0
Acessibilidade em Aplicações Web           Trilha – Web           Sofia Larissa da Costa        Mestre em Ciência da Compu...
Sobre a palestrante Sofia Larissa da Costa   Mestre em Ciência da Computação   Professora: Faculdades Objetivo   Atuação: ...
Agenda Usabilidade na Web O que é acessibilidade? Interfaces acessíveis: como fazer? WCAG 2.0 Princípios da WCAG 2.0:     ...
Usabilidade na Web              Globalcode – Open4education
Web Ampla capacidade da Web em disponibilizar e distribuir conteúdo Acesso ao conteúdo de qualquer local do planeta com ac...
O que o usuário quer? O usuário deseja que o aplicativo que ele está usando ajude-o a concluir as suas tarefas cotidianas ...
O que o usuário quer?                        Globalcode – Open4education
Usabilidade Usabilidade refere-se à capacidade de uma aplicação ser:   Compreendida   Aprendida   Utilizada   Atrativa par...
Usabilidade na WebAssume importância ímpar na Internet:  No design de produtos e software tradicionais,  usuários pagam an...
Usabilidade na WebEfeitos negativos da faltade usabilidade podem sersentidos diretamente sobreo usuário e a sua tarefa:   ...
Usabilidade e Negócios Um aplicativo adequadamente projetado para o seu domínio proporciona vantagens dentro da empresa:  ...
W3CWorld Wide Web Consortium: visa desenvolverpadrões para a criação e a interpretação deconteúdos para a Web.Cria padrões...
O que é acessibilidade?                 Globalcode – Open4education
O que é acessibilidade? Indivíduos com alguma deficiência ou sem as dependências de software e hardware são privados do ac...
O que é acessibilidade? Situações que podem trazer dificuldade ao acesso de conteúdo web (W3C e WAI – Web Accessibility In...
Interfaces Acessíveis:     como fazer?                 Globalcode – Open4education
Interfaces acessíveis:como fazer? Proporcionar respostas simultâneas a vários grupos de incapacidade ou deficiência. Págin...
Princípios paraacessibilidade na WebSegundo a Acessibilidade Brasil (acessobrasil.org.br):  Apresentação da informação: as...
Lei de Acessibilidade -Decreto lei nº 5296Art. 8o Para os fins de acessibilidade, considera-se:(...)V - ajuda técnica: os ...
WCAG 2.0           Globalcode – Open4education
WCAG 2.0 Guia de Acessibilidade para Conteúdo Web (Web Content Accessibility Guidelines) Segunda versão do documento publi...
WCAG 2.0 Diversas recomendações para tornar o conteúdo Web mais acessível. Seguir as recomendações tornará o conteúdo aces...
WCAG 2.0 Recomendações Gerais sobre acessibilidade Documentos separados fornecem informações gerais e sobre como satisfaze...
Níveis de abordagem dasWCAG 2.0 Princípios Recomendações de caráter geral Critérios de sucesso testáveis Conjunto de técni...
Princípios das WCAG 2.0                 Globalcode – Open4education
Princípio 1: Perceptível  A informação e os componentes da     interface do usuário têm de ser  apresentados aos usuários ...
Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.1 Alternativas em Texto:    Fornecer alternativas em texto para qualquer conteúdo ...
Globalcode – Open4education
Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.2 Mídias com base no tempo:    Fornecer alternativas para mídias com base no tempo...
Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.3 Adaptável:   Criar conteúdos que possam ser apresentados de   diferentes maneira...
Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.4 Discernível:   Facilitar a audição e a visualização de conteúdos aos usuários,  ...
Princípio 1: Perceptível                           Globalcode – Open4education
Princípio 1: Perceptível                           Globalcode – Open4education
Princípio 1: Perceptível                           Globalcode – Open4education
Princípio 2: OperávelOs componentes de interface de usuario  e a navegação têm de ser operáveis.                          ...
Princípio 2: Operável Recomendação 2.1 Acessível por Teclado:   Fazer com que toda a funcionalidade fique disponível a   p...
Princípio 2: Operável Recomendação 2.2 Tempo Suficiente:   Fornecer tempo suficiente aos usuários para lerem e   utilizare...
Princípio 2: Operável Recomendação 2.3 Ataques Epilépticos:   Não criar conteúdo de uma forma conhecida que possa   causar...
Princípio 2: Operável Recomendação 2.4 Navegável: Fornecer formas de ajudar os usuários a navegar, localizar conteúdos e d...
Princípio 2: Operável                        Globalcode – Open4education
Princípio 3: Compreensível A informação e a operação da interface  de usuário têm de ser compreensíveis.                  ...
Princípio 3: Compreensível Recomendação 3.1 Legível: Tornar o conteúdo de texto legível e compreensível. Utilizar meta-tag...
Princípio 3: Compreensível Recomendação 3.2 Previsível:   Fazer com que as páginas Web surjam e funcionem de   forma previ...
Princípio 3: Compreensível Recomendação 3.3 Assistência de Entrada:   Ajudar os usuários a evitar e corrigir erros.   Aler...
Princípio 4: Robusto    O conteúdo tem de ser robusto o  suficiente para poder ser interpretado  de forma concisa por dive...
Princípio 4: Robusto Recomendação 4.1 Compatível: Maximizar a compatibilidade com atuais e futuros agentes de usuário, inc...
Finalmente... Acessibilidade: importante item a ser considerado no desenvovimento de sites e aplicações Web Recomendações ...
Sites sobre acessibilidade Acessibilidade Brasil: acessobrasil.org.br Acessibilidade Legal: acessibilidadelegal.com Bengal...
Acessibilidade em Aplicações Web             Sofia Costa               @sofialarissa         sofialarissa@gmail.com       ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Acessibilidade em Aplicações Web

2,089

Published on

1 Comment
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
2,089
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
46
Comments
1
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Acessibilidade em Aplicações Web"

  1. 1. Acessibilidade em Aplicações Web Trilha – Web Sofia Larissa da Costa Mestre em Ciência da Computação Globalcode – Open4education
  2. 2. Sobre a palestrante Sofia Larissa da Costa Mestre em Ciência da Computação Professora: Faculdades Objetivo Atuação: Desenvolvimento Web, MDD, IHC Contato: Twitter: @sofialarissa E-mail: sofialarissa@gmail.com Globalcode – Open4education
  3. 3. Agenda Usabilidade na Web O que é acessibilidade? Interfaces acessíveis: como fazer? WCAG 2.0 Princípios da WCAG 2.0: Perceptível Operável Compreensível Robusto Globalcode – Open4education
  4. 4. Usabilidade na Web Globalcode – Open4education
  5. 5. Web Ampla capacidade da Web em disponibilizar e distribuir conteúdo Acesso ao conteúdo de qualquer local do planeta com acesso à Internet Interfaces devem ser simples e fáceis de utilizar Globalcode – Open4education
  6. 6. O que o usuário quer? O usuário deseja que o aplicativo que ele está usando ajude-o a concluir as suas tarefas cotidianas (trabalho, escola, etc.). O usuário deve alcançar três objetivos: Eficácia – o usuário alcança quando conclui uma tarefa. Eficiência – o usuário alcança quando completa a tarefa com mínimo tempo e esforço. Satisfação – o usuário alcança quando ele se sente gratificado em usar o aplicativo. Globalcode – Open4education
  7. 7. O que o usuário quer? Globalcode – Open4education
  8. 8. Usabilidade Usabilidade refere-se à capacidade de uma aplicação ser: Compreendida Aprendida Utilizada Atrativa para o usuário, em condições específicas de utilização. (ISO/IEC 9126) Globalcode – Open4education
  9. 9. Usabilidade na WebAssume importância ímpar na Internet: No design de produtos e software tradicionais, usuários pagam antes e experimentam a usabilidade depois. Na web experimentam a usabilidade antes e pagam depois.Má usabilidade equivale a nenhum cliente. Globalcode – Open4education
  10. 10. Usabilidade na WebEfeitos negativos da faltade usabilidade podem sersentidos diretamente sobreo usuário e a sua tarefa: Sobrecarga perceptiva (dificuldade de leitura). Sobrecarga cognitiva (desorientação ou hesitação). Sobrecarga física (dificuldade de acionamento) Globalcode – Open4education
  11. 11. Usabilidade e Negócios Um aplicativo adequadamente projetado para o seu domínio proporciona vantagens dentro da empresa: Custos reduzidos Aumento do rendimento do trabalho Número reduzido de faltas ao trabalho O aplicativo que alcançar, primeiro, um nível de usabilidade adequado, alcança vantagem sobre os outros produtos similares. Investimento em usabilidade: estratégia que produz maior retorno de investimento: Ordem de 8€ para cada 1€ investido em usabilidade ( www.seisdeagosto.com). Globalcode – Open4education
  12. 12. W3CWorld Wide Web Consortium: visa desenvolverpadrões para a criação e a interpretação deconteúdos para a Web.Cria padrões derecomendação paraa Web.Produziu um guiade recomendaçõespara acessibilidadeem conteúdos Web. Globalcode – Open4education
  13. 13. O que é acessibilidade? Globalcode – Open4education
  14. 14. O que é acessibilidade? Indivíduos com alguma deficiência ou sem as dependências de software e hardware são privados do acesso a determinados conteúdos. Usuário tem direito não só de acessar a Web, mas também de eliminar as barreiras arquitetônicas, de disponibilidade de comunicação, de equipamentos e programas adequados, de acesso físico, de conteúdo e apresentação da informação em formatos alternativos. Globalcode – Open4education
  15. 15. O que é acessibilidade? Situações que podem trazer dificuldade ao acesso de conteúdo web (W3C e WAI – Web Accessibility Initiative): Incapacidade de ver, ouvir e deslocar-se Dificuldade de interpretação de certas informações Dificuldade visual para ler ou compreender textos Incapacidade para usar mouse e teclado, ou não dispor deles Dificuldade para compreender o idioma Ocupação dos olhos, ouvidos e mãos, ou ambiente barulhento Navegador desatualizado ou diferente do habitual. Globalcode – Open4education
  16. 16. Interfaces Acessíveis: como fazer? Globalcode – Open4education
  17. 17. Interfaces acessíveis:como fazer? Proporcionar respostas simultâneas a vários grupos de incapacidade ou deficiência. Páginas em HTML com a utilização e divisão de folhas de estilo para controle de tipos de letra, e eliminação do elemento FONT. Resultado: benefício a totalidade dos usuários da Web. Globalcode – Open4education
  18. 18. Princípios paraacessibilidade na WebSegundo a Acessibilidade Brasil (acessobrasil.org.br): Apresentação da informação: associação de um texto a cada elemento não textual (imagens, mapas, gráficos, animações, botões gráficos, etc). Navegação: elementos da página disponíveis por teclado; palavras ou expressões compreensíveis. Implantação: utilização dos requisitos de acessibilidade da W3C/WAI. Página principal: símbolo de acessibilidade Globalcode – Open4education
  19. 19. Lei de Acessibilidade -Decreto lei nº 5296Art. 8o Para os fins de acessibilidade, considera-se:(...)V - ajuda técnica: os produtos, instrumentos, equipamentos ou tecnologia adaptados ou especialmente projetados para melhorar a funcionalidade da pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida, favorecendo a autonomia pessoal, total ou assistida Globalcode – Open4education
  20. 20. WCAG 2.0 Globalcode – Open4education
  21. 21. WCAG 2.0 Guia de Acessibilidade para Conteúdo Web (Web Content Accessibility Guidelines) Segunda versão do documento publicado como Recomendação da W3C. Disponível em: Original em Inglês: http://www.w3.org/TR/2008/REC-WCAG20-20081211 Versão em Português: http://www.ilearn.com.br/TR/WCAG20/ Globalcode – Open4education
  22. 22. WCAG 2.0 Diversas recomendações para tornar o conteúdo Web mais acessível. Seguir as recomendações tornará o conteúdo acessível para um amplo grupo de pessoas: Cegueira e baixa visão Surdez e baixa audição Dificuldades de aprendizagem Limitações cognitivas Limitações de movimentos Incapacidade de fala Fotosensibilidade Globalcode – Open4education
  23. 23. WCAG 2.0 Recomendações Gerais sobre acessibilidade Documentos separados fornecem informações gerais e sobre como satisfazer o critério de sucesso em tecnologias específicas. Não aborda as necessidades de pessoas com todos os tipos, graus e combinações de incapacidades. Facilitam a utilização do conteúdo da Web por pessoas mais velhas, cujas capacidades estão em constante mudança devido ao envelhecimento. Facilitam a utilização para os usuários em geral. Globalcode – Open4education
  24. 24. Níveis de abordagem dasWCAG 2.0 Princípios Recomendações de caráter geral Critérios de sucesso testáveis Conjunto de técnicas de tipo suficiente e de tipo aconselhada Falhas comuns documentadas com exemplos, links para recursos e código fonte. Globalcode – Open4education
  25. 25. Princípios das WCAG 2.0 Globalcode – Open4education
  26. 26. Princípio 1: Perceptível A informação e os componentes da interface do usuário têm de ser apresentados aos usuários em formas que eles possam perceber. Globalcode – Open4education
  27. 27. Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.1 Alternativas em Texto: Fornecer alternativas em texto para qualquer conteúdo não textual permitindo, assim, que o mesmo possa ser alterado para outras formas mais adequadas à necessidade do indivíduo, tais como impressão em caracteres ampliados, braille, fala, símbolos ou linguagem mais simples. Uso do atributo ALT na tag IMG Globalcode – Open4education
  28. 28. Globalcode – Open4education
  29. 29. Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.2 Mídias com base no tempo: Fornecer alternativas para mídias com base no tempo. Para áudio e vídeo ao vivo, fornecer uma cópia. Ligar as informações do vídeo a conteúdo textual. Globalcode – Open4education
  30. 30. Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.3 Adaptável: Criar conteúdos que possam ser apresentados de diferentes maneiras (por exemplo, um layout mais simples) sem perder informação ou estrutura. Permitir que o conteúdo seja renderizado de diferentes formas, mais simples, dependendo do dispositivo que o usuário utiliza. Globalcode – Open4education
  31. 31. Princípio 1: Perceptível Recomendação 1.4 Discernível: Facilitar a audição e a visualização de conteúdos aos usuários, incluindo a separação do primeiro plano e do plano de fundo. Utilização de cores: contraste do plano de fundo com o primeiro plano; transmitir informações usando cores. Uso do CSS para focar o componente de interface. Redimensionamento do texto até 200% Não utilizar imagens de texto (apenas quando é decorativa ou quando é essencial - logotipos) Áudio: controlar som e vídeo independe do controle do sistema. Globalcode – Open4education
  32. 32. Princípio 1: Perceptível Globalcode – Open4education
  33. 33. Princípio 1: Perceptível Globalcode – Open4education
  34. 34. Princípio 1: Perceptível Globalcode – Open4education
  35. 35. Princípio 2: OperávelOs componentes de interface de usuario e a navegação têm de ser operáveis. Globalcode – Open4education
  36. 36. Princípio 2: Operável Recomendação 2.1 Acessível por Teclado: Fazer com que toda a funcionalidade fique disponível a partir do teclado. Permitir o uso de atalhos pelo teclado. Conteúdo em Flash não é acessível para programas que realizam leitura de tela. Globalcode – Open4education
  37. 37. Princípio 2: Operável Recomendação 2.2 Tempo Suficiente: Fornecer tempo suficiente aos usuários para lerem e utilizarem o conteúdo. Tempo ajustável: parar, colocar em pausa, prolongar Globalcode – Open4education
  38. 38. Princípio 2: Operável Recomendação 2.3 Ataques Epilépticos: Não criar conteúdo de uma forma conhecida que possa causar ataques epilépticos. Não mais do que três flashes por segundo. Globalcode – Open4education
  39. 39. Princípio 2: Operável Recomendação 2.4 Navegável: Fornecer formas de ajudar os usuários a navegar, localizar conteúdos e determinar o local onde estão. Colocar um link que vá direto para o conteúdo da página, saltando outros links. Permitir que sub-menus sejam acessíveis por teclado. Globalcode – Open4education
  40. 40. Princípio 2: Operável Globalcode – Open4education
  41. 41. Princípio 3: Compreensível A informação e a operação da interface de usuário têm de ser compreensíveis. Globalcode – Open4education
  42. 42. Princípio 3: Compreensível Recomendação 3.1 Legível: Tornar o conteúdo de texto legível e compreensível. Utilizar meta-tags Ligar palavras unusuais ou jargões a definições Colocar um link para um glossário Globalcode – Open4education
  43. 43. Princípio 3: Compreensível Recomendação 3.2 Previsível: Fazer com que as páginas Web surjam e funcionem de forma previsível. Consistência nas interfaces Globalcode – Open4education
  44. 44. Princípio 3: Compreensível Recomendação 3.3 Assistência de Entrada: Ajudar os usuários a evitar e corrigir erros. Alertas e validação de dados do usuário Colocar foco nos campos que contém erro Retornar mensagem de sucesso quando dados forem submetidos com sucesso Globalcode – Open4education
  45. 45. Princípio 4: Robusto O conteúdo tem de ser robusto o suficiente para poder ser interpretado de forma concisa por diversos agentes do usuário, incluindo tecnologias assistivas. Globalcode – Open4education
  46. 46. Princípio 4: Robusto Recomendação 4.1 Compatível: Maximizar a compatibilidade com atuais e futuros agentes de usuário, incluindo tecnologias assistivas. Tags de início e fim completas Elementos encaixados conforme as especificações Globalcode – Open4education
  47. 47. Finalmente... Acessibilidade: importante item a ser considerado no desenvovimento de sites e aplicações Web Recomendações auxiliam na usabilidade para os usuários em geral Aplicação dos princípios da WCAG 2.0 são fundamentais para inclusão digital de usuários com deficiência. Existem ferramentas automatizadas que ajudam na avaliação de acessibilidade. Globalcode – Open4education
  48. 48. Sites sobre acessibilidade Acessibilidade Brasil: acessobrasil.org.br Acessibilidade Legal: acessibilidadelegal.com Bengala Legal: bengalalegal.com Avaliador de Acessibilidade de sites em português: Da Silva: dasilva.org.br Globalcode – Open4education
  49. 49. Acessibilidade em Aplicações Web Sofia Costa @sofialarissa sofialarissa@gmail.com Globalcode – Open4education
  1. ¿Le ha llamado la atención una diapositiva en particular?

    Recortar diapositivas es una manera útil de recopilar información importante para consultarla más tarde.

×