Something Blue (A noiva traída)
Emily GiffinPrólogoEu nasci Linda. Uma bebê perfeita, eu comecei a vida sem a cabeça achatada e cicatrizesq acontecem quan...
Bem, repondia Rachel, ajeitando seus óculos em cima do nariz e escrevendo algo em seubloco. Eu recomendo que você assista ...
continuei com meu glamour e boa vida, e rapidamente aprendi que o que era bom ,eramuito melhor em Manhattan.Eu descobri os...
Capitulo 1Soco no estômago.Foi uma das expressões que meu irmão usava quando éramos criança. Ele falava issoquando se dive...
Eu senti uma onda de de conforto, pensei comigo, de tão suave e familiar que essaspalavras eram. Rachel era uma melhor ami...
os detalhes, dizendo a ela como o caso começou, como nós tentamos parar mas nãoconseguíamos tirar as mãos um do outro.Entã...
Saia! eu gritei. Eu sei que ele está aí.Então ela saiu e eu abri a porta. E como eu sabia lá estava ele agachado e com sua...
Eu vociferei e então arremessei o relógio para ele, querendo que pegasse em seu rosto.Em vez disso bateu na parede, desliz...
Ele cruzou seus braços e me deu um olhar de sabedoria. "Darcy? ""O quê? ""Você está olhando pra esse tipo. Lembra? Eu era ...
correções femininas de Nova York. Com o cabelo cortado no estilo mullet(curto na frentee grande atrás). Eu já posso te ver...
Então, seu eu queria destruir o mundo de Rachel e Dex, suícidar-me não seria a respostatambém. O que me deixou com uma opç...
"Esse bastardo", minha mãe xingou. "E Rachel eu ainda não posso acreditar nessabandidinha. ""Dee, isso não está ajudando",...
resolver os caça palavras do Times e que pagaria a conta depois de um jantar fabuloso.Eu juro que vi tudo isso num olhar. ...
dividia o ape comigo e a garota mais bem relacionada da costa oeste. Rachel e Claireeram tão diferentes quanto Laura Ingal...
a resposta foi sim. Eu não sei. Talvez eu estivesse entediada. Talvez eu sentisse falta dosprimeiros dias de namoro quando...
A outra modelo Kimmy, que estava com uma calça de algodão rosa escrito navy 69 bemem cima de suas nádegas e com um top com...
Ok talvez nós mudassemos para Quinta avenida, mas sem me importar com os pequenosdetalhes minha vida estava escrita.Eu só ...
"Dex-ter!" Marcus falou se aproximando de nós e deu em Dex um abraço masculino, comum tapinha nas costas. "Bom te ver, car...
Eu esperei para ele dizer que Marcus me aprovou também, e como ele não disse, eu falei,"O que Marcus disse pra você no fim...
flertativa e que mostra interesse, no mínimo, mas eu não me importei. Eu queria chegaraí."Uma vez ou outra", ele disse."Va...
"Não.""Então vocês não falaram com nenhuma mulher?" Eu perguntei.Ele riu. "Você sabe que eu sempre falo com a mulheres."Eu...
Elas ficam felizes, comprometidas totalmente e para sempre. Eu acho que nesse assuntoeu era mais como os homens.Mas, apesa...
Uma certa hora começou a chover, mas nenhum de nós entrou na casa. Imediatamentenós ficamos colados um no outro, quase con...
Eu gostaria de dizer que eu estava pensando grandes e importantes coisas sobre aquiloque eu estava fazendo, o que signific...
No outro dia eu acordei com a boca seca, com gosto de tequila e dor de cabeça. Eu olheimeu relógio, passava pouco do meio ...
Ele finalmente percebeu, me olhou e rosnou "Totalmente fora do assunto, Rhode. ""Não me chame assim, eu disse, Você não me...
"Você não sente nada por mim "Eu perguntei.Foi uma armadilha, ele não podia negarqualquer sentimento por mim ou ele seria ...
"Difícil escolha"."Difícil por causa do Dex, né?" "Mas você é mais atraído por mim, né?" eu pergunteiprocurando por afirma...
"Eu sei sobre as suas medidas extremas", ele disse, apontando para um futton do ladooposto do sofá. "Pode se sentar". "Vam...
casal de ouro e acreditava que ninguém era melhor pra casar do que Dexter.Pelo menosno papel. Dex ganhava de longe do Marc...
Dex. Então, uma noite de agosto, três semanas antes do casamento, aconteceu uma coisaque me fez questionar minha decisão.E...
"E?""Eu nem sei se vou me casar", eu disse. Claro, eu tinha toda intenção de me casar maspensei que eu teria mais razão na...
apontei pra porta onde minha competidora(muito mais fraca) tinha saído. "Porque elaestava aqui? Quem é ela, falando nisso?...
"Eu ouvi. ""O que você acha disso?""Você tem certeza que quer fazer isso?""Smi, eu tenho. "Na verdade, Eu não tinha tanta ...
Marcus riu e beijou meu nariz, " sua louca. "" Sim, mas você me ama, eu disse. Diz de novo. "" De novo? eu nunca disse da ...
com quem ela visitou iglus...se é que você me entende. A espera deve ter sido agonizante.Apenas de pensar, já revira meu e...
Eu o encarei pra mostar a ele que estava falando sério.Então, eu peguei a mão dele.Marcus endureceu. " Você tem certeza qu...
"Ok. Eu sou a favor da escolha. " Eu disse num tom exagerado. "E eu escolho ter essebebê. Nosso bebê.""Bem, dá um tempo pr...
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Eg
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Eg

3,927 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,927
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
38
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Eg

  1. 1. Something Blue (A noiva traída)
  2. 2. Emily GiffinPrólogoEu nasci Linda. Uma bebê perfeita, eu comecei a vida sem a cabeça achatada e cicatrizesq acontecem quando você é forçada pelas trompas. Em vez disso, eu apareci com o narizempinado, labios carnudos e olhos castanhos expressivos. Eu tinha exatamente aquantidade certa de cabelo na cabeça, prometendo uma cabeleira maravilhosa.Com certeza absoluta, meu cabelo cresceu grosso e sedoso,da cor dos grãos de café.Todas as manhãs eu sentava com minha mãe enquanto ela enrolava meu cabelo combobs. Quando eu fui pro maternal, as outras meninas , algumas com cortes de cabeloshorríveis, imploravam para colocar seus colchõezinhos junto ao meu enquanto tirávamosuma soneca, seus dedos tentavam tocar meu rabo de cavalo. Elas alegremente repartiamsuas bonecas ou me passavam sua vez nos brinquedos.Qualquer coisa para ser minha amiga. Foi aí que eu descobri que a vida segue uma ordeme que aparência é muito importante no geral da ordem da vida.Em outras palavras euentendi na terna idade de três anos que com beleza vem regalia e poder.Essa lição só me foi reforçada enquanto eu crescia e continuava meu reinado como agarota mais bonita, aumentando amplamente minha dianteira nessa posição. Continueisendo a melhor no ginásio e no segundo grau. Mas diferentemente dos personagens dosmeus filmes preferidos de Jonh Hughes, minha popularidade e beleza nunca fizeram demim uma pessoa má. Eu arrebentava como uma ditadora benevolente, brincando de cãode guarda por cima das outras garotas populares como eu que tentavam abusar do poderdelas. Eu desafiava os clichês, tendo como minha melhor amiga , a CDF Rachel. Eu erapopular demais para fazer minhas próprias regras.Claro, eu tinha meus momentos de incerteza.Eu lembro de uma ocasião na sexta sériequando Rachel e eu estávamos brincado de "psiquiatra", uma de nossas brincadeirasfavoritas.Eu geralmente era a paciente, dizendo coisas como, Eu tenho tanto medo dearanhas, Doutora, que eu não saio da minha casa durante todo o verão.
  3. 3. Bem, repondia Rachel, ajeitando seus óculos em cima do nariz e escrevendo algo em seubloco. Eu recomendo que você assista Charlottes Web… ou se mude para Sibéria , ondenão há aranhas. E olhem isso, ela me dava duas pírulas de vitaminas Flinstones e assentiacom a cabeça me encorjando.Era desse jeito que geralmente acontecia, mas nessa tarde especificamente, Rachelsugeriu que ao invés de interpretar um papel, eu fosse eu mesma com algum problemareal da minha vida. Então eu falei sobre como meu irmão mais novo, Jeremy,monopolizava as conversas durante o jantar em família, fazendo piadas sem graça efalando de fatos sobre a vida animal. Eu confidenciei que meus pais pareciam estarsempre ao lado de Jeremy- ou ao menos eles ouviam mais a ele do que a mim.Rachel limpou a garganta por um segundo e então compartilhou comigo uma teoria sobrecomo meninos são encorajados a ser espertos e engraçados enquanto garotas são criadaspara serem bonitinhas. Ela chamou isso de armadilha perigosa e disse que pode formarmulheres vazias.Onde você ouviu isso? Eu perguntei a ela imaginando o que ela queria dizer com vazia.Lugar nenhum. É só o que eu penso, ela disse , provando que ela não ia cair na perigosaarmadilha de se tornar uma garota bonitinha. De fato, a teoria dela se aplicava muito bemna minha situação. Eu era a menina bonitinha com notas normais, Rachel era a inteligentecom as melhores notas. De repente eu comecei a sentir inveja, desejando que eu tambémfosse cheia de idéias e usasse palavras difíceis.Mas, rapidamente, eu reparei nas ondas do cabelo castanho da Rachel e me senti maissegura que eu estva do lado certo.Eu não podia achar países como Paquistão ou Peru nummapa ou converter frações em porcentagens, mas minha beleza ia me levar a um mundode Jaguares, grandes casas e jantares com 3 garfos ao lado do meu prato de porcelanachinesa. Tudo que eu tinha que fazer era casar bem, como minha mãe tinha feito. Ela nãoera muito inteligente e não tinha terminado mais de 3 semestres da faculdade , mas seurosto bonito, corpo esguio e impecável estilo fisgou meu inteligente pai, um dentista, eagora ela vive uma boa vida. Eu achava que a vida dela era a impressão do que eu queriapara mim.Então eu passei pela minha adolecência e entrei pra Universidade de Indiana com umamentalidade de viver a vida.Eu me garanti na melhor fraternidade, fiquei com os carasmais lindos, e fui considerada a melhor do Calendário Dream Girls por quatro anosseguidos. Depois da graduação com uma média de 2.9, eu segui Rachel, que continuousendo minha melhor amiga, até Nova York, onde ela fazia faculdade de direito. Enquantoela sempre estava na biblioteca e conseguiu um trabalho em uma grande firma, eu
  4. 4. continuei com meu glamour e boa vida, e rapidamente aprendi que o que era bom ,eramuito melhor em Manhattan.Eu descobri os melhores clubes, melhores restaurantes , e ossolteiros mais cobiçados, e continuava com o melhor cabelo da cidade.Passando pelos nosssos vinte poucos anos, com Rachel e eu continuando com nossosestilos diferentes, ela frequentemente colocava em jugamento a questão, você não estápreocupada com o Karma ?( Acidentalmente, ela mencionou pela primeira vez Karma noginásio depois que eu colei na prova de matemática.Eu lembro de tentar decifrar aspalavras dela usando a música "Karma Chameleon," que, claro não ajudou.) Depois euentendi o seu ponto de vista, que trabalho duro, honestidade e integridade sempre sãocobrados no fim, enquanto que viver só da sua aparência era algo ofensivo.E como no diaque brincávamos de psiquiatra, eu fiquei chateada dela estar certa.Mas, eu disse pra mim mesma que, eu não precisava ser uma voluntária na entrega desopas aos pobres para ter um bom Karma. Eu posso não ter traçado a tradicional rota dosucesso, mas eu tinha meu emprego glamuroso de RP, meu fabuloso círculo de amigos emeu maravilhoso noivo, Dex Thaler. Eu merecia meu apartamento com uma terraça noCentral park West e o diamante maravilhoso e gigantesco que eu exibia no dedoesuqerdo.Isso foi no tempo que eu pensei que eu tinha tudo certo. Eu apenas não entendia porquepessoas, particularmente Rachel, insistiam em fazer as coisas tão mais difíceis do queelas realmente eram. Ela podia até ter seguido todas as regras, mas aí estava ela, solteiraaos trinta anos, passando as noites na firma que ela trabalhava e desprezava.Enquanto isso, eu era a felizarda, como sempre tinha sido durante nossa infância. Eulembro de tentar ensina-la, dizendo pra ela injetar um pouco de graça na pacata ediciplinada vida que levava. Eu dizia coisas como Pra começar você devia se desfazerdestes sapatos comuns e comprar uns pares de Blahniks. Você se sentirá melhor comcerteza.Eu sei como isso soa superficial. Eu percebo que eu vivia de aparências, mas na época, euhonestamente não achei que estava machucando ninguém, nem eu mesma. De fato, Eununca pensei muito em nada mesmo. Sim, eu era linda e tinha sorte no amor, mas eurealmente acreditava que eu era uma pessoa decente que merecia uma boa fortuna. E eunão via nenhuma razão porque o resto da minha vida tinha que ser menos glamurosa doque foi nas primeiras três décadas.Então, aconteceu uma coisa que me fez questionar tudo que eu pensei que eu conhecia nomundo: Rachel, minha pacata e boazinha dama de honra com o cabelo frizado da cor degermen de trigo, apareceu e roubou meu noivo.
  5. 5. Capitulo 1Soco no estômago.Foi uma das expressões que meu irmão usava quando éramos criança. Ele falava issoquando se divertia com as brigas que saiam no ponto de onibus ou nos corredores danossa escola, a voz dele alta e excitada, os labios brilhando de saliva : Wham! Pow! Que soco no estômago, cara! Ele então dava um soco ávido em sua mão se sentindo feliz. Mas isso foi há anos atrás .Jeremy era um dentista agora, estagiando com meu pai, e eu tenho certea que ele nãopresencia ou recebe um soco no estômago a décadas.Eu não pensava nessas palavras há tanto tempo- até aquele memorável dia da virada. Eutinha acabado de sair do apartamento da Rachel e estava contando ao motorista do táxisobre a mnha descoberta.Uau, ele disse num sotaque forte dos Queens, sua amiga realmente lhe deu um soco noestômago, hein ?Sim, eu chorei, quase lambendo minhas feridas. Ela certamente deu. Leal,confiávelRachel, minha melhor amiga de vinte cinco anos, que sempre via meus interesses junto,ou até antes, dos dela, me deu um-Wham! Pow!- soco no estômago. Me cegou. Asurpresa da sua traição foi o que me chocou mais. O fato é que eu nunca vi chegando.Foiinesperado como um cão guia confiável levar seu guiado para baixo de um caminhão.Verdade seja dita, as coisas não eram tão simples como eu fiz parecer ao motorista dotaxi, mas eu não queria que ele perdesse o X da questão, que era o que a Rachel fezcomigo. Eu errei algumas vezes, mas nunca traí nossa amizade.Foi uma semana antes do dia que seria o dia do meu casamento, e eu fui no apartamentoda Rachel para contá-la que meu casamento tinha sido cancelado. Meu noivo, Dex, foi oprimeiro a dizer as difíceis palavras – que de repente nós não devíamos no casar- mas eurapidamente concordei porque eu vinha tendo um caso com Marcus, um dos amigos deDexter. Uma coisa levou a outra, e depois de uma certa noite de prazer com Marcus , euengravidei.Foi muito difícil de absorver isso , e eu sabia que a parte mais difícil seriaconfessar tudo a Rachel, que, no começo do verão estava um pouco interessada noMarcus. Eles tiveram alguns encontros, mas o romance esfriou , quando sem ela saber,meu romance com Marcus começou. Eu me senti horrível todo tempo – por trair Dex,mas mais ainda por mentir pra Rachel. Ainda ssim, eu estava preparada pra ser sinceracom a minha melhor amiga. Eu tinha certeza que ela iria entender, ela sempre entendia.Então, eu cheguei no apartamento da Rachel em Upper East Side.O que aconteceu ? Ela me perguntou na porta.
  6. 6. Eu senti uma onda de de conforto, pensei comigo, de tão suave e familiar que essaspalavras eram. Rachel era uma melhor amiga maternal, mais maternal do que minha mãe.Eu lembrei de quantas vezes minha amiga tinha me feito essa pergunta durante os anos:como no dia que eu deixei o teto solar do carro do meu pai aberto numa tempestade, ou odia que minha menstruação veio e eu sujei a minha calça branca da Guess. Ela sempreestava lá com o seu o que aconteceu ?,seguido de um vai ficar tudo bem, com um tom devoz que me fazia acreditar que realmente tudo iria ficar bem. Rachel podia resolverqualquer coisa, fazia eu me sentir melhor quando ninguém mais podia.Mesmo nesse momento onde ela poderia se sentir desapontada quando soubesse queMarcus me escolheu ao invés dela, eu tinha certeza que ela iria passar por cima disso eme afirmar que eu escolhi o caminho certo, e que tudo acontece por uma razão, que eunão era uma vilã, que eu estava certa de seguir meu coração, que ela entendiacompletamente,e que um dia Dex também entenderia.Eu respirei fundo e deslizei para dentro de seu arrumado apartamento enquanto ela falavasobre o casamento, como ela estava a meu serviço, pronta para ajudar com qualquerdetalhe de último minuto.Não vai haver mais casamento, exclamei.O quê? Ela perguntou. Seus lábios ficaram pálidos como seu rosto. Eu observei ela virare sentar na sua cama. E então ela perguntou quem cancelou.Eu tive um flashback do segundo grau. Depois de um término de namoro, que sempreeram públicos nos colégios, garotos e garotas perguntavam, Quem terminou? Todomundo queria saber quem chutou e quem foi chutado, para então demonstrar seussentimentos de dor, pena e culpa para os envolvidos da história.Eu disse o que eu nunca diria no segundo grau, porque, para ser franca, eu nunca fuichutada. Foi mútuo...Bem, tecnicamente foi Dexter. Ele me disse essa manhã que ele nãopoderia seguir com aquilo. Ele não achava que me amava . Revirei os olhos. Neste ponto,eu não acreditava que isso fosse possível. Eu pensei que o único motivo seria Dex terpercebido minha indiferença crescendo.O sentimento que vem quando você se apaixonapor outra pessoa.Você está brincando comigo.Isso é loucura. Como você se sente?Eu estudei minhas sandálias rosas Prada que combinavam com o rosa das minhas unhasdos pés e respirei fundo. Então eu confessei que estava tendo um caso com Marcus,dissimulando culpa. Claro, Rachel teve um pequeno interesse em Marcus no verão, masela nunca dormiu com ele, e já se passaram semanas desde que ela o beijou. Elasimplesmente não poderia ficar tão chateada com a notícia.Então você dormiu com ele?Rachel perguntou alto, com uma voz estranha. Suasbchechas estavam rosadas – um sinal que estava zangada- mas eu contei tudo, com todos
  7. 7. os detalhes, dizendo a ela como o caso começou, como nós tentamos parar mas nãoconseguíamos tirar as mãos um do outro.Então eu respirei profundamente e contei a elaque estava grávida do Marcus e que nós planejávamos nos casar. Eu deixei rolar algumaslágrimas, mas Rachel continou impassível. Ela me perguntou algumas coisas, que eurespondi honestamente. Então eu agradeci a ela por não me odiar me sentindoincrivelmente aliviada que, apesar da reviravolta na minha vida eu ainda tinha minhaancora, minha melhor amiga.Sim...Eu não odeio você, Rachel disse, colocando uma mecha do cabelo atrás da orelha.Espero que o Dex também receba isso bem. Pelo menos no caso do Marcus. Ele vai odiá-lo por um tempo, mas Dex é racional. Ninguém fez isso com o propósito de machucarele. Apenas aconteceu.E quando eu estava pronta para pergunta-la se ela continuaria a ser minha madrinha decasamento, meu mundo girou. Eu sabia que nada ia ser igual de novo,e nem as coisastinham acontecido do jeito que eu pensei.No momento que eu vi o relógio de Dexter nocriado mudo da minha melhor amiga. Um rolex inconfundível.O que o relógio do Dexter está fazendo no seu criado mudo?perguntei, rezandosilenciosamente para ouvir uma resposta lógica e racional.Mas, em vez disso, ela encolheu os ombros e gaguejou que ela não sabia. Então ela disseque era seu relógio , que ela tinha um igual ao dele. O que não era plausível por que eutinha procurado por meses para encontrar aquele relógio e então eu comprei uma pulseiranova de crocodilo, fazendo-o original. Além disso, mesmo que ela tenha comprado umigual, sua voz estava tremendo, seu rosto mais pálido que o usual. Rachel pode fazerqualquer coisa bem, mas mentir não é uma delas. Então eu soube. Eu soube que a minhamelhor amiga no mundo tinha cometido um infalível ato de traição.O resto se desenrolou vagarosamente. Eu podia praticamente ouvir os efeitos do som queme acompanhavam. A mulher biônica, um dos meus seriados favoritos. Um dos nossosseriados favoritos – eu tinha assistido cada episódio com Rachel. Eu me observeipegando o relógio de seu criado mudo, virando ele, e lendo a dedicatória em voz alta.“Com todo meu amor, Darcy.” Minhas palavras saíram dolorosamente da minhagarganta quando eu lembrei do dia da gravação. Eu liguei pra Rachel do celular eperguntei sobre as palavras. Com todo meu amor, foi a sua sugestão.Eu encarei ela , esperando, mas ela continuou sem falar nada. Só me encarava com seusgrandes olhos castanhos arregalados.Que porra é essa? Eu perguntei, gritei a pergunta de novo e então percebi que Dexdeveria estar no apartamento, escondido, em algum lugar. Eu a empurrei e entrei nobanheiro, abrindo a cortina do box. Nada. Eu avancei para conferir o armário.Darcy não, ela disse bloqueando a passagem.
  8. 8. Saia! eu gritei. Eu sei que ele está aí.Então ela saiu e eu abri a porta. E como eu sabia lá estava ele agachado e com sua cuecaboxer. Outro presente meu."Seu mentiroso" Eu gritei, me sentindo muito nervosa. Eu era acostumada com drama. Euamava o drama. Mas não desse tipo. Não o tipo de drama que eu não tinha controledentro de mim.Dex se levantou e se vestiu calmamente, colocando um pé e depois o outro dentro dojeans, fechando o ziper. Não tinha um traço de culpa em seu rosto. Teria um traço deculpa se eu o acusasse de roubar meus brindes ou comer meu pote de sorvete."Você mentiu pra mim!" Eu gritei de novo, mais alto dessa vez."Você só pode estar brincando comigo", ele disse, com sua voz baixa. "Foda-se, Darcy."Em todos os anos com Dex, ele nunca tinha dito isso pra mim. Aquelas palavras eramminhas. Não dele.Eu tentei de novo. " Você disse que não tinha ninguém! E você está comendo a minhamelhor amiga!" Eu gritei, insegura de quem eu confrontava primeiro. Esmagada peladupla traição.Eu queria que ele dissesse, sim, que aquilo foi um mal entendido, que não havido sexo.Mas ainda não tinha nenhuma negação. Em vez disso ele disse, “O roto falando doesfarrapado, não é, Darcy? Você e Marcus, hein?Vão ter um bebê? Preciso lhe dar os parabéns.”Eu não tinha como responder a isso , então eu virei a mesa de volta a ele e disse, Eusabia tempo todo.Claro que ra uma grande mentira. Eu nunca em um milhão de anos ia imagonar ummomento como esse, o choque foi muito grande, mas esse é o caso do soco no estômago,o estomago dói sem precisar sentir o soco.Eles me deram o soco,mas eu não seria tola deficar ali sentindo a dor.Eu odeio vocês dois. Eu sempre odiarei, eu disse, sabendo que minhas palavras soavamfracas e juvenis, igual quando eu tinha cinco anos e disse ao meu pai que eu amava maiso diabo do que a ele. Eu queria chocar e horrorizar, mas ele só riu da minha criatividade.Dex também não pareceu nem um pouco chocado com as minhas palavras, o que medeixou tão irritada que me deu lágrimas nos olhos. Eu disse a mim mesma que eu tinhaque ir embora do apartamento da Rachel antes que eu declinasse na frente dos dois. Acaminho da porta, eu ouvi Dex falar, Darcy?Olhei pra ele de novo. O quê?Rezando pra que ele dissesse que tudo aquilo era umagrade brincadeira, de repente eles iriram rir e dizer como eu posso ter pensado em umacoisa destas. Talvez até todos nós riríamos.Mas tudo que ele disse foi, Pode me devolver meu relógio, por favor?
  9. 9. Eu vociferei e então arremessei o relógio para ele, querendo que pegasse em seu rosto.Em vez disso bateu na parede, deslizando para o chão, e parando bem perto dos pés deDex. Meu olhos pularam do relógio para o rosto de Rachel. "E você," Eu disse para ela."Eu não quero ver você de novo, nunca mais.Você está morta pra mim."Capítulo 2Eu desci as escadas zonza , e contei ao porteiro tudo que tinha acabado de acontecer noapartamento, entrei no taxi, onde novamente repeti a história pro taxista, e fui pra casa doMarcus. Eu entrei no seu studio bagunçado, onde ele estava sentado de pernas cruzadasfazendo um som com a sua guitarra parecido com o refrão da música "Fire and Rain."Ele me olhou e sua expressão era um misto de aborrecimento e confusão."O que aconteceu agora ? " ele perguntou.Eu me ofendi com o uso da palavra agora, subentendendo que eu sempre estava em crise.Eu não pude me aguentar mais, contei a ele toda a história, todos os detalhes. Eu queriaque meu novo namorado se sentisse ultrajado. Ou pelo menos chocado.mas não adiantacomo eu tentasse que ele ficasse iguala mim ele me voltava com as mesmas palavras :"Como você pode ter raiva deles quando nós fizemos a mesma coisa? " E " Nós nãoqueremos que nossos amigos sejam felizes? "Eu disse a ele que não era nossa culpa que estávamos discutindo ali e, NÃO, EU NÃOQUERO QUE ELES SEJAM FELIZES!Marcus continuou tocando sua guitarra e sorrindo satisfatóriamente."O que é tão engraçado? "Eu perguntei,exasperada."Nada é engraçado nessa situação! ""Bem, talvez não engraçado de risadas, mas ironicamente engraçado. ""Não tem nada nem remotamente engraçado nessa situação, Marcus!E pare de tocaressa coisa! "Marcus passou seu dedo nos acordes da guitarra para uma nota final e guardou a guitarra.Então ele sentou com as pernas cruzadas, passando os dedos por seus tennis, e disse denovo, "Eu só não vejo por que você estava tão injuriada quando nós fizemos a mesmacoisa. " "Não é a mesma coisa de jeito nenhum! " Eu disse , me jogando no chão. "Veja, eu posso até ter traído Dex, mas nunca fiz nada a Rachel"."Bem", ele disse, "Ela e eu saímos algumas vezes. Nós tínhamos potencial antes de vocêaparecer. ""Vocês saíram juntos pouquíssimas vezes enquanto eu era noiva do Dex. Que tipo depessoa dorme com o noivo da melhor amiga? "
  10. 10. Ele cruzou seus braços e me deu um olhar de sabedoria. "Darcy? ""O quê? ""Você está olhando pra esse tipo. Lembra? Eu era um dos padrinhos do Dexter?Lembra? "Eu funguei.Verdade, Marcus e Dex foram amigos da faculdade, amigos por anos. Masnão era a mesma coisa. "Não é a mesma coisa. Amizades femininas são mais sagradas,minha relação com a Rachel durou a vida inteira. Ela era minha melhor amiga nomundo, e você era , como, o último na fila de padrinhos. Dex não teria escolhido você seele não precisasse de um quinto padrinho para entrar com as minhas cinco madrinhas. ""Oh,ponto pra você! " Disse ele.Eu ignorei o sarcasmo dele e disse, "Além do mais você nunca se fez de santo como elase fazia. ""Você está certa nesse ponto. Eu não sou santo. ""Você simplismente não sai com o noivo da sua melhor amiga. Ou ex-noivo, ponto.Nunca. Nem em um quatrilhão de anos, você continua sem sair com ele. "E certamente você não vai pra cama com ele um dia depois do término do noivado. Ecomecei a formular umas questões e perguntei a Marcus sua opinião, se ele achava queera coisa de uma noite? Quando eles começaram a sair ? Será que eles realmente seapaixonaram? Será que eles ficariam juntos?Para as quais Marcus respondia variavelmente eu não sei e não me importa.E eu respondi gritando: Importe-se! Preocupe-se!Finalmente, ele desistiu, afagou meu braço e respondeu satisfatoriamente as minhasquestões. Ele concordava que era apenas uma coisa de momento entre Rachel e Dex. QueDex só procurou Rachel por que estava chateado. Que ficar com Rachel era o mais pertode estar comigo. E quanto a Rachel ela simplismente estava jogando um ossinho pra umcachorro esfomeado."Ok. O que você acha que eu devo fazer agora? " Eu perguntei."Não há nada que você possa fazer". Marcus disse, alcançando o resto de pizza que tinhanuma caixa joagada perto da guitarra dele. "Está fria, mas se quizer, sirva-se. "vComo se eu conseguisse comer agora! " Eu exasperei dramaticamente e olhei para ochão "Do jeito que eu vejo, eu tenho duas opções matar e, ou suícidio...Ia ser bem fácilmatar eles, não acha? "Eu queria que ele se engasgasse com a minha sugestão, mas para meu desapontamentoele não estava nem chocado. Ele simplismente pegou um pedaço de pizza da caixa,dobrou e colocou na boca. Ele mastigou por um momento, e como sua boca continuavacheia , ele apontou que eu seria a primeira e única suspeita. "Você acabará na unidade de
  11. 11. correções femininas de Nova York. Com o cabelo cortado no estilo mullet(curto na frentee grande atrás). Eu já posso te ver você caminhando pelo jardim da prisão com o seunovo penteado voando ao vento. "Eu pensei no assunto e decidi que eu prefiro a morte do que cortar o cabelo assim. O queme levou a opção do suícidio. " Tá bom, então matar eles tá fora de cogitação, eu memato em vez disso.Eles vão sentir muito se eu matar, não vão"?Eu perguntei mais parachocar Marcus porque eu realmente não considerava essa possibilidade.Eu queria que Marcus dissesse que ele não poderia viver mais sem mim, mas ele nemligou pro joguinho que eu estava fazendo, como Rachel quando estávamos no ginásioque me prometeu que não importa que música minha mãe quizesse, ela ia passar por cimadela e tocar On the turning away, do Pink Floyd no meu funeral."Eles sentiriam muito se eu me matasse". Eu disse a Marcus. " Será que eles viriam aomeu funeral? Será que se desculpariam com meus pais? ""Provavelmente sim. Mas as pessoas esquecem rápido. De fato, as vezes esquecem devocê já mesmo no funeral, dependendo de como está a comida. ""E a culpa? " Eu perguntei. "Como eles poderiam viver com ela? "Ele me garantiu que a culpa inicial poderia ser apagada por qualquer bom terapeuta.Então depois de algumas sessões, a pessoa que está se perguntando "Porque? " Começa aentender que apenas uma alma muito perturbada tiraria a própria vida , e que o que elafez não foi a causa de fazer a pessoa se jogar no abismo.Eu sabia que Marcus estava certo, relembrando que quando eu e Rachel éramos senior nosegundo grau , um de nossos amigos, Ben Murray, se matou com um tiro na cabeça noseu quarto com a arma do pai dele, enquanto os pais assistiam televisão na sala. Ahistória varia, mas o ponto principal é, todos sabíamos que tinha alguma coisa a ver comuma briga que ele teve com a sua namorada, Amber Lucetti, que terminou com ele paraficar com um cara universitário que ela conheceu quando estava visitando sua irmã emIllinois.Nenhum de nós podia esquecer o momento que a cordenadora chamou a Amberna porta da sala para dar a notícia .Muito menos o som de Amber uivando peloscorredores. Nós todos imaginávamos que ela perdeu o controle dela mesma e acabou emuma instituição mental qualquer.Mas, em poucos dias, Amber voltou pras aulas, e já estava dando discurso sobre a quebrado mercado de ações. Eu tinha acabado de dar o meu discuso sobre porque maquiagensbaratas são melhores do que as mais caras, porque elas vem do mesmo material.E euadmirei a habilidade da Amber de dar um substantivo discurso,mal olhando suasanotações , quando seu ex namorado estava morto. E seu competente discuro não foi nadase comparado ao espetáculo que ela promoveu dando uns amassos no Allan Hysack nobaile da primavera menos de 3 meses depois do funeral do Ben.
  12. 12. Então, seu eu queria destruir o mundo de Rachel e Dex, suícidar-me não seria a respostatambém. O que me deixou com uma opção, continuar a minha vida perfeita.Eles não dizem que felicidade é a melhor resposta? Eu vou casar com Marcus, ter meubebê e caminhar em direção ao sol, sem nunca olhar pra trás.Ei me dá um pedaço de pizza aí, peço ao Marcus.Afinal, eu estou comendo por doisagora.Nessa noite eu liguei para os meus pais pra contar as novidades. Meu pai atendeu otelefone e eu pedi a ele que colocasse a mamãe na extensão. "Mãe, pai, o casamento estácancelado. Minhas sinceras desculpas. "Eu disse indiferente, talvez muito indifererenteporque eles logo presumiram que eu fui a culpada pelo término. O querido Dex nuncacancelaria o casamento uma semana antes de acontecer. Minha mãe começou sualadainha de como ela adorava Dexter, enquanto meu pai falou por cima dela com umtom mais forte. Neste ponto eu soltei a bomba da história do Dex no armário da Rachelneles. Um silêncio mortal caiu sobre o telefone, estava tão quieto que eu até pensei que aligação tinha caído. Meu pai finalmente falou e disse que deve ter algum erro porqueRachel nunca faria uma coisa destas. Eu disse a eles que eu também nunca acreditaria seeu não tivesse visto com meus próprios olhos ele no armário dela de cueca box. Nempreciso dizer que não comentei nada sobre Marcus ou o bebê que estou esperando commeus pais. Eu queria ter seu suporte total tanto emocional quanto financeiro.eu queriaque eles culpassem somente a Rachel a vizinha que enganou eles assim como meenganou. Perfeita, de bom coração, leal, veradeira, Rachel."O que nós vamos fazer, Hugh? " Minha mãe perguntou num fio de voz."Eu cuido disso, " ele disse. "Tudo ficará bem. Darcy, não se preocupe eu tenho a,listade convidados .Nós ligaremos pra família. Nós falaremos com o fotógrafo, todo mundo.Você fique aí quietinha. Você ainda quer que nós vaiamos aí no voo de quinta ou vocêquer vir pra casa? Você diz querida. "Meu pai estava usando seu tom que habitualmente usa quando uma crise estáacontecendo, quando tem um tornado, uma tempestade de neve ou quando nossa gatinhacega de um olho foge pra rua e eu e mamãe gritamos desesperadas, secretamenteadorando o drama."Eu não sei papai, eu realmente não consigo pensar direito neste momento. "Meu pai assentiu e respondeu, " Você quer que eu ligue pro Dex ?Coloque algum sensona cabeça dele ? ""Não papai, isso não vai ajudar em nada. Acabou. Por favor não, eu ainda tenho umpouco de orgulho".
  13. 13. "Esse bastardo", minha mãe xingou. "E Rachel eu ainda não posso acreditar nessabandidinha. ""Dee, isso não está ajudando", meu pai diz."Bem, eu sei",minha mãe diz, "mas ainda não posso acreditar que Rachel faria umacoisa dessa. E como o Dex quiz ficar com ela ? ""Eu sei. Não tem como o Dex querer ela, né ?Ele realmente não pode gostar dela ? "Eudisse."Não de jeito nenhum, " diz minha mãe."Eu tenho certeza que a Rachel se arrependeu, " diz meu pai, "foi uma coisa muitoinapropriada de se fazer. ""Inapropriada não seria a palavra certa pra isso, " minha mãe diz.Meu pai tenta de novo" Desleal ? Oportunista?"Minha mãe concordou com as palavras "Ela provavelmente estava de olho nele o tempotodo que você estava com ele. ""Eu sei", eu digo, sentindo arrependimento se ter deixado Dex ir embora . Todo mundoachava que ele era um prêmio. Eu olhei pra Marcus pra ter certeza que eu fiz q escolhacerta mas ele estava jogando seu Playstation."Por acaso Rachel telefonou pra se explicar ou se desculpar? "Meu pai perguntou."Ainda não", eu digo."Ela irá", minha mãe diz. "E nesse meio tempo você continue forte, querida. Tudo vaiacabar bem. Você é uma linda mulher. Você achará outra pessoa , melhor, diga isso aela. Beijos. ""Você é a garota mais linda do mundo", papai diz, "tudo ficará bem, eu prometo. "Capítulo 3Ironicamente foi Rachel que nos apresentou, Dex e eu. Eles estavam no primeiro ano defaculdade de direito na NYU, e porque Rachel insistiu que ela não estava na universidadepra namorar , mas sim para aprender, ela passou seu amigo Dex, o solteiro mais cobiçadodo campus, para mim. Eu me lembro bem do momento exato que aconteceu, Rachel e euestávamos no bar esperando por Dex, quando ele entrou.Eu percebi que ele era especialno mesmo instante que o vi, ele pertencia a um anúncio da Ralph Loren, o homem queestá velejando cheio de charme no comercial. Eu tive certeza que ele não era um homemrelapso, um alcolatra desses que caem bebado por aí, que ele nunca tinha falado palavrãona frente da mãe, que ele usava produtos pós barba muito caros, e talvez fosse cabeça-dura em algma ocasião. Eu já sabia, só de olhar, que ele podia apreciar opera, que podia
  14. 14. resolver os caça palavras do Times e que pagaria a conta depois de um jantar fabuloso.Eu juro que vi tudo isso num olhar. Vi que ele era meu ideal, meu sofisticado home Eastcoaster, que eu precisava pra criar a minha versão da vida da minha mãe em Manhattan.Dex e eu tivemos uma boa conversa aquela noite mas ele demorou algumas semanas prame ligar e me chamar para sair, o que só me fez querê-lo mais. Assim que ele ligou, eudei o fora no cara que eu estava saindo, porque eu tinha certeza que algo maravilhoso iriacomeçar. Eu estava certa.Dex e eu rapidamente viramos um casal, e as coisas eramperfeitas. Ele era perfeito. Tão perfeito que as vezes eu sentia que não o merecia. Eu seique sou linda, mas as vezes eu me preocupava em não ser inteligente o suficiente ouinteressante o suficiente para alguém como ele e que se ele descobrisse a verdade sobremim , ele poderia não me querer mais.Rachel não ajudava muito, porque como sempre, ela tinha um jeito de aumentar meusmomentos de apatia, minha indiferença só falando de tópicos que ela e Dex sepreocupavam tanto como os países de terceiro mundo, economia, quem estavaconcorrendo para o congresso. Te digo, os dois ouviam a rádio do governo, pelo amor deDeus.Nem precisa falar mais. Até o som das vozes dessa estação faziam meus olhos sefecharem por algum tempo, me faziam viajar,sem me preocupar com o assuntocomentado. Então, depois de alguns meses de exaustivas tentativas de interesse em coisasque eu não me importava, eu decidi mostrar a Dex a verdadeira eu. Então, uma noite,enquanto Dex estava vendo um documentário sobre algo que estava acontecendo napolítica do Chile, eu peguei o controle e troquei de canal para o Nickeolodeon.Ei, eu estava assistindo isso! Ele disseEu estou cansada de gente pobre, eu disse, colocando o controle entre minhas pernas.Dex deu uma risada fraca. Eu sei, Darcy. Eles podem ser bem irritantes, não é?Eu de repente percebi que por mais substâncial que Dex fosse, ele não se preocupava como fato de eu viver a vida um pouco superficialmente.E tão pouco se importava com aminha vontade de comprar coisas caras e viver uma boa vida. Em vez disso, acho que eleadmirava minha franqueza, minha honestidade de viver a vida que eu queria. Eu podianão ser a pessoa mais inteligente do mundo, mas também não era a mais burra.A questão é que Dex e eu tinhamos diferenças, mas eu fazia ele feliz. E na maior partedo tempo eu fui uma boa e leal namorada.Apenas duas vezes, antes do Marcus, minhaadmiração pelo sexo oposto ultrapassou algmas barreiras, o que eu acho que foi bemadmirável para um namoro de sete anos.O meu primeiro, e pequeno, tropeço aconteceu a alguns anos atrás com Jack um garotocom carinha de bebê que eu conheci no Lemon bar uma noite enquanto eu estavatomando alguns drinks com Rachel e Claire, que era a minha melhor amiga no trabalho,
  15. 15. dividia o ape comigo e a garota mais bem relacionada da costa oeste. Rachel e Claireeram tão diferentes quanto Laura Ingalls e Paris Hilton, mas as duas eram minhas amigase solteiras, então frequantemente saiam juntas. Voltando ao assunto, estávamos nós trêsconversando no bar quando Jack e seus amigos chegaram e deram em cima de nós. Jackera o mais extrovertido do grupo cheio de rapazes boa pinta, falando de suas histórias dosjogos de Water polo da universidade de Princeton, onde eles tinham acabado de seformar. Eu tinha acabado de completar 27 anos e estava me sentindo um pouco cansada evelha, então eu fiquei lisongeada de um garoto como Jack estar interessado em mim. Eleestava me entretendo enquanto dois amigos seus( versões menos bonitas de Jack)trabalhavam em Rachel e Claire.Nós bebemos coquetéis e flertamos, e enquanto a noite passava, Jack e seus amigostentavam achar um lugar para nós esticarmos ( provando a minha teoria que o número devezes que você troca de bares numa noite é inversamente proporcional a sua idade).Então, nós entramos em dois táxis e fomos para uma festa no SoHo. Mas Jack e seusamigos, estavam com o endereço e o telefone errados do amigo do amigo que era primodo cara que estava dando a festa. Eles começaram a farça e inepta cena de se culparemum ao outro: Cara! Eu não acredito que você perdeu a merda do telefone, etc. Nósacabamos em pé na Prince street, com frio, terminando a noitada.Rachel e Claire foram embora primeiro, dividindo um táxi para Upper East Side. Osamigos de Jack pegaram o outro taxi determinados a achar a festa. E então nós doisficamos sozinhos na Prince street. Eu estava chateada, e ele parecia tão fofinho, então nóstrocamos uns beijinhos inocentes.Não foi grande coisa.Realmente não foi. Pelo menospara mim.È claro que no outro dia jack me ligou várias vezes, me deixando vários recados nocelular. Não aguentando mais eu retornei uma ligação dele confessando que eu tinha umnamorado sério e que eu sentia muito mas, ele não podia continuar me ligando.Eu entendo, ele disse parecendo arrasado. Seu namorado é um cara de sorte.... se vocêsterminarem, me ligue.Ele me deu o número do seu trabalho, casa e celular, que eu rabisquei atrás do menu decomida chinesa e acabei jogando fora na mesma noite.Ok. Legal, obrigada e desculpa de novo.Depois que eu desliguei, eu me senti um pouco culpada e me perguntei por que eu beijeiele, em primeiro lugar. Não exisitia motivo, até o mais chateada que eu estivesse, eu nãovia razão pra ter feito aquilo, não tinha nenhum interesse nele.A única coisa que contoufoi a pergunta que eu fiz pra mim mesmo era se eu queria beija-lo aquela hora ou não? E
  16. 16. a resposta foi sim. Eu não sei. Talvez eu estivesse entediada. Talvez eu sentisse falta dosprimeiros dias de namoro quando Dex parecia ser louco por mim. Eu comecei a pensarque esse negócio com o Jack pudesse evidenciar algum problema no nossorelacionamento mas, depois eu percebi que foi só um beijo, nada demais. Nem mepreocupei em contar pra Rachel sobre Jack, estava acabado e não tinha necessidade deouvir o sermão que ela fazia sempre que eu traia algum namorado no colégio ou naUniversidade.Depois de Jack eu me comportei como a namorada ideal por um bom tempo, quase umano, mas então eu conheci Lair num almoço festivo que a minha firma promoveu parauma linha nova de roupas esportivas chamada Emmeline. Lair era um lindo modelo sulafricano com a pele marrom e olhos tão azuis que combinavam com o agasalho aqua queele estava usando.Depois que ele sorriu pra mim pela segunda vez, eu cheguei perto dele: Então eu tenhoque saber , eu falei por cima da música, eles são reais?O quê?Seus olhos. Você está de lentes?Ele riu, uma risada com melodia sulafricana.Cacilda, não. Eles são meus.Você disse cacilda?Ele riu e confirmou.Que antiquado. Eu estudei o fundo de suas córneas para ter certeza que ele estava falandoa verdade.Com certeza sim, não havia nenhum sinal de lente ali. Ele sorriu expondo umafileira de dentes brancos.Então ele estendeu sua mão e disse: Eu sou Lair.Leah? Eu disse apertando sua mão forte e morna.Lair, ele disse de novo, o que ainda soava como Leah. Você sabe igual mentira em inglês(liar pronuncia laiar) só que com o a e o i invertidos.Ah Lair, Que nome diferente, eu disse, imaginando nós dois juntos em algum lugar longedali.Eu me chamo Darcy.Prazer Darcy, ele disse, e então ele deu uma olhada na festa que eu tinha planejado pormeses. Que evento este, hein.Obrigada, eu disse orgulhosa. Então eu falei alguns jargões de RP. Alguma coisa sobre odesafio de deixar o cliente satisfeito no mercado competitivo de hoje.Ele confirmou balançado a cabeça.Mas.. eu ri, passando a mão sedutoramente em meus cabelos negros, também é muitoprazeroso. Eu posso conhecer pessoas legais como você.Nós continuamos conversando, sendo interrompidos vez ou outra por alguns de meuscolegas de trabalho e outros convidados.
  17. 17. A outra modelo Kimmy, que estava com uma calça de algodão rosa escrito navy 69 bemem cima de suas nádegas e com um top combinando, vinha toda hora tirar fotos de Laircom sua camera digital.Sorria querido, ela dizia , enquanto eu fazia o meu melhor pra aparecer nas fotos.Apesar das interrupções de Kimmy, Lair não deu muita atenção a ela, e nosso flerte foificando mais sério. Nós conversamos sobre a vida dele na África do Sul. Eu admiti quenão sabia nada sobre seu país a não ser sobre o Apartheid antes de Nelson Mandela sersolto. Enquanto Lair explicava mais sobre a política sulafricana, o problema com o crimeem Johannesburgo, e a beleza do Parque nacional Kruger, eu percebi que ela era mais doque um rostinho bonito.Ele me falou que ele só era modelo para pagar a universidade, atéusou a palavra sartorial.Depois do evento, Lair e eu pegamos um taxi juntos. Minhas intenções eram puras – sóqueria um beijo na rua como aconteceu com Jack. Mas quando Lair sussurrou no meuouvido, " Darcy será que você consideraria a possibilidade de voltar ao meu hotelcomigo?" e eu não pude resistir. Então fui para o hotel Palace com ele, convencida emsomente dar uns amassos mais quentes e ir embora. E foi isso que aconteceu. Então maisou menos as 3 da manhã, eu me levantei, me vesti e disse a ele que precisava ir para casa.Tecnicamente, eu poderia ter ficado, já que Dex estava fora da cidade numa viagem denegócios, mas de algum jeito passar a noite com um cara ia parecer que eu realmente traí,E eu acho que se houvesse um teste se você traiu seria assim: Se o seu parceiro pudessever um vídeo da situação, ele pensaria que você traiu ou não? Um teste alternativo é: sevocê pudesse ver seu parceiro na mesma situação, você pensaria que ele traiu ou não?Nas duas situações, eu falhei, mas eu não cruzei a linha do sexo, e esse fato me deixouorgulhosa.Eu deixei Lair tinindo aquela noite, e depois de umas semanas de emails quentes epesados, nós gradulamente fomos perdendo o contato até que não nos falamos mais. Anoite foi se apagando da minha cabeça e eu quase esqueci dos seus incríveis olhos até queme deparei com eles , em cuecas box brancas, sorrindo pra mim num outdoor no meio daTimes Square. Eu lembrei dos detalhes dessa noite, imaginando como seria se eu tivesseterminado com Dex para ficar com Lair. Nos imaginei vivendo em Johannesburgo entreelefantes e ladrões de carros, e decidi de novo que foi melhor nossa relação ter ficadorestrita ao Palace hotel.Dex e e ficamos noivos poucos meses depois, e eu declarei pra mim mesma que eu seriaverdadeira para com Dex para sempre. E daí que nós não temos nada em comum e elenão me emociona a todo momento. Ele continuava sendo um grande achado e um bomcara pra ter ao lado. Eu iria casar com ele e viver feliz para sempre no Upper West Side.
  18. 18. Ok talvez nós mudassemos para Quinta avenida, mas sem me importar com os pequenosdetalhes minha vida estava escrita.Eu só não tinha planejado o Marcus.Capítulo 4Por quatro anos eu conheci Marcus como apenas sendo o colega de quarto sem graça doDex no primeiro ano em Georegetow.Enquanto Marcus terminou quase em ultimo da sua sala e estava chapado todo o tempo,Dex se graduou como um dos melhores e nunca provou nenhuma droga, mas aexperiência de se viver com alguém por um ano na universidade é muito forte, e elescontinuaram amigos depois de formados mesmo vivendo em cidades diferentes. É claroque eu nunca dei muita atenção pro colega de universidade do Dex até que, nós ficamosnoivos e, o nome dele apareceu como provável padrinho do Dex. Dex tinha apenas quatroamigos do peito enquanto eu tinha cinco madrinhas (incluindo Rachel como a principal),e a simetria na linha de entrada da igreja nao estava negociável nesse ponto. Então Dex,ligou para Marcus e jogou a honra em cima dele. Depois que os dois conversaramamigavelmente por um tempo, Marcus pediu pra falar comigo, o que eu achei bom,especialmente porque nós nunca tínhamos nos encontrado cara a cara. Ele meparabenizou pelo casamento e prometeu não levar o noivo muito bêbado embora no diada despedida de solteiro.Eu ri e disse a ele que ele seria o reponsável por isso então,nunca imaginando que o que ele devia ter prometido era não dormir comigo antes docasamento.De fato, eu não esperava ver ele antes do casamento mas algumas semanas depois eleaceitou um trabalho em Manhattan. Para celebrar eu reservei uma mesa no Aureole,apesar da insistência do Dex em dizer que Marcus não era um cara muito elegante.Eu e Dex chegamos ao restuarante primeiro e esperamos pelo Marcus no bar. Elefinalmente chegou usando uma calça jeans larga, uma camisa estranha e uma barba comdois dias sem fazer no mínimo.Francamente, ele é o tipo de cara que eu não olharia duas vezes.
  19. 19. "Dex-ter!" Marcus falou se aproximando de nós e deu em Dex um abraço masculino, comum tapinha nas costas. "Bom te ver, cara". Marcus disse."Você também", Dex disse, me apresentando gentilmente. "Esta é a Darcy".Eu me mexi lentamente e dei um beijo no rosto barbudo do meu quinto padrinho.Marcus falou "A infame Darcy. "Gostei de ser chamada de infame – apesar da conotação negativa da palavra- então eu ricolocando a mão no meu rosto e disse "Nada disso é verdade"."Que pena",Marcus disse respirando fundo, e apontou pra ruiva que estava parada ao ladodele. "Oh. Essa é Stacy, nós trabalhávamos juntos". Eu vi eles entrando ao mesmo tempomas não imaginei que eles tivessem vindo juntos. Nada nos dois combinava. Stacyestava totalmente bem arrumada, usando jaqueta de couro e uma calça com cortemaravilhoso.Enquanto nós éramos levados pra mesa eu olhei torto para o Dex, irritadacom ele que me pediu pra diminuir o ritmo quando me viu vestida com minha capa LouisVutton branca e bustie de tafeta vermelho. E agora eu estava com um tweed preto ebranco ao lado da Barbie-Stacy . Eu olhei pra ela de novo me perguntando se ela era maisbonita do que eu.Eu rapidamente decidi que eu era mais bonita, mas ela era mais alta, oque me irritou.Eu gostaria de ser as duas coisas.Acidentalmente, eu sempre acreditei quetodas as mulheres queriam ser as mais atrativas em qualquer grupo, mas quando euadmiti isso a Rachel ela me deu um olhar convalecente seguido de um diplomático acenode cabeça. Nesse ponto eu retrocedi um pouco e adicionei "a não ser que sejam minhasamigas, daí eu não comparo. "Afortunadamente, a personalidade de Stacy não era tão cintilante quanto seu guardaroupa, eu eu consegui com sucesso tirar o brilho dela. Marcus era extremamente divertidotambém, e manteve nossa mesa animada. Ele não era um piadista total, mas era cheio deobservações sobre o restaurante, a comida chique, e as pessoas em nossa volta.Eu noteique toda vez que Stacy ria dele, ela tocava no seu braço de um jeito familiar, o que mefez ter ceretza que se eles não estavam saindo juntos, pelo menos tiveram algum caso. Nofim da noite, eu reavaliei o estilo do Marcus, aumentando sua nota. Era uma combinaçãodo interesse óbvio de Stacy, com o seu senso de humor, e algo mais. Alguma coisa sexynele, um brilho nos seus olhos castanhos e uma covinha no seu queixo que me fezlembrar de Danny Zuko em Grease ( a primeira cena de praia do filme foi a minha idéiade romance por anos).Depois do jantar, quando Dex e eu já estávamos no taxi de volta para Upper West, eudisse"Gostei do Marcus. Ele é realmente engraçado e tem um surpreendente sex appeal"Dex já estava acostumado com meus comentários ácidos sobre outros homens, então nemse importava mais. Ele apenas disse, "Sim, ele é uma figura, legal".
  20. 20. Eu esperei para ele dizer que Marcus me aprovou também, e como ele não disse, eu falei,"O que Marcus disse pra você no fim da noite quando vocês foram pegar seus casacos?Ele falou alguma coisa de mim?"Stacy e eu ficamos conversando um pouco longe e eu imaginei que Marcus tivesse ditoalgo como" Você conseguiu uma mulher maravilhosa" ou "Ela é bem mais gata que suanamorada da Universidade"ou até um simpático e correto "Eu realmente gostei daDarcy, ela é bacana. "Mas depois que eu pressionei Dex até o fundo, ele me disse o que Marcus falou com ele éque ele e Stacy estavam saindo, e apesar do fato de Stacy ser fantástica no quesitoboquete, ele ia terminar com ela por que ela era muito exigente. Não precisa dizer,que ofato de uma garota como Stacy fazer boquetes em Marcus fez ele subir muito mais nomeu julgamento.Quanto mais nós saíamos com Marcus, mais eu gostava dele. Mas eu continuava sempensar nele a não ser como amigo de Dex e padrinho do nosso casamento até uns mesesatrás , na noite do aniversário de trinta anos da Rachel, quando eu dei uma festa surpresapra ela no Proibhition , nosso bar favorito no Uper West Side. Eu me lembro de ter dito aMarcus uma hora naquela noite que ele pode ter sido um beberrão na universidade, masque agora eu bebia muito mais que ele.Ele deu uma risada e um tapa no balcão"Ah, é? bebamos então, boca grande."Nós começamos a tomar drinques Jaguermaister. Foi uma experiência legal, não só porque estávamos bebendo juntos, mas também porque estávamos escondendo os drinquesde Dex, que odeia quando eu fico bebada. " É impróprio,não é saudável, é perigoso", eleteira dito. Nada disso nunca me parou, especialmente naquela noite.Teve um momento,antes da rodada final de drinques,que Dex nos achou no bar e me olhou suspeitosamente."Vocês estão tomando drinques?" ele perguntou, olhando pros copinhos vazios dedrinques na nossa frente."Isso não é meu. " Eu disse, "são do Marcus, ele tomou os dois. "Sim, cara, são meus. Marcus disse de olhos arregalados. "Depois que Dex se foi, com as sombracelhas levantadas, Marcus piscou pra mim. Eu ri."Ele pode ser tão certinho, Obrigada por me cobrir. ""Sem problema, " disse Marcus.A partir daquele momento, nós tínhamos um segredo e tendo um segredo, mesmo umpequeno, cria-se um laço entre duas pessoas. Eu lembro que pensei com ele era maisdivertido que Dex, que nunca perdia o controle. E além do fator divertimento, ele estavmuito sexy aquela noite. Ele estav com uma camisa Polo da Navy, nada especial, maspela primaiera vez não estava larga, então eu podia ver que ele tinha um corpo legal.Enquanto eu tomava um Martini, eu perguntei se ele malhava, o que é uma pergunta
  21. 21. flertativa e que mostra interesse, no mínimo, mas eu não me importei. Eu queria chegaraí."Uma vez ou outra", ele disse."Vamos lá. Você tem um corpo incrível. Você levanta peso, corre?"Ele disse que só corria se tivesse sendo perseguido. Ele então começou a me contar umahistória que ele tinha corrido com uma garota outro dia, mas o namoro não foi a lugarnenhum."Foi a Stacy?"perguntei."Quem?""Stacy, você sabe a ruiva que foi no Aureole com você?""Ah, essa Stacy. História antiga.""Bom", eu disse. "Eu não era uma big fã dela. Ela era sem graça. "Marcus riu. "Ela não era muito inteligente. ""Então, quem é a corredora?" eu perguntei."Uma garota aí.""Essa garota tem nome?""Vamos chama-la de Wanda "."Ok. Wanda…Então Wanda te deu boquetes tão bons quanto os de Stacy ?" Eu perguntei,orgulhosa da minha falta de limites.Ele deu uma risada, se controlou e me olhou, mas nesse momento , dex e Rachel játinham se juntado a nós e eu nunca tive a minha resposta, apenas um pequeno e sexypiscar de olhos.Eu lembro de pensar que eu queria mostrar a ele meu talento nesta área.Nâo que eu quizesse fazer isso no meu padrinho no meio da minha festa de casamento,foi apenas um desses pensamento que passam pema cabeça por indução da altaquantidade de álcool.Algum tempo depois desse dia, minhas memórias dessa noite se foram, exceto por umavaga lebrança de Dex me descendo do balcão do bar e mais vaga ainda a memória deestar vomitando em um saco de papel ao lado da minha cama.Eu não pensei em Marcus por uns dois dias depois disto, até ele ligar pra falar com Dex.Eu disse a ele que Dex ainda estava trablhando, me sentindo feliz pela oportunidade defalar com Marcus."Ele trabalha demais, " disse Marcus."Nem me diga…então, como vai ? o que conta de novo?Acha que você ficou na rua atémuito tarde na outra noite ?" Eu perguntei. Depois de me deixar em casa, Dex saiu comMarcus e eles ficaram na rua até as sete da manhã."Ah, sim. Desculpa por isso, " ele disse."Vocês se meteram em problemas ?"
  22. 22. "Não.""Então vocês não falaram com nenhuma mulher?" Eu perguntei.Ele riu. "Você sabe que eu sempre falo com a mulheres."Eu lembrei daquele momento do bar, minha inconfundível atração a ele. " Oh. Eu sei, "respondi flertando. " Falando nisso,como vai a Wanda ?""Você sabe. Wanda. A corredora "" Ah, essa Wanda.certo! Não deu certo com ela...mas eu andei pensando... "" Pensando o que ?"Eu perguntei, sentindo que ele estava disposto a flertar comigo.Mas em vez disso ele perguntou, " E a Rachel ?"Eu fiquei paralisada de ouvir ele dizer o nome dela. " O que você quer dizer com isso ?"" Ela tá saindo com alguém ?"" Não. Por quê ?"Eu perguntei, me sentindo irracionalmente territorial e um poucoenciumada por ele se interessar pela minha amiga. Talvez, em algum nível, eu desejavaque ele ia me querer. Foi egoísmo, lembrando o fato que ela era solteira e eu noiva. Masvocê não pode segurar seus sentimentos.Marcus continuou, " Ela é tão gata e aquele jeito estudioso dela "."Sim, ela é bonitinha", eu disse, pensando que foi estranho ouvir a descrição dela comogata, apesar de eu estar notando recentemente notado que ela melhorou muito desdenossos tempode escola e do começo dos vinte e poucos anos. Eu acho que era a pele dela.Ela não tinha tantos pés de galinha nos olhos quanto as garotas da nossa idade. E de umjeito bom, quando ela faz um esforço pra se arrumar, você até pode chama-la bonita. Masgata era demais. " Se você quer sair com a minha amiga tem que passar por mim "., eudisse brincando, mas realmente pensando. Eu ia brincar de gato e rato com esse aí." Legal… Diga a ela que eu vou chama-la pra sair. E diz que é melhor ela dizer sim. Senão... "" Se não o que ?"" Se não será o maior erro da vida dela ""Você é tão bom assim ?"" Sim, ele disse. Pra falar a verdade, sou sim. "E então eu senti aquela dor melancólica de novo. Esse sentimento foi tão ruim que eu nãopoderia provar marcus antes de casar com Dex. Mesmo além de qualquer sentimento queeu tinha por Marcus, eu pensei que pena era e nunca mais experimentar um primeirobeijo. Que eu nunca iria me apaixonar de novo. Eu acho que a maioria dos caras vivenciatantos sentimentos durante um relacionamento, tipicamente antes de terminarem oupedirem a moça em casamento, mas pelo que eu posso ver, as mulheres não são assim, aomenos não admitem ter estes sentimentos. Elas acham um bom marido e já. Elas parecemaliviadas que a procura acabou.
  23. 23. Elas ficam felizes, comprometidas totalmente e para sempre. Eu acho que nesse assuntoeu era mais como os homens.Mas, apesar do meu acasional pensamento, eu sabia que nada podia acontecer entre mime Marcus. Então eu fiz o mais nobre que poderia fazer, eu encoragei Rachel a sair comMarcus e fiquei muito interessada na potencial relação deles. E quando eles realmentesaíram, eu fiquei feliz por eles.Mas então ele e Rachel se recusaram a me contar sobre seu encontro, e isso me irritou jáque estava sendo mais amiga deles do que eles eram deles mesmos depois de apenas umestúpido encontro.Rachel não me disse nada, nem se eles se beijaram, o que me deixoupensando que eles fizeram bem mais que isso. Quanto mais eu tentava, mas privados elesficavam, e mais intrigada eu ficava com Marcus.Foi um círculo vicioso.Consequentemente, nas semanas seguintes, sempre que Marcus ligava para Dex, eumantinha Marcus no telefone o maior tempo que eu pudesse. Ocasionalmente, eu ligavapro trabalho dele , com pretexto de falar da casa que nós íriamos repartir em Hamptonsou algo sobre o casamento.E quando eu desligava, mandava um email interessante sobreo assunto discutido.Ele me mandava um de volta na velocidade da luz e nóscontinuavamos a brincadeira até o fim do dia. Coisas inofensivas.Então, na semana de quatro de julho, Dex e Rachel tiveram que ficar na cidade e nãopuderam viajar conosco pra nossa casa alugada nos Hamptons. Primeiro eu estavachateada e desapontada que minha melhor amiga e meu noivo iriam ficar na cidade., masuma parte de mim estava excitada com a idéia de passar um tempo com Marcus semeles. Não que eu quizesse que algo acontecesse, eu só queria uma pequena intriga. Certamente, a intriga começou no Talkhouse com a parte dois do nosso jogo de drinques,mas dessa vez eu estava sem Dex me controlando. Eu bebi muito, mas consegui não ficarmal, nao cair e nem me fazer de estúpida. Ainda assim eu estava inquestionávelmentebebada. E aí estava Marcus. Nós dançamos até as duas da manhã, quando eu, ele e Clairevoltamos pra casa. Claire colocou seu pijama e foi direto pro quarto, mas Marcus e eucontinuamos a festa no jardim atrás da casa.Foi tudo uma boa diversão, a brincadeira e as risadas,mas então a barulhenta brincadeirade empurrar deu lugar aos tapas e uma luta emcima da grama. Eu lembro de ter gritadocom Marcus para parar antes que eu ficasse presa embaixo da árvore. Eu disse a ele queeu iria manchar todo meu vestido branco de alças da Chaiken. Mas eu realmente nãoqueria que ele parasse, e eu acho que ele sabia disso porque ele não parou.Em vez dissoele prendeu minha mão atrás das minhas costas, o que eu tenho que dizer é muitoexcitante. Ao menos foi com Marcus. Eu podia dizer que ele estava excitado também,porque eu senti ele por cima de mim.O que só me deixou mais excitada.
  24. 24. Uma certa hora começou a chover, mas nenhum de nós entrou na casa. Imediatamentenós ficamos colados um no outro, quase congelados na mesma posição.Então a risadaparou. Nós não estavamos nem sorrindo,apenas nos encarando, nossos rostos tão pertoque nossos narizes estavam se tocando. Depois de um longo tempo assim, no limbosexual, eu coloquei minha cabeça pro lado e encostei miha boca na dele. Fui e voltei umavez, inocentemente, eu queria que ele me beijasse primeiro, mas eu tive que esperartempo demais.O pouco segundo de contato foi delicioso. Eu podia dizer que ele tambémachou, mas ele se afastou e perguntou " O que está acontecendo aqui ?"Eu encostei nos lábios dele de novo. Dessa vez o beijo foi real. Eu lembro de estartotalmente alerta, toda ligada. " Estou te beijando ", eu disse." Nós deveríamos estar fazendo isso ", ele perguntou, ainda em cima de mim, mepressionando fortemente." Provavelmente não,eu disse. Mas estamos fazendo assim mesmo. "Eu o beijei de novo, e dessa vez ele retribuiu o beijo.Nós nos beijamos por um bomtempo com a chuva morna caindo em cima de nós e o barulho de trovão ouvido adistância.Eu sei que nós estavamos pensando que nós não podíamos, não devíamos fazermais do que aquilo, mas nós estávamos quase sem certeza.Esperando que eu desistisse ele dizia coisas como nós temos que parar, isso é loucura, enós não podemos fazer isso, e se Claire nos pega aqui, mas nenhum dos dois parava comaquilo.Em vez disso, Eu peguei a mão dele forte e coloquei embaixo do meu vestido. E ele sabiao que fazer depois.Se eu tive alguma duvida na minha cabeça ante a experiência doMarcus, eu não tive mais nenhuma dúvida. Ele era um desses caras, Dex pode ser lindo,mas não sabia fazer aquilo. Não igual a ele. E se ele fizesse aquilo, não seria a mesmacoisa.E o pensamento que Dex nunca poderia fazer o que Marcus estava fazendo me fezsussurrar no ouvido de Marcus, " eu quero você. ""Nós não podemos", sua mão ainda estava se mexendo no meio das minhas pernas."Por que não""Você sabe por que. ""Mas eu quero. ""Eu quero. Com certeza e quero", eu disse."Que inferno, não. Nós não podemos. "Mas aí eu já estava mexendo meu dedos por dentro da sua calça, alcançando a partemorna e dura de seus boxers, determinada a deixar a respiração dele tão forte quanto aminha.Nós fomos por partes, como um namoro de segundo grau, sem perder nenhumaparte, apenas adiando o inevitável, mas o inevitável finalmente aconteceu bem aliembaixo de uma árvore sentindo a chuva de julho.
  25. 25. Eu gostaria de dizer que eu estava pensando grandes e importantes coisas sobre aquiloque eu estava fazendo, o que significava isso no esquema da minha vida, que impactoteria no meu noivado,no meu relacionamento, mas não, eu pensava mais como , Será queeu sou melhor que as outras? Será que Dex vai descobrir? Será que Marcus vai sair com aRachel de novo? Por que está tudo tão bom? Nós demoramos um tempo pra chegar aoorgasmo, talvez por causa das bebidas, mas eu decidi que tinha mais a ver com a perfeitaquímica entre nós e a proeza sexual de Marcus.Depois que acabou, nós ficamos de costasna grama, recuperando o folego, com os olhos quase fechados. A chuva parou um pouco,mas nós estavamos os dois muito molhados."Uau", ele disse, tirando um galho das costas dele e jogando longe de nós. "Merda. "Eu podia dizer que deixei uma boa imprenssão, então sorri pra mim mesmo."Nós não devíamos ter feito isso", ele disse."Tarde demais", eu disse entrelaçando meus dedos aos dele.Ele apertou minha mão, "Muito tarde mesmo...meeeerda""Você não vai contar ao Dex, vai?" Eu perguntei."Você está louca? De jeito nenhum. Ninguém. Você também não, " ele disse, me olhandoem pânico."Claro que não. Ninguém", eu disse. Rachel passou pela miha cabeça, a expressão delamudando de chocada para sentida e para piedade. Especialmente para Rachel.Marcus pos a mão na minha coxa molhada "Nós devíamos entrar. Banho""Juntos?""Não. Ele riu nervoso. Juntos não. Nós já fizemos danos demais por hoje".Eu queria perguntar a ele o que iria acontecer a partir de hoje. Eu queria saber o que tinhasignificado pra ele, como ele estava se sentindo, era uma coisa de uma noite só ou nósiríamos repetir algum dia. Mas eu comecei a me sentir grogue, confusa e um poucochateada.Nós entramos, demos um beijo de boa noite e tomamos banho separados. Eunão pude acreditar no que aconteceu, e apesar de não me arrepender, eu chorei um poucono banho quando vi meu anel de noivado e lembrei de Dex dormindo na nossa cama emUpper West Side.Depois do banho eu tentei tirar a mancha do meu vestido com um produto que eu acheiembaixo do tanque, mas foi inútil, e eu sei que cloro ia acabar com o tecido delicado dovestido. Então eu torci o vestido,levei pra cozinha, abri a lata de lixo e coloquei o vestidoali por baixo das cascas de banana e uma caixa vazia de chocolate. Eu não estava afim deser descoberta por um vestido como se fosse uma Monica Lewinsky.Capítulo 5
  26. 26. No outro dia eu acordei com a boca seca, com gosto de tequila e dor de cabeça. Eu olheimeu relógio, passava pouco do meio dia. A noite anteiror parecia um sonho borrado.Borrado e bom. Eu não podia esperar pra ver Marcus de novo.Eu me levantei, escovei osdentes, prendi meu cabelo num rabo de cavalo, coloquei um pouco de blush nasbochechas, coloquei uma saia verde limão da Juicy Conture e uma camiseta branca e fui acaça de Marcus.Ele estava ali no sofá, sozinho, vendo tv."Oie", eu disse, sentando ao lado dele.Ele me olhou, desaprovadamente e soltou um .. "dia ou tarde", eu achoEntão ele voltou a ver tv."Onde está todo mundo?", perguntei.Ele me contou que Claire saiu pra lanchar e Hillary, nossa outra colega de casa, não tinhavoltado pra casa da noite anteior."De repente ela conseguiu uma ação também", eu disse pra quebrar o gelo."Sim, ele disse. Talvez"Eu tentei de novo. "Então, como você se sente?""Um merda, ele disse, trocando de canal e ainda evitando contato com os olhos. Aquelesdrinques não foram uma boa idéia. ""Ah, entendi, eu disse. Nós vamos por a culpa do que aconteceu no álcool, não é?"Ele balançou a cabeça e fez força pra não rir. " Sempre soube que você era problema,Darcy Rhone. "Eu gostei de saber dessa imprensão que ele tinha de mim, mas ao mesmo tempo nãoqueria que ele pensasse que eu era uma puta, ou que eu frequentemente traia Dex, entãoeu clareei as coisas, disse que nada disso nunca havia acontecido antes. E era,tecnicamente falando, verdade."Sim. Bem. E não irá acontecer de novo. De volta a realidade". Marcus disse.Magoou meus sentimentos e machucou meu ego o fato dele não estar me tratando com omínimo de gentileza. Nós tinhamos, apesar de tudo, disfrutado de uma noite de paixão.Paixão que eu não vivia a muitos anos, talvez nunca tivesse vivido. Eu gosto de pensarem mim como uma mulher do mundo, e eu já tive sexo em vários lugares, incluindo, masnão limitado, um estacionamento de igreja, um campo de milho e na sala de espera doconsultório dentário do meu pai. Mas esse trovão de sentimentos foi a primeira vez, e euestava chateada que Marcus não estava dando as devidas proporções aos fatos."Então você está arrependido?", eu perguntei."Claro que sim. "Eu assenti e tentei um novo angulo. "Então…você não gostou?"
  27. 27. Ele finalmente percebeu, me olhou e rosnou "Totalmente fora do assunto, Rhode. ""Não me chame assim, eu disse, Você não me chamou assim ontem a noite. ""Ontem a noite, ele disse balançando a cabeça, foi uma besteira. Eu acho que nósdevemos esquecer tudo"."Não", eu disse.Ele me olhou. "Não""Não, eu não posso esquecer, eu disse. Aconteceu. Nós não podemos voltar atrás"."Eu sei que não podemos voltar atrás, mas temos que esquecer, ele disse. Foi uma merdaque nós fizemos. ""Você está noiva...e Dex é um amigão...está feito"."Certo", eu disse., dando a ele um olhar de já que você diz...Ele olhou pra fora, então cruzou as pernas, no estilo masculino, "Foi uma besteira. "Me deixou furiosa que ele estava mais preocupado com Dex do que comigo."Marcus", eudisse."O quê?""Eu acho que nós devíamos conversar sobre o que aconteceu". Sobre o porqueaconteceu. Eu queria testar os limites, pra saber o quanto ele gostava de mim e se eupoderia ter ele de novo se quizesse.O que eu fiz. Uma ou duas vezes mais. Quer dizer,uma vez que você traiu, é muito horrível trais duas ou três vezes?"Aconteceu por que bebemos muito. ""Não foi por isso que aconteceu.Foi mais do que isso. Você não estava lá fora com aClaire, por favor. "Ele limpou a garganta, mas não disse nada."E se não for pra eu ficar com Dex?""Então você tem que cancelar o casamento"."Você quer que eu faça isso. " Eu perguntei."Não. Eu não disse isso. Você deve casar com Dex". A voz dele estava tão fria que mefez querer bater nele."E se for pra nós ficarmos juntos?", eu perguntei, olhando propositalmente dentro dosolhos dele.Ele olhou pra longe. "Não vai acontecer. ""Porque não?""Sem chances. ""Por que?""Porque... Ele se levantou e entrou na cozinha, retornando com uma garrafa de Gatoradede laranja. Foi um erro. Uma dessas coisas. "
  28. 28. "Você não sente nada por mim "Eu perguntei.Foi uma armadilha, ele não podia negarqualquer sentimento por mim ou ele seria um canalha por dormir comigo,mas se eleadmitisse que tinha sentimentos por mim, então a porta nao estaria totalmente fechada. Ele pensou por um momento e espertamente replicou, "sim, eu gosto de você, Darcy.Nós somos amigos. ""Então você sempre faz isso com suas amigas", eu retruquei.Ele abaixou o volume da tv um poco, cruzou os braços e me olhou "Darcy eurealmente...curti a noite passada...mas foi foi uma canalhisse. E eu me arrependo...foium erro"."Um erro". Eu disse muito ofendida."Sim", ele disse calmamente. "Um erro provocado por alcool".Mas significou alguma coisa pra você."Sim". Ele bocejou, se alongou e deu um sorriso tímido "Como eu disse, eu gostei, masacabou. Ponto. ""Ok, tá bem. " Eu disse. " Mas você não vai sair com a Rachel de novo, vai?""Não sei. Talvez. Provavelmente.Por que?""Você vai ?"Eu pergutnei indignada.Ele apenas me olhou, tomou um gole do seu gatorade. "Por que não?""Você não acha que ia ficar estranho isso agora" Eu perguntei. "Como um conflito deinteresses ou algo assim. "Ele levantou os ombros indiferente, mostrando que não via problema nisso."Você não vai dormir com ela, vai?" Eu perguntei, presumindo, baseda na ficha derachel, que eles ainda não tinhm feito isso.Ele riu e disse, "Tudo pode acontecer. ""Você tá falando sério eu perguntei horrorizada. Isso é muito estranho. Nós somosmelhores amigas. "Ele deu com os ombros de novo.Ok. eu tenho que te perguntar isso. "Se eu fosse solteira,Quem você escolheria?" Rachel ou eu?" eu perguntei. Eu tinha quase certeza da resposta,mas queria ouvir ele dizer.Ele riu . Você é demais.Vamos. Responda."Ok. Aqui vai a verdade. " Ele disse sério. Eu antecipei a primeira palavra doce delenaquele dia "Eu ia tentar sair com as duas de uma vez só. "Eu soquei o braço dele e disse" Fala sério! "Ele riu. "Vocês nunca fizeram isso antes?""Não. Nós nunca fizemos isso antes! Você é nojento, " eu disse. "Eu jogo fundo mas eugosto dos meus casos a dois...então vamos. Você tem que escolher. Rachel ou eu?"
  29. 29. "Difícil escolha"."Difícil por causa do Dex, né?" "Mas você é mais atraído por mim, né?" eu pergunteiprocurando por afirmação. Eu queria tanto ser melhor que Rachel, porque ela tinha onegócio dela ,a coisa de ser inteligente e advogada, enquanto eu era a gata desejada peloshomens , esse era omeu domínio, minha fonte de alta estima. E eu queria, eu precisava,que isso ficasse claro ali.Mas a resposta de Marcus não me deu muita satisfação. "Vocês tem duas belezasdiferentes", ele disse enquanto aumentava o volume da tv pra mostrar que nossa conversaacabou. "Agora vamos assistir um pouco de Wimblendom, o que você me diz. O queacha desse Agassi?"Pelo resto do fim de semana, como Marcus fez o melhor pra evitar estar sozinho comigo ,eu me vi obssecada nele. E quando voltamos pra cidade, minha vontade apenasaumentou. Eu não necessitava ter um caso com ele, mas eu queria que ele me quisesse.Mas isso claramente não estava acontecendo. Apesar do monte de emails e telefonemas,Marcus estava me ignorando completamente. Então uma semana depois, eu tomei umadecisão desesperada apareci no seu apartamento com seis cervejas e Pulp ficition, umfilme que todo homem ama. Marcus me deixou subir até seu apartamento e me esperoude braços cruzados na porta. Ele estava com uma calça cinza gasta e rasgada no joelho euma camiseta. Ainda assim ele parecia gato, como só ele conseguiria depois de fazer sexoproibido comigo na chuva."Bem, eu posso entrar?"Eu trouxe presentes, eu disse mostrando a cerveja e o vídeo."Não", ele disse, rindo."Por favor", eu disse suavemente.Ele balançou a cabeça e riu, mas não se mexeu."Deixa ?Será que a gente pode simplismente conversar hoje a noite", eu perguntei. " Sóqueria passar um tempo com você. Como amigos. Estritamente amigos. Isso é errado? "Ele fez um som exasperado e abriu um espaço para que eu passasse."Você é uma piada. ""Só queria te ver de novo. Como amigos. Eu prometo", eu disse, entrando no apartamentoesteriotipado típico de homem solteiro.Roupas e jornais jogados por todo lado. Umalasanha Stouffer congelada em cima da mesinha de café.A cama não tinha sido feita , olençol de elástico esticado pra cobrir um colchão azul velho. E um grande aquário,precisando de uma boa limpeza, perto de uma tv de plasma e um monte de video games.Ele me viu olhando para tudo."Não estava esperando compania. ""Eu sei. Eu sei. Mas você não retornava minhas ligações. Eu tive que usas medidasextremas. "
  30. 30. "Eu sei sobre as suas medidas extremas", ele disse, apontando para um futton do ladooposto do sofá. "Pode se sentar". "Vamos lá Marcus. Eu acho que nós podemos sentar no mesmo sofá. Eu juro que nadavai acontecer. "Eu estava mentindo, nós dois sabíamos disso.Então no meio do filme, depois de alguns movimentos suaves meus, Marcus e euacabamos cometendo nosso segundo grande erro. E, eu gostei mais ainda dele num sofáseco e suave.Capítulo 6Depois da noite no sofá, Marcus parou de resistir e parou de se referir a nós como umerro.Apesar de ele raramente iniciar o contato, estav sempre disponível quando eu pediapara ve-lo, não importa se era durante o almoço no meio do dia ou a noite quando Dextrabalhava até tarde. Todo meu tempo livre envolvia Marcus. E quando eu não estavacom ele, estava pensando nele, fantasiando sobre ele. O sexo era Maravilhoso, coisa deprimeiro nível que eu só pensei que existia em filmes como 9 ½ semanas de amor.Nunca era demais, e ele claramente era tão obcecado por mim como eu por ele. Eletentava se fazer de O CARA, mas de vez em quando, eu tinha uma idéia dos seussentimentos pelo som da sua voz quando eu ligava pra ele ou o jeito que ele me olhavadepois do sexo quando eu andava nua pelo seu apartamento.Mas apesardo romance ir aumentando,Marcus nunca nem menciono que eu deviacancelar o casamento. Nenhuma vez. Nem quando eu pressionava ele, perguntando se eudevia continuar a diante com o casamento. Ele apenas dizia "Isso é com você, Darce".Ou, ainda mais frustrante , ele dizia que eu devia casar com Dex. Eu sei que era apenas aculpa dele falando, mas eu odiava assim mesmo. Embora eu não tivesse a intenção decancelar o casamentoe devia estar aproveitando a liberdade que vinha com a falta deexigência do caso que estava tendo, eu ainda queria que Marcus me dissesse que ele tinhaque ficar comigo, Que se eu não contasse ao Dex a verdade sobre nós, ele contaria. Essasmedidas dariam a idéia exata da nossa paixão, essa inparável, inominável força que nosunia. Mas esse nao era o estilo de Marcus. Embora ele tivesse passado por cima da regrade não dormir com a noiva de um amigo, ele não iria até o fim e realmente sabotaria ocasamento.Então o noivado continuava seu curso,me dividia entre noiva e amante. Eu saia doaprtamento do Marcus e voltava pro meu, completamente mudando de papel, pegandomeus arquivos do casamento e pedindo trezentos coisas para o casamento sem piscar osolhos.Mesmo estando a fim do Marcus como eu estava, eu aiinda me via como parte do
  31. 31. casal de ouro e acreditava que ninguém era melhor pra casar do que Dexter.Pelo menosno papel. Dex ganhava de longe do Marcus no papel. Pra começar, ele era mais bonito.Se você chamasse cem mulheres pra votar, todas votariam no Dex. Marcus não era tãoalto, seu cabelo não era tão grosso, e suas características não eram tão marcantes.E emoutras categorias , também, Marcus perdia, ele não era tão arrumado, tinha uma péssiamética profissional, ele não ganhava tanto quanto Dex, a famíla dele não era tão boa,ogosto dele não era tão refinado, ele tinha traído suas ex namoradas e era capaz de mentirpara o seu amigo.Marcus apenas continuava no jogo pelo seu intangível jeito de não se importar comnada. Nós tínhamos uma coisa que não se podia articular. Uma luxuria, uma paixão, umaconexão física. Ele era irresistível, até nas suas imperfeições, e eu não conseguia parar devoltar para mais e mais.Não que eu tenha tentado parar.Eu continuava a vida, ajeitando ascoisas para o casamento, e voltando pra casa epara o Dex depois de ter feito intenso sexocom o padrinho de casamento dele . Eu sempre me dizia que antes do casamento eu iriaresolver isso, e que, apartir do dia do casamento eu seria uma mulher fiel. Eu estavaapenas fazendo uma ronda final. Apenas passando de fase. Um monte de caras fazia.Porque eu não podia ?Claro que eu não contei a ninguém sobre o caso. Nem pra minha mãe, com quem eurepartia tudo.Nem Claire, que nunca nem entenderia o porque de eu trair alguém com opedigree do Dexter e por em perigo meu futuro.E certamente não contaria a Rachel,porque ela julgaria tudo errado e porque eu sabia que ela era afim do Marcus.Só uma vez eu cheguei perto de falar a verdade. E foi depois que eu perdi meu anel denoivado na casa do Marcus e acusei a empregada dele de ter roubado.Eu estava empânico, pensando em como conseguir um anel novo antes do casamento,preocupada emter que contar ao Dex que o anel sumiu, e de repente preocupada se eu devia mesmo casarcom Dex. Então em puro desespero, eu procurei Rachel para aconselhamento. Ela semprefoi minha tomadora de decisões até nas coisas mais triviais, como comprar a bota Guccide couro chocolate ou marrom bronzeado( embora que na época, não pareceu tão trivial),então eu sabia que ela estaria ali por mim em qualquer ocasião.Eu confessei meu caso,mas não dei muita importância, dizendo a ela que apenas aconteceu uma vez.Eu tambémdisse a ela que era um cara do trabalho, ao invés do Marcus. Eu apenas queriaresguaradar s sentimentos dela, porque naquela época eu achei que nada viria a tona.Como sempre, Rachel me deu seu conselho. Comendo comida chinesa no seuapartamento, ela me convenceu que um caso era simplismente manifestção de medo, omedo que apenas os homens, ou uma mulher com várias opções, podem entender. Ela mefez ver que embora o começo de uma paixão é um momento maravilhoso, o que eu tinhacom Dex era melhor, mais duradouro. Eu acreditei nela, e decidi que eu iria casar com
  32. 32. Dex. Então, uma noite de agosto, três semanas antes do casamento, aconteceu uma coisaque me fez questionar minha decisão.Eu tinha um jantar com um cliente que foi cancelado no último minuto, então eu aarecino apartamento do Marcus para surpreênde-lo. Ele ainda não estava em casa, mas euconvenci o porteiro a me entregar a chave reserva daí eu poderia esperar dentro doapartamento. Então eu subi, me despi exceto pela tatuagem de leopardo no calcanhar eme joguei no sofá ansiosa para que ele chegasse e me encontrasse ali.Depois de umahora, e quando eu estava começañdo a cansar, eu ouvi o inconfundivel barulho de saltosfemininos no corredor e a voz baixa de Marcus, obviamente conversando com a suacompanheira. Eu levantei para me vestir, mas não consegui faze-lo antes que Marcus euma loura, que me lembrava Stacy do Aureolle, entrassem.Ela tinha um rosto bonito mastinha um corpo com formato de pera,e pra piorar, usava um sapato da Nine west daestação retrasada. Nós tres ficamos parados ali, nos olhando. Eu ainda estava totalmentenua, só de sapatos."Darcy, você me assustou pra valer", disse Marcus, não estando tão assustado assim queeu tenha percebido. "Meu porteiro não me disse que você estava aqui".Eu peguei uma camisa suja do Marcus que estava jogada por ali e coloquei, não antes dever a garota me dar um olhar invejoso. "Eu acho que ele esqueceu", eu falei."Eu vou embora", disse a loura, voltando pela porta."Faça isso", eu disse apontando pra porta."Tchau, Angie, Eu vou"..., Marcus disse."Ele vai te ligar amanhã, Angie", eu soltei sarcástica. "Blah... "Assim que a porta se fechou, eu tentei bater nele, enquanto eu grutava "Seu filho da mãementiroso, você atentou contra o meu noivado, você arruinou a minha vida. "No fundo eu sabia que eu não tinha direito de estar com tanta raiva, que eu estava aapenas algumas semanas de casar com outra pessoa.E ainda assim, eu também achavaque eu tinha todo direito de estar com raiva sim.Então eu contineu socando ele enquantoele se esforçava pra se defender com a s mãos ou o antebraço, como meu personal trainerfazia no treino de Kickboxing.Isso continuou por um tempo, até finalmente Marcus se irritar.Ele agarrou meus braços me balançou e disse, "O que você achou que ia acontecer,Darcy?""Com Angie?" Eu disse, esperando que ele estivesse querendo me falar que Angie era sóamiga, que nada ia acontecer."Não", ele disse com desgosto. "O que você achou que ia acontecer depois que você secasasse? Alguma vez você parou pra pensar nisso?""Claro que sim", eu disse a ele, na defensiva . Não esperava esse tipo de pergunta.
  33. 33. "E?""Eu nem sei se vou me casar", eu disse. Claro, eu tinha toda intenção de me casar maspensei que eu teria mais razão na discussão se não estivesse ali mais na condição de quemvai se casar com outro."Bem, imaginando que você vá",Marcus disse. "Você achou que iamos continuar nosvendo?""Não", eu respondi mostrando dignidade."Quer dizer, Jesus cristo Darcy", ele falou. "Já é ruim eu estar saindo com a noiva domeu amigo por dois meses, mas você sabe eu tenho limites. Eu não vou dormir com aesposa do meu amigo, se é isso que você tem em mente"."Eu não tinha isso em mente", eu disse.Se ele ia subir o tom, eu também iria, embora nósjá tivessemos quase no máximo."E então? Você pensou que eu me tornaria celibatario depois do seu casamento? Andara vida inteira atrás de ti? Saindo com você e Dex e pensando: Uau que cara de sorte eleé, Quem dera eu pudesse ser ele?""Não", eu disse, embora eu tenha gostado do tema apaixonado arrasado. Quem nãogostaria? Quer dizer, existe uma razão para Romeu e Julieta fazer tanto sucesso." Então, pelo amor de Deus Darcy, o que você quer de mim?" ele gritou, agora andandode um lado para o outro no apartamento.Eu considerei por um momento e então disse, numa mínima, baixa voz com umaexpressão de garotinha morrendo de medo " Eu queria que você me amasse. "Ele fez um som estranho e me olhou repugnado.Estava tudo voltando pra mim. Por queagora eu era a garota má?Eu sentei passando a camiseta por sobre meus joelhos, lágrimas rolando em meu rosto.Choro sempre funcionava com Dex. ,mas Marcus não caiu " Ah, pare de chorar! " Eledisse " Pare agora! "" Então, você me ama? " Eu pressionei, esperançosa.Ele balançou a cabeça. Eu não vou jogar o seu joguinho manipulativo, Darcy." Eu não estou manipulando você... Porque você não reponde a pergunta? " Eu estavainesperadamente nervosa." Porque você não responde a minha pergunta ?Ok ?Você me diz que diferença faria seeu amasse você ?Me diz?Ãhnh? O rosto dele vermelho e movendo as mão para todos oslados.A não ser que tivesse envolvido algum jogo ou esporte, eu nunca tinha visto ele tãoagitado, nervoso ou irritado.Por um segundo, eu fiquei encantada pela intensidade da reação dele, e também de ouvirele falando em amor, foi o mais perto que ele chegou de flar que sentia algo por mim.Masentão eu lembrei de Angie e a fúria voltou. "Bem, Se você me ama ?E a Angie?" Eu
  34. 34. apontei pra porta onde minha competidora(muito mais fraca) tinha saído. "Porque elaestava aqui? Quem é ela, falando nisso?""Não é ninguém", ele disse."Se ela não é ninguém", eu perguntei, "Porque você ia transar com ela?"Eu esperava uma negação, mas ao invés disso ele me olhou desafiante."Você ia transar com ela?", eu perguntei.Ele esperou uns momentos, e então disse: "Sim, pra dizer a verdade, esse era o plano."Eu soquei o ombro dele, minha mão doeu, mas ele nem se moveu."Você é um canalha", eu disse. "Eu te odeio tanto".Ele me deu um olhar vazio e disse: "Apenas vá, Darcy. Sai agora. Isso acabou. Nósacabamos.Eu te vejo no casamento."Eu podia ver que ele falava sério. Eu estava paralisada, simplismente não acreditando quetudo ia acabar daquele jeito."É isso que você realmente quer?"Ele soltou uma risada desdenhosa. " Por acaso isso não foi sempre sobre o que vocêqueria?""Ah., faça me o favor, " eu disse. "Como se você não tivesse gostado de cada segundo. ""Claro. Tem sido divertido". Ele disse levianamente."Foi isso?Divertido""Sim,divertido. O máximo. Uma verdadeira maravilha. Os melhores momentos da minhavida, Marcus disse. O que você quer qu eu diga? O que você quer de mim?"Eu considerei a pergunta e respondi honestamente. "Eu quero que você me queira. Pormais que diversão. Para mais que maravilhoso sexo.Eu quero que você me queira deverdade, pra valer. "Ele parou, riu e balançou a cabeça. "Ok, Darcy, Eu quero você. Eu quero você. Eu querovocê só pra mim.Tá feliz agora?"Antes que eu pudesse responder, ele se virou e entrou no banheiro, batendo a porta atrásdele.Eu esperei um minuto antes de segui-lo, a porta estava destrancada. Ele estavaapoiado na pia no escuro. Pela luz do corredor eu pude ver o rosto dele no espelho. Eleparecia triste, e isso me surpreendeu e abrandou."Sim", eu disse calmamente."Sim pra sua pergunta. Eu estou feliz que você me quer", eu disse. "E eu te amotambém." Ele me deu olhar desarmado. Eu tive a minha resposta. Marcus me amava. Eusenti uma onda de alegria, um sentimento de triunfo e paixão. "Eu vou cancelar ocasamento". Eu finalmete disse.Mais silêncio."Você ouviu o que eu disse?"
  35. 35. "Eu ouvi. ""O que você acha disso?""Você tem certeza que quer fazer isso?""Smi, eu tenho. "Na verdade, Eu não tinha tanta certeza, mas era o primeiro momento que eu realmenteme vi fazendo aquilo, coratndo a longa corda de segurança com Dex e começando umanova vida. Talvez foi ter visto Marcus com outra pessoa que fez entender que nósterminaríamos em poucas semanas se eu não escolhesse logo.Talvez foi ter visto seusolhos tristes no banheiro parado sobre a pia.Talvez foi ter ouvido ele falar a palavra amor.E talvez o fato que foi tão emocionante a cena qque eu não tinha como fazer outracoisa.Eu acabaria com o clima se não dissesse aquilo.Momentos depois eu e Marcus estavamos fazendo sexo intenso e sem camisinha."Eu já estou quase lá", Marcus finalmente disse, depois que eu já tinha gozado duasvezes."Dois segundos mais", eu falei,me mexendo sobre ele."Sai agora. To falando sério".Então eu me mexi mais.pra cima dele, não me importando que eu estava bem no meuperíodo fértil, provavelmente o mais perigoso do mês."O que você está fazendo?" Ele gritou com os olhos loucos e com medo. "Você querengravidar?"No momento me pareceu uma grande idéia, uma solução romanticamenteperfeita,Porque nãoEle me deu um meio sorriso e disse que eu estava louca." Louca por você ", eu disse.Não faça isso de novo, ele disse. Eu falo sério." Ok, papai ", eu disse, embora eu eu realmente penssasse que não tinha engravidadodessa vez. Isto aconteceu muitas vezes na minha vida, especialmente na Universidade,quando eu esquecia de tomar minha pirula ou não me precavia suficientemente,mas eununca engravidei, de fato, uma parte de mim achava que eu nunca engravidaria. O quecaia muito bem em mim. Quando a hora chegasse, eu simplismente pegaria um avião eadotaria um bebê na China ou Cambodia, como Nicole Kidman e Angelina Jolie. Erapidamente eu seria uma mãe glamurosa com meu corpo perfeito intacto." Isso não é engraçado ".Marcus disse , rindo. " Vá fazer algo, se lavar, ou fazer xixi, ouqualquer outra coisa, você poderia ?"" É ruim hein ", eu disse, dobrando as pernas sobre mim e segurando os joelhos, umatecnica que Annalise, uma amiga do segundo grau, usou quando ela e o marido estavamtentando ter um bebê. "Nadem, pequenos espermas, nadem! "
  36. 36. Marcus riu e beijou meu nariz, " sua louca. "" Sim, mas você me ama, eu disse. Diz de novo. "" De novo? eu nunca disse da primeira vez. "" Foi quase a mesma coisa. Diz de novo "Ele respirou fundo e me olhou profundamente, " Eu acho que te amo, sua louca. "Eu sorri, pensando que finalmente eu tive sucesso. Marcus estava quebrado. Ele era meuse eu o quisesse.Nos dias seguintes, eu vaguei, procurando um sinal, qualquer sinal. Eudevia escolher entre Dex ou Marcus ?Casamento ou sexo?Segurança ou divertimento?Então, no começo de setembro, uma semana antes do casamento, eu finalmente tive aminha resposta final em forma de duas linhas rosas paralelas numa paleta de plástico comum pouco de urina.Capítulo 7"O que diz aí ?" Marcus perguntou, quando eu saí do banheiro com a paleta na mão. Eleme esperava no sofá enquanto lia uma edição da revista Sports Ilustratted."Diz...Parabéns papai. ""Não ""Sim.""Você está de sacanagem comigo.""Não, eu estou grávida."Marcus olhou pra cima e fechou a revista, eu sentei ao lado dele, peguei sua mão, eesperei por mais. Talvez um abraço, um tapinha gentil, umas lágrimas."E...você tem certeza...que é meu ?""Sim ", eu disse. Essa pergunta era um insulto e doía. "Eu não tenho sexo com Dex desdemuito tempo, e você sabe. ""Você tem certeza disso? Nenhuma vez esse mês ? Não é hora de exagerar, Darcy.""Sim, tenho certeza". Eu disse firme. Era a verdade, Graças a Deus.Eu pensei no meu amigo do segundo grau Ethan, que é branco e de olhos azuis e comoele tinha casado com a sua namorada , Brandi, também branca e loura. Meses depois eladeu a luz a um bebê de cabelos pretos com olhos castanhos escuros. Rachel e eu sentimospena por Ethan, pela dor de cabeça e humilhação que ele enfrentou durante seu divórcio.Mas eu também me senti mal por Brandi. Por alguma razão, eu me indentifiquei com elade um jeito camarada-feminino. Eu sei o que ela deve ter sofrido por nove meses,esperando e rezando para que o bebê parecesse com seu marido e não com um Alaskano
  37. 37. com quem ela visitou iglus...se é que você me entende. A espera deve ter sido agonizante.Apenas de pensar, já revira meu estomago, então, foi muita sorte eu não ter feito sexocom Dex nesse mês.Eu tinha certeza que o bebê era de Marcus.Eu coloquei a paleta em cima da mesinha de café e olhei pras duas linhas rosas. "Uau",eu disse, me sentindo tonta, "Um teste positivo. Eu nunca vi um desses...e eu já fiz ummonte de testes"."Será que nós devíamos fazer outro teste Apenas para ter certeza" Marcus perguntou,pegando outro teste da sacola do mercado. "Eu trouxe duas marcas"."Eu não acho que você tenha muitos falsos positivos nos testes de gravidez".Eu disse."Funciona de outro jeito. ""Não me diga", Marcus disse enquanto rasgava o plástico do outro teste.Eu suspirei alto enquanto pegava a caneca cheia de xixi do banheiro.Marcus olhou sentido. "Você mijou na minha caneca do Broncos?""Sim, e?""Essa era minha caneca favorita", ele disse lamentando."Oh, pelo amor de Deus , apenas lave".eu disse. "E de qualquer jeito, você nunca ouviudizer que urina é completamente esterelizada?"Marcus fez uma careta."Desde quando você é maníaco por germes?"Eu perguntei, olhando em volta doapartamento dele."Eu nunca vou poder beber dessa caneca de novo", ele resmungou.Eu revirei meus olhos e coloquei uma nova paleta dentro de sua preciosa xícara.Entãocontei devagar e alto até cinco, antes de tirar a paleta da xícara e colocar na mesa ao ladoda outra paleta. Marcus ficou contando os minutos no seu relógio até eu dizer, "Umacruz, isso quer dizer positivo! ""Deixe me ver", ele disse, parecendo estupefato enquanto examinava a paletacomparando-a com o desenho atrás da caixa."Parece meio torta comparado ao dacaixa"."Uma cruz torta ainda conta", eu disse. "É o conceito VOCÊ NÃO PODE ESTAR UMPOUQUINHO GRÁVIDA, aqui. Leia isso."Marcus examinou a bula do teste, obviamente esperando encontrar uma cláusula deDESREPONSABILIZAÇÃO, uma seção de falsos positivos. Um pouco de esperançapassou por seu rosto enquanto ele baixava a bula ,"e agora?""Bem, pra começar, nós vamos ter um bebê daqui a nove meses", eu disseagradavelmente."Você não pode tá falando sério. Sua voz tinha um pouco de aspereza.
  38. 38. Eu o encarei pra mostar a ele que estava falando sério.Então, eu peguei a mão dele.Marcus endureceu. " Você tem certeza que é isso que você quer ?Porque nós temosoutras opções. "As implicações eram claras. Eu levantei meu queixo e disse, " Eu não acredito emaborto. "Eu não tenho certeza porque eu disse isso, porque eu na verdade sou a favor da escolhada mulher.Além do mais, eu particularmente não queria ser mãe nesse estágio da minhavida. Eu não ouvia nenhum chamado do relógio biológico que algumas amigas minhasestavam ouvindo ultimamente,já que estavamos perto dos trinta anos.E eu certamente nãoqueria ganhar peso, ou ter toda essa responsabilidade e as restrições da minha vida e dasminhas noitadas.Mas no momento, eu estava inexplicavelmente feliz com o meu teste de gravidezpositivo. Talvez porque eu estivesse tão ligada ao Marcus que a idéia de ter um filho deleparecia um trailher de um filme romântico. Ou talvez eu gostasse do sentimento de estarmais atada a ele. Não que eu questionasse o compromentimento dele comigo. Eu podiadizer que ele era louco por mim do jeito peculiar dele, mas ele era um desses caras quevocê nunca pode controlar totalmente, e estar grávida dele apertou meu laço de união aele.Não que eu tenha engravidado concientemente . Claro que não. Eu acho que,relembrando aquela noite de sexo, estava no nosso destino.E uma coisa a mais estava clara pra mim naquele momento: Um teste de gravidezpositivo dizia que meu casamento estava cancelado. O fato do meu alívio ser tãopaupável dizia que eu tinha minha verdadeira resposta: Eu não queria casar com Dex.Num instante eu não queria mais o Dex e nosso casamento de conto de fadas , era apenasemocionante o bastante pra fazer parte de um drama maior." Eu vou contar ao Dex hoje ", eu disse com uma certeza que até eu me surpreendi." Que você está grávida ?" Marcus perguntou, engasgando.Não, apenas que o casamento está cancelado.Você tem certeza que quer fazer isso ? Tem certeza que quer ter um bebê ? ele perguntouem pânico.Positivo. Eu olhei para as paletas.Positivo, entendeu ?"Marcus estava sentado parecendo chocado e um pouco chateado.Você não está nem um pouquinho feliz ?", eu perguntei." Sim ", ele disse melancólico. "Mas…mas eu estava pensando que nós podíamos parar ediscutir nossas opções ."Eu deixei ele continuar. " Eu podia jurar que ouvi você dizer que é a favor das mulheresfazerem suas próprias escolhas ?"
  39. 39. "Ok. Eu sou a favor da escolha. " Eu disse num tom exagerado. "E eu escolho ter essebebê. Nosso bebê.""Bem, dá um tempo pra poder pensar em tudo... ""Você está me magoando ", eu disse."Por que ?""Porque eu quero ter esse bebê, eu disse ficando chateada, e eu queria que você sentisseo mesmo...Eu não acredito que você nem me abraçou. "Marcus levantou e passou seus braços em volta de mim."Me diz que você está feliz, só um pouquinho feliz", eu sussurrei no ouvido dele.Marcus me olhou de novo e disse sem convicção, "Eu estou feliz. Eu apenas estoudizendo que nós podemos ir devagar e pensar direito. Talvez você devesse conversarcom alguém".Eu dei a ele um olhar de desprezo. "Você quer dizer um psicólogo?""Alguma coisa assim. ""Isso é rídiculo.Pessoas vão pra terapia quando estão cheias de desespero.Mas eu estoubem", eu disse."Ainda assim, você pode ter algumas perguntas sobre o que está acontecendo", Marcusdisse. Ele sempre falva da nossa relação generalizando como , "algumas perguntas", "essacoisa", "nosso negócio", "a situação", e de vez em quando falava um pouco incrédulo detudo. Sempre me irritou que ele ele não tivesse captado nossa essência ainda. Nós éramosmais que isso.Especialmente agora que íamos ser pais."Eu não tenho perguntas. Eu amo você. Eu quero ficar com nosso bebê, é isso aí". Atéquando eu disse, eu sabia que não seria só "é isso aí" no meu mundo. Isso era talvez um"alguma coisa assim", ou "é isso aí e mais um pouco". Mas eu continuei, resoluta."Agora se você me dá licensa, eu tenho um casamento pra cancelar. "E foi isso que eu fiz.Eu voltei direto pra Upper West Side para contar as novidades aomeu noivo.Eu achei Dex separando suas roupas que chegaram da lavanderia, tirando doplástico as camisas e separando as brancas das azuis.Por um momento eu não consegui,eu não consegui me imaginar falando ao Dex que após anos juntos, nós íamos acabar,masentão lembrei do Marcus e ganhei confiança."Nós precisamos conversar", eu disse, com voz de negócios."Tudo bem", Dex disse devagar. E eu podia ver que ele sabia exatamente o que eu iadizer.Ele estava com uma aparência que sabia alguma coisa por algumas semanas, mas aexpressão que ele tinha naquele momento me fez crer que homens também tem intuição.Algumas palavras depois nosso casamento estava oficialmente cancelado. Nossorelacionamento de sete anos estava acabado. Foi bizarro como foi tudo tão rápido e fácil.Tecnicamente, Dex foi o que deu o primeiro passo, dizendo que seria um erro nós nos

×