Fatos importantes da história de curitibanos   parte 2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Fatos importantes da história de curitibanos parte 2

on

  • 2,789 views

Principais acontecimentos históricos de Curitibanos - Parte 2. Material gentilmente cedido pelo historiador, Aldair Goeten de Moraes.

Principais acontecimentos históricos de Curitibanos - Parte 2. Material gentilmente cedido pelo historiador, Aldair Goeten de Moraes.

Statistics

Views

Total Views
2,789
Views on SlideShare
2,789
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Fatos importantes da história de curitibanos   parte 2 Fatos importantes da história de curitibanos parte 2 Document Transcript

  • Fatos Importantes da História de Curitibanos - Parte 2 Aldair Goeten de Moraes HINO DE CURITIBANOS Em 14 de julho de 1977 foi realizado um concurso para escolher a letra e a música dohino de Curitibanos, onde a letra escolhida foi da Sra. Coracy Pires de Almeida e a música daSra. Ruth Cabral. Passou a ser o hino oficial do município. Letra: Coracy Pires de Almeida Música: Ruth Cabral No esplendor do cenário brasileiro Apareces com brava tradição Recordando o heróico tropeiro Que pioneiro pisou neste chão Tua bandeira no mastro avança Espelhando a conquista dos anos Frei Rogério legou a esperança Berço de heróis. CURITIBANOS. Que beleza nas serrarias Raios dourados, por do sol. Nascem flores nas pradarias Aves cantando ao arrebol Tens a cultura incomparável Na criança suave poema O teu passado é venerável Minha terra, avante é o lema. Em tuas matas há belos pinheiros Nas colinas o gado pasteja Plantas frutos que são os primeirosALDAIR GOETEN DE MORAES Página 28
  • Fatos Importantes da História de Curitibanos - Parte 2 Minha terra que Deus te proteja Trilhas vitoriosa jornada Terás sempre justiça, paz e amor Tua gente lá fora respeitada Curitibanos, oh grande valor. ENERGIA ELÉTRICA EM CURITIBANOS Em 1937 populares reuniram-se e decidiram instalar uma usina movida a lenha. Emjaneiro de 1938 às 19h00, se acenderam pela primeira vez algumas lâmpadas em Curitibanos.Na noite de 30 de março a usina queimou. Em 1941, nova tentativa, desta vez com carvão, queimou novamente. Depois de algum tempo, uma sociedade fundou a força e luz Curitibanense, com aprimeira usina hidroelétrica no Rio Marombas que funcionou até a chegada da energia deSalto Pery em 1965. RÁDIO EM CURITIBANOS Os primeiros passos para criação de uma rádio foram dados em 1952 pelos Srs. OsniSchwartz e Orozimbo Caetano da Silva. Em 1955 receberam a autorização para instalação.ALDAIR GOETEN DE MORAES Página 29
  • Fatos Importantes da História de Curitibanos - Parte 2Em 3 de julho de 1956 a Rádio Coroado com 100 Wats de potência entrou no ar em caráterexperimental entre 0h00 e 6h00 da manhã. Em 3 de julho de 1990, iniciou suas transmissões em fase experimental a RádioCoroado FM e em 10 de agosto do mesmo ano recebeu autorização de funcionamentodefinitivo, hoje está no ar com o nome de movimento FM 98.9 MHZ. RÁDIO COMUNITÁRIA MARIA ROSA Nasceu da idéia de algumas pessoas que sonhavam com uma rádio voltada paraeducação e cultura. Foi criada então a Associação Rádio Comunitária Maria Rosa, que tevecomo 1° presidente Dr. Reinaldo Assis Pellizzaro. Entrou no ar alguns dias em caráterexperimental e no dia 02 de abril de 2003, entrou definitivamente no ar. Com prefixo ZYM546, canal 285, 104,9 MHZ E 25 WATZ de potência. A rádio Comunitária tem 24 sóciosfundadores e 44 sócios contribuintes. JORNAIS DE CURITIBANOS O primeiro jornal foi “O Trabalho" que teve sua 1ª edição no dia 21 de novembro de1907. Diretor Francisco Ferreira de Albuquerque. Correio dos Campos 1953 diretor Waldemar Luz e Alaor Pires; Jornal de Curitibanos 1954 diretores Djalma Gorbelotto e Heraclides Vieira Borges; Correio dos Campos 29/05/1954 – diretor Alaor Pires; Jornal de Curitibanos 28/04/1956 – Diretor Heraclides Vieira Borges; Farol da Serra 31/12/1966 diretor Gualdino D. Busato; Renovação 17/09/1966 diretores Orozimbo Caetano da Silva e Ernani Osni Rossa; Farol da Serra 16/03/1968 - diretor: Gualdino D. Busato; Jornal do Planalto 23/05/1970 - diretor: Nilson Thomé; Jornal do Planalto 01/05/1971 – diretor: Nilson Thomé; Farol 29/07/1978 diretor: Gualdino D. Busato; Farol 28/04/1979 diretor: Gualdino D. Busato; A Semana 24/12/1982 diretores: Ubiratan Busato, Jose Augusto Busato, Manoel Joaquim Figueira e em 1989 Renato Westphal, Hélio e Gladis Westphal. A Cidade 1992 diretores Armando Costa, Luiz Fernando Popinhak França e Irineu Martarello. JORNAL A SEMANA A empresa A Semana Editora Ltda foi fundada em 23 de dezembro de 1982 porUbiratan Stefen Busato. Com o passar dos anos, a direção foi ocupada pela família Figueiraaté que, em 1989, assumiu o comando um dos atuais diretores, Renato Westphal. No ano de1992 ingressou, na área comercial, Helio Westphal. Em 1998, Gladis Westphal, que já atuavacomo colunista colaboradora desde 1992, passou a ser uma das diretoras do jornal, ao lado deRenato e Hélio. A redação ganhou sede própria em 1995, no Edifício Gaboardi Máster Center, nocentro da cidade. Hoje, o “A Semana” circula nos municípios de Curitibanos, São Cristóvãodo Sul, Ponte Alta do Norte, Frei Rogério e Santa Cecília, com 3250 exemplares com médiaALDAIR GOETEN DE MORAES Página 30
  • Fatos Importantes da História de Curitibanos - Parte 2 de 44 páginas. O trabalho sério e direcionado para toda comunidade interiorana da região foi, gradativamente, tornando o Jornal A Semana reconhecido, o que resultou num importante ganho em termos de credibilidade, inclusive como órgão oficial de divulgação dos atos do Fórum da Comarca de Curitibanos, entre outros reconhecimentos da sociedade curitibanense. A direção e equipe de funcionários buscam fazer um jornal totalmente voltado para as notícias da cidade e região. Valorizam os pequenos e grandes acontecimentos, procurando abranger todos os fatos, contando sempre com o importante apoio dos colunistas colaboradores. Para dar uma resposta ao prestígio recebido das comunidades onde circula oficialmente, a direção do semanário investiu em tecnologia e apresenta, hoje, capa, contracapa e oito páginas centrais coloridas, além de toda editoração ter sido informatizada. Conscientes da importância do associativismo, os diretores da empresa filiaram o jornal A Semana à Adjori – Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina – desde 1995, tendo inclusive o diretor Renato Westphal participado como vice-presidente da entidade na gestão do biênio 95/96. Hélio Westphal foi coordenador geral da associação na região serrana, nos mesmos anos e, nos dias atuais, faz parte do conselho de ética. Como empresa que procura se adequar às necessidades constantes do mercado sempre investindo no crescimento pessoal da organização. A Semana Editora participou do Programa de Qualidade do SEBRAE e do Núcleo de Capacitação dos Jornais promovido pela ADJORI, também em parceria com o SEBRAE, quando a equipe passou por cursos de aperfeiçoamento na parte de redação de textos, área de informática e recursos humanos, entre outros. E continua a participar de todos os encontros promovidos para atualização e interação com a imprensa em nível estadual. O jornal A Semana, para comprovar sua idoneidade, seriedade e circulação semanal, faz parte do Cadastro Catarinense de Jornais e seus exemplares estão disponíveis no museu e biblioteca locais e na Biblioteca Nacional, em Brasília, capital federal. Há três anos o A Semana também promove a Feijoada “A Semana”, que já se configurou como evento oficial no calendário de realizações do município. UNIVERSIDADE DO CONTESTADO A Fundação Educacional do Planalto Central Catarinense – FEPLAC foi instituída peloPoder Municipal pela Lei 1229 de 24 de junho de 1976 e teve sua autorização para funcionamentopelo Decreto Federal nº. 78.675 em 08 de novembro de 1976. Em novembro de 1976, fez o primeiro concurso vestibular para Ciências Contábeis,iniciando as atividades escolares no ano seguinte.Em 31 de janeiro de 1990, o Conselho Federal de Educação acolheu a carta consulta da Unc,quando as cinco Instituições FEARPE (Caçador), FUNPLOC (Canoinhas), FEAUC (Concórdia),FEPLAC (Curitibanos) e FUNORTE (Mafra), associaram-se para constituir o projeto da ALDAIR GOETEN DE MORAES Página 31
  • Universidade, e através do Parecer 589/91, foi criada a Universidade do Contestado, pela via daautorização. Situada no Estado de Santa Catarina, firma suas raízes na formação do homem e dodesenvolvimento da região. Desafiante, por ser multi-campi, e acreditando no potencial abrangente,consolida-se institucionalmente com o compromisso do fortalecimento do ensino superior econseqüente engrandecimento do homem e da sociedade. 3° COMPANHIA DE POLICIA MILITAR DE CURITIBANOS Foi criada em 1937 e instalada em 16 de dezembro do mesmo ano. A 3° COM/ 6° BPM é a 2° Companhia mais antiga no interior do Estado. O primeiro comandante foi o capitão PM Aldo Fernandes, vindo de Lages em 07 dedezembro de 1937. CORPO DE BOMBEIROS DE CURITIBANOS No ano de 1981, a sociedade civil organizada de Curitibanos, preocupada com o númerode incêndios que ocorriam, mobiliza-se em torno da idéia de criar uma Sociedade de Corpo deBombeiros Voluntário. Liderou o movimento o Lions Clube de Curitibanos Centro. A campanha iniciou-se para a arrecadação de fundos. Ainda no mesmo ano, decidiu-sepela não constituição da Sociedade, optando-se pela instalação de uma Organização de BombeiroMilitar. Participaram do projeto o Governo do Estado com 45%, a Prefeitura Municipal com 50% eALDAIR GOETEN DE MORAES Página 32
  • a comunidade local com 5%. A ativação operacional aconteceu em 19 de junho de 1985, sob adenominação de 2ª Seção de Combate a Incêndio/4ªSGI/1ºGI. Em 15 de fevereiro de 1990, instala-se o 2º Grupamento de Incêndio, ativado pelo decretonº 3.912 de 04 de outubro de 1989, com sua estrutura organizacional orientada pelo decreto 19.237,de 14 de março de 1983. Sua circunscrição, desmembrada do 1º Grupamento de Incêndio(Florianópolis), passou, na época, a ser as regiões Oeste, Planalto Serrano, Planalto Central ePlanalto Norte do Estado de Santa Catarina, num total de 58.620 km2. Em 12 de novembro de 1994, de acordo com a Lei Complementar nº 130, passa adenominar-se 2º Batalhão de Bombeiro Militar (2º BBM). Em 10 de março de 2006 houve as criações e ativações dos 5º e 6º BBM, (sediados emLages e Chapecó, respectivamente), os quais desmembraram-se do 2º BBM, com isso a áreaterritorial do 2º BBM passou para 23.830 km2 (correspondente a 24,99% do território catarinense),abrangendo, em sua jurisdição, 55 municípios, dos 299 existentes no Estado, e atendendo a umapopulação de 659.670 habitantes, conforme o Censo 2000. Dos 55 municípios de sua jurisdição, o 2º BBM possui organizações de bombeiro militarem 16 deles, a saber:Curitibanos, Videira, Campos Novos, Santa Cecília, Fraiburgo, Monte Carlo,Joaçaba, Herval DOeste, Capinzal, Catanduvas, Canoinhas, Porto União, Mafra, Papanduva, TrêsBarras e Matos Costa. PARÓQUIA A paróquia de Nossa Senhora da Conceição foi criada em 24 de dezembro de 1875, tendocomo primeiro pároco o Padre Fernando Villanueva. Mas antes da instalação da paróquia, aquiesteve o Padre Braz Grassano. Os Franciscanos chegaram a Curitibanos em 1895, através do Frei Herculano Limpinsel. No livro do tombo, em sua primeira página está a nomeação de Frei Herculano para asparóquias de Curitibanos e Lages, pelo Monsenhor Pedro Peixoto de Almeida Lima, do Rio deJaneiro de 20 de junho de 1894, mas só em 15 de fevereiro de 1896 Dom José de Camargo Barrostransfere Frei Herculano para Curitibanos. (Frei Valentim Tambosi O.F. M. Franciscanos emCuritibanos). A primeira igreja de Curitibanos foi construída, provavelmente, quando da criação daFreguesia de Nossa Senhora da Conceição dos Curitibanos em 1864. Segundo relato de FreiValentim Tambosi, quando os franciscanos aqui chegaram já havia uma Igreja, sem bancas, comgarrafas e latas revestidas de papel como vasos, que após sofrerem várias reformas, ganhou altar. Em 1912, as missas passaram a ser celebradas na escola, pois a Igreja matriz ameaçavadesabar.ALDAIR GOETEN DE MORAES Página 33
  • O irmão Frei Columbano Cremer fez uma belíssima planta para construir a nova matriz,mas não havia dinheiro para construção. Frei Gaspar enfrentou a construção, contratou um mestre de obras de nome Bossov, queiniciou a Igreja, Frei Gaspar foi transferido para Palmas e Frei Redento Kullmann terminou aconstrução que inaugurou no dia 04 de dezembro de 1915. A atual Igreja Matriz teve o início das escavações para construção em 1953. No dia 24 dedezembro de 1960, com a Igreja ainda com os andaimes da construção o Bispo Dom AfonsoNieheus celebrou missa de ordenação sacerdotal do diácono Otávio De Lorenzi. IGREJA MATRIZ Em 1964, foi feita uma procissão conduzindo uma cruz de madeira na "Marcha da Famíliacom Deus pela Liberdade" e plantada a referida cruz na Praça Josefina Amorim. Outra cruz foi lácolocada "A Cruz Gloriosa Redentora". CRUZ REDENTORAALDAIR GOETEN DE MORAES Página 34
  • Foi uma mulher chamada Maria Pires Ferraz (Dona Marica), morava e tinha seuconsultório na confluência das ruas Antonio Francisco de Campos, como a Waldir Ortigari (casahoje Sady Souza). Posteriormente, Francisco Dorigatti, dentista de Rio do Sul, que periodicamente atendia emCuritibanos, sua cadeira e placa estão no museu histórico de Curitibanos. PRIMEIRO DENTISTA DE CURITIBANOS Segundo o Sr Euclides Filippi, os primeiros automóveis que chegaram a Curitibanos nãoforam na cidade, pertenceram aos pecuaristas Faustino Josė da Costa e Miguel Driessen, queresidiam em suas fazendas. Na vila (cidade) do Sr Ricardo Lenzer todos Ford 29 e a 1ª camionete para cargas do SrAvelino França. O Sr Antonio Dolberth também tinha um Ford Bigode (1929) vendeu o carro por desgostodepois de ter passado por cima do pé de um menino. AUTOMÓVEISALDAIR GOETEN DE MORAES Página 35
  • A primeira Sociedade Recreativa de Curitibanos foi o clube 7 de setembro fundado em1924, seu primeiro presidente Sr. Altino Gonçalves de Farias. O mais tradicional Baile sempre fo i ode aniversário que acontecia em 7 de setembro. SOCIEDADES HOSPITAL Por volta de 1930, o casal Rosinha e Teodoro França (Tiadorinho) mantinha em sua casa(hoje esquina da Avenida Salomão de Almeida, Rua Hercílio Luz e Medeiros Filhos) duas salascom camas, uma para parturiente onde dona Rosinha atendia como habilidosa parteira que era,auxiliada pelo farmacêutico Alfredo Lenzer, que também atendia em outra sala os doentes em geral. HOSPITAL FREI ROGÉRIO Em 1939, chegou a Curitibanos, o Dr. José Macedo, que continuou atendendo nas referidassalas até a construção do Hospital Frei Rogério. Atendia também em seu consultório particular desde 1933 o Dr. Henrique Berger Filho.Em 1940 uma comissão de Curitibanenses precedida pelo padre Vigário Frei Roque, começaram aestudar a viabilidade de construção de um hospital, porém só em 1946, foi lançada a pedrafundamental.ALDAIR GOETEN DE MORAES Página 36
  • Em 1953, as irmãs da Sagrada Família assumiram a direção do hospital que funcionou atéa inauguração do Hospital Regional Hélio Anjos Ortiz. Iniciou suas atividades em 10 de outubro de 1984, pertencente à Fundação Hospitalar deSanta Catarina, órgão da Secretaria de Estado de Saúde. HOSPITAL HÉLIO ANJOS ORTIZ Em 1992, foi constituída a Fundação Hospitalar de Curitibanos. Atualmente conta 136leitos distribuídos nos setores UTI, neonatal, maternidade, médico-cirúrgica, psiquiatria, pediatria,particular, Ala Vip. ASSOCIAÇÃO RURAL Associação Rural é um grupo de produtores reunidos e organizados, com objetivo comunsde facilitar a compras de insumos agrícolas baixar custos e aumentar lucros. A Associação Rural de Curitibanos teve sua ata de fundação em 18 de junho de 1945 e foiassinada pelos Srs: Felippe Granemann, sendo seu primeiro presidente, Lauro Antonio da Costa,Francisco Carneiro de Farias, Henrique Conink Junior e Heraclides Vieira Borges. SINDICATO RURAL Sindicato Rural é uma organização de classe, cujo objetivo é defender os interesses de seusassociados. O Sindicato Rural de Curitibanos teve sua primeira Assembléia Geral Ordinária, no dia 24de maio de 1969, às 15h00 horas no clube 7 de setembro, tendo como presidente o Sr LauroAntonio da Costa 1° Secretário Sr Ivadi de Almeida, 2° Secretário Sr. José Pellizzaro, e a ata foi lavrada peloSr. João Braz Peters. ASPECTOS FISICOS DO MUNICIPIO Curitibanos está situada no centro do Estado de Santa Catarina, entre as coordenadasgeográficas de 27º16’44” de latitude Sul e 50°34’57” de longitude WGR, temos uma temperaturamédia anual de 17°C.ALDAIR GOETEN DE MORAES Página 37
  • Pertence a bacia hidrográfica do Uruguai e seus principais rios são Marombas, Canoas,Correntes, das Pedras, possuindo belas paisagens naturais como Recanto Dona Elvira e Cachoeiradas Andorinhas. LIMITES É uma linha que divide um município, estado, ou uma nação. (Quando termina uma ecomeça outra). Ao Norte: Fraiburgo, Lebon Regis, Santa Cecília; Ao Sul: Ponte Alta, Correia Pinto, São José do Cerrito; Ao Leste: Ponte Alta do Norte e São Cristóvão do Sul; Ao Oeste: Frei Rogério e Brunópolis. COMUNIDADESALDAIR GOETEN DE MORAES Página 38
  • PRINCIPAIS RIOS Rio Marombas; Rio Canoas; Rio das Pedras; Rio das Correntes; Rio dos Cachorros; Pequenos povoados localizados no interior do município. Cara Pintada; Orizolândia; Passo do Marco; Campo da Roça de Baixo; Lagoinha; Butiá; Guarda – Mor; Potreiro dos França; Fazenda Pocinho; Fazenda da Cadeia; Cadoriti; Tabuleiro; Xaxim; Cartão Sbravatti. DISTRITOS Distrito é uma simples área administrativa com alguns serviços públicos estaduais emunicipais, como Registro Civil, Delegacia de Polícia, limpeza pública etc., destinados ao melhoratendimento dos usuários, sendo como é, uma circunscrição administrativa dependente domunicípio. Marombas Bossardi; Santa Cruz do Peri; PRAÇASALDAIR GOETEN DE MORAES Página 39
  • Para embelezamento da cidade e para lazer, Curitibanos possui as seguintes praças: Praça da República (Praça da Matriz); Praça Nereu Ramos (Praça do Dotti); Praça Josefina Amorim (Praça enfrente Asilo); Praça John F. Kennedy (Praça do Brocardo); Praça Centenário (Praça do Capão); Praça Zezefredo Menegusso (Praça do Pinho); Praça Alziro da Motta Santos (Praça atrás do asilo); Praça Seslau Silveira de Souza (Praça Dr. Osni Granemann); Praça França Abrahão (Maçonaria); Praça Robson Lucio Abrahão (Estádio Municipal). BAIRROS Bairro – são demarcações estabelecidas no perímetro urbano para facilitar a localização. Bosque; São Francisco; São Luiz; São José; Nossa Senhora Aparecida; Água Santa; Bom Jesus; Conjunto Habitacional Anita Garibaldi (COHAB I); Universitário Waldemar Ortigari; COHAB II (com estrutura de bairro); Getulio Vargas; Santo Antonio de Pádua; TURISMO A história a cultura são das mais interessantes, começando pela própria ocupação doplanalto Catarinense pelos Tropeiros Paulistas (Berivas), formando com negros e índios uma novaraça o “caboclo” um tipo humano forte, guerreiro por natureza, rude ao mesmo tempo altivo, dandoFATOS IMPORTANTES DA HISTÓRIA DE CURITIBANOS Página 40
  • prova disso nas guerras que enfrentou, com a Revolução Farroupilha, que marcou indelevelmentena história através do combate da Forquilha e alguns episódios da Revolução Federalista. Como fato mais importante tem-se a Guerra do Contestado, o qual toda a população esteveenvolvida direta ou indiretamente.Obs.: Material histórico gentilmente cedido pelo autor, Aldair Goeten de Moraes.FATOS IMPORTANTES DA HISTÓRIA DE CURITIBANOS Página 41