Inflacao
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
11,684
On Slideshare
11,684
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
245
Comments
0
Likes
6

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. INFLAÇÃO • A inflação é um aumento generalizado, contínuo e persistente do nível de preços. Que provoca a redução do poder aquisitivo da moeda, isto é, com a mesma quantidade de unidades monetárias(dinheiro), passa-se a comprar menos quantidade de produtos e serviços.
  • 2. INFLAÇÃO • Não existe uma pequena inflação assim como não existe uma pequena gravidez.
  • 3. DEFLAÇÃO • A deflação é a queda generalizada e persistente dos preços; • Pode ser um problema mais grave do que a inflação; • Grande depressão – 1929 – aumento do desemprego
  • 4. Os efeitos da inflação são iguais para todos agentes econômicos? GASTOS EMINDIVÍDUO INDIVÍDUO M1 GRUPOS DE X Y MÉDIA GASTOS R$VALOR R$ VALOR R$VALOR HABITAÇÃO 500,00 R$ 300,00 R$ 400,00 R$ EDUCAÇÃO 150,00 R$ 200,00 R$ 175,00 R$ TRANSPORTES -R$ 100,00 R$ 50,00 R$ ALIMENTAÇÃO 200,00 R$ 300,00 R$ 250,00 R$ OUTROS GASTOS 250,00 TOTAL DE R$ 100,00 R$ 175,00 R$ GASTOS(A) SALÁRIO 1.100,00 R$ 1.000,00 R$ 1.050,00 R$ LÍQUIDO(B) 1.222,00 POUPANÇA(C=B- R$ 1.111,00 R$ 1.166,50 R$ A) 122,00 111,00 116,50 Quadro 1 INDIVÍDUO GASTOS EM M2 INDIVÍDUO GRUPOS DE X Y MÉDIA GASTOS R$VALOR ∆% R$VALOR ∆% R$VALOR ∆% HABITAÇÃO 500,00 R$ 0,00% 350,00 R$ 16,7% 425,00 R$ 6,3% EDUCAÇÃO 170,00 R$ 13,33% 220,00 R$ 10,0% 195,00 R$ 11,4% TRANSPORTES -R$ 0,00% 100,00 R$ 0,0% 50,00 R$ 0,0% ALIMENTAÇÃO 200,00 R$ 0,00% 350,00 R$ 16,7% 275,00 R$ 10,0% OUTROS GASTOS 280,00 TOTAL DE R$ 12,00% 150,00 R$ 50,0% 215,00 R$ 22,9% GASTOS(A) SALÁRIO 1.150,00 R$ 1.170,00 R$ 1.160,00 R$ LÍQUIDO(B) 1.350,00 POUPANÇA(C=B- R$ 10,5% 1.228,00 R$ 10,5% 1.289,00 R$ 10,5% A) 200,00 58,00 129,00 10,7% INFLAÇÃO 4,5% 17,0% 10,5% Quadro 2
  • 5. NÚMERO ÍNDICE • EXEMPLOS: CALCULAR O ÍNDICE DE INFLAÇÃO PARA O PERÍODO ABAIXO: MÊS INFLAÇÃO ∆% JAN FEV MAR ABR JUN JUL
  • 6. ÍNDICES DE INFLAÇÃO IGP-DI – ÍNDICE GERAL DE PREÇOS
  • 7. IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo • Conceito: O IPCA é um índice utilizado pelo Banco Central do Brasil para o acompanhamento dos objetivos estabelecidos no sistema de meta de inflação, adotado a partir de julho de 1999, para o balizamento da política monetária. • Cálculo: pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Periodicidade: Mensal, o período de coleta do IPCA estende-se, em geral, do dia 01 a 30 do mês de referência.
  • 8. IGP-M – Índice Geral de Preços de Mercado • Conceito: Indicador com ampla cobertura que, além de refletir a evolução de preços de atividades produtivas, também representam o movimento das operações de comercialização no atacado, no varejo e na construção civil. • Público Alvo da Análise: Indicador com ampla cobertura que, além de refletir a evolução de preços de atividades produtivas, também representam o movimento das operações de comercialização no atacado, no varejo e na construção civil. • Composição: É composto pela média ponderada do IPA (60%), IPC (30%) e INCC (10%). • Quem calcula: Ibre - Instituto Brasileiro de Economia da FGV - Fundação Getulio Vargas • Periodicidade: do dia 21 do mês anterior ao dia 20 do mês de referência.
  • 9. IPC – Índice de Preços ao Consumidor • Medir o movimento médio de preços, mensal, de determinado conjunto de bens e serviços no mercado varejista, de abrangência Nacional, com pesquisa de preços realizada nos principais centros consumidores do país: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, pesquisando famílias com renda de 1 a 33 salários mínimos.
  • 10. INCC – Índice Nacional de Custo da Construção Mede o ritmo evolutivo dos preços dos materiais de construção, serviços e mãode- obra, relativos a construção civil. Sua abrangência é Nacional, com pesquisa de preços realizada em doze capitais: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.
  • 11. IPA - Índice de Preços por Atacado • Mede o movimento médio no atacado de preços em todas as capitais brasileiras.
  • 12. TEORIAS DE INFLAÇÃO • Teoria quantitativa da moeda • Inflação de demanda • Inflação de custos • Teoria inercialista
  • 13. TQM – TEORIA QUANTITATIVA DA MOEDA • A inflação é causada pela elevação da quantidade de dinheiro em circulação na economia. Quanto mais dinheiro maior será o nível de preços, portanto maior será a inflação.
  • 14. TQM – TEORIA QUANTITATIVA DA MOEDA • Para o Governo combater uma inflação com essas características, ele deve retirar moeda de circulação utilizando os instrumentos de política monetária que são: venda de títulos públicos no sistema de open market, elevação dos percentuais de depósito compulsório e aumento da taxa de redesconto bancário.
  • 15. INFLAÇÃO DE DEMANDA • A inflação de demanda é definida como sendo um aumento de preços ocasionado pelo aumento na demanda de determinado bem. Para ocorrer este tipo de inflação, o PIB real tem que ser maior que o PIB potencial. Portanto, a economia tem que estar em uma situação de pleno emprego.
  • 16. INFLAÇÃO DE DEMANDA – COMBATE CHOQUE ORTODOXO • Política monetária: dimininuir a quantidade de moeda em circulação na economia. – Aumentando a taxa de redesconto dos bancos; – Aumentando o percentual de depósito compulsório; – Vendendo títulos públicos no mercado de open market; • Política fiscal: através desta política o Governo diminui os gastos públicos e ou aumenta a tributação; • Política Câmbial: o Governo pode valorizar a moeda nacional diminuido as exportações e aumentando as importações;
  • 17. INFLAÇÃO DE CUSTOS • A inflação de custos ocorre quando o aumento de preços se dá pelo aumento nos insumos de produção. Ao contrario da inflação de demanda, ocorre uma pressão de inflacionaria sobre a oferta, onde os produtores irão aumentar o preço final de seus bens para reporem o aumento dos insumos de produção.
  • 18. INFLAÇÃO DE CUSTOS • Este tipo de inflação desencadeia um processo de aumento generalizado de preços por toda economia. Uma vez que o aumento dos custos de produção vai sendo repassado ao longo de toda cadeia produtiva. Por exemplo, um aumento no custo da energia atinge praticamente todos os setores da economia.
  • 19. INFLAÇÃO DE CUSTOS • O choque do petróleo em 1973 desencadeou um processo inflacionário no país. Como solução para a redução da inflação, o Governo incentivou o programa pró-alcool no sentindo de diminuir a dependência de petróleo do país.
  • 20. INFLAÇÃO DE CUSTOS • A diminuição de salários, seja pela redução nominal ou pelo aumento do desemprego é uma forma de combater tanto uma inflação de demanda como de custos. Uma vez que se adota uma política de arrocho salarial ou aumento do desemprego os agentes econômicos tendem a consumir menos, aliviando a pressão de preços sobre a demanda e diminuindo o custo sobre a folha de pagamento.
  • 21. INFLAÇÃO DE CUSTOS • Outra forma de combater uma inflação com essas característica é realizando uma valorização cambial. O país irá importar mais e exportar menos diminuindo tanto a demanda quanto o custo.
  • 22. Teoria inercialista • A teoria inercialista foi desenvolvida na PUC do Rio de Janeiro com o objetivo de explicar o porquê os preços no Brasil subiam, geravam inflação e posteriormente a inflação não reduzia e mantinham-se inercialmente em torno de um número. O patamar tornava-se piso e não se conseguia reduzir a inflação.
  • 23. Teoria inercialista • A expectativa está ligada com o comportamento dos agentes econômicos com relação ao futuro. Eles acreditam que algo poderá acontecer. • Já a inércia explica a rigidez do comportamento dos agentes econômicos em relação ao passado. A inflação não cai porque a inércia mantém a inflação na mesma taxa.
  • 24. Teoria inercialista • Se a inflação do mês anterior foi 30% os trabalhadores exigiam uma reposição dos salários no mesmo percentual. Para as empresas concederem aumento nos salários obrigatoriamente tinha que aumentar o preço de venda de seus produtos, conseqüentemente gerando inflação. A indexação ou correção monetária faziam com que os preços subissem constantemente não deixando a inflação ceder após um determinado choque.
  • 25. Teoria inercialista • A teoria inercialista aponta como a principal causa da inflação não ceder à indexação. Portanto para se combater esse tipo de inflação é preciso acabar com a indexação de preços. Se todos os agentes econômicos pactuassem em não aumentar os preços, a inflação seria 0%. No entanto, para esse pacto funcionar deveria existir confiança entre todos os agentes.
  • 26. Curva de Philips