Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Texto narrativo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Texto narrativo

  • 22,734 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Muito bom !!
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Material realmente conciso, mas completo
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
22,734
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5

Actions

Shares
Downloads
389
Comments
2
Likes
4

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O que é narração? É o texto que relata fatos ou acontecimentos reais ou fictícios, de forma linear ou não-linear,com a participação de personagens cuja ação é contada por um narrador.
  • 2.
    • Narrador ou foco narrativo
    • 3ª pessoa: narrador observador ou onisciente (tudo sabe).
    • 1ª pessoa: narrador-personagem (participa).
    • Personagens
    • Definem-se física e psicologicamente pela descrição.
    • Espaço
    • Lugar em que se desenrolam as ações: cenário.
    Elementos da narrativa:
  • 3.
    • Tempo
    • Cronológico (tempo real) ou psicológico (tempo mental)
    • Enredo
    • Sucessão de fatos ( apresentação, conflito, clímax e desfecho)
  • 4. Tipos de discurso
    • O discurso – ou fala – pode ser apresentado, basicamente de três modos:
    • Discurso direto
    • O narrador apresenta a própria personagem falando diretamente.
    • Peri, disse empalidecendo, não desças, volta!
    • (José de Alencar. O Guarani.)
    • Discurso indireto
    • O narrador conta aos leitores o que a personagem disse, reproduzindo as suas palavras.
  • 5.
    • Não olhava para ele o padre, mas para fora, com uns olhos dolorosos e o gesto impaciente. Quando ele acabou, fitou-o com resolução: disse-lhe que se tratava de casar Helena, não com um marido especial, mas com o que ela própria escolhera de sua vontade livre; casamento que cumpria fazer sem demora.
    • (Machado de Assis. Helena)
    • Discurso indireto livre
    • É a representação da “fala” interior da personagem, diretamente incluída na linguagem do narrador.
  • 6.
    • No discurso indireto livre em vez de apresentar a personagem em sua voz própria (discurso direto), ou de informar objetivamente o leitor sobre o que ele teria dito (discurso indireto), aproxima o narrador e personagem, dando-nos a impressão de que passam a falar em uníssono.
    • (...) Como pudera ela dar à luz aqueles seres risonhos, fracos, sem austeridade? O rancor roncava no seu peito vazio. Uns comunistas, era o que eram; uns comunistas. Olhou-os com sua cólera de velha. Pareciam ratos se acotovelando, a sua família.
    • (Clarice Lispector, LF. 56)
  • 7. Do discurso direto para o discurso indireto Discurso direto discurso indireto Presente do indicativo Todos os presentes disseram: - Não votamos nele. Imperfeito do indicativo Todos os presentes disseram que não votavam nele. Perfeito do indicativo O moço perguntou: - Ela não assinou o requerimento? Mais-que-perfeito do indicativo O moço perguntou se ela não assinara ( tinha assinado ) o requerimento.
  • 8. Do discurso direto para o discurso indireto Futuro do presente O mecânico garantiu: - Eu consertarei a moto. Futuro do pretérito O mecânico garantiu que consertaria a moto. Presente do subjuntivo - Duvido que a assembleia aprove a proposta do governo – disse –lhe o sindicalista. Imperfeito do subjuntivo O sindicalista disse-lhe que a assembleia aprovasse a proposta do governo. Imperativo - Passe -me o sal – pediu-me ela. Imperfeito do subjuntivo Ela pediu-me que lhe passasse o sal.
  • 9. Do discurso direto para o discurso indireto eu, nós, você(s), senhor(a) (s) A garota afirmou: - Eu amo ler. ele(s), ela(s) A garota afirmou que ela amava ler. meu(s), minha(s), nosso(a) (s) - Meus pais participarão da campanha – disse o menino. seu(s), sua(s), dele(a) (s) O menino disse que seus pais participariam da campanha. este(a)(s), isto, isso - Isso lhe pertence? – perguntou. aquele(a)(s), aquilo Ele perguntou se aquilo lhe pertencia.
  • 10. Do discurso direto para o discurso indireto hoje, ontem, amanhã - Hoje não posso atendê-lo – disse o dentista. naquele dia, no dia anterior, no dia seguinte O dentista disse que naquele dia não podia atendê-lo. aqui, cá, aí - Não entre mais aqui ! – afirmou Ivo. ali, lá Ivo afirmou que não entrava mais ali .
  • 11.
    • Vamos reconhecer os elementos da narrativa no texto abaixo:
    • Quadrilha
    • João amava Teresa que amava Raimundo
    • Que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
    • Que não amava ninguém.
    • João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
    • Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
    • Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
    • Que não tinha entrado na história.
    • Carlos Drummond de Andrade. Antologia poética.
  • 12. Atividade
    • Criação de conflito
    • Escolha uma das cenas sugeridas para desenvolver um enredo. Em seguida, você irá propor um ou vários conflitos que despertem e instiguem a imaginação dos leitores e sua curiosidade sobre o desfecho da história.
    • Cena A – Você acorda, de madrugada, com sede. Levanta-se para ir até a cozinha e ...
    • Cena B – Você chega apressado ao prédio, toma rapidamente o elevador e ...
  • 13.
    • Transforme o discurso direto em indireto.
    • Ele me pediu:
    • - Saia um instante.
    • b) Ele afirmou:
    • - Desta hora em diante, tudo será diferente.
    • c) A mulher implorou-me:
    • - Ajude-me!
    • d) O garoto disse:
    • - Não posso ficar mais aqui porque já é muito tarde.
  • 14.
    • Transforme o discurso indireto em direto.
    • O menino pedia ao pai que não o deixasse sozinho.
    • O menino garantiu-me que aquela operação tinha sido necessária.
    • O policial perguntou quem era o culpado pelo acidente.
  • 15.
    • Continuar a narrativa
    • Continue o início dado, desenvolvendo um enredo de amor, de terror, suspense policial ou ficção científica:
    • Mario, de pijama, escrevia uma carta no computador quando...