Biologia - Proteínas ( Enzimas)

6,640 views

Published on

1 Comment
7 Likes
Statistics
Notes
  • muito boa essa aula
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
6,640
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
59
Actions
Shares
0
Downloads
227
Comments
1
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Biologia - Proteínas ( Enzimas)

  1. 1. ENZIMAS
  2. 2. Enzimas: São proteínas de grandes dimensões que têm como função acelerar as reacções químicas, sem alterar a constante de equilíbrio dessa reacção. MOLÉCULAS CATALISADORAS Catalisadores biológicos
  3. 3. ENZIMASProteínas (aminoácidos)Parte proteica ( apoenzima) e parte não proteica (cofactores - ex: ferro,magnésio, zinco) HOLOENZIMA
  4. 4. ENZIMASApresentam alto grau de especificidadeSão produtos naturais biológicos Realizam reacções baratas e segurasSão altamente eficientes, acelerando a velocidadedas reacções (108 a 1011 + rápida)São económicas, reduzindo a energia de activaçãoNão são tóxicasAtuam em condições favoráveis de pH, temperatura,concentração de enzima e substrato.Não são consumidas nas reações
  5. 5. Nomenclatura/Classificação dasenzimas As enzimas são classificadas com base nas reacções que catalisam. – Nome do substrato + Sufixo ase: Ex: Urease ≡ hidrólise da ureia
  6. 6. Reacção enzimática: complexo enzima –substrato (molécula sobre a qual actua a enzima)A reacção ocorre no centro activo (localizado na enzima)que:– contém os resíduos de aminoácidos directamenteenvolvidos na reacção.– ocupa uma parte relativamente pequena do volume total daenzima.– trata-se de uma entidade tridimensional.– corresponde, geralmente, a uma cavidade na molécula deenzima, com um ambiente químico muito próprio.– o substrato entra no centro activo e liga-se à enzimaatravés de interacções fracas.
  7. 7. Especificidade das enzimas:• resulta da formação de múltiplas interacçõesfracas entre a enzima e o seu substrato Modelo do ajuste induzido – especificidade relativa- (encaixe induzido) consiste no facto de não existir umacomplementaridade pré-formada entre o substrato eenzima.no sítio de ligação existem os elementos necessários para oreconhecimento e posicionamento correcto do substrato.
  8. 8. A interacção do substrato com a enzima induz auma transformação estrutural na enzima, resultandona formação de um sítio de ligação mais forte e noreposicionamento dos aminoácidos envolvidos naligação.
  9. 9.  Modelo Chave-Fechadura  -especificidade absoluta(encaixe perfeito):alto grau de especificidade das enzimas, queconsidera que a enzima possui um centro activocomplementar ao substrato.
  10. 10. ENZIMAS: atuam em pequenas concentrações1 molécula de decompõe Catalase 5 000 000 de moléculas de H2O2 (pH = 6,8) em 1 min
  11. 11. Energia Energia de activação sem enzima Energia de activação com Diferença S enzima entre P a energia livre de S e P Caminho da ReacçãoENERGIA DE ACTIVAÇÃO – energia mínima necessária paradesencadear a reacção.
  12. 12. Actividade enzimática é influenciada por: pH temperatura concentração das enzimas concentração dos substratos presença de inibidores
  13. 13. PHQuanto ao pH, existem enzimas que só funcionam: em meio ácido (pH menor que 7), como é o caso das enzimas doestômago (pepsina, por exemplo) em meio neutro (pH igual a 7), como é caso das enzimas dasaliva (amilase salivar, por exemplo) em meio básico ou alcalino (pH maior que 7), como é caso dasenzimas do intestino delgado (amílase pancreática, por exemplo)
  14. 14. Local de actuação Nome da enzima Material onde a enzima Produtos finais enzimática Actua boca ptialina amido maltose Estômago protéase proteínas polipéptidos Amílase amido maltose pancreática duodeno Lípase pancrática Lípidos emulsionados Glicerol e ácidos gordos Proéase (tripsina) proteína polipéptidos Intestino maltase maltose Glicose delgado Lactase lactose Galactose e glicose sacarase sacarose Frutose e glicose Proteína (erepsina) polipéptidos aminoácidos Lípase intestinal Lípidos emulsionados Ácidos gordos e glicerol
  15. 15. TEMPERATURA  temperaturas muito baixas tornam as enzimas inactivas (adormecidas)  temperaturas muito altas destroem as enzimas (desnaturação)  as temperaturas ideais para o seu bom funcionamento são de, aproximadamente, 37º C.A temperatura óptima para quea enzima atinja sua actividademáxima, é a temperaturamáxima na qual a enzima possuiuma atividade constante por umperíodo de tempo.
  16. 16. CONCENTRAÇÃO DA ENZIMA - SUBSTRATO: MAIOR C.C. ENZIMA E SUBSTRATO MAIOR A VELOCIDADE DA REACÇÃOMAIOR C.C. DE SUBSTRATO E ENZIMA MANTEM-SE SATURAÇÃO ENZIMÁTICA
  17. 17. A desnaturação protéica é uma quebra da estrutura decadeia polipeptídica, em função de alterações detemperatura ou de ph. Pode ser reversível ou irreversível.

×