Bipolar Final

4,536 views
4,266 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,536
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
70
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Bipolar Final

  1. 1. TV MODERNO Reportalex Ana Mafalda Ramos-154 Duarte Fialho-823 Joana Silva - 1346 Sílvia Silva - 2564
  2. 2. Bipolaridade
  3. 3. Através da história: <ul><li>As primeiras indicações da doença provêm do século II por Arateus de Capadócia, que reconheceu os sintomas da mania e da depressão </li></ul><ul><li>Até à 2ª década do século XX o Transtorno era denominado como Psicose Maníaco-Depressiva (PMD) </li></ul><ul><li>Inicialmente descrita clinicamente perto do fim do século XX pelo psiquiatra alemão Emil Kraepelin </li></ul><ul><li>Em 1980, o termo Transtorno bipolar substituiu a antiga denominação </li></ul>Emil Kraepelin (1856-1926) Arateus de Capadócia
  4. 4. Quem está em risco? <ul><li>Homens e mulheres são igualmente afectados </li></ul><ul><li>Os sintomas aparecem estre os 15 e os 30 anos </li></ul><ul><li>Quem tem um familiar doente tem maior probailidade de ter </li></ul><ul><li>Vida stressante, abuso de drogas, etc. </li></ul>Uma percentagem alta de quem tem desordens mentais também abusa de drogas:
  5. 5. Os dois principais episódios são: Maníaco Depressivo Episódio Misto Hipomania
  6. 6. <ul><li>Sintomas do episódio depressivo: </li></ul><ul><li>Tristeza </li></ul><ul><li>Culpa </li></ul><ul><li>Raiva </li></ul><ul><li>Isolamento </li></ul><ul><li>Perturbações no sono e no apetite </li></ul><ul><li>Fatiga e falta de interesse por actividades de lazer </li></ul><ul><li>Indiferença </li></ul><ul><li>Falta de apetite sexual </li></ul><ul><li>Irritabilidade </li></ul><ul><li>Tendências suicidas </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Discurso desorganizado </li></ul><ul><li>Diminuição da necessidade de sono </li></ul><ul><li>Aumento do apetite sexual </li></ul><ul><li>Irritabilidade </li></ul><ul><li>Expansividade </li></ul><ul><li>“ Chuva de ideias” </li></ul><ul><li>Aumento de energia </li></ul><ul><li>Imparáveis </li></ul><ul><li>Ansiedade </li></ul>Sintomas do episódio maníaco:
  8. 8. Sintomas do episódio hipomaníaco <ul><li>Moderado nível de mania </li></ul><ul><li>Optimismo </li></ul><ul><li>Diminuição da necessidade de sono </li></ul><ul><li>Aumento de criatividade </li></ul><ul><li>Aumento de energia </li></ul>
  9. 9. Sintomas do episódio misto <ul><li>Sintomas de mania e depressão ocorrem simultaneamente: </li></ul><ul><ul><li>Agitação </li></ul></ul><ul><ul><li>Ansiedade </li></ul></ul><ul><ul><li>Agressividade </li></ul></ul><ul><ul><li>Fatiga </li></ul></ul><ul><ul><li>Discurso desorganizado </li></ul></ul><ul><ul><li>Insónia </li></ul></ul><ul><ul><li>Intenção suicida </li></ul></ul>
  10. 10. Episódio misto segundo Kraepelin: <ul><li>Existem descrições dos estados mistos desde os antigos gregos mas foi Kraepelin que os classificou em 6 tipos : </li></ul><ul><li>Mania depressiva ou ansiosa </li></ul><ul><li>Depressão agitada ou excitada </li></ul><ul><li>Mania com pobreza de pensamentos </li></ul><ul><li>Estupor maníaco </li></ul><ul><li>Depressão com fuga de ideias </li></ul><ul><li>Mania inibida </li></ul>
  11. 11. Tipos de bipolaridade <ul><li>Não existe consenso quanto ao número de tipos de bipolaridade existente. </li></ul><ul><li>O DMS (Diagnostic of Mental Disorders) reconhece três tipos de bipolaridade: </li></ul><ul><li>Bipolaridade I </li></ul><ul><li>Bipolaridade II </li></ul><ul><li>Ciclotimia </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Bipolaridade I </li></ul><ul><li>Experiência de um ou mais episódios maníacos </li></ul><ul><li>Podem ou não existir episódios depressivos </li></ul><ul><li>Neste tipo tem de haver sempre um episódio maníaco </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Bipolaridade II </li></ul><ul><li>Podem ocorrer episódios hipomaníacos </li></ul><ul><li>Tem de haver no mínimo um episódio grande depressivo </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Ciclotimia </li></ul><ul><li>Versão mais branda, uma vez que os episódios de hipomania e depressão tendem a ser de menor duração (cerca de quatro dias ou menos) e de menor gravidade. </li></ul>
  15. 15. Como diagnosticar? <ul><li>Um passo fundamental no diagnóstico de transtorno bipolar é de descartar outras possíveis causas de oscilações extremas de humor.  </li></ul><ul><li>Estas podem incluir: </li></ul><ul><li>TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) </li></ul><ul><li>Lesão na cabeça </li></ul><ul><li>Problemas na tiróide </li></ul><ul><li>HIV </li></ul><ul><li>Diabetes </li></ul><ul><li>Transtornos alimentares </li></ul><ul><li>Esquizofrenia </li></ul><ul><li>Certos medicamentos </li></ul><ul><li>Não há nenhum teste de laboratório para o transtorno bipolar. Um psiquiatra geralmente faz o diagnóstico baseado numa discussão cuidadosa de alterações do humor do paciente. </li></ul>
  16. 16. Causas <ul><li>As substâncias químicas (neurotransmissores) do cérebro variam de forma anormal   </li></ul>Quando os níveis de noradrenalina se tornam demasiado elevados, o paciente desenvolve mania Quando os níveis de noradrenalina (ou seratonina) se tornam demasiado baixos, a depressão pode aparecer Pensa-se que os níveis de outros neurotransmissores como a seratonina e a dopamina desempenham um papel importante
  17. 17. Causas genéticas <ul><li>Quando um progenitor sofre da doença o risco em cada filho é de l5-30%. </li></ul><ul><li>Quando ambos os progenitores têm a doença o risco sobe para 50-75%. </li></ul><ul><li>O risco em irmãos (incluindo gémeos falsos) é de 15-25%. </li></ul><ul><li>O risco em gémeos verdadeiros é de 70%. </li></ul>
  18. 18. Zonas cerebrais afectadas <ul><li>De uma forma geral, o tamanho cerebral diminui, pois os neurónios não têm tanta actividade </li></ul><ul><li>Hipocampo diminui de tamanho (desempenha funções no domínio da aprendizagem, memória e emoções) </li></ul>Dois hipocampos localizados nos lobos temporais
  19. 19. Reportalexes Exteriores!!
  20. 20. Tratamento <ul><li>Redução da frequência das crises; </li></ul><ul><li>Ajudar o paciente a ter uma vida o mais normal possível, nos períodos entre as crises; </li></ul><ul><li>Evitar a mudança de uma fase para a outra; </li></ul><ul><li>Reduzir a gravidade das crises (de depressão e de mania). </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Frequentemente, os pacientes não informam com veracidade sobre o estado da sua doença; </li></ul><ul><li>As variações do humor, nesses indivíduos, são muito imprevisíveis, de forma que muitas vezes seja difícil de compreender se o paciente está a responder ao tratamento ou saindo naturalmente de uma crise; </li></ul><ul><li>Familiares não informados adequadamente podem prejudicar o tratamento; </li></ul><ul><li>O custo do tratamento pode ser alto; </li></ul><ul><li>Pode ter que se usar, em certos casos, mais que um medicamento. </li></ul>No tratamento dessa doença podem ser encontradas dificuldades?
  22. 22. Quais as bases do tratamento do transtorno bipolar? Medicamentos Electroconvulsoterapia Terapias não-médicas Lítio Anticonvulsivantes Antipsicóticos atípicos Estabilizadores de Humor
  23. 23. Electroconvulsoterapia <ul><li>Pacientes que pensam em suicidar-se ou que apresentam muitos sentimentos de culpa, durante o episódio depressivo; </li></ul><ul><li>Pacientes que não toleram os medicamentos; </li></ul><ul><li>Pacientes grávidas; </li></ul><ul><li>Pacientes mais jovens; </li></ul><ul><li>Pacientes com crises graves que necessitam de internamento imediato, não podendo esperar pelo início de acção dos medicamentos; </li></ul><ul><li>Pacientes com quadros de mania, especialmente idosos com crises graves; </li></ul><ul><li>Pacientes com determinado tipos de doenças cardíacas. </li></ul>
  24. 24. Quais os tratamentos em estudo? <ul><li>Terapia Magnética </li></ul><ul><li>Acupunctura </li></ul>
  25. 25. Os antidepressivos podem ser usados no tratamento do transtorno bipolar? <ul><li>Algumas vezes, os antidepressivos são empregues no tratamento do episódio depressivo, em pacientes com transtorno bipolar. Porém, o uso ainda é controverso, já que eles podem desencadear episódios de mania em até 30% dos casos. Além disso, existem vários trabalhos publicados que não mostram benefício do uso desses medicamentos. </li></ul><ul><li>Os antidepressivos seriam mais úteis e seguros nos casos em que o episódio depressivo ocorre após um período em que o paciente não apresentava sintomas. Qualquer paciente que esteja a tomar antidepressivos e que tenha iniciado o tratamento com sintomas de hipomania deve interromper o uso desses medicamentos imediatamente, após orientação médica adequada. </li></ul>
  26. 26. Curiosidade <ul><li>O clima e as estações do ano afectam os doentes bipolares </li></ul><ul><li>Segundo estudos realizados, o Inverno e a Primavera reflectem-se negativamente nas emoções das pessoas </li></ul><ul><li>Outros estudos mostraram que os pacientes internados por depressão que são colocados em quartos mais luminosos melhoram mais rapidamente do que aqueles que ficam em quartos menos ensolarados. </li></ul>
  27. 27. Famosos com a doença <ul><li>Tolstoy </li></ul><ul><li>Virginia Woolf </li></ul><ul><li>Hemingway </li></ul><ul><li>Abraham Lincoln </li></ul><ul><li>Winston Churchill </li></ul><ul><li>Theodore Roosevelt </li></ul><ul><li>Goethe </li></ul><ul><li>Balzac </li></ul><ul><li>Handel </li></ul><ul><li>Schumann </li></ul><ul><li>Berlioz </li></ul>The Hours Virginia Woolf (1882 – 1941)
  28. 28. Participação Especial

×