Factores Abióticos

  • 49,255 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
49,255
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
27

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
5
Likes
54

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1.
    • Os ecossistemas não têm dimensões bem definidas. No ambiente existem factores que fazem parte dos ecossistemas.
  • 2. Factores do ambiente que influenciam os seres vivos (luz, humidade, solo, temperatura…)
  • 3. Influencia: Período de actividade Comportamento Distribuição geográfica Factor de grande importância para os seres vivos Factor abiótico luz Luz
  • 4. Desenvolvimento e/ou movimento dos seres em resposta a um estímulo luminoso. Fototropismo Fototropismo positivo Fototropismo negativo Factor abiótico luz
  • 5. Os animais e as plantas apresentam fotoperiodismo , isto é, capacidade de reagir à duração da luminosidade diária a que estão submetidos. Fotoperíodo Hibernação Migração Exemplos de sensibilidade dos animais às variações do fotoperíodo Período de luz em cada 24 horas do dia Factor abiótico luz
  • 6.
    • A luz é indispensável para a realização da fotossíntese .
    Fotossíntese Na ausência de luz as plantas não se desenvolvem. Factor abiótico luz
  • 7. Plantas de sol ou heliófilas: Encontram-se em locais bem iluminados. Ex: girassóis, carvalhos… As plantas e a luz Plantas de sombra ou umbrófitas ou esquiáfilas: Encontram-se em locais sombrios. Ex: musgos, fetos… Factor abiótico luz
  • 8. Plantas de dia curto: Florescem sempre que o fotoperíodo é menor que 12 horas. Influência na floração das plantas. Plantas de dia longo: Florescem quando o fotoperíodo é superior a 12 horas. Plantas indiferentes: Não dependem do fotoperíodo para florir. Factor abiótico luz
  • 9. Plantas de dia longo: Ex. centeio, ervilheira, milho Plantas de dia curto: Ex.macieira, crisântemos, morangueiro Plantas indiferentes: Ex. cravo, sardinheira, malmequeres Influência na floração das plantas. Factor abiótico luz
  • 10. A desova da truta é influenciada pela duração do fotoperíodo. Influência na desova das trutas Factor abiótico luz
  • 11. A pelagem de Inverno é mais clara que a pelagem de Verão. Ex. Arminho e Raposa do Árctico, Lebre do Árctico. Influência na mudança de pelagem Factor abiótico luz
  • 12. Um aumento do fotoperíodo leva à migração das aves para Norte, enquanto que o movimento para sul é determinado pela diminuição do fotoperíodo. Influência na migração Factor abiótico luz
  • 13. Devido à escuridão existente nas profundidades dos oceanos, alguns seres vivos capazes de emitir luz através de órgãos apropriados. Bioluminescência Factor abiótico luz
  • 14. Diurnos animais que estão activos de dia.Ex. Galinha Actividade dos seres vivos Nocturnos animais que estão activo de noite.Ex. Coruja Factor abiótico luz
  • 15.
    • Lucífilos se procuram locais bem iluminados
        • Ex: borboletas, cobras, insectos
    Quanto ao habitat
    • Lucífugos se fogem à luz,
        • Ex: morcego, minhocas, toupeiras
    Factor abiótico luz
  • 16. Como ocorre a distribuição deste factor em Portugal? Insolação Factor abiótico luz
  • 17. É um componente indispensável da biosfera como base de todos os processos vitais Factor Abiótico Água
  • 18. Humidade atmosférica Pluviosidade Retenção de água nos solos Permite que a água exista nos diferentes ambientes Factor abiótico água Vivem permanentemente na agua (peixes, nenúfar...) Vivem em locais húmidos (musgo…) Têm alguma independência, mas necessitam dela com regularidade (pinheiro, Homem…) Vivem em locais secos (cacto, camelo…)
  • 19.
    • Varia com: Altitude ou profundidade Latitude Estação do ano
    Temperatura:
    • Medida da quantidade de calor existente num dado ambiente;
    • Está associada à luz, uma vez que a luz solar tem uma componente luminosa e uma componente calorífica.;
    • Factor de grande importância para os seres vivos.
    • Influencia: Período de actividade Características morfológicas Comportamento
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura
  • 20. Existem seres vivos que:
    • não toleram grandes variações térmicas ( espécies estenotérmicos );
    • toleram grandes variações térmicas ( espécies euritérmicos ).
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura euritérmicos estenotérmicos euritérmico estenotérmico
  • 21.
    • Temperatura óptima
    • Temperaturas consentidas
    • Limite máximo de existência
    • Limite mínimo de existência
    Para cada espécie existe: FACTOR ABIÓTICO Temperatura
  • 22.
    • Animais de temperatura constante (Homeotérmicos – endotérmicos “sangue quente”) Temperatura corporal não varia com a temperatura ambiente Ex: aves e mamíferos
    De acordo com a temperatura corporal:
    • Animais de temperatura variável (Poiquilotérmicos – exotérmicos “sangue frio”) Temperatura corporal varia com a temperatura ambiente Ex: peixes, répteis, anfíbios
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura
  • 23.
    • Migração
    • Percorrem as mais variadas distâncias, em busca de um local para reprodução ou melhores condições climáticas e abundância de alimentos.
    • Ex: flamingos, cegonha negra, andorinhas …
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura Adaptações às temperaturas desfavoráveis:
  • 24.
    • Redução das actividades vitais para valores mínimos, ficando num estado de vida latente.
    Hibernação Se ocorrer na estação fria Ex.: ouriço-cacheiro, esquilo, urso… Estivação Se ocorrer na estação quente Ex.: caracóis; crocodilo FACTOR ABIÓTICO Temperatura Abrigam-se durante parte do dia
  • 25.
    • Quantidade de gordura subcutânea
    • Tamanho e densidade dos pêlos
    • Tamanho das orelhas e focinho
    • Glândulas sudoríferas
    • Cutícula/revestimento impermeabilizante
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura Adaptações morfológicas que permitem aos animais resistir a temperaturas desfavoráveis: (frias ou quentes)
  • 26.
    • Pêlos mais densos/compridos – raposas e urso polar
    • Grande teor de gordura – pinguins, ursos, focas, baleias…
    • Extremidades mais curtas (focinho, orelhas)
    Estas características fazem com que a perda de calor seja mínima, permitindo assim a sobrevivência. FACTOR ABIÓTICO Temperatura Adaptações morfológicas que permitem aos animais resistir às temperaturas baixas :
  • 27.
    • Pêlos menos densos e mais curtos
    • Menos gordura
    • Maior superfície corporal em
    • contacto com o exterior
    • (orelhas grandes)
    Estas características facilitam a perda de calor para o meio e evitam o sobreaquecimento. FACTOR ABIÓTICO Temperatura Raposa feneco Adaptações morfológicas que permitem aos animais resistir às temperaturas altas :
  • 28.
    • Plantas anuais
    • Plantas bienais
    • Plantas vivazes ou perenes
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura
    • Espinhos
    • Caules e folhas suculentas
    Adaptações morfológicas que permitem às plantas resistir às temperaturas baixas : Adaptações morfológicas que permitem às plantas resistir às temperaturas altas :
  • 29.
    • Plantas anuais
    • Não conseguem suportar o frio deixando as sementes para germinar no ano seguinte.
    • Ex.: feijoeiro.
    Adaptações das plantas às baixas temperaturas:
    • Plantas bienais
    • Perdem a sua parte aérea mas mantêm a parte subterrânea.
    • Ex.: lírio
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura
  • 30.
    • Plantas vivazes ou perenes
    • Mantêm a sua estrutura todo o ano, apesar de algumas serem de folha caduca .
    Árvores com copa em Δ, folhas pequenas cobertas por uma cutícula Árvores que deixam cair as folhas e ficam em estado latente FACTOR ABIÓTICO Temperatura Adaptações das plantas às baixas temperaturas:
  • 31.
    • Plantas desenvolvem:
      • Espinhos
      • Caules e folhas suculentas
    FACTOR ABIÓTICO Temperatura Adaptações das plantas às altas temperaturas: