Your SlideShare is downloading. ×
0
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
01 isabela e alice-introdução a política
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

01 isabela e alice-introdução a política

1,030

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,030
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Capítulo 1- Ciência Política: conceito, objeto de estudo e definições• Apresentação• Você já parou para refletir sobre o significado da palavra política? Será que ela diz respeito apenas aos partidos, às eleições, à corrupção, a homens “engravatados”? Do que exatamente ela trata? Estes questionamentos são alguns exemplos que deram origem ao nosso primeiro capítulo deste livro didático. Ele foi escrito com o objetivo de esclarecimento acerca do conceito de política, e a definição de ciência política.• Algo que é bem importante termos em mente antes de iniciarmos nossas leituras e estudos, é lembrarmos que os autores que serão trabalhados aqui, representam algumas das formas possíveis de pensarmos sobre a política.
  • 2. O que é Política?• Origem da Palavra “Política”: A palavra política deriva de politikós (de origem grega, adjetivo que qualificava a pólis) e diz respeito àquilo que é da sociedade, ou seja, que é do interesse do homem enquanto cidadão. Aristóteles foi pioneiro em tratar a política como ação dos homens em sua obra “A Política”.
  • 3. • Definição da palavra Política no Dicionário Michaelis: po.lí.ti.ca sf (gr politiké) 1 Arte ou ciência de governar. 2 Arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou Estados. 3 Aplicação desta arte nos negócios internos da nação (política interna) ou nos negócios externos (política externa). (...) 9 Cerimônia, cortesia, urbanidade. P. de campanário: a que só vê os interesses locais. P. econômica: teoria e prática da direção econômica de um país. P. de boa vizinhança: política caracterizada pelo princípio de amizade, cooperação e não- interferência nos negócios internos de outro país, principalmente país vizinho. P. social: conjunto dos princípios e medidas postos em prática por instituições governamentais e outras, para a solução de certos problemas sociais.• PORTANTO A PALAVRA POLÍTICA EM SEU SENTIDO COTIDIANO, POSSUI UMA APLICAÇÃO AMPLA, PODENDO SER UTILIZADA EM DIVERSOS CONTEXTOS. Já para a ciência política a palavra política possui um sentido específico.
  • 4. É possível uma ciência da Política?• SIM, o termo “ Ciência Política” surgiu por volta de 1880. Apesar do termo „política‟ ter uma longa história, a expressão “Ciência Política” só aparece no século XIX, exatamente com o desenvolvimento das ciências.
  • 5. A Política para os cientistas políticos• Apesar da longa história do termo „política‟ e da sua definição ampla, a „política‟ enquanto objeto passível de ser estudado pela ciência adquire um sentido específico. Não existe um consenso ou uma definição única para os cientistas políticos sobre o que é política.• No entanto, um aspecto fundamental segundo Sartori (1981) é que a Política, para os cientistas políticos, é percebida enquanto esfera relativamente autônoma.
  • 6. • Ora a ciência, segundo Sartori , diz respeito à uma divisão e especialização do trabalho cognitivo. Ou seja, ela possui um objeto específico de estudo. Além disso, se diferencia do senso comum, uma opinião por exemplo. Pois se baseia em estudo sistemático dos fatos. Portanto, a Política enquanto objeto da Ciência Política é vista em sua própria autonomia, como algo que possui leis e imperativos próprios, sendo diferente da esfera econômica, jurídica, religiosa por exemplo. Por isso ela constitui um objeto passível de ser estudada pela ciência. POLÍTICA: para os politólogos, é uma esfera autônoma DIFERENTE: do pensamento grego que concebia a política como compreendendo o social (ela era o todo). DIFERENTE: da definição proposta no dicionário, ou do uso da palavra no cotidiano, que pode ser aplicada a diversos contextos (sociais, econômicos, jurídicos etc...).
  • 7. Diferenças entre a Ciência Política e a Filosofia Política• Segundo Giovanni Sartori (1981) e Noberto Bobbio (1986) para compreendermos o que é uma ciência política, devemos compreender também a diferença entre esta e a filosofia política.
  • 8. Características de uma Filosofia Política• Dedução Lógica• Justificação• Atribuição de valores normativos• Caráter Universal• Metafísica das Essências• Inaplicabilidade(Cf. Sartori, 1981, p.181).
  • 9. • Exemplo:• “Nasce daí esta questão debatida: se será melhor ser amado que temido ou vice-versa. Responder-se-á que se desejaria reunir ao mesmo tempo as qualidades que dão aqueles resultados, é muito mais seguro ser temido que amado, quando se tenha que falhar numa das duas. É que os homens geralmente são ingratos, volúveis, simuladores, covardes e ambiciosos (...).” (Maquiavel, p.149)
  • 10. Características de uma Ciência Política• Verificação Empírica• Explicação Descritiva• Isenção de Valores• Particularidade e Cumulatividade• Constatação de Essências• Operacionalidade e Operatividade(Cf. Sartori, 1981, p. 181)
  • 11. • Exemplo:• “ A Ciência Política Contemporânea se distingue essencialmente por duas qualidades. A primeira e a mais discutida é a sua vontade de ser científica. Isso implica uma preocupação teórica e metodológica- um escrúpulo de respeitar dados (o requisito do empiricismo) e de não afirmar „verdades‟ ou „princípios certos‟ sem uma demonstração rigorosa ( o requisito da verificação de hipóteses).” (Schmitter, 1979, p. 31).
  • 12. • O esquema de Sartori (1981) é um modelo de tipos- ideais, no entanto é um interessante guia. Resumidamente: Enquanto a Filosofia Política possui um caráter „normativo‟ que se preocupa em como a política „deve ser‟, a Ciência Política possui um caráter investigativo da realidade, e uma aplicação prática das teorias• Até o momento ainda existem muitas teorias políticas que se situam a meio caminho entre a ciência e a filosofia. No entanto a comparação entre esses modelos é fundamental para a compreensão de que a Ciência Política que se define a partir de um método empírico e analítico.
  • 13. Algumas Concepções de política na Ciência Política• Para Philippe Schmitter, a ciência política somente se qualifica enquanto ciência a partir do momento em que delimita a disciplina. Por isso a definição do conceito de política é fundamental. Ele aponta as principais definições de política na Ciência Política:
  • 14. • - Política como ciência do Estado:Visão tradicional que predominou no séculoXIX e que alguns cientistas políticosampliaram para algumas organizaçõesanexas estatais (partidos, grupos depressão etc...).
  • 15. • -Política como Poder, Influência ou Autoridade:A maioria dos cientistas políticos atuais é adepto dessavisão. Mas não há um consenso sobre a definição depoder que, algumas vezes, é confundida com influência ouautoridade.Definição clássica de poder: Weber- “ o meio decisivo napolítica é a violência”. ( a definição em termos de poder émais utilizada por linhas teóricas marxistas e behavoristas)Foco na influência: muitos cientistas políticos norte-americanos têm rejeitado a ênfase na força, para umavariedade de meios e recursos utilizados pelos atoressociais. (ex: Robert Dahl, Harold Lasswell etc- „teoriapolítica dos grupos‟).
  • 16. • Política como processo de formulação de Decisões ColetivasTentativa de situar a Ciência Política emtermos de um processo social, tomandocomo foco principal a questão daformulação de decisões. A ciência políticateria então como função explicar questõescomo: Como foi formulada uma linha deconduta? Quem participou? Quais foramseus determinantes?. (Ex: David Easton.Defendida principalmente por adeptos daTeoria dos Sistemas Políticos).
  • 17. • Política como Resolução Não-Violenta dos ConflitosEssa perspectiva é defendida pelaabordagem Funcionalista. Nesta visão osatores políticos mantêm relações de conflitoe interdependencia, sendo que a políticadeterminará linhas de conduta e integração.(Ex: Talcott Parsons e David Apter).
  • 18. Bibliografia• BOBBIO, N. A teoria das formas de governo. Trad. por Sergio Bath. 2ª ed. Brasília: UnB, 1976.• _________. / MATTEUCCI, N. / PASQUINO, G. Dicionário de política. Trad. por Luís Guerreiro Pinto Cacais... [et al.] Brasília: UnB, 1986.• _________. Estado, governo, sociedade: para uma teoria geral da política. Trad. por Marco Aurelio Nogueira. 3ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1990.• DAHL, R. A Análise política moderna. Trad. por Sergio Bath. Brasília: UnB, 1981.• __________. Poliarquia: Participação e Oposição. Pref. de Fernando Limongi. Trad. por Celso Mauro Paciornik. São Paulo: EdUSP, 1997.• Heywood, Andrew. Politics. Palgrave Foundations.• MAQUIAVEL, N. O Príncipe. Coleção Universidade.• SARTORI, Giovanni. A política: lógica e método nas ciências sociais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1981.• SCHMITTER, Philippe. Reflexões sobre o conceito de política. In: Curso de Introdução à Ciência Política. Brasília: Centro de Documentação Política e Relações Internacionais, 1979.

×