Mídia facha aula 1

478
-1

Published on

Aula da professora Maria de Fátima Werdan

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
478
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mídia facha aula 1

  1. 1. COMUNICAÇÃO SOCIAL – 2014-1 MÍDIA I Maria de Fátima Werdan E-MAIL: fatimawerdan@gmail.com 16 de fevereiro de 2014 Profª. Maria de Fátima Werdan
  2. 2. 17/02 até 01/04/2014 AULAS REGULARES 1ª AVALIAÇÃO 08/04 até 03/06/2014 AULAS REGULARES 07/06/2014 VERIFICAÇÃO FINAL CRONOGRAMA DE AULAS Profª. Maria de Fátima Werdan 07/04/2014 16/06/2014 2ª. CHAMADA E VISTA DE PROVA
  3. 3. CONHECIMENTO Proporcionar aos alunos desta disciplina informações que irão aprofundar a visão macro de Mídia e sua importância dentro do processo de marketing. HABILIDADE Apresentar as características específicas do mercado publicitário e do profissional de mídia. Avaliar os instrumentos de freqüência e intensidade de audiência e os principais tipos de Mídia de modo a permitir uma interface positiva com os principais veículos de comunicação. ATITUDE Desenvolver ou analisar uma programação de mídia eficaz. Avaliar os meios e veículos de comunicação, com base no ferramental de mídia. OBJETIVO DA DISCIPLINA Conceitos e técnicas básicas de mídia. Papel, funções e importância do profissional de Mídia na estrutura da agência de propaganda. Os meios de comunicação e suas características, vantagens e limitações. A qualificação, perfil, penetração e comercialização. A pesquisa como ferramental de mídia e análise de casos. EMENTA Profª. Maria de Fátima Werdan
  4. 4. • CONCEITUAÇÃO Incentivo à prática da leitura que reforce o levantamento de idéias e troca de experiências. Fortalecer o pensamento e raciocínio estratégico-criativo de ações básicas de mídia dentro do contexto da propaganda. Exposição teórica das ferramentas de pesquisa de mídia, demonstrando como uma programação de mídia é elaborado considerando-se as técnicas existentes. • CRÍTICA Apresentação de cases – debates sobre os conceitos e linha de raciocínio desenvolvido. Estudo de casos. • VIVÊNCIA Atividades práticas através de trabalho em grupo. • AÇÃO Apresentação e desenvolvimento de programações de mídia. METODOLOGIA Profª. Maria de Fátima Werdan
  5. 5. BIBLIOGRAFIA BÁSICA  TAMANAHA,Paulo. Planejamento de Mídia, São Paulo: Pearson, 2006  VERONEZZI, José Carlos. Mídia de A a Z, São Paulo, Edicson, 2002 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR  Mídia Dados 2012 São Paulo: Porto Palavras Editoras Associados, 2005 ZELTNER, Herbert Gerenciamento de Mídia, São Paulo: Nobel, 2001 SISSORS, Jack Z & BUMBA, Lincoln J Planejamento de Mídia, São Paulo: Nobel, 2000 BARBAN, Arnold M & CRISTOL, Steven M & KOPEC, Frank J A essência do planejamento de mídia, São Paulo: Nobel, 2001 Profª. Maria de Fátima Werdan
  6. 6. Profª. Maria de Fátima Werdan NOME TÍTULO http://sucom.redeglobo.com.br Manual Básico de Mídia – Superintendência Comercial TV Globo http://sucom.redeglobo.com.br Dicionário de Mídia – Superintendência Comercial TV Globo http://www.estadao.com.br/premiode midia/historico.htm Histórico de trabalhos premiados – Prêmio de Mídia Estadão www.midiarj.org.br Grupo de Mídia do RJ www.gm.org.br Grupo de Mídia do SP www.janela.com.br Janela Publicitária www.publiabril.com.br Editora Abril www.mmonline.com.br Meio & Mensagem Online www.negociosdemidia.com.br Negócios de Mídia www.infoglobo.com.br Organizações Globo Websites
  7. 7. REGRAS DO JOGO - Faltar a aula reprova; - O conteúdo dado em sala estará disponível na internet, via e-mail da turma; - A leitura complementar disponível para cópia, na copiadora tipo xerox, pode ser cobrada na prova sem aviso prévio; - Os trabalhos práticos serão sempre apresentados em aula acompanhados de versão impressa; - Os grupos que não apresentarem os trabalhos nas datas determinadas, não terão segunda chance e perderão os respectivos pontos do trabalho. Não usar aparelhos eletrônicos em sala de aula., principalmente, o CELULAR. Profª. Maria de Fátima Werdan AVALIAÇÂO 1: Prova 7,0pts + Trabalhos 3,0pts AVALIAÇÃO 2: Prova 10,0 pts
  8. 8. Profª. Maria de Fátima Werdan “Mídia” são os meios de comunicação; área técnica de propaganda, relacionada com a veiculação de mensagens comerciais. Designa também o profissional da área.” (Dicionário de Mídia) O que é Mídia? Para os profissionais de propaganda...
  9. 9. Aonde está a Mídia? pesquisa planejamento do produto produção promoção de vendas planejamento mídia criação propaganda relações públicas comunicação vendas/ distribuição marketing Mensagem publicitária Consumidores Mídia Profª. Maria de Fátima Werdan
  10. 10. Entendendo a Mídia no contexto da comunicação  Origem da palavra: Latim Medium => Media => Mídia = Meio  O contexto atual da palavra: A mídia = meio/veículo de comunicação A mídia = departamento O mídia = profissional A mídia = atividade de veicular/programação Resumindo... Profª. Maria de Fátima Werdan
  11. 11. O que é Mídia? • Em síntese, mídia - no contexto publicitário - significa utilizar os meios de comunicação, tais como a televisão, os jornais, as revistas e o rádio, para promoverem um produto ou serviço junto a uma determinada parcela da população; • Cabe ao profissional de mídia escolher os meios de comunicação (ou mídias) que melhor atendem aos objetivos estabelecidos no plano de comunicação. A maior parte das discussões em mídia giram em torno de como atingir as pessoas certas; • As “pessoas certas” são aquelas com maior propensão a compra do produto anunciado. A definição de quem são as “pessoas certas” (o público-alvo ou target) acontece no momento do planejamento de marketing; • Mas não basta somente atingir as “pessoas certas”. O mídia também precisa selecionar os meios que melhor cumpram a tarefa de comunicar os benefícios do produto; Profª. Maria de Fátima Werdan
  12. 12. (Marshall Mcluhan, 1964) Afinal, O MEIO É A MENSAGEM. Em síntese, mídia - no contexto publicitário - significa utilizar os meios de comunicação, tais como a televisão, os jornais, a internet, as revistas, a mídia exterior e o rádio, para promoverem um produto ou serviço junto a uma determinada parcela da população. Profª. Maria de Fátima Werdan
  13. 13. • O plano de mídia consiste em uma série de decisões tomadas de modo a responder à pergunta “Quais são os melhores meios para fazer com que os anúncios atinjam os compradores em potencial do meu produto?” ? ? Profª. Maria de Fátima Werdan
  14. 14. • O profissional de mídia precisa estar apto a responder algumas perguntas específicas: – Quantos prospects (na compra de um determinado tipo de produto) eu preciso alcançar? – Em que meio (mídia) devo anunciar? – Quantas vezes por mês os virtualmente interessados (consumidores) devem ver cada anúncio? – Em que meses os anúncios devem aparecer? – Em que mercados e regiões os anúncios devem aparecer? – Quanto dinheiro deve ser investido em cada meio? • Cada uma destas perguntas representa um determinado tipo de problema: – Problemas simples: “Em que dia da semana devem ser veiculados os comerciais de Televisão? – Problemas complexos: “Em quais meios os anúncios serão mais eficientes para influenciar o comportamento do consumidor em potencial?” Profª. Maria de Fátima Werdan
  15. 15. • Quando todas as perguntas tiverem sido formuladas, os problemas resolvidos e as decisões tomadas, as recomendações e os fundamentos serão organizados em um documento escrito chamado “Plano de Mídia”; • Uma vez aprovado pelo anunciante, o plano serve como guia para a compra efetiva de espaços de veiculação de mídia. Profª. Maria de Fátima Werdan
  16. 16. A mídia como negócio • A propaganda é a alma do negócio; • Para funcionar a propaganda deve antes completar uma tarefa elementar: “ser exposta para o público-alvo”; • Existem diferentes formas para se “expor” uma mensagem publicitária: • Mas nenhuma delas tão poderosa quanto a MÍDIA DE MASSA. Profª. Maria de Fátima Werdan
  17. 17. 20 17 27 67 73 88 98 TV Rádio Revista Jornal Cinema Internet TV paga Dados Brasil (Mídia) 2012 Penetração dos meios (%) - Total população 2012 Fonte: Mídia Dados 2013 Mercado brasileiro é o 12 em termos de investimento (mas um dos menores em per capita). Domínio da TV aberta (TV Globo em especial) Profª. Maria de Fátima Werdan Total População Brasil (Populations)→ 194.216.900 64% 12% 7% 4% 3% 1% 4% 5% 0% Share de Investimento Publicitário - Brasil 2012 Televisã0 Jornal Revista Rádio OOH Guias e Listas TV Assinatura Internet Cinema Total de Domicílios Brasil (households) → 59.851.500 Investimento Brasil em Mídia → R$ 28.454.350.203,00 2% 5% 13% 21% 25% 22% 11% 1% Classe Social Brasil - 2012 13 mercados => 50.669.000 A1 A2 B1 B2 C1 C2 D Total de Domicílios com TV Brasil → 57.957.000
  18. 18. 3% 4% 5% 58% 62% 71% 87% 98%Globo SBT Record Rede TV! Band Gazeta CNT MTV Cobertura geográfica por emissora TV aberta (%) Fonte: Mídia Dados 2013 TV aberta: meio de maior penetração, mais consumido. Síntese da “mídia de massa”; TV paga: penetração tímida (concentrada nas classes AB) e estável 2% 4% 12% 23% 24% 24% 10% 1% Perfil do Consumidor - Classe social TV Aberta 2012 A 1 A 2 B 1 B2 C 1 C2 D E 47% 53% Perfil do Consumidor do Meio TV Aberta - 2012 Homens Mulheres 45% 15% 5% 2% 15% 18% Participação (Share) Nacional das Redes 2012 Globo SBT BAND Rede TV Record Outras
  19. 19. Fonte: Mídia Dados 2013 TV Paga: meio de grande movimentação, aumento da base de assinaturas, sendo a curva do investimento publicitário ascendcente; 50%50% Perfil do Consumidor TV Paga Sexo - 2012 Homens Mulheres 24% 22% 19% 14% 11% 6% 3% 1% Perfil do Consumidor TV Paga Classe Social - 2012 A1 A2 B1 B2 C1 C2 D E 38% 61% 1% Assinatura TV Paga por tecnologia TV per Technology- 2012 CABO DTH MMDS
  20. 20. Perfil dos leitores de jornal por idade Distribuição geográfica das revistas versus distribuição populacional 10 a 14 6%40+ 37% 30 a 39 20% 20 a 29 25% 15 a 19 12% Fonte: Mídia Dados 2013 Jornal: meio “adulto”. Circulação caindo no longo prazo Revista: distribuição geográfica deficiente. Circulação em queda Profª. Maria de Fátima Werdan Sudeste Revista: 58% Pop: 41% Sul Revista: 17% Pop: 15% Nordeste Revista: 13% Pop: 28% NorteRevista: 4% Revista: 4% Pop: 9% Centro-Oeste Revista: 8% Pop: 7%
  21. 21. Penetração (faixa etária) das rádios por freqüência (%) Redes nacionais de rádio (%) 57 59 65 43 50 39 29 2220 80 88 9396 91 10 a 14 15 a 19 20 a 29 30 a 39 40 a 49 50 a 64 64+ AM FM Redes 14% Locais 86% Fonte: Mídia Dados 2013 Rádio: freqüência FM ( ex - AM ) com maior penetração entre mais velhos. Poucas redes nacionais Profª. Maria de Fátima Werdan
  22. 22. Os veículos de comunicação são empresas como as outras: seus consumidores são a audiência • Todos os consumidores têm seus veículos preferidos: – Assinantes da Veja ou da Caras; – Leitores da Folha de São Paulo do do Extra; – Telespectadores da novela das oito ou de um seriado da Sony; – Ouvintes dos comentários esportivos da CBN; – Bate-papo no MSN. • Gratuitos ou pagos, cada um destes veículos obtém receita com a audiência específica que atraem, através da venda de anúncios para empresas interessadas nesta audiência; • Mas a fidelidade a uma determinada mídia ou veículo não significa necessariamente que os anúncios na mídia serão percebidos de forma similar ou que o público vá comprar mais do produto anunciado; • O que aumenta são as chances de exposição. Ex.: produto tecnológico direcionado para pré-adolescentes (Internet? Cinema? Revista de quadrinhos?). Profª. Maria de Fátima Werdan
  23. 23. Veículos querem vender espaços; anunciantes querem os melhores espaços para atingir o público-alvo; agência (mídia) é ponte entre esses interesses. • Os veículos de comunicação querem vender seus espaços comerciais. Por isso, se empenham em ter um produto que atraia a audiência, ao mesmo tempo em que precisam atrair anunciantes; • Do mesmo modo os anunciantes querem os veículos que tenham audiência mas que também tenham uma boa avaliação por parte dos consumidores; • Por fim, as agências precisam manter boas relações com os veículos (que fornecem as informações que podem gerar oportunidades comerciais) e claro com os clientes (que sustentam o negócio); • O profissional de mídia está no centro deste intrincado jogo de negociação. Profª. Maria de Fátima Werdan
  24. 24. A importância da mídia no processo de compra • Se os consumidores não percebem que têm um problema, então presume-se que eles não reagirão muito bem à propaganda (mídia passa desapercebida); • Dentro do modelo de processo de compras de Engel/Kollats, temos o seguinte fluxo: 1) Reconhecimento do problema. Ex.: preciso de pneus novos; 2) Pesquisa de alternativas. Ex.: procura as soluções; 3) Avaliação das alternativas. Ex.: do que encontrei, qual a melhor solução? 4) Compra; 5) Pós-compra. Ex.: como estou me sentindo? 6) Feedback. Ex.: frustado/satisfeito? Efeito propaganda Onde efetivamente exploramos as oportunidades de mídia. Profª. Maria de Fátima Werdan
  25. 25. Como o público processa a informação da mídia • Não basta expor a mensagem publicitária para a campanha obter sucesso; • A propaganda não se resume a compra dos espaços certos, mas da junção deste fator com a veiculação de uma mensagem criativa e relevante para o público-alvo; • E não se trata de repetição exaustiva; • Quanto mais relevante o conteúdo da mensagem publicitária, maior o potencial de persuasão da mensagem. O público não espera pelo aparecimento de um anúncio; • O trabalho da mídia se realiza quando a mensagem atinge os alvos corretos, no tempo certo e em quantidade suficiente. Profª. Maria de Fátima Werdan
  26. 26. Alvos corretos Consumidores Informações de marketing Tempo certo Momento mais propício para apreensão da mensagem • Pesquisa de mídia; • Informações dos veículos Quantidade suficiente Número de exposições Decisão de mídia = eficácia do plano Profª. Maria de Fátima Werdan
  27. 27. Por que Comunicação Integrada de Marketing (CIM)? • Sobrecarga de informações – A carga de mensagens comerciais a que os consumidores estão expostos cresce exponencialmente, sem contar as demais informações (escola, trabalho, cursos, etc) que recebem.... • Consumidores perspicazes – Eles sabem de tudo, comparam produtos facilmente, antecipam tendências... • Mudanças na Família – Pai + Mãe = 2 filhos. A fórmula mudou... • Envelhecimento da população – Curva de consumo alterada radicalmente. “Idosos ativos”, “Adultos adolescentes”... • Imperativo verde & Consciência social – Preservar o planeta, crianças saudáveis, pobreza com respeito... • Marketing global – Sinergia das multinacionais, tribos mundiais... Profª. Maria de Fátima Werdan
  28. 28. • Quando todas as perguntas tiverem sido formuladas, os problemas resolvidos e as decisões tomadas, as recomendações e os fundamentos serão organizados em um documento escrito chamado “Plano de Mídia”; • Uma vez aprovado pelo anunciante, o plano serve como guia para a compra efetiva de espaços de veiculação de mídia. Profª. Maria de Fátima Werdan
  29. 29. A Mídia na Agência Profª. Maria de Fátima Werdan
  30. 30. ATENDIMENTO MÍDIA CRIAÇÃO Mídia na Agência Profª. Maria de Fátima Werdan
  31. 31. O Deptº de Mídia  A Mídia é o braço da agência ligado aos veículos de comunicação  A Mídia tem que fazer com que a mensagem criada/produzida chegue ao público-alvo Profª. Maria de Fátima Werdan
  32. 32. O Profissional de Mídia  Funções: – Planejar (Caminho / Diretriz) – Negociar / Comprar – Executar (Operacionalizar) – Controlar / Avaliar  Perfil: - Investigativo – Perguntar, Perguntar, Perguntar! Profª. Maria de Fátima Werdan
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×