Roma
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Roma

  • 261 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
261
On Slideshare
261
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Roma Prof.ª Me. Luciana Carvalho professora lu.historia@gmail.com
  • 2. ROMA
  • 3. A forma como vivemos hoje, nossos hábitos, costumes, formas de pensar, nossas leis, nossas ideias de lazer e saúde, são heranças em grande parte deixadas por gregos e romanos. A língua que falamos, embora trazida pelos portugueses, teve sua origem no latim, que era a língua oficial dos romanos e que recebeu influência dos gregos.
  • 4. Origens
  • 5. Conta a lenda que os fundadores de Roma foram os irmãos Rômulo e Remo, que teriam sido amamentados por uma loba. Anos mais tarde Rômulo teria matado Remo pela liderança da cidade e transformou-se no primeiro rei de Roma.
  • 6. Roma desenvolveu-se na península Itálica, limitando-se ao norte com a Europa centro-ocidental através dos Alpes, sendo formada principalmente pelos povos latinos, sabinos e etruscos.
  • 7. POVOAMENTO
  • 8. A história de Roma é muito longa. Para facilitar nossos estudos, ela está dividida em três partes: Monarquia, República e Império. O que se tem certeza é que desde sempre existiram ricos e pobres em Roma. Os ricos eram chamados de patrícios e os pobres de plebeus.
  • 9. Patrícios Clientes Plebeus
  • 10. MONARQUIA Da sua fundação, por volta do ano 1000 a.C. até 509 a.C, Roma foi uma monarquia. O rei acumulava as funções executivas, judicial e religiosa. Seus poderes limitados na área legislativa pelo Senado ou Conselho dos Anciões, tinha o poder de vetar as leis apresentadas pelo rei.
  • 11. MONARQUIA 753 a.C. – 509 a.C. Domínio dos etruscos. Poucas fontes para conhecer o período. Ausência de propriedade privada (?). Grupos sociais – Patrícios, plebeus, clientes e escravos.
  • 12. Monarquia 4 reis Italiotas (Latinos e Sabinos) 3 reis Etruscos Ou Cúria Aprovava as Leis Executivo Judiciário Religioso Legislativo Rei Senado Assembléia Proprietários,GovernoPatrícios Trabalham para os PatríciosClientes Comércio, sem Direitos PolíticosPlebeus Prisioneiros e EndividadosEscravos 753 - 509 a.C. Monarquia
  • 13. REPÚBLICA Em 509 a.C., o rei Tarquínio, o Soberbo, de origem etrusca, foi derrubado pelos patrícios romanos. Terminava, assim, a monarquia romana, e em seu lugar inaugurava-se a República romana.
  • 14. COISA PÚBLICA Senadores
  • 15. República 509 - 27 a. C. Centurial Curial Tribal Elege senadores Religiosa Elege e magistrados Questores Vota Leis e Edis Assembléia Vitalício Escolhidos entre os Patrícios Senado 02 Cônsules Pretores : Justiça Questores : Impostos Censores : Censo Edis : Polícia e Lazer + Magistrados Deposição do Rei Tarquínio (Etrusco) República
  • 16. Cada vez mais pobres e escravizados por dívidas, os plebeus se revoltaram e alguns direitos foram concedidos, entre eles, o fim da escravidão por dívidas e a inclusão de alguns membros da plebe no Senado. Eles eram chamados tribunos da plebe.
  • 17. Concessões à Plebe Tribuno da Plebe (494 a.C): para defender junto ao Senado as reivindicações da plebe; Lei das XII Tábuas (450 a.C): origem do Direito Romano, primeiras leis escritas. Lei Canuléia - (445 a.C): permitia o casamento entre patrícios e plebeus; Lei Licínia - (366 a.C): proibia a escravidão por dívidas;
  • 18. Nesse momento, Roma estava expandindo seus domínios, pois estava conquistando grande parte do mundo conhecido até então... O poder do exército aumentava a cada dia e seus generais passaram a governar junto com o Senado.
  • 19. A Expansão Territorial: A expansão interna (pela Itália) seguiu-se a expansão externa (pelo Mediterrâneo – Guerras Púnicas , romanos contra os cartagineses
  • 20. Guerras Púnicas (Roma x Cartágo) (272-265 a. C) Conquista da Macedônia (149 a. C) Conquista da Ásia e Egito (129 a. C) Revoltas Sociais Plebéias Fortalecimento dos Chefes Militares Aumento do Nº Escravos Latifúndio dos Patrícios Avanço Social Plebeu Triunviratos Migração para cidade * 12 Tábuas * Lei Canuléia * Lei Licínia * Tribunal da Plebe Império
  • 21. IMPÉRIO Guerras Púnicas - Após a conquista de Cartago, os romanos tornaram-se “os donos do mundo”
  • 22. Conseqüências da Expansão territorial Economia: Roma dominou o Mediterrâneo. Com as colônias negociava mercadorias de luxo, tornando-se um importante centro comercial. Para administrar toda essa parafernália foi necessário montar uma extensa burocracia militar e administrativa. E tudo isso era sustentado pela escravidão e pelos impostos pagos pelas colônias.
  • 23. Conseqüências da Expansão territorial Economia: Roma dominou o Mediterrâneo. Com as colônias negociava mercadorias de luxo, tornando Roma um importante centro comercial. Para administrar toda essa parafernália foi necessário montar uma extensa burocracia militar e administrativa. E tudo isso era sustentado pela escravidão e pelos impostos pagos pelas colônias.
  • 24. Conseqüências da Expansão territorial Sociedade: A acumulação de riquezas não foi distribuída igualmente entre os romanos. Os patrícios agora chamados homens novos ou cavaleiros viviam uma vida de luxo e privilégio e a grande maioria plebéia empobreceu ainda mais, já que os produtos vindos de fora eram mais baratos do que os que produziam. Essa massa de miseráveis deixou o campo em direção à cidade, onde passaram a ser chamados de proletários. Perdendo suas terras, surge em Roma o latifúndio.
  • 25. IMPÉRIO Não demorou muito para que os generais retirassem o poder do Senado. O general Otávio Augusto foi o primeiro imperador romano. Durante o Império, Roma atingiu seu poder máximo – os romanos foram o povo mais rico e mais influente da Antiguidade, dominando todos os outros.
  • 26. Propostas de Reformas Tibério Graco, Tribuno da plebe. Propõe uma reforma agrária. Enfrentando a oposição da aristocracia, acaba assassinado.
  • 27. Caio Graco, Tribuno da Plebe. Estabeleceu a Lei Frumentária, que tabelava os cereais a preços baixos para que pudessem ser comprados pela plebe. Queria estender a cidadania aos povos subjugados. Suicidou-se em 121 a.C com medo de ser assassinado.
  • 28. Triunviratos 60 ac – 31 ac Crasso Pompeu Júlio Cesar 1º Triunvirato Marco Antônio Lépido 2º Triunvirato Otávio Imperador
  • 29. Julio Cesar, estrategista, foi um tribuno da plebe. Formou um triunvirato com Pompeu e Crasso, opondo-se ao Senado. Julio César derrota o Senado e concentra o poder em suas mãos: ditador perpétuo, consul, pretor, pontífice máximo, etc.
  • 30. O Senado sentiu-se ameaçado e Julio Cesar foi assassinado.
  • 31. Segundo Triunvirato Otávio, Marco Antonio, Lépido. Os triunviros entraram em guerra pelo poder. Triunfo final de Otavio com a derrota de Marco Antonio em 31 a.C.
  • 32. Alto Império A formação de um estado imperial foi a forma encontrada para administrar um território tão grande. As instituições romanas foram substituídas pelo Principado, ou seja, todo poder a Otavio, que era o Tribuno perpétuo da plebe, pro-cônsul, Pontífice Máximo e Augusto. Passou a intutular-se Cesar Augusto e o nome César virou um “título”.
  • 33. Sob seu reinado, Roma conheceu a Pax Romana, conquistada pela militarização das fronteiras e pela separação clara do Império Romano, dito civilizado do resto do mundo, os “bárbaros”.
  • 34. Século de Ouro: melhoramentos em Roma, construção de teatros, templos, termas, aquedutos, bibliotecas, escola. Orientado por Mecenas apoiou artistas e poetas, entre eles Virgílio, Horácio e Ovídio.
  • 35. Alto Império (Séculos I a.C a III): após Otávio Augusto, Roma foi governada pelas dinastias Julia Cláudia (Calígula e Nero), Flávia (Vespasiano – construção do Coliseu e Tito – destruição de Jerusalém/Diáspora judaica em 70) e Antoninos (Marco Aurélio – escreveu Meditações).
  • 36. Império 31 ac – 476 dC Júlio – Claudiana Flávios Antoninos Severos Otávio, Augusto31ac –14dC 14-68 69-96 96-192 193-235 Reformadores Pax Romana Tibério,Calígula, Cláudio e Nero Vespasiano,Tito e Domiciano Trajano,Adriano, Antonino Pio, Marco Aurélio e Cômodo Séptimo,Caracala, Heliogábalo, Severo Alexandre Crise
  • 37. Baixo Império Baixo Império (séculos III a V): A partir do século III Roma foi abalada por inúmeras crises pelo esgotamento de recursos financeiros e de mão-de- obra. Um Estado que gastava mais do que podia e arrecadava cada vez menos do que precisava, acabou sendo tomado por revoltas e pela instabilidade.
  • 38. Um problema religioso A religião romana, politeísta havia perdido espaço para a religião dos escravos e dos pobres: o Cristianismo, que com sua mensagem humanitária parecia responder aos apelos dos romanos. O grande problema era que os cristãos se recusavam a crer na divindade do imperador e eram contrários a guerra, principal geradora de recursos do Império.
  • 39. Tentativas de salvar o Império... Diocleciano (284-305): dividiu o império em quatro partes: tetrarquia, congelou os preços dos alimentos (Edito do Preço Máximo) e perseguiu os cristãos.
  • 40. Constantino (306-337): suspendeu a perseguição aos cristãos (Edito de Milão), reinventou o colonato (obrigando quem migrasse para o campo a servir em grandes propriedades – base da servidão feudal!!) Transferiu a capital para Bizâncio, mais tarde chamada de Constantinopla.
  • 41. Teodósio (379-395): Edito de Tessalônica – tornava o catolicismo religião oficial do Estado em 380. Dividiu o império em dois: Império do Ocidente (Honório) e Império do Oriente (Arcádio).
  • 42. Em 476 cai o Império Romano do Ocidente, após ondas de invasões pacíficas e outras nem tanto assim de povos chamados bárbaros (norte: godos, vândalos, francos), (extremo norte: saxões, suevos, anglos), (leste: visigodos) e (oeste: ostrogodos). É o fim do Império Romano!!