Nome completo do aluno:                                   Sônia Maris Rittmann                                         Pra...
técnicas em pintura artística (óleo, acrílica, guache).4- Fotografia: olhar que olha para dentro de Lea Miasato. O present...
“Toda linguagem artística é um modo singular de o homem                                             refletir – reflexão/re...
dessa lógica que proponho o Objeto de Aprendizagem Caixa de Pandora.       Pandora, proveniente da mitologia Grega, possui...
conjunto, duvidando de nossas certezas, tentando entender esse mundo em que vivemos, muitasvezes tão caótico e incompreens...
pequena biblioteca virtual de livros e revistas de arte em pdf, sugestões de atividades, os textosproduzidos no seminário ...
Projeto do objeto:  Ideias iniciais:
Errâncias...     ...
Derivas...    ...
Alguns materiais...
Possibilidades...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012

513

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
513
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012

  1. 1. Nome completo do aluno: Sônia Maris Rittmann Pranchas: Autor da prancha Autor da obra principal, título, dimensões, data, técnica e suporte Michelangelo Buanarotti, Pietá, 1448, escultura em mármore Maristela Lain Cesar Claudia Andújar, Série Marcados, 1981-1983, fotografia (políptico) Neusa Loreni Vinhas Cândido Portinari, Retirantes, 190cm X 180cm, 1944, painel a Sônia Maris Rittmann óleo/tela Eixo operacional:Marque o eixo escolhido:(X ) ATELIER - O atelier de arte( ) LUDICIDADE DA ARTE – O jogo como processo de ensino e aprendizagem( ) ARTE E COMUNIDADE - EXPERIÊNCIA DE APRENDIZAGEM: a mediação e o espaço não formal de aprendizagem Conjunto de projetosO Projeto Interdisciplinar que dará unidade ao todo é o PROJETO LER É ARTE(Disponível em http://projetolerearte.blogspot.com.br/2012/05/ler-e-arte-2012sugestao-sete-pecados.html ) Partindo desse Projeto, os micro-projetos que deverão serdesenvolvidos:1- Mapa Conceitual – Objeto de Aprendizagem. Disponível emhttps://picasaweb.google.com/116069337243829732128/Videos#54915916219430537622- Corpo e Alma: oficina de desenho e criatividade – O presente projeto tem comoobjetivo principal o desenvolvimento expressivo através do desenho, partindo daexploração de materiais e técnicas diversas, com ênfase especial na figura humana(projeto em processo de elaboração).3- Pintando o Sete – Oficina de pintura - O presente projeto pretende possibilitar aosalunos a pesquisa, a apreciação e a produção da pintura a partir de diferentes materiais e
  2. 2. técnicas em pintura artística (óleo, acrílica, guache).4- Fotografia: olhar que olha para dentro de Lea Miasato. O presente projeto deverá seradaptado à temática da figura humana, tendo por base a análise disponível emhttp://plurissignificacao.blogspot.com.br/2011/04/fotografia-o-olhar-que-olha-para-dentro.html5- Arte Postal Disponível em http://plurissignificacao.blogspot.com.br/2011/05/plano-de-aula-arte-postal.html A ideia é aproveitar o desenvolvimento dos projetos anteriores (2, 3e 4) de desenho, pintura e fotografia para a confecção dos postais.6- Atelier de Linguagens Tridimensionais O presente projeto pretende desenvolver umtrabalho de pesquisa e criação de objetos tridimensionais a partir de diferentes técnicas emateriais. (em processo de elaboração)7- Retratos Encenados - Trata-se de um projeto de re-criação de cenas de obras de artee da cultura visual em fotografia, vídeo, teatro onde os alunos representam através deparódias dos originais. A inspiração e fonte de pesquisa parte nos Video Portraits de BobWilson (que vimos no Porto Em Cena de 2010) e no vídeo da banda Hold Your Horses,que vimos no Seminário Integrador. (em processo de elaboração). O desenvolvimento dosprojetos anteriores (2, 3, 4 e 6) servirá de suporte para o desenvolvimento desse. Maisinformações emhttp://plurissignificacao.blogspot.com.br/2010/09/retratos-encenados.html Nome de seu objeto de aprendizagem: Caixa de Pandora Descrição da fisicalidade do objeto:
  3. 3. “Toda linguagem artística é um modo singular de o homem refletir – reflexão/reflexo – seu estar no mundo”. (Miriam Celeste Martins) Pensar na criação de um Objeto de Aprendizagem, único, que possa dar conta dadiversidade de linguagens propostas a partir do eixo articulador Atelier - com a exigência deabordar pelo menos três linguagens (desenho, pintura, escultura e fotografia) das pranchas, doconjunto de projetos elaborados para serem desenvolvidos, parece-me uma tarefa, se nãoimpossível, bastante difícil de ser realizada. Difícil, não impossível. Quando falamos em linguagens, devemos lembrar que o homem é um ser simbólico, ecomo tal, capaz de criar símbolos, que têm a função de ordenar e interpretar o mundo em quevive. Usamos a linguagem, verbal e não-verbal, para nos expressar e re-ordenar o mundo a nossavolta. Dito de outra forma é através da linguagem que interagimos com o outro e com o mundo.Nas palavras de Miriam Celeste Martins: (...)nossa penetração na realidade, portanto, é sempre mediada por linguagens, por sistemas simbólicos. O mundo, por sua vez, tem o significado que construímos para ele. Uma construção que se realiza pela representação de objetos, ideias e conceitos que, por meio dos diferentes sistemas simbólicos, diferentes linguagens, a nossa consciência produz.¹ A arte é criação das linguagens – visual, musical, cinema, dança, poesia – que searticulam, se conectam e dão corpo ao que o homem pretende dizer. Lembremos que o homem seutiliza das linguagens desde os remotos tempos das cavernas, manifestando seus desejos,sonhos, ideias, medos... A partir dessas reflexões que surgiu a ideia de criar um Objeto de Aprendizagem quelevasse em conta parte dessa história de amor e ódio que move o homem desde os tempos maisremotos até os dias de hoje, com uma carga simbólica que remetesse tanto a figura humana –homem-mulher – quanto às crenças e medos que acompanham o homem desde sempre, além dopoder de sintetizar o mito do conhecimento, objeto de desejo e estudo de toda uma vida. É a partir
  4. 4. dessa lógica que proponho o Objeto de Aprendizagem Caixa de Pandora. Pandora, proveniente da mitologia Grega, possui várias versões, uma das mais difundidasé de ser Pandora uma divindade doadora de talentos divinos e de todos os males da humanidade,criada pelos deuses do Olimpo, por ordem de Zeus, numa trama que envolve uma vingança contraa humanidade por esta ter recebido de Prometeu o segredo do fogo. Reza a lenda que Pandora,ao ser enviada a Terra, recebeu uma “caixa” que não deveria ser aberta. Abriu e com issoespalhou todo o sofrimento sobre a humanidade. Gênesis dos gregos, a semelhança com o mitode Eva? Mito da criação do universo? Símbolo do conhecimento? Arquétipo da mulher? Modelode curiosidade? Muitas possibilidades de leitura, tal qual a arte, “plurissignificações”. Parte-se do pressuposto que toda aprendizagem deva tentar estabelecer um processo deinferências entre os conhecimentos que se possui e os novos conhecimentos a serem construídos.Para tanto, apresentar as obras de arte contextualizadas, como produto cultural e histórico,situadas em tempos e locais diferentes, com formas e conteúdos distintos, possibilitará uma maiorcompreensão das diferentes linguagens e códigos utilizados pelos artistas. Apreendendo essescódigos, os alunos serão capazes de criar seus próprios trabalhos, relacionando-os ao seu mundo,as suas concepções de vida, expressando-se através das diferentes linguagens com as quaistiveram contato, seja através das pranchas de imagens, dos mapas conceituais construídos, dosobjetos de aprendizagem, das diversas leituras e atividades propostas no “Atelier de Artes”.Materiais que foram pensados e criados ao longo do curso de Artes Visuais e que sãoconstantemente re-significados na prática pedagógica e na relação estabelecida com o Objeto deAprendizagem. A experiência estético-criativa proporcionada pelos projetos; o desenvolvimento dasdiferentes linguagens, a leitura de imagens (ROSSI), a interpretação do mundo contemporâneo apartir das relações entre arte e educação; a possibilidade de ensinar e aprender arte através daexperiência em arte, como um ser humano que produz, pensa e contextualiza arte são requisitosindispensáveis para a realização e aprofundamento dessa temática. Nesse ir e vir do pensamento,da criação, da pesquisa, da escuta do outro, e, por que não, do prazer em fazer arte, aprender em
  5. 5. conjunto, duvidando de nossas certezas, tentando entender esse mundo em que vivemos, muitasvezes tão caótico e incompreensível, como uma possibilidade de transgressão (HERNANDÈZ), demudança de paradigmas, de “des-automatização”, de “des-rotinização” de nossas práticasescolares, de ver as coisas com outros olhos, ou pelo menos, a partir de outros pontos de vista, deforma mais poética. O projeto de construção do Objeto de Aprendizagem Caixa de Pandora partiu de umapesquisa sobre os livros de artista e livros objetos, entendendo que o livro-objeto ”não precisa serum livro, bastando ser a ele referente, mesmo que remotamente” (SILVEIRA, 2001, p. 25). “O livro é uma obra no sentido pleno do termo, ou seja, é concebido de tal maneira que todos os aspectos do livro participam da significação. O livro não é ai um simples continente ou suporte para uma mensagem que seria independente dele (...)”²Desta forma o livro-objeto, teria sua função re-significada a partir de um de um processo deabstração, transformando-se em uma linguagem artística. Nessa pesquisa houve ainda a apreciação de inúmeros livros de artistas e livros-objetos,entre eles destaque para os de Duchamp e Susan Collart. O objeto de aprendizagem Caixa dePandora se constituirá a partir da construção de um livro-objeto, tendo como principal referênciaartística os trabalhos desenvolvidos por Susan Collart³, artista e arquiteta estadunidense, residenteem Portland, Oregon, USA. A ideia é construir uma “caixa” articulada como um pequeno biombo, que em que cada“folha-página” trará alguns materiais significativos das linguagens a serem exploradas nos projetosde ensino e aprendizagem. As dimensões do Objeto, aproximadamente 70cmX40cmX30cm,estarão detalhadas nos desenhos, mas poderão sofrer alterações durante a construção domesmo, de acordo com as necessidades de espaço para cada objeto inserido na mesma. Destaforma, o livro-objeto, Caixa de Pandora, tal qual um livro, deverá ter quatro “folhas-páginas”tridimensionais (+/- 7cm de profundidade) com nichos individuais para os referidos materiais:pranchas de imagens, postais, tintas, pinceis, DVD’s com os projetos detalhados e com uma
  6. 6. pequena biblioteca virtual de livros e revistas de arte em pdf, sugestões de atividades, os textosproduzidos no seminário integrador 7 e 8, TCC, um boneco articulado de madeira, um mini-cavalete de pintura, máquina fotográfica, pendrive, encarte de “folhas-páginas” soltas compondoum mini-biombo cartonado para exposição das imagens (bidimensionais), lápis de desenho(diversos números), carvão, lápis de cor, pasteis, mostra de papeis de desenho, lupa, etc. Ainda não está definida como será parte externa da Caixa de Pandora, mas a principio,penso que a mesma deva suscitar a “curiosidade” de quem se aproxime da mesma, tal qual acaixa “famosa”. Talvez uma pintura reproduzindo uma imagem de Pandora, ou letras gregas, ou arepresentação de um livro com uns arabescos em bronze e um cadeado antigo fechando omesmo, ou quem sabe a representação de Apolo, deus das artes e da poesia, na mitologia grega.Ainda em processo. Segue abaixo algumas imagens do projeto da Caixa de Pandora, e dasmuitas derivas que o mesmo sofreu durante esse percurso. Derivas, errâncias, devaneios,processos...Referências:³Collart, Susan. Disponível em http://susancollard.com/home.html Acesso em 24/08/2012.¹MARTINS, Miriam Celeste. Teoria e prática do ensino de arte: a língua do mundo. São Paulo:FTD. 2009.SILVEIRA. Paulo A. A página Violada: da ternura à injúria na construção do livro do artista. PortoAlegre. Ed. Universidade. UFRGS, 2001.²SANTOS, Márcia R.P. Folheando Espaços ao Redor: experiência, tatilidade, espaço e tempo emlivros de artista. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores em ArtesPlásticas, p.17., 2008, Florianópolis. Panorama da Pesquisa em Artes Visuais. Florianópolis, 2008.p. 1875-1887.
  7. 7. Projeto do objeto: Ideias iniciais:
  8. 8. Errâncias... ...
  9. 9. Derivas... ...
  10. 10. Alguns materiais...
  11. 11. Possibilidades...

×