Your SlideShare is downloading. ×
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade

12,585

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
12,585
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
240
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O PAPEL DO PEDAGOGO NA ATUALIDADE Solange Toldo Soares
  • 2. Quem é o pedagogo? O que é pedagogia? Qual é o papel do pedagogo na sociedade atual? REFLEXÕES INICIAIS...
  • 3. Indefinições históricas....
    • Entidades profissionais da área e intelectuais passaram dez anos discutindo essas questões e elaborando propostas de Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia no Brasil, desde 1996 até 2006.
  • 4. 1. IDENTIDADE PROFISSIONAL DO PEDAGOGO
    • Para a definição de um “perfil profissional”
    • podem ser consideradas as seguintes
    • questões:
    • A) Campo epistemológico
    • B) Atividades profissionais
    • C) Base de organização do curso
  • 5. Variados entendimentos...
    • CAMPO EPISTEMOLÓGICO
    Ciência da educação Ciência da e para a educação Integrante das ciências da educação Ciência
  • 6. Alguns entendimentos...
    • BASE DE ORGANIZAÇÃO DO CURSO
    Docência Trabalho
  • 7. Variados entendimentos
    • ATIVIDADES PROFISSIONAIS DO PEDAGOGO
    Docência Gestão Pesquisa
  • 8. Atividades profissionais do pedagogo
    • DOCÊNCIA
    • DOCÊNCIA/GESTÃO/PESQUISA
    Gestão Pesquisa Docência - professor Gestão e pesquisa - especialista DOIS CURSOS DIFERENTES
  • 9. As propostas das entidades
    • ANFOPE
    • FORUMDIR
    • FENERSE
    • Movimento Estudantil
    • CNE
    • CEEP
    • Signatários do Manifesto de Educadores Brasileiros
    A partir do Edital 04/1997 (BRASIL, 1997) as instituições e entidades da área foram convocadas para enviar ao CNE propostas de Diretrizes Curriculares Nacionais
  • 10. As propostas das entidades
    • Contatou-se que há um problema que percorre os textos das entidades, há ambiguidades internas aos projetos que dificultam o entendimento das propostas, fruto de imprecisões teóricas e conceituais em relação ao campo epistemológico da pedagogia, às atividades profissionais do pedagogo e à base de formação desse profissional, conceitos centrais para a organização de propostas de formação do pedagogo (SOARES, 2010, p. 56).
  • 11. A PROPOSTA DO CNE
    • Projeto de Resolução (BRASIL, 2005a)
    • Proposta restrita à licenciatura para os anos inicias do ensino fundamental e educação infantil, entendidas como habilitações.
  • 12. A DISPUTA E AS MUDANÇAS
    • Parecer CNE/CP n° 05/2005 (BRASIL, 2005b)
    • Parecer CNE/CP n° 03/2006 (BRASIL, 2006a)
    • Resolução CNE/CP n° 01/2006 (BRASIL, 2006b)
  • 13. A proposta aprovada – Resolução CNE/CP n° 01/2006
    • O curso de pedagogia destina-se a formação de professores para séries iniciais e ensino fundamental, porém as atividades docentes também compreendem participação na organização e gestão de sistemas de ensino, englobando educação escolar e não-escolar e produção e difusão de conhecimento (BRASIL, 2006b, Art. 4°)
  • 14. A proposta aprovada – Resolução CNE/CP n° 01/2006
    • A Resolução CNE/CP n° 01/2006 (BRASIL, 2006) que institui DCNP não apresenta conceitos científicos da área, apresenta ambiguidades na definição do campo epistemológico da pedagogia, atividades profissionais do pedagogo e base de formação (SOARES, 2010).
  • 15. Por outro lado: Espaços de atuação do pedagogo possibilitados pelas DCNP
    • Escola básica
    • ONG
    • Sindicatos
    • Pesquisa
    • Gestão
    • Docência
    • Empresas
    • Políticas públicas
    • Dentre outros
    Estrutura do curso flexível e menos especializado
  • 16. Pedagogia e papel do pedagogo
    • Assim, a pedagogia significa também condução à cultura, isto é, processo de formação cultural. E pedagogo é aquele que possibilita o acesso à cultura, organizando o processo de formação cultural. È pois, aquele que domina as formas, os procedimentos, os métodos através dos quais se chega ao domínio do patrimônio acumulado pela humanidade [...] convertendo-se o pedagogo por sua vez em formador de homens. (SAVIANI).
  • 17. PAPEL DO PEDAGOGO
    • Para que exatamente, devemos nos voltar quando nos envolvermos com a ação de ajudar a formar outro ser humano?
    • AUTONOMIA INTECTUAL E MORAL
  • 18. PAPEL DO PEDAGOGO
    • A educação, segundo Adorno (2006) precisa estar voltada a auto-reflexão crítica e se concentrar prioritariamente na primeira infância, devido à formação do caráter. A educação em geral precisa voltar-se ao esclarecimento para produzir um clima intelectual , cultura e social que evite a repetição, por exemplo, da barbárie ocorrida em Auschwitz. (SOARES, 2010, p. 29).
  • 19. FORMAÇÃO DE CONSCIÊNCIAS
    • [...] ao contrário dos assassinos de gabinete e ideólogos, as pessoas que executam as tarefas agem em contradição com seus próprios interesses imediatos, são assassinas de si mesmas na medida em que assassinam os outros. Temos que será difícil evitar o reaparecimento de assassinos de gabinete, por mais abrangentes que sejam as medidas educacionais. Mas que haja pessoas que, em posições subalternas, enquanto serviçais, façam coisas que perpetuam sua própria servidão, tornando-as indignas; [...] contra isto é possível empreender algo mediante a educação e o esclarecimento (ADORNO, 2006, p. 138).
  • 20. REFERÊNCIAS
    • ADORNO, T. W. Educação após Auschwitz. In: ___ Educação e
    • Emancipação . São Paulo: Editora Paz e Terra, 2006.
    • SOARES, S. T. O processo de construção das Diretrizes
    • Curriculares Nacionais para o curso de Pedagogia no Brasil:
    • ambiguidades nas propostas de formação do pedagogo. 2010.
    • Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do
    • Paraná.
    • SAVIANI, D. Sentido da pedagogia e papel do pedagogo. [1984].
  • 21. CONTATOS
    • [email_address]
    • www.solangetsoares.blogspot.com

×