Soja transgênica  Sustentável?  Responsável?   Um resumo de evidências científicas   mostrando que a soja transgênica e o ...
Published by:                                                      Supported by:GLS Gemeinschaftsbank eG, Christstr. 9, 44...
Índice de conteúdosÍndice de conteúdos.......................................................................................
RESUMO EXECUTIVOÉ crescente a consciência de que muitas práticas da          ao redor do mundo, incluindo uma região de pr...
fígado, distúrbios de função enzimática e alterações nos   230%, em 2009, sobre os níveis de 2000 – minando aórgãos reprod...
baixo uso de insumos e ambientalmente sustentável, e        e outras plantas, mas permite que o cultivo sese opõe a sistem...
EFEITOS TÓXICOS DO GLIFOSATO E DO ROUNDUPMais de 95% da soja transgênica (e 75% de outros           •	 O glifosato é tóxic...
vista desde a primeira divisão da célula nos embriões     kg de glifosato. O resíduo máximo permitido na soja na   do ouri...
concluíram, “Os modelos agrícolas intensivo e extensivo      a taxa de câncer infantil triplicou em La Leonesa entrebasead...
Outros relatos de danos à saude          Estudos epidemiológicos sobre odecorrentes de pulverização de glifosato glifosato...
Efeitos tóxicos indiretos do glifosato                        Resíduos de glifosato e adjuvantes na sojaFabricantes de gli...
ou legalmente. Entretanto, ele é usado para afirmar           convencional de plantas. Mas isso não é verdade. A(erroneame...
tornaram-se sensíveis a outros alimentos, enquanto           realizados centenas de estudos revisados pelos pareservilhas ...
tão alto, e/ou níveis de soja transgênica tão baixos,    •	 Camundongos alimentados com soja transgênica   que são reduzid...
isolado convencional e um campo de soja transgênica             esses cultivos transgênicos. O DNA transgênico não foino l...
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel

3,234 views
3,140 views

Published on

Este relatório foi compilado por uma coalizão de cientistas
que acreditam que a totalidade de evidências sobre a soja
transgênica e o herbicida glifosato devem se tornar acessíveis
a todos – governo, indústria, mídia e o público.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,234
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
43
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

49 soja-transgenica-sustentavel-responsavel

  1. 1. Soja transgênica Sustentável? Responsável? Um resumo de evidências científicas mostrando que a soja transgênica e o herbicida glifosato, que ela é engenheirada para tolerar, são insustentáveis do ponto de vista da produção agrícola, do ambiente, das comunidades rurais, da saúde humana e animal, e da economia por Michael Antoniou, Paulo Brack, Andrés Carrasco, John Fagan, Mohamed Habib, Paulo Kageyama, Carlo Leifert, Rubens Onofre Nodari, Walter Pengue GLS Gemeinschaftsbank eG ARGE Gentechnik-frei (Arbeitsgemeinschaft für Gentechnik-frei erzeugte Lebensmittel) Setembro de 2010
  2. 2. Published by: Supported by:GLS Gemeinschaftsbank eG, Christstr. 9, 44789 Bochum, GLS Treuhand e.V.Germany. www.gls.de Bochum, Germany www.gls-treuhand.deARGE Gentechnik-frei (Arbeitsgemeinschaft fürGentechnik-frei erzeugte Lebensmittel), Schottenfeldgasse20, 1070 Vienna, Austria. www.gentechnikfrei.at© 2010 Copyright: GLS Gemeinschaftsbank eG e ARGEGentechnik-freiSobre os autores e os editores de Soja transgênica: Sustentável? Responsável?Este relatório foi compilado por uma coalizão de cientistas Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério de Ciência eque acreditam que a totalidade de evidências sobre a soja Tecnologia, Brasil; e professor do Departamento de Ciênciastransgênica e o herbicida glifosato devem se tornar acessíveis Florestais, Universidade de São Paulo, Brasil. +55 19 2105 8642.a todos – governo, indústria, mídia e o público. Os cientistas e Email: kageyama@esalq.usp.brseus dados para contato são: Carlo Leifert é professor de agricultura ecológica na EscolaMichael Antoniou é professor em genética molecular e chefe de Agricultura, Alimentos e Desenvolvimento Rural (AFRD),do Grupo de Biologia Nuclear, King’s College London School of Universidade de Newcastle, Reino Unido; e diretor doMedicine, Londres, Reino Unido. Celular +44 7852 979 548. +44 Stockbridge Technology Centre Ltd (STC), Reino Unido, uma20 7188 3708. Skype: michaelantoniou. instituição sem fins lucrativos que fornece apoio em pesquisaEmail: michael.antoniou@genetics.kcl.ac.uk e desenvolvimento para a indústria de horticultura do Reino Unido. +44 1661 830222. Email: c.leifert@ncl.ac.ukPaulo Brack é professor no Instituto de Biociências,Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil; Rubens Onofre Nodari é professor da Universidade Federale membro da CTNBio (Comissão Técnica Nacional de de Santa Catarina, Brasil; foi Gerente de Recursos GenéticosBiossegurança), Brasil. +55 51 9142 3220. Vegetais do Ministério do Meio Ambiente. É membro doEmail: paulo.brack@ufrgs.br Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério de Ciência e Tecnologia, Brasil. +55 48Andrés Carrasco é professor e diretor do Laboratório de 3721 5332. Skype: rnodari. Email: nodari@cca.ufsc.brEmbriologia Molecular, Faculdade de Medicina da Universidadede Buenos Aires, Argentina; e pesquisador líder do Conselho Walter Pengue é professor de agricultura e ecologia,Nacional de Pesquisa Científica e Técnica (CONICET), Argentina. Universidade de Buenos Aires, Argentina; e membro científicoCelular +54 9 11 6826 2788. +54 11 5950 9500 ext 2216. do Painel Internacional para Manejo de Recursos Sustentáveis,Email: acarrasco@fmed.uba.ar PNUMA, Nações Unidas. Celular +54 911 3688 2549. +54 11 4469 7500 ext 7235. Skype: wapengue.John Fagan fundou uma das primeiras companhias de teste Email: walter. pengue@speedy.com.are certificação de OGMs. É cofundador da Earth Open Source,que emprega colaboração de fontes abertas para promover Nota: Os pontos de vista expressos no relatório Soja transgênica:a produção ambientalmente sustentável de alimentos. Sustentável? Responsável? são aqueles dos indivíduos coautoresAnteriormente, realizou pesquisas sobre câncer nos Institutos do relatório. Não há implicações ou alegações que eles reflitamNacionais de Saúde, EUA. É PhD em bioquímica e biologia ou representem os pontos de vista das instituições às quaismolecular e celular pela Cornell University. Celular +1 312 351 esses indivíduos são ou foram afiliados.2001. +44 20 3286 7156. Email: jfagan@earthopensource.org Os editores deste relatório foram inspirados pelo trabalho dosMohamed Ezz El-Din Mostafa Habib é professor e ex-diretor cientistas neste tema para apoiar sua liberação ao público. Odo Instituto de Biologia, UNICAMP, São Paulo, Brasil, e pró- Relatório completo e os Pontos Chaves podem ser baixados dosreitor de Extensão e Assuntos Comunitários, UNICAMP. Ele websites dos editores:é um especialista com reconhecimento internacional em GLS Gemeinschaftsbank eG www.gls.deecologia, entomologia, pragas agrícolas, educação ambiental, ARGE Gentechnik-frei www.gentechnikfrei.atsustentabilidade, controle biológico e agroecologia. +55 19 35214712. Email: habib@unicamp.br Os detentores do copyright autorizam que indivíduos e organizações disponibilizem o Relatório completo e o ResumoPaulo Yoshio Kageyama é diretor do Programa para de Pontos Chaves na forma original em seus websites e osConservação da Biodiversidade, Ministério do Meio Ambiente, distribuam livremente através de outros canais, desde queBrasil; membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento citados os autores e editores.SOJA TRANSGÊNICA – Sustentável? Responsável? 2
  3. 3. Índice de conteúdosÍndice de conteúdos......................................................................................................................................................3Resumo executivo.........................................................................................................................................................4Introdução.....................................................................................................................................................................5 A respeito da soja transgênica RR................................................................................................................................ 6 A experiência norte-americana.................................................................................................................................... 6Efeitos tóxicos do glifosato e do Roundup......................................................................................................................7 Estudo confirma a relação do glifosato com defeitos congênitos................................................................................ 8 Proposta de banimento do glifosato e determinação judicial. .................................................................................... 9 . Relatório do governo do Chaco.................................................................................................................................... 9 Comunidade impedida de ouvir pesquisador do glifosato. ......................................................................................... 9 . Outros relatos de danos à saúde decorrentes de pulverização de glifosato.............................................................. 10 Banimentos judiciais de pulverização de glifosato ao redor do mundo..................................................................... 10 Estudos epidemiológicos sobre o glifosato................................................................................................................ 10 Efeitos tóxicos indiretos do glifosato.......................................................................................................................... 11 Resíduos de glifosato e adjuvantes na soja................................................................................................................ 11Riscos de cultivos e de alimentos transgênicos............................................................................................................11 A desregulamentação dos alimentos transgênicos.................................................................................................... 11 Avaliação europeia da segurança de alimentos transgênicos.................................................................................... 12 O processo de engenharia genética........................................................................................................................... 12 Mudanças não intencionais em cultivos e em alimentos transgênicos..................................................................... 12 Alimentos e cultivos transgênicos: O ambiente da pesquisa..................................................................................... 13 Aprovação da soja transgênica................................................................................................................................... 13 Alterações não intencionais em soja transgênica RR................................................................................................. 14 Riscos à saúde e efeitos tóxicos da soja transgênica RR. ........................................................................................... 14 . Teste falho de alimentação não encontrou diferença entre soja transgênica e não transgênica. ............................. 14 . Efeitos da alimentação animal transgênica................................................................................................................ 15 Efeitos sobre a saúde em humanos........................................................................................................................... 15 . Valor nutritivo e potencial alergênico........................................................................................................................ 15Impactos agronômicos e ambientais da soja transgênica RR........................................................................................16 Produtividade............................................................................................................................................................. 16 Ervas invasoras resistentes ao glifosato..................................................................................................................... 17 Uso de agrotóxicos..................................................................................................................................................... 18 Soja transgênica RR na Argentina: Problemas ecológicos e agronômicos................................................................. 20 Impactos de herbicidas de amplo espectro na biodiversidade.................................................................................. 20 Esgotamento do solo na América do Sul.................................................................................................................... 21 Impactos do glifosato sobre o solo e cultivos............................................................................................................ 21 Resultados não publicados de pesquisas sobre efeitos de glifosato em cultivos....................................................... 23 Plantio direto com soja RR......................................................................................................................................... 23Impactos sócio econômicos da soja transgênica RR.....................................................................................................25 Argentina: A economia da soja ................................................................................................................................. 25 Impactos econômicos da soja transgênica RR sobre agricultores dos Estados Unidos.............................................. 26 Sobe o preço da semente RR nos Estados Unidos..................................................................................................... 26 Agricultores abandonam soja transgênica RR............................................................................................................ 27 Restrição no acesso dos agricultores a sementes não transgênicas.......................................................................... 27 Dominação da Monsanto sobre a agricultura na Argentina. ..................................................................................... 27 . Contaminação transgênica e perdas de mercado...................................................................................................... 28Direitos humanos violados..........................................................................................................................................29 Paraguai: Violento deslocamento de moradores....................................................................................................... 29Conclusão.................................................................................................................................................................... 29Referências..................................................................................................................................................................30GLS Gemeinschaftsbank eG / ARGE Gentechnik-frei 3
  4. 4. RESUMO EXECUTIVOÉ crescente a consciência de que muitas práticas da ao redor do mundo, incluindo uma região de produçãomoderna agricultura são insustentáveis e de que é de soja transgênica RR na Argentina, a justiça baniu ounecessário encontrar formas alternativas para garantir a restringiu tais pulverizações.segurança alimentar. Nos últimos anos, vários organismosentraram no debate da sustentabilidade tentando definir Para os agricultores, a soja transgênica RR nãoa produção de soja transgênica Roundup Ready® como se comportou de acordo com as alegações dasustentável e responsável. indústria. Estudos mostram que a soja transgênica RR sistematicamente produz menos. Foi demonstrado emEntre eles, incluem-se o ISAAA, um grupo de apoio à estudos que aplicações de glifosato nos cultivos interferemindústria de biotecnologia; a organização de pesquisa com a absorção de nutrientes, aumentam pragas ePlant Research International, Universidade de doenças e reduzem o vigor e a produtividade.Wageningen, Holanda, a qual emitiu um documentoapresentando os argumentos pela sustentabilidade O problema mais sério para os agricultores que plantamda soja transgênica RR; e a Mesa-Redonda da Soja soja transgênica RR é a explosão de ervas invasorasResponsável (RTRS, por sua sigla em inglês), um fórum de resistentes ao glifosato, ou “superervas daninhas”. Ervasmultiparticipantes com um quadro de membros que inclui resistentes ao glifosato forçaram os agricultores a umaONGs tais como a WWF e a Solidaridad e companhias rotina química desgastante de usar mais, e cada vezmultinacionais tais com a ADM, Bunge, Cargill, Monsanto, mais tóxicos, herbicidas. Em alguns casos, nenhumaSyngenta, Shell e BP. quantidade de herbicida proporcionou aos agricultores o controle sobre as ervas, e terras agrícolas tiveram que serEste relatório levanta as evidências científicas e outras abandonadas.evidências documentadas sobre a soja transgênica RR(soja GM RR) e pergunta se ela pode ser definida como O modelo de plantio direto que é promovido como partesustentável e responsável. do pacote tecnológico da soja transgênica RR evita arar a terra, com o objetivo de conservar o solo. A sementeA soja transgênica RR é geneticamente modificada é plantada diretamente no solo, e as ervas invasoraspara tolerar o herbicida Roundup, que é feito à base do são controladas com aplicações de glifosato em vez dequímico glifosato. A modificação transgênica permite métodos mecânicos.que a plantação seja pulverizada com glifosato, matandotodas as plantas exceto o cultivo. A soja transgênica Constatou-se que os argumentos de benefícios ambientaisRR foi comercializada primeiro nos Estados Unidos, em do modelo de plantio direto/soja transgênica RR são1996. Hoje, variedades de soja transgênica RR dominam enganosos. O sistema somou-se ao problema das ervasa produção de soja na América do Norte e na Argentina e resistentes ao glifosato, e foi provado que ele aumentasão amplamente cultivadas no Brasil, Paraguai, Uruguai e o impacto ambiental da produção de soja quando osBolívia. herbicidas utilizados no controle das ervas são levados em conta. Também verificou-se que a produção de sojaO glifosato é um elemento essencial no sistema de transgênica RR requer mais energia do que a produção deplantio da soja transgênica RR. Em função disso, a rápida soja convencional.expansão da produção de soja transgênica RR levou a umenorme aumento no uso do herbicida. Existem, também, sérias questões de segurança sobre as modificações transgênicas introduzidas na sojaA indústria alega que o glifosato é seguro para as pessoas geneticamente modificada RR. Ao contrário do que ae se degrada rapidamente e de forma inofensiva no indústria de biotecnologia e seus apoiadores afirmam,ambiente. Mas um considerável e crescente número de o FDA (Food and Drug Administration) nunca aprovoupesquisas científicas desafia essas afirmações, revelando qualquer alimento transgênico como seguro. Ao invéssérios impactos à saúde e ao ambiente. Os adjuvantes disso, ele desregulamentou os alimentos transgênicos(ingredientes adicionados) no Roundup aumentam sua no início dos anos 1990, determinando que eles sãotoxicidade. Efeitos perigosos do glifosato e do Roundup “substancialmente equivalentes” a alimentos nãosão observados em níveis mais baixos do que os utilizados transgênicos e não necessitam qualquer teste especial deem pulverização agrícola, correspondendo a níveis segurança. A determinação foi amplamente reconhecidaencontrados no ambiente. como uma decisão política sem qualquer base científica. Na prática, a “equivalência substancial” nunca foi definidaA ampla pulverização de glifosato na soja transgênica RR, cientificamente ou legalmente.frequentemente feita por via aérea, tem sido relacionada,em relatórios e estudos de pesquisas científicas, com Desde então, diversos estudos identificaram riscosproblemas severos de saúde em moradores e agricultores. à saúde e efeitos tóxicos associados com a sojaUm estudo recentemente publicado relaciona a exposição transgênica RR. Estes incluem alterações celularesao glifosato a defeitos congênitos. Em algumas regiões em órgãos, sinais de envelhecimento mais agudos noSOJA TRANSGÊNICA – Sustentável? Responsável? 4
  5. 5. fígado, distúrbios de função enzimática e alterações nos 230%, em 2009, sobre os níveis de 2000 – minando aórgãos reprodutivos. Apesar da maioria desses estudos sustentabilidade econômica do plantio de soja.terem sido feitos em cobaias, os resultados sugeremque a soja transgênica RR também pode impactar a Elevados custos de semente, problemas de ervas invasorassaúde humana. Essa possibilidade não foi investigada resistentes ao glifosato e prêmios lucrativos para colheitasadequadamente. de soja não transgênica estão estimulando agricultores na América do Norte e do Sul a se afastar da soja transgênicaOs proponentes da soja transgênica RR frequentemente RR. A estratégia da indústria para conter essa tendênciajustificam sua rápida expansão em termos econômicos. foi ganhar o controle sobre o fornecimento de sementeEles alegam que o cultivo aumenta a prosperidade para e restringir a disponibilidade de semente de soja nãoos agricultores, as comunidades rurais e a economia, transgênica para os agricultores.e que, por isso, é irresponsável solicitar avaliaçãoadequada de risco. Os cultivos transgênicos ameaçam mercados de exportação devido à rejeição dos consumidores em muitosContudo, quando se medem os impactos econômicos países. A descoberta de contaminação transgênica emde cultivos transgênicos à propriedade, os resultados suprimentos de alimentos e rações repetidamente levousão frequentemente desapontadores. Por exemplo, a grandes recalls e perdas importantes de mercados.um estudo para a Comissão Europeia não encontrou Medidas em andamento para evitar contaminaçãovantagens econômicas da soja transgênica RR transgênica estão custando milhões à indústria desobre a soja não transgênica para os agricultores alimentos e agrícola.norte-americanos. A vantagem para os agricultoresde plantarem soja transgênica RR que é mais Em resumo, a maioria dos benefícios atribuídos à sojafrequentemente citada, o controle simplificado de ervas transgênica RR ou são de curta duração (como o controleinvasoras, se desfaz rápido devido à disseminação de simplificado e menos tóxico de ervas), ou ilusórios (comoervas resistentes ao glifosato. maior produtividade e controle menos tóxico de ervas).A Argentina é amplamente citada como um exemplo do Muitos dos alegados benefícios da soja transgênica RRsucesso do modelo de plantio de soja transgênica RR. Mas não ocorreram, enquanto muitos dos problemas previstosa produção de soja RR no país foi relacionada a sérios (como ervas resistentes ao glifosato, perturbação naproblemas socioeconômicos, incluindo deslocamento ecologia do solo e efeitos negativos sobre cultivos) foramde populações rurais para as cidades, concentração da confirmados.produção agrícola nas mãos de um pequeno número de O peso da evidência dos estudos científicos, relatóriosoperadores, perda de segurança alimentar, nutrição pobre documentados e monitoramentos a campo mostra quee aumento de pobreza e de desemprego. ambos, a soja transgênica RR e o herbicida glifosato queTambém há preocupações quanto ao controle quase- ela é engenheirada para tolerar, são destrutivos paramonopolista do fornecimento de sementes em muitos sistemas agrícolas, comunidades rurais, ecossistemaspaíses pelas companhias de biotecnologia. Nos e saúde animal e humana. A conclusão é que a sojaEstados Unidos, isso levou a um grande aumento nos transgênica RR não pode ser designada como sustentávelcustos da semente de soja transgênica RR – cerca de ou responsável. INTRODUÇÃOA preocupação sobre a sustentabilidade da moderna modificados (GM) – provavelmente não conseguirãoagricultura não é mais território de organizações dar conta dos complexos desafios que os agricultoresalternativas, mas passou a ser um tema dominante. enfrentam.Formou-se um consenso geral de que, na área daagricultura e produção de alimentos, o “negócio como de Ao invés disso, o IAASTD recomendou atacar as causascostume” não é mais uma opção. ocultas da pobreza. O IAASTD identificou prioridades para a pesquisa agrícola futura como práticas deEm 2008, o Banco Mundial e quatro agências das produção “agroecológicas”. Pediu mais cooperação entreNações Unidas finalizaram um estudo de quatro anos agricultores e equipes interdisciplinares de cientistas parasobre o futuro da agricultura. Realizado por mais de construir sistemas de produção de alimentos cultural e400 cientistas e especialistas em desenvolvimento ecologicamente apropriados.1de 80 países e aprovado por 58 governos, o relatórioInternational Assessment of Agricultural Knowledge, Outras organizações chegaram a conclusões similares.Science and Technology for Development (IAASTD) A Via Campesina, o movimento internacional deconcluiu que remendos tecnológicos caros, de curto agricultores camponeses, congrega 148 organizaçõesprazo – incluindo cultivos transgênicos ou geneticamente em 69 países. A organização apoia uma agricultura deGLS Gemeinschaftsbank eG / ARGE Gentechnik-frei 5
  6. 6. baixo uso de insumos e ambientalmente sustentável, e e outras plantas, mas permite que o cultivo sese opõe a sistemas baseados no alto uso de insumos e desenvolva.em cultivos transgênicos.2 A Consumers International, A aparente simplicidade do sistema de soja transgênicacom mais de 220 organizações membros, em 15 RR conduziu a uma alta aceitação pelos agricultores.países, publicou relatórios alertando consumidorese produtores de alimentos a respeito dos riscos de Em 2009, nos Estados Unidos e na Argentina, mais decultivos e alimentos transgênicos3 e pedindo pela 90% do cultivo de soja foi da variedade transgênica RR.11produção de alimentos ecológica e socialmente Essa variedade de soja domina a produção na Argentina,responsáveis.4 Paraguai e partes do Brasil, e está entrando na Bolívia e Uruguai.Em oposição a essa tendência, alguns grupos tentarammudar a definição de agricultura sustentável para Esses 15 anos de produção comercial consolidaram umincluir o plantio de cultivos transgênicos em geral, e da amplo conjunto de evidências sobre os impactos dasoja transgênica Roundup Ready® em particular. Entre soja transgênica RR, na forma de pesquisa científica, deeles: monitoramento de plantios e relatórios de especialistas. As áreas de estudo incluem os efeitos da soja transgênica• Aapresid (Associação Argentina de Produtores com RR e do herbicida glifosato, que a acompanha, sobre Plantio Direto)5 a saúde e o ambiente, o desempenho agronômico, e• ISAA, um grupo de apoio à indústria de biotecnologia6 impactos econômicos para agricultores e mercados. Somaram-se evidências adicionais sobre o modelo de• ANBio (Associação Nacional de Biossegurança), Brasil7 plantio direto, que é promovido como parte do pacote da• Plant Research International, Universidade de soja transgênica RR. Wageningen, Holanda, a qual publicou um documento apresentando os argumentos para a sustentabilidade Este relatório apresenta e avalia a evidência acumulada da soja transgênica RR8 sobre a soja transgênica RR e seu cultivo, numa tentativa de responder à questão “A soja transgênica RR pode ser• A Mesa-Redonda da Soja Responsável (RTRS, por sua definida como responsável ou sustentável?” sigla em inglês),9 um fórum de multiparticipantes com um quadro de membros que inclui ONGs tais como a WWF e a Solidaridad e companhias multinacionais tais A experiência norte-americana com a ADM, Bunge, Cargill, Monsanto, Syngenta, Shell Apesar deste relatório focalizar em alegações de e BP. sustentabilidade do plantio de soja transgênica RR em• O Programa Soja Plus,10 no Brasil, patrocinado pela termos globais, boa parte dos dados foram coletados ABIOVE (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos na América do Norte. A experiência norte-americana no Vegetais), ANEC (Associação Nacional dos Exportadores plantio de cultivos transgênicos é relevante, uma vez de Cereais), APROSOJA (Associação dos Produtores de que os Estados Unidos plantam cultivos GM em uma Soja do Estado do Mato Grosso) e ARES (Instituto para área maior e há mais tempo do que qualquer outro o Agronegócio Responsável). país.Com pelo menos duas definições radicalmente distintas A tecnologia provou ser atraente para produtoresde sustentabilidade concorrendo para serem aceitas, é americanos com grandes fazendas e lavouras, e um altopreciso dar uma boa olhada na soja transgênica RR para grau de mecanização, principalmente por causa do sistemadecidir se seu cultivo pode ser considerado sustentável e simplificado de controle de ervas invasoras.12 Os Estadosresponsável. Unidos também têm uma infraestrutura favorável para monoculturas transgênicas e subsídios do governo para plantio de cultivos transgênicos, implementados logo apósA respeito da soja transgênica RR a introdução da soja transgênica RR em 1996.13 Em 2001,A soja transgênica RR foi desenvolvida pela Monsanto o jornal agrícola do Reino Unido Farmers Weekly informoue foi comercializada primeiro nos Estados Unidos, em que 70% do valor da soja vinha do governo dos Estados1996. O cultivo é geneticamente modificado para tolerar Unidos.14 15o Roundup, o herbicida campeão de vendas da Monsanto, Por todas essas razões, os cultivos transgênicos naque tem como base o químico glifosato. A Monsanto América do Norte deveriam ser uma história ilimitadapatenteou a molécula do glifosato nos anos 1970 e de sucesso. Mas não é esse o caso. Surgiram problemascomercializa o Roundup desde 1976. Ela deteve direitos com cultivos transgênicos nos Estados Unidos – e aexclusivos nos Estados Unidos até que a sua patente América do Sul está seguindo a mesma trajetória. Alémexpirou, em setembro de 2000. Desde então, outras disso, na América do Sul, apareceram problemas decompanhias também fabricam o herbicida. saúde pública e socioeconômicos, como resultado daO gene RR possibilita que o cultivo plantado seja expansão da soja transgênica RR e do uso de glifosatopulverizado com glifosato, o que mata ervas invasoras que a acompanha.SOJA TRANSGÊNICA – Sustentável? Responsável? 6
  7. 7. EFEITOS TÓXICOS DO GLIFOSATO E DO ROUNDUPMais de 95% da soja transgênica (e 75% de outros • O glifosato é tóxico para células humanas placentáriascultivos transgênicos) é engenheirada para tolerar em concentrações mais baixas do que as encontradaso herbicida à base de glifosato, cuja formulação no uso agrícola. O glifosato age como um disruptormais comum é o Roundup. A Monsanto patenteou endócrino, inibindo uma enzima que convertea molécula de glifosato nos anos 1970 e iniciou a andrógenos em estrógenos. Esse efeito aumenta nacomercialização do Roundup em 1976.16 Desde que presença de adjuvantes do Roundup.20a patente da Monsanto nos Estados Unidos expirou • O glifosato e o produto formulado Roundupem 2000, outras companhias têm podido vender suas Bioforce causam danos a células embriônicas epróprias marcas de herbicida glifosato17, e a Monsanto células placentárias humanas, em concentraçõesse tornou cada vez mais dependente da comercialização bem abaixo daquelas recomendadas para usode suas sementes transgênicas tolerantes ao glifosato agrícola. Os autores do estudo concluem que opara obter receita. Roundup pode interferir na reprodução humana e no desenvolvimento embriônico. Além disso, os efeitosO glifosato funciona como um destruidor de amplo tóxicos e hormonais das formulações parecem serespectro e não seletivo de ervas invasoras, inibindo uma subestimados.21enzima em plantas que não existe em células humanas ou • Os adjuvantes no Roundup tornam a membrana celularde animais. Com base nesse fato, os fabricantes alegam mais permeável ao glifosato e aumentam sua atividadeque o glifosato é seguro e não tóxico para humanos dentro da célula.22 23e animais. Mas um crescente conjunto de pesquisasmostra que essas afirmações são falsas. Somando-se • O Roundup é tóxico e letal para anfíbios. Um estudoa isso, identificou-se que os ingredientes adicionados realizado em ambiente natural identificou que a aplicação de Roundup na medida recomendada(adjuvantes) no Roundup oferecem perigos e, em alguns pelo fabricante eliminou completamente duascasos, aumentam a toxicidade do glifosato. espécies de girinos e quase exterminou uma terceiraIdentificou-se, através de estudos, que as formulações espécie, resultando num declínio de 70 por cento dade glifosato e Roundup são disruptores endócrinos abundância de espécies de girinos. A abundância de(substâncias que interferem no funcionamento de espécies de comunidades aquáticas foi reduzida emhormônios), e são tóxicas e letais para células humanas. 22 por cento com o Roundup, um efeito maior doEm animais, elas afetam a função de hormônios e que o verificado com o inseticida Sevin ou o herbicidaenzimas, dificultam o desenvolvimento e causam defeitos 2,4-D. Contrariando a crença comum, a presença de solo não mitiga os efeitos químicos.24 A Monsantocongênitos. contestou o estudo argumentando que as taxas deAs conclusões incluem: aplicação foram irrealisticamente elevadas, que as concentrações testadas não ocorreriam na água• Um estudo com células humanas constatou que em condições de vida real, e que a formulação do todas as quatro formulações de Roundup testadas Roundup testada não é destinada à aplicação sobre causaram morte total das células dentro de 24 horas. água.25 O pesquisador, Dr. Rick Relyea, respondeu Esses efeitos foram encontrados em níveis de diluição que as taxas de aplicação corresponderam aos dados muito abaixo daqueles recomendados para uso do fabricante. Ele acrescentou que as concentrações agrícola e correspondem aos baixos níveis de resíduos em água foram nos níveis mais elevados a serem encontrados em alimento ou ração. Os adjuvantes no esperados, mas foram realistas, de acordo com Roundup aumentam a toxicidade do glifosato porque os próprios dados da Monsanto.26 Ele salientou eles possibilitam que o herbicida penetre em células que a formulação de Roundup testada pode ir humanas mais rapidamente.18 e vai para dentro de habitats aquáticos durante• Herbicidas à base de glifosato são disruptores pulverização aérea.27 Além disso, Relyea realizou endócrinos. Em células humanas, herbicidas à base experimentos subsequentes usando somente um de glifosato impedem a ação de andrógenos, os terço da quantidade de Roundup, bem dentro hormônios masculinizantes, em níveis muito baixos das concentrações esperadas no ambiente. Essa – mais de 800 vezes abaixo dos níveis de resíduos de concentração mais baixa ainda causou mortalidade de glifosato permitidos em alguns cultivos transgênicos 40% dos anfíbios.28 usados para rações animais nos Estados Unidos. Foram • Experimentos com embriões de ouriço-do-mar encontrados danos no DNA em células humanas mostram que herbicidas à base de glifosato e o principal tratadas com herbicidas à base de glifosato nesses metabólito do glifosato (produto da degradação no níveis. Herbicidas à base de glifosato também afetam ambiente), o AMPA, alteram os controles do ciclo da a ação e formação de estrógenos, os hormônios célula interferindo com a maquinaria fisiológica de feminilizantes.19 reparo do DNA. Essa disfunção do ciclo da célula éGLS Gemeinschaftsbank eG / ARGE Gentechnik-frei 7
  8. 8. vista desde a primeira divisão da célula nos embriões kg de glifosato. O resíduo máximo permitido na soja na do ouriço-do-mar.29 30 31 32 Sabe-se que a falência União Europeia é de 20 mg/kg, 10 vezes maior.42 Foram dos controles do ciclo da célula leva à instabilidade encontradas amostras de soja contendo resíduos de genômica e ao possível desenvolvimento de câncer glifosato em níveis de até 17 mg/kg.43 de diversos tipos em humanos. Reforçando esses resultados, estudos sobre glifosato e AMPA sugerem Carrasco realizou testes posteriores que mostram que o que o dano irreversível que eles causam ao DNA pode próprio glifosato, mais do que os adjuvantes no Roundup, aumentar o risco de câncer.33 34 foi responsável pelas malformações.• O herbicida glifosato alterou os níveis hormonais em Os autores concluíram que tanto o herbicida à base fêmeas de jundiá e reduziu a viabilidade dos ovos. Os de glifosato quanto o glifosato puro interferiram resultados mostraram que a presença de glifosato em em mecanismos moleculares chaves que regulam o água foi danosa para a reprodução do jundiá.35 desenvolvimento inicial em embriões de sapo e galinha, levando a malformações.• Os resíduos de Roundup, em baixas concentrações, interferem em múltiplas rotas metabólicas das Carrasco é professor e diretor do laboratório de células.36 embriologia molecular na Faculdade de Medicina da Universidade de Buenos Aires e principal pesquisador• O glifosato afeta os níveis e o funcionamento de múltiplas enzimas hepáticas e intestinais em ratos.37 do Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Técnica (CONICET). Ele foi levado a pesquisar os efeitos do• O glifosato é tóxico a ratos fêmeas e causa glifosato em sapos devido a relatórios de efeitos em malformações ósseas em seus fetos.38 humanos do herbicida à base de glifosato pulverizado em• O AMPA, principal produto da degradação no áreas agrícolas. Estes incluíram um estudo epidemiológico ambiente do glifosato, causa danos ao DNA em no Paraguai que identificou que mulheres expostas a células.39 herbicidas durante a gravidez tiveram filhos com defeitos congênitos, particularmente microcefalia (cabeçaEsses resultados mostram que o glifosato e o Roundup pequena), anencefalia (ausência de parte do cérebro esão tóxicos para muitos organismos e para células cabeça) e malformações do crânio.44humanas. A equipe de Carrasco também mencionou relatórios da Argentina sobre um aumento de defeitos congênitos eEstudo confirma a relação do glifosato abortos espontâneos em áreas de “agricultura à basecom defeitos congênitos de transgênicos”. Eles observaram, “Esses resultados estavam concentrados em famílias morando a poucosEm 2009, o cientista do governo argentino, professor metros de onde os herbicidas são regularmenteAndrés Carrasco, anunciou as conclusões de sua equipe pulverizados”. Eles acrescentaram que essa informaçãode pesquisa, que herbicida à base de glifosato provoca é preocupante em função do alto risco de perturbaçõesmalformações em embriões de sapos, em doses muito induzidas pelo ambiente sobre o desenvolvimentomais baixas do que aquelas utilizadas em pulverização humano durante as oito primeiras semanas de gestação.agrícola. E, também, que embriões de sapo e galinha Um estudo anterior tinha mostrado que o glifosato podetratados com herbicida glifosato desenvolveram passar através da placenta humana e para dentro domalformações similares àquelas vistas em crianças compartimento fetal.45expostas a tais herbicidas.40 Os autores observaram que a maioria dos dadosEfeitos encontrados repetidamente incluíam redução de segurança sobre herbicidas à base de glifosato edo tamanho da cabeça, alterações genéticas no sistema soja transgênica RR foram fornecidos pela indústria.nervoso central, aumento na morte das células que O problema com essa abordagem é mostrado porauxiliam na formação do crânio, e cartilagem deformada. pesquisas sobre efeitos de disrupção endócrina deOs autores concluíram que as conclusões levantam químicos. Estudos independentes verificaram efeitos“preocupações a respeito dos resultados clínicos em prejudiciais de baixas doses, enquanto estudos dacrianças nas populações expostas a lesões corporais graves indústria não encontraram qualquer efeito. Em função(LCG) em áreas agrícolas”. disso, os autores escrevem, é necessário um órgãoCarrasco disse, “As descobertas no laboratório são de pesquisa independente para avaliar os efeitos decompatíveis com malformações observadas em humanos agrotóxicos sobre a saúde humana.expostos a glifosato durante a gestação.” Ele acrescentou Os pesquisadores criticaram o excesso de confiança daque suas descobertas têm sérias implicações para Argentina no glifosato, causado pela expansão da sojaas pessoas porque as cobaias têm mecanismos de transgênica RR, a qual, em 2009, cobria 19 milhões dedesenvolvimento similares aos dos humanos.41 hectares.46 47 Eles observaram que 200 milhões de litros deDe forma significativa, Carrasco encontrou malformações herbicida à base de glifosato são utilizados no país paraem embriões de sapo e galinha injetados com 2,03 mg/ produzir 50 milhões de toneladas de soja por ano. ElesSOJA TRANSGÊNICA – Sustentável? Responsável? 8
  9. 9. concluíram, “Os modelos agrícolas intensivo e extensivo a taxa de câncer infantil triplicou em La Leonesa entrebaseados no pacote tecnológico dos transgênicos são 2000 e 2009. A taxa de defeitos congênitos aumentouempregados atualmente sem uma avaliação crítica, aproximadamente quatro vezes em todo o estado doregulamentações rigorosas e informação adequada a Chaco.respeito do impacto de doses subletais sobre a saúde Esse aumento dramático de doenças ocorreu em apenashumana e o ambiente.” uma década, coincidindo com a expansão da fronteiraOs autores condenaram o fato de que nem mesmo o agrícola na província e o correspondente aumento no usopeso da evidência científica e de observações clínicas de agrotóxicos.é suficiente para ativar o princípio da precaução edesencadear investigação sobre a “profundidade do O relatório mencionou o glifosato e vários outrosimpacto na saúde humana produzido por herbicidas na agrotóxicos como causadores de problemas. Ele destacouagricultura baseada em transgênicos”. que queixas de moradores pulverizados se concentraram em “cultivos transgênicos, os quais requeremComentando sobre os resultados de sua equipe em pulverizações aéreas e terrestres com agrotóxicos”. Ouma entrevista para o Financial Times, Carrasco disse relatório recomendou que “medidas de precaução”que pessoas morando em áreas de produção de soja deveriam ser tomadas até que uma avaliação do impactoda Argentina começaram a relatar problemas em ambiental possa ser efetuada.2002, dois anos depois da primeira grande colheitade soja transgênica RR. Ele disse, “Eu desconfio que Um membro da comissão que preparou o estudo, quea classificação de toxicidade do glifosato seja muito pediu para não ser identificado devido às “tremendasbaixa... em alguns casos, este pode ser um veneno pressões” a que estavam submetidos, disse, “todospoderoso.”48 aqueles que assinaram o relatório têm muita experiência no tema em estudo, mas os plantadores de arroz e de soja estão pressionando fortemente o governo. Não sabemosProposta de banimento do glifosato e como isso vai terminar, uma vez que muitos interessesdeterminação judicial estão envolvidos.”52Depois da divulgação dos resultados da pesquisa deCarrasco, um grupo de advogados ambientalistas Comunidade impedida de ouvirpeticionou à Suprema Corte da Argentina para banir pesquisador do glifosatoa venda e uso de glifosato. Mas Guillermo Cal, diretorexecutivo da CASAFE (associação comercial de proteção Há uma pressão intensa sobre pesquisadores ede cultivos da Argentina), disse que um banimento moradores na Argentina para não falarem abertamentesignificaria que “não conseguiríamos fazer agricultura na a respeito dos perigos do glifosato e de outrosArgentina”.49 agrotóxicos. Em agosto de 2010, a Anistia Internacional relatou que um bando organizado atacou violentamenteNão se implementou um banimento nacional. Mas, ativistas comunitários, moradores e funcionáriosem março de 2010, apenas alguns meses depois da públicos que se reuniram em La Leonesa para ouvirdivulgação dos resultados de Carrasco, um tribunal na uma palestra do professor Andrés Carrasco sobre osprovíncia argentina de Santa Fé confirmou uma decisão resultados de sua pesquisa sobre glifosato. Três pessoasimpedindo os produtores de pulverizarem agrotóxicos foram gravemente feridas no ataque, e o eventopróximo a áreas habitadas. O tribunal considerou que os teve que ser abandonado. Carrasco e um colega seprodutores “têm usado indiscriminadamente agrotóxicos trancaram dentro de um carro e foram rodeados porcomo o glifosato, aplicados em clara violação das leis pessoas fazendo ameaças violentas e batendo no carroexistentes [causando] danos severos ao ambiente e à por duas horas.saúde e qualidade de vida dos residentes”. Apesar de Testemunhas disseram que acreditavam que o ataquea decisão estar limitada à área ao redor de San Jorge, tinha sido organizado por funcionários públicos locaisoutros tribunais estão propensos a seguir a mesma e um produtor de arroz local para proteger poderososdeterminação se os moradores buscarem ação judicial interesses econômicos por trás da agroindústria local.similar.50 As autoridades estatais não realizaram estudosRelatório do governo do Chaco epidemiológicos sistemáticos em áreas onde o glifosato é amplamente pulverizado. Contudo, a AnistiaEm abril de 2010, como consequência de pressão Internacional disse que, desde que os resultados dede moradores e médicos, uma comissão aberta pelo Carrasco foram anunciados, “Ativistas, advogados egoverno provincial do Chaco, Argentina, completou um trabalhadores em saúde... começaram a realizar seusrelatório analisando estatísticas de saúde na cidade de La próprios estudos, registrando casos de malformaçõesLeonesa e em outras áreas onde cultivos de soja e arroz fetais e de taxas de câncer aumentadas em hospitaissão fortemente pulverizados.51 A comissão relatou que locais.”53GLS Gemeinschaftsbank eG / ARGE Gentechnik-frei 9
  10. 10. Outros relatos de danos à saude Estudos epidemiológicos sobre odecorrentes de pulverização de glifosato glifosatoOutros relatos surgiram de países da América do Sul sobre Estudos epidemiológicos consideram um amplo grupo degraves efeitos à saúde e ao ambiente decorrentes da pessoas que foram expostas a uma substância suspeitapulverização de glifosato e de outros agrotóxicos na soja de causar danos. O grupo exposto é comparado com umtransgênica RR. grupo não exposto que seja correspondente em termos sociais e econômicos. A incidência de certas doenças ouNo Paraguai, em 2003, um menino de 11 anos, Silvino outros efeitos negativos é medida em cada grupo para verTalavera, morreu após ter sido envenenado por se a exposição à substância suspeita está associada a umagrotóxicos pulverizados sobre soja transgênica RR. aumento.As outras crianças da família foram hospitalizadas, eglifosato foi um dos três químicos encontrados no sangue Estudos epidemiológicos sobre exposição a glifosato mostram uma associação com sérios problemas de saúde.deles.54 As conclusões incluem:Um documentário de televisão britânico sobre produção • Um estudo identificou um grau mais alto de danosde soja RR no Paraguai, Paraguay’s Painfull Harvest, ao DNA em pessoas morando próximo ao limite darelatou acusações de que agrotóxicos pulverizados em soja zona pulverizada comparado com aquelas distantestransgênica RR estão causando defeitos congênitos. Um 80 quilômetros.63 O dano no DNA pode ativar geneseminente produtor brasileiro de soja entrevistado para o associados com o desenvolvimento de câncer,programa respondeu que os locais não gostaram do fato observou o pesquisador principal, César Paz Y Miño,de estrangeiros estarem fazendo sucesso com o plantio de e isso pode levar a aborto espontâneo ou defeitossoja no Paraguai, e que os químicos usados não causariam congênitos.64 Esses resultados somaram-se aosdanos a uma galinha.55 sintomas esperados da exposição ao Roundup –Em 2009, o Dr. Dario Roque Gianfelici, um médico rural vômito e diarréia, visão embaçada e dificuldade paraatuando numa região de plantio de soja da Argentina, respirar.publicou um livro, La Soja, La Salud y La Gente, sobre • Um estudo de famílias agricultoras em Ontário, Canadá,problemas de saúde associados com a pulverização de encontrou altos níveis de nascimentos prematurosglifosato.56 Estes incluem altos índices de infertilidade, e abortos espontâneos em mulheres membros departos de natimortos, abortos espontâneos, defeitos famílias que usaram agrotóxicos, incluindo glifosato econgênitos, casos de câncer, e cursos de água cobertos 2,4-D65 (um dos herbicidas que os agricultores estãocom peixes mortos. utilizando para manejar ervas invasoras resistentes ao glifosato).Um artigo para a New Scientist também relatou danosa cultivos, mortes de animais de criação e problemas • Um estudo epidemiológico sobre aplicadores dede saúde em pessoas, decorrentes da pulverização de agrotóxicos encontrou que a exposição a glifosato está associada a uma maior incidência de mieloma múltiplo,glifosato.57 um tipo de câncer.66 • Estudos realizados na Suécia encontraram que aBanimentos judiciais de pulverização de exposição a glifosato está relacionada a uma maiorglifosato ao redor do mundo incidência de linfoma não-Hodgkin, um tipo de câncer.67 68 69A Argentina não é o único país no qual um tribunal baniua pulverização de glifosato. Na Colômbia, em julho de • O glifosato aumenta câncer de pele.702001, um tribunal ordenou que o governo parasse com a Esses resultados epidemiológicos, por si sós, não podempulverização aérea de Roundup sobre plantações ilegais de provar que o glifosato é o fator causal. Os fabricantescoca na fronteira entre Colômbia e Equador.58 de substâncias identificadas por tais estudos como potencialmente perigosas frequentemente alegam quePulverizações aéreas, pelo governo israelense, de não há provas de que a substância foi a causa do dano.Roundup e outros químicos sobre cultivos de agricultores É verdade que estudos epidemiológicos não podembeduínos em Naqab (Negev), Israel, entre 2002 e 2004, identificar causa e efeito – eles somente podem apontarforam interrompidas por uma determinação judicial59 60 associações entre um possível fator causal e um problemadepois que uma coalizão de grupos árabes de direitos de saúde. É necessário trabalho toxicológico posteriorhumanos e cientistas israelenses relataram altas taxas de para estabelecer causa e efeito. Contudo, essa limitaçãomortalidade em animais de criação e uma alta incidência da epidemiologia não invalida seus resultados. Os estudosde abortos espontâneos e doenças entre pessoas toxicológicos sobre glifosato citados acima confirmam queexpostas.61 62 ele apresenta riscos à saúde.SOJA TRANSGÊNICA – Sustentável? Responsável? 10
  11. 11. Efeitos tóxicos indiretos do glifosato Resíduos de glifosato e adjuvantes na sojaFabricantes de glifosato e proponentes da soja Em 1997, depois que a soja transgênica RR foitransgênica RR alegam que o glifosato se degrada comercializada na Europa, o limite de resíduo de glifosatorapidamente em substâncias inofensivas e não é perigoso (limite máximo de resíduo, ou LMR) permitido para soja foipara o ambiente. Mas estudos mostram que isso não é aumentado em 200 vezes, de 0,1 mg/kg para 20 mg/kg.82assim. Esse alto limite de resíduo não é permitido para nenhum outro agrotóxico ou produto na União Europeia.No solo, o glifosato tem uma meia-vida (o tempo que eleleva para perder a metade de sua atividade biológica) de De forma similar, no Brasil, em 1998, a ANVISA, agência doentre 3 e 215 dias, dependendo das condições do solo e Ministério da Saúde do governo brasileiro, autorizou umda temperatura.71 72 Na água, a meia-vida do glifosato é de aumento de 50 vezes no LMR de glifosato, de 0,2 mg/kg35 a 63 dias.73 para 10 mg/kg.O glifosato e o Roundup têm efeitos tóxicos sobre o Essas elevações no LMR de glifosato foram criticadasambiente. Os resultados incluem: como decisões políticas sem nenhuma base científica. Em 1999, Malcolm Kane, que recém tinha se aposentado• O glifosato estimula o crescimento e desenvolvimento como responsável por segurança de alimentos na rede de um tipo de caramujo aquático que é um britânica de supermercados Sainsbury, disse, numa hospedeiro da fascíola hepática. O estudo conclui entrevista à imprensa, que o nível tinha sido aumentado que baixos níveis de glifosato poderiam promover para “satisfazer as companhias de biotecnologia” e facilitar o aumento de infecções de fascíola hepática em o caminho para a entrada de soja transgênica RR no mamíferos.74 mercado.83• O glifosato aumenta a suscetibilidade de peixes a Resíduos de glifosato foram encontrados em alimento e parasitas.75 ração. Constatou-se soja contendo resíduos de glifosato• Um estudo de três anos sobre cortes rasos de em níveis de até de 17 mg/kg.84 Resíduos de glifosato abeto pulverizados com glifosato constatou que as foram encontrados em morangos,85 alface, cenouras e densidades totais de pássaros decaíram em 36%.76 cevada plantados em solos previamente tratados com glifosato. Resíduos de glifosato foram encontrados em• O glifosato é tóxico para minhocas.77 78 alguns desses alimentos mesmo quando os cultivos foram• Depois de um único tratamento com glifosato, musgos plantados um ano depois de o glifosato ter sido aplicado precisaram de quatro anos para começar a se recuperar no solo.86 em densidade e diversidade.79 Não foi fixado nenhum LMR para o principal produtoAs alegações de segurança ambiental do Roundup foram da degradação do glifosato no ambiente, o metabólitoderrubadas em tribunais nos Estados Unidos e na França. AMPA, que foi encontrado em soja em níveis elevadosEm Nova Iorque, em 1996, um tribunal determinou de até 25 mg/kg.87 A Monsanto alega que o AMPA temque a Monsanto não tem mais permissão para rotular baixa toxicidade para mamíferos e organismos não-Roundup como “biodegradável” ou “ambientalmente alvos.88 Contudo, pesquisas recentes testando os efeitosamigável”.80 Na França, em 2007, a Monsanto foi forçada de formulações de Roundup encontraram que ambos,a retirar chamadas publicitárias de que o Roundup era AMPA e o adjuvante do Roundup, o POEA, matam célulasbiodegradável e deixa o solo limpo depois do uso. O humanas em concentrações extremamente baixas.89 Umtribunal constatou que essas afirmações eram falsas e estudo verificou que o AMPA provoca danos ao DNA emenganosas, e multou o distribuidor francês da Monsanto células.90 O POEA é cerca de 30 vezes mais tóxico paraem 15.000 euros.81 peixes do que o glifosato.91 RISCOS DE CULTIVOS E DE ALIMENTOS TRANSGÊNICOSOs riscos mais óbvios da soja transgênica RR estão Unidos) autorizou os primeiros alimentos transgênicos nosrelacionados com o herbicida glifosato usado associado ao mercados mundiais no início dos anos 1990.cultivo. Mas um outro conjunto de riscos também deve ser Contrariamente às alegações da indústria de biotecnologiaconsiderado: aqueles decorrentes da própria manipulação e seus apoiadores, o FDA nunca aprovou qualquergenética. alimento transgênico como seguro. Ao invés disso, ele desregulamentou os alimentos transgênicos,A desregulamentação dos alimentos determinando que eles são substancialmente equivalentestransgênicos aos seus similares não transgênicos e não requerem qualquer teste especial de segurança. O termoO FDA (Food and Drug Administration, dos Estados “equivalência substancial” nunca foi definido científicaGLS Gemeinschaftsbank eG / ARGE Gentechnik-frei 11
  12. 12. ou legalmente. Entretanto, ele é usado para afirmar convencional de plantas. Mas isso não é verdade. A(erroneamente) que um alimento transgênico não é modificação genética emprega técnicas de laboratóriodiferente de seu equivalente não transgênico. para inserir unidades de genes artificiais dentro do genoma de plantas hospedeiras – um processo que nuncaA determinação do FDA foi amplamente reconhecida ocorreria na natureza. As unidades de genes artificiais sãocomo uma decisão política de conveniência, sem base criadas juntando fragmentos de DNA de vírus, bactérias,científica. De forma ainda mais controversa, o FDA plantas e animais. Por exemplo, o gene resistente aignorou os alertas de seus próprios cientistas de que herbicida na soja transgênica RR foi montado a partir deum organismo geneticamente modificado é diferente um vírus de planta, duas diferentes bactérias de solo edo melhoramento genético tradicional e apresenta uma petúnia.riscos sem precedentes para a saúde humana eanimal.92 O processo de transformação da transgenia é impreciso e pode provocar mutações generalizadas, resultando emDesde então, nos Estados Unidos e em outros lugares, mudanças potencialmente graves para a programação doa avaliação de segurança de alimentos transgênicos é DNA da planta.96 Essas mutações podem afetar, direta ouum processo voluntário, conduzido pela companhia indiretamente, o funcionamento e a regulação não só decomercializadora. A companhia escolhe quais dados um ou até de muitos, mas de centenas de genes, levandosubmeter ao FDA, e o FDA envia à companhia uma carta a efeitos imprevisíveis e potencialmente perigosos.97lembrando-a de que a responsabilidade de garantir a Estes podem incluir a produção de tóxicos inesperados,segurança do alimento transgênico em questão é dela. de compostos carcinogênicos (causadores de câncer),Esse processo isenta o FDA de responsabilização por danos teratogênicos (causadores de defeitos congênitos) oucausados por um alimento transgênico.93 alergênicos.98O precedente aberto pelo FDA foi usado para pressionaroutros países a autorizar a adoção de cultivos transgênicos Mudanças não intencionais em cultivospara plantio – ou pelo menos para importação como e em alimentos transgênicosalimento e ração. Vários estudos mostram mudanças não intencionais em cultivos transgênicos quando comparados comAvaliação europeia da segurança de variedades parentais não transgênicas. São observadasalimentos transgênicos mudanças mesmo quando variedades transgênicas e suas equivalentes não transgênicas são plantadas lado a lado,Afirma-se frequentemente que a Europa tem padrões em condições idênticas, e colhidas ao mesmo tempo. Issode avaliação de risco de segurança de alimentos mais mostra que qualquer diferença que possa haver não éestritos para alimentos transgênicos do que os Estados causada pelas condições ambientais, mas pelo processoUnidos. Mas isso não é verdade. O órgão europeu de de transformação transgênica.regulamentação de transgênicos, a EFSA (EuropeanFood Safety Authority), da mesma forma que o FDA, Um estudo desse tipo, cuidadosamente controlado,acredita que em geral os testes de alimentação com comparando arroz transgênico com seu equivalente nãoalimentos transgênicos são desnecessários, e baseia sua transgênico, mostrou que os dois tinham quantidadesavaliação desses alimentos com a premissa que alimentos diferentes de proteínas, vitaminas, ácidos graxos,transgênicos são substancialmente equivalentes aos seus elementos-traço e aminoácidos. Os autores concluíramsimilares não transgênicos.94 que as diferenças “podem estar relacionadas com a modificação genética”.99Plantas transgênicas são testadas muito maissuperficialmente do que alimentos irradiados, Um outro estudo, comparando o milho transgênico Btagrotóxicos, químicos e medicamentos. Para demonstrar MON810 da Monsanto com variedades equivalentesa segurança de alimentos irradiados, por exemplo, são não transgênicas, também encontrou mudanças nãoefetuados testes de alimentação com camundongos, intencionais decorrentes do processo de engenhariaratos, cães, macacos e até humanos. Testes de genética. O estudo identificou que as sementesalimentação foram realizados durante vários anos para transgênicas responderam de forma distinta ao mesmoinvestigar crescimento, carcinogenicidade e efeitos na ambiente quando comparadas com suas equivalentes nãoreprodução. Plantas transgênicas não foram submetidas transgênicas, “em decorrência do rearranjo do genoma derivado da inserção de genes”.100a tais investigações.95 Em alguns casos, tais mudanças são importantes,O processo de engenharia genética pois podem surgir perigos à saúde devido a proteínas estrangeiras produzidas em plantas transgênicas emProponentes dos organismos geneticamente modificados decorrência do processo de engenharia genética.101 Emfrequentemente alegam que engenharia genética um estudo, ervilhas transgênicas dadas a camundongosé simplesmente uma extensão do melhoramento causaram reação imunológica, e os camundongosSOJA TRANSGÊNICA – Sustentável? Responsável? 12
  13. 13. tornaram-se sensíveis a outros alimentos, enquanto realizados centenas de estudos revisados pelos pareservilhas não transgênicas não provocaram tal reação. a respeito de alimentos e cultivos transgênicos. MuitosAlém disso, feijões (kidney beans) que naturalmente avaliam impactos de longo prazo como a crescentecontêm o gene que foi adicionado às ervilhas transgênicas proliferação de ervas invasoras resistentes ao glifosatonão causaram tal reação. Isso mostra que a reação dos ao redor do mundo. Os resultados mostram que a sojacamundongos às ervilhas transgênicas foi causada por transgênica RR não é substancialmente equivalente à sojaalterações provocadas pelo processo de engenharia não transgênica, mas difere em suas propriedades, efeitosgenética.102 sobre cobaias, impactos ambientais e no desempenho aAs ervilhas transgênicas não foram comercializadas. campo.Mas efeitos adversos inesperados, incluindo efeitostóxicos e respostas imunológicas, foram encontrados Aprovação da soja transgênica RRem animais alimentados com cultivos e alimentostransgênicos que foram comercializados. Estes incluem A Monsanto solicitou a aprovação da comercializaçãomilho103 104 105 106 e canola/colza107 transgênicos, bem de sua soja transgênica RR em 1994. Ela fundamentoucomo soja. seu pedido em pesquisa que analisou a composição, alergenicidade, toxicidade e conversão alimentar da soja RR, os quais, tomados em conjunto, visavam demonstrarAlimentos e cultivos transgênicos: O segurança à saúde.ambiente da pesquisa A pesquisa não foi nem revisada pelos pares e nem publicada na época do pedido. Documentos relativos aQuando a soja transgênica RR foi aprovada pela isso, feitos por empregados da Monsanto, só apareceramprimeira vez para comercialização, havia poucos mais tarde, em periódicos científicos.114 115 116 117estudos sobre alimentos e cultivos transgênicos.Mesmo hoje, o conjunto de dados de segurança Desde que a soja transgênica RR foi comercializada, emsobre cultivos e alimentos transgênicos não é tão 1996, cientistas criticam esses estudos com base em:118 119 120 121abrangente como deveria ser, considerando que estãonos suprimentos de alimento e de ração há 15 anos. • Dados nos estudos publicados diferem dos dados dosIsso se deve em parte às companhias de transgênicos, pedidos de aprovação.que usam seu controle dos cultivos através das • Dados importantes que serviram de base parapatentes para restringir a pesquisa. Com frequência as conclusões do estudo eram inconsistentes ouelas impedem o acesso a sementes para testes, ou se ausentes.reservam o direito de negar permissão de publicar umestudo.108 • Diferenças significativas na composição da soja transgênica e da não transgênica foram descartadasMesmo cientistas e veículos de mídia pró-transgênicos na construção da conclusão da equivalênciapediram por maior liberdade e transparência na substancial.pesquisa de cultivos transgênicos. Um editorial daScientific American observou, “Infelizmente, é impossível • Diferenças significativas encontradas em estudosverificar se os cultivos geneticamente modificados têm o de alimentação (pesos menores e menor consumodesempenho que é anunciado. Isso se deve ao fato de as de alimento em ratos machos e peixes, maior pesocompanhias de tecnologia agrícola terem se outorgado de rim/testículo em ratos, aumento da quantidadepoder de veto sobre o trabalho de pesquisadores de gordura no leite em vacas) entre aquelesindependentes.”109 alimentados com soja transgênica RR e aqueles alimentados com a dieta controle são descartadas,Há também um padrão bem documentado das sem justificativa, como não significativastentativas da indústria de transgênicos de desacreditar biologicamente.cientistas cujas pesquisas revelam problemas comcultivos transgênicos.110 Por exemplo, os pesquisadores • Testes histológicos (nos quais tecidos do corpo deda University of California, Berkeley, David Quist cobaias são examinados para ver alterações e efeitose Ignacio Chapela, tornaram-se alvos de uma tóxicos) não foram realizados ou não aparecem noscampanha orquestrada para desacreditá-los após eles dados publicados.publicarem uma pesquisa mostrando contaminação • Não há testes para efeitos de longo prazo sobre atransgênica de variedades de milho no México.111 Uma saúde. Esses tipos de testes são necessários parainvestigação rastreou a campanha até o Bivings Group, identificar se a soja transgênica RR tem (por exemplo)uma empresa de relações públicas contratada pela efeitos carcinogênicos ou reprodutivos.Monsanto.112 113 • As dietas dadas às cobaias são de tal composiçãoEm que pese esse ambiente restritivo de pesquisa, e, que quaisquer efeitos da soja transgênica RR sãoalgumas vezes, frente a forte oposição da indústria, foram mascarados. Por exemplo, o conteúdo de proteína éGLS Gemeinschaftsbank eG / ARGE Gentechnik-frei 13
  14. 14. tão alto, e/ou níveis de soja transgênica tão baixos, • Camundongos alimentados com soja transgênica que são reduzidas as chances de encontrar quaisquer durante toda sua vida mostraram sinais mais agudos diferenças resultantes da dieta transgênica RR. de envelhecimento em seus fígados. Várias proteínas relacionadas ao metabolismo de células hepáticas,Acima de tudo, as falhas metodológicas influenciam os resposta a estresse, sinalização de cálcio (envolvidaestudos para concluir que “não há diferenças” entre soja no controle de contração muscular) e mitocôndriatransgênica e não transgênica.122 123 124 125 (envolvida no metabolismo de energia) foram expressadas de forma distinta nos camundongosAlterações não intencionais em soja alimentados com transgênicos.131transgênica RR • Coelhos alimentados com soja transgênica mostraram distúrbios na função enzimática nos rinsA soja transgênica RR foi aprovada para comercialização e coração.132em 1996, mas a caracterização molecular independentesó foi feita em 2001. Alterações não previstas foram • Ratos fêmeas alimentados com soja transgênicadescobertas no DNA. A inserção da modificação apresentaram alterações em seus úteros e ovários quando comparados com controles alimentados comgenética tinha saído da ordem e um fragmento extra de soja orgânica não transgênica ou com uma dieta semtransgene tinha surgido desde a caracterização feita pela soja.133Monsanto.126 • Em um estudo multigeracional com hamsters,Outro estudo mostrou que o transgene na soja a maioria dos hamsters alimentados com sojatransgênica RR não cria RNA (um tipo de molécula) transgênica perdeu a capacidade de se reproduzirna forma originalmente pretendida. Os autores na terceira geração. Os hamsters alimentados comconcluem que os cultivos transgênicos podem produzir transgênicos tiveram crias com crescimento maiscombinações não naturais e não intencionais de RNA, lento e mortalidade mais alta.134e que podem fazer aparecer proteínas novas e nãoesperadas.127 As descobertas sugerem que soja transgênica RR pode trazer sérios riscos de saúde a humanos. O fatoEsses estudos mostram que a soja transgênica RR que de ter havido diferenças entre animais alimentadosexiste atualmente não é a mesma soja transgênica RR que com transgênicos e com não transgênicos contradiza Monsanto originalmente descreveu em seu pedido de o pressuposto do FDA de que a soja transgênica éaprovação ao FDA . substancialmente equivalente à soja não transgênica.Há duas explicações possíveis para isso. A primeira é Na maioria dos casos não está claro se os efeitosque os dados originais da Monsanto estavam errados. A observados se devem ao engenheiramento genéticosegunda é que o arranjo genético da soja transgênica RR do genoma da soja, à aplicação de herbicidas à baseé instável ao longo do tempo e/ou varia entre diferentes de glifosato (e a consequente presença de adjuvanteslotes de semente. Qualquer das explicações levanta do glifosato ou do Roundup) ou a efeitos sinérgicospreocupações a respeito da segurança da soja transgênica transgênicos/glifosato. É necessário mais pesquisaRR e da competência científica da avaliação de segurança para segregar os possíveis efeitos desses diferentesda Monsanto. aspectos.Riscos à saúde e efeitos tóxicos da soja Teste falho de alimentação nãotransgênica RR encontrou diferença entre sojaDesde que a soja transgênica RR foi aprovada para transgênica e não transgênicacomercialização, estudos identificaram efeitos adversos Proponentes e reguladores dos transgênicos135em cobaias alimentadas com soja transgênica RR que não frequentemente alegam a segurança da soja transgênicaforam observados em grupos de controle alimentados RR com base em um teste de alimentação decom soja não transgênica: camundongos feito por Brake e Evenson (2004).136 O• Em um raro estudo de alimentação de longo prazo, estudo relatou não haver diferenças significativas nos camundongos alimentados com soja transgênica e não camundongos foram alimentados com soja transgênica transgênica. durante 24 meses. Observaram-se alterações celulares significativas no fígado, pâncreas e testículos. Os Entretanto, o estudo enfocou numa estreita área pesquisadores encontraram núcleos de células de investigação – o desenvolvimento testicular em e nucléolos irregularmente formados em células camundongos machos jovens – e não buscou por hepáticas, o que indica aumento de metabolismo efeitos tóxicos em outros órgãos e sistemas. Os autores e alteração potencial de padrões de expressão escreveram: “A soja foi obtida de cultivo na safra 2000, de genética.128 129 130 um distribuidor de sementes que identificou um campoSOJA TRANSGÊNICA – Sustentável? Responsável? 14
  15. 15. isolado convencional e um campo de soja transgênica esses cultivos transgênicos. O DNA transgênico não foino leste do estado de South Dakota.” As amostras foram destruído pela pasteurização.138retiradas do meio de cada campo. Os suprimentos de soja • DNA transgênico de soja foi encontrado notransgênica e da não transgênica para as diferentes dietas sangue, órgãos e leite de cabras. Uma enzima, aparecem não ter sido testados para confirmar se, de fato,elas eram distintas. desidrogenase láctica, foi encontrada em níveis significativamente altos no coração, músculos eVários aspectos do estudo estão descritos de forma rins de cabritos alimentados com soja transgênicainsuficiente. Os autores não indicam a quantidade de RR.139 Essa enzima vaza de células danificadas esoja não transgênica que foi colocada na dieta não pode indicar lesão celular inflamatória ou de outratransgênica. Não especificam a quantidade de qualquer natureza.das dietas consumidas pelos camundongos. O protocolode alimentação, pesos de cada animal e padrão decrescimento relacionados com o alimento consumido Efeitos sobre a saúde em humanosnão estão registrados. Todos esses fatores são Muito poucos estudos examinam diretamente os efeitosrelevantes para um estudo nutricional e toxicológico de alimentos transgênicos sobre humanos. Contudo,rigoroso, mas, apesar disso, não foram levados em dois estudos que examinaram possíveis impactos daconsideração. soja transgênica RR sobre a saúde humana encontraramPor essas razões, com base nesse estudo, não é possível problemas potenciais.fazer afirmações cientificamente defensáveis sobre asegurança da soja transgênica. Testes simulados de digestão mostram que o DNA transgênico em soja transgênica RR pode sobreviver à passagem pelo intestino delgado e pode, portanto,Efeitos da alimentação animal estar disponível para ser absorvido por bactérias outransgênica células intestinais.140 Outro estudo mostrou que o DNA transgênico de soja RR foi transferido para bactériasAproximadamente 38 milhões de toneladas de farelo de intestinais antes do experimento ter iniciado e continuou asoja são importadas anualmente pela Europa, e a maior ser biologicamente ativo.141 Não foram realizados estudosparte vai para alimentação animal. Entre 50-65% dela é complementares a esses.transgênica ou contaminada com transgênicos, e 14-19milhões de toneladas são livres de transgênicos. Os proponentes da transgenia frequentemente alegamProdutos alimentícios derivados de animais alimentados que o DNA transgênico em alimentos é degradado ecom transgênicos não precisam ter um rótulo de inativado no trato digestório. Esses estudos mostram quetransgênicos. Isso tem como base pressuposições que isso é falso.incluem:• O DNA transgênico não sobrevive ao processo Valor nutritivo e potencial alergênico digestivo do animal Estudos mostram que soja transgênica RR pode ser menos• Animais alimentados com transgênicos não são nutritiva do que soja não transgênica e pode ter maior diferentes de animais criados com alimento não probabilidade de causar reações alérgicas: transgênicos • Soja transgênica RR apresentou menor quantidade• Carne, peixe, ovos e leite de animais criados com de isoflavonas (compostos que se verificou terem alimentação transgênica não são diferentes de efeitos anticâncer), entre 12-14%, do que soja não produtos de animais criados com alimentação não transgênica.142 transgênica. • O nível do inibidor tripsina, um conhecido alérgeno, eraNo entanto, estudos mostram que podem ser encontradas 27% mais elevado em variedades de soja transgênicadiferenças em animais que recebem ração com sojatransgênica RR, comparados com animais que recebem crua.143ração não transgênica, e que DNA transgênico pode ser • Identificou-se que soja transgênica RR contémdetectado no leite e em tecidos do corpo (carne) de tais uma proteína que diferiu da proteína em sojaanimais. Os resultados incluem: de tipo silvestre, levantando a possibilidade de• O DNA de plantas não é completamente degradado no propriedades alergênicas. Um indivíduo humano intestino, mas é encontrado em órgãos, sangue, e até testado no estudo mostrou uma resposta nas crias de camundongos.137 O DNA transgênico não é imunológica para soja transgênica, mas não para exceção. soja não transgênica.144• O DNA transgênico de milho e de soja transgênicos Esses resultados mostram que a soja transgênica não é foi encontrado no leite de animais alimentados com substancialmente equivalente à soja não transgênica.GLS Gemeinschaftsbank eG / ARGE Gentechnik-frei 15

×