If this is art sefora

503 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
503
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

If this is art sefora

  1. 1. Fotografia Arte Contemporânea Fotografia tem assumido um papel importante na criação de imagens no âmbito da arte contemporânea.
  2. 2. Significa que o acto artístico vá além da captura do momento observado <ul><li>A criação da imagem (fotografia) começa antes do disparo: </li></ul>É necessário antes de tudo uma reflexão sobre o conceito de fotografia, de modo que se perceba a importância dos processos de criação e os procedimentos utilizados pelo artista. A fotografia é hoje, produto cultural complexo que contribui para a transmissão das mais variadas experiências perceptivas. São as várias possibilidades de criação na fotografia contemporânea a partir dos processos criativos desenvolvidos pelos artistas.
  3. 3. É imprescindível a construção e o arranjo do assunto da fotografia, ou seja, como interferir no “mundo visível”. Esta estratégia inclui tudo, desde naturezas mortas ‘’arranjadas’’ até a auto-encenação com o próprio fotógrafo diante da câmara, cujo campo de ação é ampliado em várias direções: diretor, construtor, dramaturgo, desenhista de cenários, ator, entre outros. São inúmeros os procedimentos para a construção de uma imagem que ampliam a órbita conceitual da linguagem fotográfica. Dentre muitos procedimentos, destacamos: o cut paper ; a produção de imagens por apropriação de outras imagens; a encenação do auto-retrato; a nova natureza morta ( still life ); as construções por miniaturas; a construção de “realidades”; a direção de cenas; as instalações e as esculturas: os diários íntimos; entre outros.
  4. 4. <ul><li>Relaciona-se com outras áreas artísticas, nomeadamente, movimentos de arte a partir dos anos 60 e 70, quando a fotografia tornou-se o meio de documentar e divulgar trabalhos temporários, abordados na arte Conceptual, Performances e Body Art. </li></ul>
  5. 5. Fotógrafo norte-americano, nascido em 1864 e falecido em 1946, estudou Engenharia Mecânica e Fotoquímica em Berlim. Regressa a Nova Iorque e publica a revista American Amateur Photographer , fundando também o jornal Camera Notes e, em 1903, a revista Camera Work . É um dos mais importantes impulsionadores da fotografia como forma de arte, e do vanguardismo americano no início do século XX. Desenvolveu também importante atividade como galerista, tendo realizado uma exposição de obras de Rodin em 1908. Foi casado com Georgia O'Keefe. Alfred Stieglitz
  6. 6. Alfred Stieglitz, Fountain, 1917 by Marcel Duchamp Alfred Stieglitz, Two Towers New York 1911
  7. 7. Alfred Stieglitz, Georgia O’ Keeffe, 1920 Alfred Stieglitz, The Steerage, 1907
  8. 8. Pintor alemão, nasceu a 12 de maio de 1921, em Krefeld. Entre 1947 e 1952, frequentou a academia Belas-Artes de Düsseldorf e depois inscreveu-se no curso de escultura de Joseph Enseling e de Ewald Mataré. Para Beuys, a arte devia participar nas várias dimensões da vida coletiva e assumir um forte cunho interventivo. As primeiras obras que realizou foram desenvolvidas no âmbito do movimento Fluxus (fundado por Maciunas em 1961) e consistiam em happenings e performances públicas, as quais designava por ações. As performances que realizou em público assumiam características de rituais míticos. Joseph Beuys
  9. 9. Durante a ação &quot;Como explicar pintura a uma lebre morta&quot;, apresentada em 1965, o artista senta-se com um cadáver de uma lebre ao colo.
  10. 10. Na performance &quot;Coiote: eu gosto da América e a América gosta de mim&quot; (1974), Beuys encerra-se numa galeria de arte nova iorquina, durante alguns dias, com um coiote selvagem. Quase todos os seus trabalhos têm uma forte dimensão metafísica e os materiais ganham conotações metafóricas e espirituais. O objeto &quot;Fato de feltro&quot;, realizado em 70, utiliza o feltro, um dos materiais mais emblemáticos da sua obra. Em 1979, o museu Guggenheim de Nova Iorque realizou uma importante retrospetiva da sua obra. Joseph Beuys morreu a 23 de janeiro de 1986, em Düsseldorf
  11. 11. Joseph Beuys, I like America and America likes me , 1974 Photo credit Caroline Tisdall
  12. 12. É uma artista francesa, que trabalha com fotografia e performances. Sophie Calle
  13. 14. The chromatic deit, 1998 (durante seis dias, sophie comeu uma dieta de cor. Cada dia uma cor) Estratégia artística e vida diária
  14. 15. Traductrice en langage SMS / Translator into SMS language, Alice Lenay Photo: 113 x 140 cm Text: 113 x 85 cm http://www.youtube.com/watch?v=ZbNzIL6J9po
  15. 16. Prossegue um personagem, nem sempre convidado
  16. 19. As One Minute Sculptures , muitas vezes referidas genericamente como a estratégia de criação do seu trabalho, são uma espécie de performances , fotografadas e filmadas, em que o artista se submete, e aos seus modelos, a bizarras relações com objetos comummente utilizados no quotidiano, e representam tentativas de criar escultura com meios aparentemente tão parcos como o corpo e os objetos que o rodeiam: Wurm é o primeiro a admitir um fascínio pelo que designa de &quot;caminho mais curto&quot;, pela procura de formas de expressão claras e rápidas. Para cortar caminho, o artista utilizou uma espécie de lógica niveladora: a da absoluta proximidade, que o levava a utilizar o que estava sempre à mão. Segundo as suas próprias palavras, em entrevista recente à Art Press , quis &quot;perceber se e como era possível converter e transformar em escultura coisas que têm a ver com jogos, comida, desejo, higiene corporal&quot;.
  17. 23. http://www.gestalten.com/motion/clip?id=98
  18. 24. Nasceu a 26 de Semtembro de 1956 em Vancouver, British Columbia no Canadá. Candiano de origens chinesas, reside e trabalha em Vancouver. É pintor, escultor e fotografo. Nos seus trabalhos, foca-se normalmente em relacionar a imagem ( fotografia, retrato) e frases ( geralmente clichês) baseando-se na vida contemporânea, convidando o observador a questionar-se acerca dos problemas sociais e do mundo actual. Em cada uma das suas obras, considera a posição de cada indivíduo na sociedade e investiga as distincões raciais e sociais Kenneth Lum
  19. 26. Palavra associada à fotografia
  20. 28. O que é storytelling? Técnica de utilizar histórias para transmitir conhecimentos, conceitos e valores. Quais os resultados? Aprendizagem, conhecimentos, mobilização de pessoas Em que consiste a técnica (metodologia) ? 1 – identificar objetivo 2 – mapear histórias 3 – estratégias (qual a melhor forma de contar a histórias?) estudo de casos, vídeo, digital, redações, pequenos depoimentos. 4 – contar a história. Curiosidade: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=bzS8b1_YSPk#!
  21. 29. Samantha &quot;Sam&quot; Taylor-Wood OBE (nascido em 04 de marco de 1967), nascido em Samantha Taylor , é um cineasta Inglês, fotógrafo e artista visual. Sua estréia no cinema como diretor característica veio em 2009 com Nowhere Boy , um filme baseado nas experiências de infância de The Beatles compositor e cantor John Lennon. Ela faz parte de um grupo de artistas conhecido como Young British Artists . Em 2008, Taylor-Wood dirigiu um curta-metragem Love You More , escrito por Patrick Marber e produzido por Anthony Minghella. O filme inclui duas músicas de Buzzcocks e apresenta uma breve aparição da banda é o vocalista Pete Shelley. Sam Taylor-Wood
  22. 30. Em fevereiro de 2009, Sam Taylor-Wood, colaborando com Sky Arts escolheu interpretar Vesti la Giubba de Pagliacci. Em 2011, ela dirigiu o vídeo da música &quot; Überlin &quot;por REM. O clipe de estrelas noivo Aaron Johnson, que, &quot;lança alguns chutes de kung--fu, as tentativas de algumas piruetas e socos no ar.
  23. 33. A vida ainda é, uma imagem de objetos que não se movem. Muitas vezes, vasos, tigelas de frutas, garrafas, etc. O artista cria uma natureza morta geralmente em estúdio para fazer um &quot;estudo&quot; dos objetos. Pode ser um desenho, uma pintura ou uma fotografia. O artista olha para os objetos estuda a sua forma, onde cai a luz, as sombras dos objetos e a relação entre eles. Still Life Natureza Morta
  24. 34. Francisco de Zurbarán, Ainda vida de jarros (1636).
  25. 35. Adriaen van Utrecht-Vanitas-Still Life with Bouquet and Skull (circa 1642)
  26. 40. Nasceu em 1965, Bournemouth, Reino Unido. É um artista baseado essencialmente na fotografia. Estudou no London College of Printing , e foi o primeiro fotógrafo a ter um show de um homem na National Gallery em Londres . Tom Hunter
  27. 42. &quot;Woman Reading a Repossession Order&quot; Vermeer's painting &quot;Woman Reading at the Window&quot;
  28. 43. Hannah Starkey
  29. 48. Mariko Mori Nasceu em 1967, no Tokyo, Japão. Mora e trabalha em New York, USA. Artista que está ligado tanto à fotografia como ao video. Também esteve ligado à moda.
  30. 49. «Nirvana» Mariko Mori «Beginning of the End and Body Capsule » 2000.
  31. 53. Kumano, 1998
  32. 54. SOMETHING AND NOTHING TUDO E NADA <ul><li>Tracey Baran </li></ul>
  33. 55. Vive e trabalha em Nova York. Seu trabalho foi incluído em exposições no Museu Guggenheim, Bilbao, Museu Folkwang, Essen, Alemanha, Museu de Fotografia Contemporânea, Chicago, The Milwaukee Art Museum, Metropolitan Museu de Arte de Pusan​​, Coréia do Sul e PS 1, Nova York, entre outros. Tracey Baran
  34. 56. “ Suck and Blow” (2002)
  35. 57. “ Suck and Blow” (2002)
  36. 58. Something and Nothing <ul><li>Objectos simples do dia a dia, poderão parecer extraordinários quando fotografados. </li></ul><ul><li>A sua forma/função é alterada conceptualmente devido ao enquadramento e à forma que são representados </li></ul>
  37. 59. Peter Fischli É um artista suíço que trabalha nos campos da escultura, fotografia e filme. Em parceria com o artista David Weiss, adapta objetos do dia a dia de maneira a formarem um contexto artístico.
  38. 61. Peter Fraser É um artista virado para a fotografia, defende que não há hierarquia entre o grande e o pequeno, pois tudo no universo é feito de coisas pequenas. O seu trabalho é realizado também em torno de perguntas físicas e metafisicas.
  39. 66. Wolgang Tilmans É um fotografo alemão, vive em Londres e em Berlim. É considerado um dos mais importantes artistas contemporâneos e é conhecido por ter acompanhado um movimento histórico da sua cultura.
  40. 71. Anthony Hernandez É considerado um fotografo de ‘’rua’’. Captura uma infinidade de camadas económicas e raciais de espaços sociais de Los Angeles.
  41. 76. Nasceu em 1963, Lisboa, é um dos mais importantes artistas portugueses revelados na década de 1990. Embora não trabalhe exclusivamente com a fotografia, é neste meio que tem executado alguns dos trabalhos mais marcantes no contexto artístico português dos últimos vinte anos. Augusto Alves da Silva
  42. 77. “ Augusto Alves da Silva tira partido da ilusória neutralidade da fotografia e dos códigos convocados automaticamente por determinados regimes de imagens (paisagem, retrato), apresentando imagens claras, nítidas, em que o excepcional nunca salta à vista, antes tendo de ser procurado; em que, no fundo, nunca nada é dado a ver de forma imediata, promovendo um diferimento que desmente retrospectivamente, consoante olhamos mais atentamente para cada imagem, aquilo que, num primeiro olhar, ela parecia significar. Esta será a primeira exposição retrospectiva de um dos mais importantes fotógrafos portugueses da actualidade.”
  43. 79. Estudou pintura na FBAUL completando os seus estudos com um MFA no Goldsmith College em Londres. Um dos mais bem sucedidos artistas da sua geração, Onofre teve uma precoce exposição internacional com o convite que lhe foi dirigido por Harald Szeemann para integrar a Bienal de Veneza de 2001. Trabalhando quase exclusivamente em vídeo o artista tem vindo a explorar o potencial performativo desse medium. João Onofre
  44. 80. Untitled (Vulture in the studio)
  45. 81. Estudou no Ar.Co, em Lisboa, e no Royal College of Art, em Londres, onde se formou como fotógrafo. Expôs pela primeira vez em 1990 (Galeria Ether, Lisboa) e desde então teve uma presença constante na vida cultural portuguesa. Entendendo a prática fotográfica como uma via de acesso privilegiado ao plano da intimidade, o artista estrutura o seu trabalho em séries, segundo a sugestão do diário gráfico, e propondo pistas de leitura poéticas para as suas imagens ao insinuar uma narrativa. Através da introdução de títulos as fotografias adquirem uma aptidão comunicacional cuja mensagem o observador intui naturalmente ( Collected Short Stories , CAM, 2003). Daniel Blauflkus
  46. 82. Muito próximo de uma tradição cinematográfica francófona ou do cinema independente Americano, todo o seu motivo é um motivo relacional. Estar. Partir. Ficar. Olhar. Sonhar. As fotografias funcionam como janelas para estados de alma ou &quot;pequenos nadas&quot; quotidianos, aos quais subjaz uma noção lírica da existência. Uma rapariga de óculos escuros, gotas de chuva num vidro, um avião, uma montra. O olhar de Blaufuks reveste-se de uma candura adolescente, reflectindo-nos um mundo onde tudo é à partida objecto de redenção estética.
  47. 83. TRÊS QUARTOS DE MEMÓRIA Fundação Eva Klabin, Rio de Janeiro 2011
  48. 84. O OFÍCIO DE VIVER Galeria Carlos Carvalho 2010

×