O SENTIMENTO DE SI – o corpo, a emoção e a neurobiologia da consciência<br />Psicologia B<br />Colégio de Nossa Senhora da...
Índice<br /><ul><li>Introdução
As emoções
A consciência nuclear
A construção da consciência nuclear
A consciência alargada
A neurologia da consciência
Relação de conhecimento, consciência e emoção
Conclusão
Fontes</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista                                      Ano Lectivo 10/11               ...
Introdução<br /><ul><li>Este livro baseia-se na ideia do autor acerca do que é a consciência em termos mentais e de como a...
Para perceber melhor estes assuntos Damásio recorre a um programa de pesquisas sobre a consciência, apoiados em factos rec...
Função cerebral<br />Mente<br />Comportamento<br /><ul><li>  António Damásio aborda vários aspectos relacionados com a men...
Emoções<br />“ Sem qualquer excepção, homens e mulheres de todas as idades, de todas as culturas (…) têm emoções, estão at...
Um aparte histórico…<br /><ul><li>Ao longo da maior parte do século XX, a emoção não foi digna de crédito nos laboratórios:
A emoção estava no pólo oposto da razão, indubitavelmente a mais excelente capacidade humana, e totalmente independente da...
Nos últimos anos, tanto a neurociência como as ciências cognitivas abraçaram finalmente a emoção:
A emoção faz parte integrante dos processos de raciocínio e tomada de decisão.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavis...
Emoção e Sentimento<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista                                      Ano Lectivo 10/11      ...
O desencadear não consciente das emoções<br /><ul><li>“Experiência da boa pessoa e do vilão”</li></ul>(David, tem graves p...
 Só em parte conseguimos controlar a expressão de algumas emoções (disfarçar a tristeza, por exemplo);
Por exemplo, um sorriso espontâneo originado por um prazer genuíno ou um soluçar espontâneo causado por uma mágoa verdadei...
 O desencadear não consciente das emoções também explica a razão por que estas não são fáceis de imitar.</li></ul>Colégio ...
A função biológica das emoções<br />	1. Produção de uma reacção para a situação indutora (p.ex.: fugir)<br />	2. regulação...
O induzir das emoções<br /><ul><li>Acontecem em dois tipos de circunstâncias:</li></ul>1. 	Quando o organismo processa det...
Importância da emoção no controlo do comportamento<br /><ul><li>Exemplo de um doente com lesão da amígdala em ambos os hem...
Não consegue fazer nem reconhecer expressões faciais de medo;
Não aprende o significado de situações desagradáveis na sua vida.</li></ul>Incapacidade para realizar juízos sociais corre...
Um aparte sobre a definição das emoções<br /><ul><li>A dor é emoção?
O prazer é emoção?</li></ul>Para Damásio, dor e prazer nãosão emoções:<br /><ul><li>“Quer a pessoa esteja consciente quer ...
A CONSCIÊNCIA NUCLEAR<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista                                      Ano Lectivo 10/11    ...
O estudo da consciência<br /><ul><li>A consciência é de carácter privado e pessoal, não acessível à observação.
Estudo:</li></ul>Interno<br />Externo<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista                                      Ano L...
Manifestações externas da consciência<br /><ul><li>Vigília
Emoções de fundo
Atenção elementar
Comportamentos específicos</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista                                      Ano Lectivo ...
Alterações da consciência nuclear<br /><ul><li>Automatismos epilépticos
Mutismo acinético
Crises de Ausência
Estado vegetativo persistente
Sono sem sonhos
Anestesia profunda</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista                                      Ano Lectivo 10/11   ...
Linguagem e consciência<br /><ul><li>Será que os doentes com afasia global não estão conscientes?
Vigis
 Atentos
 Com finalidades nas suas acções
 Emoções</li></ul>Não! <br />Os doentes apresentam-se<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista                           ...
Memória e consciência<br /><ul><li>David sofreu uma lesão nos lobos temporais direito e esquerdo, não aprendendo factos no...
Relação entre consciência nuclear e consciência alargada<br />Consciência Alargada<br />Consciência Nuclear<br />Colégio d...
A estabilidade é necessária<br />Variável<br />Fronteira<br />Capaz de se autor regular<br />Estável<br />Meio Interno<br ...
A gestão da vida<br />Termostato<br />Climatizadores<br /><ul><li> Sensores para </li></ul> sinais exteriores<br /> ao cér...
Os mapas do corpo<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista                                      Ano Lectivo 10/11        ...
O proto-Si<br /><ul><li>Conjunto coerente de padrões neurais que cartografa, a cada instante, o estado da estrutura física...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Sentimento de Si

7,130

Published on

Colégio Nª SRª da Boavista - Vila Real
Disciplina: Psicologia B
Docente: Sérgio Morais
2010/2011
Alunas: Ana Pereira; Diana Martins; Liliana Dinis; Tânia Dinis
historicofilosoficas.blogspot.com

Published in: Education
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
  • Gostaria muito de poder baixar esses e outros material de trabalho, como eu posso fazer para poder baixar? podem enviar a respostas po email. itamaratrabalho@hotmail.com
    obrigado
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
7,130
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Sentimento de Si"

  1. 1. O SENTIMENTO DE SI – o corpo, a emoção e a neurobiologia da consciência<br />Psicologia B<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />1<br />
  2. 2. Índice<br /><ul><li>Introdução
  3. 3. As emoções
  4. 4. A consciência nuclear
  5. 5. A construção da consciência nuclear
  6. 6. A consciência alargada
  7. 7. A neurologia da consciência
  8. 8. Relação de conhecimento, consciência e emoção
  9. 9. Conclusão
  10. 10. Fontes</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />2<br />
  11. 11. Introdução<br /><ul><li>Este livro baseia-se na ideia do autor acerca do que é a consciência em termos mentais e de como a consciência pode ser construída no cérebro. Isto para ajudar a compreender o problema do Si, do ponto de vista biológico.
  12. 12. Para perceber melhor estes assuntos Damásio recorre a um programa de pesquisas sobre a consciência, apoiados em factos recolhidos junto de doentes neurológicos.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />3<br />
  13. 13. Função cerebral<br />Mente<br />Comportamento<br /><ul><li> António Damásio aborda vários aspectos relacionados com a mente e com os nossos comportamentos para compreendermos a Biologia da Consciência.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />4<br />
  14. 14. Emoções<br />“ Sem qualquer excepção, homens e mulheres de todas as idades, de todas as culturas (…) têm emoções, estão atentos às emoções dos outros (…) e governam as suas vidas, em grande parte pela procura de uma emoção, a felicidade (…) Há qualquer coisa de muito característico no modo como as emoções estão ligadas às ideias, aos valores, aos princípios e aos juízos complexos que só os seres humanos podem ter (…) A emoção humana pode até ser desencadeada pela música barata ou pelo cinema de má qualidade (…) ”<br />Emoções são processos desencadeados por um acontecimento, pessoa, situação, que é objecto de uma avaliação cognitiva nem sempre consciente.<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />5<br />
  15. 15. Um aparte histórico…<br /><ul><li>Ao longo da maior parte do século XX, a emoção não foi digna de crédito nos laboratórios:
  16. 16. A emoção estava no pólo oposto da razão, indubitavelmente a mais excelente capacidade humana, e totalmente independente da emoção.
  17. 17. Nos últimos anos, tanto a neurociência como as ciências cognitivas abraçaram finalmente a emoção:
  18. 18. A emoção faz parte integrante dos processos de raciocínio e tomada de decisão.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />6<br />
  19. 19. Emoção e Sentimento<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />7<br />Não é inerente aos sentimentos termos consciência deles<br />
  20. 20. O desencadear não consciente das emoções<br /><ul><li>“Experiência da boa pessoa e do vilão”</li></ul>(David, tem graves perturbações de aprendizagem e memória)<br /><ul><li> Não precisamos de estar conscientes do indutor de uma emoção;
  21. 21. Só em parte conseguimos controlar a expressão de algumas emoções (disfarçar a tristeza, por exemplo);
  22. 22. Por exemplo, um sorriso espontâneo originado por um prazer genuíno ou um soluçar espontâneo causado por uma mágoa verdadeira são executados por estruturas cerebrais sobre os quais não temos possibilidade de controlo voluntário.
  23. 23. O desencadear não consciente das emoções também explica a razão por que estas não são fáceis de imitar.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />8<br />
  24. 24. A função biológica das emoções<br /> 1. Produção de uma reacção para a situação indutora (p.ex.: fugir)<br /> 2. regulação do estado interno do organismo, de tal modo que este esteja preparado para essa reacção específica (p.ex.: aumento na circulação de sangue; mudança dos ritmos cardíaco e respiratório)<br />Paul Ekman<br />“ As emoções são curiosas adaptações que fazem parte integrante do mecanismo através do qual os organismos regulam a sua sobrevivência.”<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />9<br />
  25. 25. O induzir das emoções<br /><ul><li>Acontecem em dois tipos de circunstâncias:</li></ul>1. Quando o organismo processa determinados objectos ou situações;<br />2. Quando a mente do organismo recorda certos objectos e situações e os representa no processo do pensamento.<br /><ul><li> A neurociência começa a mostrar como diferentes sistemas cerebrais trabalham para produzir medo, a tristeza ou a felicidade.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />10<br />
  26. 26. Importância da emoção no controlo do comportamento<br /><ul><li>Exemplo de um doente com lesão da amígdala em ambos os hemisférios cerebrais:
  27. 27. Não consegue fazer nem reconhecer expressões faciais de medo;
  28. 28. Não aprende o significado de situações desagradáveis na sua vida.</li></ul>Incapacidade para realizar juízos sociais correctos sobre situações que podem vir ou não a conduzir ao nosso bem-estar<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />11<br />
  29. 29. Um aparte sobre a definição das emoções<br /><ul><li>A dor é emoção?
  30. 30. O prazer é emoção?</li></ul>Para Damásio, dor e prazer nãosão emoções:<br /><ul><li>“Quer a pessoa esteja consciente quer não, a lesão de um tecido e os padrões sensoriais que se lhe seguem causam várias respostas automatizadas, desde a simples retracção de um membro até uma complicada emoção negativa.”</li></ul>Homeostasia<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />12<br />
  31. 31. A CONSCIÊNCIA NUCLEAR<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />13<br />
  32. 32. O estudo da consciência<br /><ul><li>A consciência é de carácter privado e pessoal, não acessível à observação.
  33. 33. Estudo:</li></ul>Interno<br />Externo<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />14<br />
  34. 34. Manifestações externas da consciência<br /><ul><li>Vigília
  35. 35. Emoções de fundo
  36. 36. Atenção elementar
  37. 37. Comportamentos específicos</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />15<br />
  38. 38. Alterações da consciência nuclear<br /><ul><li>Automatismos epilépticos
  39. 39. Mutismo acinético
  40. 40. Crises de Ausência
  41. 41. Estado vegetativo persistente
  42. 42. Sono sem sonhos
  43. 43. Anestesia profunda</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />16<br />
  44. 44. Linguagem e consciência<br /><ul><li>Será que os doentes com afasia global não estão conscientes?
  45. 45. Vigis
  46. 46. Atentos
  47. 47. Com finalidades nas suas acções
  48. 48. Emoções</li></ul>Não! <br />Os doentes apresentam-se<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />17<br />
  49. 49. Memória e consciência<br /><ul><li>David sofreu uma lesão nos lobos temporais direito e esquerdo, não aprendendo factos novos</li></ul>Não reconhece as pessoas nem a relação que tem com elas ao ver uma fotografia<br />É capaz de fazer comentários de natureza emocional<br />Não é capaz de aprender qualquer facto novo<br />Tem memória dos acontecimentos do instante exactamente antes do agora<br /><ul><li>Consciência alargada afectada, mas a consciência nuclear encontra-se intacta</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />18<br />
  50. 50. Relação entre consciência nuclear e consciência alargada<br />Consciência Alargada<br />Consciência Nuclear<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />19<br />
  51. 51. A estabilidade é necessária<br />Variável<br />Fronteira<br />Capaz de se autor regular<br />Estável<br />Meio Interno<br />Meio Externo<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />20<br />
  52. 52. A gestão da vida<br />Termostato<br />Climatizadores<br /><ul><li> Sensores para </li></ul> sinais exteriores<br /> ao cérebro<br /><ul><li> Sensores para</li></ul> sinais exteriores<br /> ao corpo<br /><ul><li> Meios de resposta</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />21<br />
  53. 53. Os mapas do corpo<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />22<br />
  54. 54. O proto-Si<br /><ul><li>Conjunto coerente de padrões neurais que cartografa, a cada instante, o estado da estrutura física do organismo nas suas numerosas dimensões.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />23<br />
  55. 55. A construção da consciência nuclear<br />A consciência nuclear<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />24<br />
  56. 56. O organismo e o objecto<br /><ul><li>Consciência:
  57. 57. Fenomenologia</li></ul>Relacionam-se<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />25<br />
  58. 58. “E tu és a música, mas só enquanto a música dura”<br />O Si Nuclear<br /><ul><li>Constitui o Si transitório da consciência;
  59. 59. É desencadeado por qualquer objecto;
  60. 60. Requer a presença do proto-Si;
  61. 61. Modificações mínimas ao longo da vida.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />26<br />
  62. 62. “ Há qualquer coisa que permanece depois de a música ter acabado”<br />O Si Autobiográfico<br /><ul><li> Memória autobiográfica;
  63. 63. Aspectos invariantes;
  64. 64. Os arquivos são parcialmente modificados pela experiência;
  65. 65. Requer a presença do Si nuclear.</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />27<br />
  66. 66. Mapas de construção do Si<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />28<br />
  67. 67. O enigma da consciência<br /> Através de que mecanismo biológico é possível estabelecer o conhecimento nuclear e por que razão este surge sob a forma de um sentimento?<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />29<br />
  68. 68. As imagens do conhecimento<br />“Deve ser prestada especial atenção ao objecto X”<br />Estado de vigília realçado <br />Processamento das imagens <br />Atenção dirigida<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />30<br />
  69. 69. A consciência alargada<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />31<br />
  70. 70. O que é?<br /><ul><li>Fenómeno biológico complexo;
  71. 71. Fornece ao organismo um elaborado sentido de Si;
  72. 72. Situa o indivíduo num determinado ponto da sua história pessoal.</li></ul>Consciência Nuclear<br />Consciência Alargada<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />32<br />
  73. 73. “A consciência alargada situa o objecto numa tela de grandes dimensões e durante um maior período de tempo”<br />Si nuclear<br />Passado vivido<br />Futuro antecipado<br />Si autobiográfico<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />33<br />
  74. 74. Perturbações da consciência alargada<br /><ul><li>Amnésia global temporária</li></ul>Perturbações visuais e dificuldades na linguagem<br />“ Estranho Episódio”<br />A consciência nuclear manteve-se ao longo da crise, permitindo organizar os pensamentos e os comportamentos.<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />34<br />
  75. 75. <ul><li>Amnésia pós-traumática
  76. 76. Alzheimer
  77. 77. Anosognosia
  78. 78. Asomatognosia</li></ul>Incapacidade de adquirir novas aprendizagens<br />Origem grega: nosos “doença”+ gnosis “conhecimento”<br />Ausência do conhecimento do corpo<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />35<br />
  79. 79. A base neuroanatómica do Si autobiográfico<br />Imagens mentais<br />Cérebro <br /><ul><li>Espaço imagético
  80. 80. Espaço disposicional</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />36<br />
  81. 81. O Si autobiográfico, a identidade e a pessoalidade<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />37<br />
  82. 82. O Si autobiográfico e o inconsciente<br /><ul><li> Escuridão das profundezas da memória</li></ul>“Alguns conteúdos da memória autobiográfica mantêm-se submersos durante longos períodos de tempo, podendo permanecer assim para sempre”<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />38<br />
  83. 83. A neurologia da consciência<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />39<br />
  84. 84. Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />40<br />
  85. 85. Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />41<br />
  86. 86. Relação de conhecimento, consciência e emoção<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />42<br />
  87. 87. A Caminho do Conhecimento <br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />43<br />
  88. 88. Caminho do conhecimento<br />Emoções <br />Sentimentos <br /><ul><li>Desencadeados por acontecimentos /experiências ;
  89. 89. Acompanhados de reacções orgânicas;
  90. 90. Curta duração;
  91. 91. Intensas ;
  92. 92. Públicas.
  93. 93. Prolongados no tempo;
  94. 94. Surgem de emoções já vividas;
  95. 95. Privados.</li></ul>Conhecimento <br />Consciência do Proto-Si<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />44<br />
  96. 96. Tipos e componentes das emoções<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />45<br />
  97. 97. Razão e emoção<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />46<br />“ A emoção bem dirigida parece ser o sistema de apoio sem o qual o edifício da razão não pode funcionar eficazmente”<br />
  98. 98. Emoção Sentir consciente <br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />47<br />
  99. 99. Lesões cerebrais e emoções<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />48<br />
  100. 100. Importância dos sentimentosConsciência e emoções<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />49<br />Sobrevivência<br />Cultura e Aprendizagem <br />Emoções <br />Consciência <br />Respostas especificas aos estímulos ambientais <br />Homeostasia básica <br />Mundo da Imaginação <br />
  101. 101. Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />50<br />O cérebro destes doentes consegue produzir respostas embora inconscientes. Ou seja, pode existir especificidade mesmo não ausência de consciência alargada, pois a sua consciência nuclear encontra-se intacta. <br />
  102. 102. Conclusão<br />“Qual é a coisa qual é ela que fornece à mente a sua espinha dorsal, é singular e permanece igual?”<br />O Si<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />51<br />A consciência enquanto fenómeno biológico com elevado grau de complexidade, tem como protagonista principal o sentido do “Si”, e portanto ela remete para a questão que tem a ver com a área do saber e com a individualidade de cada um de nós: quem somos? O que somos capazes de conhecer acerca de nós próprios?”<br />
  103. 103. Segundo Damásio, a consciência é um fenómeno biológico e natural, que emerge nos seres vivos com um certo grau de complexidade. Esta ideia não é nova. O que é novo é o facto de Damásio apresentar um desenvolvimento pormenorizado desta ideia, por um lado, e o facto de esse desenvolvimento estar solidamente ancorado em dados experimentais, sendo as suas diversas especulações maioritariamente científicas, e não filosóficas, no sentido de serem susceptíveis de serem empiricamente testadas. Do ponto de vista apresentado por Damásio, a consciência é o resultado da necessidade de regulação biológica que qual qualquer organismo tem. <br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />52<br />
  104. 104. Fontes<br />http://comunidade.sol.pt/blogs/josecarreiro/archive/2009/08/27/consciencia.alargada.aspx<br />http://www.nunap.com.br/artigos/psicoterapia_inconsciente.html<br />http://metafisica.no.sapo.pt/guerra.html<br />http://metafisica.no.sapo.pt/damasio.htm<br />DAMÁSIO, A., O sentimento de si – o corpo, a emoção e a neurobiologia da consciência, Publicações Europa-América Lda., Portugal, 2000<br />Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />53<br />
  105. 105. Trabalho realizado por:<br /><ul><li>Ana Pereira
  106. 106. Diana Martins
  107. 107. Liliana Dinis
  108. 108. Tânia Dinis</li></ul>Colégio de Nossa Senhora da Boavista Ano Lectivo 10/11 12.ºA<br />54<br />

×