A LiahonaA I G RE JA DE JESU S C RI S TO DOS SA N TOS DOS Ú LT I M OS DI A S • FE V EREI RO DE 2011Atender aoChamado Profé...
IMAGEM CEDIDA PELA FUNDAÇÃO AVALON, CORTESIA DO CONSELHO DE CURADORES, GALERIA NACIONAL DE ARTE, WASHINGTON, D.C., EUA.A V...
A Liahona, Fevereiro de 2011                                                                         8MENSAGENS           ...
JOVENS ADULTOS                               JOVENS                              CRIANÇAS                                 ...
Mais na InternetFEVEREIRO DE 2011 VOL. 64 Nº 2A LIAHONA 09682 059Revista Oficial em Português de A Igreja deJesus Cristo d...
MENSAGEM DA PRIMEIR A PRESIDÊNCIA                                                                                         ...
Há muitas maneiras de cumprirmosnossa obrigação pessoal de ajudar aencontrar pessoas para os missioná-rios ensinarem. As m...
MENSAGEM DA PRIMEIRA PRESIDÊNCIA     JOVENS                                              CRIANÇAS                  Os Muit...
M E N S A G E M DA S P R O F E S S O R A S V I S I TA N T E S                                                             ...
Coisas Pequenas e Simples    “É por meio de coisas pequenas e simples que     as grandes são realizadas” (Alma 37:6).     ...
Fortalecida por um Hino                  D     ecidi competir numa maratona                        com colegas de trabalho...
D E STAQ U E S DA H I STÓ R I A D O S S E RV I Ç O S D E B E M - E STA R DA I G R E JA   O    programa de auxílio humanitá...
FA L A M O S DE C R I S TO                             SUA GRAÇA                                           BASTA          ...
NOSSA CRENÇA                                                                                      O processo do arrependi-...
Confessar nossos peca-                                            Reconhecer nossos            dos ao Pai Celestial e, se ...
DE              Resgatada        A              Resgatadora   Minha vida era uma espiral rumo ao abismo até que conheci   ...
intensidade de antes. As coisas                                          estavam mudando em minha                         ...
N O SS O L A R , N O SS A FA M Í L I A                           Ajudar os Filhos a                              Sentirem-...
Pode ser que precisem de ajuda para                                          compreender o ocorrido ou expres-            ...
“Sei que os adultos falam de                                                                Ao iniciar essas conversas com...
ouça-as com atenção. Pode ser que                                não venham de imediato.                                  ...
C L Á S S I CO S D O E VA N G E L H O                            FORTALECER                        OS MENOS ATIVOS        ...
um ou dois exemplos concre-                                tos. Portanto, o risco é muito                                p...
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
A Liahona 2011 fevereiro
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A Liahona 2011 fevereiro

2,121 views
1,983 views

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Essa Liahona é ótima ! Ela me ajudou a aprender um pouco mais da fé a fortalecer meu testemunho. Pude aplicá-la a algumas metas de meu Progresso Pessoal. Amei. :D
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,121
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A Liahona 2011 fevereiro

  1. 1. A LiahonaA I G RE JA DE JESU S C RI S TO DOS SA N TOS DOS Ú LT I M OS DI A S • FE V EREI RO DE 2011Atender aoChamado Proféticode Resgatar,pp. 14, 20, 32Ajudar os Filhosa Sentirem-se emSegurança, p. 16Seus Amigos EstãoLevando Você a Cristo?p. 52Servir Como Amon,pp. 70, 72
  2. 2. IMAGEM CEDIDA PELA FUNDAÇÃO AVALON, CORTESIA DO CONSELHO DE CURADORES, GALERIA NACIONAL DE ARTE, WASHINGTON, D.C., EUA.A Volta do Filho Pródigo, de Bartolomé Esteban Murillo Quando o filho pródigo se deu conta de deu-lhe as boas-vindas ao lar e disse comque pecara, regressou humildemente à casa alegria: “Porque este meu filho estava morto,do pai e disse: “Pai, pequei contra o céu e e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado”perante ti, e já não sou digno de ser chamado (v. 24). Da mesma forma, há alegria no céuteu filho” (Lucas 15:21). O pai, porém, quando nos arrependemos.
  3. 3. A Liahona, Fevereiro de 2011 8MENSAGENS 28 Revelação Gota a Gota 16 Nosso Lar, Nossa Família: 4 Mensagem da Primeira Pre- A revelação ajuda o testemunho de um rapaz a erguer-se daqui Ajudar os Filhos a Senti- rem-se em Segurança sidência: Quão Grande Será Shawn Evans Vossa Alegria ao céu. Presidente Henry B. Eyring 30 Revelação Destilando se 20 Clássicos do Evangelho: 7 Mensagem das Professoras do Céu O conhecimento é destilado Fortalecer os Menos Ativos Presidente Boyd K. Packer Visitantes: A Restauração de Todas as Coisas rapidamente quando estamos preparados. 38 Vozes da IgrejaARTIGOS 32 Parábolas dos Perdidos e 74 Notícias da Igreja14 De Resgatada a Resgatadora Achados 79 Ideias para a Reunião Betsy Doane O que é resgatar? É perdoar, Familiar A dor e o vício dominaram estender a mão e dar as boas- vindas a quem regressa. 80 Até Voltarmos a Nos minha vida até que conheci Encontrar: Um Lugar no alguém que me perguntou se já Banquete do Noivo ouvira falar dos mórmons. SEÇÕES Melissa Merrill24 Aprender a Ouvir e 8 Coisas Pequenas e Simples Compreender o Espírito David M. McConkie 11 Falamos de Cristo: Sua Graça NA CAPA O Filho Pródigo, de Basta Liz Lemon Swindle, Como ouvir quando o Espírito Kimberlee B. Garrett Foundation Arts, reprodução proibida. fala. 12 Nossa Crença: A Expiação Última capa: A Dracma Perdida, de J. Kirk Richards. Possibilita o Arrependimento Fevereiro de 2011 1
  4. 4. JOVENS ADULTOS JOVENS CRIANÇAS 46 Perguntas e Respostas 64 “Sinto-me muito só na Igreja. Como posso aprender a sentir que faço parte da turma?” 48 Como Eu Sei?: A Mensagem Era-me Deliciosa Anthony X. Diaz 51 Um Dízimo Honesto, uma Grande Bênção 42 Oscar Alfredo Benavides Eu estava trabalhando e econo- mizando para a missão, mas 42 Os Jovens Adultos e a meu pequeno salário não seria o suficiente. 60 As Irmãs Devem Compartilhar Reunião Familiar Adam C. Olson Vários jovens adultos explicam 52 Aonde Seus Amigos O Duas irmãs do Peru têm em as bênçãos imediatas e futuras Levarão? comum as coisas de maior da participação na reunião John Bytheway importância. familiar. Os bons amigos nos levam a Jesus Cristo. 62 Vamos Carregar Você! Presidente Thomas S. Monson 54 O Evangelho É para Todos Quando Jami ficou doente Élder Carlos A. Godoy demais para caminhar, o que O Espírito pode tocar qualquer suas amigas podiam fazer? um; não há um perfil ideal para um membro da Igreja em 64 Trazer a Primária para Casa: potencial. As Escrituras Ensinam sobre o Plano do Pai Celestial 57 Pôster: Reflita sobre a Ana Maria Coburn e Cristina Eternidade. Franco Veja se conse- 58 Quando me Tornei Invisível 66 Nossa Página gue encontrar a liahona oculta Nome omitido Todas as vezes em que 68 A Aranha e a Voz Mansa e Delicada nesta edição. precisei do apoio Joshua W. Hawkins Dica: Pare. de meus ami- gos, eles me Cara a cara com uma aranha, ignoraram. Bruno sente-se grato por uma voz de advertência. 70 Para as Criancinhas 48 542 A Liahona
  5. 5. Mais na InternetFEVEREIRO DE 2011 VOL. 64 Nº 2A LIAHONA 09682 059Revista Oficial em Português de A Igreja deJesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Liahona.LDS.orgA Primeira Presidência: Thomas S. Monson,Henry B. Eyring e Dieter F. UchtdorfQuórum dos Doze Apóstolos: Boyd K. Packer,L. Tom Perry, Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks, PARA OS ADULTOSM. Russell Ballard, Richard G. Scott, Robert D. Hales,Jeffrey R. Holland, David A. Bednar, Quentin L. Cook, Antes de filiar-se à Igreja, Betsy Doane era viciada emD. Todd Christofferson e Neil L. Andersen drogas e bebidas alcoólicas. Hoje, como missionária deEditor: Paul B. PieperConsultores: Stanley G. Ellis, Christoffel Golden Jr., serviço da Igreja, ela ajuda outras pessoas a seguiremYoshihiko Kikuchi os doze passos do programa de recuperação deDiretor Administrativo: David L. Frischknecht dependências (ver a página 14). O livreto do programaDiretor Editorial: Vincent A. VaughnDiretor Gráfico: Allan R. Loyborg está disponível em muitos idiomas em www.recoveryworkbook.LDS.org.Gerente Editorial: R. Val JohnsonGerentes Editoriais Assistentes: Jenifer L. Greenwood,Adam C. OlsonEditor Associado: Ryan CarrEditora Adjunta: Susan BarrettEquipe Editorial: David A. Edwards, Matthew D. Flitton,LaRene Porter Gaunt, Larry Hiller, Carrie Kasten, Jennifer PARA OS JOVENSMaddy, Melissa Merrill, Michael R. Morris, Sally J. Odekirk,Joshua J. Perkey, Chad E. Phares, Jan Pinborough, Cavernas e cachoeiras emRichard M. Romney, Janet Thomas, Paul VanDenBerghe,Julie Wardell Honduras podem nos ensinar sobre oSecretária Sênior: Laurel Teuscher recebimento de revelação por meio doDiretor Administrativo de Arte: J. Scott KnudsenDiretor de Arte: Scott Van Kampen Espírito Santo (ver as páginas 28, 30).Gerente de Produção: Jane Ann Peters Para ver mais fotografias de Honduras,Equipe de Diagramação e Produção: Cali R. Arroyo,Collette Nebeker Aune, Howard G. Brown, Julie Burdett, visite www.liahona.LDS.org.Thomas S. Child, Reginald J. Christensen, Kim Fenstermaker,Kathleen Howard, Eric P. Johnsen, Denise Kirby, Scott M.Mooy, Ginny J. NilsonPré-Impressão: Jeff L. MartinDiretor de Impressão: Craig K. Sedgwick PARA AS CRIANÇASDiretor de Distribuição: Evan LarsenTradução: Edson Lopes Veja quantas ovelhas do rei consegue achar naPara assinaturas e preços fora dos Estados Unidos e do página 72. Depois, participe de um jogo parecido, emCanadá, consulte o centro de distribuição local em seupaís ou o líder da ala ou do ramo. inglês, no site www.liahona.LDS.org.Envie manuscritos e perguntas para Liahona,Room 2420, 50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT84150-0024, USA; ou mande e-mail para:liahona@LDSchurch.org.A Liahona, termo do Livro de Mórmon que significa EM SEU IDIOMA“bússola” ou “guia”, é publicada em albanês, alemão,armênio, bislama, búlgaro, cambojano, cebuano, chinês, A revista A Liahona e outros materiais da Igreja estão disponíveiscoreano, croata, dinamarquês, esloveno, espanhol, em muitos idiomas em www.languages.LDS.org.estoniano, fijiano, finlandês, francês, grego, húngaro,holandês, indonésio, inglês, islandês, italiano, japonês,letão, lituano, malgaxe, marshalês, mongol, norueguês,polonês, português, quiribati, romeno, russo, samoano,sueco, tagalo, tailandês, taitiano, tcheco, tonganês,ucraniano, urdu e vietnamita. (A periodicidade varia de umidioma para outro.) TÓPICOS DESTA EDIÇÃO© 2011 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitosreservados. Impresso nos Estados Unidos da América. Os números representam a primeira página de cada artigo.O texto e o material visual encontrados na revista A Liahona Adversidade, 16 Família, 16, 60 Paternidade/materni-podem ser copiados para uso eventual, na Igreja ou no lar,não para uso comercial. O material visual não poderá ser Amizade, 46, 52, 58 Filhos, 16 dade, 16copiado se houver qualquer restrição indicada nos créditosconstantes da obra. As perguntas sobre direitos autorais Arrependimento, 11, Graça, 11 Perdão, 12, 39devem ser encaminhadas para Intellectual Property Office, 12, 14, 48 Integração, 46 Plano de salvação, 6450 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150, USA;e-mail: cor-intellectualproperty@LDSchurch.org. Ativação, 20, 32, 40 Jesus Cristo, 11, 12, 73 Professoras visitantes,For Readers in the United States and Canada: Bem-estar, 10 Liderança, 20 7, 32, 38February 2011 Vol. 64 No. 2. LIAHONA (USPS 311-480) Conversão, 14, 48, 54 Morte, 58 Reunião familiar, 42, 79Portuguese (ISSN 1044-3347) is published monthly by TheChurch of Jesus Christ of Latter-day Saints, 50 E. North Criação, 73 Música, 8, 9 Revelação, 24, 28, 30,Temple St., Salt Lake City, UT 84150. USA subscription priceis $10.00 per year; Canada, $12.00 plus applicable taxes. Dízimo, 41, 51 Obediência, 24, 80 40, 68Periodicals Postage Paid at Salt Lake City, Utah. Sixty days’ Ensino familiar, 40 Obra missionária, 4, 14 Serviço, 62, 70notice required for change of address. Include addresslabel from a recent issue; old and new addresses must be Espírito Santo, 24 Oração, 30, 38, 60 Sociedade deincluded. Send USA and Canadian subscriptions to Salt Lake Estudo das escrituras, Palavra de Sabedoria, 14 Socorro, 7Distribution Center at address below. Subscription helpline: 1-800-537-5971. Credit card orders (Visa, MasterCard, 64, 80American Express) may be taken by phone. (Canada PosteInformation: Publication Agreement #40017431)POSTMASTER: Send address changes to Salt LakeDistribution Center, Church Magazines, PO Box 26368,Salt Lake City, UT 84126-0368. Fevereiro de 2011 3
  6. 6. MENSAGEM DA PRIMEIR A PRESIDÊNCIA Presidente Henry B. Eyring Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência Alegria QUÃO GRANDE SERÁ VOSSA P oucas alegrias na vida são mais doces e duradouras a verdade e o caminho que deverá seguir; e se for fiel, do que a de saber que ajudamos a levar o evan- tornarei a coroá-lo com molhos” (D&C 79:2–3). gelho restaurado de Jesus ao coração de alguém. E a promessa de grande alegria feita ao missionário Todos os membros da Igreja têm a oportunidade de sentir fiel também se aplica a nós como membros fiéis ao nos essa alegria. Quando nos batizamos, fizemos a promessa dedicarmos de corpo e alma à obra missionária: de “servir de testemunhas de Deus em todos os momentos “E agora, se vossa alegria é grande com uma só e em todas as coisas e em todos os lugares em que [nos alma que tiverdes trazido a mim no reino de meu encontremos], mesmo até a morte; para que [sejamos] Pai, quão grande será vossa alegria se me trouxerdes redimidos por Deus e contados com os da primeira ressur- muitas almas! reição, para que [tenhamos] a vida eterna” (Mosias 18:9). Eis que tendes diante de vós meu evangelho e Todos os membros aceitam fazer sua parte na missão minha rocha e minha salvação. confiada à Igreja de proclamar o evangelho de Jesus Cristo Pedi ao Pai, em meu nome, com fé, acreditando ao mundo, seja qual for seu local de residência, por toda que recebereis, e tereis o Espírito Santo, que mani- a vida. O Senhor foi bem claro: “Eis que vos enviei para festa todas as coisas que são convenientes aos filhos testificar e advertir o povo, e todo aquele que for adver- dos homens” (D&C 18:16–18). tido deverá advertir seu próximo” (D&C 88:81). Os mis- Além de nos conceder o Espírito Santo para nos sionários de tempo integral recebem o poder de ensinar ajudar a reconhecer e a convidar as pessoas pre- as pessoas que ainda não são membros da Igreja. Já aos paradas para serem ensinadas, o Senhor chamou e membros da Igreja cabe achar as pessoas que o Senhor treinou líderes para orientar-nos. Numa carta datada preparou para os missionários ensinarem. de 28 de fevereiro de 2002, a Primeira Presidência Precisamos exercer fé e confiar que o Senhor prepa- aumentou a responsabilidade dos bispos e das alas rou pessoas a nossa volta para serem ensinadas. Ele sabe no tocante à obra missionária.1 Com o auxílio do quem são elas e quando estarão preparadas, e pode guiar- conselho da ala ou do ramo, o comitê executivo do nos até elas pelo poder do Espírito Santo e indicar-nos sacerdócio elabora um plano missionário para a unidade. as palavras certas para convidá-las a serem ensinadas. A Nele devem constar sugestões sobre como os membros promessa feita pelo Senhor a um missionário em 1832 podem encontrar pessoas preparadas para serem ensinadas é a mesma que Ele nos faz em nosso encargo de buscar pelos missionários. É chamado um líder da missão da ala ou pessoas preparadas para serem ensinadas pelos missioná- do ramo. Esse líder da missão está sempre em contato com rios: “E enviarei sobre ele o Consolador, que lhe ensinará os missionários de tempo integral e seus pesquisadores.4 A Liahona
  7. 7. Há muitas maneiras de cumprirmosnossa obrigação pessoal de ajudar aencontrar pessoas para os missioná-rios ensinarem. As mais simples são asmelhores. Orem para ser guiados pelo EspíritoSanto. Conversem com os líderes locais eos missionários, pedindo-lhes sugestõese comprometendo-se a ajudá-los. Incenti-vem as pessoas que trabalham a seu ladonessa obra. E, em todos os momentos,sirvam de testemunhas em todos os atose palavras de que Jesus é o Cristo e deque Deus responde às orações. Testifico que o Espírito Santo os guiaráàs pessoas que buscam a verdade, sevocês orarem e se empenharem parareceber essa orientação. E sei por expe-riência própria que sua alegria seráduradoura com as pessoas que aceitaremo evangelho no coração e depois perse-verarem na fé. ◼NOTA 1. Ver “News of the Church: Ward and Branch Missionary Work Emphasized”, Liahona, agosto de 2002, p. 4.ENSINAR USANDO ESTA MENSAGEM• Ensino, Não Há Maior Chamado orienta- nos a incentivar as pessoas que ensina- mos a traçarem metas que as ajudem a viver os princípios do evangelho aprendidos (ver a página 159). Com a família visitada, identifique as bênçãos da obra missionária conforme mencio- nadas pelo Presidente Eyring e, caso se sinta inspirado, convide-os a estabelecer metas para compartilhar o evangelho.• Se julgar conveniente, enumere com a família diversas maneiras de com- partilhar o evangelho, aceitando e ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA: WELDEN C. ANDERSEN discutindo todas as sugestões propos- tas; tendo em mente o conselho do Presidente Eyring de que “as mais sim- ples são as melhores”. Para aprender mais sobre essa técnica, que se chama tempestade cerebral (brainstorming), ver Ensino, Não Há Maior Chamado, página 160. F e v e r e i r o d e 2 011 5
  8. 8. MENSAGEM DA PRIMEIRA PRESIDÊNCIA JOVENS CRIANÇAS Os Muitos Missionários O Evangelho — uma Dádiva a Partilhar de Minha Vida Elizabeth S. Stiles A palavra evangelho significa todos os ensinamentos e as ordenanças concedidos a nós por Jesus Cristo e Seus N o primeiro domingo em que profetas. O evangelho é como uma cesta cheia de presen- fui à Igreja com os missioná- tes do Pai Celestial. Você pode ajudar a dar esses presentes rios, reconheci pessoas com as a outras pessoas. Com quem poderia partilhar a dádiva do quais tinha convivido na infância evangelho? e na adolescência e que também Faça a correspondência dos versículos com os desenhos de as conhecia da comunidade. Vi alguns dos presentes que o evangelho nos traz. Escreva em uma de minhas melhores amigas da escola, as secretárias do curso cada desenho o número da escritura correspondente. fundamental e do curso médio, 1. Tiago 5:14–15 uma menina que eu não tratara 2. Mosias 16:6–7 muito bem no passado e até um 3. 3 Néfi 18:1–10 rapaz pelo qual eu me apaixonara 4. D&C 20:72–73 em certa época. 5. D&C 33:16 Cada uma daquelas pessoas 6. D&C 89:4, 18–21 tinha marcado minha vida. Minha 7. D&C 132:46 melhor amiga era uma jovem de 8. D&C 137:10 grande integridade e por causa 9. D&C 138:32–34 dela resolvi continuar pesquisando a Igreja. As secretárias que se lem- bravam de mim da época da escola me ajudaram a sentir-me impor- tante. Aprendi sobre o amor divino e a caridade com a jovem que me recebeu de braços abertos, embora eu não tivesse sido um exemplo de simpatia com ela no passado. EXTREMA ESQUERDA: ILUSTRAÇÕES DE STEVE KROPP; À ESQUERDA: ILUSTRAÇÕES DE DILLEEN MARSH O rapaz que fora minha paixão de adolescente era um grande exem- plo: reconheci sua luz e era um prazer desfrutar sua companhia. Aquelas experiências pessoais me ajudaram a saber que, mesmo antes de meu primeiro contato com os missionários, o Pai Celestial me preparara para receber o evan- gelho por intermédio das pessoas que pusera em meu caminho. Com elas aprendi que as peque- nas coisas que fazemos podem ter enorme repercussão. E o mais importante de tudo: aprendi que a obra missionária começa comigo.6 A Liahona
  9. 9. M E N S A G E M DA S P R O F E S S O R A S V I S I TA N T E S A Restauração de Estude este material e, conforme julgar conveniente, discuta-o com as irmãs que você visitar. Use as pergun- Todas as Coisas tas para ajudá-la a fortalecer as irmãs e para fazer com que a Sociedade de Socorro seja parte ativa de sua própria vida. Fé • Família • Auxílio O Profeta Joseph Smith organizou a Sociedade O que Posso De Nossa História A de Socorro como parte essencial da Igreja. Fazer? irmã Julie B. Beck ensinou: “Sabemos, Como presidência, esperamos poder ajudá-las a por intermédio do Profeta Joseph Smith, compreender por que ela é essencial em sua vida. 1. Que ajuda posso prestar este que a Sociedade de Socorro fazia formal- Sabemos que o Novo Testamento cita mulheres mês às irmãs que mente parte da Restauração”.2 O processo de que mostraram fé em Jesus Cristo e participaram visito a fim de restauração começou com a Primeira Visão de Sua obra. Lucas 10:39 fala de Maria, que, “assen- exemplificar a fé em 1820 e continuou “linha sobre linha, pre- tando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua das discípulas de ceito sobre preceito” (D&C 98:12). Quando palavra”. Em João 11:27, Marta presta testemunho Jesus Cristo? a Sociedade de Socorro foi organizada for- de Cristo: “Disse-lhe ela: Sim, Senhor, creio que tu 2. Que ensina- malmente em 17 de março de 1842, o Profeta és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mento do evan- ensinou às mulheres seu papel essencial na mundo”. Atos 9:36, 39 menciona “uma discípula gelho restaurado Igreja restaurada. Disse: “A Igreja não estava estudarei para chamada Tabita, (…) cheia de boas obras. (…) perfeitamente organizada até que as mulheres fortalecer meu E todas as viúvas (…) [mostravam] as túnicas e testemunho este fossem assim organizadas”.3 roupas que [ela] fizera”. Febe, em Romanos 16:1–2, mês? NOTAS “[serviu] na igreja” e “[hospedou] a muitos”. 1. Julie B. Beck, “Cumprir o Propósito da Para mais informa- Esses exemplos de fé, testemunho e serviço ções, acesse www Sociedade de Socorro”, A Liahona, novembro de 2008, p. 108. continuaram na Igreja restaurada nos últimos dias .reliefsociety.LDS 2. Julie B. Beck, “Cumprir o Propósito da .org. e formalizaram-se com a organização da Socie- Sociedade de Socorro”, p. 108. dade de Socorro. Julie B. Beck, presidente geral 3. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 474. da Sociedade de Socorro, ensinou: “Assim como o Salvador convidou Maria e Marta, na época do Das Escrituras: Novo Testamento, a participarem de Sua obra, as Joel 2:28–29; Lucas 10:38–42; mulheres desta dispensação têm o encargo oficialJESUS NA CASA DE MARIA E MARTA, DE MINERVA K. TEICHERT, CORTESIA DO MUSEU DE ARTE DA UNIVERSIDADE BRIGHAM YOUNG Efésios 1:10 de participar da obra do Senhor. (…) A organiza- ção da Sociedade de Socorro, em 1842, mobilizou a força conjunta das mulheres e seu encargo espe- cífico de edificar o reino do Senhor”.1 Realizamos nosso trabalho ao nos concentrar- mos nos propósitos da Sociedade de Socorro: aumentar a fé e a retidão pessoal, fortalecer a família e o lar e estender a mão para as pessoas necessitadas e ajudá-las. Testifico que a Sociedade de Socorro foi divinamente organizada para auxiliar na obra de salvação. Cada irmã da Socie- dade de Socorro tem um papel essencial a desempenhar na realização desse trabalho sagrado. Silvia H. Allred, primeira conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro.
  10. 10. Coisas Pequenas e Simples “É por meio de coisas pequenas e simples que as grandes são realizadas” (Alma 37:6). HISTÓRIA DA IGREJA NO MUNDO Brasil A IGREJA NO BRASIL Q uando Max Richard Zapf emigrou da Alemanha para o Brasil em 1913, já era membro havia cinco anos e tornou-se o primeiro membro conhecido da Número de membros 1.102.428 Missões 27 Igreja no Brasil. Depois que uma família brasileira Estacas 230 solicitou materiais à sede da Igreja, o presidente da Missão Sul-Americana visitou o Brasil em 1927 e enviou Alas e Ramos 1.884 missionários em 1928. A primeira missão foi criada em Templos 7, incluindo os Templos São Paulo em 1935, e em 1939 o Livro de Mórmon foi de Manaus e Fortaleza, publicado em português. atualmente em cons- O primeiro templo da América do Sul foi dedicado trução ou anunciados. em São Paulo em 1978, pouco depois da revelação sobre a extensão do sacerdócio a todos os membros da Igreja do sexo masculino dignos. O segundo maior centro de treinamento missionário da Igreja no mundo, situado em São Paulo, foi dedicado em 1997. O Brasil é o terceiro país (depois dos Estados Uni- dos e do México) a atingir a marca de um milhão de membros. FOTOGRAFIA DO TEMPLO DE SÃO PAULO BRASIL DE MATTHEW REIER; O BOM SAMARITANO, DE JOSEPH BRICKEY Por que Cantar? O s hinos que cantamos podem convidar o Espírito a nossas reuniões da Igreja, ao lar e a nosso cotidiano. O Presidente J. Reuben Clark Jr. (1871–1961), da Primeira Pre- diretamente no site, algo particularmente útil para membros que não tenham piano nem teclado. A música pode ser usada tanto no lar como na Igreja. A sidência, ensinou: “Achegamo-nos mais ao Senhor por meio Primeira Presidência aconselhou-nos: “Ensinem seus filhos a da música do que talvez por qualquer outra coisa exceto a amarem os hinos. Cantem-nos no Dia do Senhor, nas reu- oração”.1 niões familiares, durante o estudo das escrituras e na hora de A Igreja criou um site em que é possível acessar os hinos orar. Cantem enquanto trabalham, enquanto se divertem e (em inglês, francês, português e espanhol). Music.LDS.org enquanto viajam juntos”.2 Os hinos podem trazer um espírito traz instruções sobre como reger, tocar hinos com uso de de amor e união ao lar. teclado, além de sugestões para a escolha de hinos adequa- NOTAS 1. J. Reuben Clark Jr., em Conference Report, outubro de 1936, dos para a reunião sacramental. p. 111. As melodias e letras podem ser lidas, baixadas ou tocadas 2. Hinos, p. x.8 A Liahona
  11. 11. Fortalecida por um Hino D ecidi competir numa maratona com colegas de trabalho em Western Cape, África do Sul. Treinei dez quilômetros da linha de chegada, a corrida tornou-se muito difícil para mim. Tinha A letra desse hino preen- cheu-me a mente repetidas vezes, ergui os pés e terminei a corrida e me empenhei muito na prepara- cãibras numa perna e bolhas impulsionada pela força desse hino ção para a corrida. nos pés. Quis desistir. Então do Senhor. No dia do evento, acordei, li as comecei a cantarolar um Essa experiência me ensinou escrituras e orei. Estava nervosa, hino: que o evangelho de Jesus Cristo mas também sentia que precisava tem tudo a ver com a perseve- confiar no Senhor. Eu sabia que, se “Se Deus é convosco, a quem rança. É como andar ou correr o fizesse, Ele iria me suster e me temereis? numa maratona. Às vezes nos apoiar. Ele é vosso Deus, seu auxílio cansamos, repousamos e volta- Era preciso andar ou correr tereis. mos a caminhar. O Pai Celestial 40 quilômetros. Começamos às Se o mundo vos tenta, se o mal não desiste de nós, por mais que oito horas da manhã. O tempo faz tremer, (…) caiamos; para Ele o que importa estava fresco e ligeiramente chu- Com mão poderosa vos há de é quantas vezes nos reerguemos e voso; assim, no início, desfrutei suster. tornamos a andar. Seu evangelho a caminhada e estava indo bem. (“Que Firme Alicerce”, Hinos, insta-nos a terminar a corrida. Mas quando estava a cerca de nº 42) Khetiwe Ratsoma, África do SulN A S PA L AV R A S DOS LÍ D E R E S DA IG R E JACuidar dos Pobres “No decorrer da história, o Senhor tem medido as socie- dades e os indivíduos pela maneira como cuidam dos pobres. Ele disse: ‘Pois a Terra está repleta e há bastante e de sobra; sim, preparei todas as coisas e permiti que osfilhos dos homens fossem seus próprios árbitros. Portanto, se algum homem tomar da abundân-cia que fiz e não repartir sua porção com os pobrese os necessitados, de acordo com a lei de meuevangelho, ele, com os iníquos, erguerá seus olhosno inferno, estando em tormento’ (D&C 104:17–18; vertambém D&C 56:16–17). Com o passar dos anos, o sofrimento de milhares, talvez Além disso, Ele declara: ‘Nas coisas materiais sereis iguais milhões, vem sendo aliviado, e um número incontável dee disto não reclamareis; caso contrário, será retida a profu- outras pessoas conseguiram progredir graças à generosidadesão das manifestações do Espírito’ (D&C 70:14; ver também dos santos. Contudo, ao buscarmos a causa de Sião, cadaD&C 49:20; 78:5–7). um de nós deve considerar, em espírito de oração, se está Nós controlamos o uso de nossos meios e recursos, mas fazendo o que deve e se está fazendo tudo o que deve fazerprestamos contas a Deus dessa mordomia sobre as coisas ter- aos olhos do Senhor com respeito aos pobres e necessitados.”renas. É gratificante ver a generosidade de vocês nas contri- Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos, “A Sião Vem,buições com as ofertas de jejum e nos projetos humanitários. Pois, Depressa”, A Liahona, novembro de 2008, p. 37. F e v e r e i r o d e 2 011 9
  12. 12. D E STAQ U E S DA H I STÓ R I A D O S S E RV I Ç O S D E B E M - E STA R DA I G R E JA O programa de auxílio humanitário de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias visa a melhorar a vida dos necessitados oferecendo alimentos, água potável, 1960: Inauguração de novas fábricas de enlatados e laticí- nios na Praça de Bem-Estar. tratamento oftalmológico, cadeiras de rodas, vacinas e Década de 1970: A Igreja expande seus projetos de bem- auxílio emergencial. Esse programa, que teve início modesto, estar e produção ao México, à Inglaterra e à Oceania. expandiu-se ao longo dos anos e passou a ajudar milhões de pessoas em todo o mundo. 1973: Os Serviços Sociais SUD (hoje Serviços Familiares SUD) são criados como organização oficial da Igreja. Fim da década de 1920: Estabelecimento 1976: A Igreja inicia a expansão dos armazéns para das fazendas de bem- todas as regiões do Canadá e dos Estados Unidos. Também estar. Os alimentos colhi- é anunciada a expansão das unidades de enlatados dos são estocados em e produção. armazéns. 1932: Inauguração da pri- 1982: O presidente norte- meira fábrica de conservas. americano Ronald Reagan visita a Praça de Bem-Estar. 1936: Formação do Comitê de Bem-Estar da Igreja. São 1985: A Igreja começa a per- criadas quatorze regiões de bem-estar para administrar as furar poços de água potável na EXTREMA ESQUERDA (A PARTIR DO ALTO): TRÊS FOTOGRAFIAS GENTILMENTE CEDIDAS PELO DEPARTAMENTO DE BEM-ESTAR DA IGREJA; FOTOGRAFIA DE WELDEN C. ANDERSEN; atividades de bem-estar no mundo. África, marcando o início de uma expansão mundial dos esforços 1936: Estabelecimento do primeiro centro oficial humanitários da Igreja. de empregos. À ESQUERDA (A PARTIR DO ALTO): FOTOGRAFIA DE GERRY AVANT, DESERET NEWS; FOTOGRAFIA DE HOWARD M. COLLETT; FOTOGRAFIA © ROSA PENA Década de 1990: O Centro 1936–1940: Início de projetos de produção, incluindo Humanitário SUD é estabelecido para triar roupas e outros uma serraria, um curtume, uma fábrica de macarrão e artigos excedentes, incluindo suprimentos médicos, a serem unidades de salmão enlatado, produção de manteiga de enviados ao mundo todo para combater a pobreza e auxiliar amendoim, fabricação de sabão e engarrafamento de leite. nas catástrofes. 1937: Construção do primeiro armazém regional em Salt Lake 2002: Os Serviços de Caridade City. SUD dão início a projetos de distribuição de cadeiras de 1938: Iniciam-se as obras na rodas, água potável e suporte Praça de Bem-Estar, que incluía à reanimação neonatal. um elevador de grãos e um arma- zém central. 2003: Os Serviços de Caridade SUD unem esforços com iniciativas mundiais de combate ao 1938: Inauguração das primeiras sarampo e doam um milhão de dólares americanos por ano lojas de artigos usados das Deseret para apoiar a campanha. Começa também uma iniciativa Industries em Salt Lake City. mundial de tratamento oftalmológico. 1940: Término das obras da Praça de Bem-Estar. 2010: Os Serviços de Caridade SUD dão início a um projeto na área alimentar para aumentar a produção de alimentos 1945: A Igreja envia grandes quantidades de alimentos, e melhorar a situação nutricional em alguns dos países mais roupas e outros artigos de primeira necessidade aos mem- pobres do mundo. Abertura de terra do novo Armazém bros da Europa no fim da Segunda Guerra Mundial. Central do Bispo em Salt Lake City, com 56.000 m 2.10 A L i a h o n a
  13. 13. FA L A M O S DE C R I S TO SUA GRAÇA BASTA inferioridade desapareceram e conse- gui sentir a paz que perdera. Como se tivesse apertado um Kimberlee B. Garrett interruptor na mente, finalmente C entendi um conceito simples que, omo tantas outras pessoas, e necessidades na frente dos deles por algum motivo, havia ignorado ao durante a maior parte de e não demonstrara sensibilidade a longo de muitos anos. Quando há um minha vida tive dificuldades seus sentimentos. Senti-me mal e pecado não resolvido em minha vida, para reconhecer meu valor pes- tomei a resolução de mudar para ainda que pequeno, dou a Satanás o soal. Debati-me com problemas de melhor. Pedi desculpas a meus filhos poder de influenciar-me. Ele conhece excesso de peso por muitos anos, o e orei pedindo perdão. Assim que minhas fraquezas e sabe quais pala- que afetou minha autoestima. Embora comecei a orar, meus sentimentos de vras vão me “[incitar]” e “conduzir tenha emagrecido e agora leve uma (…) à destruição” (ver D&C 10:22). vida saudável, às vezes ainda me sur- Na verdade, não me odeio, mas Sata- preendo combatendo esses sentimen- nás certamente me odeia e lançará tos e pensamentos negativos. mão de todas as artimanhas possíveis Certa manhã, sentia-me particular- para me afastar da luz. mente deprimida e não sabia como No entanto, quando me arrependo, melhorar a situação. Comecei a orar e conto com o poder de Jesus Cristo. pedi ajuda ao Pai Celestial para supe- Como Ele sabe perfeitamente me rar meu complexo de inferioridade. socorrer em minha fraqueza (ver Ao orar, a seguinte escritura me veio Alma 7:11–12), Seu poder me edifica à mente: “E se não tendes esperança, e me fortalece, o que seria impossível deveis estar em desespero; e o deses- para mim sozinha. pero vem por causa da iniquidade” Até mesmo o Apóstolo Paulo, tão (Morôni 10:22). valente na proclamação do evange- Iniquidade parecia uma palavra lho, sofria de fraqueza e era ator- muito séria, tanto que inicialmente mentado por seus efeitos. Contudo, ignorei o pensamento, pois não me ao orar para sobrepujar a fraqueza, lembrava de nada grave que pudesse o Senhor respondeu: “A minha graça ter feito de errado. Contudo, o pen- te basta, porque o meu poder se samento continuou, assim orei, con- Tal qual o Após- aperfeiçoa na fraqueza”. Em seguida, forme indicado também por Morôni, tolo Paulo, farei Paulo exclamou: “De boa vontade, de tudo para me para que o Pai Celestial me mostrasse pois, me gloriarei nas minhas fraque- arrepender e minha fraqueza a fim de fortalecer-me viver os manda- zas, para que em mim habite o poder (ver Éter 12:27). mentos, a fim de Cristo” (II Coríntios 12:9).ILUSTRAÇÕES: DILLEEN MARSH Foi com surpresa que me lembrei de que “em mim Da mesma forma, darei o melhor habite o poder de de três acontecimentos dos dois dias de mim para me arrepender e guar- Cristo”. anteriores nos quais eu não tinha dar os mandamentos, “para que em sido paciente com meus filhos. Eu mim habite o poder de Cristo” e que pusera meus próprios sentimentos eu fique cheia de amor e paz. ◼ F e v e r e i r o d e 2 011 11
  14. 14. NOSSA CRENÇA O processo do arrependi- mento inclui o seguinte: A EXPIAÇÃO POSSIBILITA O Arrependimento Ter fé em nosso Pai Celestial e Jesus Cristo (ver Alma 34:17). V iemos à Terra com o propó- pecados. Ou seja, Jesus pagou a sito de crescer e progredir. penalidade exigida pela lei da justiça Nosso progresso é retardado referente a nossa violação dos man- quando pecamos. Com exceção de damentos de Deus. Como o Salvador Jesus Cristo, que levou uma vida já padeceu por nossos pecados, não perfeita, todos os que já viveram na precisaremos sofrer a punição plena Terra pecaram (ver Eclesiastes 7:20; por eles, se nos arrependermos (ver Romanos 3:23; I João 1:8). D&C 19:16). Sua Expiação “[satisfez] Pecar é violar os mandamentos as exigências da justiça” (Mosias de Deus. Às vezes pecamos fazendo 15:9), o que permitiu ao Pai Celestial algo que sabemos ser errado, mas em perdoar-nos misericordiosamente outras ocasiões pecamos por deixar- e deter a punição. mos de fazer algo que sabemos ser O arrependimento é uma correto (ver Tiago 4:17). dádiva de Deus para nós. É Todos os mandamentos de Deus essencial para nossa felici- nos abençoam se os guardarmos dade nesta vida. Por meio (ver D&C 130:20–21). Todavia, se os do arrependimento, purifi- violarmos, há punições associadas camo-nos de novo, o que (ver Alma 42:22). Esse equilíbrio entre nos permite regressar bênçãos e punições chama-se justiça. à presença do Pai Por nos amar, o Pai Celestial tor- Celestial (ver nou possível o arrependimento: Moisés 6:57). confessar e abandonar nossos peca- dos e assim neutralizar seus efeitos. Ele enviou Seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, para sofrer por nossos “Eis que aquele que se arrependeu de seus pecados é perdoado e eu, o Senhor, deles não mais me lembro. Desta maneira sabereis se um homem se arrepende de seus pecados — eis que ele os confessará e abandonará” (D&C 58:42–43).12 A L i a h o n a
  15. 15. Confessar nossos peca- Reconhecer nossos dos ao Pai Celestial e, se pecados e sentir pesar necessário, ao bispo ou (ver Lucas 16:15; Alma presidente de ramo (ver Abandonar nossos pecados Restituir quando possível 42:29–30). D&C 61:2). (ver D&C 58:43). (ver Ezequiel 33:15–16).ILUSTRAÇÕES FOTOGRÁFICAS: STEVE BUNDERSON Perdoar a quem tenha pecado contra nós (ver D&C 64:9; 3 Néfi 13:14–15). Viver em retidão (ver D&C 1:32). ◼ Jesus Cristo pagou o preço de nossos pecados Para mais informações, ver no Jardim do Getsêmani e na cruz. Decla- Princípios do Evangelho, 2009, rou o seguinte acerca de Seu sofrimento: “Arrependimento”, pp. 109–116; e Sempre Fiéis, 2004, “Expiação de “Fez com que eu, Deus, o mais grandioso de Jesus Cristo”, pp. 77–83; “Justiça”, todos, tremesse de dor e sangrasse por todos p. 109; “Misericórdia”, pp. 111–113; os poros; e sofresse, tanto no corpo como no “Arrependimento”, pp. 18–22; e espírito” (D&C 19:18). “Pecado”, pp. 130–131. F e v e r e i r o d e 2 011 13
  16. 16. DE Resgatada A Resgatadora Minha vida era uma espiral rumo ao abismo até que conheci um homem que afirmava ter a solução para meus problemas. C Betsy Doane erta noite, em 1978, estava no dor. Gastei-a com roupas caras, car- ouviu com toda a paciência e depois Aeroporto Logan em Boston, ros, drogas e viagens para lugares perguntou se eu sabia que Jesus Massachusetts, EUA, aguar- distantes. Cristo visitara as Américas. dando a chegada de amigos. Um Em minha viagem mais recente, Naquela época eu ainda não homem puxou conversa comigo, e escalara uma pirâmide maia em Tikal, pensava muito em Deus. Que tipo de falamos um pouco sobre a vida de Guatemala. Lá, apesar de estar fisica- Deus levaria embora minha família? cada um. Contei-lhe que voltara, três mente num lugar elevado, lembro-me Quando eu disse isso, ele respon- meses antes, de uma viagem à Amé- da sensação de estar no fundo do deu que o Deus no qual acreditava rica Central. poço, mais do que nunca antes. Eu providenciara um meio para que eu Disse-lhe que fizera essa viagem não podia mais viver como estava voltasse a viver com minha família. para fugir da dolorosa realidade de vivendo. “Deus”, supliquei, “se exis- Foi então que ele conquistou minha minha vida. Nove anos antes meu tes, preciso que mudes minha vida”. atenção. irmão tinha falecido. No ano seguinte, Fiquei lá por vários minutos, implo- “Como assim?” perguntei. meus pais morreram num acidente rando ajuda silenciosamente a um “Já ouviu falar dos mórmons?” Eu automobilístico. Exatamente um ano ser de cuja existência eu nem sequer não sabia muito a respeito, mas o depois, foi minha avó que partiu. Em tinha certeza. Ao descer da pirâmide, homem começou a explicar-me o pouco tempo eu perdera algumas das senti-me em paz. Nada mudara em plano de salvação. E apesar de minha ILUSTRAÇÃO: ROGER MOTZKUS pessoas mais importantes de minha minha vida, mas por algum motivo eu descrença inicial, algo parecia real vida. Fiquei arrasada. sentia que tudo ia ficar bem. nas palavras dele. Com a morte de meus pais, her- E eis que três meses depois, lá Eu e meu novo conhecido troca- dei uma quantia considerável e estava eu, contando tudo aquilo mos número de telefone e, nos meses usei-a para tentar esquecer minha àquele homem no aeroporto. Ele me seguintes, saímos algumas vezes.14 A L i a h o n a
  17. 17. intensidade de antes. As coisas estavam mudando em minha vida; eu sentia mais esperança do que sentira em muito tempo — masTambém conversamos sobre o evan- a verdade é que era impossível rom- perdida — em todas as acepções dogelho. Ele me deu um Livro de Mór- per aqueles hábitos completamente. termo. Meus pais, meu irmão e minhamon, e falamos sobre o livro e outras Além do mais, eu já tinha abdicado avó tinham partido, e era como se euescrituras por horas a fio no telefone. de muitas coisas ao abraçar o evange- também tivesse partido. Após a morteEle falou-me da restauração da Igreja lho — inclusive o contato com vários deles, eu não sabia mais quem era.de Jesus Cristo por intermédio de amigos que me achavam louca por Agora achei minha identidade. SeiJoseph Smith. Foi uma época maravi- mostrar interesse pela Igreja Mórmon. que sou filha de Deus e que Ele melhosa de esperança e crescimento. Eu persistira por sentir que o evan- conhece e me ama. Ao ser selada a Nossa amizade esfriou um pouco, gelho era verdadeiro. Mas será que meus pais, minha avó e meu irmão,mas depois de várias semanas, ele me eu conseguiria abandonar vícios tão meu pesar transformou-se em alegria,disse que gostaria de mandar alguns arraigados? aliada à certeza de que poderemosamigos para conversar comigo. Aque- Os missionários ofereceram-se estar juntos para sempre. les amigos eram, obviamente, os para me dar uma bênção do sacerdó- O evangelho de Jesus Cristo tam-missionários. E eles vieram acompa- cio como auxílio. Imediatamente em bém me salvou de meus vícios. Nosnhados de Bruce Doane, um missio- seguida, joguei fora todas as drogas últimos anos, eu e marido temos ser-nário de estaca que viria a tornar-se e bebidas alcoólicas que eu tinha. E vido como missionários dos Serviçosmeu marido. naquela noite, perdi definitivamente Familiares SUD para a recuperação Após várias semanas de lições o desejo de usar qualquer substância de dependências, ajudando membrosformais, os missionários perguntaram contrária à Palavra de Sabedoria. Foi de nossa estaca que tentam vencerse eu estava disposta a ser batizada. um verdadeiro milagre. diferentes tipos de vício. Sou muitoRespondi que sem dúvida estava. Em Fui batizada em junho de 1978. grata por poder ajudar esses irmãos.seguida, ressaltaram que, antes de Pouco mais de um ano depois, eu Sinto-me abençoada pela oportuni-poder ser batizada, era preciso viver a e Bruce nos casamos no Templo de dade de contar-lhes minha históriaPalavra de Sabedoria. Washington D.C. para ajudá-los a compreender como Eu não estava mais bebendo O evangelho literalmente me res- todos nós podemos ser resgatadosnem usando drogas com a mesma gatou do desespero. Antes, eu estava pelo evangelho. ◼ F e v e r e i r o d e 2 011 15
  18. 18. N O SS O L A R , N O SS A FA M Í L I A Ajudar os Filhos a Sentirem-se em Segurança Shawn Evans Assistente Social Clínico Credenciado, Serviços Familiares SUD V ivemos numa época na qual No entanto, uma interrupção na questões difíceis — como rotina pode levar uma criança de divórcio, doenças, morte, seis anos a sentir-se impotente. Ela acidentes, desastres naturais, guerras, pode, por exemplo, sentir grande perda de emprego — ameaçam a ansiedade ao ser separada dos pais sensação de segurança no lar. Con- durante um desastre natural ou nos tudo, há muito que os pais podem primeiros meses após o divórcio. fazer para ajudar os filhos a sentirem Os pais podem ajudar as crianças estabilidade, segurança e prote- pequenas nessas circunstâncias ção, a despeito dessas influências mantendo o máximo possível de desconcertantes. rotinas anteriores. Podem conti- nuar a fazer as orações familiares, Como Reagem as Crianças e as refeições em família e conservar os Jovens outros hábitos existentes desde Para ajudar as crianças e os adoles- antes da grande mudança. Tal con- centes a lidarem com situações trau- tinuidade ajuda a dar às crianças a máticas, primeiro temos de entender reconfortante sensação de confiança como reagem nessas situações. Essas e estabilidade. reações são afetadas pela estabilidade Ao compreenderem FOTOGRAFIAS DE ROBERT CASEY, EXCETO QUANDO INDICADO EM CONTRÁRIO. da família e pela idade e maturidade Dos Sete aos Dez Anos de Idade como as crianças e os emocional da criança ou do jovem. As crianças maiores são capazes jovens reagem a situa- de entender quando algo ou alguém Do Nascimento aos Seis Anos ções traumáticas, os se afasta de modo definitivo, seja de Idade na mudança para outra casa, seja pais podem ajudá-los Um recém-nascido pode expres- na morte do pai ou da mãe. Conse- sar incômodo diante de aconteci- a superar momentos quentemente, podem ser afetadas mentos desagradáveis agitando-se, difíceis. psicologicamente por um aconteci- chorando e pedindo colo. Muitas mento angustiante. Sua compreensão vezes, os bebês precisam apenas da vida fica profundamente abalada. que o pai ou a mãe os segure ou Pode ser que falem do aconteci- lhes dê comida. As crianças peque- mento traumático repetidamente nas são mais maduras que os bebês. ao tentarem lidar com o problema.16 A L i a h o n a
  19. 19. Pode ser que precisem de ajuda para compreender o ocorrido ou expres- sar seus sentimentos a respeito. Vale recordar que a capacidade de racio- cínio delas não é a mesma de um adulto. Não é incomum, por exem- plo, que as crianças se considerem culpadas pelo divórcio dos pais. Os pais podem ajudar inteirando-se do“Houve muitas transfor- que as crianças pensam e sentem emações em minha vida. depois corrigindo ideias errôneasAlgumas coisas que não que elas porventura tiverem.mudaram foram o estudodas escrituras e a oração Dos Onze aos Dezoito Anos de Idadeem família. Amo as escri- As crianças e os jovens dos onzeturas e atualmente estou aos dezoito anos de idade podemtentando lê-las sozinho preocupar-se com eventos ocorridostodos os dias. Gosto da paz local, nacional ou internacionalmente. FOTOGRAFIA DE ADAM C. OLSONque sinto quando as leio.” Os adolescentes mais velhos come-Michael H., cujos pais se divorciaram e çam a perceber que em breve sairãocuja mãe posteriormente casou-se denovo. de casa para enfrentar sozinhos o conturbado mundo lá fora. Pode ser que fiquem subjugados por emoções intensas e não consigam discorrer sobre elas. Os pais podem ajudar os filhos “Minha mãe me ensinou, adolescentes fazendo com eles ati- com a ajuda das escrituras, vidades de seu agrado, como cozi- nhar, participar de jogos de salão ou que posso confiar no Pai praticar esportes. Os pais também Celestial mesmo sem poder podem falar de experiências difíceis vê-Lo. Depois do terremoto, que tiveram quando eram adoles- quando não consegui centes. Ao verem os pais partilha- achar minha mãe, eu sabia rem pensamentos e sentimentos, que Deus me guiaria, e de os filhos se sentirão mais à vontade para externar o que lhes vai à fato o fez. E embora minha mente e ao coração. É assim que se irmã tivesse morrido, eu desenvolve a intimidade emocional. sabia que voltaria a vê-la.” Mesmo que os adolescentes não Anny A., alguns meses após o terremoto de 8.0 graus de magnitude ocorrido no demonstrem abertamente interesse, Peru em 2007. escutarão. O que os Pais Podem Fazer Primeiramente os pais preci- sam reconhecer que os filhos estão angustiados.1 As crianças e os jovens podem apresentar problemas comportamentais como tristeza ou F e v e r e i r o d e 2 011 17
  20. 20. “Sei que os adultos falam de Ao iniciar essas conversas com os coisas ruins do mundo para me filhos, tente não dar sermões nem advertir e me ajudar a enten- expressar raiva, críticas ou sarcasmo. Identifique a mágoa ou a dor que der as coisas. Mas também é seu filho sentir e demonstre empatia. útil ouvir sobre os aconteci- Você pode começar dizendo algo do mentos positivos que sucedem tipo: “Sei que está triste com a morte no mundo e na vida deles. Isso de seu amigo. Mal posso imaginar o me ajuda a lembrar o quanto a quanto é difícil. Estou preocupado vida pode ser boa.” por você começar a tomar bebidas Erica M., que perdeu cinco familiares e amigos alcoólicas para tentar aliviar a dor”. nos últimos dezoito meses. Uma conversa que comece de modo ríspido raramente traz bons frutos. Ouvir com Empatia Às vezes você se sentirá tentado a evitar conversas com um filho con- irritabilidade prolongada, perda ou trariado. Contudo, em muitos casos o aumento de apetite, distúrbios do filho não conseguirá lidar com suas sono, dificuldade de concentração emoções difíceis sem ajuda. Se você ou queda no rendimento escolar. Os ouvir com empatia seus filhos fala- mais velhos podem começar a apre- rem de suas dúvidas, eles se sentirão sentar comportamentos de alto risco, amados e reconfortados. como conduta irresponsável, uso de Um método bem-sucedido de substâncias nocivas, atividade sexual ouvir com empatia envolve expressar ou afastamento dos familiares, amigos com suas próprias palavras os senti- e das situações sociais. mentos de seu filho para assegurar-se Você pode ajudar procurando de tê-los compreendido. Talvez seja saber como atender às necessidades preciso ajudá-los a identificar o que individuais dos filhos. Pode, por estão sentindo. Você pode dizer: exemplo, ensinar os filhos, princi- “Você parece triste e tenso quando palmente quando são pequenos, faço perguntas sobre seu amigo cujos palavras para descrever a emoção pais se divorciaram”. Espere a res- que estão sentindo. Algumas dessas posta e em seguida permita que seu palavras incluem triste, zangado, “Meu pai acha tempo para filho continue a conversa. Os filhos frustrado, assustado, preocupado e ficarmos juntos, muitas tendem a se abrir quando sentem que tenso. estão no comando da conversa. vezes ao servirmos ao Caso seu filho adolescente comece a agir de modo irresponsá- próximo. Ele reserva tempo Ajudar os Filhos a Processar vel após uma situação traumática, para falarmos da vida em os Sentimentos preste bastante atenção às palavras geral. E quando conversa- A sensação de controle do filho e às reações emocionais dele. Assim mos, sentimos paz interior.” pode aumentar se os pais o ajudarem como no caso das crianças meno- Ryan P., cujo pai ficou desempregado a processar sentimentos desagradá- res, ajude o adolescente a identifi- durante quase um ano. veis. Em muitos casos, se você ouvir car corretamente seus sentimentos. com empatia, conseguirá fazer com E seja compreensivo, levando em que seu filho identifique a causa conta que o evento traumático pode desses sentimentos. Você pode per- ter desencadeado o comportamento guntar: “Por que acha que está se repreensível. sentindo assim?” Espere respostas e18 A L i a h o n a
  21. 21. ouça-as com atenção. Pode ser que não venham de imediato. Às vezes, talvez seja preciso enume- rar com o filho soluções alternativas. Você pode perguntar como a solução que seu filho tem em mente afetaria outras pessoas envolvidas. A solução em potencial respeita seus familiares ou amigos? É realista? Como faz seu filho se sentir? Talvez ele não consiga chegar a uma solução imediatamente. Tranquilize-o lembrando que o ama e que não há problema em não encon- trar soluções no momento.“Há pessoas más e assusta- Agir com Fédoras no mundo. Mas meu À medida que você identificarpai me ajuda a ficar mais padrões incomuns de comporta-tranquilo. Ele me telefona mento nos filhos e depois os ajudardurante o dia e diz que a expressar e compreender seusme ama.” pensamentos e suas emoções numAlly V., cujo pai é policial. ambiente de amor, eles se sentirão protegidos e em segurança. A coisa mais importante que você pode fazer para incentivar essa sen- sação de segurança e proteção no lar é tomar por base os princípios do evangelho de Jesus Cristo. Você pode buscar inspiração para ajudar os ALICERCES filhos: jejuando, orando, examinando DA PAZ as escrituras e indo ao templo. Você “Como propor- pode conversar com seus líderes cionar paz à vida do sacerdócio. Você pode também dos filhos que estão crescendo cogitar pedir auxílio a profissionais, em tempos tão difíceis e con- dependendo do grau de gravidade turbados? (…) Os recursos mais dos problemas. eficazes e significativos encon- Se agir com fé no Pai Celestial e tram-se no lar em que pais fiéis em Seu Filho, receberá bênçãos de e dedicados e irmãos solidários consolo e apoio. Os filhos recebe- amam-se mutuamente e ensinam uns aos outros sobre sua natu- rão mais consolo e terão mais esta- reza divina.” bilidade à medida que você e eles Élder M. Russell Ballard, do Quórum aplicarem as palavras dos profetas e dos Doze Apóstolos, “Great Shall Be derem continuidade às práticas que the Peace of Thy Children”, Ensign, abril de 1994, p. 60. trazem paz ao lar, como a oração familiar e pessoal, o estudo das escri- turas e a frequência ao templo. ◼ NOTA 1. Ver John Gottmann e Joan DeClaire, The Heart of Parenting: Raising an Emotionally Intelligent Child, 1997. F e v e r e i r o d e 2 011 19
  22. 22. C L Á S S I CO S D O E VA N G E L H O FORTALECER OS MENOS ATIVOS Todos nós que temos cargos de de estaca, o sumo conselho, o bispado, o liderança em âmbito de ala e patriarca, os líderes das auxiliares. De fato, às estaca devemos abrir as portas vezes nos damos ao trabalho de convidar ora- dores e participantes de fora — em detrimento para as ovelhas perdidas e ficar ao dos que estão famintos a nosso lado. lado para permitir-lhes a entrada. Numa reunião sacramental a que assisti recentemente, uma irmã cujo marido não era Presidente Boyd K. Packer ativo na Igreja foi convidada para cantar. E ele Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos compareceu. O bispo previu um programa muito especial para a ocasião. Seu primeiro A anúncio foi: “O irmão X, meu primeiro con- atividade na Igreja — a oportunidade selheiro, vai fazer a oração de abertura”. O de servir e prestar testemunho — é um segundo conselheiro proferiu a oração de santo remédio. Cura os espiritualmente encerramento. enfermos e fortalece os espiritualmente fracos. Que lástima, pensei. Os três membros do É um ingrediente necessário na redenção das bispado, que tanto se empenham para ovelhas perdidas. No entanto, há uma ten- ajudar os espiritualmente enfermos, dência — quase generalizada — de dar opor- acabam por pegar o próprio remédio tunidades de crescimento aos que já estão que curaria essas pessoas — a atividade, a sobrecarregados. Esse fenômeno, tão visível participação — e eles mesmos o consomem em nossas estacas e alas, pode manter de fora na frente dos necessitados! as ovelhas perdidas. Alguns poderão dizer: “Precisamos Quando um mestre familiar leva uma ove- ter cuidado com os membros fracos em lha perdida às reuniões, é apenas o início do nosso meio. É melhor não os chamar para processo de reencontro. Como podemos apro- orar ou prestar testemunho, pois pode veitá-la, a fim de ajudá-la a crescer espiritual- ser que isso os afugente e intimide e os mente? É verdade que não há muitas opções leve ao afastamento total”. Trata-se de um para alguém que esteja com problemas de mito! Um mito bastante difundido, mas que dignidade. E infelizmente parece que mesmo não deixa de ser mito! Perguntei a centenas as poucas situações em que podemos usá-las de bispos se já viram isso acontecer em sua — para proferir orações, dar respostas breves, experiência pessoal. Ouvi pouquíssimas prestar testemunho — são quase que exclusi- respostas afirmativas — na realidade, vamente reservadas aos ativos: a presidência todos aqueles bispos mencionaram apenas20 A L i a h o n a
  23. 23. um ou dois exemplos concre- tos. Portanto, o risco é muito pequeno, ao passo que tais con- vites podem resultar na recon- quista de uma ovelha perdida. Há vários anos, visitei uma estaca presidida por um homem de eficiência e capacidade incomuns. Cada detalhe da conferência da estaca tinha sido meticulosamente programado. Como de praxe, ele designara as orações a membros dos círculos exclusivos da presi- dência da estaca, do sumo conselho, dos bispos e do patriarca da estaca. Como aqueles irmãos ainda não tinham sido avisados, muda- mos as designações, tiran- do-as dos que mereciam a honra e oferecendo-as aos que tanto — precisavam — da experiência. O presidente tinha uma agenda detalhada para as sessões gerais e mencionou que deixara vinte minutos em aberto numa delas. Propus a participação de alguém que, de outra forma, não teria a oportu- nidade e que precisava daquela experiência fortalecedora. Ele respondeu com a sugestão de deixarmos vários líderes bons e capazes de sobreaviso para possíveis convites de discurso. “Vai haver muitos não membros presentes”, disse ele. “Estamos acostumados com conferênciasILUSTRAÇÕES: BJORN THORKELSON organizadas e de alto nível. Temos membros muito bem preparados na estaca. Os visi- tantes vão sair com uma ótima impressão.” Em outras duas ocasiões no F e v e r e i r o d e 2 011 21

×