Radioterapia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Excelente Material Para estudo... Muito obrigado por compartilhar.. Rezendeaf
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
15,841
On Slideshare
15,717
From Embeds
124
Number of Embeds
5

Actions

Shares
Downloads
484
Comments
1
Likes
4

Embeds 124

http://oquefaco-primeirossocorros.blogspot.com 73
http://energiaatomicanuclear.blogspot.com 33
http://www.slideshare.net 8
http://stesantosdumont.blogspot.com 7
http://stesantosdumont.blogspot.com.br 3

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Tipos de Radiação
  • 2. Alunos: Nathalli, Danieli, Vitor ,Fernando, Jhennifer, Ludimilla Francieli, Leilyane
    Matéria: Química
    Professora: Eliete
  • 3. α Radiação alfa: é uma partícula formada por um átomo de hélio com carga positiva. A distancia que uma partícula percorre Antes de parar é chamada alcance. Num dado meio, partículas alfa de igual energia têm o mesmo alcance. O alcance das partículas alfa É muito pequena, o que faz com que ela sejam facilmente blindadas. Uma folha fina de alumínio barra completamente um feixe de Partículas de 5 MeV. A inalação ou ingestão de partículas é muito perigosa.
    β Radiação beta : é também uma partícula, de carga negativa, o elétron. Sua constituição é feita por partículas beta que são Emitidas pela maioria dos nuclideos radioativos naturais ou artificiais e tem maior penetração que as partículas alfa. O 32 P dá Da um a radiação beta ate 1,7 MeV com uma penetração media de 2 á 3 mm na pele, e alcança, em pequena proporção, 8 mm. Se o emissor beta é ingerido, como acontece nos casos de diagnósticos e terapêutica, os efeitos são muitos mais extensas.
    γ Radiação gama: é uma onda eletromagnética. As substancias radiativas emitem continuamente calor e têm a capacidade De ionizar o ar e torná-lo condutor de correte elétrica. São penetrantes e ao atravessarem uma substancia chocam-se com suas Moléculas. A radiação gama tem seus poder de penetração muito grande. Sua emissão é obtida pela maioria, não totalidade, das nuclideos radiativos habitualmente empregados. Quando a fonte de material radioativo for beta ou gama é necessário colocação de
    Uma barreira entre o operador e fonte.
  • 4. Infra-vermelho
    Radiação eletromagnética invisível, emitida por corpos aquecidos. Pode der detectada por meio de células fotoelétricas, possui muitas Aplicações. Desde o aquecimento de interiores até o tratamento de doenças de pele e dos músculos. Para produzir o infravermelho, em geral empregam-se lâmpadas de vapor de mercúrio a de filamentos longos incandescentes.A radiação infravermelho é usada para obter fotos de objetos distantes encobertos pela atmosfera, também muito utilizada por Astrônomos Para observar estrelas e nebulosas que são invisíveis com luz normal. Uma outra utilidade deste tipo de radiação é ouso nas fotografias infravermelhas, que são muito precisas. O infravermelho foi muito utilizado na II guerra mundial.
  • 5. Ultravioleta
    Produzida por descarga elétrica em tubos de gás. Cerca de 5 % da energia mandada pelo sol consiste nesta radiação, mas a maior parte Da que incide sobre a terra é filtrada pelo O e pelo ozônio na atmosfera , estes protegem a vida na terra . Estas radiações é impregnada Principalmente em tubos fluorescentes, mas também em aplicações medicas que incluem lâmpadas germicidas, o tratamento do Raquitismo e doenças de pele, enriquecimento de leite e ovos com vitamina D. É dividida em três classes: UV-A, UV-B e UV-C. as ondas de menos período são as mais nocivas aos organismo vivos. A UV-A é a mais perigosa e tem períodos entre 4000 A ( angstrons) e 3150ª. UV-B tem períodos entre 3150A e 2800ª e causa queimaduras na pele.
  • 6. Radiação de fundo
    Toda vida em nosso planeta, esta exposta á radiação cósmica* e à radiação proveniente de elementos naturais radioativos existentes Na crosta terrestre como potássio, césio etc. a intensidade dessa radiação tem permanecido constante por milhares de anos e se Chama radiação natural ou radiação de fundo, e provém de muitas fontes.
    Cerca de 30% a 40% dessa radiação se deve aos raios cósmicos. Alguns materiais radioativos– como potássio-40,carbono-14, urânio, tório etc.- estão presentes em quantidades variáveis nos alimentos.
    Uma quantidade razoável de radiação vem do solo e de materiais de construção. Assim, pois, a radiação de fundo pode variar de local para local.O valor médio da radiação de fundo em locais habitados é de 1,25 milisievert (mSv) ao ano.
  • 7. Raios catódicos
    São feixes de partículas produzidas por um eletrodo negativo (catódico) de um tubo contendo gás comprimido. São resultados da ionização do gás e provocam luminosidade. Os raios catódicos são identificados no final do século passado por Willian Crookes. O tubo de raios catódicos é usado em osciloscópios e televisões.
  • 8. Raio - X
    São capazes de atravessar o corpo humano, durante a travessia, o feixe sofre um certo enfraquecimento. Ele provoca a iluminação de certos Sais minerais. O uso do raio X tem sido uma importante ferramenta de diagnóstico e terapia. Os raios X são absorvidos pelos ossos enquanto passam facilmente pelos outros tecidos.
    Em 1895 Wilhelm Konrad Von Röntgen descobre acidentalmente os raios X quando estudava válvulas de raios catódicos. Verificou que algo acontecia fora da válvula e fazia brilhar no escuro focos fluorescentes. Eram raios capazes de impressionar chapas Fotográficas através de papel preto.
  • 9. Radiação de Nêutrons
    Nêutrons são partículas muito penetrantes. Elas se originam do espaço externo, por colisões, de átomos na atmosfera, e por
    quebra ou ficção de certos átomos dentro do reator nuclear. Água e concreto são as formas mais comuns usadas como
    barreiras contra radiação por neutros.
  • 10. Radioterapia
  • 11. RADIOTERAPIA
    A radioterapia é capaz de destruir células tumorais, empregando Feixe de radiação ionizantes.
    Uma dose pré-calculada de radiação é
    Aplicada, em um determinado tempo,
    a um volume de tecido que
    Engloba o tumor, buscando erradicar
    todas as células tumorais ,
    Com o menor dano possível as células normais
    circunvizinhas, à custa
    Das quais se fará a regeneração da área irradiada.
  • 12. As radiações ionizantes são eletromagnéticas ou corpusculares e carregam energia.
    Ao interagirem com os tecidos, dão origem a elétrons rápidos que
    ionizam o meio e criam feitos químicos como a hidrolise
    da água e a ruptura das cadeias de DNA.
    A morte celular Pode ocorrer então por variados mecanismo,
    desde a inativação de sistema vitais para a célula
    Até sua incapacidade é habitualmente fracionada em doses diárias igual,
    quando se usa a terapia Externa.
  • 13. A resposta dos tecidos as radiações depende de diversos fatores, tais como a
    sensibilidade do tumor à radiação, sua localização e oxidação,
    assim como a qualidade da radiação e o tempo total em que ela
    é administrada.
    Para que o efeito biológico atinja maior numero de células neoplásicas e a tolerância
    dos tecidos normais seja respeitada, a dose total de radiação a ser administrada
    é habitualmente fracionada em doses diárias iguais, quando se usa a terapia externa.
     
  • 14. Indicação da radioterapia
    Como a radioterapia é um método de tratamento local e/ou regional, pode ser indicada
    De forma exclusiva ou associada aos outros métodos terapêuticos.
    Em combinação com a cirurgia, poderá ser pré- ou pos- operatória. Também pode ser
    Indicada antes, durante ou logo após a quimioterapia.
    A radioterapia pode ser radical ( ou curativa), quando se busca a cura total do tumor;
    Remissiva, quando o objetivo é apenas a redução tumoral; profiláticas,
    quando se trata de doença em fase subcliticas, isto é, não há volume tumoral presente,
    mas possíveis células neoplásicas dispersas; paliativa, quando se busca a remissão de
    sintomas tais como dor intensa, sangramento e compressão de órgãos; e ablativa,
    quando se administra a radiação para suprimir a função de um órgão, como, por exemplo,
    o ovário, para se obter a castração actinica.
  • 15. Fontes de energias e suas aplicações
    São varias as fontes de energia Utilizada na radioterapia, há aparelho que geram radiação a
    partir da energia elétrica, libera raios-x e elétrons, ou a partir de fontes de isótopos radioativos
    Como, por exemplo, pastilhas de cobalto, as quais geram raio gama.
    Esses aparelhos são usados como fontes externas, mantendo distancia da pele q variam
    De 1 centímetros a 1 metro, (teletarapia). Estas técnicas constituem a radioterapia clinica
    E se prestam para tratamento de lesões superficiais, semiprofundas ou profundas,
    Dependendo da quantidade da radiação gerada pelo equipamento.
  • 16. Estas são as maquinas de radioterapia
  • 17. Efeitos adversos da radioterapia....
    Normalmente , os efeitos das radiações são bem tolerantes, desde que sejam respeitados Os princípios de dose total
    de tratamento e a aplicação fracionada. Os efeitos colaterais podem ser classificados em imediatos e tardios. Os efeitos
    imediatos são observados nos tecidos que apresentam maior capacidade proliferativa, Como gônadas, a epiderme,
    as mucosas dos tratos digestivo, urinário e genital,e a medula óssea. Eles ocorrem somente se estes tecidos estiveram
    incluídos no campo de irradiação e podem ser Potencializados pela administração simultaneamente de quimioterápicos.
    Manifestam-se clinicamente por anovolução ou azoospermia, epitelites, mucosites e Mielodepressão
    (leocopenia e plaquetonia) e devem ser tratados sintomaticamente, pois Geralmente são bem tolerados e reversíveis.
  • 18. Todos os tecidos podem ser afetados, em graus variados, pelas radiações.Normalmente, os efeitos se
    relacionam com a dose total absorvida e com o fracionamento utilizado. A cirurgia e a quimioterapia
    Podem contribuir para o agravamento destes efeitos
  • 19. RADIOATIVIDADE
  • 20. RADIOATIVIDADE
    Prof. Eliete
    Disciplina : Química
  • 21. Fundamentos de Física das Radiações
    Contéudo
    Estrutura da matéria
    Radiação
    Tipos de radiações e propriedades das radiações
    Características das radiações
    Utilização das radiações
    Decaimento radioativo
    Atividade
    Meia – vida (T1/2)
    Fundamentos de Radiologia
  • 22. Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    As substâncias simples são constituídas de átomos e as combinações destes formam as moléculas das substâncias compostas.
    Substâncias simples - 2H (hidrogênio), 2O (oxigênio), etc..
    Substâncias compostas - H2O (água), NaCl (cloreto de sódio), etc..
  • 23. Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    • Estrutura do Átomo
    O conceito inicial de átomo indivisível sofreu modificações profundas com as experiências realizadas por Ernest Rutherford (1871-1937) e seus colaboradores. O modelo utilizado para representar o átomo passou a ser concebido como tendo um núcleo pesado, com carga elétrica positiva e vários elétrons, com carga elétrica negativa, cujo número varia com a natureza do elemento químico. O raio do átomo é da ordem de 10-7 cm.
  • 24. Estrutura da Matéria e Radiação
    Estrutura do Átomo
    O núcleo atômico é constituído de A nucleons, sendo N nêutrons e Z prótons. Os prótons são carregados positivamente e determinam o número de elétrons do átomo, uma vez que este é eletricamente neutro. Os nêutrons possuem, praticamente, a mesma massa que os prótons, mas não têm carga elétrica. Prótons e nêutrons são chamados, indistintamente, de nucleons. O número de nucleons A = N + Z é denominado de número de massa e Z é o número atômico.
    A
    X
    Z
    A = nº de massa
    Z = nº de prótons
    N = nº de nêutrons
    N
    N = A - Z
  • 25. Estrutura da Matéria e Radiação
    • Isótopos - São nuclídeos com mesmo número de prótons, Z, mas diferentes números de nêutrons.
    Ex.:
    • Isóbaros - São nuclídeos com o mesmo número de massa, A .
    Ex.:
    11Be5
    10B5
    34S16
    34P15
    34Cl17
    34Si14
  • 26. Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    Estrutura da Matéria e Radiação
    • Isótonos - São nuclídeos que apresentam o mesmo número de nêutrons, N .
    Ex.:
    33 - 17 = 16 nêutrons
    32 - 16 = 16 nêutrons
    31 - 15 = 16 nêutrons
    30 - 14 = 16 nêutrons
    32S16
    31P15
    33Cl17
    30Si14
  • 27. Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    Estrutura do Átomo
    Núcleo:prótons e nêutrons
    Eletrosfera:elétrons
  • 28. Átomo
    • Os elétrons se distribuem em camadas ou orbitais;
    • 29. Quanto mais elétrons, mais camadas o átomo possuirá;
    • 30. Cada nível (camada) é representado por uma trajetória circular (elíptica) em torno do núcleo;
    • 31. Orbitais são as prováveis regiões onde podemos encontrar o elétron.
  • Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    Órbitas eletrônicas
    Camadas
    K
    L
    M
    2 e
    Órbitas eletrônicas
    8 e
    18 e
    Núcleo
  • 32. Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    O átomo e suas camadas eletrônicas
  • 33. ENERGIA DE LIGAÇÃO
    NÚCLEO
    eletrosfera
  • 34. Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    • Radiação
    Gama e raios-X - Radiação eletromagnética - fótons.
    Partículas b - elétrons de origem nuclear (negatrons e pósitrons).
    Partículas a - de origem nuclear - núcleos de hélio - 2 prótons e 2 nêutrons
  • 35. Fundamentos de Física das Radiações
    Estrutura da Matéria e Radiação
    • Radiação
    Em termos de penetração no tecido humano, considerando o mesmo valor de energia, as radiações gama são mais penetrantes que as partículas beta,que, por sua vez, são mais penetrantes que as partículas alfa, que são mais penetrantes que os íons pesados (partículas carregadas com massa superior à das partículas alfa).
    • >  >  > íons pesados
    Penetração no tecido ou material
  • 36.
  • 37. O que é radiação ?
    É a propagação de energia sob várias formas.
    Radiação eletromagnética
    Radiação corpuscular
    Raios X
    Radiação gama
    Luz
    U.V
    Laser
    Partículas alfa
    Elétrons
    Nêutrons
  • 38. Natureza das Radiações


    +

    -
    Fonte radioativa
  • 39. FÍSICA DOS RADIONUCLÍDEOS E A RADIOATIVIDADE
    Introdução
    A descoberta das radiações ionizantes e dos compostos dotados de
    radiatividade natural logo interessou à biologia e as ciências médicas. À princípio
    pelos danos que causavam nas estruturas vivas, mas depois pelo seu valor para
    o diagnóstico e o tratamento de doenças.
    * Lembrete: A emissão radioativa ocorre devido a um arranjo nuclear.
    RADIOATIVIDADE NATURAL:
    - Elementos radioativos que já existem na natureza.
    RADIOATIVIDADE ARTIFICIAL:
    - Elementos radioativos que são formados apartir do bombardeamento
    em reatores nucleares ou nos aceleradores de partículas.
    RADIOISÓTOPOS
    Naturais
    Artificiais
  • 40. A emissão radioativa altera profundamente a estrutura atômica do elemento
    Emissor, pois modifica a composição e o balanço energético do seu núcleo.
    ÁTOMO ESTÁVEL ÁTOMO INSTÁVEL
    Não existe emissões
    radioativas
    Existe emissões
    radioativas
    Alfa Beta Gama
    • Como a origem do fenômeno radioativo é nuclear, os isótopos que emitem radiação
    São chamados de radionuclídeos.
  • 41. Na Medicina:
    • Diagnóstico ( Medicina Nuclear)
    • 42. Tecnécio 99m
    • 43. Gálio
    • 44. Tálio
    • 45. Terapia ( Radioterapia)
    - Cobalto 60
    • Césio 137
    RADIONUCLÍDEOS
    RADIOATIVIDADE
    RADIOISÓTOPOS
    Decaimento radioativo
    ELEMENTOS INSTÁVEIS
    BUSCAM A ESTABILIDADE
  • 46.
  • 47. Radiação alfa
    * Núcleos de Hélio
    * Altera-se o nº Z e o nº A
  • 48. Radiação Beta
    * Altera-se somente o nº Z
  • 49. Radiação Gama
    Não se altera nada no elemento.
  • 50. Características
  • 51. UNIDADE UTILIZADA PARA MEDIR ATIVIDADE DE UM
    MATERIAL RADIOATIVO
  • 52. MEIA- VIDA DE UM
    MATERIAL RADIOATIVO
  • 53.
  • 54. REJEITO RADIOATIVO
    Todo material que foi utilizado em reatores nucleares, usinas de minérios
    de tório e urânio, laboratórios de manipulação de radioisótopos
    Tratamento
    Liberados ao meio ambiente
    atividade
    Baixo – médio - grande
    Meia – vida curta
    Meia vida - longa
  • 55.
  • 56.
  • 57. A = A0 e-t
    • = 0,693
    T 1/2
    A = atividade final da amostra
    A0= atividade no início da amostra
    e = nº de euler (constante) = 2,718
    • = constante de decaimento radioativo
    ( varia de acordo com o elemento radioativo).
    T 1/2 = meia-vida do elemento radiativo
    ( unidade: h, s, min, anos, dias etc)
    t = tempo transcorrido
  • 58.
    • Histórico
    • 59. 1895 - Wilhelm Conrad Röentgen descobre os Raios X
    • 60. 1896 - Henry Becquerel (francês) – estudo de sais de urânio
    • 61. 1902 - Marie e Pierre Curie descobrem o Rádio.
    • 62. Em 1903 Marie, Pierre e Becquerel dividiram o Nobel de Física
    • 63. Em 1911 Marie recebeu sozinha o Nobel de Química pela descoberta do Polônio.
  • Radioatividade
    O fenômeno da radioatividade foi descoberto pelo físico francês Henri Becquerel, em 1896. Becquerel realizou diversos estudos e verificou que sais de urânio emitiam radiação semelhante à dos raios-X (descobertos por Roentgen, em 1895), impressionando chapas fotográficas.
    Becquerel verificou que a quantidade de radiação emitida era proporcional à concentração de urânio e era independente das condições de pressão, temperatura ou estado químico da amostra.
    Renato Semmler
  • 64. Radioatividade
    Em 1898 Madame Curie percebeu que o Tório (outro elemento pesado com massa próxima do Urânio) também tinha a mesma propriedade. Aprofundando estas pesquisas, o casal Curie chegou à descoberta dos elementos Polônio e Rádio. O fenômeno foi denominado radioatividade e os elementos que apresentavam essapropriedade foram chamados de elementos radioativos.
    Renato Semmler
  • 65. Pierre e Marie Curie
    Wilhelm Conrad Röentgen
  • 66. A pesquisa de novos materiais radioativos prosseguiu nas décadas seguintes e resultou na descoberta de elementos até então desconhecidos,como actínio, isolado por Andre Louris Debierne, em 1899, e por Friedrich Otto Giesel, em 1902, alem do mesotorio e do radio tório, isótopos do radio e do tório, respectivamente, descobertos por Otto Hahn.
    Em 1934 , o casal Frederic Joliot e Irene Curie(filha de Pierre e Marie Curie)anunciou a descoberta da radioatividade artificial. Eles constataram que alguns núcleos atômicos, bombardeados com determinados tipos de radiações de partículas, tinham sua estrutura interna alterada a passavam a apresentar propriedade radioativas. Os procedimentos de transmutação artificial dos elementos químicos resultaram na obtenção de isótopos artificiais e radioativos da maioria dos átomos conhecidos na descoberta e numerosos átomos novos como os transurânicos.
  • 67. As principais métodos de detecção dessas radiações são a câmera de Wilson, que permite efetuar um traçado da trajetória das partículas radioativas num gás saturado de vapor d água; os contadores Geiger- Muller e de outros tipos, que determinam o numero de partículas radioativas que atravessam certa região do espaço; e as câmeras de ionização, generalização das partículas por meios de pulsos de carga elétrica que produzem nos dispositivos de detecção.
    A instabilidade dos núcleos atômicos , espontânea ou induzido, reduz, por emissão de radioatividade, a massa do material radioativo, que se transforma de forma progressiva em outra substância. A velocidade de transmutação de um elemento radioativo é determinada pela constante de desintegração, ou tempo de vida, valor que mede a probabilidade de um átamo radioativo sofrer uma transformação na unidade de tempo considerada, e o tempo de meia vida, definido como o tempo necessário para uma quantidade de substancia radioativa reduza sua massa á metade
  • 68. Propriedade dos materiais radioativos. Após a confirmação das hipóteses enunciadas por Ernest Rutherford e Frederick Soddy, segundo as quais a radioatividade resulta da transmutação de elementos químicos, o próprio Soddy e Kasimir Fajans enunciaram as leis que levam seus nomes e que determinam os produtos finais de uma decomposição radioativa, resumida na chamada lei do deslocamento radioativo: o átomo radioativo que decai pela emissão de uma partícula alfa se transforma num elemento químico diferente, com dois prótons a menos em seu núcleo e com quatro unidade de massa atômica a menos; se o decaimento resulta de emissão de uma partícula beta, seu numero emissão alfa de urânio produz tório, que por emissão beta produz um átomo de protactínio.
  • 69. Aplicações. A radioatividade tem três campos de aplicação para fins pacíficos: medico, quando se aproveita sua capacidade de penetração e perfeita definição do feixe emitido para o tratamento de tumores e diversas doenças da pele e dos tecidos em geral; industrial, nas áreas de obtenção de energia nuclear mediante procedimento de fissão de energia nuclear mediante procedimentos de fissão ou ruptura de átomos pesados; e científico, para o qual fornece, com mecanismo de bombardeamento de átomos e aceleração de partículas e matérias nos níveis de organização subatômica, atômica e molecular.
  • 70. POLUIÇÃO
    Césio-137 Acidente Radiológico em Goiânia
  • 71. A História
  • 72. A História
    Com a ajuda dum amigo,consegue remover partesda peça. Os dois a levamem um carrinho de mãopara um ferro velho.
    Um catador de papel fica sabendo que havia umapeça de chumbo- de muito valor - nas ruínas da Santa Casa de Misericórdia.
  • 73. As ruínas do ferro-Velho
    Local do antigo ferro-velho para onde foi levada a cápsula de chumbo com o material radioativo.
  • 74. O dono do ferro velho se encanta com o intenso brilho azul daquele pó e imagina que poderá ganhar muito dinheiro.
    No ferro-velho dois funcionários abrem o material.
  • 75.                                                                                                   
  • 76. Admirado, leva o material para casa. E convida amigos e vizinhos, a ver o brilho.
    Porções do pó são distribuídas entre familiares. Algumas pessoas passam o produto no corpo e brincam com aquele brilho.
  • 77. Em casa, alguns fragmentos do pó são postos sobre a mesa. Uma menina, de 6 anos, manuseia o material radioativo durante a refeição, ingerindo fragmentos de césio.
    Todas as pessoas que tiveram contato com o césio-137 passam mal.
    (tonteiras, náuseas e vômitos)
  • 78. A área da Vigilância éisolada. As pessoas são convencidas a deixarem suas casas. As vítimas são monitoradas no Estádio Olímpico. A Comissão Nacional de Energia Nuclear
    (CNEN) é avisada.
    A mãe da menina suspeita que a peça seja a causa do mal-estar. Com ajuda de funcionários do ferro-velho, vai de ônibus à Vigilância Sanitária levar o material suspeito.
  • 79. O acidente radioativo de Goiânia, Goiás, aconteceu no dia 13 de setembro de 1987. No ocorrido foram contaminadas dezenas de pessoas que morreram acidentalmente pelas radiações emitidas por uma cápsula do radioisótopoCloreto de césio, de número 137, sendo chamado de Césio-137. Foi o maior acidente radioativo do Brasil e o maior radiológico do Planeta .
    No desastre foram contaminadas centenas de pessoas acidentalmente através de radiações emitidas por uma cápsula que continha césio-137. Foi o maior acidente radioativo do Brasil e o maior do mundo ocorrido fora das usinas nucleares. Tudo teve inicio com a curiosidade de dois catadores de lixo, que vasculhavam as antigas instalações do Instituto Goiano de Radioterapia (também conhecido como Santa Casa de Misericórdia), no centro de Goiânia.
    Os primeiros sintomas da contaminação (vômitos, náuseas, diarréia e tonturas
    Materiais radiativos como césio 137 emitem radiações ionizantes, feixes de partículas ou de ondas eletromagnéticas capazes de atravessar corpos sólidos, afetando durante o trajeto suas estruturas atômicas. Radiações ionizantes de alta intensidade podem provocar lesões nas células e tecidos vivos, causando uma série de efeitos nocivos que caracterizam o chamado envenenamento por radiação
    O que é césio-137?
    O césio-137 é um radioisótopo, ou seja, um isótopo radiativo do césio. Isótopos de um elemento químico são as variações de massa atômica que este elemento pode apresentar. Assim, os isótopos de um mesmo elemento têm o mesmo número atômico e diferentes números de massa.
  • 80. Os Efeitos das Radiatividades
    Efeitos do calor e da radiação
  • 81. Goiânia- 1986
  • 82. Goiânia
  • 83. Usina de Chernobyl
  • 84. Chernobyl
    As usinas nucleares os mais importantes foram a bomba atômica e mais recentemente o acidente nuclear da usina de Chernobyl, localizada na atual Ucrânia, a 120 km ao norte da cidade de Kiev.
    O acidente de Chernobyl matou 31 pessoas instantaneamente, e provocou a evacuação de mais de 130.000 pessoas da região, em virtude da exposição à radiação. Depois do acidente surgiram vários casos de câncer, principalmente na glândula tireóide de crianças
    Chernobyl liberou para a atmosfera 400 vezes mais material radioativo do que a bomba atômica de Hiroshima. Ainda assim, liberou o equivalente a um milionésimo de todo o material radioativo liberado pelos testes nucleares realizados nas décadas de 50 e 60.
    Além do acidente de Chernobyl, somente outro incidente foi reportado que resultou em morte: o acidente de Goiânia, com o Césio 137, que foi o segundo maior acidente nuclear do mundo. Novamente devemos mencionar que todos esses acidentes acima relacionados foram causados por imperícia humana, e que, por nenhuma vez, causado por deficiências materiais, como muitos alegam poder acontecer no Brasil.
  • 85. Bomba atômica
  • 86. Os efeitos da radioatividade do acidente de Chernobyl
  • 87. Chernobyl, Ucrânia
  • 88. O pior acidente nuclear da história foi o da usina de Chernobyl, na ex-URSS (hoje Ucrânia), em 1986. O reator 4 explodiu e a nuvem radioativa que se formou pela explosão se moveu em poucos dias da Ucrânia para a Polônia e Escandinávia, disparando até o alarme da usina nuclear Forsmark, na Suécia. De uma hora para outra, centenas de milhares de pessoas foram obrigadas a abandonar suas casas. Até hoje regiões inteiras estão proibidas de produzir comida e a maioria das pessoas que vivem em áreas afetadas está doente. De acordo com estatísticas oficiais do governo da Ucrânia, 15 mil jovens que foram forçados a trabalhar na limpeza das áreas contaminadas tinham morrido até 2002. A totalidade das conseqüências sobre ecossistemas, saúde humana e a sociedade nunca será conhecida. Foram documentados em vários países problemas de saúde como câncer de tireóide, leucemia, outros tipos de câncer, problemas respiratórios, digestivos, reprodutivos, neurológicos, psicológicos, vasculares, endócrinos, doenças infecciosas e anormalidades genéticas. Apenas por câncer, o número de mortes pode chegar a 93 mil. Ao todo, estima-se que o acidente tenha afetado entre 5 e 8 milhões de pessoas.**
  • 89. A PRIMEIRA BOMBA
  • 90. A bomba atômica
  • 91. FIM.!!
  • 92. 3 °MEDIO ‘D’
    ENTRAMOS
    FORÇADOS E
    SAIMOS FORMADOS