Your SlideShare is downloading. ×
Apostila custo caderno exercicios aluno
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apostila custo caderno exercicios aluno

28,778
views

Published on


0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
28,778
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
830
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CONTABILIDADE DE CUSTOS Livro de Exercícios Eliseu Martins EDITORA ATLAS S.A.
  • 2. Sumário 1 - A CONTABILIDADE DE CUSTOS, A CONTABILIDADE FINANCEIRA E A CONTABILIDADE GERENCIAL , 3 2 - TERMINOLOGIA CONTÁBIL E IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE CUSTOS, 4 3 - PRINCÍPIOS CONTÁBEIS APLICADOS A CUSTOS, 5 4 - ALGUMAS CLASSIFICAÇÕES E NOMENCLATURAS DE CUSTOS, 7 5 - O ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS (I), 10 6 - O ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS (II) (Departamentalização), 12 7 - CRITÉRIOS DE RATEIO DOS CUSTOS INDIRETOS, 16 8 - APLICAÇÃO DE CUSTOS INDIRETOS DE FABRICAÇÃO, 18 9 - MATERIAIS DIRETOS, 22 10 - MÃO-DE-OBRA DIRETA, 26 11 - PROBLEMAS ESPECIAIS DA PRODUÇÃO POR ORDEM, 35 12 - PROBLEMAS ESPECIAIS DA PRODUÇÃO CONTÍNUA, 39 13 - PRODUÇÃO CONJUNTA, 43 14 - CUSTOS FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO, 46 15 - CONTRIBUIÇÃO MARGINAL E LIMITAÇÕES NA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO, 50 16 - CUSTEIO VARIÁVEL (Custo Direto), 53 17 - MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO, CUSTOS FIXOS IDENTIFICADOS E RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO, 56 18 - FIXAÇÃO DE PREÇO DE VENDA E DECISÃO SOBRE COMPRA OU PRODUÇÃO, 60 19 - CUSTOS IMPUTADOS OU CUSTOS PERDIDOS, 64 20 - ALGUNS PROBLEMAS ESPECIAIS: CUSTOS DE REPOSIÇÃO E MÃO-DE-OBRA DIRETA COMO CUSTO VARIÁVEL, 67 21 - RELAÇÃO CUSTO/VOLUME/LUCRO - CONSIDERAÇÕES INICIAIS, 70 22 - CONSIDERAÇÕES ADICIONAIS SOBRE CUSTO/VOLUME/LUCRO, 75 23 - CONTROLE, CUSTOS CONTROLÁVEIS E CUSTOS ESTIMADOS, 79 24 - CUSTO-PADRÃO, 82 25 - ANÁLISE DAS VARIAÇÕES DE MATERIAIS E MÃO-DE-OBRA, 83 26 - ANÁLISE DAS VARIAÇÕES DE CUSTOS INDIRETOS DE FABRICAÇÃO, 87 27 - CONTABILIZAÇÃO DO CUSTO-PADRÃO - PROBLEMA DA INFLAÇÃO, 93 28 - IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE CUSTOS, 96 2
  • 3. 1 A Contabilidade de Custos, a Contabilidade Financeira e a Contabilidade Gerencial QUESTIONÁRIO 1A. “A Contabilidade de Custos, até o século XVIII, foi muito difundida. ” Você concorda? Justifique sua resposta. 1B. Por que é necessário que as empresas industriais tenham um bom sistema de Custos? 1C. Os fatores de custo de um produto em uma empresa industrial são os mesmos que em uma comercial? Justifique. 1D. Qual foi o motivo principal para o surgimento da Contabilidade de Custos? 1E. Quais os novos campos da Contabilidade de Custos? Quais suas funções nesses campos? 3
  • 4. 1F. Somente as empresas industriais devem utilizar-se da Contabilidade de Custos? Justifique. 2 Termilogia Contábil e Implantação de Sistemas de Custos QUESTIONÁRIO 2A. Temos Despesas ao comprarmos matérias-primas? Quando a matéria-prima é consumida na produção, temos um Gasto? E quando embalamos os produtos, temos um Custo? Justifique. 2B. “Cada componente do processo de produção de uma empresa é uma Despesa que, na venda dos produtos, transforma-se em perda.” Você concorda? Justifique. 2C. Caracterize Perda. Dê exemplos. Quando as Perdas podem ser consideradas Despesas ou Custos? 4
  • 5. 2D. “Só existem custos na empresa industrial; em qualquer outro tipo de empresa existem Despesas.” Opine a respeito. 2E. Diferencie Investimento de Custos. 2F. Quais as dificuldades que a empresa enfrenta com a implantação de um sistema de Custos? 2G. De que depende o bom funcionamento de um sistema de Custos? 2H. Se um sistema de Custos funciona bem em determinada empresa, o mesmo ocorrerá se este for implantado em qualquer outra da mesma espécie? Por quê? 2I. “Quando implantamos um sistema de Custos, este deverá ser de uma rigidez tal que tudo na empresa seja controlado.” Você concorda? Justifique sua posição. 3 Princípios Contábeis Aplicados a Custos QUESTIONÁRIO 3A. Quando o princípio do Custo como Base de Valor deixa de ser usado para a avaliação dos estoques? Por quê? 3B. A Materialidade é importante para a Contabilidade de Custos? Por quê? 3C. O custo de produção de determinado bem foi de $ 10.000,00. Esse bem foi vendido, 6 meses após, por $ 15.000,00 e a despesa para efetuar essa venda foi igual a $ 1.000,00. 5
  • 6. Se nesse período (entre produção e venda) houve uma inflação de 20% e o valor de reposição do produto passou a ser igual a $ 12.500,00, qual o lucro que será considerado pela Contabilidade Geral? Qual o valor máximo correto distribuível de lucro? Se fosse distribuído o lucro considerado pela Contabilidade Geral, o que estaria acontecendo com a empresa? Qual o lucro economicamente mais válido nessa operação? 3D. Se a empresa usar para períodos diferentes sistemas de rateios diversos, o que poderá ocorrer com suas demonstrações contábeis? Estará sendo ferida alguma norma básica de Contabilidade? 3E. Quais critérios devem ser seguidos para a separação entre Custos e Despesas? 3F. Se determinado produto, antes que seja colocado à venda tiver de ser embalado, essa embalagem deve ser considerada Despesa ou Custo? Justifique. 3G. “Os Gastos de Pesquisa e Desenvolvimento de produtos novo devem ser considerados como Custos dos produtos.” Você concorda? Este é o tratamento mais fácil para esse tipo de Gasto? Justifique. 3H. Como deve ser tratado contabilmente o gasto na produção de bens não destinados à venda? 3I. Juros, variações cambiais e correção monetária decorrentes do financiamento de uma matéria-prima são contabilmente considerados como custo da própria matéria-prima ou do produto elaborado? 3J. O que caracteriza o Custeio por Absorção? Está ele dentro das normas requeridas pela Lei das Sociedades por Ações? 3L. Podemos considerar como lucro a diferença entre o preço de venda e o custo do produto vendido, deixando para reconhecer a comissão do vendedor apenas quando recebermos o valor da transação? E se o pagamento dessa comissão estiver contratualmente vinculado ao recebimento da venda? 3M. Se uma empresa faz uso de seus equipamentos fabris para construção de um cofre para uso próprio, como deverá tratar contabilmente o fato? 6
  • 7. 4 Algumas Classificações e Nomenclaturas de Custos 7
  • 8. QUESTIONÁRIO 4A. A Separação dos Custos em Diretos e Indiretos é feita com relação a quê? 4B. Podemos considerar os salários dos almoxarifes como Diretos já que eles manuseiam as matérias-primas? 4C. Se um equipamento tem sua vida útil determinada por horas de trabalho, podemos considerar sua depreciação como Custo Direto de cada produto por ele processado? Se não houver, nesse caso, ninguém que meça quanto tempo se está empregando do equipamento em cada produto, poderemos efetuar um rateio e ainda considerar a depreciação como Custo Direto? 4D. Se um operário direto da pintura passa uma semana trabalhando na reforma do prédio, deixam os seus salários e encargos de serem considerados como Custo Direto? 4E. Os salários do torneiro são sempre Custo Direto? Existe Folha de Pagamento do Pessoal Direto? Isso é sinônimo de Mão-de-obra Direta? 4F. Custo Fixo é aquele que é fixo por produto? 4G. Qual a relação entre Custo Direto e Custo Variável? 4H. Como podem ser subclassificados os Custos Fixos? 4I. Custos Diretos são a mesma coisa que Custos Primários? Por quê? 4J. Custos Variáveis são sinônimos de Custos de Transformação? Por quê? EXERCÍCIOS 4.1. Dos livros da Cia. “A” extraímos as seguintes informações: Matérias-primas compradas mo mês: $ 500.000 8
  • 9. Devolução, no próprio mês, de 20% das compras acima Mão-de-obra Direta do Mês: $ 600.000 Custos Indiretos de Fabricação incorridos no mês: $ 400.000 Calcule os valores: a) dos Custos de Produção do mês, b) do Custo da Produção Acabada no mês e c) do Custo da Produção Vendida no mês, para cada uma das seguintes alternativas: I) Não havia estoques iniciais ou finais de produtos acabados ou em elaboração e nem de matéria-prima. II) O estoque inicial de matéria-prima era de $ 120.000 no mês, não havendo outros estoques iniciais ou finais. III) O estoque inicial de matéria-prima era de $ 120.000 e o final, de $ 150.000, não havendo outros estoques iniciais ou finais. IV) O estoque inicial de matéria-prima era de $ 120.000, o estoque inicial de produtos em elaboração era de $ 180.000, o estoque final de produtos acabados era de $ 200.000 e não havia outros estoques iniciais ou finais. V) O estoque inicial de produtos acabados era de $ 300.000, o estoque inicial de produtos em elaboração era de $ 160.000, o final de produtos em andamento de $ 200.000 e não havia outros estoques iniciais ou finais. VI) O estoque inicial de produtos em elaboração era de $ 200.000, o inicial de produtos acabados, de $ 80.000, o final de produtos em andamento, de $ 220.000, o final de matéria-prima, $ 70.000 e não havia outros estoques iniciais ou finais. VII) O estoque inicial de matéria-prima era de $ 150.000, o final, de $ 220.000; o inicial de produtos em elaboração era de $ 170.000 e o final, de $ 230.000; o inicial de produtos acabados era de $ 130.000 e o final, de $ 190.000. 9
  • 10. 4.2. Classifique os gastos adiante em Custo, Despesa, Perda ou Ativo e, quando cabível, classifique ainda em Direto ou Indireto e em Fixo ou Variável. Se mais de uma alternativa for válida, assinale todas ou a(s) que considerar mais predominante(s). CUSTO DESPESA PERDA ATIVO DIRETO INDIRETO FIXO VARIÁVEL Compra de Matéria-prima Consumo de Energia Mão-de-obra Direta Consumo de Combustível dos Veículos de Entrega Telefone - Conta Mensal Consumo de Água Industrial Pessoal do Faturamento Aquisição de Máquinas Depreciação das Máquinas de Produção Pintura do Prédio da Fábrica Instalação do Computador Retirada de Materiais do Almoxarifado Consumo de Materiais Diversos na Administração Pessoal da Contabilidade Geral Pessoal da Contabilidade de Custos Honorários da Administração Honorários do Diretor Industrial Depreciação do Prédio da Empresa Consumo de Matéria- prima Aquisição de Embalagens Deterioração do Estoque de Matéria-prima por Enchente Tempo do Pessoal em Greve (Remunerado) Aplicação de Material Isolante no Prédio da Fábrica 10
  • 11. Correção Monetária dos Edifícios 5 O Esquema Básico da Contabilidade de Custos (I) QUESTIONÁRIO 5A. Se não se fizer a separação entre Custos e Despesas incorridas em determinado período, o que poderá acontecer com o valor do estoque e do lucro? 5B. Pode haver situações em que essa separação não seja necessária para a determinação do lucro? 5C. Qual a seqüência básica para uma boa apropriação de custos? 5D. Quantos podem ser os critérios de contabilização dos custos? EXERCÍCIOS 5.1. A Cia “D” iniciou suas atividades em 1.o-1-19x 6 e, em 31-12-19x 6 o seu balancete era formado pelas seguintes contas: CONTAS VALOR Compras de Matéria-prima $ 12.000.000 Vendas $ 15.500.000 Mão-de-obra Indireta $ 3.000.000 Despesas de Entrega $ 200.000 Despesas Administrativas $ 1.800.000 Materiais Diversos Consumidos na Fábrica $ 4.000.000 Despesas com Materiais de Escritórios $ 240.000 Equipamentos de Entrega $ 1.000.000 Duplicatas a Receber $ 2.500.000 Depreciação Equipamentos de Entrega $ 100.000 11
  • 12. Depreciação Equipamentos de Produção $ 200.000 Caixa $ 1.500.000 Despesas Financeiras $ 260.000 Depreciação Acumulada-Equipamentos de Produção $ 200.000 Depreciação Acumulada-Equipamentos de Entrega $ 100.000 Empréstimo $ 4.000.000 Capital $ 15.000.000 Equipamentos de Produção $ 2.000.000 Mão-de-obra Direta $ 6.000.000 A empresa fabricou os produtos A, B e C nas seguintes quantidades A = 50 000 kg; B = 30 000 kg; C = 20 000 kg. A matéria-prima é a mesma para cada produto. O apontamento da mão- de-obra direta mostrou que se gasta o mesmo tempo tanto para produzir 1,0 kg de A como 0,5 kg de B ou 0,4 kg de C. Os Custos Indiretos são alocados proporcionalmente à matéria-prima: Dados os ajustes: a) o estoque final de matérias-primas foi avaliado em $ 5.000.000; e b) o estoque final de produtos acabados era igual a 40% do total fabricado de cada um. Pede-se: a) determine o valor da produção de cada um dos três produtos: b) determine o valor do estoque final e o lucro bruto para cada um dos três produtos, sabendo que as vendas foram: $ 8.500.000 para o produto A, $ 4.000.000 para o B e $ 3.000.000 para o C; c) abra razonetes com os saldos do balancete dado e contabilize a apropriação dos custos aos produtos, sua transferência para estoque e sua baixa pela venda; d) faça nos razonetes os lançamentos de encerramento do período; e e) elabore a Demonstração de Resultados de 19x 6 e o Balanço Patrimonial de 31-12-19x 6. 5.2. Na linha de produção da “Só Sabão S.A.” , foram produzidas, durante o mês de agosto de 19x 6, 20.000 caixas de sabão em pó e 14.800 litros de sabão líquido. Para esta produção foram utilizados 12.000 kg e 7.400 kg respectivamente de matéria-prima, no valor global de $ 485.000,00. Sabe-se que, para produzir 20.000 caixas de sabão em pó, gasta-se o dobro de mão-de-obra direta que para produzir 14.800 litros de sabão líquido. O total de mão-de- obra direta foi de $ 34.500,00. Esta empresa utiliza uma máquina que, por problemas de corrosão, tem sua depreciação alocada em função da matéria-prima utilizada; foi adquirida por $ 456.960,00 e tem sua vida útil limitada ao processamento de 268.800 kg de matéria-prima. Existem ainda os Custos Indiretos de Fabricação, dos quais $ 11.100,00 são a Supervisão da fábrica no mês, $ 144.000,00 são o consumo de 12
  • 13. energia elétrica, $ 140.000,00 são a depreciação das outras máquinas, e outros custos diversos, que somam $ 161.860,00. Todos esses Custos Indiretos são apropriados de acordo as horas dispensadas na fabricação de um e outro produto, sabendo-se que são necessários 36 minutos para produzir uma caixa de sabão em pó e 24 minutos para produzir um litro de sabão líquido. Pede-se: Faça um quadro de apropriação dos custos totais aos produtos. 6 O Esquema Básico da Contabilidade de Custos (II) - Departamentalização QUESTIONÁRIO 6A. O que significa “Departamentalização” e para que serve? 6B. No que se diferencia Departamento de Centros de Custos? 6C. A Expedição é um Departamento de Produção ou de Serviços? 6D. Qual a finalidade da separação entre Departamento de Produção e de Serviços? EXERCÍCIOS 13
  • 14. 6.1. Os Custos Indiretos de Fabricação da Cia. Dobra e Fecha foram os seguintes durante fevereiro/19x 6: Aluguel, $ 240.000; Energia Elétrica, $ 360.000; Materiais Indiretos, $ 60.000; Mão-de-obra Indireta $ 211.000. Os materiais indiretos utilizados foram apropriados por meio de requisições de cada departamento; Estamparia, $ 12.000; Montagem, $ 3.500; Furação, $ 4.500; Almoxarifado, $ 7.000; Manutenção, $ 8.000 e Administração Geral da Fábrica, $ 25.000. A energia consumida foi distribuída da seguinte maneira: Estamparia, $ 180.000; Montagem, $ 100.000; Furação, $ 33.000; Almoxarifado, $ 17.000; Manutenção, $ 20.000 e Administração Geral da Fábrica, $ 10.000. O Total de Mão-de-obra Indireta foi assim apropriado: $ 40.000 à Estamparia; $ 30.000 à Montagem; $ 50.000 à Furação ; $ 11.000 ao Almoxarifado; $ 12.000 à Manutenção e $ 68.000 à Administração da Fábrica. O aluguel é atribuído inicialmente apenas à Administração Geral da Fábrica. Apurar o Custo Indireto total de cada Departamento e o de cada produto, com base no seguinte: a) Os Custos da Administração Geral da Fábrica são distribuídos aos demais Departamentos à base da área ocupada; a Estamparia ocupa 35% da área total, a Montagem 15%, a Furação 30% e o restante é utilizado igualmente pelo Almoxarifado e pela Manutenção. b) A Manutenção presta serviços somente aos Departamentos de Produção e o rateio é feito à base da produção total de cada um. A Estamparia, a Montagem e a Furação produziram, respectivamente, 40% , 25% e 35% do total. c) O Almoxarifado distribui seus custos: 1/2 para a Estamparia, 1/4 para a Montagem e o restante para a Furação. d) A empresa produz Dobradiças e Fechaduras. A Dobradiça (15 000 u no mês) passa apenas pela Estamparia e pela Furação e a Fechadura (4 000 u) passa por todos os Departamentos. A distribuição dos custos indiretos da Estamparia e da Furação aos respectivos produtos é feita na mesma proporção que o material direto. Os Custos Diretos do mês foram: Dobradiças Fechaduras Total Matéria-prima $ 588.000,00 392.000,00 980.000,00 Mão-de-obra Direta $ 420.000,00 314.000,00 734.000,00 Total $ 1.008.000,00 $ 706.000,00 $ 1.714.000,00 14
  • 15. Elaborar o Mapa de Rateio dos Custos Indiretos de Produção e dos Custos Totais e Contabilizar a apropriação dos Custos utilizando os critérios simples e complexo. 6.2. A Cia Pasteurizadora e Distribuidora Genoveva processa e distribui leite tipo C e tipo B, conhecidos por Genoveva e Genoveva Super, respectivamente. Os Custos Diretos referentes a esse produtos, em certo mês, foram: Genoveva, $ 4.390.000, e Genoveva super, 2.520.000. Os Custos Indiretos foram os seguintes: Aluguel, $ 425.000; Materiais Indiretos, $ 260.000; Energia, $ 365.750; Depreciação, $ 240.000, e Outros Custos Indiretos, $ 330.000. Sabe-se que: a) O aluguel é distribuído aos Departamentos de acordo com suas áreas. b) O consumo de Energia é medido por Departamento. c) Os materiais indiretos, a depreciação e os demais custos indiretos têm como base de rateio o número de horas de mão-de-obra total utilizada em cada Departamento. d) a Pasteurização e a Embalagem recebem cada um 40% dos custos da Administração da Produção, e 20% dos custos deste último Departamento são apropriados à Manutenção. e) A Manutenção é realizada sistematicamente e, conforme se tem apurado, cabe à Embalagem uma quinta parte do total de seus custos. f) A distribuição dos custos indiretos aos produtos é feita em função do material direto utilizado. Este foi o seguinte no período: Genoveva 556 575 litros Genoveva Super 185 525 litros Dados Coletados no Período: Pasteurização Embalagem Manutenção Administração Total Área 11 000 9 800 1 500 2 700 25 000 m2 Consumo Energia 34 000 28 200 3 000 1 300 66 500 KW Horas de M.O.I 48 000 24 000 4 000 4 000 80 000 h 15
  • 16. Pede-se: a) Elaborar o Mapa de Rateio dos Custos Indiretos de Produção. b) Apurar o custo total de cada produto. c) Contabilizar a apropriação dos custos (qualquer critério intermediário entre o simples e o complexo). d) Comparar com o custo que seria apropriado a cada produto, sem Departamentalização, se o rateio fosse à base do material direto utilizado. Explique a diferença eventualmente encontrada. 6.3. Uma fábrica produz postes de cimento de três tamanhos diferentes (0, 1 e 2). Devido ao tratamento da estrutura, o n.o 0 é feito em um vibrador grande e os nos 1 e 2 em um vibrador pequeno. Os custos variáveis e diretos levantados foram os seguintes: Materiais Diretos Mão-de-obra Direta Poste n.o 0 $ 1.400/u $ 400/u Poste n.o 1 1.000/u 300/u Poste n.o 2 700/u 200/u Os Custos Indiretos totais são de $ 800.000 por mês, sendo que a depreciação, a manutenção, a energia e os materiais indiretos (basicamente lubrificantes) dos vibradores são: $ 150.000 para o pequeno e $ 300.000 para o grande; os restantes $ 350.000 são dos serviços auxiliares e da administração da fábrica. Esses valores referem-se aos últimos meses, em que a empresa está produzindo 1 000 unidades de cada tamanho. A empresa vem rateando todos os Custos Indiretos à base da Mão-de-obra Direta de cada um, da seguinte forma: M.O.D. Total C.I.F. Rateados Poste n.o 0 $ 400.000 44,44% 355.555 Poste n.o 1 300.000 33,33% 266.667 16
  • 17. Poste n.o 2 200.000 22,22% 177.778 Total $ 900.000 100% $ 800.000 Com isso seus custos unitários estão sendo: Poste n.o 0 $ 2.155,55 Poste n.o 1 $ 1.566,67 Poste n.o 2 $ 1.077,78 Você tem alguma sugestão para melhorar esses números com base nessas informações? 17
  • 18. 7 Critérios de Rateio dos Custos Indiretos QUESTIONÁRIOS 7A. Qual a importância da escolha dos diferentes critérios de rateio dos custos indiretos? 7B. Deve a empresa, em cada período, escolher os critérios que melhor se amoldam ao seu objetivo e lucro? Qual a possível influência deles sobre o resultado da empresa? 7C. Explique as razões da necessidade da compatibilização entre a Contabilidade de Custos ea Contabilidade Geral. 7D. No Laboratório Pikeno S.A. há equipamento de ar refrigerado que serve a três departamentos, com, potenciais instalados diferentes. Como devem ser rateados os custos desse equipamento, sabendo-se que alguns são fixos (basicamente depreciação e outros são variáveis (basicamente energia elétrica) ? EXERCÍCIOS 7.1. Os dados abaixo são referentes à Caldeiraria, que cede vapor para outros três departamentos: DEPARTAMENTOS Cavalos-vapor Forjaria Tratamento Térmico Zincagem Necessários à plena capacidade 60 000 30 000 10 000 18
  • 19. Consumidos no mês 55 000 25 000 -o- Custos no mês da Caldeiraria: Fixos, $ 150.000, e Variáveis, $ 450.000. Quanto deve ser apropriado dos custos da Caldeiraria para cada um dos três outros Departamentos? 7.2. A Cia Botões do Ceará produz botões com 4 e 2 furos em um único departamento. Segundo suas estatísticas, os seguintes custos foram incorridos: Botões Botões Total 4 furos 2 furos Mão-de-obra Direta $ 450.000 $ 225.000 $ 675.000 Matéria-prima $ 200.000 $ 320.000 $ 520.000 Custos Indiretos de Fabricação ? ? $ 1.800.000 Custo Total ? ? $ 2.995.000 Tempo Total de Fabricação 8.000 h 5.000 h 13.000 h Pede-se: a) Complete o mapa de Custo dos Produtos; utilizando quatro diferentes critérios de rateio. b) Se o custo fosse tomado como base para fixação do preço de venda, o que aconteceria com cada produto? 7.3. A Contabilidade Financeira da Cia. Cordal informou à Contabilidade de Custos que, durante o ano, foram gastos, $ 1.650.000 na produção de cordas finas e grossas. Parte da produção foi vendida por $ 1.450.000. A Contabilidade de Custos informou então à Financeira que o estoque existente na data do Balanço de Encerramento era de $ 660.000, constituído de produtos acabados, nada havendo em elaboração. No entanto, a Contabilidade de Custos deixou de informar à Financeira o seguinte: I) que calculou a Matéria-prima contida no estoque final ao preço de reposição ($ 330.000) na data do Balanço, que é superior em 10% ao preço efetivamente pago pela empresa no ano. II) que calculou a Mão-de-obra Direta do ano com a inclusão de $ 40.000 de férias ainda não gozadas. A Contabilidade Financeira não havia contabilizado esse encargo. 19
  • 20. Pede-se: a) Calcular o valor correto do estoque final de produtos acabados. b) Calcular o valor correto do Custo dos Produtos Vendidos e do Lucro Bruto no exercício. c) Fazer os lançamentos contábeis necessários à compatibilização, sabendo-se que a Contabilidade Financeira já lançara tudo no exercício. d) Qual seria a diferença entre os valores de item (b) e os que seriam obtidos caso não se procedesse à conciliação entre a Contabilidade Geral e a de Custos? Comente a respeito. 8 Aplicação de Custos Indiretos de Fabricação QUESTIONÁRIO 8A. Qual a importância da previsão da Taxa de Aplicação dos Custos Indiretos de Fabricação? 8B. Em que circunstância deve ser usada a Taxa de Aplicação de C.I.F.? 8C. Qual a utilidade da análise das Variações entre C.I.F. Aplicados e C.I.F. Reais? 8D. Que tipo de volume de produção deve ser utilizado para fixar a Taxa de Aplicação de C.I.F.? EXERCÍCIOS 20
  • 21. 8.1. Uma usina de açúcar está com uma previsão de produção de 3 288 000 toneladas para 19x 0. Seu problema é o custo com a manutenção, que só será conhecido quando terminar a safra, pois então procederá à limpeza e troca parcial de peças desgastadas e corroídas. Decide a empresa então fazer uma estimativa de todos seus Custos Indiretos de Fabricação, inclusive os relativos à manutenção, e trabalhar durante o ano com essa Taxa de Aplicação, para só ajustá-la à realidade quando terminar a produção. Para isso prevê, para o volume de 3 288 000 toneladas: C.I.F. (exceto manutenção) $ 5.754.000.000,00 C.I.F. manutenção $ 2.466.000.000,00 a) Você concorda com esse critério de custear a produção durante o ano, sem muita certeza dos Custos de manutenção? b) Qual seria uma outra alternativa? c) Como você classificaria a manutenção, nesse caso: fixa ou variável? 8.2. Admita que a empresa do exercício anterior trabalhe com a taxa prevista, mas que seus números reais para 19x 0 acabem sendo: Volume Trabalhado 3 133 000 toneladas Custos Indiretos Reais incorridos (exceto manutenção) $ 5.920.300.000,00 C.I.F. - Manutenção $ 2.507.470.000,00 a) Qual foi a Taxa Real de C.I.F.? b) Qual foi a Variação Total de C.I.F.? c) Valeu a pena para a empresa trabalhar com a Taxa Estimada? 8.3. Os Custos Indiretos orçados da Geleira - Ind. e Com. de Sorvetes para um nível de atividade de 16 000 horas são: 21
  • 22. Fixos $ 3.900.000,00 Variáveis $ 5.500.000,00 Em virtude do intenso verão registrado no ano, a empresa trabalhou 19 000 horas, incorrendo num total de $ 11.800.000 de custos indiretos. a) Qual foi a Taxa de Aplicação de C.I.F. utilizada no período? b) Qual deveria ser essa taxa, se já se estimassem as 19 000 horas de trabalho? c) Quanto foram os Custos Indiretos Aplicados no ano? d) Qual foi a Variação de Volume? e) Qual foi a Variação de Custos? f) Qual foi a Variação Total de C.I.F.? 8.4. A Cia Tudo Copia estima seus custos todo mês. É uma empresa que produz cópias xerográficas e que aluga os equipamentos para operar. As condições desse aluguel são as seguintes: até 150 000 cópias por mês, $ 144.800,00 mensais; cada cópia excedente produz um custo adicional de $ 0,75. A expectativa da empresa é de um volume mensal de 150 000 cópias e seus outros custos de operação são os seguintes: Fixos Variáveis Mão-de-obra $ 7.400,00 - Prêmio-Produção - $ 0,10 Papel - $ 0,40 Aluguel do Prédio $ 5.600,00 - Outros Custos $ 7.200,00 $ 0,10 Total $ 20.200,00/mês $ 0,60/cópia 22
  • 23. Ultrapassando totalmente a expectativa da empresa, o total de cópias em março foi de 180 000. Os custos reais do mês foram os seguintes (além do aluguel das máquinas): Mão-de-obra $ 7.900,00 Prêmio $ 17.100,00 Papel $ 74.700,00 Aluguel do Prédio $ 5.600,00 Outros Custos $ 23.800,00 $ 129.100,00 Quais foram: a) O custo total estimado, no início de março, por cópia. b) O custo total por cópia que teria sido estimado se a empresa previsse as 180 000 cópias em março. c) Dessa diferença entre (a) e (b), qual é a parte devida à Variação entre o volume esperado e o real? d) Qual a Variação devida ao comportamento dos Custos? e) Qual a Variação total? f) Complete o quadro seguinte e indique, nas colunas de diferença, o valor em cruzeiros e o em porcentagens que você julga relevantes para que possa o relatório ser considerado útil para efeito de análise. Aproveite e faça sua própria análise dos custos no mês. CIA. TUDO COPIA Março Previstos para Reais Diferença Total para Custos 150 000 180 000 180 000 Em Em % cópias cópias cópias cruzados a) b) c) d) = ? - c e = d x 100 ? 23
  • 24. Aluguel Equipam. $ $ $ $ % Mão-de-obra Prêmio-Produção Papel Aluguel do Prédio Outros Custos Total $ $ $ $ % Por Unidade $ $ $ $ 9 Materiais Diretos 24
  • 25. QUESTIONÁRIO 9A. Distinga Desperdício de Perda com Materiais no processo produtivo. 9B. Quando ocorrem os Descontos Financeiros, os Descontos Comerciais e os Abatimentos? Como devem ser considerados em relação ao valor da compra? 9C. Qual a vantagem do UEPS (LIFO) sobre o PEPS (FIFO) ? 9D. Qual a desvantagem? 9F. O que distingue, em Contabilidade de Custos, uma Sucata de um Subproduto? EXERCÍCIOS 9.1. Durante a produção de doces por encomenda, a Doceira Formiga Ltda. utiliza diferentes quantidades de ovos. No seu primeiro mês de atividade teve a seguinte movimentação desse item: dia 4 - Compra de 900 dúzias pelo total de $ 9.900,00 dia 11 - Consumo de 210 dúzias dia 14 - Aquisição de mais 420 dúzias a $ 13,50 a dúzia dia 17 - Consumo de 180 dúzias dia 24 - Compra de 600 dúzias por $ 7.680,00 dia 29 - Consumo de 540 dúzias Estudando as diversa alternativas de custear os ovos consumidos, a firma verificou que, caso utilizasse o UEPS (LIFO) e registro permanente, teria tido um lucro bruto na venda de seus produtos de $ 39.548,00 nesse período. a) Mostre qual seria o lucro bruto do mês se ela utilizasse o PEPS (LIFO), o Preço Médio Ponderado Móvel e Preço Médio Ponderado Fixo, sabendo-se que não houve outros 25
  • 26. estoques finais e que os demais custos incorridos ( mão-de-obra, açúcar e outros custos) totalizaram $ 41.350,00 b) Explique a razão da não aceitação do UEPS (LIFO) por parte do Imposto de Renda no Brasil. 9.2. A Olaria Tamoio Ltda., fabrica tijolos de 2 e 6 furos. O terreno do qual retira o barro foi adquirido por $ 1.600.000 e o seu valor residual de venda é estimado em $ 100.000. Previu-se a extração desse local de 30 000 toneladas de barro. Durante determinado mês, foram retirados 600 000 kg e a empresa ainda comprou 10 caminhões de uma terra especial para mistura, ao preço de $ 2.400 por caminhão. Foram produzidos com esse material, antes do cozimento, 420 000 tijolos de 6 furos e 240 000 tijolos de 2 furos; o barro e a terra necessários para fazer 5 tijolos de 2 furos são também suficientes para fazer 7 tijolos de 6 furos. Os equipamentos necessários à produção custaram $ 1.800.000 e a sua vida útil estimada é de 20 anos; dentro desse valor estão incluídos $ 420.000 relativos ao equipamento para fabricar o tijolo de 6 e $ 180.000 para o de 2, sendo que os demais são para uso comum. A mão-de-obra direta nesse mês foi de $ 264.000, sendo que se gasta o mesmo tempo para fabricação de um e outro tipos. Os demais custos incorridos foram de $ 33.000. Calcular o custo de fabricação de um milheiro de cada tipo de tijolo, sabendo que 5% do total produzido normalmente se estraga durante o cozimento e não tem mais condições de aproveitamento. 9.3. Uma empresa fabrica, em um departamento, dois tipos de arruelas: grande e pequena. sobra externa arruela grande sobra interna arruela pequena 26
  • 27. Com 300 gramas de matéria-prima produz uma de cada tamanho; o peso da arruela pequena é metade do da grande. O peso do material que sobra (interna e externamente) é igual ao da arruela pequena. O corte de ambas é feito ao mesmo tempo por uma prensa que custou $ 4.800.000 e que tem vida útil estimada em 10 000 h; essa máquina corta em média 600 arruelas de cada tipo por hora. A “Mão-de-obra Direta” de certo período foi de $ 360.000, mas não é possível separar quanto pertence a um e outro tipos de arruela, já que ambas são produzidas conjuntamente. Foram consumidos nesse período, 72 000 kg de matéria-prima, ao custo de $ 12,00/kg. Os custos indiretos do departamento e rateados para ele totalizaram $ 178.800,00. As sobras de material são normalmente vendidas no mercado ao preço de $ 3,00/kg. Após essa fase de corte, as arruelas são enviadas para outra empresa, que as niquela e embala, devolvendo à primeira já prontas para venda. A niqueladora cobra $ 10,00/kg de arruela pelo trabalho todo, incluindo transporte e embalamento, mas o material de embalagem é fornecido pelo fabricante das arruelas. A embalagem é uma caixa que custa $ 2,00 e $ 1,50 ( para as arruelas grandes e para as pequenas, respectivamente), cabendo 50 unidades em cada uma. a) Qual o custo da matéria-prima de cada tipo de arruela? b) Qual deve ser o preço de venda de cada caixa de arruela, sabendo-se que a empresa pretende ter um lucro bruto de 30% sobre o preço de venda de cada um dos tipos? c) Quais os custos que se pode dizer realmente sejam diretos nessa empresa? 9.4. Uma companhia adquiriu 10.000 litro de ácido sulfúrico para fabricação de determinado produto, tendo com isso os seguintes gastos: Valor devido ao fornecedor, $ 84.000 Transporte e seguro, $ 2.200 IPI incluso no preço pago ao fornecedor, $ 14.000 ICMS incluso no preço pago ao fornecedor $ 9.800 Juros a pagar pelo financiamento obtido para essa compra, $ 1.000 Correção monetária estimada desse financiamento, $ 15.000 Qual o custo por litro a considerar como valor desse material direto, se o IPI e o ICMS são recuperados na venda do produto final? 9.5. Uma indústria adquiriu, no ano de 19x 1, $ 60.000.000 de materiais, estando nesse valor 17% de ICMS. Utilizou 3/4 desse total na elaboração de 10.000 kg de certo produto, gastando mais $ 27
  • 28. 38.500.000 com outros custos. Dessa produção sobraram 20% não vendidos no fim do ano; a parte vendida rendeu uma receita bruta de $ 120.000.000, onde também estão 17% de ICMS. Em 19x2, a empresa utilizou o restante do material adquirido em 19x 1, e com mais $ 10.000.000 produziu 2 500 kg do seu produto. Vendeu essa produção e o que sobrara não vendido do ano anterior pela receita líquida (excluídos já os 17% de ICMS) de $ 73.100.000. Contabilize as operações de 19x 1 e 19x 2. 9.6. Num mês que a inflação está ao redor de 18% a.m. e espera-se em 20% durante os próximos três meses, uma empresa adquire $ 1.000.000,00 de certa matéria-prima, com pagamento previsto para 60 dias. Se a contabilidade financeira e a de custos trabalharem com o conceito de valor presente, qual deveria ser o valor de custo de aquisição a ser considerado na entrada do estoque, em quantidade de BTN, se a compra fosse efetuada no meio desse mês e o BTN nessa data fosse de $ 30,00? 28
  • 29. 10 Mão-de-Obra Direta QUESTIONÁRIO 10A. “Embora seja contratado para exercer função direta na produção, pode o trabalho de um empregado ser transformado, por várias razões, em mão-de-obra indireta; logo, é melhor que o classifiquemos como indireto. ” Você concorda com essa afirmação? Quais são as razões para haver a mudança mencionada? 10B. Qual a distinção básica entre mão-de-obra e folha de pagamento? 10C. Custos com refeitório devem ser incluídos como parte dos Encargos Sociais e acrescidos para efeito de taxa horária de mão-de-obra? 29
  • 30. EXERCÍCIOS 10.1. Com os dados abaixo, determinar o total de custos por hora por homem no Departamento de Esfriamento da Cia. Alimentícia Cacauê: Salário pago para cada um dos 3 operários: 14,00/horas. Regime de trabalho de cada um deles: 44 horas/semana; entre faltas abonadas e feriados cada um deixa de trabalhar 12 dias por ano, em média. Encargos Sociais da empresa: Recolhimento ao IAPAS e demais entidades, 25,2%; FGTS, 8% ; Seguro, 2% ; 13o Salário e férias de 30 dias corridos. Os três optaram por receber 1/3 das férias em dinheiro. 10.2. (Continuação da questão anterior.) Registrando-se em dezembro 4 domingos e 1 feriado, qual a contabilização a ser feita pela Contabilidade de Custos em termos de mão-de-obra direta, sabendo-se que nenhum dos três operários faltou? Qual seria o total de custos apropriados pela Contabilidade Financeira nesse mês, se ela trabalhasse com provisionamentos, e se nesse mês tivesse sido pago metade do 13.o salário? Comente a respeito. 10.3. A Indústria Química Explosiva paga $ 25,00/hora para cada um de seus 7 funcionários do Departamento 2. Todos os funcionários fazem, regularmente, 1 hora extraordinária por dia, a qual tem um adicional de 50%. Por trabalhar com materiais tóxicos, a empresa fornece diariamente leite aos funcionários, implicando isso um custo mensal de $ 950,00 em média. A indústria ainda oferece transporte aos funcionários; o rateio mensal médio para o Departamento 2 é de $ 1.260,00. E a Assistência Médica também média desse Departamento é de $ 1.800,00/mês. Em média, ainda, cada funcionário não trabalha, fora sábado e domingo, 14 dias úteis por ano. A jornada é de 7h 20min. Cinco dos 7 funcionários optam por receber 1/3 das férias em dinheiro e os outros 2 preferem gozá-las. Os encargos a recolher da empresa totalizam 35,2% (IAPAS, FGTS e SAT). Os demais custos do Departamento 2, em agosto, foram: Materiais Diretos, $ 97.500,00, e outros Custos Indiretos, $ 13.000,00. a) Qual a taxa horária de mão-de-obra direta desse Departamento, separada para os 5 e para os 2 funcionários (em função da diferença nas férias)? b) Quais foram os custos diretos totais em agosto, sabendo-se que não houve feriado, mas ocorreram 4 faltas abonadas e o mês terminou numa terça-feira? (3 faltas de optantes e 1 de não optante por férias em dinheiro). 30
  • 31. c) Quais foram os Custos Indiretos desse mês nesse Departamento? d) Qual o Custo Total de agosto? 10.4. Qual a taxa horária de um empregado, em cada trimestre, de tal forma que a provisão constituída com base nela seja suficiente para o pagamento do 13. o salário e das férias, dentro dos seguintes dados: Regime de trabalho: 44 horas por semana (5 dias). Encargos Sociais: 13. o salário, FGTS (8%), IAPAS (25,2%). SAT (2%). Feriado e Faltas Abonadas: 11 dias por ano (úteis). Férias: 30 dias, com 1/3 em dinheiro. Salários previstos: - $ 10,00 /hora no 1.o trimestre - $ 11,00 /hora no 2.o trimestre - $ 12,00 /hora no 3.o trimestre - $ 13,00 /hora no 4.o trimestre - $ 14,00 /hora no 1.o trimestre do ano seguinte Metade do 13.o salário é pago em novembro e metade em dezembro. As férias serão gozadas em janeiro do ano seguinte. A empresa pretende que na Provisão já haja valor suficiente para arcar com as férias, mesmo sabendo que elas serão pagas à base do salário do 1. o trimestre do novo ano. 10.5. A Empresa “TRABALHOSA S.A.” fabricou três produtos no mês de setembro: “A”, “B” e “C”, e teve as seguintes características: Mão-de-obra Direta: Estamparia $ 400.000,00 Usinagem $ 600.000,00 Montagem $ 700.000,00 Os encargos Sociais são iguais a 83% dessa mão-de-obra direta. Observação: Nos valores acima não está incluso o repouso remunerado. 31
  • 32. Horas Produtivas Trabalhadas nos Setores: Estamparia 5.000 horas Usinagem 3.075 horas Montagem 6.250 horas Características do Produto “A”: Consumo de 2 kg de matéria-prima por unidade, ao custo de $ 50,00/kg. Tempo necessário para ser produzido: Estamparia 20 minutos Usinagem 15 minutos Montagem 30 minutos Características do Produto “B”: Consumo de 3 kg de matéria-prima por unidade, ao custo de $ 40,00/kg. Tempo necessário para ser produzido: Estamparia 10 minutos Usinagem 12 minutos Montagem 15 minutos Características do Produto “C”: Consumo de 4 kg de matéria-prima por unidade, ao custo de $ 35,00/kg. Tempo necessário para ser produzido: Estamparia 30 minutos Montagem 20 minutos Superintendência: $ 25.000,00 por mês (somente para a administração geral). 32
  • 33. Supervisão: Um supervisor para cada centro de custo, excluindo a administraação geral; Salário mensal de $ 15.000,00. Auxiliares de Escritório: Um para cada centro de custo; Salário, $ 2.500,00. Inspetores de Qualidade: Dois para cada centro de custo produtivo; Salário, $ 4.000,00 cada um. Técnicos: Três para cada centro, excluindo a administração e o almoxarifado; Salário, $ 6.000,00 cada um. Apontadores: Dois para cada centro produtivo; Salário, $ 3.000,00 cada um. Motoristas: Administração geral - 1 - com salário de $ 3.200,00; Centros produtivos - 1 cada um - com salário de $ 3.000.000. Inspetores de Segurança: Um para cada centro de custo, excluindo a administração geral e o almoxarifado; Salário, $ 4.000,00. 33
  • 34. Carregadores e Faxineiros: Administração geral, 1; Almoxarifado, 1; Demais centros de custo, 3 cada um; Salário de $ 1.500,00 cada um. Encargos Sociais: 56% do total dos salários indiretos. Lubrificantes: De acordo com as RA (Requisição ao Almoxarifado), os valores são os seguintes: Manutenção $ 6.000,00 Estamparia $ 8.000,00 Usinagem $ 12.000,00 Montagem $ 3.000,00 De acordo com a contabilidade foram adquirido para a montagem $ 2.000,00. Combustíveis: Conforme RA: Administração geral $ 8.000,00 Estamparia $ 6.000,00 Usinagem $ 5.000,00 Montagem $ 4.000,00 Conforme a contabilidade: Administração geral: $ 3.000,00. Material de Limpeza: 34
  • 35. Conforme RA: Administração geral $ 2.000,00 Manutenção $ 4.000,00 Estamparia $ 1.500,00 Usinagem $ 2.500,00 Montagem $ 1.800,00 Impressos e Materais de Escritórios: Conforme RA: Administração geral $ 3.000,00 Almoxarifado $ 1.200,00 Manutenção $ 700,00 Estamparia $ 800,00 Usinagem $ 500,00 Montagem $ 1.800,00 Material de Segurança: Conforme RA: Manutenção $ 3.000,00 Estamparia $ 5.000,00 Usinagem $ 4.000,00 Montagem $ 3.000,00 Vestuário: Manutenção $ 3.200,00 Estamparia $ 8.000,00 Usinagem $ 4.000,00 Montagem $ 6.000,00 Ferramentas de Pequena Duração: 35
  • 36. Conforme RA: Manutenção $ 600,00 Estamparia $ 1.500,00 Usinagem $ 4.000,00 Montagem $ 6.000,00 Suprimentos: Conforme RA: Manutenção $ 2.000,00 Estamparia $ 3.000,00 Usinagem $ 2.500,00 Montagem $ 3.000,00 Energia Elétrica: $ 20.500,00, sendo que $ 250,00 foram atribuídos à administração geral, $ 250,00 para o almoxarifado e o restante foi rateado de acordo com a potencia instalada de cada centro de custo, e esta é a seguinte: Manutenção $ 1.500 HP Estamparia $ 5.000 HP Usinagem $ 2.500 HP Montagem $ 1.500 HP Água e Esgoto: $ 3.600,00 - distribuidos igualmente para todos os centros de custo. Aluguel e Imposto Territorial e Predial: 144.000,00/ano divididos aos centros de custos, de acordo com as áreas, que são as seguintes: Administração 30m2 36
  • 37. Almoxarifado 100m2 Manutenção 100m2 Estamparia 300m2 Usinagem 270m2 Montagem 200m2 Seguros de Equipamentos: igual a 1,2% ao ano do valor dos equipamentos instalados, que são os seguintes: Manutenção $ 500.000,00 Estamparia $ 8.000.000,00 Usinagem $ 5.000.000,00 Montagem $ 600.000,00 Serviços de Terceiros: no mês foram utilizados somente na estamparia e o valor fornecido pela contabilidade foi de $ 150.000,00 Licenciamentos e Taxas de Veículos: Administração: $ 6.000,00/ano. Serviços Médicos Externos: Só para a usinagem e a montagem: Usinagem $ 2.000,00 Montagem $ 4.000,00 Viagens e Estadas: Administração geral $ 5.000,00 Montagem $ 1.000,00 Depreciação de Equipamentos: 37
  • 38. A empresa utiliza uma taxa de 12% a.a. para depreciar os seus equipamentos. Rateio dos Centros Auxiliares: O rateio do C.C. Administração Geral é feito proporcionalmente ao valor total dos custos dos demais centros. O rateio do almoxarifado é efetuado em função do número das requisições: Manutenção 25 Estamparia 27 Usinagem 20 Montagem 28 O rateio da manutenção é efetuado em função das horas apontadas: Estamparia 300 horas Montagem 180 horas Usinagem 240 horas Determinar o custo de produção do mês de setembro. MAPA 01 MAPA DE CUSTO DE PRODUÇÃO DO MÊS DE SETEMBRO DE 19X7 PRODUTOS TOTAL GERAL 38
  • 39. CUSTOS MÃO-DE-OBRA DIRETA MATÉRIA-PRIMA CUSTOS INDIRETOS TOTAL GERAL CENTROS DE CUSTOS Estamparia Usinagem Montagem Custo Hora Mão-de-obra Direta Taxa Horária CIF/Depto. Produtivo Quantidade Produzida “A” = 7.500 u “B” = 6.000 u “C” = 3.000 u 11 Problemas Especiais da Produção por Ordem 39
  • 40. QUESTIONÁRIO 11A. Uma Construtora está iniciando um edifício, já totalmente vendido, e prevê três anos para o término. Deve já contabilmente apropriar as receitas pelas vendas efetuadas? Qual é o procedimento contábil mais correto para essa atividade? 11B. Qual a distinção entre Produção Contínua e por Ordem? 11C. Quais os possíveis critérios para apropriação de resultado nas encomendas de longo prazo? 11D. Qual o tratamento a dar às unidades danificadas além do limite normal na Produção em Série? EXERCÍCIOS 11.1. A ICMEP S.A. aceitou uma encomenda para uma prensa de 2 000 toneladas de pressão, com as seguintes condições: Preço total: $ 5.400.000,00 Prazo de entrega: 2 anos Pagamentos: 40% na assinatura do contrato, 30% um ano após e o saldo na entrega do equipamento. A ICMEP comprou todos os componentes e matérias-primas para a construção da prensa, logo no início, pelo total de $ 2.500.000. Ela costuma acrescer 10% sobre o preço de compra, como margem de lucro na aplicação de componentes e materiais, apropriando o restante do lucro bruto proporcionalmente ao Custo de Transformação (Mão-de-obra e Custos Indiretos). 40
  • 41. Ao final do primeiro exercício social, a ICMEP verifica que, do total previsto de 11 500 horas de mão-de-obra direta para a ordem toda, já trabalhou 5 000 h. Essa mão-de-obra teve um custo de $ 40,00/hora (incluindo todos os encargos), e se prevê receba um reajuste de 40% para o próximo exercício, quando será terminada a encomenda. Constata ainda agora que teve outros custos apropriáveis à ordem no valor de $ 100.000,00 e a empresa estima continue para o próximo ano a relação entre esses custos indiretos e a mão-de-obra direta. Dos materiais e componentes comprados, aplicou 3/5 nesse exercício. a) Qual deve ser o valor do lucro (receitas e custos transformados em despesas) do primeiro ano relativo a essa encomenda, dentro do critério mais correto de contratos de longo prazo? b) Qual seria esse lucro se a empresa pudesse corrigir em 40% o restante do material a aplicar, e já previsse isso desde o início? 11.2. Na Fábrica de Ventiladores Fevê S.A. foi emitida uma Ordem de Produção (n.o 22) para a fabricação de 500 ventiladores, tipo “M”, com a seguinte previsão de custos: Mão-de-obra Direta : $ 170.000,00 Matéria-prima : $ 210.000,00 Embalagem : :: $ 28.000,00 :: Custos Indiretos de Fabricação : $ 92.000,00 No mesmo mês, como se verificou que a demanda para esse tipo seria superior às 500 unidades em processo, deu-se início à Ordem n.o 23 para 60 unidades adicionais do “M” ; esta, por problemas de horas extras e outros, está com previsão de custos 15% superiores, por unidade, aos da n. o 22. Entretanto, ao fim da OP n.o 23, constatou-se que estava ela inteiramente danificada. Conseguiu-se sua venda integral, todavia, para uma empresa que tentará recuperar as 60 unidades. Essa venda foi concretizada por $ 24.000,00 a) Qual o resultado da empresa se cada unidade foi vendida por $ 1.400,00? b) Comente as alternativas para tratamento das duas ordens. 11.3. A Indústria de Móveis Pica-pau S.A. fabrica móveis de escritório sob encomenda. Ao receber uma, prevê os custos que serão incorridos e a partir daí calcula o preço de venda. No dia 2 de setembro de 19X9 recebeu três encomendas de escrivaninhas (160 grandes, 92 médias e 95 pequenas). Sua previsão foi a seguinte para essas quantidades: 41
  • 42. Matérias-primas: $ 48.000,00 para as grandes, $ 23.920,00 para as médias e $ 18.050,00 para as pequenas. Outros Custos: Custos Parte Fixa Parte Variável Supervisão da Fábrica $ 22.500,00 - Depreciação $ 16.000,00 - Materiais Indiretos - $ 220,00 /hora-máquina Mão-de-obra Direta - $ 370,00 /hora de M.O.D. Outros $ 150.000,00 $ 180,00 /hora-máquina Tempo estimado de fabricação: grandes: 1 hora-máquina e 1,4h de Mão-de-obra Direta médias: 0,8 hora-máquina e 1,0h de Mão-de-obra Direta pequenas: 0,5 hora-máquina e 1,0h de Mão-de-obra Direta É normal haver perda de algumas unidades no processo de produção; por isso a empresa resolveu iniciar as ordens com os seguintes totais: 165, 95 e 98, respectivamente: provavelmente serão mesmo perdidos esses adicionais. a) Qual o custo de cada encomenda, e seu preço de venda, se a empresa rate ar os custos indiretos fixos à base de horas-máquinas e desejar um lucro bruto de 50% sobre o custo? b) E se ratear à base de horas mão-de-obra direta? c) Como deveria proceder contabilmente, se eventualmente sobrar alguma unidade que não tenha sido danificada? 11.4. A Indústria de Confecções JEANS STOP S.A. trabalha com Sistemas de Contabilidade de Custos por Ordem. Os seus Departamentos Produtivos são os seguintes: Corte, Costura e Acabamento. INVENTÁRIO FINAL - JANEIRO X9 Matéria-primas Custo de conversão 42
  • 43. Ordem Corte Costura Acabament Corte Costura Acabament 1430 $ 500.000 $ 100.000 $ 70.000 o $ 300.000 $ 200.000 $ 100.000 o 1431 $ 700.000 $ 50.000 - $ 200.000 $ 30.000 - 1432 $ 300.000 - - $ 150.000 - - TOTAL $1.500.000 $ 150.00 $ 70.000 $ 650.000 $ 230.000 $ 1000.000 Os dados de fevereiro de X9 são os seguintes: Matérias-primas Horas trabalhadas Ordem Corte Costura Acabament Corte Costura Acabamento 1430 - - $ 50.000 o - - 100 Term. 1431 - $ 70.000 $ 80.000 - 50 200 Term. 1432 - $ 200.000 $ 120.000 - 120 300 Term. 1433 $ 1.000.000 $ 400.000 $ 200.000 300 530 150 Term. 1434 $ 800.000 $ 250.000 - 200 100 - N/term. TOTAL $ 1.800.000 $ 920.000 $ 450.000 500 800 750 CUSTO DE CONVERSÃO E HORAS TRABALHADAS EM FEVEREIRO X9 Departamento Custo de Conversão Horas Trabalhadas Corte $ 250.000 500 Costura $ 240.000 800 Acabamento $ 187.500 750 Custo de conversão Total $ 677.500 Pede-se: 43
  • 44. a) Tabela de Custo por Ordem b) Valores dos Investimentos Inicial e Final de fevereiro de X9, sabendo-se que foram entregues as ordens 1430, 1431 e 1432. 12 Problemas Especiais da Produção Contínua QUESTIONÁRIO 12A. O que significa e quando deve ser utilizado o Equivalente de Produção? 12B. É sempre correto fazer uso de uma porcentagem única de acabamento de todas as unidades para cálculo de Equivalente de Produção? 12C. Em que situações pode ser bastante aceitável aplicar sempre, ao final da produção, a porcentagem de 50% de acabamento, mesmo sem a verificação física do estado real dos produtos? 12D. Sintetize os procedimentos a serem adotados por Custos quando existem adições de volume durante o processo de elaboração. 44
  • 45. EXERCÍCIOS 12.1. Pluít & Cia. é uma indústria que produz embalagens para latas de 100 gramas de talco infantil. o No 1. semestre de 19X9 incorreu nos seguintes custos: Matéria-prima $ 828.000 (aplicada em vários pontos da produção) Mão-de-obra Direta 500.000 Custos Indiretos 700.000 Total $ 2.028.000 Não havia estoques no início de 19X9; e nesse semestre consegui-se produzir 760 000 unidades, ficando, em 30-6-X9, 40 000 unidades processadas até sua metade. No 2.o semestre iniciou-se a produção de outras 900 000 caixas e conseguiu-se o término de um total de 860 000. Restaram ainda, em 31-12-X9, 80 000 unidades em fase de processamento, num estágio também de 50% . Nesse 2.o semestre houve os seguintes custos: Matéria-prima $ 901.600 Mão-de-obra Direta 552.000 Custos Indiretos 720.000 Total $ 2.173.600 Determine qual foi o custo médio de fabricação do primeiro e do segundo semestres e o valor dos estoques finais de produtos em elaboração com base no PEPS (FIFO) e no Preço Médio. 12.2. Em certo Departamento de uma indústria de papel, o material direto é adicionado no início do processamento e a mão-de-obra direta e os custos indiretos de produção são incorridos uniformemente durante o processamento. É normal haver perda de até 5% das unidades iniciadas, o que ocorre logo na introdução do material direto nesse Departamento. Durante o mês de abril, os custos incorridos por esse Departamento foram: 45
  • 46. Material Direto $ 9.500.000 Mão-de-obra Direta 7.200.000 Custos Indiretos 4.500.000 Total $ 21.200.000 O custo unitário total do último mês foi de $ 2.200. Não havia estoque final em março e em abril houve início de 10 000 novas unidades, das quais: 8 000 foram inteiramente acabadas e transferidas ao Departamento seguinte. 1 500 estavam 2/3 acabadas no fim do mês. 500 foram perdidas dentro das condições normais. Sabendo-se que a empresa usa o custo médio para avaliação de todos os seus estoques, pede-se a apuração do custo unitário de fabricação de abril, o valor das unidades em processamento e ainda o valor das unidades transferidas. 12.3. a) No mês de janeiro uma companhia teve os seguintes custos de produção: Matéria-prima $ 100.000 Mão-de-obra Direta $ 46.000 Custos Indiretos $ 73.600 Total $ 219.600 A matéria-prima é aplicada no início da produção e os custos indiretos são apropriados proporcionalmente à mão-de-obra direta. A movimentação física em janeiro foi: Estoque inicial 0 unidades Estoque final 1 000 unidades que recebem 20% da mão-de-obra direta total 46
  • 47. Produção acabada e vendida 9 000 unidades b) No mês de fevereiro os custos incorridos foram: Matéria-prima $ 110.000 Mão-de-obra Direta 51.700 Custos Indiretos 82.720 $ 244.420 A movimentação física foi: Produção acabada e vendida 9 000 unidades Estoque final 2 000 unidades com 30% de M.O.D. Pede-se: 1) Apurar o custo unitário de produção em cada mês. 2) Apurar, pelo PEPS, o valor da produção acabada em cada mês. 3) Apurar o valor dos estoques finais de cada mês. 12.4. A Cia Concreta de Cimento apura o custo de cada tonelada em cada fase do procedimento. No 1.o trimestre incorreu nos seguintes custos; Na britagem: Matéria-prima (710 000t) $ 6.745.000 (calcário) Custos de Conversão $ 6.035.000 47
  • 48. Na 1.a Moagem: Matéria-prima adicionada (125 244t) $ 1.377.684 (argila) Custos de Conversão $ 5.213.630 No Forno: Custos de Conversão $ 33.941.960 Na 2.a Moagem: Matéria-prima adicionada (14 200t) $ 284.245 (gesso) Custos de Conversão $ 24.960.396 Na produção de cimento dessa empresa ocorrem os seguintes fatos: do material entrado na britagem, perdem-se 2%; na 1a moagem introduz-se, para cada tonelada recebida da britagem, 0,18 t de argila, não havendo praticamente perda nessa fase; a perda registrada no forno é da ordem de 36,4% ; na 2a moagem a proporção de gesso adicionada é de 1/50 sobre o calcário iniciado na britagem, e nessa existe uma perda de 2,68% do material todo processado; Pede-se: Calcular o custo de cada tonelada em cada fase do processo nesse trimestre, calcular o custo final de cada tonelada de cimento e fazer a decomposição desse custo final por fase. 48
  • 49. 13 Produção Conjunta QUESTIONÁRIO 13A. Há diferença entre co-produto e sucata? Justifique. 13B. Como são contabilizados os custos e as receitas com os subprodutos? 13C. Quais são os principais métodos existentes para avaliação de estoques de co-produtos ? Faça um comentário sintético de cada um desses métodos. 13D. O que é uma perda ? 13E. Faça um resumo do que seja “custo integrado e coordenado com a contabilidade”. EXERCÍCIO 13.1. Em determinado mês, a empresa São Tomé Milhos Ltda., beneficiou 50 toneladas de milho comprado a $ 3,00 por quilo. Por esse beneficiamento incorreu ainda nos seguintes custos: Mão-de-obra $ 25.000 Outros Custos $ 12.500 Desse trabalho resultaram os seguintes co-produtos: Quirera - 30 000 kg , vendida a $ 300,00/ saco de 60 kg 49
  • 50. Fubá - 15 000 kg , vendido a $ 6,80 / kg Germe - 5 000 kg , parcialmente vendido a $ 9,60 /kg Para determinar o valor de 1 200 kg de germe não vendidos no final do mês, a empresa precisa fazer uma atribuição de custo, e resolve adotar o critério de apropriação à base dos valores de mercado. Qual é o valor desse estoque? 13.2. A Só Ferros S.A. adquiriu uma jazida de minério de ferro por $ 150.000.000, da qual prevê extrair 300 000 toneladas. Em determinado ano, a companhia retirou 10 000 toneladas e produziu, com esse minério, barras de ferro para construção com os seguintes diâmetros: 1/4 de polegada, 1/2 e 3/4. O processo de fabricação para os três tipos é o mesmo, e os demais custos foram os seguintes: Mão-de-obra $ 20.000.000 Custos Indiretos 15.000.000 Durante esse período foram produzidas 5 000 toneladas de barra de 1/4 , 2 500 de 1/2 e 2 500 de 3/4. a) Calcular o valor atribuído de custo para cada tipo com base no material contido em cada barra. b) Calcular esse mesmo valor, mas com base no volume produzido de cada tipo. c) Calcular ainda o valor atribuído a cada um com base no valor de mercado, sabendo-se que os preços de venda são: barra de 1/4 de polegada = $ 8,00 /kg barra de 1/2 de polegada = 7,00 /kg barra de 3/4 de polegada = 6,00 /kg d) Qual seria o resultado desse período, com base em cada um desses três critérios, caso as vendas tivessem sido: 4 000 toneladas de barras de 1/4, 2 000 toneladas de barras de 1/2, 1 000 toneladas de barras de 3/4, e sabendo-se que não havia estoques iniciais? 50
  • 51. 13.3. A Indústria de Produtos Alimentícios Alterosa S.A. consumiu 4 000 000 de litros de leite em 19x 8 na produção de queijo e manteiga. O preço pago aos produtores foi, em média, de $ 4,00 por litro. O total da produção do ano foi de 400 000 kg de queijo e 50 000 kg de manteiga. Os custos conjuntos do ano foram de $ 3.590.000, além da matéria-prima, mas, além desses, outros custos ainda existiram especificamente para um e outro produto. Custos específicos da manteiga: Mão-de-obra Direta $ 100.000 Embalagem $ 25.000 Indiretos $ 250.000 Custos específicos do queijo: Mão-de-obra $ 2.000.000 Embalagem $ 80.000 Indiretos $ 800.000 Calcular o custo total atribuído ao queijo e o alocado à manteiga com base no valor de mercado, sabendo-se que só existem preços para os produtos na forma de acabados, e que são: Manteiga $ 80,00 /kg Queijo $ 120,00 /kg 51
  • 52. 14 Custo Fixo, Lucro e Margem de Contribuição QUESTIONÁRIO 14A. Quais são os riscos, para fins decisoriais, decorrentes da alocação de custos fixos aos produtos? 14B. Podemos dizer que Margem de Contribuição é a diferença entre Preço de Venda e Custo Direto de um produto? 14C. No caso de usarmos o conceito de Contribuição Marginal para estudar a conveniência ou não de aceitação de uma proposta, podemos afirmar que a empresa está-se utilizando do conceito econômico de lucro marginal? 14D. Qual a diferença entre uma Demonstração de Resultados com base no uso da Margem de Contribuição e uma outra na forma tradicional, com a inclusão dos custos fixos nos produtos? 52
  • 53. EXERCÍCIO 14.1. A empresa Arquivaço S.A. fabrica arquivos de aço de diversos modelos, os quais têm as características de custos abaixo, quando são produzidos 100 unidades de cada um por mês: Custo Custo Produto Matéria-prima Mão-de-obra Indireto Indireto Custo Direta Variável Fixo Total Mod. 1 $ 300/u $ 500/u $ 250/u $ 200/u $ 1.250/u Mod. 2 $ 400/u $ 500/u $ 300/u $ 250/u $ 1.450/u Mod. 3 $ 500/u $ 600/u $ 300/u $ 250/u $ 1.650/u Mod. 4 $ 600/u $ 600/u $ 300/u $ 250/u $ 1.750/u Os preços de venda unitários são: $ 1.500 (mod. 1), $ 1.550 (mod. 2), $ 1.800 (mod. 3), $ 2.000 (mod. 4). De acordo com esses dados, apresente uma ordem de prioridade para a empresa, em termos de lucratividade, e justifique o porquê de sua escolha. 14.2. A Cia Tudolimpo S.A. trabalha no mercado de enceradeiras e aspiradores de pó, onde a empresa líder é a Brilho Estelar, sendo que esta, inclusive, fixa os preços, que sempre são seguidos pelas demais. A Tudolimpo fez uma ampliação da sua capacidade produtiva, e pretende utilizá-la mediante uma intensiva campanha publicitária, mas sem alterar seus preços de venda. O Departamento de Planejamento pediu ao Departamento de Custos um relatório completo sobre os dois produtos; esse relatório acabou por evidenciar os seguintes dados: Custos Fixos por Mês: Mão-de-obra Indireta: $ 2.000.000 Depreciação: $ 600.000 Outros: $ 360.000 Custos Variáveis: 53
  • 54. Enceradeira Aspirador Matéria-prima $ 300,00 /u $ 400,00 /u Outros Materiais $ 122,50 /u $ 180,00 /u Mão-de-obra Direta $ 350,00 /u $ 600,00 /u Quantidades produzida no último mês: Enceradeiras: 2 000 u Aspiradores: 2 000 u Tempo Total de Fabricação utilizado no último mês: Enceradeiras: 15 000 h Aspiradores: 24 500 h Preços de Venda: Enceradeiras: $ 1.900,00 /u Aspiradores: $ 2.600,00 /u Sabendo-se que a empresa apropria os Custos Fixos à base do tempo de fabricação, a) Calcule o lucro unitário dos dois produtos. b) Dê sua opinião sobre qual o produto que deve ter sua venda incentivada e justifique-a. 14.3. A Arte em Estilo Ltda. fabrica móveis de luxo por encomenda. Em 12 de setembro, recebeu dois pedidos de produção. Um era de 200 carrinhos de chá e o outro de 110 estantes. Para a produção do primeiro seriam necessárias 3 semanas, e, para a do segundo, 4 semanas. O chefe da produção informa que só pode trabalhar em uma das duas encomendas, já que a partir de 10 de outubro terá de se dedicar às outras já contratadas de fim de ano. Foi elaborado o seguinte relatório de Custos e estimadas as Despesas para esses dois pedidos: Matéria-prima e C.I.F. Despesas Variáveis M. O. Direta Variáveis Comissão Transportes 54
  • 55. 200 carrinhos de $ 1.600 /u $ 380 /u $ 50 /u $ 90 /u chá 110 estantes $ 6.000 /u $ 2.000 /u $ 150 /u $ 550 /u Os Custos Fixos de produção somam $ 96.000 por semana e as Despesas Fixas (Administração, Vendas e Financeiras), $ 42.000. Os preços de venda seriam de $ 4.800/u e $ 14.000/u, respectivamente. Qual dos dois pedidos você aceitaria? Por quê? 14.4. A capacidade de produção da Cia. Amazonense de Veículos é de 36.000 carros por ano, mas, devido à crise de petróleo, está conseguindo colocar no mercado brasileiro somente 24.000. Seus Custos e Despesas são os seguintes: Custos Fixos: $ 450.000.000/ano Custos Variáveis: $ 65.000/unidades Despesas Fixas: $ 90.000.000/ano Despesas Comerciais: $ 1.000/unidades Impostos: $ 3.000/unidades Da Venezuela a companhia recebe uma proposta de compra: 1a) Aquisição de 12.000 carros a $ 75.000. 2a) Aquisição de 16.000 carros a $ 80.000 ( no Brasil cada carro é vendida a $ 100.000). a) Deve a Cia. Amazonense aceitar alguma das propostas, sendo que, se fechar o contrato, ficará isenta dos impostos mas terá suas despesas comerciais aumentadas em 50% e ainda terá de arcar com o transporte no valor de $ 2.500/u? b) Qual seria o preço mínimo pelo qual passaria a valer a pena aceitar cada uma das propostas? Justifique. 55
  • 56. 14.5. A Cia. Praia das Fontes engarrafa água e tem, a preços de agosto/19x 6, a seguinte estrutura de custos: Fixos: $ 80.000.000/mês Variáveis: $ 13/garrafa O preço de venda é de $ 30/garrafa, a receber em 30 dias da venda. Os custos fixos são pagos todos ao final do mês e os variáveis durante o mês. Qual o lucro de setembro/19x 6, se a empresa vendeu 6.000.000 de garrafas, os custos e despesas subiram 12%, o preço de venda 10% e espera-se que a inflação seja de 12% até o próximo mês? Calcular tudo em $ de capacidade média aquisitiva do fim do mês de setembro/19x 6. 15 Contribuição Marginal e Limitações na Capacidade de Produção QUESTIONÁRIO 56
  • 57. 15A. É sempre útil trabalhar apenas com o conceito de Margem de Contribuição por Unidade? Por quê? 15B. No que influi a existência de alguma limitação na capacidade produtiva da empresa? 15C. Como deve ser tratado o caso em que ocorrem vários fatores de limitação ao mesmo tempo? 15D. É possível fazer uma alocação de custos fixos de tal forma que se obtenha um quadro de análise parecido com o obtido somente à base de margem de contribuição? EXERCÍCIOS 15.1. Uma indústria fabrica 3 produtos, nos quais são utilizados rolamentos, com os seguintes custos: Custo Custo Custo Preço N.o Produto Variável Fixo Total Venda Rolamentos A $ 400/u $ 100/u $ 500/u $ 800/u 4/u B 495 200 695 1.000 5 C 300 100 400 700 4 Em determinada semana a empresa está com falta de rolamentos, existindo apenas 200 unidades em seu estoque. Sabendo que a empresa tem Despesas Fixas de $ 10.000/semana e Despesas Variáveis de 10% do Preço de Venda, e sabendo ainda que o mercado consome 20 unidades de cada produto por semana, decida quais produtos deverão ser feitos nessa semana, e em que quantidade, de forma a maximizar o lucro nesse período. 15.2. Determinada indústria fabrica os produtos A e B com uma mesma matéria-prima. Seus custos variáveis são os seguintes: 57
  • 58. Produto Matéria-prima Mão-de-obra Direta Custos Indiretos Variáveis A 2 kg/u a $ 8,00/kg 3h/u a $ 20,00/h $ 14,00/u B 1 kg/u a $ 8,00/kg 2h/u a $ 20,00/h $ 8,00/u Os Custos Indiretos Fixos são de aproximadamente $ 5.000.000 por mês e os preços de venda são: $ 200,00/u (para o A) e $ 120,00/u (para o B). O mercado consome, no máximo, 100 000 unidades de cada produto por mês, mas em outubro é prevista falta de matéria-prima, só estando à disposição da empresa 200 000 kg. a) Qual a quantidade de cada produto que a empresa deve fabricar nesse mês para que maximize seu lucro? Qual o lucro máximo? Suponha agora que, no mês de novembro, haja normalização do mercado de matéria-prima, mas que haja um aumento de 50% sobre os salários e também seja autorizado pelo governo um aumento de 50% sobre os preços de venda, e, que, devido às férias de vários empregados, esteja a empresa reduzida a uma capacidade de mão-de-obra direta máxima possível de 400.000 h nesse período. b) Qual deve ser agora a quantidade fabricada de cada produto, sabendo-se que o mercado continua consumindo os mesmos volumes? Qual o lucro máximo? 15.3. A Indústria de Mantas e Cobertores Mato Grosso de Sul S.A. teve os seguintes custos e despesas em janeiro: Mão-de-obra Direta: $ 170/u produzida Matéria-prima: $ 200/kg de lã utilizada Comissão de Vendas: $ 150/u vendida Custos (80%) e Despesas (20%) Fixos: $ 653.000 ($ 522.400 e 130.600, respectivamente). A Indústria rateou tanto os Custos quanto as Despesas que não são variáveis à base do tempo de fabricação de cada um dos 4 produtos feitos no mês; os dados mais relevantes do período foram: Produto Tempo Quantidade de Volume Preço Fabricação Lã Consumida Produzido Venda Cobertores-Casal 9,5 h/u Consumida 3,5 kg 12.000 u $ 1.500/u 58
  • 59. Mantas-Casal 7,6 h/u 2,8 6.000 u 1.300 Cobertores-Solteiro 9,0 h/u 2,5 8.000 u 1.260 Mantas-Solteiro 7,4 h/u 1,5 4.000 u 1.000 Em fevereiro a empresa recebeu 6 000 kg de matéria-prima a menos do que havia consumido em janeiro, e por isso ela teve de restringir sua produção e assim fabricou menos daqueles produtos que davam menor lucro por unidade. Em ambos os meses conseguiu vender toda sua produção. a) Refaça os cálculos que você acha que a Indústria fez para escolher o produto a restringir da produção. b) Faça os cálculos que você acha que deveriam ter sido feitos para uma apropriação adequada de custos para fins de avaliação de estoques. c) Faça os cálculos que deveriam ter sido feitos para analisar qual a decisão correta em fevereiro e quais os produtos que devem ter sua venda encorajada. d) Compare seus números, analise-os e faça alguns comentários. 15.4. A Cia. PH de Calculadoras Eletrônicas fabrica dois modelos, um com impressora e outra sem. Para atender ao mercado a empresa produz, normalmente, 5 000 máquinas do primeiro e 4 000 do segundo tipo. Os materiais consumidos diretamente são de $ 3.993 e $ 3.700, respectivamente. Os demais custos variáveis são de $ 2.150 por unidade, além de $ 275/h de mão-de-obra direta, tanto para um como para outro modelo. Os Custos Fixos totalizam $ 3.360.500 por mês, e são rateados à base de horas de M.O.D. (9,10 h/u para o modelo com e 6,50 h/u para o sem impressora). Os preços de venda são aproximadamente os das empresas concorrentes ($ 9.900/u e $ 8.810/u, respectivamente), e a PH não pretende alterá-los. a) Calcule o custo de cada um dos modelos, o lucro unitário e a margem de contribuição unitária. b) Sabendo-se que há uma grande dificuldade de obter pessoal especializado na produção desses itens, dê sua opinião sobre em qual modelo deve a empresa dedicar seus esforços de propaganda. 59
  • 60. 16 Custeio Variável (Custeio Direto) QUESTIONÁRIO 16A. O que significa Custeio Direto? 16B. No Custeio Variável existe a apropriação, como parte do Custo, nas Despesas de Venda Variáveis? 16C. Quando não há estoques iniciais ou finais, existe que tipo de diferença entre os lucros apresentados pelo Custeio por Absorção e pelo Custeio Variável? 16D. É possível a conciliação entre um e outro? EXERCÍCIOS 16.1. A Indústria de Violões Afinados S.A. iniciou sua produção em outubro de 19x7 e teve o seguinte movimento: Produção Venda Outubro 8 000 u 7 000 u Novembro 16 000 u 7 000 u Dezembro 4 000 u 14 000 u Matéria-prima e Materiais Indiretos são os únicos custos variáveis da empresa e foram, respectivamente, de $ 2.560.000 e $ 440.000 em outubro. As despesas variáveis de venda totalizam $ 74/u, e cada violão é vendido a $ 1.080. 60
  • 61. Seus custos e despesas fixos têm sido, por mês, os seguintes: Mão-de-obra $ 3.500.000 Depreciação de Equipamentos $ 112.000 Aluguel do Prédio da Fábrica $ 50.000 Custos Diversos da Fábrica $ 916.000 Salários Administrativos $ 870.000 Propaganda $ 716.000 Apure o lucro e o estoque final em cada mês, pelos Custeios por Absorção e Variável, utilizando- se do PEPS (FIFO). 16.2. A Facímpia S.A., fabricante de máquinas de escrever elétricas, iniciou o ano de 19x 8 sem estoques de produtos. Durante esse exercício iniciou 300 000 unidades, das quais 40 000 ficaram 50% acabadas no fim do ano e 30 000 ficaram estocadas para venda em 19x 9; as outras 230 000 foram vendidas por $ 2.500/u. Os custos de produção e as despesas de venda do período foram: Materiais Diretos $ 168.000.000 Mão-de-obra Direta $ 196.000.000 Custos Indiretos Variáveis $ 42.000.000 Custos Fixos Indiretos $ 112.000.000 Despesas Fixas de Venda $ 69.000.000 Despesas Variáveis de Venda $ 100/u 61
  • 62. Apure o lucro antes das Despesas Administrativas e Financeiras e o valor dos estoques de produtos acabados e em elaboração em 31-12-x 8 pelo Custeio Direto e por Absorção e explique a diferença. 16.3. A Indústria Brasileira de Malas S.A. operou em março/x8 abaixo da sua capacidade total, produzindo 120.000 unidades de um certo modelo. Os custos e as despesas relativas à produção e venda desse modelo são: Variáveis: Matéria-prima $ 150/u Mão-de-obra Direta $ 100/u Custos Indiretos $ 50/u Despesas Vendas $ 10/u $ 310/u Fixos: Depreciação $ 500.000/mês Mão-de-obra Indireta $ 6.000.000/mês Outros Custos $ 2.500.000/mês Despesas $ 3.000.000/mês $ 12.000.000/mês O preço de venda é de $ 450/u e não havia estoques iniciais nesse mês; foram vendidas 90 000 unidades e a empresa usa o FIFO (PEPS). a) Qual o lucro do mês pelo Custeio por Absorção e pelo Variável? b) Qual o estoque final pelos dois Sistemas? 62
  • 63. Em abril, os custos e as despesas se repetem, mas agora a empresa conseguiu trabalhar no seu limite máximo de capacidade, que é de 150 000 unidades por mês; entretanto, conseguiu vender apenas as mesmas 90 000 ao mesmo preço. c) Qual o lucro e o estoque pelos dois Sistemas em abril? d) Justifique a diferença de lucro apesar da igualdade de vendas. e) Faça os lançamentos que conciliam ambos os Sistemas, partindo da hipótese de que a empresa trabalha durante o mês com o uso do Custeio Variável e só no final faz a adaptação ao Absorção. 17 Margem de Contribuição, Custos Fixos Indentificados e Retorno sobre o Investimento QUESTIONÁRIO 17A. O que significa Custos Fixos Identificados? 17B. Existem Custos Fixos Identificados em uma empresa de produção contínua? 17C. Qual a utilidade do uso dos Custos Fixos e dos Investimentos Identificados? 63
  • 64. 17D. Qual a utilidade do uso as Margens de Contribuição sucessivas? 17E. O que é “Taxa de Retorno”? EXERCÍCIOS 17.1. Clarabela & Irmãos Ltda. fabrica bolsas e luvas de couro e costuma apropriar seus Custos Indiretos de Fabricação em função do valor da Mão-de-obra Direta de um e outro produto. Entretanto, em determinado mês, resolveu ela alterar esse critério e passou a rateá-los com base no valor da matéria-prima, a fim de poder analisar eventuais alterações pela nova sistemática. Nesse mês de experiência em que se produziu e vendeu 1 000 bolsas e 1 300 pares de luvas, ocorreram os seguintes custos: Variáveis: Bolsas Luvas Matéria-prima $ 228,00/u $ 140,00/par Mão-de-obra Direta $ 120,00/u $ 200,00/par Embalagem $ 90,00/u $ 65,00/par Fixos: Custos Indiretos no total de $ 405.000 comuns à fabricação dos dois produtos, mais $ 158.000 específicos para os bolsas e $ 125.000 somente para as luvas. Pede-se: a) Calcule o lucro por produto com ambos os critérios, sabendo que cada bolsa foi vendida por $ 920,00 e cada par de luvas por $ 700,00. b) Verifique a Margem de Contribuição de cada unidade, bem como a decorrente de cada linha de produção. c) Elabore uma demonstração do Resultado que mostre essas Margens de Contribuição de forma semelhante ao Quadro 17..3 do livro-texto. 64
  • 65. 17.2. A Revendedora de Pneus ZAK Ltda. trabalha com três linhas de pneus: uma para automóveis, outra para caminhões e a terceira para motocicletas. A empresa é composta de três filiais e de um escritório central; os investimentos feitos para a montagem e colocação em funcionamento das filiais e do escritório foram os seguintes: Escritório Central: $ 1.500.000 Filial Central: $ 2.500.000 Filial Norte: $ 1.800.000 Filial Leste: $ 1.200.000 As receitas obtidas durante 19x 8 são: Produto Filial Central Filial Norte Filial Leste p/ Automóveis 10.000.000 6.000.000 4.000.000 p/ Caminhões 8.000.000 14.000.000 16.000.000 p/ Motos 6.000.000 8.000.000 20.000.000 Os custos e as despesas variáveis dos produtos vendidos incorridos pela empresa foram: Produto Filial Central Filial Norte Filial Leste p/ Automóveis $ 7.000.000 $ 4.800.000 $ 3.200.000 p/ Caminhões 6.500.000 12.000.000 12.800.000 p/ Motos 3.600.000 6.000.000 16.000.000 A depreciação é calculada à base de 5% a.a. sobre os investimentos, e as demais despesas fixas de 19x 8 são: Escritório Central $ 2.200.000 Filial Central 4.000.000 Filial Norte 6.000.000 Filial Leste 5.400.000 65
  • 66. A empresa vem procedendo ao rateio das despesas do escritório central às filiais em função da soma das suas despesas totais próprias, e apropriando as despesas aos produtos com base nos seus volumes de vendas. a) Qual foi a linha de pneus que se apresentou como a de maior lucro dentro desses critérios adotados? b) Qual a filial mais lucrativa dentro dessas normas? c) Deve a empresa deixar de vender alguma linha em alguma das filiais ou fechar alguma filial? d) Elabore uma demonstração mais adequada sobre a contribuição de cada linha e de cada filial. e) Calcule a taxa de retorno de cada filial com base nos valores identificados e compare com a taxa que seria obtida caso a apurássemos com base em lucro (como apurado) como investimento total ( fazendo o rateio dos investimentos do escritório central às filiais proporcionalmente aos seus faturamentos). f) Analise as duas posições dadas por um e outro relatório e emita sua opinião a respeito. 17.3. A Autopeças Magnífica Ltda. fabrica 4 produtos: rodas, pára-lamas, pára-choques e grades. Seu Departamento de Niquelação não trabalha para rodas e pára-lamas e o Pintura não trabalha para pára-choques e grades; os demais são necessários para todos os produtos. Os Custos Variáveis são os seguintes: Rodas $ 150/u Pára-lama 200/u Pára-choque 150/u Grade 300/u Os custos Fixos Departamentais Identificados são: Niquelação $ 3.000.000/mês Estamparia 1.500.000 Tornos 900.000 Furadeiras 500.000 Esmeris 300.000 66
  • 67. Montagem 1.600.000 Pintura 2.200.000 Os preços de venda para os quatro produtos são: Roda $ 280/u Pára-lama 480/u Pára-choque 400/u Grade 500/u A capacidade de produção mensal da empresa é de 20 000 rodas, 20 000 pára-lamas, 10 000 pára-choques e 10 000 grades, e normalmente consegue vender toda sua produção. a) Deve a indústria parar com a fabricação de grades ou pára-choques, ou de ambos? Justifique. b) É vantajoso à empresa fechar a Pintura e a Niquelação e mandar fazer as operações desses departamentos fora, quando então teria um acréscimo nos custos variáveis de $ 100/u nas grades e pára-choques, e de $ 70/u nas rodas e pára-lamas? Justifique. 18 Fixação de Preço de Venda e Decisão Sobre Compra ou Produção 67
  • 68. QUESTIONÁRIO 18A. Pode uma empresa tentar fixar seus preços apenas com base nos custos de produção? 18B. O Custeio por Absorção é um critério adequado para fixação de preço de venda? 18C. Deve ser a maximização da receita total o objetivo da empresa? 18D. Explique por que costumam haver conflitos entre os setores de Marketing e Custos, dentro de uma empresa, quando se elaboram planos e orçamentos. 18E. Quais os conceitos relevantes na hora de decidir por comprar ou fabricar um item qualquer? EXERCÍCIOS 18.1. A Cia Itobiense de Bicicleta está atualmente produzindo e vendendo 9 600 unidades por ano. Após fazer uma pesquisa de mercado, verificou que precisaria diminuir o preço de venda de $ 3.000/u para $ 2.900/u para conseguir elevar suas vendas para o máximo da sua capacidade de produção, que é de 12 000 u/ano. a) Sabendo que os custos e despesas variáveis são de $ 2.100/u e que os fixos totalizam $ 500.000/mês, fora a depreciação, que é de $ 840.000/ano, calcule o lucro por unidade e elabore os outros cálculos que julgar necessários para a análise da situação. b) Qual dos dois preços de venda deve a empresa adotar para maximizar seu lucro? Para completar essa pesquisa, a companhia verificou ainda que, caso baixasse o preço para $ 2.700/u, poderia colocar no mercado 1 500 bicicletas mensalmente. Entretanto, para isso, necessitaria de um investimento adicional em equipamentos no valor de $ 12.000.000, que teria uma vida útil de 20 anos, e um valor residual de $ 3.600.000, e ainda teria um acréscimo nos demais custos fixos (exceto depreciação) de 15%. 68
  • 69. c) Qual seria sua decisão nesse caso? Justifique. 18.2. A Panificadora Industrial S.A. verificou que, na semana em que cobra $ 30/kg de um tipo de produto, vende um total de 2 400 kg desse item, e quando cobra $ 32, vende 2 100 kg. Cada quilo de tal produto lhe causa um acréscimo de custo de $ 16, além dos $ 12.000 semanais de custos fixos que a empresa atribui e essa linha de produção. a) Qual deve ser o preço cobrado para maximização do seu lucro? Suponha agora que haja um aumento de 30% sobre a matéria-prima utilizada nesse produto, que representava 50% do seu custo variável total. b) Analise essa nova situação. 18.3. A Indústria IAM de Amortecedores Ltda. fez uma pesquisa de mercado para saber quais seriam seus níveis de venda a diversos preços possíveis para seu produto. A resposta foi: Quantidade que seria Preço por unidade vendida por mês $ 200 60 000 220 54 000 240 48 000 260 42 000 280 36 000 300 30 000 Ela vinha vendendo a $ 220/u, e realmente conseguiu colocar no mercado ± 54 000 u/mês. Havia chegado àquele preço dentro da seguinte forma: Capacidade máxima de produção: 58.000 u/mês Custos nesse volume: Variáveis $ 9.280.000 ($ 160/u) 69
  • 70. Fixos $ 1.480.000/mês Totais $ 10.760.000 Lucro desejado $ 2.000.000/mês Soma $ 12.760.000/mês ÷ 58.000 u = $ 220/u a) A Indústria vem conseguindo obter realmente esse lucro desejado de $ 2.000.000/mês, por estar produzindo e vendendo 54 000 u? b) Considerando aqueles dados de mercado, qual seria o preço de venda que lhe maximizaria o lucro? E qual será esse lucro nesse ponto ótimo de trabalho? 18.4. Balanço Patrimonial em 31-12-19x 0 (sintético) Ativo Passivo + Patrimônio Líquido Circulante Circulante Diversos 4.575.000 Diversos 3.000.000 Estoques 425.000 Permanente Patrimônio Líquido Imobilizado 6.000.000 Capital 5.000.000 (-) Deprec. Ac. (1.000.000) Reservas 2.000.000 Total 10.000.000 10.000.000 Outros dados: 1. Estoques 5.000 u x $ 85 = $ 425.000. 2. Preço de Venda em 19x 0 = $ 150/u. 3. Custos de Despesas de 19x 0: Custos Variáveis 70
  • 71. Matéria-prima...................................... $ 40/u. Mão-de-obra Direta............................... $ 20/u. Outros Custos....................................... $ 10/u. Custos Fixos Depreciação 3% ao ano........................ $ 180.000 Outros Custos Fixos............................... $ 120.000/ano Despesas Variáveis................................ $ 10/u. Despesas Fixas..................................... $ 100.000/ano. 4. BTN: 31-12-x 0 ............................... $ 1.000 Média de x1 ........................... $ 1.500 31-12-x1................................. $ 2.000 5. Os custos e despesas sofrerão aumentos em 19x 1, de acordo com a variação dos BTN (ou seja 50%). 6. Os empresários desejam um lucro líquido de 10% sobre o P.L. inicial corrigido (em 19x 1). 7. A alíquota de Imposto de Renda é de 30%. 8. A produção e a venda em 19x 1 serão de 20.000 u e a empresa utiliza o método PEPS, para avaliar seus estoques (há necessidade de se manter sempre 5.000 u em estoques). Pede-se: a) Determinar o preço de venda necessário para que seja atingido o objetivo dos empresários em 19x 1. b) Determine a percentagem de aumento necessário em relação a 19x 0 e faça alguns comentários. 71
  • 72. 19 Custos Imputados e Custos Perdidos QUESTIONÁRIO 19A. O que significa Custo de Oportunidade? 19B. O aluguel de um prédio próprio é um Custo de Oportunidade? 19C. A Taxa de Retorno é um Custo de Oportunidade? 19D. O que vem a ser um Custo Perdido? 19E. Todo Custo Imputado é um Custo de Oportunidade? EXERCÍCIOS 19.1. O Diretor Financeiro de uma empresa, diante das diversas alternativas de aplicação de uma disponibilidade de $ 13.000.000, decidiu investi-los na compra de um armazém com a finalidade de alugá- lo. A taxa prevista para o ano era de uma inflação de 30%, e os rendimentos estimados de Letras de Câmbio eram de 37,5%. O armazém foi alugado por $ 150.000 por mês, e a empresa concluiu que sua vida útil máxima seria de 20 anos. 72
  • 73. Após o primeiro ano o Diretor Financeiro resolveu verificar se realmente tinha valido a pena o investimento, e agora nota que, se tivesse aplicado aquele valor em Letras de Câmbio, teria conseguido obter rendimentos de 48% (a inflação real do período foi de 40%). Valeu a pena o investimento feito? Comente a decisão do Diretor, sabendo que o imóvel, se vendido agora, alcançaria um total de $ 17.290.000. 19.2. A Cristais Imperador S.A. iniciou em 1.o-1-x 5 a produção de lustres, cujos modelos são bastante exóticos, o que leva o fabricante a prever a suspensão de sua fabricação dentro de 4 anos. A estimativa da produção anual era de 15 000 lustres. A empresa está operando em duas instalações: uma que já possuía, onde fabrica toda a parte de cristal; outra, que se trata de uma nova fábrica que montou para a produção apenas dos pendentes. Todos os gastos necessários à fabricação desse produto (abertura da nova fábrica, alteração de equipamentos da antiga etc.) serão amortizados em 4 anos. Importaram em $ 9.584.000, dos quais $ 6.384.000 para a abertura da nova fábrica. O saldo não amortizado dos imobilizados existentes nessa data era de $ 2.280.000 (só fábrica velha). Para a fabricação de cada unidade gastam-se materiais no valor de $ 5.500 para o lustre e $ 1.500 para o pendente, e os demais custos são: Mão-de-obra (que nessa empresa é totalmente fixa), $ 16.400.000 por ano na fábrica de lustres $ 2.635.000 na de pendentes, e C.I.F. também fixos, de $ 1.600.000, dos quais $ 500.000 pertencentes especificamente aos pendentes. Em 1.o-1-x 7 a empresa desfaz-se da fábrica de pendentes, vendendo-a por $ 1.000.000, pois conseguiu um fornecedor que os entrega a $ 1.750 cada um. Considerando a existência de 35% de Imposto sobre a Renda, e que o valor da venda conseguirá ser aplicado a 10% a.a., analise e dê sua opinião sobre a decisão da venda da fábrica nova, sabendo ainda que, se a venda fosse feita no final dos 4 anos, conseguiria apenas $ 500.000. Tente montar quais foram os cálculos feitos pela empresa na hora de tomar a decisão. 73
  • 74. 19.3. Determinada indústria de refrigerante precisou, para ser montada, de um investimento total (metade para capital fixo e metade para circulante) de $ 120.000.000. Esse montante foi obtido da seguinte forma: capital dos sócios, $ 40.000.000, e empréstimos e financiamentos, $ 80.000.000, estes à base de correção monetária mais 6% a.a. sobre o saldo corrigido. Para determinação dos custos e despesas totais a empresa assim apurou no fim do primeiro ano de atividade: Custos Variáveis incorridos $ 75.600.000 Custos Fixos, exceto depreciação $ 16.680.000 Depreciações $ 3.000.000 SOMA I $ 95.280.000 Despesas Variáveis de Vendas $ 6.300.000 Despesas Fixas de Vendas $ 9.270.000 Despesas Administrativas $ 8.200.000 Correções Monetárias dos Empréstimos (25%) $ 20.000.000 Juros $ 6.000.000 SOMA II $ 145.050.000 Correção Monetária e Juros sobre Capital Próprio $ 13.000.000 Aluguel calculado sobre Imóveis Próprios $ 7.100.000 TOTAL $ 165.150.000 Como as Receitas totalizaram $ 160.000.000 no ano, a empresa concluiu que tivera um prejuízo de $ 5.150.000, apesar de a Contabilidade estar mostrando um lucro de $ 14.950.000 antes do fechamento final, já que ela não contabilizou os juros e correções sobre o capital próprio nem o aluguel imputado aos seus imóveis, chegando assim à SOMA II ($ 145.050.000) como representativa do total de seus custos e despesas. Você acha que a empresa está correta no seu cálculo? Por quê? 74
  • 75. 20 Alguns Problemas Especiais: Custos de Reposição e Mão-de-obra Direta como Custos Variável QUESTIONÁRIO 20A. Qual a vantagem de se utilizar o Custo de Reposição em vez do Custo Histórico para finalidades gerenciais? 20B. Pode uma contabilidade apurar o seu lucro, levando em conta o custo de reposição dos seus estoques 20C. Pode-se sempre dizer que a diferença entre o custo atual de reposição de uma matéria- prima e o seu valor histórico de aquisição é uma economia para a empresa? 20D. A mão-de-obra Direta é sempre um Custo Variável? EXERCÍCIOS 20.1. Matabem & Cia. é uma empresa de pequeno porte que fabrica desinfetante. Para a produção de abril, gastou: Matéria-prima 12 500 litros 75
  • 76. Frascos de embalagem 20 000 u Mão-de-obra Direta $ 113.000,00 (variável) Materiais Indiretos $ 6.000,00 (variável) Aluguel $ 9.400,00 (fixo) Outros C.I.F. $ 1.000,00 (fixo) O sistema de avaliação de estoques utilizado pela empresa é a Média Ponderada Fixa. No final de abril registrou a existência de 10 500 litros de matéria-prima em estoque, a $ 9,60 o litro. Em 3 de maio comprou mais 5 000 litros a $ 11,46/l. A política salarial da empresa determina um reajuste de 25% em junho para todos os funcionários. Os 1 000 frascos para engarrafamento do produto, existentes em estoque no fim de abril, estão por um preço médio de $ 2,70/u. Se a empresa fosse comprar em maio, pagaria por eles $ 3,10/u. O contrato de locação do prédio onde opera a indústria encerrou-se no fim desse quadrimestre e foi renovado com um acréscimo de $ 3.500/mês. Também os demais Custos Indiretos deverão sofrer um aumento de 12% a partir de maio, só não havendo alteração nos Materiais Indiretos. Sabendo que cada frasco de desinfetante é vendido por $ 18,00, determinar: a) O lucro bruto por unidade, com base em valores históricos de abril. b) Qual o lucro bruto provável unitário em maio, se se produzisse a mesma quantidade. c) O lucro bruto à base de valores de reposição. d) A margem de contribuição de maio a valores históricos e a preços de reposição. 20.2. Ainda com relação ao exercício anterior (mês de maio), elabore um Quadro semelhante ao de n. o 20.2 do Livro-texto e faça um pequeno relatório explicando as diferenças. 76
  • 77. 20.3. Utilizando esse quadro do item anterior, discuta sobre qual dos conceitos e dos valores é de maior importância para fins dicisoriais. 20.4. A Consertos Fotográficos Ltda. apura receitas e custos (imediatamente transformados em despesas) por Ordem de Serviço, apropriando o tempo de cada técnico envolvido em cada conserto, os materiais aplicados e ainda alocando uma parcela dos Custos Indiretos. Em outubro/x8 seus relatórios apresentavam: Materiais Diretos alocados às ordens Cr$ 735.000,00 Mão-de-obra Direta (só a efetivamente aplicada) 128.000,00 Aluguel 40.000,00 Energia Elétrica, Impostos e Condomínio 9.000,00 Materiais Indiretos 18.000,00 Tempo Improdutivo (não trabalhado) da Mão-de-obra Direta 32.000,00 Pessoal Indireto 60.000,00 (Os Encargos Sociais já estão incluídos no Pessoal Direto e Indireto) Ordens trabalhadas no mês: 210 Horas diretas trabalhadas no mês: 1.600 Essa empresa, devido à alta especialização do seu pessoal, não pode dispensá-lo, mesmo em meses de pouco trabalho. Pede-se: Separe tentativamente os gastos acima em Fixos e Variáveis e, partindo da hipótese de que os valores médios gastos por Ordem de Serviço são relativamente constantes, calcule quais seriam os mesmo gastos se a empresa tivesse trabalhado 100% do seu tempo disponível. 77
  • 78. 21 Relação Custo/Volume/Lucro - Considerações Iniciais QUESTIONÁRIO 21A. O que significa “Ponto de Equilíbrio”? 21B. O que é “Margem de Segurança”? 21C. Qual o significado de “Alavancagem Operacional”? 21D. Diferencie os Pontos de Equilíbrio Contábil, Econômica e Financeiro. 21E. O que ocorre no Ponto de Equilíbrio quando há um aumento de x% nos seus custos e despesas fixos? 21F. E o que acontece quando isso ocorre nos variáveis? 78
  • 79. EXERCÍCIOS 21.1. A Empresa Paulista de Trompetes S.A., através de um levantamento na sua Contabilidade de Custos, chegou à seguinte conclusão com respeito aos seus custos e despesas: Custos e despesas fixos: Depreciação de Equipamentos $ 100.000/ano Mão-de-obra Direta e Indireta 400.000/ano Impostos e seguros da planta fabril 38.000/ano Despesas de Vendas 150.000/ano Custos e despesas variáveis: Materiais Diretos $ 200/u Mão-de-obra Direta 100/u Embalagem 70/u Comissões de Vendedores 20/u Outros 10/u Sabendo-se que o preço de venda é de $ 2.000/u a) Quantos trompetes devem ser produzidos e vendidos por ano para atingir o ponto de equilíbrio? b) Qual o valor da receita nesse ponto? c) Se a empresa quiser ter um lucro de 30% sobre as receitas totais, quantas unidades deve produzir e vender durante o ano? d) Qual será esse lucro? 21.2. Leia o item 16.2 do livro-texto e calcule o ponto de equilíbrio do exemplo lá citado. Compare ainda os resultados assim obtidos com os apresentados pelo Custeio Variável e pelo Custeio por Absorção (Quadros 16.3 e 16.2). 21.3. Uma indústria de televisores tem a seguinte estrutura de custos e despesas: 79
  • 80. Custos Fixos $ 16.000.000/mês Custos Variáveis $ 3.000/u Despesas Fixas $ 4.000.000/mês Despesas Variáveis $ 555/u Preço de Venda $ 5.555/u Sabendo que a empresa deseja um retorno mínimo de 10% ao ano sobre seu Patrimônio Líquido de $ 240.000.000, que 20% dos seus Custos Fixos são depreciações e que ela tem compromissos fixos para o ano de $ 6.000.000 mensais, a título de amortização de dívidas assumidas, pede-se: a) Calcule seu Ponto de Equilíbrio Contábil. b) Idem para seu Ponto de Equilíbrio Econômico. c) Idem para o Financeiro, sem e com a amortização das dívidas. 21.4. O analista de custos da Cia. Fellucci Ltda. resolveu aplicar as técnicas de análise do ponto de equilíbrio para verificar o crescimento da empresa. Sabia que a mesma vinha vendendo, nos últimos tempos, 30 000 pacotes de algodão, para fins farmacêuticos, por mês, à base d $ 35 por pacote. Seus Custos e Despesas Fixos têm sido aproximadamente de $ 472.500/mês, e os Variáveis são de $ 15 por pacote. Suas dúvidas são as seguintes: a) Qual a margem de segurança da empresa? b) Um aumento de 2 000 u na margem de segurança trará que efeito sobre o lucro? c) Qual a Alavancagem Operacional a partir daí calculada? d) Se se conseguir uma redução de 20% sobre os Custos e Despesas Fixos, o que acontecerá com a margem de segurança em termos percentuais? e) Se a empresa desejar um aumento de 40% sobre seus lucros atuais, quanto deverá aumentar em quantidade de vendas? ( Supondo não alteração dos Custos e Despesas atuais). Ajude o analista a solucionar seus problemas. 80
  • 81. 21.5. A Indústria de Lâmpadas São Marcos Ltda., teve os seguintes custos em 19x 8: Fixo: Mão-de-obra Indireta $ 600.000 Materiais Indiretos 250.000 Outros 350.000 Variáveis: Matéria-prima $ 2,00/u Mão-de-obra Direta $ 1,00/u Prêmio Mão-de-obra Indireta 0,50/u As Despesas com Comissões foram de $ 0,50/u., as Despesas Financeiras de $ 100.000 e as demais Despesas de $ 200.000. O preço médio de venda do ano foi de $ 7,00/u. Esses Custos foram os médios do ano para os variáveis e o total do exercício para os fixos. Para 19x 9, espera-se que os impostos, que representam metade dos “Outros Custos Fixos”, aumentem em 80%, enquanto que se aguarda aumento de 40% sobre os salários diretos e indiretos e um acréscimo de 35% sobre os demais custos e despesas. Espera-se ainda que o preço médio do ano seja de $ 8,45/u apenas. A empresa tem os seguinte Patrimônio (sintetizado) em 31-12-x 8: Ativo: Circulante $ 500.000 Permanente $ 900.000 $ 1.400.000 (-) Passivo: Circulante 200.000 Longo Prazo 200.000 $ 400.000 (=) Patrimônio Líquido: $ 1.000.000 Espera ainda a indústria uma inflação de 38% para 19x 9. a) Qual foi seu Ponto de Equilíbrio Contábil em 19x 8? 81
  • 82. b) Qual será seu Ponto de Equilíbrio Contábil em 19x 9? c) Qual deve ser seu volume de vendas para que consiga um lucro real de 10% sobre seu Patrimônio Líquido em 19x 9? d) E se se quiser que esse lucro seja o líquido, depois do Imposto de Renda de 30%? 21.6. Dos registros da entidade GB foram extraídos os seguintes dados: custos variáveis por unidade $ 3.100 custos fixos mensais $ 30.000.000 despesas variáveis por unidade $ 10% do preço de venda despesas fixas mensais $ 5.000.000 preço de venda por unidade $ 5.000 a) Determinar o Ponto de Equilíbrio Contábil mensal, em unidades e valor: b) Sabendo-se que: o saldo inicial de disponibilidade é igual a zero; os custos e despesas desembolsáveis foram pagos; as vendas foram recebidas, qual é o saldo de disponibilidades no final do mês, quando a entidade atingir o PEC, sabendo que a depreciação é igual a 20% dos custos fixos? c) Determinar o Ponto de Equilíbrio mensal, em unidades e valor, sabendo-se que os acionistas desejam um lucro de 20% sobre a receita total. Qual é o resultado obtido pela entidade nesse caso? 82
  • 83. d) Determinar o Ponto de Equilíbrio Financeiro (com amortização) mensal, em unidades e valor, considerando que a depreciação é 20% dos custos fixos. Qual é o resultado obtido pela entidade nessa hipótese? Qual é o saldo de disponibilidade no final do mês, considerando-se os dados desta questão e da questão b? e) Determinar o Ponto de Equilíbrio Financeiro (com amortização) mensal, em unidades e valor, sabendo-se que a entidade tem amortizações mensais de $ 8.000.000, considerando também os dados da questão b. Qual é o resultado obtido pela entidade neste caso? f) Quando a entidade atingir o PEF na questão e, quanto ela poderá pagar de dividendos, sem fazer empréstimos e considerando-se os dados da questão b? Justifique a sua resposta. g) Qual é a margem de segurança, em unidades, percentual e receita, quando ela atingir o PEE (questão c)? h) Qual é a margem de segurança em unidades e a alavancagem operacional, quando a entidade passar de um volume de vendas de 87.500 para 100.000 u por mês? 22 Considerações Adicionais sobre Custo/Volume/Lucro QUESTIONÁRIO 83
  • 84. 22A. Por que uma estrutura diferenciada de Custos pode fazer com que os lucros de duas empresas reajam diferentemente a um mesmo fator? 22B. Após conseguir um faturamento que suplante o Ponto de Equilíbrio, quem ganha mais: a empresa que possui grandes custos fixos e poucos variáveis ou o contrário? 22C. O conceito de Ponto de Equilíbrio aplica-se ao caso de uma empresa que fabrique vários produtos diferentes? 22D. Quando existem Custos Indiretos de Produção, comuns a vários produtos, como podemos adaptar a aplicação do cálculo de Ponto de Equilíbrio? EXERCÍCIOS 22.1. Na cidade de Camburi existem duas empresas concorrentes vendendo água mineral: a IAMC, Indústria de Água Mineral Cascata S.A. , e a CCAM, Cia. Cachoeira de Água Mineral. O mercado nessa cidade consome 200 000 litros de água mineral por mês e tem sido dividido de maneira igual para as duas empresas. A IAMC tem custos e despesas variáveis de $ 2,50 por unidade e custos e despesas fixos mensais de $ 300.000. A CCAM tem variáveis de $ 3,50 por unidade e fixos de $ 260.000 por mês. Os investimentos relevantes de ambas são apenas seus equipamentos, comprados com recursos próprios; na IACM eles são supermodernos e foram recentemente adquiridos por $ 400.000.000, enquanto que na CCAM são também recentes, mas bem menos automatizados, e adquiridos por $ 25.000.000. Ambas vendem seus produtos pelo mesmo preço ($ 10 a garrafa). Durante outubro de 19x 8, o governo concedeu a ambas 25% de reajuste no preço, o que foi de imediato colocado em prática. Pergunta-se: a) Qual a influência desse aumento nos Pontos de Equilíbrio Contábeis e nos lucros das duas empresas? b) Como ficaram as taxas de retorno sobre os investimentos em equipamentos de ambas? c) Qual das duas foi mais beneficiada pelo aumento ? Justifique. 84
  • 85. 22.2. O Sr. Leme, dono de considerável fortuna, resolveu aplicar parte dela em ações de uma das três mais fortes empresas fabricantes de elevadores. Após vários análises realizadas, decidiu aplicar na que apresentasse maior lucro, dado que as três vendem mais ou menos a mesma quantidade de elevadores (22 por mês), ao mesmo preço (mais ou menos $ 570.000 cada um). Os dados apurados foram: Empresa A Empresa B Empresa C Custos e Desp. Fixos $ 3.600.000 $ 2.500.000 $ 1.400.000/mês Custos e Desp. Variáv. $ 270.000 $ 320.000 $ 370.000/u a) Sem efetuar cálculo algum, responda em qual das empresas o Sr. Leme investiu seu capital e justifique. b) Agora confirme sua resposta, calculando para as três empresas o ponto de equilíbrio eo lucro para o atual nível de vendas, bem como projeto qual seria o resultado para o dobro e a metade. 22.3. Ainda considerando os dados do 22.2: o Patrimônio Líquido da Empresa A acima é de $ 110.000.000, o da B é de $ 86.200.000, e o da C, $ 60.740.000. Uma pesquisa recente mostra que, para que o volume de vendas continue sendo de 22 elevadores por mês, as empresas terão de baixar seus preços em 15%, devido ao risco de entrada de outro concorrente no mercado. a) Sabendo que o preço de cada ação é igual no mercado para as três empresas, calcule qual teria sido a melhor alternativa para o Sr. Leme. 22.4. A Pólo Norte S.A fabrica aparelhos de ar condicionado tamanhos grande e pequeno com os seguintes custos: Grande Pequeno Custos e Despesas Fixos Identif. $ 3.780.000/mês $ 1.820.000 Custos e Despesas Variáveis $ 2.800/u $ 2.400/u Custos e Despesas Fixos Comuns $ 1.250.000/mês O aparelho tamanho grande tem um preço unitário de venda de $ 7.000,00 enquanto que o do pequeno é de $ 5.000,00. 85
  • 86. a) Determine os Pontos de Equilíbrio Contábeis de cada produto só considerando seus custos identificados. b) Calcule seus Pontos de Equilíbrio Contábeis na hipótese de que a empresa optasse por fabricar apenas um ou outro. c) Cada vez que a empresa deixar de vender uma unidade grande, quanto precisa vender das pequenas para conseguir amortizar totalmente os Custos e Despesas Fixos, inclusive os Comuns? 22.5. A Indústria de Eletrodoméstico Rei S.A. fabrica espremedores de frutas e liquidificadores. Os preços de venda são de $ 500,00 e $ 700,00, respectivamente. Os custos variáveis de ambos são: Espremedor Liquidificador Matéria-prima, Componentes e Embalagem $ 150,00/u $ 200,00/u Mão-de-obra Direta 100,00 150,00 Outros 100,00 100,00 Os Custos Fixos são: Identificados: Depreciação Equipamento $ 300.000,00/ano $ 500.000,00/ano Manutenção e Supervisão 420.000,00 680.000,00 Comuns a ambos: Administração da Fábrica $ 1.200.000,00/ano Diversos 600.000,00 Pede-se: a) Calcular o Ponto de Equilíbrio Contábeis mensal de cada produto, considerando apenas seus Custos Fixos Identificados. Construir também os gráficos respectivos. b) Quantas unidades de cada produto devem ser produzidas e vendidas durante um ano para que a empresa tenha um lucro de 30% sobre os Custos Fixos Identificados com cada um? 86
  • 87. c) Qual o percentual de aumento nos seus Pontos de Equilíbrio caso houvesse um acréscimo de 20% nos seus Custos Fixos Identificados? d) O que ocorreria com seus Pontos de Equilíbrio caso ocorresse apenas um aumento nos seus preços de venda de 10%? Represente graficamente essa mudança. e) Se a empresa já tiver um mercado assegurado para 900 unidades/mês de espremedores ( sem considerar as alterações dos itens c e d acima), quantos liquidicadores deverá tentar vender para ter um lucro de 15% sobre seus Custos Fixos Comuns? 22.6. A empresa “Jornal do Bairro S.A.” tem a seguinte estrutura: Custos e Despesas Fixas = $ 2.000.000/mês Custos e Despesas Variáveis = $ 15/exemplar Receita Fixa Total de Anúncios = $ 5.000.000/mês Preço de Venda = $ 10/exemplar. Pede-se: 1. Determinar o PEC mensal em unidades e valor e montar o gráfico correspondente. 2. Determinar o PEE mensal, sabendo-de que os empresários desejam um lucro de $ 500.000/mês. 3. Determinar a margem de segurança em unidades quando a empresa atingir o PEE (questão 2). 4. Analisar a situação específica desta empresa. 23 Controle, Custos Controláveis e Custos Estimados 87
  • 88. QUESTIONÁRIO 23A. O que significa “Controle” em uma Administração Financeira? 23B. O que você entende por Custo Controlável? 23C. Dê uma pequena explicação sobre o significado de Custeio por Responsabilidade. 24D. Cite alguns problemas decorrentes do Controle de Custos. EXERCÍCIOS 23.1. A Fábrica de Chocolates e Bombons Açucarada Ltda. tem um sistema de controle de custos, no qual compara os custos estimados com os reais para, a partir daí, tentar corrigir os desvios. De sua estimativa para o 3.o trimestre do ano, feita com base no seu desempenho anterior, constavam os seguintes totais: Matérias-primas Cr$ 320.000 Materiais de Consumo Direto 180.000 Mão-de-obra Direta 450.000 Mão-de-obra Indireta 110.000 Depreciação de Equipamentos 75.000 Energia Elétrica 100.000 Consertos e Manutenção 65.000 Materiais Indiretos 135.000 Outros Custos Indiretos 66.000 No mês de outubro verificou-se que os custos reais incorridos foram: Total Cr$ 1.501.000/mês Matérias- primas $ 256.000 Matérias de Consumo Direto 176.000 Mão-de-obra Direta 350.080 Mão-de-obra Indireta 89.920 88 Depreciação de Equipamentos 72.960 Energia Elétrica 75.200 Consertos e Manutenção 70.080 Materiais Indiretos 140.000 Outros Custos Indiretos 57.600
  • 89. A previsão havia sido feita para uma estimativa de 200 000 unidades produzidas, mas em outubro produziu-se apenas 160 000. a) Faça um relatório comparativo evidenciando as diferenças encontradas entre os custos estimadas e os reais. b) Indique ainda quais as correções que poderiam ser feitas. 23.2. A Cia. Brasileira de Café Solúvel vem mantendo há pouco tempo um sistema de custos. Sua produção em abril foi consideravelmente superior á de março, com um acréscimo de 36%, devido a uma inesperada demanda do mercado. Os custos totais de um de seus departamentos, a Purificação, cresceram conforme se pode ver abaixo: Março Abril Custos Diretos: Recebidos da Torrefação $ 9.760.000 $ 12.700.000 Materiais Diretos 2.000.000 2.650.000 Mão-de-obra Direta 1.200.000 1.630.000 Custos Indiretos Identificados com o Departamento: Depreciação 814.000 870.000 Mão-de-obra Indireta 312.000 234.000 Materiais Diversos 140.000 140.000 Manutenção 340.000 35.000 Energia Elétrica 98.000 120.000 Custos Indiretos Recebidos por Rateio: Administração da Produção 264.000 264.000 Manutenção 418.000 106.000 Almoxarifado 86.000 110.000 Controle de Qualidade 90.000 115.000 Total $ 15.522.000 $ 18.974.000 89 Total
  • 90. Para esclarecer essa situação, foi chamado o Chefe da Purificação, que elegeu não poder dar todas as explicações, uma vez que nem todos os custos eram de sua responsabilidade. Assim sendo, o Chefe da Purificação elaborou um relatório no qual se verifica a variação percentual apenas dos custos sob seu controle, a fim de poder então discutir com a Diretoria. Faça você também esse relatório, com base nas informações disponíveis e analise-o. 23.3. Suponha agora que, no caso do exercício 23.2, pelo Departamento de Purificação tenham passado, em abril, 3 tipos diferentes de café: Tipo A - Num volume 20% a mais que em março Tipo B - Num volume 60% a mais que em março Tipo C - Num volume l0% a mais que em março Nesse caso, como se podem analisar os dados disponíveis ? 90
  • 91. 24 Custo-padrão QUESTIONÁRIO 24A. Quais as diferenças básicas entre Custo-padrão Ideal e Custo-padrão Corrente ? E entre Custo-padrão Corrente e Custo Estimado? 24B. Qual é o objetivo do Custo-padrão Corrente? 24C. A adoção de um Sistema de Custeio-padrão por uma empresa significa sempre simplificação para a sua Contabilidade de Custos? 24D. De que maneira e por quem devem ser fixados os Custos-padrão de um bem ou serviço? 24E. Qual a validade do Custo-padrão na fixação do preço de venda? 24F. Como se deve comportar uma empresa com relação ao Custo-padrão numa situação inflacionária? 24G. Qual a alternativa mais correta dentro dos Princípios Contábeis Geralmente Aceitos para contabilizar as variações entre Custo Real e Padrão? 24H. No que pode um Custeio-padrão auxiliar a empresa na sua tarefa de orçamento e controle global financeiro? 24I. Qual o papel do Custo-padrão como auxilio na melhoria de produtividade da empresa? 91
  • 92. 24J. Um Custo-padrão pode ser fixado somente em quantidades físicas de fatores de produção utilizados, sem quantificação monetária? 25 Análise das Variações de Materiais e Mão-de-obra QUESTIONÁRIO 25A. O que significa “Variações de Quantidade” na utilização de matérias-primas? 25B. E a “Variação de Preço”? E a “Variação Mista”? 25C. Faça uma representação gráfica daVariação Mista, supondo uma Variação favorável de Quantidade e desfavorável de Preço. 25D. Uma Variação favorável de Matéria-prima significa algo sempre bom para a empresa? 25E. O que significa “Variação de Eficiência em Mão-de-obra Direta” ? 25F. Qual o tratamento normalmente dado na prática à Variação Mista? EXERCÍCIOS 25.1. A Pimpolho Ind. e Com. Ltda. fabrica, dentre outros produtos infantis, creme dental com sabor de frutas. O Custo-padrão de cada tubo de creme dental é o seguinte: 92
  • 93. Materiais Diretos: 45g x 0,12/g Mão-de-obra Direta: 16 min x $ 0,25/min Custos Indiretos: $ 2,70/u Entretanto, os custos efetivos de outubro foram: Materiais Diretos: 46g x $ 0,14/g Mão-de-obra Direta: 14 min x $ 0,25/min Custos Indiretos: $ 2,70/u Faça os cálculos das Variações de Quantidade, Preço e Mista dos Materiais Diretos, bem como os cálculos das Variações de Eficiência, Taxa e Mista da Mão-de-obra Direta relativas ao mês de outubro, e faça também a representação gráfica de cada uma delas. 25.2. (Continuação do 25.1. ) Como as variações têm sido relativamente freqüentes, a Pimpolho resolveu, em novembro, desmembrar seus custos pelos seus dois departamentos para uma análise mais minuciosa. Desmembrando o Custo-padrão, verificou que: 29 g dos Materiais Diretos eram para ser aplicados no Departamento A. 10 minutos do tempo da Mão-de-obra Direta eram para ser utilizados no Departamento A. Tanto o preço do Material quanto a taxa horária da Mão-de-obra Direta são iguais nos dois Departamentos. Terminado novembro, verificou-se que os custos reais foram: Depto. A Depto. B Materiais Diretos 28g x $ 0,11/g 18g x $ 0,12/g Mão-de-obra Direta 12 min x $ 0,30/min 6 min x $ 0,25/min Custos Indiretos de Produção $ 1,80/u $ 0,90/u 93
  • 94. Pede-se: Calcule as Variações de Quantidade, Preço e Mista para os Materiais Diretos e as de Eficiência, Taxa e Mista para a Mão-de-obra Direta para os dois Departamentos em novembro. Analise essas Variações e dê suas conclusões. 25.3. A Indústria de Artesanato em Prata S.A. fabrica, entre outros, faqueiros de pratas com 24 peças, pesando 1,5 kg cada um. O Custo-padrão total de um faqueiro desse tipo é assim composto: Matéria-prima (Prata) $ 3.000/kg Matéria-prima (Metal) 100/kg Mão-de-obra Direta 500/faqueiro Custos Indiretos 770/faqueiro O faqueiro-padrão consome 1,2 kg de prata e 0,3 kg de metal. Em determinado mês houve uma variação no custo total desse produto. Verificando o que estava ocorrendo, encontraram o seguinte: Matéria-prima (Prata) $ 3.200/kg Matéria-prima (Metal) 180/kg Mão-de-obra Direta 500/faqueiro Custos Indiretos 790/faqueiro Além disso, verificaram que, em vez de consumir 80% do peso em prata, estavam consumindo 82,5% , mas o peso total estava realmente sendo de 1,5 kg por faqueiro. Calcule as Variações, primeiramente dividindo-as em 3, e depois apropriando-as em apenas 2, com a juntada da Mista na de Preço. Em termos de custo total, valeu a pena a alteração percentual na composição dos materiais? 25.4. A Embalax S.A. fabrica caixas de papelão; na sua linha de embalagens para liquidificadores tem o seguinte custo-padrão: 94
  • 95. Papelão: 1,5 m2 x $ 4,00/m2 por unidade Fita colante: 1 m x $ 0,20/m por unidade M. O. Direta: 3 min x $ 20,00/h por unidade Custos Indiretos de Fabricação: $ 6.000.000/mês, para um nível de 2 000 000 de caixas mensais. Pede-se: a) Calcule o custo-padrão de uma unidade. b) O custo-padrão total de um mês. Durante o ano de 19x 9 foram produzidas 2 300 000 caixas, consumindo-se 3 599 500 m2 de papelão, 2 400 050 m de fita colante e 120 060 horas de Mão-de-obra direta. O preço médio pago pelo papelão foi de $ 4,20/m2, o da fita $ 0,19/m e o da Mão-de-obra direta $ 22,00/h. Os Custos Indiretos totalizaram $ 6.900.000. Pede-se: c) Qual o custo real médio das 2 300 000 caixas? d) Qual a Variação de Matéria-prima a ser atribuída à produção? e) Qual a ser atribuída ao Departamento de Compras? f) Qual a variação de eficiência e qual a de taxa na Mão-de-obra Direta? g) Construa um quadro detalhando todas as variações por unidade. 26 Análise das Variações de Custos Indiretos de Fabricação 95
  • 96. QUESTIONÁRIO 26A. O que significa “Variação de volume dos Custos Indiretos de Fabricação”? 26B. E “Variação de Custo”? 26C. E “Variação de Eficiência”? Existem todas as três sempre? 26D. Só existem Variações de Custos por unidade ou no total? 26E. Para que servem as análises das diferenças entre Padrão e Real? EXERCÍCIOS 26.1. A Editora Hércules Ltda. tem a seguinte estrutura de custos: Materiais Diretos $ 0,15/página Mão-de-obra Direta 0,02/página Custos Indiretos 0,02/página + $ 300.000/ano de fixos Para 19x 7 prevê editar um total de 10 000 000 de páginas. a) Qual seu Custo-padrão para um livro de 400 páginas? Ao terminar o ano, verifica que seus custos reais foram, para as 11 000 000 de páginas efetivamente editadas: 96
  • 97. Materiais Diretos $ 1.760.000 Mão-de-obra Direta 242.000 Custos Indiretos 528.000 Total $ 2.530.000 b) Calcule a Variação de cada item de custo. c) Separe a Variação dos Custos Indiretos em Variação de Volume e de Custo. d) Calcule as Variações por totais. 26.2. A Autobrás S.A. fabrica automóveis modelo Tocantins em série. Seu exercício social é de 364 dias, divididos em 13 meses (I a XIII), de 4 semanas cada um (13 x 4 x 7 = 364 dias). Ela tem fixo um Custo-padrão semanal; para seus Custos Indiretos ele é: Custos Indiretos Variáveis: $ 1.500/u Custos Indiretos Fixos: $ 10.000.000/semana O volume-padrão da indústria é de 5 000 veículos por semana; logo, seu Custo Indireto Padrão é de $ 17.500.000/semana. Na semana de n.o 05 ocorreu: Produção real: 4 850 veículos Custos Indiretos Reais: $ 17.500.000 Na de n.o 08 houve: Produção real: 5 000 veículos Custos Indiretos Reais: $ 17.090.000 97
  • 98. Na de n.o 11: Produção real: 5 020 veículos Custos Indiretos Reais: $ 17.525.000 E na de n.o 12: Produção real: 5 050 veículos Custos Indiretos Reais: $ 17.675.000 Calcule a Variação de Custos Indiretos de cada uma dessas semanas e separe-a entre Variação de Volume e de Custos. 26.3. Florença Industrial Ltda. é uma empresa fabricante de chuveiros elétricos há mais de 5 anos no mercado. Há um ano atrás implantou um sistema de Custo-padrão para melhor controlar seus gastos. Um se seus produtos, a ducha, está com os seguintes padrões para o último trimestre do ano: Custos Variáveis Custos Fixos Material Direto $ 200,00/u Mão-de-obra Direta 120,00/u Energia Elétrica 10,00/hora de M.O.D. Mão-de-obra Indireta $ 126.000/mês Outros Custos Indiretos 25,00/hora de M.O.D. 104.000/mês Para o último trimestre do ano a empresa prevê a produção de 2 500 duchas, consumindo +um total de 7 500 horas de Mão-de-obra Direta. 98
  • 99. Após o encerramento do trimestre, verificou a empresa que para essa linha de produção os custos realmente incorridos foram: Materiais Diretos $ 504.000 Mão-de-obra Direta 283.200 Energia Elétrica 71.280 Mão-de-obra Indireta 386.040 Outros Custos Indiretos 486.360 Total $ 1.730.880 Produziram nesse período 2 400 duchas e trabalharam efetivamente 7 500 horas de Mão-de- obra Direta: a) Calcule as Variações de Materiais Diretos, de Mão-de-obra Direta e dos Custos Indiretos de Fabricação, separando esta última apenas em Variação de Volume e de Custos. b) Separe a Variação de Custo dos C.I.F. em Variação de Eficiência e de Custos propriamente dita. c) Analise os resultados obtidos e decomponha a Variação da Mão-de-obra Direta. 26.4. Dados para estabelecimento do Custo-Padrão: Volume 40.000 u/mês Custo Total Matéria-prima $ 4.000.000 Matéria-prima Total 100.000 kg Custo Total MOD $ 4.800.000 Mão-de-obra Direta Total 80.000 horas Custos Indiretos de Fabricação Variáveis Totais $ 2.000.000 Fixos Mensais $ 1.200.000 TOTAL CIF $ 3.200.000 99
  • 100. A empresa atribui Custos Indiretos aos produtos em função do tempo de MOD. Dados Reais Volume Produzido 42.000 u Matéria-Prima Total 109.200 hg Custo Total Matéria-Prima $ 4.313.400 Mão-de-obra Direta 88.200 horas Custo Total MOD $ 5.203.800 Custos Indiretos Totais $ 3.570.000 Determine: a) Custo-Padrão por unidade, Custo Real por unidade e Variação por unidade. b) Variação por unidade de Matéria-prima. c) Variação da Matéria-prima subdividida: Quantidade, Preço e Mista d) Variação total M.P. e) Variação/u Mão-de-obra Direta. f) Variação (MOD), Taxa, Tempo ou Eficiência e Mista. g) Variação Total MOD. h) Variação/u CIF. i) Variação (CIF) Volume, Eficiência e Custo. j) Variação total de CIF. k) Variação total MP + MOD + CIF. l) Lucro Bruto Padrão/u, Lucro Bruto Real/u, sabendo-se que o preço de venda é de $ 400/u. m) O Lucro Bruto Total Padrão e Real, sabendo-se que foram vendidas 35.000 u no mês. n) Estoques Final Total Padrão e Real. 26.5. A Cia. Simples tem a seguinte estrutura de custos para o seu produto X: 100
  • 101. Materiais Diretos.................................. 2 kg x $ 70/kg...................... $ 140/u Mão-de-obra Direta.............................. 1 h x $ 35/h......................... $ 35/u Custos Indiretos Fab. Var.................... 1 h x $ 20/h......................... $ 20/u Custos Indiretos Fab. Fixos p/ 19x 5 ......................... $ 600.000 Para o ano de 19x 5 era prevista uma produção de 20.000 unidades. a) Qual o custo-padrão de uma unidade do produto? Os dados reais de 19x 5 foram os seguintes: Produção: 19.800 unidades Materiais Diretos Consumidos 41.580 kg x $ 68......................... $ 2.827.440 M.-O.-Direta Utilizada................20.790 h x $ 38........................... $ 790.020 CIF................................................................................................... $ 930.600 TOTAL......................................................................................... .. $ 4.548.060 b) Determinar todas as variações. c) Elaborar um quadro-resumo das variações/unidade. d) Contabilizar da maneira mais simples, sendo que foram vendidas 13.200 unidades ao preço de $ 400/u. QUADRO-RESUMO DAS VARIAÇÕES Produto X Valores por Unidade - 19x 5 Elementos Custo- Custo Variação Total Variação Qtde. de Custo -Padrão Real por Unidade Var. Preço Var. Mista $ % $ % $ % $ % Material Direto Variação Variação Variação Mao-de-Obra Eficiência Taxa Mista Direta 101
  • 102. Custoa Variação Variação Variação Indiretos Volume Eficiência de Custo de Fabricação TOTAL 27 Contabilização do Custo-Padrão - O Problema da Inflação QUESTIONÁRIO 27A. Para ser útil necessita um Sistema de Custeio-padrão ser totalmente inserido na Contabilidade Financeira? 27B. Resuma as várias alternativas para a contabilidade do Custo-padrão. 27C. “ Não há utilidade no uso de Custo-padrão no Brasil devido à situação inflacionária”. Você concorda com essa afirmação comum? 27D. Qual o critério que você julga mais adequado para ser compatibilizar o uso e aumentar as utilidades de um Sistema de Custo-padrão numa economia como a brasileira, se é que acha isso viável? 102
  • 103. EXERCÍCIOS 27.1. Na Chuvisco S.A. recém-criada fábrica de guarda-chuvas de nylon, foi admitido um contador com a finalidade de inserir na Contabilidade os registros do Sistema de Custos implantado, o Padrão. Os primeiros dados com que o Contador se defronta são os seguintes: Custo-padrão: (para um volume também considerado padrão de 50 000/mês) Materiais Diretos $ 135,00/u Mão-de-obra Direta 60,00/u Custos Indiretos 55,00/u Após o primeiro mês verifica: Produção elaborada: 60 000 unidades (das quais 45 000 vendidas a $ 300,00 cada uma) Custos Reais incorridos: Mão-de-obra Direta $ 3.360.000 Custos Indiretos $ 3.060.000 Para os Materiais Diretos observa: Estoque inicial - não havia Compras no mês : para 70 000 u, num total de $ 9.800.000 Estoque final - para 10 000 u a) Faça uma contabilização simples para o mês. b) Faça uma contabilização complexa, registrando separadamente as variações ocorridas. c) Suponha que no fim desse mês deva ser feito um Balanço de fim de exercício social e se proceda aos ajustes necessários para uma e outra hipóteses. 27.2. A Cia. Ypirell iniciou 19x 1 sem estoques de Produtos Acabados ou em Elaboração. Adota um sistema bem simplificado de contabilização do Custo-padrão, e ajusta-o ao Real no fim do exercício. 103
  • 104. Seu Padrão é assim definido: Matéria-prima: 5 kg/u a $ 20,00/kg Mão-de-obra Direta: 6h/u a $ 25,00/h Custos Indiretos Fixos: $ 600.000/ano Custos Indiretos Variáveis: $ 8,00/h de M.O.D./u Foram iniciadas durante o ano 50 000 unidades, das quais 45 000 foram terminadas; 40 000 foram vendidas. As unidades em processamento no fim do exercício estavam 100% acabadas em termos de Matéria-prima e 60% em termos de Mão-de-obra Direta e Custos Indiretos de Fabricação. Durante o ano consumiram-se 255 toneladas de Matéria-prima, a $ 18.000/t, pagaram-se 300 000 h de M.D.O, no total de $ 7.800.000, e os C.I.F. montaram a $ 2.496.000. a) Contabilize resumidamente o ano e explique os cálculos. b) Contabilize os lançamentos de ajustes do fim do exercício. 27.3. A Alimentiva Ltda. fixou, em fevereiro, a preços desse mês, o custo-padrão de um seu novo produto alimentício: Matéria-prima 45 kg/caixa x $ 7,50/kg = $ 337,50 Mão-de-obra Direta 12 h/caixa x $ 15,00/h = $ 180,00 Custos Indiretos = $ 120,00 $ 637,50 O produto só foi lançado no mercado em junho, e no final desse mês apuraram-se os seguintes custos reais: Matéria-prima 44,5 kg/caixa x $ 8,40/kg = $ 373,80 Mão-de-obra Direta 13 h/caixa x $ 16,00/h = $ 208,00 Custos Indiretos = $ 140,00 $ 721,80 104
  • 105. a) Apure as Variações de Quantidade e Preço da Matéria-prima e da Mão-de-obra Direta e o Total dos Custos Indiretos. b) Sabendo que houve uma inflação de 12,0% entre fevereiro e junho, recalcule as Variações acima introduzindo esse percentual no custo-padrão. c) Comente rapidamente a e b. 27.4. No exercício anterior, se a matéria-prima usada em junho foi comprada em 10 de janeiro, mas paga em 02 de julho e os outros custos pagos durante junho, qual o efetivo custo real em dólar, se as taxas de câmbio foram: 10 de janeiro = $ 100,00 10 de março = $ 130,00 média de junho = $ 200,00 02 de julho = $ 212,00 28 Implantação de Sistemas de Custos QUESTIONÁRIO 28A. Se você fosse o responsável pela fabricação de um produto, como veria a contratação pela empresa de um especialista em controle de custos? 28B. O que é a “Reação Passiva”? 28C. “Um Sistema de Custos deve ser eficiente a ponto de levantar todas as informações desejadas, custe o que custar.” Você concorda? 105
  • 106. 28D “Nada mais barato do que utilizar um Sistema de Custeio que já tenha sido bem sucedido numa empresa semelhante.” Você concorda? Por quê? 28E. Como você julga deveria ser a implantação de um Sistema de Custos numa empresa com várias Divisões e Departamentos: gradual ou de uma só vez? Justifique. 28F. Quais são os passos necessários para definir o melhor Sistema para uma empresa? 106