Your SlideShare is downloading. ×
Dicas e Princípios Básicos do Linux
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Dicas e Princípios Básicos do Linux

1,382
views

Published on

Dicas e Princípios Básicos do Linux

Dicas e Princípios Básicos do Linux


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,382
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Sistemas Operacionais II Dicas e Princípios Básicos do Linux
  • 2. Conceitos Básicos
    • O que significa distribuição (distro)?
    • Qual distribuição devo utilizar?
    • O que é um sistema multiusuário ?
    • O que é Kernel ?
    • O que é ambiente X ?
    • O que são terminais ou consoles ?
    • O que é super usuário (root)?
  • 3. Conceitos Básicos
    • O que é Case Sensitive ?
    • O que são diretórios ocultos e para que servem?
    • Qual pacote corresponde a minha distribuição?
      • “ .rpm” são derivados de distribuições Red Hat;
      • “ .deb” são derivados de distribuições Debian;
      • “ .tgz” são derivados da distribuição Slackware;
  • 4. Terminal de Comandos
    • Utilizamos um terminal de comandos para gerenciamento do sistema operacional linux, no Ubuntu ele pode ser acessado pelo menu.
  • 5. Permissões
    • Existem basicamente três partes que compõem um arquivo/diretório e podem ser reconhecidas como:
    • dono: responsável pelo arquivo;
    • grupo: grupo do responsável;
    • outros: outros usuários.
  • 6. Permissões
    • Utilizamos letras para exibir (na visão humana) o nível de proteção de arquivos e diretórios, no qual:
    • r: representa leitura
    • w: representa escrita
    • X: executar arquivo
  • 7. Permissões
    • Tais permissões podem ser divididas em quatro partes para indicar: tipo, proprietário, grupo e outros
    • Exemplo:
    • drwx------ ... 2 wester ............. 512 Jan ... 29 23:30 .. Arquivos/
    • -rw-rw-r-- ... 1 wester ....... 280232 Dec .. 16 22:41... notas.txt
  • 8. Permissões: Tipos
    • d => diretório
    • b => arquivo de bloco
    • c => arquivo especial de caractere
    • p => canal
    • s => socket
    • - => arquivo "normal"
  • 9. Representação Numérica
    • A representação em letras é uma representação para a interação como o ser humano, também é possível usar uma representação numérica.
    • r = 4
    • w = 2
    • x = 1
  • 10. Representação Numérica
    • Exemplos:
    • -rw-r--r-- (644)
    • -rwxr-xr-x (755)
    • -rwxrwxrwx (777)
  • 11. Conhecendo o Prompt de Comandos
    • Ao abrir o terminal este já inicia com o cursor pronto para receber comandos.
    • Neste exemplo o usuário se chama wellington e o nome da máquina wvm.
  • 12. Conhecendo o Prompt de Comandos
    • Neste exemplo aparece ~ que significa que estamos localizados no diretório home.
    • Já o símbolo $ indica que estou logado como usuário comum, se estiver na conta do Super Usuário root deveria aparecer # no lugar de $.
  • 13. Conhecendo a Estrutura de Diretórios
    • No Linux, toda estrutura de diretórios começa no barra (/), que significa início.
  • 14. Diretórios padrões
    • É padrão nas distribuições os diretórios:
    • /bin, /etc, /home, /lib, /usr, /dev, /sbin, /tmp e /var
    • É opcional:
    • /mnt, /sys, /boot, /proc e /opt
  • 15. Executando aplicações
    • Aplicações podem ser invocadas através do terminal (lembra do capítulo 2 do livro do Tanenbaum?)
    • Exemplo (no Ubuntu):
  • 16. Executando aplicações
    • Para abrir um programa e liberar o terminal utilize um & ao final do comando.
    • Exemplo:
  • 17. Procurando por Comandos Digitados
    • Possibilita encontrar comandos que foram digitados no terminal caso não se recorde do comando por completo.
    • Digite Ctrl + R (se estiver em uma VM utilize o Ctrl da esquerda)
  • 18. Procurando por Comandos Digitados
    • Será exibido uma linha:
    • (reverse-i-search)`’:
    • Digite uma letra de um comando já digitado.
  • 19. Referência
    • MENDONÇA, Tales Araújo. Manual de Sobreviência: Dicas e Comandos do Mundo Linux