• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Teoria da Administração
 

Teoria da Administração

on

  • 72,407 views

 

Statistics

Views

Total Views
72,407
Views on SlideShare
72,371
Embed Views
36

Actions

Likes
8
Downloads
836
Comments
2

5 Embeds 36

http://www.camocimlive.blogspot.com.br 21
http://camocimlive.blogspot.com.br 10
http://camocimlive.blogspot.com 3
http://www.blogger.com 1
http://erp.hotwords.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

12 of 2 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Teoria da Administração Teoria da Administração Document Transcript

    • Uni-ANHANGUERA Polo Universitário de CamocimCurso: Ciências ContábeisDisciplina: AdministraçãoProfessor EAD:Prof. Me. Olney BrunoProfessor Tutor: Francisco de AssisPeríodo: 2º Semestre ATPS DE TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO MEMBROS: Érika Ferreira Veras; RA: 384439. Gilvan Lima da Silva; RA: 386162. Janiele dos Santos de Paula; RA: 386421. Joana Dar’c Fernandes; RA: 3870. José Siebra Lopes Neto; RA: 366492. Reldileny Aires Araujo de Sousa; RA: 386770. Ticiane Maria deAraujo ; RA: 371677. Camocim, Setembro de 2012.
    • SUMÁRIOINTRODUÇÃO 11. SURGIMENTO E DESENVOLVIMENTODAS2TEORIAS2. TEORIAS ADMINISTRATIVAS62.1 Teoria da AdministraçãoCientífica 6 2.2 Teoria Clássica 82.3 Teoria Burocrática 92.4 Teoria Neoclássica 92.5 Teoria das Relações Humanas 102.6 Teoria Comportamental 112.7 Teoria da Contingência 123. TEORIA ESTRUTURALISTA X NEOCLÁSSICA 13X HUMANISTA3.1. Origem da Teoria Estruturalista 133.2. Origem da Teoria Neoclássica 143.3. Origem da Teoria Humanista 144. ÊNFASE NA TECNOLOGIA E ÊNFASE NO 16AMBIENTE5. APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL 186. RELATÓRIO197. QUADRO COMPARATIVO25CONCLUSÃO 33
    • INTRODUÇÃOA administração é uma ciência social aplicada, fundamentada em um conjunto denormas e funções elaboradas para disciplinar elementos de produção. A administraçãoestuda os empreendimentos humanos com o objetivo de alcançar um resultado eficaz eretorno financeiro de forma sustentável e com responsabilidade social, ou seja, éimpossível falar em Administração sem falar em objetivos. Em síntese, o administradoré a ponte entre os meios (recursos financeiros, tecnológicos e humanos) e os fins(objetivos). Como elo entre os recursos e os objetivos de uma organização, cabe aoadministrador combinar os recursos na proporção adequada e para isso é necessáriotomar decisões constantemente num contexto de restrições, pois, nenhuma organizaçãopor melhor que seja dispõe de todos os recursos e também a capacidade deprocessamento de informações do ser humano é limitado. Administrar envolve aelaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos, arbitragens e laudos, em que éexigida a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de Administração.As teorias da administração podem ser divididas em várias correntes ouabordagens. Cada abordagem representa uma maneira específica de encarar a tarefa e ascaracterísticas do Trabalho de administração.A teoria geral da administração começoucom a ênfase nas tarefas, com a administração científica de Taylor. A seguir, apreocupação básica passou para a ênfase na estrutura com a teoria clássica de Fayol ecom a teoria burocrática de Max Weber, seguindo-se mais tarde a teoria estruturalista. Areação humanística surgiu com a ênfase nas pessoas, por meio da teoriacomportamental e pela teoria do desenvolvimento organizacional. A ênfase noambiente surgiu com a Teoria dos Sistemas, sendo completada pela teoria dacontingência. Esta, posteriormente, desenvolveu a ênfase na tecnologia. Cada umadessas cinco variáveis - tarefas, estrutura, pessoas, ambiente e tecnologia - provocou aseu tempo uma diferente teoria administrativa, marcando um gradativo passo nodesenvolvimento da TGA. Cada teoria administrativa procurou privilegiar ou enfatizaruma dessas cinco variáveis, omitindo ou relegando a um plano secundário todas asdemais. 11. SURGIMENTO E DESENVOLVIMENTO DAS TEORIAS
    • A administração é praticada desde que existem os primeiros agrupamentos humanoscom as teorias administrativas se tornou mais fácil de compreender o que se passa emuma organização e como fazer com que ela funciona bem buscando sempre aexcelência. A moderna teoria geral da administração, que se estuda hoje é formada porconceitos que surgiram e vêm-se aprimorando há muito tempo, desde que osadministradores do passado enfrentaram problemas práticos e precisaram de técnicaspara resolvê-los. Como no exemplo bíblico citado por Chiavenato, onde relata queMoisés estava passando o dia cuidando de pequenas causas que o povo lhe trazia. EntãoJetro, seu sogro, recomendou: procure homens capazes para serem líderes de 10, 100 e1.000. Este conselho foi dado a Moisés cerca de 3.500 anos atrás. Já nessa época erautilizado um sistema de administração hierarquizada. Mas foi com a RevoluçãoIndustrial do Século XVIII e o surgimento das máquinas a vapor, fator determinante namecanização da indústria e da agricultura, com desenvolvimento do sistema fabril, esubstituição da tarefa artesanal pela atividade da máquina, que se cria uma necessidadede sistematizar um processo administrativo que atendesse as exigências do novo modeloorganizacional.É nesse contexto que aparece a Administração Científica, que propõe asubstituição do empirismo das decisões tomadas através da intuição por uma ciênciaadministrativa, que buscava o rendimento máximo por meio da organização racional dotrabalho proposta pelo americano Frederick Taylor.O foco nas tarefas e funções, apouca atenção no humano (teoria da máquina), a limitação do campo de aplicação e aausência de comprovação científica foram algumas das principais críticas a essa teoria.Taylor iniciou suas experiências e estudos pelo trabalho do operário e, mais tarde,generalizou as suas conclusões para a Administração geral: sua teoria seguiu umcaminho de baixo para cima e das partes para o todo.O primeiro período de Taylor corresponde à época da publicação do seu livro ShopManagement (Administração de Oficinas) (1903) onde se preocupa exclusivamente comas técnicas de racionalização do trabalho do operário, através do Estudo de Tempos eMovimentos (Motion-Time Study). 2
    • Claude S. Geoge Jr., salienta em essência, o que procurou dizer em Shop Managementfoi que:1. O objetivo de uma boa Administração era pagar salários altos e ter custos unitários deprodução.2. Para realizar esse objetivo, a Administração tinha de aplicar métodos científicos depesquisa e experimento para o seu problema global, a fim de formular princípios eestabelecer processos padronizados que permitissem o controle das operações fabris.3. Os empregados tinham de ser cientificamente colocados em serviços ou postos emque os materiais e as condições de trabalho fossem cientificamente selecionados, paraque as normas pudessem ser cumpridas.4. Os empregados deviam ser cientificamente adestrados para aperfeiçoar suas aptidõese, portanto, executar um serviço ou tarefa de modo que a produção normal fossecumprida.5. Uma atmosfera de íntima e cordial cooperação teria de ser cultivada entre aAdministração e os trabalhadores, para garantir a continuidade desse ambientepsicológico que possibilite a aplicação dos outros princípios por ele mencionados.Depois Taylor concluiu que a racionalização do trabalho operário deveria serlogicamente acompanhada de uma estruturação geral da empresa e que tornassecoerente a aplicação dos seus princípios. Nesse segundo período, desenvolveu os seusestudos sobre a Administração geral, a qual denominou Administração Científica, semdeixar, contudo sua preocupação com relação à tarefa do operário.Taylor assegurava que as indústrias que as indústrias de sua época padeciam de malesque poderiam ser agrupados em três fatores: 1. Vadiagem sistemática por parte dos operários, que reduziam propositadamente a produção a cerca de um terço da que seria normal, para evitar a redução das tarifas de salários pela gerência. 3
    • Há três causas determinantes da vadiagem no trabalho, que são:• o erro que vem de época imemorial e quase universalmente disseminado entre ostrabalhadores, de que o maior rendimento do homem e da máquina terá como resultanteo desemprego de grande número de operários;• o sistema defeituoso da Administração, comumente em uso, que força os operários àociosidade no trabalho, a fim de melhor proteger os seus interesses;• os métodos empíricos ineficientes, geralmente utilizados em todas as empresas, comos quais o operário desperdiça grande parte do seu esforço e do seu tempo.2. Desconhecimento, pela gerência, das rotinas de trabalho e do tempo necessário parasua realização.3. Falta de uniformidade das técnicas ou métodos de trabalho.De acordo com Taylor, a implantação da Administração Científica deve ser gradual eobedecer a certo período de tempo, para evitar alterações bruscas que causemdescontentamento por parte dos empregados e prejuízos aos patrões. Essa implantaçãorequer um período de quatro a cinco anos para um progresso efetivo.Para Taylor, a gerência adquiriu novas atribuições e responsabilidades descritas pelosquatro princípios a seguir:1. Principio de Planejamento: substitui no trabalho o critério individual do operário, aimprovisação e a atuação empírica-prática, pelos métodos baseados em procedimentoscientíficos. Substituir a improvisação pela ciência, através do planejamento.2. Princípio do preparo: selecionar cientificamente os trabalhadores de acordo com suasaptidões e prepará-los e treiná-los para produzirem mais e melhor, de acordo com ométodo planejado. Além do preparo da mão-de-obra, preparar também as máquinas eequipamentos de produção, bem como o arranjo físico e a disposição racional dasferramentas e materiais. 4
    • 3. Princípio do Controle: controlar o trabalho para se certificar de que o mesmo estásendo executado de acordo com as normas estabelecidas e segundo o plano previsto. Agerência deve cooperar com os trabalhadores, para que a execução seja a melhorpossível.4. Princípio da Execução: distribuir distintamente as atribuições e as responsabilidades,para que a execução do trabalho seja bem mais disciplinada.Essa foi à teoria precursora do pensamento administrativo e organizacional naadministração e com ela surgiram muitas outras teorias que ajudam as empresas seorganizarem para que possa conseguir sempre o melhor desempenho. 5
    • 2. TEORIAS ADMINISTRATIVASNo século XX, a administração e as organizações estão sofrendo grandestransformações, as empresas privadas, em particular, operam dentro de um contextoextremamente competitivo e precisam aprimorar continuamente sua eficiência: fazermais, com menor quantidade de recursos. Aumenta a importância da Administraçãoempreendedora: o movimento que procura estimular as pessoas a serem seus própriospatrões. Além disso, a ideia de administração participativa ganha muito espaço com essatendência, pois é preciso educar funcionários operacionais para serem seus própriosgerentes. 2.1. Teoria da Administração Científica. Um dos maiores expoentes da teoria da administração, conhecida comoAdministração Científica foi Taylor. Através da leitura de Idalberto Chiavenato, em suaTeoria Geral da Administração, nota-se que Taylor compartilhou com Fayol, criador dateoria clássica, o reconhecimento de serem os fundadores da moderna administração. Os dois defendiam uma visão mecanicista, de pontos de vista diferentes. Foiexatamente assim, como mostra Chiavenato, o engenheiro americano Taylor enxergavaa organização de uma empresa de baixo para cima e o Francês Fayol, de cima parabaixo. A chamada administração científica começou a contribuir realmente coma ciência da administraçãoatravés de observações empíricas realizadas no período daRevolução Industrial. A administração científica contribuiu bastante com a evolução doestudo dos processos administrativos, partindo da observação de tempos e movimentosnecessários para realizar determinados trabalhos de natureza física. Talvez por isso, e levados pela necessidade de acompanhar a evolução dodesenvolvimento industrial crescente, eles não tenham atinado para os aspectoshumanos da administração. A “administração científica” alimentou um comportamentomecanicista que perdura até os dias de hoje em muitas organizações. 6
    • A interpretação teórica, assim como a denominação teórica dos fatos e situaçõesadministrativas são consideradas por alguns como contribuições, apesar de muitasdessas interpretações terem um fundo ideológico e estarem embutidas no conceito do“homo economicus”. Entretanto, o fato concreto de terem tomado a iniciativa de estudarcientificamente a administração, mesmo cometendo muitos erros já foi uma grandecontribuição.ORIGENS DA ORTFoi nos primórdios da administração científica que surgiu a Organização Racional doTrabalho, ¾ O R T ¾ quando Taylor observou os operários aprendendo uns com osoutros através da observação. Descobriu que esse costume natural entre os operários,desenvolvia diferentes métodos de execução da mesma tarefa, variando instrumentos eferramentas para a mesma operação.A partir dessas constatações, Taylor criou a Organização Racional do Trabalho,substituindo métodos empíricos e rudimentares por métodos científicos.FUNDAMENTOS DA ORT1) Análise dos “tempos e movimentos”;2) Estudo da fadiga humana;3) Divisão do trabalho e especialização, reduzindo o trabalho a uma única tarefa, ou atarefas simples;4) Desenho de cargos e tarefas;5) Incentivos salariais e prêmios por produção;6) “Homo Economicus” (o operário movido por recompensas financeiras);7) Condições ambientais de trabalho;8) Padronização de métodos, máquinas e equipamentos; 7
    • 9) Supervisão funcional (administração funcional): A divisão do trabalho aplicada àschefias.Destacamos as origens da ORT, porque ela foi um ponto marcante, consolidou e deuuma consistência objetiva aos postulados de Taylor e seus seguidores. 2.2. Teoria Clássica Muitas teorias da administração participam da abordagem clássica. Na verdadeela não foi uma criação individual do engenheiro Henri Fayol em 1916. Ele utilizou omodelo da organização militar como exemplo para estruturar suas proposições teóricas.Outros estudiosos de administração também davam ênfase à estrutura das organizações,na formulação de suas teorias, na mesma época. Muitos autores acusam Fayol de haver compilado alguns fundamentos eprincípios descobertos por outros teóricos. A verdade é que ele praticou a “ GESTÃODO CONHECIMENTO”, sem conhecer esta expressão, porque não era usual no iníciodo século passado. Fayol soube aproveitar um conhecimento que já estava consolidado. Portanto as funções básicas de uma empresa identificadas por Fayol, são muitoparecidas, com denominações dadas por outros autores em seus ensaios e estudos sobreos processos administrativos. Fayol aponta as seguintes funções numa empresa:- Funções técnicas, relacionadas ao produto/serviço;- Funções comerciais, relacionadas com a compra/venda;- Funções financeiras, relacionadas com a gerência de capitais;- Funções de segurança, relacionadas com a proteção de bens/pessoas;- Funções contábeis, relacionadas com registros/custos/estatísticas;- Funções administrativas, funções estas responsáveis pela coordenação das outrasfunções. Prever, organizar, comandar, coordenar e controlar, são os elementos queconstituem o processo administrativo para Fayol. Os processos estão interligados comas funções e pode-se observar este relacionamento em outros autores. 8
    • 2.3. Teoria da Burocracia. Todo e qualquer tipo de comunicação deve ser documentado, para que seobtenha o máximo de eficiência. Esta é uma das máximas da teoria da burocracia. Masesta teoria se esquece de levar em consideração a organização informal e a variação dossentimentos humanos. A burocracia traz por seu lado a contribuição para os registros históricos queficam na memória da empresa, que podem ser utilizados “pela gestão doconhecimento”. Entretanto, por outro lado, em alguns aspectos, esfria o relacionamentohumano, trazendo para a área central, para o cérebro da empresa, um comportamentomecanicista, que passa das máquinas dos operários para os papéis dos funcionáriosadministrativos. A teoria da burocracia contribuiu com a administração moderna das empresas,mas ao mesmo tempo criou mecanismos que emperram a máquina administrativa.Aproveitando-se da fragilidade das Teorias Clássicas como também da falta deconsistência das teorias das Relações Humanas, os burocratas conseguiram implantar ateoria da burocracia. Também a parcialidade dos clássicos e a ingenuidade dos teóricoshumanistas, estimulou a necessidade de um “modelo racional” envolvendo toda aorganização e definindo melhor os modelos de procedimentos administrativos. Para concluir citamos Max Weber, máximo teórico dos burocratas, que diz: “Aeconomia monetária e a superioridade técnica foram fatores que desenvolveram aburocracia”. 2.4. Teoria Neoclássica A teoria Neoclássica representa uma grande contribuição do espírito pragmático dosempresários americanos.A característica principal passa pela forte ênfase nos aspectospráticos aplicados à administração. Pautando pelo pragmatismo, buscam resultadosconcretos e palpáveis, mesmo assim a teoria neoclássica não se desvencilhou dosconceitos teóricos da administração clássica. 9
    • Procurando desenvolver os seus conceitos de forma prática, os autores neoclássicosvisam em primeiro lugar a ação executiva. Para eles, a teoria só tem valor quandoconseguem operacionalizá-la na prática e por isso quase todos os neoclássicos sereferem a essa prática administrativa, ou ação administrativa, mostrando os aspectosinstrumentais da administração. Na verdade, a Teoria Neoclássica é a Teoria clássica renovada, atualizada, corrigidasob a égide das novas teorias e dos problemas administrativos atuais. Os neoclássicosabsorvem, aceitam a influência das ciências do comportamento na administração, paraao mesmo tempo reafirmarem os postulados clássicos, com argumentos maisconvincentes.A teoria Neoclássica baseia-se também no princípio de que a administração é umatécnica social básica. Por isso deve-se levar o administrador a conhecer todos osaspectos básicos de sua função, como também devem aprender a dirigir pessoas dentroda organização. Neste aspecto, adiantam-se rudimentarmente aos estudos de Gestão dePessoas, que atualmente tem sido uma das maiores preocupações dos administradores,ao lado da Gestão do conhecimento. Outra contribuição da Teoria Neoclássica é a administração por objetivos. Elesacreditam que os meios devem ser utilizados na busca da eficiência. Entretanto, a buscada eficácia para eles está ligada às finalidades, ou resultados finais. 2.5. Teoria das relações humanas.A Teoria das Relações Humanas foi desenvolvida por cientistas sociais, como ummovimento de oposição à Teoria Clássica. Com uma abordagem humanística, a TeoriaAdministrativa sofreu verdadeira revolução conceitual. A ênfase voltou-se para aspessoas que trabalhavam na organização. Seu surgimento, que começou após a morte deTaylor, a partir da década de 30, foi possível devido ao desenvolvimento da Psicologia,bem como as modificações ocorridas no panorama político e socioeconômicos da épocaque foi elaborada. 10
    • Psicólogos e sociólogos tomam o lugar do engenheiro e do técnico, surgindo então umanova concepção da natureza do homem. As relações humanas passaram a ser maisvalorizadas dentro da empresa, inserindo o conceito do homem social nas decisõesadministrativas. Neste caso, a organização informal ganha mais importância, porque elase origina da necessidade do ser humano conviver com os demais indivíduos.A Teoria das Relações Humanas a partir daí começou a estudar a influência damotivação no comportamento das pessoas. Descobriram que a compreensão damotivação exige o conhecimento das necessidades humanas. Também observaram que“pode-se motivar uma pessoa quando se sabe o que ela necessita e quando umanecessidade de um determinado nível é satisfeita passa-se para o próximo nível dahierarquia”, podendo-se encetar outro ciclo de motivação. 2.6. Teoria ComportamentalA teoria comportamental segue uma linha humanística e para isto a psicologiaorganizacional contribuiu decisivamente para o surgimento de uma teoria administrativamais democrática. Ensinando que o homem deve pensar mais e criar mais, a teoriacomportamental propõe o abandono de posições normativas e descritivas e a adoção deuma posição humanística.A Teoria Comportamental, ou behaviorismo, originou-se exatamente quando surgiuuma reação muito forte dos operários, à maneira deles, e dos trabalhadores intelectuais,atacando, principalmente a Teoria Clássica. O argumento dos behavioristas era que osdefensores da teoria clássica eram excessivamente mecanicistas. Começando com seu principal teórico, Hebert Alexander Simon, aTeoria Comportamental, ouBehaviorista, renovou o foco de interesses dos estudiosos daadministração. Simon abandonou aquelas posições normativas e prescritivas das teoriasClássica, das Relações Humanas e da Burocracia, abordando a questão com oinstrumento ótico, das ciências do comportamento (behavioralsciences approach). 11
    • 2.7. Teoria da Contingência. A Teoria da Contingência é circunstancial. Ela prega que o administrador deverespeitar as situações encontradas no ambiente e inserir as decisões administrativas deacordo com as circunstâncias. Para a teoria da contingência os atos administrativos têmuma grande relatividade e não existe uma relação direta de causa e efeito. Com estaconcepção, o administrador fica livre para tomar decisões diferentes nas mesmassituações, dependendo das circunstâncias. Pela Teoria da contingência, todas asdecisões e processos administrativos dependem da criatividade do administrador, comotambém de sua sensibilidade humana e do grau de respeito com o meio ambiente. 12
    • 3. TEORIA ESTRUTURALISTA X NEOCLÁSSICA X HUMANISTASegundo Garcia e Barroso (2000) as teorias são proposta de acordo com os contextoshistóricos em que estão inseridas, enfatizando os problemas mais importantesenfrentados na época em que foram fundamentadas.3.1.ORIGEM DA TEORIA ESTRUTURALISTAAs origens da Teoria Estruturalista na Administração foram asseguintes:A oposição surgida entre a Teoria Tradicional e a Teoria dasRelações Humanas incompatíveis entre si.Requereu uma posição que pudesse abranger os aspectos que eram considerados poruma e omitidos pela outra e vice-versa.Busca ser uma síntese da Teoria Clássica(formal) e da Teoria das Relações Humanas (informal).A necessidade devisualizar "a organização como uma unidade social grande e complexa, ondeinteragem grupos sociais".Precisam compartilharalguns dos objetivos da organização (como viabilidade econômica daorganização), mas que podem incompatibilizar com outros (como a maneira dedistribuir os lucros da organização). A influencia do estruturalismo nas ciências sociaise sua repercussão no estudo das organizações.O estruturalismo teveforte influência nas ciências socias, tais como: Filosofia, Psicologia,Antropologia, Matemática e Linguística, chegando até a teoria dasorganizações.Novo conceito de estrutura:É o conjunto formal de dois ou mais elementos que subsiste inalterado mesmo com aalteração de um dos seus elementos ou relações.ConceitoEstruturalismo é a teria que se preocupa com o todos e com relacionamento das partesna constituição do todo. A totalidade, a interdependência das partes e o fato de que otodo é maior do que simples soma das partes são suas características básicas. 13
    • 3.2. ORIGEM DA TEORIA NEOCLÁSSICAA Teoria Neoclássica surgiu na década de 1950 diante de um novo contexto decrescimento exacerbado das organizações e problemas administrativos decorrentes daépoca. Enfatiza a preocupação dos administradores (empresários, diretores e,principalmente, gerentes) em dar organização a uma série de modelos e técnicasadministrativas.A Teoria Neoclássica, tratada por Chiavenatto, retoma os aspectos discutidos na TeoriaClássica, que são revistos e atualizados dentro de um conceito moderno deAdministração, conciliando esta abordagem com contribuições importantes de Teoriassubsequentes.3.3. ORIGEM DA TEORIA HUMANISTAA evolução da administração traz uma considerável reflexão a respeito da mudança depensamento sobre o ato de administrar. No passado, a forma de administrar erarelacionada à produção, e Taylor acaba sendo o grande exemplo deste pensamento. ParaTaylor, o importante era a eficiência no processo produtivo, ou seja, o importante eramelhorar a forma de executar a tarefa. Fayol já pensava um pouco diferente, pois elenão demonstrava preocupação direta com a tarefa, mas sim com o "processoadministrativo", como a forma de administrar, trazendo conceitos como: planejar,organizar, dirigir e controlar. Para Weber, o importante era garantir o controleorganizacional por meio de níveis de autoridade. Para isso, ele trouxe a importância dahierarquia.Após o período clássico, a administração passou por uma grande mudança depensamento com a chegada do período humanístico, quando a importância do forhumano foi evidenciada. A discussão inicial feita por Elton Mayo, que trazia umareflexão sobre motivar o ser humano por meio de mudanças em uma organização(Western Eletric Company), com a finalidade de aumentar a produtividade. Tal estudoficou conhecido como escola das relações humanas. Após isto, a escolacomportamentalista trouxe uma grande reflexão sobre a motivação humana. Esta análisediretamente psicológica foi trazida para a administração e diversos autores foramresponsáveis por modelos na busca de explicar a motivação humana, como Maslow, 14
    • Alderfer e Herzberg. Liderança também fez parte da escola comportamentalista, cujomaior autor foi MacGregor. Para finalizar o período humanístico, houve a notávelparticipação do sociólogo AmitaiEtzioni, trazendo a teoria estruturalista que faz umaanálise das empresas como sistemas abertos. 15
    • 4. ÊNFASE NA TECNOLOGIA E ÊNFASE NO AMBIENTESe na era industrial a Teoria da Administração Científica dava ênfase às tarefas na buscado melhor caminho para se atingir a eficiência desejada, nas teorias de sistemas a ênfasepassa a ser a tecnologia e o ambiente. A Teoria de Sistemas aborda as organizaçõescomo sistemas abertos, em um dinâmico campo de forças, com incessante intercâmbiode matéria-prima, energia e informação em relação ao ambiente externo.Em 1947 o biólogo alemão Ludwig Von Bertalanffy, definia a Teoria Geral dosSistemas. A abordagem sistêmica tem sua origem na visão de sistemas, extraída daBiologia, através dos ensinamentos do biólogo alemão. Para ele a cibernética é umateoria dos sistemas de controle baseada na comunicação (informação) entre o sistema eo meio e dentro do sistema e do controle da função dos sistemas com respeito aoambiente. Nesse caso, a organização busca encontrar o seu equilíbrio.Com isso surge a teoria da matemática, onde a preocupação é elaborar modelosmatemáticos para a organização criar modelos matemáticos voltados principalmentepara a resolução de problemas de tomada de decisão. É através do modelo que se fazemrepresentações da realidade. Em todas as teorias já estudadas, houve um processo deelaboração matemática, como é o caso de Taylor onde precisou da matemática paracolocar em pratica a melhor forma de trabalho, o espaço, tudo foi calculado conformeplanejado. Fayol também usou o procedimento matemático para estruturar a linha deprodução e obteve os modelos queservem para representar simplificações da realidade.Também importante é a tecnologia da informação da necessidade de maior integraçãoentre as teorias anteriores (Científicas e Relações Humanas, Estruturalista eComportamental), e buscava extrair a máxima eficiência em todo processoadministrativo. Embora na Administração científica de Taylor, já existisse apreocupação com a tecnologia, mas se limitava na tarefa individual de cada operário.Mas a partir de 1960, com estudos de pesquisa da socióloga inglesa Joan Woodward, ATecnologia da Informação (TI) passou a ter um papel importante nas instituições. 16
    • A Teoria da Contingência é sem dúvida a mais eclética de todas as teorias, pois alémde considerar as contribuições das diversas teorias anteriores como: as tarefas, aestrutura, as pessoas, a tecnologia e o ambiente. As teorias anteriores são colocadas àprova, suas conclusões são confirmadas (cada uma de acordo com sua época,necessidade, ambiente, interação, compatibilidade, etc.), atualizadas, ampliadas,integradas dentro de uma abordagem mais complexa, permitindo assim uma visãoconjunta, abrangente com maior maleabilidade e adaptação para cada organização epara a Administração como um todo.Implicações ÉticasDesde a época científica da Administração, ou seja, desde Frederick W. Taylor,passando por Henri Fayol, Max Weber, até os dias atuais; a importância dodesenvolvimento através de diversas teorias tais como burocráticas, estruturalistas,tecnológicas, e outras, divididas em etapas, executadas na prática e chegando aos diasatuais. 17
    • 5. APRENDIZAGEM ORGANIZACIONALA aprendizagem organizacional é um tema já bem conhecido nas disciplinas deorganização. É um fenômeno sistêmico nas empresas que permanece independente daspessoas. Sim, as organizações podem não ter cérebro, mas são dotadas de sistemascognitivos que elas mesmas desenvolvem e vão sendo impregnados na sua cultura pormeio, principalmente, de rotinas ou procedimentos. O aprendizado e crescimento sãoaspectos-chave porque formam abase da melhoria da qualidade e da inovação. Umaempresa podefuncionar muito bem do ponto de vista financeiro, ter boas relaçõescom osclientes e contar com excelentes processos, mas se outraempresa obtiver vantagenssemelhantes, isso de nada adiantará.Quero dizer com isso que não se deve ficaracomodado com odesempenho atual, ainda que seja satisfatório. É importante queosexecutivos entendam que serão superados pelos concorrentes se nãomudarem eaperfeiçoarem sua atuação continuamente, e maisrapidamente do que eles. “Convémdar-se conta de que a fonte decrescimento e aprendizado são os funcionários da empresa– somente graças a eles é possível continuar melhorando as operações.” 18
    • 6. RELATÓRIOAdministração é o ato de trabalhar com e através de pessoas para realizar os objetivostanto da organização quanto de seus membros, é o processo de planejar, organizar,dirigir e controlar o uso de recursos a fim de alcançarem objetivos. A administração é vista como uma habilidade humana que teve sua construçãoteórica baseada sob a influência de vários filósofos da época, e suas teorias seconcretizaram após a revolução industrial com os percussores Taylor e Fayol, com afamosa teoria clássica. O administrador trabalha com pessoas e equipes e faz uso delas para conseguirresultados através da liderança, comunicação, motivação e na construção de talentos(CHIAVENATO, 2007, p. 70). Cria uma atmosfera de segurança e cooperação entre aspessoas em prol de um alcance comum. (ARAÚJO, 2007, p. 12)O termo habilitação humana é aquela qualidade de o executivo trabalhar eficientementecomo integrante de um grupo e de realizar um esforço conjunto com os demaiscomponentes da equipe que dirige. Enquanto a habilitação técnica se voltaprincipalmente para o manuseio de coisas, (processos ou objetos físicos), a habilitaçãoHumana diz respeito mais à habilidade de as pessoas trabalharem com os outros. Essaaptidão é demonstrada na maneira como o indivíduo se apercebe (e reconhece apercepção) de seus superiores, companheiros e subalternos e no modo como secomporta posteriormente. A pessoa dotada de grande habilidade humana é cônscia de suas próprias atitudes,opiniões e convicções acerca dos outros e de grupos de pessoas; é capaz de aquilatar autilidade e as limitações de tais sentimentos. Ao aceitar a existência de opiniões, percepções e convicções que são diferentes dassuas próprias são suficientemente hábeis para compreender o que os outros realmentequerem dizer com palavras e atos. É igualmente hábil em comunicar aos demais, dentrodo modo de pensar dos outros, aquilo que pretende dizer com seu próprio modo de agir. Tal pessoa trabalha para criar um ambiente de boa vontade e segurança no qual seussubalternos se sintam à vontade para se expressar, sem receio de serem censurados ou 19
    • ridicularizados, incentivados que são a participar no planejamento e na execução detudo o que diretamente lhes diz respeito. Essa pessoa é bastante suscetível aos anseios emotivações dos demais, dentro da empresa, para poder julgar as possíveis reações eresultados de diversos tipos de ação que possa vir a tomar. Tendo essa sensibilidade, oindivíduo é capaz de agir e se empenha em fazê-lo de maneira a levar em conta essaspercepções dos outros. A verdadeira aptidão de saber trabalhar com os outros deve tornar-se uma atitudenatural e constante, uma vez que ela envolve sensibilidade não apenas no momento detomar uma decisão, mas também na conduta cotidiana do indivíduo. A habilidadehumana não pode ser algo ocasional. As técnicas não podem ser aplicadas a esmo nemos traços da personalidade podem ser colocados e retirados como se faz com um,sobretudo. Isso porque tudo o que um executivo faz ou diz (ou deixa de dizer ou fazer)tem algum efeito sobre seus colegas e seu verdadeiro ego se revelará com o tempo. Porisso, para ser positiva, essa habilidade deve ser desenvolvida natural einconscientemente, bem como continuamente, sendo demonstrada em• todas as atitudesdo indivíduo. Deve tornar-se parte integrante de seu próprio ser. A teoria geral da administração começou com a ênfase nas tarefas, com aadministração científica de Taylor. A seguir, a preocupação básica passou para a ênfasena estrutura com a teoria clássica de Fayol e com a teoria burocrática de Max Weber,seguindo-se mais tarde a teoria estruturalista. A reação humanística surgiu com a ênfasenas pessoas, por meio da teoria comportamental e pela teoria do desenvolvimentoorganizacional. A ênfase no ambiente surgiu com a Teoria dos Sistemas, sendocompletada pela teoria da contingência. Esta, posteriormente, desenvolveu a ênfase natecnologia. Cada uma dessas cinco variáveis - tarefas, estrutura, pessoas, ambiente etecnologia - provocou há seu tempo uma diferente teoria administrativa, marcando umgradativo passo no desenvolvimento da TGA. Cada teoria administrativa procurouprivilegiar ou enfatizar uma dessas cinco variáveis, omitindo ou relegando a um planosecundário todas as demais. 20
    • Teorias Administrativas, suas ênfases e seus principais enfoques.Ênfase: Teorias administrativas, Principais enfoques, Tarefas, Administração científica,Racionalização do trabalho no nível operacional, Estrutura, Teoria clássica, Teorianeoclássica, Organização Formal, Princípios gerais da Administração, Funções doAdministrador, Teoria da burocracia, Organização Formal Burocrática, RacionalidadeOrganizacional, Teoria estruturalista, Múltipla abordagem, Organização formal einformal, Análise intra-organizacional e análise Inter organizacional, Pessoas, Teoriadas relações humanas, Organização informal, Motivação, liderança, comunicações edinâmica de grupo, Teoria comportamental, Estilos de Administração, Teoria dasdecisões, Integração dos objetivos organizacionais e individuais, Teoria dodesenvolvimento organizacional, Mudança organizacional planejada, Abordagem desistema aberto, Ambiente, Teoria estruturalista, Teoria neo-estruturalista, Análise intra-organizacional e análise ambiental, Abordagem de sistema aberto, Teoria dacontingência, Análise ambiental (imperativo ambiental), Abordagem de sistema aberto,Tecnologia, Teoria dos sistemas, Administração da tecnologia (imperativo tecnológico),Antecedentes Históricos da Administração, Influência dos filósofos.Sócrates – administrar é uma habilidade pessoal separada do conhecimento técnico e daexperiência.Platão – preocupou-se com os negócios públicos e com a forma democrática degoverno.Aristóteles – em seu livro “Política” distinguia três formas de administração pública:- Monarquia – governo de um só;- Aristocracia – governo de uma elite;- Democracia – governo do povo.René Descartes – em seu livro “O discurso do Método” descreveu o método cartesianocujos princípios são: 21
    • - Princípio da Dúvida Sistemática ou Evidência – não aceitar como verdadeira coisaalguma, enquanto não souber com evidência aquilo que realmente é verdade;- Princípio da Síntese de Composição – conduzir ordenadamente nossos pensamentos,iniciando pelos assuntos mais fáceis para caminharmos gradualmente aos mais difíceis;- Princípio da Analise e da Decomposição – dividir cada problema em tantas partesquanto possível e resolvê-los cada um separadamente;- Princípio da Enumeração ou Verificação – fazer recontagem, verificações, revisõesgerais para ter certeza de que não foi omitido ou deixado de lado.Influência da organização da Igreja O Papa tem sob suas ordens a organizações mundiais da igreja católica. Os objetivos da ação política eram contraditórios, por quê? Porque cada partido tinhaum interesse diferente do outro. Se você quiser entrar na política, precisará conhecerqual é a ideologia do partido, e ver se está de acordo com os seus princípios comocidadão e exercer o seu papel político.Influência da organização militar Contribui com o Princípio da Unidade de Comando, onde cada subordinado só sereporta a um superior, com o princípio da direção onde à organização espera dele o quefazer, com conceito de hierarquia e também com o de linha. (organização linear)Exemplo: Na época de Napoleão, ele chefia o exército e tinha responsabilidade desupervisionar a totalidade, com a expansão territorial das batalhas, a direção ou ocomando das batalhas exigiu um novo plano de organização, passou a planejar acentralização do controle e descentralização da execução.Influência da revolução industrial A chamada 1a Revolução Industrial CONFORME CHIAVENATO (302) começa,praticamente, com a mecanização da indústria têxtil, na Inglaterra (1769) e ganha umaextraordinária vigor e extensão a partir da descoberta da máquina a vapor (1776) que vai 22
    • produzir um espantoso desenvolvimento nos transportes terrestres e marítimos, e umaverdadeira "revolução" nas fábricas, substituindo mão-de-obra por máquinas, mas, aomesmo tempo, multiplicando o tamanho e o número das fábricas, assim como aquantidade dos produtos. Com a 2a Revolução Industrial, principalmente com o surgimento da energia elétricae o uso dos combustíveis de petróleo, há um novo surto de progresso, acompanhada daexpansão do capitalismo financeiro, que viria permitir a criação e o funcionamento degrandes organizações empresariais. A abordagem típica dessa Escola é a ênfase nas tarefas e seu nome deriva daaplicação de métodos científicos (observação, experiência, registro, análise) aosproblemas da administração, com vistas a alcançar maior eficiência industrial, produzirmais, a custos mais baixos. O objetivo inicial de F. Taylor estava voltado para eliminar os desperdícios nasindústrias americanas, comprovadamente um dos elementos importantes na formaçãodos preços dos produtos. Dessa forma, visava-se alcançar maior produtividade e, comomenores custos e melhores margens de lucro, enfrentar a crescente concorrência emtodos os mercados. Para Taylor, a organização e a administração das empresas devem ser estudadas etratadas cientificamente e não empiricamente. A improvisação deve ceder lugar aoplanejamento e o empirismo à ciência. Assim, a obra de Taylor se reveste de especialimportância pela aplicação de uma metodologia sistemática na análise e na solução dosproblemas da organização, no sentido de baixo para cima. Taylor foi o primeiro a fazer uma análise completa do trabalho na fábrica, inclusivedos tempos e movimentos, estabelecendo padrões de execução. Ele treinou os operários,especializou-os de acordos com as fases do trabalho, inclusive o pessoal de supervisão edireção; instalou salas de planejamento e organizou cada unidade, dentro do conjunto. Taylor teve muitos seguidores de alto valor, geralmente todos eles. 23
    • Engenheiros norte-americanos, entre os quais se destacam: Cari Barth (1860-1939),Henry Gautt (1861-1919), Harrington Emerson (1853-1931), Frank Gilberth (1868-1924) e Lilian Gilbreth (1878-1961), psicóloga.TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Conforme IDALBERTO CHIAVENATO (302) a Administração Científica de F.Taylor, desenvolvida nos Estados Unidos, surgiu na França o outro pilar da EscolaClássica, comandado por Henry Fayol - também engenheiro -, nascido na Grécia eeducado no França, onde trabalhou e desenvolveu seus estudos. Enquanto na Administração Científica a ênfase está colocada na tarefa que realizacada operário, na Teoria Clássica de Fayol e seus seguidores a ênfase é posta naestrutura da organização. No fundo, o objetivo das duas correntes é o mesmo: maiorprodutividade do trabalho, maior eficiência do trabalhador e da empresa. A Teoria Clássica da Administração partiu de uma abordagem sintética, global euniversal da empresa, com uma visão anatómica e estrutural, enquanto naAdministração Científica a abordagem era fundamentalmente operacional(homem/máquina). A experiência administrativa de Fayol começa como gerente de minas, aos 25 anos eprossegue na CompagnieComantryFourchambaultetDecazeville, aos 47 anos, umaempresa em difícil situação, que ele administra com grande eficiência e, em 1918,entrega ao seu sucessor em situação de notável estabilidade. Fayol sempre afirmou queseu êxito se devia não só às suas qualidades pessoais, mas aos métodos que empregara.Exatamente como Taylor, Fayol procurou demonstrar que, com previsão científica emétodos adequados de gerência, os resultados desejados podem ser alcançados. Sua teoria da Administração está exposta em seu famoso livro "AdministraçãoIndustrial e Geral", publicado em 1916 e, basicamente, está contida na proposição deque toda empresa pode ser dividida em seis grupos de funções, a saber:1) Funções técnicas, relacionadas com a produção de bens e serviços da empresa.2) Funções comerciais, relacionadas com a compra e venda. 24
    • 3) Funções financeiras, relacionadas com a procura e gerência de capitais.4) Funções de segurança, relacionadas com a proteção e preservação dos bens e daspessoas.5) Funções contábeis, relacionadas com os inventários, registros, balanços e estatísticas.6) Funções administrativas, relacionadas com a integração de cúpula das outras cincofunções. As funções administrativas coordenam e sincronizam as demais funções daempresa, pairando sempre acima delas. Nenhuma das cinco funções essenciais tem o encargo de formular o programa geralda empresa. Essa atribuição compete à 6a função, a função administrativa que constitui,propriamente, a Administração.Para deixar claro essa função coordenadora, Fayol assim define o ato de administrar:1) Prever: visualizar o futuro e traçar o programa de ação.2) Organizar: constituir o duplo organismo da empresa, material e social.3) Comandar: dirigir e orientar o pessoal4) Coordenar: ligar, unir, harmonizar todos os atos e todos os esforços coletivos.5) Controlar: verificar que tudo ocorra de acordo com as regras estabelecidas e asordens dadas. Segundo Fayol, a Administração não se refere apenas ao topo da organização: existeuma proporcionalidade da função administrativa, que não é privativa da alta cúpula,mas, ao contrário, se distribui por todos os níveis hierárquicos. Segundo ele, tudo emAdministração é questão de medida, de ponderação e de bom senso. Os princípios queregulam a empresa devem ser flexíveis e maleáveis, e não rígidos.São princípios fundamentais de Fayol:1) divisão de trabalho;2) autoridade e responsabilidade; 25
    • 3) disciplina;4) unidade de comando;5) unidade de direção;6) subordinação dos interesses individuais ao interesse geral;7) remuneração justa ao pessoal;8) centralização;9) linha de autoridade;10) ordem;11) equidade;12) estabilidade do pessoal;13) iniciativa e;14) espírito de equipe. A Teoria Clássica de Fayol concebe a organização em termos de estrutura, forma edisposição das partes que a constituem. Assim, a estrutura e a forma de organizaçãomarca a essência da Teoria Clássica, como concebida por Fayol.Estágio Atual da Gestão Organizacional Analisando o trabalho nas organizações, Laurie Mullins identificou algunssubsistemas que garantem que as atividades das organizações sejam desempenhadascomo um todo e dirigida para o alcance das metas e objetivos:Tarefa – São as metas e os objetivos da organização;Tecnologia – É a maneira pela qual as tarefas serão desempenhadas;Estruturas – Padrão da organização, relacionamentos formais e canais de comunicação;(hierarquia) 26
    • Pessoas – Envolvem as atitudes, comportamento, habilidades, atributos, estilos deliderança, etc.Ambiente – É o todo, tanto os externos quanto os internos.Prioridade para a preocupação com as pessoas e os grupos sociais, ou seja, dos aspectostécnicos formais para os aspectos psicológicos e sociológicos. A crítica relativa à influência negativa que os conceitos Taylor e Fayol tiveram nagestão de empresas - mais especificamente nas indústrias - pode ser claramenteobservado no filme de Carlitos: "Tempo Modernos".Dessa forma, tanto as teorias desenvolvidas por Taylor, como as de Fayol, sofreramcríticas por serem eminentemente mecanicistas e, até mesmo, motivadas no sentido daexploração do trabalhador, como se fora uma máquina. Principalmente a partir dacontribuição de psicólogos e sociólogos, iniciada com Elton Mayo e Mary Parker Follet,surgem outras escolas de Administração, a começar pela Escola de Relações Humanas.A partir daí, as teorias de Taylor são vistas como distorcidas, do ponto de vista dotrabalhador, considerado uma simples peça no processo de produção e submetido a umasupervisão policialesca. Por outro lado, não corresponde à verdade o conceito genéricode que o trabalhador não tem outros interesses e motivações senão os representados pelarecompensa financeira. Da mesma forma se estendem as críticas às teorias de Fayol, às quais se nega acomprovação da validade dos princípios estabelecidos, pela ausência de trabalhosexperimentais.Abordagens Humanística, Neoclássica e Estruturalista da Administração.Esse trabalho descreve as razões que fizeram surgir e as características da AbordagemHumanística, a partir das suas duas escolas, a Escola das Relações Humanas ou Teoriadas Relações.Humanas e a Escola do Comportamento Organizacional ou Teoria Comportamental eainda há o Desenvolvimento Organizacional que é um desdobramento da abordagem 27
    • comportamental. A Teoria Neoclássica que veio como uma reafirmação da TeoriaClássica na estrutura organizacional, com mais objetivos e resultados, pois os clássicostinham um sistema muito fechado e acabaram sofrendo com a falta de trabalhosexperimentais. A Teoria da Burocracia vem para ajudar para melhorar as complexidadesna organização. E finalmente surge a Teoria Estruturalista, trazendo uma analise intra-organizacional e uma abordagem de sistema aberto tentando conciliar ideias clássicascom ideias humanísticas. A primeira Abordagem Humanística é a Teoria das RelaçõesHumanas, que teve como seus principais precursores Elton Mayo (1880-1949), queatravés do estudo de Hawthorne, demonstra as relações sociais do trabalho e Kurt Lewin(1890-1947), que foi o precursor da dinâmica de grupo, estudo de pequenos grupos e aimportância da interação individual. Ela surgiu como uma teoria de combate e oposiçãocerrada a Teoria Clássica. A Teoria das Relações Humanas não reconheceu ou negoutodos os conceitos da Teoria Clássica como o estudo de tempo e movimento, osprincípios gerais da administração, a organização informal, autoridade eresponsabilidade, unidade de comando, eficiência, hierarquia, departamentalização eetc. Ela também surgiu com o intuito de humanizar e democratizar a administração, dedesenvolver as ciências sociais e ainda como uma consequência imediata dasconclusões obtidas por Elton Mayo de sua experiência em Hawthorne.Características: Tem como principais características, a transferência de ênfase nas tarefas para ênfasenas pessoas, de princípios técnicos e formais para aspectos psicológicos e sociológicos,ênfase na psicologia no estudo das organizações, adoção de conceitos humanísticos,como: grupo social, dinâmica de grupo, motivação, comunicação, liderança emsubstituição aos conceitos técnicos até então utilizados e o foco na organização informale nos grupos sociais. O conteúdo do PLT e os artigos indicados OrganizaçõesMecanistas x Organizações flexíveis: existiria um meio termo? E Teoriasadministrativas: as evoluções em decorrência das necessidades mostram que cada teorianão surgia com aspectos perfeitos, havia vários fatores a serem melhorados ouaperfeiçoados. A Abordagem Humanística, por exemplo, que através das Teorias dasRelações Humanas e da ênfase nas pessoas, não reconhecia de maneira alguma os 28
    • aspectos estruturais da Teoria Clássica. E acabou acarretando num descrédito muitogrande a Escola das Relações Humanas, apesar disso, ela teve a sua importância dandosomente ênfase as pessoas, com a liderança, a comunicação, a organização informal, adinâmica de grupo, entre outros. Alguns anos depois nasce a Teoria Comportamental, descendente direta da Teoriadas Relações Humanas; ela traz novas ideias comportamentais, mais continua negandoos aspectos estruturais. Dentro da Abordagem Comportamental surgi a Teoria doDesenvolvimento Organizacional, com um sistema mais aberto, com um pensamentodiferenciado das outras teorias, procurando promover uma mudança planejada nasorganizações. A Teoria Neoclássica surgiu com novas ideias, objetivos e resultados naestrutura organizacional, ela traz melhoramentos para os conceitos e princípios daTeoria Clássica. A Teoria da Burocracia, também tem suas várias limitações, mas é ateoria que consegue lidar melhor com os problemas organizacionais. A TeoriaEstruturalista acabou surgindo, de um desdobramento da Teoria Burocrática, trazendovárias melhorias nas suas ideias e conceitos. 29
    • QUADRO COMPARATIVO QUADRO COMPARATIVO: QUAIS AS PRINCIPAIS PROPOSTAS DAS TEORIAS DA ADMINISTRACAO E COMO SÃO UTILIZADAS NOS DIAS ATUAIS Teoria Principais Principais Ideias Como o Exemplo de Estudiosos homem utilização nos (trabalhador) dias atuais era consideradoAdministração Taylor, Henry Linha de montagem Empíricos Procedimen-Cientifica Grant, Morris Principios de Planejamento tosCientificos Cooke, Frank e Principios de Preparo dos LilianGilbreth trabalhadores Principios de controle Principios de execuçãoTeoria Frederick O homem passou a ser visto comoClássica Winslow Taylor, um ser social, até então, era visto de Henri Fayol forma mecânica econômica.Teoria das Mantem-se a ordem, mais com O homem Garantia dosRelações justiça, estabilidade dos passou a ser direitosHumanas funcionários, com iniciativa e visto como trabalhistas. espírito de equipe. um ser social.Teoria Peter  ênfase na prática da administraçãoNeoclássica Drucker,Willian administração; moderna Newman, Ernest  reafirmação relativa das Dale, Ralph proposições clássicas; Davis, Louis  ênfase nos princípios gerais de Allen e George gestão; Terry  ênfase nos objetivos e resultados.
    •  OsModelo Max Weber È voltada pela racionalidade e burocratas Inventam LeisBurocrático busca eficiência. geralmente e Burocracias são que não serve Organizados, pra nada, formal, respeitam a hierarquia,Teoria Chiavenato inter-relacionar as organizações a pessoa que organizaçãoEstruturalista com o seu ambiente externo, que é a desempenha como sendo sociedade maior, ou seja, a diferentes um sistema sociedade de organizações. papéis em aberto. várias organizaçõesTeoria Herbert A. A decisão é muito mais importanteComportament Simon do que a ação subsequente.alTeoria do Blake moutun Passou a ver a organização como Parte DesenvolvimeDesenvolvime todo, assumindo uma abordagem fundamental ntonto sistêmica. para o organizacional,Organizacional desenvolvim parcial ento da democrático . organizacao.Tecnologia da Suécia, Cingap administrar e manter a gestão da reduziu custosInformação ura, Dinamarca, informação através de dispositivos e e acelerou a Suíça e Estados equipamentos para acesso, operação produção Unidos, e armazenamento dos dados, de dos jornais e forma a gerar informações para possibilitou a tomada de decisão. formação instantânea de redes televis
    • ivas de âmbito mundia l. [Teoria A Teoria Matemática é a queMatemática proporcionou modelos para atender a tais necessidades. Exemplo:Operações, Serviços, Qualidade, Estratégia de operações e Tecnologia.Teoria de Ludwig conjunto de elementos Peça SistemaSistemas vonBertalanffy interdependentes que interagem fundamental operacional,. com objetivos comuns formando para o um todo,. sistema,.Teoria da Enfatiza,que não a nada de absolutoContingência nas organizações, tudo é relativo, tudo depende, pois existe uma relação funcional,entre as condições do ambiente e técnicas admistrativas, para o alcance eficaz dos objetivos das organizações,.Estratégia Porter, São as metas/objetivos a curto,Organizacional médio e longo prazoNovaResposta:_______
    • ConclusãoConclui-se que as organizações estão passando por processos cada vez mais flexíveis degestão valorizando acima de tudo o capital humano e buscando sempre novas estratégiasde crescimento e inovações tecnológicas para enfrentar um mercado cada vez maiscompetitivo e globalizado.Analisando as teorias administrativas e a evolução das mesmas, conclui-se que asproposições não são antagônicas, mas se completam. Assim, cada instabilidadeencontrada nessas tem sido aprimoradas por novas teorias posteriores, desenvolvidas atéos dias atuais, adaptadas ao cenário vigente de sua formulação. Podemos concluir que aspráticas administrativas têm carecido e buscado a união dos pontos positivos de cadateoria, adaptando essas ao cenário vigente e acrescendo à essas praticas o toque da arteadministrativa que todo organização necessita. 33