IBGE - Comments of 2008/2009 Brazilian crop production

677 views

Published on

This document contais the comments of 2008/2009 Brazilian crop production made by IBGE. 8,6% decrease in total production compared to 2008 but stills a great season.

This doc is not new, but I think some of you did not see it.

Main message - "let\'s move on!"

You can also find the same doc at www.ibge.org.br

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
677
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

IBGE - Comments of 2008/2009 Brazilian crop production

  1. 1. 1 – Lavouras 1.1 – Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas A oitava estimativa da safra de cereais, leguminosas e oleaginosas confirma a expectativa da 2ª maior safra nacional, sendo aguardada uma produção de 133,5 milhões de toneladas1, 8,6% inferior à safra recorde de 2008 (146,0 milhões de toneladas) e 0,7% menor que a estimativa de julho. O decréscimo frente ao mês passado deve-se, especialmente, às reavaliações negativas ocorridas com o milho 2ª safra no Mato Grosso do Sul e Goiás, e ainda por reavaliações nas estimativas das culturas de inverno, notadamente o trigo no Paraná. A área a ser colhida de 47,1 milhões de hectares, comparativamente à colhida em 2008 e a estimativa do mês anterior para a safra 2009, apresenta, decréscimos de 0,4% e 0,2%, respectivamente. As três principais culturas, soja, milho e arroz, que respondem por 81,4 % da área plantada apresentam, em relação ao ano anterior, uma variação de +2,0%, -4,8% e +0,7%, respectivamente. No que se refere à produção, destes três produtos, apenas o arroz registra variação positiva de 4,0%. Já para a soja e o milho a previsão, comparativamente ao ano anterior, é de retração da produção em 5,2% e 15,1%, respectivamente. 160.000.000 140.000.000 -8,6% Cereais, leguminosas e oleaginosas 120.000.000 Produção (t) Área e Produção - Brasil 100.000.000 1981 a 2009 80.000.000 60.000.000 40.000.000 -0,4% Área (ha) 20.000.000 0 81 83 85 19 87 89 19 19 91 19 93 19 95 19 97 19 99 19 01 19 03 19 05 20 07 20 09 20 20 20 ¹Em atenção a demandas dos usuários de informação de safra, os levantamentos para Cereais, leguminosas e oleaginosas, ora divulgados, foram realizados em estreita colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento - Conab, órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, continuando um processo de harmonização das estimativas oficiais de safra, iniciado em outubro de 2007, para as principais lavouras brasileiras.
  2. 2. Entre as Grandes Regiões, esse volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas esperado para 2009, em relação à safra anterior, acha-se assim distribuído: Região Sul, 53,4 milhões de toneladas (-13,0%); Centro-Oeste, 47,7 milhões de toneladas (-6,1%); Sudeste, 17,0 milhões de toneladas (-3,6%); Nordeste, 11,7 milhões de toneladas (-6,3%) e Norte, 3,7 milhões de toneladas (- 1,9%). Observa-se, na figura a seguir, que o Mato Grosso suplanta, em 1,7 pontos percentuais, o Estado do Paraná, alcançando, nesse ano, a posição de maior produtor nacional de grãos. Cereais, leguminosas e oleaginosas 20,6 Grandes Regiões e Unidades da Federação 18,9 Participação na produção 16,7 Centro-Oeste 35,8% Participação % 9,8 Sudeste 12,7% Sul 7,7 Nordeste 40,0% Norte 8,8% 2,8% 5,0 4,9 4,3 4,2 1,6 1,2 1,1 0,8 0,7 0,7 0,5 0,4 0,3 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 0,1 AM 0,0 0,0 AP 0,0 GO MG TO RO AL BA MA PA AC MT DF PR SC PI PB RR RN RJ RS MS SP CE SE PE ES 1.2 – Produção Agrícola 2009 – estimativa de agosto em relação a julho No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de agosto destacamos as variações nas estimativas de produção, comparativamente ao mês de julho, de seis produtos: cana-de-açúcar (+1,4%), cevada em grão (-2,1%), feijão em grão 2ª safra (-4,2%), milho em grão 2ª safra (-2,4%), trigo em grão (-3,4%) e triticale em grão (-2,6%). Variação percentual da produção - comparação agosto / julho 2009 - BRASIL Cana-de-açúcar Cevada M ilho 2ª safra Triticale Trigo Feijão 2ª safra - 5 ,0 - 4 ,0 - 3 ,0 - 2 ,0 - 1,0 0 ,0 1,0 2 ,0 Variação %
  3. 3. Variação absoluta da produção - comparação agosto / julho 2009 - BRASIL Cevada M ilho 2ª safra Triticale Trigo Feijão 2ª safra - 5 0 0 .0 0 0 - 4 0 0 .0 0 0 - 3 0 0 .0 0 0 - 2 0 0 .0 0 0 - 10 0 .0 0 0 0 Variação absoluta (t) Cana-de -açúcar + 9.797.906 t Cana-de-açúcar – A estimativa para este levantamento da safra canavieira totaliza 696,4 milhões de toneladas, superior 1,4% à produção informada no mês anterior, enquanto que para a área a ser colhida verifica-se uma ampliação de 0,4%. Este acréscimo deve-se, notadamente, a Goiás, Paraná e Minas Gerais que reavaliam positivamente a produção em 13,0%, 5,2% e 2,9%, respectivamente. Em Goiás, onde se verificou a maior variação, embora a área destinada à colheita tenha caído 2,1%, houve, em face da maior utilização de recursos tecnológicos empregada na cultura uma revisão de +15,5% no rendimento médio esperado passando de 83.387 kg/ha para 96.278 kg/ha neste levantamento de agosto. 450.000.000 0 0, 400.000.000 Cana-de-açúcar 350.000.000 Produção (t) 300.000.000 Variação % 250.000.000 200.000.000 Jul Ago 150.000.000 Part. Prod. >1% 100.000.000 9 2 ,0 2, 5, ,4 13 3 -0 0 0, 0 0, 50.000.000 0, 0 SP MG PR GO MS AL PE MT
  4. 4. FEIJÃO (em grão) - A produção nacional de feijão, considerando as três safras do produto, está avaliada em 3.518.728 toneladas, inferior 2,6% à estimativa do mês passado e está assim distribuída: 1.688.038 toneladas da 1ª safra (48,0% do total), 1.466.957 toneladas da 2ª safra (42,0% do total) e 363.733 toneladas da 3ª safra (10,0% do total). Comparativamente ao levantamento de julho as variações da produção dessas três safras foram, respectivamente, -1,2%, -4,2% e -2,6%. Para o feijão segunda safra, que apresenta a maior variação negativa neste levantamento, o decréscimo observado é resultado dos prejuízos sofridos pela lavoura no Nordeste. Nessa Região houve significativas alterações, notadamente, na produção da Paraíba (-52,0%) e de Alagoas (-12,7%), como consequência do excesso de chuvas que ocorreu durante todo o ciclo da cultura. 400.000 Feijão (em grão) 2ª safra 0 0, 350.000 Produção (t) 300.000 Variação % 9, -1 250.000 3 0, 200.000 0 0, Jul Ago 150.000 Part. Prod. >1% ,0 3 2 , 100.000 -1 -5 0 0, ,7 0 0, 0 2 0 0, -1 0 0, 0, 0 50.000 0 0 0 0, 0, 0, 0, 0 PR BA MG MT PE SP PB PA SC AL RS GO MA SE TO CE MILHO (em grão) - A produção nacional de milho em grão em 2009, para ambas as safras, totaliza 50.098.557 toneladas indicando, neste mês, um decréscimo de 1,1% sobre a estimativa de julho e está assim distribuída: 33.770.649 toneladas da 1ª safra (67,0% do total) e 16.327.908 toneladas da 2ª safra (33,0% do total), que registram reduções na produção de 0,4% e 2,4%, respectivamente, na comparação com a avaliação anterior. Para o milho 2ª safra, que apresenta a maior variação, as reduções absolutas foram verificadas nos estados de Goiás (226.040 t) e do Mato Grosso do Sul (143.901 t), em função, principalmente, de redução no rendimento médio.
  5. 5. 8.000.000 Milho (em grão) 2ª safra 0 0, 7.000.000 Produção (t) 6.000.000 Variação % 8, -0 5.000.000 4.000.000 Jul Ago 3.000.000 Part. Prod. >1% ,3 0 2 , -8 -1 2.000.000 0 0, ,7 -1 ,0 1.000.000 10 0 0, 0 MT PR MS GO SP BA MG DF CEREAIS DE INVERNO (em grão) - Para as lavouras de inverno, cujos cultivos concentram-se, predominantemente, nos estados do sul do país, verificam-se diminuições na produção esperada, em nível nacional, para a cevada (-2,1%), o trigo (-3,4%) e o triticale (-2,6%). Para o trigo, principal lavoura deste período de plantio, é esperada uma produção de 5,7 milhões de toneladas, inferior 3,4% à informada em julho. O decréscimo pode ser creditado, principalmente, à novas avaliações no estado do Paraná, maior produtor de trigo, participando com 56,0% da produção nacional. Neste Estado, a queda de 8,3% no rendimento foi determinada pelo excesso de chuvas e propiciaram o surgimento de doenças como brusone e giberella. Goiás, com pequena participação na produção (1,7%) promoveu uma redução na produção de 8,9% já que os plantios inicialmente previstos não se confirmaram. 4.000.000 Trigo (em grão) 0 3.500.000 , -6 Produção (t) 3.000.000 Variação % 2.500.000 0 0, 2.000.000 Jul Ago 1.500.000 1.000.000 0 0, 9 0 ,0 500.000 5 , 0, -8 15 1, 8 0, 0 PR RS SC SP GO MG MS DF
  6. 6. 1.3 – Produção Agrícola 2009 – estimativa de agosto em relação à safra 2008 Dentre os quarenta e um produtos selecionados, dezoito apresentam variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: amendoim em casca 2ª safra (14,0%), arroz em casca (4,0%), aveia em grão (20,3%), banana (2,2%), cacau em amêndoa (2,2%), cana-de-açúcar (7,3%), castanha-de-caju (17,2%), cebola (4,9%), feijão em grão 1ª safra (2,8%), feijão em grão 2ª safra (4,8%), guaraná (0,5%), juta em fibra (9,8%), laranja (0,8%), maçã (8,8%), malva em fibra (0,8%), mandioca (0,3%), sisal em fibra (0,7%) e tomate (5,3%). Com variação negativa: abacaxi (5,0%), algodão herbáceo em caroço (25,7%), alho (7,0%), amendoim em casca 1ª safra (3,7%), batata-inglesa 1ª safra (7,8%), batata-inglesa 2ª safra (11,7%), batata-inglesa 3ª safra (0,7%), café em grão (13,6%), centeio em grão (2,3%), cevada em grão (1,0%), coco-da-baía (0,2%), feijão em grão 3ª safra (13,1%), fumo em folha (2,1%), girassol em grão (26,2%), mamona em baga (23,4%), milho em grão 1ª safra (15,5%), milho em grão 2ª safra (14,3%), pimenta-do-reino (1,3%), soja em grão (5,2%), sorgo em grão (8,7%), trigo em grão (3,7%), triticale em grão (5,9%) e uva (6,4%). Nas figuras a seguir estão representadas as variações percentuais e absolutas das principais culturas levantadas em comparação com a safra anterior: Amendoim 2ª Variação pe rce ntual da produção - comparação 2009 / 2008 - BRASIL 25 Cana-de-açúcar Batata - inglesa 1ª 20 Batata-inglesa 3ª Batata-inglesa 2ª Aveia Alg. herbáceo Amendoim 1ª 15 Produção - Variação % Feijão 2ª Cebola Feijão 1ª Mandioca Feijão 3ª 10 Mamona Arroz Milho 1ª Milho 2ª Triticale Cevada Cacau Laranja Sorgo Trigo Soja Café 5 0 -5 -10 -15 -20 -25
  7. 7. Variação absoluta da produção - comparação 2009 / 2008 - BRASIL 2.000.000 Amendoim 2ª Mandioca Laranja Feijão 2ª Feijão 1ª Arroz Feijão 3ª Cebola 1.000.000 Cacau Aveia Produção - Variação absoluta (t) 0 Batata-ing. 3ª Trigo Triticale Cevada Mamona Batata - inglesa 1ª Batata-inglesa 2ª Sorgo Amendoim 1ª Café -1.000.000 Alg. herbáceo -2.000.000 Milho 2ª -3.000.000 Soja -4.000.000 -5.000.000 Milho 1ª -6.000.000 Cana-de-açúcar + 47.469.718 t -7.000.000 Abertura de novos mercados para os derivados da cana-de-açúcar e do arroz incentivaram os acréscimos das áreas destinadas ao cultivo destes produtos agrícolas que tiveram variação positiva, quando comparadas à safra anterior, de 6,6% e 0,7%, respectivamente. A ampliação dos canaviais é um processo que se intensificou, nos últimos 5 anos, devido à necessidade de se ter uma alternativa ao petróleo que atingiu elevados preços até 2008. Com a retração desses preços e com a crise internacional que se instalou em meados do segundo semestre de 2008, a capacidade de investimento das empresas do setor sucroalcooleiro foi afetada. Com a escassez de recursos financeiros, vários projetos tiveram seus cronogramas adiados ou suspensos, diminuindo o ritmo de expansão dos canaviais. Na figura anterior percebe-se que milho, para ambas as safras, e soja foram as culturas que apresentaram maior retração da produção, em termos absolutos, quando comparadas às respectivas produções alcançadas em 2008. No caso do milho ocorreu decréscimo na área plantada em 2009 (-4,8%) que pode ser creditado, em parte, aos grandes estoques nacionais observados em 31/dez/2008, superior em 118,2% ao de 31/dez/2007, resultados divulgados pela Pesquisa de Estoques, como também aos baixos preços praticados na época do plantio e incertezas sobre a demanda futura do produto. No caso da soja a área plantada foi 2,0% maior que a de 2008, mas os altos preços dos insumos na época do
  8. 8. plantio fizeram com que os produtores investissem menos em tecnologia, o que associado à condições climáticas irregulares, determinaram um decréscimo de 7,1% no rendimento médio da cultura, passando de 2.817 kg/ha alcançados na safra de 2008 para 2.618 kg/ha na presente estimativa para 2009. A crise de crédito afetou os contratos futuros da cultura do algodão, que teve sua área de plantio reduzida em 22,0% quando comparadas a 2008. Salienta-se que o elevado custo de produção e a má distribuição das chuvas, também foram comuns para a safra 2009 de milho e algodão, determinando declínio no rendimento médio destas culturas em comparação à safra de 2008 em, respectivamente, -10,8% e –4,7%.

×