Biossegurança 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Biossegurança 1

on

  • 27,225 views

apostila biomedicina unip biossegurança

apostila biomedicina unip biossegurança

Statistics

Views

Total Views
27,225
Views on SlideShare
26,945
Embed Views
280

Actions

Likes
7
Downloads
829
Comments
0

5 Embeds 280

http://biomedice.blogspot.com.br 234
http://biomedicinaunipsorocaba.blogspot.com 41
http://biomedice.blogspot.com 3
http://www.biomedicinaunipsorocaba.blogspot.com 1
http://biomedice.blogspot.pt 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Biossegurança 1 Biossegurança 1 Presentation Transcript

  • BIOSSEGURANÇA Prof. Dr. Marcelo R. Guerino Mestre em Fisiologia Doutor em Bioengenharia PhD em Fisiologia Molecular 1
  • BIOSSEGURANÇA 2
  • BIOSSEGURANÇAHISTÓRICO*Em 1970,o Centro de Controle ePrevenção de Doenças (CDC), de Atlanta,EUA, publicou o Manual intitulado“Técnicas de Isolamento para o uso emHospitais”. 3
  • BIOSSEGURANÇA HISTÓRICO-Em 1983, surge uma nova revisão do Guia deIsolamentos, com algumas alterações:*Abolição do isolamento protetor – justificativa– infecções endógenas;*Lavagem das mãos - recomendação única;*Introdução para isolamento da tuberculose; 4
  • Riscos 5
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviçosde SaúdeVisão Prática dos recursos de segurançaAtividades de risco são as capazes de proporcionar dano, doença ou morte 6
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de SaúdeConceitos Risco  Perigo É a probabilidade de É a expressão de uma ocorrer um evento bem qualidade ambiental que definido no espaço e no apresente características tempo, que causa dano à de possível efeito maléfico saúde, às unidades para a saúde e/ou meio operacionais ou dano ambiente econômico/financeiro Na presença de um perigo não existe risco zero, porém existe a possibilidade de minimizá-lo ou alterá-lo para níveis considerados aceitáveis 7
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de SaúdeConceitos É importante que fique clara a diferença entre risco e perigo Existe perigo na manipulação de determinados produtos químicos ou biológicos Porém o risco dessa atividade pode ser considerado baixo se forem observados todos os cuidados necessários e e utilizados os equipamentos de proteção adequados 8
  • Classificação de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurança do Trabalho Riscos Físicos (formas de energia como ruídos, vibrações, pressões anormais, radiações ionizantes ou não, ultra e infra-som (NR-09 e NR-15). Avaliação quantitativa Riscos Químicos (substâncias, compostos ou produtos que podem penetrar no organismo por via respiratória, absorvidos pela pele ou por ingestão, na forma de gases, vapores, neblinas, poeiras ou fumos (NR-09, NR-15 e NR- 32). Avaliação quantitativa e qualitativa 9
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de SaúdeClassificação de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurança do trabalho  Riscos Biológicos ( bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, etc (NR- 09)  As classes dos riscos biológicos são: patogenicidade para o homem; virulência; modos de transmissão; disponibilidade de medidas profiláticas eficazes; disponibilidade de tratamento eficaz; endemicidade 10
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de SaúdeClassificação de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurança do trabalho Riscos Ergonômicos (são elementos físicos e organizacionais que interferem no conforto da atividade laboral e conseqüentemente nas características psicofisiológicas do trabalhador (NR-17 ) www.mtb.gov.br.bits Posto de trabalho inadequado (mobiliário, equipamentos e dispositivos) “Lay-out” inadequado (caminhos obstruídos, corredores estreitos, etc) Ventilação e iluminação inadequadas Esforços repetitivos Problemas relativos ao trabalho em turno Assédio moral Problemas relacionados com a organização do trabalho 11
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de SaúdeClassificação de RiscoPortaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e EmpregoNR de Medicina e Segurança do trabalho Riscos de Acidentes (condições com potencial de causar danos aos trabalhadores nas mais diversas formas, levando-se em consideração o não cumprimento das normas técnicas previstas Além dos físicos, químicos e biológicos, destacam-se: arranjo físico, eletricidade, máquinas e equipamentos, incêndio/explosão, armazenamento, ferramentas, etc 12
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de SaúdeAssociação dos Riscos Químicos Acidentes Físicos Pessoal Ergonô Biológicos micos 13
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdeHistórico Historicamente, os profissionais de saúde não eram considerados de alto risco para acidentes de trabalho Até a década de 60 atenção aos profissionais de laboratório de análises clínicas (hepatite B e tuberculose, 7 e 5 vezes mais freqüentes que na população em geral) A partir dos anos 80 (AIDS) atenção voltada para os profissionais envolvidos na assistência ao paciente Os principais riscos biológicos envolvem os patógenos de transmissão sangüínea como os vírus das hepatites B e C e o HIV Mais de 30 outros agentes infecciosos podem estar envolvidos em acidentes biológicos nos estabelecimentos de saúde 14
  • Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Características Gerais Principais agentes: bactérias, vírus, Rickétzias, protozoários, metazoários Presentes em aerossóis, poeiras, alimentos, instrumentos de laboratório, água, culturas, amostras biológicas 18% dos trabalhadores são contaminados com material infecto- contagioso nas atividades relacionadas ao trabalho: 25% por inoculação percutanea; 27% por aerossóis e derramamentos; 16% por vidrarias e pérfurocortantes; 13% por aspiração por instrumentos; 13,5% por acidentes com animais e contato com ectoparasitas As principais fontes de contaminação no local de trabalho podem estar relacionadas à inalação de aerossóis Todos os procedimentos microbiológicos são potencialmente formadores de aerossóis 15
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdePresença microbiana Alta adaptação à biosfera Alguns multiplicam-se em água destilada Um único micróbio em solução simples chega a um milhão em 18 horas Um micróbio pode se dividir em 10 minutos Presença na forma de células, esporos, toxinas e fragmentos moleculares 16
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdeRelação entre vias de contaminação e doenças Via aérea: tuberculose, varicela, rubéola, sarampo, influenza, viroses respiratórias, doença meningocócica Exposição ao sangue e fluidos orgânicos: HIV, hepatites B e C, raiva Transmissão fecal-oral: hepatite A, poliomielite, gastroenterite, cólera Contato com o paciente: escabiose, pediculose, colonização por stafilococos 17
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdePrincipais grupos expostos Médicos clinicos: 0,5 a 3 exposições percutaneas/ano; 0,5 a 7 exposições mucocutaneas/ano Cirurgiões: 80 a 135 contatos com sangue/ano; 8 a 15 exposições percutaneas/ano Odontólogos: 1 exposição percutanea a cada 5 anos Contaminação acidental pelo HIV: Enfermeiros e pessoal de laboratório – 70% dos casos comprovados e 43% dos prováveis; estudantes de medicina 10 a 12% dos casos prováveis; cirurgiões e dentistas 12% dos casos prováveis 18
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdePrincipais grupos expostosA equipe de enfermagem é a mais exposta ao material biológico: É o grupo mais numeroso dos serviços de saúde Maior contato direto com os pacientes Os tipos e freqüência de procedimentos realizados favorecem a exposição 71,2% dos acidentes com perfurocortantes ocorrem entre os profissionais de enfermagem (USP, 1998) 19
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdePrincipais grupos expostos Freqüentemente o acidente não é notificado Acidentes com pérfurocortantes representam 1/3 de todos acidentes envolvendo profissionais de enfermagem Retirada de sangue, flebotomia, punção venosa periférica, sutura cirúrgica, reencapamento de agulhas, são os momentos de maior risco 20
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdeRiscos de aquisição da doença Tipo de exposição A quantidade necessária para causar doença (carga do agente) Patogenicidade do agente infeccioso Existência da profilaxia pós-exposição Prevalência local da doença Suscetibilidade do profissional de saúde 21
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdeAgente N° de organismos Via deinfecccioso (carga) InoculaçãoSífilis 57 IntradérmicoMalária 10 IntravenosoEscherichia coli 108 IngestãoSarampo 0,2 InalaçãoInfluenza A2 790 Inalação 22
  • Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Imunização: doenças imunopreviníveisPrevalência de doenças locais e riscos individuais de exposição  Hepatite B  Raiva  Varicela  Febre amarela  Sarampo  Coqueluche  Influenza  Febre tifóide  Caxumba  Poliomielite  Rubéola  Doença meningocócica  Tétano  Varíola  Hepatite AManual das Normas de Vacinação da Fundação Nacional de Saúde – junho 2001 23
  • Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Classificação dos patógenos por risco biológicoClasse 1 Agente não oferece risco para o manipulador nem para comunidade. Ex: E.coli, B.SubtilisClasse 2 Agente com risco moderado para o manipulador e fraco para a comunidade. Existe tratamento preventivo. Ex: Staphylococcus aureus, Candida albicansClasse 3 Agente com risco grave para o manipulador e moderado para a comunidade. Lesões e sinais clínicos graves e nem sempre há tratamento. Ex: HIV, Bacilllus anthracisClasse 4 Agente com risco grave para o manipulador e para a comunidade. Não há tratamento e os riscos são muito graves em caso de propagação. Ex: vírus de febres 24 hemorrágicas
  • Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Niveis de Segurança no TrabalhoNível 1 Avental, proteção respiratória, CSB Classe II luvas, óculos ANível 2 Avental, proteção respiratória, CBS Classe II B2 luvas, óculosNível 3 Avental fechado, proteção CBS Classe II respiratória, luvas resistentes, B2 óculosClasse 4 Roupa protetora completa, CBS Classe proteção respiratória, luvas, III óculos 25
  • Riscos Biológicos em Serviços de SaúdeNíveis de risco do trabalho 1,2,3,4 Uso de EPC (cabine de segurança biológica classe I,II ou III Uso de EPIs( protetor respiratório, óculos, luvas, protetores) Vestuário (avental, touca) Procedimentos operacionais descritos 26
  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviçosde SaúdeRiscos presentes na produção e preparo demedicamentos Produto Meio ambiente Manipulador 27
  • Cenários de produção de medicamentos einjetáveis  Central de diluição de  Beira do leito misturas injetáveis  Posto de Enfermagem (farmácia hospitalar)  Indústria Farmacêutica 28
  • Cabines de segurança biológicaFinalidades Proteção do pessoal e ambiental contra os agentes perigosos dentro da cabine Proteção do produto ou do processo contra os contaminantes localizados fora da cabine Proteção contra a contaminação cruzada dos agentes dento da cabine Primeira cabine – 1943 ( Van den Ende) Filtro HEPA - 1962 29
  • Medicamentos e drogas de risco também podemcontaminar o ambiente e o manipulador  Substância (droga)  Produto (medicamentos, saneantes, desinfectantes) 30
  • SUBSTÂNCIAS E PRODUTOS DE RISCO NAS UNIDADES DE SAÚDEManipulação com exposição aguda e crônicaQuimioterápicos AntineoplásicosAntibióticosHormôniosAnestésicosPsicoativosCorantes e FixadoresSaneantes e DesinfectantesSolventes 31
  • CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE PODEMDETERMINAR O RISCO OCUPACIONAL (AMERICANSOCIETYOF HEALTH FARMACISTS – ASHP) GENOTOXICIDADE (mutagenicidade e clastogenicidade em “short-term test system” reportado pelo IARC) CARCINOGENICIDADE (indução tumoral em modelo animal, pacientes humanos ou ambos) TERATOGENICIDADE (alterações sobre a reprodução, alterações da fertilidade, má-formações congênitas no feto) TOXICIDADE SÉRIA E SELETIVA SOBRE ÓRGÃOS E SISTEMAS (em baixa dose em modelo animal e em pacientes tratados) 32
  • RISCO OCUPACIONAL DE EXPOSIÇÃO AOSMEDICAMENTOS DE RISCO (ASHP)Medicamentos e drogas de risco manuseadas como inócuos (eletrólitos, vitaminas), levam à contaminação do manipulador e do meio ambienteDa contaminação resulta a absorção pelos profissionais de saúde. A absorção é pequena, exceto em situações de grande exposiçãoO dano é cumulativo. Profissionais que preparam ou administram muitas e altas doses desses medicamentos por longos períodos de tempo (enfermeiros-oncologistas e de transplantes, farmacêuticos dos centros de soluções intravenosas) são os mais expostos 33
  • Sistemas mais sensíveis aos antineoplásicos Sistema Respiratório  Rins lesão de células do trato efeitos sobre o túbulo renal respiratório morte das células enfisema alteração da função renal irritação  Sistema Nervoso broncoconstrição hipóxia no cérebro dispnéia perda de mielina alergia efeitos em neurônios Trato Gastrointestinal periféricos Alteração das membranas  Sistema Reprodutivo celulares oligoespermia Pele redução da fertilidade rubor interrupção da menstruação edema toxicidade reprodutiva prurido  Teratogênico alergia efeitos na prole não Fígado hereditários acumulação excessiva de lípídios  Carcinogénico necrose segundo tumor colestase 34
  • BIOSSEGURANÇA HISTÓRICO•Tomada de Decisão-o profissional de saúde deve antecipar otipo de contato que teriam com opaciente e decidir quanto ao uso deluvas, aventais e etc.- Nesta revisão, feita em 1983, jáconstava a preocupação com a AIDScom orientações para sangue e fluidos 35corporais.
  • BIOSSEGURANÇAPRECAUÇÕES PADRÃO OUUNIVERSAL- Recomenda-se que seja adotado portodos os profissionais de saúdeenvolvidos na assistência aos pacientesatendidos em instituições de saúde,independente da doença inicialmentediagnosticada. 36
  • BIOSSEGURANÇAPRECAUÇÕES PADRÃO OU UNIVERSAL-Todos os pacientes, mesmo nãoapresentando sintomas específicos, devemser considerados potenciais portadores dedoenças transmissíveis.-O profissional de saúde deve adotar umapostura de precaução para não se infectarou servir de vetor. 37
  • BIOSSEGURANÇAPRECAUÇÕES PADRÃO OUUNIVERSAL-A adoção de medidas de Proteção Padrãoé importante para prevenir a aquisiçãodas seguintes doenças: HEPATITE B(VHB); HEPATITE C (VHC); CITOMEGALOVÍRUS (CMV); VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA 38ADQUIRIDA (HIV);
  • BIOSSEGURANÇAPRECAUÇÕES PADRÃO OU UNIVERSAL SÍFILIS DOENÇA DE CHAGAS INFLUENZA HERPES-Além de outras doenças menos freqüentes,Onde é possível a veiculação. 39
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.) -Egito antigo – proteção das mãos e da face - utilizados pelos mumificadores. 40
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.)-Médicos se protegiamdurante a epidemia depeste na idade média. 41
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.)- Alquimistas também sepreocupavam com as“suas reações químicas”.“o que converte uma substância em venenoé a sua dose”.(Paracelso). 42
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.).-Regulamentado pelo Ministério doTrabalho e Emprego, em sua NormaRegulamentadora Nº 6 (NR nº 6) - é tododispositivo de uso individual, destinadoa proteger a saúde e a integridade físicado trabalhador. 43
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.).- A empresa está obrigada a fornecer aosempregados, gratuitamente, o E.P.I.adequado ao risco e em perfeito estado. 44
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.)•Luvas –protegem desujidade grosseira;Usadas em procedimentosque envolvam sangue,fluidos corporais,secreções, excreções, pele,manipulação de artigos 45contaminados.
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.)*Luvas- devem ser trocadasapós contato com materialbiológico, entre as tarefas eprocedimentos no mesmopaciente.-Lave as mãos imediatamente 46após a retirada das luvas.
  • BIOSSEGURANÇA-Lavagem das mãos-É a principal medida de bloqueio detransmissão de germes;-Sempre lavar quando iniciar umaatividade e logo após seu término;-Manter unhas curtas e as mãos semanéis para diminuir a retenção degermes. 47
  • BIOSSEGURANÇA-Lavagem das mãos- com água esabão ;- secagem com - usar papel toalha. 48
  • BIOSSEGURANÇAJamais lavar as luvas ou reutilizar!!!!Não se justifica a utilização de luvassomente para o transporte de pacientes,realizar a lavagem das mãos ou o uso deálcool em gel. 49
  • BIOSSEGURANÇA Utilizar avental fechado sobre roupas comuns,ou uniforme de mangas longas quando houver: -contato direto com o paciente - risco de contaminação -sangue e outros fluidos corporais 50
  • BIOSSEGURANÇA*Poucas doenças exigem o uso deavental para todas as pessoas queentrem no quarto do paciente:-Difeteria faringeana;-Febres virais hemorrágicas (Lassa);-Varicela e herpes zoster;- portadores de bactériasestafilococos;-Pseudomonas aeruginosa. 51Entre outras.
  • BIOSSEGURANÇA- Na manipulação de grandequantidade de sangue ououtros líquidoscorporais,deve ser utilizadoavental impermeável, bemcomo proteção parapernas e pés(principalmente emprocedimentos obstétricos). 52
  • BIOSSEGURANÇA EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (E.P.I.)*Máscaras, óculos deproteção ou escudo facial.-usar quando houver riscode contaminação de mucosasda face(olhos,boca e nariz)por respingos de sangue ououtros fluidos corporais; 53-manipulação de químicos.
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.)*Protetor respiratório-protege as vias respiratórias contrapoeiras tóxicas e vapores orgânicosou químicos;-É indicado para entrar em quarto deisolamento de pacientes comtuberculose pulmonar, sarampo ou 54varicela.
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.)* Gorro – estará indicadoespecificamente para procedimentos 1.que envolvam dispersão de aerossóis,projeção de partículas e proteção depacientes - procedimentoscirúrgicos. 55
  • BIOSSEGURANÇAEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃOINDIVIDUAL (E.P.I.)•Calçados- indicados para o ambientecom sujeira orgânica são aqueles 1.fechados de preferência impermeáveis(couro ou sintético);•Calçados cômodos e do tipoantiderrapante;•Evita-se calçados de tecido. 56
  • BIOSSEGURANÇA*Manipulação-de instrumentos e materiais -verificar se estão limpos oudesinfetados/esterilizadosadequadamente antes do uso.-Confira se os materiaisdescartáveis de uso único estãosendo realmente descartados e se 57em local apropriado.
  • BIOSSEGURANÇA*Manipulação de materiais cortantes e depunção.-Ao manusear, limpar, transportar oudescartar agulhas, lâminas de barbear,tesouras e outros instrumentos de cortetenha cuidado!!!!-devem ser descartados em caixasapropriadas,rígidas e impermeáveis. 58
  • BIOSSEGURANÇA*Manipulação de materiais cortantes e depunção. Exemplo de caixa de descarte de materias pérfuro-cortantes. 59
  • BIOSSEGURANÇA*Manipulação de materiais cortantes e depunção. Nunca recape agulhas após o uso; Não remova com as mãos agulhas usadas das seringas descartáveis; Não quebre ou entorte; Seringas e agulhas reutilizáveis devem ser transportadas para a área de limpeza esterilização em caixa de inox ou bandeja. CUIDADOOOOO!!!! 60
  • BIOSSEGURANÇASARS – 2003. 61
  • BIOSSEGURANÇA 62