Apresentação Alcoutim 31 de Maio de 2010

  • 544 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
544
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
4
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade do Algarve – Instituto Superior de Engenharia
    Mestrado em Engenharia Civil
    Ordenamento e Gestão do Território
    2.º Ciclo – 1.º Ano - 2.º Semestre – 2009/2010
    Avaliação de um Plano Director Municipal
    • Enquadramento Regional e Nacional –
    Município de Alcoutim
    Discentes:
    Ana Jesus n.º 6693
    Bruno Pires n.º 6983
    Nuno Pontes n.º 7029
    Soraia Fernandes Farinha n.º 6648
    31 de Maio de 2010
    1
  • 2. MUNICÍPIO DE ALCOUTIM
    • Vila portuguesa, distrito de Faro, e região e sub-região do Algarve
    • 3. Até à divisão administrativa, em 1832, pertencia à província do Alentejo.
    • 4. Município com 576,57 km² de área e 3 272 habitantes (2006) subdividido em 5 freguesias.
    O município é limitado:
    • A norte pelo município de Mértola
    • 5. A leste pela Espanha
    • 6. A sueste por Castro Marim,
    • 7. Asudoeste por Tavira
    • 8. Oeste por Loulé e Almodôvar.
    2
    Enquadramento Regional e Nacional
  • 9. 3
  • 10. 4
  • 11. 5
  • 12. 6
    Actividades e Estimativas de População
  • 13. 7
    Actividades e Estimativas de População
  • 14. 8
    Actividades e Estimativas de População
  • 15. Evolução Populacional no País, na Região e no Concelho
    9
    Actividades e Estimativas de População
  • 16. População, Povoamento e Sistema Urbano
    • População com mais de 65 anos entre 215-240 %0
    • 17. Densidade populacional entre 6-20hab/km2
    • 18. Povoamento e eixos interiores com área crítica
    • 19. Baixa população residente
    10
    Organização , Tendências e Desempenho
  • 20. 11
  • 21. 12
  • 22. 13
  • 23. Recursos Naturais e Sustentabilidade Ambiental
    Conservação da Natureza e Valorização Ambiental
    • Rede Natura 2000 e Rede Nacional de Áreas Protegidas
    • 24. NUTS
    Recursos Hídricos e Política da Água
    • Plano da Bacia Hidrográfica do Guadiana
    Protecção e Valorização da Zona Costeira
    Energia e Alterações Climáticas
    • Baixo consumo total de electricidade
    Recursos Geológicos
    • Escassos e não renováveis
    14
    Organização , Tendências e Desempenho
  • 25. 15
  • 26. 16
  • 27. 17
  • 28. 18
  • 29. 19
  • 30. 20
  • 31. 21
  • 32. 22
  • 33. 23
  • 34. 24
  • 35. 25
  • 36. 26
  • 37. 27
  • 38. 28
  • 39. 29
  • 40. 30
  • 41. 31
  • 42. 32
  • 43. 33
  • 44. 34
  • 45. 35
  • 46. 36
  • 47. 37
  • 48. 38
  • 49. 39
  • 50. 40
  • 51. 41
  • 52. 42
  • 53. 43
  • 54. 44
  • 55. 45
  • 56. Uso do Solo e Ordenamento Agrícola e Florestal
    Evolução da ocupação e uso do solo
    • Áreas agrícolas
    • 57. Povoamentos florestais
    • 58. Outros espaços florestais e semi-naturais
    Agricultura e ordenamento dos espaços rurais
    • Território socialmente fragilizado e com predomínio de espaços florestais
    46
    Organização , Tendências e Desempenho
  • 59. 47
  • 60. 48
  • 61. 49
  • 62. 50
  • 63. 51
  • 64. 52
  • 65. Economia, Emprego e Competitividade dos Territórios
    • PIB a preços de mercado per capita entre 5862-8500
    • 66. População activa e empregada no sector terciário >70%
    • 67. Sem dormidas em estabelecimentos hoteleiros
    53
    Organização , Tendências e Desempenho
  • 68. Infra-Estruturas e Equipamentos Colectivos
    Abastecimento de água, saneamento básico e tratamento de resíduos e efluentes
    • População servida pelo sistema de recolha de resíduos 98-100%
    Redes de transporte e logística
    • Itinerário Complementar
    • 69. Estrada Regional
    • 70. Estrada Municipal
    • 71. Alojamentos com ligação à rede por cabo entre 50-75%
    54
    Organização , Tendências e Desempenho
  • 72. Infra-Estruturas e Equipamentos Colectivos
    Redes de Educação pré-escolar e do ensino básico, secundário e superior
    • Taxa de analfabetismo >13%
    Redes de Educação pré-escolar e do ensino básico, secundário e superior
    • 10-19 Propostas de ofertas de equipamentos de apoio à população idosa
    Equipamentos Desportivos
    • 5,5-11,5m2/hab. De cobertura da área desportiva
    55
    Organização , Tendências e Desempenho
  • 73. 56
  • 74. 57
  • 75. 58
  • 76. 59
  • 77. 60
  • 78. 61
  • 79. 62
  • 80. 63
  • 81. 64
  • 82. 65
  • 83. 66
  • 84. Paisagem, património cultural e arquitectura
    Paisagem
    • Tendência de abandono e mau ordenamento dos espaços agrícolas e florestais
    Património Cultural
    • Baixo n.º de elementos de património cultural
    67
    Organização , Tendências e Desempenho
  • 85. 68
  • 86. 69
  • 87. 70
  • 88.
    • O Algarve aspira a situar-se em 2030 entre as regiões mais desenvolvidas da Europa, isto é acima da média da União Europeia em termos de PIB per capita
    • 89. A diversificação e qualificação dos produtos turísticos, estreitamente associada à valorização dos recursos ambientais e patrimoniais
    • 90. A recuperação do papel exportador da agricultura, pescas e indústria e a integração destes sectores na cadeia de fornecimentos à procura turística
    • 91. Os padrões de desenvolvimento a atingir deverão garantir a sustentabilidade dos recursos naturais da região
    71
    Visões
  • 92.
    • Aprofundar a cooperação transfronteiriça para a valorização do Guadiana e a estruturação do sistema urbano da fronteira;
    • 93. Valorizar as relações com o Alentejo, explorando complementaridades e sinergias
    • 94. Garantir níveis elevados de protecção dos valores ambientais e paisagísticos e preservar os factores naturais e territoriais;
    • 95. Proteger e valorizar o património cultural e estruturar uma rede regional de equipamentos tendo em vista o desenvolvimento de uma base relevante de actividades culturais;
    • 96. Reforçar a coesão territorial e a valorização integrada de todos os territórios;
    • 97. Proteger os espaços agrícolas, incluindo as culturas tradicionais, as áreas beneficiadas por aproveitamentos hidroagrícolas e de emparcelamento rural;
    • 98. Aproveitar de forma sustentável os recursos hídricos da região e garantir a qualidade da água;
    72
    Opções Estratégicas
  • 99.
    • Aprofundar a cooperação transfronteiriça para a valorização do Guadiana e a estruturação do sistema urbano da fronteira;
    • 100. Valorizar as relações com o Alentejo, explorando complementaridades e sinergias
    • 101. Garantir níveis elevados de protecção dos valores ambientais e paisagísticos e preservar os factores naturais e territoriais;
    • 102. Proteger e valorizar o património cultural e estruturar uma rede regional de equipamentos tendo em vista o desenvolvimento de uma base relevante de actividades culturais;
    • 103. Reforçar a coesão territorial e a valorização integrada de todos os territórios;
    • 104. Proteger os espaços agrícolas, incluindo as culturas tradicionais, as áreas beneficiadas por aproveitamentos hidroagrícolas e de emparcelamento rural;
    • 105. Aproveitar de forma sustentável os recursos hídricos da região e garantir a qualidade da água;
    73
    Medidas Prioritárias
  • 106. 74
    Medidas Prioritárias
  • 107.
    • Valorização do eixo de articulação designado “Eixo Transversal Serrano”, nomeadamente respeitante a acessibilidades, equipamentos colectivos e serviços de apoio à população e às empresas
    • 108. Plano Estratégico da Rota das Ribeiras
    • 109. Programa de requalificação, valorização e dinamização da rede de Aldeias do Algarve e centros urbanos das unidades territoriais da Serra, Guadiana e Costa Vicentina
    • 110. Criação da rede de parques empresariais e de logísticas municipais
    • 111. Estabelecimento de relações frutuosas com os espaços rurais
    • 112. Definição de novos modelos de edificabilidade adequados aos territórios do interior
    75
    Propostas de rede urbana e de infraestrutras com reflexo directo ou indirecto no concelho
  • 113. Critérios ou directrizes para a organização de espaços ou ocorrências naturais
    • Promover a interligação das várias áreas classificadas, através de corredores ecológicos
    • 114. Criar áreas protegidas de carácter regional e local, da iniciativa das autarquias locais, onde sejam salvaguardados os valores naturais com especificidade regional
    • 115. Articular objectivos de conservação da natureza com as políticas de desenvolvimento rural
    • 116. Criar e fomentar mecanismos para a gestão da floresta
    • 117. Conservação e Valorização dos recursos naturais e respectivo aproveitamento económico 
    76
  • 118. Critérios ou directrizes para a organização de recursos hidrícos
    • Protecção e valorização da rede hidrográfica e das zonas ribeirinhas
    • 119. Promoção e qualidade das massas de água
    • 120. Salvaguarda e protecção de aquíferos
    • 121. Garantia de origens de água fiáveis
    77
  • 122. 78
  • 123. 79
  • 124. 80