,:-'t,..,-''ii: :
5P RK
CONTROLCs
WãM#Í
A SparkControlesé umaempresadeengenhariaespecializadaemprovertecnologiade
vanguardaòmsistemasd6segurança,controledec...
BRASILNAVANGUARDADA
SUSTENTABILIDADE
Paraespecia|istas,emboraaindaprecisedeajustes,
a indústiiabrasileiratembonsexemplos
d...
HUBËRTGEBARA
é vice-presidentede
AdministraÇaoImobiIiá'
rìa e Condomíniosdo
Secovì-SP(Sindicatoda
Habitaçao),Presidente
el...
;q;é-É{*$;*f:}Ël*;g'l:,ÍËryiri 1;r{lt,.;i'.,i.....',;'i.:l ' ,.'ir-,,{'ffid#dffispela redg?
E grandeo burburinhoemtornodas...
Automação
o sistema integrado de automação predial permite o controle de todos os itens vitais
para o funcionamentode um p...
Namesmaepoca,tambémfoidesenvolvidoe implantado
o primeiroprojetode automaçãopredialno País,naagência
do Bancoltaú,próximaa...
FTTH
Cadavezmaisos
serviçostriPlePlaY
chegamà residência
atravésde fibras.Além
dos custose
problqmaslegais,
provavelmenteo...
Especialmentenas áreasmenos
oouoàd"t é muito imProvávelque os
prou.dot.t de infraestruturade rede
conectem ascasase aparta...
mais rigor na análisedos
orogttil.t disponíveisem sualoja'
ïrrí nat usuáiios,Pessoasffsicae
jurídica, a soluçãoé Pensarem
...
GERTIFIGADOSE PARGEIROS
*
$mlllslt*r
üRIEN$UII-üINGÜüUHCIL
SilAStLÍffiffi,i,"*
ER
I
B
/
I
M
)7
I
ME
sIEmn[tr*
IAELINË SYST...
{ Ëçq,*ffi
OBRAS EM ANDAMENTO
MHA:
a
a
a
a
a
a
a
CFÏVIP
rrucÊruoto
soruonrznçÃoDEAMBTENTE
CONÏROLEDESENHAS
nurovaçÃo DEENF...
vilaOÌimpia- SãoPaulo- SP
cEP04537-002
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Clipping Spark Controles - Abril / 2013

242 views

Published on

Clipping de notícias, informações sobre produtos, e informações técnicas relacionadas ao mercado de automação predial, detecção e alarme de incêndio, CFTV, e controle de acesso.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
242
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Clipping Spark Controles - Abril / 2013

  1. 1. ,:-'t,..,-''ii: : 5P RK CONTROLCs
  2. 2. WãM#Í A SparkControlesé umaempresadeengenhariaespecializadaemprovertecnologiade vanguardaòmsistemasd6segurança,controledeconsumodeenergia,gerenciamento e automaçãopredial. O principalcompromissodaSparké oferecera seusclientesa maisaltaqualidadeemserviçose produtosquepriorizenneconomiae praticidadesemabrirmãodoconfortoe segurançaa usuários e visitantesdeedif'aiosresidenciais,comerciaise industriais, paraisso,desenvolvesoluçÕescustomizadase integradas,desdeo projetoatÓa instalaçãoe manutenção,a partirdeumminuciosolevantamentodasnecessidadesdecadacliente' Todososprodutose seruiçosinstaladose mantidospelaSpakseguemrigorosospadrÕesde qualidadee obedecemàsnormase certificaçÕesinternacionais.AsintervençÕesdaSparkpodem ocorreremedificaçÕesjáconcluÍdase quenepessitemdeumamodernizaçãooucomopartede umaobraemconstruÇão. O atendimentoexclusivoe suaequipequalificada,formadaporprofissionaisaltamente capacitados,têmgarantidoa Sparkumlugardedestaquenomercadoe umelevadograude satisfaçãoa seusclientes.
  3. 3. BRASILNAVANGUARDADA SUSTENTABILIDADE Paraespecia|istas,emboraaindaprecisedeajustes, a indústiiabrasileiratembonsexemplos deaçõessustentávelsparao mundo' Brasilsegueomesmoritmo domercadomundialnas preocupaçõescommedidas sustentáveis",afirmaJesseThé, professordaUniversidadede Waterloo,noCanadá,especialista emsustentabilidadecorporativae presidentedaLakesEnvironmental, empresacanadenseespecializada eminventáriosdeemissõesdeÍontes, mudançasclimáticaseciências atmosÍéricas.Oespecialista,que estevenoBrasilcomoconvidado especialparapalestrarno144Seminário InternacionaldeMeioAmbiente IndustrialeSustentabilidade(SlMAl) realizadoemnovembroduranteaFeira lnternacionaldeMeioAmbienteIndustrial (FlMAl).Segundoele,emmuitasáreas oBrasillideranapreocupaçãocoma sustentabilidadeindustrial."AprópriaShell divulganomundoaliderançabrasileirana áreadebiomassaeetanol",aÍirma. Autilizaçãodacana-de-açúcarna produçãodeetanoléatésetevezesmais eficientequecombustíveisdematrizes limpasusadasnaEuropaenosEstados Unidos,comoabeierrabaeomilho.Os investimentosnodesenvolvimentodenovas fontesdeenergiatambémsão,naopinião doprofessorcanadense,umexemploa serseguidopelorestodomundo."Estes objetivosnãosãofáceiserequeremmaisde 10anosparaproduzirretornossignificativos. Exemplodestesincluiaimplantaçãode Ílorestasparausoenergéticoedecarvão vegetalparaaplicaçãonaindustrialde processamentodemetais",diz. Oespecialistaapontatambémque emboraaindústriabrasileiraaindatenha tecnologiasvelhas,e,portantopouco" eficientes,estasnãosãoasmaioresno parqueindustrialnacional."Duranteesta novafasedecrescimentoindustrialno Brasil,sugiroquedevemosÍocarouso deprocessoeenergiasquereduzam odesperdícioeasemissõesdegás deefeitoestufa.Comaimplantaçãode novosparques,podemosutilizarnovas tecnologiasinternacionaiscomgásnatural emciclocombinado,aexpansãodousode energiaeólica",afirma. Ocontroledasemissõesipdustriaisparaa atmosferaéumdospontosondeoBrasil precisaavançar."Precisamosacelerara implementaçãodeprocessosepráticas internacionaisnessasáreasparaobtermos melhorescontrolesdestasemissõesea automaçãoporsistemasdetecnologia deinÍormação",aponta.Outrasfrentes foradasustentabilidadeindustrialincluem omelhormanejamentodeÍlorestase conscientizaçãodacrisedebiodivesidade. "DevoÍrisarqueoBrasilestámuitoatrásno usodeenergiasolarededesenvolvimento deplantasoleaginosas_paÍausoenergético edematéria-primaparaaindústria",alerta ecompleta:"AMalásiaeaIndonésia juntasexportamaproximadamenteUS$40 bilhõesporanodeóleodepalmeirasquese originaramemsolobrasileiro",conclui.
  4. 4. HUBËRTGEBARA é vice-presidentede AdministraÇaoImobiIiá' rìa e Condomíniosdo Secovì-SP(Sindicatoda Habitaçao),Presidente eleitada FiabciBrasìle diretordo GruPoHubert Emdefesados condomínios PORHUBERTGEBARA A guerracontra a violência e os assaltostem de sertravadaem duas frentes:a policial e a social.A polí- cia precisachegara tempo e arris- car-seno confronto com os bandi- dos.Mas existemtambémas ques- tões que somente serão resolvidas a longo Prazo: Pobreza,exclusão social, desemPrego,Planejamento familiar,educação'novocódigope- nal, sistemaPenitenciárioetc. Além da ação Policial de efei- to imediato, há essa outra frente de luta de efeito mais lento e que dependedo chamadoPactosocial, no momentototalmenteesquecido' Sem essePacto,o crescimentoda economiafica mais difícil. A segu- rança- dentro e fora dos condomí- nios- também. PaísessemessemisteriosoPacto encontramProblemas-Nos Estados Unidos há um Poderosoacordonão escrito:o sonho americano.E um misto de ideologia.patriotismo,or- gulho e preconceito.Sem essaPos- tura, o sentimentocoletivo dá lugar à frustraçãosocial. Esta é uma força maligna de mão dupìa: o Poder Público acha que é muito esperto quando tlra tudo o que Podedo cidadão.Com razào,estese sentetraído e Passa a ver no poderPúbiicoum inimigo' Rompe-seentãoo Preciosoelo' Tambémé Precisoentenderque a vida çom segurançatotal é sonho' Os condomíniosnão são uma al- ternativa perfeita, mas representam aquilo que Podemosfazer de me- thor no estágioatual. E Podem ser aperfeiçoadosem muito. Melhores critérios no trabalho de admissão de funcionáriosPara os conjuntos residenciaissão parte da questão' TreinamentoPermanenteParaos já admitidos,tambem.As emPresasde segurançaprecisamemprestare dis- seminar melhor seu know-how em eventosrealizadosem parceriacom asadministradorasde condomínios' Não hácabimentoParacertasfa- lhas,como deixar a fita gravadanas câmaras instaiadas ao alcance da mão dos bandidos- e a desatenção dos funcionários. Muito dePende tambémdos PróPrioscondôminos' Há ainda a questãodo regulamen- to interno do condomínio.Quantos o seguem? s A uparKexecurapro1etosexclusivos,deacordocomo níveldeseguranÇadesejadoefornece sistemascompletosdevigilânciaeletrÔnicadeáreas,comCFTVcomgravaÇãodigitalcom monitoramentorennotoviaìnternet,rádioousatelite. Elatambémfaza ìmplantaçãodecontrolesdeacessoporcartÕesdeproximidadlbiometriae kis,e integr.açãocomvendingmachines,controlesdevisitantese estacìonarnentos, Naáreadeprevençãoa incêndiosa Sparkcontacomprofìssionaisassociadosà NFPA- Natioryal,Fre protectionAssociation,habilitadosadesenvolversìstemasprecisosdedetecçáodeincêndiospo-r sensoresdeinfravermeÌho,termovelocimétricos,fotoeietricose iÔnicoscomalarmeslocaise remoÌos'
  5. 5. ;q;é-É{*$;*f:}Ël*;g'l:,ÍËryiri 1;r{lt,.;i'.,i.....',;'i.:l ' ,.'ir-,,{'ffid#dffispela redg? E grandeo burburinhoemtornodascâmeraslP.Muita tecnologia,qualidadedeimagem,sistemasrepletosde recursos,e funçõesdiferenciadas.Porém,umadúvida muitocomumentreosusuáriosdestessistemasé seo fatodessesequipamentosnecessitaremdeumaredeos tornamenosseguros,e atévulneráveisa invasões. É daroquesedíssermosquea invasãoé algo impossível,estaríamosmentindo, poisquandose tratade internet e sistemasem rede,esta possibilidadenãopodeser descartada.Qualquer ativode redepossuia suavulnerabilidade,e diantedeumusuário malintencionado,a interceptaçãoé possível. Segundoo especialistaem CFïVSérgio Carvalho,daTask Sistemas,empresa especializadaem soluçõesde segurança,existe opções,quese empregadas corretamentepodem "blindar"a rede,tornando o sistemapraticamente impossívelde serviolado. "Algunsrecursospodemser empregadosseparadamenteou em conjunto,comoa criptografiados dados,acessopor HTTPS,usuáriose senhasde acesso,listade endereçoslP que podemacessara câmera,entreoutraspossibilidades". Umadicaimportanteparao clienteque utilizaa tecnologia,é que o simplesfatode incluirqualqueroutro ativona mesmarededascâmeras,e configurá-locomo mesmoendereço,já afetao funcionamentodo sistema, podendoaté mesmo,impediro monitoramentodas imagens. De qualquerforma,Sergioconsideraa tecnologialP maisseguraque a analógica."Sealguémquiseracessar e desativarum sistemade CFTVanalógico,o invasor teráqueconseguiracessoapenasao DVR(Digital VideoRecorder).Já no casodo lP,alémde acessaro NVR (NetworkVideoRecorder),ele teráque desativar 38 sreunnruçAECtA todasas câmerasdo sistema,o quetornaráa invasão muitomaisdifícil",explica. Outrodiferencialimportanteé quea maioriadas câmeraslP podeter um backupdasimagensem um cartãode memóriainstaladodentroda própriacâmera,o queaumentaa suasegurança,já que mesmoque alguémconsigainutilizaras gravações.contidasno NVR, o usuárioaindateráum backupna própriacâmera. Háainda,a opçãoda utilizaçãodo HTTPS, quecriaumacriptografiaentrea câmera e o servidor,protegendotodosos dadostrafegadosna rede. O especialistaem CFTV explicaquedependendodo nívelde segurançaqueo localexigeé possível contarcom outrosrecursos comoo backupremoto dasgravações,e a gravaçãoredundante, em doisou maisNVRs. "Tratando-seda tecnologia lP,o usuáriotema opção de criarumalistade endereçosque podem ter acessoà suasimagens e configurações.Nestecaso, sesomenteo endereçolPdo servidorestivercadastrado seráimpossívelalguémacessar remotamenteasimagensouas configurações,semqueesteacesso sejafeitopeloservidor" SérgioCarvalhoexplicaque estaó umaopção de segurançaquevaialémdosrecursosembutidosna própriacâmera."Dependendoda necessidadedo projeto podemosutilizarumaredeexclusiva,sejaelafísicaou virtual(VPN).Assim,a únicachancede violaçãodo sistemasó poderiaserfeitaporalguémde dentro". Se mesmoinvestindoem todasessasdicas,o cliente aindase sentirinseguro,o maisindicadoé contarcoma avaliaçãono local,quedeveserrealizadaporum profissionalda áreade segwgnça,paraum estudomais completosobreo nívelde proteçãonecessárioe desejado.E importanteconsideraro nívelde segurança do local,e o quese querproteger,e de quemse quer proteger.Aproveiteas dicase descubraquala melhor opçãoparao seu perfil.
  6. 6. Automação o sistema integrado de automação predial permite o controle de todos os itens vitais para o funcionamentode um prédio gerandoeconomia de tempo e dinheiro'A Spark desenvolve os mais modernos e completos sistemas de automação dotados de poderosos softwares gráficos, controladores e periféricos de última geração' ffiffimffiffi ',ì{ - - 5 I s d w[ L..# E:qs i+-1"1.I f; :iÍsiemamfuÌ5p*rrniie,:furrcienarrientnd*spreeÍl*siief*rr,^ie ;:';ir:nnatizaciavisandc í-,1 ecünüiniaCeÈnPrniar v r Y r v PorRedação ntrarem um localsemsepreocuparem ligara luzou o ar-condicionadoé uma dascomodidadesda vida moderna.Bastadar um passoparaqueo ambiente estejaadequadamenteiluminadoe com umatemperatura confortável.Ouemnãodesejafacilidadesassimem seudia a dia?Usuáriosde diversosedifícioscomerciais,residenciais e industríais,alemde hoteis,shoppings,hospitaise estádios de futebol,já vivemessarealidadegraçasao sistemaBMS (BuildingManagementSystem). O BMSé um sistemadeautomaçãoou gestãopredialque integradesdeosequipamentosdecampodecontroladoresde instrumentosaté o softwarede gerenciamento.Alemde sua funçãobásica,quee o monitoramentoe controlede equipa- mentos,o sistemapossuidiversasfinalidades,comogarantira racíonalizaçãode energiae águae mantero níveldeconforto pormeiodoare dailuminação,levandoemcontao aproveita- mentodeluzexterna. "O sistemade BMS é usado para muítas coisas. Vocêcomeçapelapartemaisbásica,que é a monitoração de equipamentosre conseguechegarà otimizaçãodosseus recursos,dosseusequipamentos,dasuaenergiae dosseus insumos,desdeque façauma análiseconstanteem cima dessasinformações",garanteRobertoLuigiBettoni,diretor daBettoniAutomação,quecomercìalizao sistema. Surgimento Como rápidocrescimentoe desenvolvimentoda cons- truçãocivil,aolongodosanos6oe7o,surgiua necessidadeda automatizaçãonomundointeiro.Até então,existiaapenaso controlelocalizadoe nãoumagestãocompleta.No Brasil, o sistemachegounadécadader98o. RobertoLuigiBettonifoi um dosprofissioisqueacom- panharamo surgimentodo BMS.Em 1985,eledefendeua primeiradissertaçãode mestradosobreautomaçãopredial do Brasilna EscolaPolitecnicada USPsobo título"Projeto de um Sistemade Supervisãoe ControlePredial".Ëleconta queo processose modernizoucom o tempo."Primeirofoi eletromecânico,quandoo colocaramem mesasdecontrole, depois,com o adventodo computador,começarama fazer issodeformamaiscentralizadae deformaeletrônica."
  7. 7. Namesmaepoca,tambémfoidesenvolvidoe implantado o primeiroprojetode automaçãopredialno País,naagência do Bancoltaú,próximaao metrôConceição,em SãoPaulo. Um projetototalmentenacional,poisnãosepodiaimpo;tar equipamentose sistemasdeinformática. Áreas O BMS compreendeos sistemasde ar-condicionado, energiaelétricae hidráulíca.No primeiro,permitemenor consumocom o máximo de conforto para os usuários. Napartedeenergia,fazo controledailuminação.Umsistema maissimplescontrolaa demandaporandares.Outros,mais avançados,controlama energianecessáriacombasenainci- dênciadeluznatural. Com o sistemaBMS,é possível,também,controlara demandados andarespor horário,poiso desligamentoou ligamentodecargaspermitegarantirqueo seuconsumofique dentrodademandacontratadanaconcessionáriadeenergia. Mesmocomasdiversasáreasemqueo BMSpodeseruti- lizado,algunsprédiospodemaproveitá-loespecificamente para uma finalidade."Hoje não tem sentidoconstruirum novoedifício,sejaqualfor a aplicaçãodele,semquetenha algumgraudeBMS",afirmaRobert-o. Vantagens Detecçãoinstantâneade defeito em um equipamento, ajuste e regulagemdo ar-condicionadoem função das condiçôesclimáticas,rateio de energiaentre os usuários, controleautomáticode iluminaçãoe avisode necessidadede manutençãopreventivasãoalgumascaracterísticasdestacadas porMarioFerreira,diretordeoperaçõesdaE-verticalTecnologia, empresaespecializadaemautomaçãopredial. "O BMS é uma ferramenta de gestão e controle poderosa,,que reduz erros humanos,permite análises sofisticadase controlaprocessoscomplexos,z4 horaspor dia, ininterruptamente.lssotudo aumentaa segurançaro confoftoe a eficiênciadosempreendimentos",explicaMario. Outrasvantagensque podemserressaltadassãoa agi- lidadenocontroledoedifício,a reduçãodemãodeobrae de insumose a execuçãode tarefasqueseriamimpossíveisao serhumano,em umavelocidademuitoalta. Paraqueessase asdemaisfunçõesdo sistemasejamefi- cazese nãotenhamerros,e necessárioo bomplanejamento,a devidainstalação,o corretomanuseioeaconstãnteatualização. O diretordaBettoniAutomaçãoressaltaquea máoperaçãoe a obsolescênciadeequipamentoedetecnologiasãomotivosque podemimpediro corretofuncionamentodosistema. Em relaçãoà necessidadede atualizaçãotecnológica, Robertoexplica:"Existeuma sériede outrastecnologias que vieram,como softwaresque sãoincompatíveiscom a versãoexistente,entãovocêtem quefazerumaatualização. Õ quepcdesêr . lluminação; " Ar-condicionado; . Geradores; . Sistemashidráulicos; . Reservatórios; . Sistemaselétricos; . Tarifaçãodeinsumos; controlãdspeloBMS . Controleeabastecimentode insumosl . Sistemasdedetecçãoealarmedr incêndio; . Sistemasdecontroledeintrusão; . Controledeacesso; . CircuitofechadodeTV(CFTV); . Elevadores. Algunsdosfatoresqueusuáriosde BMStem quesaberé que o sistemavaificarvelho,quetem quesofrermanutençãoe quetem queseroperadocorretamente". A otimizaçãodo sistemaainda pode ocorrercom a buscade informaçõesmais avançadase que possamser transformadasem algo útil e inteligentepara melhoraro desempenhodosistema. lmplantação O projetode BMS deveser consideradodesdea con- cepçãodo empreendimento.No iníciodo detalhamentode arquitetura,e pensadojunto com os projetosde instalação, comoelétrica,hidráulica,fundação,estruturase paisagismo, Seucustoestimado,de acordocom RobertoLuigiBettoni, ê,de z0/oa 5%odo valordo empreendimento,dependendo da complexidadedo BMS.Já MarioFerreiraexplicaque,a paftirde5omilreais,qualquerempreendimentopodeterum sistemacontrolandoalgumprocessoimportante. O projetistade BMS,um engenheiro,criao plano,que podesermaissimplesou avançado,combasenasnecessi- dadese no orçamentodo cliente.Como projetoem mãos, o empreendedorcontacom o auxíliode integradores,que avaliamo projeto,feito por empresascomo a Bettoni,e sugeremtodosos sistemaseletrônicos,como detecçãode incêndio, cabeamento estruturado (telecomunicações), segurança,controlede acesso,áudioe vídeo,alémdo BMS. Então,a empresaprojetistaacompanhao integradore o clientedurantetodaa implantação. Como dito anteriormente,um sistema pode ser implantadocom recursosmínimosou avançados,isso dependerá do valor investido pelo empreendedor. Contudo,maisimportantedo queo nívelde operaçãodo BMS,é a conscientizaçãoda raciónalizaçãoda ene.rgia. "Eu diriaque a infraestruturanão e física,é de vontade, de conscientizaçãodo emprçendedorno usoracionalda energia,sejapor meiode ar-condicionado,sejapor meio de controlede iluminação,elétrico,no break,geradores, etc.",afirmaRobertoLuigiBettoni. @
  8. 8. FTTH Cadavezmaisos serviçostriPlePlaY chegamà residência atravésde fibras.Além dos custose problqmaslegais, provavelmenteo maior desafioda ihstalação FTTH"selao acesso dos instaladoresaos apartamentosdqs clientesno momento desejado.A instalação de cabeamentoóPtico, como aPresentada nesteartigo,exigeum amploconhecimento das normase tecnologiasPorParte dos técnicos. fis requisitosfuturos à conexão V d. bandalargademandama ampliaçãodasredesópticasaté a residência(FTTH). A extensãoda fibra até dentro dasresidênciasem edifïciosde apartamentosé necessária: 'No contextoda inclusãode áreas residenciaiscom FTTH por parte do provedorda rede; . Na instalaçãode infraestruturade comunicaçãoorientadaao futuro em condomínios e edifïcios. Exigênciasda norma ExistemdiversassoluçõesParaa instalaçãode cabosópticos dentro na residência.Cabeiembrarque durante a instalaçãodevemser observadasasdeterminaçõesde normase regrasreconhecidas.Os projetistase instaladoresque buscaminformaçõessobreo projeto e execuçãoda infraestruturade fibrasno ediÍïcio podem encontrá-lasem diversasnormas, como veremosa seguir. DIN 18015-1 Contém os requisitosgeraisao dimensionamentode sistemasde eletrodutospara instalaçõesde telecomunicação,bem como instalaçõesde distribuição para rádio e televisãoe serviços interativos,por exemplo,PaÍao i Ii I - v 5P.RK CONTROL€5 W.Stelter,da bfe-Oldenburg(Alemanha) fornecimentode serviçosexternos atéo ponto de entradaou até o distiibuidor da residência.Contudo, náo trata explicitamente da execução com fibras (figurasI e 2) l2). DtN 18015-2 A norma exigeque, por exempio,o ponto de término da redede acessoexterna(APL) esteja em um local de acessogeraie a alimentaçãofeita atravésde uma tomada com fio teÍr.a,ao lado do equipamentode telecomunicações (por exemplo,primeiratomada teiefônica)na residênciae a colocaçãolado a lado do equipamentoe do distribuidor residencialno ponto de entradana casa[3]. DIN 50173-4 Aqui são descritosos requisitos à instalaçãode cabeamentopara comunicaçãode uso neutro em ambiente residencial,com enfoque paraa cabeamento horizontal ou terciáriodentro de residências,entreo distribuidor residenciale as tomadasde conexãodos usuários(TA, RA e TARA na figura 3) t4l. A âreada alimentaçãoà residênciaou do cabeamentovertical é apresentada de forma geral,mas qrorma não contém requisitosparàa execução com fibras.
  9. 9. Especialmentenas áreasmenos oouoàd"t é muito imProvávelque os prou.dot.t de infraestruturade rede conectem ascasase apartamentosas suasredesdistribuidorasde fìbras' Na prática,nessescasosdispensam-se ,ro Cabe.m.nto interno o distribuidor predial (GD . a tomada de conexão ão usuáriode fibra óPticaGf:TA, Por motivos de custos. Tal "configuraçãomínima", como tem sido implementadaPor alguns provedoresde rede,também é permissívelde acordo com a VDE-AR-E2800-901:2009-12, como mostrado na figura 6. Em um sistemaEthernetP2P, uma fibra ativa paracada apartamentoé unida Por emendano ponto de entrada da casa.Dessaforma, a fibra do cliente é levada continuamente,desdea central de comutaçãoaté dentro da residência.Aiém disso,é conduzida uma segunda"fibra reserva",desdeo APL até dentro de cadaaPartamento,a qual é conectadana carcaçada interfaceexternade rede ENS (nafigura6émostrada somenteno apartamento inferior). (il) -a I . r I ONT tWv) ;llens 6 ;r.feHs lltt=:g=*#lr.r.r...+l..1_.fl'--.-.::f APL Estraçáo Cêntraldo mmt oferecema possibilidadede disponibilizaruma infraestruturarobustapara serviçostripleplal para o açáoFTTH mmutação .,j.",,,.fu-tprp,,,4{qilnportandoseo 1 d t i , , - - . - ! serviçodo provedorserá j levadoparadentro da 1 residênciaatravésde paresde I fios de cobre, Ethernet através ] a. cabosde dadosde cobre, DOCSIS atravésde cabo coaxialou fibrasópticas. . Cabos picobreakoutcom tecnologiade retorno por tração:oferecemuma solução em espaçoreduzido e estruturadapara o acessode fibrasaté os apartamentos. . Cabospré-confeccionados: geralmenteestãodotados com um coÍrectorou CaboópticoParao cabeamento daresidênciaFTTH Os cabosópticos para a instalação interna diferenciam-seda seguinte forma: . Cabo óptico interno como cabo mini-breakout:com filamentos plenos de 900 pm e fibras insensíveisà curvatuÍaconforme ITUrT-G.6574, as ouaissão colocadasem forma de .rtr.l" a partir do APL ou GÊGV Fig.6 - Cabeamentopara uma conexãode fibra até dentro da residência(FTTH)em um edifício com vários apartamentos atravésde eletrodutos,canaispara instalaçãoou na clássicacolocação sobreo reboco,atéo ponto de entradana casa. . Feixesde fìbras(fiberunits): com fibrasinsensíveisà curvatura,asquais sãosopradasparadentro da 1 residênciaatraÍésde microtubos [9]. . Caboshíbridoscom pares trançadosde cobre * coaxial + fibra optica [10]: Especialmenteem renovaçõesde edifïcios,eles ì _ l elemento conectorem um dos lados : e sãosopradosatravésde microtubos, com o lado do l conectorparafrente,atédentro da : residênciado cliente. Pontodeentradanaresidênciae distribuidorresidencial No ponto de entradada residência ocorre a passagemda distribuição I predial da fibra para a distribuição residencial. O distribuidormultimídia de pequenoportecontémos componentesde distribuição : residenciaispassivosparacabosde , dadosde cobree coaxiais,o aparelho, , específicoda aplicação(aqui NFTA) i e o IAD - integratedaccessdeaice. i NnstalaeáoFTT!'{- implem-entaçáona prática Cada vez mais os sewíçostriPle i play chegamà residênciaatravésde fibras.Além dos custose problemas legais,provavelmenteo maior desafioda instalaçãoFTTH sejao acessodos instaladoresaos apartamentosdos clientesno momento correto.A instalaçãode cabeamentoóptico,tal como apresentadanesteartigo,exigeum amplo conhecimentoe : sensibilidadedos tecnicos.
  10. 10. mais rigor na análisedos orogttil.t disponíveisem sualoja' ïrrí nat usuáiios,Pessoasffsicae jurídica, a soluçãoé Pensarem como aumentara Proteção' Comecei a estudaro assunto pensandoem meu smartPhone ãuando me dePareicom o qlre Jonrid.ro,r*. dtfot*idade: há dezenasde aPlicativosânúvirus ,o*.rrr. Paráo Android' Minhas ,nrp.it"t fo.am confirmadasao ler o ,àr,rlt"do de um testerealizado oelaAVrIest,que insPecionou41 produtos diferentes,Pagose 'nrrt,ritor, contra 618 tiPos de -mol*art' O relatório estáem http :/ /www.av-test'org/en/tests/ anároid. Qrem ler o relatórioverá oue dois aPlicativosnão i.,..rrr.* nenhum malwaret' Nunca vi issoem um testede segurança.Mas o mal resultado não ficou'aPenasnlsso' Aproximadãmentemetadedos prodoto, foi reProvadoPelos ãoio..t por nãã detectarmais de àsoloa"i âmeaças'Essataxa é Preocupante porque a maioria dos usuáriosnão Possuiconhecimento nem PaciênciaPata realizarum .tr"a" PróPrioantesde instalar "* "ofl."i"o' Estou falando do Android Porqueele é o que mars t.* ...r.ido, mashá várias ì 1 11 ì ì I i Tanto a ProteçãofornecidaPela indústria,como a adoçãode medidasPor usuáriose emPresas ainda é muito imatura' Mas' se pensarmosem todasasoutras inovaçóes,veremosque semPrefoi assime que, da mesmâloÍma como antes,os benefïciossuPeÍam os riscos.Não seráa Primeiravez' nem a última' que montamos o airbagemum carroem movlmentc e em altaveiocidade' ameaçasParaIOS, como ;;;*"#. havetâParaWindows 8 RT, sem falarna versãocomPleta a serutilizadano Surface' Tudo issonos Passaa sensaçao' .orr.i. aliás,de que o andarda carruagemdos avançosila comp,itaçãomóvel é mais bem mais ráPido que o da segurança' onf ffesde o iníciode 2012,estãoem lJvigor novos regulamentospara a homologaçãode vestimentasde pro- teção contra efeitostérmicosdo arco elétricoe do fogorepentino.A Portaria da Secretariade InspeçãodoTrabalho (SlT)nq205/2011doMTE- Ministério do Trabalhoe Empregoestabeleceu, entreoutrasregras,a obrigatoriedade da realizaçãode ensaios especíÍicos para a obtençãode CertiÍicadosde Aprovação(CA), alterandodetermi. naçõesprevistasnas Portariasne121 e '126, de 2009, que permitiama obtençãode CA pormeiodeTermode Responsabilidadefeito por um enge- nheirode segurançado trabalho,sem a comprovaçãoda eÍicáciadas vesti-' mentasatravésde ensaios. ' : A novaportariaestabeleceuque a validadedos novosCAs - obtidosa partirda emissãode relatóriosde en- saio ou certificação,realizadosno Brasilou exterior- expiraquandoul- trapassadomais de um ano de sua emissão.A Portaria205 adotoucomo referênciaparaos ensaiosos conjun- tos normativosNFPA/ASTMe ISO/ IEC (o fabricantedo EPI podeoptar pela série que desejar),estabeleceu normastécnicasaplicáveisa cadatipo de equipamentoe de proteçãoe in- cluiu novos dados nos relatóriosde ensaio,como composiçãodo tecido, nome do Íabricantee gramatura, acrescidos do arc thermal perfor- mancevalue(ATPV)quandoa vesti- mentavisara proteçãocontraagentes .térmicosprovenientesdo arco elétri- co,porexemplo. , :Omanualparausuáriosresponsá- veispelaespecificaçãodas vestimen- Ìas está disponívelno slÍe do MTE: http://portal.mte.gov.brldata/Íiles/BA7C 816A31F92EG5013217349459078D/m anual-vestimentas.pdÍ.
  11. 11. GERTIFIGADOSE PARGEIROS * $mlllslt*r üRIEN$UII-üINGÜüUHCIL SilAStLÍffiffi,i,"* ER I B / I M )7 I ME sIEmn[tr* IAELINË SYSTEM Cl,EA.gP Cfleliafrléc<>ntrols
  12. 12. { Ëçq,*ffi OBRAS EM ANDAMENTO MHA: a a a a a a a CFÏVIP rrucÊruoto soruonrznçÃoDEAMBTENTE CONÏROLEDESENHAS nurovaçÃo DEENFERMARIA CABEAMENTOESTRUTURADO ANTENAEry PROJETCI. SISTEMAS: PROJETO::' SISTEMAS: CONSTRUTORABARBARA SOENGE O CFTV . INCÊNDIO o AUTOMAçÃOOeARCONDICIONADO o CONTROLEDEACESSO r CABEAMENTOESTRUTURADO BETTONI r CFTVlP O INCÊNDIO o CONTROTEDEACESSO o AUTOMAÇÃODEARCONDICIONADOEELÉTRICA CLIENTE: PROJETO: SISTEMAS: F.RÕJETO:I SISTEMAS: CONSTRUTORALAGUNA BETTONI o CFTVlP . INCÊNDIO o AUTOMAÇÃODEARCONDICIONADOEELÉTRICA o CONTROLEDEACESSO r CABEAMENTOESTRUTURADO B E T ï O N I . ' ' . , . , ' , : : , . , ' i i : , . : . 1 ' , , r : Ì 1 , ; r AUTOMACÃODEARCONDICIONADOEELÉTRICA
  13. 13. vilaOÌimpia- SãoPaulo- SP cEP04537-002

×