Your SlideShare is downloading. ×
Viver Em Plenitude
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Viver Em Plenitude

329
views

Published on

Published in: Health & Medicine, Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
329
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Viver em plenitude    © Letícia Thompson Eu pensei que a gente se acostumava com tudo na vida. Eu pensei que com o tempo tudo parecia normal dentro do nosso coração e nos concentraríamos em outras coisas. Mas a gente não se acostuma não...
  • 2. A gente só aprende a não se surpreender. A gente aprende a resignação. Mas dentro do nosso peito aquele sentimento de incompreensão continua intacto, mesmo se aprendemos a viver e conviver com o que nos choca, nos maltrata e deixa o futuro incerto. A violência virou pão de cada dia pra muita gente. Mas ninguém se acostuma, ninguém pode se acostumar, ninguém pode continuar vivendo como se ela não existisse, porque é uma realidade e devemos e precisamos estar alertas a tudo o que nos envolve.
  • 3. E a vida continua bela, apesar de tudo. Ela existe independente de toda a maldade humana e mesmo independente de toda bondade. As flores continuam nascendo em solo árido ou úmido, clima frio ou quente. Elas nascem porque é assim, porque para isso foram feitas: embelezar a terra. Como nós.
  • 4. A vida não é vazia, ela é plena. Vazios muitas vezes nos sentimos nós, quando a solidão vai escurecendo todo o nosso interior e parece apagar tudo o que vivemos e os porquês da nossa existência. São esses momentos onde nos perguntamos onde ir, sem ver ao menos soluções que possam nos fazer acreditar que existe um depois, que existe um amanhã, porque os homens vão-nos roubando a esperança última.
  • 5. E desaprendemos assim não a viver, mas a beber o néctar da vida e se deliciar com ele. Pessoas fecham-se em casa para sentirem-se seguras e a vida, ou o que resta dela, fica resumida a quatro paredes. A própria casa transforma-se em prisão.
  • 6. Mas não podemos ficar presos às nossas emoções e às atitudes das pessoas, apenas ser cautelosos, sem que isso modifique totalmente nosso comportamento e visão da vida que, ela, corre para todos os cantos e ri e se oferece.
  • 7. Precisamos abraçá-la enquanto ela nos sorri, mesmo se os homens destroem as flores. Precisamos ser, pelas nossas crianças e por nós, aqueles que vão continuar plantando porque o amanhã virá e se estivermos ainda aqui, precisamos estar preparados.
  • 8. Sejamos nós aqueles que, perdendo tudo, não perdem a fé. Sejamos aqueles que não se acostumam nunca com o desamor, mas que nem por isso vão deixar de viver. Porque Deus nos deu a terra e tudo o que nela há como herança e é isso que devemos ensinar aos nossos pequenos. Letícia Thompson [email_address] Música : Keys to the Heart-Danny Wright Montagem : [email_address] www.pranos.com.br