Palestinos judeus revisado

3,387 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,387
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,501
Actions
Shares
0
Downloads
93
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Palestinos judeus revisado

  1. 1. Aula de GeografiaProfessora: Simone Hilgert Nalin
  2. 2. PALESTINA
  3. 3. •Os judeus são descendentes dos hebreus,povos deAbraão.• Durante muito tempo, parte do povo hebreu trabalhoucomo escravo para os faraós do Egito.Segundo os relatos bíblicos (Antigo Testamento)• Os hebreus liderados por Moisés, teriam fugido docativeiro em direção a Canaã, a Terra Prometida,regiãoque passaria a ser conhecida como Palestina.
  4. 4. • Na Palestina, os hebreus permaneceram dispersos em 12 tribos, unificadas apenas pela religião.• Duas das 12 tribos fundaram o Reino de Judá, com capital em Jerusalém.
  5. 5. O povo Judeu é originário do Oriente Médio, onde se localizamos lugares sagrados de sua religião.No início da era cristã, quando parte dessa região estava sob odomínio dos romanos, foram expulsos da Palestina e sedispersaram por vários países (DIÁSPORA) atingindo a Europa.Após longa ocupação romana, no séc.VII a Palestina foi ocupadapor árabes, que ficaram conhecidos como Palestinos porhabitarem esse território.Desde o Império Romano até 1948 os judeus não tinham umEstado, e moravam em quase todos os países da Europa, África eAmérica.
  6. 6. São de origem árabe. Ocuparam a região da Palestinaposterior à Diáspara.Professam o Islamismo. O islamita (a palavra quedizer “submetida a um Deus”) acredita em Alá, oúnico deus. Alá pedia aos homens que rezassem cincovezes por dia voltados para a cidade sagrada deMeca (Arábia Saudita).As verdades dessa religião foram escritas num livrochamado Corão, como a Bíblia cristã ou a Toráhebraica.
  7. 7. • Século XIX  Início do Movimento Sionista (movimento internacional dos judeus de “retorno à patria”)• Pátria = Canaã = Palestina Theodor Herzl – Líder do Movimento Sionista
  8. 8. Desprovidos de pátria durante 20 séculos, os judeus viramcrescer no século XIX o movimento sionista, que lutava paraconstituir um Estado Judeu.Fatores que contribuíram para o movimento sionista:- Nacionalismo europeu- Queda do Império Britânico – pós 1ª Guerra.- “Apoio” britânico através da Declaração de Balfour.(1917) O governo de sua majestade encara favoravelmente o estabelecimento na Palestina de um Lar Nacional para o povo Judeu e enviará os melhores esforços para facilitar a realização desse objetivo ficando claramente entendido que não se fará nada possa prejudicar os direitos civis e religiosos das comunidades não judaicas da Palestina e os direitos e a condição política desfrutadas pelos Judeus em quaisquer outros países.
  9. 9. Aumento da Imigração Israelita, dirigida a partirde 1929 pela Agência Judaica (Instituição quecoletava os recursos necessários para financiar aviagem e a instalação dos colonos judeus).Graças aos capitais dos judeus espalhados pelomundo, a Palestina, até então pobre, assistiu a umdesenvolvimento agrícola extraordinário.Em 1931, os Judeus já eram 174 mil, contra 780 milÁrabes.
  10. 10. PALESTINA Primeiros Kibutz judaicos. “Estabelecimento coletivo”
  11. 11. O Nazismo – cerca de 6 milhões de judeus forammortos.Com a ascensão do nazismo na Alemanha, na décadade 30, intensificou-se a saída dos judeus da Europa.
  12. 12. PÓS – 1ª GUERRA MUNDIALPALESTINA SOB DOMÍNIO BRITÂNICO
  13. 13. DECLARAÇÃO BALFOUR (1918)"O Governo de Sua Majestade vê com simpatia oestabelecimento na Palestina de um lar nacional para o povojudeu e envidará seus melhores esforços para facilitar aconquista desse objetivos, ficando claramente entendido quenada será feito que possa prejudicar os direitos religiosos ecivis das comunidades não judaicas existentes na Palestinaou os direitos e condições políticas usufruídas pelos judeusem qualquer outro país."Agradeceria que o senhor levasse essa declaração aoconhecimento da Federação Sionista. Atenciosamente, Arthur James Balfour
  14. 14. DECLARAÇÃO BALFOUR (1918) GRANDE AUMENTO DO MOVIMENTO SIONISTA
  15. 15. INICIAM-SE OS CONFLITOSJUDEUS  ALEGAM DIREITOS HISTÓRICOS SOBRE A PALESTINAPALESTINOS  ALEGAM DIREITOS ADQUIRIDOS, POIS NUNCA SAÍRAM DA PALESTINA
  16. 16. Jaffa, 1933 policiais ingleses reprimem manifestaçõesde nacionalistas árabes contra presença de judeus naPalestina
  17. 17. Ruínas do hotel King Davidem Jerusalém, ondefuncionava o QG dosbritânicos. O edifício foidestruído por um atentadoterrorista de sionistasradicais em 1946.
  18. 18. Judeus chegando na Palestina pós fim da 2ª Guerra Mundial
  19. 19. 1947 – ONU APROVA A PARTILHA DA PALESTINA• Estado Judeu (Israel)  56,7% da áreas• Estado Palestino  42,6% da área • Jerusalém  Área Internacional sob administração da ONU
  20. 20. Guerra de Independência de Israel (1948-1949)Cinco países árabes contra os Judeus: • Egito • Síria • Líbano • Iraque • Transjordânia (atual Jordânia)
  21. 21. 1º CONFLITO  GUERRA DE INDEPENDÊNCIA DE ISRAEL (1948-49)Países Árabes (Egito, Síria, Jordânia, Líbano e Iraque) e povo palestino atacam Israel.Objetivos  Impedir a formação do Estado de Israel e expulsar os judeus da Palestina.
  22. 22. RESULTADO DO 1º CONFLITO• Israel vence e ocupa parte do território dos Palestinos• Egito ocupa a Faixa de Gaza• Jordânia ocupa a Cisjordânia• Jerusalém é dividida: Parte Ocidental (domínio dosJudeus) e Parte Oriental (ocupação da Jordânia)• PALESTINOS FICAM SEM TERRITÓRIO (sem seupróprio Estado)
  23. 23. QUESTÃO PALESTINA LUTA DO POVO PALESTINO PARARECONQUISTAR SEUS TERRITÓRIOS
  24. 24. ORGANIZAÇÃO DOS PALESTINOS• 1959 – Criação da Al Fatah• 1964 – Criação da OLP(Organização para Libertação daPalestina)• Posição Histórica => CONTRAA EXISTÊNCIA DO ESTADODE ISRAEL
  25. 25. 2º CONFLITO  GUERRA DOS SEIS DIAS• Egito, Jordânia e Síria preparam um novo ataque aIsrael• Israel antecipa o ataque dos árabes e ataca primeiro
  26. 26. RESULTADO DO 2º CONFLITOIsrael em apenas seis diasconquista:• Toda Faixa de Gaza (antessob domínio egípcio)• Toda Península do Sinai(Território do Egito)• Toda a Cisjordânia (antessob domínio da Jordânia)• Colinas de Golan(Território da Síria)• Toda cidade de Jerusalém
  27. 27. IMPORTÂNCIA DE CADA ÁREA CONQUISTADA NA GUERRA DOS SEIS DIAS• Faixa de Gaza e Cisjordânia Controle total sob aPalestina (sionismo)• Península do Sinai Segurança Nacional (Proteçãode suas fronteiras com oEgito)• Colinas de Golan  Áreade Nascentes (RecursosHídricos)
  28. 28. PÓS – GUERRA DOS SEIS DIAS: AUMENTO DO SIONISMO (ISRAEL INCENTIVA A CRIAÇÃODE ASSENTAMENTOS JUDAICOS NA FAIXA DE GAZA E NA CISJORDÂNIA
  29. 29. 3º CONFLITO  GUERRA DO YOM KIPPUR• Países árabesrealizam um ataquesurpresa.• Resultado  Maisuma vitória de Israel
  30. 30. 1975 – Israel expulsa militantes da OLP daCisjordânia e da Faixa de Gaza Novo QG da OLP: Beirute - Líbano
  31. 31. 1979 – ACORDO DE CAMP DAVIDIsrael devolve a Península do Sinai para o Egito.Em troca o Egito se compromete nunca mais atacarIsrael Anuar Sadat (Egito) => Passa a ser considerado traidor pelos defensores da causa Palestina.
  32. 32. Anuar Sadat (ao centro), presidindo um desfile militar, instantes antes de ser vitimado pelo atentado que lhe tiraria a vida.
  33. 33. 1982 – OPERAÇÃO PAZ NA GALILÉIA• Israel invade o sul do Líbano (ocupação com objetivo deproteger o norte de Israel – Galiléia)• Tropas especiais de Israel avançam até a capital do Líbano(Beirute) para atacar e expulsar a OLP.• Nos arredores de Beirute dois assentamentos de palestinosSabra e Chatila (sob controle de Israel) são atacados emassacrados por milícias Cristãs. Israel vê tudo, mas nãoprotege os palestinos.• Obs. General Israelense responsável  ARIEL SHARON
  34. 34. ATAQUE A BEIRUTE
  35. 35. FUGA DA OLP
  36. 36. NOVO QG DA OLP  TUNÍSIANova postura de Arafat  Menos radical (CRIAÇÃO DEUM ESTADO PALESTINO QUE NÃO EXCLUA ISRAEL) ONU reconhece a OLP como legítima representante do povo palestino •Mais radicais consideram Arafat e a OLP como traidores • Crescem grupos terroristas radicais
  37. 37. PALESTINA HEZBOLLAH HAMAS JIHAD
  38. 38. Hamas• Partido Político, Movimento De Assistência Social e Grupo Militar;• Criado em 1987 por Ahmed Yassin;• Nacionalista e extremista religioso;• Tido como grupo terrorista pelos EUA, UE, Canadá, Japão e Israel;• Prega o fim do estado de Israel e a substituição por um governo palestino, que ocuparia a área de Israel, Faixa de Gaza e Cisjordânia;• Não reconhece a existência do Estado de Israel;• Grande apoio da população pobre;
  39. 39. Ahmed Yassin,fundador do Hamas.
  40. 40. HAMAS
  41. 41. HEZBOLLAH
  42. 42. JIHAD
  43. 43. Fatah• Organização política e militar fundada em 1964 por Yasser Arafat. Maior facção da OLP, (Organização para Libertação da Palestina);• Nacionalista e laico;• Reconhece a existência do Estado de Israel;
  44. 44. Yasser Arafat,fundador do Fatah.
  45. 45. 1987 – INÍCIO DA INTIFADAIntifada  Guerra das Pedras Revolta popular palestina contra a ocupaçãoisraelense na Faixa de Gaza e na Cisjordânia(Organizada pelo Hamas)
  46. 46. ACORDO DE OSLO (1993)• Local  EUA• Intermediação  Diplomatas da Noruega• Partes  OLP (Yasser Arafat) e Israel (Ytizak Rabin)• Acordo  Autonomia para os Palestinos por 5 anos na Faixa deGaza e na cidade de Jericó (Cisjordânia). Após 5 anos forma-se oEstado Independente da Palestina.
  47. 47. ACORDO DE OSLO II (1995)• Local  EUA• Partes  ANP (Yasser Arafat) e Israel (Ytizak Rabin)• Acordo  Aumenta as áreas sob controle dos Palestinos: • Seis cidades (Jenin, Naplouse, Tulkaren, Kalkiya, Rammallah e Belém; • Nablus controle parcial 1995 – Assassinato de Rabin - Responsável  Radical Judeu
  48. 48. 1995 – 1996 => Ondas de atentadosterroristas em Israel
  49. 49. ELEIÇÕES EM ISRAELVITÓRIA DO LIKUD (DIREITA) – 1996 1º Ministro => Binyamin Netaneahu FIM DAS NEGOCIAÇÕES
  50. 50. NOVAS ELEIÇÕES EM 1999VITÓRIA DO PARTIDO TRABALHISTA (ESQUERDA) 1º Ministro => Ehud Barak RETOMADA DAS NEGOCIAÇÕES (Devolução do Sul do Líbano)
  51. 51. LEVANTE DE JERUSALÉM OU NOVA INTIFADA - 2000A crise começou no dia 28 de setembro, quando o político israelense Ariel Sharon visitou um local sagrado para os muçulmanos (Esplanada das Mesquitas). Os palestinos ficaram irados com a visita, e responderam com a destruição de um local sagrado judeu. Nas três semanas de conflito que se seguiram, mais de 100 pessoas foram mortas -a grande maioria palestinas.
  52. 52. MESQUITA DE AL AQSA
  53. 53. A CRUEL FACE DA VIOLÊNCIA
  54. 54. 2000 – Novo 1º ministro em Israel  Ariel Sharon
  55. 55. Ações de Sharon:• Separação do território de Israel das áreas habitadaspelos palestinos  MURO DA VERGONHA
  56. 56. • Invasão de cidades palestinas => repressão ao terrorismo – “Guerra Contra o Terror”
  57. 57. • Retirada das colônias judaicas da Faixa de Gaza e daCisjordânia
  58. 58. 2004 – Morre Yasser Arafat
  59. 59. FATOS RECENTES• Atual liderança da ANP  Grupo Hamas• 2006  Ataque israelense a bases militares dosgrupos: • Hezbollah – Sul do Líbano e Beirut • Hamas – Faixa de Gaza• Atual Primeiro Ministro de Israel => BinyaminNetaneahu
  60. 60. ENTRAVES AO PROCESSO DE PAZ• Destino de Jerusalém: • Judeus consideram Jerusalém sua capital eterna e indivisível; • Palestinos querem a parte oriental de Jerusalém como a capital de um futuro Estado Palestino.• Grupos radicais (árabes e judeus);• Refugiados Palestinos => Israel se recusa a aceitar o retorno de 3milhões de palestinos refugiados;• Água => Palestinos querem uma divisão eqüitativa dos lençóisfreáticos; Israel quer ter controle sobre 80% dos lençóis freáticos.
  61. 61. Religião: um elemento cultural de unificação ediscórdia.O Oriente Médio é berço de três grandes religiões: ISLAMISMO, JUDAISMO, CRISTIANISMO
  62. 62. Muro das lamentações – lugar sagrado para osJudeus
  63. 63. Mesquita – lugar sagrado para os muçulmanos Mesquita de Omar
  64. 64. Igreja em Jerusalém
  65. 65. Em 1964 foi criada a OLP(Organização paraLibertação da Palestina), com a finalidade de lutarpela criação de um Estado Palestino, que abrangeriatoda a região. Em 1969 Yasser Arafat, assume a presidência da Organização
  66. 66. Em 1993, palestinos e israelenses iniciaram umprocesso de paz que previa retirada gradual deIsrael dos territórios em troca dereconhecimento palestino do Estado judeu. Israelpassou a se retirar paulatinamente dos centrosurbanos palestinos.Mas Israel seguiu expandindo suas colônias emGaza e Cisjordânia, enquanto palestinos seguiramcometendo atentados.
  67. 67. Maioria dosisraelenses apóiacercaA maioria dos israelensesapóia a cerca que o governoestá construindo com oobjetivo anunciado de evitar aentrada em Israel de suicidaspalestinos vindos daCisjordânia, de acordo comuma pesquisa divulgada ontem.Publicada no diário israelense“Yediot Aharonot”, a pesquisa,com margem de erro de 4,5pontos percentuais para maisou para menos, indica que 69%dos israelenses apóiam oprojeto. Foram entrevistadas590 pessoas para a pesquisa,que também mostra que o apoioao primeiro-ministro de Israel,Ariel Sharon, caiu de 59% para51%.
  68. 68. Bloqueios tolhem vida palestinaEntre cada palestino e uma necessidade há umbloqueio. Desde o início da intifada, em setembrode 2000, Israel parece ter se tornado um lugaronde só conseguem entrar os terroristas. Para aesmagadora maioria da população que não pensaem martírio e bombas, mas em comida etrabalho, os postos de controle são umtorniquete a estorvar o cotidiano. instabilidade, uma em cada 10Há que se ter os documentos em ordem – não crianças com menos de 5 anosuma ordem muito lógica, mais uma que segue sofre de subnutrição aguda,humor estável dos guardas de fronteira-, um colocando Gaza ao lado darosto que não levante suspeitas e principalmente Nigéria e do Chade. No anopaciência para aguentar horas a fio sob o sol. 2000, a proporção era de uma para 40. Uma pesquisa conduzidaQuase tudo que os palestinos precisam está em pelo Birô Palestino deIsrael. Dos mantimentos que não são produzidos Estatísticas mostra que em 65%nas hortas caseiras aos empregos que trazem dos 5.228 lares pesquisadospreciosos shekels. Estima-se que hoje que mais durante abril, maio e junho haviade 70% dos palestinos estejam desempregados. dificuldade em encontrarDados da Agência de Desenvolvimento alimento – 85% puseram a culpaInternacional do governo dos Estados Unidos nos bloqueios israelenses quemostram que hoje, depois de dois anos de apelidam de “nosso Muro de Berlim”.
  69. 69. Conclusão Israel, um Estado criado artificialmente para abrigar milhõesde judeus espalhados pelo mundo todo, busca solidificar sua fé esua autoridade na região suprimindo as revoltas e manifestaçõespalestinas. A Palestina por sua vez apenas quer manter o que é seu pordireito, uma vez que seu povo já estava estabelecido naquelaregião faz séculos, tendo assim que resistir à autoridadeisraelense. Israel não quer ceder às exigências palestinas na questão deconcessão territorial e reconhecimento político, e a Palestinanão vai se render facilmente, entregando o que é seu por direito.Dessa forma, a solução para as divergências na região ainda estálonge de ser encontrada, contudo, guerras e conflitos nãoacabarão com o problema, mas sim com a população. Mesmo a paz sendo almejada por ambos os lados, bemcomo pela comunidade internacional inteira, ela ainda estálonge de ser concretizada na região.

×