Trabalho Escrito PETIC
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Trabalho Escrito PETIC

on

  • 619 views

 

Statistics

Views

Total Views
619
Views on SlideShare
602
Embed Views
17

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

3 Embeds 17

http://petic-marinha.blogspot.com 14
http://www.slideshare.net 2
http://www.petic-marinha.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Trabalho Escrito PETIC Document Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONASPLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DA ESTAÇÃO NAVAL DO RIO NEGRO Leonardo Alexandre Sales Marcos Felipe Pessoa Rafael do Nascimento Almeida Rodrigo Azevedo da Csota Tiago Lahan da Silva Manaus – AM 2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS 1
  • 2. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DA ESTAÇÃO NAVAL DO RIO NEGRO Trabalho solicitado pelo professor Rogério Nascimento da disciplina de PETIC para obtenção de nota parcial referente ao 4º período. Manaus – AM 2010 2
  • 3. SUMÁRIO1. Apresentação ............................................................................................................... 4 1.1 Apresentação Formal da Organização ........................................................... 4 Missão, Visão, Valores .................................................................................. 4 Objetivos Organizacionais ............................................................................. 5 Estrutura Organizacional ............................................................................... 6 1.2 Estado da Arte em TIC .................................................................................. 7 1.3 Metodologia de Análise do PETIC ................................................................ 9 1.4 Cenário desejado para TIC na Organização ................................................. 102. Desenvolvimento ....................................................................................................... 11 2.1 Dados ........................................................................................................... 11 2.2 Hardware ...................................................................................................... 12 2.3 Gestão de Pessoas ........................................................................................ 14 2.4 Software ...................................................................................................... 16 2.5 Telecomunicações ........................................................................................ 183. Conclusão .................................................................................................................. 19 3.1 Gráfico de Custo x Importância ................................................................... 20 3.2 Diagrama de Gannt ...................................................................................... 24Anexo 1 .......................................................................................................................... 25Anexo 2 .......................................................................................................................... 26 3
  • 4. APRESENTAÇÃO1.1 APRESENTAÇÃO FORMAL DA ORGANIZAÇÃO A Estação Naval do Rio Negro existe para fins militares, ou seja, age de formacomplementar juntamente com Aeronáutica e Exército para atender as necessidades do país queenvolve garantir e auxiliar na segurança do patrimônio nacional e guarnecer a soberania dosrios da Amazônia. A ENRN, como qualquer outra organização militar, obedece a uma hierarquia bemdividida entre os seus membros. Sua divisão está relacionada à antiguidade militar, ou seja, oindivíduo com mais alto grau de patente no escalão é o superior. Dessa forma, o Comandante éo responsável pela Estação Naval, os Tenentes são dirigidos aos departamentos e divisõesespecíficas e, cada divisão possui seções em que pode haver Sargentos ou Tenentesresponsáveis. A Estação Naval do Rio Negro atua em um ramo de cunho militar, ou seja, preza pelapreservação e manutenção da integridade e defesa da pátria. Ao longo dos anos a Estação Navaldo Rio Negro vem alcançando seus objetivos de forma clara e concisa, atuando na faixa defronteira e nos trechos de rios da Amazônia.MISSÃO, VISÃO, VALORES DA ORGANIZAÇÃO. • Missão A Estação Naval do Rio Negro busca preparar e empregar o Poder Naval, a fim de contribuir para zelar pela defesa da Pátria, garantir os poderes constitucionais e, por iniciativa destes, da lei e da ordem. • Visão Atuar como uma Força moderna, equilibrada e balanceada, deverá dispor de meios navais, aeronavais e de fuzileiros navais compatíveis com a inserção político- estratégica do nosso País no cenário internacional. • Valores o Assegurar a integridade pessoal e militar do indivíduo; o Colaboratividade; 4
  • 5. o Preservar e manter as forças de combate; o Compromisso com a soberania nacional.OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS: Objetivo Nº do Objetivo Executar operações navais, aeronavais, de fuzileiros navais e 1 terrestres de caráter naval Apoiar as Unidades e Forças Navais, Aeronavais e de Fuzileiros 2 Navais, subordinadas ou não, em operação na Amazônia Ocidental Executar as atividades estabelecidas no Sistema de Mobilização 3 Marítima, no que lhe couber Executar atividades de Inteligência e de Contra-Inteligência 4 Acompanhar o tráfego fluvial 5 Controlar as atividades relacionadas com a segurança da 6 navegação fluvial e lacustre Coordenar e controlar as atividades de Patrulha Fluvial, 7 Inspeção Naval e Socorro e Salvamento nas hidrovias interiores Cooperar para a preservação e utilização racional das águas 8 interiores Executar as atividades estabelecidas na Lei do Serviço Militar 9 Concorrer para a manutenção da Segurança Interna em 10 coordenação com as demais Forças Singulares Apoiar o pessoal militar e civil da Marinha e seus dependentes 11 Colaborar com as atividades de Defesa Civil 12 Estimular e apoiar as atividades de interesse do Poder Marítimo 13 Orientar, coordenar e controlar as atividades de Assistência 14 Cívico-Social às populações ribeirinhas Exercer as atribuições relativas a Comando Controlador 15 (COMACO) e Comando Redistribuidor (COMARE) das Organizações Militares (OM) subordinadas Exercer as atribuições relativas ao Setor de Distribuição de 16 Pessoal (SDP) em relação às OM subordinadasTabela 1 5
  • 6. 6
  • 7. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL A estrutura organizacional do CPD da Estação Naval do Rio Negro – ENRN foielaborada com base na hierarquia existente a fim de prover um cumprimento administrativofuncional. Esta estrutura faz parte de uma divisão maior, vide Anexo 2. A Figura 1 a seguirmostra a divisão da parte de Tecnologia da Informação da ENRN. ENRN – 12 1TN Soares Divisão de Tecnologia da Informação e Comunicação ENRN – 12.1 SO Augusto Centro de Concentração Postal ENRN – 12.2 SG Eronaldo Estação Rádio ENRN – 12.3 2TN Bruno Centro de Processamento de Dados ENRN – 12.4 1SG Devanei Seção de TelefoniaFigura 1. Organograma da Divisão de Tecnologia da Estação Naval do Rio Negro QUADRO DE PESSOAL – CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS POSTO FUNÇÃO 1º TN Anderson Soares Encarregado de Divisão de Comunicação e Processamento de Dados 2º TN Bruno Lourenço Encarregado do CPD 3º SG Adeilton Supervisor do CPD - 123 CB-PD William Responsável pelo hardware, rede e web – 1023 CB-PD Johnny Responsável pela conectividade – 1231 CB-EO Álvaro Responsável pelo CFTV – 1232 MN-QPA João Paulo Marinheiro MN-RC Oliveira Recruta Tabela 2. Quadro de Pessoal do CPD 7
  • 8. 1.2 ESTADO DA ARTE EM TIC Tendo em vista a análise feita a partir dos processos críticos existentes na organização,chegamos à conclusão que novas tecnologias devem ser aplicadas. As novas tecnologias sãolistadas a seguir: 1.2.1 Programa 5S Para a melhora do ambiente de colaboração e visando algo mais duradouro, umaalternativa é a implementação do Programa 5S, baseado em cinco sensos que são: Utilização,Organização, Limpeza, Saúde e Auto-disciplina. Visa aumentar a qualidade do ambienteprofissional através de técnicas e costumes que valorizam o profissional e seu ambiente detrabalho melhorando o desempenho do grupo. O propósito do Programa 5S é melhorar a eficiência através da destinação adequada demateriais (separar o que é necessário do desnecessário), organização, limpeza e identificação demateriais, espaços e a manutenção contínua do próprio programa. Os principais benefícios da metodologia 5S são:  Alocação correta de recursos materiais;  Redução de despesas e melhor aproveitamento de materiais. O acúmulo excessivo de materiais tende à degeneração;  Melhoria da qualidade de produtos e serviços;  Padronização de comportamento, valores e práticas favoráveis à saúde física, mental e ambiental.  Realização das atividades na ordem certa, evitando retrabalho. 1.2.2 Plano de Ação Tem a função de organizar as tarefas das pessoas, em especial dos subordinados.Através dele sabe-se o que cada um estará desenvolvendo ou trabalhando até determinada datae desta maneira cobrar resultados. 1.2.3 Seguro de Equipamentos Na marinha, especificamente no CPD, se faz necessário o seguro de equipamentosmóveis de informática, que é voltado para profissionais e organizações que necessitam protegersua ferramenta de trabalho. Coberturas como: roubo, furto qualificado, danos de causa externae danos elétricos. 8
  • 9. Institui-se uma reserva orçamentária denominada “Seguro de equipamentos móveis deinformática” que dá cobertura exclusiva aos equipamentos portáteis de informática,equipamentos móveis, estacionários e eletrônicos pertencentes à Estação Naval do Rio Negro.O seguro deve cobrir equipamentos incorporados ao patrimônio ou cadastrados como bens deterceiros/convênios. A utilização dessa reserva pode abranger todas as OM’s dentro do 9º Distrito Naval e ovalor máximo a ser coberto pelo seguro será de R$ 3.000,00 por equipamento, mas não cobregastos com manutenção e consertos de equipamentos. 1.2.4 Reciclagem de equipamentos Trata-se da reutilização de equipamentos considerados obsoletos. Tais equipamentospodem ser recuperados se as devidas providências forem tomadas. Assim, eles ainda podem serutilizados em: cursos internos ou instrução de novatos no setor do CPD. 1.2.5 Utilização de Software Livre (BR Office) Tem-se a idéia de migração da rede da ENRN de Windows para Linux. Dessa forma, autilização de softwares livres se faz necessária, pois como a plataforma será livre, asfuncionalidades e devem obedecer a esta regra.1.3 METODOLOGIA DE ANÁLISE DO PETIC 9
  • 10. A metodologia de análise para fazer o Plano Estratégico da Tecnologia de Informação eComunicação (PETIC) tem como objetivo fazer com que os alunos elaborem um planejamentoestratégico de tecnologia de informação em diferentes órgãos ou empresas. A PETIC tem como propósito auxiliar a organização a atingir suas metas através doplanejamento estruturado de suas TIC, produzindo mais, com menos esforço. Em nosso trabalho de PETIC houve a divisão das cinco grandes áreas (Pessoas,Software, Hardware, Dados e Telecomunicações), para nosso grupo composto de cincomembros, dessa forma, os responsáveis por cada processos são: Rodrigo Azevedo (Pessoas),Rafael Almeida (Software), Tiago Lahan (Hardware), Leonardo Sales (Dados) e Marcos Felipe(Telecomunicações). Para que conhecêssemos o ambiente a ser pesquisado foram realizadas três entrevistas aprimeira no dia 08/09/2010 com os membros Rodrigo Azevedo, Rafael Almeida e TiagoLahan. A entrevista, com o responsável do CPD 2º TN Bruno Lourenço e o supervisor 2º SGAdeilton, durou aproximadamente duas horas. Nesse primeiro momento tomamosconhecimento geral da organização: atividades realizadas, objetivos, missão, visão, valores ecomo funcionam os processo de cada grande área. Após essa entrevista foi feita uma reunião com todos os membros do grupo para quepudéssemos trocar, transmitir e pesquisar sobre os processos da organização. Dessa forma,além de saber como funcionava a sua área, todos sabiam como funcionava a organização em si.Cada membro montou seu catálogo de processos e fez um resumo de como era organizada cadaárea. A segunda entrevista ocorreu no dia 24/09/2010, que contou com a presença de todos osmembros do grupo. Nessa entrevista, fomos com dúvidas sobre os processos existentes,procuramos saber como era a estrutura organizacional e quais eram os envolvidos em cadaprocesso. A terceira entrevista ocorreu no dia 08/10/2010. Nesse momento, nós já tínhamos umaidéia mais concreta de como verificar e analisar os processos. A entrevista foi conduzida pelo1º TN Anderson Soares, responsável pela Divisão de Tecnologia da Informação e Comunicaçãoque envolve a Concentração Postal, Estação Rádio, CPD e Seção de Telefonia. Nesse últimomomento conversamos sobre os processos que consideramos críticos na organização e, otenente, nos informou como funcionava cada processo, a relevância de cada um, e quem era oresponsável. A partir das informações coletadas nas entrevistas estabelecemos o nível de maturidadede cada processo, montamos o organograma funcional e o gráfico de custos envolvendo osprocessos críticos. 10
  • 11. 1.4 CENÁRIO DESEJADO PARA A TIC NA ORGANIZAÇÃO Tendo em vista a análise feita a partir dos processos críticos existentes na organização,chegamos à conclusão que a melhoria de tais processos deve ser feita a partir de: • Implantação de programas auxiliares (Pessoas); • Desenvolvimento de Softwares e Utilização de BR Office (Software); • Reutilização de computadores para treinamento (Hardware). Na área de Pessoas, o cenário desejado se dá pela necessidade de qualificação dosservidores que trabalham no departamento de Tecnologia da Informação, pois, muitos aderemao setor sem nenhum conhecimento prévio. Dessa forma, cursos de qualificação em Montageme Manutenção de Micros e, Montagem de Redes de Computadores atenderiam as necessidades. Na área de Software, o gasto que é feito com licenças para o uso de softwareproprietário é grande e, poderia ser investido em outras áreas ou qualificações. Assim, deseja-seque seja criado um corpo de profissionais voltados para o desenvolvimento de aplicativos queserão usados internamente. Ainda sobre Software, o ideal é que os servidores da ENRN migrem para Linux por terapresentado melhor performance no quesito segurança testes realizados. Na área de Hardware, será estabelecido um contrato com a empresa de seguros deequipamentos para que haja prevenção quanto a algum acidente que prejudique o andamentodas operações militares. O uso de PDA’s com sistema de GPS integrado para auxiliar na defesae monitoração dos rios da Amazônia e, ainda, ajudar na comunicação entres os integrantes, hajavista que tal comunicação só é feita por sinal de rádio. No pilar de Telecomunicações, por ser tratar de uma área bem estruturada, vimos que éuma área que se encontra próxima do que dizemos ser ideal. Ou seja, atende as necessidades daorganização de maneira segura, e com grande usabilidade. A área de Dados encontra-se bem estruturada, pois a maioria de seus processos têmgrande usabilidade. Portanto, para que se chegue ao cenário desejado, deve-se fazer inspeçõessemestrais para que se avalie e melhore os processos envolvidos. 11
  • 12. 2. DESENVOLVIMENTO2.1 DADOS Os dados e as informações constituem um conjunto integrado de elementos relacionadoslogicamente, consolidando registros previamente armazenados em arquivos separados em umafonte comum de registro de dados que fornece dados para muitas aplicações (O´BRIEN, 2009). Na Estação Naval do Rio Negro estes dados e informações estão assim distribuídas emsubáreas de armazenamento, backup, segurança e privacidade. A área de Dados e Informações possui uma base estruturada, pois, é uma organizaçãomilitar com abrangência nacional e, assim, a preocupação com estes processos são grandes umavez que devem ser satisfatórios em questões de usabilidade. Na rede, cada usuário tem sua pasta, assim todos os arquivos e documentos que esteprecisa sempre estará à disposição. Dois discos rígidos externos são utilizados para aoarmazenamento temporário dos usuários. A partir das informações coletadas através das entrevistas, estabelecemos o catálogo deprocessos associado aos objetivos da organização juntamente com o nível de maturidade decada processo. Conforme a Tabela 3 abaixo:Catálogo de Processos - DadosID Sub. Área Maturidade Objetivos1.1 Armazenamento Banco de dados 3 2,3,51.1.1 Data Warehouse 3 4,5,71.1.2 Unificação do DB 3 2,6,7,91.1.3 Disponibilidade do servidor 4 1,2,4,6,81.1.4 Escalabilidade 3 1,2,3,5,6,81.2 Backup Disposição de Discos Rígidos 3 10,12,141.2.1 Política de backup 3 6,7,11,121.3 Segurança e Privacidade Encriptação 4 5,9,12,131.3.1 Restrição de acesso 4 7,91.3.2 Padronização de acesso 3 14,151.3.3 Disposição de Infra-estrutura 4 3,7,12,131.3.4 Logging 4 2,3,6,8Tabela 3. Associação dos processos aos objetivos da organização com os quais estão ligados 12
  • 13. Na Tabela 3 pode ser observado o alinhamento dos processos. Dessa forma, fica clarovisualizar como cada processo influencia nos objetivos da organização. Para o armazenamento das informações, tem-se três servidores que coletam e enviamdados para as estações principais. Por isso, o tráfego dessas informações deve ser segura eeficiente. No backup dos dados, a disposição de discos rígidos é de controle do CPD para que seavalie as informações inerentes a cada setor. A Política de backup satisfaz aos interesses daENRN, pois é feita automaticamente e somente pessoal autorizado pode fazê-lo. Para montarmos o Catálogo de Processos com os níveis de maturidade de cada processoutilizamos a tabela para avaliação de Nível de Maturidade, vide Anexo 1, para todos osprocessos das 5 grandes áreas. 13
  • 14. 2.2 HARDWARE Em Hardware pode-se afirmar que todos os computadores são sistemas de componentespara entrada, processamento, saída, armazenamento e controle de dados. Neste tópico será abordada a área de Hardware, que representa os computadores e osequipamentos físicos associados, diretamente envolvidos nas funções de processamento dedados ou comunicação. O cenário do CPD da ENRN, consiste em 3 servidores locais (Novell, Lotus Notes,Servidor de Arquivos), que auxiliam no gerenciamento das informações de cerca de 120estações de trabalho que contam com máquinas novas e máquinas velhas que dificultam ocontrole de hardware. Geradores de energia auxiliam o CPD para contornar uma eventual queda elétrica paraque não possa danificar os equipamentos. No-breaks mantêm os servidores que não podemficar fora do ar por muito tempo, pois, mandam informações para a estação principal. A Tabela4 abaixo ilustra a ligação dos processos de Hardware com os objetivos da organização.Catálogo de Processos – HardwareID Sub. Área Maturidade Objetivos2.1 Compras Política de aquisição de equipamentos 3 2,3,4,5,6,102.1.1 Alocação dos equipamentos. 3 1,2,3,4,6,7,102.1.2 Dimensionamento da utilização do 3 2,3,4,7,8,10 Hardware2.1.3 Dispositivos Móveis 3 5, 6, 72.2 Manutenção Manutenção preventiva 2 2,3,4,5,6,102.2.1 Manutenção corretiva 3 2,3,4,5,14,162.2.2 Redundância de hardware 4 3,5,6,7,10,132.2.3 Qualidade de hardware 3 2,3,4,6,10,112.2.4 Reciclagem de equipamentos 0 7,9,11,12,132.3 Segurança Processo de recuperação de desastres. 3 1,2,3,4,6,7,102.3.1 Proteção contra falhas de energia 4 1,2,3,4,6,7,102.3.2 Seguro de equipamento 0 1,2,3,4,6,7,10, 162.3.3 Política de uso de equipamentos 4Tabela 4. Associação dos processos aos objetivos da organização com os quais estão ligados 14
  • 15. A Tabela 4 mostra a relação dos processos com os objetivos da organização. Essarelação foi estabelecida através de conversas com o responsável pela área de T.I para quepudéssemos fazer esta associação. Isto nos ajuda na análise de processos que são relevantespara o bom funcionamento da organização. A partir das informações da Tabela 4, montamos o Catálogo de Ações que, nos indicaquais são os processos críticos. Isto é, nível abaixo de 3 e, quais são as ações a serem tomadaspara solucionar, ou deixarem em nível de usabilidade, tais processos. A Tabela 5 a seguirilustra bem essa idéia. Catálogo de Ações ID Processo Responsável Ações Custo 2.2 Manutenção preventiva CB PB William Criação de um padrão 4 semanas com lista de procedimentos para manutenção 2.2.4 A Reciclagem de CB PD William Fazer pesquisa de 1 Semana Equipamentos empresas que ofereçam serviços de remoção de equipamentos eletrônicos usados e não funcionais 2.2.4 B Reciclagem de CB PD William Fazer licitação para a 4 semanas Equipamentos escolha da empresa que irá executar o processo de remoção dos equipamentos inutilizados 2.3.2 A Seguro de Equipamentos 1TN A. Soares Pesquisa de empresas 1 Semana 2.3.2 B Seguro de Equipamentos 1TN A. Soares Fazer licitação para a 2 meses escolha da empresa q irá assegurar os equipamentos da marinhaTabela 5. Catálogo de ações dos processos críticos com seus respectivos responsáveis. A Tabela 5 relaciona os processos críticos com os seus responsáveis e as medidas quedevem ser tomadas para que tais processos melhorem em conjunto com a organização. Estarelação ajuda na hora da construção do Gráfico de Gantt (3.2) que torna a visualização detempo e custo melhor para o diretor da organização. 15
  • 16. 2.3 GESTÃO DE PESSOAS O corpo técnico do CPD é composto por um 2º Tenente, um 3º Sargento, dois Cabos-PD, um Cabo - ET, um Marinheiro e um Recruta. Esta quantidade de pessoas é pequena comparada ao número de estações de trabalho.Atende às necessidades da ENRN na medida do possível, pois, uma pessoa fica responsável pormuitas atividades e, conseqüentemente, o desgaste aumenta. Portanto, a contribuição da pessoapara a organização fica limitada. Ao quadro profissional ingressam todos os anos recrutas, marinheiros, sargentos e,tenentes objetivando suprir essa carência e possibilitando a melhor divisão de trabalho. Comisso, vem a má lotação de pessoal causando transtorno e dificuldade de continuidade dotrabalho. O que ocorre é a falta de treinamento técnico gerando um problema, pois a evolução datecnologia de informação coloca diariamente no mercado novos produtos, transformandorecursos de dados em produtos de informação, daí a necessidade de uma constante atualização. A Tabela 6, nos mostra a ligação dos processos de Gestão de Pessoas com os objetivosda organização.Catálogo de Processos – PessoasID Sub. Área Maturidade Objetivos3.1 Cargos Divisão clara de tarefas 3 113.1.2 Recrutamento/seleção 2 123.1.3 Plano de carreira 3 10, 153.1.4 Integração entre setores 4 163.2 Conhecimento Política de treinamento /atualização 3 123.2.1 Avaliação de Desempenho 4 11, 143.2.2 Gerenciamento de talentos 1 Suporte3.2.3 Colaboração em conhecimento 3 Suporte3.3 Bem estar Ergonomia das instalações 3 13.3.1 Incentivos a manutenção da saúde 4 113.3.2 Ambiente de Colaboração 2 Suporte3.3.3 Atividades de Confraternização 3 Suporte3.3.4 Política Motivacional 2 SuporteTabela 6. Associação dos processos aos objetivos da organização com os quais estão ligados A partir das informações da Tabela 6, montamos o Catálogo de Ações que, nos indicaquais são os processos críticos, isto é, nível abaixo de 3 e, quais são as ações a serem tomadas 16
  • 17. para solucionar, ou deixarem em nível de usabilidade, tais processos. A Tabela 7, a seguir,ilustra bem essa idéia. ID Processo Responsável Ações Custo 3.2.2 Gerenciamento de talentos 1TN A. Soares Cursos em montagem e R$ 1.080,00 manutenção de micros 3.3.2 Ambiente de Colaboração 2 TN Bruno Implantação do R$ 1.000,00 Programa 5S e Criação de um Plano de Ação 3.3.4 Política Motivacional 1TN A. Soares Criação de um programa de reconhecimento profissional 3.1.2 Recrutamento/seleção 1TN A. Soares Alocação de recrutas de 3 meses acordo com conhecimento adquirido pelo mesmoTabela 7. Catálogo de ações dos processos críticos com seus respectivos responsáveis. Essa relação foi estabelecida através de conversas com o responsável pela área de T.Ipara que pudéssemos fazer esta associação. A Tabela 7 relaciona os processos críticos com os seus responsáveis e as medidas quedevem ser tomadas para que tais processos melhorem em conjunto com a organização. Estarelação ajuda na hora da construção do Gráfico de Gantt (3.2) que torna a visualização detempo e custo melhor para o diretor da organização. 17
  • 18. 2.4 SOFTWARE A estação naval segue um padrão de softwares a serem instalados nas maquinas. Essessoftwares variam de acordo com o posto/graduação do usuário da estação de trabalho. Tem-se como antivírus padrão, o McAfee, que é o antivírus usado em todas as maquinasda estação naval, por ser administrado pela rede, a sua atualização diária faz-seautomaticamente, essa operação é definida na hora da instalação e configuração das máquinasque é feita no CPD. O controle do tráfego de dados é feito na Diretoria Central de Tecnologia da Informaçãoda Marinha - DCTIM, localizada no Rio de Janeiro, lá também é onde, quando existe algumaatualização de software, eles disponibilizam e, aqui todas as máquinas são atualizadas atravésda rede ou instalação e configuração manual. O software para acesso a rede é o Novell 6.5, há um servidor para o Novell, quedisponibiliza automaticamente as atualizações da rede para as estações de trabalho. O acesso arede é definido na hora da configuração, é onde também são definidas as pastas e os programaspara cada estação. A Tabela 8 mostra a ligação dos processos com os objetivos da organização e quais osníveis de maturidade para cada um deles.Catálogo de Processos – SoftwareID Sub. Área Maturidade Objetivos4.1 Softwares em Uso Softwares Antivírus 4 9, 104.1.1 Softwares para área de Telecomunicações 3 2, 74.1.2 Softwares para área de Dados 3 24.1.3 Software de suporte para o Negocio 4 9, 114.2 Suporte Suporte de programas e Help-desk 2 2, 6, 104.2.1 Política de Licenciamento de software. 34.2.2 Desenvolvimento de Software 0 2, 4, 84.3 Analise individual dePortal de serviços internos 4 2, 8 Softwares utilizados4.3.1 BR Office 0Tabela 8. Associação dos processos aos objetivos da organização com os quais estão ligados. A Tabela 9 mostra o Catálogo de Ações para os processos críticos da área de software: 18
  • 19. ID Processo Responsável Ações Custo 4.2.2 Desenvolvimento de 2 TN Bruno Criação de um núcleo para R$ 50.000,00 Software desenvolvimento de software 4.3.1 Utilização de softwares 2TN Bruno Qualificação dos R$ 1.040,00 livres servidores do CPD com cursos em LinuxTabela 9. Catálogo de ações dos processos críticos com seus respectivos responsáveis. A criação de um núcleo para desenvolvimento de software envolve estruturação de um espaço adequado com as máquinas necessárias e pessoal treinado. 19
  • 20. 2.5 TELECOMUNICAÇÕES O pilar Telecomunicações está relacionado à quantidade de informação digitalproduzida, graças à quantidade de informações gerada pela Internet e outras ferramentas de e-business – banco de dados, sistemas de CRM e servidores de personalização. Contando comconteúdos dos websites, arquivos gráficos, de áudios e de vídeos, que de uma maneira rápidarevoluciona os negócios e a sociedade. A área de Telecomunicações é bem estruturada, pois há uma enorme preocupação comos dados que trafegam e, informações que são repassadas para outras Organizações Militares -OM’s. O responsável pela parte de segurança na rede é o CPD, pois, eles têm acesso ainformações de controle e segurança para a configuração dos computadores. Os firewalls sãoativados no momento da configuração da máquina quando esta é cadastrada na rede. Outro ponto importante é a política de acesso à Internet que deve ser segura a ponto denão permitir que sejam feitas invasões ou ocorra o vazamento de informações de forma ilícita.Cada militar tem um Número de Identificação Pessoal – NIP. Assim, verifica-se esse númerono servidor e este é validado caso seja permitido o seu acesso. A Tabela 10, mostra os processos da área de Telecomunicações relacionados aoprocesso da organização. Catálogo de Processos – Telecomunicações ID Sub. Área Maturidade Objetivos 5.1 Voz Ramais telefônicos 4 5 5.1.1 Voip 4 5 5.2 Escrita Utilização de e-mail 4 5 5.3 Rede Dimensionamento de banda 3 5.3.1 Segurança 3 4 5.3.2 Firewalls 4 4 5.3.3 Políticas de acesso a internet 4 5.3.4 Filtragem de Dados 3 4 Tabela 10. Associação dos processos aos objetivos da organização com os quais estão ligados. 20
  • 21. 3. CONCLUSÃO Após a definição de todos os processos e seus estados ideais ou satisfatórios oresponsável do CPD, o 1TN Anderson Soares, definiu as ações que seriam tomadas conforme arelevância de importância e custo. Elaborou-se o gráfico de Importância x Custo onde visualizamos quais os processoscríticos existem na organização e, sabemos qual a ordem de importância dos processos maisurgentes a serem resolvidos de acordo com a disponibilidade da organização. 21
  • 22. 3.1 GRÁFICO DE IMPORTÂNCIA x CUSTO Uma vez que todos os processos e seus estados ideais foram definidos falta definir a ordem em que as ações serão realizadas. Para isso utilizamos o Gráfico Importância X Custo que auxilia na definição das prioridades através do custo benefício. A Figura 2, abaixo, torna esta definição mais clara. Dessa forma, podemos notar as ações que tem prioridade maior e, menor custo são as que serão executadas por primeiro. 3.2.2 2.2Importância 4.3.1 3 3.3.2 2.3.2 A 2.3.2 B 2 3.3.4 2.2.4 A 2.2.4 B 3.1.2 1 4.2.2 Custo (em R$ 1000) 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 0 Custo (em meses) 0 1 2 3 4 5 Figura 2. Gráfico de Importância X Custo Tabela: Ações dos Principais Processos Críticos ID Processo Ações 2.2 Manutenção Preventiva Criação de um padrão com lista de procedimentos para manutenção 2.2.4 A Reciclagem de Fazer pesquisa de empresas que ofereçam equipamentos serviços de remoção de equipamentos eletrônicos usados e não funcionais 2.2.4 B Reciclagem de Fazer licitação para a escolha da empresa que equipamentos irá executar o processo de remoção dos equipamentos inutilizados 22
  • 23. 2.3.2 A Seguro de equipamentos Pesquisa de empresas 2.3.2 B Seguro de equipamentos Fazer licitação para a escolha da empresa que irá cobrir os equipamentos da marinha 3.2.2 Gerenciamento de talentos Cursos em montagem e manutenção de micros 3.3.2 Ambiente de colaboração Implantação do Programa 5S e Criação de um Plano de Ação 3.3.4 Política motivacional Criação de um programa de reconhecimento profissional 3.1.2 Recrutamento/seleção Alocação de recrutas de acordo com conhecimento adquirido pelo mesmo 4.2.2 Desenvolvimento de Criação de um núcleo para desenvolvimento Software de software 4.3.1 Utilização de softwares Qualificação dos servidores do CPD com livres cursos em Linux Tabela 11 O gráfico de Custo x Importância (conforme Figura 2) nos mostra de maneira maisvisível qual é a relevância de cada processo e quais os custos necessários para a realização domesmo, o custo pode ser medido em tempo (semanas, meses, anos), ou em valores de real. A análise deste gráfico se torna uma ferramenta importante para o planejamento acurto prazo, ou seja, o planejamento a curto prazo é elaborado quando queremos realizar umaadaptação as mudanças. Isto permite que se tome a decisão certa a partir dos valores fixados. 23
  • 24. 3.2 DIAGRAMA DE GANNT Uma vez definida a ordem das Ações que serão realizadas chega a hora deelaborar o Diagrama de Gannt. Este gráfico descreve de maneira visual como as atividades deum projeto devem decorrer. Para cada atividade definida no diagrama podemos visualizar uma serie útil deinformações. No diagrama podemos ver quantos e quais são os responsáveis pela atividade, oscustos estimados para sua realização, quando será sua realização e qual o tempo estimado. Esses diagramas também se provam útil como ferramenta de controle deexecução. 24
  • 25. ANEXO 1 TABELA PARA AVALIAÇÃO DE NÍVEIS DE MATURIDADENível 1 - Mínimo Sim NãoO processo existe?Funciona mesmo que de maneira instável?O processo é utilizado?Existe interesse no processo?Nível 2- Seguro Sim NãoExiste plano de contingência?O processo pode ser considerado robusto?O processo oferece riscos a outras áreas?Em caso de falha o processo pode ser resgatado?Existe Documentação do processo?Nível 3-Satisfatório Sim NãoAtende a necessidade da empresa?Agrega valor a empresa?É bem conhecido e utilizado por todos?Cumpre o que promete realizar?Está alinhado com os objetivos da empresa?Nível 4- Estado ideal do processo. Sim NãoO processo é a melhor solução em custo/beneficio?É o mais atual?É a melhor resposta para o problema? 25
  • 26. ANEXO 2 ORGANOGRAMA – ESTAÇÃO NAVAL DO RIO NEGRO ENRN – 01 Comandante ENRN – 03 ENRN – 04 Conselho Econômico Conselho de Administração ENRN – 04 Secretaria e Comunicação ENRN – 03 ImediatoENRN – 10 ENRN – 20 ENRN – 30 ENRN – 40Depto. Administração Depto. Industrial Depto. Intendência Prefeitura Naval ENRN – 11 ENRN – 21 ENRN – 31 ENRN – 41 Divisão de Pessoal Divisão de Produção Divisão de Divisão de Industrial Contabilidade Controle PNR ENRN – 12 ENRN – 22 ENRN – 42 Divisão de ENRN – 32 Tecnologia da Divisão de Controle Divisão de Divisão de Finanças Informação e de Produção Gerência de Obras Comunicações Industrial ENRN – 33 ENRN – 43 ENRN – 23 ENRN – 13 Divisão de Divisão de Projetos Divisão de Controle e Arquitetura Divisão de Serviços Abastecimento de Avarias e Gestão Gerais Ambiental 26