Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Pós oficina ii parte05

on

  • 567 views

 

Statistics

Views

Total Views
567
Views on SlideShare
567
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Pós oficina ii parte05 Pós oficina ii parte05 Presentation Transcript

  • Oficina II Recursos Tecnológicos na Educação Superior- Moodle
  •  
  • Moodle
    • Para se instalar a plataforma é necessário ter alguns pré-requisitos:
    • Um servidor de páginas – preferencialmente Apache – http://apache.org
    • O pré-interpretador de textos PHP - http://php.net
    • Um servidor de Bancos de Dados – preferencialmente MySQL - http://mysql.com
    • Isso é o que chamamos de tríade ou AMP – Apache, MySQL e PHP – e qualquer combinação desses três elementos em qualquer plataforma é capaz de rodar o Moodle sem problemas adicionais.
  • Moodle
    • Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment - Moodle é um software livre , de apoio à aprendizagem , executado num ambiente virtual.
    • Em linguagem coloquial, o verbo to moodle descreve o processo de navegar despretensiosamente por algo, enquanto fazem-se outras coisas ao mesmo tempo.
    • O programa é gratuito (ver licença GNU-GPL ) e pode ser instalado em diversos ambientes ( Unix , Linux , Windows , Mac OS )
    • Muitas instituições de ensino (básico e superior) e centros de formação estão adaptando a plataforma aos próprios conteúdos, com sucesso, não apenas para cursos totalmente virtuais, mas também como apoio aos cursos presenciais. A plataforma também vem sendo utilizada para outros tipos de atividades que envolvem formação de grupos de estudo, treinamento de professores e até desenvolvimento de projetos. Muito usado também na Educação a distância .
  • Moodle
    • Plataformas similares
    • Amadeus lms
    • Ambiente Virtual SOLAR
    • AVA-UNISINOS
    • Blackboard
    • Desire2Learn
    • DeskEaD
    • Dokeos
    • TelEduc (Unicamp)
    • WebCT
    • Eureka (PUCPR)
    • AVA (UNITINS)
  • O planejamento de cursos (disciplinas) que utilizem recursos de EAD é desenvolvido em duas fases: Fase de análise Levantamento de informações sobre a natureza do curso a ser desenvolvido. Identificação da abordagem do projeto As informações levantadas na fase de análise resultam na produção de um esboço contendo uma descrição sucinta do curso e sua estrutura. PLANEJAMENTO DE CURSOS
  • 1. Fase de análise A fase de análise inicia o projeto de um curso que utiliza recursos de EAD. Essa fase fornece subsídios necessários para a definição do escopo do projeto. Para isso, são realizados questionamentos a fim de identificar:  Perfil dos alunos.  Objetivos de aprendizagem.  Estratégias metodológicas.  Mecanismos de avaliação. PLANEJAMENTO DE CURSOS
  • 1.1. Perfil dos alunos Segundo Laaser (1997), alunos educados a distância têm diversas formações e necessidades, origem em variados grupos sócio-econômicos, diferentes idades e compromissos familiares diversos. Os educadores à distância nem sempre têm o tempo e os recursos necessários para a coleta de todas as informações sobre os alunos, mas devem procurar obter o maior número de informações possíveis sobre eles. Essas informações são importantes para direcionar o desenvolvimento do curso com o intuito de alcançar os objetivos gerais propostos. PLANEJAMENTO DE CURSOS
    • A realização de um questionamento resulta no conhecimento detalhado do público-alvo do curso. Para isso sugere-se que sejam respondidas perguntas como:
    • Qual o grau de escolaridade dos alunos?
    • Qual a faixa etária dos alunos?
    • Qual a quantidade de alunos (máximo e mínimo) para o curso?
    • Quais são os recursos necessários para estudo? (software, hardware e material adicional)
    • Quais as experiências anteriores com os recursos utilizados no curso?
    • Qual é a motivação dos alunos com relação ao uso desses recursos?
    PLANEJAMENTO DE CURSOS
    • 1.2. Objetivos de aprendizagem
    • Segundo Laaser (1997), um objetivo claro de aprendizado direciona tanto os professores quanto os alunos no que se refere ao conteúdo da matéria e dos processos mentais que se espera que o aluno realize.
    • Devem ser estabelecidos os objetivos gerais e específicos que se deseja
    • atingir ao final do curso. Para isso sugere-se algumas perguntas como:
    •  Quais os pré-requisitos para a realização do curso?
    •  Quais os objetivos gerais de aprendizagem do curso? (Exemplo:
    • desenvolver autonomia e habilidade).
    •  Quais os objetivos específicos (objetivos de cada unidade)?
    •  O que os alunos deverão saber?
    •  O que os alunos deverão estar aptos a fazer?
    •  Em que aspectos os alunos deverão comportar-se de maneira diferente após estudar a unidade?
    •  Como poderá o aluno demonstrar que ele entendeu o material?
    PLANEJAMENTO DE CURSOS
    • 1.3. Estratégias metodológicas
    • Na fase de análise devem ser levantadas as informações que auxiliarão na
    • identificação da metodologia mais adequada ao curso a ser oferecido.
    • As perguntas apresentadas a seguir ajudarão a identificar a dinâmica a ser aplicada no curso.
    •  O assunto abordado no curso é apropriado para ser disponibilizado na
    • Web?
    •  Qual a abordagem pedagógica mais apropriada para disponibilizar o
    • conteúdo (auto-aprendizagem, baseado em conteúdo, colaborativo, baseado na solução de problemas, baseado em projetos, etc.)?
    •  Qual o nível de suporte técnico a ser oferecido aos alunos?
    •  Qual o nível de suporte pedagógico (interação, comunicação, etc.) a ser oferecido aos alunos?
    • O curso será oferecido totalmente à distância? Se não, qual a porcentagem de aulas presenciais e a distância?
    •  Qual o cronograma do curso?
    •  As estratégias didáticas adotadas estão explicitadas de forma organizada aos alunos?
    PLANEJAMENTO DE CURSOS
  • 1.4. Mecanismos de avaliação As definições sobre as avaliações são de extrema relevância durante o planejamento de um curso. A avaliação permitirá aferir se os objetivos do curso foram alcançados e se as estratégias adotadas foram apropriadas. Podem ser utilizadas avaliações do tipo diagnóstica, formativa e somativa. Avaliação diagnóstica A avaliação diagnóstica é, normalmente, aplicada para identificar e avaliar os conhecimentos que o aluno possui, antes de iniciar o curso. Avaliação formativa: Durante o curso é aplicada a avaliação formativa com o objetivo de identificar se as estratégias e recursos utilizados pelo professor, para disponibilizar o conteúdo, estão sendo eficientes e efetivos. Avaliação somativa A avaliação somativa é, normalmente, aplicada ao final de cada unidade de aprendizado e tem o objetivo de avaliar o conhecimento adquirido pelo aluno. PLANEJAMENTO DE CURSOS
    • Sugestões de perguntas úteis para esclarecer dúvidas relacionadas à avaliação:
    • Quais tipos de avaliação serão utilizados?
    • Há uma política clara sobre datas e tipos das avaliações a serem
    • Utilizadas?
    • Quais os formatos das avaliações? (Exemplos: múltipla escolha, questões dissertativas, interpretação de textos, entrega de projetos, participação, etc.).
    • As atividades e formatos de avaliação estão de acordo com os objetivos de aprendizagem?
    • As avaliações serão presenciais? Em que locais?
    • Toda informação sobre avaliação é apresentada em um local de fácil acesso aos alunos?
    PLANEJAMENTO DE CURSOS
    • ABED - Associação Brasileira de Educação a Distância.
    • http://www.abed.org.br
    • ABT - Associação Brasileira de Tecnologia Educacional.
    • http://www.abt-br.org.br/
    • SEED – Secretaria de Educação a Distância
    • http://www.mec.gov.br/seed
    • Instituto UVB - Universidade Virtual Brasileira
    • http://www.iuvb.edu.br/
    • UniRede – Universidade Virtual Pública do Brasil
    • http://www.unirede.br/
    • IPAE - Instituto de Pesquisas Avançadas em Educação
    • http://www.ipae.com.br
    Endereços de associações, consórcios e redes Ligadas à área de EAD no Brasil
  • Exemplo de Cursos a distância
    • http://www5.fgv.br/fgvonline/default. aspx
    • http://www.ead.sebrae.com.br/hotsite/
    • http://www.ev.org.br/Cursos/Paginas/Cursos. aspx - Fundação Bradesco
  • Referências Bibliográficas
    • BASCIA E HARGREAVES. Interdisciplinaridade e novas tecnologias – formando professores . São Paulo: Editora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), 2001(Coleção Fontes Novas - Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica São Paulo).
    • LAASER, Wolfram et al. Manual de criação e elaboração de materiais para educação a distância . Brasília: CEAD; Editora Universidade de Brasília, 1997.
    • PAULA, Deiri Adelino; PAIVA, Edimar Eugênio. FERRAMENTAS DA WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA. Disponível em: < http://www.fsd.edu.br/revistaeletronica/artigos/artigo16.pdf>. Acesso em 30 de julho de 2010.
    • PETERS, Otto. Didática do Ensino a Distância . São Leopoldo: Ed.Unisinos, 2001.
    • ROMANI, Luciana Alvin Santos. InterMap: Ferramenta para Visualização da Interação em Ambientes de Educação a Distância na Web , Dissertação de Mestrado, Instituto de Computação, Unicamp, 2000.
    • SILVA, Marco; PESCE, Lucila e ZUIN, AntÕnio. Educação Online- Ed. Wak RJ 2010
    • VALENTE, Armando José. “Diferentes usos do Computador na Educação” In : Computadores e Conhecimento: Repensando a Educação . 2ª edição, Campinas (SP): UNICAMP, 1998.