Your SlideShare is downloading. ×
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Acopadomundo2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Acopadomundo2010

749

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
749
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Congregação das Filhas do Amor Divino COLÉGIO NOSSA SENHORA DAS NEVES Serviço de Coordenação Pedagógica Serviço de Orientação Educacional e Psicologia Escolar A Copa do Mundo 2010 2010 – ano da 19ª Copa do Mundo, competição criada pelo francês Jules Rimet, em 1928, após ter assumido o comando da instituição mais importante do futebol mundial: FIFA (Federation International Football Association). Como não levar um assunto tão ―popularmente‖ conhecido para a sala de aula? Por que deixar de discutir um tema ―idolatrado‖ pela maioria de nossos alunos? Parafraseando um conhecido ditado: ―Futebol, futebol, escola à parte‖, por quê? Explorar conhecimentos geográficos a partir dos países integrantes das chaves que disputam o título; Discutir a influência histórica na organização das Copas – Por que entre os anos de 1942 e 1946 a competição foi suspensa? Analisar a disputa dos jogos como um fator social, econômico, cultural. Apontar aspectos científicos presentes na preparação antes, durante e depois do campeonato, desde a dieta balanceada dos jogadores em campo até o material utilizado na confecção dos uniformes de cada seleção; Traçar um comparativo sequencial destacando a ―evolução tecnológica futebolística‖; Enfatizar conceitos matemáticos inclusos em cada partida ou no campeonato como um todo... Inúmeras situações relacionadas a esse tema inserem-se naturalmente ao sistema educacional, independente da área de conhecimento. Mas, como a Copa do Mundo acontece a cada quatro anos, o assunto não está explícito nos livros didáticos, o que exige do professor associar essas informações ao conteúdo. África do Sul A Copa do Mundo FIFA de 2010 ocorrerá pela primeira vez no Continente Africano tendo como anfitriã a África do Sul. A votação para a primeira Copa do Mundo na África foi o resultado natural da perda da África do Sul da sede da Copa anterior. Este será o maior evento esportivo no Continente Africano que até então não sediou nenhuma Copa do Mundo nem Olimpíadas. Em 15 de maio de 2004 foi decidido em Zurique que a África do Sul será a sede da Copa de 2010. Líbia e Tunísia desistiram da competição. A África do Sul será o único pré-classificado entre os trinta e dois países que participarão da Copa de 2010. Desde a Copa de 2006 o campeão da Copa anterior não garante vaga automática para o Mundial. Apesar do fraco retrospecto em Copas a África do Sul foi escolhida devido a sua infra- estrutura. A seleção sul-africana venceu a Copa Africana de 1996 e participou apenas das Copas de 1998 de 2002, sendo eliminada na primeira fase em ambas as edições. A África do Sul não se classificou para a Copa de 2006 na Alemanha. Os africanos ainda não chegaram as semifinais das Copas do Mundo, mas aos poucos vão ganhando espaço, como a realização do primeiro Mundial no continente. Desde a primeira vitória do continente com a Tunísia em 78 até a participações inesquecíveis de Camarões em 1990, Nigéria em 1994, Senegal em 2002 e de Gana em 2006. Brasil – “País do Futebol”, de uma seleção temida e pentacampeã, de um povo que tem nesse esporte a grande paixão nacional, onde qualquer objeto serve para improvisar um “golaço” e um papel amassado se transforma numa bola bastante disputada. Depois do jogo vem o replay e pelas esquinas conversas acerca de lances, jogadas e resultados. E a cada quatro anos? Uma grande festa: Copa do Mundo – quando toda uma população se transforma, todos viram técnicos de futebol.
  • 2. Quem são os Bafana Bafana? A equipe de futebol Sul Africana é conhecida por Bafana Bafana – que significa ―os rapazes, os rapazes‖ em isiZulu. Este nome vem do grito dos fãs quando da vitória da equipe na Taça das Nações Africanas em 1996 (que também se realizou na África do Sul). Desde o fim do apartheid e do isolamento desportivo da África do Sul, os Bafana Bafana qualificaram-se duas vezes, uma em 1998 e outra em 2002 – para a Copa do Mundo da FIFA. O MASCOTE Zakumi é o mascote oficial da Copa do Mundo de 2010. O mascote é um leopardo e seu nome é uma composição da influência holandesa na África do Sul, "ZA" (iniciais de Zuid Afrikanse), que significa África do Sul e "Kumi" do idioma Swahili, que significa "10". Zakumi representa o povo, a geografia e o espírito da África do Sul. SELEÇÕES PARTICIPANTES: 32 África do Sul, Alemanha, Argélia, Argentina, Austrália, Brasil, Camarões, Chile, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Costa do Marfim, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Estados Unidos, Espanha, França, Gana, Grécia, Holanda, Honduras, Inglaterra, Itália, Japão, México, Nigéria, Nova Zelândia, Paraguai, Portugal, Sérvia, Suíça, Uruguai. SELEÇÕES ESTREANTES: Eslováquia e Sérvia. As duas seleções estreantes estiveram presentes em outras Copas do Mundo como partes integrantes de outros países. A Tchecoslováquia esteve em 8 edições da Copa do Mundo, sendo vice- campeã em 1934 e 1962. Os sérvios participaram de 10 Copas do Mundo nas seleções da Iugoslávia e Sérvia e Montenegro. TODAS AS COPAS DO MUNDO: Uruguai 1930 Itália 1934 França 1938 Brasil 1950 Suíça 1954 Suécia 1958 Chile 1962 Inglaterra 1966 México 1970 Alemanha Ocidental 1974 Argentina 1978 Espanha 1982 México 1986 Itália 1990 Estados Unidos 1994 França 1998 Coreia do Sul e Japão 2002 Alemanha 2006 África do Sul 2010 Brasil 2014
  • 3. HISTÓRIA Cronologia da História da África do Sul Pré-História: A região do território atual da África do Sul recebeu a colonização do povo Khoisan que eram caçadores e coletores. Época Pré-colonial (do século I ao XIV): Entre os séculos I e V, os povos Khoisan que habitavam a região deste a Pré-História foram conquistados pelo povo Bantu que dominam o território. Entre os séculos IX e XIV desenvolve-se na região o Império Mapungubwe. Período Colonial: 1488 - o navegador português Bartolomeu Dias passa pelo Cabo da Boa Esperança e passa a usar a Ilha Robben como feitoria para o caminho das Índias. 1652 - Jan van Riebeeck, administrador holandês da Companhia Holandesa das Índias Orientais cria a Colônia Holandesa do Cabo. 1795 - a Colônia Holandesa do Cabo é ocupada pelos ingleses, após Napoleão ter conquistado províncias holandesas. 1899 a 1902 - ocorre a Guerra dos Boers em que os ingleses, interessados nas minas de diamante da região, enfrentam colonos holandeses e franceses da região. Vencedores, os ingleses passam a dominar grande parte da região. Século XX: - 1910 - os ingleses fundam a União da África do Sul como domínio do Império Britânico. Tornam a língua inglesa em oficial da região e os negros ficam sem direitos políticos e sociais. - 1948 - criada a estrutura política, social e econômica do Apartheid (sistema legalizado que discriminava racialmente os negros e garantia o domínio da minoria branca na região). - 1961 - a União da África do Sul conquista a independência da Inglaterra, formando a República da África do Sul. - 1994 - fim do apartheid com eleições livres em 27 de abril. Nelson Mandela é eleito presidente da África do Sul. Apartheid (significa "vidas separadas" em africano) era um regime segregacionista que negava aos negros da África do Sul os direitos sociais, econômicos e políticos. Embora a segregação existisse na África do Sul desde o século 17, quando a região foi colonizada por ingleses e holandeses, o termo passou a ser usado legalmente em 1948. No regime do apartheid o governo era controlado pelos brancos de origem européia (holandeses e ingleses), que criavam leis e governavam apenas para os interesses dos brancos. Aos negros eram impostas várias leis, regras e sistemas de controles sociais. Entre as principais leis do apartheid, podemos citar: - Proibição de casamentos entre brancos e negros. - Obrigação de declaração de registro de cor para todos sul-afriacanos (branco, negro ou mestiço). - Proibição de circulação de negros em determinadas áreas das cidades. - Determinação e criação dos bantustões (bairros só para negros). - Proibição de negros no uso de determinadas instalações públicas (bebedouros, banheiros públicos). - Criação de um sistema diferenciado de educação para as crianças dos bantustões. Este sistema vigorou até o ano de 1990, quando o presidente sul-africano tomou várias medidas e colocou fim ao apartheid. Entre estas medidas estava a libertação de Nelson Mandela, preso desde 1964 por lutar com o regime de segregação. Em 1994, Mandela assumiu a presidência da África do Sul, tornando-se o primeiro presidente negro do país. História da bandeira da África do Sul A bandeira atual da África do Sul foi adotada em 27 de abril de 1994, logo após o fim do regime do apartheid. A bandeira antiga foi substituída pela atual, pois muitos consideravam que a antiga representava o antigo regime de conotação racista.
  • 4. Após o fim do apartheid, houve um concurso para o desenho e escolha de uma nova bandeira nacional. Porém, nenhum modelo foi aceito pela comissão encarregada de aprovar a nova bandeira. Com a aproximação da posse de Nelson Mandela, adotou-se de forma temporária o modelo de bandeira desenhado por Frederick G. Brownell. Após Mandela tomar posse, verificou-se que grande parte da população tinha aprovado a nova bandeira e resolveu-se torná-la oficialmente a bandeira nacional da África do Sul. Significado da bandeira Em seis cores (preta, amarela, verde, branca, vermelha e azul), a bandeira da África do Sul apresenta no centro um "Y" deitado. Este "Y" simboliza a convergência em uma só nação, após o regime de apartheid. A cor vermelha simboliza o sangue. A cor azul representa o céu. O verde simboliza a terra da África do Sul coberta por rica vegetação. A cor preta representa os cidadãos negros e o branco os de cor branca. A cor amarela simboliza o ouro, minério muito presente em solo sul-africano. As cores também podem ser atribuídas a união dos povos que fizeram parte da história da África do Sul. As cores preta, verde e amarela faziam parte da bandeira do Congresso Nacional Africano (partido que representava a maioria negra na época do apartheid). Já as cores vermelha, azul e branca fazem parte das bandeiras do Reino Unido e Holanda (países que colonizaram a região no passado). RELIGIÃO A África do Sul caracteriza-se por uma grande diversidade e miscigenação religiosa. No país convivem religiões tradicionais africanas, originárias dos povos antigos da região, com religiões cristãs, hinduísmo e islamismo. Porém, cerca de 70% da população sul-africana segue alguma religião cristã, originária dos europeus. Religiões (de acordo com o Censo de 2001): Igreja Cristã Zion: 11,1% Igreja Pentecostal: 8,2% Igreja Católica: 7,1% Igreja Metodista: 6,8% Igreja Reformada Holandesa: 6,7% Igreja Anglicana: 3,8% Outras religiões cristãs: 36% Islamismo: 1,5% Hinduísmo: 1,2% Judaísmo: 0,3% Outras religiões: 2% Não especificado: 1,4% Nenhuma religião: 14,9% GEOGRAFIA A África do Sul, um dos países mais ricos e desenvolvidos do continente africano, concentra uma grande quantidade de pontos turísticos e culturais interessantes. Oferece também uma excelente rede hoteleira. Podemos encontrar em territórios sul-africanos locais que atendem ao gosto de vários tipos de turistas. São diversos museus, parques naturais, monumentos, aquários, prédios históricos, galerias de arte e muito mais. Com a realização da Copa do Mundo de 2010, o país será alvo de milhares de turistas do mundo todo. Dados Principais Área: 1.221.037 km² Capital: Cidade do Cabo (legislativa), Bloemfontein (judiciária) e Pretória (administrativa) População: 47,43 milhões (estimativa 2005) Moeda: Rand Nome Oficial: República da África do Sul Nacionalidade: sul africana Data Nacional: 27 de abril (Dia da Liberdade) - primeiro dia de governo de Nelson Mandela Governo: República Presidencialista
  • 5. Localização: Sul do Continente Africano Cidades Principais: Cidade do Cabo, Durban, Johanesburgo, Pretória, Port Elizabeth, Bloemfontein, Polokwane, Nelspruit, Rustenburgo. Províncias: Cabo Ocidental, Cabo Oriental, Cabo Setentrional, Estado Livre, Gauteng, Kwazulu- Natal, Limpopo, Mpumalanga, Noroeste. Densidade Demográfica: 39 hab./km2 Fuso Horário: + 5h Clima: tropical (maior parte), mediterrâneo (sul), árido tropical (norte), de montanha (oeste). Dados Culturais e Sociais Composição da População: Grupos étnicos autóctones 70% (zulus 20,5%, chosas 18%, pedis 9%, sotos 7%, tsuanas 6%, tsongas 3,5%, suazis 2%, nedebeles 2%, vendas 2%), europeus 12% (holandeses, alemães, franceses, ingleses), eurafricanos 13%, indianos 3%, outros 2%. Idioma: africâner, inglês, sepédi, sessoto, setsuana entre outros. IDH: 0,658 (2006) Coeficiente de Gini: 57.8 (alto) dados do ano 2000 Esperança de Vida: 49,3 Alfabetização: 82,5% Índice de Mortalidade Infantil: 45 por mil nascimentos Dados sobre a população da África do Sul População: 44.819.778 (Censo de 2001) População estimada em 2007: 47.850.700 Estrutura etária: 0-14 anos: 32.1% (masculino 7,17 milhões / feminino 7,21 milhões) 15-64 anos: 63% (masculino 18 milhões / feminino 14,74 milhões) 65 anos and over: 4.9% (masculino 0,8 milhão / feminino 1,39 milhão) Crescimento populacional: 0.46% (2007) 0.82% (2008) Taxa de nascimento: 20,63 nascimentos por 1.000 habitantes (2001) 17,94 nascimentos por 1.000 habitantes (2007) Taxa de mortalidade: 12,6 mortes por 1.000 habitantes (2006) 22,4 mortes por 1.000 habitantes (2007) Taxa de mortalidade infantil: Total: 42.5 mortes por 1.000 nascidos vivos. (2003) Masculino: 47,4 mortes por 1.000 nascidos vivos. Feminino: 37,4 mortes por 1.000 nascidos vivos Expectativa de vida ao nascer: Total da população: 50,7 anos. (2006) Homens: 49 anos Mulheres: 52,5 anos Etnias (dados do Censo de 2001) Africano/Negro - 79,0% Branco - 9,6% Coloured (mestiços) - 8,9% Indiano/Asiático - 2,5% Idiomas - Línguas Oficiais: Inglês (8%) e Africâner (14%). - Línguas oficiais nativas: zulu (22%), xhosa (17%), suázi (2%), ndebele (1%), sotho meridional (7%), sotho setentrional (9%), tsonga (4%), tswana (8%) e venda (2%). Economia Rand a moeda corrente na África do Sul O Rand é a moeda oficial e corrente atualmente na Africa do Sul. O rand também é usado oficialmente no Lesoto e na Namíbia. Circula livremente também, embora de forma não oficial, na Suazilândia e no Zimbábue. O nome Rand deriva da palavra "Witwatersrand" que é uma abreviação de ―White-waters- ridge‖, cuja tradução literal é Montanha das Águas Brancas. Esta é a montanha na qual a cidade de Johannesburgo foi edificada. No passado, esta montanha era uma importante jazida de extração de ouro. O símbolo do rand é a letra R (maiúscula). Apresenta notas de 10, 20, 50, 100 e 200 Randes. As moedas, simbolizadas pela letra c (minúscula) no caso dos centavos, são apresentadas em 1, 2, 5, 10, 20, 50 centavos (1 Rand é dividido em 100 centavos). Também há moedas de 1, 2 e 5 randes.
  • 6. Produtos Agrícolas: milho, cana-de-açúcar, uva, laranja e outras frutas. Pecuária: bovinos, aves, caprinos e ovinos. Mineração: carvão, minério de ferro, petróleo, ouro e diamante. Indústria: química, petroquímica, carvão, alimentícia, equipamentos de transporte, siderúrgica, máquinas, equipamentos agrícolas e metalúrgica. Renda per capita: US$ 3.400 (estimativa ano 2000). Cidades e Estádios Johannesburg: - Estádio Soccer City - Capacidade: 95.000 pessoas. - Estádio Ellis Park - Capacidade: 70.000 pessoas. Centro econômico de África, Johannesburg é uma cidade de contrastes, espalhada na pequena, mas densamente povoada província de Gauteng. O aeroporto mais próximo: OR Tambo International ou ORTIA. Cidade do Cabo: Estádio Green Point - Capacidade: 70.000 pessoas A cidade mais antiga, mas também a mais bonita da África do Sul, fica na parte sul da província do Cabo Ocidental. Edifícios lindíssimos, os vinhedos nas proximidades, longas praias de areia branca e uma vida cultural rica fazem da Cidade do Cabo um dos destinos favoritos dos turistas. O aeroporto mais próximo: Cape Town International ou CTIA. Durban: Estádio Moses Mabhida - Capacidade: 70.000 pessoas Um local subtropical aprazível e a maior cidade em KwaZulu-Natal, Durban é um destino turístico importante e o maior porto de toda a África do Sul. O aeroporto mais próximo: Durban International ou DIA.
  • 7. Pretória: Estádio Loftus Versfeld - Capacidade: 50.000 pessoas Pretória é a capital administrativa da África do Sul, a norte de Johannesburg, província de Gauteng. Com mais de 150 anos, é um local de grandes monumentos, bela arquitetura e encantadores espaços ao ar livre. O aeroporto mais próximo: OR Tambo International ou ORTIA. Port Elizabeth: Estádio Nelson Mandela Bay - Capacidade: 50.000 pessoas Conhecida como Friendly City (Cidade Amigável), Port Elizabeth fica na Baía de Nelson Mandela, na Wild Coast ou Costa Selvagem batida pelos ventos, província do Cabo Oriental. O aeroporto mais próximo: Port Elizabeth Airport ou PEA. Bloemfontein: Estádio de Free State - Capacidade: 45.000 pessoas A antiga capital da república Bóer e agora capital do Free State (Estado Livre), Bloemfontein – o nome significa ―flor de montanha‖ – é uma cidade bonita com milhares de roseiras e alguns monumentos comemorativos comoventes. O aeroporto mais próximo: Bloemfontein Airport. Rustenburg: Estádio Royal Bafokeng - Capacidade: 42.000 pessoas As suas ruas tranquilas cheias de jacarandás escondem o fato de Rustenberg, na província Noroeste, ser uma das regiões com mais minas do mundo no subsolo, com riqueza incalculável em platina. O aeroporto mais próximo: Aeroporto Internacional OR Tambo ou ORTIA. Nelspruit: Estádio Mbombela - Capacidade: 46.000 pessoas A capital da província de Mpumalanga fica no vale fértil do Rio Crocodilo, a cerca de 330 km a leste de Johannesburg. O aeroporto mais próximo: Aeroporto Internacional de Kruger Mpumalanga. Polokwane: Estádio Peter Mokaba - Capacidade: 46.000 pessoas Capital da província do Limpopo tem uma localização ideal no limiar da rica vida selvagem do mundialmente famoso Parque Nacional Kruger. O aeroporto mais próximo: Polokwane International Airport. Qual a diferença horária do Brasil para a África do Sul? 5 horas a mais. E o tempo, como estará? As estações do ano são exatamente as mesmas do Brasil. Quais são os meios de transporte disponíveis para que eu possa me deslocar de uma cidade a outra durante o evento? Todas as cidades anfitriãs estão ligadas via aérea e através de estradas de ferro. A rede rodoviária do país é excelente, e alugar um carro é outra opção. Quando se trata de andar dentro das cidades propriamente ditas, os transportes sul africanos não estão ao nível dos de Nova Iorque ou Londres, mas é uma alternativa a ser considerada. A forma mais popular de transporte público é o táxi. Até 2010 será feito um plano massivo de recapitalização de táxis, já em andamento, e a maioria dos veículos mais antigos terão sido substituídos por minibuses maiores e mais seguros. A maioria das cidades anfitriãs têm metrô e ônibus. Será que a África do Sul vai lucrar com a Copa do Mundo? Calculou-se que a Copa do Mundo da FIFA 2010 criará por volta de 129.000 empregos, contribuirá com aproximadamente 21 bilhões de rands para o produto interno bruto (PIB) e gerará outros 7,2 bilhões em impostos, com cerca de 350.000 visitantes que se espera gastem uns 9,8 bilhões de rands enquanto estiverem no país assistindo a Copa. Além disso, o país terá a oportunidade de mostrar a sua estrutura e beleza, quebrando muitos preconceitos a respeito do país. Isso seguramente contribuirá para o aumento do turismo.
  • 8. ARTE As artes na África do Sul estão vivas e prosperando. Os primeiros artistas do país foram o povo San que decoravam suas cavernas com pinturas nas rochas e gravuras de animais. Mais tarde, artistas como Pierneef e Thomas Baines adicionaram um toque europeu na arte da comunidade local, que resultou em uma proposta de arte que é uma fusão de culturas e um produto mundial. Pinturas nos vilarejos, esculturas, entalhes em madeira, cestarias, arte em miçangas e em arames e cerâmicas se tornaram populares no mundo todo. No cenário dos palcos, a África do Sul teve o reconhecimento internacional resumido por grandes nomes como ―Ipi Tombi‖, ―Umoja‖ e "African Footprint". A indústria cinematográfica sul- africana está experimentando um crescimento e sucesso jamais vistos com filmes como ―u-Carmen‖, ―eKhayelitsha‖. Festival de Artes Nacionais Para os amantes da arte na África do Sul, o mês de julho tornou-se sinônimo de Festival de Artes Nacionais. Anualmente, o festival é realizado durante alguns dias, no meio do inverno, em Grahamstown, no Eastern Cape. O evento cresceu através dos quadros político, social e cultural, tornando-se uma a importante influência de estilo nas artes e na cultura da África do Sul. Teatro Existem duas tradições teatrais estabelecidas na África do Sul: a africana — desenvolvida com o passar dos séculos — e a européia, introduzida na cultura da África há dois séculos e meio. Recentemente, uma nova tradição híbrida desenvolveu elementos contidos nas duas antigas. O desenvolvimento das tradições contemporâneas tem sido influenciado pelas raízes européias. A nova tradição, no entanto, é ancorada na forma de desempenho da tradição africana, apresentando características com interessantes variações urbanas populares. Música A música na África do Sul é muito diversificada como aconteceu com outros aspectos culturais. Estilos regionais africanos (música folclórica) convivem e, muitas vezes, se fundem com a música internacional. Podemos destacar os grupos Jazz Pioneers e Ladysmith Black Mambazo como destaques no campo musical sul-africano, pois conquistaram popularidade em vários países do mundo. Os últimos anos têm sido palco de transformações de grande projeção no mundo da música sul- africana. Embora ainda exista uma clara polarização entre a música européia, de um lado, e a música étnica sul-africana, do outro lado, há sinais de que se inicia um processo mútuo de compreensão e aceitação. A música que possui uma fusão dos dois estilos também ganhou popularidade. Esta nova e vibrante música é interpretada por grupos, tais como Soweto String Quartet, Ladysmith Black Mambazo, Mango Groove, Mandoza, Hugh Masekela e Mahotella Queens. Dança A dança sempre integrou o estilo de vida africano. Marca presença na caça, guerras, galanteios, casamentos, iniciação e trabalho. As tradições estrangeiras também têm contribuído. Durante as duas últimas décadas, o desenvolvimento da tradição de danças na África do Sul não pode ser separado da tradição de desempenho do teatro, com a mistura de melodias, movimentos e dança. O protesto musical estabeleceu certos estilos de dança e técnicas de palco, chamados toyi-toyi (dança de luta pessoal), mapantsula (município de Jive), isicatamiya (uma tradição dos mineradores e dos homens de hotéis) e Zulu. Artes Visuais A história das belas-artes sul-africanas teve início na Idade da Pedra, quando os artistas decoravam as paredes de suas moradias com murais, pintando os temas do ambiente. Mais de três mil locais, contendo arte em pedra, foram descobertos na África do Sul. Além dos artistas nativos, há os que utilizam estilos estrangeiros e contemporâneos de arte. As paisagens ainda são um tema importante para os artistas sul-africanos, mas a degradação ecológica do planeta tem feito com que alguns deles se concentrem, num primeiro momento, em certas questões ambientais. Filmes Dois fatores atrapalharam o desenvolvimento da cultura cinematográfica na África do Sul. O primeiro deles está ligado ao fato de a indústria cinematográfica sul-africana ter sido, por muito tempo, dependente dos produtos europeus e americanos. O segundo aspecto limitante é que — desde o início de um esquema subsidiário nos anos cinqüenta — os setores governamentais e de negócios manipularam a indústria de filmes na África do Sul. No entanto, em 1994 foram estabelecidas uma
  • 9. Fundação de Televisão da África do Sul e uma Empresa de Filmes e Televisão, com o objetivo de ajudar os produtores de filme e televisão. A empresa é sustentada pelo governo e por companhias privadas e tem como meta ajudar a financiar a indústria e o desenvolvimento neste amplo contexto. Museus A África do Sul está bem dotada com uma variedade de museus. Incluem-se nessa ampla lista a Galeria de Arte da África do Sul na Cidade do Cabo, o Museu do Apartheid em Johannesburg, o Museu Nacional de Literatura Inglesa em Grahamstown, o Monumento Afrikaanse Taal (museu de línguas) em Paarl e o Robben Island, onde o ex-presidente Nelson Mandela foi aprisionado por 27 anos. Como resultado da pesquisa histórica e exibições, os museus são a principal fonte de evidência material da história, cultura e herança da nação. Culinária sul-africana A culinária sul-africana recebeu a influência dos povos pré-colonização (khosai, xhosa e sotho) e dos britânicos e holandeses. A base da culinária é a carne (vaca, frango porco). O vinho também é faz parte desta culinária, sendo a África do Sul um importante produtor desta bebida. Existe uma espécie de evento social tradicional sul-africano chamado de braai, cujo centro é a comida. Num braai, espécie de churrasco, os homens assam e grelham as carnes, enquanto as mulheres cuidam das saladas e sobremesas. No braai são grelhados diversos tipos de carnes e embutidos (salsicha, coxas de frango, costeletas, carne seca, rabo de boi, linguiça entre outros tipos). O bitong também é comum na África do Sul. Trata-se de um bife de carne seca que, tradicionalmente, é muito consumido enquanto se assiste alguma atividade esportiva. Para os mais audazes, oferecemos desafios culinários, como bifes de crocodilo, lagartas fritas ou cabeças de carneiro – uma delícia! Para os menos corajosos, existem iguarias indígenas deliciosas, como o biltong (carne salgada frita), a bobotie (uma versão muito elaborada da tradicional tarte de carne de carneiro picada) e os boerewors (salsichas caseiras picantes grelhadas num fogareiro). No espaço de uma mesma rua de uma cidade ou de um centro comercial poderá encontrar restaurantes italianos, duas ou três variedades de cozinha chinesa e japonesa, marroquina, francesa, portuguesa e indiana. Não muito longe andarão os restaurantes congoleses, gregos, até mesmo brasileiros e coreanos – e em qualquer sítio, fusão, exibindo as fantasias culinárias dos chefes mais criativos. Línguas Na África do Sul existem 11 idiomas oficiais, embora o inglês seja o mais usado. O afrikáans, derivado do holandês, também é muito utilizado pelos descendentes de holandeses. Além destes, existem outros idiomas oficiais usados por determinados grupos étnicos. Entre estes, podemos citar: tswana, swasi, ndebele, sesotho, tsonga, venda e zulú. O que é uma vuvuzela?! Alguns dirão que é o instrumento musical nacional da África do Sul. É uma corneta grande em plástico, de cores vivas, que todos os fãs sopram a plenos pulmões em todos os jogos de futebol por todo o país. O som que ela faz é algo entre o sopro de um elefante com gripe e o zumbido de um enxame de abelhas gigante, mas que fazer? Os Sul Africanos adoram-na. Principais feriados nacionais sul-africanos - 27 de Abril: Dia da Liberdade (comemorada as primeiras eleições livres após o apartheid). - 16 de junho: Dia da Juventude (quando ocorrem protestos em Soweto contra o apartheid). - 24 de setembro: Dia da Hereditariedade (comemorada a diversidade cultural e étnica no país).
  • 10. LITERATURA O amplo espectro linguístico é uma das razões de ainda não ter sido escrita nenhuma história abrangente da África do Sul, traçando o desenvolvimento das diversas formas de literatura e interação. No entanto, a variedade de trabalhos, que constitui toda a literatura dos últimos 300 anos, dificilmente pode ser ignorada, pois reflete a experiência da África do Sul como um todo. As últimas três décadas têm visto um aumento no número das publicações sul-africanas, mas a herança oral continua influenciando a literatura escrita com sua visão de mundo. Escolha do assunto, temas, estrutura, estilo e dispositivos de caráter. Em razão da variedade de línguas faladas na África do Sul, a literatura tornou-se bem diversificada. John Maxwell Coetzee e Nadine Gordimer são dois dos principais escritores do país. O primeiro ganhou o prêmio Nobel de Literatura em 2003, tendo escrito livros que foram traduzidos para o português e editados e publicados no Brasil. Seu gênero de escrita é a ficção e alguns de seus livros são O Cio da Terra, Diário de um Ano Ruim e à Espera dos Bárbaros. Já Nadine prefere desenvolver textos sobre o apartheid, regime político pelo qual os brancos detinham o poder sobre os negros, obrigando-os a viverem separados, numa grande demonstração de preconceito racial. Seus livros são do gênero da ficção, mas também em crônicas como: O Engate, The Lying Days e The Conservationist. Vonani Bila é um escritor negro, que lutou muito para ter seu trabalho reconhecido. Fundou um projeto poesia, intitulado Timbila, publicando várias poesias, além da revista literária Timbila. Vonani conseguiu fazer a circulação de obras de poetas que eram marginalizados. Com isso tornou-se uma fonte de inspiração para várias oficinas e projetos envolvendo novos escritores do gênero poético. Vonani Bila faz duras críticas a escritores que trabalham escrevendo artigos para o governo, onde diz que são pagos para falarem dos rótulos governamentais, se colocando contra esse tipo de literatura que faz do leitor um fantoche. A África do Sul dispõe de um museu literário, que iniciou suas atividades em 1972, a fim de promover aos sul-africanos uma boa leitura. No museu, recolhem e conservam as obras literárias, bem como outros materiais referentes a essa literatura, como poesias, peças de teatro, romances, contos, diários, memórias e livros infantis. Além desses, angariam críticas sobre questões sul-africanas, obras gravadas pela imprensa e publicadas por revistas. Comumente são realizados concursos e festivais literários, envolvendo o gênero da poesia. Nestes participam escritores, estudantes e alguns integrantes do governo. Os concursos são muito bem aceitos, havendo grande participação de toda a sociedade. Curiosidades É o primeiro mundial sediado no continente africano. A Copa do Mundo de 2010 na África do Sul terá todos os campeões mundiais, algo que não ocorreu na edição da Alemanha. Sendo assim, o pentacampeão Brasil, a tetracampeã Itália, a tricampeã Alemanha, os bicampeões Argentina e Uruguai, e ainda os campeões França e Inglaterra participarão desta Copa. A última vez que isto ocorreu foi em 2002, quando todos os vencedores de um Mundial estavam presentes. Pela primeira vez na história das Copas, a Coreia do Sul e a Coreia do Norte vão competir simultaneamente. Na única vez em que a Coreia do Norte competiu, em 1966, a Coreia do Sul não estava presente. Pela primeira vez duas seleções da Oceania disputam a mesma Copa, é o caso de Austrália (disputou a vaga pela Ásia) e Nova Zelândia. As seleções de Honduras e Nova Zelândia haviam disputado a Copa de 1982 e retornaram, curiosamente, para a Copa 2010, após ficarem de fora da grande festa do futebol durante longos 28 anos. Primeira copa do Mundo a ter 6 seleções do continente africano. Pela primeira vez desde a sua estreia em Copas do Mundo, a Arábia Saudita fica fora de um mundial.
  • 11. CIÊNCIAS Todos os jogos da Copa serão filmados e transmitidos de forma 100% digital. Você sabe o que é TV Digital? A TV Digital surgiu como uma forma de garantir um salto na qualidade de imagem e som nas transmissões de TV. Como a tecnologia digital acabou sendo o caminho natural deste aprimoramento, trouxe várias outras possibilidades, acabando por transformar a TV numa outra mídia. Mas, ao contrário do que parece, a HD (alta definição) chegou à TV antes da transmissão digital (que hoje é o que se chama de TV Digital). Era um sistema caro e pouco prático. Para transmitir informações suficientes para ―desenhar‖ na tela uma imagem com alta definição, o sinal analógico demandava 20 MHz de banda para cada canal. Na definição normal, são 6 MHz. Não havia mais como reduzir o sinal analógico, ―comprimir‖ de alguma forma. Agora, com a mesma banda inicial (6MHz), a transmissão digital consegue enviar a imagem em alta definição, som de home theater e permite até a interatividade, com complementos de programação e dados adicionais. Traz até uma vantagem ecológica, reduzindo em 30% o consumo de energia na transmissão. Foram os japoneses que começaram a perseguir a alta definição como uma meta a ser alcançada. Isso na Década de 70. O objetivo era garantir ao público de TV a qualidade mais próxima do cinema, dentro de casa. Foi assim que a HD chegou pela primeira vez aos telespectardores, já na Década de 80. Primeiro no Japão, depois na Europa. No Brasil, o SBTVD foi lançado em Dezembro de 2007, como um aprimoramento do ISDB. As inovações brasileiras estão agradando tanto, e foram tão estrategicamente colocadas, que podem transformar o SBTVD no primeiro sistema digital de larga exportação. Digital X Analógico Sistema digital: Transmite sinais que transformam a imagem e o som em linguagem de computador (dígitos binários). Como o sinal é transmitido em forma de dados, não há perda, o que proporciona som e imagem de alta qualidade, sem fantasmas ou ruídos. O aparelho de TV, nesse caso, funciona como um computador e pode, inclusive, ser conectado à internet, transmitir programas interativos e um número elevado de canais. Sistema analógico: Está em uso desde o lançamento da TV, na década de 1940. Diferente do digital, o som e a imagem são convertidos em ondas, que são transmitidas pelo ar. Durante o trajeto, pode acontecer perda de sinal, o que causa as interferências. A previsão é que este sistema seja desativado até 2016, mas é necessário que 99,4% da população já tenha aderido ao sistema digital. Com o encerramento das suas transmissões para sinal de TV, a frequência analógica pode ser usada para outros fins, como telefonia celular. Diferenças entre TV alta definição e TV convencional: Resolução: Pode ser percebida na nitidez das imagens e textura. Tecnicamente falando, a alta definição corresponde a um número maior de linhas da tela do seu televisor. Imagem: Cada fração da imagem da TV convencional ou analógica é formada por 480 linhas, que ocupam a tela em altíssima velocidade. Já na tela de TV de alta definição, a mesma imagem é formada por 1.080 linhas, na mesma fração de tempo. Alcance: A TV de alta definição procura imitar o potencial do olhar humano, ampliando a visão para as laterais. A proporção da tela analógica é 4:3, já a digital é ampliada para 16:9, que é o mesmo formato das telas de cinema. Tecnologia 3D: A Sony e a FIFA assinaram um acordo para transmitir no máximo 25 jogos da Copa do Mundo da África do Sul de 2010 em 3D. Com isso usuários de aparelhos HDTV 3D da Sony poderão desfrutar de uma impressionante qualidade de imagem como se estivessem em campo. A FIFA vai realizar eventos em sete cidades do mundo, incluindo Rio de Janeiro, Berlim, Londres, México, Paris, Roma e Sidney, para exibir os jogos em telões 3D. A Sony Pictures Entertainment produzirá e distribuirá o filme oficial em 3D da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 após o evento.
  • 12. MATEMÁTICA A Matemática entra em campo Poliedros e Futebol Observe a bola de futebol ao lado: Trata-se de um poliedro inflado. Tal poliedro possui 60 vértices, 90 arestas e 32 faces, sendo 12 pentagonais e 20 hexagonais. Quem diria! Até chutando bola estamos envolvidos com os poliedros! Prevendo quantas copas ocorrerão A copa do mundo é realizada de 4 e 4 anos. Podemos dizer então que, se nenhuma guerra e/ou desastre mundial acontecer, no século XXI ocorrerão 250 copas. Pura Matemática! Ângulo formado num chute a gol “O atacante concentra-se para a cobrança da falta. Tiro livre direto. Prepara o chute mortal e... GOOOOLLLL!!!!!!!” Mas, qual é a relação angular existente entre o chute e a direção da bola ao gol? Qual o ângulo formado? O campo de futebol – um possível modelo gráfico Dimensões em Jogos Internacionais Quando uma equipe tem de participar num jogo de uma competição internacional, o comprimento do campo deve ser de 100m no mínimo e de 110m no máximo. Neste tipo de jogos, a largura do recinto de jogo deverá ter um mínimo de 64m e um máximo de 75m. Limites do Campo O campo de jogo é retangular dividido por duas partes através de uma linha central. Durante a realização da partida, a bola deve ser jogada dentro dos limites do campo. No meio, existe uma circunferência com um raio de 9,15m, tendo uma pequena marca circular no centro, onde deve ser dado o pontapé de início de jogo. Grande Área A grande área é a zona do campo próxima da baliza delimitada por um retângulo, que tem a dimensão de 16,5m de largura e 40,32m de comprimento. O goleiro somente poderá jogar a bola com as mãos na zona da grande área, caso contrário, o mesmo é admoestado com uma falta. Pequena Área A pequena área é também retangular e tem dimensões mais reduzidas, estando inserida na grande área. Esta zona tem uma largura de 5,5m e um comprimento de 18,32 m.
  • 13. Copa do Mundo - A Fórmula da Disputa As equipes participantes disputarão a 1ª fase de grupos da Copa no sistema de "todos contra todos" em turno único. Os critérios de desempate desta fase serão aplicados na seguinte ordem 1. Saldo de gols/diferença de gols. 2. Gols feitos. 3. Resultado do confronto direto entre as equipes empatadas. 4. Sorteio pelo Comitê Organizador da FIFA ou play-off (de acordo com o calendário). As fases seguintes (oitavas-de-final, quartas-de-final, semifinais e final) serão disputadas em sistema eliminatório. Tabela da Primeira Fase da Copa do Mundo de 2010 na África do Sul Jogos do Grupo A Data Hora Jogos Estádio Jogo 11/06 11h00m África do Sul x México Soccer City 1º 11/06 15h30m Uruguai x França Green Point 2º 16/06 15h30m África do Sul x Uruguai Loftus Versfeld 17º 17/06 8h30m França x México Peter Mokaba 18º 22/06 11h00m México x Uruguai Royal Bafokeng 33º 22/06 11h00m França x África do Sul Free State 34º Jogos do Grupo B Data Hora Jogos Estádio Jogo 12/06 8h30m Argentina x Nigéria Ellis Park 3º 12/06 11h00m Coreia do Sul x Grécia Nelson Mandela Bay 4º 17/06 11h00m Grécia x Nigéria Free State 19º 17/06 15h30m Argentina x Coreia do Sul Soccer City 20º 22/06 15h30m Nigéria x Coreia do Sul Durban 35º 22/06 15h30m Grécia x Argentina Peter Mokaba 36º Jogos do Grupo C Data Hora Jogos Estádio Jogo 12/06 15h30m Inglaterra x EUA Royal Bafokeng 5º 13/06 8h30m Argélia x Eslovênia Peter Mokaba 6º 18/06 11h00m Eslovênia x EUA Ellis Park 22º 18/06 15h30m Inglaterra x Argélia Green Point 23º 23/06 11h00m Eslovênia x Inglaterra Nelson Mandela Bay 37º 23/06 11h00m EUA x Argélia Loftus Versfeld 38º Jogos do Grupo D Data Hora Jogos Estádio Jogo 13/06 11h00m Alemanha x Austrália Durban 7º 13/06 15h30m Sérvia x Gana Loftus Versfeld 8º 18/06 8h30m Alemanha x Sérvia Nelson Mandela Bay 21º 19/06 8h30m Gana x Austrália Royal Bafokeng 24º 23/06 15h30m Gana x Alemanha Soccer City 39º 23/06 15h30m Austrália x Sérvia Mbombela 40º Jogos do Grupo E Data Hora Jogos Estádio Jogo 14/06 8h30m Holanda x Dinamarca Soccer City 9º 14/06 11h00m Japão x Camarões Free State 10º 19/06 11h00m Holanda x Japão Durban 25º 19/06 15h30m Camarões x Dinamarca Loftus Versfeld 26º 24/06 15h30m Dinamarca x Japão Royal Bafokeng 43º 24/06 15h30m Camarões x Holanda Green Point 44º
  • 14. Jogos do Grupo F Data Hora Jogos Estádio Jogo 14/06 15h30m Itália x Paraguai Green Point 11º 15/06 8h30m Nova Zelândia x Eslováquia Royal Bafokeng 12º 20/06 8h30m Eslováquia x Paraguai Free State 27º 20/06 11h00m Itália x Nova Zelândia Mbombela 28º 24/06 11h00m Eslováquia x Itália Ellis Park 41º 24/06 11h00m Paraguai x Nova Zelândia Peter Mokaba 42º Jogos do Grupo G Data Hora Jogos Estádio Jogo 15/06 11h00m Costa do Marfim x Portugal Nelson Mandela Bay 13º 15/06 15h30m Brasil x Coreia do Norte Ellis Park 14º 20/06 15h30m Brasil x Costa do Marfim Soccer City 29º 21/06 8h30m Portugal x Coreia do Norte Green Point 30º 25/06 11h00m Portugal x Brasil Durban 45º 25/06 11h00m Coreia do Norte x Costa do Marfim Mbombela 46º Jogos do Grupo H Data Hora Jogos Estádio Jogo 16/06 8h30m Honduras x Chile Mbombela 15º 16/06 11h00m Espanha x Suiça Durban 16º 21/06 11h00m Chile x Suiça Nelson Mandela Bay 31º 21/06 15h30m Espanha x Honduras Ellis Park 32º 25/06 15h30m Chile x Espanha Loftus Versfeld 47º 25/06 15h30m Suiça x Honduras Free State 48º Os dois primeiros colocados de cada grupo se classificam para as oitavas-de-final. A seguir, as chaves de oitavas-de-final e fases seguintes. Oitavas-de-final 26/06 – 11:00 – 1A x 2B: 26/06 – 16:30 – 1C x 2D: 27/06 – 11:00 – 1D x 2C: 27/06 – 16:30 – 1B x 2A: 28/06 – 11:00 – 1E x 2F: 28/06 – 16:30 – 1G x 2H: 29/06 – 11:00 – 1F x 2E : 29/06 – 16:30 – 1H x 2G: Quartas-de-final 02/07 – 11:00: 02/07 – 16:30: 03/07 – 11:00: 03/07 – 16:30: Semifinais 06/07 – 16:30: 07/07 – 16:30: Disputa pelo Terceiro Lugar 10/07 – 16:30: Final 11/07 – 16:30: Campeão: Vice-Campeão: Terceiro colocado: Quarto colocado: Pesquisa e diagramação: Simoneuza Oliveira Moura/Psicopedagoga Fonte: Internet

×