maneira segura e robusta.a essa fonte dos participantes e delegações (ver box das páginas 34 e 35). A estratégia deu ao CNO Rio+20 a segurança de que as emissões locais da Rio+20 associadas à organização Para a primeira etapa (A) da da Conferência poderiam ser com- estratégia de compensação, o pensadas pela iniciativa voluntária CNO Rio+20 definiu o objetivo brasileira mesmo se o evento viesse a voluntário de obter a doação de RCEs ter um público maior.32 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 32. Feito o inventário ex post, ficou Rio, Haztec asseguraram créditos confirmado que o Governo brasileiro em número suficiente, dentro do disporia de créditos suficientes prazo necessário (ver tabela na para realizar a compensação volun- página ao lado). tária das emissões locais de GEE associadas à organização da Rio+20, Cada empresa doadora recebeu tendo o PNUD Brasil como verifi- um título de fornecedor oficial cador externo nesse processo de de RCEs da Rio+20. A diversidade cancelamento das RCEs doadas. de setores, localidades e gases Essa condição foi alcançada graças mitigados pelos fornecedores às doações de sete empresas oficiais confirmam a abrangência sediadas no Brasil: Novo Gramacho e o sucesso do MDL no Brasil. As– Gás Verde, Tractebel Energia – GDF RCEs doadas foram canceladas Suez, Estre, Plantar, Rima, Vallourec junto ao MDL com acompanhamento Mannesmann do Brasil e, por direto do PNUD Brasil, garantindo à meio do Governo do Estado do estratégia brasileira eficácia, transpa- Rio de Janeiro e da Prefeitura do rência e integridade ambiental.Emissões locais de GEE da rio+20 vs. cancelamento de RCEs (em tco₂e) 4.657 (Inventário ex ante) 2.108 RCEs canceladas para a compensação voluntária das emissões locais de GEE associadas à organização do evento 2.108 1.957 151 (Inventário ex post) (Espaços oficiais sob (Transporte terrestre oficial gestão do CNO Rio+20) oferecido pelo CNO Rio+20)logística e sustentabilidade 33
  • 33. CompensaçãovoluntáriaO esforço conjunto doCNO Rio+20, do PNUD Brasile da Caixa permitiu aos Para cobrir uma demanda total prevista em 50 mil parti-participantes rápida e eficaz cipantes, solicitou-se aos fornecedores oficiais de RCEs da Rio+20 manter disponível para potenciais doadorescompensação voluntária um montante de RCEs adicionais em quantitativo sufi- cientemente confortável e seguro em relação à robustezde suas emissões relativas do resultado final. Antes mesmo do início da Conferência,ao transporte aéreo estava assegurado o montante necessário. Durante o evento, o Governo brasileiro enviou informações sobre a estratégia brasileira com convite a cada chefe deA compensação de emissões de GEE decorrentes delegação para participar da iniciativa de compensaçãoda organização da Rio+20 não poderia incluir as emis- voluntária das emissões de GEE decorrentes das viagenssões decorrentes do transporte aéreo dos participan- aéreas dos delegados oficiais.tes da Rio+20, pois ao Governo brasileiro não caberiatal encargo. Entretanto, por meio da parceria com Os recursos doados foram administrados pelo PNUDo PNUD Brasil e a Caixa Econômica Federal – Caixa, Brasil com o objetivo de cancelar RCEs adicionaisfoi possível oferecer às delegações oficiais e institucio- emitidas pelos fornecedores oficiais de RCEs da Rio+20.nais a facilidade de uma ferramenta digital para a com- Cada doador recebeu mensagem eletrônica de confirma-pensação voluntária dessas emissões. ção da Caixa. Finalizado o processo de cancelamento em relação ao Conselho Executivo do MDL, o doadorEssa ferramenta de compensação voluntária permi- recebeu um certificado nominal do CNO Rio+20 etiu aos participantes realizar doações, via cartão de do PNUD Brasil, atestando a integridade ambientaldébito ou de crédito, de recursos equivalentes para da compensação voluntária.compensar suas respectivas emissões de GEE decorrentesde transporte aéreo para o Rio de Janeiro. Para efetuar As equipes do CNO Rio+20, do PNUD Brasil e daa compensação de 1 tCO2e, a doação correspondente CAIXA souberam superar as dificuldades operacionaisfoi de R$ 10,00 (dez reais), valor equivalente a US$ 5,00 decorrentes do prazo muito exíguo para a implantação(cinco dólares norte-americanos). dessa ferramenta inédita como segunda etapa (B) da estratégia de compensação de emissões de GEE naUm grupo de 30 voluntários foi especialmente trei- Rio+20 (veja na página anterior). Os resultados alcan-nado pela Coordenação de Sustentabilidade do çados e o reconhecimento público e institucional au-CNO Rio+20 para abordar delegados e demais partici- torizam a conclusão de que esse aspecto da estratégiapantes no Riocentro, no Parque dos Atletas e na Arena de compensação de emissões de GEE pode ser con-da Barra. Como se tratou de uma iniciativa pioneira, siderado um importante legado da Rio+20 e do Brasilnessa etapa o objetivo principal foi promover a conscien- para outros eventos de qualquer porte ou categoria,tização individual e pública dessa parte das emissões com grande potencial de replicação em futuras confe-indiretas relacionadas ao evento. rências e reuniões das Nações Unidas.34 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 34. A Secretária Executiva da Convenção- Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, Christiana Figueres, compensou as emissões de GEE de toda a sua delegação. Rápida e eficaz, a ferramenta digital criada para a Rio+20 permitiu a compensação voluntária das emissões de GEE decorrentes do transporte aéreo dos delegados oficiais. Durante os Diálogos Federativos, a Ministra Ideli Salvatti compensou as emissões de GEE da sua viagem aérea ao Rio de Janeiro. Embora residente na cidade, o vice-prefeito do Rio de Janeiro e secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Alberto Vieira Muniz, fez questão de contribuir para o êxito da iniciativa inédita.logística e sustentabilidade 35
  • 35. Coletores de resíduos sólidos feitos de plástico verde disponibilizados com sinalização educativa no Parque dos Atletas, conforme o padrão definido no Plano de Gestão de Resíduos Sólidos da Rio+20.Gestão dos O Departamento de Ambiente reutilização, reciclagem, tratamen-resíduos sólidos Urbano do Ministério do Meio to e disposição final adequada.O planejamento estratégico do Ambiente, a Companhia Municipal de A análise das peculiaridades dosCNO Rio+20 e o apoio de diversas Limpeza Urbana do Rio de Janeiro – espaços oficiais geridos peloinstituições parceiras revelaram-se COMLURB e a Gerência de Educação CNO Rio+20, a legislação vigentefundamentais para a gestão adequa- Ambiental do Instituto Estadual do nas esferas federal, estadual eda dos resíduos gerados na Rio+20. Ambiente – Geam/Inea contribuíram municipal e a realidade cariocaO compartilhamento de experiências para a elaboração do PGRS Rio+20 determinaram a estratégia depermitiu desenvolver, em con- e para viabilizar a participação de adotar a coleta seletiva simplifi-junto, um sistema eficaz baseado catadores de materiais recicláveis cada, organizada em quatro tiposno respeito às características da como educadores ambientais e básicos de resíduos: recicláveis; nãorealidade carioca. de suas cooperativas. Ao todo, recicláveis; compostáveis; e pilhas, 114 voluntários, 14 monitores, 69 celulares e baterias. Além da etapaPara realizar a gestão de resíduos educadores ambientais e 22 coope- de realização da Conferência, foisólidos, a Coordenação de rativas constituíram grupo essencial considerada a geração de resíduosSustentabilidade do CNO Rio+20 para colocar em prática as ações nas etapas de montagem e desmon-elaborou o Plano de Gestão de de monitoramento (leia mais sobre tagem de estruturas.Resíduos Sólidos da Rio+20 – PGRS o Programa de Voluntariado eRio+20, gerenciando sua execução sobre os catadores educadores Os esforços para orientar a segrega-nos espaços oficiais da Conferência no capítulo sobre acessibilidade ção adequada dos resíduos sólidossob responsabilidade do CNO Rio+20: e inclusão social). decorrentes das atividades daRiocentro, Parque dos Atletas, Arena Rio+20 contaram, sempre que possí-da Barra, Pier Mauá, Galpão da O PGRS Rio+20 fundamentou-se vel, com a sinalização dos coletoresCidadania, Museu de Arte Moderna na Política Nacional de Resíduos em português e inglês. No descartee auditório anexo ao MAM. Sólidos, instituída pela Lei de resíduos sólidos recicláveis, foram nº 12.305/10, enfatizando modelo utilizados lixeiras azuis e sacos de gestão que consolidasse a transparentes e, para recolhimento hierarquia de não geração, redução, dos não recicláveis, lixeiras cinzas e36 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 36. gestão de resíduos 286 t 52 t 22 Total de resíduos gerados Total de resíduos Total de cooperativas de até a fase de desmontagem recicláveis destinados catadores de materiais (média de 17 t/dia e a cooperativas de recicláveis beneficiadas 0,3 kg/pessoa) catadores Treinamento específico de voluntários e de educadores ambientais complementou o PGRS Rio+20sacos de cor escura3. Na separação O CNO Rio+20 supervisionou as res- administradores e organizadoresdos resíduos compostáveis, realizada ponsabilidades delegadas de coleta dos espaços oficiais da Conferênciaem algumas cozinhas, foi utilizada e destinação adequada dos resíduos sob sua gestão os conceitosbombona (tambor plástico) específi- gerados. A parceria com o Instituto do PGRS Rio+20, para seremca para essa finalidade. Doe Seu Lixo mostrou-se eficiente repassados e discutidos em reuni- na coleta de materiais recicláveis ões técnicas. Ademais, incluíram-seAs destinações dos principais fluxos em todos os espaços oficiais sob diretrizes sobre o tema no conteúdode resíduos foram as seguintes: responsabilidade do CNO Rio+20. do Manual do Expositor, em Termos Os resíduos não recicláveis segui- de Referência de licitações e em• Resíduos recicláveis: para coope- ram para a Central de Tratamento outros documentos relacionados rativas de catadores e posterior de Resíduos de Seropédica, na aos setores de alimentos e bebidas, reciclagem; Região Metropolitana do Rio de hospedagem, limpeza e edificações Janeiro, e o material compostável efêmeras. O PGRS Rio+20 contou• Resíduos não recicláveis: para foi enviado à produção de adubo ainda com um plano de contingên- aterro sanitário; por meio da empresa Vide Verde. cia, por meio do qual o CNO Rio+20 Já a empresa Ambiente Limpo, mapeou os processos para iden-• Resíduos compostáveis: para a outra parceira do CNO Rio+20, tificar riscos e corrigir eventuais produção de adubo; disponibilizou coletores especiais falhas de gestão. na cor laranja para pilhas, celulares• Pilhas, baterias e celulares: para e baterias e encaminhou o material A tabela e os gráficos a seguir reciclagem de seus componentes. coletado para reciclagem. apresentam alguns dos principais re- sultados e indicadores obtidos pela Paralelamente à elaboração do equipe gestora de resíduos sólidos PGRS Rio+20, houve atividades de durante a realização da Rio+20, alinhamento com os diversos atores no período de 13 a 24 de junho de 3 Doadas pela Braskem, as lixeiras da Rio+20 envolvidos na gestão de resíduos 2012, e nas fases de montagem e também foram fabricadas com o mesmo sólidos, além do treinamento de de desmontagem das instalações plástico verde, feito a partir do etanol da cana- voluntários e catadores educadores. nos espaços oficiais da Conferência-de-açúcar, usado nos squeezes e nas sacolas dos kits entregues aos participantes (ver página O CNO Rio+20 encaminhou aos geridos pelo CNO Rio+20. 122, no terceiro capítulo).logística e sustentabilidade 37
  • 37. Resíduos COLETADOS nos espaços oficiais geridos pelo CNO Rio+20, de 13 a 24 de junho (kg/espaço/tempo) Espaços oficiais Número Total de Geração per capita – de dias do resíduos resíduos totais evento (kg) (kg/pessoa) Riocentro 10 93.311 0,62 Arena da Barra 10 6.118 0,34 Parque dos Atletas 12 39.098 0,23 Museu de Arte Moderna 12 1.072 0,03 Auditório anexo ao MAM 10 1.417 0,36 Pier Mauá 12 21.797 0,16 Galpão da Cidadania 10 4.989 0,25 bs.: O Parque dos Atletas, o MAM e o Píer Mauá ficaram abertosOao público até o dia 24 de junho. Não inclui os períodos de montageme desmontagem dos espaços oficiais geridos pelo CNO Rio+20.GESTÃO DE RESÍDUOSMONTAGEM E DESMONTAGEM DURANTE A CONFERÊNCIAResíduos coletados nos espaços Resíduos coletados nos espaçosoficiais geridos pelo CNO Rio+20 oficiais geridos pelo CNO Rio+20 21 t recicláveis  12% 14% 24 t compostáveis  74% 26% não recicláveis  recicláveis  31 t não recicláveis  74% 87 t 123 t38 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 38. Após debate dos mais ricos da Arena Socioambiental, catadores de materiais recicláveis receberam do Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, doação de caminhões de coleta seletiva.Resíduos TotaisGerados na montagem, 24 t compostáveis  8%realização e desmontagemdo evento, nos espaços oficiaisgeridos pelo CNO Rio+201 recicláveis  18% 52 t 74% não recicláveis 1 Os valores não incluem os resíduosgerados na montagem e desmontagemda Arena da Barra. 210 tlogística e sustentabilidade 39
  • 39. Desmontagemsustentável Os coletes utilizados pelos voluntários da Rio+20 foram transformados em bolsas por artesãos de uma rede de Comércio Justo e Solidário. No planejamento de suas ações, o CNO Rio+20 mapeou o descarte de algunsOs resíduos da resíduos específicos da desmontagem nos espaços oficiais geridos pelo CNO Rio+20, entre eles, lonas polivinílicas (banners), carpetes e tecidos.desmontagemdos espaços Criada em 2003, a Rede Asta reúne cerca de 50 grupos produtivos, com mais de 700 artesãos, e é a primeira rede brasileira de venda direta (porta a porta)da Conferência de produtos sustentáveis. Convidada pelo CNO Rio+20, dispôs-se a coletar os materiais, sem custo, com vistas à fabricação e posterior venda direta deviraram matéria- pufes, bolsas e forro de móveis. Encerrado o evento, foram destinados à Rede Asta – e à ONG Onda Carioca – cerca de 4 mil m² de lonas descartadas no-prima e fonte Riocentro, no Parque dos Atletas e no Pier Mauá para transformação em novosde renda para produtos. Além disso, cerca de 400 coletes utilizados para identificar os vo- luntários da Rio+20 foram transformados em bolsas pela Rede Asta.organizações de A Onda Carioca nasceu em 2005, voltada à defesa dos quiosqueiros da orlainteresse social marítima do Rio de Janeiro, e logo tornou-se uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de realizar ações de sustentabilidade. Em execução desde 2010, seu projeto Costurando o Futuro reaproveita lonas vinílicas para a criação de peças, como guarda-sóis, bolsas e brindes. Na Associação Beneficente Padre Navarro, uma das cooperativas atendidas pela COMLURB, mais de 2 mil pessoas já foram retiradas da pobreza extrema desde o ano 2000, garantindo-lhes renda, alimento e a possibilidade de reinserção no mercado de trabalho. Ao fim da Rio+20, receberam, para reuti- lização, 400 kg de carpetes recolhidos na desmontagem das instalações no Parque dos Atletas. Os materiais recicláveis recebidos na Padre Navarro são encaminhados para indústrias em São Paulo, Minas Gerais e Paraná.  Saiba Mais www.asta.org.br, www.ondacarioca.org.br e Associação Padre Navarro: +55 (21) 3891-676740 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 40. No Parque dos Atletas, foi instalada uma usina de plástico-madeira que reciclou plásticos pós-consumo gerados como resíduo durante a Conferência para produzir mobiliário urbano, como bancos de praça e floreiras.Em todos os espaços oficiais A Rio+20 foi o primeiro megaeventoda Conferência geridos peloCNO Rio+20, observou-se uma no Brasil em que um plano degrande variação na quantidadede resíduos gerada, bem como gestão de resíduos sólidos serviuna proporção entre recicláveis, nãorecicláveis e compostáveis. Isso de base para dar tratamentoocorreu, principalmente, por causa adequado ao temadas especificidades de cada espaço,como tipo de contrato, dos atoresenvolvidos, do comprometimento na Rio+20 primou pela qualidadena gestão de resíduos e, inclusive, na entrega, com alto aproveitamentodo tipo de evento realizado. dos materiais às cooperativas de catadores, que receberam osEm relação aos resíduos sólidos materiais recicláveis com baixo nívelrecicláveis, o resultado obtido em de contaminação e em condições detrês espaços oficiais comprovou trabalho seguras e saudáveis.a importância de se investir priorita-riamente na comunicação educativa O resultado final desse esforçocom o público e no treinamento conjunto não se resume à missãodas equipes de limpeza para serem cumprida na gestão dos resíduosassegurados os melhores resultados. sólidos nos espaços oficiais geridos pelo CNO Rio+20 e à geração dePor fim, superou-se um dos grandes renda e inserção social dos catadoresdesafios de megaeventos realizados de materiais recicláveis. Conformeno Brasil. A gestão de resíduos testemunhos recebidos após o evento, as cooperativas de catadores obti- veram novos contratos comerciais, experimentando rápida expansão decorrente da exposição e da credibi- lidade auferida por meio da parceria firmada com a organização da Rio+20.logística e sustentabilidade 41
  • 41. As Nações Unidas enfatizaram ao Governo brasileiro que o Riocentro foi organizado como o melhor local de reuniões da ONU nos últimos anos.Compras públicas A Coordenação de Sustentabilidade, considerando que a equipe técnicasustentáveis com o apoio permanente da pôde fundamentar com mais con-A publicação do Decreto nº 7.746, Coordenação de Contratos e sistência suas contribuições. Issode 5 de junho de 2012, que dispõe Licitações, procurou incluir critérios e ocorreu, por exemplo, em seissobre as compras públicas susten- cláusulas contratuais de sustentabili- termos de referência que fizeramtáveis, consagrou o processo já dade nos processos de aquisição de parte dos editais de licitação públicaconduzido pelo Comitê Nacional de produtos e serviços requeridos para internacional de compras realizadasOrganização da Rio+20 de aquisição a realização da Rio+20. Na dimensão por intermédio do PNUD Brasil,de produtos e serviços sustentáveis econômica, enfatizou-se a contri- contemplando geradores, produtora,para a realização da Conferência buição para a economia local; na contêineres, tendas, divisórias eRio+20. Note-se que, até essa publica- ambiental, a preferência por materiais obras de recuperação no Parqueção, os principais marcos legais para mais sustentáveis, gestão de resíduos, dos Atletas.fundamentar a aplicação de critérios eficiência energética e redução dasde sustentabilidade em compras emissões de gases de efeito estufa; e, Dos 62 processos de aquisição depúblicas estavam pulverizados. na social, a criação de novos empre- produtos e serviços formulados pelo gos e a inclusão social. A medida CNO Rio+20, no valor de R$ 175O conceito de compras públicas teve o objetivo principal de engajar milhões, 50 (80%) incluíram critériossustentáveis baseia-se no fato os fornecedores licitados na redução de sustentabilidade, no valor dede que os governos têm grande dos impactos socioambientais de R$ 161 milhões. Nesse contexto, oinfluência no estabelecimento suas atividades durante a organiza- CNO Rio+20 foi responsável por umde padrões de consumo e de pro- ção e a realização do evento. dos maiores processos de comprasdução. A aquisição de bens públicas sustentáveis até entãoe serviços por agentes públicos Nos casos em que a Coordenação de realizado pelo Governo Federal.tem impacto significativo na promo- Sustentabilidade esteve diretamenteção do desenvolvimento sustentável. envolvida no processo de elaboraçãoNo caso brasileiro, as compras dos critérios de seleção de empre-governamentais representam 16% sas fornecedoras, as cláusulas dedo Produto Interno Bruto – PIB. sustentabilidade foram reforçadas,42 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 42. contratos sustentáveis 62 80% 161 processos de aquisição dos processos de aquisição milhões de reais foram utilizados de produtos e serviços de produtos e serviços na aquisição de produtos para organizar e realizar incluíram critérios e serviços com critérios de a Rio+20 de sustentabilidade sustentabilidade Apoio à fiscalização A Comissão de Avaliação TécnicaDiversos Por meio da interação entre as analisou 33 contratos celebrados coordenações de Sustentabilidade, pelo CNO Rio+20, que atingiramespecialistas de Licitações e Contratos e de o montante de R$ 125 milhões.colaboraram na Acessibilidade e Inclusão Social, o CNO Rio+20 estruturou e siste- Foram emitidos 24 pareceres técnicos aos respectivos gestoresfiscalização da matizou um processo de apoio à fiscalização nas etapas de monta- para assegurar a sustentabilidade dos objetos de contratação. Porsustentabilidade e gem, realização e desmontagem exemplo, exigiu-se uso prioritário de do evento, com equipes que monito- biocombustíveis para toda a frotaacessibilidade dos raram o cumprimento e a aplicação de veículos a serviço da Conferência,contratos. Para isso, das exigências e dos critérios de sustentabilidade e acessibilidade. bem como para os geradores de energia do evento.foi especialmente Além de sugerir e recomendar Nessa dimensão, a principal liçãocriada uma ações pautadas pelo desenvolvimen- aprendida refere-se à necessidade to sustentável, formalizadas pelos da atuação de especialistas nocomissão de termos de referência e cláusulas assunto em conjunto com a áreaavaliação técnica de sustentabilidade, o CNO Rio+20 criou a Comissão de Avaliação de licitações e contratos. Como a etapa de planejamento é funda-para a tarefa Técnica de Sustentabilidade e Acessibilidade, encarregada de dar mental para garantir uma atuação mais sustentável, o processo de apoio técnico à fiscalização. elaboração de termos de referência e contratos para a aquisição de pro- Os instrumentos mais utilizados para dutos ou serviços deve necessaria- preencher lacunas e corrigir fragili- mente prever períodos de consultas dades contratuais foram pareceres a especialistas e de interação com as técnicos que serviram para recomen- áreas interessadas. dar e instruir fornecedores e fiscais. Esses instrumentos revelaram-se especialmente úteis no tratamento dos contratos de maior sensibilidade ambiental, sobretudo os que envol- veram uso de madeiras e de diesel.logística e sustentabilidade 43
  • 43. consumo de recursos hídricos 12,6 29,3 160 milhões de litros de água litros de água mil litros de água consumidos nos espaços consumidos em média potável consumidos de durante a Rio+20 por pessoa durante forma mais sustentável a Rio+20 durante a Rio+20 Recursos hídricos A estratégia de uso racional de água A estratégia de sustentabilidade foi inserida nos termos de referên- adotada pelo CNO Rio+20 cias de licitações, nas diretrizes, em na gestão do consumo de recursos guias e nos documentos informativos hídricos na Conferência partiu do e contratuais para participantes, ex- princí­ io da sua conservação pelo uso p positores, fornecedores e parceiros racional, assegurando fornecimento da Rio+20. Tais orientações conside- em quantidade e qualidade adequadas raram a adequação à realidade local, às necessidades dos espaços ofi- as ofertas de mercado e sua viabi- ciais geridos pelo CNO Rio+20. Assim, lidade econômica. O princípio de definiu-se um conjunto de recomen- minimizar os impactos ambientais dações de modo a orientar o consumo, foi implementado de maneira alinhando-se aos objetivos e princípios multidisciplinar, o que se refletiu, definidos pela Política Nacional de por exemplo, na gestão das emis- Recursos Hídricos, instituída pela sões de gases de efeito estufa, do Lei nº 9.433/97, e pela Política Nacional consumo de recursos hídricos e de de Meio Ambiente, estabelecida pela resíduos sólidos. Lei nº 6.938/81. Para minimizar ao máximo o O CNO Rio+20 tomou as seguintes uso de copos descartáveis, o medidas para evitar o desperdício e CNO Rio+20 distribuiu aos partici- economizar água: pantes 50 mil garrafas (squeezes) com capacidade de 700 ml, feitas • diagnóstico dos espaços, para corrigir com plástico verde a partir de cana- ou minimizar eventuais debilidades; -de-açúcar como matéria-prima renovável. Adicionalmente, foram • identificação das práticas de econo- usados copos feitos à base de mia de água; amido de milho e de bagaço de cana-de-açúcar, bebedouros com • construção de sinergias e alinhamen- galões de 20 litros e garrafas to conceitual com os demais atores de água mineral com menor teor de envolvidos; plástico em sua composição, além da oferta dos aguadeiros ambulantes • treinamento de voluntários; e da Companhia Estadual de Águas e Esgotos – CEDAE. Ao final, foram • compilação de dados para a criação consumidos cerca de 160 mil litros de indicadores. de água potável durante a Rio+20.44 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 44. Aguadeiros da CEDAE distribuíram 350 mil copos de água potável no Parque dos Atletas. No que diz respeito ao consumo de dejetos com retirada e transporteA organização de água nas instalações hidrossa- dos resíduos feitos por caminhão- nitárias, 650 dispositivos econo- -fossa até a Estação de Tratamentoda Conferência mizadores foram colocados nas de Esgotos – ETE, conformecriou indicadores instalações provisórias dos espaços oficiais geridos pelo CNO Rio+20, nas definido na Licença Ambiental de operação da empresa. Essa medidacomo ferramentas pias usadas pelos fornecedores de alimentação e nos mais de 190 sani- foi aplicada aos efluentes dos sanitários e às águas residuais dasde avaliação do tários instalados, tais como válvulas e tendas de alimentação. torneiras de fechamento automático,resultado das arejadores e bacias sanitárias a vácuo A capacidade total em caixas deiniciativas de e com descargas de duplo fluxo. dejetos dos sanitários provisórios alcançou 66.050 litros, sendo desustentabilidade Quanto à conservação, dois dos espaços oficiais geridos pelo 3.500 litros nas caixas de gordura instaladas nas tendas de alimentação.para a gestão de CNO Rio+20 possuíam sistemas para reúso de água pluvial com capacida- Durante a Rio+20, o consumo derecursos hídricos de de armazenamento total de 690 água foi de 12,6 milhões de litros, mil litros para descargas das bacias volume equivalente a 29,3 litros sanitárias e rega de jardins. em média por pessoa. Estima-se economia de 4,3 litros por pessoa, No que tange à destinação dos de acordo com os procedimentos efluentes, os sistemas sanitários adotados, e de 1.890.000 litros contratados pelo CNO Rio+20 inclu- no total, relativos a um público de íram sistemas portadores de caixa aproximadamente 430 mil pessoas.logística e sustentabilidade 45
  • 45. Monitoramento em tempo real Outra ação inovadora na Rio+20 foi o monitoramento do consumo de água em parceria com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos – CEDAE. A opção na página eletrônica oficial da Rio+20 “Acompanhe o consumo de água da Rio+20” permitiu aos participantes acompa- nhar em tempo real o consumo de água no Riocentro, no Parque dos Atletas e no MAM durante todo o megaevento.Considerados 200 litros/habitante/ Limpeza e higienedia para o consumo médio de As boas práticas de consumo daum indivíduo na cidade do Rio água têm, no uso consciente dosde Janeiro, a economia atingida produtos químicos de higiene e de-equivaleria ao abastecimento de sinfecção, uma interface importante,2.368 famílias de quatro integran- pois podem causar problemas am-tes ou ao fornecimento por um bientais e de saúde pública quandodia de 36% do total de domicílios descartados indiscriminadamente.do bairro de Jacarepaguá, no Por esse motivo, recomendou-se aRio de Janeiro, que contabilizava utilização de detergentes, desinfe-6.522 residências, segundo o Censo tantes, multiúsos, desengordurantes,Demográfico 2000. ceras, álcool e odorizantes devida- mente certificados pelo Ministério daPara divulgar, em meio aos partici- Saúde e na dosagem correta.pantes e fornecedores, as medidasde conscientização sobre o uso Consulta feita pelo CNO Rio+20racional de água no preparo de em meio às empresas contratadasalimentos, foi-lhes entregue infor- revelou que 75% delas utilizarammação sobre as melhores práticas produtos de limpeza biodegradáveisadotadas em cozinhas comerciais. ou de base natural. No entanto, nãoAlém das recomendações, foram houve relato de produto de limpezautilizados cerca de 1.600 adesivos 100% vegetal e biodegradável. Sobreinformativos sobre a economia de as práticas para evitar desperdício deágua proporcionada pelos dispositi- água, apenas 33% dos fornecedoresvos economizadores instalados nos utilizaram água corrente para des-sanitários alocados para o evento. congelamento dos alimentos. Em 67% das cozinhas havia algum dispositivo economizador de água, como reduto- res de vazão e arejadores, e em 55% delas a lava-louças era ligada apenas com sua capacidade plena.46 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 46. uso racional de recursos hídricos 650 1,89 4,3 dispositivos milhão de litros de litros de água economizadores de água água economizado com economizados instalados nos espaços o uso de dispositivos por pessoa durante oficiais da Rio+20  economizadores a Rio+20 CONSUMO DE ÁGUA POTÁVEL Modo de consumo Rio+20 Água consumida em recipiente reutilizável/retornável (galão de 20 litros) 31% Água consumida em recipiente reciclável ou biodegradável (copos de milho e de bagaço de cana-de-açúcar, garrafas com menos plástico, 69% squeezes de plástico verde e aguadeiros bs.: O volume de água oferecido em bebedouros alimentados pela redeOde abastecimento não está contabilizado nessa amostragem. CONSUMO DE ÁGUA NAS INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS Sistema de descarga Torneira Média de consumo de Porcentagem (consumo médio) descarga + torneira instaladA (l/uso) na Rio+20 Caixa acoplada convencional Hidromecânica, regulada para 7 segundos, com arejador 6,7 1,7 % (6 l/descarga) 0,10 l/seg Bacias VDR1 de duplo fluxo Hidromecânica, regulada para 7 segundos, com arejador 5,2 47,2 % (3 e 6 l/descarga) 0,10 l/seg Bacias VDR1 Com sensor e arejador (estimados em 7 segundos de uso) 1,0 13,8 % (0,3 l/descarga) 0,10 l/seg Químicos2 — — 37,3 %1 Bacias sanitárias de volume reduzido.2 Não possuem sistema de descarga, somente caixa para armazenaros dejetos. Para higiene, possuem dispensadores de álcool gel.logística e sustentabilidade 47
  • 47. Teoria e prática: Nos Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável, o painel sobre energia ocorreu no Riocentro, espaço alimentado por geradores movidos a B20, equipado nas faixas de mais alta eficiência energética e iluminado por lâmpadas econômicas.Energia Multiplicando-se tais valores pelo Os expositores da Rio+20 recebe-O Brasil é um dos países com total de dias do evento, pôde-se ram ainda o Manual do Expositor,maior participação de fontes estimar o consumo associado com recomendações práticas erenováveis na matriz energética. à Conferência. O cálculo não abran- incentivo ao uso racional de energia.Nesse contexto, e alinhado às geu, porém, as fases de montagem Sob esse aspecto, a equipe de volun-diretrizes do desenvolvimento e desmontagem dos espaços tários sob comando da Coordenaçãosustentável, o CNO Rio+20 procurou oficiais geridos pelo CNO Rio+20. de Sustentabilidade foi especial-adotar soluções para o uso eficiente O consumo de Gás Liquefeito mente treinada para identificarde energia mediante uma estraté- de Petróleo – GLP foi estimado pontos de desperdício nos espaçosgia integrada tanto para a oferta apenas para o Riocentro e o oficiais geridos pelo CNO Rio+20.quanto para o consumo. auditório anexo ao MAM. Para efeito de cálculo, arbitrou-se um O abastecimento de boa parte desses Foram utilizadas especificações consumo de GLP idêntico ao locais recebeu suporte da rede de técnicas para a contratação de gás natural em base energética, energia elétrica da cidade, cuja de estruturas e construções tem- ou seja, igual a 4,4 GJ. geração contempla 85% de recursos porárias com equipamentos do renováveis, dada a participação de Programa Brasileiro de Etiquetagem Aliado às soluções tecnológi- hidrelétricas em sua composição.– PBE, do Instituto Nacional de cas, o CNO Rio+20 orientou sua Metrologia, Qualidade e Tecnologia cadeia de fornecedores e os Após um estudo de planejamento– Inmetro, nas faixas de mais alta gestores dos espaços oficiais a energético, realizado em cada local eficiência, como condicionadores utilizarem energia (elétrica ou da Conferência, o CNO Rio+20 apre- de ar, lâmpadas de diodo emissor combustíveis) de maneira eficiente. sentou aos gestores dos espaços de luz – LED e lâmpadas fluorescen- Ademais, acompanhou os serviços permanentes um guia de interven- tes de última geração. de construções efêmeras, de ali- ções específicas para cada um deles, mentação e de fornecimento de com recomendações práticas paraDe maneira análoga ao cálculo contêineres e de grupos geradores torná-los mais sustentáveis.do consumo de eletricidade, movidos a diesel B20 (ver gráfico daconsiderou-se que não houve página 52) por meio de revisões e No caso dos transportes terres-expansão da estrutura de elaboração dos termos de referência tres, a estratégia de eficiênciaconsumo de gás natural com a das licitações. Porém, a ação foi energética privilegiou o uso derealização da Rio+20. O consumo limitada para manter sua viabilidade etanol para os veículos de pequenomédio diário foi calculado a partir econômica e sua possibilidade de porte (veja mais informações nadas contas de fornecimento. atendimento pelo mercado local. dimensão Transporte).48 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 48. consumo total de eletricidade por espaço oficial riocentro 187.184 kWh 963.141 kWh rede elétrica Geradores parque dos atletas 242 kWh 547.185 kWh rede elétrica Geradores Pier Mauá 14.191 kWh 238.377 kWh rede elétrica Geradores arena da barra 48.320 kWh 31.603 kWh rede elétrica Geradores galpão da cidadania 63.330 kWh 0 kWh rede elétrica Geradores auditório anexo ao MAM 50.453 kWh 0 kWh rede elétrica Geradores MAM 39.930 kWh 0 kWh rede elétrica Geradores bs.: No Riocentro, os requisitos de segurança do evento exigiram O fornecimento certo e ininterrupto de energia elétrica. No Parque dos Atletas, praticamente inexiste infraestrutura de rede elétrica. O consumo de geradores no MAM, no auditório anexo ao MAM e no Galpão da Cidadania não foi significativo.logística e sustentabilidade 49
  • 49. Conservação de energia climatização, um fator de carga igualA energia conservada não a 0,5 (ciclo dos compressores). 16,5foi medida diretamente, mas estima-da pela comparação entre o consumo Seguindo essa lógica e mantendoverificado e o esperado. O cálculo premissas conservadoras, apenas nada energia conservada compara área do Riocentro foi possível apurartecnologias convencionais e as em- um montante de energia conservadapregadas na Rio+20, podendo por influência direta do CNO Rio+20.ser estimados potência e consumo re- Essa economia, portanto, foi estima- MWh de energiaduzidos. Assim, foram consideradas da em 16,5 MWh. conservada no Riocentro160 horas (16 horas em 10 dias deevento) e, para os equipamentos deconsumo de gás natural 302 m3Consumo durante a Conferêncianos dois dos espaços oficiais geridospelo CNO Rio+20 (Riocentro e audi-tório anexo ao MAM) que contavamcom abastecimento por gás natural foi o consumo total de gás natural registrado nos dois espaços 18 m3/dia 12 m3/dia 184 m3 auditório anexo 118 m 3 ao mam riocentro 355m3/mês 551 m3/mês50 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 50. Energia conservada durante a Rio+20 – Riocentro Convencional Rio+20 ReduçãoItem W Item W Quantidade Potência Consumo (kW) (kWh)Luminária 4x32 128 Luminária LED 54 381 28,2 4.511Luminária 2x32 64 Luminária 2x28 56 1.921 15,4 2.459Lâmpada mista 250 250 Lâmpada HIT 150 160 87 7,8 1.253Split 18000, Selo C 1.880 Split 18000, Selo B 1.755 828 103,5 8.280Total 3.217 154,9 16.503 Geração elétrica mais sustentável Dadas as características do megaevento e as medidas de segurança imple- mentadas, geradores de energia foram instalados para atender às neces- sidades da Rio+20. Abastecidos preferencialmente com óleo diesel B20, os geradores constituíram a principal fonte de energia no Riocentro e no Parque dos Atletas. Somente foi possível adotar essa medida com o apoio da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis– ANP e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), responsáveis por conceder, respectivamente, autorização e licença ambiental específicas para o uso de biocombus- tíveis acima da especificação usual de mercado (à época da Rio+20, o tipo B5, ou seja, com 5% de biodiesel), além das parcerias firmadas com a BR Distribuidora e a Petrobras, fornecedores do combustível utilizado e de consultoria técnica especializada. No total, os geradores foram responsáveis pelo consumo de 334 mil litros de óleo diesel B20, para o suprimento de 1.780 MWh, ou 85,6% da eletri- cidade consumida durante a Rio+20. Para atender a outras necessidades da Conferência, foram utilizados ainda 200 mil litros de B5, amplamente disponível no mercado brasileiro. Medida pioneira em um evento do porte da Rio+20, o uso de B20 reduziu o consumo de diesel de origem fóssil em 280 mil litros, volume suficiente para abastecer um ônibus por mais de 800 mil quilômetros de percurso, ou o equivalente a uma viagem de ida e volta à Lua.logística e sustentabilidade 51
  • 51. consumo de combustíveis em geradores (em Litros) 133.923Diesel b5diesel b20288.942 30.233 parque dos atletas 7.735 1.746 arena da barra 58.343 13.171 pier mauá riocentro52 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 52. A coordenação entre as esferas federal, estadual e municipal garantiu o êxito das medidas implementadas pela organização da Rio+20.Construções desses fornecedores, parceiros e Durante a Conferência, voluntá-sustentáveis alguns dos responsáveis por eventos rios treinados pela CoordenaçãoNa área de edificações, o apoiados pelo CNO Rio+20, como de Sustentabilidade apoiaramCNO Rio+20 fez recomenda- a Cúpula dos Povos. o trabalho de monitoramentoções específicas, visando tornar visual dos estandes visitados.mais sustentáveis os serviços Ao todo, foram monitorados Além disso, foi realizada uma con-oferecidos pelos fornecedores, nove grupos de fornecedores sulta ao público sobre o confortonotadamente seus materiais e de serviços responsáveis pela térmico dos ambientes.processos. Foram propostas so- montagem da infraestrutura físicaluções em relação a tecnologias, da Conferência e 33 exposito- O Rio de Janeiro pode ter diasmétodos, acessibilidade, materiais res. A seleção dos fornecedores muito quentes mesmo eme processos construtivos conso- ocorreu com base naqueles que junho, no início do inverno,lidadas no documento Diretrizes contribuíram para a chamada com menor intensidade de luz epara Edificações Efêmeras mais montagem básica, ou seja, toda chuvas frequentes. A experiênciaSustentáveis, distribuído a fornece- infraestrutura necessária para um ex- do CNO Rio+20 permite afirmardores e responsáveis pela criação positor se instalar sem a necessidade que investir em projetos quedos ambientes do evento. de ele próprio montar seu estande. maximizem o conforto interno Já a escolha dos expositores se deu dos espaços, a ponto de reduzir aPor meio de contratos, o com base naqueles que não utiliza- necessidade do uso de climatiza-CNO Rio+20 exigiu o uso de ram o sistema de montagem básica, ção e iluminação artificiais, podemadeira certificada e de materiais sendo selecionados, então, apenas ser uma das melhores medidasreutilizáveis e de origem natural, os responsáveis por prover a própria a serem tomadas para o desenvol-além da consideração de concei- infraestrutura. Dessa forma, foi vimento de estruturas mais susten-tos de arquitetura bioclimática para analisada toda a infraestrutura física táveis em futuros eventos. Nessereduzir necessidades de climati- para a realização o evento, indepen- contexto, sugere-se a realizaçãozação e de iluminação artificiais. dentemente da origem. de estudos, simulações compu-Também foram realizadas algumas tacionais e cálculos conformeanálises de ciclo de vida simplifi- O monitoramento da adesão às dire- a estação do ano para viabilizarcadas para facilitar a escolha de trizes de sustentabilidade foi realiza- o aprimoramento dos materiaisalguns materiais. do por meio de formulários e visitas que envolvem estruturas efêmeras, técnicas, principalmente na fase de como as lonas das tendas ou oAs recomendações foram disse- montagem (para acompanhar os aço dos contêineres, captarminadas não apenas por meio de fornecedores); durante a Conferência mais ou menos calor para odocumentos, de termos de refe- (os expositores); e na etapa de ambiente interno e aperfeiçoarrência de licitações e do Manual do desmontagem, para obter uma visão o dimensionamento e posiciona-Expositor, mas também em reuniões geral da reutilização das peças e da mento das aberturas, buscandopresenciais com grande parte geração de resíduos. sempre a economia de energia.logística e sustentabilidade 53
  • 53. Monitoramento de fornecedores Ademais, o impacto ambiental pelaO sistema adotado para a execução utilização de mais de 2 mil m3 de 68%dos pisos do Riocentro gerou consumo madeira no Riocentro foi minimizadoexcessivo de madeira, passível de pelo fato de a madeira utilizada terser economizada, revelando-se ter sido sido oriunda de áreas de replantio.esse um dos maiores desafios verifi- Cerca de 50% desse material tevecados no monitoramento da susten- origem certificada, uma das obriga-tabilidade das ações do CNO Rio+20 ções lavradas em contrato.na organização do evento. de toda a madeira da No Parque dos Atletas, no montagem dos espaçosA montagem de tendas alcançou Pier Mauá e na Arena da Barra oficiais tinha origem um total de 18.350 m², em que se não foi utilizada madeira para certificadapriorizou o uso de sistema de baixa a elevação do piso. A monta-geração de resíduos e estrutura gem foi feita pela forração com100% reutilizável para os pisos. carpete diretamente sobre oEssas medidas mitigadoras permiti- pavimento. Não foram utilizadasram economizar, aproximadamente, divisórias em madeira, optando-1.100 m3 de madeira. -se pelo sistema octogonal.TENDAS e divisórias A escolha dos materiais e o uso de madeiras provenientes de áreas de manejo responsável colaboraram para reduzir o impacto ambiental na montagem dos espaços. materiais alternativos 43% madeira de reflorestamento 78% madeira certificada 68%54 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 54. Imagem aérea do Parque dos Atletas: a construção dos pavilhões e estandes da Conferência seguiram as diretrizes do CNO Rio+20.AÇÕES DOS FORNECEDORES 28% 87% 57% dos adesivos utilizados das lâmpadas utilizadas dos aparelhos de ar na sinalização do evento estavam na faixa de maior condicionado estavam na eram livres de PVC eficiência energética faixa de maior eficiência do PBE energética do PBEEssas medidas resultaram em uma ou com base no comércio justo. etapa, o Comitê Nacional recomen-economia de, aproximadamente, Em termos de sustentabilidade, dou o uso de cola com menor ou400 m3 de madeira nesses espaços a vantagem desses móveis é a nenhuma emissão de formaldeído,oficiais sob gestão do CNO Rio+20. possibilidade de reutilização, uma preocupado em preservar a saúde vez que são alugados. Algumas dos operários no local das instalações.Os mobiliários foram locados para estruturas também são recicláveis,todos os espaços do Riocentro e da se forem corretamente destinadas, Nos espaços da sociedade civil, osociedade civil (Pier Mauá, Galpão no fim de sua vida útil. CNO Rio+20 recomendou o uso deda Cidadania, Parque dos Atletas, lâmpadas fluorescentes tubularesArena da Barra, MAM e auditório Na construção do sistema de estru- T5. Foram instaladas 700 delas, alémanexo ao MAM) com orientação de turas efêmeras e divisórias, destacou- de 1.300 lâmpadas fluorescentesque madeiras eventualmente usadas -se a aplicação de carpetes feitos compactas. No Riocentro, foramtivessem origem certificada, mas de fibras de garrafas PET, em mais utilizadas 1.000 lâmpadas de diodosem uma orientação específica para de 100 mil m² nos espaços oficiais emissor de luz – LED e outras 500o uso de materiais mais sustentáveis geridos pelo CNO Rio+20. Nessa fluorescentes tubulares.logística e sustentabilidade 55
  • 55. Os fornecedores foram estimulados a utilizar materiais e tecnologias de menor impacto ambiental nas instalações. A abrangência e o resultado desse esforço foram monitorados pelo CNO Rio+20Um dos fornecedores de banheiros fornecedores mais significativos,contêineres utilizou a iluminação considerando-se o volume de 120natural. Nesse caso, a economia material entregue. Ambos utilizaramde energia equivaleu a cerca de lonas à base de PVC reciclado, que120 lâmpadas, que deixaram de ser reduz em 50% o uso de PVC virgem,acesas durante o dia. Se todos tives- para a instalação de 1.100 m2 desem optado apenas pela iluminação banners nos espaços da sociedadenatural, cerca de 540 lâmpadas civil e, aproximadamente, 1.500 m2estariam apagadas por, pelo menos, no Riocentro. lâmpadas deixaram deseis horas diárias. ser utilizadas durante Esses mesmos fornecedores uti- o dia nos banheiros comOs três fornecedores de banheiros lizaram também adesivo de vinil iluminação naturalcontêineres utilizaram lâmpadas convencional (com porcentagemeconômicas do nível A do Programa de PVC). O produto poderiaBrasileiro de Etiquetagem – PBE, ter sido substituído por adesivodo Instituto Nacional de Metrologia, vinílico livre de PVC ou fabricadoQualidade e Tecnologia – Inmetro, à base de poliolefina – que nãolâmpadas fluorescentes e do tipo utiliza PVC e reduz os solventes noLED (iluminação sobre os espelhos). processo de fabricação –, emboraNenhum deles forneceu o número ainda não seja encontrado facilmen-exato delas, mas calculou-se terem te no mercado.sido aproximadamente 340 do tipofluorescente e outras 130 do tipo Cerca de 25 litros de tinta deLED. Nos banheiros químicos indi- impressão à base de água foramviduais foram instaladas lâmpadas gastos para impressão nos ade-incandescentes (não econômicas). sivos. No Pier Mauá, no Parque dos Atletas, na Arena da Barra eQuanto à ventilação dos ambientes, no auditório anexo ao MAM foramainda no caso dos fornecedores utilizados aproximadamente 20de banheiros contêineres, apenas um litros de tintas à base de água parainformou utilizar ar-condicionado. impressão nas lonas. Já para asOs demais preferiram a ventilação lonas do Riocentro, utilizou-se anatural, o que equivaleu a aproxima- tinta Eco Solvente (questionada pordamente 57 aparelhos não utilizados. algumas pesquisas se, de fato, seria um produto ambientalmente melhor,Para o trabalho de sinalização, foi considerada pelo CNO Rio+20foram monitorados os dois como um tipo comum).56 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 56. MATERIAIS 11.164 m2 2% Fibra natural DE CARPETE 32%34% Easyfloor*Fibrareciclada 47% LED 32% Forração Comum 18% Tecido de algodão 2.691 LÂMPADAS 17% Fluorescente 41% tubular Lona comum 15%2.600 m2 Fluorescente compactaDE LONA 9% Multivapor metálico 7% Halógena 5% Halógena PAR 41% Sistema inovador à base de plástico, não exige * Lona reciclada uso de cola, é reutilizável e permeável e se adapta a qualquer tipo de solo.logística e sustentabilidade 57
  • 57. O Passaporte Verde foi lançado em inglês, espanhol e português e orientou os participantes na forma de guia para um turismo mais sustentável.Turismo sustentável Embora bem recebidas, o grau de e o Programa de Turismo e MeioA Rio+20 foi o primeiro megaevento adesão às diretrizes não pôde ser Ambiente do Programa das Naçõesa ocorrer no Brasil ao longo desta mensurado com precisão, dada Unidas para o Meio Ambiente –década. A estratégia criada para a autonomia do setor hoteleiro e PNUMA foi crucial para inserir oso turismo sustentável visou a dois a falta de mandato específico do conteúdos relacionados ao tema naobjetivos: sensibilizar o setor hotelei- CNO Rio+20. Além disso, há alguns organização da Conferência.ro e orientar os participantes. anos esse setor já goza de altas taxas de ocupação ao longo de todo o ano, Lançado às vésperas da Rio+20Como forma de alcançar o pri- independentemente da realização da pelos ministérios do Meio Ambientemeiro objetivo, o CNO Rio+20 Rio+20. Portanto, a adesão do setor e do Turismo, o Programaelaborou e divulgou as Diretrizes de a práticas mais sustentáveis pareceu Passaporte Verde foi a principalSustentabilidade para os Meios de mais vinculada a oportunidades ferramenta do CNO Rio+20 paraHospedagem. Além de orientações de redução de despesas e aumento divulgar o conceito de turismo sus-para implantação de sistemas viáveis da lucratividade do negócio mediante tentável focado no indivíduo e suasde gestão da sustentabilidade, o a redução da demanda e do consumo ações. Nesse contexto, foram distri-documento apresentou medidas de de recursos naturais, como o uso de buídos cerca de 50 mil exemplarescurto prazo para tornar processos e água nos hotéis. trilíngues (inglês, espanhol e portu-serviços hoteleiros mais sustentáveis guês) do Passaporte Verde, inseridosno uso de recursos hídricos, redução Em razão do pouco tempo nos kits entregues aos participantes.de consumo, resíduos sólidos, disponível antes do início da O mesmo material foi entregue àenergia e emissão de gases de efeito Conferência, optou-se pelo uso rede hoteleira da Rio+20 e incluídoestufa, entre outros temas. de conteúdos oficiais já existentes no aplicativo oficial da Conferência na esfera federal para sensibilizar (ver box na página ao lado). os participantes a adotar atitudes mais responsáveis e sustentáveis. Nesse contexto, a parceria entre o CNO Rio+20, o Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente58 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 58. sobre o programaPassaporte Verde Dispositivos para smartphones e tablets mostravam os locais com atividades relacionadas ao turismo sustentável durante a Conferência. Iniciativa conduzida pela Força-Tarefa Internacional para o DesenvolvimentoAs novas do Turismo Sustentável, a Campanha Global Passaporte Verde fundamentou- -se nas políticas de consumo e de produção sustentáveis. O Governo brasi-tecnologias leiro foi representado pelos ministérios do Turismo e do Meio Ambiente, que,ajudaram a em conjunto com o PNUMA e o Ministério da Ecologia e Desenvolvimento Sustentável da França, decidiram desenvolver a ideia e divulgá-la em âmbitodisseminar internacional com a intenção de alcançar os objetivos propostos pela Força- Tarefa Internacional.informações e Na Rio+20, o conteúdo do Passaporte Verde foi disponibilizado em aplica-estimular o turismo tivo oficial para smartphones e tablets com imagens e informações sobreresponsável em as cidades que despertam especial interesse para o turismo ecológico no Estado do Rio de Janeiro, além da programação diária da Rio+20, de atra-todo o Estado do ções locais voltadas a temas relacionados ao desenvolvimento sustentável e de informações gerais. O aplicativo foi útil para a promoção do turismoRio de Janeiro sustentável, além de ter divulgado indicadores de tempo, previsão das condições meteorológicas, aspectos da cultura local e meios de transporte disponíveis na cidade do Rio de Janeiro e em outras cidades fluminenses.logística e sustentabilidade 59
  • 59. Transportes Ao definir as diretrizes de susten-As ações de sustentabilidade na tabilidade para o sistema de trans- Para reduzir oárea de transporte da Conferência porte oficial da Conferência, por umfocaram-se nas seguintes lado, o CNO Rio+20 beneficiou-se uso de veículosmedidas: uso de biocombustíveis ede combustíveis alternativos na frota de antemão do fato de a matriz energética brasileira ser uma das individuais,oficial, viabilização de transportescoletivos e facilitação do uso de mais limpas do mundo. Baseada em energias renováveis, essa matriz o transportetransporte não motorizado. Por isso, contribuiu decisivamente para mitigar de massa foia frota de veículos utilizada para o as emissões de gases de efeito estufatransporte de autoridades, convi- relacionadas ao megaevento. No reforçado e novosdados e participantes credenciadosdurante a Rio+20 moveu-se graças campo dos transportes, o mercado brasileiro já contava com ampla bicicletários forama uma variedade de combustíveis,dando-se sempre prioridade a e consolidada oferta de etanol, gasolina E20-25 (gasolina com 20 a instalados nosfontes renováveis e alternativas. 25% de etanol misturado), biodiesel arredores dos B5 (diesel fóssil com 5% de diesel vegetal misturado) e veículos flex fuel. espaços oficiaisconsumo de combustíveis em transporte (em litros)Distribuição percentual dos combus-tíveis consumidos pela frota oficial 47,83%de veículos na Rio+20. etanol 58.720 l 32,48% diesel b5 39.875 l 19,69% gasolina e20 24.170 l60 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 60. Um dos principais desafios da organização da Rio+20 foi assegurar, a qualquer hora, um sistema de transporte confiável e eficiente para todos os participantes, seguindo o conceito do desenvolvimento sustentável que regeu os debates.A vasta maioria dos 878 veículos veículos movidos a diferentes opções Riocentro. Ademais, o Metrô Rio con- dos comboios oficiais estavam de combustíveis alternativos e mais cedeu aos participantes da Cúpula equipados com motores de com- limpos foram inseridos na frota da dos Povos 10 mil passes de circula- bustível duplo (flex fuel) e fizeram Rio+20, com apoio da Secretaria de ção e franqueou a entrada aos índios uso prioritário do etanol de cana- Transportes do Governo do Estado que participaram da Conferência.-de-açúcar (ver box na página 62), do Rio de Janeiro e da Associação combustível que não contribui para Nacional dos Fabricantes de Veículos Adicionalmente, o CNO Rio+20 agravar o efeito estufa, como reco- Automotores – ANFAVEA, para di- reforçou o mobiliário urbano nheceu o Painel Intergovernamental vulgar, em meio aos participantes, a carioca com mais vagas em novos sobre Mudança do Clima – IPCC. diversidade de opções existentes ou bicicletários em áreas oficiais sob Os demais veículos oficiais, cerca de que será oferecida no futuro muito sua gestão e estimulou os adeptos400, foram movidos a biodiesel e a próximo. O sistema de transporte dessa opção de transporte não gasolina E20 (com 20% de etanol oficial contou com carros elétricos, motorizado, saudável e não po- na mistura). Esse foi o caso, em par- ônibus movidos a etanol, ônibus luente. As ações para a Rio+20 ticular, dos veículos blindados e dos movidos a diesel derivado de cana- somaram-se àquelas já existentes importados com motor a gasolina, -de-açúcar, ônibus híbridos elétricos na cidade, que, apesar dos grandes vários deles cedidos em comodato (eletricidade/B5), ônibus híbridos desafios, dispõe de uma das me- ao CNO Rio+20. a GNV (GNV/B5) e vans movidas lhores estruturas para ciclistas a etanol de segunda geração. O da América Latina, com 600 bici-No total, aproximadamente número total de traslados ultrapas- cletas de aluguel e 60 bicicletários48% do combustível consumido pela sou em apenas dez dias a marca do projeto BikeRio e cerca defrota oficial foi etanol, reduzindo de 121 mil passageiros no circuito 240 km de ciclovias.o coeficiente de emissões de gases hotéis–Riocentro.de efeito estufa da Conferência. Além dessas iniciativas, oAdemais, o uso de gasolina E20 No transporte de massa, conseguiu- CNO Rio+20 tentou expandir oproporcionou mitigação adicional -se viabilizar o uso do Metrô do Rio sistema de aluguel de bicicletasdesses gases em virtude da mistura de Janeiro como um dos principais e de bike táxis, existente na cidadede etanol na gasolina tradicional. – e mais limpos – meios de transporte do Rio de Janeiro, para todos os da Conferência, conectando zona espaços oficiais da ConferênciaO CNO Rio+20 também planejou sul, centro e Barra da Tijuca. Foram sob sua gestão. Recomenda-se que,para a Conferência esquema especial estabelecidas linhas de ônibus nos próximos grandes eventos ade transporte coletivo para substi- especiais integrando as estações do serem realizados no Brasil, invista-setuir, o quanto possível, o transporte Metrô Arcoverde, em Copacabana, maciçamente em soluções para oindividual motorizado. A maioria dos e General Osório, em Ipanema, ao transporte não motorizado. Com isso,359 ônibus do Sistema de Transporte Sistema de Transporte Oficial da as alterações no trânsito e os gastosOficial da Rio+20 foi movida princi- Rio+20, a fim de facilitar a seus com transportes individual e coletivopalmente a diesel B5. Contudo, vários usuários o deslocamento final até o poderiam ser minimizados.logística e sustentabilidade 61
  • 61. MENOS EMISSÕESCOM ETANOL DECANA-DE-AÇÚCAR Alta tecnologia e desempenho de ponta com gasolina E20 do Brasil. A legislação brasileira determina que, à gasolina, seja adicionado de 20%Os biocombustíveis a 25% de etanol. A medida tem como principal objetivo reduzir a emissão na atmosfera de gases veiculares potencialmente danosos, inclusive ossobressaem gases de efeito estufa.como alternativa Desde 2007, o Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima – IPCCconcreta de concluiu ser zero o balanço de emissões de GEE no ciclo de vida do etanol de cana-de-açúcar tal como produzido no Brasil, pois todo o CO2 emitidofonte de energia acaba sendo reabsorvido no processo de crescimento da planta, por meio da fotossíntese. Em 2010, a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA,renovável de alta na sigla em inglês) reforçou esse reconhecimento ao facilitar a importaçãoprodutividade de etanol derivado de cana-de-açúcar. Na ocasião, a EPA anunciou que o combustível produzido no Brasil contribui significativamente para reduzir ase menos poluente emissões de GEE, quando comparado ao desempenho da gasolina, classifi- cando-o como biocombustível avançado. É importante observar também que o uso de gasolina E20-E25 não exige adaptação de motores ou equipamentos de veículos que utilizem ou não a tecnologia flex fuel. A gasolina brasileira tampouco afeta o desempenho de ponta de veículos de alta tecnologia, como os modelos BMW 750i e BMW 550i cedidos em comodato ao CNO Rio+20 pelo Grupo BMW para uso no transporte de altas autoridades e convidados especiais da Conferência. Na verdade, esses modelos – e similares de alta tecnologia – rodam de forma mais sustentável no Brasil que no exterior, pois emitem menos em virtude da adição local de 20 a 25% de etanol à gasolina. O mundo vive um período de avanços nas tecnologias ambientalmente sustentáveis. Nesse contexto, os biocombustíveis e, em particular, o etanol so- bressaem como alternativa concreta de fonte de energia renovável de alta pro- dutividade e menos poluente para reduzir emissões de gases de efeito estufa.62 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 62. alimentação sustentável 50% 90 dos restaurantes e litros de óleo de dendê lanchonetes do Riocentro usado no preparo de quitutes ofereceram produtos baianos foram reusados naturais ou orgânicos como biocombustívelAlimentos sustentáveis desperdícios. Nesse contexto, incen- 12 dias de evento para a produção deO Comitê Nacional compreendeu que tivou-se, nos espaços oficiais geridos biocombustível.a Rio+20 também poderia promo- pelo Comitê Nacional, a elaboraçãover a demanda local por alimentos de menus que contemplassem os Em vários casos, observaram-semais sustentáveis, numa estratégia princípios da gastronomia inclusiva. alterações de procedimentos inter-de consumo consciente no contexto nos de empresas e de prestadores dedos megaeventos previstos para o Dentre as diretrizes, merecem ser serviços, que passaram a incorporarBrasil nesta década. ressaltados o uso racional de recur- aspectos da sustentabilidade em seus sos hídricos (procedimentos para métodos de trabalho, mesmo após oAlém de promover encontros com economia de água no preparo dos término da Conferência.fornecedores para garantir ali- alimentos); a gestão energéticanhamento conceitual ao tema, o (uso de equipamentos eficientes); a Já no Riocentro, as ações e a adesãoCNO Rio+20 elaborou o documento gestão de resíduos sólidos (separa- às recomendações de sustentabilidadeDiretrizes de Sustentabilidade para ção de lixo e descarte de resíduos propostas pelo CNO Rio+20 foramas Empresas de Alimentação, a oleosos); e a instalação e o manuseio administradas pela empresa quefim de prover orientação sobre boas de gás natural e GLP. A mitigação de detém exclusividade no processo depráticas sustentáveis na área. emissões de GEE deu-se por reco- contratação das demais prestadoras mendações de uso de fogões elétri- de serviços de alimentação naquelePor sua vez, os estandes das empre- cos e de equipamentos movidos a espaço privado. O CNO Rio+20 tevesas de alimentação da Rio+20 foram energia gerada por fontes renováveis, ali poucas condições, portanto, defiscalizados pela Agência Nacional como biodiesel e fogões solares. acompanhar o atendimento às diretri-de Vigilância Sanitária – Anvisa, que zes na sua integralidade.verificou o atendimento a todas as As empresas também foram incenti-especificações previstas para o setor, vadas a utilizar materiais biodegra- Segundo informado pela GL Events,reunidas em sua cartilha sobre boas dáveis (copos de amido de milho e concessionária do Riocentro e contro-práticas para serviços de alimentação. de bagaço de cana-de-açúcar, por ladora da empresa de Top Gourmet,O abastecimento geral de água do exemplo) e efetuar a correta separa- de serviços de catering, 50% dosevento teve como principal fornece- ção para descarte de resíduos com- restaurantes e das lanchonetes dodora a Companhia Estadual de Águas postáveis e oleosos. Um caminhão Riocentro ofereceram produtose Esgotos – CEDAE. estacionado no Parque dos Atletas naturais ou orgânicos, com o forne- recebeu e armazenou todo o óleo cimento de hortifrúti produzido naAs diretrizes relativas a alimentos utilizado na preparação de alimentos. região serrana do Rio de Janeiro. Nosustentáveis propostas nortearam A adesão da Associação das Baianas âmbito da agricultura familiar, foramtambém os processos de aquisição de Acarajé, Mingaus e Receptivos do lançados produtos de colheitas rea-de produtos e serviços e o relaciona- Estado do Rio de Janeiro levou ao lizadas manualmente, com a adoçãomento com os expositores, sempre descarte correto de cerca de 90 litros de sistema agroflorestal que minimizacom a firme recomendação de evitar do óleo de dendê utilizado ao final de impactos da atividade agrícola.logística e sustentabilidade 63
  • 63. Recyclables Recicláveis = Social Inclusion New Products Inclusão Social Novos Produtos paper, cardboard, plastics, aluminium cans, cartons papeis, papelão, plástico, latas de alumínio, embalagens longa vida Non Recyclable Landfill Não Recicláveis Aterro Sanitário paper clips, tissues, candy wraps, styrofoam, sponges, pens Tap with aerator valve Economy of 25% of water clipes de papel, guardanapos e lenços, papel de bala isopor, esponjas, canetas Powered by biofuel Torneira com arejadores Movidos a Biocombustível Economia de 25% de água Compostables Compost Compostáveis Adubo food waste and compostable materials restos de alimentos e demais materiais compostáveis Batteries / Mobile Recycling Pilhas/Baterias/Celulares ReciclagemDurante a Comunicação para de divulgação utilizados pela a sustentabilidade Coordenação de Sustentabilidade.Conferência, Além da organização logística da Ao elaborar as informações, o maioras empresas Conferência, o CNO Rio+20 buscou orientar e sensibilizar os participantes desafio encontrado foi tornar pú- blicas as ações de sustentabilidadefornecedoras e sobre ações de sustentabilidade planejadas como parte de um pro- do CNO Rio+20 sem conflitar com as campanhas oficiais de comuni-os prestadores cesso educativo que servisse de cação do Governo Federal e das legado intangível do evento. A Política Nações Unidas.de serviços foram Nacional de Educação Ambiental, Leiestimulados a nº 9.795/99, foi o parâmetro legal para definir o trabalho com o público- A análise de referências de sustenta- bilidade em outros grandes eventosadotar práticas de -alvo diversificado que circulou pelos espaços oficiais da Rio+20 sobre a revelou a importância estratégica da boa comunicação com o públicosustentabilidade correta utilização do sistema implan- presente nos espaços oficiais sob sua tado para a gestão do resíduos, o gestão, a fim de que as ações e ose melhorar consumo racional de água e energia, a sistemas previstos fossem utilizadosseus métodos mitigação e a compensação das emis- sões de gases de efeito estufa e as de maneira correta. Optou-se, portan- to, por frases curtas que atendessem vantagens do uso de biocombustíveis. à complexidade dos temas e transmi- tissem conceitos e mensagens. A sinalização nos espaços oficiais geridos pelo CNO Rio+20 e o uso Os temas contemplados na estratégia da página eletrônica oficial da de comunicação para a sustenta- Rio+20 foram os principais meios bilidade foram biocombustíveis;64 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 64. Exemplos de sinalização educativa utilizada nos espaços geridos pelo CNO Rio+20. Informações sobre a sustentabilidade na organização da Rio+20 estavam disponíveis nos totens eletrônicos.economia de água (25% em pias e o público sobre as principais ações A equipe encarregada da comunica-75% em mictórios); menu multicultu- sustentáveis na maior conferência ção para a sustentabilidade intera-ral; gases de efeito estufa; resíduos da história da ONU. giu com as demais coordenações dosólidos; programa de voluntariado; comitê para estimular a divulgaçãoe prosperidade econômica, inclusão Os conteúdos da comunicação para de ações sustentáveis e potenciali-social e proteção ambiental. a sustentabilidade foram inseridos zar outras iniciativas sobre o tema, nas seguintes atividades: tais como:Na confecção da sinalização, foramutilizados materiais que garantissem • Documentos oficiais – conceitos de • Assessoria de imprensa – divulga-mínimo impacto ambiental e máxima comunicação sustentável, como o ção de dados relativos à sustenta-percepção sensorial. Os produtos Manual do Expositor, as Diretrizes bilidade na Rio+20;seguiram diretrizes de sustentabilidade de Sustentabilidade para asem todo o seu ciclo de vida, sendo que, Empresas de Alimentação, o Guia de • Página eletrônica oficial – inserçãoapós a Rio+20, parte do material pro- Boas Práticas de Sustentabilidade de conteúdos sobre sustentabilida-duzido foi reciclada e parte, reutilizada. para Gestão e Operação em Meios de na Conferência; de Hospedagem e as DiretrizesApesar do esforço feito e do en- para Edificações Efêmeras • Totens eletrônicos – elaboração degajamento da Coordenação de mais Sustentáveis; textos sobre as ações sustentáveisSustentabilidade, concluiu-se que o na organização da Rio+20;orçamento reservado, o cronograma • Sinalização específica;de instalação e o quantitativo de • Conceito – orientação de con-sinalização deveriam ter sido muito • Voluntariado – treinamento espe- ceito da comunicação para amaiores, dadas as dimensões dos cífico de voluntários sobre o papel sustentabilidade (principalmenteespaços físicos e a importância do da comunicação e da sinalização nas sinalizações).conteúdo exposto para conscientizar da sustentabilidade na Rio+20.logística e sustentabilidade 65
  • 65. Inclusão social,acessibilidadee culturaA face social da Conferênciaultrapassou os limites dos espaçosoficiais, proporcionando um legadode inclusão ao Rio de Janeiro. Oconjunto de atividades do CNO Rio+20desdobrou-se em quatro dimensões:Comunidades Sustentáveis, Cultura,Voluntariado e Acessibilidade.
  • 66. O Pilar SocialLegadopositivo O Comitê Nacional de Organização econômico inclusivo, a Coordenação da Rio+20 buscou inovar na verten- de Acessibilidade e Inclusão Social te social da história das conferên- do CNO Rio+20 priorizou a partici- cias das Nações Unidas. Concluída, pação de jovens de comunidades a Rio+20 tornou-se referência inter- do Rio de Janeiro. Por meio de nacional em termos de acessibilida- programas destinados às comuni- de, ao criar parâmetros para futuros dades pacificadas, do Programa eventos. O CNO Rio+20 promoveu de Voluntariado e da adoção de ações sociais que refletem a inten- recursos e tecnologias para pro- ção de aproximar a Conferência da mover a acessibilidade, o Comitê população local e o interesse em Nacional acredita ter cumprido garantir um legado social. Por isso, seus objetivos, atuando como um os projetos não se restringiram aos agente multiplicador do conceito do espaços oficiais geridos pelo CNO desenvolvimento sustentável. Rio+20, mas visaram à dissemina- ção do conceito de sustentabilidade Várias parcerias foram necessárias para a sociedade, com o apoio a para lograr os objetivos propostos. iniciativas para tornar a cidade Dentre os parceiros, sobressaem do Rio de Janeiro mais acessível, a UN Volunteers, que auxiliou inclusiva e sustentável. o CNO Rio+20 na fase de treina- mento e monitoramento dos jovens No âmbito dos dois principais que integraram o Programa de temas da Rio+20, e em sintonia com Voluntariado, e a Caixa Econômica políticas públicas para a erradicação Federal, que facilitou a abertura da pobreza e para o crescimento de contas bancárias para pagamento da ajuda de custo aos voluntários. Neste capítulo, relatam-se as ações realizadas pela Coordenação de Acessibilidade e Inclusão Social do CNO Rio+20, organizadas em quatro dimensões: Comunidades Sustentáveis, Cultura+20, Programa de Voluntariado e Acessibilidade.68 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 67. Espaço de diálogo do Governo brasileiro com a sociedade civil, a Arena Socioambiental recebeu público de 100 mil pessoas com transmissão ao vivo e interativa pela Internet.Adicionalmente, são registrados Por sua vez, a Arena Socioambientalneste capítulo outras iniciativas que atuou como espaço de diálogo doajudaram a promover o desenvol- Governo brasileiro com a sociedadevimento sustentável. Concebidos civil, congregando num mesmopelo Governo brasileiro, os ambiente altas autoridades nacionais,Diálogos para o Desenvolvimento convidados brasileiros e estrangeiros,Sustentável contou com o apoio da com transmissão ao vivo e intera-ONU e do BNDES para elevar aos tiva pela Internet. O apoio dadoChefes de Estado e de Governo 30 pelo Banco da Amazônia e pelosrecomendações concretas para pro- Correios foi instrumental para viabili-mover o desenvolvimento sustentá- zar essa iniciativa.vel. As consultas envolveram maisde 63 mil pessoas, de 193 países, por Também a Coordenação demeio de plataforma digital espe- Sustentabilidade do CNO Rio+20cialmente criada para a iniciativa. promoveu iniciativas de caráter socialDurante a Rio+20, no Riocentro, 100 resultantes da colaboração com co-debatedores e público presencial operativas de catadores de materiaismédio de 1,3 mil pessoas definiram recicláveis e da ampliação da agendaas recomendações dos Diálogos. do Programa de Voluntariado, a fim de fortalecer ações específicas de logística sustentável do evento. Por fim, são descritos eventos cul- turais realizados pelo Governo bra- sileiro no contexto da Conferência ou que receberam apoio direto do CNO Rio+20 para ampliar a disse- minação do conceito do desenvolvi- mento sustentável.Inclusão social, acessibilidade e cultura 69
  • 68. Dançarinos da Andef conscientizaram a população sobre o potencial de cada indivíduo, independentemente das limitações físicas.Projetos sociais por sua vez, os submeteu à análise Para promover a inclusão social para prever a eficácia das ativida- As parcerias com em comunidades cariocas, foram des práticas propostas. A ideia era desenvolvidos dois projetos- impulsionar o crescimento sustentá- organizações locais-pilotos: Comunidades Sustentáveis e Cultura+20. Para viabilizar vel da comunidade com a realização de oficinas e palestras. A equidade impulsionaram as duas iniciativas, o CNO Rio+20 e o PNUD Brasil procuraram esta- entre os projetos foi constatada à medida que se observavam os meca- trabalhos de belecer parcerias com instituições nismos de engajamento dos partici- inclusão social, que já atuam em comunidades pantes e as diversas formas cariocas, com o propósito de fo- de mobilização local. engajamento e mentar oficinas e projetos culturais, inspirados em temas relacionados O intuito do CNO Rio+20 ao pa- mobilização em aos direitos humanos e à sustenta- bilidade. Nesse contexto, foi fun- trocinar os projetos Comunidades Sustentáveis e Cultura+20 foi comunidades damental o apoio obtido por meio impulsionar a participação dos mora- cariocas da captação e desenvolvimento dores das comunidades, registran- de parcerias com empresas públi- do um ponto de partida na busca cas e privadas descrito no terceiro pela inclusão social e sustentabili- capítulo deste relatório. dade em comunidades fluminenses e fomentando a reflexão sobreA escolha das organizações par- o significado da Conferênciaceiras deu-se por meio de editais Rio+20 para o País.divulgados em sítios eletrônicos doGoverno brasileiro e do PNUD Brasil.As instituições foram responsáveispor apresentar projetos alinhadosaos objetivos do CNO Rio+20, que,70 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 69. Comunidades promoção do desenvolvimento sus- Sustentáveis tentável em suas localidades. Dentre O programa Comunidades os temas das oficinas, sobressaíram Sustentáveis buscou esclarecer e o histórico e os objetivos da Rio+20, divulgar os objetivos da Rio+20, a influência dos assuntos tratados bem como sensibilizar a comunida- pela Conferência na vida da popu- de carioca para as temáticas traba- lação e as formas sustentáveis de lhadas durante o evento. Com apoio promoção do desenvolvimento de do Governo do Estado do Rio de suas comunidades. Janeiro, a realização de atividades preparatórias para a Conferência Além de divulgar os objetivos da ocorreu em cinco locais da cidade: Conferência, as oficinas tiveram o Babilônia/Chapéu-Mangueira; papel de capacitar e mobilizar os Cantagalo/Pavão-Pavãozinho; participantes, que foram incenti- Cidade de Deus; Complexo do vados a se engajar em atividades Alemão; e Rocinha/Vidigal, todas práticas de promoção da sustenta- com Unidade de Polícia Pacificadora bilidade em âmbito local. O contato – UPP instalada. entre os responsáveis pelos proje- tos, promovido pelo CNO Rio+20, Ao todo, o CNO Rio+20 aprovou estabeleceu redes e possibilitou a sete projetos de inclusão social no troca de experiências entre pessoas âmbito do programa, elaborados por que, embora vivam em regiões representantes das comunidades diferentes, muitas vezes enfrentam que já atuavam como agentes de os mesmos desafios.Projetos sociais promovidos pelo CNO Rio+20ECO Rede, da ONG Alfazendo Rio Sustentável, da ONG Manifestvs Favela + Limpa “TransformandoBrasil Realizado a partir de palestras, Visvs Reproduziu a Rio+20 nas Lixo em Oportunidade”, da ONGrodas de conversas e debates, entre comunidades. Os alunos das escolas Associação Brasileira de Pesquisa eoutras ações. Os participantes foram públicas locais e lideranças comu- Projetos em Educação (Entrelaces)estimulados a construir relações entre nitárias foram os principais atores, Oficinas de reciclagem paraos temas abordados na Rio+20 e a formando multiplicadores do concei- moradores das comunidades dorealidade da localidade onde vivem. to de desenvolvimento sustentável. Cantagalo/Pavão-Pavãozinho, que resultaram na fabricação de umBate-Papo Favelas, do Núcleo Rocinha + Verde, da Associação busto de cinco metros de altura, dode Informação, Conhecimento Rocinha, o Mundo da Arte  Foram Cristo Redentor, feito de garrafase Atitude Dividido em cinco ati- realizadas dez oficinas de sensibili- PET, embalagens de PVC, Tetravidades, entre elas a Oficina de zação de moradores para a comu- Pak, vidro, madeira, ferro e outrosGestão da Mente como Garantia do nidade, que abordaram os assuntos materiais.Empreendedorismo Sustentável, teve debatidos durante a Conferênciao objetivo de fortalecer o processo Rio+20, além de aspectos da Oficinas de Reciclagem, da ONGde autoconsciência em rede de mo- produção agrícola sustentável, Reciclart Oficinas de artesanatoradores, lideranças e comunidades com a proposta de sensibilizar os que reutilizam material reciclável,envolvidas. participantes para os desafios que com a proposta de contribuir para a envolvem a produção de alimentos redução da quantidade de lixo des-Surf Bus Ambiental, do Instituto orientada por essa diretriz. cartado nas vias públicas da comu-Natureza e Escolinha de Surfe da nidade, de modo a conscientizar eRocinha Estimulou a prática de mobilizar os moradores para fazeremesportes marítimos. A oficina foi a destinação mais adequada.desenvolvida por um biólogo e umprofessor, com palestras que relacio-naram a sustentabilidade ao surfe.Inclusão social, acessibilidade e cultura 71
  • 70. Iniciativas culturais de   O Galpão da Cidadania foi umcomunidades cariocas espaço de reflexão e debate sobre a importância da cultura comocontaram com o apoio da eixo estratégico do desenvolvimento sustentável, tendo abrigado…organização da Conferênciae serviram de alavanca paraa inclusão social Cultura+20 carioca, que prepara profissionais Por meio do projeto Cultura+20, o para o ingresso no mercado de Comitê Nacional e o PNUD Brasil trabalho sem custo para os alunos. encarregaram-se de indicar projetos No Pier Mauá, também foi realizado voltados a atividades artísticas e desfile de coleção de roupas, criada culturais no contexto da Rio+20 que por uma estudante de moda, com agissem como ferramenta de inclusão o tema Rocinha Sustentável. Esse social e de desenvolvimento comu- foi um dos projetos visitados pela nitário. O projeto recebeu iniciativas esposa do Secretário Geral da em três segmentos: manifestação ONU, Senhora Yoo Soon-taek, em artística; memória e registro fotográ- sua passagem pelo Rio de Janeiro. fico; e manifestação cultural. Ao todo, O grupo da comunidade Cabe+Um foram selecionadas 14 propostas. encarregou-se de confeccionar as peças de roupa. O projeto Rocinha de Fênix+20 deu visibilidade a um curso realizado há 20 anos na tradicional comunidade72 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 71.   …eventos como o Seminário Internacional sobre Cultura e Sustentabilidade e o Seminário Culturas Indígenas na Rio+20 (foto à página anterior) e manifestações da diversidade cultural brasileira.Projetos culturais promovidos pelo CNO Rio+20 CUCaA – Construindo Universo Marcando a memória e a históriaOs projetos Cultural Através da Arte – Instituto da Rocinha pela Arte – Grupo Pró Wark – IW Projeto inspirado na – Museu da Rocinha Sankofa Memóriaserviram como arte urbana para conscientizar a e História Exposição fotográfica quemultiplicadores comunidade. Moradores da Rocinha puderam levar pertences para que representou as transformações veri- ficadas em sete pontos da Rocinhados ideais fossem customizados e restaura- dos. Foram construídos também desde a década de 1960, convidando os moradores a refletir sobre o lixoda Rio+20, painéis grafitados. produzido nos locais retratados.conscientizando Rocinha de Fênix+20 – Casa de Arte Mostra Eco Periferia – Cooperativaa população da da Rocinha Desfile de moda organi- zado por moradores da Rocinha, em de Reciclagem Eu Quero Liberdade Com o intuito contribuirimportância de se que jovens modelos da comunidade, capacitados por um curso local, para a discussão ambiental, a mostra trouxe exposições fotográficas eviver de maneira apresentaram as roupas costuradas de artes plásticas, apresentação de pelo Cabe+Um. filmes de curta e de longa-metragemsustentável sobre o meio ambiente (seguidos de debates) e oficinas de criação de artes sustentáveis, cujas obras foram leiloadas. O dinheiro destinado para a realização de outras oficinas em parceria com instituições locais.Inclusão social, acessibilidade e cultura 73
  • 72. Aldeia Global: É Tudo Nosso! – Grupo Corpo em Movimento iniciativa. A Companhia DançandoGrupo Pensar Cultura Por meio de – Associação Niteroiense dos para Não Dançar já encaminhouuma exposição multimídia (vídeos, Deficientes Físicos Cinco pares de cinco meninas das comunidadesfotografia e áudios), foram trans- dançarinos (incluindo usuários de de Pavão-Pavãozinho, Cantagalo,mitidos ao público os temas apre- cadeiras de rodas) trouxeram uma Mangueira e Rocinha para a rea-sentados na Rio+20. O material foi imagem diferente das pessoas com lização de cursos de especializa-produzido pelos alunos e membros deficiências, conscientizando a ção no exterior, bem como parado Grupo Pensar e contribuiu para população sobre a potencialidade a participação em renomadasvalorizar a importância de cada indi- de todos, independentemente das companhias nacionais. O projetovíduo na construção de um coletivo limitações físicas. também foi apresentado à esposamais justo e respeitado. do Secretário Geral da ONU, Projeto Imagem – Identidade: Senhora Yoo Soon-taek.Marco Infantil – Multi Arte Entrelaces – Associação BrasileiraBrasil Ltda. No Lajão Cultural – de Pesquisa e Projetos em Nós Moradores na Foto – Dignitáespaço antes dominado pelo tráfico Educação O projeto buscou pro- Obras Sociais e Educacionais de drogas –, foram montados brin- mover talentos das comunidades de O projeto procurou ensinar técnicasquedos reciclados por crianças que Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, por de fotografia para adolescentes evivem na comunidade da Ladeira dos meio de uma exposição fotográfica jovens das comunidades BabilôniaTabajaras. Também foi construído um itinerante apresentada na Rio+20. e Chapéu Mangueira. Ao final, ostotem como “Marco Infantil” para alunos participaram de uma ca-estimular simbolicamente a revitali- UltraPPasse – Instituto Plano e ravana fotográfica pelas ruas daszação e a manutenção da praça. Ação Brasileiro – Ipab Oficina comunidades, com exposições sobre sobre performance e intervenção cidadania e sustentabilidade.Apoio ao desenvolvimento do urbana. Jovens das comunidadesMuseu da Favela O Museu da Favela com Unidade de Polícia Pacificadora Cia. Folclórica Brincantes – Espaçoestá presente nas comunidades de – UPP prepararam uma mostra com Logos de Cidadania Consciente Pavão-Pavãozinho e Cantagalo. O aulas teóricas e práticas de A companhia levou a arte por meioprojeto teve o objetivo de transformar performance e palestras. de danças folclóricas para espaçosesses morros em museu integral educativos, comunidades e outros(base + território), a ser identificado Pintando o Sete com Portinari grupos sociais. O objetivo foi pro-como monumento turístico da cidade – Associação Dançando Para mover o conhecimento e estimular ado Rio de Janeiro. O objetivo foi Não Dançar No projeto atual, divulgação e valorização das mani-conscientizar os moradores sobre os integrantes da Associação Dançando festações populares.conceitos de cidadania, incentivando Para Não Dançar remontarama cultura local e o desenvolvimento imagens baseadas nas pinturas de Coral Ecumênico Infanto-Juvenilsocioeconômico da população. Portinari, por meio da integração Boa Vontade – Legião da Boa da música com os movimentos Vontade – LBV O Coral, formado coreografados pelos bailarinos. por meninas e meninos de 7 a A profissionalização de jovens, o 14 anos, cantou e tocou músicas incentivo à participação cultural e que abordam os temas educação o combate à exclusão social cons- ambiental e cultura da paz. tituem os principais objetivos da74 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 73. A ampla oferta de recursos de acessibilidade promoveu os direitos das pessoas com deficiência, defendidos pelo Brasil no plano internacional As medidas adotas pelo CNO Rio+20 fizeram da Conferência um marco em termos de acessibilidade.Acessibilidade oficiais geridos pelo CNO Rio+20. Essas medidas fizeram daPor meio da Coordenação de As medidas exigiram a instalação de Conferência um marco em termosAcessibilidade e Inclusão Social, 1.380 metros de pisos táteis e de 90 de acessibilidade e poderãoo CNO Rio+20 encarregou-se de rampas, bem como a disponibiliza- orientar os próximos eventos dacolocar em prática a Convenção ção de 3.284 horas de serviços para ONU, além de iniciativas futurassobre os Direitos das Pessoas com facilitar o acesso das pessoas ao com sede no Brasil. De fato, oDeficiência – o Brasil foi um dos seus conteúdo do evento. Diretor da Divisão de Reuniões eprimeiros signatários. O objetivo foi Publicações do Departamento parapromover os direitos das pessoas com As pessoas com dificuldades visuais a Assembleia Geral e Gerenciamentodeficiência, amplamente defendidos contaram com recursos de au- de Conferências das Nações Unidas,pelo Brasil no plano internacional. diodescrição, enquanto os surdos Magnus Olafsson, declarou em foram atendidos pelos serviços seminário realizado na Rio+20 queO CNO Rio+20 seguiu as diretrizes e de legenda oculta e de tradução sua organização procuraria adotar orecomendações legais, e, com base para a Língua Brasileira de Sinais “modelo brasileiro” de acessibilidade.jurídica e política, levou adiante – Libras e Sinais Internacionais.projetos que proporcionaram Dessa maneira, todos puderamimpactos positivos às pessoas com acompanhar as reuniões por meiodeficiência em todos os espaços de legendas em tempo real. Ademais, a página oficial da or- ganização da Rio+20 contou com recursos de acessibilidade e semân- tica conforme as normas do Modelo de Acessibilidade de Governo Eletrônico – eMAG3.Inclusão social, acessibilidade e cultura 75
  • 74. Acessibilidade:Seu significado naConferência Rio+20Izabel de Loureiro Maior1 Momentos importantes aconteceram Como inquestionável inovação, o na Conferência das Nações Unidas Brasil propôs, planejou, geriu e sobre Desenvolvimento Sustentável realizou o desafio de adotar como A Língua Brasileira de Sinais foi– Rio +20, celebrada de 13 a 22 de prioridade na Conferência Rio+20 a amplamente utilizada como forma de comunicação para que deficientes junho de 2012. Afora seu papel de acessibilidade para as pessoas com auditivos pudessem participar das avaliar a realização de compromis- deficiência. Do sonho à realização, palestras. sos, foram firmados novos acordos inúmeras barreiras foram sendovisando ao crescimento econômico reconhecidas e eliminadas para que consciente, à proteção ambiental outras conferências adotem um compartilhada e à inclusão social novo padrão de garantia de direitos, com erradicação da pobreza. dignidade e participação efetivaO documento final inseriu menções de cerca de um bilhão de pessoas às pessoas com deficiência em cinco no mundo que apresentam limita- parágrafos, conferindo destaque ao ção funcional física, sensorial ou ambiente seguro e saudável e ao seu intelectual. Antes, esse contingente acesso igual à educação. de 15% da população global não76 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 75. No Riocentro, cadeirantes participaram de palestras sobre acessibilidade na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016.podia acompanhar ou intervir por transportes e no atendimento ao a lei que estabelece normas geraissi mesmo, de forma presencial ou à público feito por voluntários capaci- e critérios básicos para a promo-distância (internet e transmissão por tados inclusive para essa finalidade. ção da acessibilidade das pessoascircuito de televisão), nos debates e portadoras de deficiência ou compropostas de desenvolvimento. É conhecido que, no dia a dia das mobilidade reduzida, e as normas pessoas com deficiência, falta técnicas específicas voltadas para aEntendo que a Conferência Rio+20 acessibilidade, e corrigir essa reali- acessibilidade. Seu cumprimento éabriu novas possibilidades de dade depende de investimentos com obrigatório e o contrário tem de serinclusão social. A presença de seriedade e sentido de urgência, co- punido, invertendo o que aconteceespecialistas no tema acessibilidade, nhecimento técnico e recursos orça- atualmente, quando os prejudicadossob uma coordenação com diálogo mentários. Na Rio+20, as decisões e são os cidadãos com deficiência.permanente e direto com o secre- licitações obedeceram a essa lógica,tariado nacional, permitiu que cada servindo para confirmar que se deve Em conclusão, considero altamenteárea de execução do evento conhe- lançar mão da legislação constitu- relevante o fato de a Conferênciacesse a necessidade e as soluções cional recentemente regulamentada Rio+20 ter inaugurado a era daexistentes de recursos de acessibi- pelo Decreto nº 6.949/09, que acessibilidade como requisitolidade na comunicação (intérpretes promulga a Convenção Internacional básico viável nos grandes eventosde sinais, legendas), na informação sobre os Direitos das Pessoas internacionais e nacionais, tanto no(terminais de consulta, site, mapas com Deficiência e seu Protocolo Brasil como no Sistema ONU.táteis, material em Braille ou formato Facultativo, bem como fazer valer o A acessibilidade deixou de serdigital acessíveis), outras formas de Decreto nº 5.296/04, que regulamen- tratada como futuro distante, poistecnologia assistiva empregadas ta a lei que dá prioridade de atendi- é direito das pessoas com deficiên-no ambiente físico construído, nos mento às pessoas que especifica e cia no tempo presente.1 Docente da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, participou da elaboração na ONU daConvenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo e coordenou a elabora-ção do Decreto nº 5.296/04. Foi Coordenadora e Secretária Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência,de 2002 a 2010. Atuou como consultora em acessibilidade no Comitê Nacional de Organização da Rio+20.Inclusão social, acessibilidade e cultura 77
  • 76. voluntários DA CONFERÊNCIA RIO+20 1.191 26 110 voluntários selecionados voluntários selecionados voluntários designados para trabalhar durante por terem conhecimento para apoiar a logística a Rio+20 específico de Libras de sustentabilidade da Rio+20 Programa de País e pessoas com deficiências Voluntariado da Fundação de Apoio à Escola O Programa de Voluntariado da Técnica do Rio de Janeiro – Faetec, Rio+20 foi idealizado pelo Comitê do Instituto Benjamim Constant Nacional em parceria com o PNUD – IBC, do Instituto Nacional de Brasil. Para operacionalizar a inicia- Educação de Surdos – Ines, e da tiva, foram firmados acordos com a Escola da Gente. Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – FIRJAN e a Do grupo de universitários, 26 foram Secretaria de Educação do Estado do selecionados por deterem conheci- Rio de Janeiro, além de instituições mentos específicos de Libras. Todos que trabalham com pessoas com eles receberam treinamentos mul- deficiências. Seus objetivos foram: tidisciplinares por meio de oficinas sobre temas relacionados a direitos • servir como ponte entre diversos humanos, cidadania ativa, meio segmentos da sociedade brasileira ambiente e sustentabilidade. Merece e o evento; ainda registro a apresentação do grupo de dança sobre rodas da Andef, • oferecer oportunidades para que Corpo em Movimento, na formatura jovens adquirissem experiência dos voluntários da Rio+20. com a realização de um evento internacional de grande porte e O CNO Rio+20 procurou incen- capacitá-los para desenvolver o tivar a participação de pessoas trabalho em equipe; com deficiência no Programa de Voluntariado. Ao todo, 50 pessoas • incentivar a prática do integraram o grupo, o que corres- voluntariado. ponde a menos de 4% do total dos voluntários selecionados, O Programa de Voluntários sele- número ainda baixo se compara- cionou 1.191 pessoas para ajudar do com o percentual de pessoas na organização das atividades, com deficiência no Brasil (23,9%, entre estudantes do Ensino Médio segundo o Censo Demográfico de escolas públicas fluminenses, 2010). Esse dado revela o desafio alunos da educação técnica da de promover inclusão social e FIRJAN, universitários de todo o acessibilidade no Brasil, que não se78 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 77. Voluntários pela sustentabilidade Do total de voluntários selecionados pelo Programa de Voluntariado da Rio+20, 110 trabalharam no apoio às ações específicas de logística sustentável do evento. Para isso, o grupo foi especialmente treinado de forma a atuar em três atividades específicas: compensação voluntária de gases de efeito estufa (ver capítulo sobre a dimensão ambiental da organização logística da Rio+20), em que foram calculadas as emissões de GEE relativas a viagens aéreas nacionais e internacionais dos delegados e parti- cipantes da Rio+20 aos quais foi habilitada ferramenta de compensação voluntária; aplicação de questionário ao público, para compreender a percepção dos participantes em relação às atividades de sustentabilidade propostas pelo CNO Rio+20; e monitora- mento das ações de sustentabilidade realizadas durante a Conferência. Esse grupo de voluntários foi reforçado por 14 monitores com conhecimentos em áreas relacionadas às ciências ambientais. Igualmente, esses monitores receberam treinamen- to específico ainda mais consistente e estavam encarregados de fazer as orientações dos especialistas da Coordenação de Sustentabilidade do CNO Rio+20 tornarem-se ações práticas, garantindo seu cumprimento com rapidez e eficiência. O trabalho desenvolvido pelos voluntários e monitores foi essencial para o desenvol- vimento e a abrangência das ações do CNO Rio+20 e foi considerado enriquecedor para todas as partes envolvidas, conforme pesquisa de satisfação, realizada, sobretu- do, com os monitores.restringiu apenas às atividades do No processo de preparação dessas que residissem no Rio de Janeiro.CNO Rio+20. Muitas vezes, pessoas oficinas, o CNO Rio+20 e o PNUD O objetivo foi ampliar seus conheci-com deficiência não se inscrevem Brasil contaram com a parceria de mentos para que vivenciassem expe-em processos seletivos em razão órgãos federais – Ministério do Meio riências profissionais e as utilizassemdos mais diferentes obstáculos de Ambiente, Secretaria de Direitos em seus projetos futuros.acessibilidade que enfrentam ou Humanos e Secretaria de Políticastêm receio de enfrentar. para as Mulheres –; da Secretaria Dentre as atribuições dos voluntários, Estadual de Educação; e de entida- destacam-se o monitoramento dosAntes da atuação nos dias do des de classe, como a FIRJAN, que aspectos voltados à acessibilidadeevento, os voluntários participaram disponibilizou as dependências do e à sustentabilidade do evento e ode oficinas – direitos humanos, SENAI para acolher os jovens na auxílio a pessoas com deficiências.sustentabilidade, importância do fase de treinamento. Os participantes foram orientados porvoluntariado e parte prática – para monitores do CNORio+20 e, duranteintegrá-los entre si e familiarizá-los Grande parte das 1.191 vagas foi o período da Conferência, cumpriramcom os propósitos da Conferência. destinada para jovens de baixa renda jornada de quatro horas diárias.Inclusão social, acessibilidade e cultura 79
  • 78. encontros globais parao combate à pobrezae às desigualdades sociais Concebida, gerida e coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento SocialOs debates e Combate à Fome, a Arena Socioambiental foi um espaço de diálogo do Governo brasileiro com a sociedade na Rio+20. Montada nos pilotis e jardinsna Arena do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, seu objetivo foi divulgar estra-Socioambiental tégias brasileiras bem-sucedidas de combate à pobreza e às desigualdades sociais no contexto do desenvolvimento sustentável.ocuparam toda Entre os dias 16 e 22 de junho, de acordo com a avaliação do Corpo dea área externa Bombeiros, mais de 100 mil pessoas visitaram a Arena Socioambiental, que contou com diversas atividades. A Arena Encontros Globais promoveu doisdo MAM e grandes debates por dia com transmissão ao vivo e interativa pela internet.envolveram O Palco #SonoroBrasil ofereceu programação basicamente percussiva e momentos de resgate das origens sonoras elementares brasileiras. Baseadacerca de 100 mil no conceito “O Brasil é um país que cresce, inclui e protege”, a Exposição Portinari+Brasileir@s apresentou o avanço da inclusão social no Brasil,pessoas alavancado em políticas públicas sociais. A Praça da Sociobiodiversidade permitiu a comercialização de produtos da biodiversidade brasileira. E o Café+20 também fez parte da programação na Arena Socioambiental, ofere- cendo produtos orgânicos em um espaço de convívio dos participantes. Beneficiários de programas sociais do Governo Federal, como o Bolsa Família e o Programa de Aquisição de Alimentos – PAA, comercializaram sua produção, cumprindo o objetivo da Praça da Sociobiodiversidade de contri- buir para a construção de caminhos sustentáveis. A ação buscou ampliar o espaço de divulgação dos produtos e serviços feitos por empreendimentos extrativistas associados aos biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal, Zona Costeira e Pampa. Algumas empresas parceiras da Rio+20 fincaram suas bandeiras junto à Arena Socioambiental e no Parque do Flamengo, onde foi realizada a Cúpula dos Povos. O SEBRAE instalou nessas duas áreas a Feira do Empreendedor, o Espaço Educação e a Mostra SEBRAETec de Tecnologias Verdes. Já a Caixa Econômica Federal montou um estande, três quiosques, um caminhão-agência e quatro caixas eletrônicos, além de ter patrocina- do o espetáculo do músico Gilberto Gil, no auditório anexo ao MAM. Os Correios instalaram estande institucional com a iniciativa Ação EcoPostal, e expuseram seu novo carro elétrico. O Banco da Amazônia, em seu estande institucional, apresentou produtos e serviços oferecidos na região amazôni- ca em parceria com o Governo Federal.80 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 79. Estratégias brasileiras bem- -sucedidas de combate à pobreza e às desigualdades sociais foram apresentadas e debatidas na Arena Socioambiental. A Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, o Coordenador de Processos Internacionais do Instituto Vitae Civilis, Aron Belinky, e o Diretor-Geral da FAO, José Graziano, discutiram os resultados da Rio+20 mediados pela filósofa Viviane Mosé.Inclusão social, acessibilidade e cultura 81
  • 80. Desenvolvimentosustentável noBrasil, 1992–2012 O meio ambiente não é um adereço. Faz parte de nossa visão de crescer e incluir. Esse pavi- lhão vai mostrar um pouco do que o Brasil tem feito pelo desenvolvimento sustentável ao longo dos últimos anos, de como o Brasil cumpre seus compromissos e como consideramos a susten- tabilidade o eixo principal do desenvolvimento. É possível fazer um país crescer respeitando o meio ambiente. Hoje, 20 anos depois da Rio 92, vamos dar um recomeço a esse processo.” Dilma Rousseff Presidenta da República, ao inaugurar o Pavilhão Brasil, no dia 13 de junhoCom área privilegiada de 4 mil m² no Parque dos Atletas, Na estrutura central, criou-se uma mostra multimídiao Pavilhão Brasil apresentou ao público da Conferência com vídeos e instalações interativas, reunindo temasRio+20, entre 13 e 24 de junho, políticas públicas volta- relevantes da evolução do desenvolvimento sustentá-das para a sustentabilidade ambiental, social e econô- vel no Brasil desde a Conferência Rio 92 e apontandomica no Brasil. Coube à Agência Brasileira de Promoção desafios para os próximos anos. O filme principal foi pro-de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil o plane- duzido com áudio em português e legendas em por-jamento da exposição e a execução das atividades de tuguês, espanhol e inglês, a fim de atender visitantesdebates do espaço. com deficiência auditiva.O Pavilhão Brasil obedeceu as Diretrizes para Edificações A exposição foi organizada em cinco eixos temáticos:Efêmeras mais Sustentáveis requeridas pelo CNO Rio+20. Inovação e Produção Agrícola Sustentável; InclusãoPartindo de uma concepção sustentável, a construção Social e Cidadania; Energia e Infraestrutura; Turismo,deu-se de forma modular, com contêineres marítimos Grandes Eventos e Cultura; e Meio Ambiente. No espaçoreaproveitáveis reunidos em torno de uma arena central que circundou o Pavilhão, criaram-se quatro áreas sobrecom quatro arquibancadas para 120 pessoas. inovação, tecnologia sustentável e inclusão social, como os programas Minha Casa, Minha Vida e Água Doce.Espaço semiaberto, o Pavilhão Brasil dispensou o uso de Ademais, houve uma mostra de produtos desenvolvidosar condicionado mesmo durante eventos diurnos com pela Embrapa, como o algodão colorido, e a Feira daocupação total, reduzindo consideravelmente o consumo Sociobiodiversidade, que expôs frutas típicas de diferen-de energia. O uso de contêineres deu economicidade tes regiões brasileiras.ao projeto devido à facilidade de montagem e desmon-tagem. Pisos, painéis e outros materiais de construção  Saiba Mais sobre o Pavilhão Brasil emforam recolhidos após o evento, diminuindo a quantidade www.pavilhaobrasil.rio20.gov.brde resíduos sólidos ao final da desmontagem. O InstitutoDoe Seu Lixo encarregou-se de recolher para reciclagemos resíduos sólidos, que foram separados segundo asnormas do PGRS Rio+20. Um elevador foi instalado paraque cadeirantes e outras pessoas com dificuldades delocomoção tivessem acesso ao segundo piso.82 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 81. Visão panorâmica do Pavilhão Brasil com sua iluminação noturna. Montada na área externa do Pavilhão Brasil, a Feira de Sociobiodiversidade expôs grande variedade de frutas de diferentes regiões do Brasil. Algodão naturalmente colorido com qualidade comercial, êxito brasileiro em sustentabilidade: gera renda a famílias do semiárido, dispensa corantes e reduz uso de água.Inclusão social, acessibilidade e cultura 83
  • 82. Educadoresambientais Esse trabalho foi de grande importância para todos nós, já que o evento havia sido muito divulgado, teve a pre- sença de Chefes de Estado, e, com isso, levamos o tema para mais pessoas. Trabalho há 20 anos como catador e, atualmente, estou na Gerência de Educação Ambiental, acompanhando o programa de coleta seletiva no lixão de Jardim Gramacho, e atuar na Rio+20 somou ainda mais à minha experiência.” Anderson da Conceição 37 anos, catador de material reciclável no antigo lixão de Jardim Gramacho A Rio+20 nos deu a oportunidade de mostrar nosso tra- balho às outras empresas e à sociedade. Os 69 catadores que trabalharam no evento puderam apresentar, em todos os espaços oficiais, um pouco do que fazemos e como a sociedade pode colaborar para a coleta seletiva. Fomos bem recebidos pelos visitantes, que se mostra- vam atentos às nossas explicações. Em nenhum outro momento fomos tão reconhecidos como nesse evento, sendo até entrevistados por diversos jornais, inclusive de outros países. Vamos guardar a camiseta ‘Sou catador educador ambiental’ como marco para o começo de um bom momento.” Catadores de materiais recicláveis orientaram o público a identificar os diferentes tipos de resíduos. Elisabete Mendes 41 anos, catadora educadora nos eventos oficiais da Rio+20Uma ideia original, inovadora e muito valiosa da A iniciativa foi incentivada e apoiada pelo PNUD BrasilCoordenação de Sustentabilidade do CNO Rio+20 com e pela Gerência de Educação Ambiental do Institutogrande impacto social. Assim pode ser definida a ação Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro – Inea por meiodos 69 catadores de materiais recicláveis que atuaram do Programa Coleta Seletiva Solidária, que prevê a inclu-como educadores ambientais. Tendo em vista o grande são e a capacitação dos catadores em outras atividadesdesafio que sempre representa a comunicação da gestão relacionadas à gestão de resíduos sólidos.de resíduos em megaeventos, prestaram importanteserviço de sensibilização pública durante a Rio+20. O Os educadores ambientais participaram de treinamentotrabalho consistiu em orientar os visitantes e as empre- conduzido pela Coordenação de Sustentabilidade dosas fornecedoras sobre a coleta seletiva, indicando qual CNO Rio+20, além de terem recebido treinamentocoletor deveria ser usado para armazenar cada tipo de específico do Inea.resíduo e destacar a importância da separação correta.84 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 83. O Pilar Socialdiálogos para odesenvolvimentosustentávelNo contexto da Conferência Dez temas-chave da agenda dodas Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável foram As sessões dos DiálogosDesenvolvimento Sustentável - abordados: (1) desemprego, trabalho no Riocentro tiveram públicoRio+20, entre os dias 16 e 19 de decente e migrações; (2) desenvolvi- presente médio de 1,3 mil pessoas.junho de 2012, foram realizados os mento sustentável como resposta àsDiálogos para o Desenvolvimento crises econômicas e financeiras; (3)Sustentável, iniciativa brasileira desenvolvimento sustentável para oque contou com o apoio das combate à pobreza; (4) a economiaNações Unidas. do desenvolvimento sustentável, incluindo padrões sustentáveis deConcebidos pelo Governo brasileiro, produção e consumo; (5) florestas;os Diálogos podem ser considera- (6) segurança alimentar e nutricional;dos a primeira oportunidade em (7) energia sustentável para todos;que, de forma inclusiva e participa- (8) água; (9) cidades sustentáveis etiva, representantes da sociedade inovação; (10) oceanos.civil puderam fazer recomendaçõesdiretamente aos Chefes de Estado No Rio de Janeiro, os Diálogose de Governo em uma conferência foram o ápice de um processodas Nações Unidas. de consultas iniciado em abril deInclusão social, acessibilidade e cultura 85
  • 84. para cada tema dos Diálogos. Das geográfica, área de conhecimento, mais de 850 recomendações envia- grupo de interesse etc. Todos os debates foram transmitidos ao vivo, com apoio de serviços de das, as que obtiveram maior quanti- legenda oculta e de tradução para dade de apoios na plataforma digital Os Diálogos foram inaugurados pelo Libras e Sinais Internacionais. foram transferidas para uma página Ministro das Relações Exteriores do aberta (http://vote.riodialogues.org). Brasil, Embaixador Antonio de Aguiar Qualquer pessoa, independentemen- Patriota, e pela co-Coordenadora te de registro na plataforma digital, executiva das Nações Unidas para a2012, que contou com a partici- pôde votar nas propostas de sua Rio+20, Elizabeth Thompson, e forampação de mais de 12 mil pessoas preferência. Mais de 63 mil pessoas, encerrados pelo Ministro-Chefe daem uma plataforma digital espe- de 193 países, deram 1,4 milhão de Secretaria-Geral da Presidênciacialmente criada para a iniciativa votos no sítio aberto. da República, Gilberto Carvalho, e(www.riodialogues.org). pelo co-Coordenador Executivo das Cem recomendações formaram a Nações Unidas para a Rio+20, BriceOrganizada de forma similar a uma base das discussões durante a fase Lalonde. As sessões dos Diálogosrede social, a plataforma digital final dos Diálogos, realizada na sala contaram com um público presentepropiciou discussões amplas e plenária principal do Riocentro, pos- médio de 1,3 mil pessoas. Todos osabertas. Cada tema dos Diálogos teriormente ocupada pelos Chefes debates foram transmitidos ao vivo,foi tratado em um espaço virtual de Estado e de Governo dos países com apoio de serviços de legendaespecífico em que as discussões presentes à Conferência. Os Diálogos oculta e de tradução para Libras eforam facilitadas por três professores contaram com a participação de 100 Sinais Internacionais, e ainda estãoou pesquisadores de universidades debatedores em 10 painéis, cada disponíveis, no site do Departamentoe centros de pesquisa reconhecidos um dedicado a um dos temas. Os de Informação Pública das Naçõesinternacionalmente. debatedores foram escolhidos pelo Unidas (http://webtv.un.org). Durante Governo brasileiro após consulta a cada sessão dos Diálogos, o públicoNessa plataforma digital os parti- mais de 40 organizações não gover- presente teve ampla oportunidadecipantes puderam propor e apoiar namentais, no Brasil e no exterior. de participação, tanto por meio darecomendações concretas para Nesse processo, houve preocupação votação nas recomendações de suapromover o desenvolvimento susten- em distribuir os convites, de forma preferência, quanto por meio de per-tável, a fim de pré-selecionar 10 delas equilibrada, por gênero, região guntas e contribuições substantivas86 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 85. Das 100 recomendações em debate, 10 foram escolhidas pelo voto aberto na Internet. Durante cada sessão, o público presente teve ampla oportunidade de participação.Inclusão social, acessibilidade e cultura 87
  • 86. Mesa redonda “Looking at the way forward in implementing the expected outcomes of the Conference” durante o Segmento de Alto Nível da Rio+20.Trinta recomendações dosDiálogos foram levadas aos Chefes No sentido horário: Wen Jiabao, Primeiro-Ministro da China; Armandode Estado e de Governo que Emilio Guebuza, Presidente de Moçambique; François Hollande, Presidente da França; Anote Tong,integraram mesas redondas no Presidente do Kiribati; Julia Gillard, Primeira-Ministra da Austrália; MichelSegmento de Alto Nível da Rio+20 Joseph Martelly, Presidente do Haiti.para as discussões. As 10 sessões e apresentadas pelos rapporteurs No momento, o Governo brasileiroforam moderadas por 10 jornalistas dos Diálogos (escolhidos entre os e o PNUD estão examinando ca-de prestígio internacional, sugeridos debatedores) aos Chefes de Estado e minhos para continuar a explorar ae convidados pela Secretaria de de Governo que integraram as mesas fórmula dos Diálogos e sua platafor-Comunicação Social da Presidência redondas durante o Segmento de ma digital após a Rio+20.da República. Alto Nível da Conferência. Lista de temas e participantes, comDas 100 recomendações oriundas Muitos participantes e autorida- respectivas recomendações, bemda plataforma digital, 30 foram des presentes reconheceram que como informações adicionais sobreescolhidas pelos Diálogos (três os Diálogos foram um avanço no os Diálogos para o Desenvolvimentopor tema; uma pelo voto aberto na esforço de aumentar a participação Sustentáveis podem ser obtidas noInternet, uma pelo voto do público da sociedade civil na Conferência, site das Nações Unidas: http://www.presente e outra pelos debatedores) principalmente porque incluíram, de uncsd2012.org/sddialoguedays.html. forma eficiente e inovadora, as preo- cupações e propostas da sociedade civil nos resultados da Conferência.88 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 87. Presidenta Dilma Rousseff e o Primeiro-Ministro da Índia, Manmohan SinghInclusão social, acessibilidade e cultura 89
  • 88. o pilar socialCultura, novaplataforma dasustentabilidade Sustentabilidade divulgada e alcan- apresentações musicais, exposições,Os temas çada por meio de ações culturais. oficinas, mostras de audiovisuais e Esta é mais uma iniciativa que, de gastronomia e outras manifes-e ideais da nos próximos anos, deve se unir tações culturais com enfoque nasustentabilidade com mais força aos três pilares do Desenvolvimento Sustentável: econô- sustentabilidade e na diversidade da cultura brasileira.orientaram a mico, social e ambiental. Esse avanço serviria como facilitador na mudança No dia 19 de junho, realizou-seelaboração de de consciência e de postura sobre a o Seminário Internacional sobre relação das pessoas com o planeta, Cultura e Sustentabilidade, emuma agenda além de incentivar o acesso à cultura parceira com a entidade Cidade eoficial de eventos e utilizá-la como fonte de comunica- ção interdisciplinar. Governos Locais Unidos – CGLU (em inglês, UCLG). O objetivo foiculturais durante Com esse entendimento, o CNO discutir a importância da Cultura para o desenvolvimento sustentávela Conferência Rio+20 incorporou ou ajudou a a partir de uma visão que contemple incorporar à programação oficial a economia criativa, as diversida- alguns eventos culturais que aumen- des étnicas, sociais e religiosas, as taram a percepção e a conscienti- particularidades locais e o direito de zação a respeito dos temas e ideais expressão cultural. Participaram da da Conferência. mesa de abertura o Ministro, interino, da Cultura, Vítor Ortiz, o Presidente Galpão da Cidadania: da CGLU e prefeito da cidade de núcleo sociocultural Istambul, Turquia, KadirTopbas, o no coração do Rio Subdiretor-Geral de Planificação Instalada nos quase 6.000 m² do da Unesco, Hans d’Orville, e o Galpão da Cidadania com apoio Secretário Municipal de Cultura do do CNO Rio+20, a Cultura Rio+20 Rio de Janeiro, Emilio Kalil. foi um espaço multicultural que, de 14 e 22 de junho, o Ministério da Cultura ofereceu à cidade do Rio de Janeiro e seus visitantes para a reflexão e debate sobre a importân- cia da cultura como eixo estratégico do Desenvolvimento Sustentável. Sob a égide dos temas da Rio+20, foram ali organizados seminários,90 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 89. Concerto Quero o meu futuro, com regência do maestro brasileiro João Carlos Martins, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Concerto de Gala Chico Rei, do compositor brasileiro Francisco Mignone, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Videoinstalação sensorial Brasil Cerrado, do artista goiano Siron Franco, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.Inclusão social, acessibilidade e cultura 91
  • 90. sustentabilidade e diversidade 600 180° 6 m² de área montada de palco simularam mil m² para no MAM para a um grande abraço no manifestações culturais videoinstalação Brasil espetáculo Um Brasil e debates no Galpão Cerrado para Iniciantes da  Cidadania A Fundação Biblioteca Nacional multidisciplinares e educativas no apresentou parte de seu imenso momento em que se atravessava acervo físico e digital, e de seus um túnel coberto de vegetação. parceiros, com obras relacionadas ao tema da Conferência e cole- O espaço reservado à exposição ções relacionadas à botânica e de Queima do Alho trouxe os utensílios coleções de viajantes, além de uma culinários – chamados de tralha – mostra de produtos do Programa utilizados pelos peões boiadeiros Cultura Viva. durante suas viagens. O objetivo da mostra de Gastronomia Cultural foi apresentar um pouco da história da-A história dos que ajudaram a queles que ajudaram a desenvolver a sociedade, a economia e a culturadesenvolver a sociedade, a economia do Brasil. Foram servidos mil pratose a cultura do Brasil foi apresentada para degustação do público visitante.na mostra de Gastronomia Cultural O cinema também esteve presente no Galpão da Cidadania com projeções do filme Xingu, de Cao Hamburger, que narra a A exposição fotográfica sensorial saga dos irmãos Villas-Bôas, e do No Coração do Mundo trouxe aos documentário Paralelo 10, de Sílvio visitantes a essência da energia da Darin, que registra o retomo do floresta, seus segredos e descober- sertanista José Carlos Meirelles e tas por meio das imagens do fotó- do antropólogo Terri de Aquino à grafo Marcos Lopes, que contam a região do Acre para aproximarem- história do povo indígena Yawanawa -se de índios isolados. do Acre, durante o Festival Yawa. Concebida como inserção de uma A programação completa preparada floresta e seus habitantes em solo pelo Ministério da Cultura pode urbano, a exposição permitiu viven- ser obtida no endereço eletrônico ciar experiências multissensoriais, www.cultura.gov.br/riomais20.92 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 91. O artista plástico Siron Franco utilizou sons, imagens e sensações em seu alerta sobre o Cerrado Videoinstalação água e calor nos diferentes ambien- Brasil Cerrado tes, conduziram os visitantes a um Uma das principais atrações culturais passeio profundo por um universo da Rio+20 ocupou o salão principal onde a natureza é soberana. do Museu de Arte Moderna, no período de 12 a 24 de junho. Trata-se A destruição que assola o Cerrado da videoinstalação sensorial Brasil deu a tônica da segunda parte da Cerrado, especialmente criada para instalação. A sensação de perda e o evento pelo artista plástico Siron de urgência ficou clara, e o visitante Franco, a convite da Ministra do pôde entender as necessidades Meio Ambiente Izabella Teixeira imperativas das ações de proteção e com apoio do CNO Rio+20, da ambiental do bioma Cerrado, o Volkswagen, da Coca-Cola Brasil e segundo maior do país. “A intenção de um banco nacional. é provocar conforto e desconforto. Apresento o acolhimento que a Com entrada franca e mais de 600m² natureza nos proporciona, e também de área montada, distribuídos em a destruição que o homem vem cau- quatro salas e dois megapainéis, a sando”, afirmou Siron Franco. Ao fim videoinstalação foi concebida para da visita, o público pôde ver mapas aproximar o visitante das belezas da degradação, em tempo real, via do Cerrado brasileiro e explicitar a satélite, diretamente da página urgência de sua preservação. De eletrônica do Instituto Nacional de forma criativa e lúdica, o artista Pesquisas Espaciais – INPE. apresentou um novo e belo mundo ao visitante. Insetos, flores, pássaros, O pintor, desenhista e escultor animais, texturas, cores e odores do nasceu em Goiás Velho, Estado de Cerrado apresentados em grandes Goiás, e passou sua infância e ado- projeções com alta definição, escul- lescência em Goiânia. Desde tenra turas, fotos e textos. A sonorização idade, o Cerrado tornou-se uma dos espaços, a aplicação de essên- de suas paixões, marcando forte cias específicas da região e a pre- presença em seu trabalho. Dono sença de elementos sensoriais, como de uma técnica impecável, SironInclusão social, acessibilidade e cultura 93
  • 92. Samba na Rio+20 Para marcar a abertura da Conferência Rio+20, o Governo brasileiro ofereceu coquetel no pátio central do Riocentro, no dia 13 de junho, com a presença de cerca de 3 mil convidados, entre os quais repre- sentantes das empresas parceiras da Rio+20. Oferecidas pelo Grupo Invepar, as atrações musicais do evento foram o Sururu na Roda, grupo musical precursor da revitalização do bairro boêmio da Lapa, um dos principais redutos cariocas do samba, e bateria, passistas, mestre-sala e porta-bandeira do Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, fundadora do Carnaval carioca e uma das mais tradicionais e conhecidas escolas de samba do Rio de Janeiro. possui mais de três mil obras criadas, Rio+20: Sustentabilidade além de instalações e interferências, em 24 quadros representadas nos mais importantes Por ocasião da Conferência salões e bienais internacionais. das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – Como asseverou a Ministra Izabella Rio+20, a Cinemateca do Museu de Teixeira, o Cerrado “é uma das joias Arte Moderna do Rio de Janeiro foi da coroa da rica biodiversidade restaurada, com apoio do Ministério brasileira... segundo maior bioma do das Relações Exteriores, para apre- país, o Cerrado ocupa uma área de sentar uma retrospectiva de filmes mais de 2 milhões de hectares, apro- que discutem os temas dos pilares ximadamente 24% do território na- do desenvolvimento sustentável: cional. É o bioma brasileiro que mais o crescimento econômico, a inclusão faz limites com os demais. A Oeste e social e a proteção ambiental. Norte, encontra-se com a Amazônia; a Nordeste, com a Caatinga; a A mostra abrangeu do curta Sudeste, com a Mata Atlântica; e a ao longa-metragem e diversos Sudoeste, com o Pantanal, o que lhe gêneros: filmes de animação, confere uma característica única... A documentários, dramas, comé- arte, engajada, é parceira importante dias e ficções científicas. Foram e imprescindível nesse processo. A exibidas produções de 22 países: escolha de Siron Franco para trazer Alemanha, Bélgica, Canadá, à Rio+20 sua visão privilegiada do Estados Unidos, Estônia, França, mundo que o cerca, do seu habitat, Finlândia, Grã-Bretanha, Irã, não foi ao acaso. Sua arte ecologi- Israel, Japão, Senegal, Letônia, camente militante é um dos frutos Lituânia, Mali, Marrocos, Paraguai, genuínos do Cerrado e também um Portugal, Rússia, República sinal de alerta vigoroso”. Tcheca, Ucrânia e Brasil.94 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 93. O evento contou também comdiversos clássicos da história docinema, como Hiroshima, meu amor,de Alain Resnais, e O Homem deAran, de Robert J. Flaherty; e filmesque receberam os maiores prêmiosnos mais importantes festivais inter-nacionais, entre eles Caça ao Leãocom Arco, de Jean Rouch (Leãode Ouro no Festival de Veneza),Vizinhos, de Norman MacLaren(Oscar de melhor curta-metragem),e Ilha das Flores, de Jorge Furtado Retrospectiva de filmes na(Urso de Prata no Festival de Cinemateca do MAM promoveu debate sobre o crescimentoBerlim). Jean Epstein, Leon Hirzman, econômico, a inclusão socialAlexander Kluge, Akira Kurosawa, e a proteção ambiental.Humberto Mauro e Nelson Pereirados Santos também estiveram entreos grandes cineastas da mostra. da fabricação dos objetos desde a extração de matérias-primas naAs obras ressaltaram a interrelação natureza até sua comercialização,entre meio ambiente, diversidade analisando também o papel doscultural, direitos humanos, padrões governos e corporações, e emde consumo e produção e a desti- Quanto vale ou é por quilo?, denação dos resíduos gerados pelas Sérgio Bianchi, que faz uma ana-sociedades humanas. É o que se vê, logia entre o antigo comércio deem particular, no curta A História escravos e a atual exploração dadas Coisas, de Louis Fox, que trata miséria pelo marketing social.Inclusão social, acessibilidade e cultura 95
  • 94. Dersu Uzala, do mestre japonês Akira Kurosawa, integrou a mostra internacional de cinema exibida na Cinemateca do MAM A proposta de integrar uma mostra de concorrido coquetel. Na noite deA mostra de de filmes internacionais com sessões 20 de junho, MAM e CNO Rio+20 gratuitas no calendário de eventos promoveram sessão especial, emcinema do oficiais da Rio+20 não foi apenas que foi exibido Dersu Uzala, deMAM estimulou criar um espaço para participantes e grande público assistirem a filmes, Akira Kurosawa, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro dedebates e trocas tendo a sustentabilidade como enredo. 1976, seguida de palestra e debate Na verdade, ao instigar o Museu com o crítico de cinema Carlosde experiências de Arte Moderna do Rio de Janeiro Mattos, o Coordenador do Programa a realizar essa mostra, com apoio de Educação para Sociedadessobre o cultural do Grupo CCR, o CNO Rio+20 Sustentáveis do WWF Brasil, Fábiodesenvolvimento fez desses filmes, obras de primeira grandeza da sétima arte, instrumentos Cidrin, e a presidente da OSCIP Instituto 5 Elementos – Educação parasustentável de estímulo de debates e de trocas de experiências individuais após a proje- a Sustentabilidade, Mônica Borba. ção das películas, na melhor tradição Para o crítico1, “os filmes de temática do cineclubismo no Brasil. Ícone da socioambiental formam talvez a ‘nova vida cultural carioca entre os anos 50 esquerda’ do cinema, na medida em e 60, intimamente ligada à gênese que repercutem temas e métodos do do Cinema Novo e localizada no cinema de engajamento político dos coração dos espaços oficiais geridos anos 1960 e 70. Como aquele, este é pelo CNO Rio+20 no Parque do um cinema feito ‘para mudar o mundo’ Flamengo, não haveria lugar melhor a partir da mentalidade do público. que a Cinemateca do MAM para abrigar o debate do desenvolvimento “Tal como um cinema pretensamente sustentável em torno de narrativas revolucionário da década de 60 do cinematográficas. século passado, o cinema ‘verde’ pode apelar às táticas do didatismo A abertura ocorreu no dia 12 de junho, com a exibição do filme 1 Ver http://carmattos.com/2012/06/22/ Raoni, de Carlos Saldanha, seguida consideracoes-sobre-o-cinema-verde/.96 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 95. e da denúncia. São filmes que fazemum movimento na direção de ‘ondeo povo está’, indo até os confins da A famosa obraAmazônia ou da África, aos lixões, às Retirantes, de Cândido Portinari, foialdeias, às comunidades mais remotas. reproduzida durante o espetáculo Um Brasil“As diferenças de temas refletem para iniciantes, na parte dedicada à região uma certa mudança de pauta na Nordeste brasileira. própria esquerda – da transformação da sociedade pela via político-ideo- lógico-revolucionária para a via do jogo democrático, da inclusão social e do cuidado com o meio-ambiente”. Carlos Mattos defende ainda que“no âmbito do cinema socioam- biental [haja] uma separação entre filmes extrativistas e sustentáveis. Extrativistas seriam aqueles que apenas ‘exploram’ seus objetos: coletam informações, personagens e situações. Sustentáveis seriam aqueles que deixam algo em troca, direta ou indiretamente.”“Essa classificação”, argumenta o crítico, “não deve ser confundida com juízo de qualidade, mas se liga à atitude do filme perante seus objetos e o próprio meio-ambiente. Estamira seria um filme extrativista, embora seja melhor que Lixo Extraordinário, que é sustentável. Nanook, o Esquimó é extrativista; Dersu Uzala é sustentável, pois colaborou na formação de uma consciência eco- lógica. Documentários etnográficos clássicos sobre índios são extrativis- abraço”, apresentaram-se artistas tas; os filmes da Vídeo nas Aldeias brasileiros consagrados como Jair são sustentáveis, uma vez que Rodrigues, Alcione, Tony Garrido, retribuem aos índios com os meios Emílio Santiago, Chitãozinho para construir sua própria imagem”. Xororó, Luiza Possi e Zélia Duncan, e coreografias de Carlinhos de JesusUm Brasil para os artistas que representarampara Iniciantes as culturas e características regio-No dia 20 de junho, na quadra nais brasileiras. Ao fundo, um telãocentral da Arena da Barra, a de 180 graus, que acompanhava oPresidenta Dilma Rousseff ofereceu palco, exibiu imagens exuberantesaos Chefes de Estado e de Governo, das cinco regiões brasileiras, Norte,a altas autoridades e a convidados Nordeste, Centro-Oeste, Sul eespeciais o espetáculo musical Um Sudeste, que dividiram as partes doBrasil para iniciantes, concebido musical. Segundo Abel Gomes, por-e dirigido pelo cenógrafo Abel tuguês do Vizeu e “carioca da gema”Gomes. Num palco montado em por adoção, nos 47 minutos de180 graus para simular, segundo espetáculo, os convidados fizeramseu idealizador, “um grande um “passeio pela cultura brasileira”.Inclusão social, acessibilidade e cultura 97
  • 96. O espetáculo Um Brasil para Iniciantes terminou com a Presidenta Dilma Rousseff cumprimentando os artistas no palco, ao som de Alcione, a voz do samba.Precedido de recepção, o evento 2000, de Atenas, em 2004, e determinou literalmente em samba. Pequim, 2008, e do Espaço Brasil, As BachianasDiante da apoteose de imagens do em Paris, durante o Ano do Brasil naRio de Janeiro e do planeta Terra, França, em 2005; do revezamento brasileiras, deque encerravam o espetáculo sob aindagação “Como será o amanhã?” da tocha olímpica no Rio de Janeiro, em 2004; e do Réveillon, na praia de Villa-Lobos,em português e nos idiomas oficiaisda ONU, a Presidenta Dilma Rousseff Copacabana, em 2011. e Chico Rei,subiu ao palco para cumprimentar Concerto de Gala de Franciscoos artistas, ao som de Alcione, Por ocasião da Conferênciaa voz do samba. das Nações Unidas sobre Mignone, foramCenógrafo por formação, Abel Desenvolvimento Sustentável – Rio+20, o Governo brasileiro ofereceu destaque noGomes trabalha há mais de 30anos na área de criação e direção às delegações, participantes e convi- dados especiais o concerto de gala concerto de galade grandes espetáculos. Iniciou a com a obra Chico Rei, de Francisco oferecido aoscarreira na TV Globo, onde assinou Mignone, e a suíte Bachianas brasilei-a concepção e cenografia de pro- ras n° 4, de Heitor Villa-Lobos. participantesgramas como Fantástico, Globo deOuro e espetáculos especiais do Realizado no Theatro Municipal do durante acantor Roberto Carlos. Possui emseu currículo, entre outros, projetos Rio de Janeiro, no dia 21 de junho, o evento especial contou com a Conferênciacenográficos e de direção das visitas Orquestra Sinfônica e Coro dodo Papa João Paulo II ao Brasil, em Theatro Municipal e a participação1980 e 1997; de todas as edições do especial de Ana Botafogo, sob aProjeto Aquarius e do Grande Prêmio direção de Carla Camurati e GringoBrasil de Fórmula 1; da Casa Brasil, Cardia. Homenagem ao Brasil, suasnos Jogos Olímpicos de Sidney, em cores e multiplicidade por meio da música e da dança, o espetáculo extraiu sua beleza da convergência das culturas europeias e africanas,98 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 97. Concerto de Gala da Rio+20, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com obras de Francisco Mignone e de Heitor Villa-Lobos das quais o maracatu se originou, há Chico Rei conta a história de um Autodidata, viajou pelo interior do mais de 400 anos, como ritmo afro- escravo monarca, Chico Rei, nascido Brasil pesquisando o folclore na--brasileiro e tradição dos escravos no Congo e capturado com toda a cional e músicas diferentes das que provenientes da África. sua corte por comerciantes portu- se acostumara: modas caipiras, de gueses traficantes de escravos. De viola e outros tipos, que mais tardeNascido em São Paulo, em 1897, sua família, somente ele e seu filho universalizou por meio de suas obras.e falecido no Rio de Janeiro, em sobrevivem à viagem até o Brasil, no Já consagrado, organizou e dirigiu a1986, Francisco Mignone foi pianis- navio negreiro Madalena, para serem introdução e o ensino da música e dota, regente e compositor erudito. comprados pelo proprietário de uma canto coral nas escolas e a dissemi-Agraciado, em 1920, com uma bolsa mina em Minas Gerais. Ao fim, Chico nação do canto orfeônico no Brasil.de estudos em Milão, escreveu lá Rei consegue comprar sua liberdade,sua primeira ópera, O Contratador a de seu filho e a própria mina, cujos Bachianas brasileiras é uma série dede Diamantes. De volta ao Brasil, fez lucros permitem-lhe comprar a alfor- nove composições para formaçõesdiversas parcerias, dentre elas, com ria de todos os seus compatriotas. diversas, escritas entre 1930 e 1945.Mário de Andrade, com quem conce- Nelas, o compositor carioca fundiubeu, em 1929, Maracatu de Chico Rei, Heitor Villa-Lobos nasceu, em 1887, e folclore brasileiro e formas pré-entre outras obras. morreu, em 1959, no Rio de Janeiro. -clássicas no estilo de Bach, o que se Sua formação musical foi muito evidencia nos títulos, sempre sendo influenciada pelos saraus na casa um bachiano e outro brasileiro. da família. Apresentado à obra de J. S. Bach, buscou no compositor alemão a fonte de inspiração para criar sua suíte Bachianas Brasileiras.Inclusão social, acessibilidade e cultura 99
  • 98. Além de sede de debates, o Espaço Tom Jobim foi palco de apresentação de concerto com estudantes da rede pública municipal. Concerto de Vozes Meninos do Rio, formada Quero Meu Futuro por cem meninos e meninas, O Espaço Tom Jobim, no bairro do apresentaram o concerto Quero o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, meu Futuro. Transmitido ao vivo foi espaço de reflexão e debates pela TV NBR, o espetáculo musical durante a Conferência. De 11 a 14 contou com apoio do CNO Rio+20, de junho, sediando oito debates da Volkswagen e do Grupo CCR. realizados pelo Ministério do Meio Ambiente. Temas como florestas O maestro paulistano abriu a noite do século XXI, resíduos sólidos, ao piano, instrumento que toca produção e consumo sustentável, desde os oito anos, e encerrou com empreendedorismo verde, sus- a peça Cantata Rio+20, produzida tentabilidade financeira, unidades especialmente em homenagem de conservação e participação da à Conferência, que reuniu repre- juventude nesse processo estiveram sentantes de 191 países no Rio de na pauta das discussões. Janeiro, entre os dias 13 e 22 de junho. Na ocasião, a Ministra do Meio O Espaço Tom Jobim também Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou ficou marcado pelo encerramento que “[a Rio+20] foi uma conferência das atividades do Ministério do de partida e não de chegada, e Meio Ambiente na Conferência e, a música mostra isso”. Arrematou no dia 22 de junho, como palco do ao concluir que “não precisamos último grande evento cultural da esperar o futuro, temos que fazer Rio+20. Sob a regência do maestro agora e temos que fazer com eles”, João Carlos Martins, a Orquestra lembrando que 49 milhões de brasi- Filarmônica Bachiana e a Orquestra leiros têm menos de 19 anos.100 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 99. Os voluntários compuseram o mosaico global da Rio+20. A Rio+20 congregou no Rio de Janeiro as mais diferentes etnias, religiões e culturas do planeta. A Diretora Executiva da ONU Mulheres, Michelle Bachelet, promoveu na Rio+20 o papel da mulher para o desenvolvimento sustentável.Inclusão social, acessibilidade e cultura 101
  • 100. PARCERIAS PARA ODESENVOLVIMENTOSUSTENTÁVELA busca por parcerias pautou-sepela seleção de empresas eentidades públicas e privadas quedemonstrassem compromisso com odesenvolvimento sustentável. Seguindoessa estratégia, todas contribuírampara o sucesso da Conferência.
  • 101. Pilar EconômicoCompromissoe engajamento O Comitê Nacional de Organização Reafirmando da Rio+20 desenvolveu um plano de parcerias por meio do qual entidades compromissos públicas e privadas puderam aderir, e engajados nos a fim de se somarem aos esforços de organização da maior conferência da debates sobre história das Nações Unidas, a Rio+20. desenvolvimento Potenciais parceiros foram pré- -selecionados pelo CNO Rio+20 sustentável, cada após verificação prévia de suas um dos parceiros credenciais de compromisso em suas atividades fins e em suas ações de e fornecedores responsabilidade social corporativa, estando nelas incluído o ciclo de do CNO Rio+20 vida de seus produtos e serviços. A busca da viabilidade econômica contribuiu de suas atividades deve responder para o êxito da a objetivos sociais dentro de con- dicionalidades ambientais em um Conferência contexto de permanente aperfeiçoa- mento de práticas e relacionamentos. Tendo em vista que o CNO Rio+20 nunca buscou “patrocinadores”, mas, sim, parceiros da causa do desen- volvimento sustentável mundial, essa posição foi enfatizada desde o primeiro contato direto.104 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 102. parceiros para o desenvolvimento sustentável 13 17 7 parceiros nas categorias fornecedores oficiais fornecedores oficiais de Oficial, Platinum, de produtos, serviços e RCEs, mais 4 empresas de Diamante e Ouro apoio à organização apoio cultural e serviços da Conferência especializadosAo fim desse longo processo, foram A eles associaram-se Estre, entusiasmo com o desenvolvimentoselecionados 30 parceiros sob as ca- Gás Verde/Novo Gramacho, sustentável e os temas da Rio+20.tegorias de Parceiro Oficial, Parceiro Haztec, Plantar, Rima, Tractebel Em novembro de 2011, ao firmarPlatinum, Parceiro Diamante, Energia – GDF Suez e Vallourec com o CNO Rio+20 e com o PNUDParceiro Ouro e Fornecedor Oficial Mannesmann do Brasil, que forne- Brasil acordo na modalidade deda Rio+20: Eletrobras, Petrobras, ceram ao CNO Rio+20 Reduções cost-sharing por meio do qualServiço Brasileiro de Apoio às Micro Certificadas de Emissão, créditos aderiu ao Projeto de Cooperaçãoe Pequenas Empresas – SEBRAE de carbono provenientes de pro- Técnica Internacional BRA/11/017,e Vale; Banco do Brasil e Caixa jetos brasileiros do Mecanismo o SEBRAE viabilizou a criação deEconômica Federal; Correios e de Desenvolvimento Limpo do infraestrutura inicial e adicionalOi; Banco do Nordeste, BNDES, Protocolo de Quioto; o Grupo à prevista para a organizaçãoFINEP, Invepar e Natura; Banco da CCR, que apoiou eventos culturais logística, validando em momento-Amazônia, Braskem, CEDAE, oficiais da Rio+20; a Ambiente -chave a visão mais ambiciosa doCoca-Cola Brasil, Embraer, Faber- Limpo e a Vide Verde, que forne- CNO Rio+20 sobre a realização daCastell, Foz do Brasil, GL Events, ceram, respectivamente, soluções Conferência Rio+20 como oportuni-Grupo BMW, Instituto Doe Seu Lixo, para o lixo eletrônico e os resíduos dade única para o Brasil.MAN Latin America, Michelin, orgânicos gerados na realiza-Pier Mauá, SERPRO, Suzano Papel e ção da Conferência; e a Report Neste capítulo, pode-se conhecerCelulose, TAM Linhas Aéreas Sustentabilidade, responsável pela melhor os perfis individuais dase Volkswagen. produção editorial deste relatório empresas selecionadas e seu enga- de sustentabilidade. jamento com os pilares do desenvol- vimento sustentável e a Conferência Todas tiveram sua importância e Rio+20. contribuíram para o êxito da Rio+20. Contudo, entre as empresas parcei- ras, o papel crucial do SEBRAE é digno de menção especial e enseja o mais alto agradecimento. Parceiro de primeira hora, sempre demons- trou o mais elevado interesse eParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 105
  • 103. PARCEIRO estratégico A nova sede do PNUD Brasil, inaugurada em novembro de 2012. Programa das Presente no Brasil desde os anos Nações Unidas para o 60, o PNUD apoia hoje dezenas de Desenvolvimento – PNUD programas nas áreas de desenvol- O Programa das Nações Unidas para vimento social, governança local, o Desenvolvimento – PNUD forma direitos humanos, biodiversidade, parcerias com pessoas de todos os mudanças do clima, águas interna- níveis da sociedade, com o objetivo cionais, desertificação e proteção da de auxiliar na construção de nações camada de ozônio. No ciclo 2012- capazes de resistir a crises e se 2015, a organização vai centrar a sua expandir de forma que aumente a atenção em alcançar os Objetivos qualidade de vida de toda a po- de Desenvolvimento do Milênio para pulação. A mensagem corporativa todos: desenvolvimento sustentável “empoderando vidas, fortalecendo e inclusão produtiva; redução da vul- nações” expressa bem essa missão. nerabilidade à violência / segurança cidadã; e cooperação Sul-Sul. O PNUD adotou e promoveu o conceito de desenvolvimento A Rio+20 reiterou a necessidade sustentável introduzido, em 1987, de alcançar os Objetivos de pela Comissão Bruntland: “o Desenvolvimento do Milênio até desenvolvimento que satisfaz as 2015 e convocou a Organização necessidades do presente sem das Nações Unidas a criar os chama- comprometer a capacidade das dos “Objetivos do Desenvolvimento gerações futuras de suprir suas Sustentável”. O PNUD está em- próprias necessidades”. Nos anos penhado em apoiar os Estados- 90, o PNUD introduziu um conceito Membros das Nações Unidas e a mais amplo e mais humano de sociedade civil na coordenação Desenvolvimento Humano, que dos esforços para alcançar essas vai muito além das considerações metas, reconhecendo a complemen- econômicas e visa três dimensões taridade intrínseca das dimensões básicas: renda, saúde e educação. social, ambiental e econômica na construção e consolidação do desenvolvimento sustentável.106 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 104. A Administradora do PNUD, Helen Clark, e o Presidente do BNDES, Luciano Coutinho, assinaram Memorando de Entendimento durante a Rio+20 para a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e da cooperação Sul-Sul. O Representante-Residente do PNUD e Coordenador-Residente da ONU no Brasil, Jorge Chediek, e o Subsecretário de Relações Internacionais do Estado do Rio de Janeiro, Pedro Spadale, no Painel “As Nações Unidas e a Cooperação Internacional para o Desenvolvimento”.A importância da participação e en- de desenvolvimento sustentável Hoje, metade da população mundialgajamento de todos os segmentos e foram incorporadas em editais de tem menos de 30 anos de idadeníveis da sociedade civil para superar licitação e contratos, enfatizando e a expectativa de vida globalesses desafios tornou-se ainda mais áreas como a igualdade de gênero está se aproximando dos 70 anos.evidente na Rio+20. Em todas as e racial e inclusão de pessoas Consequentemente, mais da metadesuas atividades, o PNUD incentivou a com deficiência. de todas as pessoas que vivemparticipação da sociedade e do setor no mundo de hoje ainda estarãoprivado na busca do desenvolvimen- Paralelamente a essas medidas, o vivas em 2050. É preciso reconhe-to, com ênfase especial na impor- PNUD apoiou a iniciativa do governo cer que o que fazemos hoje terátância da responsabilidade social brasileiro para os Diálogos do impacto sobre o mundo de amanhãcorporativa nas plataformas Pacto Desenvolvimento Sustentável, junta- e, por esta razão, é moralmente eGlobal e Business Call to Action. mente com diversos outros eventos praticamente imperativo agir de promovidos por outras instituições, maneira a conduzir-nos ao futuroAo apoiar o CNO Rio+20 na incluindo a exposição O Futuro que de que precisamos.tarefa de organizar a Conferência, Queremos no MAM, com os resulta-por meio do Projeto de Cooperação dos da campanha mundial da ONU +  Saiba Mais sobre o PNUD emTécnica Internacional “Parcerias “Eu Sou Nós.” (I Am Us); o Pavilhão www.undp.org e www.pnud.org.brpara realização da Conferência das Três Convenções, no Parquedas Nações Unidas sobre Atletas; a instalação de uma cozinhaDesenvolvimento Sustentável – industrial no Galpão da Cidadania,Rio+20” (Projeto BRA/11/017), o que irá permanecer como um legadoPNUD inovou e agregou elementos a para cursos profissionalizantesseus procedimentos. Diretrizes claras voltados para comunidades locais.Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável 107
  • 105. PARCEIRO OFICIAL Eletrobras Dentre esses projetos, destacam-se A participação da Eletrobras e os empreendimentos hidrelétricos suas empresas subsidiárias na como Belo Monte, no Pará; o Rio+20 obedeceu ao Planejamento Complexo do Rio Madeira, em Estratégico do Sistema Eletrobras, Rondônia, e Teles Pires, entre Mato que, em 2009, definiu como visão Grosso e Pará. A Eletrobras também ser o maior sistema de geração tem dedicado especial atenção limpa de energia elétrica do mundo às chamadas novas fonte renováveis, em 2020. Hoje, o parque gerador como as energias eólica e solar. da Eletrobras é formado em mais A Eletrobras Eletrosul participa de 90% por fontes de energia da construção do Complexo limpa. Para chegar a esse objetivo, a Eólico de Cerro Chato, com Eletrobras detém a concessão ou a capacidade instalada de 90 MW, autorização de empreendimentos de e da implementação do Megawatt geração que totalizam 23.700 MW, Solar, projeto piloto de energia a grande maioria proveniente de pro- fotovoltaica que visa instalar uma jetos que utilizam fontes geradoras usina com capacidade de 1 MW na com baixa emissão de poluentes. sede de empresa, em Florianópolis. Como forma de mostrar ao mundo o engajamento da companhia no processo de gerar energia sustentável para o bem-estar e a inclusão social dos brasileiros, a108 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 106. Espaco Energia, localizado no Parque dos Atletas, em que foram apresentados tecnologias e projetos de sustentabilidade da Eletrobras e suas subsidiárias. O Presidente da Eletrobras recebe a Presidenta Dilma Rousseff na visita dela ao Espaço Energia acompanhada do Governador Sérgio Cabral e do Prefeito Eduardo Paes.Eletrobras esteve presente na subsidiárias no auditório do do Humanidade 2012, a Eletrobras,Rio+20 com o Espaço Energia, estande e também no auditório ao lado de outras instituições deestande de 1.060 m2 localizado no principal do Parque dos Atletas. As grande porte como Fiesp, FIRJAN,Parque dos Atletas. Nesse espaço, palestras despertaram o interesse Sesi e Fundação Roberto Marinho,a Eletrobras e suas subsidiárias dos visitantes e também foram promoveu, no dia 19 de junho, oapresentaram projetos como uma atração para os cerca de evento Energias Renováveis para oCultivando Água Boa, de gestão 100 empregados da Eletrobras Desenvolvimento Sustentável, queda Bacia Hidrográfica Paraná 3, que participaram da Rio+20. Eles reuniu especialistas do mundo inteirolevado a cabo pela Itaipu Binacional, foram escolhidos por sorteio, para discutir os caminhos a seremempresa da qual a Eletrobras possui realizado por meio da rádio interna, trilhados, a fim de que, em futuro50% do controle; Casa Eficiente, da do qual participaram cerca de próximo, seja gerada, transmitida eEletrobras Eletrosul, em parceria 400 pessoas. Para os empregados distribuída energia de maneira cadacom a Universidade Federal de Santa que não puderam ir ao evento, a vez mais sustentável.Catarina, que criou uma vitrine de área de comunicação da empresa,tecnologias de ponta de eficiência produziu uma reportagem para a +  Saiba Mais sobre aenergética e conforto ambiental TV interna sobre a participação do Eletrobras e suas subsidiárias empara edificações residenciais, e Sistema Eletrobras na Conferência, www.eletrobras.com/rio20Terra Indígena Waimiri Atroari, da além de por na internet um hotsiteEletrobras Eletronorte, que reverteu com a participação das empresaso processo de extinção dessa etnia. Eletrobras no dia a dia do evento.Esses e outros projetos foram Em paralelo com os eventos que seapresentados por dirigentes e desenrolavam na Barra da Tijuca, atécnicos da Eletrobras e suas Eletrobras participou de outros mo- mentos da Rio+20, com realce para o Humanidade 2012, que levou milhares de visitantes ao Forte de Copacabana e contou, em sua abertura, com a presença de seu Presidente, José da Costa Carvalho Neto. No âmbitoParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 109
  • 107. PARCEIRO OFICIAL Petrobras e participar das discussões e ações Como empresa de energia, a conjuntas voltadas à construção de Petrobras entende que sua cola- valores e práticas condizentes com boração para o desenvolvimento os princípios da sustentabilidade. sustentável consiste em prover energia que contribua para o desen- Desde 2004, a Petrobras incluiu volvimento dos países em que no seu planejamento estratégico atua. Assim, a empresa busca a efi- a responsabilidade social e ciência no uso dos recursos naturais ambiental como um dos seus e da energia em seus processos e pilares. A empresa atua de forma produtos, mantendo um diálogo sistemática e destacada nesta área, transparente com a sociedade que inclusive integrando, pelo sétimo permita considerar suas necessida- ano consecutivo, o Índice Dow des e interesses em relação a sua Jones de Sustentabilidade, o mais atuação. Por entender o desen- importante índice mundial sobre volvimento sustentável como um o tema, que avalia o desempenho projeto conjunto da humanidade, e de mais de 300 empresas consciente de seu papel e relevân- no mundo. Em 2012, a Petrobras cia no contexto econômico atual, foi considerada referência nos a Conferência das Nações Unidas quesitos transparência, políticas sobre Desenvolvimento Sustentável e sistemas de gestão ambiental e – Rio+20 foi considerada uma combustíveis mais limpos. grande oportunidade de contribuir110 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 108. No Parque dos Atletas, a Presidenta Dilma Rousseff viu as principais ações e projetos da Petrobras, como o etanol de bagaço da cana-de-açúcar. Participação da Presidente Maria das Graças Silva Foster em debate no fórum “The Future Women Want”, da ONU Mulheres.A parceria na realização da Rio+20 Outros eventos que contaram com credenciados entre os espaçosestá alinhada ao compromisso da ela e/ou representantes da Petrobras oficiais geridos pelo CNO Rio+20,Petrobras como signatária do Pacto foram o The Future Women Want, em particular durante as reuniões daGlobal da ONU, por meio do qual da ONU Mulheres, o seminário GBEP. Essa nova tecnologia apro-participa ativamente da disseminação Sustainable Bioenergy: Providing veita o bagaço da cana-de-açúcarde dez princípios universais Energy Access for Sustainable como matéria-prima e permiterelacionados a direitos humanos, Development, da Parceria Global para ampliar a produção de etanol emcondições de trabalho, meio Bioenergia – GBEP, e o Business Day, 40% sem utilizar recursos adicionaisambiente e combate à corrupção. do Business Action for Sustainable da natureza. Foram transportadas Development – BASD. mais de 8 mil pessoas em cerca deA Petrobras mobilizou empregados 2 mil deslocamentos em trajetosdurante a Rio+20 nas discussões No dia da inauguração do Pavilhão envolvendo o Riocentro, hotéis epreparatórias, na Conferência Brasil, o estande da Petrobras aeroportos do Rio de Janeiro.e nos eventos paralelos, assim montado no Parque dos Atletascomo contribuiu para a realiza- recebeu a visita da Presidenta da Subsidiária da Petrobras na co-ção desse evento, que marcou República, Dilma Rousseff, acom- mercialização e distribuição dea agenda mundial sobre o tema panhada de diversos Ministros de derivados do petróleo para todosustentabilidade. Estado. Nele, a Petrobras apresentou o Brasil, a Petrobras Distribuidora suas principais ações e projetos para também cooperou ativamente comDe sua parte, a Petrobras organizou os visitantes conhecerem iniciativas a organização da Rio+20, prestandoum evento paralelo no Riocentro sobre qualidade dos combustíveis, apoio técnico e fornecendo todocom o tema Biocombustíveis para mudança do clima, eficiência ener- o biodiesel B5 e B20 necessárioso Desenvolvimento Sustentável, gética, fontes alternativas e energias para os veículos do Sistema Oficialcom palestras de executivos da renováveis, desenvolvimento econô- de Transporte e os geradores dePetrobras Biocombustível, subsidiária mico e social e investimento social, energia utilizados nos espaçosda Petrobras. A empresa também dispostos em gigantografias, vídeos oficiais geridos pelo CNO Rio+20participou de eventos paralelos da e tablets. Também nesse estande, o e o querosene de aviação utilizadoRio+20 com foco no setor empresa- público pôde conhecer a tecnologia pelas aeronaves da Embraer e darial. Organizado pelo Pacto Global do etanol de segunda geração, Força Aérea Brasileira – FAB noda ONU, o Corporate Sustainability apresentada pela Petrobras exclu- transporte especial de delegados deForum – Innovation and Collaboration sivamente na Rio+20. O biocom- países caribenhos e africanos e defor the Future We Want foi patroci- bustível abasteceu minivans que convidados do Governo brasileiro.nado pela Petrobras e contou com foram integradas ao Sistema Oficiala participação da Presidente Maria de Transporte da Conferência para +  Saiba Mais sobre a Petrobrasdas Graças Silva Foster na abertura. o deslocamento dos participantes em www.petrobras.com.brParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 111
  • 109. PARCEIRO OFICIAL SEBRAE entenderam que sustentabilidade é Os pequenos negócios representam um pressuposto da competitividade e 99% das empresas brasileiras e o mercado confirma essa tendência. ocupam cerca de 60% da população economicamente ativa do País. Em 2011, foi criado o Centro Além deles, são dois milhões de SEBRAE de Sustentabilidade e microempreendedores individuais, publicado o Termo de Referência cuja importância é enorme no para Atuação do Sistema SEBRAE processo de desenvolvimento em Sustentabilidade. Em 2011 e sustentável brasileiro. São esses os 2012, foram realizadas duas edições clientes do Serviço Brasileiro de da sondagem O que Pensam as Apoio às Micro e Pequenas Empresas Micro e Pequenas Empresas sobre – SEBRAE, serviço social autônomo, Sustentabilidade. sem fins lucrativos, cuja missão, há quase uma década, é “promover a A identificação do SEBRAE com os competitividade e o desenvolvimento temas do desenvolvimento sus- sustentável das micro e tentável é estratégica e, portanto, pequenas empresas e fomentar o o apoio dado à realização da empreendedorismo” com foco atual Rio+20 ocorreu desde os primeiros em eficiência energética e gestão momentos da instalação do de resíduos, além da promoção da CNO Rio+20, fato amplamente inclusão produtiva. O SEBRAE e os reconhecido pelo Ministério micro e pequenos empresários já das Relações Exteriores como112 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 110. Feira do Empreendedor do SEBRAE, no Parque do Flamengo, focada em oportunidades e ideias de negócios sustentáveis. Milhares de pessoas visitaram a réplica do Centro SEBRAE de Sustentabilidade instalada no Parque dos Atletas.contribuição fundamental ao êxito dirigentes estaduais e representantes a exposição de oportunidades deda Conferência. Nesse contexto, seu de instituições parceiras. O negócios e tecnologias sustentáveis,principal objetivo foi inserir o tema seminário apresentou palestras oferta de cursos, palestras e ofici-das micro e pequenas empresas nos de três convidados internacionais nas de capacitação relacionados àdebates da Rio+20, a fim de fortale- ligados a instituições de promoção chamada economia verde. Participoucer a participação delas nas estra- dos pequenos negócios e do também do ciclo de debates dotégias nacionais e internacionais desenvolvimento sustentável. Ministério do Meio Ambiente sobre ode promoção do desenvolvimento tema Empreendedorismo Sustentávelsustentável. Durante a Rio+20, nas redes sociais, e promoveu o evento paralelo A o SEBRAE somou mais de 80 mil Importância dos Pequenos NegóciosEm maio de 2012, o SEBRAE novos amigos no Facebook e mais para o Desenvolvimento Sustentável.organizou o Encontro Nacional de 1.300 novos seguidores no Twitter.de Inovação e Sustentabilidade, Foi também extensa a presença do No Parque do Flamengo, foramcom mais de mil participantes SEBRAE nos principais veículos de instalados a Feira do Empreendedor,colaboradores da entidade, além de mídia especializada e não especia- focada em oportunidades e ideias deautoridades, dentre elas a Ministra lizada, em revistas, internet, rádios, negócios sustentáveis, com mais dedo Meio Ambiente, Izabella Teixeira, mídia indoor e televisão, abordando 25 mil visitantes, o Espaço Educação,e o Secretário Nacional do Comitê os temas do desenvolvimento que promoveu 225 horas de capaci-Nacional de Organização da Rio+20, sustentável e sua importância para os tação em sustentabilidade, e a MostraLaudemar Aguiar. Na ocasião, lançou pequenos negócios. SEBRAETec de Tecnologias Verdes,seu “videomanifesto” em prol do em que prestadores de serviços tec-desenvolvimento sustentável e da Fruto da parceria entre SEBRAE e nológicos ofereceram suas soluçõesimportância dos micro e pequenos a Associação Brasileira de Normas para promover a sustentabilidade denegócios para o tema, e um hotsite Técnicas – ABNT, foram lançadas micro e pequenos negócios.sobre o SEBRAE na Rio+20. Em durante a Rio+20 a norma ISOjunho de 2012, durante a Rio+20, 14.005 – para incentivar e guiar as +  Saiba Mais sobre o SEBRAE emorganizou o Seminário SEBRAE+20, Médias e Pequenas Empresas para www.sustentabilidade.sebrae.com.br/com a participação de seus a implementação, em fases, de um portal/site/Sustentabilidade sistema de gestão ambiental – e a norma NBR 15.401, que especifica os requisitos mínimos de desempe- nho relativos à sustentabilidade de meios de hospedagem. O SEBRAE fez-se presente nos principais espaços da Rio+20 comParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 113
  • 111. PARCEIRO OFICIAL Vale de caráter global, que orienta a Como uma das empresas líderes empresa a agir a partir de três eixos: globais no setor de mineração, a Vale Operador Sustentável, Catalisador busca contribuir para a promoção de Desenvolvimento Local e Agente de boas práticas de sustentabilidade. Global de Sustentabilidade. Nesse A estratégia de sustentabilidade da mesmo ano, a Vale publicou sua Vale preconiza a gestão responsável Política de Direitos Humanos, docu- e integrada das questões econômi- mento global orientador das ações cas, ambientais e sociais. O objetivo da empresa, e criou o Fundo Vale é propiciar que seus negócios, em para o Desenvolvimento Sustentável, particular as operações de mine- iniciativa voltada para apoiar ações ração, produzam riquezas locais, de ONGs que conciliem a conserva- regionais e globais, e deixem um ção do meio ambiente com a melho- legado positivo ao longo do ciclo ria das condições socioeconômicas de vida dos empreendimentos. Para das comunidades locais, focando, apoiar essa gestão, são realizadas inicialmente, no bioma Amazônia. ações empresariais voluntárias e em parceria com os diversos níveis de Em conjunto com organizações governo, instituições públicas, outras da sociedade civil, a Vale liderou a empresas e a sociedade civil. elaboração e o lançamento da Carta Aberta ao Brasil sobre Mudanças Em 2009, foi aprovada sua Política Climáticas, que apresentou os de Desenvolvimento Sustentável, compromissos voluntários de 30114 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 112. Graças a pesquisa realizada na COPPE/UFRJ e parceria firmada com a BR Distribuidora, a Vale passou a utilizar biodiesel em suas locomotivas. A partir de 2015, usarão diesel B20 de óleo de palma. Desde 1950, a Vale mantém, no Espírito Santo, uma das maiores áreas protegidas de Mata Atlântica do Brasil, onde já foram catalogadas mais de 2.700 plantas, mais de 1.500 insetos, 111 mamíferos, 66 anfíbios e 69 répteis.grandes empresas brasileiras em agente de alavancagem de recursos, Ações internas: eventos de en-relação aos esforços mundiais para tecnologia e inovação rumo a uma gajamento (Rodas de Conversa,redução dos impactos da mudança economia verde. A Rede Brasileira notícias, jogos, etc.); sua Semana dodo clima. Esse documento ensejou do Pacto Global da ONU propôs dez Meio Ambiente (campanha internasua participação propositiva no compromissos estabelecidos pelas global de comunicação). Açõesdebate de formação da posição do empresas signatárias, entre elas a externas: publicidade; Fórum deGoverno brasileiro na 15ª Conferência Vale. Dentre eles, distinguem-se três, Desenvolvimento Sustentável; açõesdas Partes da Convenção-Quadro por estarem alinhados às ações da educacionais e mídias digitais.das Nações Unidas sobre Mudança empresa durante a Conferência:do Clima, realizada em dezembro de As ações de engajamento interno2009. Ainda nesse ano emblemático, 1. Direcionar investimentos sociais aconteceram de forma global, tendoa Vale assinou o documento The privados ao fortalecimento da sido realizadas no Brasil, sede daCopenhagen Communiqué, um posi- Educação e desenvolvimento de empresa, e em outros países emcionamento de líderes empresariais competências para a sustentabilida- que atua, tais como Canadá, China,globais em favor de um acordo sobre de; 2. Promover a difusão do conhe- Malásia, Paraguai e Suíça, entrea questão da mudança do clima. cimento, respeitando a propriedade outros. intelectual, de melhores práticas em-O ingresso como primeira minera- presariais focadas na ampliação da Durante a Rio+20 a exposição dosdora no Índice de Sustentabilidade contribuição para o desenvolvimento empregados da Vale aos temasEmpresarial da Bovespa, em 2010, econômico, social e ambiental; 3. da sustentabilidade cresceu 250%confirmou seu compromisso com o Contribuir nas discussões sobre comparada ao mesmo período dodesenvolvimento sustentável como desenvolvimento sustentável, econo- ano anterior. Tanto a construção departe da estratégia da empresa, mia verde e inclusiva, economia de uma agenda corporativa sustentávelassim como a evolução de seu baixo carbono ou temas correlatos quanto a conscientização, mobiliza-Plano de Ação em Sustentabilidade, nos fóruns empresariais. ção e educação de seus empregadosprograma que contempla ações de são compreendidos pela empresamelhoria de eficiência ambiental, Em função do momento mundial como processos contínuos e pau-como o aumento de reutilização de de discussão dos temas de susten- latinos, a fim de fortalecer o enten-água e a redução do consumo de tabilidade relacionados à Rio+20 e dimento sobre o tema e enraizar oenergia em suas operações. de seu compromisso de atuar como senso de pertencimento e respon- agente inovador de transformação sabilidade individual na construçãoA Rio+20 fomentou a grande partici- rumo a uma economia verde, a Vale conjunta dessa agenda.pação das empresas nas discussões contribuiu para a disseminação dessedos eventos paralelos, incorporando conceito entre seus empregados +  Saiba Mais sobre a Valeao debate a importância desse e externamente, por meio de seis em www.vale.com.brsegmento da sociedade como frentes de trabalho:Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável 115
  • 113. PARCEIRO PLATINUMBanco do Brasil O Banco do Brasil teve participa- identificação de ações convergentesHá mais de 200 anos, o Banco do ção ativa na Rio+20 desde a fase em desenvolvimento sustentável,Brasil trabalha pelo desenvolvimento preparatória, procurando envolver e realizado em conjunto no início donacional. Ao adotar princípios de mobilizar funcionários e familiares. segundo semestre de 2012.sustentabilidade em sua estratégia, Promoveu, por exemplo, o Quizo Banco busca avaliar seu desem- Para Funcionários e o Concurso O Banco do Brasil também apoioupenho organizacional não somente Cultural de Desenhos O Futuro que visitas guiadas de participantescom base em indicadores econômi- Queremos, cujos trabalhos finalistas às comunidades cariocas dacos, mas também em indicadores foram expostos no MAM em junho Cidade de Deus e do Complexosociais e ambientais. Para viabilizar de 2012. Durante a Conferência, do Alemão, onde desenvolve oa estratégia corporativa e tornar o Banco realizou seminários na projeto Microcrédito Produtivofactíveis a missão e a visão de futuro, Arena da Barra e em seu estande Orientado e a estratégia negocialpossui o Plano de Sustentabilidade – no Parque dos Atletas, discutin- de Desenvolvimento RegionalAgenda 21, revisado a cada dois anos. do inclusive a incorporação das Sustentável. Lançado durante a dimensões ambiental e social em Rio+20, o documento Visão BrasilO compromisso com o desenvolvi- operações de crédito ao setor do 2050, foi incorporado como insumomento sustentável é acompanhado agronegócio. Na ocasião, formalizou norteador da atualização de seue gerido em todos os âmbitos da sua adesão ao Programa Municípios Plano de Sustentabilidade – Agendainstituição. No âmbito corporativo, Verdes, voltado à concessão de 21 para o período 2013–2015.por meio da inclusão da temática crédito responsável a produtoresna estratégia empresarial. No rurais paraenses. Também foram ali Por sua vez, a Fundação Banco dodas dependências, ao colocar apresentados painéis sobre negó- Brasil instalou estande na Cúpula dosindicadores de desempenho cios sociais e sobre o Programa Povos, expondo o funcionamentosociais e ambientais no acordo de Água Brasil, parceria com a Agência de uma das unidades da Tecnologiatrabalho. No pessoal, ao avaliar Nacional de Águas – ANA e o Social Cisterna de Placas. Da sérieo desempenho dos funcionários WWF Brasil, que já fora, em 2010, de eventos realizados com seustendo também presente o tema da primeira edição do parceiros, distinguiram-se o lança-competências afetas ao tema. O Concurso Nacional de Animação mento do livro Água e Mudançasresultado é o posicionamento do para Internet, promovido pelo Climáticas e a entrega de caminhõesBanco do Brasil como empresa prestigioso Festival Anima Mundi a catadores de materiais recicláveislíder em sustentabilidade, como com patrocínio do Banco do Brasil do Programa Cataforte.atesta sua listagem no Índice de e apoio da Brasilcap Capitalização.Sustentabilidade Empresarial A visita do Prêmio Nobel da Paz +  Saiba Mais sobre o Bancoda Bolsa de Valores de São de 2006 e criador do microcrédito, do Brasil em www.bb.com.br/Paulo e no Índice Dow Jones de Muhammad Yunus, ao estande do sustentabilidadeSustentabilidade da Bolsa de Valores Banco do Brasil resultou em semi-de Nova York. nário de troca de experiências e116 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 114. CAIXA em referência nacional na gestão prestação de serviços diretos aosCriada em 1861, a atuação da de recursos naturais e energéticos. participantes da Conferência.CAIXA no Brasil vai além de seu Como parte de sua missão comopapel como instituição bancária, pois banco popular, promover o Na Rio+20, fortaleceu suas parce-está presente na vida de milhões desenvolvimento sustentável é um rias estratégicas com o Governode brasileiros. Os trabalhadores compromisso da CAIXA. do Estado do Rio de Janeiro, aformais do Brasil têm nela o agente Prefeitura do Rio, o Ministérioresponsável pelo Fundo de Garantia Identificada com os temas principais do Meio Ambiente, a Federaçãodo Tempo de Serviço – FGTS, da Conferência Rio+20, a CAIXA de Indústrias do Estado depelo Programa de Integração entende que as instituições finan- Minas Gerais – FIEMG, o BancoSocial – PIS e pelo Seguro- ceiras têm um papel indutor funda- Interamericano de DesenvolvimentoDesemprego. A CAIXA também mental na transição para a chamada – BID, o banco de desenvolvi-marca sua presença por meio de economia verde. Por isso, já atua mento alemão Kreditanstalt fürprogramas sociais, como o Bolsa nesse sentido em três eixos: crédito Wiederaufbau – KfW e o PNUMA.Família, e por suas unidades lotéricas, sustentável, cidades sustentáveis eimportante fonte de recursos para inclusão social e combate à pobreza. A CAIXA também viabilizou dois doso desenvolvimento social nas áreas A CAIXA participou ativamente da mais emblemáticos projetos ideali-de esporte, previdência, educação, Rio+20 e estima ter atingido cerca zados pelo CNO Rio+20. O primeirocultura e segurança. Por ser uma de 19 mil pessoas por meio de ações deles foi o Programa de Voluntariadoempresa 100% pública, exerce um promovidas especialmente para o da Rio+20, realizado em parceria compapel fundamental na promoção do evento. Esteve presente com um o PNUD Brasil, a UN Volunteers, adesenvolvimento urbano e da justiça debate sobre cidades sustentáveis e Firjan e a Secretaria de Educaçãosocial no Brasil ao investir em setores estandes no Parque dos Atletas e na do Estado do Rio de Janeiro, alémcomo habitação, saneamento básico, Cúpula dos Povos, uma agência de de instituições que trabalham cominfraestrutura e prestação de serviços câmbio no Riocentro, um espaço de pessoas com deficiências. O segundoque contribuem significativamente relacionamento com a imprensa na foi o apoio ao CNO Rio+20, empara melhorar a qualidade de vida da Arena da Barra e um espetáculo do conjunto com o PNUD Brasil, para apopulação, principalmente as de cantor Gilberto Gil no auditório anexo criação da ferramenta de compensa-baixa renda. Nos últimos anos, a ao MAM. Além disso, promoveu expo- ção voluntária de emissões de GEECAIXA tem fortalecido sua atuação sições sobre o tema em seu espaço decorrentes do transporte aéreo dena promoção de cidades sustentáveis Caixa Cultural, no centro do Rio de delegados e demais participantes aoe no crédito sustentável, ofertando Janeiro, e foi anfitriã de seminários Rio de Janeiro, opção que foi apre-produtos bancários socioambientais do PNUMA e de evento da Carta da sentada na Rio+20 por voluntáriospara os setores público e privado. Terra em seus auditórios e teatro. Mais especialmente treinados.Internamente, atua para tornar de 300 funcionários envolveram-seseus processos mais eficientes na Rio+20, tanto na contribuição para +  Saiba Mais sobre a CAIXA emambientalmente, convertendo-se o debate quanto no atendimento e www.caixa.gov.br/sustentabilidadeParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 117
  • 115. O Banco do Brasil usou paineis solares, materiais reciclados, madeira certificada, bambu suspenso e plantas aromáticas e medicinais em seu estande no Parque dos Atletas. A CAIXA apresentou no Parque dos Atletas seu modelo inovador de agência-barco itinerante da Bacia Amazônica, que possui amplos recursos de sustentabilidade.118 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 116. PARCEIRO DIAMANTECorreios dos Atletas e na área do MAM, uma outra ação focada na gestão deA atividade postal regular teve sua agência postal com atendentes bilín- resíduos sólidos, uma única doaçãoorigem no Brasil a 25 de janeiro de gues no Riocentro e uma oficina de de papel e papelão para reciclagem1663, em pleno período colonial, com tênis permanente e gratuita no Pier representou a preservação dea criação do Correio da Capitania do Mauá, aproximando os visitantes de estimadas 156 mil árvores.Rio de Janeiro. Prestes a completar uma das três modalidades esportivas350 anos, os Correios oferecem hoje que patrocina. Nos estandes, foram Na Arena Socioambiental, instaladasoluções, com tecnologia de ponta, apresentados seu carro elétrico, pelo Ministério do Desenvolvimentopara atender às necessidades de testado em projeto piloto pioneiro Social e Combate à Fome nocomunicação de empresas e insti- em parceria com a CPFL Energia, no Parque do Flamengo, o Presidentetuições, além de realizar importante interior paulista, e o novo veículo dos Correios, Wagner de Oliveira,função de integração e inclusão elétrico usado na entrega e coleta participou de diálogo do Governosocial, indispensável para o desen- de encomendas em calçadões no brasileiro com a sociedade civilvolvimento nacional. Paraná e Rio Grande do Sul. na sessão de debate Além do Antagonismo: ConservaçãoDurante a solenidade de come- Algumas das ações e espaços Ambiental e Inclusão Social.moração ao Dia Mundial do Meio sociais dos Correios também foramAmbiente de 2012, no Palácio do apresentados ao público em seus Duas iniciativas voluntárias reafir-Planalto, em Brasília, a Presidenta estandes, como a Ação EcoPostal, mam o compromisso ambientalDilma Rousseff lançou selos come- o Papai Noel dos Correios e o dos Correios. Em 2010, foi lançadomorativos da Rio+20 com temas Correios Solidariedade Expressa o Desafio Ambiental, que visa aodo desenvolvimento sustentável. e os centros culturais e o Centro plantio de 110 mil mudas de árvoresCom transmissão ao vivo entre Vocacional Tecnológico. A Ação em todo o Brasil até o fim de 2012.Brasília e Rio de Janeiro, essa EcoPostal doa a entidades sem Durante a Conferência, foi assinadosolenidade ocorreu em conjunto fins lucrativos uniformes, malas e um acordo de cooperação com acom a cerimônia de hasteamento malotes postais sem condições de International Post Corporation parada bandeira das Nações Unidas no uso para serem matéria-prima da reduzir em 20% suas emissões deRiocentro, representando a cessão produção e comercialização de gases de efeito estufa até 2020.pelo Governo brasileiro da jurisdição peças artesanais, como bolsas esobre o principal espaço oficial da artigos de decoração. Sozinha, essa +  Saiba Mais sobre osConferência. iniciativa gera grandes benefícios Correios em www.correios.com.br/ ambientais e renda para famílias em sobreCorreios/sustentabilidade/Na Rio+20, além da contribuição situação de vulnerabilidade social. default.cfmdada aos debates pela disseminação Quatro entidades beneficiadas pelasde iniciativas socioambientais da ações sociais dos Correios puderamempresa, os Correios montaram expor e comercializar seus produtosestandes institucionais no Parque no estande localizado no MAM. EmParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 119
  • 117. Ações sociais dos Correios foram apresentados ao público, como uma oficina de tênis permanente e gratuita no Píer Mauá. Concessionária de telecomunicações no Brasil, a Oi proveu toda a infraestrutura da Rio+20 e prestou serviços aos participantes.120 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 118. Oi internet banda larga a cerca de 50 mil comprometidas com o desenvolvi-Presente em todo o território brasi- escolas públicas, promovendo impor- mento sustentável e a erradicaçãoleiro, a Oi é um empresa pioneira na tante movimento de inclusão digital. da pobreza discutida entre as orga-prestação de serviços convergentes, Atua há onze anos na democratização nizações e empresas signatárias dooferecendo transmissão de voz local do acesso ao conhecimento por meio Comitê Brasileiro do Pacto Global.e de longa distância, telefonia móvel, das Tecnologias da Informação e dasbanda larga e TV por assinatura. Ao Comunicações. Seu braço de respon- Em logística, a Oi forneceu a soluçãoviabilizar o acesso à informação por sabilidade social, Oi Futuro, já bene- completa de tecnologia para ameio de modernas tecnologias, a ficiou mais de 4 milhões de pessoas Conferência em todos os espaçosempresa desempenha papel funda- nas áreas de educação, sustentabili- oficiais geridos pelo CNO Rio+20.mental na construção de uma socie- dade, esportes e cultura. Disponibilizou a maior rede de bandadade mais sustentável, contribuindo larga sem fio já instalada no Brasil,para a qualidade de vida das pessoas Essas ações refletem seu alto grau de salas de transmissão em videocon-e o exercício da cidadania. comprometimento com as melhores ferência e toda a infraestrutura deA Companhia aderiu ao Pacto Global práticas de sustentabilidade empresa- microinformática do evento. Tambémdas Nações Unidas em 2009, tendo rial, contribuindo para que a empresa forneceu servidores de computaçãorealizado inúmeras ações vinculadas integre o Índice de Sustentabilidade em nuvem do Oi Smart Cloud, aléma seus dez Princípios Universais, Empresarial e o Índice de Carbono de montar uma solução de seguran-derivados da Declaração Universal Eficiente da BMFBovespa. ça da informação customizada parade Direitos Humanos, da Declaração o evento. A Oi garantiu o tráfegoda Organização Internacional do No contexto da Rio+20, a Oi promo- de voz fixa e móvel, terminais fixosTrabalho sobre Princípios e Direitosveu treinamento específico sobre e PABX, aparelhos de celular eFundamentais no Trabalho, da sustentabilidade a seu pessoal envol- tablets para a organização do evento,Declaração do Rio sobre Meio vido no evento, realçando aspectos instalou em hotéis e aeroportos doAmbiente e Desenvolvimento e relativos ao tema no atendimento Rio de Janeiro 161 totens interativosda Convenção das Nações Unidas ao cliente, descarte e recolhimento conectados à internet, via Oi Velox,Contra a Corrupção. A Política de resíduos, respeito à diversidade e com informações atualizadas sobre ade Sustentabilidade da empresa combate à corrupção. No estande da Conferência, e desenvolveu o aplica-promove iniciativas de educação Oi foi disponibilizada urna coletora tivo oficial da Rio+20 para o sistemapara a sustentabilidade, focada em para aparelhos celulares, baterias e operacional Android.seu capital humano, ações para mini-acessórios. Após o evento, reapro-mizar impactos ambientais, além de veitou e reciclou 7,7 toneladas de +  Saiba Mais sobre a Oi eminiciativas para fortalecer a confiança cabeamento utilizado na infraestrutura www.oi.com.br/sustentabilidade ede seus clientes. de rede de comunicação, além de relatorioanual2011.oi.com.br mais de 500 kg de cabos de fibraAtravés do Programa Banda Larga nas óptica. A Oi também assinou aEscolas, em parceria com o Governo Carta Compromisso para a Rio+20,Federal, a Oi oferece conexão à com as contribuições de empresasParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 121
  • 119. PARCEIRO OUROBanco do Nordeste Ambiente dos Estados e Municípios, BNDESHá 60 anos, o Banco do Nordeste evento paralelo à Conferência, Criado em 1952, o Banco Nacionalatua como agente catalisador do de- foi apresentada a Declaração da de Desenvolvimento Econômico esenvolvimento regional. Sua missão Caatinga, que formaliza compromis- Social – BNDES é o banco nacionaltornou-se mais clara ao alinhar-se sos para a sustentabilidade desse do desenvolvimento. Presente emaos Objetivos de Desenvolvimento bioma. O documento é composto de todos os setores da economia,do Milênio, notadamente no que diz 56 compromissos que consolidam financia indústria, serviços, infraes-respeito à erradicação da pobreza os resultados de debates realizados trutura, agronegócio, meio ambiente,extrema, que é uma das principais ao longo de um ano e meio nos nove inclusão social e produtiva, desen-metas do Governo Federal. Nesse estados brasileiros abrangidos pelo volvimento local e regional, inovaçãosentido, apoia o pequeno produtor, semiárido (Alagoas, Bahia, Ceará, e cultura. Nesse contexto, atendea micro e pequena empresa e o Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, instituições de todos os tamanhos,empreendedor individual. Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe). governos e terceiro setor, movimen- tando a economia e beneficiandoOs programas de microcrédito, Em estande montado no Parque dos toda a sociedade.Crediamigo e Agroamigo, têm Atletas, os gestores da Instituiçãosuas ações integradas ao Plano Brasil compartilharam com o público as Tendo o desenvolvimento sustentávelSem Miséria, lançado pelo Governo experiências do Crediamigo e do como diretriz estratégica, o bancoFederal. Ademais, desde 2007, a Agroamigo, o apoio às inovações BNDES observa princípios socio-Instituição conta com o Ambiente tecnológicas e outras ações rela- ambientais na concessão de apoiode Responsabilidade Socioambiental, cionadas à promoção da economia financeiro e oferece linhas paraque planeja, implementa, controla e verde e à erradicação da pobreza. investimentos em meio ambiente,avalia programas e ações de res- Também foram apresentados os responsabilidade social das em-ponsabilidade socioambiental, em Espaços Nordeste, pontos de aten- presas, inclusão produtiva e social,consonância com os princípios morais dimento diferenciados que ampliam eficiência e diversificação energética.e éticos da organização. a oferta de produtos e serviços so- Com recursos não reembolsáveis, cioculturais e de negócios bancários, gere o Fundo Amazônia e outrosO Banco do Nordeste participou ati- fortalecendo o desenvolvimento fundos de recursos próprios voltadosvamente da Rio+20, propondo a dis- local e o empreendedorismo. a meio ambiente, inclusão social,cussão de iniciativas voltadas para o inovação e estudos.desenvolvimento sustentável. Durante O BNB esteve presente na Cúpulao Encontro de Secretários de Meio dos Povos, por meio do seu Escritório A participação do BNDES na Rio+20 Técnico de Estudos Econômicos do reforçou sua agenda ambiental Nordeste, que expôs o Programa de integrada ao desenvolvimento social Apoio a Projetos Solidários. e ao crescimento econômico no longo prazo, abrindo novos hori- +  Saiba Mais sobre zontes e viabilizando novas redes o Banco do Nordeste em www. bnb.gov.br/content/Aplicacao/ Grupo_Principal/Home/conteudo/ home_desregional.asp122 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 120. e parcerias. O BNDES contribuiu Finep 3, entre 16 e 21 de junho, cerca de 37para os debates da Rio+20 em A FINEP – Agência Brasileira da mil visitantes conheceram a Expoeventos das grades oficial e paralela. Inovação, empresa pública federal Brasil Sustentável, mostra de inova-Na Conferência, 150 funcionários vinculada ao Ministério da Ciência, ções de empresas e instituições detransferiram-se para a Barra da Tecnologia e Inovação, apoia o C,TI Ciência, Tecnologia e Inovação,Tijuca e o Parque do Flamengo, par- desenvolvimento de projetos ino- a maioria clientes da FINEP. Cerca deticipando e representando o BNDES vadores de empresas e instituições 54% dos expositores fizeram contatosem atividades da Rio+20. de Ciência e Tecnologia. Na análise para futuros negócios e parcerias. dos projetos encaminhados à FINEPO BNDES foi fundamental para consideram-se também requisitos O público deu preferência aosa realização dos Diálogos para o como a promoção do desenvolvi- seguintes temas para eventos futurosDesenvolvimento Sustentável, do mento regional, equidade social e da Expo Brasil Sustentável: tecno-qual foi um ativo participante, além proteção ambiental. logias para educação; agroindústriade ter promovido dois seminários e agricultura familiar; degustaçãono Parque dos Atletas (Fundo De 2002 a 2010, 750 projetos de de produtos sustentáveis; geraçãoAmazônia: Construindo sua História; tecnologias para o desenvolvimento de energia para a Copa do Mundoe Reflorestamento no Brasil: Como social receberam R$ 650 milhões FIFA; tecnologias inovadoras emAumentar a Escala da Recuperação da FINEP. Programas de tecnolo- geração de energia; Tecnologias dade Biomas). Também no âmbito da gia da habitação já apoiaram 116 Informação; projetos sustentáveis deConferência, o Banco participou, no projetos para a modernização do arquitetura e urbanismo; e Amazônia.Riocentro, do evento Brazilian Policy setor de construção civil para ato Reduce Deforestation, promovido produção de habitações de interesse Na ocasião, a FINEP estabeleceupelo Ministério do Meio Ambiente, social. Ademais, historicamente a com o Banco de Desenvolvimentoe sediou o evento CDM Policy FINEP apoia projetos de energias da América Latina parceria para aDialogue Latin America Stakeholder sustentáveis, como eólica, solar e inovação e o desenvolvimento tec-Consultation, no qual foi debatido biocombustíveis. nológico. A primeira será a imple-o Mecanismo de Desenvolvimento mentação da Iniciativa Regional deLimpo do Protocolo de Quioto. Na abertura da Rio+20, o Ministro Inovação Tecnológica em Energias da Ciência, Tecnologia e Inovação, Renováveis, visando à criação de+  Saiba Mais sobre o Marco Antonio Raupp, lançou o plataforma regional para gerarBNDES em www.bndes.gov.br/ Brasil Sustentável, programa da patentes internacionais na AméricaSiteBNDES/bndes/bndes_pt/Areas_ FINEP com R$ 2 bilhões para fi- Latina. Os recursos aportados porde_Atuacao/Meio_Ambiente/ nanciamento do desenvolvimento cada organização somarão cerca deRio20/index.html de produtos, processos e serviços US$ 100 milhões, a serem aplicados inovadores que tratem de forma entre 2012 e 2016. integrada aspectos sociais, ambien- tais e econômicos. +  Saiba Mais sobre a FINEP em www.finep.gov.br/ Na Rio+20, a FINEP ocupou dois expobrasilsustentavel armazéns no Pier Mauá com expo- sições, filmes e eventos paralelos oficiais da Conferência. No ArmazémParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 123
  • 121. PARCEIRO OUROGrupo Invepar Sustentável – Cieds realizaram NaturaO Grupo Invepar administra workshop com lideranças de comu- A Natura é uma marca brasileira empresas que atuam no mercado nidades do entorno do Metrô Rio nascida de duas paixões: a cosmética de infraestrutura de transportes e da Linha Amarela para ampliar a como veículo de autoconhecimento com foco em gestão e operação de participação social nas discussões e as relações como princípio da rodovias, sistemas de mobilidade sobre sustentabilidade. Foram harmonia em um universo onde tudo urbana e aeroportos no Brasil e apresentados os temas da Rio+20 e é interdependente. Desde sua origem, outros países da América Latina. Seus buscadas soluções sustentáveis para em 1969, pauta sua atuação por um acionistas são a Caixa de Previdência o cotidiano dessas comunidades. modelo de desenvolvimento voltado dos Funcionários do Banco do A iniciativa resultou em documento para a sustentabilidade, buscando Brasil – PREVI, a Fundação Petrobras enviado a lideranças presentes na responder aos desafios de nosso de Seguridade Social – PETROS, a Rio+20. O Grupo Invepar também tempo com soluções inovadoras que Fundação dos Economiários Federais participou do painel Mobilidade gerem valor nas dimensões social,– FUNCEF e o Grupo OAS. Urbana, Acessibilidade e Revitalização ambiental e econômica. Hoje, é a líder de Áreas Degradadas, do Fórum em cosméticos, fragrâncias e higieneNo Rio de Janeiro, é concessionária da Megacidades 2012 – Transporte, pessoal no Brasil e em vendas diretas.via expressa carioca Linha Amarela, do Energia e Desenvolvimento Urbano, A revista Forbes classificou-a na 8ªMetrô Rio e, em parceria com outras organizado pela Câmara Brasil- posição entre as 100 empresas maisempresas, da rodovia Rio-Teresópolis e Alemanha e pelo Governo do Estado inovadoras do mundo em 2011, sendodo corredor expresso Rio Transolímpica. do Rio de Janeiro. a única representante brasileira.Recentemente, agregou a seu portfólioo Aeroporto Internacional de São Paulo/ Signatário do Pacto Global e referência Ao desenvolver seus produtos, aGuarulhos, em consórcio com a Airports em acessibilidade, o Metrô Rio forne- Natura mobiliza redes sociais capazesCompany South Africa, e a via expressa ceu, entre os dias 15 e 22 de junho, 10 de integrar conhecimento científico eVía Parque Rímac, em Lima, no Peru. mil passagens diárias aos participantes sabedoria das comunidades tradicio- da Cúpula dos Povos, além de ter nais, promovendo o uso sustentávelOs valores e as ações do Grupo Invepar criado linha expressa para o transporte da rica biodiversidade botânica brasi-contemplam a responsabilidade socio- de usuários ao Riocentro. A empresa leira. Não realiza testes em animais eambiental e o empreendedorismo como também instalou em diferentes áreas segue estritamente as mais rigorosasferramentas para a melhoria da qualida- o Quiosque Solidário, programa de es- normas de segurança internacionais.de de vida. Criado em 2002 e qualifi- tímulo à economia solidária para gerar A empresa conta com uma rede decado como Organização da Sociedade renda a comunidades vizinhas à Linha mais de 1,4 milhão de consultorasCivil de Interesse Público – OSCIP em Amarela e às linhas 1 e 2 do Metrô Rio e consultores espalhados pelo País,2005, o Instituto Invepar promove o pela venda de produtos artesanais. alcançando milhões de pessoas nadiálogo entre as empresas do Grupo revenda de produtos e na dissemina-e seus públicos de relacionamento, a +  Saiba Mais sobre a Invepar ção de atitudes e valores. Por acre-fim de estabelecer e atingir metas de em www.invepar.com.br/ ditar nesse potencial transformador,sustentabilidade para toda cadeia de em 2005, criou o Movimento Natura,valor relacionada aos negócios. conjunto de ações e projetos para apoiar a vocação mobilizadora de suaNa Rio+20, o Instituto Invepar e rede. Em 2010, esses projetos engaja-o Centro Integrado de Estudos ram cerca de 113 mil consultores.e Programas de Desenvolvimento124 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 122. Na Rio+20, a Natura encantou Chefesde Estado e de Governo, delegadose participantes com presentes deboas-vindas que unem de formasustentável o conhecimento tradi-cional à tecnologia verde. Ao longoda Conferência, estimulou a reflexãosobre os desafios discutidos e comocada indivíduo pode ajudar a trans-formar o mundo, atuando em rede nadefesa de uma ética da vida baseadaem uma nova lógica de desenvolvi-mento e uma revigorada governançaglobal, acima de interesses deregiões, países, grupos econômicos. ANatura participou de diversas dis-cussões, com o engajamento da altaliderança da empresa e de sua rede.Ademais, viabilizou a participaçãode seus executivos e conselheirosem 17 fóruns e de 26 consultoras nosDiálogos para o DesenvolvimentoSustentável, evento promovido peloGoverno brasileiro no Riocentro comapoio da ONU. Também incentivouconsultores a contribuir para a plata-forma online desse evento e montouum estande na exposição Inovaçãopara o Desenvolvimento Sustentável,organizada pela FINEP no Pier Mauá.A Natura entende que a Rio+20ampliou o diálogo e a articulação,demandando esforços redobradospara colher o melhor resultado desseimpulso transformador para a cons-trução do futuro que queremos.+  Saiba Mais sobre a Natura emwww.movimentonatura.com.br/comquefuturovocesonha/Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável 125
  • 123. FORNECEDORES OFICIAISBanco da Amazônia culturais, além de abrigar dois puderam ser comprovados durantePrincipal instituição financeira grandes debates por dia, com acesso o período de realização da Rio+20,do Norte brasileiro, o Banco da livre e transmissão ao vivo e inte- quando forneceu veículos oficiais aAmazônia, coleciona, ao longo de rativa pela internet. No Parque dos Chefes de Estado e de Governo,seus 70 anos, resultados expressi- Atletas, o Banco montou estande ao Sistema ONU e a altas autori-vos na busca do desenvolvimento com produtos e serviços que oferece dades. A fabricante alemã realizousustentável da região mais rica à região amazônica em parceria uma programação especial parado mundo em recursos naturais e com o Governo Federal. Durante o evento, apoiando o debate debiodiversidade. a Conferência, foi assinado Termo questões relacionadas à mobilidade de Cooperação Institucional com sustentável. No estande montadoEm 2011, recebeu da Associação o Governo do Estado do Pará para no Parque dos Atletas, seus exe-Latino-Americana de Instituições capacitar municípios paraenses em cutivos apresentaram metas eFinanceiras de Desenvolvimento atividades produtivas sustentáveis. sugestões de mobilidade, bemprêmio pelo êxito do Fundo como a história da nova submarcaConstitucional de Financiamento do +  Saiba Mais sobre o BMW i, criada para oferecer solu-Norte FNO-Biodiversidade, progra- Banco da Amazônia em ções de mobilidade sustentável. Emma de apoio a empreendimentos de www.bancoamazonia.com.br frente ao estande, os participantesmanutenção e recuperação da bio- puderam conhecer o BMW Activediversidade amazônica, de desenvol- BMW Group E, desenvolvido com tecnologiasvimento florestal e de regularização O BMW Group já investia em que serviram de referência e basee recuperação de áreas de reserva pesquisas para o desenvolvimento para futuros modelos elétricos dalegal degradadas ou alteradas. de carros ambientalmente submarca BMW i. sustentáveis antes mesmo de os Na Rio+20, o Banco da Amazônia veículos elétricos tornarem-se Além disso, o BMW Group trouxe ajudou a viabilizar a Arena tendência mundial.Cerca de 40% pela primeira vez ao Brasil cinco Socioambiental, criada pelo de todos os seus novos modelos veículos elétricos modelo MINI E, Ministério do Desenvolvimento oferecem uma redução no consumo desenvolvido junto com o BMW Social e Combate à Fome para apre- de combustível, mitigando em até Active E. Delegados, participantes, sentar estratégias brasileiras bem- 23% as emissões de CO₂e. Essa de- jornalistas, visitantes e convidados-sucedidas de combate à pobreza e dicação rendeu-lhe, pelo oitavo ano puderam realizar testes de direção às desigualdades sociais no contexto consecutivo, o renomado prêmio no Autódromo de Jacarepaguá, do desenvolvimento sustentável. de montadora mais sustentável do a fim de comprovarem a eficiência Montada nos pilotis e jardins do mundo entregue pelo Índice Dow e o dinamismo desse modelo elétrico Museu de Arte Moderna do Rio de Jones de Sustentabilidade. da marca alemã.Janeiro, a Arena foi palco de exposi- ções, feira de produtos da sociobio- Seu pioneirismo e empenho na +  Saiba Mais sobre o BMW Group diversidade brasileira e atividades prática da mobilidade sustentável em www.bmwgroup.com126 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 124. Braskem A Braskem forneceu, aos delegados mudas de espécies da Mata AtlânticaA Braskem completa dez anos em e participantes, squeezes, sacolas e nas escolas municipais cariocas2012, tempo em que se tornou a coletores de resíduos, todos feitos por meio do Projeto Replantandolíder das Américas em produção com o Plástico Verde. Também Vida. De fato, a CEDAE foi um dosde resinas e a maior produtora de instalou uma usina de reciclagem grandes parceiros da organização dabiopolímeros do planeta – posto con- para produção de madeira plástica Rio+20, tendo atuado nas seguintesquistado com a produção em escala no Parque dos Atletas. O objetivo frentes: vistoria técnica prévia emindustrial do Plástico Verde, feito a foi mostrar ao público um exemplo todos os reservatórios de águaspartir do etanol da cana-de-açúcar, prático de empreendimento da e redes de coleta de esgotos dosmatéria-prima renovável. A partir economia verde e inclusiva, ao apre- espaços oficiais geridos pelo CNOdesse posicionamento de mercado, sentar a viabilidade da reciclagem Rio+20; controle de qualidade daa companhia tem como visão estra- dos plásticos com geração de renda água por seu Laboratório Móvel,tégica tornar-se a líder mundial em para uma cooperativa de catadores com apresentação in loco e imediataquímica sustentável até 2020. Essa de materiais recicláveis. aos participantes dos resultadosmeta tem como um dos principais das análises de potabilidade reali-vetores a ampliação dos recursos +  Saiba Mais sobre a Braskem zadas; distribuição de cerca de 350dedicados à busca da inovação e em www.braskem.com.br/ mil copos de água por aguadeirostecnologia, e especialmente ao de- no Parque dos Atletas; cessão desenvolvimento de novos polímeros a Nova CEDAE caminhões-pipa para eventuaispartir de matérias-primas renováveis. A Nova CEDAE é uma empresa necessidades no Riocentro, Parque sustentável, que abastece com água dos Atletas e MAM; monitoramentoEm sintonia com sua estratégia, a de qualidade e cuida das redes de online do consumo de água diárioBraskem marcou presença na Rio+20, esgotos da maioria da população do no Riocentro, Parque dos Atletas eparticipando de exposições, discus- Estado do Rio de Janeiro. Projetos MAM, com resultados disponíveissões sobre tecnologia e inovação, como a Despoluição da Lagoa ao público em tempo real por meioeconomia verde e incentivando o Rodrigo de Freitas; o Programa da página eletrônica da empresa; eengajamento de outras empresas e de Despoluição da Baía de plantão 24 horas para abastecimentoorganizações em favor da sustenta- Guanabara; o saneamento da Barra e saneamento dos espaços oficiaisbilidade. Nesse sentido, sobressai o da Tijuca, Recreio e Jacarepaguá; os geridos pelo CNO Rio+20.apoio dado à elaboração do mani- Centros de Visitação Ambiental efesto da Rede Brasileira Pacto Global, o CEDAE Educação Ambiental, por +  Saiba Mais sobre a Nova CEDAEContribuição Empresarial para a exemplo, atestam que as ações da em www.cedae.com.br/Promoção da Economia Verde e CEDAE são pautadas pelo respeitoInclusiva, e do Conselho Empresarial ao meio ambiente.Brasileiro para o DesenvolvimentoSustentável, Visão Brasil 2050 – No Para marcar a abertura da Rio+20, aRumo da Mudança. CEDAE promoveu o plantio de 5 milParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 127
  • 125. FORNECEDORES OFICIAISCoca-Cola Ademais, a Coca-Cola Brasil par- pelo descarte dos resíduos sólidosO Sistema Coca-Cola Brasil atua em ticipou de diálogos sobre coleta realizado de maneira incorreta,segmentos de bebidas não alcoóli- seletiva nas cidades-sede da Copa estimulando a conscientização sobrecas, empregando 60 mil funcioná- e promoveu debate sobre desenvol- a temática do lixo e sua relação comrios e gerando 600 mil empregos vimento sustentável na Amazônia, a cidadania e a sustentabilidade eindiretos. Seu índice de uso de água além de ter patrocinado a videoins- contribuindo com o aumento daé bastante expressivo: 1,91 litro por talação sensorial Brasil Cerrado, dignidade e qualidade de vida doslitro de bebida produzida – menos de Siron Franco, e a exposição catadores de materiais recicláveis. Emda metade de há 13 anos. Desde Paisagem, de Vik Muniz, que recriou parceria com a Socitex Cooperativa1996, colabora para o êxito nacional a Baía de Guanabara a partir de e o Instituto Coca-Cola Brasil, ona reciclagem: hoje, 98% das latas materiais recicláveis. Para saudar os Instituto Doe Seu Lixo busca ade alumínio e 56% das garrafas participantes, instalou na entrada eficiência administrativa, financeira ePET são recicladas. A plataforma do Aeroporto Antonio Carlos Jobim operacional da reciclagem e melhoresViva Positivamente alinha sólidos uma garrafa de seis metros formada condições de trabalho e maior rendacompromissos de caráter ambien- por garrafas bottle-to-bottle – para seus cooperados.tal, social e econômico inerentes à embalagens PET feitas de garrafasredução do consumo de água e ao PET pós-consumo recicladas. Por ser um exemplo prático de quedesenvolvimento de embalagens a coleta seletiva pode proporcio-sustentáveis, bem como à inserção +  Saiba Mais sobre a Coca-Cola nar oportunidades de conciliaçãono mercado de trabalho por meio de Brasil em www.cocacolabrasil.com.br de desenvolvimento, geração decooperativas de reciclagem. e www.institutococacolabrasil.com.br empregos, aumento de renda e da qualidade de vida, com a redução deNa Rio+20, forneceu quase 200 mil Instituto Doe Seu Lixo impactos ambientais, o Instituto foilitros de bebidas, cujas embalagens Com nove anos no mercado, o escolhido para realizar a gestão dosforam recicladas, e montou estande Instituto Doe Seu Lixo atua na resíduos sólidos gerados durante atotalmente com materiais recicla- gestão de resíduos de grandes em- realização da Rio+20.dos e recicláveis que foram 100% presas e eventos, buscando soluçõesreciclados, como fardos de latas para o grande problema da gestão e Nas palavras de Achim Steiner,amassadas e painéis de fibras de destinação inadequadas de resíduos Diretor-Executivo do PNUMA, omadeira. As 100 geladeiras insta- sólidos, trabalhando pela inclusão Instituto Doe Seu Lixo “é um retratoladas nos espaços oficiais geridos das cooperativas de catadores de da transição para a economiapelo CNO Rio+20 usaram CO2 como materiais recicláveis na logística verde, que envolve e inclui toda agás refrigerante, dispositivo Energy reversa e fazendo da reciclagem um sociedade”.Management Device e lâmpadas negócio sustentável.LED, dando início à troca de todos +  Saiba Mais sobre oos equipamentos da empresa no O Instituto tem como missão reduzir Instituto Doe Seu Lixo emBrasil até 2014. os impactos ambientais provocados www.doeseulixo.org.br128 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 126. Embraer da Azul Linhas Aéreas realizou voo de manejo e preservação capturaLíder na fabricação de jatos experimental entre Campinas e Rio de CO2 oito vezes maior que todascomerciais de até 120 assentos e uma de Janeiro utilizando combustível as suas emissões. Em 2012, lidera odas maiores exportadoras brasileiras, renovável e inovador, produzido a ranking de compartilhamento de usoa Embraer projeta, desenvolve, partir da cana-de-açúcar. Parceria de energia renovável, com 100% dasfabrica e vende aeronaves e sistemas entre a Embraer, Azul Linha Aéreas, necessidades de energia contratadaspara os segmentos de aviação GE e Amyris, o projeto Azul+Verde a partir dessas fontes. Em parceriacomercial, executiva e defesa teve início em novembro de 2009, com a ONG Terra Cycle, recolhe parasegurança. A empresa empenha- com o objetivo de testar um novo reciclagem instrumentos de escritase em minimizar os impactos conceito de querosene renovável de qualquer marca sem mais utilida-ambientais da atividade industrial para jatos, capaz de reduzir as emis- de para o consumidor.por meio da melhora contínua de sões de gases de efeito estufa.seus processos e do engajamento Ademais, é signatária do Pactoda sua cadeia de fornecedores +  Saiba Mais sobre a Embraer Global, iniciativa da ONU parana busca por novas soluções em www.embraer.com.br mobilizar a comunidade empresariale alternativas ambientalmente internacional a adotar valoreseficientes. Para tanto, otimiza o uso Faber-Castell fundamentais e aceitos mundial-de recursos naturais e energia, tanto Fundada em 1761, na Alemanha, a mente de direitos humanos, rela-na fabricação quanto na operação Faber-Castell confunde-se com a ções de trabalho, meio ambiente edos seus produtos. Essas iniciativas criação do lápis. Maior empresa combate à corrupção.reforçam o compromisso da Embraer do grupo e presente no País desdede continuar transportando pessoas 1930, a Faber-Castell Brasil é líder Fornecedora oficial de lápis daao redor do mundo com segurança mundial na produção de EcoLápis Rio-92 e da Rio+10, a Faber-Castelle conforto, de uma maneira cada vez de cor e de grafite, com 1,9 bilhão manteve seu tradicional apoio aomais sustentável. de unidades anuais. fornecer à Rio+20 todos os instru- mentos de escrita e patrocinar oAlém de apoiar a organização no Pioneira em reflorestamento e workshop Negócios e Biodiversidade,transporte de autoridades da Rio+20, proteção de áreas de preservação promovido pelo Instituto Life.a Embraer expôs seus principais permanentes, desde 1999, a empresaprojetos de desenvolvimento tem certificado de produção am- +  Saiba Mais sobre a Faber-tecnológico, mostrando o ciclo de bientalmente correta, socialmente -Castell em www.faber-castell.vida completo de seus produtos, e justa e economicamente viável. com.br/54615/A-Empresa/Nosso-apresentou ao público visitante no Desde 2007, seu EcoLápis possui comprometimento-global/Pier Mauá o avião agrícola Ipanema, certificado que rastreia a matéria- Nosso-comprometimento-global/única aeronave do mundo que utiliza -prima florestal até o consumidor fcv2_index.aspxo etanol como combustível. Durante final. Em 2010, a Faber-Castella Conferência, um EMBRAER 195 Brasil registrou em suas florestasParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 129
  • 127. FORNECEDORES OFICIAISFoz do Brasil usado, e Acreditar, de capacitação Comitê Organizador Local. Em 2016,A Foz do Brasil, empresa de soluções em tratamento de água e esgoto. dará lugar a competições dos Jogosambientais da Organização Odebrecht, Olímpicos. Projetada nos moldes dasinveste, opera e desenvolve Na Rio+20, a empresa forneceu maiores e mais modernas do mundo,projetos em concessões públicas de 120 mil copos de água gelada aos a Arena é o único espaço multiúsosaneamento básico (água e esgoto); participantes e visitantes do Parque de padrão internacional do Brasil.em operações industriais pela dos Atletas e do Pier Mauá. A água Foi inaugurada em 2007 paraterceirização de centrais de utilidades; fornecida foi a mesma que abastece abrigar competições dos Jogose de diagnóstico e remediação de os moradores da cidade paulista de Pan-Americanos do Rio de Janeiro.áreas contaminadas, monitoramento Limeira, primeira concessão públicade águas superficiais e subterrâneas de saneamento do Brasil a contar A empresa segue um programae destinação final de resíduos sólidos com a participação da iniciativa global de responsabilidade ambien-urbanos. Comprometida com o privada. Os copos de plástico rece- tal idealizado pela matriz francesa,desenvolvimento sustentável, somente beram como destinação final a usina agindo no ciclo completo de umno segmento água e esgoto a Foz de reciclagem instalada no Parque evento para minimizar impactosatende atualmente 8,3 milhões de dos Atletas pela Braskem, outra de suas atividades. Seu programapessoas em 150 municípios brasileiros. empresa da Odebrecht presente na Think Green está presente desde aA estrutura de sustentabilidade da Rio+20, a fim de transformá-los de organização e planejamento até aFoz do Brasil abrange as áreas de resíduos pós-consumo em bancos e reutilização e gestão de resíduosinovação e tecnologia, meio ambiente, móveis de plástico-madeira. dos eventos realizados. Nessequalidade, responsabilidade social, contexto, sobressaem a Estaçãosaúde e segurança. +  Saiba Mais sobre a Foz do Brasil de Tratamento de Água e Esgoto em www.fozdobrasil.com.br do Riocentro, o sistema de reúsoA empresa desenvolve diversos de águas pluviais da Arena e o usoprogramas de responsabilidade GL Events Brasil de carpetes feitos 100% à base desocioambiental, abrangendo A GL Events Brasil tem no Rio de garrafas PET recicladas.ações de educação ambiental, Janeiro as concessões do Riocentroformação profissional, geração de e da Arena localizada na Barra da O sucesso da organização darenda, voluntariado, desenvolvi- Tijuca. Eleito o melhor centro de Conferência foi exaltado pelomento cultural e artístico, proteção convenções da América do Sul pelo Secretário-Geral da ONU para aambiental e estímulo à pesquisa. Os World Travel Awards, o Riocentro Rio+20, Embaixador Sha Zukang,principais exemplos são os progra- conta com infraestrutura e gestão afirmando que o Riocentro foi omas Portas Abertas, de educação de padrão internacional. Sede da melhor local de reuniões da ONU emambiental, Olho Vivo: Água e Óleo Rio+20, o Riocentro também foi que esteve nos últimos anos.Não se Misturam, de descarte escolhido pela FIFA para sediar oconsciente de óleo de cozinha Centro Internacional de Transmissão +  Saiba Mais sobre a GL Events da Copa do Mundo de 2014 e do em www.gleventsbrasil.net/130 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 128. MAN Latin America biocombustível renovável que reduz A empresa pôs em marcha, emLíder de vendas há nove anos as emissões de CO₂ em mais de 80%. 2003, o Projeto Ouro Verde Bahia,consecutivos no mercado nacional iniciativa socioambiental de preser-de caminhões e vice-líder no de No Parque dos Atletas, expôs o vação de áreas de Mata Atlântica noônibus, a MAN Latin America primeiro caminhão do Brasil com sul da Bahia.desenvolve tecnologias de ponta que sistema híbrido diesel-hidráulico eproporcionam ganhos ambientais e o ônibus alemão Lion’s City, com Desde 2005, adotam seu própriosociais, contribuindo para o avanço tecnologia híbrida diesel-elétrico, indicador ambiental, o Michelinda definição de políticas sustentáveis além de pesquisas com biocombustí- Environmental Footprint, responsávelpara a mobilidade. Desde 2003, seu veis avançados em veículos pesados. pela medição do consumo de energia,papel de vanguarda na indústria Ademais, participou do painel de água, de emissões de compostosautomotiva ficou demonstrado com sobre mobilidade urbana do Fórum orgânicos voláteis e de CO₂ e dao pioneirismo na pesquisa do uso Megacidades 2012, organizado pela geração e descarga de rejeitos. Umde biocombustíveis antes mesmo Câmara Brasil-Alemanha e pelo dos seus compromissos é a destina-da obrigatoriedade legal. O foco de Governo fluminense. ção ambientalmente correta dos seussuas políticas de responsabilidade pneus inservíveis. Em 2012, a Michelinsocial corporativa está no apoio +  Saiba Mais sobre a MAN Latin celebrou 10 anos de sua Carta deà cidadania e voluntariado, à America em www.man-la.com/ Desempenho e Responsabilidadecultura, à educação, ao esporte e à responsabilidade-socio-ambiental/ Michelin, principal referência depreservação do meio ambiente. rio20 gestão empresarial sustentávelFornecedora oficial de transportes Michelin Durante a Conferência, participouda Conferência, a MAN Latin Presente em mais de 170 países do projeto de infraestrutura urbanaAmerica ofereceu soluções de baixas e líder na indústria de pneus, o e transformação social Rio Cidadeemissões de CO₂ e de matérias Grupo Michelin contribui com a Sustentável com a doação depoluentes para deslocamentos melhoria da mobilidade sustentável granulados de borracha, elabora-dos participantes, como o ônibus de pessoas e mercadorias desen- dos à base de pneus reciclados,flex diesel-GNV, que proporciona volvendo, fabricando e comercia- para a construção de calçadas dasredução de 20% nas emissões de CO₂ lizando pneus para todos os tipos comunidades cariocas Babilônia ee de 80% de material particulado de veículos, da bicicleta ao ônibus Chapéu Mangueira. Aos participantesmediante uso de até 90% de GNV. espacial. Esses produtos utilizam da Rio+20, a Michelin ofereceu 50Além disso, promoveu o uso de as mais modernas tecnologias do mil exemplares de seu Guia Verdeoutras fontes alternativas de energia. setor e proporcionam benefícios da cidade do Rio de Janeiro, nosEm complemento aos veículos bi- individuais e coletivos, entre eles, idiomas português, inglês e francês.combustíveis, o restante de sua frota a redução do impacto ambientalpara a conferência foi abastecida dos veículos graças à baixa resistên- +  Saiba Mais sobre a Michelincom 100% diesel de cana-de-açúcar, cia à rodagem. em www.michelin.comParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 131
  • 129. FORNECEDORES OFICIAISSERPRO da informação. Por demanda do certificações e por ser a primeiraO Serviço Federal de Processamento CNO Rio+20, o SERPRO incluiu no empresa do setor de papel e celulosede Dados – SERPRO foi criado, em sítio oficial recursos de acessibilida- a calcular as emissões de gases de1964, com o objetivo de modernizar de e semântica conforme as normas efeito estufa de seus produtos.e dar agilidade a setores estratégicos do “Modelo de Acessibilidade deda Administração Pública brasileira. Governo Eletrônico – eMAG3”. O As ações da Suzano na Rio+20Seu foco está na prestação de servi- SERPRO sofreu uma série de eventos reafirmaram seu compromissoços em Tecnologia da Informação e de segurança durante os dias da com o desenvolvimento sustentável,Comunicações para o setor público, Conferência, mas enfrentou-os todos ao fornecer produtos e serviçoscriando programas e serviços que sem comprometimento do acesso rentáveis e socioambientalmentepermitam maior controle e transpa- ou dos dados, pois o processo com corretos, provenientes de suasrência sobre a receita e os gastos pú- o qual trabalha para a concepção de florestas renováveis. Nesse contexto,blicos, além de facilitar a relação dos sítios faz com que esses problemas contribuiu com o resultado final dacidadãos com o Governo. Dentre as sejam antevistos ainda na etapa de Conferência, participando de discus-várias soluções desenvolvidas com desenvolvimento. sões e de eventos paralelos, comoessas características sobressaem a os da International Organizationdeclaração do Imposto de Renda via +  Saiba Mais sobre o SERPRO for Standardization – ISO e dainternet – ReceitaNet, a nova Carteira em www.serpro.gov.br/ Organização das Nações Unidas paraNacional de Habilitação, o novo Agricultura e Alimentação – FAO.Passaporte Brasileiro e os sistemas Suzanode controle e facilitação do comércio A Suzano Papel e Celulose é uma Seu fornecimento de papéis para aexterior brasileiro – Siscomex. empresa de base florestal, com Conferência ultrapassou as marcas 89 anos e trajetória marcada pela de 750 mil folhas de Suzano ReportO SERPRO prestou consultorias inovação. Segunda maior produtora 360, disponibilizadas nas ilhas detécnicas e forneceu serviços global de celulose de eucalipto e líder impressão do Riocentro, e de 50de Tecnologia da Informação e regional no mercado de papel, atua mil blocos de anotação impressosComunicações durante a Rio+20, também nas áreas de biotecnologia e em Alta Alvura, entregues aoscomo infraestrutura de redes e energia renovável. participantes e utilizados nas salasacesso à internet e desenho, de- de reunião. Esses produtos têmsenvolvimento e segurança do sítio A Suzano entende como sustenta- suas emissões de GEE calculadas eoficial do evento. As consultorias bilidade permitir a renovação dos compensadas por meio da compraprestadas incluíram ações de rede ciclos de crescimento, o que implica de créditos de carbono.de longa distância para interconexão construir as bases para uma expan-de todos os ambientes da Rio+20, são que integre operações competiti- +  Saiba Mais sobre a Suzanovideoconferência, transmissão vas, responsabilidade socioambiental em www.suzano.com.brde vídeos, acesso à internet, rede e relacionamentos de qualidade. Seulocal para conexão, servidores, compromisso com a sustentabilidadetelefonia fixa e móvel e segurança é respaldado por conceituadas132 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 130. TAM temas ligados à sustentabilidade, A restauração de seus quatro arma-A TAM Linhas Aéreas passou por um mantendo-os na agenda de dis- zéns, que ocupam 14 mil m² de área,longo processo de amadurecimento cussão dos funcionários. Também foi aposta pioneira da Pier Mauáaté chegar ao modelo de atuação promoveu ações de comunicação na revitalização da zona portuáriaque vem executando desde 2008: a para os clientes, no contexto das carioca, integrando-a à cidade.sustentabilidade inserida na estra- iniciativas de educação dos públicos Recentemente, os Governos Federal,tégia de negócios da companhia. A com os quais a empresa se relaciona. Estadual e Municipal impulsionamgestão da empresa busca criar uma A companhia contribuiu para a rea- uma grande transformação emcultura sustentável, primeiramente lização da Conferência oferecendo toda a zona central do Rio deno indivíduo – Esfera Micro (funcio- passagens aéreas para trazer ao Rio Janeiro até as Olimpíadas de 2016nário) –, conscientizando-o sobre de Janeiro delegados de países de por meio do projeto Porto Maravilha.sua importância e ajudando-o a criar menor desenvolvimento relativo. Nesse contexto, a Pier Mauá investevalor pessoal. Assim, ele mesmo na construção de um novo epoderá incorporar os conceitos de +  Saiba Mais sobre a TAM em moderno Terminal de Cruzeiros esustentabilidade em seu dia a dia, www.tam.com.br/sustentabilidade na transformação de parte de seuspropagando esse valor dentro da armazéns em um polo de gastrono-empresa – Esfera Macro (TAM). Pier Mauá mia, lazer e negócios em sintonia A Pier Mauá S/A explora o com o projeto Porto Maravilha.A relação com valores como ética Terminal Internacional de Cruzeirosnos negócios, cuidado extremo do Porto do Rio de Janeiro e Na Rio+20, a Sociedade Civil ocupoucom a segurança, qualidade dos opera na área de eventos. Suas o Armazém 1; os Ministérios daserviços e credibilidade das ações atividades iniciaram-se em 1998, Saúde, do Desenvolvimento Agrário,nasceu junto com a companhia, quando assumiu a Estação Marítima das Comunicações e da Integraçãomas somente ao longo dos últimos de Passageiros, eleita pela World Nacional ocuparam o Armazém 2 eanos a empresa passou a estruturar Travel Awards, em 2012, pela quarta o Ministério da Ciência, Tecnologiaseu investimento socioambiental vez consecutiva, Melhor Porto de e Inovação junto com a FINEPde forma a concentrar esforços em Cruzeiros da América do Sul. A promoveram a Feira de Inovaçãoações planejadas e estratégicas. De empresa atua na área de eventos Tecnológica nos Armazéns 3 e 4.iniciativas isoladas de filantropia, a desde 2007, após a restauração deTAM evoluiu para o apoio a projetos seus armazéns, que transformaram +  Saiba Mais sobre a Pier Mauásocioambientais, investindo em orga- o Pier Mauá num dos espaços mais em www.piermaua.com.br/pt-br/nizações sociais sem fins lucrativos nobres e versáteis para congressos, home.htmlque promovam o desenvolvimento espetáculos e realizações artísticasdo turismo sustentável e a conserva- e culturais do Brasil. São 40 mil m²ção do meio ambiente. que possibilitam a circulação de 10 mil pessoas por dia, com vistaDurante a Rio+20, a TAM promoveu privilegiada da Baía de Guanabara.ações de comunicação interna sobreParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 133
  • 131. FORNECEDORES OFICIAISVolkswagen Volkswagen expôs os projetos apoio à gestãoDurante a Rio+20, a Volkswagen Autopolis, de educação no trânsito, e de resíduosapresentou sua iniciativa global Costurando o Futuro, de capacitação Ambiente LimpoThink Blue, que propõe tornar a técnica e geração de renda para Empresa mineira focada na gestãomobilidade mais eficiente e susten- comunidades carentes e redução do de lixo eletrônico, a Ambiente Limpotável e acessível a todos. A iniciativa descarte pela confecção de bolsas coleta de empresas, fabricantes,aplica-se a tecnologias ambientais, e acessórios a partir de uniformes lojistas, instituições de ensino,como o desenvolvimento de carros usados. O estande também reafirmou órgãos governamentais e residênciasmais eficientes, e à redução de o apoio ao programa Bomba d’Água equipamentos obsoletos, pilhas eemissões na produção por meio do Popular, que possibilita acesso a água baterias, evitando a contaminaçãoconceito “Think Blue. Factory.”. No a dezenas de milhares de famílias de solos, águas, animais e pessoas.Brasil, o conceito é empregado há carentes do semiárido brasileiro. Após coletada, essa sucata eletrô-alguns anos, como o investimento nica passa por uma triagem paraem energias renováveis pela constru- +  Saiba Mais sobre a Volkswagen os resíduos de seus componentesção de pequenas centrais hidrelétri- em www.vw.com.br/pt/institucional/ receberem destinação correta.cas, que restituem à rede a energia think_blue.htmlconsumida em suas fábricas, a reci-  Saiba Mais sobre a Ambienteclagem e reutilização de materiais na APOIO CULTURAL Limpo em www.ambientelimpo.com.brprodução e o desenvolvimento de Grupo CCRveículos com o conceito BlueMotion, O Grupo CCR é uma das maiores Vide Verde Compostagementre muitas outras ações. empresas de concessão de infra- Criada em 2006, a Vide Verde estrutura do mundo, com atuação Compostagem oferece alternativaAlém de participar de debates e nos segmentos de concessão de sustentável e eficiente para des-fóruns na Rio+20, a Volkswagen rodovias, mobilidade urbana e ser- tinação e tratamento de resíduospatrocinou a videoinstalação senso- viços. Na Rio+20, apoiou a mostra orgânicos provenientes, entrerial Brasil Cerrado, de Siron Franco, e de cinema internacional Rio+20: outros, de manutenção paisagís-o concerto Quero Meu Futuro, regido Sustentabilidade em 24 Quadros, tica e de sobras de alimentos empelo maestro João Carlos Martins. no MAM, e o concerto Quero Meu restaurantes, cozinhas industriais,No Parque dos Atletas, apresentou Futuro, com o maestro João Carlos condomínios residenciais e centrosos conceitos BlueMotion e Total Flex, Martins, no Jardim Botânico do de compras. Na Rio+20, a empresao protótipo do novo carro-conceito Rio de Janeiro; além de realizar firmou parceria com o Instituto Doeelétrico e-Bulli, mostras de tecidos ações de conscientização sobre a Seu Lixo para dar destino corretoà base de PET reciclado e fibras de Conferência junto a funcionários e aos resíduos orgânicos.curauá e de juta, suas pequenas em comunidades em que atua.centrais hidrelétricas, além de seus  Saiba Mais sobre aesforços de compensação de gases  Saiba Mais sobre o Grupo CCR Vide Verde Compostagem emde efeito estufa. Já a Fundação em www.grupoccr.com.br/ www.videverde.com.br/134 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 132. FORNECEDORES OFICIAISde Reduções Certificadas de EmissãoEstre Gás Verde Grupo PlantarA Estre é a maior empresa de servi- A Gás Verde, em conjunto com a O Grupo Plantar atua nas áreas deços ambientais da América Latina. Novo Gramacho Energia Ambiental, reflorestamento, siderurgia, produ-Presente no Brasil, na Argentina e na vai operar usina de purificação de ção de carvão vegetal e madeiraColômbia, dispõe de oferta completa biogás em Duque de Caxias, região tratada e presta serviços de con-de serviços em toda a cadeia de metropolitana do Rio de Janeiro, sultoria sobre mudança do climagerenciamento de resíduos: coleta com capacidade de produção de e sustentabilidade por meio daconvencional, transporte, limpeza 160 milhões de m³/ano. Contrato Plantar Carbon. Pioneiraurbana, reciclagem e valorização de firmado com a Petrobras para no desenvolvimento de metodolo-resíduos, tratamento e destinação suprir a Refinaria Duque de Caxias gias e projetos de MDL, a empresafinal. Possui visão integrada de garantirá a sustentabilidade dessa viabilizou a fabricação do “ferrotodos os seus processos, sempre usina e da Estação de Tratamento verde”, proveniente de carvãobuscando soluções para reduzir do Chorume, além de beneficiar a vegetal renovável de florestasimpactos ambientais dos resíduos associação local de 1.700 catadores plantadas bem manejadas, emgerados em empresas e cidades. Atua de materiais recicláveis e de asse- parceria com os Fundos Protótipotambém em serviços de perfuração gurar a recuperação de importante de Carbono e BioCarbon, do Bancoe recuperação de poços de petróleo área de manguezal dessa região. O Mundial. Recentemente, um de seuse gás e na construção e manuten- aproveitamento do biogás gerado projetos tornou-se o primeiro noção de dutos. Investe em educação na usina fluminense deverá reduzir mundo a emitir créditos de carbonoambiental, por meio do Instituto as emissões de GEE em 1,4 milhão florestais no âmbito do MDL. ComEstre. Seu sistema de remoção e de toneladas métricas ao ano. É base em sua experiência de 15 anos,queima de gases de efeito estufa importante ressaltar que a Novo a Plantar Carbon tem ajudado seusestá entre os mais eficientes do Gramacho tem a distinção de ser parceiros e clientes no desenvol-mundo, com 10 projetos registrados o maior projeto do MDL em aterro vimento de estratégias climáticasno Conselho Executivo do Mecanismo sanitário no mundo. integradas a boas práticas dade Desenvolvimento Limpo – MDL, no sustentabilidade.âmbito do Protocolo de Quioto. Para fortalecer a sustentabilidade da Rio+20, a Gás Verde e a Novo Para fortalecer a sustentabilidadePara fortalecer a sustentabilidade Gramacho doaram conjuntamente da Rio+20, a Plantar Carbonda Rio+20, a Estre doou créditos de créditos de carbono gerados por doou créditos de carbono do MDLcarbono do MDL gerados por seu seu grupo empresarial na área de gerados por seu projeto de reflo-projeto de sistemas de drenagem captação de biogás em aterros restamento como fonte renovávelde metano em seus Centros de sanitários no Brasil. de suprimento de madeira para usoGerenciamento de Resíduos. industrial no Brasil. +  Saiba Mais sobre a Gás Verde+  Saiba Mais sobre a Estre e a Novo Gramacho pelo telefone +  Saiba Mais sobre o Grupoem www.estre.com.br +55 (21) 2221-0551 Plantar em www.plantar.com.brParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 135
  • 133. FORNECEDORES OFICIAISde Reduções Certificadas de EmissãoRIMA Tractebel Energia VMBIndústria 100% brasileira, a RIMA Maior geradora privada de energia Controlada pelo grupo francêsfabrica magnésio, silício metálico, do Brasil, a Tractebel Energia atua V M, a V M do BRASIL – VMBferro ligas e peças automotivas em todo o país. Está presente em é uma das mais modernas side-com tecnologia própria, qualidade, 12 estados, onde possui e opera rúrgicas integradas do mundo,produtividade e materiais de origem 22 usinas com base em política de produzindo 500 mil toneladasrenovável que contribuem para o gestão sustentável elaborada para anuais de tubos de aço sem costuradesenvolvimento sustentável de seus minimizar riscos ambientais, sociais a partir de matéria-prima e energianegócios. Juntamente com seus e econômicos de processos de fornecidas pelas subsidiárias V Mcolaboradores, a empresa promove produção. Tem buscado diversificar FLORESTAL e V M MINERAÇÃO.um conjunto de ações voltadas para seu portfólio de usinas mediante Além de adotar processo autos-a aplicação de recursos renováveis projetos de fontes econômicas e sustentável, a VMB utiliza carvãopróprios, além de iniciativas de ambientalmente viáveis, como pe- vegetal no lugar do coque (fóssil)reaproveitamento e reciclagem, quenas centrais hidrelétricas, eólica como principal fonte de energia re-garantindo sustentabilidade às suas e biomassa. Na Rio+20, sobressaíram novável na produção de ferro-gusa,atividades e ampliando sua eficiên- seu estande no Parque dos Atletas credenciando seu produto comocia, qualidade e competitividade. em parceria com a COPPE/UFRJ, “Tubo Verde”. Engajada na susten- onde se expôs protótipo da usina tabilidade, a VMB foi a primeiraA RIMA foi a primeira metalúrgica geradora de energia de ondas siderúrgica no mundo a aprovarno Brasil a ter aprovados projetos marítimas, em implantação no Ceará, um projeto de créditos de carbono,no âmbito do MDL do Protocolo de e o lançamento, por sua empresa em 2006, tendo evitado até hojeQuioto, ingressando no combate controladora GDF Suez, de iniciativa emissões de cerca de 158 mil tCO2e.direto ao aquecimento global e às global contra a exclusão social. Possui também um programa paraameaças à biodiversidade e à vida redução de 20% do consumo deno planeta. Até o fim de 2012, seus Para fortalecer a sustentabilidade energéticos até 2020 com reduçãoprojetos atingirão a marca de 1 da Rio+20, a Tractebel Energia doou consequente de emissões de GEE.milhão de tCO2e em reduções de créditos de carbono do MDL geradosemissões de GEE. por projeto da sua Unidade de Para fortalecer a sustentabilidade Cogeração Lages, que evita emis- da Rio+20, a VMB doou créditos dePara fortalecer a sustentabilidade sões de metano ao utilizar resíduos carbono do MDL gerados por seuda Rio+20, a RIMA doou créditos de das indústrias madeireira e moveleira projeto de geração de energia reno-carbono do MDL gerados por seu locais como matéria-prima para a vável por termoelétrica que operaprojeto de conversão do gás SF₆ para geração de energia. com base no reaproveitamento deo SO2 em sua produção de magnésio. gases siderúrgicos residuais. +  Saiba Mais sobre+  Saiba Mais sobre a Rima na a Tractebel Energia em +  Saiba Mais sobre a V M doRio+20 em www.rima.com.br www.tractebelenergia.com.br BRASIL em www.vmtubes.com.br136 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 134. Prefeitura do Rio doa créditos do Protocolo de Quioto à Rio+20 No dia 22 de junho de 2012, durante o evento de encerramento dos Diálogos Federativos, promovido pelo Governo Federal para discutir com Estados e Municípios a agenda do desenvolvimento sustentável no Brasil, a Ministra- -Chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, reuniu-se com prefeitos e representantes da sociedade civil com o objetivo de construir uma agenda nacional de desenvolvimento sustentável pós-Rio+20. Naquela oportunidade, o Governo do Estado do Rio de Janeiro foi representado por seu Secretário de Fazenda, Renato Vilela, e a Prefeitura do Rio, pelo Vice-Prefeito e Secretário Municipal de Meio Ambiente, Carlos Muniz. Os Governos fluminense e municipal encerraram a participação nos Diálogos Federativos com a entrega à Ministra Ideli Salvatti de certificado com RCEs de projeto brasileiro registrado no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo do Protocolo de Quioto. Esses créditos de carbono doados pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro e pela Prefeitura do Rio ao Governo Federal visaram a compensação voluntária das emissões de gases de efeito estufa relativas à realização da Rio+20 mediante seu cancelamento no registro do MDL. A doação foi viabilizada pela parceria firmada com a empresa Haztec, proprietária da atividade de mitigação de gases de efeito estufa do projeto Novagerar, que gerou esses créditos de carbono do MDL.Haztec seu programa de responsabili-A Haztec Tecnologia e Planejamento dade social, a Haztec promove aAmbiental oferece soluções com- educação ambiental, incentivapletas para gestão de resíduos. a inserção produtiva de catadoresCom atuação em diversas cidades de materiais recicláveis e fomentabrasileiras, possui empreendimentos o desenvolvimento das comunida-como centrais de tratamento de des onde atua.resíduos, unidade de incineração,planta de coprocessamento e es- Para fortalecer a sustentabilidadetações de tratamento de efluentes. da Rio+20, a Haztec doouEm parceria com o Banco Mundial, RCEs ao Governo do Estado dodesenvolveu o projeto Novagerar, Rio de Janeiro e à Prefeitura dode captação de metano no aterro Rio, que, por sua vez, cederamsanitário de Nova Iguaçu, na região ao CNO Rio+20 esses créditos demetropolitana do Rio de Janeiro, carbono do MDL gerados peloum dos primeiros do mundo a ser citado projeto.registrado pelo Conselho Executivodo Mecanismo de Desenvolvimento +  Saiba Mais sobre a Haztec emLimpo do Protocolo de Quioto. Com www.haztec.com.brParcerias para o Desenvolvimento Sustentável 137
  • 135. Fornecedor oficialReport transformar em realidade as opor-sustentabilidade tunidades da economia verde e, ao mesmo tempo, atuar de formaFundada há 10 anos, a Report decisiva na erradicação da pobreza.trabalha para inserir o tema sus- Ambos são temas centrais para atentabilidade no ambiente dos concretização do futuro que que-negócios por meio de três frentes remos e, não por acaso, focos dade atuação: consultoria sobre estra- discussão na Conferência.tégia, gestão e processo de relato;desenvolvimento de comunicação A Report entende que a grandeengajadora; e sistematização e contribuição da Rio+20 foi a dedisseminação do conhecimento que novamente mobilizar a sociedadecircula na rede de relacionamentos global em torno do desenvolvimento(nacional e internacional). sustentável, reafirmando posições e proporcionando foco para a atuaçãoA Conferência das Nações Unidas futura de todos os atores, em sobre Desenvolvimento Sustentável especial, governos, sociedade civil e– Rio+20 foi, portanto, uma oportuni- mundo corporativo. Para o Brasil, no dade única e especial para a Report âmbito externo, a Conferência foi a contribuir na adoção de um modelo expressão de uma liderança emer- de negócios sustentáveis pelas gente no cenário global; no interno, empresas brasileiras. representou um novo impulso para o tema na sociedade.Ao participar da Rio+20, a Reportreforçou a percepção de que o +  Saiba Mais sobre a Report emuniverso empresarial despontou nos reportsustentabilidade.com.brúltimos 20 anos como um impor-tante protagonista na viabilizaçãodo desenvolvimento sustentável.As corporações possuem recursose capacidade de execução para138 Relatório Rio+20, o Modelo Brasileiro
  • 136. siglas e abreviaçõesABNT Associação Brasileira Diesel B5 Diesel de origem Inea Instituto Estadual PIS Programa de Integração Socialde Normas Técnicas fóssil com adição de 5%, em do Ambiente, Governo do volume, de biodiesel Estado do Rio de Janeiro PGRS Rio+20 Plano de GestãoANA Agência Nacional de Águas de Resíduos Sólidos da Rio+20 Diesel B20 Diesel de origem IPCC IntergovernmentalAndef Associação Niteroiense fóssil com adição de 20%, Panel on Climate Change; PNUD Programa das Naçõesdos Deficientes Físicos em volume, de biodiesel Painel Intergovernamental Unidas para o Desenvolvimento sobre Mudança do ClimaANFAVEA Associação eMAG3 Modelo de Acessibilidade PNUMA Programa das NaçõesNacional dos Fabricantes de Governo Eletrônico, versão 3.0 ISO International Organization Unidas para o Meio Ambientede Veículos Automotores for Standardization; Organização EPA Environmental Internacional de Normalização PP PolipropilenoANP Agência Nacional do Petróleo, Protection Agency; AgênciaGás Natural e Biocombustíveis de Proteção Ambiental Libras Língua Brasileira de Sinais PREVI Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do BrasilAnvisa Agência Nacional FAO Food and Agriculture MAM Museu de Arte Modernade Vigilância Sanitária Organization; Organização do Rio de Janeiro Projeto BRA/11/017 Projeto de das Nações Unidas para Cooperação Técnica InternacionalBMFBovespa Bolsa de Agricultura e Alimentação MDL Mecanismo de “Parcerias para realizaçãoValores, Mercadorias e Desenvolvimento Limpo, da Conferência das NaçõesFuturos de São Paulo FGTS Fundo de Garantia Protocolo de Quioto Unidas sobre Desenvolvimento do Tempo de Serviço Sustentável – Rio+20”BOPP Biaxially Oriented MW Megawattpolypropylene Polipropileno FIEMG Federação das Indústrias PS Polystyrene; PoliestirenoBiorientado do Estado de Minas Gerais MWh Megawatt-hora RCE Reduções CertificadasCEDAE Companhia Estadual FIESP Federação das Indústrias ONG Organização Não de Emissõesde Águas e Esgotos, Governo do Estado de São Paulo Governamentaldo Estado do Rio de Janeiro ReceitaNet Sistema para FIFA Fédération Internationale ONU Organização das declaração do ImpostoCNO Rio+20 Comitê de Football Association; Nações Unidas de Renda via InternetNacional de Organização Federação Internacionalda Conferência das Nações de Futebol Associado OSCIP Organização da Sociedade Rio+20 Conferência dasUnidas sobre Desenvolvimento Civil de Interesse Público Nações Unidas sobreSustentável – Rio+20 FIRJAN Federação das Indústrias Desenvolvimento Sustentável do Estado do Rio de Janeiro PABX Private Automatic BranchCOMLURB Companhia Municipal Exchange; Troca automática SESI Serviço Social dade Limpeza Urbana do Rio de FUNCEF Fundação dos de ramais privados Indústria, da ConfederaçãoJaneiro, Prefeitura do Rio Economiários Federais Nacional da Indústria PEAD Polietileno deCOP Conference of the Parties; Geam/Inea Gerência de Educação alta densidade Siscomex Sistema IntegradoConferência das Partes Ambiental do Instituto Estadual de Comércio Exterior do Ambiente, Governo do PEBD Polietileno deCOPPE/UFRJ Instituto Estado do Rio de Janeiro baixa densidade UCLG United Cities andAlberto Luiz Coimbra de Local Governments; CidadePós-Graduação e Pesquisa GEE Gases de efeito estufa PETROS Fundação Petrobras e Governos Locais Unidosde Engenharia, Universidade de Seguridade SocialFederal do Rio de Janeiro GLP Gás Liquefeito de Petróleo UFSCar Universidade PBE Programa Brasileiro Federal de São CarlosC,TI Ciência, Tecnologia GNV Gás Natural Veicular de Etiquetageme Inovação UPP Unidade de Polícia GTL Grupo de Trabalho de PET Politereftalato de etileno Pacificadora Logística, encarregado da Rio+20, Ministério das Relações Exteriores PIB Produto Interno Brutosaiba mais 139
  • 137. referênciasLei nº 6.938, de 31/08/1981, que dispõe Lei nº 9.795, de 27/04/1999, que Resolução A/RES/64/236, desobre a Política Nacional do Meio dispõe sobre a educação ambien- 24/12/2009, da 68a. Reunião PlenáriaAmbiente, seus fins e mecanismos de tal, institui a Política Nacional de da Assembleia Geral das Naçõesformulação e aplicação, e dá outras Educação Ambiental e dá outras Unidas, que decide sobre a reali-providências. Acesse: www.planalto. providências. Acesse: www.planalto. zação da Conferência das Naçõesgov.br/ccivil_03/leis/L6938.htm gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – Rio+20, seu objetivoConvenção-Quadro das Nações Decreto nº 5.296, de 02/12/2004, e seus temas, além de aceitar aUnidas sobre Mudança do Clima, de que regulamenta a lei que dá prio- oferta brasileira de sediá-la. Acesse:09/05/1992, tratado que visa a esta- ridade de atendimento às pessoas www.un.org/Docs/journal/asp/bilização das concentrações de gases que especifica e a lei que estabelece ws.asp?m=A/RES/64/236 (ori-de efeito estufa na atmosfera num normas gerais e critérios básicos ginais) e hotsite.mma.gov.br/nível que impeça uma interferência para a promoção da acessibilidade rio20/wp-content/uploads/antrópica perigosa no sistema climá- das pessoas portadoras de deficiên- Resolu%C3%A7%C3%A3o-64-236-tico. Acesse: http://www.planalto.gov. cia ou com mobilidade reduzida e dá da-Assembl%C3%A9ia-Geral-da-br/ccivil_03/decreto/D2652.htm outras providências. Acesse: www. ONU-traduzida.pdf (tradução não planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004- oficial para o português)Lei nº 9.433, de 08/01/1997, que ins- 2006/2004/decreto/d5296.htmtitui a Política Nacional de Recursos Portaria 285, de 30/04/2010, doHídricos, cria o Sistema Nacional de Decreto nº 6.949, de 25/08/2009, Ministério das Relações Exteriores,Gerenciamento de Recursos Hídricos que promulga a Convenção que cria o Grupo de Trabalhoe dá outras providências. Acesse: Internacional sobre os Direitos encarregado da preparação logísticawww.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/ das Pessoas com Deficiência e da Conferência das Nações UnidasL9433.htm seu Protocolo Facultativo, de sobre Desenvolvimento Sustentável – 30/03/2007. Acesse: www.planalto Rio+20. Acesse: www.rio20.gov.brProtocolo de Quioto à Convenção- .gov.br/ccivil_03/_ato2007-Quadro das Nações Unidas sobre 2010/2009/decreto/d6949.htm Lei nº 12.305, de 02/08/2010,Mudança do Clima, de 11/12/1997, que institui a Política Nacional deque estabelece compromissos para Resíduos Sólidos e dá outras provi-a redução da emissão dos gases dências. Acesse: www.planalto.gov.que agravam o efeito estufa, consi- br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/derados, de acordo com a maioria lei/l12305.htmdas investigações científicas, comocausa antropogênicas do aqueci-mento global. Acesse: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5445.htm140
  • 138. Decreto nº 7.495, de 07/06/2011, Edital de Chamamento Público Cadernos de Sustentabilidadecom nova redação dada pelo nº 1, de 29/02/2012, que torna do CNO Rio+20, de dezembro deDecreto nº 7.815, de 28/09/12, pública a seleção e formalização 2012, publicação que compila asque cria o Comitê Nacional de de parcerias pelo CNO Rio+20, publicações da Coordenação deOrganização da Conferência com o objetivo de captar insumos, Sustentabilidade do CNO Rio+20,das Nações Unidas sobre produtos e recursos financeiros com informações sobre práticasDesenvolvimento Sustentável e dá complementares para a realização mais sustentáveis e orientaçõesoutras providências. Acesse: www. da Conferência das Nações Unidas sobre os trabalhos das entidadesplanalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011- sobre Desenvolvimento Sustentável – envolvidas no esforço de organiza-2014/2012/Decreto/D7739.htm Rio+20. Acesse: www.rio20.gov.br ção da Conferência. Acesse: www. rio20.gov.brDecreto nº 7.746, de 05/06/2012, Acordo entre o Brasil e as Naçõesque dispõe sobre as compras Unidas, de 05/04/2012, que estabe- Fatos e Números, de dezembropublicas sustentáveis. Acesse: www. lece as necessidades, os estatutos, de 2012, publicação do CNO Rio+20planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011- os privilégios e as imunidades, entre com os principais dados relaciona-2014/2012/Decreto/D7746.htm outros aspectos, essenciais à reali- dos à organização da Conferência zação da Conferência das Nações das Nações Unidas sobreProjeto de Cooperação Técnica Unidas sobre Desenvolvimento Desenvolvimento Sustentável –Internacional Parcerias para reali- Sustentável, no Rio de Janeiro, Rio+20. Acesse: www.rio20.gov.brzação da Conferência das Nações Brasil, de 13 a 22 de junho deUnidas sobre Desenvolvimento 2012. Acesse: www.planalto.gov. Rio+20: Ações de Inclusão Social,Sustentável – Rio+20 – Projeto br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/ de dezembro de 2012, publicação queBRA/11/017, de outubro de 2011, que Decreto/D7739.htm apresenta quatro projetos de inclusãoestabelece as bases da cooperação social do CNO Rio+20, descrevendoentre o Ministério das Relações The Future We Want, de o processo preparatório dessasExteriores e o Programa das Nações 22/06/2012, documento final da ações, seu impacto social, análiseUnidas para o Desenvolvimento Conferência das Nações Unidas crítica dos desafios ao longo do pro-com vistas à organização geral da sobre Desenvolvimento Sustentável cesso e sugestões a futuros comitêsConferência, bem como à prestação – Rio+20. Acesse: www.uncsd2012. organizadores de grandes eventosde suporte técnico e logístico ao org/content/documents/727The%20 que tencionem reproduzir a experiên-Comitê Nacional de Organização da Future%20We%20Want%2019%20 cia. Acesse: www.rio20.gov.brRio+20 no exercício de suas compe- June%201230pm.pdftências. Acesse: www.rio20.gov.brsaiba mais 141
  • 139. sobre o relatórioCom base nas diretrizes de empreendido para que a Rio+20 se consideramos que esse tema podesustentabilidade estabelecidas e tornasse um marco como conferên- ser alçado a um novo patamar, dadoimplementadas pelo CNO Rio+20, cia da ONU organizada sob a égide o caráter pioneiro da Rio+20 comoa área de consultoria da Report dos três pilares do desenvolvimento primeiro megaevento da série aSustentabilidade elaborou uma base sustentável. Este documento apre- realizar-se nesta década no Brasil e,de indicadores ambientais para senta, portanto, resultados e ações em particular, no Rio de Janeiro.serem monitorados e apresentados do CNO Rio+20 em seus trabalhosno relatório. Após o evento, o de preparação, planejamento e Assim, espera-se que este breveCNO Rio+20 e a Report reuniram- execução da estratégia de sustenta- relato do complexo processo dese para avaliá-los e validá-los bilidade para o megaevento realiza- organização da Rio+20 contribua paraconforme o escopo definido para o do no Brasil entre os dias 13 e 22 de que os organizadores dos próximosrelatório. Esses indicadores foram junho de 2012. eventos no Brasil possam valer-serelatados ao longo do capítulo dessa experiência, consolidando oambiental pela Coordenação O escopo deste relatório incluiu desenvolvimento sustentável comode Sustentabilidade, com apoio somente as ações planejadas e im- fundamento sine qua non para ae suporte a dúvidas da Report. plementadas ou sob influência direta realização de eventos de qualquer do CNO Rio+20 no que concerne à porte e natureza no Brasil.A elaboração do Relatório Rio+20, sustentabilidade ambiental, social eo Modelo Brasileiro surgiu do inte- econômica e a atividades de cunho  Saiba Mais Para obter a versãoresse e, à luz do Decreto 7.495/11, cultural. A divisão dos capítulos, digital deste relatório, acesse: www.da necessidade de o CNO Rio+20 temas e subtemas abordados seguiu rio20.gov.br ou www.reportsustenta-tornar público o grande esforço essa diretriz, pois as ações da orga- bilidade.com.br/rio20 — Para infor- nização logística pautaram-se por mações adicionais, contate: uma abrangente, robusta e inova- rio20.sna@itamaraty.gov.br ou dora estratégia de sustentabilidade francisco.moreira@itamaraty.gov.br em megaeventos. Ademais, inclui- -se no capítulo social a dimensão cultural, em razão de seu potencial de contribuição para fortalecer o desenvolvimento sustentável. Com a estratégia de sustentabilida- de presente nas diferentes etapas de organização da Conferência,142
  • 140. Papel de plásticoreciclado: um papelde grande futuroO Vitopaper é resultado de outros tipos de papel. Contudo, o em selos, diplomas, embalagensinvestimentos em pesquisa e principal benefício é a inovação da indústria farmacêutica e emdesenvolvimento da Vitopel, maior direcionada à preservação do meio outros segmentos sensíveis, é útilprocessadora de polipropileno da ambiente e utilização sustentável por ser mais durável, impermeávelAmérica Latina e cliente da Braskem. dos insumos, pois não há no mundo e evitar falsificações.O objetivo das pesquisas foi buscar outra tecnologia desenvolvidauma forma de reaproveitamento para usar vários tipos de plásticos Em resumo, grandes vantagens emde materiais plásticos para criar reciclados pós-consumo, como o desempenho, resistência, seguran-produtos que dessem um destino polietileno de alta densidade – PEAD, ça, consumo de tinta e impactosnobre a resíduos plásticos. Seu o polietileno de baixa densida- socioambientais induziram adesenvolvimento consumiu três anos de – PEBD, o polipropileno – PP, o Braskem a incentivar esta soluçãode pesquisas realizadas em parceria polipropileno biorientado – BOPP e e a dar-lhe preferência ao imprimircom o Departamento de Engenharia o poliestireno – PS, inclusive metali- suas publicações.de Materiais da Universidade Federal zados, protegendo o meio ambientede São Carlos – UFSCar, no Estado de materiais não biodegradáveis. Este relatório foi impresso pelode São Paulo. CNO Rio+20 em Vitopaper, pois esse O Vitopaper permite ainda o novo material une inovação e bene-O Vitopaper é um papel predomi- fechamento de um ciclo importante, fícios diferenciados de sustentabili-nantemente feito a partir de resíduos pois os filmes plásticos usados para dade, nos pilares ambiental, social eplásticos reciclados que oferece embalar produtos como chocolate, econômico, colocando-se como umdiversas outras vantagens, como não salgadinhos e biscoitos, entre papel de grande futuro.rasgar, ser impermeável, ser leve, ter outros, passam a ser utilizadostextura e brilho agradáveis e absor- após o consumo para a produçãover 20% menos tinta na impressão, desse revolucionário tipo de papel.características não encontradas em Para cada tonelada produzida são retirados das ruas e lixões 750 quilos de resíduos plásticos, com potencial de gerar mais emprego e renda para catadores de materiais recicláveis. Outro grande diferencial é que, depois de utilizado, o Vitopaper continua sendo 100% reciclável, infinitamente. Além do viés sustentável, quando utilizadosaiba mais 143
  • 141. COMITÊ NACIONAL DEORGANIZAÇÃO DA RIO+20Laudemar AguiarSecretário NacionalJosé SollaSecretário Nacional AdjuntoCoordenação Coordenação de Coordenação de Captaçãode Sustentabilidade Acessibilidade e e Desenvolvimento Inclusão Social de ParceriasFrancisco Nilson Moreira Márcia Maria Adorno Suelma Rosa dos SantosCosta e Silva Cavalcanti Ramos CoordenadoraCoordenador Coordenadora Equipe técnicaEquipe técnica Equipe técnica José Ronaldo Campos (consultorAdriana Gouveia Rodrigo, Ana Lúcia Maitê de Souza Schmitz, sênior), Adalberto Schiehll, AdrianaRodrigues de Oliveira, Bianca Dieile da Tiago Ribeiro dos Santos, Clara Micarelli Figueiredo, Ana Lúcia Vigo,Silva, Carolina Andrade da Silva, Ingrid Martins Solon, Chloé Rocha Young, Carlos Eduardo Pinto Tavares, DaniloGomes Louro, Keylah Tavares, Luiz Rafael de Medeiros Lula da Mata, Oliveira, Emanuel Coutinho Jr., InêsEduardo Biaso Martins, Marcelo Theoto Vinícius Cardoso Barbosa da Silva, Lampreia, Jaques Hanower, JulianaRocha, Maria Eduarda Fernandes, Sônia Maria Ribeiro Baleotti, Izabel Maria Lafetá Velloso, Kyra Merz deMirtes Vieitas Boralli, Raymundo Moniz Madeira de Souto Maior, Regina Andrade, Renata Campante, Robertade Aragão Neto, Thiago de Araújo Cohen, Sâmella Brito, Israel Costa, Torres, Rodrigo Montoni, SheilaMendes e Nathália Brandão Revoredo Gildete Ferreira, Cristiana Nobre e Guebara, Gabriela Galvão (voluntá-Alves de Moraes (estagiária) Tatianne Ferreira ria) e Jasmim Madueno (voluntária)
  • 142. EXPEDIENTEdo Relatório RIO+20Supervisão Geral e Edição Projeto gráfico e diagramação Paulo de Araújo / MMA, 91, 100José Solla Report Sustentabilidade Paulo Filgueiras / Itamaraty, 11, 14, 19, 28, 42, 61, 85, 86, 87, 88Gerente do Projeto Fotografias PNUD Brasil / Daniel de Castro, 107Francisco Nílson Moreira Agência Petrobrás, 111 PNUD Brasil / Divulgação, 106Costa e Silva Agência Vale, 114 Raphael Monteiro / Apex-Brasil, 83 Alexandre Cassiano Roberto Stuckert Filho, 9, 27, 89, 110Publicação (Agência O Globo), 31 Siemens (Divulgação), 22Fundação Alexandre de Gusmão Ana Nascimento, 39 Thelma Vidales, 112, 113 André Nazaré (Arquivo Theatro UN Photo / Guilherme Costa, 19, 21, 89Consultoria Municipal do Rio de Janeiro), 91, 99 UN Photo / Maria Elisa Franco, 89Report Sustentabilidade Beth Santos, 31, 53 UN Photo / Mark Garten, 23, Bruno Coelho (Mosaico 101, Terceira CapaProdução de textos Imagem) / Agência Vale, 115 UN Photo / Rossana Fraga, 48, 65Adriana Gouveia Rodrigo, Ana Lúcia Cândido Portinari / UN Photo, 17Rodrigues de Oliveira, Bianca Dieile Projeto Portinari, 97da Silva, Carolina Andrade da Silva, Caru Ribeiro, 72 Impressão e acabamentoDaniel de Castro, Emanuel Coutinho Christian Rodrigues, 91, 93 Gráfica AquarelaJr., Francisco Nílson Moreira Costa Divulgação, 19, 28, 35, 36, 40, 41, 42, Papel: Vitopaper, 76 g/m² (miolo);e Silva, Ingrid Gomes Louro, Jorge 45, 62, 70, 75, 84, 95, 96, 117, 120 Vitopaper, 232 g/m² (capa)Chediek, José Solla, Keylah Tavares, Eletrobrás (Imprensa), 109 Tiragem: 1.500 exemplaresJulio Glinternick Bitelli, Maitê de Getúlio Ribeiro, 76Souza Schmitz, Marcelo Theoto Guilherme Taboada Lima, 11, 35, 77 Família tipográficaRocha, Márcia Maria Adorno Guto Costa, 97, 98 Gotham, Tobias Frere-Jones, 2000Cavalcanti Ramos, Maria Eduarda Jefferson Rudy / MMA, 11Fernandes Mirtes Vieitas Boralli, Joel Sheakoski, 101 ApoioRaymundo Moniz de Aragão Neto Jorge Coelho, 108 Braskeme Thiago de Araújo Mendes. Luciana Avellar, 73 PNUD Brasil Marcello Casal Jr. / ABr, 83 Marcello Dantas, 55 75% RECICLADO 100% RECICLÁVEL
  • 143. Direitos de publicação reservadosà Fundação Alexandre de GusmãoMinistério das Relações ExterioresEsplanada dos Ministérios,Bloco H, Anexo II, Térreo70170-900 Brasília – DF(61) 2030-6033/6034(61) 2030-9125www.funag.gov.brfunag@itamaraty.gov.brA Fundação Alexandre de Gusmão,instituída em 1971, é uma fundaçãopública vinculada ao Ministériodas Relações Exteriores e tem afinalidade de levar à sociedadecivil informações sobre a realidadeinternacional e sobre aspectos dapauta diplomática brasileira. Suamissão é promover a sensibilizaçãoda opinião pública nacional para ostemas de relações internacionaise para a política externa brasileira. R382 Relatório Rio+20 : o modelo brasileiro : relatório de sustentabilidade da organização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável / Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável; organizador: José Solla. — Brasília : FUNAG, 2012. 143 p.; 27 cm. ISBN: 978-85-7631-415-8 1. Desenvolvimento sustentável. 2. Rio+20. 3. Relatório. I. Fundação Alexandre de Gusmão. II. Organização das Nações Unidas. III. Conferência das Nações Unidas sobreÉ autorizada a reprodução total Desenvolvimento Sustentável – CNUDS.ou parcial sem fins lucrativosdo conteúdo desta obra, desde CDU: 504.05(047)que citada a fonte, mantendo-sea integridade das informações. Ficha catalográfica elaborada pela bibliotecária Talita Daemon James – CRB-7/6078
  • 144. “O Brasil se orgulha muito dereceber a Rio+20, de ter conseguidorealizar essa Conferência de formaorganizada e assegurar a mais amplaparticipação de todas as conferên-cias que já ocorreram tanto no quese refere à questão dos diferentespaíses como no que se refere a todosos foros em que as pessoas tiveraminteresse de participar.Mostramos que um país emergenteé capaz de fazer uma reunião compadrão internacional e que este Paístem responsabilidade política deconstruir um documento em con-junto com as nações mais diversasdeste planeta.”Dilma RousseffPresidenta da República
  • 145. CRESCER, INCLUIR, PROTEGER relatório Rio+20 o Modelo Brasileiro relatório Rio+20 o Modelo Brasileiro Relatório de Sustentabilidade da Organização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentávelwww.rio20.gov.br