Fundamentos De Burocracia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Fundamentos De Burocracia

on

  • 41,262 views

texto sobre burocracia

texto sobre burocracia

Statistics

Views

Total Views
41,262
Views on SlideShare
36,652
Embed Views
4,610

Actions

Likes
2
Downloads
368
Comments
2

5 Embeds 4,610

http://www.diegolopes.com.br 4524
http://www.slideshare.net 73
http://webcache.googleusercontent.com 7
http://www.culturalivre.com 4
http://www.google.com.br 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Fundamentos De Burocracia Fundamentos De Burocracia Presentation Transcript

  • MARCOS MENDES MILENA MENDES Fundamentos de Burocracia
  • Introdução
    • Uma das primeiras aplicações do termo Burocracia data do século XVIII , onde o termo era carregado de forte conotação negativa, designando aspectos de poder dos funcionários de uma administração estatal aos quais eram atribuídas funções especializadas, sob uma monarquia absoluta. Essa definição se encaixa de forma muito próxima àquela hoje utilizada na linguagem comum: a Burocracia como sinônimo de excesso de normas e regulamentos, limitação da iniciativa, desperdício de recursos e ineficiência generalizada dos organismos estatais e privados.
  • Introdução
    • Há uma influência recíproca entre capitalismo e burocracia. Sem a organização burocrática, a produção capitalista nunca teria sido realizada. Por outro lado, a base econômica capitalista é essencial para o desenvolvimento da administração burocrática.
    • Portanto, a palavra "burocracia" tem, no nosso dia-a-dia, um sentido pejorativo. Chamamos de burocracia o exagero de normas e regulamentos, a ineficiência administrativa, o desperdício de recursos. No entanto, para a sociologia, esse termo tem um sentido especial. Desde que passou a ser usado por Max Weber (1864 –1920), designa um modelo específico de organização administrativa.
  • Origem
    • A burocracia teve a sua origem nas mudanças religiosas verificadas após o Renascimento. O sistema de produção, eminentemente racional e capitalista originou de um novo conjunto de normas sociais morais, denominada de "ética protestante". Weber verificou que o capitalismo e a ciência moderna constituem três formas de racionalidade que surgiram a partir dessas mudanças religiosas ocorridas inicialmente nos países protestantes ( Inglaterra e Holanda).
  • Conceito
    • Burocracia é um sistema de controle social baseado na racionalidade ( adequação dos meios para se alcançar os fins) tendo em vista a eficiência na obtenção dos resultados esperados.
  • Max Weber
    • Sociólogo alemão considerado o fundador da Teoria da Burocracia.
    • Considerou a burocracia como um tipo de poder; para estudar as sociedades. Partiu que os seus tipos de poder e de autoridade vem das pessoas, é inerente; que implica força, imposição de normas e arbítrios.
    •  
  • Tipos de Poder
    • Tipos de poder, conforme Weber :
    • - tradicional : onde predominam características patriarcais e patrimonialistas;
    • - carismático : predominam características místicas e personalísticas; há seguidores, devoção, autenticidade;
    • - legal ou burocrático : predominam normas impessoais e hierárquicas, como no exército, repartições públicas etc.
  • Tipo Ideal de Burocracia
    • O tipo ideal de burocracia, segundo Weber, apresenta sete dimensões principais:
      • Formalização
      • Divisão do Trabalho
      • Princípio da Hierarquia
      • Impessoalidade
      • Competência técnica
      • Separação entre Propriedade e Administração
      • Profissionalização do Funcionário 
  • Teoria Burocrática (1)
    • TEORIA BUROCRÁTICA
    • A Teoria da Burocracia concebida por Max Weber, é imediatamente posterior às teorias Clássica e das Relações Humanas, teve como ponto forte de origem a necessidade de uma abordagem generalista e integrada das organizações, fator praticamente não considerado pelas teorias anteriores.
    • De um lado, a Teoria Clássica, com suas suposições extremamente negativas em relação à natureza humana, pregava uma administração centralizadora, total e exclusivamente responsável pela organização e uso dos recursos da empresa, padronizando as atividades e controlando-as através da persuasão, coação, punições e recompensas marginais.
    • De outro, a Teoria das Relações Humanas considerava o homem como sendo o maior patrimônio das organizações, sendo motivado a produzir por sua própria natureza, pregando a descentralização e a delegação, a auto-avaliação e a administração participativa.
  • Teoria Burocrática (2)
    • Weber, baseado em princípios protestantes, foi quem primeiro definiu a Burocracia não como um sistema social, mas como um tipo de poder suficiente para a funcionalidade eficaz das estruturas organizacionais, sejam estas pertencentes ao Governo ou de domínio econômico privado.
    • A característica principal da Burocracia, segundo Weber, reside na racionalidade do ponto de vista das atividades desempenhadas na organização. A Teoria Clássica já abordava certa racionalidade, porém esta se manifestava apenas na mecanização dos processos e não na mecanização das atividades dos indivíduos.
    • Na Burocracia a liderança se dá tipicamente calcada em regras impessoais e escritas e através de uma estrutura hierárquica; o poder é legítimo e depende exclusivamente do grau de especialidade e competência técnica de quem o detém.
  • Elementos B ásicos
    •   Autoridade
    • Poder
    • Hierarquia
    • Disciplina
    • Ordem
    • Controle
  • Vantagens
    • previsibilidade do funcionamento;
    • univocidade de interpretação;
    • padronização de rotinas e procedimentos;
    • redução de conflitos;
    • subordinação natural aos mais antigos;
    • confiabilidade nas regras do negócio;
    • hierarquia formalizada;
    • precisão na definição de cargos e operações
  • Desvantagens
    • Para Weber, a burocracia é uma organização cujas conseqüências desejadas se resumem na previsibilidade do seu funcionamento no sentido de obter a maior eficiência da organização.
      • 1- Internacionalização das regras e exagero apego aos regulamentos;
      • 2- Excesso de formalismo e de papelório;
      • 3- Resistência a mudanças;
      • 4- Despersonalização do relacionamento;
      • 5- Categorização como base do processo decisorial;
      • 6- Superconformidade às rotinas e procedimentos;
      • 7- Exibição de sinais de autoridade;
      • 8- Dificuldade no atendimento a clientes e conflitos com o público.
  • Conclusões
    • O controle do gerente sobre os supervisores tornou cerrado o controle sobre os operários. Estes passaram a modificar substancialmente as suas atitudes para com a organização. A supervisão fechada desenvolvida por Peele passou a encerrar a administração dentro de um círculo vicioso:
    • 1. o supervisor exercer uma supervisão cerrada e sob pressão sobre o operário;
    • 2. o supervisor passa a receber o operário como uma pessoa não-motivada para o trabalho;
    • 3. o supervisor passa a vigiar e a controlar com mais pressão o operário para obter dele maior rendimento;
    • 4. esse cerco e essa pressão despertam o rancor ou a apatia no operário;
    • 5. o supervisor passa a perceber mais intensidade o operário como uma pessoa não-motivada para o trabalho.
  •  
  • Fontes
    • Este texto é de Autoria de Cristiane Yuka®
    • Obtido em http://paginas.terra.com.br/arte/yuka/burocracia.htm
    • Trabalho apresentado ao Departamento de Economia e Administração da Universidade Católica de Pernambuco a título de exigência da cadeira de Administração Geral II, turma ME64 G-711 sob a orientação do professor José Baia.
    • Recife, 12 de março de 2001.
    • BIBLIOGRAFIA
    • CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. Vol. II. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1979.
    • Teoria Geral da Administração . 2º edição Editora Atlas MERTON, R. K. "Estrutura burocrática e personalidade". Sociologia da Burocracia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.
    • WEBER, Max. "Os fundamentos da organização burocrática". Sociologia da Burocracia. Rio de Janeiro: Zahar