Your SlideShare is downloading. ×

Egito

326

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
326
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Egito Prof.ª Me. Luciana Carvalho
  • 2.  Contextualizando a história: o Egito atual  Egito: O Império do Nilo ◦ Antigo Império (séculos XXXII a.C – XXIV a.C) ◦ Médio Império (séculos XXII a.C – XVIII a.C) ◦ Novo Império (séculos XVI a.C – XI a.C) ◦ Decadência (séculos XI – I a.C)
  • 3.  O Egito está situado no Nordeste da África em meio a dois imensos desertos: o da Líbia e o da Arábia.  O Egito Antigo possuía um território estreito e comprido que compreendia duas grandes regiões: o Alto Egito (região do vale) e o Baixo Egito (região do Delta do Nilo).
  • 4. Capital: Cairo População: mais de 81 milhões de habitantes Moeda: Libra Egípcia Língua nacional: árabe Religião: maioria muçulmana Principais atividades econômicas: agricultura, exportação de petróleo e turismo, Principais problemas socioambientais: desertificação do solo
  • 5. Vistas atuais do Cairo, capital do Egito
  • 6. Dom, presente, oferta, graça divina
  • 7. Vistas atuais do Rio Nilo
  • 8. • Por volta do ano 3200 a.C., o rei Menés, do Alto Egito (no vale do Nilo), conquistou o Baixo Egito (no delta do Nilo), unificando os dois reinos. • Menés tornou-se então o primeiro faraó (nome que se dava ao rei entre os egípcios) e o fundador da primeira dinastia (sucessão de reis
  • 9. A coroa era um dos principais símbolos do faraó. Antes da unificação, o soberano do Alto Egito utilizava a coroa branca; a coroa vermelha era usada no Baixo Egito. Quando o Egito passou a ser governado por um único soberano, o faraó, a coroa tornou-se dupla: vermelha e branca, simbolizando a união dos dois reinos. Ao comandar suas tropas na guerra, o faraó usava a coroa azul.
  • 10. Surgimento e consolidação das principais estruturas e instituições econômicas, políticas, sociais e culturais egípcias.
  • 11. A agricultura era a base da economia egípcia e dependia das águas do Nilo. O trigo, a cevada, os legumes e as uvas constituíam as principais culturas. Também criavam bois, cabras e patos.
  • 12. Para controlar as cheias do Rio Nilo, e dessa forma, possibilitar a ocupação no entorno do rio, os egípcios acabaram desenvolvendo técnicas e habilidades que depois foram utilizadas na construção de monumentos que nos impressionam até hoje! Shaduf
  • 13. • O Faraó era o centro da vida política do Egito Antigo. •Era considerado um deus vivo, filho do Sol (Amon-Rá) e encarnação do deus-falcão (Hórus). •Para os egípcios, toda a felicidade dependia do faraó e seu poder era ilimitado. Comandava os exércitos, distribuía a justiça, organizava as atividades econômicas. • A ele também pertenciam todas as terras, por
  • 14. Organização Social
  • 15. Criações culturais
  • 16. Existem achados arqueológicas que provam que marcas de tatuagens foram feitas em seres humanos no Egito entre 4000 e 2000 a.C. Foi no Egito, também, que a arte da tatuagem viajou o A história da tatuagem é muito mais antiga do que muitos pensam. A história da tatuagem parece estar ligada com a evolução do homem e do desenvolvimento da consciência do "eu". Foi no Egito antigo que a tatuagem feita com perfurações introduzindo um pigmento na pele foi praticada. Tatuagem
  • 17. O papiro Muito da história do Egito nos foi transmitido pelos rolos de papiro encontrados nos túmulos dos nobres e faraós. Foram os egípcios que, por volta de 2200 antes de Cristo, invent aram o papiro, espéci e de
  • 18. Papiro é uma planta aquática existente no delta do Nilo. Seu talo em forma piramidal chega a ter de 5 a 6 metros de comprimento. Era considerada sagrada porque sua flor, formada por finas hastes verdes, lembra os raios do Sol, divindade máxima desse povo.
  • 19. Há no Egito cerca de 80 pirâmides. As mais famosas são as de Gizeh. Serviam como túmulo dos faraós e de seus familiares.
  • 20. A Mumificação O trabalho de mumificação era caro e demorado, era feito por artesãos especializados. Apenas as pessoas pertencentes as camadas privilegiadas eram mumificadas, as demais eram enterradas na areia do
  • 21. Produtos e instrumentos utilizados para a mumificação Técnicas para retirada do cérebro, preenchimento interno e armazenamento de vísceras
  • 22. O deus Osíris foi assassinado e retalhado por Set, seu irmão. Ísis, sua irmã e esposa, auxiliada por Hórus, Totem e Anúbis, recolheu os pedaços do corpo de seu marido e os colou. Aros e Totem sopraram- lhe a boca, devolvendo-lhe a vida. Este mito simboliza a regressão das
  • 23. Página do livro dos mortos que representa o morto sendo apresentado no tribunal de Osíris. Contêm, além de gravuras, orações, feitiços, hinos e suplicas que pretendiam afiançar a passagem segura e curta do falecido ao outro mundo. Esses rolos de papiro eram colocados nos túmulos junto das múmias.
  • 24. A combinação de problemas naturais (falhas nas cheias do Nilo) e na exaustão econômica ocasionada pelos gastos excessivos dos faraós e dos pesados impostos sofridos pelos camponeses fizeram o Antigo Império ruir numa fase de rebeliões, fome e caos.
  • 25. Durante esses quatro séculos, a preocupação foi fortalecer o Estado, através do fortalecimento do exército, da ampliação das reservas de água e alimentos. Foram construídas obras como represas, canais e celeiros. O exército foi ampliado.
  • 26. Tendo sido invadido pelos hicsos, povo de pastores e guerreiros nômades, vindos do Oriente Próximo ou da Ásia Central, o Egito foi dominado por dois séculos. Foi com os hicsos que os egípcios conheceram o carro e aprenderam a fundir metais para a fabricação de armas.
  • 27. Depois de expulsar os invasores, os exércitos foram utilizados pelos faraós para expandir os domínios egípcios e levando suas fronteiras até a Palestina, Síria e Arábia. Esse foi um período de florescimento da ciência, da pintura, da escultura, da poesia...
  • 28. Baixo relevo em templo
  • 29. Neste período viveram os faraós sobre os quais há a maior quantidade de registros. Hatsheput foi uma grande esposa real, regente e faraó. Viveu no começo do século XV a.C, O seu reinado, de cerca de vinte e dois anos, correspondeu a uma era de prosperidade econômica e relativo clima de paz. Mandou construir um grandioso complexo religioso
  • 30. Templo Funerário da Rainha Hatchepsut, em Deir el-Bahari, XVIII dinastia, c. 1480 a.C. (
  • 31. Amenhotep IV (que depois mudou seu nome para Akhenaton) instituiu o deus Aton como a única divindade que deveria ser cultuada, sendo o próprio faraó o único representante e mediador dessa divindade. Seu filho Tutankhamon restaurou a antiga religião politeísta.
  • 32. Ramsés II reinou entre aproximadamente 1279 a.C. e 1213 a.C. O seu reinado foi possivelmente o mais prestigioso da história egípcia tanto no aspecto econômico, administrativo, cultural e militar. Mandou construir o Templo de Abu Simbel. As imensas estátuas de Ramsés II presentes por toda a parte no templo, demonstram o poder teocrático do faraó.
  • 33. Templo de Ramsés II, em Abu Simbel, XIX dinastia.
  • 34. A dificuldade para defender os vastos territórios que haviam sido conquistados e a ascensão de novas potências estrangeiras (como os assírios) levaram ao declínio do Novo Império.
  • 35. Durante quase mil anos o Egito sofreria sucessivas invasões e passaria por períodos de dominações libía, núbia, assiria, caldeia, persa, macedônica e por fim, romana.
  • 36. Sob o controle líbio e núbio, os egípcios conseguiram impor sua cultura. Assírios e caldeus motivados pela cobiça nas riquezas egípcias, dominaram o território até o Vale do Nilo, mas permaneceram por pouco tempo. Em 343 a.C o Egito foi conquistado pelos persas, mas logo em seguida, o próprio império persa foi dominado por Alexandre, o Grande.
  • 37. Com a morte de Alexandre, o Egito coube ao general Ptolomeu, que fundou uma nova dinastia de faraós. A última foi Cleópatra VII (51-30 a.C), que derrotada pelo general Otávio Augusto, acabou por suicidar-se ao lado de seu aliado (e amado) Marco Antônio que também era romano. Otávio Augusto transformou o Egito numa simples colônia romana e a história do Egito Antigo, sempre associada a figura de um faraó deixou de existir

×