Your SlideShare is downloading. ×
Bonnie Lewkowicz Cadeirante Americana por Isabel Mcevilly  - Revista Reacao
Bonnie Lewkowicz Cadeirante Americana por Isabel Mcevilly  - Revista Reacao
Bonnie Lewkowicz Cadeirante Americana por Isabel Mcevilly  - Revista Reacao
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Bonnie Lewkowicz Cadeirante Americana por Isabel Mcevilly - Revista Reacao

210

Published on

Published in: Career
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
210
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 34 internacional Uma americana cadeirante B onnie Lewkowicz cres- ceu em Detroit (EUA) e soube, desde pequena, que queria ser dançari- na... mas nunca imagi- nou que sua carreira de dança se tornaria real numa cadeira de rodas. Entre os 5 e 15 anos de idade, ela estudou todas as formas de dança (ballet, jazz etc). Até que, em 1972, um acidente de carro a deixou quadriplégica, e seu sonho de uma carreira de dançarina, aparentemente, ficaria fora de seus planos. Com os invernos duros de Michigan (EUA) e as dificuldades de estar em uma cadeira de rodas, ela empacotou suas coi- sas e foi para o Litoral Esquerdo da Amé- rica, imediatamente após sua formatura do colegial. Foi em sua nova casa, na Califórnia (EUA), que ela descobriu uma maneira de ser a pessoa que ela era antes de seu acidente, e onde aprendeu a abraçar a filosofia de Ghandi: “seja a mudança que você quer ver no mundo” ! Impulsionada pelo desejo e necessi- dade de estar ativa, Bonnie explorou os esportes em cadeira de rodas. Até então ela nunca tinha visto qualquer dança numa cadeira de rodas e não tinha considerado isso uma opção. Foi então que um programa adaptado de Educação Física, criado na Faculdade da Comunidade de Santa Rosa, em sua cidade, ofereceu, num primeiro momento, corridas de cadeira de rodas e natação, e depois de tentar ambos, Bonnie sentiu que tinha achado seu lugar. Ela passou a competir e ganhou algumas medalhas. E foi assim durante 10 anos. Logo depois, participou de alguns jogos de exibição de Quad Rugby, e em um dos Jogos de Cadeira de rodas, ela e alguns atletas companheiros apaixonaram-se pelo atletismo e passaram a participar da Liga Quadrifônica de Rugby da Califórnia (EUA), onde ela competiu durante 8 anos, numa equipe fundada por ela, a “Quadzilla”. No verão de 2010, ela recebeu a honra de uma indicação na Sala Judia de Es- portes da Fama no Norte da Califórnia. Por sua experiência de vida e por ver o efeito que os esportes e a recreação ti- veram nela e em outras pessoas com de- ficiências, Bonnie decidiu estudar terapia de recreação. Em 1985 graduou-se na CSU – Sonoma com um bacharelado em Recreação Adaptável e mudou-se para Berkeley (EUA) para trabalhar na área de Bay Area Outreach & Recreation Program (BORP), como Coordenadora de Esportes Adultos. Na BORP, ela organizou atividades esportivas e de aventuras ao ar livre para bailarina especialista em turismo e viagens acessíveis ! as pessoas de todas as idades e capaci- dades. Foi através destas excursões que ela descobriu sua nova paixão: a viagem ! Por mais de 25 anos, Bonnie tem esta- do defendendo um maior acesso à recre- ação e as viagem ao ar livre para as pesso- as com deficiências nos Estados Unidos. Primeiro, ela se especializou em viagem acessível, como uma agente de viagens, e então, em 1997, fundou e tornou-se a diretora do Access Northern California (www.accessnca.org), uma organização sem fins lucrativos comprometida com a expansão de oportunidades de turismo acessível (inclusivo) e recreações ao ar li- vre. Ela consulta com a indústria de viagem sobre acessibilidade, conduz treinamentos de consciência de deficiência e escreve sobre viagens e turismo. Bonnie escreveu um livro intitulado: Guia de Roteiro para Cadeiras de rodas - Baía de São Francisco e o Litoral Próximo. O livro trata sobre trilhas acessíveis e produz um guia de acesso a São Francisco (EUA). Seu último projeto inclui criar um site de trilhas acessíveis ao longo do Litoral inteiro da Califórnia (www.wheelingcalscoast.org). Durante seus anos nas trilhas acessíveis, Bonnie está sempre aberta a novas desco- bertas. Participou de uma oficina de dan- ça em 1987 e despertou a dançarina que havia dentro dela. Armada com este novo conjunto de habilidades, ela começou a ex- plorar uma nova maneira para dançar com um grupo de pessoas da mesma opinião e aptidão que ela. Este empreendimento por Isabel McEvilly
  • 2. internacional cresceu rapidamente na internacionalmente aclamada Companhia Contemporânea de Dança - AXIS Companhia de Dança. Por mais de 20 anos ela se apresentou, ensinou e fez várias turnês com a com- panhia, que se aventurou longe, indo se apresentar até na Sibéria ! Além de participar, ela foi fundamental no desenvolvimento do Programa de Dança Acessível para Crianças, um componente educacional que ensina dança criativa para jovens e adultos com ou sem deficiências. Hoje ela só executa localmente, mas continua a ensinando jovens, adultos e educadores. Ela acredi- ta firmemente que as oportunidades oferecidas a ela, por ser parte da AXIS, superam seus sonhos de ter sido uma bailarina sem deficiência. Quando não está trabalhando, ela gosta de caminhadas, jardinagem, cantar e andar de bicicleta, além de sair com seu marido de apenas 19 anos. Isabel McEvilly tem sequela de Pólio, é brasileira radicada nos EUA, onde trabalha em controle de qualidade, é assinante e agora, colunista da Revista Reação. 35

×