SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO TOCANTINS/CAMETÁ PEDAGOGIA 2009 DISCIPLINA: T...
EMENTA <ul><ul><li>  A sala de aula e os novos tempos de ensinar e aprender; Estudo teórico-prático dos recursos tecnológi...
<ul><ul><li>OBJETIVOS </li></ul></ul><ul><li>OBJETIVO GERAL:  Refletir sobre a utilização das tecnologias na educação, enf...
TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO
COMO AS TECNOLOGIAS ESTÃO SENDO USADAS NA SOCIEDADE?  COMO VEM SENDO A GESTÃO DAS TECNOLOGIAS ? É POSSÍVEL UTILIZÁ-LA A FA...
É o uso de conhecimentos científicos para especificar as vias de se fazerem as coisas de maneira reproduzível .  Castells,...
O QUE É TECNOLOGIA EDUCACIONAL?
Tecnologias tradicionais x Novas Tecnologias Educacionais (coexistem)
TEMOS FAMILIARIDADE COM AS TECNOLOGIAS
<ul><li>Origem?  -  A evolução das tecnologias;  </li></ul><ul><li>E hoje com que objetivos usamos as tecnologias? </li></...
COMO AS TECNOLOGIAS ESTÃO SENDO USADAS NA SOCIEDADE?  A FAVOR  OU CONTRA O SER HUMANO?
<ul><li>Revolução tecnológica concentrada nas TIC que começa a remodelar a base material da sociedade;  </li></ul><ul><li>...
Mais igualitária as oportunidades... A INTRODUÇÃO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO CONTEXTO ESCOLAR Ou  reforçará as  desigualdade...
COMO DIMINUIR AS BRECHAS TECNOLÓGICAS? COMO EVITAR NOVAS DESIGUALDADES?
O DESAFIO DAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO SABER QUANDO UTILIZAR? COMO? PORQUÊ? SABEMOS USAR  ADEQUADAMENTE AS  TECNOLOGIAS DA ...
Metodologia ou Tecnologia?
A HISTÓRIA DA TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM NOSSO PAÍS Em nosso país o que tem ocorrido a partir da introdução das novas tecno...
DESAFIOS PARA A FORMAÇÃO DOCENTE Apesar do forte apelo da mídia e das qualidades inerentes ao computador, a sua disseminaç...
<ul><li>POSSIBILIDADES </li></ul><ul><li>Acesso a uma gama de informações; </li></ul><ul><li>Planejamento das atividades  ...
A compreensão crítica é um dos desafios que nos impõe as inovações tecnológicas. É urgente a compreensão correta da tecnol...
A nossa mente é a melhor tecnologia, infinitamente superior em complexidade ao computador, por que pensa, relaciona, sente...
o papel do educador é fundamentalmente estimular a reflexão. Não é simplesmente trazer a resposta, mas a pergunta fundamen...
<ul><li>A qualidade do ensino não depende apenas da presença das tecnologias na escola. É preciso uma adequada formação de...
A realidade demonstrou que a mera introdução dos computadores não gerou mudança alguma. Depois da euforia inicial, tudo co...
<ul><li>  </li></ul><ul><li>REFERENCIAS   </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  APPLE, Michael.  As novas tecnologias em...
<ul><li>  </li></ul><ul><li>KENSKI, Vani Moreira.  Tecnologias e ensino presencial e a distancia . Campinas: Papirus, 2003...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

APRESENTAÇÃO TIE

1,134 views
1,004 views

Published on

A apresentação tem como objetivo discutir as tecnologias na educação.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,134
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

APRESENTAÇÃO TIE

  1. 1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO TOCANTINS/CAMETÁ PEDAGOGIA 2009 DISCIPLINA: TECNOLOGIAS, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO MS. MARIA SUELI CORRÊA DOS PRAZERES Cametá/ Pará 2012
  2. 2. EMENTA <ul><ul><li> A sala de aula e os novos tempos de ensinar e aprender; Estudo teórico-prático dos recursos tecnológicos aplicados a educação; tecnologias de rede e a educação virtual apoiada na internet; avaliação e modelagem de ambientes virtuais de aprendizagem; Os diferentes usos do computador na educação. Análise de experiência em curso. </li></ul></ul>
  3. 3. <ul><ul><li>OBJETIVOS </li></ul></ul><ul><li>OBJETIVO GERAL: Refletir sobre a utilização das tecnologias na educação, enfocando suas implicações pedagógicas, políticas, culturais e sociais. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>OBJETIVOS ESPECÍFICOS: </li></ul><ul><li>Oportunizar espaço de discussão e reflexão crítica acerca da importância das tecnologias na educação; </li></ul><ul><li>Realizar uma reflexão crítica sobre a introdução das novas tecnologias na educação e na escola; </li></ul><ul><li>Refletir sobre as possibilidades e limitações da utilização das tecnologias no contexto escolar. </li></ul><ul><li>Refletir sobre a utilização das novas tecnologias a favor da educação. </li></ul>
  4. 4. TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO
  5. 5. COMO AS TECNOLOGIAS ESTÃO SENDO USADAS NA SOCIEDADE? COMO VEM SENDO A GESTÃO DAS TECNOLOGIAS ? É POSSÍVEL UTILIZÁ-LA A FAVOR DA EDUCAÇÃO?
  6. 6. É o uso de conhecimentos científicos para especificar as vias de se fazerem as coisas de maneira reproduzível . Castells, 2003 TECNOLOGIA? A nova tecnologia não é somente uma coleção de máquinas e equipamentos. Ela incorpora uma forma de pensamento que orienta as pessoas a encarar o mundo de maneira particular. Ela está ligada a transformações na vida, emprego, esperanças e sonhos de grupos reais de pessoas. Para uns a vida será melhorada, para outros sonhos serão destruídos. APPLE, 1995
  7. 7. O QUE É TECNOLOGIA EDUCACIONAL?
  8. 8. Tecnologias tradicionais x Novas Tecnologias Educacionais (coexistem)
  9. 9. TEMOS FAMILIARIDADE COM AS TECNOLOGIAS
  10. 10. <ul><li>Origem? - A evolução das tecnologias; </li></ul><ul><li>E hoje com que objetivos usamos as tecnologias? </li></ul><ul><li>Para aproveitar as novas tecnologias é preciso conhecê-las, e não há melhor forma de conhecê-las do que começar a usar as que estão ao nosso alcance. </li></ul><ul><li>Qual o grande desafio do uso das novas tecnologias na sociedade? </li></ul><ul><li>Qual o grande desafio do uso das tecnologias nas escolas? </li></ul><ul><li>Quais as tecnologias da informação e da comunicação são importantes para a educação; </li></ul><ul><li>A tecnologia modificou a forma de trabalho, introduziu mudanças em suas práticas pedagógicas? </li></ul><ul><li>KENSKI, 2003 </li></ul>
  11. 11. COMO AS TECNOLOGIAS ESTÃO SENDO USADAS NA SOCIEDADE? A FAVOR OU CONTRA O SER HUMANO?
  12. 12. <ul><li>Revolução tecnológica concentrada nas TIC que começa a remodelar a base material da sociedade; </li></ul><ul><li>Informação é a matéria prima da sociedade da informação; </li></ul><ul><li>Esquizofrenia estrutural; </li></ul><ul><li>Levar a tecnologia a sério </li></ul><ul><li>Analisar se o paradigma tecnológico não está servindo para a expansão e rejuvenescimento do capitalismo; </li></ul><ul><li>A tecnologia não é boa, não é má e também não é neutra; </li></ul>As novas tecnologias estão integrando o mundo em redes globais. Mas por que assistimos em todo o mundo uma tendência bipolar entre a rede e o ser? Castells (2003) A INTRODUÇÃO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NA SOCIEDADE INFORMACIONAL
  13. 13. Mais igualitária as oportunidades... A INTRODUÇÃO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO CONTEXTO ESCOLAR Ou reforçará as desigualdades sociais.
  14. 14. COMO DIMINUIR AS BRECHAS TECNOLÓGICAS? COMO EVITAR NOVAS DESIGUALDADES?
  15. 15. O DESAFIO DAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO SABER QUANDO UTILIZAR? COMO? PORQUÊ? SABEMOS USAR ADEQUADAMENTE AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO?
  16. 16. Metodologia ou Tecnologia?
  17. 17. A HISTÓRIA DA TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM NOSSO PAÍS Em nosso país o que tem ocorrido a partir da introdução das novas tecnologias da informação e da comunicação é uma inovação conservadora ao invés de melhoria da qualidade no ensino ? Cysneiros, 1999 História de insucessos e fracassos; Analisar o contexto: Amazônia; As escolas não dispõem nem mesmo das tecnologias consideradas tradicionais; Inovação conservadora : apenas modificam a aparência da aula; Ampliam a capacidade expositiva do professor e diminuem a possibilidade de interação do aluno; Refletir sobre o uso pedagógico da tecnologia na sala de aula.
  18. 18. DESAFIOS PARA A FORMAÇÃO DOCENTE Apesar do forte apelo da mídia e das qualidades inerentes ao computador, a sua disseminação nas escolas está hoje muito aquém do que se anunciava e desejava. Por que ainda não se consolidou em nosso sistema educacional? José Armando Valente, 1999 <ul><li>EDUCOM, FORMAR, PRONINF, PROINFO; </li></ul><ul><li>Por que ainda não incorporou as necessidades e realidade dos educadores; </li></ul><ul><li>Inadequada formação dos professores com relação ao papel das tecnologias educacionais: Instrucionismo x construcionismo </li></ul><ul><li>As mudanças são quase inexistente do ponto de vista pedagógico (transmissão de informação e não construção de conhecimento); </li></ul><ul><li>Curso descontextualizados da realidade do professor (física e pedagógica); </li></ul><ul><li>Em geral o professor ao retornar a sala de aula encontrando um ambiente hostil para a mudança volta a sua antiga prática </li></ul>
  19. 19. <ul><li>POSSIBILIDADES </li></ul><ul><li>Acesso a uma gama de informações; </li></ul><ul><li>Planejamento das atividades </li></ul><ul><li>Recurso didático (texto, imagem, som); </li></ul><ul><li>Usado como instrumento pedagógico e não simplesmente como ferramenta; </li></ul><ul><li>Auxiliar na formação do educando. </li></ul><ul><li>Possibilidade de transformar informação em conhecimento; </li></ul><ul><li>LIMITAÇÕES </li></ul><ul><li>Integrados ou apocalípticos; </li></ul><ul><li>Utilização inadequada das ferramentas tecnológicas; </li></ul><ul><li>Lacunas na formação docente para o uso das tecnologias na educação; </li></ul><ul><li>Passividade e desinteresse dos educando diante da gama de informações acessadas; </li></ul><ul><li>Concepção de que a simples presença do computador e da internet mudará o cotidiano escolar. </li></ul><ul><li>Moran, Behrens e Masetto, 2000 </li></ul>
  20. 20. A compreensão crítica é um dos desafios que nos impõe as inovações tecnológicas. É urgente a compreensão correta da tecnologia. A formação técnico-científica que precisamos urgentemente é muito mais que treinamento para o uso da tecnologia. Exige um exercício de pensar a própria prática, de pensar o tempo, o porque das coisa, o como e em favor de quem. A educação que necessitamos deve vir no sentido da humanização. Freire, 2000
  21. 21. A nossa mente é a melhor tecnologia, infinitamente superior em complexidade ao computador, por que pensa, relaciona, sente, intui e pode surpreender. José Manuel Moran, 2000
  22. 22. o papel do educador é fundamentalmente estimular a reflexão. Não é simplesmente trazer a resposta, mas a pergunta fundamental, a pergunta que liberta . Mas não é qualquer pergunta, é aquela que desestabiliza, que faz refletir, que problematiza, que clarifica as contradições, que mostra a dimensão dialética da realidade. Guareschi, 2005
  23. 23. <ul><li>A qualidade do ensino não depende apenas da presença das tecnologias na escola. É preciso uma adequada formação de professores, políticas públicas para a introdução das tecnologias nas escolas, de projetos pedagógicos inovadores, de bons salários, de estrutura física adequada, de materiais didáticos, pedagógicos e tecnológicos e muitas outras questões. </li></ul><ul><li>Lhano e Adrian, </li></ul>
  24. 24. A realidade demonstrou que a mera introdução dos computadores não gerou mudança alguma. Depois da euforia inicial, tudo continuou do mesmo jeito. Quando acreditamos que os aparelhos têm em si o poder de gerar essas mudanças, sentimos que tais equipamentos nos enganaram e não cumpriram a promessa de “modernização” e de melhorar a qualidade da educação. Lhano e Adrián (2006)   O erro está em acreditar que os computadores são “varinhas mágicas” e que sua presença basta para transformar a realidade de uma instituição educativa. Lhano e Adrián (2006)
  25. 25. <ul><li>  </li></ul><ul><li>REFERENCIAS </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  APPLE, Michael. As novas tecnologias em educação: parte da solução ou parte do problema? In: Trabalho docente e textos: Economia política das relações de classe e de gênero em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>CYSNEIROS, Paulo Gileno. Novas tecnologias na sala de aula: melhorias do ensino ou inovação conservadora? Revista Informática educativa. Vol.12, nº 1, p. 11-24, 1999. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>CASTELLS, Manuel. A sociedade em Rede . A era da informação: Economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 2003. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>CHAVES, Eduardo O.C . Tecnologia na educação. In: Enciclopédia de Filosofia da Educação. 2004. Disponível em http://www.chaves.com.br/TEXTSELF/EDTECH/tecned2.htm#I.%20Tecnologia . </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>FREIRE, P. Os desafios da educação de adultos ante a nova reestruturação tecnológica. In: FREIRE, P. Pedagogia da Indignação : cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>FISCHER, Rosa Maria Bueno. Identidade, cultura e Mídia. A complexidade das novas questões educacionais na contemporaneidade. In: SILVA, Luiz Heron (Org). SÉCULO XXI: qual conhecimento? Qual currículo? Petrópolis. Vozes, 2000. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>GUARESCHI, Pedrinho. BIZ, Osvaldo. Mídia, cultura e educação . Petrópolis: Vozes, 2005. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  26. 26. <ul><li>  </li></ul><ul><li>KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distancia . Campinas: Papirus, 2003. </li></ul><ul><li>LLANO, José Gregório; ADRIÁN, Mariella. A informática educativa na escola. São Paulo: Editora Loyola, 2006. </li></ul><ul><li>LITWIN, Edith. Tecnologia Educacional: política, histórias e propostas . 1997. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, Adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. Ed. 10ª. São Paulo: Cortez, 2007. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>MORAN, José Manuel; BEHRENS, Maria Aparecida; Masetto, Marcos. Novas Tecnologias e mediação pedagógica. Campinas/São Paulo: Papirus, 2000. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>MORAN, José Manuel. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas. In: Novas tecnologias e mediação pedagógica . São Paulo: Papirus, 2000. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>VALENTE, José Armando. Visão Analítica da Informática na educação . Revista Informática educativa. Vol.12, nº 1, 1999. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>www.you tube.com.br/videos </li></ul><ul><li>   </li></ul><ul><li>  </li></ul>

×