Your SlideShare is downloading. ×
0
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Indices
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Indices

5,405

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
5,405
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
212
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Análise através de índices ESTRUTURA SITUAÇÃO FINANCEIRA LIQUIDEZ SITUAÇÃO ECONÔMICA RENTABILIDADE Situação Financeira: refere-se a dinheiro Situação Econômica: refere-se a lucro Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 2. Estrutura de Capitais Estrutura de Capitais: os índices desse grupo mostram as grandes linhas de decisões financeiras, em termos de obtenção e aplicação de recursos. BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO (terceiros) e PATRIMÔNIO LÍQUIDO (próprio) Aplicações Origens Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 3. Participação de Capitais de Terceiros Variáveis importantes: • Geração de recursos • Liquidez • Renovação Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 4. Composição do Endividamento Curto Prazo % 100% Capitais de Terceiros Ativo Circulante Longo Prazo % Ativo Permanente Patrimônio Líquido Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 5. Imobilização do Patrimônio Líquido Ativo Passivo Circulante Circulante CCP = PL – AP Exigível a Longo Prazo Onde: CCP = Capital Circulante Próprio CCP PL = Patrimônio Líquido AP = Ativo Permanente Patrimônio Líquido Ativo Permanente Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 6. Imobilização dos Recursos não Correntes Situação desejada Ativo Passivo Circulante Circulante Exigível a Longo Prazo CCL Recursos CCP não Patrimônio Correntes Líquido Ativo Permanente Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 7. Imobilização dos Recursos não Correntes Situação maior dependência de capitais de terceiros, no entanto a longo prazo. Ativo Passivo Circulante Circulante CCL Exigível a Longo Prazo Recursos Insuficiência de PL = CCP não Ativo Patrimônio Correntes negativo Permanente Líquido Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 8. Liquidez Estrutura de Capitais: os índices desse grupo mostram a base da situação financeira da empresa, medem quão sólida é a base financeira da empresa e não a capacidade de pagamento. Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 9. Liquidez Geral Situação satisfatória > 1,00 1,00 Ativo Passivo Capital de Terceiros Circulante Circulante ou Exigível Total Exigível a Longo Prazo CCP Capital Circulante Próprio Ativo Patrimônio Permanente Líquido Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 10. Liquidez Geral Situação insatisfatória 1,00 < 1,00 Passivo Ativo Circulante Capital de Terceiros Circulante ou Exigível a Longo Exigível Total Prazo Ativo Patrimônio Insuficiência de PL = Permanente Líquido CCP negativo Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 11. Liquidez Corrente Ativo Passivo Circulante Circulante Exigível a Longo Prazo CCL CCP Patrimônio Líquido Ativo Permanente Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 12. Liquidez Corrente Patrimônio Passivo Líquido Capital Circulante Circulante Ativo Próprio Circulante menos mais Ativo Capital Circulante Permanente Líquido mais Exigível a Longo Prazo Fonte: Matarazzo, Dante C. Análise Financeira de Balanços, 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2003 Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 13. Liquidez Seca LIQUIDEZ LIQUIDEZ CORRENTE Nível ALTA BAIXA L I A Situação financeira em princípio insatisfatória, mas Q L Situação financeira boa atenuada pela boa liquidez seca. Em certos casos pode U T A até ser considerada razoável I D E Z Situação financeira em princípio satisfatória. A baixa B A liquidez seca não indica necessariamente S I comprometimento da situação financeira. Em certos Situação Financeira insatisfatória E X casos pode ser sintoma de excessivos estoques C A "encalhados" A Fonte: Matarazzo, Dante C. Análise Financeira de Balanços, 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2003 Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 14. Rentabilidade Rentabilidade: os índices desse grupo mostram a rentabilidade dos capitais investidos (próprios ou de terceiros) Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 15. Giro do Ativo Significa a eficiência com que a empresa utiliza seus Ativos, com o objetivo de gerar reais de vendas. Este índice também é conhecido como “produtividade”. A idéia é produzir mais, vender mais, numa proporção maior que os investimentos no Ativo. Interferem: Retração do mercado como um todo Perda de participação no mercado Estratégia da empresa Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 16. Margem de Lucro Líquida Este índice demonstra a margem de lucro (rentabilidade) obtida nas vendas (ganho por unidade vendida – deduções de todas as despesas). Também conhecido como “lucratividade”. Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 17. ROI - Rentabilidade do Ativo - TRI Este índice demonstra quanto à empresa obteve de Lucro Líquido em relação ao Ativo. É uma medida da capacidade da empresa em gerar lucro líquido e assim poder capitalizar-se. O ROI tem relação direta com a Margem de Lucro Líquida e o Giro do Ativo, uma vez que sua fórmula pode ser obtida através do resultado do produto destas. ROI = Margem Lucro Líquida X Giro do Ativo ROI = LucroLíquido X VendasLíqu idas VendasLíquidas Ativo ROI = LucroLíqui do Ativo Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 18. ROE - Rentabilidade do Patrimônio Líquido - TRPL O papel deste índice é mostrar qual a taxa de rendimento do Capital Próprio, ou seja em quanto tempo os proprietários da empresa vão recuperar o seu investimento (payback). Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 19. Linguagem Descomplicada Deve-se evitar: “O índice de endividamento é de 220%; isto significa que para cada $ 100 de capital próprio existem $ 220 de terceiros. Esse índice mostra um crescimento de 10% em relação ao ano anterior que, por sua vez, já crescera 18%. Os recursos de terceiros são predominantemente de curto prazo (85%). Já os índices de liquidez encontrados foram respectivamente: liquidez geral – 1,25; liquidez corrente – 1,40; e liquidez seca – 1,01, o que mostra que a empresa tem mais reais realizáveis do que dívidas de curto prazo.” Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 20. Linguagem Descomplicada Linguagem corrente como se fossem dirigidos para leigos: “O grau de endividamento da empresa encontra-se em nível razoável em relação ao ramo de atividade; entretanto, vem crescendo de maneira indesejável, pois há dois anos podia ser considerado bom. A composição do endividamento mostra um perfil de dívida insatisfatório devido à excessiva participação das obrigações de curto prazo. Já a liquidez da empresa pode ser considerada boa.” Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral
  • 21. Linguagem Descomplicada Análise “Cross-Sectional”: Comparação dos índices financeiros de diferentes empresas, de um mesmo setor, em um mesmo instante. Análise de uma série temporal: Avaliação ao longo do tempo de uma mesma empresa. Análise combinada: Combina os dados da análise “cross-sectional”e temporal. Profº Ulisses R. Lupino Contabilidade Geral

×