Your SlideShare is downloading. ×

Familia_Escola

9,653

Published on

Apresentação, da estagiária Tatiana Perin, em reunião com pais e professores da E.M.E.F. Pres. Castelo Branco

Apresentação, da estagiária Tatiana Perin, em reunião com pais e professores da E.M.E.F. Pres. Castelo Branco

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
9,653
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
431
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. FAMÍLIA E ESCOLA Tatiana Perin – Estagiária em Psicologia
  • 2. O PROCESSO DE SOCIABILIDADE E APRENDIZAGEM DA CRIANÇA
  • 3. O Processo de Sociabilidade e Aprendizado da Criança
    • A criança nasce dentro de uma sociedade.
    • Os mais experientes servem de modelo.
    • Ajudam a criança a determinar sua própria personalidade.
  • 4. O PAPEL DA FAMÍLIA
  • 5. O Papel da Família
    • A partir do nascimento, a criança é inserida num contexto familiar, que se torna responsável por:
      • cuidados físicos, pelo desenvolvimento psicológico, emocional, moral e cultural desta criança na sociedade.
    • Através do contato humano a criança supre suas necessidades e inicia a construção da sua forma de perceber o mundo, as habilidades motoras, os aspectos cognitivos, lingüísticos e afetivos.
  • 6. O Papel da Família
    • Os apegos emocionais também estão na base da motivação da aprendizagem.
    • É imprescindível que no relacionamento entre pais e filhos os sentimentos de carinho e segurança possam ser transmitidos.
  • 7. MUDANÇAS NA ESTRUTURA DAS FAMÍLIAS
  • 8. Mudanças na Estrutura das Famílias
    • Aquela família tradicional, constituída de pai, mãe e filhos já não é tão tradicional assim.
    • Esses novos contextos familiares geram, muitas vezes, uma sensação de insegurança e até mesmo de abandono, pois a idéia de um pai e de uma mãe cuidadores dá lugar a diferentes pais e mães “gerenciadores” de filhos que nem sempre são seus; além dos novos irmãos.
  • 9. Mudanças na Estrutura das Famílias
    • A sociedade tem exigido, por diferentes motivos, que pais e mães assumam posições cada vez mais competitivas no mercado de trabalho.
    • As crianças, muitas vezes, ficam aos cuidados de outras pessoas.
    • Essa situação acaba gerando uma série de sentimentos conflitantes, não só entre pais e filhos, mas também entre os próprios pais. E um dos sentimentos mais comuns entre estes é o de CULPA .
  • 10. Mudanças na Estrutura das Famílias
    • A formação de um filho, seja do sexo masculino ou do feminino, necessita da mãe e do pai, para que possa ser completa, sem a frustração da ausência, ou mesmo sem a falta de um abraço. A criança sente quando o pai ou a mãe se afasta.
  • 11. Mudanças na Estrutura das Famílias
    • A educação não se inicia na escola, mas sim vem de casa. A obrigação da escola é trazer conhecimento e proporcionar aprendizagem, mas educação e amor vêm primeiramente de casa, do berço.
  • 12. O PAPEL DA ESCOLA
  • 13. O Papel da Escola
    • Mudanças no século XX.
    • Nunca na escola se discutiu tanto quanto hoje assuntos como falta de limites, desrespeito na sala de aula e desmotivação dos alunos. Observamos professores cansados, estressados e, muitas vezes, doentes física e mentalmente. Nunca os sentimentos de impotência e frustração estiveram tão marcantemente presentes na vida escolar.
  • 14. O Papel da Escola
    • A inserção no contexto escolar representa uma fase muito importante na vida da criança.
    • Muitos pais acabam por delegar a responsabilidade de educar à escola.
    • [...] os pais que não têm condições emocionais de suportar a sua parcela de responsabilidade, ou culpa, pelo mau rendimento escolar, ou algum transtorno de conduta do filho, farão de tudo, para encontrar argumentos e pinçar fatos, a fim de imputar aos professores que reprovaram o aluno, ou à escola como um todo, a total responsabilidade pelo fracasso do filho (ZIMERMAN apud BOSSOLS, 2003: 14).
  • 15. O Papel da Escola
    • Em muitos casos a escola (e seus professores) acaba sendo sistematicamente desautorizada quando, na tentativa de educar, procura estabelecer limites e responsabilidades.
    • A família deve, portanto, se esforçar em estar presente em todos os momentos da vida de seus filhos. Presença que implica envolvimento, comprometimento e colaboração.
  • 16. O Papel da Escola
    • É preciso trazer a família para dentro da escola. É preciso que ela passe a colaborar de forma mais efetiva com o processo de educar. É preciso, portanto, compartilhar responsabilidades e não transferi-las.
  • 17. A FAMÍLIA E A ESCOLA
    • AGENTES FACILITADORES DO DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL
  • 18. A Família e a Escola
    • Muitas vezes os pais acreditam que apenas mandar os filhos para a escola já está bom.
    • Os pais precisam saber como é o cotidiano de seu filho na escola.
    • Tanto a família quanto a escola têm o objetivo de educar crianças e adolescentes, por isso, parece evidente que ambas devam manter uma relação de proximidade e cooperação, porém, o que parece tão óbvio não ocorre de fato.
  • 19. A Família e a Escola
    • O que se tem observado:
      • FAMÍLIA X ESCOLA
    • O que se deseja alcançar:
      • INTEGRAÇÃO E COMUNICAÇÃO
  • 20. A Família e a Escola
    • É importante que se perceba quais são as funções e as responsabilidades de cada uma, para as duas não ficarem em um “jogo de empurra-empurra”.
    • A tarefa de ensinar não compete apenas ao professor. O aluno aprende também através da família, dos amigos, das pessoas consideradas significativas, dos meios de comunicação, do cotidiano.
  • 21. A Família e a Escola
    • Por isso, é preciso que professores, família e comunidade tenham claro que a escola, por sua complexidade, precisa contar com o envolvimento de todos.
    • É fundamental que se encarem como PARCEIRAS de caminhada, pois ambas as duas são responsáveis pelo que produzem.
  • 22. DICAS AOS PAIS
  • 23. Dicas aos Pais
    • Ajudar a criança e o adolescente a planejar seus estudos;
    • Fazer intervalos ao estudar;
    • Quando a tarefa é desagradável, entender o motivo e conversar com o professor se necessário;
    • Ajuda no cuidado aos prazos;
  • 24. Dicas aos Pais
    • Estar atento aos melhores horários de rendimento;
    • Evitar iniciar a verificação da tarefa muito tarde;
    • Evitar sinais de irritação;
    • Ajudar a encontrar conseqüências positivas após o estudo;
  • 25. Dicas aos Pais
    • Reforço dos acertos e não dos erros;
    • Reserve um tempo maior para com seus filhos;
    • Não estabeleça regras que seu filho não possa cumprir;
    • Seja verdadeiro;
  • 26. DAR LIMITES É...
  • 27. Dar Limites é...
    • Ensinar que os direitos são iguais para todos;
    • Ensinar que existem OUTRAS pessoas no mundo;
    • Fazer a criança compreender que seus direitos acabam onde começam os direitos dos outros;
    • Dizer "sim" sempre que possível e "não" sempre que necessário;
  • 28. Dar Limites é...
    • Só dizer "não" aos filhos quando houver uma razão concreta;
    • Mostrar que muitas coisas podem ser feitas e outras não podem ser feitas;
    • Fazer a criança ver o mundo com uma conotação social (conviver) e não apenas psicológica (o meu desejo e o meu prazer são as únicas coisas que contam);
    • Ensinar a tolerar pequenas frustrações;
  • 29. Dar Limiter é...
    • Desenvolver a capacidade de adiar satisfação ;
    • Evitar que seu filho cresça achando que todos no mundo têm de satisfazer seus mínimos desejos;
    • Saber discernir entre o que é uma necessidade dos filhos e o que é apenas desejo;
    • Compreender que direito à privacidade não significa falta de cuidado, descaso, falta de acompanhamento e supervisão às atividades e atitudes dos filhos, dentro e fora de casa;
  • 30. Dar Limites é...
    • Ensinar que a cada direito corresponde um dever e, principalmente ...
    • Dar o exemplo (quem quer ter filhos que respeitem a lei e os homens tem de viver seu dia-a-dia dentro des­ses mesmos princípios - ainda que a sociedade não tenha apenas indivíduos que agem dessa forma).
    Zagury, T. (2006). Limites sem trauma – Construindo Cidadãos . Rio de Janeiro, Record.
  • 31. EDUCAÇÃO
  • 32. Educação
    • Educar, portanto, não é uma tarefa fácil, exige muito esforço, paciência e tranqüilidade. Exige saber ouvir, mas também fazer calar quando é preciso educar.
    • Quando se trata de educar não existem fórmulas ou receitas prontas, assim como não se encontra, em lugar algum, soluções milagrosas para toda essa problemática.
  • 33. Educação
    • Estamos vivendo um período de grandes transformações, muitas delas difíceis de serem aceitas ou compreendidas. E dentro dessa conjuntura está a família e a escola.
    • No momento em que escola e família conseguirem estabelecer um acordo na forma como irão educar suas crianças e adolescentes, muitos dos conflitos hoje observados em sala de aula serão superados, pouco a pouco.
  • 34. Educação
    • Para que isso possa ocorrer é necessário
    • QUE A FAMÍLIA REALMENTE PARTICIPE DA VIDA ESCOLAR DE SEUS FILHOS
    • pois só assim realmente estarão formando e educando, superando conflitos e dificuldades que tanto vêm angustiando professores, pais e os próprios alunos.
  • 35. Muito Obrigada!!!
    • [email_address]

×