Drummond e a web 2.0

1,565 views

Published on

Uma metáfora poética sobre a formação das redes sociais

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,565
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
102
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Drummond e a web 2.0

  1. 1. Como o Poeta anteviu a Internet
  2. 2. Orkut? Facebook? Quadrilha? “Quadrilha”?!?!? 2
  3. 3.  As Redes Sociais existem,  Não é um fenômeno novo portanto, desde que o e não existe por causa da primeiro humano internet começou a se relacionar  Drummond já falava de com o segundo humano uma rede social 15 anos antes da internet nascer em 1969 3
  4. 4. 4
  5. 5.  Para entender as mídias sociais, é importante João compreender o conceito de redes sociais J. Pinto Joaquim Fernandes  Redes Sociais são os relacionamentos entre pessoas (sociedade) que Lili se formam em função de Maria Teresa algum tipo de afinidade e/ou interesse comum Raimundo 5
  6. 6.  A formação da rede se dá  O valor da rede não está em função do ambiente nos nós, mas nos  Estrutura da rede emerge relacionamentos de:  Coordenação emerge na rede  Características  Ausência de autoridade tecnológicas da indústria  Auto-organização  Normas sociais  À medida que a rede  Fatores institucionais “aprende”, diminui a necessidade de integração vertical  Vantagem Cooperativa 6
  7. 7.  Opiniões e  Pessoas cujas redes comportamentos são ligam os “buracos mais homogêneos dentro estruturais”, tem acesso dos grupos do que entre antecipado a uma maior eles, criando buracos no fluxo de informações diversidade de entre os grupos, ou, informações simplesmente, “buracos estruturais”  O capital social existe  Pessoas que estão mais onde as pessoas próximas dos “buracos” possuem vantagens na estrutura social possuem mais chances de devido à sua localização terem boas idéias na estrutura social: corretagem (broker) 7
  8. 8.  Tese de doutorado, 1970  Quanto mais forte um “Changing jobs” laço, mais laços eles terão  Força dos Laços em comum  Tempo  Aumento da similaridade  Intensidade emocional  Laços fortes requerem  Intimidade maior dedicação (cumplicidade)  Tempo: recurso limitado  Reciprocidade 8
  9. 9. É praticamente impossível  Ligação “impossível” que João e J. Pinto Fernandes não se  A-C: forte conheçam  A-B: forte João  B-C terá, ao menos, uma ligação fraca Lili J. Pinto Fernandes 9
  10. 10. Pontes Teoriados 6 degraus “Amigo do amigo” – Laço fraco 10
  11. 11.  A partir dos trabalhos de Michael Gurevich e posteriormente de Stanley Milgram nos anos 60, John Guare desenvolveu uma peça teatral nos anos 90 que popularizou o conceito 11
  12. 12.  Laços Fortes x Laços  Paradoxos Fracos  Laços fracos  Laços fracos ligam  Geram “alienação” membros de pequenos  Indispensáveis para geração de oportunidades e grupos diferentes integração social  Laços fortes concentram  Difusão da inovação indivíduos similares em  Laços fortes pequenos grupos  Coesão local x Macro fragmentação  Une membros locais enquanto separa os pequenos grupos 12
  13. 13. A Evolução da Comunicação 13
  14. 14. Emissor Mensagem Receptor Possibilidade de ruídos 14
  15. 15. Televisão Rádio Jornal Mensagem Outdoor Banners 15
  16. 16. Televisão Rádio Jornal Mensagem Outdoor Banners 17
  17. 17.  Meios (canal) de  O emissor passa a fazer comunicação que atua sob parte do grupo o paradigma das Redes (sociedade) Sociais  O receptor se torna ativo  Tecnologias de (e emite mensagens comunicação aplicadas também)  Interatividade  Disseminação viral da informação 18
  18. 18. Comunicadores 19
  19. 19. E-mail IM's Comunidades EUA Brasil 0 5 10 15 20 http://professor.sergiojr.info Prof. Sergio.Jr 20
  20. 20. Alguns exemplos de forma e uso 21
  21. 21.  Mais famosos: Wordpress e Blogspot  Derivado do Weblog: registro diário via web  Diário Pessoal  Utilizado por empresas, jornalistas e usuários comuns  Caso Felina 23
  22. 22.  Trabalham o conceito de contatos e comunidades  Trocam mensagens e fotos  Não possuem um foco específico Ning: um portal de Redes Sociais Agrega diversas redes sociais de conhecimento específico 24
  23. 23. 25 Referência: Sedentário Hiperativo
  24. 24. Referência: Marketing 2.0 26
  25. 25. Profissionais Específicas  Focadas em atividades ou  Tratam de assuntos específicos objetivos específicos, tendem a e buscam reunir pessoas atender profissionais buscando interessadas nesses mesmos conhecimento colaborativo assuntos 27
  26. 26.  Redes de compartilhamento de vídeos “caseiros”, música e imagens  Na Europa, o tempo médio assistindo a vídeos online já é superior ao tempo médio em frente à TV  Caso Dafra 28
  27. 27.  Conhecimento Colaborativo  Valem-se do conceito wiki  Desenvolvimento Colaborativo  Qualquer usuário pode alterar uma informação e será monitorado pelos demais usuários  Wikipedia Diversão na rede Wikipiada Desiclopedia 29
  28. 28.  Blogs com postagens até 140 caracteres (para uso com celulares)  Twitter é o mais conhecido  Velocidade de informação e disseminação  Sucesso  Caso Obama  Caso Marcelo Tas  Escorregadas  Caso Xuxa  Caso Mercadante  Caso Dell 30
  29. 29.  Para entender a Internet  Guia do Twitter 31
  30. 30. A Zwitter é uma criação do Cau da MezclaDesign BLOG BLOG professor.sergiojr.info Twitter.com professor@sergiojr.info br.linkedin.com/in/sergiojr 32

×